Aqui no Brasil é diferente…

Você pode gostar...

Comments
  • Roberto Cesar 24 de fevereiro de 2012 at 23:23

    A bolha é mundial e nenhum país está imune à esse fenômeno. Já estão saindo notícias sobre bolhas (de crédito e consequentemente imobiliária) em lugares que ninguém pensava existir, como Holanda, França e Noruega.

    As bolhas da Austrália, Canadá e China estão mais em evidência pelo tamanho e pelas consequências que trarão quando estourarem. A bolha brasileira tem tido pouca repercursão nos notíciários internacionais, mas ninguém duvida que ela exista, exceto o Ricardo Amorim.

    O estouro da bolha mundial é uma certeza, e os bailouts não vão conseguir evitar. O desfecho dessa história não será nada bom. É muito provável que tenhamos várias Grécias pelo mundo muito breve.

    0
    • Paty 25 de fevereiro de 2012 at 12:17

      Roberto adorei seu Blog…

      0
  • jayme 24 de fevereiro de 2012 at 23:58

    o que vai acontecer depois que “a crise” acontecer ?

    diz ai..

    miguel jaco o astro do blog vai manda a letra ai pra galera
    diz ai filhote de mae dina..

    0
    • Rico 25 de fevereiro de 2012 at 00:24

      Os cavaleiros do apocalipse vão aparecer. O dolar vai sofrer maxi valorização, o real vai desvalorizar tanto que vai ser necessário cortar 3 zeros. Só estará protegido quem investir tudo em dólar ou overnight.
      Será uma corrida aos supermercados para estocar alimento em casa antes da remarcação. Os imóveis vão com o preço chão.

      1987 será um ano difícil. Hã? O que? Estamos em 2012? O Brasil pagou a dívida externa extraída nos anos 60 e 70? Renegociou contratos por mais de 20 anos e 4 governos distintos? Nossa, não sabia…

      0
      • Carlos Wagner 25 de fevereiro de 2012 at 00:48

        Olha o irmão do Cirilo de volta….hehe

        O governo pagou a divida externa…essa doeu!

        Por que troll geralmente não o que fala?

        Misterios…

        0
        • xangai 25 de fevereiro de 2012 at 11:22

          Devem ser irmaos gemeos siameses … alias irmao do andre e de outros..

          0
      • RPL 25 de fevereiro de 2012 at 01:14

        Vamos decifrar:

        “Cavaleiros do Apocalipse”: – Lula (se sobreviver), Sarney e Zé Dirceu (aliás, quanto tempo falta para completar os 8 anos de direitos políticos cassados?) – Zé “bolinha de papel” Serra só não faz parte do grupo porque não consegue se eleger a nada em nível nacional – Fora que o povo desiludido com os Petralhas e de saco cheio dos Tucanos vai eleger um cara vindo do nada… (lembra do Collor?) – “O povo que não conhece sua história está fadado a repeti-la” (Eduardo Bueno).

        “O real vai desvalorizar tanto que vai ter de cortar 3 zeros” – A principio, o governo vai começar a manipular indices de inflação – Você acredita em 6,5%???? É, eu não… Eu acredito em algo entre 12% e 18% – Daí, quando o Eleito aparecer (lembra de novo do Collor) a bucha explode na mão dele… E provavelmente teremos que cortar 3 zeros.

        O governo pagou a dívida externa? É… Mas a dívida interna subiu trocentos %

        – Foi feita reforma tributária simplificando e reduzindo os tributos?
        – Foi feita reforma da previdência? Ah… O Inss continua tendo zilhões em déficit com uma população ainda jovem…. Quero ver pra cima de 2020.

        Ou seja, os próximos 512 anos serão dificeís….

        0
      • Leno 25 de fevereiro de 2012 at 17:40

        Pagou a divida externa ? não consigo acreditar que tem gente que acredita nisso.

        Pagou a divida externa aumentando a divida interna e trocando uma taxa de juros de 4% a.a por uma de quase 10%.

        0
    • Sol de Sampa 25 de fevereiro de 2012 at 01:23

      Jayme… nem o melhor economista do mundo pode responder ….

      Reze para que a crise (do EURO) seja contida….
      Reze para que a China não queira mostrar o lado monstro ….
      Reze para que o Dollar continue sendo a moeda internacional…

      Por outro lado, invista em conhecer coisas basicas como plantar, colher, tecer, criar filtros para agua e produzir energia com pequenas fontes.

      Pois se a crise não for contida, com certeza teremos uma 2a. Guerra Mundial, iniciada por conflitos civis (internos) em muitos países que se espalharão pelo globo e aí… é cada um pelo seu … Não existem mais fronteiras….

      O que sobrar de nossa cultura (se é que sobra algo) com certeza não terá condições de manter o que temos hoje…

      Então, mesmo não acreditando em DEUS, tenha fé que ele exista e que tem piedade de nós….

      0
      • Sol de Sampa 25 de fevereiro de 2012 at 01:25

        corrigindo … termos uma 3a. Guerra Mundial – do tipo hitleriano com direito a varios holocaustos

        0
      • Cleyton 25 de fevereiro de 2012 at 10:06

        “nem o melhor economista do mundo pode responder ….”

        A escola austríaca de economia responde, se a farra do crédito for cortada a tempo teremos um longo período de recessão, se não for teremos um longo período de recessão e o colapso da moeda.

        0
        • Sol de Sampa 25 de fevereiro de 2012 at 11:55

          Oi Cleyton, foi o que eu quis dizer…

          0
    • Miguel Jacó 25 de fevereiro de 2012 at 12:17

      -Em primeiro lugar, que a que “crise” você está se referindo?
      Não é preciso ser ninja para saber o que acontecerá: a parte inferior da pirâmide mais uma vez pagará, é assim que sempre funciona o sistema governado pelo Rei Dinheiro e a Rainha Ganância.
      Só falta saber a magnitude da crise, quanto maior o calote, mais altas são as partes da Pirâmide são atingidas, mas nunca o topo. Nunca!

      -Em segundo lugar, não sou astro nem cavaleiro do apocalipse, só enxergo o que os fatos me dizem, e não o que índices ou dados (quase que na totalidade manipulados) querem me convencer.

      E você, Jayme, o que tem a falar sobre a bolha?
      Olhe as placas de vende-se, olhe a quantidade de declarações defensivas crescente sobre o assunto bolha, e acompanhe a evolução zero ou negativa dos preços dos imóveis, e entenderá como eu penso.

      -Em terceiro lugar, meu nome e sobrenome iniciam com Letras Maiúsculas, Miguel Jacó, aquele que teve a coragem de estimar a Data Limite da Popularização da Informação da Existência da Bolha Imobiliária (05/03/2012), que por consequência gerará seu estouro (se é que já não estourou) ou acelerará seu murchamento.

      0
      • Leno 25 de fevereiro de 2012 at 17:51

        Miguel Jacó.

        Estou curioso para entender como voce pode afirmar uma data para tal estouro? voce trabalha em alguma grande mídia que esteja preparando alguma reportagem? tem alguma informação privilegiada ?

        Não estou sendo irônico,tampouco querendo descredibiliza-lo, só queria entender o que te faz ter tanta certeza.

        0
        • Felipe 25 de fevereiro de 2012 at 22:45

          Leno, nunca duvide de um cara com um nome desses!

          0
          • Leno 25 de fevereiro de 2012 at 23:26

            O nome dele é profético mesmo. O problema é que sou muito cético.

            0
  • Ferrão 25 de fevereiro de 2012 at 00:01

    Realmente a notícia está muito simples. Mas é legal para efeito de curiosidade.
    Agora, esse jayme aqui em cima tá com papo de quem está “comprado” no setor. hahahaha

    0
    • jayme 26 de fevereiro de 2012 at 01:54

      nem to irmao
      eu quero que a porra toda desabe e o dolar dispare.

      o que eu to dizendo, é que chegamos a um ponto “mitico” aonde ate um vidente com datas mirabolantes temos no site.

      estamos virando um circo. ja nao da mais para se levar a serio.

      :))

      0
      • Cleyton 26 de fevereiro de 2012 at 10:20

        “ate um vidente com datas mirabolantes temos no site.”

        Bom, é a opinião do cara, e não é tão mirabolante, 5 de março seria o primeiro pagamento em dia útil já que o ano só começa depois do carnaval. Particularmente não gosto de apostar em datas, posso até nem concordar com essa, mas se der a gente vai ter que pagar uma cerva pro cara!

        “estamos virando um circo. ja nao da mais para se levar a serio.”

        Exatamente, desde o descobrimento…

        0
  • Marcelo 25 de fevereiro de 2012 at 00:40

    Aqui estao os bons investimentos da semana na BOVESPA:
    PDG Realty ON PDGR3 7,46 -6,05
    Gafisa ON GFSA3 5,16 -4,27
    Cyrela Realty ON CYRE3 18 -4,00

    0
    • Anderson Silva 25 de fevereiro de 2012 at 02:28

      Investimentos muito “bons” estes kkkk

      0
  • Indecoroso 25 de fevereiro de 2012 at 06:16

    Relatório da OCDE aponta negligência do Brasil quanto ao aprimoramento do sistema tributário e do mercado financeiro interno.

    Não sei do nível de credibilidade desse documento, mas acredito que ele pode incitar nos investidores estrangeiros alguma desconfiança a respeito de nossa inquebrantável prosperidade.

    http ://br.finance.yahoo.com/noticias/OCDE-crise-financeira-pede-estado-2587103327.html

    Vejam o trecho:

    “No caso específico do Brasil, o relatório aponta avanços nas políticas de acesso e melhoria da qualidade da educação, mas ressalta que o País não tomou nenhuma ação para melhorar o sistema de tributos e o mercado financeiro, conforme recomendado pela própria OCDE.”

    0
  • MrK 25 de fevereiro de 2012 at 07:17

    Pessoal, migração de capital internacional gerando bolha existe desde que o mundo é mundo, lembram dos tigres asiaticos? da crise do méxico?

    a diferença é que hoje em dia temos TANTO dinheiro sem lastro, e que a migração de dinheiro é tão mais fácil em função da tecnologia, que as bolhas que surgiam uma vez em cada 10 anos acabam surgindo uma vez a cada 2 ou 3 anos

    parece loucura, mas se continuarem a imprimir dinheiro sem lastro e se continuarem facilitando a transição de capital com um “click” bolhas serão um evento cada vez mais comum, não se enganem, assim que estourar a bolha brasileira, dependendo de como o capital especulativo mudar de local, pode perfeitamente ir inflar outra bolha…por exemplo na colombia

    0
    • Mineiro quer bolha 25 de fevereiro de 2012 at 08:27

      MrK, o BC vem atuando na compra do dolar, isso é ruim? é sinal de desepero?

      0
      • Guerreiro da Luz 25 de fevereiro de 2012 at 08:44

        A princípio, não. Ele vem comprando pra tentar conter a queda da moeda e, com isso, evitar alterções abruptas nas exportações.
        Assim, é uma forma de proteger o mercado interno. abs.

        0
      • MrK 25 de fevereiro de 2012 at 08:49

        Olha,

        o objetivo dele é não deixar o real valorizar mais e com isso ajudar os exportadores, afinal, o nosso brasilzão do futuro vive da exportação de commodities

        o problema é que se o BC sinaliza pro mercado “Senhores, atingimos o piso, daqui não deixo passar”, é o mesmo que dizer “o dolar é daqui pra cima”, isso pode ter um impacto sério no investimento estrangeiro… e sinaliza um ótimo ponto de compra de dolares (ou venda de reais)

        0
        • Diego RJ 25 de fevereiro de 2012 at 09:36

          Pessoal, saiu uma matéria no yahoo sobre os preços dos imóveis em 2012… Já estão começando a falar dos preços, apesar de que de uma maneira muito discreta….

          0
        • Cai Cai Balão 25 de fevereiro de 2012 at 11:56

          MrK, quais são os melhores meios de comprar dólares, com baixo custo na transação? Penso em viajar no fim do ano e já estou a me recusar em pagar as extorstivas taxas praticadas pelas casas de câmbio. É possível trocar real lá fora?

          0
          • MrK 25 de fevereiro de 2012 at 12:03

            ninguem aceita real fora do Brasil… muito difícil, saia daqui com os dolares

            faça um calculo

            no cartão voce paga 6.38% de IOF, mas a taxa de câmbio é bem justa
            na casa de câmbio não tem IOF mas a taxa é inflada
            tem também o traveller check

            pra mim a melhor saída é SACAR da sua conta corrente lá fora, se o seu banco permitir, você faz um saque comum em ATM, o citibank é bom pra isso, você saca lá fora da conta mesmo, pega uma taxa de conversão justa e não tem IOF

            0
            • Indecoroso 25 de fevereiro de 2012 at 12:58

              Tem também o Travel Money da Visa…

              Funciona como uma conta internacional pré-paga… você abastece o cartão quando o câmbio for mais vantajoso e gasta quando estiver em viagem. Existe o VTM Dollar e o VTM Euro.

              Como sou correntista do Banco do Brasil, me orientei através do link abaixo.

              http://www.bb.com.br/portalbb/page3,114,2041,6,1,1,1.bb?codigoMenu=934&codigoNoticia=26918&codigoRet=13474&bread=1

              Só que é preciso tomar cuidado com a quantidade de moeda adquirida, pois o cartão tem prazo de validade e a reconversão para o real (no caso de remanescer moeda estrangeira sem uso) é desvantajosa.

              0
          • RPL 25 de fevereiro de 2012 at 13:44

            Saca em USD direto da sua conta no exterior…

            0
          • Cai Cai Balão 25 de fevereiro de 2012 at 13:53

            Senhores, obrigado pelas dicas. Vou me informar com o meu gerente sobre a possibilidade de sacar USD lá fora, pois pareceu a melhor solução mesmo.

            0
            • ICF 26 de fevereiro de 2012 at 00:58

              É a melhor opção mesmo. O problema é que tem um limite para cada saque. Dependendo da máquina ATM, o limite pode ser de apenas U$200 a U$400 por saque.

              0
  • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 25 de fevereiro de 2012 at 10:12

    Hoje, por volta das 7:00 da manha sai da Zona Oeste – Lapa – Sao Paulo – e fui pra Zona Leste (arredores da Av aricanduva) – no GPS dava 30Km de diatancia entre os locais – pois bem peguei a Marg Tiete entrei na AV aricanduva e apos rodar por 8km a paisagem foi drasticamente mudando ate chegar a bairros semi urbanizados. Sai da Av Aricanduva e comecei a rodar no Bairrio que queria ir – Um Tal de Jad Savoy – ou Jd. Santa Terezinha – local extremamente pobre com casas construidas pelos proprios moradores – inacabadas e com tijolos aparentes – eis que ao virar uma esquina estava ele la – um super conjunto de predios novinhos ja com gente morando – num local horrivel, aps com sacadinhas de m e r d a., longe de tudo. Ai eu lhes pergunto….o que isso vai virar no futuro? Qual o perfil dos moradores desses aps? Quanto pode custar um ap num local desses? E, assim como esse em Sao Paulo sao varias construçoes identicas. Quem viver vera…

    0
    • Carlos Wagner 25 de fevereiro de 2012 at 14:09

      Conheço a região e sei muito bem do que vc esta falando. Morei e trabalhei em SP por alguns anos e tive a oportunidade de presenciar desigualdades sociais que não imaginava existir com tanta proximidade uma da outra.

      Quer saber o que aquele conjunto de predios vai virar?

      Quem assistiu ao Resident Evil 4 – Recomeço saberá. Sabe aquele predio onde os ultimos sobrevientes se refugiaram? Então, vai ser mais ou menos assim daqui uns anos.

      Não vejo analogia melhor.

      0
    • Ricardo Eng 27 de fevereiro de 2012 at 14:42

      Na época da Encol, durante o boom dos imóveis na planta que também existiu naquela época, foram construídos diversos empreendimentos com essas mesmas características. Eram prédios simples, com poucos andares, em regiões extremamente pobres.

      Daquela época em diante eu pude observar dois tipos de “destino” para os prédios:
      + Aqueles mais arrumadinhos que haviam sido vendidos para investidores e/ou por valores muito altos, viraram grandes cortiços. Esses prédios atraíram pessoas de outros bairros, que não estavam acostumadas com as condições locais.

      Uma coisa é visitar e “achar o prédio lindo e perto de tudo”. Naquela época o fato de um prédio ser “perto” do metrô da linha vermelha era visto como “um luxo”, pois a cidade ainda nutria falsas expectativas em relação ao metrô. Pensávamos que o metrô iria transformar São Paulo em Nova Iorque. Depois disso percebemos que seria apenas um método de mover pessoas pobres da periferia aos locais de trabalho.

      Outra coisa é morar em um local problemático, cheio de assaltos e outros problemas que atingem os “estrangeiros” com muito mais força. O cara não nasceu no bairro, não é amigo de infância dos bandidos locais. Tem um carro bonitinho.

      Após ter alguns problemas com a região (assaltos,estupros, violência gratuita e até mesmo sequestros) e após perceber que estavam criando os filhos em uma vizinhança que os transformaria em marginais sem futuro, a maioria vende o apartamento por qualquer coisa e desiste da burrada em que se meteu.

      + Prédios simples e vendidos a baixo custo: atraíram as pessoas que nasceram no bairro e estavam em processo de evolução socioeconômica. Esses prédios mantiveram os mesmos moradores durante décadas e a maior parte das famílias “cresceu na vida” e mesmo assim continuam por lá.

      Ao contrário do predinho chique cheio de gente de fora, o predinho simples é ocupado por pessoas que já estão muito bem integradas ao bairro. Estão acostumadas com as condições locais e aceitariam criar os filhos por ali. Além disso, são menos atacadas pelos bandidos locais, por incrível que pareça. O cara mora num predinho novinho e simpático mas não é visto como uma vítima em potencial pois conhecem os bandidos ou possuem familiares que conhecem ou são da bandidagem.

      Dois exemplos em Itaquera: as COHABs estão muito bem, enquanto os predinhos mais arrumadinhos construídos na mesma época (1970) próximos ao “centro de itaquera” estão todos degenerados. Foram construídos para acomodar famílias com renda 3 a 4 vezes superior aos moradores da COHAB mas hoje são verdadeiros cortiços.

      O mesmo vale para aqueles sobrados “de alto padrão” com frente estreita e que mal acomodam um carro estacionado. O brasileiro quando “sobe na vida” acha o máximo comprar as coisas prontas e em locais da moda. O papo suave dos corretores, que te convencem que comprar um sobrado ali será “sinal de sucesso na vida” ajuda muito a levar o cidadão pro buraco.

      São sobrados geminados com terrenos minúsculos. Mas como são todos iguais e estão bem pintadinhos, se destacam em relação aos demais imóveis da rua. Para quem não tem cultura e nasceu na casa dos fundos de um imóvel de tijolo à vista, esses empreendimentos são vistos como “o must”.

      No final das contas fazem parte de um processo de degradação urbana. Com o passar dos tempos os moradores percebem que foi uma roubada pagar 3x mais caro em um sobradinho minúsculo e com um terreno que é 1/3 de um imóvel comum da região. Pagou 9x mais por metro quadrado.

      Os sobrados serão todos reformados, cada um à sua maneira, e o recuo que acomodava um carro em uma vaga descoberta será utilizado para construir uma garagem coberta com um quarto acima dela. A rua ficará horrível, cheia de grades e de imóveis minúsculos.

      O pior que em 1970-1980 isso acontecia em bairros mais próximos como Patriarca e Vila Matilde. Quem entrou nessa se deu mal. E hoje fazem igual em Itaquera.

      Parece que não aprendem. Nisso que dá tomar decisões de consumo com base no “se exibir pro primo mais pobre”.

      0
      • Cai Cai Balão 27 de fevereiro de 2012 at 15:46

        Bom revê-lo. Continue conosco!

        0
  • Annibal 25 de fevereiro de 2012 at 10:16

    Os bancos no Brasil (principalmente os públicos) estão acima de qualquer suspeita????

    Moody’s revisa notas de bancos do Brasil e México

    A agência de classificação Moody’s colocou em revisão para possível rebaixamento alguns ratings de dívida e de depósito, de curto e longo prazos, de 15 grupos de bancos e de seguros do México e do Brasil, informou a instituição nesta sexta-feira.

    Segundo a agência, o anúncio de vários bancos na Europa e nos Estados Unidos, em 15 de fevereiro de 2012, bem como a avaliação global da Moody’s sobre as conexões entre bancos e risco de crédito soberano motivaram esta ação.

    No Brasil, Banco Bradesco, Itaú Unibanco, Banco do Brasil, Votorantim e Safra foram listados pela Moody’s, sendo estas instiuições classificadas com ratings acima da classificação de risco soberano. Também fazem parte da lista Santander Brasil, Citibank, BES e HSBC Brasil.

    No México, a Moody’s cita Deutsche Bank México, Bank of America México, Banco Credit Suisse México e Barclays Bank México, além do BBVA Bancomer e Banco Nacional de México, estas acima do rating soberano.

    “A Moody’s avaliará os efeitos de quaisquer quedas sustentadas na capacidade dos grupos controladores fornecerem suporte às subsidiárias estrangeiras”, informou.

    A agência afirma que também avaliará mudanças na disposição dos grupos controladores proverem suporte necessário, além de observar preocupações sobre como a pressão nos grupos controladores podem afetar os perfis de crédito autônomo das subsidiárias

    0
  • Annibal 25 de fevereiro de 2012 at 10:18

    Opa faltou a fonte…

    htt p : // economia. ig . com . br /mercados/moodys-revisa-notas-de-bancos-do-brasil-e-mexico/n1597651828829.html

    0
  • Chino 25 de fevereiro de 2012 at 10:21

    5 razões para os preços dos imóveis subirem em 2012 – e 5 para eles caírem

    h t t p ://br.finance.yahoo.com/news/5-raz%C3%B5es-pre%C3%A7os-dos-im%C3%B3veis-inmoney-41088320.html?x=0

    Não sei se já foi publicado aqui, mas achei válida a veiculação dos argumentos para a queda dos preços, ainda mais num veículo como o Yahoo… Vai fazer alguns possíveis compradores/pseudoinvestidores pensarem 10 vezes antes….

    5 razões para os preços dos imóveis subirem em 2012 – e 5 para eles caírem
    infomoney
    Em quinta-feira 23/2/2012, às 18:44

    SÃO PAULO – Os preços dos imóveis registraram forte valorização nos últimos anos, motivados, segundo especialistas, por uma série de fatores – entre eles, a estagnação de preços nos anos anteriores, a maior oferta de crédito e a ascensão das classes C e D.

    Nos últimos 12 meses encerrados em janeiro, a valorização atingiu 25,5% no Brasil, de acordo com o índice FipeZap. Mas será que ainda há espaço para mais alta? Há quem diga que sim e há quem tenha opinião contrária. Para você tirar suas próprias conclusões, especialistas listaram 5 motivos para que os preços dos imóveis subam este ano – e 5 para que eles caiam (ou fiquem estáveis).

    Motivos para que os preços subam:
    Para o CEO da Vitacon Incorporadora, Alexandre Lafer Frankel, os imóveis devem continuar se valorizando em 2012. Confira as razões apresentadas pelo executivo:

    Crescimento e estabilidade econômica
    O crescimento da economia brasileira e a estabilidade econômica atingida pelo País nos últimos anos continuarão a ser, na opinião de Frankel, os principais drivers para o aquecimento do mercado imobiliário e o consequente aumento dos preços dos empreendimentos.

    Queda na taxa de juros
    A queda da Selic (taxa básica de juro) também tende a estimular a economia e aumentar a procura por crédito, fazendo com que os preços dos imóveis continuem em trajetória ascendente.
    Escassez de terrenos
    Para o executivo, a escassez de terrenos, principalmente nos grandes centros urbanos, deve continuar fazendo com que os imóveis sejam negociados a preços elevados. Isso porque, ao comprarem terrenos cada vez mais escassos, as incorporadoras e construtoras precisam repassar os custos para os compradores, ocasionando uma elevação do preço das unidades lançadas.

    Capacidade de consumo e crédito
    A ascensão das classes C e D e a capacidade de consumo do brasileiro, aliadas à boa oferta de crédito, continuarão impulsionando o preço dos imóveis para patamares mais elevados em 2012, acredita o executivo.
    Aumento de preços de mão de obra e materiais
    Por fim, na opinião do CEO da Vitacon, o aumento de preço de mão de obra e dos materias de construção deve ser outro motivo para que o preço dos imóveis suba este ano.

    Motivos para os preços caírem (ou ficarem estáveis)
    Já o vice-presidente do Ibef (Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças) e autor do Livro “Imóveis, Seu Guia Para Fazer da Compra e Venda um Grande Negócio”, Luiz Calado, aponta alguns motivos para que os preços fiquem estáveis ou até mesmo caiam em 2012:

    Grande oferta de imóveis
    O especialista ressalta que nunca se construiu tantos empreendimentos imobiliários quanto agora. “Hoje já vemos muitos empreendimentos prontos, com vários apartamentos disponíveis para a venda”, diz. Segundo ele, é interessante acompanhar de perto os relatórios anuais das empresas incorporadoras, para ver se o estoque aumentou. “Se aumentou, é sinal de que a demanda diminuiu – ou que construíram mais do que a demanda”, afirma.

    Os preços já atingiram níveis muito altos
    Calado também aponta que os preços dos imóveis chegaram a um patamar muito alto. “Prova disso é que os brasileiros já começam a achar atrativos os preços nos Estados Unidos”, pontua.
    Condições de crédito
    De acordo com o especialista, as condições de crédito e limite para uso do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), de R$ 500 mil, também continuam sendo impeditivos para as pessoas financiarem os imóveis.
    Demanda menor
    O especialista também ressalta que havia uma demanda reprimida por imóveis, mas não era uma demanda infinita. “Hoje muita gente já comprou o seu imóvel. É claro que sempre vai ter mais gente para comprar, mas o que vimos nos últimos anos foi um “boom”, com todos querendo comprar. Os lançamentos eram vendidos em um final de semana”, exemplifica.
    Preço mais estabilizado dos terrenos
    O coordenador do curso de Real Estate da Poli/USP (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo), João da Rocha Lima Júnior, também aponta que não há nenhuma razão para que os imóveis continuem subindo este ano. Segundo ele, entre os motivos para que os preços caiam ou permaneçam estáveis, está o fato de que os terrenos, apesar de escassos, estão com preços mais estabilizados. “Hoje há um maior equilíbrio, algo que não acontecia algum tempo atrás. Com muitas empresas disputando poucos terrenos, eles acabaram ficando muito mais caros e inflando o preço dos imóveis”, ressalta.

    0
    • Annibal 25 de fevereiro de 2012 at 10:39

      Motivos para os preços subirem…

      Crescimento e estabilidade econômica

      Essa é uma visão macro, se as desigualdades na distribuição de renda não melhorarem, o crescimento pode pouco afetar os potenciais consumidores… além do que, como já foi falado,o Brasil apresenta um crescimento pequeno qdo comparado a seus pares, menor inclusive do que o da Alemanha, q vê grande parte de seu mercado consumidor em crise…

      Queda na taxa de juros

      Não quer dizer que o crédito irá ficar mais barato na ponto do tomador, não esqueçam q a inadimplência está subindo e essa pesa na formação das tx.

      Escassez de terrenos

      No Brasil… ta de sacanagem…né… se precisarem começam a derrubar casas p/ construir aptos de 3 qts e 50m2…

      Capacidade de consumo e crédito

      Tá de sacanagem de novo, nossa classe c, corresponde aos pobres dos EUA e nossos preços estão mto acima dos de lá, mas tudo bem, foi só uma comparação…

      Já foi mais q noticiado a exaustão da capacidade de pagamento tanto das classes A quanto C, ou seja, já estão endividados, só esperando mais um feirão de renegociação de dividas pra se enrolarem mais ainda…

      Qto a capacidade de consumir por si só…. acho q nisso o povo brasileiro é campeão… como gosta de consumir…. BRASIL…SIL…SIL

      0
  • Annibal 25 de fevereiro de 2012 at 11:03

    Rapidinhas…

    1- O volume de crédito oferecido pelos bancos cresceu 1,9% em novembro deste ano, atingindo a marca de R$ 1,98 trilhão, o equivalente a 48,2% do Produto Interno Bruto (PIB), informou o Banco Central nesta quarta-feira (21).

    Isso ai… 48,2% do PIB

    g1.globo . com /economia/noticia/2011/12/credito-sobe-19-em-novembro-para-r-198-trilhao-informa-bc. html

    2 – O economista Tony Volpon, chefe de pesquisa para Américas da Nomura Securities International, acha que o PIB potencial da economia brasileira está mais perto de 3,5% do que de entre 4,5% e 5%, como acredita o governo. Além do esgotamento do ciclo de incorporação de novos trabalhadores ao mercado de trabalho formal – a taxa de desemprego caiu de 13% em 2003 para 6% neste ano, atingindo o menor índice da série histórica –, há um segundo ciclo perto do esgotamento – o do crédito.

    Segundo Volpon, não será possível manter algumas linhas de crédito ao consumo crescendo acima do ritmo de expansão do PIB nominal, como tem ocorrido nesses últimos anos. As razões são o excesso de endividamento dos consumidores e o custo das dívidas.

    “O consumidor brasileiro está ‘tapped out’ [endividado ou no limite do esgotamento] e, com a expectativa de crescimento de renda real caindo, isso tende a piorar”, diz o economista.

    valor . com . b r /valor-investe/casa-das-caldeiras/1096866/esgotamento-do-credito-tambem-pode-limitar-pib-potencial

    0
    • Indecoroso 25 de fevereiro de 2012 at 20:03

      Assim como Ícaro, o Brasil derreteu suas falsas asas de cera… agora só resta esperar pelo tombo.

      0
  • thiago fm 25 de fevereiro de 2012 at 11:27

    Com todo respeito ao Blog e seus partcipantes, quero afirmar que sou bolhista e não só acredito, mas vejo uma crise nos BRICs não muito distante. No entanto, a opinião desse ex-ministro de finanças de Portugal é demasiadamente simplista para a credibilidade do fórum. Não acrescentou em nada, pelo contrário.

    Em primeiro lugar, um ex-ministro de finanças de Portugal não deve ser exatamente um visionário de confiança, a julgar pela situação econõmica pela qual passa o país últimos anos. É quase o mesmo que convidar o Maluf pra falar sobre idoneidade na política, ou criticar a gestão do dinheiro público da administração seguinte. Apenas isso bastaria para acabar com sua credibilidade.

    Resumindo: ” Olha quem está falando agora!? O que ele fez pra evitar os problemas econômicos do seu próprio país?

    Em segundo lugar não aprecio opiniões, nem mesmo de contribuintes, que não apresente embasamento teórico, argumentação ou dados suficientes pra se sustentar, quanto menos textos apoiados em frases como:

    ” Vai haver uma crise, só não sei quando…mas que vai, vai!”

    Que impressionante! O cara é bom demais! Crises em países capitalistas ou em “economias de mercado”, sempre existirão. É uma característica inerente a esse sistema de produção, seja em países ricos ou pobres.

    Essa, com certeza, seria uma das últimas pessoas que eu particularmente convidaria para um debate sobre o cenário econômico de qualquer país. É por isso que acredito que boa parte dos economistas crêem na bolha e não falam. Se eu não tenho como sustentar uma declaração, mesmo num blog, prefiro não me manifestar, do que jogar no ar um opinião inútil como essa.

    Bolha, acho que poderíamos ter ficado sem essa

    0
    • Annibal 25 de fevereiro de 2012 at 11:42

      Thiago,

      O principal não a credibilidade do cara nem a maravilha de comentário, pra mim o principal é q finalmente alguém falou no assunto, em tese, de forma não comprometida, pois creio q o poder das construtoras não é suficiente pra influenciar os comentários dele.

      Enfim, se ouvimos idiotas (com muito menos credibilidade q ele) falando q não há bolha todos os dias em jornais revistas e TV, então pq não alguém falando q há, mesmo q com embasamentos óbvios…

      0
      • thiago fm 25 de fevereiro de 2012 at 12:09

        O problema não é apenas o que se fala, é também quem fala. Sem querer ser simplório.Uma coisa é o Ronaldo aposentado dizer o que se faz na cara do gol, outra é o Amaral querer ensinar a mesma coisa. Ficarei surpreso e satisfeito quando alguém representativo, imparcial, competente e não um “ex” desacreditado DEMONSTRAR o que pensa e não apenas FALAR do que pensa.

        ” A Índia vai entrar numa crise econômica ( não sei quando ) porque tem corrupção e falta liberdade” – argumenta ele

        Sem ser arrogante, não precisaria de mais de duas frases pra derrubar esse argumento, ainda que a Índia venha a entrar em crise no futuro. Não vou me estender muito, mas de especulação, basta a imobiliária!

        0
      • Carlão_RJ 25 de fevereiro de 2012 at 13:24

        Acho que você tocou no ponto central da questão. Não sei se o sujeito foi contestado na mídia, alguém sabe se foi? Se não foi é sinal de que não querem fazer barulho com a declaração do portuga. Se alguém contestou seria o caso de ver quem foi e seus argumentos. Mas também acho que é muito bom um sujeito assim tocar no assunto.

        0
    • Cleyton 25 de fevereiro de 2012 at 11:47

      Na primeira lida tive exatamente a mesma impressão, mas pensando melhor o comentário do tuga saindo no yahoo é mais um passo para o que já estava previsto aqui faz tempo, a notícia lentamente vai invadindo as midias de massa.

      Apesar de não ter muita sustentação o cara fala do tabu da bolha daqui como se fosse a coisa mais natural, como se todo mundo já soubesse disso, nós já sabemos, mas nos jornais locais por enquanto só chegou “o gato subiu no telhado”

      0
    • Bolha Imobiliária 25 de fevereiro de 2012 at 12:03

      É o velho ditado, santo de casa não faz milagre. Talvez quando ele percebeu o problema no país dele, já era tarde demais, daí o negócio é enrolar. Lembra o que o diretor do FED dizia, que não tinha bolha nos EUA ?…Pouco tempo depois, estourou.

      0
    • Carlos Wagner 25 de fevereiro de 2012 at 14:31

      Concordo que o cara não tem credibilidade técnica para dizer o que disse. Porém (sempre tem um porém), é muito mais fácil e descompromissado enxergar o problema dos outros e ver que outras nações estão com seu telhado de vidro ameaçados. É exatamente isso que acontece quando Dilma e Mantega vão à EUROPA dar conselhos de como eles devem conduzir suas politicas monetarias para solucionar a crise por que passam, ao mesmo tempo que inflam uma bolha imobiliaria e de credito e praticam o protecionismo descarado em seu proprio país.

      A opinião desse senhor, como a de nossos governantes em relação a outras nações, é expressada de forma descompromissada com a politica local e, principalmente, pela confiança e apoio ao mandatario maior o qual lhe nomeou para o cargo que ocupa dentro do governo e não por não terem a capacidade de enxergar a crise.

      Enfim, estamos ouvindo tantos desqualificados justificarem a não existencia da bolha com argumentos ridiculos (usam até a falacia de que comprar pra alugar é um puta negocio), que não me fez mal nenhum ouvir um desqualificado dizer o contrario.

      Isso, na mais é que um sinal de que outros paises ja perceberam que ha algo de muito errado por aqui, assim como nosso economistas perceberam em relação a um país muito fechado onde as noticias são claramente manipuladas como a China.

      0
    • Polamalu 25 de fevereiro de 2012 at 14:50

      Acho que é válido. Nem só de números e gráficos vivemos. Uma opinião assim tem mais influencia no público geral do que a opinião de um técnico. Não à toa o pessoal aqui diz que o bicho vai pegar no dia em que sair na novela, não no jornal de economia. Não é verdade?

      0
  • MrK 25 de fevereiro de 2012 at 11:44

    “Governo prepara nova ofensiva contra produtos chineses”

    Sensacional essa, viram? A Dilma quer barrar a entrada das mercadorias… ok, faz sentido do ponto de vista interno, para o empresariado e o emprego aqui será ótimo, fato.

    A pergunta que faço é: O Que vai acontecer se os chineses resolverem dificultar nossa venda de commodities agricolas e de metais? Meus amigos, grande parte do crescimento do nosso PIB é carona da China, mas carona pura, se eles resolvem importar menos do Brasil é um abraço!!! abre o olho!!!!!!!!

    0
    • Sol de Sampa 25 de fevereiro de 2012 at 12:01

      Acho, sinceramente, que é só noticia eleitoreira… Concordo com o MrK, o poder de fogo da China é muito grande…. Mas na patria bananias se disseram que vão barrar tá dito… quero ver de fato ahahah.

      0
      • MrK 25 de fevereiro de 2012 at 12:05

        pois é

        mas se a China for retaliar e medir forças, não temos nem chances, a gente depende deles muito mais do que eles da gente, no dia seguinte dona Dilma libera as quinquilharias e ainda isenta de imposto hahahahah

        o mais engraçado foi ela falar “produtos de baixa qualidade” como se os produtos nacionais fossem de ótima qualidade, né? os produtos chineses, na média, tem qualidade melhor que os brasileiros

        0
        • Paty 25 de fevereiro de 2012 at 12:26

          é MrK o Brasil a economia brasileira ta viciada “dependente” de exportações da matérias-primas. A exportação de produtos básicos chegou a 64% ao final de 2011. Responsável por isso foi a China, principal parceiro comercial do País, que ficou com 17% de nossas exportações. Desse total, quase 90% compreenderam vendas de minério de ferro e soja.
          Dona Dilma quer dar um tiro no pé….

          0
          • Carlos Wagner 25 de fevereiro de 2012 at 14:35

            Paty

            Eu não acho que ela queira dar um tiro no pé.

            Acho que ela é ruim mesmo e mantém aquele ministerio de incompetentes simplesmente porque, no fundo, ela os acha bons são melhores do que ela.

            0
            • Cleyton 25 de fevereiro de 2012 at 15:18

              A pessoa só pode apreender e compreender na medida da própria inteligência, então não acho nada estranho um ex-guerrilheira (ou baderneira mesmo) que não soube cuidar nem de uma lojinha de 1,99 ache que qualquer idiota tem lá seus méritos, veja o ministro da educação, uma cagada em cima da outra e ainda é exaltado!

              Pra mim é incompetência mesmo.

              0
    • Ploc 25 de fevereiro de 2012 at 19:22

      Senhores,

      Acho que ela sabe muito bem sobre a qualidade destes produtos.

      lembram:

      04/09/2010
      às 1:39 Na revista
      Dilma 1,99 Rousseff

      “Depois de falir como comerciante, Dilma Rousseff voltou correndo para o aparelho estatal. A loja de produtos panamenhos e chineses foi expurgada de sua biografia oficial. O fracasso revela a verdadeira natureza de Dilma Rousseff: ela só existe como acessório do PT”

      veja .abril .com .br/blog/mainardi/na-revista/dilma-199-rousseff/

      0
      • Shakespeare 25 de fevereiro de 2012 at 21:32

        Dilmão por 1,99 tá caro!

        0
    • Ricardo Eng 27 de fevereiro de 2012 at 14:56

      A mentalidade da esquerda é sempre a da luta, da inimizade, da combatividade. Nunca a da construção.

      Quando eram oposição, até sabotavam o país. Lutar contra os inimigos era mais importante do que permitir que o país crescesse. Pois se isso acontecesse com o PSDB no poder, nunca mais teriam chances de ocupar os cargos do governo. Então sabotavam.

      Agora é a mesma coisa. Onde estão as iniciativas para AJUDAR a produção local? Nenhuma. Todas as ajudas são destinadas a grandes empresas multinacionais que fraudam os processos de avaliação de “conteúdo nacional” das leis de auxílio.

      Se você quiser montar qualquer produto no Brasil precisará investir uns 200 mil só para conseguir legalizar o núcleo produtivo da empresa, sem incluir investimentos em imóveis e equipamentos. Estou falando em 200 mil apenas em taxas públicas e serviços privados de consultoria.

      Não é possível emitir uma simples Nota Fiscal de qualquer coisa produzida localmente sem que o seu CNPJ tenha sido submetido às mais insanas burocracias locais. E isso funciona assim de propósito pois os grandes (em geral estrangeiros) se incomodam com a concorrência dos pequenos.

      Somos o país da esculhambação e da injustiça mas todas as nossas leis e processos burocráticos são extremamente rígidos e possuem custo proibitivo. Tente abrir uma fábrica no bairro do Jaguaré, onde as favelas despejam esgoto diretamente no rio. Enquanto os favelados destroem o meio ambiente de forma intensa, a sua fábrica será tratada como se tivesse operando na Suíça.

      Para receber meia dúzia e chapas e juntá-las através de parafusos é necessário gastar uma fortuna e ainda por cima ser ameaçado por fiscais que querem 50-100 mil em troca de “não te causar problemas”.

      País de merda!

      0
  • Fausto 25 de fevereiro de 2012 at 12:11

    Bolha, sugestão para o site: Faça uma página de perguntas e respostas, com respostas simples e rápidas aos argumentos para a sustentação da valorização eterna.

    Se for bem feito, dá pra criar uma pequena viralidade nas redes sociais.

    0
  • thiago fm 25 de fevereiro de 2012 at 12:33

    SP: financiamento imobiliário supera compras de imóveis à vista em quase todo o estado

    SÃO PAULO – O financiamento imobiliário superou as compras à vista de imóveis usados em quase todas as regiões do estado de São Paulo analisadas pelo Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo) em novembro do ano passado.

    De acordo com levantamento divulgado nesta quarta-feira (15), na região que compreende o ABCD, Guarulhos e Osasco, a maioria (75%) das vendas de imóveis usados registradas no mês de novembro do ano passado foi feita por meio de financiamentos, enquanto os pagamentos à vista chegaram a 24,49%.

    No interior, os imóveis financiados também representaram mais da metade (56,56%) do total vendido, enquanto os pagamentos à vista corresponderam a 39,32%.

    Já na capital paulista, 53,19% dos imóveis vendidos em novembro de 2011 utilizaram o financiamento como forma de pagamento, enquanto 42,73% das vendas foram à vista.

    Apenas no litoral do estado essa situação se inverte, pois foram as compras à vista que predominaram. Essa modalidade representou 50% dos imóveis comprados. Outros 45,36%% foram comprados por meio de financiamento.

    Financiamento pela Caixa

    A pesquisa do Creci-SP ainda aponta que os financiamentos feitos pela CEF (Caixa Econômica Federal) prevalecem. Neste caso, em novembro, a região do ABCD, Guarulhos e Osasco se destacou novamente, pois, no conjunto destas cidades, as transações feitas pelo banco representaram 57,86% das vendas.

    No interior, 48,06% das vendas foram financiadas pelo banco e, na capital paulista, 34,55% financiaram o imóvel usado por meio da Caixa.

    Já no litoral, os financiamentos feitos pela Caixa chegaram a 38,57% do total das comercializações.

    Outras formas de pagamento

    Ainda segundo o Creci-SP, os paulistas também negociaram a compra do imóvel usado diretamente com o proprietário. Na capital, 3,18% das vendas foram feitas dessa forma.

    No interior, 3,88% das vendas foram feitas diretamente com o proprietário. No litoral a participação atingiu 4,29%. Já na região do ABCD, Guarulhos e Osasco, não houve negócios diretamente com o proprietário.

    Quanto às vendas por meio de consórcios, as participações foram de 0,91% na Capital, de 0,24%, no interior, de 0,51%, nas cidades do ABCD paulista, Guarulhos e Osasco, e de 0,36% no litoral.

    http :// www .buildings.com .br/noticias/1632-sp-financiamento-imobiliario-supera-compras-de-imoveis-a-vista-em-quase-todo-o-estado

    VENDAS À VISTA EM QUEDA E AUMENTO CONSTANTE DO PERCENTUAL DO VALOR DOS FINANCIAMENTOS INDICAM MERCADO POUCO SAUDÁVEL, COM SATURAÇÃO DOS PREÇOS E QUEDA DO POTENCIAL DE POUPANÇA DA POPULAÇÃO.

    0
    • Carlos 25 de fevereiro de 2012 at 22:06

      CORREIO DE TOCANTINS

      http ://w w w. ctonline.com.br/imprimir.php?id=3711

      25/02/2012 Expectativa frustrada causa crise imobiliária em Marabá

      Após a “corrida do ouro” imobiliária e a febre de prédios comerciais, residenciais e de loteamentos, com grande especulação incentivada pela promessa de grandes investimentos em Marabá – os quais não saíram do papel –, a cidade passa por uma crise no setor de imóveis. Basta percorrer as principais ruas e avenidas dos três núcleos residenciais urbanos para constatar isso nos inúmeros prédios fechados e com placas de “vende-se” ou “aluga-se”.

      E foi o que fez uma equipe do CORREIO DO TOCANTINS ao percorrer os três núcleos da cidade e constatar que na Avenida Antônio Maia, Núcleo Pioneiro; Vias Principais 07 e 08, na Nova Marabá; e Avenida Nagib Mutran, no Núcleo Cidade Nova, há muitos imóveis desocupados há meses sem que apareçam pessoas interessadas em comprá-los ou alugá-los.

      Um desses prédios é comercial, fica na Avenida Antônio Maia e está fechado há cerca de seis meses. A Reportagem entrou em contato com a imobiliária responsável pelo aluguel do imóvel e levantou com a atendente, que, de início, a locação custava R$ 1.000. No entanto, devido à demora para alugar, o preço baixou para R$ 900 e, mesmo assim, ainda não foi alugado.

      Estranhamente, ao ligar nos telefones anunciados nas faixas e placas fixadas nos demais imóveis fechados, a Reportagem não conseguiu contato com os responsáveis pelos prédios. As ligações quando não eram atendidas, iam parar na caixa de mensagem.

      Vizinhos dos imóveis, quando indagados se sabiam sobre valor e o tempo em que os prédios estão fechados, diziam não saber informar.

      Queda

      De acordo com a corretora Mércia Godói Spíndola, delegada regional e fiscal do Creci (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Pará), o mercado imobiliário registrou queda nas vendas de cerca de 20% em relação ao ano passado.

      Segundo ela, a incerteza quanto à instalação da Alpa (Aços Laminados do Pará) em Marabá e a não aprovação da criação do Estado do Carajás frustraram o mercado imobiliário, fazendo com que os investimentos no setor fossem refreados.

      “Tudo começou com uma valorização irreal de preços dos imóveis, devido a uma expectativa criada com o plebiscito e a Alpa. Os proprietários dos imóveis aumentaram os valores acima do normal. Em consequência disso, eles saíram do mercado e não conseguiram vender o imóvel”, explica Mércia.

      Para ela, ainda hoje existe uma especulação muito grande por parte dos corretores: “Isso também inviabilizou o mercado e o engessou”, afirma, acrescentando que não há possibilidade do mercado imobiliário absorver tantos produtos. “Com a lei da oferta e da procura, existem empreendimentos que estão há mais de seis meses no mercado e só chegaram a vender cinco unidades”, exemplifica.

      Mércia lembra que no ano de 2009 o quadro que a cidade vivenciava era outro: “O mercado estava aquecido e os loteamentos em alta. Mas hoje o quadro está diferente”, afirma ela. A supervalorização dos imóveis e a queda nas vendas geraram um excedente de imóveis para as construtoras venderem.

      “Hoje as vendas ‘mal feitas’ estão gerando inadimplência. Quem comprou na ocasião do aquecimento nas vendas, não teve a visão do que estava comprando. Se a oferta é grande tem de baixar o preço. Mas, infelizmente, isso não aconteceu. Ou você baixa para o valor real ou não faz negócio”, opina a delegada do Creci. (Emilly Coelho)

      0
      • Annibal 25 de fevereiro de 2012 at 22:54

        “Hoje as vendas ‘mal feitas’ estão gerando inadimplência. Quem comprou na ocasião do aquecimento nas vendas, não teve a visão do que estava comprando. Se a oferta é grande tem de baixar o preço. Mas, infelizmente, isso não aconteceu. Ou você baixa para o valor real ou não faz negócio”, opina a delegada do Creci. (Emilly Coel)

        PERFEITO… CADE O CRÉDITO RESPONSÁVEL…

        0
        • Cleyton 26 de fevereiro de 2012 at 10:14

          Boa!

          0
  • thiago fm 25 de fevereiro de 2012 at 12:52

    CHEIRO DE TÓPICO

    Brasil é 2º em ranking mundial de valorização imobiliária

    O preço dos imóveis subiu 27,82% em 2011 e só não superou a alta registrada na Índia, mostra pesquisa
    São Paulo – Os imóveis no Brasil tiveram uma valorização nominal de 27,82% em 2011, a segunda maior do mundo. Segundo pesquisa realizada pelo site Global Property Guide, que auxilia investidores na busca de imóveis ao redor do mundo, o Brasil ficou atrás apenas da Índia no ranking da variação dos preços dos imóveis, que incluiu 35 países

    O ranking revela que a alta dos imóveis no Brasil e na Índia NÃO TEM QUALQUER PARALELO COM O QUE ESTÁ ACONTECENDO NOS DEMAIS MERCADOS AO REDOR DO MUNDO. Descontando a inflação da variação do preço dos imóveis, houve desvalorização em 22 dos 35 países pesquisados. Além disso, em 21 países o desempenho do mercado imobiliário foi pior do que no ano anterior. Os números do quarto trimestre foram ainda piores. Houve alta real de preços em apenas 10 dos 35 países.

    TABELA AQUI

    http ://exame.abril. com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/brasil-e-2a-em-ranking-mundial-de-valorizacao-imobiliaria?page=1&slug_name=brasil-e-2a-em-ranking-mundial-de-valorizacao-imobiliaria

    O site Global Property Guide atribui a desvalorizações dos imóveis na maioria dos mercados pesquisados ao fraco crescimento econômico mundial, às preocupações com o elevado endividamento dos países ricos, à baixa confiança do consumidor e ao alto desemprego em diversas nações.

    Já a situação no Brasil seria oposta porque a economia vai bem. O Banco Central está em meio a um ciclo de redução das taxas de juros – o que sempre é positivo para o mercado imobiliário. As incorporadoras também costumam explicar as altas de preços com o aumento dos custos de construção, já que mão de obra, terrenos e materiais de construção são hoje muito mais caros do que eram há alguns anos.

    Por último, especialistas do mercado imobiliário também costumam apontar a desinformação de muitos compradores como fator de pressão sobre os preços. Os imóveis nas principais cidades brasileiras mais do que dobraram de preço nos últimos cinco anos. No imaginário de alguns investidores, os imóveis se transformaram em sinônimo de bom negócio.

    O que muita gente se esquece em épocas de euforia é que, DA MESMA FORMA QUE OS PREÇOS SOBEM, TAMBÉM PODEM DESCER. A Ásia é um bom exemplo disso. Segundo a pesquisa da Global Property Guide, com exceção da Índia, os preços estão acomodados ou até mesmo em queda na região, que foi a queridinha dos investidores globais na década passada.

    As valorizações em Hong Kong, Cingapura e China foram bem menores em 2011 do que no ano anterior. Já em Tóquio e Taiwan, houve recuo de preços. As desvalorizações ocorreram mesmo com a região ainda em um momento econômico favorável, o que levou o Global Property Guide a afirmar que o “boom imobiliário na Ásia acabou”.

    A Europa é outra região que prova que os preços podem cair – em alguns casos, de forma acentuada. Espanha, Grécia e Irlanda apresentaram péssimos resultados neste ano. O alto endividamento e a falta de confiança dos investidores reforçam a percepção de que a Europa entrará em nova recessão em breve – o que sempre tende a enfraquecer o mercado imobiliário ainda mais do que outros setores da economia.

    0
    • Cleyton 25 de fevereiro de 2012 at 15:02

      O que chama a atenção que eles transformaram a segunda maior bolha no segundo melhor mercado! Os caras são criativos!

      Atribuir o problema à desinformação também foi providencial, quem se acha desinformado na internet? Claro que aqui vai ser diferente, hehe.

      Por fim, dizer que os preços podem cair é o mesmo que dizer “o gato subiu no telhado” (essa piada não poderia ser mais oportuna!)

      0
    • jayme 26 de fevereiro de 2012 at 02:10

      na grecia aonde ta acontecendo uma tragedia grega.. os precos cairam 10%.. ou seja, nao esperem grandes coisas por aqui. nao sera o PLOC monstruoso que nego acha que vai ser..
      vai dormir com imovel a 1m e acordar com 500k .. vai na fe..

      se tiver 900k vai ta muito..

      0
      • Paulo Rocha 26 de fevereiro de 2012 at 09:36

        Eu acho meio prematuro falar que a queda na Grecia já parou e que daqui para frente vai estabilizar ou subir de novo. Especialmente levando em consideração que o desemprego continua subindo e muita gente esta tendo seus salários diminuidos. Imagina o número que gente que não consiguira pagar suas hipotecas. Eu acho que poucas pessoas estão pensando em comprar imóveis agora. Eu acho que quem tiver dinheiro vai tentar depositar-los em algum banco no exterior, já que não há garantias que a Grécia continuara no euro ou na UE.

        0
  • Paulo 25 de fevereiro de 2012 at 13:37

    www . youtube.com/watch?v=1up0HdLbuGM

    Visão do CRECI sobre a valorização dos imóveis.

    0
    • Cirilo 25 de fevereiro de 2012 at 13:47

      O legal é que o presidente não sabe fazer uma mera conta de envolvendo porcentagem!

      Esse é nosso Brazil!!

      0
      • Paulo 25 de fevereiro de 2012 at 14:14

        Eu até fiquei com vergonha alheia naquela hora.

        0
    • Cirilo 25 de fevereiro de 2012 at 13:47

      O legal é que o presidente não sabe fazer uma mera conta envolvendo porcentagem!

      Esse é nosso Brazil!!

      0
    • MrJaime 25 de fevereiro de 2012 at 15:16

      Bolha,

      Esse vídeo é emblemático, pois o próprio presidente da COFECI/CRECI reconhece com todas as palavras (2m10s a 4m21s) que os preços não crescerão mais, limitados pela renda da população, e que em diversas regiões certamente haverá correções para que “as coisas voltem à normalidade” (esta frase é dita pelo presidente do COFECI aos 4m08s do vídeo).

      Outro ponto interessante aparece mais no início do vídeo (1m10s), o presidente da CRECI-SP diz: “..e essa valorização que muita gente ser benéfica para o corretor de imóveis, ela é (sic) o inimigo número um da sociedade e do corretor de imóveis”

      Diante do reconhecimento dos próprios conselhos federais e regionais de corretores de imóveis de que a precificação atual é nociva tanto para o mercado de imóveis e, também a população, já que está fora da realidade.

      Este vídeo deveria ser colocado na lista para ser indicado a qualquer um que ainda ache que os imóveis sempre se valorização e que é impossível que se desvalorizem.

      0
      • Miguel Jacó 25 de fevereiro de 2012 at 20:00

        Prezado Bolha,

        Conforme enviado pelo Paulo, este vídeo, em minha humilde opinião, é um GRANDE Divisor De Águas e mostra taxativamente (pelos próprios corretores), acaba com todas as dúvidas, de que vivemos uma grande bolha imobiliária. Por favor, peço que seja urgentemente colocado como próximo tópico!

        http: //www .youtube .com/watch?v= 1up0HdLbuGM

        0
        • Cai Cai Balão 25 de fevereiro de 2012 at 23:30

          Esse vídeo MERECE um post à parte. Ele demonstra que a fase da negação simplesmente está EXAURIDA, pois os próprios players de mercado reconheceram as distorções na formação dos preços. Ele é, de fato, um divisor de águas. Estou me penalizando por não ter encontrado esse vídeo antes, haja vista que ele está online há uns bons meses. Recomendo, outrossim, que alguém (que disponha de expertise para isso) faça backup do vídeo, pois não duvidaria que ele saísse do ar, dependendo da sua repercussão.

          0
          • Anônimo 26 de fevereiro de 2012 at 14:36
            0
  • Lou 25 de fevereiro de 2012 at 14:05

    Quando li não acreditei!. folheto entregue hoje no farol, de lançamento na Mooca, olha só o nome do corretor: PROKOPAS, e é da Lopes.

    0
    • Dany 27 de fevereiro de 2012 at 01:05

      Prokopas… ele e Grego…Coitado…

      0
  • DanielCM 25 de fevereiro de 2012 at 14:07

    Umas duas notícias em homenagem ao colega Anonymous:

    Preço dos imóveis nos EUA é o mais atrativo em uma década

    Os valores médios de venda dos imóveis não param de cair há cinco anos – o que cria oportunidades para brasileiros

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/preco-dos-imoveis-nos-eua-e-o-mais-atrativo-em-uma-decada

    “Quando comparado aos preços brasileiros, os imóveis nos EUA parecem ainda mais atrativos. Com 265.000 reais (o equivalente a 154.7000 pelo câmbio de hoje), é quase impossível encontrar um apartamento novo de 50 metros quadrados em bairros bem-localizados de São Paulo ou do Rio de Janeiro.”

    Latino-americanos ricos salvam mercado imobiliário de Miami

    noticias.br.msn.com/artigo.aspx?cp-documentid=32580020

    “Para outros sul-americanos, o principal atrativo de Miami são os preços mais baixos em relação aos imóveis nos seus países de origem.”

    quem quiser acreditar que o mercado bananeiro está normal que vá em frente e consuma o que puder… e o que não puder também.

    0
    • MrJaime 25 de fevereiro de 2012 at 15:44

      Há quem diga que os preços de imóveis nos EUA cairão até meados de 2015. Imagina as “barganhas” que aparecerão até lá! (-:

      0
    • Anonymous 26 de fevereiro de 2012 at 00:36

      Faz 20 anos que os preços de imóveis CAEM no Japão e acho que isso é POUCO para idiotas que chegaram a acreditar que o terreno do palácio imperial valia MAIS do que o terreno do estado da California. Nos EUA não vai ser diferente e vair cair por muitos anos. Na Banânia IDEM e acho pouco para idiotas que estão acreditando que um apartamento de “luxo” (150 m2) em São Paulo vale MAIS do que alguns castelos na Europa conforme publicado no Estadão.

      0
  • Zé Coxinha 25 de fevereiro de 2012 at 14:10

    Financial Times: The high price of booming Brazil

    A friend recently joked over dinner that it is cheaper now to get your shoes shined by a Brazilian in New York than by a Brazilian in São Paulo.

    This week, a quick check showed the claim to be true – the price of a shoe shine in central São Paulo was R$10 (about $6) before a tip while one from a Brazilian shoe shiner working the New York office market was $5 including tip.

    http:// blog. frontierstrategygroup. com/2012/02/financial-times-the-high-price-of-booming-brazil/

    0
  • Cai Cai Balão 25 de fevereiro de 2012 at 14:13

    Dois relatos recentes, ouvidos de amigos muito próximos.
    Tenho lido muito por aqui, sobre aqueles empreendimentos muito distantes, em bairros pouco urbanizados e sem boa infraestrutura. Pois bem, tenho dois amigos que meteram a cara em imóveis com essas características e, apartamento entregues, eles chegaram à conclusão que não é interessante morar nessas localidades (longe de tudo e muito trânsito até o centro).

    Ambos estão revoltados com os atrasos nas obras (e cobranças do INCC relativas a esse período), mas resolveram que vão ficar com os apartamentos para alugar, enquanto não conseguirem vendê-los.

    Engraçado, nenhum dos dois consegue locatários e, o pior: as construtoras também têm unidades para vender, de adquirentes que não conseguiram financiamento para quitar o saldo devedor. Eles não se propõem a baixar os preços, mas alguém arrisca um palpite de quanto tempo essa teimosia pode durar?

    0
    • Zé Coxinha 25 de fevereiro de 2012 at 14:20

      “… eles chegaram à conclusão que não é interessante morar nessas localidades (longe de tudo e muito trânsito até o centro).”

      Esses seus amigos são uns JÊNIOS, hein? rs

      0
      • aiwww 25 de fevereiro de 2012 at 17:18

        Eu chamaria essas pessoas de suicidas financeiros. Eu diria que tem coisa pior. Muita gente compra carro de 70 mil por um financiamento que sai por 160 mil e que ao final do pagamento teria um bem que vale 40 mil. Alguém explica? … ahhh mas era um XOXOSTER !!! … aí vale!!! … Tem idiota para tudo …

        0
    • Annibal 25 de fevereiro de 2012 at 19:39

      Pra mim um dos maiores méritos deste blog é o d conseguir reunir esses relatos… da a certeza q todas as previsões estão se concretizando…

      0
  • Cai Cai Balão 25 de fevereiro de 2012 at 14:57

    Alguém sabe a URL daquele site de compras coletivas de imóveis, que sempre constava nos ads aqui do Bolha?

    0
    • xangai 25 de fevereiro de 2012 at 18:26

      acho que ja tem mais do que um vendendo “ponta de estoque” …

      esse eh um deles :: www . realton.com.br/index.php

      estou procurando um mais antigo ( ano passado mencionado aqui no blog )

      0
    • Anonymous 26 de fevereiro de 2012 at 01:34

      1 – O website “Oportunidades Camargo Correa”

      começou como: www . oportunidadescamargocorrea . com . br

      passou para: www . ccdi . com . br

      HOJE: Não existe mais. Será que vendeu tudo?

      2 – O website “PromoImóveis” está ativo com uma promoção de destaque onde voce economiza 96 mil Reais: www . promoimoveis . com . br

      3 – O website Realton está ativo, prometendo desconto de 180 mil Reais: www . realton . com . br

      Na Banânia NÃO é diferente: Ponta de estoque de imóveis chega ao Brasil: A ideia de vendas de imóveis através de descontos nasceu nos Estados Unidos, há cerca de cinco anos, e é a primeira vez que um site foca no mercado brasileiro.

      0
  • Etmso 25 de fevereiro de 2012 at 16:24

    “…tomará que o Brasil entre em crise, tenha muito desemprego, assim os preços cairão e eu poderei comprar o meu imóvel…”

    Infelizmente se está condição existir, a dificuldade de se obter um imóvel será a mesma de hoje.

    Acho que a medida certa a ser tomada é regulamentar e diminuir a flexibilização do sistema habitacional, do crédito, criar regras para os empreendimentos novos, para frear os especuladores. Regularizando o mercado paulatinamente.

    Acho que esta deve ser a bandeira do blog, e não torcer pelo apocalipse, este e o nosso país, nossa renda está aqui, torcer para destruição será pior. Agora quem tem a opção de ter uma renda em euro ou dolar fora do país, a melhor opção hoje é sair do país.

    0
    • MrK 25 de fevereiro de 2012 at 19:07

      meu amigo, isso ja foi explicado aqui DUZENTAS E OITENTA E OITO MIL VEZES

      o seu pensamento não é o do blog, eu não aguento mais explicar a mesma coisa trilhões de vezes, ninguém aqui torce pelo apocalipse, ninguém aqui é maluco, ninguém aqui quer afundar o Brasil

      ÔÔÔ PACIENCIA

      0
      • Mineiro quer bolha 25 de fevereiro de 2012 at 20:08

        MrK, os brasileiros estão desesperados com os preços dos imoveis, eu dou toda a razão por Etmso, é muita humilhação essa especulação, eu sou casado, tenho um filho, ganho acima de 5 salário minimo, não tenho imóvel, mora com meus pais, não tenho vergonha de fala “QUE PAÍS É ESSE” as nossas rendas não dar compra um imóvel de 1ª é nem de 2ª , por isso está cheio de imoveis encalhado na praça, a culpa são dos políticos, que não faz nada para seus povos, quero ver depois da copa 2014, cheio de desempregos, ai vai dar M E R D A.

        0
        • Carlos Wagner 25 de fevereiro de 2012 at 20:19

          Mineiro

          Voce contou sua situaçãod e vida mas não entendi porque dá todo apoio pro manezzinho…

          Como bem disse o MRK, esse assunto ja foi muito debatido aqui e é um atraso de vida regredir.

          Mas, em consideração a alguns novos integrantes, a conclusão do blog em geral foi a de que: JÁ PASSAMOS DO PONTO DE RUPTURA, OU SEJA, DE ONDE AINDA HAVIA VOLTA. DE AGORA EM DIANTE, SE O GOVERNO PARAR DE PEDALAR, CAI DA BICICLETA.

          0
          • Mineiro quer bolha 25 de fevereiro de 2012 at 20:29

            Aposto que você conhece varias pessoas na mesma situação igual a minha, não é só um, são vários.

            0
            • Carlos Wagner 25 de fevereiro de 2012 at 22:30

              Mineiro

              Claro que conheço. Na verdade, acredito ser a maioria hoje no Brasil. Voce fez um relato um tanto verdadeiro e condizente com a situação atual do povo brasileiro.

              Mas nem por isso concordo com a ideia de quem vc disse que concorda acima e nao entendi o porque de vc concordar, sendo que vc apenas relatou sua situação.

              0
              • Mineiro quer bolha 26 de fevereiro de 2012 at 00:08

                Eu trabalho na área de industria da transformação, com a sede na Bélgica, a empresa que eu trabalho contou todo investimento para 2012, eles já estão prevendo um caos geral, o meu irmão trabalha na FIAT, não tem mais horas extra mais contou tudo, vários empregado dependia das horas para pagar prestação do carro, é agora? Veja o saldo da poupança para esse mês no BC NEGATIVO, o emprego pleno não dura para sempre, que viver verá!!!!

                0
      • Carlos Wagner 25 de fevereiro de 2012 at 20:15

        MRK

        Este sujeito é um dos que eu ignoro e recurso me a responder. Acho que todos deveriam fazer o mesmo.

        É irmao do cirilo e do rico…se nao forem a mesma pessoa.

        0
        • Cleyton 25 de fevereiro de 2012 at 20:19

          Antes da caixa Leave a Reply deveria ter uma placa: “Não alimentem os trolls”, será que tem jeito?

          0
    • Mohawk 25 de fevereiro de 2012 at 19:22

      Bah!

      0
  • Conde Drácula 25 de fevereiro de 2012 at 18:27

    Prezados

    Meu vizinho vendeu sua casa de 350 m2. O valor anunciado foi de 750.000, mas descobri que o valor fechado foi de 550.000. Anunciam a este valor e fecham com outro so para manter o status.

    0
    • Mohawk 25 de fevereiro de 2012 at 19:23

      O problema é que em lugar nenhum a gente tem o consolidado dos “preços reais”. 🙁

      0
    • Anonymous 26 de fevereiro de 2012 at 00:42

      Um preço razoável – cerca de 1500 Reais/m2, pois além desse valor já fica mais barato trocar a Banânia pelo primeiro mundo.

      0
  • Etmso 25 de fevereiro de 2012 at 20:17

    Peguei um dado do IBGE sobre o município de São Paulo.

    14% das famílias tem renda acima 25 salários mínimos, o que dá 15k e pouco.

    11 milhões de habitantes, 3 milhões da famílias, 14% o que dá 440 mil famílias com esta renda de 15k.

    Bairros como Moema este % chega a 60% das famílias com esta renda.

    0
    • Nobel 26 de fevereiro de 2012 at 10:46

      cri… cri….. cri…. cri…. cri….. (só se ouve o grilinho)

      0
      • Etmso 26 de fevereiro de 2012 at 14:22

        Amigo,

        Estou colocando qual o potencial de endividamento. Estes dados podem ser colhidos junto ao IBGE.

        Enquanto o credito e a renda estiverem ai, nao estou vendo possibilidade do estouro da bolha.

        Vários bairros na capital paulista possuem mais de 40% da populacao com renda acima de 25 mínimos, isto associado ao credito e a varanda gourmet … deu no que deu.

        0
  • Sir Income 25 de fevereiro de 2012 at 21:14

    Zélia: ‘Crise imobiliária não chegará ao Brasil’

    www .clippingimoveis.com.br/2012/02/zelia-crise-imobiliaria-nao-chegara-ao.html

    Que patético! A mulher que bolou a “prisão” das poupanças dizem isso.

    0
    • Ze Bom Dirolo 25 de fevereiro de 2012 at 22:39

      Rapaz, e o tanto de gente que morreu por causa do bloqueio…para quem se lembra….

      0
      • Anonymous 26 de fevereiro de 2012 at 00:44

        Eu me lembro – foram muitos suicídios. Algo similar está acontecendo na Grécia atualmente.

        0
  • Fritz 25 de fevereiro de 2012 at 21:21

    putz
    exame:
    Brasil é 2º em ranking mundial de valorização imobiliária
    O preço dos imóveis subiu 27,82% em 2011 e só não superou a alta registrada na Índia, mostra pesquisa…

    0
  • Carlos 25 de fevereiro de 2012 at 22:03

    PLOC, PLOCCCC

    0
  • bruno 25 de fevereiro de 2012 at 22:20

    Perguntada sobre a similaridade entre a crise imobiliária vivida pelos EUA e a possibilidade de isto se repetir no Brasil, Zélia Cardoso de Mello acredita que isto dificilmente ocorrerá. Aqui havia alguns instrumentos que garantiram financiamentos de imóveis, que não tinham consistência. No caso do Brasil, o sistema bancário é mais regulado e o comprador negocia diretamente com o banco. Além disto, havia um déficit habitacional no país e pouca disponibilidade de financiamento. Com a liberação do crédito, muita gente pôde comprar seu imóvel, o que aqueceu o mercado, explicou. Evidentemente, vai chegar um momento no qual o mercado vai estabilizar-se e até mesmo declinar, mas ela não vê algo tão catastrófico como se verificou aqui: A lei da oferta e procura rege o mercado e muita gente que está investindo em imóveis pode quebrar a cara se houver uma retração econômica, mas no geral a situação parece sob controle

    0
    • Annibal 25 de fevereiro de 2012 at 22:30

      Todos os comentaristas ignoram a péssima análise de crédito feita pelas construtoras na hora q o investitolo compra na planta….

      É por isso q eu digo.. pra mim valeu sim a reportagem do portuga falando q há bolha no Brasil, realmente parece q a mídia vai buscar os mais idiotas pra tecer comentários…

      0
      • Annibal 25 de fevereiro de 2012 at 22:40

        E outra… todos falam q há deficit, e realmente há, mas atualmente esse grupo se situa, em sua maioria, numa faixa q nem todo crédito do mundo seria capaz de gerar condições para aquisição de um imóvel… só dando de presente mesmo… e foi ministra hein….

        0
      • xyz 25 de fevereiro de 2012 at 23:12

        Discordo que a análise de crédito das construtoras é péssima.

        Acho que péssima é a análise de crédito do BB e especialmente da CEF.
        Acho que as construtoras não fazem qualquer análise de crédito, quando muito, informam ao comprador qual a renda necessária para conseguirem o financiamento bancário quando da entrega do imóvel.

        0
        • Carlos Wagner 25 de fevereiro de 2012 at 23:49

          xyz

          voce disse: “quando muito, informam ao comprador qual a renda necessária para conseguirem o financiamento bancário quando da entrega do imóvel.”

          Discordo apenas da parte em que vc diz “da entrega do imovel”. Na verdade as construtoras informam ao comprador qual a renda necessaria para aquisição do imovel no ato da compra e não na sua entrega, que ja teve elevação do saldo devedor e fugiu da capacidade de renda do comprador.

          É exatamente isso que esta comprometendo toda aquela avalanche de vendas realizadas em anos anteriores. O problema está aparecendo agora, na entrega do imovel…

          0
        • Cleyton 26 de fevereiro de 2012 at 10:15

          Pra financiar as chaves até vale-refeição entra na conta, já com o banco…

          0
    • Ze Bom Dirolo 25 de fevereiro de 2012 at 22:35

      Esqueceram de perguntar para ela se o estouro da bolha seria “só um detalhe”.

      0
    • Carlos Wagner 25 de fevereiro de 2012 at 22:42

      Quem é viva sempre aparece!

      Esta senhora mora nos EUA porque, acredito eu, tornou-se impossivel viver aqui depois do que ela fez.

      Impressiona me o fato dela vir dar palpites e rezar a mesma cartilha que os players do mercado nacional quanto à comparação unica e exclusivamente com a bolha estadunidense e suas consequencias, ignorando que houve outras bolhas em diversos países mauito mais parecidas com a conjuntura brasileira atual e que foram igualmente danosas que a dos EUA.

      0
  • Corretor 25 de fevereiro de 2012 at 23:07

    Prezados leitores do blog, sinto informá-los de que não existe tal bolha.

    No máximo teremos estagnação nominal dos preços, com alguma corrosão inflacionária. Ou nos casos de empreendimentos de 1 quarto com dois terços de investidores em busca de repassar, uma redução de 10 a 20% na hora da negociação. Isto certamente não caracteriza um estouro de bolha.

    O fato é que o brasileiro hoje está acostumado a pagar 1500 de aluguel, fato impensável há 3 anos atrás. E é exatamente esse o lastro do valor dos imóveis. Multiplicando 1500 por 200 (o inverso de 0,5%) chegamos a um valor de 300.000 para o imóvel.

    Se o morador não pode comprar, mas pode pagar o aluguel, então os preços não estão irreais. Só estamos nos aproximando do que acontece na ásia ou em Londres: não é um absurdo viver de aluguel.

    0
    • Zé Coxinha 26 de fevereiro de 2012 at 21:48

      Ganho quinze de salário,
      Pago oito de aluguel.
      Vou pra casa do caralho:
      Vou morar em Padre Miguel!

      0
    • D9 27 de fevereiro de 2012 at 14:17

      Gente boa, calcula p/ mim:

      Aluguel: 1.600,00
      Valor Pedido p/ Venda: 640.000,00

      Aluguel: 800,00
      Valor Pedido p/ Venda: 310.000,00

      Aluguel: 550,00
      Valor Pedido p/ Venda: 240.000,00

      Não fecha a conta né ??
      Não deve mesmo ter bolha…

      0
    • DP 27 de fevereiro de 2012 at 19:26

      Corretor – por que multiplicar por 200 e nao por 100? Qual a base para isso?

      0
  • JIBS 27 de fevereiro de 2012 at 10:24

    Concordo plenamente com o sr. ministro portugues

    A bolha é geral, excesso de liquidez internacional e globalizaçao nos ultimos 20 anos, occidente estourou primeiro e o dinheiro ten fugido rapidamente para o hemisferio sul (o famoso decouplement falado em 2008;2009, isto tem sustentado o mercado no hemisferio sul que agora deve decrescer, bem, por estar ja sobrecalentado e mostras as ineficiencias e desequiulibrios (valorizaçao moedas, politicas fiscais debiles, riscos politicos (autoritarismo em rusina e china, imoralidade na india, e cleptocracia no Brasil) ou bem por, recuperaçao da economia nortemaericano e retorno de capitais e invesitmentos em busca de maior retorno (o brasil e o hemisferio sul ja apresentam poucas oportunidades consequencia da excessiva valorizacao das moedas e custos)

    Para mim, o brasil detonara quando a china se resfrie, as contas publicas e externas brasileiras (coment adicionais http://bolhaimobiliariabrasil.blogspot.com/) nao tem como segurar uma queda do 20-30% nos preços das commodities, a ied e capitais externos nao terao como segurar as contas externas, o que levara a uma pesada desvalorizacao do real, o deficit publico se ira facilmente ao 5-10% do pib e havera uma inflaçao de dois digitos até os desequilibrios corregir

    0