Entrega de imóveis deve subir 2,6 vezes em 2012 – Gazeta do Povo

Você pode gostar...

Comments
  • Cai Cai Balão 28 de fevereiro de 2012 at 14:25

    Engraçado, a Gazeta sempre na frente, anunciando problemas relacionados ao real state. Eles anunciam para construtoras?

    0
  • Carlos Wagner 28 de fevereiro de 2012 at 15:03

    Agora é oficial:

    Revogaram as leis de mercado Oferta/Procura x Abundância/Escassez.

    Até metade de 2011 a lei regia a base dos investimentos e era usada como justificativa de bons negocios: a tão famosa demanda reprimida.

    Hoje, os oportunistas revogaram tais leis da mesma maneira com que o governo muda metodologias de calculo de inflação.

    Simples!

    0
    • Anônimo 28 de fevereiro de 2012 at 15:14
      0
  • Marcelo 28 de fevereiro de 2012 at 15:09

    Ha pouco na CBN o Sardenberg e a Mara Luquet estavam discutindo sobre a “NOVA BOLHA AMERICANA”, que sao as “licencas para taxis”. No decorrer eles acabaram comentando sobre as demais bolhas recentes pelo mundo, mas nada foi sequer aventado sobre a nossas bolhas de credito e imobiliaria.

    0
    • Cleyton 28 de fevereiro de 2012 at 15:22

      É justamente isso que acho engraçado, se esse povo fosse ignorante (no sentido de ignorar o assunto) até dava pra dar um desconto, estão claramente evitando o assunto, e pior que o motivo mais provável é pressão de patrocínio, eu teria vergonha em apresentar um “jornal” fazendo papel de palhaço…

      0
      • Marcelo 28 de fevereiro de 2012 at 16:33

        Vai ser interessante essa turma de jornalistas, no futuro, ter que fazer reportagens completas sobre bolha brasileira, credito irresponsavel, etc. Chega uma hora que nao da pra esconder o acumulo de sujeira jogado debaixo do tapete, todo mundo ve, ate quem nao gostaria.

        0
        • DanielCM 28 de fevereiro de 2012 at 16:52

          Acho que o pai vai ser a tal “crise financeira internacional”. Duvido que irão dizer que aqui concederam crédito de forma irresponsável e utilizaram crédito de forma mais irresponsável ainda.

          0
        • DanielCM 28 de fevereiro de 2012 at 17:00

          agora que eu quero ver, com essa desova de imóveis: pagamento das chaves, itbi, registro …

          0
    • Shakespeare 28 de fevereiro de 2012 at 16:38

      interessante o seu comentário, porque eu acredito que também exista uma bolha de licenças de táxi em SP também.

      Principalmente para atuar em pontos do tipo aeroporto, rodoviária, hotéis…

      0
      • Frank 28 de fevereiro de 2012 at 17:39

        o RJ tem uma das mariores relações taxi por habitante entre grandes cidades do mundo.

        é 1 taxi para cada 198 habitantes.

        folhadomotorista.com.br/riodejaneiro/modules/news/article.php?storyid=933

        falou-se em um post anterior sobre a falta de taxi no Galeão e Stos Dumont, e de o qto isso seria um indicador da afluência do povo endinheirado viajante.

        houve acréscimo cavalar no número de passageiros no tráfego aéreo, sem dúvida, mas a falta de taxi nos aeroportos não tem nada a ver com isso: trata-se de uma cooperativa (máfia) q detém o controle dos pontos em aeroportos, e controla licenças para q se possa operar por lá.

        ou seja, uma dessas coisas ridículas (limitação da oferta por meio de conluio de grupo de interesse com Poder Público p/ garantir mercado cativo em prejuízo do cliente final) q ocorrem no Brasil e raramente em países civilizados.

        0
  • Homeless 28 de fevereiro de 2012 at 15:10

    A reportagem diz que a maioria é morador. Eu duvido. Como o IG mesmo disse, em reportagem, o investidor é até 70%. Eu mesmo cheguei a ir em lançamentos e nunca vi ninguem comprando pra morar, só pra revender. Só louco que não sabe fazer conta paga o que estão pedindo. Vamos aguardar os próximos capítulos.

    0
  • D9 28 de fevereiro de 2012 at 15:12

    “O presidente da Ademi argumenta que quem comprou na planta
    pensando em investir e não em morar já deve ter feito a revenda…”

    Com essa argumentação eu sou obrigado a concordar.
    Quem comprou p/ investir, já deveria ter feito a revenda …
    Faltou só completar “e se ainda não fez se f… hehehhehe”

    Não existe almoço grátis, dinheiro não cai do céu.

    0
  • Luiz 28 de fevereiro de 2012 at 15:14

    MaIs uma noticia profetizada neste blog com meses de antecedencia.

    O boom de entregas, e junto com ele, o boom de desculpas do mercado afirmando que as entregas não vão afetar o preço e que 100% poderão pagar as chaves.

    0
  • Anonymous 28 de fevereiro de 2012 at 15:16

    Para alguns produtos, a variação no preço não afeta a demanda. O SAL é um exemplo, pode cair/subir de preço o quanto for que ninguem vai passar a comer mais/menos SAL por causa disso. Agora, achar que algo semelhante aplica-se a imóveis é coisa de quem está cheirando um outro pó branco muito parecido com SAL, não vem do mar, mas é muito abundante no Rio.

    0
    • Felipe 28 de fevereiro de 2012 at 22:33

      hahahahahaha
      Depois que estourar a bolha imobiliária acho que a próxima bolha deve ser a da cocaína

      0
    • Expert 7 de março de 2012 at 11:56

      Por favor, nao queira comparar sal com mobilia. A bolha que pode ocorrer é que gente que tenha grana compra 8 apartamentos e depois tenha dificuldade de coloca-lo no mercado. Em vez de vende-lo por 200mil tenha que liquida-lo por 100mil, por nao ter compradores REAIS.

      0
  • ROD 28 de fevereiro de 2012 at 15:19

    Esse número de 80-85% me parece fantasioso aqui em Curitiba, mas vamos trabalhar com ele:
    Supondo 80% de imóveis efetivamente ocupados, quantos são a 1ª moradia do suposto morador? Analisando apenas meu círculo social posso estimar que metade já ocupava um imóvel e outra metade vem de um desmembramento da família. Ou seja, para cada 2 imóveis novos ocupados por moradores, surge 1 imóvel no mercado que seve ser vendido/alugado.
    Soma-se o índice de imóveis investimentos 20% e teremos uma enorme quantidade de imóveis sendo despejados no mercado. Se em 2 anos serão entregues cerca de 18.200 imóveis temos 7.280 (metade dos 80%) retornando ao mercado mais 3.640 (20% de investidores) entrando no mercado. Isso dá 10.920 imóveis.
    Para fins de comparações hoje estão anunciados no http://www.imoveiscuritiba.com.br 11.120 apartamentos para venda e 3.030 para aluguel. Agora, cada um aqui que chegue a sua conclusão…

    0
    • Bolha Imobiliária 28 de fevereiro de 2012 at 16:13

      Eu acredito em 50% – 50% como você falou. Mas o número pode ser maior de investidores.
      Lembro-me que um rapaz daqui de Curitiba tinha saído com uma corretora, e ela confessou que um prédio no cristo rei tinha sido inteiro vendido para investidores…

      0
      • Luiz 28 de fevereiro de 2012 at 17:38

        Calculo de Demanda em Curitiba:
        1,8 milhão de habitantes
        formação de demanda média anual = 0,5%
        total = 9.000 pessoas ou 3 mil familias

        Demanda anual = 3 mil novas unidades

        Na melhor das hipoteses em 2011 o mercado estava construindo empatado com a demanda (exceto os na planta, claro).
        Precisa calcular a demanda reprimida de 2010 pra trás
        Daqui em diante ou a rende cresce em ritmo chinês ou teremos sobreoferta ploquistica.

        0
        • Paulo Rocha 28 de fevereiro de 2012 at 19:11

          E a grande pergunta! Dessas 3.000 famílas, quantas tem condição de adquirir um imovel?

          0
          • Luiz 28 de fevereiro de 2012 at 19:23

            pelo método todas as 3 mil familias reunem as condições pra adquirir imovel
            a questão é: destas 3 mil quantas vão querer alugar/comprar um imovel conforme o seu novo nivel de renda?

            0
    • Pepper 28 de fevereiro de 2012 at 22:56

      Tava pensando no mesmo, só não tinha chegado a uma conclusão sobre o percentual de pessoas que deixam um imóvel usado vago.

      0
  • xyz 28 de fevereiro de 2012 at 15:54

    ht tp://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/2012/02/inadimplencia-de-pessoa-fisica-atinge-maior-nivel-desde-dezembro-de-2009.html

    Não acreditei muito na notícia, pois acho que a inadimplência é muito maior.
    Ano passado o BC mudou a metodologia de cálculo, então como podem agora comparar com dados de 2009? Não dá para entender.

    Meus rudimentares conhecimentos da matemática me dizem que 7,6% não é muito compatível com a venda de 16bi por menos de 400mi, correspondente a quase 10% da carteira de crédito de um grande banco do país.

    Não tenho a menor idéia de como é a metodologia de cálculo, mas gostaria de saber se quando o Santander vende os créditos podres a inadimplência sai das estatísticas do BC?

    0
    • Annibal 28 de fevereiro de 2012 at 16:48

      Essa é a transparência Brasil, mudaram a metodologia para o calculo da inflação, fazendo com quem tenha seu salário reajustado pelo IPCA (tbm deveriam ter revisto a meta de inflação na proporção da mudança), na verdade perca poder de compra… e agora fico sabendo q mudaram tbm a metodologia do calculo da inadimplência, se ja não bastassem os inúmeros feirões de regularização de dividas….

      REALMENTE QUEM POUPA NO BRASIL É OTÁRIO (eu inclusive)…. o bom mesmo é gastar o q não tem e depois dar calote…

      0
      • xyz 28 de fevereiro de 2012 at 17:43

        De fato o país se tornou muito proprício para quem se endivida irresponsavelmente e se tornou também muito óstil para quem tem o hábito de poupar. Pior ainda para quem poupa para comprar imóvel.

        Isso não vai acabar bem.
        Pior é quando resolverem perdoar as dívidas para que os endividados voltem às compras, inclusive de imóveis bolhudos, pois a conta vai sobrar para nós.

        0
        • luidhi 29 de fevereiro de 2012 at 09:47

          Vou tentar explicar de uma forma fácil como funciona a economia de mercado:

          Janicleide e Rosinelson são casados. Ela é empregada Doméstica e ele trabalha como pedreiro. Nos últimos anos, sua renda melhorou muito bem, podendo pensar em ter um pouco de luxo em suas vidas, uma coisa melhor que o básico.
          O Banco Desmorada é um banco médio que mexe com capital de risco no varejo. Para isso cobra altas taxas no seu cartão de crédito. O Desmorada forneceu um cartão a Janicleide e Rosinelson a juros de 25% ao mês e limite de 1.500,00. Devido ao bom relacionamento do casal, o banco Desmorada liberou uma linha de crédito para compra de automóvel 0 km. Rosinelson vê aquele carro lindo com prestações de 599 em 72x sem entrada. Tendo uma renda de 1.200 da emprega e de 1.500 como pedreiro, o casal compra o carro.
          O banco desmorada já tem uma carteira nessa condição de aproximadamente 10 mil clientes. Como o risco é grande, mas o lucro é grande, o banco vende essa carteira para o banco Geral Mineiro, grande banco do varejo, que devido a alta inadimplência, o compra como crédito podre e paga menos de 50% do valor de face, já incluídos os juros.
          O Banco Desmorada aumenta a restrição dos empréstimos, visto que daqui para frente será mais difícil repassar os contratos, devido ao risco.
          Rosinelson está com nome sujo, carro com 10 prestações atrasadas. Decide devolver o carro e renegociar dívidas, conseguindo descontos na ordem de 60% do valor devido. Rosinelson recupera o crédito, paga que deve e compra outro carro.
          O Banco Geral Mineiro consegue recuperar menos de 25% do valor de face de contratos. O resto é classfiicado como prejuízo, que servirá para abatimento de imposto.

          Moral da História: Banco, no Brasil não quebra.

          Conclusão: Isso só vai acabar mal para os paraquedistas e oportunistas sem experiência de mercado.

          0
  • MrK 28 de fevereiro de 2012 at 15:55

    Eu gostaria de comentar uma FALÁCIA que não aguento mais ler por aí

    Corretores, imobiliarias e construtoras usam um argumento engracadíssimo para quem tem noções mínimas de economia e bom senso: O preço dos imóveis subiu porque ficou estagnado por 10 anos, então agora ele está “corrigindo” isso.

    Dois pontos sobre essa questão:

    1- O preço dos imóveis, que vigorou por decadas no passado, era o real preço de equilibrio, por um motivo simples: Caso houvesse uma REAL necessidade, sustentada por RENDA, de mais imóveis , as pessoas simplesmente pagariam mais pelo imóvel, fazendo o preço subir e estimulando a construção civil, é a famosa “mão invisivel” do mercado, é o mundo capitalista. NÃO EXISTE “mercado injustiçado”, o mercado é o que ele é, o preço que vigorou decadas tem mais histórico e sustenação do que o preço que está vigorando há meses.

    2- Não existe isso de um ativo financeiro “ficar dormindo” e esquecer de valorizar, é a coisa mais ridicula que já ouvi na vida, imaginem, tem uma ação dando um lucro enorme, crescendo exponencialmente e o papel fica de lado, porque os operadores “esqueceram de valorizar” e de repente todo mundo corre pra comprar junto, é de doer!!

    O Preço real é o preço de 2007 acrescido do crescimento real de renda, o que dá muito abaixo do que o que temos hoje.

    0
    • Bolhudo 28 de fevereiro de 2012 at 21:35

      Simplesmente perfeito. Não precisa dizer mais nada.

      0
    • Pepper 29 de fevereiro de 2012 at 00:09

      Como ninguém teve a brilhante ideia de aumentar antes, não? Afff!

      0
    • Guibro 1 de março de 2012 at 08:12

      Acrescido o crescimento da renda e DESCONTADO o aumento da oferta!

      0
    • Ana Paz 1 de março de 2012 at 12:23

      Pelas minhas pesquisas de mercado imobiliiário desde 2002, estou 100 % de acordo com o Mrk!
      Ainda bem que há pessoas razoáveis no mundo, ainda que em menor número.

      Devo ressaltar, outrossim, que o número de crédulos e bobos já está consideravelmente reduzido, em relação ao auge dessa especulação.
      Isso pode ser observado facilmente, mediante consulta aos classificados (de jornais impressos, internet) e no número de placas de “vende-se” que criam raizes e se multiplicam como coelhos.

      0
  • MrK 28 de fevereiro de 2012 at 15:59

    Quanto a noticia do post de Curitiba, lembrem-se de 2 coisas

    1- Essa quantidade monstro de imóveis vem pro mercado quando os estoques já estão recorde e as vendas caindo vertiginosamente

    2- A maioria é de especulador, mas mesmo que se assuma que é de morador, os moradores hoje estão todos na rua ou morando com a mamãe? claro que não! Quando se mudarem botaram a venda outro imóvel, ou devolverão pro proprietário, de qualquer forma esvazia outro imóvel!

    e eu não acredito em 85% pra morador final mas neeeeeeeeeeeeeeeeem ferrando. quando estive em CTBA ano passado fui metralhado de folheto de invista em imóveis!

    0
  • Luiz 28 de fevereiro de 2012 at 16:07

    As cinco fases do colapso Aplicada a uma crise imobiliária
    (adaptado do Modelo de Kübler-Ross)

    1 Negação
    2 Negociação e Barganha
    3 Raiva
    4 Depressão
    5 Aceitação

    1>2 À medida que avançamos da negação à barganha, você pode esperar o seguinte:

    Afirmações de que a situação nas áreas onde o preço está caindo, não se aplicam a “minha área”. “É diferente lá do que aqui”. “Mercado é local”.
    Isso vai ser repetido a nível subúrbio. “´áreas nobres nunca vão cair, mesmo se subiu 85% nos últimos cinco anos. “Todo mundo quer viver aqui”. “Há demanda reprimida” .
    Em seguida, no nível da rua: “Casas na nossa rua é claramente melhor.”

    3 A fase de Raiva será acompanhada por:

    Meios de comunicação e blogueiros serão acusados de causar a recessão. (Apontar a irracionalidade do mercado é material incendiário!)
    Vizinhos que precisam para vender e, portanto, soltou o seu preço serão considerados indesejáveiso. “O Que eles estão pensando?”
    Comportamento aproveitador será apontado: “O mercado está em um mergulho, porque você não está aproveitando?”
    As pessoas vão exigir que o governo faça alguma coisa. (taxas de juros precisam descer, ou regras mais flexíveis de empréstimos para os pobres poderem “entrar na piramide imobiliária”, enquanto “o mercado é uma pechincha”.

    4 Depressão será marcado por:

    Os investidores irão desaparecer do trabalho, das festas, dos comentários na internet. Vão passar a negociar privadamente

    5 Aceitação

    Despesas discricionárias serão severamente restringida.
    AQUELES COM DINHEIRO SERÃO REIS.

    0
    • Carlos Wagner 28 de fevereiro de 2012 at 16:10

      Quem viver verá!

      0
    • Marcelo 28 de fevereiro de 2012 at 16:39

      Isso me faz lembrar da epoca do Collor, quando o dinheiro foi confiscado. Carros (considerados ativos por brasileiros), imoveis, telefones (isso ja foi ativo por incrivel que pareca), diminuiram de precos da noite pro dia, e quem tinha dinheiro em especie tinha enorme poder de barganha.

      0
      • Cleyton 28 de fevereiro de 2012 at 16:43

        Muito bem lembrado!

        0
      • xangai 28 de fevereiro de 2012 at 21:29

        E verdade.

        Isso deveria ser lembrado por eventuaissss “investidores” que acreditam ter mais garantias com imovel do que dinheiro no banco. Acredito que uma parte desses malucos ainda pensam assim….correram tirar dinheiro da bolsa ou renda fixa para se “proteger” em imoveis. Isso pode ter sido o comeco das altas inexplicaveis.

        Masss … se quebrar … quebra tudo !

        Eh possivel ainda ter algumas invasoes nos “investimentos” em imoveis.

        0
    • Ratinho 28 de fevereiro de 2012 at 20:41

      Tenho a sensação que estão presentes todos os sintomas em maior ou menor grau, pelo menos já presenciei diferentes pessoas com diferentes comportamentos sobre o assunto…. Grupos diferentes, percepções diferentes, fases diferentes… O importante, estão convergindo para o plooooooc

      0
  • Deurges 28 de fevereiro de 2012 at 16:45

    not.economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201202272031_TRR_80912293

    Pesquisa: País tem 2ª maior valorização imobiliária do mundo

    O Brasil registrou a segunda maior valorização imobiliária nominal (sem o desconto da inflação no período) em 2011 ante o ano anterior, 27,82%, segundo pesquisa realizada pela Global Property Guide. A Índia ficou no topo da lista, com elevação dos preços dos imóveis de 35,77%. O levantamento, que considera uma cidade de cada país, destaca que Nova Délhi e São Paulo registram aquecimento no setor mesmo enquanto no resto do mundo o cenário é de arrefecimento.

    Entre os 35 países pesquisados, 22 verificaram queda nos preços dos imóveis, enquanto apenas 13 obtiveram elevação. No quarto trimestre de 2011, o enfraquecimento do setor é ainda mais evidente, já que apenas 10 países mostraram valorização dos imóveis, contra 25 nações em que o valor recuou. Já São Paulo e Nova Délhi, mesmo no quarto trimestre, tiveram valorização imobiliária de 3,93% e 6,62% (já descontada a inflação).

    Mesmo no ranking em que a valorização já está descontada da inflação, Índia e Brasil lideram, com 25,26% e 19,79% de crescimento no valor dos imóveis, respectivamente. Por outro lado, Irlanda, com desvalorização de 18,08%, e Polônia, com recuo de 10,55%, são os últimos da lista.

    Nos Estados Unidos, onde a crise econômica de 2008 teve início, no setor imobiliário, os preços do setor caíram 5,54% em 2011, mas registraram elevação de 0,06% no último trimestre do ano passado.

    0
    • Ratinho 28 de fevereiro de 2012 at 20:43

      Vamos comemorar, já somos segundo. A meta: primeiro lugar…

      0
  • Deurges 28 de fevereiro de 2012 at 16:46

    not.economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201202272031_TRR_80912293

    Pesquisa: País tem 2ª maior valorização imobiliária do mundo

    O Brasil registrou a segunda maior valorização imobiliária nominal (sem o desconto da inflação no período) em 2011 ante o ano anterior, 27,82%, segundo pesquisa realizada pela Global Property Guide. A Índia ficou no topo da lista, com elevação dos preços dos imóveis de 35,77%. O levantamento, que considera uma cidade de cada país, destaca que Nova Délhi e São Paulo registram aquecimento no setor mesmo enquanto no resto do mundo o cenário é de arrefecimento.

    Entre os 35 países pesquisados, 22 verificaram queda nos preços dos imóveis, enquanto apenas 13 obtiveram elevação. No quarto trimestre de 2011, o enfraquecimento do setor é ainda mais evidente, já que apenas 10 países mostraram valorização dos imóveis, contra 25 nações em que o valor recuou. Já São Paulo e Nova Délhi, mesmo no quarto trimestre, tiveram valorização imobiliária de 3,93% e 6,62% (já descontada a inflação).

    Mesmo no ranking em que a valorização já está descontada da inflação, Índia e Brasil lideram, com 25,26% e 19,79% de crescimento no valor dos imóveis, respectivamente. Por outro lado, Irlanda, com desvalorização de 18,08%, e Polônia, com recuo de 10,55%, são os últimos da lista.

    Nos Estados Unidos, onde a crise econômica de 2008 teve início, no setor imobiliário, os preços do setor caíram 5,54% em 2011, mas registraram elevação de 0,06% no último trimestre do ano passado.

    0
  • Evandro CPS 28 de fevereiro de 2012 at 16:53

    Lançamentos em SP põem em cheque função dos shoppings na cidade

    A abertura de grandes lojas deu nova cara à avenida Paulista nos últimos anos. Agora, o lançamento de um novo shopping na via mais conhecida de São Paulo e outras inaugurações na vizinhança reforçam a vocação comercial da região, mas também dividem os especialistas sobre a viabilidade e a sustentabilidade de tais empreendimentos na cidade.

    Até 2014, a região da Paulista e do bairro dos Jardins, que já concentra um grande número de lojas, ganhará dois novos shoppings. O mais vistoso deles será o Cidade de São Paulo, que está sendo levantando no terreno da antiga residência dos Matarazzo, na esquina da avenida Paulista com a rua Pamplona.

    Com o aquecimento da economia, os lançamentos também aumentaram no interior do país. Só neste ano serão inaugurados 42 shoppings no Brasil, segundo a Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers). O montante representa quase 10% de todos os 430 centros comerciais atualmente em operação no país.

    Para Marcelo Sallum, sócio-diretor da empresa de gestão de shoppings Lumine, que assessora o Cidade de São Paulo, uma mudança do perfil da Paulista e uma grande demanda por serviços como restaurantes, por exemplo, justifica a inauguração do empreendimento, que além de lojas também abrigará escritórios.

    “A mudança de perfil da Paulista nos últimos anos, com varejo de alto padrão, corrobora ainda mais o potencial da avenida para um novo shopping como o Cidade de São Paulo”, afirma.

    O impacto no trânsito em uma região já congestionada e a construção de shoppings ao estilo ‘caixote’, isolado do entorno urbano, preocupam especialistas, no entanto.

    O arquiteto Valter Caldana, professor da Universidade Mackenzie, pondera que há projetos com impacto positivo, mas faz alertas.

    “A ideia de um shopping fechado, que nega a cidade, e não promove a circulação e a conexão das pessoas com as ruas do entorno é uma ideia ultrapassada, que ficou no século 20”, diz Caldana.

    O professor defende que a “vitalidade da cidade está nas ruas” e que é saudável incentivar o comércio de rua, que pode eventualmente se esvaziar com a migração de lojas para os shoppings.

    Para incentivar este comércio, Caldana diz que é preciso “aterrar fios, ter calçadas arrumadas, com mais iluminação e segurança”.

    “Não dá para apostar em uma cidade que se entrincheira e depende do automóvel. Os novos shoppings têm de ser mais abertos”, diz o professor, citando o Conjunto Nacional, na mesma avenida, como um bom exemplo de uso misto do espaço (com lojas, escritórios e apartamentos) e integração com a cidade.

    IMPACTO

    A uma quadra do futuro Cidade de São Paulo, outro antigo endereço da família Matarazzo pode abrigar um novo shopping. Trata-se do hospital desativado Humberto Primo, cujo projeto ainda aguarda análise da Prefeitura.

    Nos Jardins, o prédio de um emblemático restaurante paulistano dará lugar a uma filial do luxuoso Shopping Cidade Jardim. A expansão também ocorre nas estações do metrô, como a da Vila Madalena.

    Para a arquiteta Heliana Vargas, professora da FAU (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP), um shopping tem o potencial para mudar o entorno de uma região, positiva ou negativamente.

    Segundo ela, empreendimentos em áreas de baixa ocupação podem impulsionar o desenvolvimento de um região, como ocorreu com o shopping Center Norte na época de sua inauguração.

    “Mas um dos principais problemas é o impacto viário, pois os programas de melhoria no sistema viário atrelados à construção de shoppings nunca são suficientes”, diz Heliana, explicando que eles costumam levar em conta só o empreendimento em si, esquecendo que o entorno também muda e pode gerar mais trânsito.

    PODER PÚBLICO

    A professora da FAU-USP também afirma existir uma deficiência dos órgãos públicos na fiscalização dos impactos trazidos por grandes empreendimentos.

    “Enquanto as construtoras desses shoppings investem muito em estudos mercadológicos e de impacto, o poder público não tem competência técnica para analisar se esses empreendimentos são realmente viáveis”.

    Valter Caldana afirma que a legislação da cidade é hoje adequada. Mas além do poder público, ele também cobra mais responsabilidade do setor privado.

    “É fundamental que os shoppings e grandes lojas se responsabilizem pelo impacto nas ruas do entorno. Hoje temos calçada com buraco na frente de lojas que vendem produtos de R$ 1 milhão”, critica.

    CONTRAPARTIDAS

    Na capital de São Paulo, o processo para autorização para novos shoppings depende de análise de vários órgãos da Prefeitura, como a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) e a Secretaria do Verde e Meio Ambiente.

    Para a construção do Cidade de São Paulo, a Prefeitura exigiu como contrapartida o rebaixamento das calçadas junto à faixa de pedestres em dois cruzamentos e adequação da sinalização de trânsito em um raio de 30 metros.

    O novo empreendimento também terá de manter 41 das 159 árvores do terreno –outras 19 deverão ser transplantadas e mais 727 devem ser plantadas (sendo que 621 delas no vizinho parque Trianon).

    h t t p : / /www1.folha.uol.com.br/bbc/1054650-lancamentos-em-sp-poem-em-cheque-funcao-dos-shoppings-na-cidade.shtml

    0
  • Profeta dos Pampas 28 de fevereiro de 2012 at 16:59

    Tchê!!!

    Chama a mãe que o pai tá male………

    0
    • Carlos Wagner 28 de fevereiro de 2012 at 17:38

      Rachei de rir…boa!

      0
  • Leno 28 de fevereiro de 2012 at 17:13

    Enquanto isso, estou recebendo varios emails de lançamentos aqui em sampa.

    0
  • Anonymous 28 de fevereiro de 2012 at 17:25

    Coloquei em letras maiúsculas o que já aconteceu numa situação normal quando a Banânia já estava utilizando sua moeda atual. Note que nessa época não foi necessário sequestrar o dinheiro como na época Collor e o preços de um tipo de imóvel DESPENCOU. O povo que esquece sua história esta condenado a repeti-la.

    Investir em flats?
    veja . abril . com . br/vejasp/especial_guia_imobiliario/p_124 . shtml

    Tinha tudo para ser um excelente negócio. Na cidade que recebe quase 9 milhões de visitantes por ano (a maioria a negócios), os flats pareciam a alternativa ideal para oferecer conforto e serviços a quem dispensasse hotéis de luxo. Melhor ainda se os prédios fossem novos, modernos e confortáveis. NO FIM DA DÉCADA DE 1990, INVESTIR EM FLATS FOI TIDO COMO UM NEGOCIÃO. OS CORRETORES PROMETIAM UM RENDIMENTO MENSAL EQUIVALENTE A ATÉ 1,5% DO VALOR DO IMÓVEL, PORCENTUAL CONSIDERADO EXCELENTE POR INVESTIDORES DO MERCADO IMOBILIÁRIO. OU SEJA, QUEM PAGASSE 70 000 REAIS POR UM APARTAMENTO DE 25 METROS QUADRADOS RECEBERIA CERCA DE 1 000 REAIS POR MÊS. TAMANHA PROCURA FEZ OS PREÇOS DISPARAR: O METRO QUADRADO CHEGOU A SALTAR DE 2 800 PARA 5 000 REAIS. O NÚMERO DE UNIDADES CONSTRUÍDAS PASSOU DE 7 000 FLATS PARA IMPRESSIONANTES 35 000 ENTRE 1998 E 2003. A demanda por hospedagem, no entanto, não acompanhou esse ritmo.

    O setor entrou em uma crise tão grande que no ano passado não ocorreu nenhum lançamento. “Houve uma superoferta, e muita gente teve de baixar as diárias para conseguir hóspedes”, afirma o engenheiro Caio Calfat, presidente da Sociedade Latino-Americana de Estudos Imobiliários (Lares). QUEM TENTOU VENDER SEUS IMÓVEIS DESCOBRIU QUE O FLAT PASSARA A VALER MENOS DA METADE. OS QUE INVESTIRAM EM UM APARTAMENTO NO HOLIDAY INN PARQUE ANHEMBI, POR EXEMPLO, PAGARAM 113 000 REAIS HÁ QUATRO ANOS. HOJE, O MESMO IMÓVEL É VENDIDO POR 40 000 REAIS. Exceções existem, claro, mas são raras.

    0
  • Carlos Wagner 28 de fevereiro de 2012 at 17:32

    Vi o anuncio de um terreno aqui na minha cidade e resolvi escrever para a vendedora. Sem trolagem, por curiosidade mesmo. Como tratava-se de uma particular muitissimo bem educada, expliquei meu ponto de vista educadamente e todos ficaram felizes, apesar do negocio nao ter sido concretizado.

    A sequencia cronologica é de baixo pra cima, pois fomos replicando as respostas em cima da mensagem anterior. vejam:

    XXXX

    Eu realmente lhe desejo realizar bons negocios. Porém, pra mim, não vejo vantagem no negócio.

    Não arrisquei em fazer uma contraproposta por entender que voce tambem deseja realizar uma espectativa financeira que lhe seja viavel e talvez minha oferta pudesse ofende-la.

    Mas obrigado

    From:
    To:
    Subject: RE: Sobre a venda do terreno
    Date: Tue, 28 Feb 2012 20:43:24 +0300

    Carlos Boa tarde

    Vou esclrecer mais um pouco, o terreno não esta a venda por 120,000 ele esta por menos se vc compr-alo a vista sai mais ou menos 107,000 a prazo ou seja entrada mais parcelas, se a pessoa for pagar a vista sai mais ou menos o preço que os sr sugeriu e até menos. Outro fator é a Localização pois ele fica tbm atraz do frango assado, ficara proximo ao novo shopping que ficará pronto em dezembro deste ano, onde eu moro os terrenos ja estão bem mais caros devido a isso, e não tem toda infraestrutura. o sr pode averiguar. Mas obrigada pela compreenção e tenha uma Boa Tarde!!

    Att. XXXX
    From:
    To:
    Subject: RE: Sobre a venda do terreno
    Date: Tue, 28 Feb 2012 17:32:50 +0000

    XXXX, boa tarde

    Ok. Ja sei onde fica o seu terreno. Eu fui até o local e conversei com corretores do estande de vendas na época mas achei o preço absurdo pela localização, bairro e infraestrutura oferecida.

    120 mil é um preço sugerido pelo mercado a fim de garantir o pensamento coletivo de que foi um bom negocio, mas na prática, esse preço é extremamente elevado. Comparativamente, encontra-se terrenos dentro do campos do conde II com total infraestrutura de piscinas, quiosques e salão de festas por 90 mil.

    Desculpe pelo meu relato acima, meu intuito é apenas esclarecer a visão dos potenciais compradores para que os vendedores possam, talvez, readequar seus preços de venda conforme suas necessidades e não ficarem com imoveis encalhados.

    No mais, agradeço muito seu contato esclarecendo minhas duvidas referente ao negocio e digo que, no termos atuais, no vejo vantagem em dar prosseguimento na negociação.

    Boa sorte.

    From:
    To: c
    CC:
    Subject: FW: Sobre a venda do terreno
    Date: Tue, 28 Feb 2012 19:58:03 +0300

    ___________________________________________________________

    From:
    To: c
    Subject: RE: Sobre a venda do terreno
    Date: Tue, 28 Feb 2012 18:23:33 +0300

    Ola Carlos Bom Dia

    A localizaçao do terreno fica no Bonfim próximo ao Abaeté, lote 19, tem escritura, o terreno esta avaliado em R$ 120.000,00 mas estamos vendendo abaixo do valor,
    em relação ao restante da divida fica aproximadamente entre 150 a 140 prestações restantes vou confirmar com meu pai e te informo o total correto das prestações
    o valor de cada prestação é de 571,00R$ havendo alguma duvida deixe seu telefone que entrarei em contato contigo

    certa de um retorno

    XXXX.

    ___________________________________________________________
    XXXX, bom dia

    Qual a localização exata desse bairro e do terreno? Qual o montante da divida? Tem escritura?

    Obrigado e no aguarado

    Vende-se Terreno
    Descrição: Vende-se um terreno de 10X30 em Porta do Vale com infraestrutura em fase de Urbanização( plantação de arvores, playground e etc). Ótima Localização. Peço 25,000 passa-se divida. Aceito Carro e Contra Proposta
    Preço: R$ 25,00
    Cidade: Taubaté
    Nome:
    Email:
    Telefone:
    Data do Anuncio: 2012-02-24 17:43:42

    0
  • Emtso 28 de fevereiro de 2012 at 18:05

    Curitiba possui 574.000 mil domicilios pelo IBGE 2010.

    As entregas de 2011, 12 e 13 são 21.108 (3,68% em relação a todos domicilios)

    Alugados são 122.000 as entregas representam 17,30% em relação aos alugados

    79.000 (14%) residencias com 5 pessoas ou mais.

    Quitados 60,4%

    Na minha opnião os preços vão permanecer estáveis e até cair (uns 10%) pelos próximos anos, e com a inflação de 8, 10% a.a. (real) a sensação vai ser de queda maior ainda….como as entregas em 2014, 15 e 16 serão menores por ter diminuindo o número de lançamentos em 2011, os preços voltarão a subir nestes anos timidamente.

    Se não houver nenhuma crise o cenário é este. Isto olhando Curitiba como um todo, poderá haver bairros que os preços caiam 10% e outros subam 5% a.a. (oferta e demanda) Mas vejo claramento um cenário de estagnação, com sensação de queda pela inflação, sem querer puxar a “sardinha” pra nenhum lado.

    Os “investidores” que conheço que possuem, 2, 3 imóveis para serem entregues, falaram que vão segurar os preços no alto pelo maior período possível, não estão com pressa (entenda com dinheiro).

    Outra coisa que precisamos analisar, quantos destes “investidores” que hora se fala em 30%, hora 70% tem “bala na agulha” para segurar o imóvel, e ainda, o quanto a construtora aguenta segurar o ativo no preço do mercado sem liquidar.

    Falar em aumento de 30% em 3 anos hoje é loucura, assim como falar em queda de 30% dos preços.

    0
    • Mohawk 28 de fevereiro de 2012 at 18:19

      Senhores,

      A questão da precificação não é determinada por quem não vende porque não quer ou não precisa.
      O que é determinante é: se a pessoa quer ou precisa vender, que preço consegue?

      0
    • Luiz 28 de fevereiro de 2012 at 18:30

      Etmos, preste atneção num detalhe

      Fonte de dados ADEMI – PRque não tem nenhum compromisso em fazer pesquisas exaustivas.

      Pod eaumentar em até 50% no maximo devido aos construtores formigas.
      (fonte: de memória, numeros divulgados por lojas de material de construção).

      0
    • Annibal 28 de fevereiro de 2012 at 18:31

      No seu texto vc não fala na capacidade de compraendividamento…. chega a conclusão da não estagnação com base em potenciais compradores…. hummm… acho q eu te conheço…

      Vc não teria nenhuma média móvel pra mostrar pra gente???

      0
      • Annibal 28 de fevereiro de 2012 at 18:34

        Onde lê-se não estagnação, entenda-se estagnação…

        0
    • Anonymous 28 de fevereiro de 2012 at 18:40

      Veja em mensagem acima o que aconteceu com os flats em 2004. O dinheiro já era o Real. O número de lançamentos foi multiplicado em poucos anos, EXATAMENTE como agora, e o preço caiu 65% !!! Os corretores prometiam valorização de 20% ao ano, EXATAMENTE como agora.

      … QUEM TENTOU VENDER SEUS IMÓVEIS DESCOBRIU QUE O FLAT PASSARA A VALER MENOS DA METADE. OS QUE INVESTIRAM EM UM APARTAMENTO NO HOLIDAY INN PARQUE ANHEMBI, POR EXEMPLO, PAGARAM 113 000 REAIS HÁ QUATRO ANOS. HOJE, O MESMO IMÓVEL É VENDIDO POR 40 000 REAIS …

      PS: Já DEMONSTREI com link para o IBGE que essa conversa de 65% quitados é do PNAD 2008 e reflete o Brasil pré-bolha como estava em 2007.

      0
    • Vivendo de Aluguel 28 de fevereiro de 2012 at 20:03

      Emtso,

      Usando os seus próprios dados (segue trecho do texto do seu post):

      Na minha opnião os preços vão permanecer estáveis e até cair (uns 10%)….
      ….e com a inflação de 8, 10% a.a. (real) a sensação vai ser de queda maior ainda….como as entregas em 2014, 15 e 16 serão menores por ter diminuindo o número de lançamentos em 2011,,….
      Se não houver nenhuma crise o cenário é este.

      Agora colocando no ponto de vista de um investidor racional:
      1 – Queda de 10% no primeiro ano,
      2 – Inflação de 10%aa nos próximos anos
      3 – Custo do imóvel fechado (condomínio, IPTU, etc): 2%aa

      Resultado: em 03 anos, temos 10% da queda do valor + 30% de inflação (usando juros simples com 10%aa) + 6% de custo

      Assim, considerando o cenário mencionado no seu texto, o “investidor com dinheiro” deixa de ganhar 46% em 03 anos apenas para segurar o preço alto! Não parece um bom negócio.

      Ainda no seu texto é mencionado: Se não houver nenhuma crise o cenário é este.

      Imagina deixar de ganhar 46% caso não haja nenhuma crise! Se houver crise (marolinha) o “investidor com dinheiro” já deixa de ganhar mais de 60% fácil!

      Isso tudo só para segurar o valor NOMINAL nas alturas.

      Não seria melhor estes investidores com dinheiro darem um desconto agora, venderem o imóvel, realizarem um lucro menor, mas ainda será um lucro e partirem para outra?

      Realmente não entendo o raciocínio destes investidores do mercado imobiliário, mas me lembra muito a fase pré crise da bolsa de 2001.
      Por todos os lados só escutava investidores dizendo das empresas “.com”, sendo que a autêntica representante de uma “,com” no Brasil era a NET (TV a cabo).

      Todos diziam ganhar muito com esta empresa, que era a promessa do futuro. No início da crise diziam que iam segurar, pq era uma crise passageira “marolinha”, depois diziam que já tinha caído muito, que teria repique, depois perguntavam como era possível cair tanto, e ao final, quando saíram notícias mencionando que o valor em bolsa na empresa era menor do que o valor da rede de cabos de cobre para transmissão do sinal, o desespero tomou conta!

      Espero que não repita, mas nesta briga, hoje o bola está indo para o campo dos compradores e não para o campo dos comprados.

      0
      • Etmso 28 de fevereiro de 2012 at 20:24

        Concordo.

        Eu tento convencer um destes investidores a baixar 20% e liquidar os imoveis, Ja ganhando uns 15%aa líquido .. Mas ele prefere esperar pq vê um ou outro sendo vendido. Pelo IMOVEL ter o caracter de necessidade a venda nunca finda, esta e a merda, então o temor necessário para um recuo tb nunca acontece….muitos investidores ja desovaram…

        Agora, com relacao as salas comerciais…Complicado.

        0
        • Mãe KD a bolha? 28 de fevereiro de 2012 at 23:59

          Qual a complicação das salas comerciais?

          0
        • Annibal 29 de fevereiro de 2012 at 00:24

          Não é vc q critica a análise de pessoas q dizem “conheço dois amigos”… por não ter relevância estatística…

          0
          • Emtso 29 de fevereiro de 2012 at 11:53

            Sim, este meu comentário foi totalmente sem base estatística.

            Não sei se ele pensa igual, 10%, 50% ou 90% dos “investidores”.

            0
    • Cirilo 28 de fevereiro de 2012 at 21:58

      Bela análise, Etmso.

      É muito fácil chegar aqui baseado em uma notícia do ?iG? e falar: “Tá vendo, 70% para investidores, PLOC PLOC!!”

      Agora pegar os dados e analisar, tentando fazer projeções e estimativas, poucos fazem.

      Parabéns!!

      0
      • Felipe 28 de fevereiro de 2012 at 22:37

        Acho que vc e o etmso são irmãos. Gêmeos. Idênticos. Casados!

        0
        • Cirilo 28 de fevereiro de 2012 at 22:57

          Assim como o pessoal do PLOC PLOC?

          0
          • Emtso 29 de fevereiro de 2012 at 11:57

            Sim, a mídia brasileira é totalmente comprada.

            Temos que formar uma opnião através de dados, representatividade, etc.

            Você virão a exame? Existem anúncios de imóveis em todo jornal, revista, etc, é evidente que eles vão esconder o desquecimento do mercado. É igual a 4 rodas falando bem do JAC.

            0
      • Annibal 29 de fevereiro de 2012 at 00:09

        A fala sério… ele pega dados e depois vem com “na minha opinião”… pelamordedeus… as análises dele pra serem levadas a sério deveriam conter uma infinidade de outras variáveis… boa parte delas impossíveis de se conseguir por aqui… isso sem falar q análise dela usa dados fora de contexto… fora isso… é só achismo igual ao de quem prevê data para estouro q é tão criticada por vcs…

        0
        • Annibal 29 de fevereiro de 2012 at 00:10

          digo dele e não dela

          0
    • Hertel 29 de fevereiro de 2012 at 01:26

      Existe um erro craso no raciocínio por desconsiderr uma coisa que até agora não vi ninguém aqui se atentar, mesmos os que compartilham da opnião de que existe uma bolha.

      Os dados que são mostrados com relação aos números de lançamentos, mesmo partindo do pressuposto que sejam de fato reais, não refletem o número de imoveis que terão sua construção finalizada neste e nos próximos anos.

      O motivo é simples, os números de imoveis que são divulgados refletem apenas uma modalidade de construção da cidade, a forma de construção de “imoveis para o mercado.” Nesta modalidade de construção, como o próprio nome diz, o imóvel é construido para ser realizado no mercado, para ser vendido pelas construtoras. Ocorre que alem desta forma de construção, coexistem a modalidade de “Auto construção” praticada quando um individuo constroe a sua própria casa, (pedreiro por exemplo) e sobretudo a chamada “construção sobre encomenda” onde o individuo após comprar um lote paga para que constuam a sua casa a fim de morar na mesma.

      O Ponto é que a ultima modadliade (construção por encomenda) é muito comum no Brasil e, assim como a “auto construção” (menos significativa) não aparecem nos dados dos sindicatos de construção que só levam em conta as residencias que são construidas pelas construtoras para o mercado. Assim, qualquer cálculo que leve em conta somente os dados disponibilizados pelos sidicatos peca e muito por desconsiderar o significativo número de imoveis que estão sendo construidos e finalizados por outra modalidae que não a “construção para o mercado”

      Certamente quem auto costroi a sua residencia ou paga alguem para construi-la não pretende vendê-la e alimentar o mercado, (embora isto possa a vir a acorrer em algum momento) de todo modo ele mesmo satisfaz a sua necessidade de moradia e deixa de pressionar o mercado por residencia e isto tem impacto sobre os preços dos imoveis construidos para o mercado.

      Acho que quando falarmos aqui dos números de imoveis que chegarão ao mercado, não podemos desconsiderar este fato. Acreditem, a maioria dos imoveis existentes hoje no Brasil não foram construidos para o mercado, nunca estiveram nas estatísticas das construtoas e de seus sindicatos. A forma mais comum “sempre” foi a “auto construção” ou a forma “sobre encomenda”.

      Não sei como se dá essa divisão (com relação as oformas de construção) atualmente em termos de percentagem, até porque não existem números (para variar) com relação a esta distribuição, mas arisco dizer que no Brasil, mesmo neste Boom imobiliário, (que favorece a construção para o mercado) a forma mais comum continua sendo a construção sobre encomenda.

      Em suma colegas, tem muito mais imóveis sendo construído e “entregue” no Brasil que os dados do sindicatos apontam.

      0
      • Cleyton 29 de fevereiro de 2012 at 09:12

        Hertel, pelo menos no meu grupo de controle (que é estatisticamente irrelevante) o que vai construir está morando com os pais, então é neutro, as pessoas que conheci que construíram ou moravam com ou pais os moravam no próprio terreno que estavam construindo.

        Creio que quando a pessoa se lança num empreendimento próprio e apenas nele já tem aquele medo da grana não dar, essas pessoas costumam ser bastante conscientes e não imagino alguém ficar no aluguel até terminar a construção (que pode demorar), então não vejo como isso teria impacto na bolha, estes com certeza sofrem com o aumento do material, mas o efeito é colateral.

        0
        • xangai 29 de fevereiro de 2012 at 11:33

          Acho que eh sim uma nova e atraente variavel a ser considerada.

          Acredito que o Hertel falou ( eh novidade por aqui ) eh sobre algumas pesquisas postadas em relacao ao volume de construcao versus o volume de pessoas/familias que teoricamente precisariam de um imovel. Aqueles que estao “a mais” num nucleo familiar de 5 pessoas , etc,etc

          Se alguem usou o IBGE e quer mostrar que xxx.xxx.xxx pessoas tem potencial para procurar um imovel … e comparou com “apenas” os numeros de imoveis do ZAP … temos um erro sim

          Se essas “auto” casas forem consideradas o numero potencial de compradores reduz e muito.

          Acho que eh isso.

          0
          • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 12:51

            Hertel e demais, ja falamos sim desta variável muitas vezes neste blog.

            Poderia somar nesta variável as inumeras micro e pequenas construtoras e empreiteiras, brasilzão adentro ou nas periferias

            Acontece que esse número é um grande mistério.
            Uma dica vem das lojas que vendem cimento, segundo eles 50% é pro construtor formiga.

            0
            • Hertel 29 de fevereiro de 2012 at 15:10

              Luiz e colegas

              Confesso que ainda não tinha visto alguém mencionar esta questão, abordando a auto construção e a construção por encomenda alem da construção para o mercado cujos dados são amplamente discutidos aqui.

              De todo modo quiz apenas chamar a atenção para o fato do “buraco ser mais embaixo.” Tem muito mais imoveis sendo construido do que os números oficiais mostram e isto tem impacto sobre o mercado e sobre uma possível depreciação dos preços dos imoveis nos próximos anos, afinal a “oferta” é maior que os números oficiais levam crer.

              0
  • Annibal 28 de fevereiro de 2012 at 18:27

    É o milagre do crescimento…

    EUA cancelam contrato de compra de aviões da Embraer

    oglob o . globo . com /economia/eua-cancelam-contrato-de-compra-de-avioes-da-embraer-4092144

    “A Embraer atualmente também é alvo de investigação pela Securities and Exchange Comission (SEC, a CVM do mercado americano) e pelo Ministério da Justiça americano por práticas de corrupção. O presidente da companhia, Frederico Curado, já tinha dito que não esperava que a investigação pusesse em risco negócios nos EUA. A empresa teria violado a lei americana à luz da US Foreign Corrupt Practices Act, que prevê punição à prática de corrupção de empresas fora dos EUA. As autoridades investigam suspeitas de prática de suborno por parte de executivos da Embraer envolvendo transações em três países específicos.”

    0
    • eam 2 de março de 2012 at 11:46

      … do crescimento? só se for da cara de pau!

      É o que eu sempre digo: esse nosso “jeitinho” acaba sempre nos prejudicando, de um jeito ou outro.

      0
  • jayme 28 de fevereiro de 2012 at 18:30

    vai cai.. vai cai..

    nao.. ainda nao

    0
  • FoxBravo 28 de fevereiro de 2012 at 19:32

    Eu acho que ainda relacionamos muito os preços de imóveis entre os próprios imóveis.

    Mesmo ciente da bolha imobiliária muitos ainda comparam preços de imóveis com outros imóveis. As vezes levam em consideração o acabamento, a região, o tamanho, etc. Fazem o que aprendemos ser o certo.

    No final fazemos isso para qualquer produto ou serviço. Se vamos comprar uma camisa comparamos o preço com outras camisas.

    Eu acho que precisamos mudar a nossa cultura ou mentalidade e começarmos a comparar preços de certos produtos com outros tipos de produtos e também com a nossa própria renda.
    Não podemos mais achar que um produto que custa R$ 10,00 está barato pois é vendido em outros lugares por R$ 20,00 esquecendo que o produto é, por exemplo, um simples palito de fósforo e deveria custar menos de R$ 0,01.

    Olha o que aconteceu no prédio onde moro (1 dormitório em São Paulo)
    Preço à vista há 7 anos na planta: 70k
    Preço há 5 anos na entrega: 110K
    Preço há 2 anos: 240K
    Preço anunciado hoje: de 350K a 390K

    Há 1 ano atrás um morador decidiu vender seu apartamento. Como era mobiliado com móveis e eletrodomésticos de primeira ele decidiu anunciar por um preço mais alto que os demais. Se outros pediam 300K ele decidiu pedir 350K.
    Os demais vendedores, ao perceberem um anúncio por 350K, trataram de reajustar os preços dos próprios imóveis para um valor igual ou maior ao do vizinho. O vizinho, com apartamento mobiliado e vendo essa nova “alta”, decidiu reajustar para 390K. E os demais subiram para 390K de novo!

    Ninguém vendeu nada mas quando um proprietário apareceu pedindo 320k por um apê de 40m2 ele vendeu em 2 semanas! Na minha opnião um imóvel desse vale, no máximo, 200K. O que está nos matando é essa comparação burra de preços.

    0
    • RT 28 de fevereiro de 2012 at 20:22

      “Eu acho que precisamos mudar a nossa cultura ou mentalidade e começarmos a comparar preços de certos produtos com outros tipos de produtos e também com a nossa própria renda.
      Não podemos mais achar que um produto que custa R$ 10,00 está barato pois é vendido em outros lugares por R$ 20,00 esquecendo que o produto é, por exemplo, um simples palito de fósforo e deveria custar menos de R$ 0,01.”

      Falou tudo! Concordo plenamente!

      0
    • Cicero Silva 28 de fevereiro de 2012 at 21:26

      Excelente análise.

      Vejo isso diariamente. Em todos os produtos.

      Temos que nos perguntar se aquele preço é justo, porque lei de mercado aplica-se de forma desproporcional em nosso país. O pior: o poder público interfere demais, geralmente atrapalhando o que deveria ser um movimento normal.

      E quando é para interferir, não faz (exemplo: por que nossos filhos não podem usar livros usados nos colégios? Tem que ser aquela edição, daquela capa. Quando não, nos cobram até 1.000 por uma apostila de 800 páginas – exclusivas!!).

      Nisso o governo não interfere.

      0
    • Jayme 29 de fevereiro de 2012 at 02:02

      EXATAMENTE!!!

      Imovel no Brasil virou carro, os preços são exorbitantemente absurdos e vagabundo paga.
      Apartamento vale 300k , anunciado por 900k, mas aceita a 700k (e o comprador se acha malandrasso)

      Já era neguinho.
      Essa porra não vai cair mais. Bem vindo a Brasil . Ao custo Brasil, ao lucro Brasil.
      Aonde hiperinflacionar qualquer tipo de bem para os outros é moleza, nego não questiona e paga tranquilasso! A parada é parar de reclamar e virar empresário, industrial, e vender pro trouxas tupiniquins.

      0
  • Anonymous 28 de fevereiro de 2012 at 20:01

    Não me lembro se já foi comentado, mas para quem acha que imóvel nunca cai de preço. Que tal uma queda de 76% com a que ocorreu em 2004 em decorrência da superoferta de flats? Qualquer semlhança com hoje – apenas 8 anos depois – não é mera coincidência.

    economia . estadao . com . br/noticias/economia,empresas-tentam-evitar-uma-nova-bolha-de-flats,100773,0 . htm

    “Eram comuns relatos de pessoas que pagaram R$ 250 mil por um flat em 2000 e venderam por R$ 60 mil três anos depois.”

    0
  • RT 28 de fevereiro de 2012 at 20:19

    “[…]citando o exemplo de um imóvel que oferece salas comerciais e no qual todos os que compraram uma unidade pretendem revender ou alugar; nesse caso, é provável que caia o preço das salas naquele local.”

    Hehehe, imagina o frio na barriga de um investidor que lê essa última frase…

    0
  • Philis 28 de fevereiro de 2012 at 20:23

    Olha a realidade batendo a porta

    http://g1. globo .com/economia/negocios/noticia/2012/02/embraer-lamenta-cancelamento-de-contrato-com-forca-aerea-dos-eua.html

    0
  • Miguel Jacó 28 de fevereiro de 2012 at 20:29

    Eu acho que teremos grande valorizações até pelo menos após as Olimpíadas, visto que há uma enorme desvalorização do dólar (investidores estrangeiros entrando com tudo no mercado imobiliário), milhares de jovens ascendentes à classe média, empregados e sedentos por sua casa própria, além do Brasil ter um déficit imobiliário muito grande, pois o pouco que tinha está na mão de investidores, e a pressão de compra, de quem quer realmente morar, é enorme. Além disso, não há mão-de-obra disponível, e os preços do material de construção tendem a aumentar.

    Quem comprar agora ainda obterá ganhos fantásticos nos próximos 4 anos, e mesmo depois os preços não cairão, tenderão a se manter subindo em torno de 5 a 10% acima da inflação, o que é melhor que qualquer investimento em renda fixa.
    Eu aposto nisso…

    0
    • carlos 28 de fevereiro de 2012 at 21:16

      Aposta na mega sena que vc tem mais chance de acertar…

      0
    • Anonymous 28 de fevereiro de 2012 at 21:24

      As pessoas que compraram flats em 2000 pensavam da mesma maneira.

      economia . estadao . com . br/noticias/economia,empresas-tentam-evitar-uma-nova-bolha-de-flats,100773,0 . htm

      “Eram comuns relatos de pessoas que pagaram R$ 250 mil por um flat em 2000 e venderam por R$ 60 mil três anos depois.”

      0
    • Susy 29 de fevereiro de 2012 at 00:39

      Ei, Miguel Jacó, você está de brincadeira, né? Não foi vc que previu o início do estouro da bolha para 05 de março?? Mudou de ideia? 🙂

      0
    • Jayme 29 de fevereiro de 2012 at 02:06

      Hahajahaha , parou de tomar o remedinho ?

      Não era tu que falava, “AMANHA… DIA TAL.. TUDO IRA ACABAR”

      Agora é 2016???

      esses profetas do apocalipse são roda mesmo…

      0
      • Ploc Monster 29 de fevereiro de 2012 at 09:20

        O jacó ! tú tem transtorno bipolar ??

        0
    • Miguel Jacó 29 de fevereiro de 2012 at 17:31

      Óbvio que estou de brincadeira, só quis conferir se alguém aqui acreditasse nestas baboseiras que escrevi e viesse a concordar…hehehe.

      0
  • Sergio 28 de fevereiro de 2012 at 21:05

    Preços de imóveis nos EUA caem 4% em dezembro

    Leia Mais: http://www.ultimoinstante.com.br/economia/mercado-internacional/65061-Preos-imveis-nos-EUA-caem-dezembro.html#ixzz1niz1nWk6

    28 de fevereiro de 2012 – O índice de preços de casas nos Estados Unidos medido pela Standard & Poor´s (S&P/Case-Shiller) caiu 4% em dezembro na comparação com mesmo mês do ano anterior.

    O dado de novembro foi revisado para baixo, saindo de queda de 3,7% para baixa de 3,9%.

    Os dados vieram abaixo do esperado pelo mercado, que era de queda de 3,6% (previsão Forex Factory).

    0
  • Riodetudo 28 de fevereiro de 2012 at 21:33

    Eu não aguento mais ler comentários neste blog falando que investidores ricos vão segurar seus imóveis até 2015, 2100, ano 3000, etc. O imóvel deteriora, então, ou o cara aluga no preço do mercado atual (que é bolhudo mas MUITO mais em conta que o de compra) ou deixa vazio como se fosse ação da Bolsa e vai pagando as contas. Nesse caso, o cara demonstra toda sua burrice, por mais mi(bi,tri…)lionário que seja.

    Já escrevi várias vezes mas vou colocar novamente. Dois anos atrás, visitei um imóvel num prédio novo na Barra (Rio). O cara fica aumentando todo mês 2 ou 3% e continua lá, vazio. Está CLARO nas fotos que o apartamento agora está caindo aos pedaços com sujeira nas paredes, sem maçaneta e por aí vai. Um lixo, não pagaria mais nem o valor original do imóvel.

    Agora vamos imaginar quase um PRÉDIO INTEIRO ASSIM!!! Quem vai querer morar num lugar desse!! Vamos acordar, que história é essa de investidor esperar 5 anos! Ou aluga a preço que o mercado aceita pagar hoje ou o apartamento vai virar lixão.

    0
    • Cirilo 28 de fevereiro de 2012 at 21:55

      Sim, mas o investidor que comprou na Barra fez um péssimo negócio, quem hoje em dia está disposto a enfrentar esse trânsito?

      A tendência que se tem observado, e acredito que vá continuar por mais um bom tempo, é valorização das áreas centrais, já que quantidade de carros nas ruas aumenta a cada dia.

      No Rio mesmo, a Tijuca era tida como um péssimo bairro, e hoje, se vende e se aluga imóveis na região rapidamente, com muito mais facilidade do que na Barra.

      0
      • Annibal 29 de fevereiro de 2012 at 00:20

        Rapidamente uma virgula, moro na tijuca e vejo as coisas muito lentas por aqui… vc não leu os posts mais antigos né???

        Deveria visitar o Atrium e o prédio q esta subindo na av. maracanã, com direito a enchente, todos com unidades sobrando… fora isso acompanho imóveis q estão para alugar há mas de seis meses, tanto de quarto e sala como mais nobres…

        Rapaz qdo eu penso em elogiar um post seu, vc vem e solta uma besteira…

        0
    • Carlos 28 de fevereiro de 2012 at 21:59

      Quero ver quando começarem as invasões desses predios com apenas 30% de ocupação promovidas pelos socialistas esquerdistas.

      Afinal, toda propriedade tem que cumprir sua funções social.

      Quero ver vai ter pica pra segurar essa onda!

      Basta uma crise atingir o país e o desemprego bater forte…

      0
      • Riodetudo 29 de fevereiro de 2012 at 07:51

        Podiam começar pela vergonhosa Vila do Pan no Rio, que parece um cemitério de prédios e estão quase todos vazios desde 2007!!

        Mas falando ainda da Barra, o pessoal que comprou na Peninsula acha que fez negócios fantásticos porque pagaram mais de 6 mil o m2 antes do preço bolhudo (em 2007 ainda) e estão mantendo os prédios desertos até hoje! Por isso tem “Espaço Zen” desabando….

        0
  • Cirilo 28 de fevereiro de 2012 at 21:49

    Também acredito em um queda ligeira até o final de 2016, depois disso fica difícil fazer qualquer previsão.

    Agora uma coisa é lógica, o mercado está longe de ser uniforme.Enquanto a Gafisa dá desconto de 20% ou mais para imóveis no Recreio, no eixo Leblon/Ipanema não se está conseguindo nada com a construtora, a não ser que se altere o fluxo de pagamento.

    Imóveis em bairros novos e distantes dos centros, normalmente para média renda, que não apresentam uma demanda orgânica e que tiveram seus preços inflados pela alta em regiões nobres, sem dúvida deverão cair mais.

    0
    • Jayme 29 de fevereiro de 2012 at 02:12

      Cirilo,

      Seu comentário sobre “demanda orgânica” foi mto inteligente
      Eu tb abredito que z.sul para classe media, só para quem já morava lá mesmo, pq aquilo ali não cai mais não.

      0
  • Sir Income 28 de fevereiro de 2012 at 22:48

    A bolha? Ninguém a viu
    28 Fevereiro 2012 | 23:30
    João Cândido da Silva

    O mercado da construção e imobiliário português faz lembrar a velha história das bruxas. Pode não se acreditar nelas, mas lá que existem, existem. Na discussão sobre a existência de uma “bolha” no sector, ninguém admite o fenómeno. Mas o que não falta são manifestações de que ele anda por aí. E bem vivo.

    O pudor com que os peritos falam no tema chega a ser caricato, fundado numa espécie de prudência supersticiosa. Tal como falar numa recessão é tido como meio caminho andado para provocar uma, parece que, caso se fale na “bolha” imobiliária portuguesa, se correrá o risco de a fazer rebentar com um pouco mais de estrondo do que aquele com que se tem esvaziado, com alguma discrição, desde 2008. Há, ainda, a hipótese clássica. Um problema de que não se fala, não é um problema.

    Tudo seria fácil e simples se a observação da realidade e a crua frieza dos números não fossem mais fortes do que as ilusões que se tentam criar em seu redor. Há centenas de milhares de casas para vender em Portugal, fruto de anos a fio de furiosa aposta na construção nova e que alimentou os bolsos dos empreiteiros e os cofres das autarquias. O fácil acesso ao crédito a baixo preço alimentou o aparecimento de mais oferta, atraída pela valorização dos imóveis, e os bancos colocaram o pé no acelerador. O processo de crescimento da “bolha” colocou-se em marcha, mas ninguém o quis ver enquanto foi inconveniente para o negócio.

    A espiral teria de ser interrompida e seria apenas uma questão de tempo até se desfazer o mito, vulgar em Portugal, de que investir no imobiliário não tem risco. Ou o outro mito que garantia que uma casa se valoriza sempre, verdade assente em alicerces de geleia como muitas famílias já terão descoberto, mas que também não será estranha às empresas. Entre as imobiliárias, prevê-se que a falência bata à porta de mais de oitocentas nos próximos tempos. Entre as construtoras, a quebra de actividade foi tão radical que está abaixo daquela que o sector registou em meados dos anos 90.

    Na periferia das grandes cidades, onde a euforia do cimento deixou as marcas mais intensas, o valor de mercado das casas já registou quedas que chegam a 40%. Na área do financiamento à habitação e à construção estão dois dos focos de tensão mais graves sobre a saúde financeira dos bancos. Ao crédito mal parado, as instituições financeiras vão somando uma carteira de casas para leiloar, num mercado em que escasseiam os compradores e o dinheiro para os financiar.

    Há boas oportunidades de investimento, actualmente? Há. Seria possível comprar, hoje, uma casa a metade do preço que o mercado exigia há cinco anos? Depende das zonas, mas é bastante provável. Se as construtoras estão penduradas, as famílias estão mais apertadas para conseguirem honrar compromissos financeiros, os bancos apanham dos dois lados, os preços caem de forma substancial, parece claro que Portugal tem uma “bolha imobiliária”, só que parece ter vergonha em admiti-lo.

    A euforia e o lento “crash” que se lhe seguiu teriam acontecido se o País tivesse legislação do arrendamento que não tratasse os senhorios como instituições de beneficência? Não se sabe. Mas um mercado com rendas formadas através do encontro entre a oferta e a procura teria evitado uma parte daquelas dores e a deterioração de zonas antigas das cidades. Se a nova legislação conseguir corrigir este flagelo, a aposta estará ganha.

    www .jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=541305

    É de Portugal, mas bem me lembra do Brasil

    0
    • xangai 28 de fevereiro de 2012 at 23:21

      otimo material !!

      o primeira paragrafo , acredito, reflete o que acontece aqui ..

      eh uma fabula ( bruxas ) sobre o que no blog esta referenciado como “negacao” !!

      0
    • Annibal 29 de fevereiro de 2012 at 00:30

      É… olha ai os bens de primeira necessidade q nunca deveriam cair de preço…

      0
  • Anonymous 28 de fevereiro de 2012 at 23:02

    De onde esse pessoal tira queda moderada? O exemplo gritante é a bolha dos flats que estourou em 2004 na Banânia. É exatamente igual ao que está acontecendo agora (1) superoferta (2) corretores prometendo valorização absurda (3) investidores (4) disparada no preço/m2.

    RESULTADO: queda de 75% no preço em 4 anos. Dá para esperar algo idêntico no que vai acontecer nos próximos meses.

    veja . abril . com . br/vejasp/especial_guia_imobiliario/p_124 . shtml

    0
    • Cirilo 28 de fevereiro de 2012 at 23:13

      Só dois problemas, ninguém mora em flats, ou mora? Além disso, nesse caso 100% dos compradores são investidores.

      E nem venham postar a matéria do ?iG? que não sei da onde tirou que 70% dos compradores são investidores.Me questiono baseado em que dados isso foi postado, mesmo porque o mercado imobiliário não é uniforme nem na mesma cidade, quanto mais no país inteiro!

      Acho até engraçado, ninguém aqui questionou a fonte da matéria.Quando algum comentário aborda algum dado que por ventura seja utilizado em argumentação que questiona a dimensão da bolha, aparecem uma dezena de “Fonte?”.

      Sim, é possível que alguns empreendimentos específicos atinjam esse valor, mas falar que das vendas totais no Brasil 70% são para investidores?

      0
      • Anonymous 28 de fevereiro de 2012 at 23:40

        A evidência de que a grande maioria são investitolos é simples – NÃO existe renda para sustentar os preços atuais. A situação é gritantemente idêntica – salta aos olhos como ficará claro nos próximos meses. Além disso, já cansei de falar aqui que dado um imóvel semelhante, o preço na Banânia é da ordem de 3 vezes o preço nos EUA. Qualquer pessoa que ache isso normal é um idiota – não tem como suavizar.

        0
        • Anonymous 28 de fevereiro de 2012 at 23:51

          Esqueci de comentar que “ninguém mora em flats”. Basta lembrar que ninguém morava nas TULIPAS, assim como niguém morava nas DOTCOMs. Qualquer ativo está sujeito a uma bolha especulativa independentemente de alguém morar nesse ativo.

          0
          • Cirilo 29 de fevereiro de 2012 at 00:06

            Não adianta generalizar.E sim, todo ativo está sujeito a especulação, assim como está ocorrendo com os imóveis no Brasil.

            Entretanto, no caso de uma bolha, o fato dos imóveis serem um bem de primeira necessidade, isso independente de você ser proprietário ou locatário, aliado a baixa liquidez, contribuem sim para as conjuras sejam bastante distintas caso comparadas com a bolha das tulipas ou das ações de empresas ligadas a tecnologia e internet.

            0
            • MrJaime 29 de fevereiro de 2012 at 01:12

              Boa Cirilo!

              Agora pega essa explicação e aplica nos cerca de 29 países que vêm enfretando forte queda nos preços de imóveis após valorização sustentada por crédito fácil.

              Em geral um contra-exemplo serve para quebrar um argumento fraco, mas mais de duas dezenas…. (-:

              0
        • Cirilo 29 de fevereiro de 2012 at 00:02

          Não que o preço do Brasil seja justo, mas do que adianta comparar países diferentes, com tributação, legislação e cultura totalmente distintos?

          Porque se for assim, um Porsche Cayenne custa R$85.000 nos EUA enquanto o meso carro aqui saí por R$350.000.Seguindo seu raciocínio o preço do Porsche vai cair, simplesmente porque nos EUA ele custa menos de 1/3?

          0
          • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 00:30

            O que posso pensar de pessoas que percebem essa diferença de preço – 3 vezes em casas e carros – e não tomam uma atitude? Uns “bananas” sem trocadinho algum!

            0
            • Pimp 29 de fevereiro de 2012 at 01:11

              Pão e circo = crédito fácil para analfabetos funcionais + novela/futebol = Brasil

              Mas falando sério, carro eu trataria como uma situação um pouco a parte. Infelizmente está enraizado no pensamento da maioria pobre/rico/intelectual/chucro a vontade de pagar absurdos para ter um carro ou melhor, carroça como diria o infame Fernando Color. Nisso reconheço que ele acertou.

              Diria que é quase impossível reverter essa situação levando em conta que

              A)O crédito para adquirir carros é muito fácil
              B)O povo mal sabe fazer operações aritméticas básicas, educação financeira então…
              C)Mesmo com a depreciação, carros tem alta liquidez para troca.
              D)Mesmo sabendo de todos os impostos e lucro abusivo praticado pelas montadoras quem puder se dar ao luxo vai querer gastar um pouco mais para ter um veículo superior, principalmente quando rodam diariamente pelo trânsito de SP
              E)Petralhas fazendo de tudo para que a importação não fique mais em conta que o nacional ao invés de “jogar a pica” para as nacionais, reduzindo os impostos para que produzam melhor e mais barato

              Enfim, no que diz respeito à carros já perdi toda esperança. Porém farei minha parte, não comprarei mais no mercado nacional. Vou dar minha contribuição para evasão de divisas e fazer importação como PF

              0
              • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 12:41

                Saiu em local errado. Ao invés de importar alguma coisa, considere EXPORTAR-SE da Banânia. No final sai muito mais barato.

                0
            • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 01:40

              Na minha opinião, somente duas atitudes são cabíveis quando voce percebe que morar na Banânia está custando 3 vezes mais que os EUA. (1) Se voce acredita que isso é ANORMAL, deve preparar-se para a queda significativa nos preços dos imóveis ficando com dinheiro disponível. (2) Se voce acredita que isso é NORMAL, deve abandonar a Banânia, pois não vale a pena gastar sua vida nesse lugar quando existem muitos outros melhores e mais baratos.

              0
          • Pimp 29 de fevereiro de 2012 at 00:38

            Comparar preços de carros é um péssimo argumento, forçou pesado.

            Você só está provando que existe uma bolha automobilística e não negando a existência da bolha imobiliária.

            Da mesma maneira poderia dizer que os serviços básicos aqui, principalmente relacionados à estética, são bem mais baratos e portanto os imóveis deveriam ser mais baratos que dos EUA.

            0
          • Rodrigo N. 29 de fevereiro de 2012 at 10:00

            Cirilo,

            Se o preço do Porsche aqui fosse R$ 85.000,00, eu teria dinheiro para comprar ele. Mas como ele custa R$ 350.000,00, eu não tenho dinheiro e não vou comprar. Afinal, automóveis usados desvalorizam.

            Agora trazendo esse quadro para a situação dos imoveis…
            Se o preço do imóvel aqui custa, por exemplo, R$ 150.000,00 sendo que lá fora um semelhante custa R$ 60.000,00… o que isso me importa? Eu compro de qualquer forma.
            Primeiro porque o governo me dá crédito para pagar em 30 anos mesmo que eu ganhe R$ 1.500,00 por mês. E também tenho a possibilidade de comprar (com as cuecas na mão) para revender o mesmo por R$ 250.000,00, porque pelo que dizem por aí, a valorização é infinita, vide demanda reprimida, copa do mundo, olimpíadas… Negócio da china.

            Acho que algo está errado né?

            0
      • Leo 29 de fevereiro de 2012 at 07:16

        Muita gente mora em Flat… Eu passei quase 3 anos morando em um. Conheci MUITOS proprietarios que MORAM em flats… alguns tinham mais de 1 AP.

        0
      • Carlos Wagner 29 de fevereiro de 2012 at 11:09

        “Ninguem mora em flats”

        Outra besteira gritante escrita pelo dignissimo Cirilo, ou Emtso, ou Luidhi, ou Jayme…Afinal, se nao são a mesma pessoa, compartilham o mesmo pensamento e querem convencer a maioria de que estão certos.

        Morei em SP-capital por 5 anos a trabalho e nesse tempo todo residi em flats. No ultimo em que morei, por 3 anos, a administração mudou de flat para condominio normal porque a procura por locação tipo hoteleira caiu vertiginosamente e 99% dos apartamentos eram alugados para mensalistas.

        Isso ocorre atualmente em 99% dos flats em SP capital.

        Vira o disco ai que esse papinho ja encheu o saco meu amigo.

        0
        • Cirilo 29 de fevereiro de 2012 at 12:14

          Tá, eu não diria ninguém mora em flat, mas essa demanda é totalmente desprezível.Eu diria que menos de 0.01% da população do Brasil mora flats, e mesmo assim, por um período de tempo restrito.

          Ou você, sua mulher e seus dois filhos moravam em um flat?

          0
          • Carlos Wagner 29 de fevereiro de 2012 at 12:19

            Voce é um fanfarrão!

            0
          • Carlos Wagner 29 de fevereiro de 2012 at 12:19

            Voce é um fanfarrão! to perdendo meu tempo respondendo seus cometnarios.

            0
            • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 13:07

              eu tbm morei 1 ano num ex-flat, em 1991

              0
  • Clayton 29 de fevereiro de 2012 at 00:12

    (em Curitibanana) São poucos, porém, conheço jovens casais de namorados, noivos e etc, que cada um se endividou e cada um tem seu imóvel popular de de 1 ou 2 quartos. Tenho poucos amigos e estes dois casais irão juntar os trapinhos, imaginando alugar o imóvel que vai sobrar…

    0
    • Clayton 29 de fevereiro de 2012 at 00:14

      (correção) entre estes, dois casais….

      0
  • Júlio Cesar 29 de fevereiro de 2012 at 02:04

    Que coisa maluca! Na CBN A Mara Luquet falou sobre a perigosa bolha de taxis de nova iorque( dia 28/02). Será que no Brasil não tem nada bolhudo não????? cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/mara-luquet/MARA-LUQUET.htm

    0
    • xangai 29 de fevereiro de 2012 at 11:38

      incrivel !!

      mas vc viu esse post do colega “Income” acima no blog ::
      =====================================================================
      A bolha? Ninguém a viu
      28 Fevereiro 2012 | 23:30
      João Cândido da Silva

      O mercado da construção e imobiliário português faz lembrar a velha história das bruxas. Pode não se acreditar nelas, mas lá que existem, existem. Na discussão sobre a existência de uma “bolha” no sector, ninguém admite o fenómeno. Mas o que não falta são manifestações de que ele anda por aí. E bem vivo.

      O pudor com que os peritos falam no tema chega a ser caricato, fundado numa espécie de prudência supersticiosa. Tal como falar numa recessão é tido como meio caminho andado para provocar uma, parece que, caso se fale na “bolha” imobiliária portuguesa, se correrá o risco de a fazer rebentar com um pouco mais de estrondo do que aquele com que se tem esvaziado, com alguma discrição, desde 2008. Há, ainda, a hipótese clássica. Um problema de que não se fala, não é um problema.
      =====================================================================

      Sera que esse pessoal ( pseudo economistas , jornalistas, etc ) todo comprou imoveis para investir ?!?!?

      0
  • peterson 29 de fevereiro de 2012 at 02:07

    EXITEM PRINCIPIOS INVIOLÁVEIS

    nada está reprimido no espaço tempo
    nenhum valor é justo no espaço tempo, ele sempre está em desequilíbrio
    o valor justo é a medida do esforço necessário para alcançar de quem poderia alcança-lo
    toda bolha surge de uma distorçao do valor atual para o valor justo no espaço tempo
    o espaço tempo nunca muda pois respeita as leis da fisica
    toda bolha sobe em uma rampa temporal de 30° e desce em outra de quase 70°
    as leis da ofertaXprocura são irrevogaveis e valem para qualquer produto
    nas aplicações todo risco assumido está sempre na posse
    toda estabilização com aumento de produto leva a queda do valor atual
    toda estatistica passada não se aplica em uma bolha e precisa ser reformulada para ser compativel (prestem atenção)
    todo movimento de estabilização revela prejuízo no espaço tempo
    todo produto não consumível não é vital e portanto não é prioritário em crise
    normalmente produtos financiados são os produtos menos vitais
    todo financiamento atrasado é podre nos dias do atraso
    qualquer governo mundial não consegue conter crises antes que elas se revelem, não existe um governo que conteve uma crise sem que outra se instalasse no lugar.
    nenhuma ação financeira afeta o mercado mas toda reação do mercado provoca muitas ações financeiras (compra,venda,troca,repasse,etc)
    toda bolha possui etapas claras de ascenção, consistencia, estagnação,fraude, negação, ruptura. As etapas estagnação, fraude e negação, normalmente acontecem no mesmo espaço tempo.

    espero finalmente ter ajudado muitos a enxergarem o que está ocorrendo.

    0
    • Leo 29 de fevereiro de 2012 at 07:12

      Muito bom ! Novamente, obrigado pelos posts 🙂

      0
  • Jayme 29 de fevereiro de 2012 at 02:20

    Malandro, e por falar em bolha(S) x renda (pra quem adora esse argumento né)

    Brasil, China, Vietina , hong kong, etc etc etc,,
    Ninguém comenta de Angola.

    Os imóveis tão lá , uber-mega-caros, reza a lenda que os donos sao todos militares , qualquer semelhança com paternalismo do infunciononalismo publico , não é mera coincidência .

    Pode deixar que os preços não caem não, os funcionários das estatais, judiciário e afins, com seus módicos salários iniciando em 10k irão continuar comprando tudo!!!

    0
    • Cai Cai Balão 29 de fevereiro de 2012 at 02:26

      Quem do Judiciário começa ganhando 10k? Só se forem os juízes, não é?
      Servidores do Poder Judiciário da União estão sem aumento desde 2006. Vale lembrar que são por demais invejados pelos servidores das Justiças Estaduais (vide PEC190).

      0
      • Ploc Monster 29 de fevereiro de 2012 at 09:13

        Eu trabalho em uma estatal e bem que queria ganhar 10 pilas !

        0
        • Mãe KD a bolha? 29 de fevereiro de 2012 at 22:21

          Ganho esses vinte pilas e ainda assim não consigo comprar é nada……!

          0
    • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 04:14

      Angola – cerca de 10 mil Reais/m2 para escritório nos melhores lugares – mais barato que São Paulo ou Rio de Janeiro. Mesmo assim muito caro. Começo a desconfiar que existe uma nova Lei economica válida para imóveis, além da conhecida preço x demanda. Quanto mais merda o lugar, mais caro por unidade de área.

      www . propertyfrontiers . com/research/country-guides/africa-and-the-middle-east/angola/property-investment-profile . aspx

      Rental Yields: Angola doesn’t have a very developed property market therefore rents and rental yields are very high. For an overseas businessman to rent a flat it can cost between US$12,000 to $15,000 a month which is higher than most major international cities.

      Price History: Property prices in Luanda city centre and other major cities are high compared to the rest of Angola. An average office in Luanda centre overlooking the coast can cost around $6,500/£3,250 per sq.m.

      0
      • Frank 29 de fevereiro de 2012 at 10:20

        isso tem a ver com o retorno q se obtém nesses “mercados emergentes”.

        o boom de petróleo tem sido muito intenso por lá, nos últimos 10 anos.

        vale a mesma lógica de qq investimento em – por exemplo – bolsa.

        qto maior for o risco percebido, maior o ganho exigido.

        como os ganhos vêm ocorrendo (atrlados a todas as atividades q orbitam essa indústria), taxas de aluguel + caras são suportáveis.

        0
    • Annibal 29 de fevereiro de 2012 at 14:25

      Entra dia… sai dia…. e vc continua falando asneiras…

      0
  • Conde Drácula 29 de fevereiro de 2012 at 06:38

    Essa bolha dos flats relatada aqui é a prova definitiva.

    Depois dizem que preços dos imoveis nunca cairam no Brasil.

    A coisa vai ser feia quando estourar.

    0
  • MrK 29 de fevereiro de 2012 at 07:19

    O Desespero dos argumentos sem sentido ta cada dia mais engracado

    Qual a forma mais correta de entender o impacto desses Aps novos no mercado curitibano? Simples: Pegar o estoque historico e comparar com o estoque futuro a venda, ou seja, saltando de uns 7mil (historico) pra uns 24mil (atual + entregas), entao soa MUITO alto

    Ai vem um camarada e compara com o total de domicilios na cidade, pra mostrar um numero de 3% e dar a ideia de que o impacto e’ baixo, essa e’ uma analise simplista e que nao leva ao verdadeiro tamanho do problema

    O verdadeiro problema e’: A cidade tera um estoque mais de 3 vezes maior o estoque normal, e apartamento parado = prejuizo, por isso estoques precisam ser vendidos!!! Com vendas travadas e estoque recorde, esse e’ o verdadeiro problema. Pouco importa os outros lares ocupados.

    0
    • xangai 29 de fevereiro de 2012 at 11:49

      Como sempre perfeito MRK.

      Se me permite completar :: estoque 3 vezes superior ao historico … com precos 3 vezes superior ao historico ( descontados inflacao / reposicao salarial).

      0
      • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 13:11

        Perfeito
        Só pra fazer um paralelo, ano passado houve estoque recorde de automoveis
        Resultado, o preço caiu nominal ~10%, todo mundo percebeu na queda do valor do IPVA
        Se vc deflacionar vai perceber que carro desvalorizou 20% em 2011.
        A mesma história será com os imóveis em 2012/13

        0
  • JIBS 29 de fevereiro de 2012 at 08:23

    portugal: um exemplo da situaçao europeia, farto credito nos ultimos 15 anos tem levado a um boom de investimento e consumo, incluindo-se o setor imobiliario. As contas publicas estavam mais ou menos equilibradas, porem ao fechar-se a torneira externa, o governo tem corrido a tapar o buraco e o deficit publico se tem disparado. Semelhante a irlanda, islandia, espanha…Por isso, quando muitos “bolhistas” falam que o melhor seja ter dinheioro vivo talvez estejam errados, pois ao final de contas , os governos socializam perdas e os agentes saudaveis tem que pagar o rombo dos creditofagos (empresas, particulares e agora tb governo)

    angola: caso diferente, exemplo de” doença holandesa”, o pais mais caro da terra mas no posto 150 em IDH. A nigeria do seculo XXI. Tomara corrigam a tempo…

    0
    • JIBS 29 de fevereiro de 2012 at 08:39

      e agora o bce …

      Noticia de hoje:

      “El BCE presta más de medio billón de euros a un 1% a 800 bancos europeos”

      Meio bilhao europeio é 500 bi de euros. Ou seja mais de 1 trilhao de reais… E os mercados como viciados em credito reagem subindo, como nao pdoe ser de outra maneira…”Wall Street’s indicated gently up after larger-than-expected ECB refinancing. Europe’s higher.” e em consequencia o brasil tambem sube, o real tb se aprecia e parte de esse trilhao vem a engrosar a enxurrada de dinheiro externo disponivel no brasil….assim nos como tolos poderemos girar a roda um pouquinho mais…

      0
    • MrK 29 de fevereiro de 2012 at 08:39

      Angola nao eh comparavel

      Angola eh um pais miseravel que tem 0.0001% do seu espaco habitavel com dignidade e um monte de industria de expatriados ganhando muito, varias empresas como Vale, Odebrech, etc… pagando o aluguel que for nessa area de 0.0001%, o Brasil, apesar de ter areas ruins, nao tem apenas 0.0001% com qualidade habitavel, tem muito mais

      0
      • JIBS 29 de fevereiro de 2012 at 08:42

        com certeza, eu estava respondendo a um comentario anterior. Angola para mim nao tem nada a ver.

        0
        • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 13:13

          Angola tem trafico de diamante

          0
  • Johnny 29 de fevereiro de 2012 at 09:07

    Apenas um “log” do que estou vendo em Curitiba.

    Todos os dias vejo a quantidade de imoveis para alugar e vender no site imoveiscuritiba.com e coloco no papel, assim consigo seguir qual será a tendencia.

    A data é de 02 de fevereiro até hoje (29 de fevereiro).

    02/09 A – 2955 V – 10950
    02/10 A – 2777 V – 10894
    02/13 A – 2992 V – 10945
    02/16 A – 3027 V – 11013
    02/17 A – 3016 V – 11085
    02/22 A – 3030 V – 11168
    02/23 A – 3002 V – 11076
    02/24 A – 3024 V – 10860
    02/27 A – 3018 V – 11240
    02/28 A – 3024 V – 11283
    02/29 A – 3034 V – 11218

    Legenda: A – Aluguel; V – Venda

    0
    • Bolha Imobiliária 29 de fevereiro de 2012 at 11:13

      Tenho o grafico de oferta desde agosto do ano passado

      0
      • Johnny 29 de fevereiro de 2012 at 11:23

        Bolha, tem ele disponibilizado em algum lugar? Gostaria de dar uma olhada.

        Abraços!

        0
        • Bolha Imobiliária 29 de fevereiro de 2012 at 11:37

          Tenho um google docs, vou te mandar no e-mail

          0
          • Marcus 1 de março de 2012 at 00:16

            Bolha,

            Se possível, por gentileza, gostaria de ter acesso aos dados tb.

            0
          • ROD 1 de março de 2012 at 12:06

            eu também 🙂

            0
      • Sol de Sampa 29 de fevereiro de 2012 at 23:44

        Bolha, dá pra mandar pra mim tb. Obrigado.

        0
    • Luciano 1 de março de 2012 at 14:20

      Johnny, você pode me passar esse seus registros? Também moro em Curitiba e me interessa muito esses dados que você obteve. Obrigado.

      0
  • Ploc Monster 29 de fevereiro de 2012 at 09:09

    Agora a pouco na bandnews o Boechat estava falando sobre o preço dos imóveis em Miami comparando com se não me engano Leblon. Disse que em Miami você compra um belo apartamento de frente para o mar, com o preço que compraria um cubículo neste bairro do Rio de Janeiro. Não falou em bolha (eu não ouvi todo o comentário) mas ficou subentendido.

    Não moro no Rio mas ai a coisa (bolha) esta totalmente surreal !

    0
    • MrK 29 de fevereiro de 2012 at 09:48

      a bolha no Rio vai explodir muito feia, pq a especulacao foi a niveis estratosfericos, a historia das olimpiadas deu mais gas pros especuladores entrarem comprando, os predios sendo entregues agora (como demostrei num post anterior) estao TODOS a venda ou a alugar, parece que quase ninguem comprou pra morar… barra e botafogo sao canteiros de obras, e os predios atuais tem muitas unidades, vai enxarcar o mercado de imoveis em 2012 e 2013, igualzinho curitiba

      0
      • Ploc Monster 29 de fevereiro de 2012 at 10:13

        Ah mas vão falar que ai é diferente, porque tem muito ator da Globo, jogador de Futebol… hehehe

        0
      • Leo 29 de fevereiro de 2012 at 12:13

        MrK,

        Para fortalecar essa linha de raciocinio, a pouco tempo fiz um post contando a historia que escutei de um amigo que trabalha em uma dessas empresas que produz moveis para cosinha, sala, etc… Ele vinha recebendo participacao nos Lucros da empresa desde o inicio do boom imobiliario, no fim do ano passado houve uma reuniao interna onde o DONO da empresa disse que existia uma enorme possibilidade da PL ser reduzida ou, ate mesmo, cancelada.

        O que isso te a ver com o que voce disse ? Simples, reforça a teoria que os imoveis sao de especuladores… quem compra p/ morar quer mobilhar o AP.. quem compra p/ especular, nao tem nem ai pro que tem dentro do AP.. e por ai segue a linha de raciocinio.

        0
        • FoxBravo 29 de fevereiro de 2012 at 13:25

          Tenho essa mesma informação de um colega que é sócio de um franquia de móveis planejados. Mercado parado!

          0
  • MrJaime 29 de fevereiro de 2012 at 10:11

    Sempre comentamos aqui que dois pilares sustentam a bolha: expansão de crédito pelo governo, e entrada forte de capital estrangeiro.

    Ao final do vídeo, o economista comenta sobre a enorme entrada de dinheiro estrangeiro e sobre o que os brasileiros estão fazendo com este dinheiro (torrando).

    economia . estadao.com.br/videos/videos,preocupacoes-com-o-cambio,162294,a,0.htm

    Uma ótima comparação feita pelo economista é que o risco (CDS) brasileiro está no nível da Coreia do Sul. Mas a Coreia paga 3.5% de juros em títulos de um ano e o Brasil paga 9.7%. Então, os bancos que estão cheios de dolares e euros impressos pelos bancos centrais, emitem a dinheirama para cá, valorizando o real e embreagando o brasileiro com altíssima liquidez.

    Bem, o governo brasileiro está abertamente lutando para baixar a SELIC para, entre outros, desestimular a entrada de capital estrangeiro (e conter a valorização do real). Ou seja, o governo está dando marretadas em um dos pilares que sustenta a bolha. O que acontecerá? (pergunta retórica)

    0
    • MrJaime 29 de fevereiro de 2012 at 10:15

      *Pergunta retórica final: O que acontecerá se o governo quebrar o pilar?

      PS: Tenho recebido mensagem de erro do captcha ao tentar postar. Quando tento reenviar, percebo que meus posts têm vindo duplicados. Não faço por querer pessoal.

      0
      • Bolha Imobiliária 29 de fevereiro de 2012 at 11:11

        Tá desculpado..hehe. O servidor em determinadas horas do dia tem arriado…

        0
        • Shakespeare 29 de fevereiro de 2012 at 14:42

          eu acho que é algum erro do script porque quando duas pessoas entram ao mesmo tempo para comentar recebem o mesmo CAPTCHA e a primeira que aperta o botão submit não tem problema, mas a segunda precisa apertar o botão voltar, pedir um novo código e submeter novamente.

          Comigo já aconteceu diversas vezes e percebi que alguém estava comentando junto comigo.

          0
  • Davi 29 de fevereiro de 2012 at 10:20

    Fonte: BroadCast

    09:46 SEADE/DIESSE: DESEMPREGO EM 7 REGIÕES SOBE A 9,5% EM JAN (9,1% DEZ)

    São Paulo, 29 – A taxa de desemprego no conjunto das sete regiões metropolitanas pesquisadas pela Fundação Seade e pelo Dieese subiu para 9,5% em janeiro ante 9,1% em dezembro. Em janeiro de 2011, a taxa de desemprego estava em 10,4%. No mês passado, o contingente de desempregados foi estimado em 2,111 milhões de pessoas, 104 mil a mais que em dezembro.
    A pesquisa é feita nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e Distrito Federal.

    O rendimento médio real dos ocupados subiu 0,4% em dezembro ante novembro e passou a valer R$ 1.458,00. Em relação a dezembro de 2010, o rendimento caiu 1,2%. A massa de rendimento dos ocupados aumentou 0,9% em dezembro ante novembro e ficou praticamente estável em relação a dezembro de 2010, com variação de 0,2%. (Anne Warth)

    0
    • Paulo Rocha 29 de fevereiro de 2012 at 17:23

      Ueh, o desemprego não estava por volta de 6,5%? Talvez a minha memória esteja falhando….

      0
  • Ademir 29 de fevereiro de 2012 at 10:36

    Projeto prevê dedução de financiamento da casa própria no IR
    29 de fevereiro de 2012

    A Câmara examina o Projeto de Lei 3163/12, do deputado Audifax (PSB-ES), que prevê a dedução do Imposto de Renda do valor das prestações de financiamento para aquisição do primeiro imóvel residencial. Pelo texto, o valor da dedução anual ficará limitado a R$ 12 mil.

    “O contribuinte poderá deduzir o valor da prestação de seu financiamento, se esse representar uma parcela de até R$ 1.000 mensais. O objetivo é assistir exclusivamente o estrato social desassistido em diversos sentidos pelo Estado e sem condições para arcar com a aquisição de um imóvel”, observa o autor.

    O parlamentar afirma que adquirir um imóvel no Brasil ainda é um desafio para as famílias da classe média baixa. Ele lembra que, em geral, os programas e políticas de habitação e de aquisição de moradia têm como público-alvo as populações de baixa renda e as famílias em extrema pobreza.

    Tramitação

    A proposta tramita em conjunto com projeto de teor semelhante (PL 2254/11), que tem caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Se aprovados nas comissões, seguirá para apreciação do Senado Federal.

    Como eu já tenho imóvel eu não poderia utilizar desse benefício, o que acho extremamente injusto. É, cada vez mais chego a conclusão de que sou pobre demais para conquistar as coisas por conta própria e rico demais para utilizar algum benefício dado pelo governo.

    0
    • Cleyton 29 de fevereiro de 2012 at 10:47

      Sacanagem! E tem outra, esse “privilégio” reduziria o volume de arrecadação, depois vem a receita dizendo que a arrecadação caiu e sobe a alíquota, adivinha quem vai pagar a diferença.

      0
      • xyz 29 de fevereiro de 2012 at 13:22

        Essa conta somos nós que vamos pagar.
        Basta esse projeto virar lei para que, automaticamente, os preços incorporem integralmente essa dedução.

        0
  • Nando 29 de fevereiro de 2012 at 10:50

    Tenho uma dúvida que cada vez mais me intriga…. Pra entender vou fazer um pequeno resumo de minha vida:

    Tenho 28 anos, estou casando e vou morar em São Paulo. Juntos temos uma renda líquida de R$ 12K, não tenho um padrão de vida caro, meu carro é pequeno e com 5 anos de uso, não gasto fortunas em restaurantes e compras. Minha única preocupação é poupar parte do meu salário para o futuro ou emergência…. Com isso já possuo uma reserva razoável pra alguém da minha idade. Enfim, estamos tranquilos financeiramente.

    Começamos a pesquisar preços de imóveis e descobrimos que não conseguiremos comprar NADA sem comprometer boa parte de nossa renda por 30 anos ou queimar toda nossa reserva.

    Como isso é possível? De acordo com o governo faço parte da classe A, ou seja, sou quem poderia comprar imóveis e carros de luxo, mas não consigo nem comprar um apartamento de 70 ou 80m2, ainda mais pensando que no futuro terei que trocar de carro e ainda gostaria de ter um filho.

    Eis a minha dúvida… TODO MUNDO está rico e eu pobre ou tem algo muuuuito errado no mercado?

    0
    • Bolha Imobiliária 29 de fevereiro de 2012 at 11:09

      Está tudo errado no mercado, não se preocupe

      0
    • Eduardo 29 de fevereiro de 2012 at 11:20

      Bem vindo ao clube.

      0
    • Marcelo CPS 29 de fevereiro de 2012 at 11:25

      Faço de suas palavras as minhas.. Moro em Campinas, interior de São Paulo, e mesmo com um salário razoável não consigo comprar nada sem que comprometa uma boa parte de minha renda nos próximos 30 anos, e como penso sempre no dia de amanhã tb tenho minha reserva e não quero pagar juros pra banco pelos próximos 30 anos de minha vida.

      0
      • Andre 29 de fevereiro de 2012 at 11:53

        É complicado psicologicamente pensar em só comprar algo aos 50 mas altamente lucrativo utilizando matemática financeira…é uma escolha, muitos preferem “aparentar”, ou como ouvi no fórum, “parecer rico para o primo pobre”.

        0
      • JIBS 29 de fevereiro de 2012 at 13:27

        é isso mesmo, algo esta muito errado quando as pessoas que deveriam poder comprar nao conseguem ou resolvem nao fazer por nao ser uma boa decisao financiero, enquanto muitas pessoas, majoritariamente com poucos recursos e economias começa comprar ape´s ao pensando na mensalidade e nao no monto total. As pessoas nao tem cultura financeira e isso leva ao desastre, nos eua, na europa e muito provavelmente no brasil. Na espanha o grosso das casas tomadas pelos bancos pertencem a imigrantes, que nao tinham nem bens nem garantias de tipo nenhum, pois a metade cobravam dinheiro por fora. Porem apareceram financeiras que juntavam varias pessoas que nao se concheciam e uns se fiavam aos outros… um autentico desastre mas que botou lenha na caldeira durante varios anos. agora tem bancos tomando casas de pessoas que nem conheciam a pessoa que fiaram, ao mesmo tempo estao perdendo a sua propria casa e nao tem mais remedio que voltar a seus paises de origem sem nenhum real no bolso. Umn desastre para eles e para o resto, por suas consequencias demograficas.

        0
    • Ploc 29 de fevereiro de 2012 at 11:47

      Se quiser se apresentar como parte da classe que parece pertence terás que contribuir com sua parcela se endividando por 30 anos sim.
      Existe um video sobre isso no youtube relativo a sociedade americana.Eu vivi isso lá tambem sei exatamente como funciona. O sistema te rejeita se não contribuir a sua parcela. Como os individuos sabem que voce nao esta contribuido? Pela suas posses (roupas, joias, casa, móveis, carro…..).
      Logo saí da ZS para morar numa das comunidades do Rio. Vou te ser sincero, pareco mais pobre do que os locais. A única diferença que existe (e eles não sabem) é que não tenho dividas e durmo como um anjo. Meu carro (mil) é pior do que muitos aqui, mas é meu.
      O único problema é quando abro a boca percebem que não sou local. Fora isso consigo me disfarçar bem. E te digo, os gastos aqui são bem menores. Nunca economizei tanto na vida e quando quero diversão pego o meu carrinho vagabundo (como dizem aqui) e vou para onde eu quiser.
      Quando a bomba estourar volto para minhas origens.
      PS: Não pense que é facil fazer isso não tá.

      0
      • Shakespeare 29 de fevereiro de 2012 at 14:17

        Qual sua comunidade?

        0
      • MrJaime 1 de março de 2012 at 00:06

        Ploc,

        Fiz o mesmo e estou no subúrbio do Rio (Ramos). Carro 1.0 05/06, he he he.

        0
    • Andre 29 de fevereiro de 2012 at 11:48

      É preciso tomar decisões difíceis dependendo do cenário e das pessoas. Por exemplo, eu tenho uma situação parecida com a sua e vou adiar totalmente minha compra, até porque não quero fincar raízes em uma cidade que não sei ainda se quero morar pela vida toda, aonde a qualidade de vida é baixa mesmo que more perto do trabalho (pois há quem diga que isso sim é qualidade de vida).
      Impossível ficar motivado em comprar um apto de 70m2 por 450 mil (SP), me endividar praticamente até eu me aposentar e quando eu sair a pé ser assaltado na esquina, ou se parar o carro na rua, roubarem o mesmo.
      O fator psicológico de ter “sua casa própria” é pensamento de antigo e da conveniência de quem precisa que o mercado gire, além de a mulher fazer pressão, por vezes, por querer ter a própria casa.
      O mercado esta totalmente errado, isto é fato, mas penso também em novos horizontes. O Brasil vai expandir sua infra-estrutura (a duro custo e muita corrupção) o que vai permitir uma descentralização das empresas para outras cidades (já está acontecendo há algum tempo). Sua renda vai diminuir mas o custo de vida também.
      Abs,

      0
    • Nando 29 de fevereiro de 2012 at 12:08

      Interessante ver que muitos estão na mesma situação. Torço para que a bolha não cause grandes estragos na economia, mas entendo que ela é inevitável.

      Tenho um exemplo da irracionalidade do mercado que será bom principalmente para o Marcelo CPS.

      Também sou de Campinas e estava conversando com meu pai sobre o preço de imóveis no bairo Cambui, onde estão pedindo entre 2,5K e 3K (com condomino e IPTU) pelo aluguel de imóveis de 60 ou 70m2…. Meu pai possui 1 imóvel alugado na Av. Princesa D’Oeste (Cerca de 3km do bairro Cambui) e ele não consegue alugar por mais de 2,5K (novamente com condominio e IPTU).

      Não faz sentido que imóveis tão próximos tenham o mesmo valor sendo que 1 tem o dobro do tamanho do outro! O mercado está perdido, sem o mínimo de bom senso! É impossível que isso continue por muito tempo….

      Abraços e parabéns pelo Blog e pelas discussões.

      0
    • Maia 29 de fevereiro de 2012 at 14:21

      tô no mesmo barco!
      solteira, com renda de 11k sou pobre demais pra comprar um apê!
      pago aluguel baratinho (contrato antigo) e junto tudo que posso. meu carro é popular, não faço extravagâncias… minha esperança é essa bolha estourar e eu poder comprar à vista ou, ao menos, financiando o mínimo.
      só tenho um medo: a grana tá na poupança. pesquisei títulos, renda variável etc… mas decidi deixar lá mesmo. o poder de compra dessa grana tá cada dia menor. não sei o que pode acontecer… tenho medo de ver meu dinheiro indo pelo ralo, pois não sei onde investir.
      como vocês estão aplicando?

      0
      • Nando 29 de fevereiro de 2012 at 15:15

        Maia,
        tenho cerca de 60% em tesouro direto e fundo de RF. O restante está em ações.

        0
      • Annibal 29 de fevereiro de 2012 at 17:37

        Bolha… vê se rola uma moderação q o cara além de não escrever nada inteligente (minimamente falando), vira e mexe usa táticas desse nível daí em seus comentários (já falou nesses termos em outros posts)… é óbvio q o Jayme só está aqui pra bagunçar…”né neguinho”…

        Jayme, se vc está tão bem assim, deveria estudar pra conseguir se expressar melhor…

        0
        • DanielCM 1 de março de 2012 at 01:06

          Parece que os stands estão com pouco movimento… Tá feia a coisa

          Putz, depois que eu li que é normal se pagar mais por algo de menor qualidade, não duvido mais nada. Tão confundindo a grande obra do mestre Picasso com a grande p##a do mestre de obras.

          Só pra ninguém perder tempo: notícia 2 em 1, pois preço de imóvel cai, sim, e brasileiros não estão comprando imóveis só em Miami.

          w w w . band.com.br/noticias/economia/noticia/?id=100000488574

          Mais baratos, imóveis de Nova York atraem os compradores brasileiros

          0
          • Sol de Sampa 1 de março de 2012 at 22:45

            DanielCM… bota feio nisso…

            há 2 semanas fui ver um breve lançamento cujo atrativo era que o m2 estava em 6,8 k enquanto os concorrentes haviam vendido “todo” o lançamento (menos 4 ou 5 unidades) com vlrs entre 8 e 9 k…

            além de não conseguirem explicar por que de um vlr tão atraente(!!!???!!!) informando apenas que era o preço justo…. não param de mandar email oferecendo o breve (já não tão breve) lançamento que por sinal está na metade da construção… agora estão apelando por telefone…
            Este empreendimento fica na Vila Romana – 94 m2 – SP.

            O mais interessante ainda, andei vagueando pelo ZAP e observando os lançamentos, e em construção, agora não tem mais a plaquinha 100% vendido… Por que será, né?

            0
        • MrJaime 1 de março de 2012 at 01:07

          OBS: Jaime com “i” é diferente do que com “y”. (-:

          0
        • MrJaime 1 de março de 2012 at 01:08

          OBS: Jaime com “i” é diferente do que com “y”. (-:

          0
      • Guerreiro da luz 29 de fevereiro de 2012 at 22:44

        Maia,

        Tou aí com a Turma, eu e a mulher, juntos, com renda superir a 20k liquidos. Toda sobra do mês vai para um fundo BB e CDB a 97,5 do CDI.
        Sempre que o patrimônio atinge um determinado patamar, porém, compro algum imóvel. Busco oportunidades: não venho encontrando mais nenhuma.
        Tenho preferindo terrenos na praia e em lugares em crestimento. Faço isso por medo de vir a amargar com o “rapa” que o país já sofreu no passado.
        Mas mantenho mais de 30% do patrimônio liquido e pronto para comprar quando do estouro da bolha.
        Aproveitando a deixa, quero dizer que vi, nesse blog, muita gente questionando a conduta dos “investidores”, esquecem, porém, que boa parte desses “investem” em imóveis em razão de não se saber mais onde investir….. E agora parece que até a sua poupança vai ser taxada com pagamento de IR!!!!! ´
        Alem disso, a inflação nominal tá em 6% (a real só o governo sabe!!). Penso ser esse um momento muito difícil para o investidor, já que, deferentemente do que acontecia no passado, simplesmente não sabemos onde deixar nossas reservas. De minha parte começo a pensar em comprar ouro e armazenar….. Fazer uma butija…. ehehehe.
        Queria ouvir a estratégia de outros colegas também.
        abs

        0
      • peterson 1 de março de 2012 at 00:37

        Maia vou te ajudar

        faça a regra dos 3+1 (tres fixos e um variável) é assim inicialmente: 30% vc deixa na poupança, 30% aplica em Renda fixa, 30% você aplica em tesouro, 10% você aplica em alto risco (ações, USD, etc), os aportes (dinheiro que entra) vai sempre para o que estiver dando mais lucro, exemplo se mes A é poupança, no mes B deposite em poupança, se mes B é tesouro, mes C aplique em tesouro, etc, veja sempre os indices antes de “depositar”. ao final do ciclo (ano1) vai ter 10% de lucro, nunca falhou comigo… se quiser arriscar faça 2 + 2 se quiser pouco risco faça 4+0.

        quanto ao seu outro problema de estar solteira dê-me seu telefone que podemos marcar um jantar, pois não existem no mercado solteiras disponiveis que faturam 11k hahahahaha

        0
        • Maia 2 de março de 2012 at 08:52

          obrigada pela resposta!
          tenho um estilo mais conservador de investir, por isso fico com o 3+1. gostei das suas dicas e vou pôr em prática…
          e se meu namorado continuar achando que financiar em 30 anos é o único jeito de comprar, vou terminar com ele e te passar meu telefone… rs

          0
          • Ze Bom Dirolo 2 de março de 2012 at 12:24

            Taí um bom investimento….

            0
            • peterson 3 de março de 2012 at 21:11

              Maia

              10% de lucro para mim é o valor acima do IGPM ok, não é 10% a.a. é mais que isso tá, esse metodo eu uso a 10 anos ok.

              quanto à mim penso que o dia que seu namorado deixar você ir embora eu já terei uns 70 anos hahaha… bjus

              0
    • jayme 29 de fevereiro de 2012 at 17:00

      ta pedindo conselho no lugar errado.
      aqui so tem quebrado fazendo figa pra os precos cairem.. nao compraram pre-2007 pq nao tinha credito na praca, pos-2008 tem mto credito e os precos na casa do c*** e nao vao comprar por causa disso.. trocando em miudos, nao vao comprar nunca, vao ficar sempre chorando..

      em relacao a tua pergunta 12k classe A/ibge.. realmente eh tenso neguinho!

      0
      • Andre 1 de março de 2012 at 16:47

        Pois é, antes não comprar nada e colocar a cabeça no travesseiro e dormir tranquilo do que ter de viver inventando mentira e tentando vencer pra otário. No final a batata quente ta na mão de quem comprou pra “investir”

        0
      • neandertal 1 de março de 2012 at 20:35

        “nao compraram pre-2007 pq nao tinham credito na praca, pos-2008 tem mto credito e os precos na casa do c*** e nao vao comprar por causa disso.. trocando em miudos, nao vao comprar nunca, vao ficar sempre chorando..”

        hahahahhah

        pior que é verdade.

        0
        • Andre 1 de março de 2012 at 21:45

          Provavelmente corretores desesperados. Só pra informação, tem cada vez mais imóvel encalhado então ao invés de ficar aqui no blog vai trabalhar! e duramente viu pq vai precisar!!! HAHAHAHA

          0
          • neandertal 3 de março de 2012 at 01:35

            não sou corretor, sou caçador-coletor.

            corretores desesperados não perdem tempo aqui, precisam de clientes, ao menos potenciais.

            0
      • pmoraesm 1 de março de 2012 at 22:46

        Exatamente Jayme.

        O mercado imobiliário pode ficar sem o dinheiro dos quebrados com renda em 10 e 20 mil, afinal de contas quem comprou até 2007 comprou, que não comprou, não compra mais.

        E é por isso que as vendas travaram imobiliárias, construtoras e principalmente corretores estão em maus lençois, esses últimos sonhando em ter uma renda de 10 a 20 mil por mês.

        0
      • Ze Bom Dirolo 3 de março de 2012 at 17:59

        Os imóveis que tinha comprei em 2007 e vendi em 2011.
        Atualmente estou investindo em outra coisa e com os preços caindo pretendo fazer um grande negócio em 2013. Assim que comprar o imóvel que tô de olho coloco a foto no blog para vc…
        Agora só vai poder falar mal se vc colocar uma foto da sua casa e ela for melhor….hahaha

        0
        • Ze Bom Dirolo 3 de março de 2012 at 18:00

          E outra coisa, ela tem que tá quitada…kkkk

          0
    • Miguel Jacó 29 de fevereiro de 2012 at 17:43

      Pai pobre diz “nossa casa é nosso maior investimento e nosso maior patrimônio”.
      Pai rico diz “Minha casa é uma dívida e se sua casa for seu maior investimento, você terá problemas”.

      0
    • Cai Cai Balão 29 de fevereiro de 2012 at 21:39

      Nando,

      A minha situação é muito parecida com a sua. Não consigo encontrar NADA compatível com os meus anseios e os da minha mulher. Todos os empreendimentos que cabem no nosso orçamento situam-se em localidades muito afastadas do Centro e/ou têm tamanhos reduzidos. Ora, se eu planejo ter filhos, o que me levaria a contrair uma dívida de 30 anos para morar num quarto e sala, longe das boas escolas?

      Ao contrário dos que dizem (todos aqui no Bolha ganham mais de 10k), conheço pouca gente que traga esse valor líquido pra casa, todos os meses. Não sei para quem constroem esses edifícios, em que se cobra 6k, 7k/m², pois acho que isso não se coaduna com a realidade da classe média brasileira (ops, classe A).

      Resta saber quanto tempo levará para o mercado recuperar a sanidade. Temo que ocorra o que muitos vêm dizendo por aqui (privatizam-se os ganhos e socializam as perdas), pois se isso acontecer a minha vida de formiga se converterá na morte da cigarra.

      Tenho feito grandes esforços para me capitalizar, a fim de pagar no cash quando as coisas se acalmarem. Como muitos aqui, espero que o esforço não seja em vão (não será!).

      0
    • Leno 1 de março de 2012 at 00:55

      Nando

      Minha situação é parecida com a sua, tenho 29 anos e a mesma renda liquida,e tambem não consigo achar nada em sampa para comprar sem ter que usar todas as economias e ainda sim ficar com uma divida de 20 anos, pois a possibilidade de 30 anos nem existe para mim.

      E ainda tem gente dizendo que isso é normal.

      0
  • Ploc Monster 29 de fevereiro de 2012 at 10:54

    Quer dizer que quem começou juntando dinheiro para comprar um Ap pequeno para casar, depois junta mais uma grana e precisa financiar para complementar a compra de uma casa por exemplo se lasca ?

    Era melhor ter torrado tudo e financiado 100% !

    Brasil seja certinho e se F¨&% !!

    0
  • Murdoch 29 de fevereiro de 2012 at 10:55

    Pessoal, olha que interessante.
    Eu continuo no mailing de um corretor e hj ele me enviou uma grande qtde de imoveis disponiveis na Barra e Recreio, principlamente, mas no meio tinha um predio da Rossi em Laranjeiras que entregará em maio desse ano. Detalhe que já está atrasado quase um ano. Detalhe 2, é que na época do lançamento “derreteu”.
    Vejam os detalhes abaixo.
    PARQUE LARANJEIRAS: (RUA PINHEIRO MACHADO, 22 LARANJEIRAS) 22 UNIDADES.

    PRONTO EM JULHO/12 (VISITAS: GERENTE MARCAR COM ALZIRA POR E-MAIL COM 24 HORAS DE ANTECEDÊNCIAS, PREFERENCIALMENTE).

    101 BL. 1 (LOFT C/ 88,18 M). 1.198.000,00
    103 BL. 1 (LOFT C/ 95,49 M). 1.351.000,00
    104 BL. 1 (LOFT C/ 70,14 M). 1.002.000,00
    105 BL. 1 (LOFT C/ 81,71 M). 1.179.000,00
    106 BL. 1 (LOFT C/ 105,39 M). 1.521.000,00
    108 BL. 1 (LOFT C/ 94,97 M). 1.291.000,00
    201 BL. 1 (LOFT C/ 88,22 M). 1.299.000,00
    204 BL. 1 (LOFT C/ 69,54 M). 1.076.000,00
    205 BL. 1 (LOFT C/ 82,38 M). 1.288.000,00
    206 BL. 1 (LOFT C/ 96,84 M). 1.514.000,00
    207 BL. 1 (LOFT C/ 60,00 M). 892.000,00
    208 BL. 1 (LOFT C/ 83,74 M). 1.233.000,00

    101 BL. 2 (TERRAZZA 4 QTOS 298,44M). 2.585.000,00
    103 BL. 2 (TERRAZZA 3 QTOS 206,57M). 1.482.000,00 (C/ DESCONTO)
    104 BL. 2 (TERRAZZA 3 QTOS 263,63M). 1.932.000,00 (C/ DESCONTO)
    105 BL. 2 (TERRAZZA 3 QTOS 245,01M). 1.830.000,00 (C/ DESCONTO)
    701 BL. 2 (COBERTURA 4 QTOS 354,82M). 3.927.000,00
    706 BL. 2 (COBERTURA 4 QTOS 349,25M). 3.695.000,00
    801 BL. 3 (COBERTURA 2 QTOS 188,21M). 1.935.000,00
    805 BL. 3 (COBERTURA 2 QTOS 169,39M). 1.731.000,00
    806 BL. 3 (COBERTURA 2 QTOS 166,67M). 1.703.000,00
    812 BL. 3 (COBERTURA 3 QTOS 216,66M). 2.399.000,00

    0
    • Riodetudo 29 de fevereiro de 2012 at 11:17

      Esse é um prédio que fica numa das pior localização de Laranjeiras, ou seja, em frente ao Viaduto e ao Túnel Santa Bárbara? Quem é o idiota que pagaria METADE deste valor pra morar lá?

      LOFT C/ 60,00 M. R$892.000,00 (!!!!!!!!!!) – “loft???”

      Já no Recreio, localizado no faroeste do Rio, a galera continua detonando seus FGTS e se endividando por décadas, acabei de receber esse email aqui:
      ” A valorização no Recreio não pára, continua enorme. Temos no bairro obras por administração, obra a preço de custo sem juros. Perceba que os valores de imóveis de frente neste caso são os mesmos que imóveis hoje prontos de fundos.”

      0
    • Eduardo 29 de fevereiro de 2012 at 11:18

      Eu sou um pé de chinelo mesmo… de R$10.000,00 à R$15.000,00 por m², vou ficar só com 2m², obrigado…..

      0
    • Pensativo 29 de fevereiro de 2012 at 15:14

      Estes sim precisam cair uns 70% para chegar ao valor justo. Do jeito que estes preços estão, vão encalhar eternamente.

      0
    • Rodrigo 29 de fevereiro de 2012 at 15:19

      É esse mesmo, lembro que no outro lado da caçada foi publicada no Globo uma matéria de um anúncio de um apartamento de frente para o viaduto que era “impossível” se vender justamente por causa do barulho… Conheço bem a região, a localização DESSE empreendimento é realmente é muito ruim, assim como o acesso a pé, não vale nem metade desse valor, até hoje tem aquela placa de corretores no local!!!! Na época do lançamento estava procurando imóvel para comprar mas esse nem fui ver.

      O mais engraçado que acabei comprando no Recreio obviamente devido a uma oportunidade e realmente e o que acontece é que grupos se formam compram o terreno e levantam o prédio por isso dizem que o apartamento saiu a preço de custo, mas na hora de vender obviamente que vem o lucro.

      Quanto à valorização no Recreio é o ÚNICO lugar do Rio de Janeiro que vejo obras para as OLIMPIEDAS realmente acontecerem, que de resto TUDO atrasado, o BRT vai ser entregue no início do segundo semestre, para aqueles que não conhecem:

      h ttp://www.skyscrapercity.com/showthread.php?s=6c013caebc5fed530e9c53c3bbc99a12&t=1134205

      h ttp://www.youtube.com/watch?v=dUyLaxNsrm0&feature=fvst

      Site oficial do Governo do Estado
      h ttp://www.youtube.com/user/riocidadeolimpica

      0
      • Rodrigo 29 de fevereiro de 2012 at 15:31

        Por falar nisso foi vendido semana passada um terreno na rua por 1 milhão, se acham caro, só analisar quanto custa o m2 da construção civil, dá para uns 8 apartamentos de 100m2 com 2 vagas e duas coberturas de 200m2 mais direito a laje com 3 vagas.

        A média de preço que estão pedindo em um apartamento com essas metragens são de aproximadamente 500k os de fundos, 650k os de frente e 950 a cobertura.

        0
  • Jack Imóveis 29 de fevereiro de 2012 at 11:19

    Caros,

    Saiu uma matperia grande sobre Alugar vs Comprar imóveis no valor. Para variar negam a bolha e entrevistam as figuras de sempre. De qualquer modo recomendo a leitura.

    Se alguém tiver acesso a versão online do jornal, pode mandar o link.

    Abraços

    Jack – leitor

    0
  • D9 29 de fevereiro de 2012 at 11:33

    Enquanto isso na República do Futuro…

    Desemprego ——–

    http://g1 . globo . com/economia/noticia/2012/02/taxa-de-desemprego-sobe-95-em-janeiro-
    aponta-dieese.html

    IGP-M em queda ( Aluguel né … aham … é bom negócio ctza) ———–

    http://g1 . globo . com/bom-dia-brasil/noticia/2012/02/banco-central-destaca-desaceleracao-de-precos-no-mercado.html

    Inflação “escondida” de 9% by Miriam Leitão ————–

    http://g1 . globo . com/bom-dia-brasil/noticia/2012/02/miriam-leitao-para-manter-cenario-brasil-tem-que-cortar-gastos-publicos.html

    Brasilzão que não acaba!

    0
  • Roberto 29 de fevereiro de 2012 at 11:36

    Gafisa fritando SARDINHA na bolsa !!!!!!

    0
  • veigalex 29 de fevereiro de 2012 at 11:38

    Olha a Gafisa ai gente!!!!

    -5%

    0
  • veigalex 29 de fevereiro de 2012 at 11:40

    é Roça… é Roça..

    Essa vai ser o acelerador que tanto esperamos…

    GAFISA – FR
    GAFISA S.A. (Bovespa, GFSA3; NYSE, GFA) (“Gafisa” ou “Companhia”), comunica aos seus acionistas e ao mercado em geral que: em referência ao Fato Relevante emitido pela companhia em 2 de fevereiro de 2012, a Gafisa confirma que recebeu da GP Investimentos (“GP”) e da Equity International (“EI”, em conjunto com GP, “Investidores”) uma proposta preliminar, não solicitada, indicativa, condicionada e não vinculante para aquisição de certos ativos da companhia, sujeita a certos pré-requisitos (“Proposta Indicativa”). O Conselho de Administração da Gafisa (“Conselho”) criou um comitê especial de conselheiros e contratou assessores financeiro e legal para auxiliar a Companhia na avaliação da Proposta Indicativa.

    Após análise cuidadosa, o Conselho, reunido nesta manhã, concluiu que a Proposta Indicativa subavalia significativamente os ativos e negócios envolvidos e implica em substanciais custos de transação e em altos riscos de execução. A Companhia não forneceu acesso a quaisquer informações confidenciais ou entrou em quaisquer negociações com os Investidores ou com qualquer terceiro. Gafisa continuamente avalia novas oportunidades de desenvolver seus negócios e ativos e avaliará com a mesma diligência, e sempre no interesse dos acionistas, qualquer futura oferta apresentada pelos Investidores ou por qualquer terceiro.

    0
    • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 12:21

      Declaração de incompetência administrativa

      … contratou assessores financeiro e legal para auxiliar a Companhia na avaliação da Proposta …

      0
    • MrK 29 de fevereiro de 2012 at 12:46

      ah meu amigo ,eu falei la atras que isso era furada, isso era pra jogar oleo quente em sardinha e fritar… tem que ser garoto juvenil pra cair nessa…

      eles fizeram isso pra dar liquidez no papel e sair na alta, venderam por R$5,50 um papel que ja esta a R$4.88 e aparentemente vai ladeira abaixo

      E aqueles analistas mandando comprar?? e o menino do rio, sera que comprou?? bolsa nao e’ pra amadores

      0
      • Menino_do_Rio 29 de fevereiro de 2012 at 16:25

        Mrk,

        acabei comprando uns 10k no final do ano por R$4,14; por enquanto tá bom.
        Mas percebo que estamos sem opção de investimento das nossas economias até o estouro da bolha. Continuo achando que deveríamos discutir isso mais profundamente, pois corre o risco de quando vier o alfinete nossas poupanças estarem corroídas pela inflação.
        obs.: apesar de continuar achando que os imóveis continuarão a trazer retornos acima do CDI, tenho que diversificar meus investimentos

        0
  • Flavio Alves 29 de fevereiro de 2012 at 11:50

    E o valor dos aluguéis com a quantidade de imóveis que serão desocupados ?? Não vai cair??

    0
    • Guerreiro da luz 29 de fevereiro de 2012 at 22:58

      Cara, o momento tá tão ruim para saber onde investir que tenho diversificado ao máximo minha carteira. E já adianto, aluguel e imóveis na planta também estão entre meus investimentos: claro que num patamar reduzido.
      Queria mesmo é saber onde os colegas estão aplicando suas reservas. Como dito acima, daqui a pouco vou começar a comprar ouro: de um lado aplicar em imóveis é suicídio, por outro manter valores em banco também pode ser, pois no mínimo será corroído pela inflação.

      0
      • Nando 1 de março de 2012 at 09:30

        Meu amigo, eu não considero ouro investimento, mas sim reserva de valor, uma vez que ele não produz nenhum tipo de rendimento. Por exemplo, RF paga juros, ações dividendos e o ouro só valoriza de acordo com o mercado….

        Sugiro a lida neste artigo bem tendencioso do Warren Buffet: http://finance.fortune.cnn.com/2012/02/09/warren-buffett-berkshire-shareholder-letter/

        0
        • Fernando II 3 de março de 2012 at 23:00

          Prezado Nando, concordo contigo que ouro nao paga cupom como titulos, mas rende juros de deposito bem baixo, mas que no mundo desenvolvido com taxas de juros quase zero nao eh desprezivel. Pro Brasil claro que sim, pelo menos por enquanto…

          0
  • gekko 29 de fevereiro de 2012 at 11:53

    Será que não é a GAFISA que está superavaliando os seus ativos?

    Proposta de investidores estrangeiros desagrada Gafisa e ações caem forte
    Comentários: (0)
    29 de fevereiro de 2012 • 11h41 Por: Mariana Mandrote
    “); // –>

    SÃO PAULO – As ações da Gafisa (GFSA3) lideram a ponta vendedora do Ibovespa no pregão desta quarta-feira (29) após a companhia mostrar insatisfação com uma proposta preliminar de investidores para aquisição de ativos da empresa.

    Às 11h24 (horário de Brasília), as ações da incorporadora registravam forte queda de 4,28%, ao preço de R$ 4,92. No mesmo momento, o principal índice da bolsa brasileira subia 0,36% aos 66.196 pontos. Na mínima do dia, o papel chegou a se desvalorizar em 5,64%, aos R$ 4,85.

    Em referência ao fato relevante divulgado em 2 de fevereiro, a Gafisa confirmou que recebeu da GP Investimentos e da Equity International uma proposta preliminar para aquisição de certos ativos, a qual foi avaliada por um comitê especial de conselhores e assessores contratados.

    Proposta subavalia ativos
    “Após análise cuidadosa, o conselho, reunido nesta manhã, concluiu que a proposta indicativa subavalia significativamente os ativos e negócios envolvidos e implica em substanciais custos de transação e em altos riscos de execução”, diz a Gafisa em nota.

    A empresa afirmou, no entanto, que continuamente avalia novas oportunidades de desenvolver seus negócios e ativos e avaliará com a mesma diligência qualquer futura oferta apresentada por esses investidores ou por qualquer terceiro.

    0
    • Deurges 29 de fevereiro de 2012 at 12:27

      folha.uol.com.br/mercado/1055118-gafisa-recusa-oferta-para-vender-ativos-e-acoes-caem.shtml

      29/02/2012 – 11h54
      Gafisa recusa oferta para vender ativos e ações caem

      A Gafisa recusou proposta preliminar apresentada pela gestora GP Investimentos e pela Equity Internacional, do bilionário norte-americano Sam Zell, para aquisição de ativos da empresa. A informação motivava forte queda dos papéis da incorporadora e construtora.

      Em comunicado nesta quarta-feira, a Gafisa –que criou um comitê especial de conselheiros e contratou assessores financeiros– disse que a proposta “subavalia significativamente os ativos e negócios envolvidos e implica em substanciais custos de transação e em altos riscos de execução”.

      A Gafisa informou ter recebido a proposta em questão em 2 de fevereiro, quando disse desconhecer uma possível oferta para compra de ações da companhia, negando rumores de que fundos de investimento estrangeiros lançariam uma OPA (Oferta Pública de Aquisição) da companhia.

      Na nota enviada à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) nesta manhã, a Gafisa acrescentou que “avalia novas oportunidades de desenvolver seus negócios e ativos e avaliará com a mesma diligência… qualquer futura oferta apresentada pelos investidores ou por qualquer terceiro”.

      As ações da companhia operavam em forte desvalorização após o comunicado e, às 11h39, recuavam 3,89%, cotadas a 4,94%. Na mínima até esse horário, os papéis chegaram a perder 5,6%. O Ibovespa subia 0,51%

      0
  • walyson Trautenmuller 29 de fevereiro de 2012 at 12:36
  • joka 29 de fevereiro de 2012 at 12:36

    Concordo em genero, numero e grau a respeito da bolha. Tanto que vendi meu apartamento em belo horizonte, um 3 quartos de 70m por 265 mil e comprei ha dois anos por 90 mil. Estou partindo para o aluguel e o dinheiro vou investir. Estou pensando em colocar em tesouro direto e fundo DI ate a bolha degenerar. O que voces acham?

    0
  • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 12:39

    Ao invés de importar alguma coisa, considere EXPORTAR-SE da Banânia. No final sai muito mais barato.

    0
  • Cirilo 29 de fevereiro de 2012 at 12:40

    Engraçado isso, quando alguém compara os preços daqui com dos EUA, que eventualmente são menores, muita gente aparece dizendo:”Tá vendo, PLOC!”

    Agora quando comparam com Angola, chegam dizendo:”Nada a ver, não pode comparar assim, são contextos totalmente diferentes!”

    Assim fica complicado…

    0
    • MrK 29 de fevereiro de 2012 at 12:48

      serio, nao posso acreditar que li uma $#@$#@$ dessas

      serio, compra acoes da gafisa e boa sorte, cirilo

      vai procurar a maria joaquina

      0
      • Cirilo 29 de fevereiro de 2012 at 12:53

        Pois é, agora a especulação da bolsa também reflete a economia real?

        Ok…

        0
        • MrK 29 de fevereiro de 2012 at 13:00

          meu amigo, a especulacao na bolsa foi o que fez a gafisa SUBIR (especulacao que seria vendida)

          agora estamos vendo os fundamentos atuando, e a acao retomando seu curso ladeira abaixo, acompanhada das amigas de mercado

          e sim os fundamentos refletem a economia real, a especulacao nao.

          0
          • xangai 29 de fevereiro de 2012 at 13:06

            MRK…
            paciencia … muita paciencia ..

            acho que ( — senao foi vc que postou aqui tempos atras ) deve saber mais do que eu das tecnicas dos trolls ( tinha , sei la , uns 20 itens tipo cartilha dos trolls )

            acho que um deles era ::: vencer pelo cansaco … falar besteiras …confundir novos leitores … deixar participantes enfurecidos … ate uma desistencia !!

            coragem … o blog e o Brasil precisa de vc !!! ( assim como outros veteranos do blog )

            0
            • Cirilo 29 de fevereiro de 2012 at 13:13

              Não estou tentando vencer ninguém, assim como a maioria aqui eu não possuo imóvel próprio e acredito sim na existência de um bolha de preços, questiono apenas a dimensão e alguns argumentos patéticos que são postados aqui.

              Torço realmente para que os preços caiam 50%, mas sou consciente e sei que esse cenário, por mais que seja o mais “justo” dificilmente ocorrerá.

              0
            • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 13:19

              é o Manual de como vencer uma discussão sem ter razão

              Se quiserem eu posto de novo, rsrs, vão lá no google

              0
              • Cirilo 1 de março de 2012 at 16:59

                Disso o Luiz entende ein!!

                0
          • Cirilo 29 de fevereiro de 2012 at 13:09

            Sim, mas o que muitos aqui tentam fazer, inclusive você, é retratar a Gafisa, pior construtura listada em bolsa, como se ela fosse um exemplo de todo o mercado da construção civil no Brasil.

            Todo mundo que entende o mínimo de balanços sabe que apesar da queda nas vendas e no aumento dos estoques, o que influência negativamente os resultados da Gafisa é o pagamento expressivo de juros.A empresa foi mal administrada, se endividaram até o pescoço para comprar construtoras menores, como a Tenda, e que por atuarem no mercado de baixa de renda, tiveram sua margem muito penalizada pelo aumento nos custos da construção.

            Colocar a Gafisa como exemplo na contrução no Brasil é tão absurdo como colocar a EZTec ou JHSF, empresas com excelentes resultados e que desde do ano passado subiram mais 50%, como sendo representantes de todo o mercado imobiliário nacional.

            0
            • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 13:21

              A gafisa não é a pior, pelo contrario é uma das melhores
              Meia duzia das piores ou quebraram ou foram absorvidas,
              outras tantas estão na corda bamba

              0
  • MrK 29 de fevereiro de 2012 at 12:51

    O Brasil nao esta caro comparado com EUA

    esta caro comparando com EUA, Europa, BRICs, Colombia, Argentina, Chile, Canada, em resumo com o MUNDO INTEIRO

    ai o cara pega um pais especifico que tem um problema historico de preco alto (por razoes ja explicadas, razoes que sao muito particulares e em nada tem a ver com o Brasil ou outros paises) que eh angola, e quer usar isso pra justificar?!

    Cirilo e ETSMO vao ficando cada vez mais surtados!!

    0
    • Cirilo 29 de fevereiro de 2012 at 12:55

      Cara, fica claro que é comparar Brasil com Europa e tão absurdo como comparar Angola como Brasil.

      Essa minha crítica, qualquer tipo de comparação nesses casos é completamente limitada, para não falar outra coisa.

      0
      • aiwww 29 de fevereiro de 2012 at 13:37

        MrK, apenas ignore essa mala. Continue no blog. Abração

        0
    • Voluntário 29 de fevereiro de 2012 at 23:45

      custo maior e qualidade menor, o que será do nosso país?

      0
  • Ze Bom Dirolo 29 de fevereiro de 2012 at 13:00

    Volta Dunga!!

    0
  • Leo 29 de fevereiro de 2012 at 13:17

    gafisa -7 ? SI NI RO !

    Cade o gringo que ia comprar os macacos?

    0
    • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 14:34

      Pulou para um outro galho porque esse vai QUEBRAR logo, logo ….

      0
  • Ana 29 de fevereiro de 2012 at 13:17

    Classe C sustentará aumento de 40% do PIB até 2020

    Agência Estado
    Publicação: 29/02/2012 11:59 Atualização:
    Pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) mostra que a classe média será a principal responsável por sustentar um crescimento acumulado de 40% projetado pela entidade para a economia brasileira até 2020.

    O estudo “A evolução da classe média e o seu impacto no varejo”, divulgado hoje, chama de classe média as famílias que formam a classe C definida pelas faixas de rendimento da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Por esse critério, integram a classe média famílias com renda mensal de R$ 1,4 mil a R$ 7 mil.

    A pesquisa prevê que o consumo familiar no Brasil será de R$ 3 53 trilhões em 2020, ante R$ 2,34 trilhões estimados para 2011. O montante representará 65% do Produto Interno Bruto (PIB) do País em 2020. Para a entidade, o crescimento do poder aquisitivo da população ficará mais evidente na classe C, que hoje representa 54% dos brasileiros e possui uma capacidade de consumo de mais de R$ 1 trilhão, o que equivale a 51% de toda a renda das famílias.

    A previsão é que já em 2015 a classe média seja responsável pelo consumo equivalente ao das classes A e B somadas. Segundo a pesquisa, o País passa por um forte processo de crescimento do mercado consumidor. Em 2003, as classes A, B e C representavam cerca de 49% das famílias brasileiras e atualmente essa proporção chega a 61%. “Em 2003, menos da metade dos brasileiros se encontrava em um patamar médio de consumo, enquanto hoje quase dois terços da população já alcançou esse patamar”, afirma o estudo. “O Brasil de 2020 será um dos maiores mercados consumidores e uma das maiores economias globais.”

    Saiba mais…
    Dívida líquida do setor público sobe em janeiro
    País registra maior superávit primário para meses de janeiro desde início da série do BC
    A renda per capita da população, que em 2010 era de R$ 19.342, deve crescer 30% nas classes A (rendimento mensal acima de R$ 11 mil) e B (entre R$ 7 mil e R$ 11 mil) e 50% nas demais. Entre 2002 e 2010, a taxa de desemprego passou de 11,7% para 6,7%, de acordo com o estudo. A massa real de salários aumentou em torno de 30% no mesmo período.

    “O Brasil tornou-se uma economia de classe média com renda maior e mais bem distribuída e ainda contará com o processo de inclusão de pessoas de faixas de renda mais baixas no mercado de consumo por mais essa década, ao menos”, afirma a entidade.

    As condições socioeconômicas verificadas nos últimos anos têm mudado, conforme a FecomercioSP, o perfil de consumo da população. “O consumidor brasileiro, que já evoluiu do consumo básico para um patamar mais sofisticado, vai demandar cada vez mais serviços e produtos de alta qualidade”, prevê a pesquisa. Exemplo disso, segundo o estudo, é o gasto médio com alimentação fora do domicílio – que em 2003 era de R$ 114,59 por mês e passou para R$ 145,59 em 2009, aumento de 26,6%. Os gastos mensais médios com telefonia celular subiram 63,3% entre 2003 e 2009, passando de R$ 17,68 para R$ 28,93.

    De acordo com a entidade, o comércio varejista foi um dos setores privilegiados com a mudança dos padrões sociais da população. O crescimento médio do varejo foi de 9% ao ano de 2004 a 2010, um aumento real de 82% nas vendas no período. “Em sete anos, o comércio varejista quase dobrou de tamanho”, afirma a FecomercioSP.

    População

    A pesquisa projeta que, em 2020, o País terá aproximadamente 207 milhões de habitantes. A população economicamente ativa, atualmente de 130 milhões, deve atingir 145 milhões de brasileiros, o que representa um incremento de mais de 10% na força de trabalho potencial no fim da década.

    Para a entidade, entretanto, o principal desafio do Brasil para os próximos dez anos é lidar com as consequências provocadas pelo envelhecimento da população. “Se a última década foi do fortalecimento e crescimento da classe média, esta será focada no entendimento dos riscos e oportunidades envolvidos no envelhecimento da população”, observa o estudo.

    O total de pessoas com mais de 60 anos deve pular de 18 milhões para 26 milhões em 2020. Para a entidade, com o aumento da qualidade e da expectativa de vida, muitas pessoas com idade superior a 60 anos irão permanecer no mercado de trabalho.

    0
    • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 14:35

      Ana,

      … Classe C sustentará aumento de 40% do PIB até 2020 …

      Voce acha mesmo que é possível uma previsão para 2020?

      0
      • Ana 29 de fevereiro de 2012 at 21:46

        Claro que não, Anonymous. Eu acho que não é possível fazer projeções assim nem pro final do ano. Esses economistas imbecis ou analistas de mercado (todos vendidos) é que pensam que conseguem enganar todo mundo por um tempo indefinido. Acho totalmente irresponsável ficar contando com esse “novo milagre econômico” totalmente financiado com o dinheiro dos que trabalham honestamente para sustentar a vagabundagem que tem sido premiada como “nunca se viu na história desse país”. Projetar crescimento por tanto tempo é ser completamente cego para as contingências externas e internas que modulam o mercado.

        0
  • Carlos 29 de fevereiro de 2012 at 13:21

    Corre negada!!!

    0
  • Carlos 29 de fevereiro de 2012 at 13:35

    Podemos perceber, neste blog, 2 tipos bem distintos de comentaristas:

    a) Aquele que conhece fundamentos economicos, analisa os mercados e opina de forma consciente e coerente;

    b) Aqueles que não sabe o que falam, vivem repetindo o que escutam em conversa de bar, não perdem tempo lendo o historico de discussão do blog para se aprimorar no assunto e formar uma opinião mais concisa e ficam eternamente presos às suas proprias limitações intelectuais defendendo postos de vista absurdos.

    No mais, o blog é um espaço de discussão de alto nivel. Felizmente os comentaristas “b” são apenas meia duzia e não refletem a opinião geral que possa ser tirada do blog.

    Parabens ao do grupo “a”.

    0
    • Carlos Eduardo 29 de fevereiro de 2012 at 14:33

      Ô esqueceu de um tipo!
      Aquele que não sabe fundamentos economicos, e mesmo assim lê o blog …

      tenta comentar baseado em lógica formada de casos e matemática simples e história, além das noticias que pipocam, sendo elas falsas ou não!

      Eu não sou formado em Economista e sim em Engenharia e tenho aprendido bastante aqui, to com uma pilha de livros de economia na fila de leitura, só falta o tempo agora ; )

      mesmo não sendo economista é perceptivel que o mercado está doido e que os preços aqui, não só para os imoveis mais para outros produtos e serviços, estão fora de eixo !

      0
      • Cirilo 29 de fevereiro de 2012 at 16:39

        Realmente, mesmo porque ninguém é formado em “economista” e sim em economia.

        0
        • Carlos Eduardo 29 de fevereiro de 2012 at 17:57

          ” Realmente, mesmo porque ninguém é formado em “economista” e sim em economia. ”

          Acho que entenderam oque eu quis dizer …

          Obrigado pela correção!

          0
  • Nova 29 de fevereiro de 2012 at 13:37

    Senhores, muito prazer!… Sempre acompanho o blog, mas até então nunca havia postado nada.
    Bem, hoje eu nao aguentei…

    OFERTA IMPERDIVEL!!!!
    http ://www.realton.com.br/#entrar
    http ://www.promoimoveis.com.br/index.php/site/index

    Logo logo, teremos imoveis no grupon.

    auhauihuia… tem q rir para nao chorar….

    Abraço,

    0
  • Platão 29 de fevereiro de 2012 at 13:37

    Relato Pessoal,
    estou tentando alugar um apto em Curitiba desde outubro, com condições minimas, na minha opiniao, perto de centro e preço razoavel… desde outubro estou nessa busca sem sucesso… pois bem, essa semana reparei que deu uma boa diminuida no valor dos alugueis e ja tenho 4 aptos salvos aqui, tamanho/preço/localidade como eu gostaria, sendo que 2 são mobiliados… acho que esse mês finalmente sai…pretendo ficar 2 anos alugando, guardando meu dimdim da entrada.
    p.s. todos apartamentos usados e desocupados a algum tempo…

    0
    • Raphael 29 de fevereiro de 2012 at 14:20

      Não acreditei quando ouvi mas tem uns 15 apartamentos em um prédio no centro que lançou no início de 2010… que NUNCA foram vendidos. Faixa de 350-400 mil por 70m². Alguém calcula o prejuízo disso!? Quem não acredita, liga lá… Cavet imóveis, Edifício Hannover. (o primeiro do site)

      0
      • Platão 29 de fevereiro de 2012 at 14:53

        claro que sei, ao lado do shopping, muito bonito por sinal, e muito caro !!!!
        se vc andar mais meia quadra, pode alugar varios aptos, do mesmo tamanho, por 1/3 do preço desse…são usados, antigos, mas tem armarios e banheiro completo, pelo menos.

        0
      • Pensativo 29 de fevereiro de 2012 at 14:59

        Esse é um grande problema. São pessoas com muito dinheiro – pecuaristas, industriais, comerciantes, etc – que compram imóveis e os deixam fechados com intuito de inflacionar o mercado. Este tipo de pessoa não tem problemas financeiros e podem confortavelmente manter o parte do seu patrimônio imobilizado e depreciando.
        Realmente não sei quanto investidores imobiliários são do tipo “cagei para isso. Daqui a dez anos eu vendo ou alugo com valorização absurda ou, caso contrário, deixo para os herdeiros”.

        Imóvel, tanto urbano como rural, tem função social. Neste caso uma visita dos sem teto não faria nada mal.
        rsrsrs
        Até rimou!!!

        0
  • Davi 29 de fevereiro de 2012 at 14:00

    13:12 CONTRATAÇÃO DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO NA CAIXA CRESCE 30,5% NO BIMESTRE

    São Paulo, 29 – A Caixa Econômica Federal informou hoje que contratou R$ 12 bilhões em crédito imobiliário nos dois primeiros meses do ano. O volume representa um crescimento de 30,5% em relação ao contratado no mesmo do período do ano passado, quando emprestou cerca de R$ 8,7 bilhões.

    A expectativa da Caixa em 2012 é de ultrapassar R$ 90 bilhões de financiamento em crédito imobiliário. Em 2011, a carteira imobiliária do banco apresentou saldo de R$ 152,9 bilhões, aumento de 41,1% em relação ao registrado no ano anterior. Foram liberados R$ 80,1 bilhões para habitação, valor 5,5% superior ao contratado em 2010. (Equipe AE)

    0
  • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 14:09

    A todos os que acham que não se pode comparar países

    Tenho experiência de morar nos EUA e na Alemanha. A comparação que faço é basicamente o custo de vida. Posso afirmar que atualmente, morar na Banânia custa cerca de 150% A MAIS do que morar nos EUA e cerca de 100% A MAIS do que morar na Alemanha. Desculpe a franqueza, mas qualquer pessoa que tem 1 milhão de Reais e continua morando na Banânia é um IDIOTA. Não existe motivo algum para desperdiçar a vida nesse país. Também acredito que não tem importância alguma o motivo dos custos estarem assim ou se isso é justo ou não. FODA-SE e que vença o país que ME apresenta a melhor condições de vida.

    0
    • Jack Imóveis 29 de fevereiro de 2012 at 14:37

      Caro Anonymos,

      Acho que outros fatores, como emprego, carrira, família, amigos e até capacidade de adaptação devem ser considerados.

      Abraços

      Jack – Temperando o Gisado

      0
      • Cirilo 29 de fevereiro de 2012 at 15:03

        Concordo, acho que a posição de se mudar seria uma boa para uma pessoal que já acumulou um bom capital e por exemplo vai se aposentar.O ideal mesmo seria a Europa, onde com 2 horas você está praticamente em qualquer país.

        0
        • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 15:17

          Na minha opinião, quem já acumulou capital e continua na Banânia é IDIOTA. Agora, quem ainda não acumulou, ou está começando a vida, pode acabar percebendo que reduzir o custo de vida pela METADE é uma boa idéia, ainda mais quando é associado a um AUMENTO da qualidade de vida. Basta ter a coragem de abandonar a Banânia e o sentimentalismo demonstrado pelo Jack, pois familia e amigos não pagam as sua contas.

          0
          • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 15:40

            Anonyn acho que seu argumento em alguma coisa não encaixa.

            Nunca antes houve tanto estrangeiro vindo trabalhar no país, e tanto emigrante voltando.

            Quem tem boa formação e poderia se dar bem fora, tbm consegue ganhar bem no BR. O trabalho não valeria a pena
            A classe C aqui eles pagam uma fortuna por uma qualidade de vida horrível, mas no exterior eles seriam por demais hostilizados.

            Na pratica, meu caro, anonimo, pra grande maioria não tem como escapar.
            E quem pode não precisa.
            Na pratica a opção exterior serve apenas ou pros muito desesperados, ou pros muito ricos, ou pra casos específicos.

            0
            • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 16:11

              Luiz,

              Isso é pura propaganda, assim como voce ve noticias de que os EUA e Europa estão em CRISE enquanto a Banânia BOMBANDO (acho que a bomba está perto e vai de fato bombar). Eu estive 6 meses na Alemanha e agora estou nos EUA. O que é crise nos EUA ou Europa é uma situação NUNCA vivida pela Banânia de tão boa.

              0
              • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 16:22

                prezado anony, concordo que a crise deles é anos-luz melhor que a nossa melhor prosperidade, todavia a questão do desemprego bate forte em especial na espanha e na grécia. Estive fora, e pude constar como vivem bem os desempregados por lá.

                E a barreira linguistica/cultural? Aqui um poligota culto erquivale a nível primário lá.
                Imagine a nossa crasse Cê… coitados.

                0
            • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 16:20

              Luiz,

              … E quem pode não precisa …

              Isso é absolutamente FALSO. Na minha experiência muito poucas pessoas tem CORAGEM e é só isso que é necessário. Desde os banannenses que vem aos EUA como ilegais (e pode ter certeza que tem uma vida muito melhor do que teriam na Banânia) até os que percebem que apesar de uma situação confortável na Banânia, podem melhorar muito não só para si mesmos como para os filhos. Lembre-se do seguinte: Algum dia todos nós iremos morrer e teremos que abandonar todos os vínculos, não só com a familia e amigos, mas com todo o resto. Já que é assim, então não é muita coisa abandonar os vínculos com a Banânia – quaisquer que sejam – para viver uma vida melhor. Claro que a menos que voce acredite que vai ser compensado por ter vivido e morrido na Banânia com 72 virgens no paraiso.

              0
              • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 16:32

                Pensando bem, até mesmo 72 virgens no paraiso é pouco para morar a vida toda na Banânia,

                0
                • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 17:05

                  hahahaah, aqui tem 720 mulatas no carnaval
                  serve?

                  0
          • Shakespeare 29 de fevereiro de 2012 at 15:48

            Vão morrer com o prejuízo…

            0
          • Raposão 1 de março de 2012 at 16:43

            … tem a oceania (Australia e New Zealand)… ao menos não é tão frio quanto a Europa (exceto parte sul da Nova Zelandia) nem tão gelado quanto o Canada, que só fica suportável pra maioria dos bananenses no verão.

            Pode ser difícil a aculturação, mas se faz necessário ter em mente o seguinte darwinismo sócio-econômico: ou se adapta ou não sobrevive.

            Quanto ao nível do blog, é indiscutível o alto nível, mas alguns trolls quebram o gelo de vez em quando.

            É bom lembrar:
            Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las. (Montesquieu)

            A discussão, moderada e inteligente, é saudável.

            Att.
            Raposão, on the world.

            0
  • Ricardo Eng 29 de fevereiro de 2012 at 14:23

    Não posto mais. Agradeço a que pediram a minha volta (*), mas é difícil discutir tendo que medir cada palavra e cada sentença que for postada. Eu gosto de participar com sinceridade e com interlocutores adultos e sem nenhum tipo de complexo de inferioridade.

    É difícil fazer qualquer tipo de crítica ou comentário a um brasileiro. É um povo sem qualidade que não consegue separar o técnico do pessoal.

    (*) O e-mail que utilizo como marcador no forum não é meu. Eu ainda leio de vez em quando.

    0
    • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 16:23

      Seja bem vindo! Apareceu uma outra opotunida de investimento do mesmo nível daquela do prédio sem escada e com garagem para asa delta. Lembrei e citei voce como um dos potenciais interessados em rachar de ganhar dinheiro.

      0
    • RPL 29 de fevereiro de 2012 at 19:11

      Ricardo,

      Não ligue para críticas.

      O Forum é para as pessoas colocarem as suas opiniões e as suas são as mais sensatas possíveis.

      0
    • Cai Cai Balão 29 de fevereiro de 2012 at 20:06

      Ricardo, eu fui um dos que fez coro pela sua volta. Por concordar com outros foristas do blog quanto à relevância das suas posições, eu mesmo, outro dia desses, pedi que o Bolha intercedesse por nós, enviando-lhe um e-mail para solicitar o seu retorno.

      Devo consignar que não concordo com tudo o que dizes. Marquei seu nome quando você propôs um “apartheid” entre moradores de bairros, como bem destacou Luiz num comentário postado agora há pouco. Achei aquilo um completo absurdo, mas, em face da maneira como você expôs o seu posicionamento e organizou as suas idéias, passei a prestar mais atenção às suas postagens.

      Imagino que já tenhas vivido muita coisa e estudado um bocado. Espelho-me em pessoas como você para defender as minhas convicções, seja escrevendo ou falando, daí o meu prazer em ler tudo o que você comentava, independente de concordar ou repudiar.

      Tenho que esses pequenos desentendimentos são naturais e até saudáveis. Essa diversidade de pensamentos nos ajuda a sair daqui mais fortes, tanto no conteúdo como na forma. Daqui eu tiro forças para resistir às tentações do mercado, ao passo em que extirpo do meu vocabulário quaisquer vícios que me façam parecer “alguém pobre querendo falar bonito”, ou mesmo um “vigia de estacionamento”.

      Aqui, falo pouco ou quase nada. Sou Bel. em Direito e os meus rudimentos em Economia em nada influenciaria convicções como as suas, as do MrK, do Anonymous e muitos outros que engrandecem o conteúdo desse blog. Devo ser o único nortista a comentar por aqui, única razão pela qual faço questão de repercutir as minhas impressões quanto ao absurdo mercado imobiliário de Belém/PA, a fim de reforçar a tese de que a bolha é inflada em âmbito nacional.

      Fico triste em ver novamente, e dessa vez tão cedo, a sua despedida. Quem acompanha o blog há pelo menos 2 meses já presenciou essa cena antes. Isso me faz crer que esse seu novo rompante (que beira o estrelismo) não se deu em virtude tão só do singelo desentendimento com o colega DRN. Você já está de saco cheio desses fori e não quer despender tempo com isso aqui. Pronto.

      Não me sinto confortável em ser corrigido, principalmente quando erro feio, mas me esforço para engolir seco, agradecer e evitar o equívoco novamente. Sou muito jovem e ainda me resta muito a aprender com pessoas como você. Quanto ao colega, pergunto: você tem alguma dúvida que o DRN nunca mais usará o termo “gramatura”, seja no uso coloquial, seja em suas peças processuais?

      Eu também não. Contar que ele agradeça humildemente, é outra estória.

      Bem, é uma pena que te vás. Mas, se isso te faz mal, não pedirei que fiques, tampouco que voltes.

      Bolha, por gentileza, solicito que intermedeie o meu contato com Ricardo Eng, trasmitindo-lhe o meu endereço de e-mail. Ricardo, se for conveniente, entre em contato comigo, gostaria de saber o que você tem lido. Forte abraço e até mais.

      0
      • Cai Cai Balão 29 de fevereiro de 2012 at 21:10

        Saiu no lugar errado (isso acontece com frequência né, Bolha?).

        *onde se leu fori, leia-se “fora”.

        0
        • Bolha Imobiliária 29 de fevereiro de 2012 at 23:27

          O problema é do wordpress, não posso me responsabilizar por isto…

          0
      • Ricardo Eng 29 de fevereiro de 2012 at 21:42

        Fala Balão,

        Agradeço o apoio. Eu continuo lendo de vez em quando, apenas prefiro não postar.

        Agradecer por uma crítica é desnecessário. O problema é responder de forma pouco elegante, ficar falando que os outros “estão botando pilha”, como se fosse uma pessoa extremamente importante ao ponto de ser perseguida nos mais distantes pontos da internet.

        Já fui corrigido diversas vezes em diversos forums e nunca tive uma atitude dessas. Você está certo que, em partes, existe uma rejeição por parte do forum como um todo. Muitos se incomodam com pessoas como o Etsmo mas considero que ele é um dos menores problemas daqui. O cara é meio insano mas pelo menos é educado e, principalmente, não é infantil.

        Acho que o oba-oba do “estamos certos” está deixando algumas pessoas cegas. Até um relógio quebrado está certo duas vezes ao dia. É preciso coerência, educação e maturidade além de falar isso e aquilo sobre bolhas, ativos e preços.

        Eu tentei dar uma voltada mas já pisei no calo de uns e outros e a reação me incomoda. Eu sinceramente prefiro ser ignorado do que ter que ficar acalmando pessoas sensíveis. E o lugar anda recheado de sensibilidades.

        []s

        0
        • Bolha Imobiliária 29 de fevereiro de 2012 at 23:26

          Ricardo

          Não esquente a cabeça com comentários inúteis e provocações. Infelizmente procuro ser democrático, e deixar todo mundo comentar, mas depois tenho que sair moderando o pessoal para evitar intrigas…Faz como o Mrk, ignore-os

          0
  • DRN 29 de fevereiro de 2012 at 14:35

    Nem tanto ao mar, nem tanto ao céu. Há muito material excelente no blog, mas não creio que a coisa esteja resolvida. O contraditório é que permite melhorar as idéias. Os negócios continuam sendo fechados por preços altos (eu mesmo revisei dois compromissos de compra e venda só na semana passada). Não dá mesmo para confiar 100% nas previsões catastróficas porque NÃO temos os dados. Muitos já mostraram cálculos bastante razoáveis aqui, mas, em todos eles, os dados são presumidos. Acho que estamos ignorando, por exemplo, o custo da construção, quer quanto a materiais, quer quanto a mão-de-obra. Tudo bem, nisso aí também há compras de terrenos por valor muito alto pelas construtoras, os quais são repassados aos consumidores no preço final do apto.

    Eu sou dos que acredita em que a bolha vai murchar, e não explodir, dado que: as construtoras pararam de lançar (percepção minha em São Paulo-SP), a inflação está comendo solta (desvalorização real) e os juros estão baixando. Quem sabe, no futuro, não vão apontar este blog como um dos fatores que ajudou a bolha murchar, em vez de explodir, por disseminar a informação de que os preços estavam muito altos?

    Também acho difícil ficar estabelecendo o valor justo do imóvel com base em 200 vezes o valor do aluguel, como se premissa “0,5% de poupança” fosse uma verdade da natureza (como a força gravitacional). O argumento de que é preciso haver pessoas com renda suficiente para comprar os imóveis é muito forte, concordo. Todavia, mais uma vez, não há dados. Os do IBGE não servem porque não captam o Caixa 2 que existe no país.

    Apesar de eu discordar do PLOC catastrófico, só não me criticaram até agora por milagre e porque eu sempre faço a ressalva: “olha, os preços estão bolhudos; quem comprou para especular sem ter capital vai ter de vender no prejuízo; etc”.

    O meu ponto, em suma, é que, diante dessa incerteza, não devíamos “bater” no cidadão só porque ele discorda. O contraditório é que permite melhorar as idéias.

    Parece que o professor do Trading Café vai escrever sobre o assunto e espero que o Bolha abra um post com o texto.

    0
    • john 29 de fevereiro de 2012 at 15:35

      Eu era um dos que achava que a bolha iria murchar, até ver queda nos preços e estagnação das vendas. Ainda não acredito em catástrofe mas que pode cair mais, pode! Entretanto, tem que analisar cada situação: localização do imóvel, tipo de imóvel, infraestrutura, etc. São muitas variáveis. Em Brasília vejo muito espaço para queda de preço, principalmente quando começarem a entregar os aps no novo bairro classe alta que estão constuindo (Noroeste), mas a queda vai depender também da quantidade de “investidores” e da quantidade de gente que vai ter bala na agulha para manter as prestações em dia, afinal os apartamentos são caríssimos.

      0
      • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 15:47

        DRN, o colapso só não ocorrerá se o governo arquitetar um sistema de socialização das perdas com efeitos nefastos para estrutura produtiva nacional que poderá nos levar a anos de estagnação.

        Neste caso, quem explode são os [email protected]
        Taí as eleições deste ano pra gente começar a medir isso.

        0
        • Frank 29 de fevereiro de 2012 at 16:20

          “Neste caso, quem explode são os [email protected]

          depende, será uma “escolha de sofia”….

          se eles deixam a coisa estourar (se vier mesmo a despencar…), podem se queimar politicamente no curto prazo.

          se socializam as perdas, de forma bem feita e dissimulada, podem criar uma cortina de fumaça q ainda escamoteie a verdade por alguns anos.

          alguns instrumentos de socialização do estouro são bem sutis e podem ser vendidos como benesses:

          – não incidência de IR sobre financiamento
          – negociação com bancos para alongarem a dívida em troca de uma facilidade qq
          – etc.

          0
          • Annibal 29 de fevereiro de 2012 at 16:30

            hehehe…- não incidência de IR sobre financiamento é sutil como um chute no sa#$%co…

            0
          • Revoltado 2 de março de 2012 at 11:10

            Eu acho realmente que nã há saída, a inflação é galopante.

            0
    • Frank 29 de fevereiro de 2012 at 16:15

      sua avaliação é muito equilibrada, como de resto suas intevenções.

      eu prefiro não palpitar muito sobre o q vai ocorrer.

      a única certeza q tenho é q há um descompasso tremendo entre renda “legal” e preço (anunciado, não negociado) de imóvel.

      ressalva q faço na mesma linha da sua: existe uma difereça entre renda “legal” e renda realmente existente, pois há diversos meios e razões para indivíduos ocultarem renda no Brasil (desde o $$ criminoso puro-sangue, a uma inofensiva elisão fiscal).

      uma cidade como o RJ, por exemplo, é destino tradicional de $$ ilegal – seja de atividades tradicionais na cidade (jogo do bicho, tráfico de drogas), ou de negócios excusos do mundo da política ou até mesmo bandidagem internacional.

      outro dia estava vendo uma matéria na Veja Rio (é de alguns anos atrás, mas ainda na década de 2000) q identificava proprietários de apartamentos na orla de Ipanema – Leblon.

      a categoria profissional q apareceu com + frequência não foi nem empresário, nem ator da globo ou medalhão da MPB, mas a de – ooohhhh ! – político brasileiro (de outras praças, a maioria nem tinha carreira política na cidade)…

      0
      • DRN 29 de fevereiro de 2012 at 17:19

        Concordo contigo. Se gritar pega ladrão, não sobra um, meu irmão. Aí/lá no Rio (e em BSB também) a coisa tomou proporções piores do que no resto do país.

        0
    • Shakespeare 29 de fevereiro de 2012 at 16:21

      DRN,

      Sou um dos que mais defende o direito do contraditório e incentivo que as opiniões divergentes sejam postadas, analisadas com respeito à posição de quem as escreveu e respondidas dentro do possível.

      Reconheço que ainda existem negócios sendo feitos, mesmo com esses preços absurdamente altos, mas o que o mercado está demonstrando é que estão ocorrendo cada vez em menor número.

      O preço do m2 de construção é medido pelo INCC e este aumentou por volta de 1/3 do valor dos imóveis, o que dá mais pistas de uma bolha formada. O preço dos terrenos ajudou a inflar o preço, mas os custos da construção não foram o fator primordial. Logo a hipótese da especulação atrelada à migração dos investidores do mercado de capitais para o mercado imobiliário parece realmente ser a mais forte.

      Realmente, como já foi levantado por alguns aqui, faltam dados confiáveis para se fazer previsões precisas, mas tanto em Engenharia quanto em Economia, existe a possibilidade e se estimar, com razoável grau de acerto, com base em estimativas e isso não é motivo para se descartar totalmente os cálculos. Pode se fazer uma análise da variação de cenários (mais pessimista e mais otimista) e ter um horizonte de tendências. Vai ser um gol? Provavelmente não, mas vai ser um chute em direção ao gol do adversário, muito melhor do que chutar para qualquer lado e correr o risco até de acertar o próprio gol. Como no caso dessa partida o gol marcado não é o principal, vamos lembrar do chute do meio de campo do Pelé na Copa de 70, em que quase acertou o gol e é lembrado até hoje, no caso aqui se a gente der esse chutão e passar raspando na trave, certamente seremos lembrados por muitos anos 🙂

      Por fim, gostaria de de dizer a respeito da taxa da Poupança. Existe um conceito que é valido sim de que quanto maior o risco, maior o bônus, e a taxa de menor risco é considerada básica e qualquer rendimento inferior a ela, algo totalmente sem sentido do ponto de vista de um investimento. Então a questão do preço justo ser 200 vezes o dos aluguéis se sustenta baseado em que:

      1) O mercado de aluguéis tem uma dinâmica distinta do de compra e venda, por não ser afetado por oferta generosa de crédito e por haver livre concorrência
      2) Se eu posso comprar um bem por um valor x ou alugá-lo por um valor inferior a x/200 é preferível deixar X aplicado na taxa básica de menor risco e pagar o aluguel.

      Espero ter colaborado para explicar e não complicar 🙂

      Abs

      0
      • Shakespeare 29 de fevereiro de 2012 at 16:48

        desculpe-me pelo “estimar … com base em estimativas”, foi mal! 🙁

        leia-se “estimar com base em dados presumidos”, mas lembrando que são dados coerentes e analisados com rigor, não simples palpites.

        0
      • DRN 29 de fevereiro de 2012 at 16:50

        Shakespeare, estou de acordo com a bolha. Meu ponto é a questão estourar vs murchar. Há o fator “intervenção governamental” também, lembrado por outros do blog. Quanto à poupança, meu ponto é que (i) isso é jabuticaba e (ii) não acho que imóvel seja investimento, mas, sim, custo. O valor do aluguel, por ser muito mais dependente da renda das pessoas, pode não representar o custo (terreno, materiais, mão-de-obra, tributos, lucro, etc.) de um apartamento novo. Na hora de decidir comprar ou alugar, tem de por no balança outras coisas, como risco de quebra do banco ou de confisco do dinheiro, impenhorabilidade dos bens de família, etc.

        Mas, enfim, viva o debate saudável. Saudações.

        0
      • Fernando II 3 de março de 2012 at 23:56

        Shakespeare, gostaria de fazer algumas consideracoes sobre investimentos. Antes de mais nada, quero deixar claro que concordo com a ideia geral de custo de oportunidade.
        No entanto, existem alguns pontos importantes sobre o que disse:
        “Por fim, gostaria de de dizer a respeito da taxa da Poupança. Existe um conceito que é valido sim de que quanto maior o risco, maior o bônus, e a taxa de menor risco é considerada básica e qualquer rendimento inferior a ela, algo totalmente sem sentido do ponto de vista de um investimento. Então a questão do preço justo ser 200 vezes o dos aluguéis se sustenta baseado em que:

        1) O mercado de aluguéis tem uma dinâmica distinta do de compra e venda, por não ser afetado por oferta generosa de crédito e por haver livre concorrência
        2) Se eu posso comprar um bem por um valor x ou alugá-lo por um valor inferior a x/200 é preferível deixar X aplicado na taxa básica de menor risco e pagar o aluguel.”

        meus comentarios:
        – do ponto de vista de um investimento, um rendimento inferior a taxa de menor risco, ou livre de risco como na literatura (rf = risk free = poupanca, treasury, t-bill, …) tem sentido sim porque pode ser vista como um seguro. quando contrata um seguro para o carro, por exemplo, o rendimento medio (ou esperado) eh negativo. quando ocorre o evento (sinistro) o seguro tem rendimento altamente positivo, mas somente quando ocorre. Portanto, se alguem encara imovel como seguro, pode aceitar um rendimento abaixo de rf. Sabemos que a maioria dos compradores nao tem esse raciocinio mais sofisticado de seguro, mas que na pratica espera ser compensado com ganhos de capital, i.e., com a valorizacao do imovel o que torna o tempo seu inimigo (carry negativo) porque a cada mes que passa seu
        custo de oportunidade ($) aumenta.
        – eu acredito que o mercado de aluguel tenha uma dinamica indiretamente atrelada ao mercado de credito imobiliario porque estamos falando do mesmo mercado: imoveis. Precisamos morar em algum lugar, proprio ou alugado. Se tem muita oferta de credito fica teoricamente mais facil comprar e por isso o preco do imovel fica mais caro pra comprar do que pra alugar e vice-versa.
        Como disse no comeco, acredito na ideia de custo de oportunidade e que o mercado tende a buscar um equilibrio no LP, mas no CP podemos ver os precos do aluguel abaixo da taxa da poupanca enquanto o comprador achar que os precos vao subir mais rapido do que o custo de oportunidade proveniente da diferenca da taxa de juros basica (rf) e a taxa do aluguel/valor do imovel.
        Um abraco!

        0
  • FF 29 de fevereiro de 2012 at 14:37

    Mara Luquet e Sardenberg hoje discutiram sobre u realizar os lucros do imóvel para viver de aluguel.
    Notem que no final da conversa o Sardenberg fala que eles terão que voltar nesse assunto devido ao volume de emails e mensagens que estavam chegando. Nenhuma novidade no comentário deles em relação ao assunto, dentro daquilo que se espera do posicionamento da grande mídia, apesar de o próprio Sardenberg mencionar a diferença que pode estar havendo entre o preço de negociações e o valor do ativo. Dá para ver que é o assunto do ano de 2012.

    0
    • Victor 29 de fevereiro de 2012 at 14:50

      Onde eu vou vejo alguém falando sobre a bolha imobiliária ou como os preços de imóveis estão surreais e que irão cair. Depois de muita experiência na bolsa posso dizer que quando todo mundo fala para comprar é porquê vai cair, quando as pessoas falam que vai cair é porquê já é tarde demais. Sempre tem gente que compra no valor mais alto, se não comprasse a cotação não chegaria lá, mas isso não é sinal de que não vá cair ou mesmo desabar. Agora se é Ploc ou correção, não sei, depende de como o governo nomear o tema, os valores podem desabar 40%/50% e provavelmente o governo dirá que é apenas uma correção, já esperada, que não há nada para se alarmar.

      0
  • Fabio 29 de fevereiro de 2012 at 15:39

    Desemprego em 7 regiões metropolitanas sobe a 9,5% em janeiro

    SÃO PAULO – A taxa de desemprego no conjunto das sete regiões metropolitanas pesquisadas pela Fundação Seade e pelo Dieese subiu para 9,5% em janeiro ante 9,1% em dezembro. Em janeiro de 2011, a taxa de desemprego estava em 10,4%. No mês passado, o contingente de desempregados foi estimado em 2,111 milhões de pessoas, 104 mil a mais que em dezembro. A pesquisa é feita nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e Distrito Federal.

    O rendimento médio real dos ocupados subiu 0,4% em dezembro ante novembro e passou a valer R$ 1.458,00. Em relação a dezembro de 2010, o rendimento caiu 1,2%. A massa de rendimento dos ocupados aumentou 0,9% em dezembro ante novembro e ficou praticamente estável em relação a dezembro de 2010, com variação de 0,2%.

    São Paulo

    A taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo (RMSP) subiu para 9,6% em janeiro ante 9% em dezembro. Em janeiro de 2011, o desemprego estava em 10,5%. No mês passado, o contingente de desempregados foi estimado em 1,037 milhão de pessoas, 69 mil a mais que em dezembro.

    O rendimento médio real dos ocupados na região metropolitana de São Paulo cresceu 0,6% em dezembro na comparação com novembro e passou a valer R$ 1.591,00. Em relação a dezembro de 2010, o rendimento médio real dos ocupados caiu 1,9%. A massa de rendimento dos ocupados subiu 0,6% em dezembro ante novembro, mas caiu 0,9% ante dezembro de 2010.

    h t t p : / / economia.estadao.com.br/noticias/economa brasl,desemprego-em-7-regioes-metropolitanas-sobe-a-95-em-janeiro,104426,0.htm

    0
  • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 16:00

    BOLHA

    SUGESTÃO DE NOVO POST

    A bolha? Ninguém a viu – Jornal de Negócios – Portugal
    28 Fevereiro 2012 | 23:30
    João Cândido da Silva – [email protected]
    http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=541305

    Mostra como é quando a bolha tá explodindo, tem toda uma negação em volta

    0
  • Carlos Wagner 29 de fevereiro de 2012 at 16:17

    Alta dos preços de alugueis em Taubaté

    Coma entrega de varios empreendimentos aqui na cidade no ultimo bimesntre/2011 e primeiro bimestre/2012, os alugueis foram reajustados conforme os preços praticados na venda.

    Vejamos:
    Apartamentos para venda num empreendimento com 3 suites, custando 650 mil = aluguel 5k + 850 condominio + IPTU. (recem entregue)

    Apartamentos com 110m² entregues a quase 1 ano, predio com menos de 30% de ocupação, venda em 350 mil = Aluguel 2200 + 650 condominio + iptu. Detalhe, no mesmo empreendimento há anuncios de aptos para locação por 1500 e continua fechado, mesmo após 1 ano.

    Aptos no meu condominio 3dorm, 75m², alugados em fev/2011 (meu caso) na faixa de 900 a 1200k estão agora sendo reajustados para 2000k, valor da venda 300 mil, há 4 anos custava 89 mil. Há caminhão de mudança todos os dias, ha pelo menos 2 meses, no meu condominio, muitos aptos vazios devido a alta dos alugueis.

    3 torres de aptos com 4 suites, 250m², valor para venda 1250 milhões, são 20 andares por torres com 2 aptos por andar. Aluguel 5500 + 650 condominio + iptu.

    Resultado: Conforme os novos aptos estão sendo entregues, os preços estão sendo propostos devido a nobreza do empreendimento enquanto os demais imoveis aproximam seus preços daqueles.

    Vendas? Ninguem ta vendendo nada. Agora a briga é tentar ganhar no aluguel o maior rendimento possivel que aproxime-se da mais conservadora renda fixa.

    Vamos ver se taubaté, cidade composta por operarios, trabalhadores do comercio e estudantes vai suportar esses preços absurdos.

    Quer pagar 1000 de aluguel + condominio de 300 + iptu? vai morar com as baratas!

    0
    • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 16:53

      5 mil de aluguel em taubaté?
      nem fodendo

      conta aí os diretores da Ford, da alstom, de meia duzia, depois diuvide pelo numero de casas e apês de alto padrão. nem sonhando. nem nos contos do monteiro lobato

      0
      • Carlos Wagner 29 de fevereiro de 2012 at 17:05

        Hehe

        Eu alugo meu apto por esta imob. Vejam ai os imoveia pra locação deles, 3 mil de aluguel aqui é igual carne de vacam tem em todo lugar. Qualquer um pode pagar 3 mil em taubaté.

        h t t p : / / w w w . francoimoveis.net/

        Olhando a parte de locação, muitos poderão constatar o padrão dos apartamento oferecidos aqui por 5 mil. São otimos imoveis comparados a outras localidades bolhudas, mas o fato é que a região nao suporta esses preços, não há renda na cidade para absorver isso.

        0
        • A citizen from Republic of Banânialand 29 de fevereiro de 2012 at 18:59

          Nossa, então posso dizer que estou pagando mixaria em Ribeirão Preto.
          Aqui, por 2,5k, você mora na melhor região da cidade, em um apartamento muito show.
          Eu negociei esse ano e estou pagando 1,2k num de 3quartos, suíte, sacadas em todos eles, 2garagens, na zona sul (que é a melhor), mais 280,00 de condomínio. Prédio de uns 10 anos em excelente estado.
          Não sabia que Taubaté estava com essa bola toda.
          Abs

          0
          • Carlos Wagner 29 de fevereiro de 2012 at 20:12

            Ai é que está, Taubaté não está com essa bola toda não. Porém, os imoveis aqui são os mais caros da região do vale do paraiba, superando até mesmo Sao José dos Campos, capital do vale.

            Pra quem nao conhece, Taubaté é onde tem o prefeito mais corrupto do Brasil, preso recentemente e sua esposa eleita a primeira dama da corrupção, é a cidade mais violenta do vale em homicidios e 2 mais violenta do estado de SP. Furtos e roubos de veiculos cresce 10% ano ano aqui e os seguros encarecem vertiginosamente. Há uma epidemia de usuarios de crack na cidade e o trafico dominou as principais praças tanto do centro quanto dos bairros. Se voce vier a Taubaté e não for assaltado, lembre-se: Voce não desfrutou de todo potencial que a cidade tem a lhe oferecer.

            Assim é taubaté, uma cidade que ja foi otima pra se viver, mas hj é um lixo.

            0
          • Frank 29 de fevereiro de 2012 at 21:56

            “A citizen from Republic of Banânialand”

            hahaha

            essa foi ótima.

            para aumentar o ar solene, eu diria “A distinguished C class citizen from Republic of Banânialand”

            0
            • A citizen from Republic of Banânialand 29 de fevereiro de 2012 at 22:23

              Que pena que Taubaté está assim, pois a via como uma cidade charmosa.
              Enfim…interessante que estamos falando de cidades paulistas. Eu sou de Curitiba, mas já saí de lá faz alguns anos.
              Hoje, em Ribeirão Preto, sinto que é uma cidade onde a bolha não está tão inflada em todas as categorias de imóveis. Há uma distinção. Não sei se em outras grandes cidades também está assim.
              Por aqui, os imóveis usados, mas em ótimo estado de conservação e nas melhores regiões, estão com valores razoáveis, ou melhor, valores negociáveis. Vejo casas e apartamentos muito tentadores, e quase todos muito bem mobiliados e acabados. E outra, é inegável que esses imóveis, com mais de 05 anos de idade, têm qualidade melhor. Comparo, p.ex., o que estou morando atualmente (uns 10 anos) e o que eu morava anteriormente (uns 2 anos). São similiares. Mas, no prédio mais novo, se o vizinho de cima ligasse a torneira, eu escutava. No prédio atual, parece que não há vizinhos em cima (mas há).
              Pois bem. Aqui na Califórnia brasileira…rsrsrs, o problema está nos lançamentos “faz-de-conta que eu sou burguês”, vale dizer, uns apartamentinhos ou sobrados sem vergonha, com material que, nitidamente, é sem vergonha, em que jogam uma piscininha que mais parece um coxo para o gado beber água, e cobram o olho da cara.
              Ah, sem armários, no contrapiso, faltando pintura, iluminação etc, como de costume.
              E, por onde passo, vejo a alta quantidade de imóveis deste estilo, todos vazios.
              Só um louco para comprar, no meu modesto ponto de vista.

              0
    • Shakespeare 29 de fevereiro de 2012 at 17:06

      Carlos,

      Não existe linha de crédito para pagamento de aluguéis e se alguém está se endividando no banco para pagar aluguel deveria estar sendo internado em um hospício.

      Sendo assim, ou as pessoas estão se apertando para pagar esses valores ou vão procurar alternativas mais baratas, forçando a demanda para baixo e a consequente queda dos preços, pois o locador perde dinheiro com o apartamento fechado e dando despesas (IPTU, condomínio, etc.)

      Assim, esses preços bolhudos só se sustentam no caso dos “investitolos” que ficam na ilusão de que o mercado irá pagar o preço inflado só porque existem pessoas que ainda estão comprando nos preços praticados atualmente. O mercado de aluguéis tem um outro mecanismo… até entendo que depois de vencido o contrato o locador possa exigir uma equiparação aos preços de mercado e os locatários, por medo, conveniência ou falta de opção, estão se apertando para conseguir pagar, mas isso não se sustentará e podem começar a haver inadimplência, devoluções de imóveis, convulsão social…

      0
      • Carlos Wagner 29 de fevereiro de 2012 at 17:16

        Concordo plenamente com voce.

        Agora os imoveis estão sendo entregues. Imoveis estes considerados de alto padrão pela sociedade taubateana, afinal aqui só tinha lixo até 2007, qualquer coisa é alto padrao pra caipirada daqui. Não é exagero, acreditem!

        Acontece que estes investitolos, agora com um imovel de alto padrao nas maos, vão querer alugar pelo maximo que o mercado está disposto a pagar e é isso que estão fazendo: testando o mercado com esses preços.

        Fato: Venda para realizar o lucro esperado não vai acontecer. Então, testar a receptividade do maior aluguel possivel no mercado é a solução para diminuir o prejuizo.

        Mais alguns e a realidade aperecerá. Algumas perdas mais com condominio, IPTU e prestações do financiamento aliado ao não recebimento de nenhuma renda por parte do investimento vai fazer eles cairem na real.

        Acredito piamente que esta é a ultima batalha antes da ressaca do mercado.

        0
        • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 17:39

          nã tem como Carlos, taubaté é uma região relativamente segura, o condominio não tem o memso apelo, se eles forçarem a barra o cara vai pra Quiririm, nem é tão longe, nem tem tanto transito.

          Outra coisa: apartamento é apartamento, nunca será alto padrão em cidades horizontalizadas. Em taubaté alto padrão é casa. E ponto final. Se sentir falta da piscina vai ver como é barato a mensalidade do TCC, cabe a cidade interia naquela piscina.

          0
          • Carlos Wagner 29 de fevereiro de 2012 at 17:48

            Luiz

            É isso mesmo. Voce conhece Taubatexas?

            0
            • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 18:24

              tbm conheço TT

              outra coisa, quem prefere apê, escolhe pela boa localização dos edificios normalmente em areas mais densas com toda a infra e comercio por perto.

              Tté conseguiu a proeza colocar os seus edificios no meio do nada, parece até a barra, mas sem praia, a praia é o shopping que vive entupido de carros, mas longe demais pra ir a pé.

              Premio orelha de burro pro planejamento da cidade

              0
        • Annibal 29 de fevereiro de 2012 at 17:45

          Carlos,

          Como eu havia dito antes, eles não estão simplesmente testando o mercado, estão tentando deliberadamente colocar nas mentes das pessoas q este é o valor justo, de forma uniforme e combinada, da mesma forma q foi no boom de vendas… vc tem q por p/ alugar por x, pois seu vizinho tbm colocou… porém, no aluguel, as coisas não se comportam exatamente como nas vendas…

          É a última resistência do mercado, não do governo, pois este ainda pode se queimar um pouco mais…

          0
  • rsmrsm 29 de fevereiro de 2012 at 16:24

    Engraçado que nos anúncios do ZAP tem agora um “denuncie esta oferta”.

    Será que foi alguém aqui da bolha que pediu para colocar ???

    0
  • Muca CG Muita Treta 29 de fevereiro de 2012 at 16:25

    Reparei em duas coisas nesse fim de semana. Estive em Santos, em um bairro próximo à rodoviária (não sei o nome) tem um prédio com placas que informam as datas de conclusão de cada andar (será que eles entregariam um andar, a pessoa mudaria, e continuariam construindo?). Do primeiro ao décimo, a previsão era que o término fosse entre outubro e dezembro de 2011. Mas ainda estão em construção. Imagina os demais.

    Ah, outra coisa: tem uma construtora (não sei o nome) anunciando no metrô de SP que presenteará com toda a linha branca quem comprar um imóvel dela. Desespero pouco é bobagem.

    0
  • Etmso 29 de fevereiro de 2012 at 16:36

    Onde chegamos:

    Um casal com 3200 Euros por mês (2 aposentandos pelo teto do INSS), vive no padrão classe média alta em uma capital europeia (exceto Londres, Zurich e Paris).

    Moradia 1200 euros (apart ou flat ).

    Alimentação, um restaurante excelente para um casal saí na média de 20 euros, 2 refeições por dia 40 euros x 30 dias = 1200 euros

    Contigência para viagens, lazer, seguro médico, vestuário, 800 euros.

    No Rio, SP:

    Flat, 3500 mil reais;

    Alimentação 30 dias x 60 = 1800;

    Contigencia = 1800;

    Total 7100, 3115 euros.

    É melhor ser aposentado do INSS e morar na Europa dq no Brasil.

    0
    • Frank 29 de fevereiro de 2012 at 22:00

      isso é uma maluquice.

      o câmbio não captura adequadamente diferença de preços de intens não transacionáveis (serviço é o exemplo de manual), mas esse patamar bizarro diferenças é claramente uma distorção q cedo ou tarde será corrigida ou ao menos reduzida

      resumo: ajuste de cambio à vista ….como na bolha, não se sabe ao certo qdo…

      0
    • Revoltado 2 de março de 2012 at 11:57

      Comer em restaurante excelente por 10 euros a pessoa??

      Quero saber onde é esse lugar, pq estive na europa por 4 meses e não vi nada disso.

      Claro que é possível comer em lugares baratos por menos de 10 euros (tipo em MC Donalds),
      mas a alimentação em geral não é barata.

      Com 10 euros você toma um bom café da manhã.

      E só.

      0
  • Carlos Eduardo 29 de fevereiro de 2012 at 17:43

    http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/mara-luquet/MARA-LUQUET.htm

    é tão ridiculo que dá vontade de rir!

    a Mara assusta a pessoa que tem interesse em vender a tua casa para poder viver de aluguel, pois a pessoa acha que ja valorizou o maximo que podia!

    haha

    0
  • Carlos Eduardo 29 de fevereiro de 2012 at 17:51

    obrigado pela correção !

    0
  • Cirilo 29 de fevereiro de 2012 at 18:07

    Ricardo, suas participações eram sem dúvida uma das melhores, com comentários bem escritos e concisos.

    Não deixe de postar, você agregava demais aqui.

    0
    • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 18:27

      Tbm adorava o ricardo, o post em que ele defendia o apartheid fez a proeza de me colocar ao lado dos [email protected]

      0
  • MrK 29 de fevereiro de 2012 at 18:34

    gente viram a gafisa? a maior alta da bolsa disparado!!

    ih pera aí… o computador ta de cabeça pra baixo…

    e não é pontual não, assim como nos últimos pregões o setor todo tá caindo junto, a gafisa hoje está liderando somente por conta da realização de lucro em cima dos bobos que acreditaram que o sam iria comprar (hahah deve ter oferecido 50 reais e um saquinho de alfafa pelos ativos)…

    desde que essa historia de venda surgiu eu falei que tava soando estranho, pois a empresa deveria vir a publico TÃO SOMENTE se for pra NEGAR ou se tiver uma proposta firme e concluída, nao existe empresa vir a publico pra dizer que “está sendo cogitado…” ta parecendo time de futebol em pré-temporada… ou seja, os bobos compram caro e depois os espertos dizem “ah desculpa, nao fechamos o negocio”, e o pessoal fica com o mico na mao, é um crime isso!!

    0
    • Luiz 29 de fevereiro de 2012 at 18:59

      só pra te enfatizar a GFA não é uma cosntrutorazinha qualquer como muitos aqui querem fazer parecer. É construtora grande, com nome e fama, cotada na bolsa de SP e na bolsa de NY.

      É umas das 15 do indice IMOB
      A GFA não é exceção, é indicio do ramo.

      0
  • alda 29 de fevereiro de 2012 at 20:03

    Mateia que sail em HISTOÈ independente

    Chegou a hora de baixar os preços?
    Alta recorde do valor dos imóveis coloca apartamentos das metrópoles brasileiras entre os mais caros do mundo e já provoca um efeito indigesto: a queda no ritmo de vendas. Não é o momento de mudar esse cenário?

    Nos últimos anos, comprar um imóvel passou para a lista de prioridades de muitas famílias brasileiras. Emprego em alta, aumento da renda, expansão do crédito e uma enorme demanda reprimida construíram o cenário dos sonhos de qualquer incorporador. Desde 2009, a cidade de São Paulo viu nascer mais de 90 mil novas residências, marca muito acima das projeções dos empresários do setor. Com o mercado aquecido, os preços seguiram uma impressionante escalada. Segundo o Ibope Inteligência, entre abril de 2009 e outubro de 2011, o valor médio do metro quadrado de imóveis novos subiu 85% na capital paulista. Detalhe interessante: no mesmo período, a inflação foi de 14%. “Sabíamos que não estávamos vivendo uma realidade duradoura”, afirma Marcos França, diretor comercial da construtora Requadra, que pouco tempo atrás vendeu as 256 unidades de um de seus empreendimentos em apenas duas horas. Hoje em dia, é comum encontrar apartamentos de classe média (três dormitórios em bairros sofisticados) que custam mais de R$ 1 milhão. “O mercado está testando até onde vai o ponto de resistência do consumidor”, diz Antonio Carlos Ruótolo, diretor de geonegócios do Ibope. Alguns indicadores revelam que esse ponto máximo parece ter chegado. De acordo com dados do Sindicato da Habitação (Secovi-SP), nos oito primeiros meses de 2011, as vendas de imóveis em São Paulo recuaram 24%.

    A psicóloga Ana Paula Carta Correia e o engenheiro Carlos Pinto se surpreenderam ao procurar o primeiro imóvel. “Os preços estão inviáveis”, diz Ana Paula. Casados há um ano e meio, eles moram em um apartamento alugado na Gávea, bairro central do Rio de Janeiro. A busca do casal recebeu um empurrão quando o locatário colocou o imóvel à venda. O apartamento, que tem dois dormitórios e mede 80 metros quadrados, valia R$ 450 mil há dois anos. Agora, está cotado em R$ 800 mil. O casal procura imóveis avaliados em até R$ 650 mil, mas a busca tem sido em vão. Mesmo dispondo de uma boa soma de recursos, eles não conseguem encontrar nada muito interessante. “Se não der certo, vamos ter de desistir e continuar morando de aluguel até juntarmos mais dinheiro.” No Rio, a disparada de preços também foi motivada pela Olimpíada de 2016, que tem valorizado imóveis localizados principalmente nas regiões nobres. Apenas nos últimos seis meses, o valor do metro quadrado de imóveis novos subiu 18% na cidade. Nos edifícios comerciais de alto padrão, o metro quadrado da locação no Rio supera cidades como Nova York e Madri, segundo levantamento da Cushman & Wakefield (leia quadro).

    “A alta dos preços não foi artificial, pois havia uma demanda
    reprimida, mas alguns valores estavam além da realidade”
    Francisco Diogo Magnani, presidente da MZM Construtora
    “O que se vê é o ápice de um movimento de 15 anos”, afirma João Crestana, presidente do Secovi-SP. Segundo ele, os anos 90 foram uma década perdida para o setor imobiliário, período marcado por preços deprimidos e demanda tímida. “Os imóveis se readaptaram à nova realidade do Brasil”, diz Crestana. Significa, portanto, que os valores vão começar a cair? Não é bem assim. “Estamos muito próximos de um teto”, diz o executivo do Secovi. “A tendência é a estabilização.” Alguns empresários admitem que houve excessos. Presidente da MZM Construtora, uma das líderes do mercado paulista, Francisco Diogo Magnani afirma que a alta de preços não foi artificial, já que havia forte demanda reprimida, mas faz uma ressalva. “Alguns valores estavam além da realidade.” Para Newman Brito, diretor-executivo da Tecnisa, a queda de preços está longe de acontecer. “Uma desvalorização dos imóveis é totalmente impensável hoje no Brasil”, afirma o executivo. O que é certo é que alguns ajustes deverão ser feitos. A redução do ritmo de vendas provocou impactos negativos na cotação das ações das construtoras, que lideram as baixas do ano na Bovespa. As empresas, portanto, precisam mudar esse quadro. “Já não há mais razão estrutural, como aumento de custos da construção, para explicar a contínua alta de preços”, diz João da Rocha Lima Júnior, coordenador do Núcleo de Real Estate da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

    0
    • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 20:28

      O velho argumento de demanda reprimida ou preços que ficaram dormindo durante 20 anos e acordaram repentinamente.

      Lembrei do “Rip Van Winkle” – no século 18, deitou-se à sombra de uma árvore para cochilar e dormiu 20 anos. Quando acordou, seu país deixara de ser colônia inglesa, transformando-se em república. Ao voltar para seu povoado, achou tudo estranho: as construções não eram mais as mesmas, e as pessoas se vestiam e se comportavam de forma diferente.

      Note que AS CONSTRUÇÕES NÃO ERAM MAIS AS MESMAS … Será que estamos no Twilight Zone?

      0
      • Anonymous 29 de fevereiro de 2012 at 20:31

        Introdução do Twilight Zone (original dos anos 60)
        www . youtube . com/watch?v=NzlG28B-R8Y

        0
    • DanielCM 1 de março de 2012 at 00:49

      Só o meu salário é que não anda se adaptando à nova realidade do brasil, que esse Crestino fala.

      0
  • Sérgio 29 de fevereiro de 2012 at 20:11

    Jornal de Negócios – Portugal – 28 de fevereiro de 2012
    .
    A bolha? Ninguém a viu. (h t t p : / / w w w .jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=541305)
    .
    O mercado da construção e imobiliário português faz lembrar a velha história das bruxas. Pode não se acreditar nelas, mas lá que existem, existem. Na discussão sobre a existência de uma “bolha” no sector, ninguém admite o fenómeno. Mas o que não falta são manifestações de que ele anda por aí. E bem vivo.
    O mercado da construção e imobiliário português faz lembrar a velha história das bruxas. Pode não se acreditar nelas, mas lá que existem, existem. Na discussão sobre a existência de uma “bolha” no sector, ninguém admite o fenómeno. Mas o que não falta são manifestações de que ele anda por aí. E bem vivo.

    O pudor com que os peritos falam no tema chega a ser caricato, fundado numa espécie de prudência supersticiosa. Tal como falar numa recessão é tido como meio caminho andado para provocar uma, parece que, caso se fale na “bolha” imobiliária portuguesa, se correrá o risco de a fazer rebentar com um pouco mais de estrondo do que aquele com que se tem esvaziado, com alguma discrição, desde 2008. Há, ainda, a hipótese clássica. Um problema de que não se fala, não é um problema.

    Tudo seria fácil e simples se a observação da realidade e a crua frieza dos números não fossem mais fortes do que as ilusões que se tentam criar em seu redor. Há centenas de milhares de casas para vender em Portugal, fruto de anos a fio de furiosa aposta na construção nova e que alimentou os bolsos dos empreiteiros e os cofres das autarquias. O fácil acesso ao crédito a baixo preço alimentou o aparecimento de mais oferta, atraída pela valorização dos imóveis, e os bancos colocaram o pé no acelerador. O processo de crescimento da “bolha” colocou-se em marcha, mas ninguém o quis ver enquanto foi inconveniente para o negócio.

    A espiral teria de ser interrompida e seria apenas uma questão de tempo até se desfazer o mito, vulgar em Portugal, de que investir no imobiliário não tem risco. Ou o outro mito que garantia que uma casa se valoriza sempre, verdade assente em alicerces de geleia como muitas famílias já terão descoberto, mas que também não será estranha às empresas. Entre as imobiliárias, prevê-se que a falência bata à porta de mais de oitocentas nos próximos tempos. Entre as construtoras, a quebra de actividade foi tão radical que está abaixo daquela que o sector registou em meados dos anos 90.

    Na periferia das grandes cidades, onde a euforia do cimento deixou as marcas mais intensas, o valor de mercado das casas já registou quedas que chegam a 40%. Na área do financiamento à habitação e à construção estão dois dos focos de tensão mais graves sobre a saúde financeira dos bancos. Ao crédito mal parado, as instituições financeiras vão somando uma carteira de casas para leiloar, num mercado em que escasseiam os compradores e o dinheiro para os financiar.

    Há boas oportunidades de investimento, actualmente? Há. Seria possível comprar, hoje, uma casa a metade do preço que o mercado exigia há cinco anos? Depende das zonas, mas é bastante provável. Se as construtoras estão penduradas, as famílias estão mais apertadas para conseguirem honrar compromissos financeiros, os bancos apanham dos dois lados, os preços caem de forma substancial, parece claro que Portugal tem uma “bolha imobiliária”, só que parece ter vergonha em admiti-lo.

    A euforia e o lento “crash” que se lhe seguiu teriam acontecido se o País tivesse legislação do arrendamento que não tratasse os senhorios como instituições de beneficência? Não se sabe. Mas um mercado com rendas formadas através do encontro entre a oferta e a procura teria evitado uma parte daquelas dores e a deterioração de zonas antigas das cidades. Se a nova legislação conseguir corrigir este flagelo, a aposta estará ganha.

    0
    • Sérgio 29 de fevereiro de 2012 at 20:13

      Há uma enorme chance de ocorrer isso aqui também, pois, aqui em nosso país, reina – basilar – o princípio da hipocrisia.

      0
  • Fernando 29 de fevereiro de 2012 at 20:11

    Creio que a presença cada vez mais constante, persistente e variada de anti-bolhistas no blog reflete um adensamento da fase de negação. Os comentários vem ficando cada vez mais vazios de conteúdo, à medida que tomam um corpo mais agressivo e provocativo.
    Isso tambem havia sido previsto, se nao me engano, há uns 6 meses atrás.
    Alguém discorda?

    0
    • Shakespeare 1 de março de 2012 at 12:37

      Mas o que esperar de uma pessoa que pagou 600.000 por um imóvel que deveria valer 200.000 e/ou se endividou por 30 anos para pagar isso e vai colocar toda a família como escrava do sistema bancário pagando um preço alto sem poder repassar por este mesmo valor para algum outro otá…, ops, cidadão?

      No mínimo que ele tente defender com unhas e dentes o status quo a fim de tentar manter artificialmente o preço alto e passar para frente o abacaxi, ops, apartamento, para algum outro incauto comprador a fim de minimizar o prejuízo dele… depois a bolha pode estourar! 🙂

      Agora, quando ele percebe que existe um grupo consciente e que vê claramente o que está acontecendo e que expõe abertamente os argumentos sobre isso, ele vê um risco enorme e vem de forma desesperada tentar evitar que essa informação se espalhe, tentando desqualificá-la, bem como aqueles que a divulgam.

      0
      • neandertal 3 de março de 2012 at 01:40

        “Mas o que esperar de uma pessoa que pagou 600.000 por um imóvel que deveria valer 200.000 e/ou se endividou por 30 anos para pagar isso”

        e quem pagou 200 à vista por algo que se pede hoje 600?

        o que esse cara faz agora? situação desesperadora…

        0
        • Cleyton 3 de março de 2012 at 11:05

          Sabe neandertal, ignorância é um estado (até perdoável) em que se encontra um indivíduo antes de saber algo, fica claro que você não está neste estado pela malícia que deixou transparecer ao usar o termo “se pede” em contraste à “deveria valer”, quer dizer, você sabe muito bem que está fazendo o papel de advogado do diabo, nada especialmente contra já que até o diabo precisa de defesa, mas aqui não é um tribunal divino e não tem pessoas ignorantes a respeito do valor dos imóveis.

          0
          • neandertal 4 de março de 2012 at 21:39

            O ponto não é o valor, o valor é subjetivo, o ponto é o PREÇO, esse não é subjetivo, é o que está na etiqueta menos o que voce conseguir arrancar numa negociação. E não vai chegar a 200 facil.

            Do jeito que voces falam parece que todo mundo que comprou imovel é imbecil e só voces são espertões. Pois digo, a maioria se deu muito bem, mesmo financiado.

            Ahh, aprendam sobre sistema SAC um pouquinho, estudar não dói. Depois me digam como está prestação do “infeliz” em 10 anos.

            0
            • Cleyton 4 de março de 2012 at 21:53

              Nossa! Quantas integrais duplas precisa resolver pra calcular uma prestação na SAC?

              E vc presunçosamente acha que ninguém aqui sabe fazer essa conta, quer dizer, ninguém aqui completou o primeiro grau para saber fazer operações básicas!

              Quer saber, vai animar piscina com o cirilo porque nem pra troll vc presta.

              0
              • neandertal 5 de março de 2012 at 09:27

                Amigo, concordo que é uma coisa primária, mas já disseram aqui, “a pessoa vai ficar pagando 5k a vida inteira” com todas as letras. Isso é FATO. E foi um dos “gurus” do site.

                0
                • Cleyton 5 de março de 2012 at 10:17

                  Ah, agora entendi, desculpe.

                  0
  • Rodrigo 29 de fevereiro de 2012 at 20:30

    Só para Investidores! Sem ” “!

    Terreno no Recreio por 1600K, gabarito de 3 andares mais um (laje), dá para construir 8 unidades, 4 de frente mais 4 de fundos com 100m2, mais 2 coberturas com direito a laje 250m2.
    Só juntar 10 famílias comprar o terreno e levantar o prédio a preço de custo… e quem sabe depois vender… de quebra os últimos andares tem vista para o Parque e da Pedra do Tim Maia.

    Já teve gente acima criticando dizendo que não era possível, então está aí!!!!

    h ttp://www.martinelliimoveis.com.br/imovel_detalhe.asp?id=3585

    0
  • Sir Income 29 de fevereiro de 2012 at 21:05

    Confiança brasileira despenca no exterior

    www .financasinteligentes.com/2012/02/confianca-brasileira-despensa-no.html

    É só uma marolinha?

    0
  • Cai Cai Balão 29 de fevereiro de 2012 at 21:08

    * Onde se leu fori, leia-se “fora” (plural de forum).

    0
  • thiago fm 29 de fevereiro de 2012 at 21:31

    Estamos praticamente em março e nada dos dados de venda de dezembro. Muito estranho….

    Tem gente torcendo pra um bomba no dia 05/03 (rsrs)

    0
    • Voluntário 29 de fevereiro de 2012 at 23:31

      ‘so esconde quem tem medo!

      0
  • Rodrigo 29 de fevereiro de 2012 at 22:25

    Casa própria ou alugada?
    Valor Econômico, Luciana Seabra, 29/fev
    Seis anos depois de quitar um apartamento no bairro do Panamby, em São Paulo, o casal Sérgio Ávila Maria, de 39 anos, e Paula Maria, de 36, decidiu se mudar para perto do trabalho, no Itaim. Foi quando os dois descobriram que um imóvel na região custaria o dobro do deles, o que exigiria um financiamento. Encontraram então um apartamento para alugar por R$ 7 mil. Era perto do trabalho, da escola do filho e 30 m2 maior. Fizeram as contas e tomaram uma decisão ousada – vender a casa própria e assumir um aluguel.

    “Se pegássemos um financiamento, só os juros corresponderiam ao aluguel do apartamento que queríamos”, diz Ávila. Além do dinheiro do imóvel, R$ 800 mil, a família vai investir parte da renda. O cálculo levou em conta quanto será preciso investir para pagar o aluguel e ter dinheiro suficiente para comprar outro imóvel de mesmo padrão em quatro anos. Para isso, a valorização imobiliária do período foi estimada em 50%.

    Trocar a casa própria pelo aluguel é uma decisão polêmica entre consultores financeiros. Mesmo os que apoiam a ideia, consideram que não há resposta definitiva. É preciso, no momento da decisão, avaliar a situação dos mercados imobiliário e financeiro. Além disso, estar certo de que todas as variáveis estão no cálculo, como a valorização do imóvel, a corretagem e imposto de renda sobre o lucro imobiliário.

    É preciso ponderar até mesmo a capacidade psicológica de lidar com a insegurança do aluguel, principalmente em um país em que o valor da casa própria é muito arraigado.

    O consultor financeiro do Valor, Marcelo d’Agosto, simulou o cálculo inicial para um apartamento vendido por R$ 1 milhão. Considerando uma taxa média de corretagem de 6%, vão-se logo R$ 60 mil. O imposto sobre o lucro imobiliário, já que outro imóvel não será comprado em seis meses, é de 15%. Considerando que o apartamento foi comprado por R$ 400 mil, lá se vão outros R$ 81 mil.

    Com R$ 859 mil em mãos, é hora de investir. Como o aluguel é reajustado pela inflação, d’Agosto simula um investimento em NTN-B, que paga a variação do IPCA mais uma taxa prefixada. Foi escolhido um papel com vencimento em maio de 2045, que paga a cada semestre 2,96%. São R$ 22,9 mil, ou, quando divididos pelos seis meses, R$ 3,8 mil. Esse é, portanto, o rendimento mensal conservador para um apartamento de R$ 1 milhão.

    Caso queira casar rendimento e aluguel, o personagem da simulação deve buscar neste momento um aluguel de R$ 3,8 mil, desde que o condomínio dos dois imóveis seja igual. É bom lembrar que o aluguel também sofre reajustes reais, o que deve levar a uma revisão da opção ao menos a cada renovação de contrato.

    O professor da BBS Business School Ricardo Torres sugere que se compare o aluguel, como um percentual do valor do imóvel, com o que rende um investimento conservador. Como considera que os alugueis não acompanharam o boom recente nos preços dos imóveis, Torres aposta que os cálculos apontem para o aluguel.

    Se o aluguel custa 0,3% do preço do imóvel – como Torres estima que tenha ocorrido em algumas das regiões mais valorizadas do país em janeiro -, esse índice pode ser comparado com o CDI do mesmo período. O juro interbancário, que serve de referencial para aplicações conservadoras, ficou em 0,89% no primeiro mês do ano.

    Com base nessa conta, esse é um bom momento para alugar em vez de comprar, diz Torres. “Os preços dos imóveis saíram totalmente da realidade. Esse é hoje um mercado de vendedores, não de compradores.” A visão de Torres, entretanto, não é unânime. Há quem pense que, com o crescimento das cidades, ainda resta muito espaço para valorização dos imóveis.

    0
    • Cirilo 29 de fevereiro de 2012 at 23:14

      Boa reportagem, mas hoje em dia se consegue sem risco algo próximo de 0.9% líquido para R$859.000, o que daria algo entorno R$7.731.

      Também não sei porque o sujeito resolveu descontar a inflação, acho que foi para dar impressão que o negócio seria ruim, porque não faz nenhum sentido, se fosse assim a poupança teria dado prejuízo ano passado.

      0
    • Paulo - RJ 1 de março de 2012 at 01:42

      R$ 7.000,00 de aluguel? Caracoles…

      0
    • Shakespeare 1 de março de 2012 at 08:42

      Que burros!

      Dá zero pra eles…

      0
    • Etmso 1 de março de 2012 at 10:23

      Concordo com os cálculos.

      Mas na Europa por muitos anos o aluguel foi % muito a quem o valor do imóvel. Gerações de famílias moravam de aluguel.

      Hoje assistimos a destruição de valor nos imóveis da Europa, ainda que lentamente e apenas em determinados países.

      Mostrando que o processo de ruptura da bolha é muito lento. Nos EUA o processo foi mais acelerado pela generalização da especulação (especulava-se nos novos e nos usados), fator que no Brasil ainda NÃO é característico, não se especula nos usados e visto que a entrega dos novos empreendimentos, pegando o exemplo de Curitiba, em 3 anos representam 3% do total de imóveis, sendo que apenas um % deste 3% é para especulação.

      0
      • Luiz 1 de março de 2012 at 14:40

        etmos, essa informação é completamente falsa. praticamente todo europeu é dono de imovel
        na italia o indice é 100%.
        o aluguel é por motivo de conveniencias tipo localização e tamanho pra dar +mobilidade.

        o +estranho é que o ultimo que disse essa bobagem foi um famoso troll chamado Padock
        vcs são a mesma pessoa?

        0
      • Annibal 1 de março de 2012 at 15:41

        No Brasil o processo de subida dos preços foi muito agressivo (apenas 3/4 anos), o q indica uma quede mais rápida ainda e não o contrário… vc é extremamente parcial, mesmo qdo usa dados do IBGE, não observa o cenário completo, usa apenas o q lhe convém…

        0
        • Annibal 1 de março de 2012 at 15:44

          resposta ao Etmso

          0
        • Carlos Wagner 1 de março de 2012 at 16:03

          Se for pra contrariar a opinião da maioria, ele concorda com os calculos e acha viavel até o pagamento de um aluguel no valor de 7 pilas.

          Afinal, quem não pode pagar 7 pilas de aluguel hoje neh…molezinha!

          0
      • Revoltado 2 de março de 2012 at 14:31

        Então não se especula com imóveis usados né?

        Voce esta com argumentos totalmente furados.

        0
  • Rodrigo 29 de fevereiro de 2012 at 22:38

    Pesquisa do mercado imobiliário do Rio de Janeiro

    Mês de Dezembro:

    h ttp://www.ademi.org.br/IMG/pdf/doc-1361.pdf

    outros meses:

    h ttp://www.ademi.org.br/rubrique.php3?id_rubrique=66

    0
  • Miguel Jacó 29 de fevereiro de 2012 at 23:16

    http:// economia.estadao.com.br/noticias/economia,bolsa-sobe-16-e-registra-a-maior-alta-no-1-bimestre-desde-1999,104543,0.htm

    Bolsa sobe 16% e registra a maior alta no 1º bimestre desde 1999

    E como eu vinha dizendo…

    0
  • Pimp 1 de março de 2012 at 00:34

    Acabo de receber um ‘span’ do zap entitulado:

    “Construtoras apostam em cômodos menores, pés-direitos mais baixos e áreas de lazer maiores”

    Realmente, não é de hoje isso parece estar virando tendência. Como pode??? O povo se enfia no financiamento para realizar o sonho da casa própria/livrar-se do aluguel e aceitam pagar valores horrendos nos condomínios desses ‘clubes’.

    Morei 18 meses no brooklin, num prédio que tinha piscina, academia, salão e churrasqueira. Aluguei de um amigo que havia comprado, logo na entrega das chaves. Depois de mais ou menos 6 meses ninguém usava a academia, de vez em quando tinha um perdido no final de semana…E o pior, muitos saiam para fazer academia!!!

    Não consigo entendender como as pessoas preferem viver cada vez mais sufocadas em seus cubículos…

    0
    • Leo 1 de março de 2012 at 10:22

      Nao sao os moradores que preferem.. sao as construtoras.

      0
      • xyz 1 de março de 2012 at 11:43

        Os “investidores” também preferem, pois não predendem morar neles.

        0
      • Pimp 1 de março de 2012 at 12:05

        Sim, mas se eles fazem isso é porque o consumidor compra!

        O mesmo ocorre na indústria automobilística. Se fazem carroça é porque tem gente que compre.

        No caso de carros é compreensível, porém não é perdoável, pois com a qualidade do transporte público muitos são obrigados a adquirir um automóvel para poder trabalhar e optam pela carroça mais barata. Sem contar que é infinitamente mais simples trocar de carro do que de apê…

        0
        • Luiz 1 de março de 2012 at 13:35

          compram merda nenhuma

          as construtoras fizeram pesquisa com a crasse Cê e perguntaram o que eles mais admiravam no apartamento dos ricos.

          Deu nisso: terraço gourmet, piscina, academia, jardim de palmeiras e outras inutilidades.

          0
  • Monsr 1 de março de 2012 at 02:39

    Vejam esse vídeo

    http://augustopoa.blogspot.com/2012/01/bolha-imobiliaria-realidade-ou.html

    Agora é a fase da negação…

    0
  • xangai 1 de março de 2012 at 09:15

    Srs.

    Ontem acompanhando o blog pelo facebook deparei com esse site e com essa critica:::

    ” Bolha Imobiliária: artigos equivocados sustentam a crença da existencia de uma Bolha …
    Um artigo publicado pelo economista Luciano D’Agostini está sendo divulgado em alguns blogs como um desmentido da reportagem da Revista Exame que afirma que não há Bolha Imobiliária”

    www . politicaeconomia.com/2012/02/bolha-imobiliaria-artigos-equivocados.html#comment-form

    Nem dormi direito de tao p*&o .. mas agora cedo , para meu deleite, ja existia uma resposta do proprio Dr D’Agostini no site !!!

    Quem eh Katia Tavares ?!?!?

    0
    • Nando 1 de março de 2012 at 10:19

      Faltaram argumentos na tréplica da Sra. Kássia, limitando-se a rebater um argumentos apenas, desconsiderando todo o exposto pelo Sr. Luciano.

      Neste mesmo site também achei a contradição abaixo:

      Na reportagem “Existe uma Bolha Imobiliária no Brasil? Não, não há.” a autora usa o seguinte argumento:
      “Outra característica de mercados suscetíveis à formação de bolhas é a atuação intensa de “flippers”, ou seja, investidores que alocam recursos para o mercado imobiliário objetivando um lucro rápido. Eles exploram o setor como alternativa ao mercado de capitais ou como uma fonte de investimento meramente especulativo. Essa atividade aumenta artificialmente o valor do imóvel com o consequente desequilíbrio entre oferta e demanda.”

      Dois artigos pra cima temos a seguinte notícia: “Investidor representa até 70% da clientela de imóveis, mas isso não significa que há bolha imobiliária”

      0
      • xangai 1 de março de 2012 at 10:39

        Well..
        Nao sei se vc conhece … mas nao achei , nem mesmo no propria site , um curriculum ou uma credencial ou “quem sou” da Sra Kassia.

        Conheci o Dr D’Agostini aqui no blog e visivelmente ele tem curriculuns e credenciais … e a Sra Kassia simplesmente escreve ::
        ” …observar que o artigo de D’Agostini é um MONUMENTAL EQUIVOCO DO PONTO DE VISTA ECONOMICO, pois o único argumento técnico usado …blablablabla… ”

        Essa Sra ( ser for uma senhora ou senhor ou corretor ou dono de incorporadora , etc ) eh louca.

        De qq forma , deixei dois comentarios “amenos” , um deles agradecendo o Dr D’Agostini sobre a replica… mas ambos com uma referencia ao bolhaimobiliaria.com .

        Vamos ver se ela/ele/sei la … libera

        0
  • Ronald 1 de março de 2012 at 09:19

    Aluguel ou financiamento de imóvel?

    Comentado pelo Mauro Halfeld:

    http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/mauro-halfeld/MAURO-HALFELD.htm

    0
    • aiwww 1 de março de 2012 at 12:45

      Esse sujeito já foi execrado aqui no blog. Sem comentários.

      0
      • Júlio Cesar 1 de março de 2012 at 22:09

        Eu realmente acreditava neste comentarista, mas agora perdi a fé. Primeiro ele afirmou em algumas matérias que os imóveis iriam ter os preços estabilizados e agora na matéria de hoje ele fala em valorização??? Firmeza mesmo só este blog aqui, o resto não sei não.

        0
    • Cleyton 1 de março de 2012 at 22:26

      A gota d’água com o Halfeld foi um comentário dele sobre a bolha que foi retirado do ar e substituído por outro sobre o Tesouro Direto, pode nem ser culpa dele, mas pelo menos pra mim perdeu toda a credibilidade.

      0
  • MG 1 de março de 2012 at 09:58

    http://www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?id=1228503

    Curitiba
    Funcionários protestam em frente a construção no Água Verde

    Trinta e dois funcionários de uma empresa terceirizada da Thá Engenharia protestaram em frente a uma obra no bairro Água Verde, em Curitiba, durante toda esta quarta-feira (29). Eles alegam que a empreiteira Soares e Paixão Limitada, contratada para a construção do empreendimento, teria demitido os trabalhadores sem o pagamento dos salários do mês de fevereiro e das verbas rescisórias. A obra é da Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário (CCDI), que repassou a obra à Thá Engenharia, que terceirizou os serviços para a Soares e Paixão Limitada.

    Um novo protesto está marcado para esta quinta-feira (1º), a partir das 8h. Os funcionários afirmam que só encerrar a série de manifestação quando receberem ao menos o salário e o vale-compras referentes ao mês de fevereiro.

    O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de Curitiba e Região Metropolitana (Sintracon) alega que a Soares Paixão Limitada disse que os trabalhadores deveriam acionar a Justiça para receber os benefícios.

    O Sintracon cobra da Thá Engenharia que os salários sejam pagos. A diretora do Sintracon, Maria Neuza Lima de Oliveira, esteve no local desde a manhã e afirma que o engenheiro responsável pela obra, que conversou com o sindicato e os trabalhadores, sinalizou que a construtora não irá realizar o pagamento.

    “Vamos ficar acampados aqui até que os salários sejam pagos, se necessário vamos fazer uma passeata até o escritório e invadimos o local para mostrar que o trabalhador não pode ser tratado deste jeito”, ressalta Maria Neuza. Segundo a diretora do sindicato, caso a empresa se comprometa a realizar o pagamento até o dia 5, os trabalhadores vão suspender o protesto.

    Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Thá Engenharia informou, por meio de nota, que a Soares e Paixão Limitada prestou serviços e teve o seu contrato rescindido, “na forma legalmente estabelecida, com o integral cumprimento de suas obrigações”. “Os assuntos que envolvam a Soares e Paixão Limitada e seus próprios empregados (por salários não vencidos e por eventual rescisão contratual) devem ser manejados diretamente entre eles e o Sindicato que os represente”, concluiu a nota.

    Por meio da assessoria, a Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário (CCDI) informou que está se inteirando da situação junto à Thá Engenharia, construtora contratada para a execução da obra e responsável pela contratação da empresa terceirizada Soares Paixão.

    A Soares e Paixão Limitada não foi encontrada pela reportagem para comentar o assunto.

    0
  • Fox 1 de março de 2012 at 10:19

    Ola Galera,
    Só para constar..
    Recebi um email da santa cecilia com o seguinte assunto:
    “Aproveita as revendas do Bora Bora Barra”

    é….the times has came…..

    0
    • Vinicius 1 de março de 2012 at 12:50

      Recebi esse e-mail também !

      0
    • Carlão_RJ 1 de março de 2012 at 14:04

      Fox
      Dá prá saber as mais detalhes? Preço, características do imóvel, quantidade disponível etc. Me lembro que no lançamento o Bora Bora Barra girava em torno de 300k, 350k. Seria legal saber a quantidade de unidades e as condições atuais.

      0
      • Paulo - RJ 1 de março de 2012 at 15:42

        Dei uma “fuçada” na web após o post. Varia de 550K até 650K. Ótima oportunidade, região valorizada, Olimpíada, Rock in Rio (Isto faz alguma coisa valorizar?), blábláblá, mimimi.

        0
        • Carlão_RJ 1 de março de 2012 at 16:56

          Obrigado, Paulo-RJ.

          Tá valendo isso aí até o sujeito ler as reclamações no reclame aqui, tipo essa:

          http:/ /www. reclameaqui.com.br/2492680/santa-cecilia-construtora/bora-bora-barra-enganado-do-comeco-ao-fim-pela-construtora-s/

          Tem inúmeros casos desse tipo. Um abuso.

          0
          • Carlos Wagner 1 de março de 2012 at 17:27

            Tudo tem limites, vejam o que o cidadão ai do reclameaqui reivindica:

            “Só para listar, sem pensar muito, ainda estão devendo entregar ou botar para funcionar: o estúdio musical, quadras de tenis, pizzaria, animação continua com animadores, jogos de piscina, provas de natação, banca de jornal, portal do condomínio na internet, ônibus com trajeto pela Barra etc.”

            Em outro trecho ele diz:

            “Estou registrando minha reclamação aqui, pois quero cada centavo do que investi e que não entregaram. Paguei para ter animadores na piscina e não tenho, quero meu dinheiro de volta. ”

            Eles está chateado porque nao tem o animador na piscina. Ele acha que boate, animador na piscina, e tudo mais é gratis, não vai ter que ser pago pelo condominio e que existem pessoas autruistas o bastante para passar o dia todo fazendo palhaçada para os moradores que se dispuserem a assisti-lo.

            Convenhamos, o cara merece levar trolha se caiu nesse conto. E depois brasileiro se acha malandrão.

            0
            • Luiz 1 de março de 2012 at 18:27

              Carlos W

              puta que os pariu, a construtora prometeu até animador de piscina
              é a nova crasse çê comprando tudo o que eles acham que o rico tem.

              ou será que já estavam pensando numa nova ocupação pros corretores?

              0
              • xangai 1 de março de 2012 at 18:32

                kkkkkkKKKKkkkkKKk…

                nossa… to imaginando corretor animando piscina !!!

                os caras sao mesmo bons de piadas …mas problema seria um deles tentar vender a piscina em partes ou inteira , prometendo valorizacao eterna !!!

                ahhh… sem falar que uma piscina nunca perde o valorrrrrr..

                0
                • Luiz 1 de março de 2012 at 18:39

                  kkkkk

                  vc já viu piscina desvalorizar?

                  corre que é tua Cirilo

                  0
                  • Carlão_RJ 1 de março de 2012 at 18:56

                    kkkkkkkkkkk

                    0
            • Carlão_RJ 1 de março de 2012 at 18:53

              Mas não ficou só faltando o Cirilo animando a piscina, não. Tem outra reclamação lá que diz que com cinco meses de condomínio pago ainda faltava isso: ” Padaria, Mercearia, Spa e saunas (em obras), metade da piscina (obras), Lavanderia, Onibus do condominio, Servicos de apoio domesticos, Salas de cursos, Lan House, Salao de cabelereiro, Children Care, os elevadores da Empresa Thyssen q foram utilizados em plena obra estao sempre apresentando problemas.. (TODOS ELEVADORES).
              O negócio deve ter sido estressante mesmo. Deus me livre. Seria interessante saber se as paredes aguentam armário embutido.

              0
            • Andre 1 de março de 2012 at 21:50

              HAHAHAHAHA SENSACIONAL!
              Mas eu acredito nisso sim viu. Outro dia peguei uma corretora pela frente que foi engraçado. Tentou me vender um aluguel de 3.5k dizendo que o apto por ser no 16o andar tinha vista para a montaanha, super lindo!! detalhe: o prédio é no meio de sp….acho que ela quis dizer a ponta do pico do jaraguá em dia de visibilidade 1000%!

              0
      • Fox 1 de março de 2012 at 21:45

        Carlão,

        Segue o que eu consegui no site

        Classificados – Tel.: 2425-0141

        2 qtos , 3º andar , voltado p/piscinas,2 vagas
        R$ 480.000,00 à vista ou parte financiada.

        3 qtos, andar alto, frontal as piscinas, 2 vagas, cozinha completa c/armários, geladeira, fogão, micro ondas, máquina de lavar, VARANDA FECHADA, ar condicionado total, armários nos banheiros, apenas R$ 600 mil à vista.

        3 qtos, 4º andar frontal para Lagoa, 2 vagas 96 m2.
        R$ 640 mil à vista – Estudamos proposta.

        3 quartos, 4º andar, sol da manhã, 2 vagas de garagem, banheira de hidro dupla na suite, cozinha americana, armários nos banheiros, varanda envidraçada, somente R$ 590 mil.

        3 quartos com family room, 2 vagas, andar baixo, preço imperdível, R$ 490 mil.

        3 quartos com 100 m2, 2 vagas, vista magnífica, andar alto, frontal parque aquático e lagoa, banheira de hidro dupla na suite, por apenas R$ 650 mil.

        0
        • Carlão_RJ 1 de março de 2012 at 22:51

          Valeu, Fox. Obrigadão.

          Acho que ainda tem muita gordura prá queimar.
          A Barra a meu ver micou com o trânsito insuportável prá entrar/sair de lá. Tenho um amigo que mora lá que diz que a coisa tá surreal. O prédio onde trabalha fica na Av. das Américas e como habitualmente só sai do trabalho depois das 8 da noite não sabia que levaria 45 minutos prá sair do estacionamento do prédio dele no horário normal. Acabou perdendo o horário da consulta médica. Com o trânsito da Av. das Américas e com a quantidade de carros no estacionamento do prédio dele, quem estaciona no segundo andar leva de 30 a 45 minutos só prá sair do estacionamento do prédio. Coisa de maluco.

          0
          • MrK 2 de março de 2012 at 04:38

            a barra e’ um bairro inviavel

            a barra e’ o retrato do amadorismo na gestao urbana

            na barra voce nao entra, nao sai, e nao trafega por dentro, seja o dia que for, a hora que for, a barra e’ moscow piorada, eu soh moraria la se fosse aposentado, somente assim.

            0
  • e agora 1 de março de 2012 at 10:34

    xiiiiiiiiiiiiii
    a caixa esse ano ja liberou mais dinheiro para o credito imobiliario em comparação ao mesmo periodo do ano passado.
    e a expectativa é ultrapassar 90 bilhoes de financiamento em crédito imobiliário..
    Mais do que em 2011..
    e agora?

    0
    • aiwww 1 de março de 2012 at 12:43

      Como já comentamos aqui no blog. O crédito fornecido pela Caixa é resultado de um ciclo iniciado há 3 anos. Ou seja, uma pessoa compra um imóvel na planta e começa a pagar as prestações junto à construtora até a entrega das chaves, o que demora em média 3 anos. Quando ocorre a entrega das chaves o comprador do imóvel na planta entra com o pedido de financiamento junto à Caixa. Ou seja, o aumento no volume de crédito concedido já era esperado, uma vez que o pico das vendas foi 2009/2010. Entendeu? Ou quer que desenhe?

      …aliás, E AGORA? CAGA NA MÃO E JOGA FORA 🙂

      0
      • Fernando 1 de março de 2012 at 17:06

        EuRi!

        0
  • Raphael 1 de março de 2012 at 10:59

    Arrependei-vos, pois é chegada a hora.

    0
    • aiwww 1 de março de 2012 at 12:50

      Recomendo a leitura dos relatórios disponíveis em:
      ademi.org.br/rubrique.php3?id_rubrique=66
      A hora do arrependimento está próxima. Com as vendas despencando e com o estoque explodindo, a bomba relógio está armada.

      0
    • Cirilo 1 de março de 2012 at 15:09

      Se não me engano, dia 05/03!

      0
      • Luiz 1 de março de 2012 at 18:30

        Cirilo, ja descobrimos uma excelente ocupação pra vc depois de 05/3
        Animador de Piscina
        que tal?

        0
        • Paty 1 de março de 2012 at 19:48

          Animador de piscina..kkk muito engraçado..kkkk so vc mesmo amigo Luiz

          0
        • MrJaime 2 de março de 2012 at 01:26

          hehehe

          Ri alto e acordei a patroa. Imagina eu tentando explicar: Calma, é que o Cirilo vai ser animador de piscina no Bora bora. :-S

          0
  • Carlos Wagner 1 de março de 2012 at 11:48

    Dívida externa de bancos dobra em 2 anos

    w w w 1 . folha.uol.com.br/mercado/1055460-divida-externa-de-bancos-dobra-em-2-anos.shtml

    0
  • Elias 1 de março de 2012 at 11:55

    Esta semana peguei um panfleto do Banco do Brasil sobre crédito imobilário.

    Eles estão financiando 90% do valor do imóvel, você pode “pular” uma prestação por ano, carência de até 6 meses pra começar a pagar e, claro, até 30 anos pra financiar.

    Assopra que vamos ficar igual à Espanha.

    0
  • Miguel Jacó 1 de março de 2012 at 12:10

    Pessoal, quando uma revista como a “Exame”, com ampla divulgação, escreve iniciando com ESTAS PALAVRAS:

    “Existe uma bolha imobiliária?
    Acho que essa é a pergunta que todos se fazem no momento…”

    É porque a vaca literalmente foi para o brejo. Desculpe se me enganei de data, errei por 5 dias (se bem que estabeleci dia 05/03/2012 como a data LIMITE).
    Está aí, como eu tinha “previsto”, o que todo mundo queria ler. O resto é bobagem e agora vamos competir pra ver quem comprará a melhor barbada…

    Link do texto (postado ontem):

    http:/ /exame.abri l.com.br/rede-de-blogs/direito-e-desenvolvimento/2012/02/29/existe-uma-bolha-imobiliaria/

    0
    • MrK 1 de março de 2012 at 13:42

      ah pera lá, isso nem de longe satisfaz as expectativas de um estouro de bolha…

      voce ainda tem 4 dias 🙂

      0
      • Miguel Jacó 1 de março de 2012 at 17:41

        Satisfazer expectativas? Esta notícia não é para satisfazer nenhuma expectativa, esta notícia é o início do fim. Quando a imprensa divulga que a dúvida já pertence de fato ao povão, às grandes massas, é porque já é tarde demais.
        Não tem volta.
        Acabou a fase da negação, começou a fase do “será?”. Só que soubemos que as informações que chegam ao povão estão descoladas da realidade, sempre têm um grande atraso.
        Segurem-se, apertem os cintos e não olhem para baixo, pois chegamos na nova etapa.

        Obs: Não espere que a imprensa divulgue que a bolha estourou, ela só divulgará isto quando o preço dos imóveis estiver lá no fundo do poço, isto é uma certeza absoluta!

        0
        • Andre 1 de março de 2012 at 21:54

          Eles esqueceram de dizer que o Japão é do tamanho de um ovo na reportagem.

          0
    • Jack Imóveis 1 de março de 2012 at 13:45

      Caro Jacó,

      Aqui no caso a resposta importa mais do que a pergunta.

      Abraços

      Jack – Respondão

      0
      • Jack Imóveis 1 de março de 2012 at 13:49

        Caro Jacó,

        Li o texto e achei muito bem humorada, no máximo.

        Abraços

        Jack -Risonho

        0
        • LAM 1 de março de 2012 at 23:10

          Jack, o mais cômico dessa matéria foi citarem Espanha e Grécia como beneficiárias das Olimpíadas, inferindo que o Rio de Janeiro também será beneficiado. A história está nos contando o que se passa com esses dois países, podemos inferir que o Brasil irá pelo mesmo caminho?

          0
    • Anonymous 1 de março de 2012 at 15:41

      Link correto

      exame . abril . com . br/rede-de-blogs/direito-e-desenvolvimento/

      0
  • xyz 1 de março de 2012 at 13:31

    htt p://g1.globo.com/politica/noticia/2012/03/dilma-assina-pacto-para-melhorar-condicao-de-trabalho-em-obras.html

    Só agora perceberam isso?
    Faz mais de 3 anos que o Mantega fala, fala, fala sobre guerra cambial, mas não faz nada. Tem um discurso de como se fosse da oposição.

    O crescimento milagroso de 7,5% em 2010 pode ser atribuído, em parte, à enxurrada de dólares.

    Enquanto isso, na Argentina…
    Parece que a fatura deles já foi postada, pois a Presidente começa a apelar, tentando criar factoides populistas. “Dont lie to me Argentina…”(Financial Times).

    ht tp://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2012/03/argentina-pede-que-empresarios-facam-boicote-produtos-ingleses.html

    0
  • Enteu 1 de março de 2012 at 14:26

    Se considerarmos que 33% das pessoas que entregam as chaves do imóvel alugado vai para casa própria (http://www.zap.com.br/revista/imoveis/condominio/33-deixam-aluguel-para-comprar-imovel-em-sp-20081104/) podemos considerar que o valor do aluguel tende a cair com o aumento da quantidade de imóveis residenciais no mercado.

    0
    • aiwww 1 de março de 2012 at 23:28

      Se esses imóveis estivessem disponíveis para aluguel, sim. Mas muitos foram anunciados para venda. O movimento contrário, a volta dos anúncios de aluguel, está sendo retomado.

      0
  • DanielCM 1 de março de 2012 at 14:50

    O Miguel Jacó está fazendo as suas previsões, mas quem acertou dessa vez foi o Anonymous.

    http://economia.ig.com.br/mercados/governo-eleva-para-6-iof-sobre-emprestimo-externo-de-ate-3-anos/n1597658882910.html

    Já começaram a mexer no IOF de empréstimos externos de até 3 anos

    0
  • RD85 1 de março de 2012 at 15:00

    Conforme anunciado, esperei passar a temporada para voltar a publicar o índice de imóveis disponíveis (encalhados) na Zona Sul do RJ.

    Fonte: Zap

    28/10/2011
    1 Quarto – 1737
    2 Quartos – 3508
    3 Quartos – 4849
    4 Quartos – 2331

    01/03/2012
    1 Quarto – 1959 (+13%)
    2 Quartos – 4066 (+16%)
    3 Quartos – 5651 (+17%)
    4 Quartos – 2910 (+25%)

    Bairros Destaque:
    Botafogo (+4%)
    Copacabana (+13%)
    Flamengo (+9%)
    Gávea (+72%)
    Humaitá (+16%)
    Ipanema (+36%)
    Jardim Botânico (+18%)
    Lagoa (+28%)
    Leblon (+33%)
    Leme (+15%)
    São Conrado (+40%)

    0
    • MrK 1 de março de 2012 at 15:44

      cacete… 14.500 imóveis só na zona sul!!!

      PENSA COMIGO…

      Imagine que parte das pessoas da zona sul “migram” pra barra da tijuca ou pra zona norte (tijuca principalmente), o estoque dessa turma: Zona sul + Barra/Recreio + Tijuca (não vou incluir meier, maracanã nem vila isabel, só tijuca) = 14.500 + 15.700 = 30.200 imóveis

      Agora imagina que o ZAP não representa 100% do mercado, digamos que representa 75%? (pra mim é menos, mas vamos ser conservadores)

      30.200 / 0.75 = 40.200

      Agora imagine o que ainda vai ser entregue esse ano, especialmente botafogo (na zona sul) barra, recreio e tijuca… vai passar FÁCIL de 55.000 imóveis

      Vocês tem ideia do que são 55.000 imóveis só nesse “eixo nobre” do Rio???? Boçalidade!!!

      0
      • Paty 1 de março de 2012 at 15:49

        MrK, não esqueça que no Rio tem copa e olimpiadas,muito investimento estrangeiro a já ia me esquecendo da visita do papa.. eu acho que ainda tem lugar para mais lançamentos..kkkkkkkk(brincadeira)kkkkk

        0
        • MrK 1 de março de 2012 at 16:58

          ainda bem que voce ta brincando!! quando comecei a ler achei que voce tinha fumado um dos produtos tipicos da cidade do rio de janeiro…

          0
          • Paty 1 de março de 2012 at 19:36

            kkkk esses produtos tipicos do Rio eu deixo para a Maria Joaquina noiva do Cirilo…kkkkkkk

            0
            • Ze Bom Dirolo 1 de março de 2012 at 21:17

              Pensei em uma coisa mais pesada e desconhecida….chá de meteorito….

              0
              • Ze Bom Dirolo 1 de março de 2012 at 21:20

                Pq para casar com o Cirilo….

                0
      • Carlão_RJ 1 de março de 2012 at 17:40

        Fico pensando quantos desses aí, precisando vender rapidamente, seriam necessários para fazer um fuzuê no mercado. Quinhentos? Mil?

        0
        • Luiz 1 de março de 2012 at 18:43

          com dollar, euro, yene, yuang inundando o mercado?
          vão segurar o preço com credito barato por anos
          capaz que a casa caia antes do preço cair

          0
          • Fernando 1 de março de 2012 at 19:08

            “..de muito gorda, a porca já nao anda
            … de muito gasta, a faca ja nao corta…”

            0
      • Etmso 1 de março de 2012 at 20:46

        Depois eu que manipulo os dados.

        Morar na barra e trabalhar no centro sao 3h / dia de deslocamento.

        Aposto que as pessoas preferem morar na ZS num IMOVEL que tem a metade do tamanho.

        A ZS do Rio e e sempre sera sem noção, seja pela sua geografia, marketing, status … A única coisa para deixar a ZS mais econométrica seria a criação de um eficiente transporte publico para a barra.

        Todo ano abre umas 2000 vagas em concursos para curso superior na região central do Rio. Quando eu morava no Rio em 2007, me lembro que os precos ja eram bem altos. Coisa de 400k 100m2.

        0
        • aiwww 1 de março de 2012 at 23:57

          Ok, repita comigo “.. eu sei somar “, repita novamente “.. eu sei somar “, repita novamente “.. eu sei somar ” e repita novamente “.. eu sei somar ” … pronto .. a cada “.. eu sei somar ” você soma 400 mil e chegará ao preço atual de um imóvel de 100 metros quadrados nessa região … bom, eu sei somar e cheguei à cifra de R$1.200.000,00 … hummmmmm BOLHA !

          0
          • Etmso 2 de março de 2012 at 00:11

            As brincadeiras validam o desespero. Infelizmente todos sabem morar bem na ZS msm com bolha requer muito dinheiro. Tem que cair pela metade para ficar razoável, e triste.

            0
            • MrJaime 2 de março de 2012 at 18:55

              Etmso,

              Você mudou de ideia, ou eu erroneamente entendia que você tinha a opinião de que a valorização dos imóveis nos últimos anos era justificada?

              0
      • Sol de Sampa 1 de março de 2012 at 22:37

        ahahahah…. e quem viver verá….

        0
    • Joao Bolha 1 de março de 2012 at 20:05

      Ótima estatística! Tenho perguntado sobre a disponibilidade dos imóveis anunciados no balcao.com.br. Pego aqueles anunciados desde o meio do ano passado e pergunto se está disponível. 90% me responde que sim. Essa semana fiz isso com os anúncios do Cores da Lapa, que foram vendidos por menos de 200 mil e hj estão repassando por 500 mil os de 2 qts. Três dos quatro anúncios que perguntei me retornaram. E olha que é anúncio de junho e julho de 2011… vamos esperar o cabum!

      0
    • Fernando II 3 de março de 2012 at 21:07

      RD85, MrK e a todos que possa interessar, tenho uma duvida da sua pesquisa. Acredito que a pesquisa por bairro foi feita sem levar em consideracao que o mesmo apartamento pode ser anunnciado por diversar corretoras.
      Acredito que o raciocinio do MrK esteja correto quando conclui que ha um grande fluxo de lancamentos que serao entregues esse ano e que pelos precos atuais nao serao facilmente quitados. Ate porque a renda de grande parte das pessoas que compraram na planta nao acompanhou se quer o INCC que corrigiu o saldo devedor. Acho que vai ter muito imovel sendo devolvido… e ainda tem suposta economista que diz que nao existe correlacao entre renda e preco dos imoveis… mas tem correlacao entre preco dos imoveis entre PIB, juros, bolsa e noticias do mercado imobiliario… eu pensei que PIB e PIB/capita fossem bastante correlacionados, sem falar que bolsa e renda tambem sejam muito correlacionados, principalmente em paises desenvolvidos como os EUA (onde o estudo do BIS deve ter observado) sem falar que juros influenciam tambem o rendimento de quem tem aplicacoes em renda fixa… queria saber onde conseguiu o diploma!

      0
  • Anonymous 1 de março de 2012 at 15:08

    Quando o discurso é “defender” a indústria nacional é certeza de maxi-desvalorização a caminho.

    www1 . folha . uol . com . br/poder/1055712-dilma-diz-que-vai-impedir-canibalizacao-dos-mercados-emergentes . shtml

    A presidente Dilma Rousseff acusou nesta quinta-feira os países desenvolvidos de promoverem o canibalismo nos mercados emergentes.

    Ela afirmou que está disposta a defender a indústria nacional, que enfrenta condições adversas de competitividade por conta da guerra cambial.

    0
    • Carcará 1 de março de 2012 at 15:52

      Anonymus,
      esse governo já não realizou a maxi, porque:

      1. Nossa capacidade de investimento, mesmo contando com os doletas é uma piada de menos de 20%, assim o dólar baixo permite nossos bancos se endividarem lá para endividarem os bananenses aqui e dá algum alento à economia via consumo;
      2. O dólar baixo permite um IPCA (não a inflação) baixa;
      3. O dinheirinho que entrar para arbitrar JUROS e jogar em outros cassinos paga a farra com o dindin da viúva e tenta equilibrar o balanço de pagamentos.

      Veja que se não fossem esses fatores, ergue-se-ia uma muralha da China na aduana brasileira, sobretudo para se proteger dos chineses.

      Abs

      0
    • Carlos Wagner 1 de março de 2012 at 15:59

      Olha só a discurseira da Dilma nesse encontro ai:

      “Uma política perversa para o resto dos países, principalmente aqueles em crescimento, que são os países emergentes e que mostra que eles compensam essa rigidez fiscal com uma política monetária absolutamente inconsequente do ponto de vista do que ela produz sobre os mercados internos. É por isso que nós nos preocupamos. Nós vamos ter de perceber que isso não é trivial, simples, que não basta dizer que tem isso.”

      Sou só eu que não entende o que essa mulher fala?

      0
      • Cleyton 1 de março de 2012 at 16:21

        Eu também entendo bolhufas do que ela fala.

        0
  • D9 1 de março de 2012 at 15:20

    http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2012/03/miriam-leitao-economia-esta-ficando-dependente-de-injecoes-de-liquidez.html

    Miriam Leitão:
    ‘Economia está ficando dependente de injeções de liquidez’

    “…É possível que isso provoque efeitos colaterais, se ao
    invés de ir para os governos, esse dinheiro barato vá para
    outros países, formando bolhas…”

    Detalhe para a Renata Vasconcellos, completando com: “Como no Brasil.”
    No vídeo do site aos 0:45

    0
    • Fernando 1 de março de 2012 at 19:06

      Eu nunca fui muito fã da Miriam Leitao. Mas nos ultimos meses ela tem sido bastante enfática sobre as questões das bolhas de crédito, bastante independente para uma economista que trabalha em um órgao de midia tão poderoso. Essa noticia apenas se acumula a tantas outras ao longo da semana. Já está ficando na boca do povo, escancaradamente.
      Alias, seria interessante fazer um levantamento do numero de reportagens, semana a semana, que toquem no assunto… teremos um grafico hiperbólico? rsrs

      Abraços!

      0
  • Ader 1 de março de 2012 at 16:45

    Pergunta que me faço todos os dias:

    “Cadê o câncer da Dilma?”

    Antes das eleições ela não estava doente? E aí? Foi curada? Ainda está doente? Será que vão falar sobre a “doença” só nas próximas eleições?

    Primeiro a Roseana, depois a mulher do Ciro, aconteceu com a Dilma, novamente com o Lula (apesar de não estar participando de processo eleitoral), também a Cristina (que foi desmascarada) e não podemos esquecer do Hugo (Deus me perdoe se estiver errado, mas aquele malandrão está gordo igual uma porca, não parece estar doente…)

    0
    • Ze Bom Dirolo 1 de março de 2012 at 18:56

      Por mais que eu já tenha me questionado sobre isso, acredito que esse tipo de pensamento não deve ser exposto.

      0
    • peterson 1 de março de 2012 at 23:06

      fidel, lula, chaves, dilma…. não gosto muito de TDC mas penso que tem algo errado mesmo, e se os certos forem os errados e os errados forem os certos, bem, nunca saberemos pois a verdade nunca foi contada por quem venceu no final…

      devemos evitar essas coisas, doença é doença e ninguem inventa este tipo para se dar bem, pode apostar…

      0
      • Anonymous 2 de março de 2012 at 02:25

        peterson,

        Voce está usando algum “produto” típico do Rio de Janeiro? Aqueles que voce compra nas “comunidades”?

        0
        • peterson 3 de março de 2012 at 22:05

          não, porque? voce é representante do distribuidor?

          0
      • Luiz 2 de março de 2012 at 11:05

        Peter vc sabe calcular
        diga para nós: Quais as chances?

        0
      • Guerreiro da luz 2 de março de 2012 at 18:44

        Bicho, tu é maconheiro…!! Só pode ser. Se tu não for, pelo menos vc fumou um maço de “dolar”.
        Tu ficou trinte pq num comprou imóvel e caiu dentro.
        Só pode ser. Isso que tu escreveu….

        0
        • peterson 3 de março de 2012 at 22:02

          sei que não foi comigo, mas vejam só, quando as tulipas custavam 10 dolares comecei planta-las, então vendi por 20, 30, 40, 100, era um bom negocio, quando começaram a custar 1 casa eu resolvi parar, mesmo assim começaram a valer 2 casas, 3, palacio inteiro, e me chamavam de otario por ter deixado de planta-las logo quando custavam mais, bem, então ocorreu o crash, hoje elas valem 1dolar, menos do que quando comecei plantá-las.

          ora ora, fumar, beber, fazer sexo, etc, as pessoas usam isso como se fossem defeitos, sendo que o pior defeito do homem é a falta de carater….

          0
    • joka 2 de março de 2012 at 14:53

      Bom, nao sei desde quando gordura e sinal de saude, mas mesmo assim aquilo nao e gordura. E sim retencao de liquidos ( edema). A doenca que a dilma tem era uma neoplasia sanguinea cronica, isto e uma leucemia de duracao longa e indolente. ele pode viver muitos anos antes de apresentar qualquer sinal da doenca

      0
  • Luiz 1 de março de 2012 at 18:38

    Numero de vendas de autos cai quase 10% em fev 2011
    Considerando os veiculos comerciais, queda foi de 6%.

    Imovel então…

    0
    • Atribulado 2 de março de 2012 at 12:29

      Em janeiro tinha aumentado 10%

      de 243 (jan/2011) para 268 (jan/2012)

      0
      • Annibal 2 de março de 2012 at 13:55

        é… mais esse aumento foi gerado pela venda de veículos comerciais e se não me engano caminhões… nada a ver com a venda p pessoa física… felizmente dados só viram informação qdo analisados….

        0
        • Atribulado 2 de março de 2012 at 19:05

          FELIZMENTE dados só viram informação quando analisados

          bcb.gov.br/pec/Indeco/Port/ie1-31.xls

          “é… mais esse aumento foi gerado pela venda de veículos comerciais e se não me engano caminhões…”

          Onde voce viu isso?

          A fonte OFICIAL aí em cima mostra aumento em TODAS as categorias, janeiro contra janeiro.

          Automoveis de passeio, por ex. 180 para 196 mil.

          0
  • tcr 1 de março de 2012 at 19:21

    A bolha já ta na boca do povo mesmo.

    Fui à um debate dos pós-graduandos da USP hoje, e apesar do tema ser toda aquela situação com a PM e reitoria, mais de uma vez foi falado sobre bolha imobiliária

    0
  • peterson 1 de março de 2012 at 22:48

    vou começar a dar umas aulas para a galera deste blog, pois vejo que os comentários estão atingindo um nível de maturidade bom. Assim pretendo evoluir para outro patamar intelectual.

    AULA 1:Existem certas formigas que fingem ser escravas, entram em outros formigueiros, alimentam as formigas que se acham mais fortes com suas comidas e depois que tudo está farto saqueiam as formigas pupas e matam as outras, escravisando-as definitivamente, existem certas lagartas que comem uma arvore até matá-las, só que antes da arvore morrer viram borboletas e vão embora, existem certos predadores que fingem estar doentes, para que outros predadores se aproximem, então atacam, pois na cadeia alimentar eles estão no topo. Assim, vejo o Brasil os BRICS e o G20. Tem um passarinho que constroi 2 casas, 1 para ele outra para ninguém, o objetivo é que outro passarinho mais fraco use a casa, pois reduz sua chance de morte, caso o predador apareça o hospede finalmente pagará a conta. Na áfrica o lugar mais seguro não é ficar perto das girafas, elas olham longe mas são muito atrapalhadas, quando avistam algo saem correndo e provocam alvoroço, o lugar mais seguro é ficar com os macacos pois eles se dividem e cobrem grandes áreas e quando um predador aparece todos são avisados e saem tranquilamente, assim o melhor sinal é sempre dado por um elemento pequeno, o sinal de um elemento grande provoca efeito manada e o mais fraco se fode, um sapo infla uma bolha até um limite, então ele solta criando um chiado que é escutado de longe, assim atrai mais femeas para o lago, quanto maior a bolha maior o chiado, quanto mais femeas no lago significa que este é o sapo da bolha maior.

    quem entender perceberá o que estamos vivendo…

    0
    • DanielCM 2 de março de 2012 at 04:39

      Beleza, Peterson, gostei, mas quero saber quando será a aula sobre as antas e os jumentos? Será depois da aula sobre o comportamento das baratas e das moscas nos stands? Ou sobre como os urubus irão fazer a festa? E o cardume de sardinhas, como fica diante dos tubarões?

      0
    • Carcará 2 de março de 2012 at 09:09

      Peterson La Fountaine, Ibovespa a 67000 com notícias presentes ruins e futuras, tenebrosas. Nem precisa ser bom entendedor…

      0
      • Luiz 2 de março de 2012 at 10:48

        caralho Peterson vc é matemático ou biologo?

        0
  • Ze Bom Dirolo 2 de março de 2012 at 01:24

    Terceiro mundo se for….piada no exterior…..

    Analistas desdenham efeitos de mudanças no IOF

    O ministro Guido Mantega voltou a dizer que está defendendo o Brasil na ‘guerra cambial’. A presidente Dilma Rousseff afirmou que existe uma política de ‘tsunami monetário’ por parte dos países ricos. Tudo leva a crer que o governo quer construir uma muralha para evitar que o país seja inundado por capital especulativo.

    No entanto, a mais recente medida do governo nesse sentido foi desdenhada por analistas consultados por sites internacionais de finanças. Segundo eles, a elevação do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) terá pouco impacto.

    O importante nessa medida não é o seu efeito direto, afirmam os especialistas, mas o fato de que ela evidencia a disposição do governo de conter a alta do real. É um alerta de que novas medidas podem estar por vir.

    Nesta quinta-feira, 1º, o governo anunciou que os empréstimos no exterior com prazo de até três anos terão que pagar 6% de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Até ontem, essa taxa só incidia em empréstimos de menos de dois anos.

    Estejam os economistas certos ou não, o fato é que o dólar continua caindo em relação ao real. às 13h30, a queda era de 0,23%, a R$ 1,712.

    0
  • MrK 2 de março de 2012 at 04:52

    Um breve resumo do mundo atual:

    1- Familias de paises ricos consumiram mais do que podiam a base de credito solto e mal dado, somado a emprestimos para investir em bolhas imobiliarias.

    2- Bolhas explodem, familias nao pagam, bancos ficam com o mico na mao e sistema financeiro ameaca colapsar

    3- Para salvar os bancos os governos emprestam dinheiro que nao tem emitindo divida

    4- Para pagar o dinheiro que nao tem, os governos imprimem trilhoes de dolares e euros do nada…sem qualquer lastro ou embasamento economico, o que gera inflacao.

    5- Os bancos, agora donos desses trilhoes “olham” pro mundo e pensam: Onde vamos investir? nos EUA em crise e pagando juros baixos, ou em paises em crescimento com juros altos? Um dos preferidos nesse cenario, se nao o preferido: Brasil

    6- Um tsunami de dinheiro inunda o Brasil, IMPORTAMOS A INFLACAO QUE DEVERIA ESTAR NOS EUA E EUROPA, esse e’ a verdade, grande parte desse dinheiro foi pras linhas de credito que pipocaram loucamente, outra parte foi pro mercado imobiliario, a economia superaqueceu e hoje depende desse dinheiro pra rolar suas dividas e manter inflada a bolha imobiliaria

    7- Quando a economia do Brasil ficar claramente mais fraca, os indices cairem em descredito e a inadimplencia crescer pra um patamar forte, os investidores la fora ficarao preocupados, quando surgir um novo pais do momento (Colombia, Coreia do Sul, Africa do Sul, sabe-se la) ou mesmo quando os EUA ou Europa comecarem a se recuperar, um pedaco grande desse dinheiro deixara o Brasil procurando outras oportunidades

    8- PLOC economico.

    0
    • Marcelo 2 de março de 2012 at 09:17

      MrK, voce ja viu a capa da exame de 07 de marco? Parece brincadeira com o povo.

      0
      • MrK 2 de março de 2012 at 09:29

        Ainda nao, o que tem??

        tem link?

        0
        • Atribulado 2 de março de 2012 at 19:12

          Coreia do Sul?

          Esta aí foi a bola da vez há MAIS DE 20 ANOS! Olimpiada de Seul, lembra? Uma época em que Hyundais, Kias e Daewoo (lembra?) ainda eram só carroças. Samsung e LG eram como os xing ling chineses de hoje.

          Coreia do Sul já emergiu faz tempo, é desenvolvido mesmo, portanto o tempo de altos lucros (e alto risco) já foi.

          0
    • RMJ 2 de março de 2012 at 11:31

      MrK

      A história econômica do pais também sustenta a sua tese. Vide o que aconteceu após outros períodos de insanidade econômica, tais como após o congelamento de preços ocorrido em meados dos anos oitenta, ou após o bloqueio de ativos ocorridos no governo color ou após o fim da paridade entre o real e a moeda dos EUA.

      0
  • Marcelo 2 de março de 2012 at 08:37

    Pergunta do internauta: Moro no Rio de Janeiro e a valorização imobiliária aqui foi estrondosa nos últimos anos. Tenho dinheiro para comprar um apartamento à vista, que me serviria como renda. Mas vale a pena comprar o imóvel ou deixo o dinheiro aplicado, visto que a valorização não deve continuar e aplicado, o dinheiro me renderia bem mais do que o aluguel do mesmo?

    Como sua preferência é por receber uma renda mensal, sugiro deixar o dinheiro aplicado. Assim, você se protegerá da incerteza do mercado imobiliário, visto que pode existir dificuldade em encontrar um inquilino. A situação embaraçosa pelo qual passa o mercado de imóveis dos EUA e na Espanha mostram outros riscos de se investir neste setor. Assim, para lucrar com imóveis, vai ser necessário cada vez mais dedicação de tempo e estudo.

    Não quero parecer pessimista, mas um dos papéis dos economistas é fazer previsões, não é mesmo? Ciclos de alta de preço são, obrigatoriamente, seguidos de baixas – e este ajuste vai atingir o nosso mercado. Mesmo não confiando nas estatísticas deste setor, a alta recente remete à pergunta sobre até quanto o preço vai subir.

    Por curiosidade, visite um imóvel que acabou de ser construído, já na etapa de entrega das chaves. Não raro, haverá unidades para venda, o que mostra que a demanda não é mais a mesma dos anos anteriores.

    Caso tenha recursos suficientes, é interessante manter uma parte em imóveis, outra em CDB e poupança, fundos e títulos do governo. Afinal de contas, Argentina e a Grécia estão aí para provar que mesmo os governos apresentam risco de não honrarem seus pagamentos. Os bancos Santos e Panamericano, idem.

    Ou seja, não existe investimento sem risco. E oportunidade para lucrar com imóveis sempre haverá, desde que você tenha tempo para se dedicar ao setor e adote algumas estratégias mais avançadas, como reformar propriedades depreciadas ou comprar em leilão.

    *Luiz Calado é economista, doutorando em finanças sustentáveis e autor dos livros “Imóveis: seu guia para fazer da compra e venda um grande negócio” e “Fundos de investimento: Conheça antes de investir”.

    Envie sua pergunta sobre IR para [email protected].

    Imovel nao ERA o melhor investimento do mundo? Se a grande midia ja tem um pe atras para dar “palpites”, e porque o negocio ja pegou fogo.

    0
  • GB 2 de março de 2012 at 08:56

    Hoje moro de aluguel e estou de olho em um apê jeitoso mas modesto, mais próximo do trabalho, mas que está muito caro (grande novidade), em dezembro estava negociando com a imobiliária e disseram que dava para chegar em R$ 180k, hoje ele ainda está a venda, mas está sendo anunciado por R$ 175k e apareceram outras opções no mesmo prédio sendo anunciadas por R$ 160k, o que mostra que estão começando a desovar os imóveis e que estão mais interessados em vender que antes.

    Em dezembro eu até fui procurar o Banco para conversar sobre financiar a parte desse valor que eu não tenho mas achei muito caro o financiamento, primeiro que eles queriam que eu financiasse por 30 anos de qualquer jeito e que eu poderia antecipar a maioria das parcelas e terminar de pagar em bem menos tempo, mas lendo o contrato reparei que há coisas que eles não falam, que há cobrança de uma taxa e de 2 seguros embutidos no financiamento e eles seriam cobrados mesmo que eu antecipasse tudo, um absurdo cobrar taxa por meses antecipados ou seguros nas mesmas condições.

    Desta forma, se você paga a do mês e antecipa uma parcela, você paga 2 taxas e 4 seguros no mesmo mês sendo que o trabalho do banco foi o mesmo e nem sei se esses seguros podem ser acionados depois que derem o apê por quitado, e convenhamos, esses seguros são mais para manter o valor do “novo patrimônio” do banco que outra coisa e quem paga por essa tranqüilidade do banco é você.

    Inclusive o contrato era bem claro: se faltar $$$$ na conta para pagar a prestação, a primeira coisa a ser paga é a taxa, depois os seguros, depois os juros e depois, se sobrar dinheiro vem a parte amortizada.

    Esse negócio de carência de 6 meses, de jogar uma parcela por ano para frente, não são assim tão verdade, pois você é obrigado a pagar essas taxas e seguros nesses meses, ou seja, são mais 36 taxas e mais 72 seguros a pagar num financiamento de 30 anos.

    O gerente do meu banco sempre vem com aquela história de que “aluguel é $$$$ jogado fora” e eu sempre respondo que “juros, taxas e seguros bancários de financiamento também são”, a diferença é que num financiamento você vira refém do banco, ele sempre vai dar um jeito de aumentar o valor o máximo que a legislação permitir, já no aluguel eu posso mudar de imóvel, negociar aumentos menores e a diferença vai sendo investida e vai rendendo um pouco para mim, com juros altos como esse, a impressão que eu tenho é que cada R$ 1k economizados hoje são R$ 3k a menos que eu tenho que dar para o banco no longo prazo.

    Vou esperar um pouco e torcer para que esse apê caia para uns R$ 120k, que eu acho que seja o valor justo dada a localização e falta de infraestrutura do local.

    Em tempos loucos como esses a gente tem que ver bem no que esta se metendo.

    0
    • Cleyton 2 de março de 2012 at 22:54

      GB, é como eu sempre digo, as boas notícias estão no folder, as más tem que vasculhar muito nas letras miúdas e asteriscos, várias vezes eu pedi pra levar o contrato pra ler com calma e os caras negaram, aí eu disse que era só pro “meu advogado” ver (e era blefe claro), o cara negava denovo aí eu já dizia que não ia fechar negócio porque se “meu advogado” não pode ler era poque não ia ser um bom negócio pra mim.

      0
  • Etmso 2 de março de 2012 at 09:14

    Vejam a correlação entre a indadimplência do subprime e o preço dos imóveis.

    Muito bom artigo do BNDES.

    http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/export/sites/default/bndes_pt/Galerias/Arquivos/conhecimento/revista/rev3005.pdf

    0
  • danilo 2 de março de 2012 at 09:23

    Gostaria de detalhar uma situaçao no mínimo esquisita que acontece em Brasília.
    Criou-se um novo “bairro” chamado CA, com destinaçao estritamente comercial. Andando pela regiao, percebe-se que os prédios se enquadram mais como imóveis destinados a escritórios. Pois bem, com a valorizaçao, muitos empreendimentos mudaram a destinaçao das unidades, de comercial para residencial, o que é visível ao se entrar em uma sala/apartamento, com distribuiçao questionável e até mesmo ralos no que deveria ser seu quarto. Alguém imagina um ralo no meio no “quarto”? Acontece que os proprietários, na entrega das chaves, tentam o repasse, mas a Caixa nao aceita, já que o projeto inicial nao é residencial. Só compra quem tiver grana viva. Isso foi o que ouvi de um conhecido que comprou 2 unidades e queria repassar uma para pagar as chaves da outra, mas está desesperado pq os raros interessados nao podem financiar.
    É o que me foi dito.

    0
    • Ze Bom Dirolo 2 de março de 2012 at 12:36

      Eu fico me perguntando o que vai ser do CA, Noroeste, Park Sul e etc…

      0
      • danilo 2 de março de 2012 at 14:25

        Verdade Dirolo.
        Estamos falando em milhares de imóveis.
        O noroeste é impraticável pelos preços exorbitantes. O CA também, pois só compra cash…igual os imóveis nao regularizados no DF. Como nao tem escritura, nao tem financiamento, só em dinheiro vivo.
        Vou fazer o pé de meia no aguardo do final da história.

        0
  • MrK 2 de março de 2012 at 09:28

    Maia, ninguem sabe quando a bolha estoura, mas sabe que nao durara muito

    o meu prazo limite no pior dos cenarios eh final de 2013 (mas acho que estoura antes)

    mas pra “play safe” e ser conservador, sugiro voce tenha uma situacao de orcamento ou uma reserva que te permita viver bem de aluguel por 2 anos (ate final de 2013), se tiver isso voce estara bem, pelo que entendi esse e’ o seu caso.

    quanto a aplicacoes, tudo depende do montante, procure fundos DI com baixa taxas de administracao, por enquanto e’ o que ha

    0
  • GB 2 de março de 2012 at 09:33

    Outra coisa que eu acho nojenta mas que o brasileiro é especialista nisso é quando você liga para o proprietário morador de um imóvel que você tem interesse e fica sabendo que ele aumentou o preço por que o imóvel que ele quer comprar num bairro muito melhor também aumentou.

    É simples: “se eu vender pelo preço antigo eu não compro mais o outro imóvel que eu quero”, o imóvel dele não vale o que ele está pedindo, ele não quer completar a diferença com recursos próprios e talvez nem possa fazer isso, ele quer se mudar para uma área melhor às custas de algum otário, só isso.

    0
  • MrK 2 de março de 2012 at 09:34

    ATENCAO PARA TUDO NOVO TOPICO URGENTE!!!!!!!!!!

    exame.abril.com.br/seu-dinheiro/dicas-de-especialista-para-seu-dinheiro/noticias/vale-a-pena-comprar-imovel-no-rio

    0
    • Marcelo 2 de março de 2012 at 09:52

      Xiiii, ja postei a noticia num comentario acima, mas ficou sem o titulo, parecendo uma pergunta de internauta.

      0
    • Ricardo 2 de março de 2012 at 09:53

      Boa Mrk, muito boa a matéria da mesma revista Exame que recentemente fez uma reportagem do mercado imobiliário. Entretanto, desta vez, o economista Luiz Calado, desmistifica a valorização crescente de imóvel como apregoado pelos corretores e imprensa.
      Bom tópico mesmo.

      Segue 2 parágrafos do texto. Vejam o 2o.

      “Não quero parecer pessimista, mas um dos papéis dos economistas é fazer previsões, não é mesmo? Ciclos de alta de preço são, obrigatoriamente, seguidos de baixas – e este ajuste vai atingir o nosso mercado. Mesmo não confiando nas estatísticas deste setor, a alta recente remete à pergunta sobre até quanto o preço vai subir.

      Por curiosidade, visite um imóvel que acabou de ser construído, já na etapa de entrega das chaves. Não raro, haverá unidades para venda, o que mostra que a demanda não é mais a mesma dos anos anteriores.”

      0
      • Luiz 2 de março de 2012 at 10:41

        Vcs pensavam que a exame (Revista Caras dos gerentes de banco) poderia publicar uma coisa daquelas e passar desapercebido?

        A Exame é quenem BBB, quanto +polemica +audiencia
        Aguardem as proximas cenas…

        0
    • Salles 2 de março de 2012 at 09:54

      2012 está começando bem, ein?

      A imprensa está começando a falar que as coisas estão feias
      no mercado imobiliário…. esse tipo de notícia era inimaginável
      em 2011….

      0
    • Ricardo 2 de março de 2012 at 09:55

      KKK, o economista Luiz Calado também não confia no FIPE-ZAP…….. Será que ele tá lendo esse blog?

      “Mesmo não confiando nas estatísticas deste setor…”

      0
      • Etmso 2 de março de 2012 at 10:49

        É impressionante como um setor que movimenta milhões, onde as pessoas investem economias da vida toda, não tem nenhum estudo fundamentado. Pelo que vemos este blog tem mais noção do que qualquer economista com acesso a mídia.

        Por mais que não sejamos experts em todas as áreas do conhecimento que envolvem a questão, diga se de passagem multidiciplinar (economia, engenharia, finanças, marketing) estamos aqui, confrontando pontos de vista, juntando e criticando dados, informações e experiências, tentando enxergar o que está acontecendo, no principal ramo da 6a. maior economia do mundo.

        As vezes existem estudos, acessados por poucos.

        0
        • Luiz 2 de março de 2012 at 12:18

          Etm, peguei um coment seu no anterior e reproduzo aqui a minha resposta

          Nas classes A e B (quem pode comprar casa hoje) a relação pessoas/domicilio é menor que 3
          A média das grandes cidades é apenas 3,1.
          A média de 5 p/dom vc só vai encontrar em familias classe D e E, interior e área rural.

          Mesmo a classe C está na média abaixo de 5. Até existem casos mas é mto raro e se vc desmembrar a renda de um elemento a classe de renda dos 2 futuros domicilios iria cair abaixo da renda necessaria p manter as prestações.

          Essa demanda por desmembramento dá um valor marginal, não calculei, mas chuto um teto pelo numero de matrimonios. Tbm já fiz essa conta: a demanda não alcança o numero de lançamentos desde 2010 pelo menos.

          Vc como engenheiro deveria gostar + de fazer contas, não?

          0
          • Etmso 2 de março de 2012 at 13:46

            O que você diz é quanto maior a renda, que são as pessoas com pontencial de compra, menor o número de pessoas por domícilio.

            Eu penso assim Luiz, se você tem 3 pessoas ou mais que declaram IR numa residência, ocorrendo isto 2 vezes já é um indicio de demanda por imóvel. Um % das residências com 3 declarações de IR seria demanda ao meu ver.

            Partindo do principio básico, que para comprar qualquer imóvel financiado, precisa-se de no mínimo 2 declarações de IR no piso.

            Com certeza o IBGE tem estes dados, acho que esta seria uma estimativa coerente de demanda. A coisa é complexa Luiz, não tem jeito.

            Ouço muito falar aqui no blog, se eu moro de aluguel e vou para casa própria, ou se eu saiu de um imóvel mais barato para um mais caro, o imóvel que eu estava fica vaga, aumentando o estoque. Isto é verdade, mas eu enxergo que existe também uma migração:

            Pessoa que não tem casa (favela) -> Cohab -> Apto 50m2 -> Apto de 70 m2 …

            Além do movimento:

            Pessoa que compartilha domicilio ou aluguel -> Apto / Casa

            0
    • Bolha Imobiliária 2 de março de 2012 at 11:24

      Se o MRK mandou, o negócio é fazer…hehe

      0
  • Etmso 2 de março de 2012 at 11:04

    Acabo de receber um e-mail:

    Venha confraternizar conosco em uma agradável Tarde Italiana, neste sábado dia 03/03, a partir das 12:00hs.
    Últimas unidades do GOODLIFE,  é o melhor da região, em preço e localização, confira!!!

    “Good Life”
    Rua Heitor Peixoto, 875, Aclimação São Paulo.

    Vamos fazer o I encontro do “blog da bolha” na casa do inimigo, trolando e comendo?

    Bolha o que vc acha da idéia? A maioria dos “ativistas” do blog acho que estão em São Paulo, e Aclimação é um bairro próximo a Av. Paulista. A corretora que me mandou é bem “sem noção” chama Beija, ela sempre me manda estas “ofertas”.

    0
  • Salles 2 de março de 2012 at 11:23

    Pessoal,

    Hoje tive uma ideia meio maluca: resolvi pesquisar no yahoo respostas o termo “bolha imobiliaria” para ver as discussoes sobre o assunto…

    Eu imaginava que 90% das pessoas estariam falando sobre a bolha americana. porém, fiquei surpreso ao ver a grande quantidade de gente falando sobre a bolha brasileira! O que incrível é que, em geral, os usuários do Yahoo Respostas são pessoas “leigas” (diferente dos usuários desse blog ou de foruns sobre finanças, onde os usuários em geral são, pelo menos, pessoas muito interessadas em economia, finanças, etc..).

    Obs: parece que a maioria absoluta das pessoas que estão discutindo no YR acreditam na bolha brasileira e, assim como nós, acha que ela vai estourar muito brevemente…

    0
  • GB 2 de março de 2012 at 12:52

    Segundo pesquisas, os 3 “profissionais” menos confiáveis na visão do povo são: 1º políticos, 2º taxistas, 3º corretores de imóveis, . . .

    Depois que a bolha estourar eu acho que corretores de imóveis vão ganhar uma posição e ficar em 2º lugar (se é que já não estão).

    0
    • GB 2 de março de 2012 at 12:58

      As imobiliárias estão sempre do lado dos proprietários, basta ler um contrato de aluguel para ver como as coisas são, quem aluga tem milhões de obrigações, o proprietário só tem a obrigação de ceder o imóvel.

      É óbvio que na venda eles vão sempre incentivar os proprietários a aumentar os preços, as comissões deles dependen disso, mesmo que fiquem anos parados, a culpa vai ser sempre dos compradores que não tem $$$.

      Eu não me importaria com uma bela crise se 90% dessas pseudo-Imobiliárias falissem e esse povo todo que está distorcendo o mercado e ganhando com isso voltasse a vender bala nos semáforos.

      0
  • Tentando entender 2 de março de 2012 at 13:12

    Bolha,
    Acho que tem uma outra matéria que pode merecer mais destaque aqui no blog, quem sabe até um novo tópico.
    Acho que a notícia que o Jacó estava esperando e que realmente dá a base econômica para um estouro de bolha.
    Cito:
    “Logo, é possível que haja uma recessão talvez já no atual trimestre ou no próximo.
    Entretanto, e isso deve ser muito enfatizado, tudo vai depender de como o Banco Central vai continuar se comportando. Caso ele, já no próximo mês, reverta a atual postura, nitidamente contracionista, e adote uma mais expansionista, tanto a desaceleração econômica quanto a atual desinflação da bolha imobiliária podem ser revertidas — porém, ao custo de um novo aumento da inflação de preços e um inevitável e ainda mais rigoroso reajuste econômico (recessão) no futuro.”
    O artigo está no Mises: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1238
    E fala sobre a acentuada contração na emissão de moeda e na concessão de crédito, além da redução do M1 em virtude dos bancos estarem se preparando e reservando fundos para uma onda de calotes.
    Como sempre falamos a tendência pode ser revertida pelo BC com QE à brasileira, mas as tendências dos gráficos já vêm indicando quedas acentuadas há desde o início de 2011.
    Dê uma olhada na notícia e veja se vale.
    Um abraço

    0
    • Bolha Imobiliária 2 de março de 2012 at 14:17

      Os artigos do mises são muito bons, agora estou sem tempo para ler, talvez amanhã eu poste, para a final de semana.

      0
  • Dr. Estranho 5 de março de 2012 at 18:41

    O que aconteceu? Todos estão de férias? Sem comentários? E o bipolar do Luighi? Foi internado?

    0
  • Dr. Estranho 5 de março de 2012 at 19:03

    O imóvel que me interessei semana passada pulou de 270 para 320. Está à venda há pelo menos 6 meses. Aumentou porque apenas me interessei? A bolha deve ser culpa minha agora.
    Sorry.

    0
  • Dr. Estranho 11 de março de 2012 at 17:27

    teste

    0
  • Marcel Gugoni 16 de março de 2012 at 17:36

    E agora já tem empresa dando R$ 150 mil de descontos em imóveis para desovar a sobreoferta: http://www.valor.com.br/empresas/2573018/e-hora-de-descontos-na-compra-de-imoveis

    0