Expectativa frustrada causa crise imobiliária em Marabá – Correio de Tocantins

Você pode gostar...

Comments
  • Carlos Wagner 25 de fevereiro de 2012 at 23:03

    Bolha

    Ninguem iria crucifica-lo, afinal o blog é seu.

    Ademais, a materia é um retrato fiel do que está ocorrendo no restante do país, pelo menos falo pela minha regiao (Vale do Paraiba – interior de SP).

    Otima materia. Vem ao encontro de tudo que discutimos aqui desde o inicio.

    0
    • RT 26 de fevereiro de 2012 at 11:15

      “Bolha

      Ninguem iria crucifica-lo, afinal o blog é seu.”

      Caro Bolha,

      Faço minhas as palavras do Carlos.

      E sinto que devo uma explicação: eu fui um dos que criticou a matéria da EXAME, que foi um dos últimos “posts”. Entretanto, gostaria de esclarecer: ao criticar, não quis sugerir que ela “não deveria ter sido postada”. Pelo contrário: na minha opinião, tudo que sair na imprensa referente ao mercado imobiliário dá um “post” válido, para que possamos discutí-lo.

      Enfim: minha intenção era a de criticar a matéria, e não o blog. Encarecidamente, peço desculpas se minha opinião naquele “post” deu a entender algo diferente.

      0
      • Bolha Imobiliária 26 de fevereiro de 2012 at 18:17

        Rodrigo, não foi por isto que escrevi isto. O nível de discussão e de argumentação do blog é muito alto, e não tenho conseguido acompanhar, pois me sinto fraco perto de tantas pessoas inteligentes discutindo o assunto, então as vezes não sei se uma reportagem vai ser bem aceita para discussão ou não. Esta reportagem da Exame foi enganatória, foi bom ter postado, assim muita gente desmascarou a idéia que eles quiseram passar. Parabéns para todos que leram e viram a tentativa de manipulação da matéria

        0
  • Marcelo 25 de fevereiro de 2012 at 23:29

    Acho um otimo post, pois resume em escala reduzida o que esperamos que venha a ocorrer em todo Brasil (infelizmente pra economia como um todo). Nas capitais o problema e mais facilmente maquiado com as desculpas de escassez de terrenos, deficit de mao de obra e outras baboseiras. No interior sim e que e diferente.

    0
  • Cai Cai Balão 25 de fevereiro de 2012 at 23:35

    Se Belo Monte não sair, o mesmo pode vir a acontecer em Altamira/PA. Conheço gente que deixou a cidade para morar em Santarém, pois recebeu ofertas irrecusáveis de aluguel, deixou a própria casa pra morar noutra cidade, fez do único imóvel meio de vida.

    0
  • Carlos Wagner 26 de fevereiro de 2012 at 00:46

    Nada como fazer bons negocios:

    GOL G4 TREND VERMELHO/ 4.000,00+33X 669
    Descrição: FINANCIADO COM IPI REDUZIDO, PAGUEI 18.000,00 E VENDO POR 4.000,00 mais 33×669,00
    Preço: R$ 4.000,00
    Cidade: são josé dos campos
    Nome:
    Email:
    Telefone:

    É pessoal, a agua ta batendo no pescoço, a empogação das aquisições desapareceu e a realidade dos fatos está vindo a tona, seja com carros, imoveis ou qualquer outro bem que cause endividamento prolongado.

    0
    • xangai 26 de fevereiro de 2012 at 12:32

      e se procurar mais eh muito facil achar ::: ” vendo urgente ( de qq jeito ) para pagamento de entrega de imovel” ..

      se nao conseguir vender , provavelmente , eh mais um a contar nos recordes ( 5%) de inadimplencia de automoveis.

      daqui a quanto tempo vai ser mais um em “inadimplencia de imovel” !?!?

      0
  • @xologo... 26 de fevereiro de 2012 at 01:13

    Dinheiro é dinheiro e merece todo respeito! Somente maluco pra tratar dinheiro alheio como Capim e achar que a farra vai durar para sempre! Para mim tudo é feito na base da conta burra, Ex.: Faço uma casinha e ganho 100 mil, faço dez casinhas e ja sou milhonario! O unico problema é que antes era facil achar 10 trouchas, porem agora está ficando dificil achar 1. O mercado vai ter de passar por ajustes, afinal o estoque de trouxas capazes esta se esgotando e os estoques estão elevados.

    0
    • Leno 26 de fevereiro de 2012 at 01:21

      Acho que o estoque de trouxas é infinito.Reduza a renda minima necessária para financiar e aumente mais ainda os prazos para pagamento e verá o que acontece.
      Alem de termos uma demanda reprimida, tambem temos uma demanda emburrecida.

      0
      • JPM 26 de fevereiro de 2012 at 10:58

        Esse é o problema: o estoque de trouxas NÃO É INFINITO. Se fosse, as bolhas nunca estourariam (e os esquemas de ponzi dariam certo). A grande falha na lógica dos que acreditam em valorização real infinita (e ponzi, pirâmides, etc..) é que eles não levam em conta o número finito de potenciais participantes. Quando esse número se esgota (fato que pode ser adiado ou adiantado, conforme a habilidade/capacidade de quem opera o sistema) a estrutura desaba.
        É o que está acontecendo agora, no Brasil. O estoque de trouxas que ainda consegue comprar alguma coisa está quase acabando. Se facilitarem mais o crédito, como você sugere, mais trouxas poderão comprar. Mas isso apenas adiaria o esgotamento. Mesmo que convertessem todos os brasileiros em trouxas, nossa população é finita. Um dia, fatidicamente, PLOC

        0
        • Leno 26 de fevereiro de 2012 at 11:12

          JPM,

          O que eu quis expressar é que a bolha estoura quando começa a acabar o número “trouxas” CAPAZ de entrar nos fincanciamentos atuais, e não porque acabou os “trouxas”. Deve-se levar em conta que esses “trouxas” se renovam. Uma pessoa de 16 anos hoje ainda está fora do público para compra de imovel, porem daqui a 5 anos ela poderá estar. Logo, se daqui a 5 anos ainda estivermos em uma situação como hoje, essa pessoal tem grande chances de continuar alimentando o sistema. Obviamente, o estouro um dia é inevitável, porem pode dar uma grande sobrevida se conseguiram fazer a mágica de um cidadão que ganha 1.500k/mes conseguir financiar um ap de 300k.

          0
  • Anonymous 26 de fevereiro de 2012 at 01:31

    1 – O website “Oportunidades Camargo Correa”

    começou como: www . oportunidadescamargocorrea . com . br

    passou para: www . ccdi . com . br

    HOJE: Não existe mais. Será que vendeu tudo?

    2 – O website “PromoImóveis” está ativo com uma promoção de destaque onde voce economiza 96 mil Reais: www . promoimoveis . com . br

    3 – O website Realton está ativo, prometendo desconto de 180 mil Reais: www . realton . com . br

    Na Banânia NÃO é diferente: Ponta de estoque de imóveis chega ao Brasil: A ideia de vendas de imóveis através de descontos nasceu nos Estados Unidos, há cerca de cinco anos, e é a primeira vez que um site foca no mercado brasileiro.

    0
  • jayme 26 de fevereiro de 2012 at 01:58

    mércia ??
    essa mule nao morreu ?
    ressucitou como corretora no para ??

    0
  • Anonymous 26 de fevereiro de 2012 at 03:54

    * Greve atrapalha segmento da construção civil
    11 de fevereiro de 2012

    genteemercado . com . br/greve-atrapalha-segmento-da-construcao-civil/

    A greve da Polícia Militar continua afetando a economia baiana. Segundo Luiz Augusto Amoedo, diretor da Brasil Brooker, as vendas de apartamentos desde que iniciou a greve registrou queda e em muitos casos de 80%. “As pessoas se sentem inseguras e evitam sair de casa. As vendas caíram muito e houve stands que tivemos que fechar. Trata-se do pior mês de vendas da história da empresa”, declara.

    * Desaceleração trava setor imobiliário em São Paulo, diz Secovi
    9 de janeiro de 2012

    economia . terra . com . br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201201191643_TRR_80745155

    O mercado imobiliário paulista já está sendo afetado diretamente pela desaceleração da economia brasileira. Segundo dados divulgados pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) na última terça-feira, cerca de 31 mil imóveis novos foram vendidos na capital, o menor número desde 2006. O valor é 20,8% menor do que o registrado em 2010. As informações são do JB Online.

    * Nem cidade turística escapa do baixo movimento do comércio
    28/01/2012

    www . satcweb . com . br/site/default.asp?pagina=subareas/noticias/detalhes.asp&i_area=1&i_conteudo=9177

    “Todo verão até 15 ou 20 de janeiro vendemos bem, este ano foi bem diferente”, revela Evaldo Santos.

    De acordo com Santos, a queda deve chegar a 50% em relação ao ano passado.

    “É muito financiamento de carros, imóveis, chega nesta época o povo não tem mais dinheiro para comprar, só para pagar. Até o meio do mês temos movimento, mas esse ano está assim fraco”, afirma o proprietário.

    * Venda de casa nova é a menor em 5 anos
    17/1/2012

    www . blocobrasil . com . br/noticias-detalhe.asp?cod=474

    A venda de residências novas na capital paulista em 2011 foi a menor em cinco anos. Foram comercializadas cerca de 31 mil unidades, segundo estimativa do Secovi-SP (Sindicato da Habitação). O número não era tão baixo desde 2006, quando foram negociados 28,3 mil imóveis.

    0
    • Paty 27 de fevereiro de 2012 at 10:21

      KKK essa é boa…..

      0
  • Sol de Sampa 26 de fevereiro de 2012 at 06:16

    Para quem duvida, ACHO QUE A BOLHA ESTOURA MESMO EM MARÇO pelo jeito a crise da EUROPA vai pegar os paises emergentes deem uma olhada no que o Mantega disse abaixo, e aproveitem para ler noticias de Pernambuco no Jornal do Comercio, se der eu posto mais tarde:

    25/02/2012 – 23h00 UOL NOTICIAS – ECONOMIA
    Mantega pede que G20 atue contra desaceleração mundial

    MÉXICO, 25 Fev 2012 (AFP) -O Brasil espera que o G20 adote medidas contra a “desaceleração mundial” e o risco da disparada dos preços do petróleo provocada por questões políticas, disse neste sábado o ministro brasileiro da Fazenda, Guido Mantega, no México.

    “Estão criando um problema sério a ser resolvido pelo G20, que é a desaceleração da economia mundial”, afirmou Mantega à imprensa após se reunir com seus homólogos dos BRICS (Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul).

    “A demora na normalização (da situação europeia) está levando à deterioração do crescimento mundial (…) e existem outros problemas que estão emergindo, que exigem os cuidados do G20”.

    Mantega acrescentou que as previsões do Fundo Monetário Internacional apontam para uma atividade “mais lenta” em 2012 e 2013, diante da “demora na solução” dos problemas da dívida pública na zona do euro e das “políticas de contração” que estão aplicando.

    Neste sentido, advertiu para o risco de a queda da atividade atingir, principalmente, o mercado de matérias primas e o “comércio internacional”, derrubando as economias emergentes.

    Além disso, “existe uma grande preocupação” sobre o aumento do preço do petróleo devido a questões políticas, disse o ministro em referência à crise no Irã.

    Mantega está no México para a reunião de ministros da Fazenda e presidentes de Bancos Centrais do G20.

    0
    • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 26 de fevereiro de 2012 at 08:42

      Pra mim ja estourou desde setembro em diante de 2011 quando as vendas vem caindo…caindo…caindo….e caindo mes ante mes. Agora a situaçao esta ficando insustentavel e o calo começa a apertar. Vamos ver ainda quanto sofrimento suportarao nossos bravos investioderes e nossas competentes construtoras – So pra se ter uma ideia este mes de fev. de 2012 minha empresa vendeu 50% menos do que toda a media mensal dos meses anteriores. Nao sei se e reflexo do carnaval mais festas de fim de ano + IPTU + IPVA + Volta as Aulas – vamos ver como sera março e nessa hora, ate eu que nao sou investior fico com pe atraz pois se essa reduçao de vendas for geral e se manter assim a coisa realmente sera um caos – mesmo tendo umas esconomias guardadas, ate comprar imovel com preço reduzido parece uma insanidade. Vamos deixar o tempo agir…e o famoso “deixa como ta pra ver como e que fica”

      0
      • Shakespeare 26 de fevereiro de 2012 at 10:18

        sua empresa vende qual tipo de produto?

        0
        • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 26 de fevereiro de 2012 at 10:49

          Acredite se quiser trabalkho com o melhor ativo financeiro do momento – joias. Estava vendendo bem ate janeiro. Agora fevereiro nunca vi coisa tao ruim – o pior mes desde que fundei a empresa em 2008.

          0
    • Annibal 26 de fevereiro de 2012 at 11:41

      ““A demora na normalização (da situação europeia) está levando à deterioração do crescimento mundial (…) e existem outros problemas que estão emergindo, que exigem os cuidados do G20″.”

      Ouvindo o Mantega falar até parece q é fácil resolver o problemas na Europa, ele bem q podia resolver nossos problemas q já duram 512 anos, né???

      Adoro ouvir os Keynesianos, sai cada pérola…

      0
    • xyz 26 de fevereiro de 2012 at 11:33

      Enquanto o governo puder segurar a bronca, nenhuma bolha estoura.
      O governo se acha todo poderoso, pois pode “pegar” quantos bilhões quiser do tesouro (por enquanto) e SEM QUALQUER PUDOR não vai economizar nenhuma ‘arma” para manter a bolha.

      O mais engraçado que todo membro deste governo se refere aos problemas como se nada tivessem a ver com eles. Até nas inaugurações de obras (geralmente pedras-fundamentais) os discursos são como se ainda fossem oposição, quando criticam os atrasos e os superfaturamentos. Esta estratégia ara marca registrada do Lula. A plateia sempre aplaude.

      0
      • Carlos Wagner 26 de fevereiro de 2012 at 12:08

        XYZ

        Eu acredito que o governo poderia sim manter a bolha inflando e impedir seu estouro desde que com a alta dos preços, ainda restasse um ingrediente fundamental: Capacidade de financiamento do povo.

        No momento atual, além do povo nao ter mais capacidade de absover os preços praticados, o endividamento e a inadimplencia bater recorde mês a Mês.

        Pra mim, a unica solução seria o povo aumentar substancialmente a renda da população, perdoar as dividas ja contraidas e distribuir dinheiro. Mesmo assim isso teria eficacia de curto prazo, pois com maior volume monetario circulando, logo os preços acompanhariam o aumento novamente e o mercado travaria de novo.

        Resumindo: Não tem jeito. A situação ja bateu no teto, agora é ladeira abaixo…

        0
        • Carlos Wagner 26 de fevereiro de 2012 at 12:09

          Retificando:

          onde se lê: “Pra mim, a unica solução seria o povo aumentar substancialmente a renda da população”

          Leia-se: “Pra mim, a unica solução seria o GOVERNO aumentar substancialmente a renda da população”

          0
        • xyz 26 de fevereiro de 2012 at 12:17

          Concordo, mas não subestimemos a “criatividade” do governo.

          0
  • Joao 26 de fevereiro de 2012 at 08:29

    Para quem é do vale do Paraiba, olhe o desespero batendo a porta! Não estou conseguindo comentar na matéria! Acho que é tanto disparate, uma matéria tão comprada, que estão até com medo de abrir comentários!

    Creci quer imóveis usados no Minha Casa, Minha Vida

    “w w w . ovale.com.br/regi-o/creci-quer-imoveis-usados-no-minha-casa-minha-vida-1.224046?login_formerror=auth”

    Thiago Leon
    Segundo entidade, 2 milhões de imóveis usados seriam compatíveis ao programa federal em todo país

    Arthur Costa
    São José dos Campos

    Há oito meses, o corretor Clayton Souza Dias, 40 anos, procura um inquilino para um imóvel de 150 metros quadrados na Vila Tesouro, zona leste de São José.
    A casa, de dois dormitórios, cozinha, sala de estar e garagem para dois carros é avaliada em R$ 170 mil e recebe mensalmente 15 visitas. De acordo com Dias, a chance de fechar negócio esbarra sempre no mesmo ponto: o valor da entrada.
    Concorrendo com as taxas de financiamento do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’, os imóveis usados vêm perdendo espaço, aponta o corretor.
    Por este motivo, o Creci (Conselho Regional de Corretores de Imóveis) de São Paulo lançou nova ofensiva para incluir os imóveis usados no programa habitacional do governo federal, hoje exclusivo à imóveis novos.
    A proposta está sendo analisada pelo Ministério das Cidades e não tem previsão para ser apreciada.
    De acordo com o presidente do Creci em São Paulo, José Augusto Viana Neto, o país possui 4,5 milhões de imóveis usados para comercialização. Deste total, 2 milhões seriam compatíveis com o ‘Minha Casa, Minha Vida’.
    “Essa mudança diminuiria a ociosidade dos imóveis usados”, afirma o delegado regional do Creci no Vale, Denerval Machado de Melo.

    Avaliação. A medida agrada as entidades ligadas ao setor imobiliário da região. No entanto, a característica dos moradores é apontada como empecilho para que a medida ganhe adesão.
    “Acho uma medida boa. No entanto, o problema é que o poder aquisitivo das pessoas no Vale não se encaixa no ‘Minha Casa, Minha Vida’. Temos uma quantidade até boa de imóveis, mas não há vendas. Nos últimos dois anos, caiu bem essa procura pelo programa”, disse o presidente da Asseivap (Associação das Empresas Imobiliárias do Vale do Paraíba e Litoral Norte), Marcos Aurelio Peneluppi.
    Outro empecilho para que a sugestão do Creci seja implantada é a ideia inicial do programa. “O governo federal fez o ‘Minha Casa, Minha Vida’ só para imóveis novos para criar novos empregos na construção civil”, disse Peneluppi.
    O presidente da Aconvap (Associação das Construtoras do Vale do Paraíba), Cléber Córdoba, identificou o mesmo problema. “Isso (inclusão dos usados) já foi solicitado no governo do presidente Lula e acabou não sendo implementado”, disse.

    Alteração. Empresários do setor habitacional defendem mudanças no perfil dos usuários. A principal crítica é o teto da renda familiar dos moradores, hoje de dez salários mínimos.
    “Durante a pesquisa de mercado que a Asseivap fez em 2011, nossos agenciadores constataram que a renda das pessoas subiu e há dificuldade para encontrar o perfil que se encaixa no programa. Aquele critério de até três 3 salários mínimos de renda não existe aqui”, disse Peneluppi.
    Criado em 2009, o programa ‘Minha Casa, Minha vida’ surgiu com proposta de construir 1 milhão de moradias. Até agora, entregou 200 mil.

    SAIBA MAIS

    Proposta
    Incluir imóveis usados no Minha Casa, Minha Vida

    Motivo
    Diminuir ociosidade de imóveis usados, pouco atrativos em relação as taxas do Minha Casa, Minha Vida

    Prós
    Clientes teriam mais opções para adquirir sua casa própria

    Contras
    Medida não fomenta indústria da construção civil

    0
    • Paulo Rocha 26 de fevereiro de 2012 at 09:46

      A matéria parece estar aberta para comentários.

      0
      • Joao 26 de fevereiro de 2012 at 09:53

        Verdade Paulo, o problema era aqui!
        Valeu

        0
      • Raposão 27 de fevereiro de 2012 at 08:40

        Se não fomenta a indústria da construção civil, entenda-se financiadores de campanha eleitoral, creio que não “decola”, a não ser que o CRECI estréie no ramo nas eleições municipais desse ano.

        Att.
        Raposão, antevendo o voto nulo.

        0
    • @xologo... 26 de fevereiro de 2012 at 11:39

      Se o governo aprovar isto, eu passo acreditar que estamos na mão dos maiores incompetentes da Historia. Onde já se viu subsidiar desova de casa velha Bolhuda?

      0
      • xyz 26 de fevereiro de 2012 at 11:42

        Há muito não tenho qualquer dúvida da incompetência extrema deste governo.
        Mesmo a corrupção, que é a maior da história recente, não é mais danosa que a incompetência.

        Mas de que mais tenho medo são as medidas desesperadas que ainda virão, e cito duas das que mais me dão arrepio na espinha: (1) dedução dos juros no imposto de renda e (2) perdão generalizado dos inadimplentes.

        Tenho medo, pois quem vai pagar somos nós que pagamos nossas contas em dia e não gostamos de dívidas.

        0
        • Shakespeare 26 de fevereiro de 2012 at 13:41

          Li no facebook:

          O IBAMA proíbe a confecção de bolsas feitas de couro de jacaré, mas não existe lei que impeça bolsas família feitas do couro da classe média!

          0
          • Q 27 de fevereiro de 2012 at 08:10

            KKKKKKK!

            0
    • Carlos Wagner 26 de fevereiro de 2012 at 12:20

      “renda das pessoas subiu e há dificuldade para encontrar o perfil que se encaixa no programa. Aquele critério de até três 3 salários mínimos de renda não existe aqui”, disse Peneluppi.”

      Brilhante a conclusão desse Peneluppi: O problema é que as pessoas tem renda alta demais para se encaixar no programa, pois senão comprariam a rodo os imoveis mal construidos e mal acabados que compoem o MCMV. Realmente é o sonho de todo mundo morar num imovel assim.

      Eu fico espantado com a capacidade demagogica desses caras… O problema é que o povo esquece, se não um cara desses nunca mais conseguiria emprego na vida nesse ramo.

      0
    • Victor 27 de fevereiro de 2012 at 08:42

      Acho que não passa não, compra de imóveis usados não gera PIB e é PIB que o governo quer.

      0
      • Raposão 27 de fevereiro de 2012 at 08:46

        Boa… Na China isso estaria completamente fora de cogitação.

        0
  • Mohawk 26 de fevereiro de 2012 at 09:59

    Quanto tempo para ver essa reportagem replicada por todo o país?

    0
  • Diego RJ 26 de fevereiro de 2012 at 10:09

    Enquanto isso o indice fipe zap só sobe. Vai entender!!

    0
    • Shakespeare 26 de fevereiro de 2012 at 10:11

      nem olha mais esse que é outro índice do faz-me-rir

      0
    • @xologo... 26 de fevereiro de 2012 at 11:45

      Fipe, não serve nem pra balizar preço de carro velho mais. Se duvidar entre no webmotors e verifique.
      O ZAP beira o riduculo. Vamos dar um espelho pra esta turma ver o enorme nariz vermelho na ponta do nariz deles!

      0
      • @xologo... 26 de fevereiro de 2012 at 10:55

        Favor corrigir : Vamos dar um espelho pra esta turma ver o enorme vermelho na ponta do nariz deles!

        0
  • Mineiro quer bolha 26 de fevereiro de 2012 at 10:17

    O ministro ja jogou a toalha

    No G-20, Mantega faz alerta sobre desaceleração global
    Agencia Estado

    O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse hoje que existe a percepção, entre os países do G-20 (grupo das 20 maiores economias do mundo), de que a situação na zona do euro melhorou desde a reunião de cúpula dos líderes dessas nações em Cannes, no fim do ano passado, mas que agora as preocupações são com a desaceleração mundial e o aumento do desemprego. Ou seja, “alguns problemas foram resolvidos, outros ainda não”. Mantega falou rapidamente com jornalistas no fim da tarde (no México) antes de ir ao jantar dos ministros de finanças e presidentes de bancos centrais do G-20, que estão reunidos neste fim de semana na Cidade do México.
    “Saímos do sufoco. Não há grandes riscos de rupturas ou de estresse na área financeira e da dívida dos países, mas há etapas a serem percorridas pelos europeus para normalizar situação internacional”, disse. Segundo o ministro, a demora nessa normalização tem gerado a deterioração do crescimento mundial. “Um problema caminha para solução, mas outros estão emergindo e temos o problema sério da desaceleração mundial”, acrescentou.
    Para o Brasil e os demais emergentes, essa desaceleração é muito preocupante, disse Mantega. “A queda de preços de commodities jogaria no chão muitas economias emergentes, afirmou o ministro. Outro problema, ressaltou, é a alta recente do petróleo, que causa danos à economia global. “Nós controlamos a inflação, mas agora temos o problema do petróleo”.

    0
    • Carlos Wagner 26 de fevereiro de 2012 at 12:59

      Figurinha repetida. A tatica de jogar a responsabilidade pelo descontrole economico e altas inflacionarias é historinha que se repete.

      Vejam esse trecho da materia que citei ha alguns dias publica no MISES com o titulo: “A definição popular de inflação impede a adoção de políticas sensatas”

      “Em época de aumentos generalizados nos índices de inflação, os economistas tendem a explicar tal fenômeno colocando a culpa em alguns fatores pontuais, como se o aumento no preço de um determinado produto pudesse gerar toda uma reação em cascata. Assim, os culpados preferidos dos surtos inflacionários são sempre a alta do petróleo causada por tensões no Oriente Médio, eventos climáticos como escassez ou excesso de chuvas, as pressões sindicais por maiores salários ou até mesmo a subida das tarifas aéreas, da energia elétrica e dos fretes.”

      Vale a leitura da matéria. É como se retratassem a situação brasileira e previssem o que esta por vir. Os erros são sempre os mesmos, se repetem de tempos em tempos em varios países ms a ideia é sempre a mesma: Aqui é diferente.

      0
  • Polamalu 26 de fevereiro de 2012 at 10:18

    Observem que a criação de um estado e de uma grande empresa injetaria algum dinheiro na cidade, o que seria uma expectativa mais razoável de aumento do que para muitas cidades sede de jogos da copa. Há cidades que vão receber 1 ou 2 jogos de copa do mundo, provavelmente dos times mais perebas (Andorra, Chechênia, etc.) e justificam os preços altos por isso. Na melhor das hipóteses, vão acabar como Marabá e ainda com uma grande dívida para os próximos anos.

    0
  • MrK 26 de fevereiro de 2012 at 10:31

    Sabe o que eu acho engraçado? em todo lugar tem uma “justificativa” pro preço subir

    nesse caso é o a alpa, ou o estado de carajás (?!), em recife o porto de suape, no rio o pre-sal e olimpíadas, em são paulo a copa do mundo, em brasília os concursos publicos… NINGUÉM tem coragem de admitir que os preços subiram por conta do crédito e da especulação que se seguiu, tem sempre um “motivo”, é ridículo!!

    sim, marabá é um microcosmos do Brasil, a bomba vai vir pra todos os lados

    0
    • xyz 26 de fevereiro de 2012 at 11:15

      Ou seja, não há qualquer justificativa.

      0
      • peterson 26 de fevereiro de 2012 at 13:08

        logico que há, eis mais uma lucida contribuição ao blog, toda e qualquer justificativa da bolha é uma premissa de sua ruptura, ora, toda bolha nasce de uma especulação, e toda especulação nasce de um noticia, toda noticia surge de um fato, todo fato pode ser veridico ou não, e toda verdade surge de uma justificativa (lei, teorema, etc). assim qualquer justificativa é uma premissa da bolha, mais precisamente de como será seu fim… desenhando: a bolha de marabá estourou com o plebiscito, a da china com o fim das obras, a da espanha com o fim do crédito, a das tulipas com a sobreoferta, a do brasil com o fim………. esse eu deixo para bons entendedores.

        0
    • bruno 26 de fevereiro de 2012 at 12:38

      em Uberaba o motivo é a planta de amonia da petrobras…kkk

      0
  • MrK 26 de fevereiro de 2012 at 10:35

    Enquanto isso no microcosmos da gávea…

    Um prédio novo, novinho em folha, só no zap 4 imóveis diferentes a alugar, o prédio foi entregue em meados de novembro, ou seja, fazem aí uns 3 meses que estão pra alugar, aposto que se encostar no porteiro aparece mais 1 ou 2… tá tudo encalhado, estão combinando preço (os 4 pedindo o mesmo,e se vê pelas fotos que são unidades diferentes!)

    acham que quem tem renda alta é otário e vai pagar uma fortuna de aluguel por 75m2? esses 4 proprietários vão se afogar juntinhos, pagando condomínio de R$700 e iptu, sem falar prestações… hahaha!!

    0
    • Shakespeare 26 de fevereiro de 2012 at 12:19

      quanto eles estao pedindo?

      0
  • Cleyton 26 de fevereiro de 2012 at 11:14

    “opina a delegada do Creci”

    Delegada? Tem a falácia do apelo à autoridade mas aí já exagerou né!

    0
    • Felipe 26 de fevereiro de 2012 at 21:43

      Delegado é uma nomeclantura de designação de um representante de um conselho regional numa determinada região.

      0
      • Cleyton 26 de fevereiro de 2012 at 21:50

        Essa eu não sabia, valeu!

        0
  • Annibal 26 de fevereiro de 2012 at 10:49

    http : / /esporte. ig .com .b r/futebol/na-suica-selecao-tem-ingressos-mais-baratos-que-no-brasil/n1597652893411.html

    Entradas para ver Brasil e Bósnia custam de R$ 94 a R$ 476. Em São Paulo e Goiânia torcedor pagou de R$ 150 a R$ 900…

    E da-lhe cartão de crédito….

    0
    • Shakespeare 26 de fevereiro de 2012 at 11:43

      ops… 🙂

      0
    • jayme 26 de fevereiro de 2012 at 22:01

      eh isso ai
      no brasil nego é malandrasso.. paga qualquer merda

      carro “popular” de 50 mil ? .. PAGA
      ingresso pra show a partir de 500 reais ? PAGA

      o brasil ta irracional.

      0
  • Corretor 26 de fevereiro de 2012 at 10:58

    Os exageros pontuais serão corrigidos.

    Mas não acho que haverá uma quebra generalizada, no máximo uma estagnação dos preços com pequena correção do valor real.

    Afinal o reajuste real do salário mínimo veio para ficar, e muitas categorias têm seus salários atrelados ao mínimo. A renda do brasileiro não vai diminuir.

    Bolha só ocorreria se houvesse outra alta de 100% em 3 anos.

    0
    • Cleyton 26 de fevereiro de 2012 at 18:13

      De que país você tá falando? Acho que faz tempo que não vem visitar o brasil né.

      0
    • luidhi 26 de fevereiro de 2012 at 18:22

      Corretor, nem tanto o céu nem tanto o mar. Quebradeira acho que não vai ter mesmo, como muitos pregam aqui. Mas vai ter que ter um ajuste, e para baixo, talvez de 20 a 50%.

      Aliás, não sei porque vocês corretores estão reclamando. Enquanto houve alta, vocês ganharam. Se houver uma correria para venda, vão ganhar do mesmo jeito. Não em unidades,mas em volume. Imagina a quantidade de imóveis de desesperados que estarão a venda. E quem vai vender… Vocês corretores, com o preço depreciado, serão os intermediário para ótimos negócios de venda.

      Onde vocês perdem sim é no preço congelado em um patamar muito alto e mercado parado. É disso que vocês deveriam ter medo.

      abs.

      0
      • @xologo... 26 de fevereiro de 2012 at 19:52

        luidhi,
        Este é o problema. Se estourar a tão afamada Bolha, não vai haver correria atras de Imoveis. Simplesmente pq a demanda foi criada por especuladores e a realidade dos compradores é bem abaixo do estimado. Eu falo que o para ter uma melhora nas vendas os grandes centros , tem que ter opções que devem variar de 50k a 180k. O problema agora vai ser convencer o mercado que acabaram os ¨investidores¨.

        0
        • jayme 26 de fevereiro de 2012 at 22:04

          quando a bolha estourar, e ela vai, os precos serao MAIORES que os atuais.
          os precos ja estao hiperinflacionados, mesmo assim, nego continua jogando pra cima, pq sabem que quando der merda, o ape que vale 500k, e hj anunciado a 1m, sera facilmente vendido a 800k.

          simples assim.
          triste realidade
          mas é a realidade.
          nego nao entendeu isso ainda.

          0
          • Cleyton 26 de fevereiro de 2012 at 22:09

            “quando a bolha estourar, e ela vai, os precos serao MAIORES que os atuais.”

            Não sei o que você anda fumando mas não perde tempo aqui não, vá logo comprar e depois vem oferecer pra gente aqui…

            É cada um que aparece.

            0
            • jayme 26 de fevereiro de 2012 at 23:57

              entao ta filhote..
              hj eh dia 26/2 – vou dar uma de miguel jaco – vai ver se daqui ha 6 meses as paradas nao vao estar mais caras que hoje. MARCA ESSE POST AI..

              0
      • Corretor 26 de fevereiro de 2012 at 20:15

        Em muitas cidades, o mercado não está bom para um corretor de usados.

        Conheço colegas de imobiliárias de usados em Curitiba dizendo que os negócios fechados caíram mais de 30% nos últimos 2 anos, provavelmente por causa do grande número de lançamentos e da recente alta de preços.

        0
    • @xologo... 26 de fevereiro de 2012 at 19:42

      Corretor,
      Quebrar é um termo muito forte. Aposto que vai imperar a velha lei da Oferta e Procura. A não ser que o dinheiro das incorporadoras, seja eterno para bancar o imenso estoque que esta se formando. Temos ainda um numero razoavel de novos investidores que foram atraidos para o mercado imobiliario, torraram sua poupança, seu FGTS e agora vão ter que arcar com uma baita prestaçao. Bom em resumo, se não baixar é pq o realmente as coisas no Brasil são diferentes.

      0
      • Rico 27 de fevereiro de 2012 at 00:09

        Não sei se já comentei, mas o mercado de imóveis me lembra a amway…

        0
    • Pepper 27 de fevereiro de 2012 at 07:56

      É cada um que aqui aparece…
      De onde o sujeito “Corretor” tira que só haveria bolha se houvesse outra alta de 100% em 3 anos?
      E que ideia é essa de que existem muitas categorias vinculadas ao aumento do salário mínimo? Só precisa aumentar automaticamente com o aumento do mínimo o salário de quem ganha exatamente 1 salário mínimo (mas pra esses não sobra dinheiro pra comprar imóveis). Todo o resto pode ter aumento baseado em qualquer outro índice (ou nenhum aumento, como os servidores públicos). Aliás, o artigo 6º da Constituição VEDA expressamente a vinculação ao salário mínimo para QUALQUER FIM.

      0
      • luidhi 27 de fevereiro de 2012 at 11:47

        Informalmente muitas categorias tem sim salários reajustados pelo S.M.

        Quando tive meu primeiro emprego depois de efetivado no estágio, recebi um salário referente a 10 Salários Mínimos. Isso era o que a empresa dizia pagar para recém-formado.

        0
  • Shakespeare 26 de fevereiro de 2012 at 11:42

    ***Off topic***

    mas vale para entender melhor o que está se passando na Banânia:

    Na Suíça, seleção tem ingressos mais baratos que no Brasil

    h t t p ://esporte.ig.com.br/futebol/na-suica-selecao-tem-ingressos-mais-baratos-que-no-brasil/n1597652893411.html

    0
  • Miguel Jacó 26 de fevereiro de 2012 at 11:43

    Manteiguinha é um fanfarrão, ele é a voz que faltava à Dilmaquinista para transformar-se no Grande Molusco do Novo Governo.

    Ele está aos poucos lançando no Mercado as sementes do Desespero e do Culpismo Alheio. Sutilmente, mas de forma crescente, jogará toda a culpa na Crise Européia (que na verdade não existe, é apenas a transferência amarga da conta da farra dos Bancos para o povo).

    Viveremos em 2012 o que era para termos vivido em 2008, e de maneira pior, pois retardamos a dor para manutenção do Milagre do Crescimento Sem Produzir Absolutamente Nada.

    Obs: para quem não acreditava na minha data-limite , as notícias estão aí, florescendo à velocidade da Luz, para todos, para quem quiser ver, rir ou chorar.
    Não sou da Imprensa, não faço parte do Sistema e muito menos entrei nele para tentar destruí-lo. Apenas afasto-me da Realidade Fantasiosa para procurar entender os fatos, e pelo visto tive sucesso em minha análise.

    0
    • realidade 27 de fevereiro de 2012 at 12:39

      É….agora os PeTralhas não podem colocar mais a culpa na “herança maldita” que eles inventaram e propagandearam durante 8 anos do governo molusco. Primeiro porque o molusco tá sem voz e espero que perca toda ela pra sempre.Segundo, a turma que tá aí é mais incompetente ainda,sem falar que a guerrilheira não sabe falar em público… A culpa é da Europa!!!!! a Banânia é a terra linda…..

      0
  • thiago fm 26 de fevereiro de 2012 at 12:41

    Censo de 2010 – Fonte Pesquisa de Preços dos Imóveis 10/2011 – IBOPE

    Município de São Paulo

    Número total de unidades residenciais de ocupação particular em São Paulo (2010)
    3.928.331

    Número de unidades residenciais vagas

    290.317
    7,4% do total

    Os imóveis classificados pelo Censo como vagos representam 7,4% do número total de imóveis residenciais da cidade e parte deles deve estar disponível no mercado para venda ou locação.

    Número de novas unidades residenciais previstas para 2011 (domicílios ocupados)
    65.300

    Município do Rio de Janeiro

    Número total de unidades residenciais de ocupação particular no Rio de Janeiro (2010)
    2.406.906

    Número de unidades residenciais vagas
    191.732
    8,0% do total

    Número de novas unidades residenciais previstas para 2011 (domicílios ocupados)
    38.000

    Os imóveis classificados pelo Censo como vagos representam 8% do número total de imóveis residenciais da cidade e parte deles deve estar disponível no mercado para venda ou locação.

    link do relatório IBOPE
    http ://www.ibope.com .br/download/relatorio_precos_imoveis.pdf

    OBS:

    A partir de agora, com os dados mais atualizados do último Censo sobre os domicílios das cidades, creio que será possível obter análises mais precisas sobre oferta e demanda. Se considerarmos que, salvo alguns desvios, cada domicílio representa uma família, logo que obtermos os dados de renda domiciliar do último Censo, será possível cruzar os dados e filtrar a demanda real x oferta dos municípios de forma um pouco mais precisa.

    Desde agora, o que posso antecipar é que já existe uma distorção ou talvez omissão das informações oficiais que realmente seriam importantes para aferição da oferta de imóveis novos, pelo menos em São Paulo. Verifiquei a metodologia de pesquisa do Secovi e descobri que um imóvel novo só é considerado estoque até 36 meses do lançamento ( o período médio até entrega).

    Percebam que, sendo assim, depois da entrega, os imóveis são desconsiderados para apuração da VSO – venda sobre oferta, criando, assim, uma ilusão sobre o estoque real. Pior que isso, é óbvio que os imóveis vendidos e que serão repassados na entrega por investidores ou devolvidos por falta de pagamento, também não fazem parte do estoque divulgado.

    Apesar do potencial de pressão sobre os preços, o fato é que um imóvel na planta só existe efetivamente quando da sua entrega e essa informação vem sendo negligenciada ou mais provavelmente omitida, no sentido de mascarar a saúde do mercado, fomentando especulação. Estamos obtendo agora dados sobre lançamentos que logicamente só impactarão o mercado de 2 à 3 anos.

    Até nov/2011 o Secovi SP declara que foram lançadas 30587 unidades na cidade de São Paulo. Se fechar o ano como 2010, talvez fechem 2011 por volta de 38000 unidades. Até nov/2011 foram vendidas 24491 unidades com previsão de fechamento um pouco acima de 30000 unidades.

    So…

    Se considerarmos a oportuna informação do IBOPE:

    65000 unidades previstas para 2011 – 30000 = ~ 35000 unidades excedentes para engrossar o estoque e não somente 8000.

    Olhem o pulo do gato! Como diz um amigo do Blog: O pulo é tão grande que o gato foi parar no telhado.

    0
    • thiago fm 26 de fevereiro de 2012 at 13:21

      Na verdade, esse último cálculo ainda é uma estimativa, pois não dá pra saber quantos imóveis após a entrega serão efetivamente ocupados e quantos retornarão ao estoque. De qualquer forma só de olhar já sabemos que a última informação de 16000 imóveis do Secovi para uma cidade como São Paulo é no mínimo questionável.

      0
  • Me 26 de fevereiro de 2012 at 13:19

    Pessoal, alguns devem lembrar do meu post anterior sobre o aumento de meu aluguel de R$ 15,00 o m2 (em final de 2007) para R$ 45,00 e minha falta de sucesso na procura por outro. Embora o que encontrava não estivesse com valores diferentes, a imobiliária do atual estava com muita burocracia e, na falta de melhor termo, não tinha boa postura e cultivava aquela cultura brasileira em relação a inquilinos.

    Cheguei a fazer um passeio por São Paulo em meus dias de folga durante dias úteis, pensando em mudar-me pra lá. As informações que tive estavam muito desencontradas, mas acabei concluindo que a proposta pra trabalho por lá teria que ser muito boa, o que acho difícil de conseguir dado o que me ofereceram aqui. Mas aos raros deste blog agradeço bastante os palpites que me deram, levei muito em conta nos meus passeios por lá. E valeu a pena ter revisitado cidade. Gosto muito de lá, só acho que não daria pra morar.

    O que fiz foi optar por entregar as chaves na última sexta anterior ao carnaval (na verdade não entreguei, já que o apto não estava pintado e ao informá-los sobre isso, explicaram que eles não aceitam a devolução dessa forma, ao contrário de algumas administradoras), passar alguns dias na casa de um amigo que viajou e, passada as festas, alugar o que encontrasse de mais barato por temporada. E assim o fiz. Indicado por alguém de confiança assim que o carnaval acabou, fiz um acordo verbal de pagar antecipadamente R$ 70,00 o m2 mensalmente em um apto mobiliado, podendo sair quando eu desejar. Se ele abruptamente pedir o imóvel de volta, propostas similares não faltarão. Dos pertences que não joguei fora, deixei na casa de um amigo.

    Minha atitude baseou-se no palpite de que honrar um contrato de 30 meses assinando-o semanas antes do carnaval aqui no Rio é pura fria. É normal os preços se acalmarem no meio do ano por aqui. Além disso, mudei recentemente meu endereço de trabalho para um local inusitado para minha área, e não posso concluir ainda sobre estabilidade de lá para mudar-me definitivamente.

    Desconsiderando essa sazonalidade de primavera-verão que sempre teve aqui no Rio, adoraria poder dizer aqui que vi dados realistas pra acreditar que no Rio de Janeiro os aluguéis vão cair este ano mas, sinceramente, não vejo isso. Sim, é possível ver valores menores no ZAP já neste primeiro domingo pós-carnaval, e acho até que pode constar uma queda no índice deles virando março pra abril. Mas, como disse, pós-carnaval sempre foi assim. Acho difícil essa queda persistir por meses este ano. E faz tempo que aluguel aqui tá disputado a tapa. Teve uma matéria (imagino que considerem comprada) que mostra até gringos tendo dificuldades pra encontrar aluguel e tendo que passar um tempo em casa de colegas de empresa. Não duvido. “Não tem biscoito!!!”, diria um comediante.

    Como gosto de ver os dois lados da moeda (e até as laterais dela), agradeço se houverem dados confiáveis sobre o Rio que mostrem possibilidades de eu estar errado, o que seria ótimo. Hoje pra mim o que serve é a zona sul beta(botafogo, catete, flamengo), muito saturada mesmo com lançamentos em vista, ou Tijuca. Aluguel em queda este ano teria o timing perfeito pra mim.

    0
    • Miguel Jacó 26 de fevereiro de 2012 at 13:32

      Me desculpe, mas se quiser alugar algo bom por menos de R$ 2500,00 não encontrará absolutamente nada nestas regiões que você citou (Zona Sul e Tijuca).

      Encontrará prédios caindo aos pedaços, sem garagem, de 35-40m², com geladeira na sala, cozinha (?) que não cabe o fogão, banheiro em que a privada fica debaixo do chuveiro etc etc etc.

      Rio de Janeiro é a Cidade Maravilhosa sim, mas só pra quem tem moradia própria decente em um destes bairros ou na Barra.
      O resto, é pior que em qualquer lugar da Banânia, talvez do mundo.

      0
      • Me 26 de fevereiro de 2012 at 13:43

        Concordo sobre os valores, como explico acima.

        0
      • Ghaspar 26 de fevereiro de 2012 at 13:55

        Concordo no geral e discordo no particular….
        Moro numa excelente casa no Jardim Guanabara ( Ilha do Governador) , terceiro IDH do Rio de Janeiro ( à frente de Ipanema , Lagoa, etc etc…..incrivel não é ??..Google) . Confunde-se qualidade de vida com aglomeração de restaurantes , boates , automóveis e afins…Ninguem estaciona na Zona Sul. Se vc for visitar um amigo , ou vai de taxi , ou deixa o carro a 5 km de distancia.
        A propósito, a Barra já era……..2 horas pra entrar e 3 para sair………..
        Mas a Globo diz que é chique..e é moda.( viva a ZAP) …e já que é moda , podem comer a minha filha ( que eu não tenho..kkkkk) …..

        0
        • Cirilo 26 de fevereiro de 2012 at 14:26

          E desde quando IDH realmente mede a qualidade de vida no Brasil?

          Você está realmente falando que a qualidade de vida no Jardim Guanabara é melhor que em Ipanema?

          0
          • Fábio 26 de fevereiro de 2012 at 15:35

            Vivi 22 anos na zona norte e conheço mto bem a Ilha, em especial o J. Guanabara e francamente não dá para comparar Zona Sul com Ilha, acho a Tijuca muito melhor pelo transporte. Carro na zona sul? Tenho mas uso raramente, tudo faço a pé, metro, fico imaginando eu morando na Ilha e tendo que ir para o centro onde trabalho… dá até dor de cabeça de pensar. E hoje não compraria imovel em nenhum lugar, vou esperar o pós 2016, agora se for para morar na Ilha volto sorrindo a morar na Penha, já q é para trocar zona sul que troque direito rssss.

            0
            • Ghaspar 26 de fevereiro de 2012 at 19:07

              A Penha está na posição 72………kkkkkkk

              0
          • Ghaspar 26 de fevereiro de 2012 at 18:54

            Eu não digo nada …Entra no Google e escreve IDH bairros Rio de janeiro……

            0
          • Ghaspar 26 de fevereiro de 2012 at 19:01

            Infinitamente melhor…E vou mais longe…Tem muita gente que tem condições de morar em na Zona Sul e mora no Jardim Guanabara..Se vc pesquisar vai achar inumeros exemplos…..
            Agora se viver bem é andar pelos barzinhos bebendo pinga e arrotando Drambui..então o lugar certo é a Zona Sul…kkkkkkk

            0
        • Ilha do Governador 26 de fevereiro de 2012 at 22:55

          Pessoal, moro na ilha do governador – Jardim Guanabara desde que nasci (não que eu seja tão velho assim, mas já dou pitaco… hehehe), mas posso dizer que é sim um bom lugar para se morar.
          Porém essa afirmação tem algumas condições limitadoras:
          É um bom lugar se:
          – Você trabalha ou estuda na Ilha/Fundão (UFRJ);
          – Você pode ficar limitado com relação a vida noturna (sextas e sábados à 1h da manhã já está tudo fechado)
          – Você não se importa de viver sem praia pois, apesar de as termos, nenhuma é minimamente balneável;
          – Você não depende de transporte coletivo.

          De resto, realmente a qualidade de vida aqui é muito boa e um lugar muito bom para se criar filhos ou para morar depois de aposentado. No entanto, a bolha também está por aqui e apartamentos entre 350 e 500k são muito comuns sendo normalmente entre 70 e 90m2 (indo para a orla, 500k é o inicial em andar baixo).

          0
          • Noord 27 de fevereiro de 2012 at 21:38

            Morei na Ilha por mais de 30 anos… Nasci e fui criado lá… Comparar a Ilha com ZS, tá de brincadeira… A ilha é incomparável pra quem NÃO precisa sair da Ilha pra nada… Agora, o nosso amigo que mora no Jardim Guanabara, me diz como anda o 324 (onibus que vai para o Centro – o único que passa pelo JG que vai para o Centro)… Além deste, só tem mais 3: 901 – Bonsucesso, 696 – Méier por uma volta infinita e 925 – circular !!!) Ou seja, sem metro, onibus, barca….

            0
      • Ghaspar 26 de fevereiro de 2012 at 14:18

        A proposito. A Tijuca está em DECIMO OITAVO lugar no IDH ( indice de desenvolvimento humano).

        0
    • Corretor 26 de fevereiro de 2012 at 15:09

      Para mim isso demonstra que os preços de venda dos imóveis não está tão absurdo, retirados os exageros que ficam encalhados.

      A demanda por alugueis está alta, e deve continuar assim se não houver crise no pré-sal. A Petrobras anunciou que vai contratar mais 20 mil pessoas até 2015, e uma parte importante desses recém-ingressados vai trabalhar no RJ, vindo de outros locais. A demanda vai aumentar enquanto a oferta vai ficar praticamente estável.

      Para um aluguel de 2500, o preço do imóvel deveria ser 200 vezes maior, em torno de 500.000.

      0
      • Cleyton 26 de fevereiro de 2012 at 18:05

        Vc é um comédia mesmo. Ainda bem que a suelen me ensinou a reconhecer quando a pessoa está sendo irônica (no post sobre a Exame)! Quase pensei que vc estivesse falando sério!

        0
      • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 26 de fevereiro de 2012 at 18:20

        Ah, entendi, como sou idiota. Compro por 500.000 e “tento” alugar por 2.500, e ainda ganho valorizaçao de 20% ao ano, realmente vou pegar meus 10 milhoes e comprar 20 imoveis, porque nao pensei nisso antes? E ainda da essas dicas de graça? Vc. deveria cobrar por sua acessoria. Nao posso mais ficar aqui perdendo tempo vou ao ZAP PLOC agora comprar 20 aps. Muito Obrigado.

        0
        • Corretor 26 de fevereiro de 2012 at 20:06

          Andre

          Não acho que haverá mais valorização de 20% ao ano. Mas a questão é que o aluguel de um 2 quartos antigo na zona sul do RJ está 2500 e as pessoas estão pagando.

          Tirando os lançamentos e alguns proprietários sem noção, o bom senso mostra que a valorização na zona sul veio pra ficar, muito embora futuras altas não estejam previstas nem pela grande imprensa.

          Não adianta alguns torcerem para os preços caírem, é preciso analisar com imparcialidade.

          0
          • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 26 de fevereiro de 2012 at 21:45

            Sabe o que realmente me deixa irritado….e essa conversa mole de que as pessoas estao pagando…as pessoas estao comprando…as pessoas estao ricas…as pessoas estao nos EUA e Europa, enfim temos que seguir essas pessoas senao somos uns fracassados. Pois bem, quero que vc me diga nominalmente quem ou quantas “pessoas” que vc conhece pagam 2500 pra morar na zona sul num ap que vale 500.000,00???? Nao me diga que sao essas mesmas pessoas que compraram na planta e hoje estao chorando lagrimas de sangue. Ou sao aquelas pessoas ricas, cheias da grana – que estao fugindo do oficial de justiça pra nao serem citados em processos de execuçao? Ou sao esses que vao pra os EUA e voltam com a mala cheia de muamba pra ver se levantam alguns trocados? Ou sao essas outras pessoas que financiaram os aps e agora nao conseguem pagar? Nao sei quem sao as pessoas mas certamente com 500.000 na minha conta nao compraria um ap desses e tambem nao alugaria um desses por 2500,00 – pra quem esta se afogando jacare e tronco – faria um sacrificio moraria num lugar mais em conta ate a mare baixar – prefiro fazer um sacrificio a curto prazo de que uma loucura eterna – deve ter sim quem pague os 2500,00 mas te garanto essas pessoas nao sao muitas….pra pagar 2500 tem que ganahr no minimo uns R$ 8.000,00 e te garanto – essas “pessoas” nao sao muitas – alias volto a repetir RJ nao e mais nem sombra do que foi….cuidado pra isso ai nao virar um Guaruja da Vida – Lembram da Perola do Atalantico…pois bem…Lembram da Cidade Maravilhosa…

            0
            • Corretor 26 de fevereiro de 2012 at 22:57

              também não tenho 500.000 no banco e também tenho inveja dos que têm

              conheço muitas pessoas que não querem pagar 2500 e estão indo para Meier, Irajá, Vicente de Carvalho, etc.

              podem ser lugares bons, mas os novatos que chegam de fora não conhecem e preferem gastar 2500 enquanto pensam no que fazer

              a questão é que o futuro dirá se os preços vão subir ou cair, mas nossos desejos e esperanças não influenciam em nada

              0
          • Ana Paz 28 de fevereiro de 2012 at 12:36

            Desculpa, mas nao tem gente pagando não.
            No meu edifício (posto 6 de copa), há um 3 quartos, reformado, com vaga, anunciado por R$3.000,00 (desde o início de fevereiro) e ainda não apareceu candidato. Começou com anúncio por R$3.500,00, em janeiro.
            O meu prédio só tem vinte apartamentos e mais dois locatários estão entregando as chaves este mês.
            Os “pobres” proprietários vao ter q pagar condomínio no mes que vem, se não adequarem os preços… vai rolar um desfalque no bolso, por causa do olho-grande!!!

            0
        • jayme 26 de fevereiro de 2012 at 22:10

          serio,
          voce tem 10 milhoes ?

          0
          • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 26 de fevereiro de 2012 at 22:16

            Claro, mas isso foi hoje a tarde, ate receber os conselhos financeiros do CORRETOR e fiz o que ele me recomendou – gastei tudo e comprei no ZAP PLOC 20 APARTAMENTOS DE 50M na zona Sul do Rio, e agora vou por pra alugar todos por R$ 2.500,00 (+IPTU e Condominio) o que vai sair a micharia de uns R$ 3.300,00 (Bem barato levando em consideraçao o local – copa do Mudo e Olimpiadas) – Quer alugar 1 pra vc? De acordo com meu acessor financeiroTem muitas pessoas fazendo isso – comprar pra alugar. Vou me dar bem 🙂 🙂 🙂

            0
            • luidhi 27 de fevereiro de 2012 at 11:52

              Essas discussões parciais de um lado e para outro me embrulham o estômago.

              As pessoas não conseguem analisar friamente uma situação, levando a coisa na emoção geralmente defendendo seus interesses.

              Aff…

              0
      • Fabio 26 de fevereiro de 2012 at 21:27

        Salário de Eng. Junior na Petrobras. R$ 5000,00. Será que eles vão aguentar pagar mais de R$ 2500,00 para morar num lugar decente? A Petrobras “perdeu” nos últimos anos mais de 1500 empregados e a maioria eram engenheiros recém concursados.

        0
        • Q 27 de fevereiro de 2012 at 08:38

          Mestres-de-Obras, com formação e responsabilidade final menores que a do engenheiro, estão levando de 8 a 10.000! Viva a Banânia onde profissionais com menor escolaridade ganham mais!! Vou proibir meu filho de fazer vestibular!! Ainda bem que ele não vai nascer na Alemanha ou Coréia do Sul!! Lá ele ia ter que estudar!!! Aqui a vida é fácil!!!

          0
          • luidhi 27 de fevereiro de 2012 at 11:53

            Em Nova York também acontece isso. Oferta e procura…

            0
          • luidhi 27 de fevereiro de 2012 at 11:56

            Os salários iniciais da petrobrás são ridículos. Aliás, o concurso público da Petrobras é de uma hipocrisia sem tamanho.

            Trabalhei na área de TI na Petrobras como contratado por 2 anos. Eu não podia participar do concurso público, pois sou Tecnólogo e não Bacharelado. Ou seja, trabalhava lá mas não podia virar empregado, vai entender.

            Outra, dos que fizeram e passaram, nenhum aceitou o salário, que era de no mínimo de 50% a menos que os contratados ganhavam. Não valeu a pena para ninguém.

            0
    • RMJ 26 de fevereiro de 2012 at 17:37

      Passei pela dificuldade de encontrar imóvel para alugar aqui Brasília no final do ano de 2008. Naquele ano a euforia com o mercado imobiliário local estava no auge. Porém eu minha esposa não acreditamos na conversa bolhuda dos corretores e fomos a campo. Visitamos vários imóveis e conseguimos encontrar imóveis bons para alugar com preços bem inferiores aos que os corretores haviam indicado inicialmente. Após conseguir locar o imóvel escolhido recebemos várias ligações de corretores que haviam descartados nossas propostas. Constamos então que uma coisa é o preço pedido pelo proprietário e imobiliárias e outra coisa é o preço efetivamente pago pelo locatário. Como já foi dito aqui no blog, a renda percebida pela massa de inquilinos é limitada, e, portanto, acaba obrigando o proprietário ajuizado a locar seu imóvel por preço inferior ao inicialmente pedido, ao invés de mantê-lo fechado armargando prejuízo. Na minha opinião o inquilino precisa ter calma e tempo para visitar o maior número de imóveis possível, e jamais cair na conversa bolhuda de corretores.

      0
      • Miguel Jacó 26 de fevereiro de 2012 at 18:29

        RMJ,

        Me desculpe, mas este raciocínio não se aplica ao Rio de Janeiro. Lá, não existe essa de negociação, se você não aluga o imóvel em até 2 dias depois que o anúncio aparece, já era!
        Pelo menos foi isto que aconteceu comigo em 2010, exceto no inverno, que a procura diminuiu um pouco.

        Por isso que eu disse, que se alguém hoje quer morar na cidade do Rio de Janeiro, pagará muito, mas muuuuito caro para ter uma moradia honesta lá, ou só encontrará porcaria.
        Garanto a você que não exagerei uma vírgula nesta frase acima, e quem está procurando imóveis lá neste momento deve estar passando por situação ainda pior do que passei em 2010.

        0
        • jayme 26 de fevereiro de 2012 at 22:12

          hahahah
          voce acabou de mostrar um mercado imobiliario aquecidissimo. “se nao alugar em 2 dias depois de saido no jornal, ja era..”

          e voce ainda defende que vai cair nas suas datas fantasiosas ?

          0
          • Miguel Jacó 26 de fevereiro de 2012 at 22:38

            Defendo, pois a zona sul do Rio de Janeiro e o Brasil são entes diferentes, mesmo que a Rede Globo tente te provar o contrário.

            0
          • Zé Coxinha 26 de fevereiro de 2012 at 22:38

            Mr. Jacob, muito cuidado ao falar “cidade do Rio de Janeiro”. O que você se refere é a Zona Sul, Barra, Jacarepaguá e alguns poucos bairros da Zona Norte. Ainda há alguns bairros afastados do centro, mas com uma boa infraestrutura e indústrias próximas que contratam moradores de perto. Um exemplo? Campo Grande. A 50km do centro, mas consegue-se por lá uma casa boa (200m² de casa, 500m² de terreno, com árvores e jardins no quintal) na faixa dos R$400.

            Isso sem contar outros bairros da região que, apesar dos pesares, possuem uma infraestrutura mínima que os aproxima muito mais do visual de uma cidade do interior do que o de uma favela, possibilitando viver tranquilamente por lá, e até usar o transporte público (trem/ônibus) sem grandes percalços. Pra quem está poupando, ganha razoavelmente bem e trabalha relativamente próximo, é uma beleza.

            O Rio de Janeiro é um mundo.

            Dica do dia: Pra quem acha que o Rio é a cidade maravilhosa, cheia de praias lindas e exuberantes, sugiro digitar “Sepetiba” no Google Maps e andar pela orla através do Google Street View.

            0
            • Miguel Jacó 27 de fevereiro de 2012 at 03:33

              “Só 50 km do centro do Rio”? Isso, na minha opinião, é muito, é demais, cansativo e penoso para quem trabalha no centro do Rio.
              Digitei Sepetiba, fui no maps e só enxerguei banhado, se é que eu não me enganei…

              0
            • trimmador 1 de março de 2012 at 22:41

              Amigo,

              Discordo totalmente do seu ponto de vista. Campo Grande não possui a mínima infraestrutura: não possui hospitais minimamente decentes, o trânsito dentro de CG é caótico. O sistema de trens na cidade do RJ é desumano. De 10 em 10 dias temos incidentes graves envolvendo a Supervia. Seguir até o Centro do Rio, seja de ônibus ou trem, é um verdadeiro calvário! Daí os preços serem “racionais”. Na verdade em CG os preços estão é muito inflacionados. E mesmo que fossem mais baixos, o lugar é caótico e muito violento, já que vive sob o domínio de milícias.

              0
  • A citizen from Republic of Banânialand 26 de fevereiro de 2012 at 16:47

    No MSN, o imóvel continua sendo “o” investimento…kkk

    http://msn.imovelweb.com.br/Noticias/Comprar/Os-cuidados-para-investir-em-imoveis.aspx

    Interessante a seguinte passagem:

    “Os imóveis podem trazer excelentes retornos para quem deseja investir e garantir uma renda extra. A valorização desses bens tem superado várias outras aplicações, e, além da maior rentabilidade, os investimentos não sofrem com crises econômicas ou com a liquidação de bancos.”

    Eu quero é ver o circo pegar fogo. Preciso de um imóvel para morar.

    0
  • Leno 26 de fevereiro de 2012 at 17:05

    Olhem o email que acabei de receber de um corretor da Lopes.
    ———————————————————————————————————————————-
    Boa Tarde!

    Caro Leandro, sei que você pretende esperar. Como corretor e ser humano falo-te que a tendência é subir a partir de agora e isso durará 20 anos. Os pessimistas dizem que este boom durará 07 anos. A imobiliária está contratando todos os dias. Não posso deixar de falar isso para você. Provavelmente futuramente saberá que falo a verdade. Estou a disposição para qualquer esclarecimento. Segue algo que mostrar que os preços vão subir, mas agora está bom.

    abraços

    Enquanto isso segue um e-mail de um empreendimento que acho interessante. Em São Paulo é um dos apartamentos mais acessíveis. Não se encontra neste valor. Lançou no sábado de carnaval e mesmo assim vendeu duas torres. Se interessar agendamos uma visita e reservamos uma unidade para assegurá-la.

    Hoje já trocou a tabela, não é mais 149.000,00, agora é 152.000,00.

    A entrega das chaves está prevista para 05/07/2014. Então até lá você terá que dar uma entrada de 25% do Valor do imóvel. A divisão desta entrada poderá ser feita de várias formas. Obviamente do modo que melhor te atenda. A partir da data das chaves você financia o restante 80% do que sobrou. Segue um exemplo:

    Ato: 3.358,00
    30 dias do contrato: 3.358,00
    60 dias do contrato: 3.358,00
    90 dias do contrato: 3.358,00
    26 mensais de 401,00, sendo a primeira em 01/06/2012.
    2 anuais de 3.725,00, sendo a primeira em 01/12/2012.
    Parcela única em 01/06/2014 no valor de 7.452,00.
    Tudo acima é a entrada parcelada até 05/07/2014.

    Restante a financiar em 300 meses 113.240

    Se você tiver FGTS poderá abatê-lo do valor do financiamento. Se for comprar com o Henrique poderá somar as rendas e o FGTS.

    Com uma renda de 2.200,00 você poderá financiar até 91.224,27. Terá um subsídio de 12.413,00. Somando fica 103.637,27. Faltaria 10.000,00 que você poderia pagar no período da entrada.

    Com uma renda de 4.200,00 vocês podem financiar 120.000,00 e não têm subsídio nenhum.

    Segue o link do Bosque Jaraguá:

    http://www.lopes.com.br/ficha-corretor/hbc/kallas/sp/sao-paulo/norte/jaragua/apartamento/bosque-do-jaragua/3254
    ———————————————————————————————————–

    Quem conhece o bairro do jaragua sabe que um imovel deste tamanho lá não pode passar de 70k.

    Como disse um colega em outro topico, para ser corretor realmente tem que acreditar senão não vai.

    0
    • JPM 27 de fevereiro de 2012 at 11:04

      Legal que você paga “25% de entrada” e depois “financia o restante 80% do que sobrou”.
      Olha o nível do sujeito.

      0
      • Sol de Sampa 27 de fevereiro de 2012 at 13:40

        KKKKKK e ainda nos pico do Jaraguá ahahahahah

        0
  • Elias 26 de fevereiro de 2012 at 17:12

    Atraso de imóveis vira tormento de anos
    Autor(es): Cristiane Bonfanti
    Correio Braziliense – 26/02/2012

    Empresas não dão conta do boom na construção de moradias e recorrem a artifícios em contratos para aumentar prazos de entrega. Em todo o país, cerca de 800 mil famílias sofrem com a longa espera por um lar

    h ttp://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2012/2/26/atraso-de-imoveis-vira-tormento-de-anos

    0
    • Elias 26 de fevereiro de 2012 at 17:16

      Haha, ato falho.

      Vejam o penúltimo parágrafo desta reportagem:

      “Manobra
      Na avaliação de especialistas, o Brasil não se estruturou para o boom no segmento da construção civil. Depois do estouro da bolha imobiliária dos Estados Unidos, em 2008, grandes investidores apostaram que a crise não atingiria o país e continuaram aplicando recursos aqui. Ao lado do crescimento exponencial no número de novos empreendimentos, os problemas se acumularam. “Fomos para um patamar de atividade muito superior. Além da falta de mão de obra, as prefeituras não têm capacidade de processar os projetos nem os cartórios de emitir os documentos. Nenhum dos atores do processo estava pronto”, ressalta José Carlos Martins, vice-presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic).”

      0
      • RT 26 de fevereiro de 2012 at 17:27

        Também faltou combinar com o governo e as empresas que todos os salários tinham que triplicar para que esse “boom” fosse sustentável.

        0
  • Boris 26 de fevereiro de 2012 at 17:44

    Se o real vai desvalorizar e os imoveis tambem, entao perderemos todos? Compradores ou nao compradores com o dinheiro aplicado?

    0
    • Cleyton 26 de fevereiro de 2012 at 18:09

      Infelizmente. Mas eu prefiro ter tipo 200k no banco valendo 100k do que um imóvel que eu ache que vale 500k mas não consigo vender nem por 200k, fora que ainda tem que terminar de pagar.

      0
      • A citizen from Republic of Banânialand 26 de fevereiro de 2012 at 18:23

        Esse futuro negro também me atormenta.

        Seria o caso de comprar dólar, desde logo?
        Qual seria o meio seguro de proteger o “faz-me-rir”, sem estar atrelado à moeda bananense?
        O MrK costuma ter essas respostas.

        Abs

        0
        • Miguel Jacó 26 de fevereiro de 2012 at 18:32

          Compre ouro.

          0
          • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 26 de fevereiro de 2012 at 18:50

            Miguel, nao sei se sria o caso. O valor do Ouro no Brasil esta atrelado ao dolar – “Onca per kilo” – se o dolar aumentar o ouro aumenta, mas como o ouro ja andou tendo uma alta valorizaçao nos ultimos 3 anos – de 1400 esta em quase 1800 a onça – e o dolar nao teve valorizaçao alguma, ainda acho que o dolar e que sera a bola da vez. Nao sei e so minha opiniao baseada no comportamento do mercado.

            0
        • Sol de Sampa 26 de fevereiro de 2012 at 18:50

          Mas compre ouro físico não papel…

          0
    • Cirilo 26 de fevereiro de 2012 at 18:18

      Exatamente.

      Muita gente esquece, mas para o preço dos imóveis descer 50%, o cenário econômico terá que ser desastroso.

      Quem tem imóvel próprio, quitado, vai sair “perdendo” mas quem não tem imóvel e tem o dinheiro guardado também perderá bastante, além da desvalorização do real, pode também facilmente perder o emprego.

      0
      • Cirilo 26 de fevereiro de 2012 at 18:19

        Ah, e se você for funcionário público, prepare para ter seu já baixo poder de compra reduzido no mínimo pela metade.

        That’s inflation!

        0
        • Cleyton 26 de fevereiro de 2012 at 18:23

          Agora, se for corretor é melhor aprender a estocar comida e aprender alguns malabaris.

          0
      • Miguel Jacó 26 de fevereiro de 2012 at 18:39

        Não concordo. Quem tem imóvel próprio só sairá perdendo se o imóvel está sendo usado como investimento, e não como moradia.
        Quem tem dinheiro guardado não necessariamente perderá dinheiro, claro que aumentará o preço dos importados, mas as exportações aumentarão também, e se houver muito desemprego haverá recessão, o que segurará a inflação (pois ela ainda não está retroalimentada pelo pânico de recompra).

        0
    • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 26 de fevereiro de 2012 at 18:34

      Ora, se o real vai mesmo afundar entao o melhor mesmo e buscar o Dolar. Nao sei se alguem leu mas na 6 feira no Estado de S. Paulo o Mantega ordenou a compra de Dolares para evitar a queda da moeda americana que bateu 1,69. E como dizem…compre ao som dos canhoes e venda aos som dos violinos. Eu vejo a coisa da seguinte forma – na argentina a corrida pelo dolar começou e o governo de la tomou medidas contra o povo para evitar a compra da moeda. Como aqui nestes 6 anos tudo aumentou menos o dolar, evidentemente que alguma coisa tem de errado – ou o dolar antes estava embolhado ou agora esta muito barato. Nao sei mas acho que os EUA mantem propositalmente a desvalorizaçao de sua moeda pra ajudar a economia interna e sinceramente acho que isso e algo orquestrado pela maioria dos paises desenvolvidos pra rapelar as economias em dolares dos popadores Latrino Americanos – Depois de 6 anos de dolar sofrivel muitos pequenos poupadores (antigamente o dolar era a principal fonte de economia das familias) foram delapidando suas economias ate ficarem zerados, agora quando o dolar dobrar seu valor esses poupadores vao perceber que se ferraram. Nao sei essa e a visao que tenho – se alguem discorda que lance seus argumentos serao bem vindos

      0
      • Sol de Sampa 26 de fevereiro de 2012 at 19:00

        Andre o cambio do dollar está nas mãos dos chineses, os EUA não mandam em mais nadica de nada.
        Em relação as intervenções do governo com a compra ou venda do dollar é uma medida clássica para contenção dos preços dos importados versus os exportados, na realidade a medida visa a proteção das industrias nacionais… mas cá entre nós se a entrada de dollar no país for muito grande não tem o que segura, nem as intervenções do BC…

        Quanto a comprar dollar para uma maxidesvalorização do real… bem acho que se houver uma maxidesvalorização é sinal de que tudo estará em crise no mundo inteiro… nosso sistema economico morreu e foi enterrado … o dollar não segura as pontas e daí vai…

        Mesmo com uma alta na inflação, que já está presente, a maxidesvalorização dentro do cenario atual do mundo é mais dificil de acontecer. Pequenas desvalorizações sim… Mas vamos tentar imaginar que a economia não esteja tão contaminada e que os empregos serão preservados, embora com o corte de 55 bi no orçamento, com a retração da produção industrial e com a bolha no mercado imobiliario eu diria com muito otimismo é que o boom vai fazer muita caca ….

        Entretanto o Governo tem alguns meios ainda de deixar a coisa meio isolada, logico que não poderemos mais gargantear que tudo está as mil maravilhas… Mas pode ficar menos negro nosso setembro..

        0
        • Anonymous 26 de fevereiro de 2012 at 19:23

          Voce está delirando achando que a China manda no Dolar. A última maxidesvalorização do Real, pelo que me lembro, foi em 13/Jan/1999. É uma maneira de tornar os produtos exportados pela Banânia mais competivos e também melhora o saldo da balança comercial, dificultando as importações. Tem um artigo do ex-presidente do banco Central (Chico Lopes) de 2009, prevendo uma maxi-desvalorização para no máximo 2013.

          0
          • Sol de Sampa 26 de fevereiro de 2012 at 19:35

            Anonimous, infelizmente não deliro com coisa séria…. Hoje no mercado internacional quem apoia, ou não qualquer movimento da economia é a China… Ela tem o “mando” do cambio internacional…

            Não estou falando de economia doméstica (apesar que a China tb pode quebrar o Brasil se quiser) … Se vc lembrar há pouco tempo era do apoio dela que os países da Zona do Euro esperavam apoio… e daí vai … O Brasil só tem tido manchetes positivas no exterior por estar com apoio da China … por isso a Dilma vai pular quadradinho para fazer o que prometeu… As relações do comercio exterior com a China representa mais de 58% do que exportamos…. O MCE ainda é um sonho para o Brasil ….

            Já chegaram a discutir a substituição do dolar como moeda representativa mundial (inicio da crise dos EUA) … a China não quer substituir pois dá muito trabalho….
            O EURO não foi ainda pro saco por que os chineses tem dado um certo apoio para que a crise não deteriore ainda mais o mercado europeu que é de muito interesse para a China … por isso a Grécia ainda não foi expulsa da Zona do Euro, por isso a Alemanha tá engolindo muito sapo e por isso a Inglaterra está na raia de fora fazendo o que sempre fez….

            O poder dos EUA já erá …. a mudança do Presidente dos EUA tem mais perigo para os proprios americanos… apesar do poderio bélico dos EUA o império e o dominio americanos já era …

            0
            • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 26 de fevereiro de 2012 at 19:54

              As potencias EUA, Alemanha, Suecia, Belgica, Holanda e outras Potencias tem coisas que a china nao tem e se chama tecnologia de ponta – a china e o que o Japao fazia nos anos 70 – pegava um produto, copiava so que melhor – veja os carros e eletronicos deles – hoje sao os melhores do mundo. A China faz algo parecido ao Japao so que ela copia e piora o original pois nao tem tecnologia pra fazer melhor – os produtos podem estar melhorando, mas ainda tem muito que fazer. Ainda temos que as potencias sao detentoras da grande maioria das patentes na area de medicamentos, genetica vegetal e humana o que lhes garantira longa vida ao rei. Fora isso as proprias potencias montaram suas fabricas na china unica e exclusivamente para usufruir de Mao de Obra escrava – ou seja muito do que compramos da China na verdade sao de empresas americanas, alemas (Vide Nike) etc. Ainda estamos falando de paises internamente sem grandes problemas – populaçao equilibrada, saude e educaçao satisfatoria, transportes rapidos e funcionais, qualidade de vida – enquanto que na China e Banania somos apenas um esboço mal feito de uma economia que tentamos imitar – ou seja compramos do melhor mas nao sabemos nem como funciona – o Brasil, mais do que a China (pelo menos acho que la tem uma educaçao – estudo – melhor que o nosso. Temos que entender que sem uma estruturaçao social nunca deixaremos de ser a Republiqueta das Bananas – podemos comprar tudo do bom e do melhor mas continuamos os mesmos idiotas, ignorantes. E ainda vc. acha que os chineses dominam a economia mundial….talvez daqui a 100 anos.

              0
              • Sol de Sampa 26 de fevereiro de 2012 at 20:25

                Ooooo André, calma lá…. A China tem grandes dificuldades, mas não dá pra comparar China com Bananias mmmmessssmmmo. Nos ultimos 24 anos (pelo menos desde 1997 e 1998) a China tem ido atraz de tecnologia, investido muito pesado na edução … Não dá pra comparar o que se tem feito no Brasil ….

                Em relação a mercado internacional a China está sim por cima…. e ainda mais, o interesse da China no Brasil, além do comercio é pela geografia (água – hidroeletricas)… e mais algumas tecnologias … Vc sabia que a China tem tentado comprar hidreletricas no Brasil??????…. Como dizem a mode que? Vc sabia que a China propos investir uma fortuna para desenvolver varias pequenas hidreletricas, mas houve recusa pois a China queria depois de sei lá quantos anos o dominio do negócio… Da mesma forma a China tem investido ou tentado investir em varios outros paises alcançando para um futuro longinquo (para nós) idéias nem pensadas nem discutidas….. E isso é fato discutido em vários segmentos tanto de mercado financeiro como tecnologia e etc… Não pense que a China está no mesmo patamar que nós, pois ela está plantando para o futuro… E se ainda ela não colocou as manguinhas de fora é por que ainda não vale a pena… a tecnologia que vc discute é só um pequeno fator perto da grandeza que a China tem pensado e investido… Hoje o mundo inteiro esta parando de produzir e knowhow está ficando com os “escravos” chineses… Vamos ver daqui a 10 ou 15 anos quando o mundo não tiver mais mão de obra preparada para produzir…. A ideia de que maquinas farão tudo só poderá ser observada talvez no sec XXX pois até lá o ser humano terá que ter meios de ganhar pão, e com certeza apesar de deteriorarmos o corpo e usarmos só a mente, ainda será muita gente sem fazer nada além de pensar… então o meio economico de produção deverá ter ainda, seres humanos… e cá entre nós a mão de obra chinesa é inesgotável, enquanto em paises ocidentais (europa principalmente) a população vem diminuindo e sendo substituida paulatinamente por islamitas … ou seja enquanto casais nativos tem no maximo 1 ou 2 filhos, os emigrantes islamitas tem 6, 7 10 filhos…. assim preve-se que em 50 anos a Europa seja islamita…
                Isso é claro se a China não resolver espalhar o poder de procriação que eles tem pelo mundo, o que também já vem acontecendo… Vc consegue observar quantos chineses tem migrado???? Será que não faz parte do que a China desenha para o futuro???
                Então André, não dá mesmo para comparar a estreiteza de visão da Bananias com a China… Departamentos diferentes…

                0
                • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 26 de fevereiro de 2012 at 20:51

                  Mas eu nao comparei a china com o Brasil mas sim com as Atuais Potencias – essas sim sao as que tem as tecnologias, patentes, educaçao e tudo mais que eu disse – estou tentando mostrar que sao elas quem mandam no Dolar e nao a China como vc. mencionou. Investir em outros paises…hummm sei nao…vc lembra das usinas de gas na Bolivia…otimo investimento da Petrobras…Lembra dos Fazendeiros brasileiro no Paraguai…espetacular compra de terras. Entenda uma coisa nenhum pais entregara de mao beijada o seu terriotorio/riquezas, e quando entrega o faz por muito por muito $$$, apos alguns anos de exploraçao a tendencia e a de tomar de volta, como ja vimos inumeras vezes acontecer. Esses investimentos no meu entender sao imediatistas e prevem lucros “enquanto der pra lucrar” pois a segurança juridica de negocios assim so funciona enquanto houver conivencia politica. Ou vc acha que os Chineses vao ser mao de obra “escrava” a vida toda? Assim que eles acordarem e porem as “manguinhas de fora” e os trabalhadores se sindicalizarem e reivindicarem adivinha o que vai acontecer – a mao de obra vai ficar cara e naturalmente as empresas la situadas vao sair em debandada e explorar um novo nincho tavez um Brasil miseravel, Uma Argentia Estralhaçada – ou uma Argelia, Siria ou Egito, quem sabe a Somalia – esses paises onde a populaçao apos fazer negocios com os chineses so verao sua renda diminuir, seus empregos sumirem e no fim…quando se derem conta estarao tendo que trabalhar como os chineses fazem/fizeram – em troca de um prato de comida. Isso ainda nao acontece pois temos comodites – petroleo, Agricultura e minerios porem quando isso deixar de exisitir seremos um Paraguai da vida – minha sorte que ate la eu estarei morto.

                  0
                  • Sol de Sampa 26 de fevereiro de 2012 at 22:28

                    André eu entendi o que vc quis dizer… entretanto as tais potencias só tem status.. a China é hoje a 2ª economia mundial… os EUA que são ainda considerados a 1ª economia perdeu muito poder … A Europa, os EUA e o Japão tiveram que engolir o orgulho… Não sei quantos anos vc tem, mas houve tempo ( menos de 10 anos) que os EUA humilhavam brasileiros afrodescentes não permitindo que eles visitassem Miami FL – os Espanhõis tripudiavam em cima dos turistas brasileiros e não diferente fazia isso a Inglaterra … e os netos de japoneses que foram para o Japão e eram tratados como escravos….

                    O que quero dizer é que a coisa mudou, a tecnologia desses países não é suficiente para que eles fiquem por cima da carne seca…E sim a China é temida pelo seu objetivo maior que é ter energia renovavel e limpa, pelo seu poderio humano e principalmente por que desde a decada de 90 eles viraram o sistema financeiro ditado pelo FMI de cabeça para baixo… E com certeza é só questão de tempo para passar a ser a 1ª economia … e se eles tem problemas, sinto muito mas todos os países de muito de podre pra esconder… Quantos morreram de frio na Europa neste ultimo inverno? vc acha que quem morreu estava em casa sob um teto?

                    Não é a Europa ou os EUA que estão no comando do dollar, quem está ditando os caminhos de subida e descida no mercado internacional é a China… Vou ver se acho a reportagem do Japão negociando um dolar melhor para que a economia ~depois do tsunami não sofresse mais ainda…

                    Infelizmente é a verdade….

                    Quanto ao incidente Petrobras X Bolivia – bem da mesma forma que vc viu a EXAME mostrar o lado tendencioso sem mostrar toda a verdade da bolha – Ora, vamos colocar fatos que não foram alinhados ao episódio – na época que a Petrobrás “engoliu” o sapo era exatamente um momento delicado do MERCOSUL… mas se a Petrobras não engolisse o sapo os EUA conseguiriam impor a ALCA e continuariamos a ter os norte americanos dominando a America do Sul…

                    Portanto, para soberania de todos, inclusive do Brasil, a Petrobras fingiu que engoliu…

                    Lembra também do contrato de Itaipu com o Paraguai e mais recebentemente o comercio “sem fronteiras” com a Argentina… Bem André, o que não se fala, por exemplo é que a economia da Argentina é pouco maior que o PIB do Bairro de Santo Amaro (Zona Sul de São Paulo), imagine do Paraguai. Portanto se colocassemos toda a energia eletrica que o Paraguai precisa, com certeza a sobra de energia de Itaipu seria usada somente pelo Brasil E É O QUE ACONTECE…

                    Ou seja, nós somos e sempre fomos uma Potencia na Amercia do Sul, mas pelo que me lembre a Argentina sempre foi muito mais respeitada que o Brasil, pois o povo argentino tem orgulho de sua Patria… E nós…. apesar dos pesares somente o Lula conseguiu melhorar a imagem do Brasil lá fora, mesmo que a gente não goste disso, foi o que aconteceu… Então precisamos parar de fazer o jogo da desinformação e pra cada assunto pesquisarmos e termos garantias de explorar toda a verdade.

                    Acho que pelo nível de todos e pelo proprio perfil em discutir, questionar, esclarecer, este Blog é uma oportunidade unica e não podemos disperdiçar. Todos os comentários que li só acrescentam.

                    E quanto a China… caro André sempre ouvi o velho ditado… Não acordem o Dragão que está dormindo… e realmente temo pela grandeza em todos os sentidos do chineses…

                    0
                    • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 26 de fevereiro de 2012 at 22:46

                      Nao sei nao, mas esse dragao ta mais pra lagartixa. Reconheco o esforço dos Chineses mas….eles tem uma falha …exatamente a de querer dominar. Os chineses sao uma cultura MILENAR (5000 AC) – e dinastia apos dinastia sempre quiseram Dominaçao – Japao – Coreias – tudo ja foi tentado por eles e nao consguiram em milhares de anos. Sabe porque, porque grandes terriotorios sao dificieis de manter sem uma unidade cultural. Roma cresceu demais – virou imperio e depois foi reduzido ao que e a italia Hoje – Grecia (Berço da Civilizaçao_ tambem – hoje sao paises desenvolvidos mas que passam por dificuldades. recentemente a URSS foi totalmente fragmentada (Territorio extenso) e falta de uma unidade cultural. A Alemanha tambem tentou crescer demais e acabou sendo derrotada na guerra. Assim os Chineses sempre tentaram nestes milhares de anos por inumeras vezes – seja pela força de seus excercitos ou pela su economia se sobrepor e sempre acabou se dando mal. Parece que a Historia tem mostrado que os paises que tentam dominar o Mundo ou começam bem mas depois se deterioram internamente com beligerancia promovida pelos diversos interesses (e a china ainda continua com serios problemas internos) e acredito que nao tenha nem competencia e nem capacidade pra se lancar alem de suas fronteiras. Com um povo faminto, sem estrutura, sem nada o governo la tem que ter um olho no peixe e outro na frigideira – essa e minha opiniao.

                      0
          • Atribulado 26 de fevereiro de 2012 at 20:10

            Perdoem minha “inguinorancia”, mas as reservas de US$ 400 bi não serviriam como colchão contra desvalorização do real?

            Na ultima maxi o brasil não tinha nada de reservas.

            0
            • Atribulado 26 de fevereiro de 2012 at 20:19

              Da boa e velha wikipedia:

              en.wikipedia.org/wiki/Foreign-exchange_reserves

              “Large reserves of foreign currency allow a government to manipulate exchange rates – usually to stabilize the foreign exchange rates to provide a more favorable economic environment. In theory the manipulation of foreign currency exchange rates can provide the stability that a gold standard provides, but in practice this has not been the case. Also, the greater a country’s foreign reserves, the better position it is in to defend itself from speculative attacks on the domestic currency.”

              Portanto, como as reservas estão no máximo histórico, o Brasil nunca esteve tão preparado para evitar uma maxidesvalorização E ataques especulativos, certo?

              0
              • Sol de Sampa 26 de fevereiro de 2012 at 20:34

                De um modo simplista sim está certo, entretanto o “colchão de dollares” tem prazo para funcionamento… então se houver uma contaminação em muitos segmentos da economia haverá sim uma desvalorização do real… entretanto, não é de interesse de quem manda no mercado internacional, que alguns paises emergentes, por serem altamente consumidores tenham a economia deteriorada a ponto de não poderem comprar… Assim, bem provavel serão feitos acordos de cá e de lá e principalmente com a China, que ainda tem muito fogo pra segurar um balde de agua fria no Brasil…

                Com isso, não acredito numa maxidesvalorização…. mas com certeza teremos alguma inflação que vai podar a vontade de consumir de boa parte a classe media verdadeira, mas dará condições para a classe media emergente de se tornarem compradores perpetuos… patamares diferentes publicos diferentes e metodologias de mercado diferentes.

                0
                • RPL 26 de fevereiro de 2012 at 21:38

                  Na minha opinião:

                  – O governo gostaria que o USD estivesse em um valor mais alto (torna o país mais competitivo).

                  – O governo não pode deixar o Real desvalorizar de uma vez porque termina de derrubar a casa em relação a inflação.

                  – O governo sabe sobre a bolha imobiliária.

                  Assim sendo, o que os nossos queridos governantes devem estar fazendo/preparando:

                  – Protegendo o dinheiro não declarado deles em contas no exterior (independente do partido, ok?).

                  – Segurando qualquer coisa para depois das eleições das prefeituras – Depois das eleições, é esperado que o governo comece a tomar as medidas impopulares – Caso isso não aconteça é melhor ir ao aeroporto mais próximo.

                  0
                  • Sol de Sampa 26 de fevereiro de 2012 at 22:39

                    ahahahah… pô cara… não é pra tanto…

                    mas tem uma coisa que acho sim ….. é que o governo tem conhecimento da bolha, pois li numa das reportagens (que acho que foi inclusive postada aqui) ou alusão a algum comentario … é que o Hereda – Presidente da CEF declarou que não iria aumentar o limite do imovel de R$ 500.000,00 para R$ 750.000,00 nos casos de financiamento com o SFH por conta de evitar um novo aumento no preço dos imoveis…

                    Então pra mim ´e liquido e certo… O Governo sabe…. Só não consegui descobrir ou perceber qual vai ser o caminho pra solução… Com certeza as eleições deste ano são uma faca de 2 legumes como dizia o véio ….

                    E por hoje chega… parpitei d+

                    0
              • Q 27 de fevereiro de 2012 at 09:23

                O problema é que a maior parte destas ditas “reservas” é dinheiro especulativo, hot money, que da noite para o dia podem sair do Brasil. Lembre-se se entra X, na hora de sair é X + J (sendo J a mais alta taxa de juros do mundo). Essa história de reservas fantásticas é pura publicidade governamental.

                0
                • Atribulado 27 de fevereiro de 2012 at 19:07

                  Isso é fato ou é achismo?

                  Se for fato, onde está a fonte?

                  0
                  • Atribulado 28 de fevereiro de 2012 at 20:46

                    god bless google….

                    imf.org/external/np/sta/ir/IRProcessWeb/data/bra/eng/curbra.htm

                    A. Official reserve assets 355,075.22
                    (a) Securities 330,723.93

                    Tá aí, mais de 90% das reservas são “securities”, ou seja títulos da divida americana, em mãos do governo brasileiro.

                    0
      • Anonymous 26 de fevereiro de 2012 at 19:05

        É só prestar atenção nas datas das alterações da legislação e voce perceberá que o imposto sobre operações de câmbio pode VOLTAR A SER 25% A QUALQUER MOMENTO, bastando um DECRETO.

        * Imposto Sobre Operações de Câmbio
        www . receita . fazenda . gov . br/aliquotas/ImpCreSegCamb . htm

        Alíquota máxima: 25%.

        A alíquota foi reduzida a 0,38%, excetuadas as hipóteses previstas nos incisos do Art. 15- A do Dec. nº 6.306, de 2007.

        * Dec. nº 6.306
        www . receita . fazenda . gov . br/Legislacao/Decretos/2007/dec6306 . htm

        Art. 15. A alíquota máxima do IOF é de vinte e cinco por cento (Lei nº 8.894, de 1994, art. 5º).

        Art. 15-A. A alíquota do IOF fica reduzida para trinta e oito centésimos por cento, observadas as seguintes exceções: (Incluído pelo Decreto nº 7.412, de 30 de dezembro de 2010)

        0
        • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 26 de fevereiro de 2012 at 19:19

          Anonymous:

          Se so o imposto resolvesse pra conter a procura bastaria aumentar o IOF, la eles tambem tem seus impostos, afinal a populaçao faça o que fizer tem que dar sua parte ao governo. – mas la a coisa foi – e esta sendo caça as bruxas – Casas de cambio clandestinas sendo perdeguidas pela P.F, so compra dolar quem provar que tem procedencia do dinheiro e dizem que ate caes foram treinados para farejar U$$ nos aeroportos para evitar a entrada e saida de U$$ em cuecas ou outros meios. Se na banania a coisa e ruim, los milongeros nao ficam atras – no fundo acho isso tudo um sem senso desmedido. Os governos nao deveriam se intrometer nas opçoes economicas de seus cidadoes. Nao sei, mas aqui precisamos de uma revoluça a la Siria ou egito pois realmente nao podemos dizer que estamos em uma democracia. Porem, revoluçao aqui na banania e algo utopico, estava pensado na epoca da Zelia/Collor – as pessoas tiveram corajem de se suicidar – dar fim a propria vida – porem nao tiveram corajem de pegar um rifle e dar uma na cabeça do presidente ou da Ministra que foram os reais causadores do Mal. Ainda me lembro de 1 unico heroi patriota que tentou sequestrar um boing pra jogar em cima de Brasilia mas acabou sendo morto pelos atiradores. Se tivesse dado certo seria o maximo – garanto que muita coisa ia mudar.

          0
        • Diego RJ 27 de fevereiro de 2012 at 13:41

          Com relação à colocar dinheiro na conta no exterior, como mencionado em post acima, existe o IOF.
          Pergunta: E quando enviar do exterior para o Brasil, também paga IOF?
          Outra pergunta: Alguém já abriu conta na Holanda? Sabe como funciona?

          abraço

          0
  • Sem Nome 26 de fevereiro de 2012 at 19:17

    Na minha opinião houve um número tão elevado de novas construções que mesmo que os preços retornem ao nível de 2006 + correção monetária (ou seja, reduzam de preço em torno de 40% – 50%), ainda haverá imóveis para vender nos próximos 10 anos. O poder de compra da população reduziu nos últimos 2/3 anos (em consequência da alta inflação), assim sendo, mesmo com uma queda abrupta de preços ainda será difícil para a maioria comprar um imóvel.

    0
    • aiwww 26 de fevereiro de 2012 at 21:12

      Eu diria para o povão “Invadam logo seus terrenos!” pois o povão não tem mais onde morar e como o MCMV é um fracasso, é bom garantir um terreno em qualquer área abandonada. Queria pensar de outra forma, mas não há saída, a favelização tende a crescer muito nos próximos anos.

      0
      • aiwww 26 de fevereiro de 2012 at 21:18

        Aumento do número de moradores de favelas chama a atenção

        oglobo.globo.com/pais/aumento-do-numero-de-moradores-de-favelas-chama-atencao-3494683

        0
        • Paulo Rocha 26 de fevereiro de 2012 at 21:33

          E aí Bolha,

          Essa reportagem até merece virar “capa” do blog! Afinal a nova “crasse cê” está especulando demais. Pensam até em comprar uma segunda casa! O minha casa minha vida ta viracando “meu barraco, tua divida”

          0
  • DRN 26 de fevereiro de 2012 at 20:38

    Abro a VEJA e vejo a morte da menina em Guaratuba e o comportamento da mãe dos garotos que usavam o jetski. Abro a Veja São Paulo e vejo que 6 residências são invadidas por dia e que 1 carro é roubado a cada minuto. Daí fico com saudades da Europa, onde só vivi alguns meses da minha vida. Será que esse país tem jeito? Começo a duvidar.

    Só para relacionar: dá para pagar R$10mil, R$15mil, R$20mil no metro quadrado de um país como esse?

    É triste conversar com pessoas mais velhas, nascidas nas décadas de 20, 30 e 40 e perceber que o Brasil de antigamente era mais justo e mais humano do que o de hoje.

    0
    • Sol de Sampa 26 de fevereiro de 2012 at 21:00

      Pois é… achamos que nossos pais e avós estavam errados e que as crianças devem fazer o que querem, ou seja demos muita liberdade na criação…. Demos a liberdade… mas agora podemos ver que deviamos substituir os valore antigos por valores novos mas ainda com os devidos pesos morais e sociais… Mas não inventamos o ECA (estatudto da criança e do adolescente) para proteger as crianças, sem a contra partida… E hoje as crianças precisam mais ainda de proteção só que não conseguimos revereteer a m####da……Deu no que está dando, temos uma sociedade que despreza a sabedoria dos antigos, destrói o planeta, e que para se manter tem que reinventar o consumo pelo consumo… E ainda tem gente que elogia, quer mudar a legislação para condenar adolescentes de 16 anos mas não querem admitir que erramos feeeeiiiiooooooo….

      0
      • DanielCM 27 de fevereiro de 2012 at 03:10

        O problema é que as pessoas vivem pensando em como fazer um mundo melhor para seus filhos, mas se esquecem de pensar em como fazer filhos melhores para o nosso mundo. Um dia desse ouvi essa frase.

        0
    • Atribulado 26 de fevereiro de 2012 at 21:27

      “É triste conversar com pessoas mais velhas, nascidas nas décadas de 20, 30 e 40 e perceber que o Brasil de antigamente era mais justo e mais humano do que o de hoje.”

      velho sempre acha “no meu tempo era muito melhor, esse mundo vai acabar por causa dessa juventude sem valores”.

      Isso em qualquer época. Nunca muda

      0
  • Cirilo 26 de fevereiro de 2012 at 21:45

    Sem brincadeira, achar que a China manda no câmbio mundial? Achar que a China tem algum poder sobre o dolar? Por favor, menos.

    O tamanho do abismo entre EUA e China

    Muito se diz sobre o novo poder chinês e seu triunfante avanço para destruir a hegemonia dos EUA. O site China-US Focus procurou comparar os números dos dois países no que diz respeito a um dos elementos essenciais da equação que resulta numa superpotência efetiva: o investimento militar. O resultado mostra que há um abismo entre chineses e americanos que nenhuma retórica antiamericana é capaz de superar. A seguir, as principais conclusões.
    1) O orçamento militar chinês é de US$ 91,5 bilhões. O dos EUA é de US$ 663,8 bilhões. O orçamento militar americano é maior do que o orçamento militar combinado de China, Reino Unido, Alemanha, França, Japão, Rússia, Índia e Brasil.
    2) Na defesa de seus habitantes, a China gasta US$ 70 per capita; os EUA gastam US$ 2.119 per capita.
    3) A economia dos EUA é de US$ 14,6 trilhões, contra US$ 5,75 trilhões da China. Os EUA gastam 4,7% do PIB na área militar, enquanto a China gasta 1,4%.
    4) A China tem 2.285.000 soldados, enquanto os EUA têm 1.580.255. Isso significa que a China tem o maior Exército do mundo, mas só em números absolutos. Em relação à população que deve ser protegida, a China tem 1 soldado para cada 585 cidadãos, enquanto os EUA têm 1 para 198.
    5) A China gasta em média US$ 40,04 por soldado. Já os EUA gastam US$ 420,05.

    0
    • Sol de Sampa 26 de fevereiro de 2012 at 23:14

      Cirilo, vc como eu gosta de numeros, dê uma olhada na wiki:
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_pa%C3%ADses_por_PIB_(Paridade_do_Poder_de_Compra)

      veja os dados da China…

      volto a dizer que vou tentar achar a reportagem sobre o episódio da Grécia que a União Européia aguardava definição da China sobre qual caminho tomar com a Grécia…
      Mesmo que a União Européia tenha decidido por eles mesmos, o fato é que a China esta por traz
      de quse tudo que envolve as taxas de cambio… lembra inclusive que o Brasil chegou a reclamar
      na OMC oficialmente quanto a artificialidade das taxas de cambio que estavam prejudicando países emergentes? Quem vc acha que fez isso, só a União Européia…. A China estava por traz disso tudo… O Japão chegou a negociar com a China sobre produtos depois do Tsunami…
      é um porre eu sei, mas a China esta num pólo da questão e tem poder de fogo, é a eminência parda,
      ela está mexendo nas balanças do comercio internacional sim…

      0
  • jayme 26 de fevereiro de 2012 at 22:21

    a gente le uma perolas aqui, tirando o profeta miguel jaco, agora tem essa de “A CHINA MANDA NO CAMBIO..” serio.. nao da pra levar o blog mais a serio ne..

    agora na boa..

    se geral aqui ganha 15k a 20k como dizem por ai.. os imoveis realmente estao em um patamar super real ao preco de 10m2

    =]

    0
    • Sol de Sampa 26 de fevereiro de 2012 at 23:30

      Cirilo ´abaixo um dos comentarios que fala que a China ajudaria na crise da Grécia…
      vou ainda buscar a que fala sobre as manobras do cambio pela China….

      blog estadao
      Risco de default grego e Moody’s deixam clima pesado no exterior
      16 de fevereiro de 2012 | 8h03

      Daniela Milanese

      O atraso no cronograma da Grécia e um novo alerta da Moody’s, desta vez em relação aos bancos, deixam o ambiente pesado no exterior. Os riscos de um default grego cresceram nas últimas horas e o prazo para obter uma solução esgota-se rapidamente.

      Nesse cenário, o nervosismo toma conta dos mercados internacionais: as bolsas europeias começam o dia com perdas consideráveis e o euro volta para a casa de US$ 1,30.

      Analistas consultados pela Agência Estado acreditam que, no final das contas, a Grécia conseguirá evitar o pior. Entretanto, alertam que a situação está mais perigosa. Sobra pouco tempo para cumprir todo o processo necessário para a obtenção dos 130 bilhões de euros da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional.

      Na avaliação do Lloyds Bank, os ministros de Finanças da zona do euro precisam aprovar o pacote de resgate na reunião da próxima segunda-feira (20), para que a oferta de renegociação de dívida aos credores seja feita no dia seguinte. Só assim será possível pagar o vencimento de 14,5 bilhões de euros do dia 20 de março e evitar o default desordenado – o processo de oferta de troca de títulos leva quatro semanas.

      Já começam a surgir ruídos sobre qual seria a solução caso o plano não dê certo. Fala-se que o país poderia receber um empréstimo-ponte para honrar o compromisso. O pacote de resgate ficaria, então, para depois das eleições de abril. Uma opção para ganhar tempo seria decretar feriados bancários, apontou o economista do UBS Paul Donovan, numa mostra do momento dramático na Grécia – evidenciado também pelos diversos protestos e violência nas ruas.

      As expectativas vêm sendo constantemente frustradas. Acreditava-se que o país conseguiria cumprir as exigências finais da UE e do FMI para obter aprovação do pacote pelos ministros de Finanças ontem, o que não aconteceu. Agora, todo o suspense está voltado para a importante reunião de segunda-feira, dia de carnaval no Brasil.

      “Acreditamos que um acordo para o segundo pacote de resgate será obtido, mas os últimos acontecimentos aumentaram os riscos de que isso não ocorra”, diz Gizem Kara, analista do BNP Paribas.

      Não bastasse todo o imbróglio grego, a Moody’s volta a trazer alertas preocupantes. Depois de rebaixar vários países europeus e ameaçar o rating AAA da França e do Reino Unido, a agência agora colocou em revisão para possível rebaixamento 114 bancos da zona do euro e cinco das maiores instituições dos EUA: BofA, Citi, Goldman Sachs, JPMorgan e Morgan Stanley.

      Ontem, as declarações de apoio à Europa vindas da China chegaram a segurar por algum tempo o ânimo dos investidores. Entretanto, esse tipo de notícia tem fôlego curto no ambiente de crise, como sempre acontece quando surgem informações de que os chineses chegarão para “salvar” os europeus, seja com a compra de ativos ou por meio de um aporte no FMI. De qualquer forma, o assunto pode voltar à tona na próxima semana, quando acontece reunião ministerial do G-20, no México.

      0
      • Cirilo 27 de fevereiro de 2012 at 00:51

        Cirilo?

        Quem postou aí foi o Jayme, o meu foi outro.

        0
        • jayme 27 de fevereiro de 2012 at 07:29

          foi a maria joaquina..

          0
    • Anonymous 27 de fevereiro de 2012 at 02:24

      Na verdade quem está por trás é o Elvis Presley, que ainda está vivo. Ele fingiu que morreu e foi morar na China, de onde está dando as cartas no câmbio global. Parece que conta com a ajuda do Lee Harvey Oswald, mas isso ainda nunca foi confirmado.

      0
    • Leno 27 de fevereiro de 2012 at 13:33

      Sua visão está muito equivocada.

      Não é porque as pessoas ganham “bem” que vão aceitar pagar qualquer preço por qualquer imovel.

      E a relação custo x beneficio?

      No prédio que resido, em meados de 2007 um ap custava 80k, com uma boa negociação fechava-se negócio por valor de 75k ou até menos dependendo da urgência do vendedor. Hoje nos mesmos aps estão pedindo 240k, sendo que não houve melhora nenhuma tanto no prédio quanto no bairro, continua a mesma coisa. Então o que justifica este aumento?

      É disso que estamos falando aqui.

      0
  • Anonymous 26 de fevereiro de 2012 at 23:02

    Risco Cambial, Besouros e Borboletas.
    Francisco Lafaiete Lopes, junho/2011
    www . macrometrica . com . br/papers/RiscoCambial . pdf

    Um comentário final sobre o título deste artigo. A evolução atual da macroeconomia brasileira me faz lembrar o vôo de um besouro. A primeira vista a aerodinâmica do besouro não devia permitir que voasse, não obstante ele é capaz de vôos curtos. São vôos deselegantes que mais parecem seqüências de saltos.

    Certamente um besouro não tem a capacidade de vôo de uma borboleta. Muitos analistas quando discutem nossa macroeconomia parecem acreditar que estão analisando uma borboleta, com toda sua beleza e complexas piruetas. Não se pode negar que são elegantes e divertidos os debates sobre a delicada calibragem da taxa Selic, os ciclos de ajuste e relaxamento da política monetária, o papel das medidas macroprudenciais, a coordenação das políticas monetária e fiscal, o impacto do “dólar index” sobre a taxa de cambio Real-dólar e tudo mais.

    Esses analistas parecem esquecer, porém, que as importantes deformidades que ainda existem em nossa economia nos permitem no máximo pensar em um vôo de besouro. Infelizmente um besouro voador não se transforma automaticamente numa aerodinâmica borboleta. É fundamental ter em mente que o trabalho de construção das precondições institucionais para a consolidação da estabilidade ainda está longe de concluído e, na verdade, avançou muito pouco nos governos petistas. Isto ficará claro na próxima crise cambial.

    0
    • RMJ 27 de fevereiro de 2012 at 00:18

      Retificando o comentário anterior que ainda está aguardando moderação, ressalto que agora há pouco no programa Manhattan Connection da Globo News um corretor de imóveis (brasileiro) convidado para falar da venda de imóveis para Brasileiros em Nova York afirmou (ao responder um comentário feito pelo Sr. Ricardo Amorim e não pelo Sr. Paulo Henrique Amorim, conforme afirmei no comentário anterior) que existe bolha imobiliária em São Paulo/SP.

      0
      • xangai 27 de fevereiro de 2012 at 11:50

        E o Ricado Amorim !?!? ficou quieto !??! conseguiu engolir ?!?

        Temos aqui no Blog o dito-cujo taxativamente falando que “nao existe bolha” , dando os mesmos argumentos de corretores de imovel ou de jormalista mediocre :: crescimento da renda , demanda reprimida , blablablablalblala ,

        boa nota … tkss

        0
        • Polamalu 27 de fevereiro de 2012 at 20:49

          Ele cortou o cara, nem deixou concluir o raciocínio, fazendo uma pergunta idiota. Esses caras tem opinião sobre tudo, mas quando a assunto é bolha, ficam quietinhos.

          0
          • MrJaime 27 de fevereiro de 2012 at 23:56

            g1 . globo.com/globo-news/manhattan-connection/videos/t/todos-os-videos/v/empresario-do-mercado-imobiliario-fatura-alto-com-brasileiros-em-nova-york/1831090/

            0
      • Annibal 27 de fevereiro de 2012 at 18:13

        hehehe… eu vi tbm…

        0
    • Elias 27 de fevereiro de 2012 at 00:51

      Li essa material do chico lopes, muito boa.
      Vale a Pena ler an íntegra.

      0
  • RMJ 27 de fevereiro de 2012 at 00:01

    Bolhistas. O gato subiu no telhado mesmo. Agora há pouco no programa Manhattan Connection da Globo News um corretor de imóveis (brasileiro) convidado para falar da venda de imóveis para Brasileiros em Nova York afirmou (ao responder um comentário feito pelo Sr. Paulo Henrique Amorim) que bolha imobiliária existe é em São Paulo/SP.

    0
    • Ploc 27 de fevereiro de 2012 at 14:28

      g1 .globo. com/globo-news/manhattan-connection/videos/t/todos-os-videos/v/empresario-do-mercado-imobiliario-fatura-alto-com-brasileiros-em-nova-york/1831090/

      veja 09:00

      0
  • Homeless 27 de fevereiro de 2012 at 00:02

    Preço de imóvel não cai né ? ta ai o exemplo. Os mercados sempre se vingam dos excessos. Seja o mercado que for.

    0
  • Zé Coxinha 27 de fevereiro de 2012 at 04:04

    CIDADE MARAVILHOSA!

    “30 pessoas são assaltadas na Pedra da Gávea, no Rio”

    http:// www1 . folha. uol. com.br/cotidiano/1053797-30-pessoas-sao-assaltadas-na-pedra-da-gavea-no-rio.shtml

    0
    • shakespeare 27 de fevereiro de 2012 at 11:25

      Manchete bolhuda:

      Preços dos imóveis na ZS do Rio aumentam 7,8%

      ***RIZADA***

      0
  • MrK 27 de fevereiro de 2012 at 05:32

    Pessoal a coisa nao ta cheirando bem….

    O Tombini quer baixar o juro na marra, a Dilma quer fazer a economia girar por decreto, os dados de inflacao soam estranhos… Lembro de duas frases celebre do Peter Schiff antes da crise la nos EUA:

    1- “Hoje em dia uma familia nao pode nem pensar em so ter um trabalhando, ambos, homem e mulher precisam somar salarios pra manter suas necessidades basicas”

    2- “Antigamente as pessoas precisavam trabalhar para ter uma casa, hoje elas tem uma casa para nao precisar trabalhar” (pois viviam da especulacao sobre o preco dela)

    … o negocio na banania ta parecendo cada vez mais com os EUA pre-crise, tem suas particularidades, mas a figura geral lembra… as pessoas trabalham e a cada dia ficam mais pobres pela inflacao velada criada pelo excesso de credito, pelo descontrole da politica monetaria… enquanto umas trabalham muito e nao ficam ricas, outras querem ficar ricas sem trabalhar, flipando imoveis… soa familiar? os EUA foram turbinados por dinheiro Chines, o Brasil por dinheiro Europeu e Americano, ambos fugindo de suas crises.

    Mas “o reajuste do minimo veio pra ficar” gritou um tal corretor, ora, o ajuste do minimo SE tiver alguma influencia sera no minha casa minha vida e soh, nos imoveis acima de R$250.000, que correspondem a 100% da zona sul do Rio, por exemplo, o reajuste do minimo so atrapalha, pois quem compra esses imoveis nao ganham atrelado ao minimo, mas PAGAM (empregada, porteiro, funcionario) atrelado ao minimo, ou seja, vai TIRAR renda do mercado de classe media (a antiga), media alta e alta. LEMBREM-SE: O Maior peso dos ja’ carissimos condominios e’ a folha salarial.

    li do Miguel Jaco, uma coisa que sempre foi verdade “aluguel no Rio voce anuncia e em 2 dias fecham”, vivi a vida toda ali e vi sim este movimento, entretanto comeco a ver coisas curiosas, essa realidade so esta vigorando para quem anuncia a precos justos, os anuncios a precos inflados (especialmente 1a locacao), estao durando meses, literalmente meses, e comecamos a ver pessoas dizendo NAO, dizendo “chega, nao posso pagar”, bateu no teto da renda, as pessoas estao se mudando e os imoveis ficam vazios. Citei outro dia um predio novo com 4 imoveis no zap a alugar, no coracao da zona sul, estao todos desde novembro ali. Outra coisa que vale lembrar e’ que o aquecimento do mercado de aluguel se da pelo desaquecimento do mercado de vendas, nada mais e’ que uma migracao (pessoas se recusando a pagar precos bolhudos) e nao um “legitimo crescimento economico ou de renda”.

    Claro, mercado imobiliario e’ lento, levou quase 4 anos pra bater no teto (2008-2011), e nao vai descer em 4 meses, as pessoas demoram ate mudar de percepcao, muitos proprietarios ainda estao vivendo em 2010 (possivelmente a maioria), mas como eu disse no inicio do post: A coisa nao ta cheirando bem…apesar do FIPEZAP, uma minoria de proprietarios esta sim baixando precos, cada dia mais alguem se convence da bolha, e o balanco das construtoras vira desastroso mais uma vez, a barreira que falta e’ a midia, as reportagens pagas, as materias incentivando a loucura, o ultimo suspiro dos desesperados, quando isso cair, cai todo o resto

    0
    • DRN 27 de fevereiro de 2012 at 10:23

      Inflação mascarada de agora é piada. Deixa a Petrobrás começar a vender gasolina com lucro (i.é, sem subsídio) e o salário mínimo sofrer reajuste e, aí, sim, nós vamos ver o que é inflação… Se o casal Dilma-Tombini resolver continuar baixando os juros nesse cenário, danou-se.

      Em tempo, também só vejo o pessoal aumentando o preço acima da inflação. O quilo aqui perto saltou de R$50,00 para R$54,00 (aumento de 8%).

      0
      • MrK 27 de fevereiro de 2012 at 10:35

        8%? considere-se sortudo

        0
      • shakespeare 27 de fevereiro de 2012 at 11:29

        Pergunta:

        E você continua comendo lá?

        Se fosse em outro país, europeu ou nos EUA, as pessoas fazem boicote, boicote mesmo, já vi isso… passam a levar marmita de casa, andam um pouco mais longe e vão em outro, comem lanche 2 x por semana, porque eles se recusam a pagar preços que aumentam sem justificativa.

        Aqui na Banânia, as pessoas reclamam e continuam pagando!

        0
        • DRN 27 de fevereiro de 2012 at 11:50

          Shakespeare, é o único lugar com comida a quilo por preço razoável. Estou na Faria Lima com Rebouças. Tudo aqui é muito mais caro. Minha solução foi diminuir a gramatura (comer menos).

          0
          • Ricardo Eng 27 de fevereiro de 2012 at 15:12

            Correndo o risco de ser excessivamente chato, peço que não use o termo “gramatura” e sim “massa”, “peso”, “volume” ou qualquer outra coisa.

            Da mesma forma que o seu carro possui “potência” e não “cavalagem”, o seu prato possui “massa” e não “gramatura”. O mesmo para “corrente” vs “amperagem”.

            0
            • DRN 27 de fevereiro de 2012 at 16:26

              Eu não tenho problema nenhum com isso. Vá lá. Diminui a massa. Correção feita. Mas se vc errar um termo da minha área (jurídico), o chato serei eu.

              0
              • Cai Cai Balão 27 de fevereiro de 2012 at 16:37

                O ero maior foi comer menos pagando a mesma coisa. Eu teria procurado alternativas outras, que mantivessem o valor nutricional da minha alimentação e salvaguardassem o meu poder de compra.

                Aliás, R$54,00/kg? Isso deve ser bem salgado…

                0
                • Shakespeare 28 de fevereiro de 2012 at 14:07

                  Eu trabalhava em uma cidade no sul do país e tinha um quilo do lado do escritório que custava R$18,00/kg e aumentou para R$22,00. Eu e mais uns 80 do projeto paramos de ir lá.

                  Boicote geral! Resultado: Eles fizeram uma promoção na qual o preço máximo cobrado era de R$18,00…

                  Se não fizer isso, enquanto tiver gente pagando o preço pedido eles continuam cobrando alto e aumentando.

                  0
              • Ricardo Eng 27 de fevereiro de 2012 at 17:22

                Acredite, é pro seu bem.

                Soa muito mal falar “gramatura da comida”. Esses termos conferem ao locutor um ar de vigia de estacionamento, atendente de telemarketing, flanelinha, etc. Seria pior ainda se falasse que “vai estar diminuindo a gramatura da comida”.

                É um estilo de fala e escrita muito utilizado por pessoas mais pobres que tentam falar bonito.
                Como eu disse, fica com jeito de vigia de estacionamento.

                Pense como seria horrível perguntar “qual a cavalagem do seu carro”. Pois é, quando você fala da gramatura de um prato de comida, soa tão absurdo quanto.

                Ou seja: perdi meu tempo para dar um aviso. Não foi à toa e nem por maldade.

                0
                • DRN 27 de fevereiro de 2012 at 18:12

                  Cara, eu não entro nessa pilha. Tenho coisas mais importantes para fazer. Só repeti uma palavra que o dono do restaurante usou numa conversa comigo. Nada demais. E via no Aurélio que uso da palavra é correto quando se refere ao peso de papel. Então, não há nada de intrinsecamente errado na palavra. E fim de papo.

                  0
                  • DRN 27 de fevereiro de 2012 at 18:13

                    Em “via”, leia-se “vi”.

                    0
                  • Shakespeare 28 de fevereiro de 2012 at 13:57

                    Oi DRN

                    Gramatura ou Gramagem é a medida da espessura e densidade de um papel, expressa em gramas por metro quadrado (g/m²).

                    Aquilo que você estava se referindo é o peso, ou mais corretamente, a massa do que você consome que é medido pela balança do estabelecimento e é expresso por kgf ou N (peso) e kg ou g (massa).

                    Como você pode ver são coisas diferentes e, acredito, foi no sentido de esclarecer isso que o Ricardo escreveu. Mas eu entendo que é totalmente desculpável, alguém que não é da área de Exatas, cometer uns pequenos deslizes desse tipo mas o importante é que o preço cobrado por este restaurante está um absurdo, quer medido em gramatura, gramas, gramas-força 🙂

                    Abs

                    0
                    • Ricardo Eng 28 de fevereiro de 2012 at 14:22

                      Não é apenas uma questão de ser da área de exatas.

                      Isso aí é linguagem de peão de obra. Quem fala assim soa como inculto, tosco, bruto. E soa assim pois é o tipo de formalismo incorreto que é frequentemente utilizado por pessoas incultas que querem soar mais inteligentes.

                      Daí nasceu o gerundismo e outros conhecidos ataques à língua.

                      Imagine uma conversa sobre a “cavalagem” de um automóvel. Soaria ridícula pois a palavra “cavalo” é muito forte (soa um tanto ridícula) em um contexto técnico. Não é tão marcante quando um cidadão ignorante fala “gramatura” para tentar “falar bonito”.

                      A palavra “gramatura” não é muito ideal mas está em uso há muitas décadas e acabou ficando por aí. Em alguns casos (fabricação por encomenda e em grandes quantidades) é evitada para permitir maior precisão nas especificações técnicas e eliminar riscos jurídicos.

                      Existem, por exemplo, vários termos informais e de uso comum em oficinas para especificar a espessura de uma chapa. Só que ninguém compra chapa por “bitolagem” pois esse linguajar de oficina pode trazer muitos problemas em um processo de compras. Essa é uma palavra, por sinal, que me da arrepios toda vez que a ouço.

                      0
                    • DRN 28 de fevereiro de 2012 at 15:15

                      Shakespeare, meu caro, acredite; eu já procurei muito e não encontrei nada no entorno minimamente razoável. Como não há tempo hábil para cozinhar, a única solução foi comer menos.

                      0
                  • Ricardo Eng 28 de fevereiro de 2012 at 14:00

                    É por isso que às vezes vale mais à pena ficar longe de foruns/blogs. As pessoas se ofendem com muita facilidade. Isso porque eu fui cuidadoso em todas as mensagens e disse “ser excessivamente chato”, etc.

                    E aí o outro fica falando em “não entrar em pilha”. Que mané pilha, seu mala! Eu pouco me importo com você ou como fala ou deixa de falar. Quis apenas dar um toque, te ajudar a soar menos PEÃO nas coisas que escreve.

                    No caso do papel o uso diz respeito à densidade por área e não ao peso. Advogado deveria saber usar e interpretar dicionário. Não basta que a palavra exista no dicionário e sim que o uso dado seja compatível com o que foi descrito ali. Um advogado deveria saber disso.

                    Mas deve ser advogado que fala “ô seu juiz, eu deixei a minha petição em riba da sua mesa” só porque “em riba” tá no dicionário. Imagino a qualidade do serviço.

                    0
                    • DRN 28 de fevereiro de 2012 at 15:07

                      Como eu disse, não vou entrar nessa pilha. Quem é vc, com esse português horroroso (ex.: vc e te?, “tá”? e por aí vai)? Vc sabe o que é uma metonímia? Ou quando bebe um copo d’água, joga a água fora e mastiga o vidro? Existe relação de lógica formal na sua imaginação (bossal) final? Um engenheiro devia saber disso… Putz, olha só, na internet, documentos de nutrição e medicina usando “gramatura” de alimentos…

                      galileu.globo.com/edic/133/alimenta1.doc
                      scielo.br/scielo.php?pid=S1415-790X2007000200014&script=sci_arttext
                      sbrtv1.ibict.br/upload/sbrt-referencial1056.pdf

                      Grande engenheiro! Acho melhor estudar nutrição e medicina antes de comentar assuntos daquela área com esse ar pseudo-superior. Pela sua falta do que fazer, eu é que imagino o motivo da falta de serviço.

                      0
                    • Ricardo Eng 29 de fevereiro de 2012 at 14:18

                      Você se acha muito importante mesmo para considerar que “estou botando pilha”. Ainda mais em um boçal (não existe “bossal”, seu animal) ignorante como você. Apenas dei um toque e fui extremamente cuidadoso quando fiz isso. Mas deveria ter deixado você continuar por aí exibindo a sua linguagem de peão, com sua gramatura, sua amperagem e cavalagem.

                      Eu escrevi “vc e te”? Tá maluco? Eu nunca escrevo “vc”, está me confundindo. O meu português é muito melhor do que o seu, que possui traços extremamente incultos para um advogado.

                      Não sabe nem consultar um dicionário direito. “Olha tio! A palavra existe!”.

                      Brasileiro não aceita críticas, apenas cordialidades. É o povo do tapinha no ombro. É quase impossível criticar um brasileiro com a maior educação possível e não ser atacado de volta. Se transformam em verdadeiras vadias ofendidas quando recebem os mais simples comentários.

                      Bom, pra mim deu. Não posto mais. Difícil conviver com ignorantes extra-sensíveis.

                      0
                    • DRN 29 de fevereiro de 2012 at 16:25

                      É mais fácil explicar algo para uma ameba do que para você.
                      1) se a palavra que designa a medida pode substituir a unidade medida no caso de papel (massa por área), então o mesmo recurso linguístico pode ser usado para qualquer outra medida e unidade. Daí porque não está intrinsecamente (palavra muito difícil para você compreender) errado o uso de gramatura para designar a massa de alimentos . Eu não sei ler dicionário? Você é que é tapado.
                      2) a palavra, no sentido que empreguei, é usada por médicos e nutricionistas em textos TÉCNICOS, e sua omissão quanto a isso é prova cabal de que você estava ERRADO em encher meu saco.
                      3) se está nervoso, tire as calças e pise em cima;
                      4) não, eu não me ofendo pelo que você obra pela boca;
                      5) e sim, seu português é horrível porque você é analfabeto funcional.

                      0
            • trimmador 1 de março de 2012 at 22:46

              “Correndo o risco” é bondade sua!

              0
  • Riodetudo 27 de fevereiro de 2012 at 08:49
  • Etmso 27 de fevereiro de 2012 at 08:57

    Assim como todos, eu tento entender o que acontece com os preços no Brasil.

    Pelo menos em São Paulo, acho que RENDA + CRÉDITO foi o estopim para toda esta loucura dos preços.

    Sempre me perguntava, quem compra estes apartamentos de 1MM ou mais?? Quem são estas pessoas??

    Vejam esta informação do IBGE, Seade, o percentual de famílias por bairro com renda acima de 25 salários minimos (acima de 15k / mês)

    Água Rasa 17,78
    Alto de Pinheiros 53,72
    Anhanguera 1,98
    Aricanduva 7,88
    Artur Alvim 4,77
    Barra Funda 31,04
    Bela Vista 26,53
    Belém 19,74
    Bom Retiro 14,79
    Brás 12,46
    Brasilândia 2,49
    Butantã 37,88
    Cachoeirinha 5,62
    Cambuci 20,68
    Campo Belo 48,44
    Campo Grande 30,29
    Campo Limpo 5,76
    Cangaíba 6,42
    Capão Redondo 3,22
    Carrão 15,58
    Casa Verde 15,9
    Cidade Ademar 6,58
    Cidade Dutra 6,67
    Cidade Líder 5,72
    Cidade Tiradentes 0,76
    Consolação 44,47
    Cursino 21,93
    Ermelino Matarazzo 3,97
    Freguesia do Ó 10,78
    Grajaú 1,38
    Guaianazes 1,56
    Moema 61,38
    Iguatemi 1,4
    Ipiranga 18,64
    Itaim Bibi 52,92
    Itaim Paulista 1,54
    Itaquera 4,28
    Jabaquara 17,91
    Jaçanã 8,02
    Jaguara 9,88
    Jaguaré 16,99
    Jaraguá 2,58
    Jardim Ângela 1,29
    Jardim Helena 1,53
    Jardim Paulista 55,78
    Jardim São Luís 3,89
    José Bonifácio 3
    Lajeado 1,13
    Lapa 32,87
    Liberdade 29,59
    Limão 10,62
    Mandaqui 20,7
    Marsilac 0,71
    Moóca 28,48
    Morumbi 60,58
    Parelheiros 1,01
    Pari 13,8
    Parque do Carmo 4,39
    Pedreira 3,03
    Penha 13,05
    Perdizes 50,83
    Perus 2,39
    Pinheiros 49,79
    Pirituba 10,09
    Ponte Rasa 7,3
    Raposo Tavares 7,24
    República 13,46
    Rio Pequeno 17,96
    Sacomã 10,47
    Santa Cecília 27,14
    Santana 33,13
    Santo Amaro 43,13
    Sao Domingos 13,46
    São Lucas 9,46
    São Mateus 3,93
    São Miguel 4,23
    São Rafael 1,74
    Sapopemba 3
    Saúde 40,33
    Sé 7,09
    Socorro 23,22
    Tatuapé 33,05
    Tremembé 9,62
    Tucuruvi 18,2
    Vila Andrade 31,44
    Vila Curuça 2,28
    Vila Formosa 16,14
    Vila Guilherme 14,51
    Vila Jacuí 2,8
    Vila Leopoldina 33,61
    Vila Maria 8,22
    Vila Mariana 49,05
    Vila Matilde 10,16
    Vila Medeiros 6,45
    Vila Prudente 14,43
    Vila Sônia 29,07

    0
    • Etmso 27 de fevereiro de 2012 at 11:35

      RETIFICANDO.

      As informações acima são de 2000, estou no site do IBGE, as informações preliminares de 2010, apontam um estrangulamento da classe média (o salário minimo aumentou em % mais do que o salário da classe média), por tanto estes dados deverão ser menores. Ainda não existe uma análise por bairro.

      De ante mão, pelo site do IBGE 2010, 600 mil familias em São Paulo possuem renda acima de 10 salários minimos, 6,5k, sendo que 225 mil familias possuem renda acima de 20 minimos, 13k. A renda da classe média diminuiu, mas o crédito aumentou ao meu ver, criando a bolha.

      O IBGE tem dados suficientes para saber o tamanho da bolha (caso ela exista), eles sabem a renda, o número de domicilios alugados, o número de conjugues, o número de imóveis, o número de famílias morando juntas, etc etc etc….Estou impressionado com a quantidade de informações que o IBGE 2010 possui, isto associado aos dados do sistema financeiro de habitação mais informações do número de imóveis/projetos lançandos junto a prefeitura, poderia se traçar o panaroma cidade a cidade do Brasil.

      Todas as informações estão disponíveis para o GOVERNO, falta VONTADE política para apresentação de uma análise, está tudo aí, é só juntar.

      0
      • MrK 27 de fevereiro de 2012 at 11:58

        Prezado Etsmo,

        Existe um conceito em estatistica chamada CORRELACAO, e tambem COVARIANCIA, basicamente dizem que se duas coisas estao relacionadas elas devem variar juntas, ok??

        Por favor, veja a quantidade de milionarios em 2007 (antes do boom) e em 2011 (depois do boom), nesse periodo o preco dos imoveis subiu 140%, se o numero de milionarios tiver subido 140% eu te darei toda razao… mas aposto que nao subiu…

        Voce esta tentando justificar VARIACOES (de preco) com posicoes ABSOLUTAS (numero de ricos), tente justificiar variacoes com variacoes e voce vai ver…

        0
        • Etmso 27 de fevereiro de 2012 at 13:16

          Caro Mrk,

          Se vc tem uma demanda para uma oferta, se a elasticidade demanda, for de 1, um incremento de 1 uma unidade monetária para a demanda, fará com que este consuma uma unidade a mais num 1o. cenário.

          O que acarreta o ofertante aumentar o seu preço, dimiuindo a demanda, buscando o equilibrio num cenário posterior ao 1o.

          Isto ceteris paribus, se todas as condições forem mantidas, entretanto o aumento do CRÉDITO quebrou esta condição, fazendo com que a demanda consumisse mais sem incremento de renda, e fazendo com que o ofertante, ofertasse mais em preços cada vez maiores.

          Ainda podemos dar ao imóvel o caracter de bem de primeira necessidade, como os bens de 1a. necessidade (higiene) onde o preço aumenta e a demanda continua constante. Isto que eu venho querendo expor. Existe RENDA, existe CREDITO e existe MUITAS PESSOAS POR DOMICILIO.

          ‘Condição ceteris paribus’

          A condição ceteris paribus é muito usada na economia (mas não só), em razão da complexidade da análise onde existe um número indeterminado de variáveis de influência remota que podem, eventualmente, desconectar a observação do resultado.

          0
          • MrK 27 de fevereiro de 2012 at 14:34

            acho, sem gastar o meu latim, que voce simplesmente está tentando se enganar e fazendo comparações equivocadas

            esse tipo de análise é mais ou menos como aquela matéria do “leblon wallstreet”, sem pé nem cabeça, disse e repito: você está comparando situação estrutural para explicar variação, não tem correlação nenhuma, o número de milionarios não explodiu na proporção do preço dos imoveis, você está, assim como os corretores, procurando o seu “estado dos carajas”, procurando sua “usina”, seu “pre-sal”, sua “olimpiada”, está procurando uma justificativa no lugar errado, a menos que você curta se enganar, o papel dos ricos na bolha é tão somente inflar a especulação (e quebrar a cara) e não justificar a demanda de usuários final.

            saudações

            0
            • Luiz 27 de fevereiro de 2012 at 15:52

              boa Mrk, (ainda estou voltando do carnaval, estarei listo semana que vem apenas)
              caro Etmos. Acho q vc tá quase chegando lá.

              Falando em engenheirês, vc precisa comparar os Deltas com os deltas.
              Em linguagem simples: se o cara era milionario e vivia numa mansão, ele não gera demanda, pq mesmo que compre outra mansão, devolve a antiga ao estoque, jogo de soma zero.

              Eu já fiz a conta: a nova demanda cresce 0,5% das famílias por ano. = 33 mil novas casas/ano em SP. Ou 50% da oferta das construtoras, sem contar as pequenas obras.
              Desde meados de 2009 os preços sobem baseados em “esperança e sonhos”.
              O sonho pode concretizar pode não concretizar.

              0
              • xangai 27 de fevereiro de 2012 at 15:58

                Caro Luiz ..
                Estavamos , posso afirmar , com saudades !!

                Falando em IBGE vc foi o cara que mostrou melhores/maiores analises aqui neste BLog,

                O bertz/etmso ainda chegam la … alias … achei legal vc mostrar que errou quando analisou 2000
                e nao 2010 !!

                saudades

                0
                • Etmso 27 de fevereiro de 2012 at 16:20

                  Valeu Xangai!

                  Realmente em relação ao número de salários minimos a renda da classe média diminuiu.

                  O aumento em % do salário minimo nos últimos 10 anos foi absurdo.

                  0
                • Luiz 27 de fevereiro de 2012 at 17:13

                  ola caro xangai, obgado, tbm stava com saudades de todos
                  ele errou a base dedados de renda por 10 anos e ainda assim chegou nas mesmas conclusões

                  São análises assim que sustentam a bolha, bolha de esperança.

                  0
              • Etmso 27 de fevereiro de 2012 at 16:18

                Luiz,

                Faltou você incluir o aumento da demanda pelo número de domicilios que moram 5, 6 pessoas, e a tendência atual de morarem 1, 2 ou 3 pessoas.

                O que está acontecendo hoje, e não é estatísticamente inrrelevante é a postergação da saída da casa dos país pelos jovens, principalmente nas grandes capitais. No IBGE 2010 você vão perceber isto claramente, muitas residências com muitas pessoas.

                0
                • RPL 27 de fevereiro de 2012 at 23:22

                  Etmso,

                  Morar 1, 2 ou 3 pessoas em residências em locais onde a renda média é elevada.

                  Não espere que por exemplo em Itaquera ou Capão Redondo, nos fundos de Osasco, Mauá ou Diadema (entre outros, apenas para exemplificar) o número de habitantes por residência vai ser baixo.

                  Eu presto atenção nesse movimento desde 2006 e você pode reparar a grande maioria do pessoal que mora em bairros de baixa renda:

                  – Os pais do sujeito compraram terreno em um lugar afastado na década de 70 e pagaram uma ninharia em prestações.
                  – Construiram com o passar dos anos.
                  – Quando o filho 1 se casa, ele sobe a casa.
                  – Quando o filho 2 se casa, ele constrói no fundo.
                  – Se tiver filho 3, normalmente faz o puxadinho na casa do sogro ou mora numa Cohab.

                  Normalmente os caras que moram em co-habitação praticamente não tem gastos – a conta de água e luz não é desmembrada (normalmente os pais pagam com a aposentadoria), as crianças estudam em escola pública e a avó ajuda a cria-los – fora os bolsa tudo.

                  Vamos supor que o individuo tenha a renda média da população e que a esposa também trabalhe:

                  Temos uma renda bruta de 3,2K por mês o que deve dar uns 2,5K liquido/mes.

                  Daí, o que o cara faz? Vai lá e compra um carro de 40K financiado em 72 parcelas de R$ 990,00 + seguro + ipva + combustivel = R$ 1.250,00/mês ou 50% da renda liquida do cidadão.

                  Mais umas compras no crediário e pronto, o cara vive empatando ou devendo – mesmo sem ter necessidade de despesa fixa. Se o marido ou a esposa perdem o emprego, já viram inadimplentes.

                  Ou seja, a não ser que o MCMV funcione ou algum outro programa do governo, o cara jamais vai conseguir sair da co-habitação.

                  Esse é o padrão que temos aqui no Brasil.
                  ________________________

                  Agora, se você estiver falando do cara que mora com os pais em Moema, Pinheiros, Higienópolis e a família é abastada, provavelmente o pai cede um apartamento em comodato para o filho… E provavelmente nesse caso, a residencia deles tem no máximo 4 habitantes.

                  Só que isso é a extrema minoria.

                  0
                  • Etmso 28 de fevereiro de 2012 at 09:48

                    Perfeito.

                    Mas discordo em algumas partes. Nao e toda pessoa da classe C e D que tem esta mentalidade de carro. Vejo as garagens das periferias e um ou outro que tem esta mentalidade, menos de 50%.

                    Para as classes C e D renda abaixo de 2k esta melhor, pois estes tem seus salários atrelados ao SM que teve um aumento % brutal. E ainda o governo facilita muito a aquisição de 2 cômodos de 100 mil pelo minha casa minha vida.

                    Concordo. A maioria das residências com muitas pessoas estão na periferia, mas conheço no mínimo 50 pessoas de classe media com menos de 30 anos morando com pais por conta dos altos precos das capitais RJ e SP. Olhe o IBGE 2010 e muita residência com mais de 5 pessoas.

                    O extrangulamento foi a classe media, pois nao tem o salario atrelado ao mínimo.

                    2000 SM 150k IMOVEL 40k
                    2012 SM 650k IMOVEL 100k

                    A classe C ta bem, que ta na M. foi a classe media.

                    0
                    • Etmso 28 de fevereiro de 2012 at 10:02

                      Completando.

                      O SM subiu 433% e o IMOVEL da classe C subiu 200%. em 12 anos.

                      Quem ganha seus 2, 3 mínimos ta mais tranquilo para aquisição de um IMOVEL.

                      0
    • shakespeare 27 de fevereiro de 2012 at 11:45

      As vezes me pergunto se a sobrevalorização do preço das comodities ajudou a inflar a base monetária e criar uma inflação no país… como tenho poucos conhecimentos de Economia não consigo fazer uma análise aprofundada, mas fico com essa impressão.

      Talvez o MrK pudesse nos dar uma luz sobre esse assunto

      0
  • veigalex 27 de fevereiro de 2012 at 09:03

    Pessoal,

    Quando sai os dados de Dezembro do SECOVI?

    Qual é a periodicidade que eles deivulgam?

    Devemos pressionar, pois ja que não temos um indice justo, pelo menos vemos como eles estão mascarando a queda.

    0
  • No Home 27 de fevereiro de 2012 at 09:04

    Quero só ver esses balanços.
    Em 15 dias saem todos. No infomoney ja saiu uma notícia para que não se espere muita coisa.
    Diz que provavelmente só a Cyrela e a Eztec teriam dados positivos, enquanto que MRV, Gafisa, Tenda e Tecnisa viriam péssimos.
    Apesar do índice FIPE-ZAP ser manipulado, nos balanços contábeis é mais difícil e a verdade vai aparecer.
    O mercado imobiliário é lento e demora para subir e para oscilar.
    Me lembra as ações com pouca liquidez, vc entra mas se quiser sair a porta é pequena e não são feitos muitos negócios de cada vez.
    Pergunte para um especulador em ações (em 2007) se o mercado iria cair. Imagina o Brasil é a bola da vez só vai subir para sempre, o mercado só aumenta.

    0
  • Ploc Monster 27 de fevereiro de 2012 at 09:14

    Ué, mas em terra Brasilis não vai tudo a mil maravilhas ?? Segundo a rede Bobo em seu Jornal nacionar, as coisas estão muito bem obrigado, um pintor esta ganhando fácil 2.500 bananas reais então um professor da rede pública deve estar tirando por baixo 10.000 bananas reais, então os imóveis estão muito baratos, como diz um certo vendedor: Compre, Compre Compre !!

    0
  • TH 27 de fevereiro de 2012 at 09:22

    Pessoal do Rio,

    no elevado paulo de frontin, à direita de quem vai pro rebouças, tem uns prédios novos com aspecto de prontos ou quase prontos há muito tempo. Alguém sabe que empreendimento é aquele?

    0
    • Paulo - RJ 27 de fevereiro de 2012 at 11:15

      MRV. Na época do lançamento, há uns dois anos atrás, estava sendo vendido por 220K

      0
      • MrK 27 de fevereiro de 2012 at 11:18

        na linha vermelha, perto de sao cristovao, tem uns da MDL acho que tambem sao uns monstros, sao tipo esses citados soh que multiplicados por 2, e’ imovel que nao acaba mais…

        0
  • Cai Cai Balão 27 de fevereiro de 2012 at 09:24

    “Aqui é diferente, pois o nosso sistema bancário é sólido”.

    Bom dia ADVFN:

    Inesperado: Banco do Brasil, Itaú e Bradesco com rating em revisão
    A agência de classificação de risco Moody´s anunciou neste final de semana que colocou o rating (nota de crédito) de diversos bancos nacionais como o Banco do Brasil (BBAS3), Itaú Unibanco (ITUB4), Bradesco (BBDC4) e Santander Brasil (SANB11) em revisão, com perspectiva negativa. A justificativa da agência para o possível rebaixamento é o relacionamento do sistema financeiro nacional com instituições financeiras europeias, em meio a uma crise de crédito. A notícia pegou de surpresa alguns investidores nacionais, que esperavam que o sistema bancário nacional estivesse blindado da crise europeia. No total, a Moody´s estuda para possível rebaixamento 15 instituições financeiras, entre bancos e seguradoras, no Brasil e México.

    0
    • DRN 27 de fevereiro de 2012 at 10:06

      É por isso que eu digo que viver uma vida inteira de aluguel, por mais financeiramente vantajoso que seja, não vale a pena. Não estou dizendo que o cidadão tem de pagar preço bolhudo, nem que tem de pagar juros por 30 anos, mas que tem de economizar e, assim que possível, comprar uma casa. Se o banco vai para as “cucuias”, como é que fica o suado dinheiro? Se o governo comunista safado não cuida do poder de compra da moeda, como é que fica o suado dinheiro?

      0
    • Philis 27 de fevereiro de 2012 at 10:41

      “A notícia pegou de surpresa alguns investidores nacionais, que esperavam que o sistema bancário nacional estivesse blindado da crise europeia”

      Ficam acreditando nas mentiras da sargentona, dá nisso… A marolinha vai chegar com a força de um tsunami.

      0
  • Pedro 27 de fevereiro de 2012 at 10:01

    Estou a passeio em Orlando e não vejo nenhum sinal de crise por aqui. Só tem carro novo, um consumo absurdo. Uma pujança econômica inacreditável. E eles são os pobres agora! Fala sério. O Brasil tá muito, mas muito longe deles em tudo. E aqui o preço dos imóveis é mais barato do que aí. Essa merda vai feder muito….

    0
    • MrK 27 de fevereiro de 2012 at 10:09

      amigo, estive nos EUA ano passado, conheco bem os EUA, a Europa e ate mesmo Africa, tive o privilegio de viajar muito e passar um tempo fora, o Brasil, mesmo depois de todo crescimento artificial continua sendo um pais caro, com infra capenga e tudo tem qualidade ruim

      nao quero passar por metido nem nada, mas como vou todo ano pra fora, nao compro uma roupa no Brasil ha mais de 3 anos, nem meia, nem cueca, literalmente tudo fora, o mesmo vale pra eletronicos em geral, perfumes, vitaminas etc…

      nem com 20 anos de crise nos EUA e 20 anos de crescimento no Brasil a gente vai poder se comparar, o gap e’ algo absurdo de grande, e digo mais, o mesmo vale pra Europa, Australia, Canada, Nova Zelandia e ate’ paises mais low profile como Africa do Sul, Coreia do Sul… tudo anos luz a frente do Brasil!! A unica coisa que o Brasileiro consome mais que o americano e’ juro!!

      No mais, aproveite a viagem!!

      0
      • jayme 27 de fevereiro de 2012 at 19:49

        con-con , voce é o cara!

        0
      • Noord 27 de fevereiro de 2012 at 21:55

        Acabei de voltar dos USA… Em Las Vegas, um nr absurdo de brasileiros comprando… De cueca a PS3 !!!!!! Teve loja que eu não consegui ouvir inglês !!!!

        0
  • Vivendo de Aluguel 27 de fevereiro de 2012 at 10:13

    Meu primeiro post. Excelente Fórum!

    Notícia que saiu hoje no G1:

    IGP-M fecha fevereiro com deflação de 0,06%, diz FGV
    O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), conhecido como a inflação do aluguel, fechou fevereiro com variação negativa de 0,06%, segundo aponta levantamento da Fundação Getulio Vargas (FGV), divulgado nesta segunda-feira (27). Em janeiro, o índice havia registrado alta de 0,25%. Em 12 meses, o indicador acumula aumento de 3,43% e, no ano, de 0,19%.

    Parece que nem a fantástica rentabilidade do aluguel, que hoje está em 0,2% a 0,3% ao mês salvará os investidores do mercado imobiliário.

    Mas como as aluguéis não sobem, a única maneira de equilibrar a conta é derrubando os preços dos imóveis… coisa pouca, algo em 30% a 40% está de bom tamanho

    0
  • aiwww 27 de fevereiro de 2012 at 10:54

    Relato de uma corretora pedindo para “trabalhar” meu imóvel:

    Olá XXXXX! Não me ignora não, preciso trabalhar,pagar minhas contas, sou corretora e gostaria de trabalhar com seu imóvel. Obrigada

    ahuahauhauahauhauahua

    VAI MORRER DE FOME !!!

    0
  • shakespeare 27 de fevereiro de 2012 at 11:00

    Na capa de hoje do BRasil Economico:

    Cyrela pagará mais por imóvel devolvido

    Em resumo, diz que a Justiça condenou a Cyrela a devolver 75% do que os compradores desistentes pagaram, caso queiram devolver o apartamento. Nos contratos leoninos de hoje, ela retem de 75% a 90% do valor pago…

    Eles citam também que a análise de crédito das construtoras é mal feita e existe alta inadimplência.

    0
    • MrK 27 de fevereiro de 2012 at 11:04

      alta? altissima!!!

      voce viu o tamanho do write-off (termo tecnico pra prejuizo) que a gafisa/tenda teve que fazer por conta disso? muitos milhoes de reais… um rombo!!

      eu nao duvido nada que tenha construtora atrasando entrega de obra pra poder ir ganhando INCC e adiando o prejuizo de recomprar os imoveis…

      0
      • shakespeare 27 de fevereiro de 2012 at 11:50

        pois é, eles estão se apoiando nessas cláusulas leoninas (abusivas) para ver se minimizam os prejuízos, mas a Justiça está atenta para esses contratos realizados… alguns até entendem que se o motivo da devolução for atraso na entrega por parte da Construtora o valor deveria ser 100%.

        Como já disse antes, prevejo uma série de ações na Justiça nos próximos meses, anos, décadas…

        🙁

        0
    • Sol de Sampa 27 de fevereiro de 2012 at 13:50

      CAra … isso é mais que importante…. vc tem os dados do processo… sabe se está com cautelar… é 1a – 2a. instancias?

      Please mais informações…. isso tem que ser explorado o máximo e divulgado pra ver se repercute nos preços dos imoveis….

      0
  • aiwww 27 de fevereiro de 2012 at 11:19

    Velocidade das vendas começa a cair, mas o alto preço do imóvel ainda resiste

    Leia mais: http://extra.globo.com/casa/velocidade-das-vendas-comeca-cair-mas-alto-preco-do-imovel-ainda-resiste-2492416.html#ixzz1nalDl3pL

    0
  • Anonymous 27 de fevereiro de 2012 at 11:29

    Ações por falta de pagamento de condomínio sobem 72% em janeiro
    www1 . folha . uol . com . br/mercado/1054014-acoes-por-falta-de-pagamento-de-condominio-sobem-72-em-janeiro . shtml

    O número de ações de cobrança por falta de pagamento da taxa de condomínio nos fóruns da cidade de São Paulo registrou aumento de 72,4% em janeiro ante o mesmo mês de 2011, atingindo 888 processos, segundo levantamento divulgado nesta segunda-feira pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação). Já em relação a dezembro, o volume teve acréscimo de 53,4%.

    0
    • Cai Cai Balão 27 de fevereiro de 2012 at 11:43

      Qualquer relação com o altíssimo nível de desocupação pode não ser mera coincidência.

      0
  • Cai Cai Balão 27 de fevereiro de 2012 at 11:45

    A coisa tá começando a ficar boa. Ontem fui a um aniversário e, sem puxar o assunto, presenciei convidados comentando sobre os preços de imóveis em Belém/PA. Um deles falou em bolha e o outro comentou que um de seus clientes presta consultoria em engenharia civil na cidade. O engenheiro recomenda esperar, pois percebe que as vendas simplesmente travaram porque o volume de dinheiro vivo (espécie) simplesmente minguou na cidade.

    Os grandes empresários que, noutros tempos, buscavam aplicações em imóveis para escoar grandes quantidades de dinheiro em espécie (evito o termo lavagem, por não ter certeza de que isso efetivamente ocorria), hoje procuram empregar essa grana em outros investimentos, tendo em vista a insustentabilidade dos preços.

    As altas são tão insustentáveis que já vejo gente repassando financiamentos só para não perder para a construtora. Preferem não devolvê-los à incorporadora e ver retido 20, 30% de seus aportes. Imóveis que são oferecidos por R$450.000,00 por corretores (quitados) já podem ser encontrados por R$300.000,00 (R$100.000,00 de repasse + 200.000,00 de saldo devedor). Os players negam até a morte, mas já se começa a ouvir estórias de gente que se arrependeu de entrar nessa ciranda.

    0
  • Philis 27 de fevereiro de 2012 at 11:46

    Olha o problemão:

    http:// www. zap. com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-JACAREPAGUA—FREGUESIA-ESTRADA-GABINAL/ID-2931575

    0
  • Carlos Wagner 27 de fevereiro de 2012 at 11:46

    Pessoal

    É o seguinte: Eu gostaria de postar umas fotos que fiz da sacada do meu apartamento mostrando o altissimo nivel de imoveis construidos e DESOCUPADOS, mesmo após a entrega das chaves haver ocorrido ha meses. Isso é apenas o que pode ser visto da sacada do meu apto, são os empreendimentos construidos ao redor que somam mais de 1000 unidades. Isso mesmo, mil unidades.

    Pergunta: Onde posso postar essas fotos e mandar o link a voces?

    0
    • Indecoroso 27 de fevereiro de 2012 at 11:49

      Tenta pelo FLICKR

      0
    • Cai Cai Balão 27 de fevereiro de 2012 at 11:52

      Se você não fizer questão de se identificar, posta no Flickr. Se quiser preservar anonimato, use o “http://imageshack.us/”. Bate a foto à noite. Se tua câmera tiver como ajustar parâmetros e abertura e tempo de exposição, deixa ela num tripé e expõe por 8 ou 10 segundos. Vai dar pra discernir direitinho os apartamentos ocupados dos desocupados (luzes acessas x luzes apagadas).

      0
    • Conde Drácula 27 de fevereiro de 2012 at 11:56

      Não seria melhor fazer um video e colocar no youtube?

      0
      • Carlos Wagner 27 de fevereiro de 2012 at 12:01

        Boa ideia…

        0
  • MrK 27 de fevereiro de 2012 at 11:51

    Entao vamos para um caso real, do suprasumo da demanda, a super zona sul do Rio

    Vi esse predio subir, deve ter sido vendido em meados de 2009 e foi entregue em novembro de 2011, foi mais rapido que a media! Apesar de nao ter sido no auge da infamia (que considero 2010) o resultado do predio vazio ha 3 meses denuncia o que vimos por ai (ate 70% de imoveis nas plantas nao foram pras maos de moradores)

    Vejam no ZAP, que apesar de ser um predio pequeno, chove anuncios:

    Venda:

    zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-GAVEA-/ID-2879656
    zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-GAVEA-/ID-2656115
    zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-GAVEA-/ID-2853933

    Aluguel:

    zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-aluguel-RIO-DE-JANEIRO-GAVEA-RUA-MARQUES-DE-SAO-VICENTE/ID-2801916
    zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-aluguel-RIO-DE-JANEIRO-GAVEA-RUA-MARQUES-DE-SAO-VICENTE/ID-2919623
    zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-aluguel-RIO-DE-JANEIRO-GAVEA-/ID-2916375

    As fotos parecem ser de unidades diferentes pelo angulo da janela (andares diferentes), nao e’ possivel afirmar, pode haver uma duplicacao, mas mesmo assim parece que ha encalhe. Lembro ainda que por falta de tempo olhei somente o zap, se eu olhasse todas imobiliarias e conversasse com o porteiro, garanto que apareceria mole mais 2 um 3 imoveis pelo menos.

    O que isso comprova? Sim a demanda estava artificialmente inflada por gente com grana, comprando pra revender/alugar/especular e nao pra morar, ta faltando morador final com capacidade de pagamento, alias pelo preco pedido nos alugueis e o imovel, pode estar certo que vai ficar muuuuuuito tempo ai…

    0
    • Ploc 27 de fevereiro de 2012 at 13:38

      Agora o imóvel ID-2656115 estava anunciado por R$1100K em Dez/2012 e agora estão pedindo R$1300K.
      É por essas e outras que vou esperar quietinho esperando a bomba estourar.

      0
  • Etmso 27 de fevereiro de 2012 at 12:51

    Ainda sobre o IBGE 2010 – para cidade de São Paulo.

    Mais de 50% dos domicilios possuem mais de 5 pessoas, enquanto a tendência, segundo a ISTO É.

    Na Inglaterra, o índice de domicílios habitados por uma única pessoa é de 30%. Nos Estados Unidos, alcança os 25% – em Nova York, a meca dos solteiros, mais da metade da população (50,6%) vive só. No Brasil, o número de indivíduos que moram sem companhia também aumenta a cada ano. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2008, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 11,6% dos brasileiros não dividem o teto com ninguém. Há dez anos, esse índice era de 8,4%.

    Eis o pq dos imóveis de 1 ou 2 dormitórios serem tão valorizados nas capitais. A galera tá indo até quando dá na casa dos país, avós, uma hora não dá mais. Mas vejamos que ainda estamos muito longe de cidades como Nova York.

    0
    • MrK 27 de fevereiro de 2012 at 14:37

      você está, assim como os corretores, procurando o seu “estado dos carajas”, procurando sua “usina”, seu “pre-sal”, sua “olimpiada”, está procurando uma justificativa no lugar errado, a menos que você curta se enganar, a culpa agora é dos solteiros?

      ô paciência

      0
  • Gustavo_SM 27 de fevereiro de 2012 at 13:00

    E num é que o grande jacó esta se mostrando cada vez mais como um novo profeta.

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1054014-acoes-por-falta-de-pagamento-de-condominio-sobem-72-em-janeiro.shtml

    Aumento na inadimplência dos moradores.

    Agora o bixo pega

    0
  • Zoom 27 de fevereiro de 2012 at 13:31

    Preços dos imóveis em São Paulo registram segunda maior alta do mundo em 2011

    SÃO PAULO – Os preços dos imóveis na cidade de São Paulo registraram a segunda maior alta global em 2011, de acordo com levantamento realizado pelo site Global Property Guide.

    Segundo a pesquisa, os preços dos imóveis na capital paulista ficaram 27,82% mais caros no ano passado (considerando a valorização nominal, ou seja, sem descontar a inflação do período). Descontada a inflação, a alta foi de 19,79%. “A expansão relativamente baixa do custo de vida e a forte valorização do capital são algumas das razões para que o Brasil seja visto como uma boa opção para investimento imobiliário”, diz o site.

    A cidade de São Paulo só perdeu para a valorização dos imóveis registrada em Deli, na Índia, onde os preços ficaram 35,77% mais caros (25,26%, se descontada a inflação do período).

    Em terceiro lugar aparece a capital da Estônia, Tallinn, com valorização nominal de 12,79% no ano passado (8,36% se descontada a inflação).

    Mercado imobiliário global em ritmo de crise
    De acordo com o levantamento, 16 dos 35 países pesquisados tiveram desvalorização nominal do preço dos imóveis no ano que passou. Se for descontada a inflação de cada país no período, o número é ainda maior: 22 países registraram queda real dos preços.

    Segundo a pesquisa, a Irlanda foi o país onde o preço dos imóveis registrou a desvalorização nominal mais expressiva em 2011: 15,82%, seguida pela capital da Grécia (Atenas), onde os imóveis ficaram 7,94% mais baratos.

    Fonte: h ttp://www.infomoney.com.br/imoveis/noticia/2353419-precos+dos+imoveis+sao+paulo+registram+segunda+maior+alta+mundo

    0
  • Etmso 27 de fevereiro de 2012 at 13:34

    Ainda segundo IBGE 2010. São Paulo capital;

    8,1% das pessoas da cidade de São Paulo moram em residências NÃO quitadas (galera SFH…);

    62% Quitado;

    23,5% alugado (840 mil pessoas);

    Outros;

    Temos que convencer 840 mil que é melhor morar de aluguel do que comprar um imóvel, e convencer 1 a 2 pessoas de cada família que é melhor ele continuar a morar com os país, sogros, avós, etc para sempre. O desfaio é este. Imóvel é bem de 1a. necessidade, não é ação, títulos…

    0
    • Carlos Wagner 27 de fevereiro de 2012 at 14:19

      Voce não precisa convencer muita gente nao. Convença apenas as pessoas que baixa escolaridade, as que não dominam as quatro operações matematicas básicas e não entendem o que leem, consequentemente a parte mais pobre da nossa sociedade que ainda deseja comprar, independentemente, se é um bom negocio ou nao.

      Quanto a parcela da sociedade que tem bala na agulha para pagar os preços praticados, eles não precisam ser convencidos de nada, geralmente tem bons empregos e boa formação educacional, sabem fazer contas e investir seu dinheiro, por isso fazem parte da seleta classe social.

      PS: Quando tentar convencer as pessoas a nao comprar, não se esforce tanto, pois o publico a que deve se dirigir já não tem condições financeiras para adquirir nada, eles só estão na vontade faz tempo. Vai ser moleza…

      0
  • JIBS 27 de fevereiro de 2012 at 13:34

    que o mercado esta travado é um fato. Quanto pode durar assim é mais dificil responder.
    Investidor comprou a x nao pode revender nem a x nem alugar no valor correspondente a x que esta um 50% acima do mercado, empreteira nao pode tirar do balanço pois comprador esta demorando a escriturar, se em alguns meses a situaçao nao melhora, a imobiliaria fica com o apartamento, detona seus balanços e se o processo se extende o problema passa ao banco, que pode refinanciar e aumentar a bola, ou parar-a.

    Como se pode destravar? ou o preço da uma reagida e provoca uma nova onda expansiva que faz crescer a bolha a longo prazo (economia cresce, inflaçao aumenta, dinheiro farto faz que os financiamentos se exapndam, etc…) ou se a economia da uma freada agora o investidor/comprador desespera, tem que assumir prejuizo e faz o rombo na imobiliaria e esta no banco.

    O brasil esta a tempo de lidar com o cenario 2, mas como a irresposabilidade publica fomente o 1 , o problema nao será gereciavel no fim da proxima onda expansiva dentro de 1-2-3 anos
    So aguardar e conferir.

    0
  • Diego RJ 27 de fevereiro de 2012 at 13:39

    Esta é para o Anonymus: (ou quem puder responder)
    Com relação à colocar dinheiro na conta no exterior, como mencionado em post acima, existe o IOF. Pergunta: E quando enviar do exterior para o Brasil, também paga IOF?
    Outra pergunta: Alguém já abriu conta na Holanda? Sabe como funciona?

    abraços

    0
    • Anonymous 27 de fevereiro de 2012 at 14:10

      Para enviar dinheiro dos EUA para a Banânia ou qualquer outro lugar, voce paga pelo serviço. Geralmente a modalidade WIRE TRANFER é a mais rápida. Acho que depende de banco para banco, mas é um valor FIXO da ordem de uns 30 USD.

      0
      • Diego RJ 27 de fevereiro de 2012 at 14:17

        Obrigado.
        Alguém já fez este tipo de operação a partir da Holanda?
        abs

        0
      • JIBS 27 de fevereiro de 2012 at 14:30

        sai mais economico tirar dinheiro do cartao emitido no exterior que transferir a um banco no brasil.

        Se voce transfere, paga comissao do banco emissor da transferencia, comissao do banco recebedor e a verdadeira mordida esta no cambio, pois o banco te aplica o dolar turismo ou te pega uma bela mordida no comercial, se sua transaccao se enquadra ai)

        Enquanto que se voce retira do cartao, visa internacional aplica o dolar comercial e somente voce paga a taxa de retirada de efetivo de teu cartao, que nao passa do 4% no pior caso

        0
      • JIBS 27 de fevereiro de 2012 at 14:36

        outro exemplo do proibitivo custo em banania; é mais economico usar no brasil um smartphone ou tablet europea ou americana em roaming de dados, que contratar um pacote ilimitado de uma companhia nacional para usar somente no brasil (59R$)ou pior , os 34 R$ o mega em roaming quando voce sai do brasil….

        0
    • Anonymous 27 de fevereiro de 2012 at 14:18

      A seguinte informação é no sentido de ALERTAR que o IOF, hoje em 0.38%, pode voltar a ser 25% e inviabilizar a transferência LEGAL (doleiro vai continuar existindo) a QUALQUER MOMENTO, bastando um simples DECRETO. A Banânia nunca foi, não é, e nunca será confiável quando o assunto é CAMBIO.

      * Imposto Sobre Operações de Câmbio
      www . receita . fazenda . gov . br/aliquotas/ImpCreSegCamb . htm

      Alíquota máxima: 25%.

      A alíquota foi reduzida a 0,38%, excetuadas as hipóteses previstas nos incisos do Art. 15- A do Dec. nº 6.306, de 2007.

      * Dec. nº 6.306
      www . receita . fazenda . gov . br/Legislacao/Decretos/2007/dec6306 . htm

      Art. 15. A alíquota máxima do IOF é de vinte e cinco por cento (Lei nº 8.894, de 1994, art. 5º).

      Art. 15-A. A alíquota do IOF fica reduzida para trinta e oito centésimos por cento, observadas as seguintes exceções: (Incluído pelo Decreto nº 7.412, de 30 de dezembro de 2010)

      0
  • Ze Bom Dirolo 27 de fevereiro de 2012 at 14:30

    Os banqueiros internacionais colocaram seus gados e equinos no Brasil durante os últimos anos.
    Agora que o pasto secou, chegou a hora de tirar o gado e deixar as Olimpíadas do laço de pangarés começar…
    E o que tem de pangaré….
    Hoje mesmo me ligou um dizendo que tinha um ótimo curral de 30 m2 no valor de 350k, respondi com toda educação de um equino.

    0
  • Ze Bom Dirolo 27 de fevereiro de 2012 at 14:40

    Fiz um apanhado das notícias produzidas pela revista exame nesse último mês e cheguei a conclusão que a referida revista não produz as informações necessárias a um investidor. Diante disso, hoje a revista
    EXAME está DESCARTADA da minha lista de leitura.

    Alguém tem uma dica para substituí-la?

    0
    • Carlos Wagner 27 de fevereiro de 2012 at 14:47

      Cavalos & Equinos

      Traz melhores informações de aplicações financeiras do que a midia comprada.

      0
    • Anonymous 27 de fevereiro de 2012 at 15:05

      Voce deve procurar pelas publicações underground como ZERO HEDGE (www . zerohedge . com) que também mostra links para muitas outras (veja Zero Hedge Reads). Convém ler várias e tirar a sua própria conclusão.

      0
      • Ze Bom Dirolo 27 de fevereiro de 2012 at 18:18

        Vlw!!

        0
    • Miguel Jacó 27 de fevereiro de 2012 at 17:46

      Exame é revista para funcionários, não para investidores. É a revista para manter os ratos correndo dentro da roda. Uma verdadeira matrix materializada na forma de papel.

      0
      • Etmso 27 de fevereiro de 2012 at 20:00

        Perfeito!

        Igual aqueles livros que vendem no aeroporto, ajudam vc a ser um ratinho mais eficiente e a girar melhor a roda das empresas.

        Para enteemos o nosso pais a solução e os blogs, seitas e mesas branca, Pq a imprensa ta comprada de tudo, td mundo tem seus intereses. Eu confio no IBGE, mas apenas em seus dados puros.

        0
      • Ze Bom Dirolo 27 de fevereiro de 2012 at 21:05

        Estou lendo Globo Rural agora para entender um pouco de commodities….

        0
  • Marcelo 27 de fevereiro de 2012 at 15:20

    Serasa diz que inadimplência das empresas brasileiras subiu 4,4% em janeiro

    Agência Brasil

    Publicação: 27/02/2012 11:10 Atualização:

    São Paulo – A inadimplência das empresas brasileiras subiu 4,4% em janeiro deste ano ante dezembro, segundo dados da empresa de consultoria Serasa Experian. Se comparado com primeiro mês de 2011, a alta é mais expressiva, com elevação de 26,7% no número de empresas devedoras.

    Dos quatro itens que compõem o indicador, apenas os cheques sem fundos apresentaram retração, com queda de 16,2% de um mês para o outro. A maior alta foi encontrada nos protestos, que tiveram um aumento de 26,3%. Dívidas não bancárias, entre as quais com financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços, subiram 4,7%. Débitos com bancos registraram alta de 0,7%.

    O valor médio das dívidas subiu em todos os itens na comparação com janeiro de 2011. Os títulos protestados ficaram, em média, em R$ 1.823,77, valor 14,7% maior do que no ano anterior. As dívidas com bancos tiveram média de R$ 5.217,80, o que representa uma elevação de 9,1%. Cheques sem fundos e dívidas não bancárias tiveram valor médio de R$ 2.143,38 e R$ 803,66, altas de 8,4% e 2% respectivamente.

    De acordo com os economistas da Serasa, os juros ainda elevados, que encarecem o capital de giro, os empréstimos que muitas empresas fizeram para pagamento do décimo terceiro salário, e o fraco desempenho das vendas no Natal e no início do ano dificultaram as finanças corporativas. Alguns setores registraram aumento dos estoques em decorrência das vendas baixas, o que também impactou negativamente o caixa das empresas.

    Esta cada vez mais dificil esconder a sujeira debaixo do tapete. Espero para ver o balanco das construtoras.

    0
  • Tentando entender 27 de fevereiro de 2012 at 15:22

    Galera,
    Venho lendo o blog há tempos e me parece que aqui há uma consciência sobre a existência de uma bolha imobiliária generalizada no Brasil, inclusive em lugares onde pretensamente há uma justificativa para a alta; como olimpíadas, altos salários no DF, etc.
    As análises pró bolha são sempre do tipo fundamentalista pra usar jargão de bolsa. O que isto significa: que no longo prazo haverá um ajuste: estouro ou esvaziamento, não temos como saber, desta bolha. Mas o que parece é como em outras bolhas enquanto a percepção dos investidores continuar no sentido do aumento de preços não haverá realização da sobrevalorização dos preços. A diferença das bolhas de mercado financeiro tipo NASDAQ é que grandes investidores são capazes de interferir bastante no mercado, mas me parece que no caso do mercado imobiliário é diferente. Acho que neste caso as “sardinhas” representam a maior parte dos compradores, ainda que 20 ou 30% possam ser adquiridos por investidores maiores, dos que compram várias unidades. Esses são os mais bem informados e saberão quando sair, mas a saída deles aos poucos, que eu acredito já estar ocorrendo, travou um pouco as vendas mas não foi capaz de segurar totalmente a subida dos preços. Se esta percepção estiver correta, só haverá estouro da bolha quando a sensação de “entrar num barco furado” estiver generalizada entre as “sardinhas”, caso contrário estes desavisados vão continuar comprando imóveis “que nunca caem” e que “valorizam pelo menos 20% a/a” sustentando os preços.
    Claro que concordo com as análises feitas por vocês aqui e as considero infinitamente melhores que as besteiras ditas na mídia, mas me pergunto se haverá uma grande mudança, um ponto de inflexão mais marcado sem a quebra de uma grande construtora ou uma crise mais grave “made in Europe”?
    Que vocês acham?
    Obrigado pelas informações e parabéns pelo alto nível das discussões, que muito tem ajudado quem pensa em investir a economia de uma vida e pode acabar caindo no desespero e entrando em um mercado inflado e bolhudo.

    0
    • Carlos Wagner 27 de fevereiro de 2012 at 16:33

      Voce tem toda razão quanto ao estouro/esvaziamento da tal bolha se dar quando a percepção de que é uma furada entrar nesse negocio haver sido disseminada entre as sardinhas, que são maioria.

      Isso acontecerá quando tentarem realizar seus lucros, ou seja vender seus preciosos bem sobrevalorizados e não acharem compradores, e isso está muito proximo de acontecer. Isso sem mencionar o fato de que podemos ter algum outro fator que possa desencadear o efeito manada de corrida às vendas.

      O que vemos no Brasil é uma grande especulação sobre quanto o bem (imovel) custará daqui x periodo de tempo. Isso atrai tanta gente a investir com a “certeza” de que multiplicará seu patrimonio, sem nem mesmo ter bala na agulha pra segurar o tranco (obter credito para o financiamento do bem) caso algo dê errado.

      Quando a justificativa de muitos de que há milhoes de milhonarios no país, que esse numero possa significar 20% da população, e que esse povo pode comprar os imoveis que estão sendo lançados ou entregues, presenciamos uma grande falacia. Pois veja: Quem tem bala na agulha aproveita o custo de oportunidade do dinheiro, ou seja, é avesso a fazer mals negocios e para ágio, portanto compra na planta esperando valorizar. Acontece que estamos presenciando, nesse caso especifico, a classe mais rica, investindo pesado em imoveis para vende-los sobrevalorizado para os 80% mais pobres. Isso tem logica? Quem poderá comrpar tais imoveis a nao ser alguem pertencente a essa classe mais abastada avessa aos seus proprios meios de multiplicação de capital?

      São tantas as conclusoes, cenarios e desfechos possiveis a que chegamos aqui que o que relatei acima é algo que está mais explicito aos olhos de qualquer cidadão que se disponha a enxergar.

      0
      • Sol de Sampa 27 de fevereiro de 2012 at 17:04

        Acho que a entrega dos empreendimentos pode acelerar o processo … Alguem tem algum site em que poderiamos ver por localidade e por construtora quantos serão entregues em 2012? Tentei garimpar informação mas fica dificil…

        As pesquisas no SECOVI são devagar quase parando… acho que é proposital ….

        0
      • @chologo! 27 de fevereiro de 2012 at 22:57

        Falando em realizar lucros, vc viram a bolsa hoje? Os Gringos Realizaram seus lucros e adivinhem quem mais Caiu? Uma Bolha para quem Adivinhar!

        As ações das construtoras figuraram entre os destaques de queda do índice. Brookfield ON (-3,01%), PDG ON (-3,22%), Rossi Residencial ON (-2,85%) e Cyrela ON (-3,22%). Bancos também apresentaram performance negativa. Itaú Unibanco PN (-1,08%), Bradesco PN (-1,02%) e Banco do Brasil ON (-1,24%). “O investidor aproveita para realizar lucro com as ações que mais subiram também”, lembrou outra fonte.

        0
    • Anonymous 27 de fevereiro de 2012 at 17:01

      O percentual de InvestiTolos é da ordem de 70% como assumido pelas próprias construtoras – vide tópico anterior. Ou seja, 70% é sardinha que não sabe nem nadar.

      0
      • Carlos Wagner 27 de fevereiro de 2012 at 17:11

        Vejamos: Numa conta burra, simples e sem nenhuma variavel, podemos constar que:

        – Se 70% são investidores, como os 30% restantes absorverão a quantidade de imoveis a venda sem que haja sobreoferta e, consequentemente, baixa de preços?

        Num cenario oposto, até poderia acontecer, apesar de ainda ser arriscado, haja vista a necessidade de cada investidor em se desfazer do seu imovel por N razões. A urgência na venda costuma derrubar o preço.

        Porém, no cenario atual, os 30% restantes, teriam que consumir quase 2,5 imoveis para absorver toda a oferta.

        Quem nao consegue enxergar que há algo de muito errado é porque está sendo diretamente beneficiado pelo sistema ou investiu pesado e se recusa a admitir que fez cagada.

        0
        • Miguel Jacó 27 de fevereiro de 2012 at 17:53

          Carlos,

          Permita-me corrigi-lo, mas há um pequeno erro de enunciado em seus cálculos. Os 30% restantes na verdade são pessoas que compraram o imóvel para morar, assim como os 70% são pessoas que compraram para investir.
          O número de pessoas interessadas em comprar, os potenciais compradores, não estão contidos neste universo. Podem ser maior, iguais ou menores que este universo de “quem comprou ou investiu”.

          0
          • Carlos Wagner 27 de fevereiro de 2012 at 17:58

            Tem razão.

            Mas a situação é foda do mesmo jeito…hehhe

            To de olho aqui na sua previsão de 05/03/2012!

            0
      • Tentando entender 27 de fevereiro de 2012 at 17:44

        Rapaz eu acho que agora pode ser que 70% esteja sendo vendido para investidores, mas quem inflou a bolha e considerando o total vendido desde 2007/2008, acho que foram as sardinhas.
        Em relação ao aluguel, citado mais abaixo, vale lembrar uma coisa: não existe crédito/MCMV, etc para pagar aluguel. Então acho que refletem um valor mais realista que as pessoas realmente podem pagar, não o que acham que podem por conta do crédito fácil.
        Abraço.

        0
        • Carlos Wagner 27 de fevereiro de 2012 at 17:52

          Opa..isso mesmo.

          Já pode até mudar seu nick para: ENTENDI TUDO!

          0
        • Luiz 27 de fevereiro de 2012 at 18:04

          prezado tentando

          Esse evento-marco do ponto de inflexão tbm estamos aguardando
          pode acontecer, pode não acontecer

          Na nossa análise, as chances de acontecer vem aumentando progressivamente e o ponto de não retorno (possibildiade de não acontecer) já passou.
          Acredito que dentro de 3 anos -> 2015

          0
  • danilo 27 de fevereiro de 2012 at 15:31

    A versao impressa do Estado de Minas trouxe a primeira referência à Bolha. Um cara do Sinduscon MG afirma ser impossível a Bolha pelos motivos que todos sabemos, quais sejam, PIB, renda. Ele até contradiz a reportagem postada anteriormente, ao dizer que a grande parte dos imóveis é para morador e nao especulador.

    Pouca informaçao útil, mas a primeira (mesmo refutando a bolha) a tratar do assunto, em um veículo de comunicaçao claramente vendido às construtoras.

    0
    • Miguel Jacó 27 de fevereiro de 2012 at 17:56

      Se há alguem refutando publicamente a existência de bolha, é porque a dúvida é grande…
      Parece que o gado não sabe mais se o terreno é fértil para pastar…

      0
  • MrK 27 de fevereiro de 2012 at 16:45

    ALUGUEIS: A FRONTEIRA FINAL

    Preciso reconhecer, alguém comentou aqui que a guerra final será travada nos alugueis, e ele estava certo, infelizmente não lembro o apelido, mas parabéns.

    Com o travamento da venda e um início de preocupação dos proprietários, principalmente os de primeira viagem, não sobrou saída, ou baixa o preço (e ninguém quer, ninguém aceita perder) ou tenta reverter o prejuizo no aluguel, porque vender não vende mais, ou seja, estão tentando transformar o preço bolhudo num aluguel bolhudo!!!

    Quanto tempo será que dura? Acho que pouco, porque no aluguel a pressa é diferente e o poder de compra é diferente, não tem crédito no aluguel…a cada dia a realidade bate mais a porta!!

    0
    • Luiz 27 de fevereiro de 2012 at 17:05

      Mrk, modestia a parte fui um dos que falou isso.
      Aluguel será o waterloo tupiniquim.
      O igpm deu deflação este mês denovo, 1 x 0 zero pros bolhistas

      (ps: ainda estou me recupernado do carnaval)

      0
      • MrK 27 de fevereiro de 2012 at 17:38

        pois é luiz, estava correto

        o aluguel é a ultima valvula de escape dos especuladores desesperados!!!

        joga o aluguel a 0.5% do preço bolhudo e vê no que dá!!! no fim só vai perder tempo e dinheiro, pois não aluga, mas isso dá a dimensão do desespero!!!

        0
    • Sir Income 27 de fevereiro de 2012 at 17:16

      Ano passado os proprietários ainda tiveram uma ajudinha do IGPM que no acumulado de 12 meses chegou a 11,49% em janeiro de 2011. Isso ajudou a reajustar os alugueis. Se o inquilino tentava sair desse reajuste, encontrava aluguel bolhudo. Mas agora o IGPM está caindo. Contratos desse mês serão reajustado em 3,43%. Quase nada. Não haverá procura como nos anos anteriores. Talvez alguns proprietários já tenham percebido isso.

      0
    • D9 27 de fevereiro de 2012 at 17:18

      Eu tbm já havia dito algo a respeito.

      O problema do aluguel …
      1. Fiador / Locador ganhando 3x o valor do aluguel.
      2. Não existe financiamento, bolsa-aluguel … tem q pagar mesmo.
      3. Não alugou ? Morreu no IPTU, Condomínio e demais taxas.

      Como o monte de imóveis chegando … sem chance de subir.
      IGP-M com nova queda (está na mídia).

      0
      • Cai Cai Balão 27 de fevereiro de 2012 at 17:22

        É impressionante como as coisas estão tomando corpo, se evidenciando. Tudo se encaixa perfeitamente. Bolha, se eu fosse você começaria a amadurecer a estória do livro, com um mix de notícias, análises e relatos trazidos ao blog. Quando as coisas estiverem mídia de massa, seu livro vai vender como água.

        Sugiro um bom título para o prefácio: “Já sabíamos”.

        0
    • JPM 27 de fevereiro de 2012 at 17:47

      Acho que vai acontecer algo “engraçado” no aluguel: o sujeito vai anunciar o imóvel com um aluguel que dê para pagar o financiamento (ou seja, bem alto). Vai ficar fechado alguns meses, mas como a mídia (comprada) continuará anunciando que o mercado está bom, os propriOtários acreditarão que é apenas uma maré de azar, e que logo conseguirão alugar.
      Mais alguns meses se passarão, e alguns propriotários começarão a atrasar as parcelas do condomínio e do IPTU, mas não abaixarão os preços. Quando esse número atingir uma proporção grande em uma determinada região, e um ou mais abaixarem radicalmente o preço de venda ou de aluguel, os demais ficarão putos da vida, acusarão estes de sabotar o mercado, e acabarão abaixando também, levando prejuízo por causa de uns $%#&&! (a culpa sempre será de outro, não deles mesmos).
      Nessa altura, talvez, a mídia encontre algum evento externo que será o bode expiatório da crise, para livrar a cara das construtoras, corretores, especuladores e políticos.
      E dirão que a bolha, no Brasil, foi diferente. E só “estourou” por culpa de alguém de fora.

      0
      • Cai Cai Balão 27 de fevereiro de 2012 at 17:50

        Isso já começou a acontecer, pois, como noticiado mais cedo, nunca houve tanta demanda do Judiciário por conta de taxas condominiais em atraso. Você tem alguma dúvida de que isso tenha ligação direta com tudo o que você escreveu?

        0
        • JPM 27 de fevereiro de 2012 at 18:00

          Eu sei que o processo já começou. Mas para que a mídia admita, ainda será preciso:
          1 – aumentar a quantidade de pessoas afetadas até “atingir massa crítica”;
          2 – achar o bode expiatório, pois nunca admitirão que alimentaram uma bolha, que destruirá tanta riqueza.

          Acho que atingiremos o 1 nos próximos meses. O 2 depende de como as coisas na Europa irão se desenrolar.
          Acredito que estamos no ápice da curva da bolha. Se já não cruzamos a tangente, estamos bem próximos dela.

          0
      • Sol de Sampa 27 de fevereiro de 2012 at 17:55

        JPM será que isso já não está acontecendo? Talvez explique a inadimplencia nos condominios…. Dá pra pensar ….

        Pessoal, acho que a bruxa anda solta por um monte de setores –
        acidentes com jet sky, trens que discarrilam, prédios que caem….

        Será que a bruxa agora esta se voltando pro mercado imobiliario e ela que vai ser responsabilizada pelo estouro da bolha?

        0
        • luidhi 27 de fevereiro de 2012 at 18:32

          Isso sempre aconteceu.

          Pega 3 meses de qualquer época que você vai ver várias desgraças.

          Engraçado que agora não tem:

          – Mãe jogando filho no rio;
          – A História da Cracolândia saiu da mídia;
          – Acidente de avião (tudo ficou ótimo, troll);
          – Estiagem em SP (estamos na época da chuva, ho-ho-ho);

          De vez em quando eu falo, vários comentários beiram o devaneio, infelizmente…

          0
          • Sol de Sampa 27 de fevereiro de 2012 at 18:41

            Oooo Luidhi …. foi só um exemplo de desculpa que a imprensa pode colocar para investitolo ler….
            usei bruxa, mas podia ser ET, a interferencia da Lua na entrada do outono…. hihihi… qualquer coisa que não tem pé ou cabeça pra justificar o que eles não querem admitir…. Hihihi eu só quero ver qual vai ser a desculpa….

            0
            • luidhi 28 de fevereiro de 2012 at 13:20

              Veja o desenho do Chicken Little. Lá já explica muita coisa

              0
  • Annibal 27 de fevereiro de 2012 at 18:53

    Será no aluguel onde a última batalha desta guerra será travada… ou melhor já está sendo…

    0
  • Cirilo 27 de fevereiro de 2012 at 19:56

    Não sei quem postou, mas o dado de 2010 que em SP 62% dos imóveis estão quitados é muito importante.

    Junto a isso, considerando que menos de 10% dos imóveis são financiados, esse dados nos permitem concluir que na verdade caso haja realmente uma queda de preços pela aumento da oferta, os únicos responsável seriam os investidores.

    Agora resta saber se estes irão preferir alugar os imóveis a os venderem por um preço um pouco abaixo do que pagarão.

    0
    • Etmso 27 de fevereiro de 2012 at 20:12

      Fui eu Cirilo.

      Mas todos ignoram estes dados importantes e preferem buscar informações da China, Nasdaq, Grecia… A maioria dos imoveis estão quitados, mas existe uma alta taxa de residentes por domicilio, contrariando qualquer tendência mundial, que aponta residência para 1, 2 ou 3 pessoas…dai nasce a demanda.

      8% alienado e muito pouco ainda, e menor ainda deve ser as entregas 2012 e13 tao faladas … Eu chutaria 1% em relacao ao total de domicilia, sendo que 30%, 40% deste 1% ainda e para o morador final.

      Nao entendo da onde tiram a bolha sem crise, desemprego… Queda so em 2016 pra lá.

      0
      • Cirilo 27 de fevereiro de 2012 at 22:14

        Também só acredito em queda mesmo depois das Olimpíadas, antes disso pode ocorrer variação normais de mercado, tanto para cima como para baixo.

        0
        • JIBS 28 de fevereiro de 2012 at 08:06

          o que eu nao entendo é por que tudo mundo somente acredita que havera crise apos as olimpiadas.

          A crise pode acontecer agora, em 2015 ou em 2025. Que eu saiba as olimpiadas nao irao representar nem sequer um 0,5% do pib brasileiro.

          Por outro lado, os agentes economicos se guiam por expectativas. Se ha expectativa de crise em 2016 os agentes antecipariam suas decisoes postergando investimento e consumo , nao aguardariam até a fumaça olimpica apagar-se!

          Para mim,a crise vai vir ou pela china (crise commodities) ou pela europa (novo tsunami financeiro) caso contrario concordo em que pode passar muito tempo até a bolha estourar. E quanto mais tempo passe, pior será.

          0
    • Leno 27 de fevereiro de 2012 at 21:17

      Eu acho essa pesquisa enganosa.

      O boom imobiliario começou em 2008/2009, logo quem comprou imovel na planta nesta epóca só obteve as chaves ao fim de 2010 em diante. Logo esta pesquisa não deve ter coletado os financiamentos feitos a partir da entrega das chaves.E foram muitos.

      0
      • Etmso 28 de fevereiro de 2012 at 09:09

        Eu tb pensei neste gap entre a coleta do IBGE em 2010 e os financiamentos adiquiridos de 2010, mas tb existem as quitações de 2010.

        A pessoa que adiquiriu um IMOVEL em 2007/2008 tem facilidade de quitar, Pq a inflacao vem que vem e se a pessoa tem seu salario reajustado 10% aa a sua divida adiquirida em 2008 vai ficando irrisória, ainda mais pq o preco pago foi baixo … Isto e super importante analisarmos.

        Esta dinâmica nao existia na década de 90, e inicio de 2000 fazendo com que o preco ficasse abaixo. Um apartamento no Jardins, higienopolis era extremamente baixo, 150 mil e enquanto um carro popular custava 25 mil, hj o carro custa 30 mil e o apto 800 mil… O que causou isto foi a dinâmica do credito.

        0
      • Shakespeare 28 de fevereiro de 2012 at 09:30

        No jornal Metro de BH hoje saiu uma reportagem que diz que o preço médio dos apartamentos na cidade em 2007 era de 97.000 e em 2011 passava um pouco de 300.000.

        Quando o link estiver disponível colocarei aqui

        0
        • Shakespeare 28 de fevereiro de 2012 at 09:36

          Preço de imóvel
          subiu 30% em BH
          Em 2011, apartamentos foram negociados ao preço médio de R$ 309
          mil na capital mineira Número de imóveis vendidos caiu 6,6

          Com terrenos cada vez mais escassos para a construção de novos empreendimentos
          residenciais e a consequente queda no número de lançamentos imobiliários,
          comprar um apartamento está pesando mais no bolso
          do comprador mineiro.
          Com poucos imóveis à venda, o valor médio de um apartamento disparou na cidade. De 2010 para 2011, subiu 30%, saltando de R$ 237 mil para R$ 309 mil.
          Em 2011, foram negociados 19.445 imóveis em Belo Horizonte, 6,6% a menos do
          que no ano anterior – quando foram vendidos 20.827. Para se ter uma ideia da
          enorme valorização na capital, em 2004, um apartamento era negociado ao
          preço médio de R$ 94 mil.
          Para 2012, no entanto, as perspectivas são diferentes.“O mercado teve um forte crescimento, é natural que ocorra uma acomodação. Creio que em 2012 os preços deverão subir num
          patamar inferior”, analisa Ariano Cavalcanti, presidente da CMI/Secovi-MG (Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais). Segundo Cavalcanti, as limitações para novas construções impostas pela lei de uso e ocupação do solo também contribuíram para a alta de preços dos apartamentos em BH.

          GUSTAVO CUNHA
          METRO BELO HORIZONTE

          Se clicar no meu nick tem o link para a reportagem.

          0
  • Money Addicted 27 de fevereiro de 2012 at 19:57

    permitam-me um pouco de ironia (se bem que o que diz eh vdd)

    b u sinessinsider com/places-to-go-during-apocalypse-2011-5#rio-de-janeiro-9

    Seeing as this city is already so post-apocalyptic, there shouldn’t be much to worry about if things really get bad. They already understand how to live at the edge of economic and social chaos.

    ou seja, se o mundo entrar em colapso, nao vai ser muito diferente do que ja vivemos hoje….

    []s

    0
    • Ze Bom Dirolo 27 de fevereiro de 2012 at 20:03

      Vou montar uma fábrica de nave espacial e comprar uns dois imóveis do lado da base de Alcântara. Só tenho medo de gringo mandar explodir….

      0
  • Sir Income 27 de fevereiro de 2012 at 20:29

    TERÇA, 27/12/2011
    ‘Fase de ganhos fantástico com imóveis já acabou’

    cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/mauro-halfeld/2011/12/27/FASE-DE-GANHOS-FANTASTICO-COM-IMOVEIS-JA-ACABOU.htm

    Antigo, mas válido

    0
  • Anderson Silva 27 de fevereiro de 2012 at 20:36

    as construtoras vivem reclamando que está caro os terrenos!!

    A mão de obra está muito cara tbém.

    a bolha imobiliária vai favorecer os donos do negócio (as empresas de construção civil) em detrimento de corretores, profissionais da construção civil, especuladores!!

    As empresas vão demitir em massa, enxugar seu quadro de pessoal e comprar terrenos baratinhos para em outro ciclo produtivo lucrarem mais e mais.

    0
  • Anderson Silva 27 de fevereiro de 2012 at 20:45

    Aqui na vila formosa estou negociando com a corretora da Gafisa. Só conversando via e-mail sem sequer ter ido ao stand de vendas já consegui 20% de desconto!!

    5k m2

    a corretora já me informou que consegue um descontão de 20% para 4k m2

    e conversando com o gerente consegue mais desconto ainda!

    o imovel objeto de negociação é o Fantastique Condomínio Clube, na rua angá – pça sampaio vidal (centro da vila formosa)

    ————–
    final do ano passado havia empreendimentos na região que estavam sendo negociados na faixa de 6k o m2 na vila formosa

    ————-
    por aqui na zona leste de são paulo está havendo uma boa correção de preços!!! A bolha deve estar estourada – só falta os ingenuos perceberem e irem a bancarrota!

    0
    • Cai Cai Balão 27 de fevereiro de 2012 at 20:47

      Já saiu o habite-se, né?

      0
  • Eita mah! 27 de fevereiro de 2012 at 21:01

    Exame: As bobagens financeiras que custam caro
    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/noticias/as-bobagens-financeiras-que-custam-caro?p=5#link

    “Um imóvel é o bem mais caro que muitos brasileiros vão comprar durante a vida. Os preços subiram muito com o boom imobiliário dos últimos anos e reforçaram a necessidade de cautela redobrada por parte dos compradores. (…) pode ser prudente esperar mais. Lembre-se que com apenas três meses seguidos de atraso nos pagamentos das parcelas, o banco já poderá entrar com uma ação de despejo contra sua família. Nos Estados Unidos, por exemplo, mais de 4 milhões de residências foram retomadas pelos bancos desde o início da crise das hipotecas, em 2008.”

    0
  • Edson 27 de fevereiro de 2012 at 21:08

    Hoje vi o anúncio de um imóvel à venda com o telefone do corretor em um orelhão aqui no flamengo. Tem gente ai que n acredita,mas eu mesmo acho incrível que as placas de vende-se estejam pipocando aqui. Eram simplesmente inexixtentes a pouco tempo.

    0
  • Sir Income 27 de fevereiro de 2012 at 21:40

    Reajuste nos preços da Petrobras pode contribuir para melhores resultados

    www .clippingimoveis.com.br/2012/02/preco-dos-imoveis-nao-vai-cair-diz.html

    O governo segurando a inflação através da Petrobras. Imagine o que acontecerá quando a Petrobras aumentar o preço da gasolina.

    0
  • Sir Income 27 de fevereiro de 2012 at 21:42

    SEGUNDA-FEIRA, 27 DE FEVEREIRO DE 2012

    Preço dos imóveis não vai cair, diz revista

    www .clippingimoveis.com.br/2012/02/preco-dos-imoveis-nao-vai-cair-diz.html

    A conclusão do Clipping Imóveis depois de ler a matéria da Exame. E aqui o pessoal já tinha predito que a matéria era vendida faz tempo.

    0
  • Elias 27 de fevereiro de 2012 at 21:50

    Quando uma bolha estoura na bolsa, a queda das ações é instantânea, pois, como as transações são processadas em segundos, podemos perceber a queda generalizada em alguns minutos. Um dia basta para o mundo vir abaixo.

    Mas uma transação no mercado imobiliario pode demorar meses, a liquidez é baixíssima.

    Tenho a impressão de que a bolha está estourando bem diante dos nossos olhos.

    0
  • Elias 27 de fevereiro de 2012 at 21:53

    O Mauro mencionando a bolha (1:15).

    ‘Devo ser conservador ou mais agressivo nos investimentos?’

    h ttp://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/mauro-halfeld/MAURO-HALFELD.htm

    0
    • Júlio Cesar 28 de fevereiro de 2012 at 00:12

      Acompanho diarimente as matérias do Mauro e as vezes ele quebra o tabu e fala do problema do mercado imobiliário, mas de forma bem discreta, como nesta matéria que ele compara a bolha imobiliária a tantos outros eventos difíceis de acontecer. Acho que pra ser bem sincero se eu fosse um jornalista, economista, autoridade da secovi etc, também teria medo de falar de bolha e perder meu emprego eheheh.

      0
  • Carlos 27 de fevereiro de 2012 at 21:58

    Alguem ja tinha visto essa materia no Observador de Mercado?

    Um especialista desmentindo a revista EXAME

    “observadordomercado.blogspot.com/2012/02/especialista-desmente-revista-bolha.html”

    0
    • Bolha Imobiliária 27 de fevereiro de 2012 at 22:00

      O artigo do Luciano já foi postado por aqui

      0
  • @chologo! 27 de fevereiro de 2012 at 23:03

    Falando em realizar lucros, vc viram a bolsa hoje? Os Gringos Realizaram seus lucros e adivinhem quem mais Caiu? Uma Bolha para quem Adivinhar!

    As ações das construtoras figuraram entre os destaques de queda do índice. Brookfield ON (-3,01%), PDG ON (-3,22%), Rossi Residencial ON (-2,85%) e Cyrela ON (-3,22%). Bancos também apresentaram performance negativa. Itaú Unibanco PN (-1,08%), Bradesco PN (-1,02%) e Banco do Brasil ON (-1,24%). “O investidor aproveita para realizar lucro com as ações que mais subiram também”, lembrou outra fonte.

    0
  • Veigalex 27 de fevereiro de 2012 at 23:55

    comprou apertamento com preço bolhudo… agora se vira maluco.
    dá seus pulos.. logo logo neguinho vai aceitar até sogra em troca..

    Quem conhece sabe que alin não vale R$130.000..

    http://apartamento.mercadolivre.com.br/MLB-225724397-vendo-apartamento-no-10-andar-com-doi-dormitorios-e-uma-vaga-_JM

    0
  • Anonymous 28 de fevereiro de 2012 at 00:32

    Tem gente aqui falando em pesquisa 2010 do IBGE mostrando alta percentagem de imóveis quitados como um argumento anti-bolha. Procurei no website do IBGE e encontrei que a última “Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios” foi divulgada em 2008 e portanto reflete um Brasil pré-bolha, ou seja, um Brasil de 2007 para 2008.

    www . ibge . gov . br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1455&id_pagina

    0
  • Ze Bom di Rolo 28 de fevereiro de 2012 at 00:58

    Fiz um levantamento e coletei o nome de 18 corretores de vários em brasilia com imóveis à venda há mais de 03 meses. Agora estou pensando em ligar e perguntar se eles que são ruim de venda ou o mercado que travou.

    0
  • alexny68 28 de fevereiro de 2012 at 01:45

    Inesperado: Banco do Brasil, Itaú e Bradesco com rating em revisão
    A agência de classificação de risco Moody´s anunciou neste final de semana que colocou o rating (nota de crédito) de diversos bancos nacionais como o Banco do Brasil (BBAS3), Itaú Unibanco (ITUB4), Bradesco (BBDC4) e Santander Brasil (SANB11) em revisão, com perspectiva negativa. A justificativa da agência para o possível rebaixamento é o relacionamento do sistema financeiro nacional com instituições financeiras europeias, em meio a uma crise de crédito. A notícia pegou de surpresa alguns investidores nacionais, que esperavam que o sistema bancário nacional estivesse blindado da crise europeia. No total, a Moody´s estuda para possível rebaixamento 15 instituições financeiras, entre bancos e seguradoras, no Brasil e México

    0
  • MrK 28 de fevereiro de 2012 at 04:34

    Vamos fazer uma pesquisa aqui e vamos ser HONESTOS, cada um de sua resposta sem deixar influenciar pela resposta do outro:
    _________________________________

    Se voce fosse um “investidor” que comprou seu ap e resolveu por pra alugar, porque nao ta tendo vendas, voce botou um aluguel bem alto (porque o vizinho tambem botou ou a imobiliaria disse que vale) mas ate agora nada, voce esta pagando um condominio caro e IPTU. Voce tem boa condicao financeira, mas nao e’ milionario e nem rasga dinheiro.

    Pergunta: Quantos meses voce iria aguentar sem aceitar baixar o preco do aluguel? (Entenda-se por baixar o preco de 10% pra cima, nao e’ um descontinho de R$50)

    Minha resposta: 4 meses

    0
    • Anonymous 28 de fevereiro de 2012 at 04:59

      Se eu tivesse pago totalmente o imóvel, esperaria no mínimo UM ANO. Nessa situação eu tenho dinheiro para desperdiçar pois já comprei na alta.

      Se eu ainda não tivesse tomado o financiamento, com todo essa conversa de bolha imobiliária, iria tentar vender minimizando o prejuízo, reduzindo o valor pedido a cada 3 meses

      Se eu já tivesse tomado o financiamento, iria tentar alugar minimizando o prejuízo, reduzindo o valor pedido a cada 3 meses. Acredito que o aluguel não vai cobrir os gastos, mas eu ficaria com o imóvel no mínimo UM ANO. Depois desse tempo, iria tentar vender pois já teria cansado de desperdiçar dinheiro.

      PS: É claro que tudo isso é hipotético pois eu jamais colocarei outro centavo na Banânia, seja lá no que for, muito menos em imóvel.

      0
      • Anonymous 28 de fevereiro de 2012 at 05:01

        O centavo no caso é de Real 🙂

        0
    • Leo 28 de fevereiro de 2012 at 06:05

      MrK,

      Se o meu plano inicial fosse comprar para vender, certamente eu venderia abaixo do preço para acabar com o investimento. Nao sou a favor de mudança de estrategia para ter “sucesso” a qualquer custo… Na minha opiniao, o investimento tem que ser levado a serio e se tem algo impedindo que ele ande conforme o planejado, entao é pq algo saiu errado. Se algo saiu errado, quanto antes pular fora melhor. Sei que muita gente nao pensa assim, concordo com voce que muitos “investidores” do nosso mercado acabam levando isso pro lado pessoal, mas, no meu caso, como disse antes, pularia fora na primeira oportunidade.

      0
      • MrK 28 de fevereiro de 2012 at 06:38

        Leo e Anonymous,

        Eu concordo com as colocacoes de voces, mas eu queria tentar entrar na mente de um “investidor” com a pulga atras da orelha… para entender quanto tempo eles irao aguentar com o valor dos alugueis altos e apartamentos fechados (pagando conta)

        Se voces forem pensar pelo ponto de vista inteligente e racional de voces, a pesquisa sera um fracasso, pois voces tem boa visao do mercado e saberiam pular fora do barco antes de afundar, mas vamos dizer que por um motivo voces herdassem um imovel assim, e que tivessem que alugar (nao pode vender) quantos meses voces aguentam com o preco do aluguel alto e ninguem alugando?

        Ate agora eu disse 4, anonymous 3, queria mais respostas!

        0
        • Menino_do_Rio 28 de fevereiro de 2012 at 07:41

          MrK,

          depende do tipo e local do imóvel, acho que para imóveis pequenos nos melhores bairros das capitais eu esperaria 2 meses no máximo.

          0
        • Júlio Cesar 28 de fevereiro de 2012 at 10:52

          MRK, este problema que voce propos quanto a quanto tempo eu ficaria sem baixar o aluguel se eu fosse um investidor: Nas circunstancias que você propos eu baixaria o aluguel até com facilidade, porque tenho um perfil conservador e prezaria mais a segurança de um bom inquilino, mas jamais venderia um imóvel muito abaixo do preço sem a certeza de que ele perdeu valor de mercado.

          0
          • Júlio Cesar 28 de fevereiro de 2012 at 11:03

            Acho que 2 meses seriam suficientes para eu baixar o preço do aluguel.

            0
            • MrK 28 de fevereiro de 2012 at 11:10

              Interessante

              com os poucos votos ate agora, temos uma media de 4 meses (acho razoavel), ou seja, se o mercado de alugueis com preco bolhudos deu uma viajada no final do ano que passado (No Rio eu vi uma subida surreal em novembro/dezembro), o fim do folego deve estar perto… ate porque condominio no Rio e’ caro demais!

              0
        • Leo 28 de fevereiro de 2012 at 11:40

          Andei refletindo sobre isso. Acho que isso vai depender muito da ganancia, e quanto maior a ganancia pior sera a queda. Imagina só, fulaninho quer ter sucesso a qualquer custo e segura a trozoba por 2, 4.. 5 meses e repara que o valor do aluguel esta baixando assim como o valor dos imoveis nao muda, ou no “pior” dos casos, o valor comeca a cair… acho que vai bater um desesperao TAO grande…. mas TAO Grande, que toda a ganancia deste fulaninho vai leva-lo ao desespero e realizar a operacao, seja de aluguel ou venda, a qualquer custo.

          E ainda acho que este mesmo perfil fulaninho vai optar pela venda desesperada…. até pq, caso isso realmente ocorra, o que nao vai faltar é “bafafá” sobre a crise no setor imobiliario… e como o fulaninho é ganancioso, vai querer vender o imovel antes de todos e a qualquer custo para poder falar que foi esperto e vendeu antes que a M comece a feder mais…

          Sabe como é né… o que mais tem ai é malandrao. Culturalmente nosso povo é uma maravilha, tanta educacao no transito, um querendo passar a frente do outro p/ ganhar 10, 15, 20 segundos.. furando fila no cinema, restaurante… esse é o perfil dos fulaninhos investidores. Eles tem q contar vantagem, nem que seja com o proprio fracasso… nada melhor que falar que atentou a crise antes da grande maioria, seria uma bela vantagem a ostentar.

          0
    • Shakespeare 28 de fevereiro de 2012 at 09:44

      eu acredito que para começar a sentir a água tocando no cós da calça (prá não falar outra coisa) seriam 8 meses

      0
    • Jack Imóveis 28 de fevereiro de 2012 at 11:06

      Mrk,

      Eu não esperaria nada. Alugaria por 30% a menos do que o mercado está pedindo. Que alias foi o que eu fiz. Aluguei em 1 dia.

      Abraços

      Jack – Rapido no gatilho

      Ps: Esse aluguel me rende 8% ao ano sobre custo total que tive no partamento e 4.2% ao ano sobre o suporto valor de mercado.

      0
    • Paulo - RJ 28 de fevereiro de 2012 at 13:59

      MRK,
      Com o conhecimento que eu tenho agora sobre o mercado, se a minha ideia fosse manter o imóvel, sem vendê-lo, já anunciava mais baixo, sem esperar nem um mês.

      0
    • D9 28 de fevereiro de 2012 at 14:13

      MrK,

      Talvez fazendo um cálculo do valor do aluguel x despesas (condomínio, iptu, tem alguma outra?)
      poderiamos ter uma visão mais adequada ou pelo menos com um embasamento melhor.

      Ex:
      Condomínio = 400,00
      IPTU = 600,00 (anual)
      Aluguel 1.600,00 para um imóvel de 640.000,00
      (Não sei se todos concordam com esse cenário)

      1o semestre gerando uma despesa de 400,00 x 6 = 2400,00 (cond.) + 600,00 (iptu) = 3.000,00
      2o semestre gerando mais 400 x 6 = 2.400,00, totalizando no ano 5.400,00 de despesa.

      Na outra mão, alugando, ainda temos que considerar o rendimento do aluguel e a “sobra”
      uma vez que o locatário pagará os 5.400,00 (iptu + condomínio do ano).

      Alugando:
      Despesas = 0,00 ( 5.400,00 não gastos que podem ser aplicados )
      Aluguel = 1.600,00 x 12 = 19.200,00

      Não alugando:
      Despesas = 5.400,00
      Aluguel = 0,00

      O prejuízo de não alugar nesse cenário seria de 5.400,00 + 19.200,00 = 24.600,00
      fora os rendimentos. (Algo em torno de 2.000,00 por mês parado).

      Por mais que represente pouco em relação aos 640k do imóvel, não podemos negar
      que 2k de prejuízo por mês tira o sono de muitos…

      Sds,
      D9

      0
      • Shakespeare 28 de fevereiro de 2012 at 15:20

        Acho que precisa analisar também o fato de você aplicar o dinheiro do apartamento a uma taxa de algo em torno de 0,65 a 0,70 % am

        0
        • Luiz 28 de fevereiro de 2012 at 17:49

          no valor de 600k vc consegue 100% do CDI no minimo = 0,9%am
          Daria 1% sem risco e com liquidez = 6.400

          0
    • Sol de Sampa 28 de fevereiro de 2012 at 14:47

      MrK, se eu fosse investir em imóveis para alugar acho que um prazo mais que bom seria 3 meses sem aluguel…. Mais que isso acho que mudaria de investimento.

      0
    • ROD 28 de fevereiro de 2012 at 23:59

      Eu começaria a baixar a partir do 1° mês, porém seria uma faria um desconto escalonado (tipo 2% do valor original por mes) então demoraria uns 6 meses para chegar nos 10%.

      0
  • Ratinho 28 de fevereiro de 2012 at 07:25

    Bolha,
    Esta enquete, “Você acredita que há uma bolha imobiliária no Brasil ?”, já não mais é relevante. A questão agora é quando a coisa vem à tona e quais as consequências.

    0
  • Menino_do_Rio 28 de fevereiro de 2012 at 07:37

    http://oglobo.globo.com/economia/governo-prepara-novo-modelo-de-remuneracao-para-poupanca-4085537
    “O novo modelo, ainda em versão preliminar, prevê que o retorno dado pela caderneta seja variável, deixando esse tipo de investimento em linha com as taxas praticadas no mercado. A ideia é manter o equilíbrio entre aplicações na poupança e demais aplicações financeiras, evitando que o movimento de queda nas taxas de juros no país provoque uma corrida dos investidores para a poupança.”

    Olha o governo mexendo na remuneração de quem poupa!!!

    Brasil do pt, endivide-se ou deixe-o.

    0
    • Leo 28 de fevereiro de 2012 at 11:46

      Eu poderia concordar com voce se isso fosse relacionado a uma economia ridicula no mundo da fantasia onde somente existe um tipo de investimento, a poupança. Mas como a nossa realida, apesar de tambem ser riducula, possui alternativas mais interessantes que a poupança, deste modo, nao consigo concordar com voce.

      Possuo alguns investimentos, dos conservadores, os melhores estao relacionados a inflacao. Mes passado foram 1,7% esse mes ta em 1,10%…

      Esse argumento que é melhor entrar em divida pra nao perder dinheiro é a maior besteira que um ser humano, considerado RACIONAL, pode falar.

      0
  • João Paulo da Silva Simões (Contagem - MG) 28 de fevereiro de 2012 at 08:30

    E meus amigos, uma mentira repetida vezes, estão achando que vai virar verdade… so esquecerem de avisar que não tem quem comprar mais.

    Preço do imóvel dispara em BH

    http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2012/02/28/internas_economia,280294/preco-do-imovel-dispara-em-bh.shtml

    Matéria de hoje, fresquinha, o mercado bombando em BH, quem vive aqui sabe que não está bem assim…

    0
    • João Paulo da Silva Simões (Contagem - MG) 28 de fevereiro de 2012 at 08:33

      Opa… falha minha “avisar que não tem quem comprar mais” leia ” avisar que não tem quem vender mais”

      0
    • Shakespeare 28 de fevereiro de 2012 at 11:34

      Fresquinha essa aqui também:

      Preço de imóvel subiu 30% em BH
      Em 2011, apartamentos foram negociados ao preço médio de R$ 309 mil na capital mineira Número de imóveis vendidos caiu 6,6%

      Com terrenos cada vez mais escassos para a construção de novos empreendimentos
      residenciais e a consequente queda no número de lançamentos imobiliários,
      comprar um apartamento está pesando mais no bolso do comprador mineiro.
      Com poucos imóveis à venda, o valor médio de um apartamento disparou na cidade. De 2010 para 2011, subiu 30%, saltando de R$ 237 mil para R$ 309 mil.
      Em 2011, foram negociados 19.445 imóveis em Belo Horizonte, 6,6% a menos do que no ano anterior – quando foram vendidos 20.827. Para se ter uma ideia da enorme valorização na capital, em 2004, um apartamento era negociado ao preço médio de R$ 94 mil.
      Para 2012, no entanto, as perspectivas são diferentes.“O mercado teve um forte crescimento, é natural que ocorra uma acomodação. Creio que em 2012 os preços deverão subir num patamar inferior”, analisa Ariano Cavalcanti, presidente da CMI/Secovi-MG (Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais). Segundo Cavalcanti, as limitações para novas construções impostas pela lei de uso e ocupação do solo também contribuíram para a alta de preços dos apartamentos em BH.

      GUSTAVO CUNHA
      METRO BELO HORIZONTE

      Se clicar no meu nick tem o link para a reportagem.

      0
  • Fernando 28 de fevereiro de 2012 at 09:20

    Bem, pelo visto os fascistas de plantão se foram… devem ter ido comemorar o aniversário do Füher em algum local de fino trato, longe de gente pobre e desqualificada. Eba!

    Notícia interessante da Gazeta do Povo, headline de hoje:

    “Entrega de imóveis deve subir 2,6 vezes em 2012” – Unidades compradas no início do “boom” começam a ser entregues; queda nos preços será mais sentida entre imóveis usados, diz consultor

    A matéria é ambivalente sobre queda de preços, mas traz informações bastante interessantes: esse ano serão entregues 7354 imoveis NOVOS em Curitiba. Em 2013, a previsão salta para 10909 unidades. Em suma, são MUITOS imóveis novos. Se levarmos em consideração as informações sobre queda já cronificada nas vendas, que a cidade possui pouco mais de 9 mil imoveis “encalhados” (segundo reportagem já postada aqui), creio que a situação ficará muito interessante dentro de 24 a 36 meses, senão antes.
    Podemos considerar que mesmo não havendo nenhuma catastrofe financeira aqui em Pindorama (o que parece cada vez mais dificil, visto as ultimas noticias de rebaixamento de nota de bancos tupiniquins), jogar mais imovel num mercado já encalhado favorece queda de preços.

    A matéria nos brinda com mais uma pérola do cinismo:
    “Mais unidades à disposição não influenciam o mercado, dizem os especialistas.”

    Em tempo: o presidente da Ademi afirma que 85% das unidades são adquiridas para moradia final. No post anterior, informações das proprias construtoras e incorporadoras dizia o inverso, que 70% dos lançamentos eram adquiridos por especuladores.
    “É muita falcatrua, com um pouquinho assim de vadiagem” – Gil Brother

    0
    • MrK 28 de fevereiro de 2012 at 09:27

      Veja que curioso

      Voce citou em 9mil imoveis hoje a venda, um numero ja considerado muito alto, se somarmos as entregas de 2012 e 2013, temos 18.200 (se aplicarmos 70% sem morador final, conforme material sugeriu) temos 12.700 imoveis chegando ao mercado

      Ou seja, o estoque ja ALTO vai aumentar 140% ate 2013… (9.000 para 21.700)

      E o preco?? vai seguir “firme e forte” garante o coelhinho da pascoa

      0
      • Raphael 28 de fevereiro de 2012 at 09:37

        No site imoveis curitiba, já são 11280 APARTAMENTOS à venda. (E subindo)

        2 – 1 = 3 (Dizem especialistas)

        “As vendas estão caindo” + “As entregas este ano mais que duplicarão” = “nada disso afetará o mercado”.

        0
        • MrK 28 de fevereiro de 2012 at 09:42

          Sabe o que mais me diverte?

          Na epoca da especulacao louca, precos subindo pelo teto, os corretores usavam a justificativa da lei da oferta e procura, pra explicar os precos (muita demanda e pouca oferta, precos sobem), agora que a situacao se inverteu, ou seja, muita oferta e demanda travada, os precos nao caem… essa “lei” so serve quando e’ pra beneficiar eles hahahaha

          0
    • Rodrigo 28 de fevereiro de 2012 at 09:43

      “nos preços será mais sentida entre imóveis usados, diz consultor”

      Não acredito nisso. Os imóveis novos são entregues até sem piso, e claro todo mundo só quer apartamento novo com porcelanato… há imóveis usados “completos” com armários de qualidade por um preço um pouco abaixo do novo que vem sem nada, só para colocar piso e armários decentes já vai o valor de um carro.

      0
    • Indecoroso 28 de fevereiro de 2012 at 09:49

      O que mais me impressiona é que até poucos meses atrás os meios de comunicação consideravam “radioativo” o assunto estagnação de preços, e tomavam mil cautelas para não deixar escapar qualquer argumento que pudesse interferir na credibilidade do setor.
      Atualmente a negação é uma constante, quase todos os dias vemos matérias tratando direta ou indiretamente do assunto.
      Me parece que a mídia (comprada) se orquestrou para formar um novo colchão de argumentos favoráveis à manutenção dos preços, talvez para evitar o alarme da população e a consequente corrida pela devolução dos imóveis às construtoras. Isso afetaria diretamente os planos do governo de injetar dinheiro na economia através dos negócios imobiliários, pois a iminência de uma hecatombe paralisaria as tratativas em curso.

      0
  • Shakespeare 28 de fevereiro de 2012 at 09:39

    Preço de imóvel subiu 30% em BH
    Em 2011, apartamentos foram negociados ao preço médio de R$ 309 mil na capital mineira Número de imóveis vendidos caiu 6,6%

    Com terrenos cada vez mais escassos para a construção de novos empreendimentos
    residenciais e a consequente queda no número de lançamentos imobiliários,
    comprar um apartamento está pesando mais no bolso do comprador mineiro.
    Com poucos imóveis à venda, o valor médio de um apartamento disparou na cidade. De 2010 para 2011, subiu 30%, saltando de R$ 237 mil para R$ 309 mil.
    Em 2011, foram negociados 19.445 imóveis em Belo Horizonte, 6,6% a menos do que no ano anterior – quando foram vendidos 20.827. Para se ter uma ideia da enorme valorização na capital, em 2004, um apartamento era negociado ao preço médio de R$ 94 mil.
    Para 2012, no entanto, as perspectivas são diferentes.“O mercado teve um forte crescimento, é natural que ocorra uma acomodação. Creio que em 2012 os preços deverão subir num patamar inferior”, analisa Ariano Cavalcanti, presidente da CMI/Secovi-MG (Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais). Segundo Cavalcanti, as limitações para novas construções impostas pela lei de uso e ocupação do solo também contribuíram para a alta de preços dos apartamentos em BH.

    GUSTAVO CUNHA
    METRO BELO HORIZONTE

    Se clicar no meu nick tem o link para a reportagem.

    0
  • Ze Bom Dirolo 28 de fevereiro de 2012 at 09:41

    Aqui é bem diferente dos EUA dizem especialistgas.

    Aumenta procura por empréstimos bancários para refinanciamento do imóvel

    Com juros mais baixos, operações deste tipo cresceram 506% no ano passado em relação a 2010, apenas pela Caixa

    Home equity, Crédito aporte, Crédito mais conquista ou Refinanciamento imobiliário. São vários os nomes para um mesmo serviço, que consiste no empréstimo bancário em que se dá o próprio imóvel como garantia da operação. A modalidade está crescendo no Brasil. A Caixa Econômica Federal (CEF) registrou, em dezembro, quase R$ 2 bilhões em saldo de operações contratadas pelo Crédito aporte Caixa. Um crescimento de 506% em relação a 2010.

    O banco já conta com mais de 12,6 mil clientes, com valor médio de contratação de aproximadamente R$ 130 mil. Para este ano, espera atingir o volume de R$ 5 bilhões em saldo na operação. Segundo Flávio Faria Felicíssimo, gerente regional da CEF em Minas, o produto é muito procurado por ser destinado a pessoas físicas e com juros baixos, a partir de 1,35% ao mês. “Quem tem dívida com juros mais altos, seja no cartão de crédito, cheque especial ou outros, tem recorrido ao refinanciamento como forma de trocar um dívida cara por uma mais barata”, revela.

    Também há quem refinancie o imóvel para pagar o estudo dos filhos ou adquirir bens. Além disso, atrai empreendedores autônomos e sócios de empresas em busca de capital para expandir ou melhorar o negócio. “Se um empresário quer fazer um investimento de R$ 500 mil e só consegue R$ 300 mil como pessoa jurídica, pode conseguir o restante como pessoa física. O refinanciamento é uma boa opção”, avalia Flávio.

    Eduardo Coutinho, coordenador do curso de administração do Ibmec, aconselha ter cautela antes de recorrer a um empréstimo. “Se for refinanciar para bancar o consumo não aconselho, porque não estará ampliando seu patrimônio e podem surgir repercussões comprometedoras. Mas, se vai trocar uma dívida com juros altos por essa, com juros menores, ou investir num negócio que está crescendo, aí sim, é interessante.”

    Avaliação
    Na análise de crédito do interessado há dois limitadores: o valor do imóvel e a capacidade de pagamento do solicitante. “O primeiro passo é determinar qual o valor máximo que poderá ser emprestado, de acordo com os ganhos do solicitante. É importante avaliar a capacidade de pagamento para que não seja necessário recorrer à garantia, que é o bem. Num segundo momento, um engenheiro faz a avaliação do imóvel. O banco empresta até 70% do valor avaliado. Digamos que o imóvel valha R$ 200 mil. Ele poderá solicitar até R$ 140 mil. Mas, se pela análise da documentação e dos ganhos considerarmos que o teto para o cliente é de R$ 100 mil, esse é o montante máximo que será liberado”, avisa.

    Crédito mais barato
    Empréstimo solicitado não precisa ser destinado unicamente para a compra de um imóvel, podendo ser utilizado da forma que o cliente quiser. Porém, é preciso cautela

    Não há limite máximo para o valor do empréstimo ou do imóvel. A exigência é que o cliente solicite ao menos R$ 20 mil e o bem tenha valor de ao menos R$ 30 mil. Mesmo o imóvel ocupado, residencial ou comercial, pode ser oferecido como garantia. Mas a propriedade deve estar livre de quaisquer ônus, não podendo haver nenhum gravame em sua ficha.

    O prazo máximo para pagamento é de 15 anos, mas a dívida pode ser liquidada a qualquer momento, com o abatimento dos juros. Mesmo pessoas com o nome em cadastros de restrição de crédito podem conseguir o empréstimo e os casos são avaliados separadamente. A modalidade é indicada para profissionais liberais, empreendedores de micro e pequeno portes e também para quem quer trocar dívidas altas por outras com juros menores.

    Para Flávio Faria Felicíssimo, gerente regional da Caixa Econômica Federal em Minas Gerais, essa é uma característica importante do Crédito aporte. “Ao contrário do financiamento, em que o valor é obrigatoriamente destinado à compra do imóvel, esse produto não tem destinação específica. Pode ser usado como o cliente quiser. O imóvel fica como garantia da operação. Terrenos também são aceitos”, diz.

    Como tem uma garantia concreta, os bancos oferecem um prazo mais elástico e juros menores. E querem emprestar. Evidentemente, o risco é não conseguir pagar as parcelas e perder o imóvel. Com um dia de atraso o banco já pode ir à Justiça e reivindicar a posse. O Santander também oferece esse serviço desde agosto de 2008, ao qual batizou de Crédito mais conquista. O banco oferece a possibilidade de o cliente compor renda com terceiros. O Bradesco aceita imóvel próprio ou de terceiros como garantia.

    http://correiobraziliense.lugarcerto.com.br/app/noticia/ultimas/2012/02/24/interna_ultimas,45590/aumenta-procura-por-emprestimos-bancarios-para-refinanciamento-do-imovel.shtml

    0
  • NJ 28 de fevereiro de 2012 at 09:45

    Bom dia a todos. Este é meu primeiro post apesar de acompanhar blog há algum tempo, e repetir o que se diz aqui é chover no molhado. O propósito em estar postando, até mesmo porque não vi ninguém comentar, refere-se ao fato que ontem no jornal da record (noite) foi exibida uma matéria sobre o atraso na entrega dos imóveis comprados na planta, atrasos de mais de ano. Teve uma das entrevistadas que conseguiu na justiça (liminar) o não pagamento das parcelas a construtora até o recebimento do imóvel (se a construtora deixa de cumprir com sua obrigação nada mais justo que o “PROPRIETÁRIO” também assim o faça). Mais o que mais me chamou a atenção foi que a matéria fora ao ar por sugestão de “DUAS” telespectadoras, (acreditem). E ainda, ao final os âncoras agradecem a sugestão e indicam o portal R7 para que se façam mais sugestões de reportagem. A pergunta que não quer calar: será que uma pequena parte dos nós, frequentadores deste blog, sugeríssemos como tema de reportagem algo sobre a supervalorização dos imóveis não seríamos atendidos? Se duas foram atendidas, imagina uns 100? O que também servirá como referência para saber se tb estão comprados como já se prega por aqui. Por fim, e aproveitando a oportunidade, gostaria de agradecer aos frequentadores, principalmente ao idealizador, pelo nível de discussão/comentários do blog que no meu caso foram de grande valia.

    0
    • Ze Bom Dirolo 28 de fevereiro de 2012 at 11:19

      Sugeri há três dias átrás ao R7.

      0
  • JIBS 28 de fevereiro de 2012 at 10:28

    As estadisticas imobiliarias no brasil sao uma calamidade.
    Realmente dependemos muito de informaçoes secundarias e municipais, já que nao tem indicadores oficiais independentes e de ambito federal, seria interessante gerar possiveis indicadores. Mas nao sei como realmente. resumirei possiveis indicadores sugerido pelos leitores em meu blog.

    0
    • Carlos Wagner 28 de fevereiro de 2012 at 13:42

      JIBS

      Gostei da comparação entre brasil e espanha pré crise no post do seu blog. Favoritei ele aqui pra ir acompanhando…

      valeu

      0
  • Dr. Estranho 28 de fevereiro de 2012 at 10:42

    Ontem (27/02), ligou um corretor sobre um imóvel que eu havia solicitado informações. Para variar disse que estava vendido, mas que tinha uma “excelente oportunidade” no empreendimento(encalhado) ao lado. Agradeci, mas solicitei que apenas me ligasse quando tivesse imóvel no primeiro. Hoje (28/02) já me retornou dizendo que acabou de entrar um “sol da manhã” quinto andar e que o proprietário está com pressa e que, portanto, colocou à disposição em outras imobiliárias.

    “OH MY GOD, eu devo “perder” esta excelente oportunidade?”

    Isso me lembra vendedores de carro no curso de capacitação: “dê seu show particular, pois sempre tem um otário que compra”.

    0
    • Carlos Wagner 28 de fevereiro de 2012 at 12:11

      Dica: Faça oferta de 50% do valor pedido e ouça o que eles tem a dizer.

      0
  • walyson Trautenmuller 28 de fevereiro de 2012 at 10:56

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1054504-incorporadora-dos-eua-desembarca-no-brasil-com-plano-de-us-1-bi.shtml

    “BOLHA” DE PREÇOS

    Sob a sombra da possibilidade de formação de uma bolha imobiliária no Brasil, Pérez disse estar sempre preocupado, sobretudo se considerados os preços em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, quando comparados a Miami, por exemplo.

    “A preocupação é se os preços estão altos porque a demanda é alta e se a demanda cair eles vão cair também”, afirmou, ponderando que o Brasil tem a seu favor o aumento de renda da população e a migração de classes.

    “Diferentemente dos EUA e da Europa, a classe com maior poder de compra está crescendo de forma muito mais forte, suportando o mercado”, assinalou.

    0
    • Anonymous 28 de fevereiro de 2012 at 11:55

      Essa noticia faz lembrar da incorporadora do “Rei Roberto Carlos”. As duas empresas não tem a menor noção de absolutamente nada e vão levar um ferro do mesmo tamanho, se é que o ‘Rei” já não levou o dele.

      0
    • Emtso 28 de fevereiro de 2012 at 12:03

      Os grandes não haviam saído? Só ficando os sardinhas, a manada…

      Este investimento da construtora norte americana de 1 bi usd no Brasil é a prova que bem ou mal é relativo, se você olhar no mundo hoje, o menos pior para um investidor é aqui.

      É claro que o Brasil possui milhares de problemas estruturais e sociais, mas no ramo da construção, para quem é do meio sabe, aqui, India e China são redutos de aquecimento.

      Talvez dos Brics, Brasil e India sejam os lugares para construção com maior potencial em percentual.

      O Brasil carece de muita coisa, e possui em contrapartida itens fundamentais para o mundo que são cada vez mais raros (petroleo, aço, grãos)… Enquanto o mundo demandar estes produtos, será fomentada a industria da construção, seja por obras publicas de infra estrutura ou privadas.

      Se você fosse investir em imóvel no mundo, diversificando a sua carteira de investimento? Vc compraria um imóvel onde?

      a. EUA
      b. BRASIL
      c. EUROPA
      d. ASIA

      Eu ficaria com b ou d.

      0
      • MrK 28 de fevereiro de 2012 at 12:46

        depende

        se vc gosta de comprar na alta, brasil e alta

        se gosta de comprar na baixa, eua e europa

        sem contar que eua e europa tem muito mais seguranca juridica, o que pra um estrangeiro faz muita diferenca

        eu particularmente, sempre ganhei comprando na baixa e nunca na alta, mas vai de cada um ne?

        0
        • Emtso 28 de fevereiro de 2012 at 13:37

          “…nenhum preço é tão baixo que não possa abaixar mais e nem tão alto que não possa subir mais…”

          No Brasil, e em outros, existem muito mais coisas a serem feitas, do que na Europa e nos EUA. Não tem aeroporto, estrada, porto e muita gente morando em favela, com os familiares e no mesmo terreno. Na Europa, a infra estrutura está sobrando, o crescimento vegetativo da população é baixo, a migração de classe estática.

          O delta a crescer no Brasil e demais Brics é maior.

          Você vai no aeroporto de Madri existe fila de táxi esperando pessoas para desembarcar, no Brasil existe fila de pessoas esperando táxi, no Rio e SP é mais evidente. Isto é um sinal de quem tem o delta maior somos nós, mais potencial, temos mais a crescer. Se vai acontecer este delta, isto eu não sei.

          Eu preferiria investir num imóvel em Botafogo – Rio do que um em Madri, Roma, Portugal e EUA. Como investimento é melhor, como opção de moradia é obvio que é pior.

          0
          • D9 28 de fevereiro de 2012 at 14:28

            Etmso,

            Nessa mesma linha de raciocínio, ou seja, comprando onde existe maior potencial,
            sugiro o Congo, Somália ou outros países da África, pq lá sim, tem “potencial” de crescimento.
            Pense num lugar onde pode ter crescimento.

            heheheheh
            Inevitável.

            0
            • Luiz 28 de fevereiro de 2012 at 14:43

              Etmos, segundo a sua lógica, tbm não existiria desenvolvimento que não possa crescer mais, logo ou vc entra em contradição, ou no BR não há vantagem.

              Isso de Barajas é uma deformação de informação, pq lá o metro tem 2 estações dentro do aeroporto ao preço de 2 euros. Do jeito que vc escreve parece que estamos bombando e eles em crise. É mesmo raciocinio malufista de pensar que congestionamento é sinal de crescimento.

              A respeito do bonus demográfico que vc citou láaa em cima, é correto, existe mesmo, ainda que a população diminua muito como vem acontecendo nas áreas nobres, existe esse efeito, todavia acho que vc não calculou, acho q vc está chutando o valor deste efeito. Minha conta considerando tudo isso ainda deu 0,5%. Me mostre as suas contas.

              0
              • Etmso 29 de fevereiro de 2012 at 22:53

                Luiz,

                Nao tenho contas, mas existe um divisão de pessoas famílias no msm domicilio.

                Estou estimando que este pode haver em domicílios com mais de 5…

                0
                • Luiz 2 de março de 2012 at 12:12

                  Não Etmos, nas classes A e B (quem pode comprar casa hoje) esse numero é menor que 3
                  A média das cidades é 3,1.
                  A média 5 p/dom vc só vai encontrar em familias classe D e E.

                  Mesmo a classe C está na média abaixo disso. Existe mas é mto raro e se vc desmembrar a renda de um elemento a classe de renda cai

                  0
      • Anonymous 28 de fevereiro de 2012 at 12:49

        O sujeito está com centenas de processos na Florida, onde fez fortuna explorando os pobres. Parece que está tentando proteger seu dinheiro trazendo-o para a Banânia, antes que a Justiça obrigue-o a pagar os credores.

        articles . sun-sentinel . com/2011-05-20/business/fl-perez-comeback-20110520_1_condo-market-condo-king-jorge-perez

        Perez’s rebound is far from a sure thing. Condos in some parts of South Florida are selling for as little as half of what they went for at the peak of the market and conventional bank financing remains scarce. Related has cut prices at its buildings by as much as 60% and faces lawsuits from hundreds of buyers seeking the return of their deposits.

        Some of those would-be buyers aren’t thrilled with Perez’s comeback. “They said they didn’t give me money back because they’re undercapitalized,” says Joseph Ferrelli, a retired garment wholesaler who is suing Related to get back a $195,000 deposit on a unit at Perez’s Trump Towers project in Sunny Isles Beach. “Before they start building again, I want my 200 grand back.”

        0
      • Ze Bom Dirolo 28 de fevereiro de 2012 at 13:08

        Compraria em qualquer lugar, menos Brasil e Ásia.

        0
      • Leo 28 de fevereiro de 2012 at 13:43

        Seguindo minha regra basica de nunca ir na direcao da manada, ficaria exatamente com as opçoes opostas a sua.

        Se eu parar para analizar os casos, acredito que continuaria com as opcoes diferentes da sua…

        0
    • Ze Bom Dirolo 28 de fevereiro de 2012 at 13:05

      Que inocência senhores. Advinha quando ele vai efetivamente gastar no Brasil?
      Dá até vontade de rir quando ele diz que está preocupado com a bolha imobiliária….

      0
  • chapolin 28 de fevereiro de 2012 at 11:49

    Não sei se serve como parâmetro, ou se já postaram aqui, mas envio abaixo uma tabela com o aumento do número de imóveis postos para vendas no ZAP, para alguns bairros. Em alguns casos DOBROU o número de 2011 para 2012:

    Barra da Tijuca
    fev/08 – 1741 imoveis
    jan/09 – 4029
    jan/10 – 5178
    jan/11 – 7361
    jan/12 – 14205 (dobrou no último ano!)

    Copacabana
    fev/08 – 1417
    jan/09 – 2146
    jan/10 – 2817
    jan/11 – 4216
    jan/12 – 7526 imóveis

    Botafogo
    fev/08 – 459
    jan/09 – 739
    jan/10 – 794
    jan/11 – 1257
    jan/12 – 2611 (mais que dobrou!)

    0
  • Raphael 28 de fevereiro de 2012 at 11:52

    Já leram isso?

    h ttp: // www .anoreg. org. br/index.php?option=com_content&view=article&id=16125:artigo-a-bolha-imobiliaria-no-brasil-esta-formada&catid=3:jurisprudencia&Itemid=22

    0
    • Evandro CPS 28 de fevereiro de 2012 at 13:24

      Interessante, e olha que foi escrita em Janeiro de 2011.

      0
  • chapolin 28 de fevereiro de 2012 at 11:56

    A mesma coisa, agora para aluguel:

    Barra da Tijuca
    fev/08 – 125 imoveis
    jan/09 – 374
    jan/10 – 666
    jan/11 – 762
    jan/12 – 1833 (mais que dobrou no último ano!)

    Copacabana
    fev/08 – 40
    jan/09 – 71
    jan/10 – 132
    jan/11 – 287
    jan/12 – 511 (quase dobrou)

    Botafogo
    fev/08 – 13
    jan/09 – 20
    jan/10 – 38
    jan/11 – 126
    jan/12 – 224 (quase dobrou)

    Dando um desconto de que é possível que parte deste aumento seja somente pela popularização do ZAP como ferramenta de anúncio, mesmo assim me parece um aumento significativo da oferta.

    0
    • MrK 28 de fevereiro de 2012 at 12:44

      bem feito!

      eu acho que esse desconto da popularidade do zap, deve ser dado mais pra 2008/2009 e 2010… em 2011 o zap ja era totalmente popular, 2012 vs 2011 me parece uma comparacao limpa

      agora some a esse estoque RECORDE uma quantidade gigante de aps sendo entregues, especialmente na barra, botafogo, tijuca e laranjeiras… e mais alguns pingados

      0
      • Luiz 28 de fevereiro de 2012 at 14:35

        Te respondendo desde lá de cima.

        um investidor muito sangue frio esperaria no maximo 6 meses, contando com alguma boa noticia da europa, algum projeto novo no Brasil.

        Entendi onde vc quer chegar, vc quer estimar quanto tempo a correia transmite o fato ao ato.

        0
  • Dr. Estranho 28 de fevereiro de 2012 at 12:10

    h ttp://www1.folha.uol.com.br/colunas/gilbertodimenstein/1054480-pt-e-psdb-revelam-nossa-mediocridade.shtml

    Ele cita o que, em princípio, desvalorizaria qualquer imóvel.

    0
    • luidhi 28 de fevereiro de 2012 at 14:05

      Isso é mais importante? Nossa!

      Dois dos principais concorrentes a prefeitura da maior metrópole do Brasil pensando em poder e postam aqui que… desvalorizariam o imóvel? Aff…

      Por isso deixei de ser PSDBista e não sou PTista nem ferrando. Não dá. Já perderam a vergonha.

      Preparem-se paulistanos… Vai continuar aumentando o trânsito, o caos, os condomínios verticais…

      E nada de resolver mobilidade, transporte público, enchentes.. nada… nada…

      Viva a bolha, e vamos lá! É isso que querem? Que o mundo desmonte para comprar apartamento barato.

      Como disse, dá nojo certos comentários aqui. Sorte que as publicações AINDA (não sei até quando) são de qualidade.

      0
      • Dr. Estranho 28 de fevereiro de 2012 at 15:46

        “o caos do trânsito, a sujeira nas ruas, a escola pública sofrível, a poluição, a saúde precária”

        Só postei com a seguinte intenção: “mostrar que cidade ruim desvaloriza um bem imóvel”. Ocorre que, infelizmente, o hábito da leitura não é sadio para vossa senhoria. Claro que sofistas tem comportamento semelhante, ou seja, sem razão, dão ataques. Mas o que fazer com tamanha incipiência ou insipiência, como queira. Rir do “chilique” ou ter dó? Eis a questão.

        0
  • Sir Income 28 de fevereiro de 2012 at 12:34

    ‘Devo refinanciar ou vender apartamento para pagar dívidas?’

    cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/mauro-halfeld/MAURO-HALFELD.htm

    0
    • aiwww 28 de fevereiro de 2012 at 12:41

      Parece mentira, mas essa é a realidade da nossa classe média. Endividada até o talo e continua com acesso ao crédito. Aqui é diferente? Queria que as operadoras publicassem aos dados dos pagamentos com cartões de crédito recursivos. O mais hilário é que se o indivíduo consegue quitar a dívida, no dia seguinte ele faz outra igual ou maior. Vai entender …

      0
  • Anonymous 28 de fevereiro de 2012 at 14:04

    Cade o Ricardo Eng? Olha aí outra oportunidade para racharmos de ganhar dinheiro. Vamos construir um hotel no Rio? DEFICIT de camas !!!

    Rio não tem vagas suficientes para receber Olimpíadas
    veja . abril . com . br/noticia/economia/ha-espaco-para-ampliar-capacidade-de-hospedagem

    O número de camas disponíveis é de 67 mil. No entanto, as Olimpíadas devem receber cerca de 200 mil pessoas cadastradas, entre atletas, imprensa, voluntários e organizadores – sem contar os turistas que o evento irá atrair.

    0
    • Sol de Sampa 28 de fevereiro de 2012 at 15:02

      Anonymous, aceitas sócio paulista?????

      0
  • eam 28 de fevereiro de 2012 at 14:13

    4k m2 na vila Formosa??? Há 3 anos não passava de 2k nos melhores pontos do bairro….

    Ainda tá “bolhudo” demais.

    0
    • eam 28 de fevereiro de 2012 at 14:16

      O post saiu em lugar errado, era pro Anderson Silva, lááá em cima…

      0
  • Sol de Sampa 28 de fevereiro de 2012 at 15:08

    Há 2 semanas fui ver um “breve lançamento” (que na realidade já está em construção, fase de encamentos – Vendo o decorado no local o papo do vendedor era que na Vila Romana (local de medio para bom) o vlr do m2 dos concorrentes era de 8 a 9 k… Mas eles estavam lançando agora para entregarem em jan 2013 a 6,8 k….

    Perguntei ao corretor o por que uma construtora lançaria umempreendimento (a mais de meio caminho realizado) por um valor inferior aos dos concorrentes que já haviam vendido tudinho na planta?? Ele não respondeu

    De lá pra cá já recebi pela 3a. vez , via email a oferta do breve lançamento a 6,6 k anunciando que estão mais baratos que os concorrentes….

    Acho que a coisa tá pegando….

    0
  • Luiz 28 de fevereiro de 2012 at 16:07

    As cinco fases do colapso Aplicada a uma crise imobiliária
    (adaptado do Modelo de Kübler-Ross)

    1 Negação
    2 Negociação e Barganha
    3 Raiva
    4 Depressão
    5 Aceitação

    1>2 À medida que avançamos da negação à barganha, você pode esperar o seguinte:

    Afirmações de que a situação nas áreas onde o preço está caindo, não se aplicam a “minha área”. “É diferente lá do que aqui”. “Mercado é local”.
    Isso vai ser repetido a nível subúrbio. “´áreas nobres nunca vão cair, mesmo se subiu 85% nos últimos cinco anos. “Todo mundo quer viver aqui”. “Há demanda reprimida” .
    Em seguida, no nível da rua: “Casas na nossa rua é claramente melhor.”

    3 A fase de Raiva será acompanhada por:

    Meios de comunicação e blogueiros serão acusados de causar a recessão. (Apontar a irracionalidade do mercado é material incendiário!)
    Vizinhos que precisam para vender e, portanto, soltou o seu preço serão considerados indesejáveiso. “O Que eles estão pensando?”
    Comportamento aproveitador será apontado: “O mercado está em um mergulho, porque você não está aproveitando?”
    As pessoas vão exigir que o governo faça alguma coisa. (taxas de juros precisam descer, ou regras mais flexíveis de empréstimos para os pobres poderem “entrar na piramide imobiliária”, enquanto “o mercado é uma pechincha”.

    4 Depressão será marcado por:

    Os investidores irão desaparecer do trabalho, das festas, dos comentários na internet. Vão passar a negociar privadamente

    5 Aceitação

    Despesas discricionárias serão severamente restringida.
    AQUELES COM DINHEIRO SERÃO REIS.

    0
    • JIBS 28 de fevereiro de 2012 at 21:42

      “os que tenham dinehiro serao reis”

      no plano teorico concordo 100%
      no plano practico nao, pois os politicos no mundo todo, aprenderam a privatizar ganhos mas socializar as perdas. Ou voce pelo exemplo acha que na espanha as perdas as estao pagando os banqueiros, empreteiros e os “apétofilos creditofagos” que entraram na roda da fortuna da bolha?

      0