Caderneta de poupança tem vida curta no financiamento da habitação – Gazeta do Povo

Você pode gostar...

Comments
  • César 21 de janeiro de 2012 at 12:43

    Sinceramente, acredito que mesmo que os recursos da poupança se esgotem e não aconteça a tal bolha como deveria desde já, vão inventar outra fonte de recursos, mesmo que baseada em reciclagem da dívida. Acredito que vai dar merda, no curto, no médio ou no longo prazo. E notícias como essa do link abaixo vão fazer todo mundo COMPRAR AGORA antes que os bananenses acabem tendo que viver em jaulas de cães!!! Quem diria, viver em favela vai ser luxo!

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/01/bolha-imobiliaria-leva-ate-100-mil-viver-em-jaulas-de-caes-na-china.html

    0
    • Ana 22 de janeiro de 2012 at 10:28

      Chorei.
      Meu coração doeu agora diante dessa imagem.

      0
  • Dr. Estranho 21 de janeiro de 2012 at 13:07

    Esse tipo de “investimento” não colou.

    0
  • Homeless 21 de janeiro de 2012 at 13:09

    Hoje é bem melhor investir em LCIs, CRIs do que em imóveis. Poupança então…nem pensar.

    0
    • Cleyton 21 de janeiro de 2012 at 13:28

      Acho que não entendi a ideia, como pode haver papel ser bom e ao mesmo tempo estar baseado em alguma coisa ruim? Isso não é a mesma coisa dos ditos micos da bolsa?

      0
      • xyz 21 de janeiro de 2012 at 13:35

        Absurdamente, esses investimentos têm isenção de IR, ou seja, se você investe em títulos públicos, paga no mínimo 15% de IR, mas se investe em títulos privados do mercado imobiliário não paga IR. É uma ABERRAÇÃO.

        Outra: LCI até mais ou menos 70mil tem garantia do fundo garantidor de crédito.

        0
        • Atribulado 21 de janeiro de 2012 at 16:28

          mais absurdo ainda é a taxação da renda de aluguel, que é somada ao salario e calculada pela renda da tabela progressiva de IR.

          ou seja, quem ganha mais de 3 e pouco é taxado em singelos 27,5% do que receber de aluguel…

          0
    • Ghaspar 21 de janeiro de 2012 at 22:18

      Essas Letras Imobiliarias e congeneres nada mais são do que uma versão tupiniquim das “Sub-Primes” que levaram à Bolha Americana…..O grande capital especulativo segue sempre o mesmo caminho…
      Banania que se cuide….kkkkkk

      0
      • Newton 24 de janeiro de 2012 at 01:42

        Quando eu li o trecho: “empacotar” valores que serão recebidos no longo prazo por uma empresa; pensei a mesma coisa. Estão querendo vender um valor que ainda nem foi pago, se os devedores não tiverem condição de pagar os credores (e os investidores que compraram os títulos podres) ficarão com os prejuízos, que serão garantidos só até o valor que o fundo garantidor de crédito permite, ou seja, calote na certa, titulos podres, crise dos sub primes.

        0
  • Miguel Jacó 21 de janeiro de 2012 at 13:12

    Dilma quer antecipar gasto para reanimar economia

    http: //www1.folha.uol.com.br/ poder/1037447-dilma-quer-antecipar-gasto-para-reanimar-economia.shtml

    Será que ainda adiantará esta medida? Para mim, não impactará na explosão da bolha imobiliária, prevista por mim para daqui 1 mês. Apenas evitará provisoriamente o colapso global do sistema, mas a explosão da bolha não volta no tempo e a data do pânico já está marcada.

    0
    • Dr. Estranho 21 de janeiro de 2012 at 13:48

      Mas daqui a 1 mês será carnaval e ninguém irá perceber. Rs.

      0
    • xyz 21 de janeiro de 2012 at 13:59

      Apesar de grotesca, não é nenhuma novidade.
      Em nove anos este governo não tem feito outra coisa senão saquear o futuro com dívida pública, pseudoinvestimentos e crédito farto para a população.
      Um dia a conta chega e o pior é que chega para quem não participou da farra.

      0
      • rubens 21 de janeiro de 2012 at 21:35

        Não existe esta, todos, sem exceção, participaram de alguma forma da farta disposição de recursos na banânia. Veja bem, se não houvesse esta fartura pecuniária em solo brasileiro, certamente muitos dos bolhistas aqui estariam desempregados, ou ganhando mal. Assim, de nada adiantaria se uma mansão custasse apenas 150.000, se não houvesse dinheiro e interessados em comprá-la.

        0
        • Carlos Eduardo 21 de janeiro de 2012 at 23:23

          Meu salário não aumentou depois do governo PT!

          e eu não sei oque é desemprego desde a época fernando henrique!

          fale por você, para mim o cenário só é de piora, com o meu poder de compra sendo corroido,
          porque qualquer macaco inútil, e que não tem nenhuma utilidade para a própria empresa onde ele trabalha, hoje em dia ganha 10 mil!

          Só que a piora nos serviços publicos de tempos para cá é nítida!

          não vejo nenhum cenário promisor com essas medidas!

          0
          • Cássio Pereira 23 de janeiro de 2012 at 00:50

            Onde tem vaga de macaco para ganhar 10k… cada uma

            Inflação acumulada (IGPM) desde 2003 – 74,7104 %, acredito que a grande maioria deve ter superado 100% de aumento. tanto no segmento público e privado

            0
            • D9 23 de janeiro de 2012 at 10:33

              Também tenho interesse na vaga de 10k aí.

              0
    • Troll 21 de janeiro de 2012 at 14:31

      Pois é. Ontem vim em um tópico falar que a Banânia crescia com base no crédito e portanto roubava dinheiro do futuro, aí veio um trollzinho do PT me encher o saco.
      Isso aí que a Sargentona quer fazer. Antecipar gastos do futuro, portanto rouba-se dinheiro do futuro tal como no Espanhistão. Cada vez mais esse governinho do PT faz isso.

      0
      • xyz 21 de janeiro de 2012 at 15:27

        Vamos “aproveitar” este espaço enquanto podemos “falar”.
        Tenho medo que no futuro próximo não tenhamos mais este direito.

        0
        • Troll 21 de janeiro de 2012 at 18:34

          Você ainda tem dúvidas disso? Pra mim a Banânia está caminhando para ser uma nova Cuba com a Sargentona ou Molusco se perpetuando no poder por longos anos.
          Na pior das hipóteses poderíamos nos tornar uma Coreia do Norte, só que mais burra.

          0
          • rubens 21 de janeiro de 2012 at 21:38

            É impressão minha ou o nível tem caído neste fórum? Ou será que os devaneios tem aumentados?

            0
            • Gil 22 de janeiro de 2012 at 00:12

              Tem caído. E muito.
              Além dos desvaneios.

              0
              • RPL 22 de janeiro de 2012 at 00:48

                O que me dá medo é fato coisas antes eram chamadas de Devaneio ficam cada dia mais reais…

                0
                • Troll 22 de janeiro de 2012 at 01:25

                  Exato

                  0
            • Fred Henrique 23 de janeiro de 2012 at 10:37

              Será que é devaneio mesmo?

              Leia:

              mobilizacaobr.ning.com/profiles/blogs/pt-treinar-ex-rcito-virtual-e-a-pig-j-reclama-aliste-se-j-as?xg_source=activity

              Não me parece coisa de outro mundo ter este “devaneio”.

              0
  • Shakespeare 21 de janeiro de 2012 at 13:23

    no momento não ponho um só centavo em imóveis na Banânia

    0
  • Cleyton 21 de janeiro de 2012 at 13:25

    Só não podemos esquecer que a securitização de dívidas combinada com os valores irreais em que se baseavam as dívidas iniciais foi o que formou as subprimes lá nos eua, o que mais precisa pra nossa bolha ficar igualzinha a deles? Hipoteca? E em que o nosso refinanciamento difere da hipoteca?

    0
  • xyz 21 de janeiro de 2012 at 13:40

    Essa notícia tem uma mensagem subliminar: CORRAM PARA COMPRAR QUE VAI FALTAR CRÉDITO.

    É MENTIRA. Enquanto o mercado “comer” os títulos públicos, Este governo não vai deixar faltar crédito.

    Vejam o trecho:
    “uma situação que coloca em risco a oferta de imóveis para a classe média brasileira”

    0
  • Dr. Estranho 21 de janeiro de 2012 at 14:11

    h ttp://www1.folha.uol.com.br/poder/1037447-dilma-quer-antecipar-gasto-para-reanimar-economia.shtml

    Só para eleger prefeitos e f_da-se seu imposto.

    0
  • Cruel 21 de janeiro de 2012 at 14:18

    Meus caros, não existe bolha nenhuma, os preços nunca vão baixar, assim como o preço dos carros são absurdos e não baixam tb. Tudo no Brasil é caro, então o preço dos imóveis está compatível com a realidade brasileira.

    A realidade é assim:

    Você ganha 5 mil mas deveria estar ganhando 2.500 pra comprar um imovel de 200 mil que deveria estar custando 100 mil, comprar um carro de 50 mil que deveria estar custando 25 mil, e no fim de semana ir no McDonalds com a familia e gastar 50 reais quando deveria estar gastando 25 reais.

    Não vejo nenhuma possibilidade de bolha, sei que a realidade é mais dura mas ela é implacável. O máximo que pode acontecer é os preços dos imoveis ficarem ai nesse patamar que estão.

    0
    • Anonymous 21 de janeiro de 2012 at 15:12

      Cruel,

      Os Japaneses, os Espanhois e os Americanos já pensaram dessa maneira. Mas quem sabe voce esteja certo e “dessa vez é diferente”. Já que a tal bolha não vai estourar, aproveita e vai lendo o livrinho ai.

      This Time Is Different: Eight Centuries of Financial Folly
      www . amazon . com/This-Time-Different-Centuries-Financial/dp/0691142165

      0
      • antonio 21 de janeiro de 2012 at 16:33

        E os Australianos, Sul-africanos, Ingleses e sei lá mais onde a bolha sobrevive há mais de 10 anos, o que eles diziam?

        0
      • Menino_do_Rio 22 de janeiro de 2012 at 07:42

        O pior é que, por enquanto, vai ser diferente no Brasil:
        http://www1.folha.uol.com.br/fsp/
        “Aprovação do 1o. ano de Dilma bate recorde de Lula”
        “Pesquisa Datafolha feita na última semana mostra que 59% dos brasileiros consideram a gestão de Dilma Rousseff ótima ou boa.”

        E com os juros baixando, temos muita gasolina para o motor fascista do pt.

        0
        • Guilherme Eduardo 23 de janeiro de 2012 at 22:54

          Quantos ministros escolhidos por ELA saíram no primeiro ano???

          0
    • Raposão 21 de janeiro de 2012 at 15:52

      Cruel, qual realidade?
      Essa que você expõe é a de crédito “ilimitado”, mas até quando?
      Não seja tão cruel consigo mesmo.

      Creio que está cada vez mais próxima a época em que os preços serão válidos se forem compatíveis com o bem e de acordo com a realidade do comprador (seja rico, pobre, classe média). Será o PLOC, cedo ou tarde!

      Notícia meio passada, mas vale salientar que provem de um site relacionado ao setor imobiliário, onde nem mesmo “eles” acreditam ser razoável o que está acontecendo com o mercado.
      http://www.forumimobiliario.com.br/2011/12/bolha-imobiliaria-pequeno-poupador-que-se-cuide/

      Interessante frisar a frase “Opiniões desse tipo podem gerar preocupações que esfriam o mercado, e isso provavelmente não interessa a nenhum dos dois.”
      O inverno pode estar (bem) próximo!

      Quem estiver esperto, OK!
      Quem foi na onda (pequeno investidor), que acorde logo ou poderá ser tragado pelo refluxo da tsunami bolhosa movida a crédito.

      0
    • Laranja 21 de janeiro de 2012 at 16:22

      Bom. Se for assim é melhor ir embora daqui enquanto meus Reais ainda valem alguma coisa…
      – Mulher, rasga a passagem de volta das férias!

      0
    • Bertz 21 de janeiro de 2012 at 18:22

      Cruel, postei no outro tópico que estou recebendo cheque devolvido de 90,00 merreis, de pessoas que tem imovel financiado em 30 anos, meu trabalho é na ponta do iceberg, o brasileiro ostenta o que não tem com certeza em sua família mesmo tem alguém assim.

      0
      • Cruel 21 de janeiro de 2012 at 23:15

        Bom cheque devolvido sempre teve e não é agora que vai parar de acontecer.. independente se está com casa financiada ou não. Agora se você me apresentar algum índice confiável indicando que a porcentagem de cheques devolvidos aumentou consideravelmente agora, então aí sim, teremos algum argumento conclusivo

        0
        • MrJaime 23 de janeiro de 2012 at 00:17

          Inadimplência em 2011 é a maior dos últimos 9 anos:

          h t t p : / / g1 .globo.com/videos/globo-news/conta-corrente/v/inadimplencia-em-2011-e-a-maior-dos-ultimos-nove-anos/1762216/

          0
        • MrJaime 23 de janeiro de 2012 at 00:19

          Versão em texto:

          h t t p : / / veja .abril.com.br/noticia/economia/inadimplencia-do-consumidor-tem-maior-alta-em-9-anos

          0
        • Xangai 23 de janeiro de 2012 at 09:53

          acho que publicaram especialmente para vc.

          23/01/2012 – 09h15
          Volume de cheques sem fundos em 2011 foi o maior em dois anos, diz Serasa

          h t tp ://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2012/01/23/volume-de-cheques-sem-fundos-em-2011-foi-o-maior-em-dois-anos-diz-serasa.jhtm

          0
          • Daniel Ribeiro 1 de fevereiro de 2012 at 18:59

            Considere inclusive que o uso de cheques vem caindo em progressão geométrica nos ultimos anos. Ou seja, a estatistica de hoje tem peso pelo menos 4 vezes maior que a de 2 anos atrás.

            0
    • Ghaspar 21 de janeiro de 2012 at 22:30

      Finalmente achei quem vai responder à minha pergunta: O Cruel
      – Como em 2008 estava todo mundo na merda e em 2011 ficou todo mundo milionário ??Em miseros 3 (TRES) anos…..???.
      Esta pergunta estava me levando à loucura……uauauahaiauahaaj

      0
    • Eike fake 21 de janeiro de 2012 at 23:13

      Cruel, Pior é que você está certo!

      0
    • Paulo 23 de janeiro de 2012 at 15:05

      Concordo com VOCÊ!!… os preços NAO IRÃO CAIR. Para isso teria que ocorrer uma quebra muito grande no país e todos nós sofreria. Sei que é vontade de todos aqui assim como a minha, mas não vejo queda nos preços a longo prazo, o que vejo é estabilização, e isso ja esta acontecendo.

      0
  • DanielCM 21 de janeiro de 2012 at 14:30

    outra coisa interessante: o comportamento desse pessoal é como se os recursos econômicos não fossem escassos. Acho que mudaram muitas leis da economia e não fiquei sabendo…

    0
  • danilo 21 de janeiro de 2012 at 15:19

    O que acham dos números publicados pelo The Economist quanto ao endividamento do Brasil e do mundo em vários aspectos, inclusive mobiliários?

    http:// w w w .economist.com/blogs/graphicdetail/2012/01/daily-chart-8?fsrc=scn/tw/te/dc/thedebtorsmerrygoround

    0
    • Atribulado 21 de janeiro de 2012 at 16:52

      a divida das familias no brasil é só 15% do pib?

      0
  • danilo 21 de janeiro de 2012 at 15:19

    imobiliários

    0
    • neandertal 21 de janeiro de 2012 at 18:21

      nao tem nada de imobiliario ali
      “Household” é a dívida das familias em % do PIB, dívida de tudo, carro, tv, saca-rolha, etc, não só imóveis

      0
  • Neo 21 de janeiro de 2012 at 16:23
  • marvin 21 de janeiro de 2012 at 16:26

    Como diria Hank Rearden, “não assumo compromisso que não posso cumprir e nem dívida que não posso pagar…” Quem já leu “A Revolta de Atlas” sabe do que estou falando… e já tem uma ideia também para onde caminha a banania…

    0
  • Me 21 de janeiro de 2012 at 16:30

    Estou em São Paulo desde sexta e dando uma olhada nos bairros e aluguéis de baixa renda por aqui pra solteiro. Volto ainda hoje pro rio, sábado, e de lá comento o que vi por aqui.

    0
    • Luiz 23 de janeiro de 2012 at 12:38

      bem vindo Me, é uma terras apaixonante
      minha família saiu do Rio na década de 70 pra nunca mais voltar, nem de férias, no maximo um fds

      0
  • Neo 21 de janeiro de 2012 at 16:36

    “NA ANSIA DE VENDER ELE NÃO ESCLARECEU QUE AS UNIDADES MAIS CARAS ESTAVA FORA DO PROGRAMA” 5:40minutos

    http://www.youtube.com/watch?v=7x166DNL2-A

    0
  • Neo 21 de janeiro de 2012 at 16:48

    Qualidade de primeira, Top de linha MRV

    http://www.youtube.com/watch?v=P9yZACe26LQ

    .

    0
  • Sir Income 21 de janeiro de 2012 at 16:52

    Temos que lembrar:

    1) Captação da poupança é de baixo custo para os bancos (6% + TR)
    2) LCI normalmente é por CDI. Só vale a pena para o banco se o CDI cair, pois o custo fica baixo. Tanto é que banco grande anuncia pouco sobre LCI para investimento.
    3) CRI não conta com a garantia do FGC. É um bom investimento, mas tem um risco enorme. Se fosse excelente, o banco ficava com a carteira de crédito para ele.

    CRI e FDIC são formas de passar o risco para o investidor e ganhar uma taxinha em cima. Tem Fundo imobiliário que tem CRI de 8% + IGPM. É um bom rendimento! Por que o banco repassa? Medo de crédito de longo prazo?

    Abraços,
    Sir Income
    sirincome.blogspot.com/

    0
  • Neo 21 de janeiro de 2012 at 16:54

    A Farra com o dinheiro publico:

    1:50minutos “Não pudi pedir salarios mais altos tamém porque se passar do limite eu perco o subsídio”

    http://www.youtube.com/watch?v=z0b7p9mLwPg

    0
  • Neo 21 de janeiro de 2012 at 17:01

    Visite o atrasado

    http://tendatofora.blogspot.com/2011/04/como-estou-morando-na-band.html

    tá explodindo as reclamações

    0
  • rolab 21 de janeiro de 2012 at 17:23

    Senhores, este video é espetacular, comprova por analogia e definitivamente que o que estamos vivenciando na banânia é uma estrondosa bolha imobiliária sem precedentes: http://www.youtube.com/watch?v=-pnEO0ePkUA&feature=relmfu

    E não é qualquer argumento de corretor ou analista de meia pataca que me convencerá do contrário….

    0
    • Mr. Alex 24 de janeiro de 2012 at 00:29

      Boa !

      thanks.

      0
  • MrK 21 de janeiro de 2012 at 17:40

    curioso que hoje assisti um video indicado por voces, um debate sobre bolha ou não no brasil

    o camarada que argumenta pró-bolha está bem preparado, inteligente, com argumentos sensatos, vai no ponto mesmo

    o que argumenta contra parece um corretor de 5a categoria, tremulo, idiota, fazendo os raciocinios mais toscos que se pode imaginar, tem dificultate até em falar portugues…

    achei no minimo curioso, vale a pena…

    0
    • Sir Income 21 de janeiro de 2012 at 17:51

      Qual é o vídeo?

      0
    • Orozimbo 21 de janeiro de 2012 at 18:16

      É o vídeo do Samy Dana?

      0
    • RT 22 de janeiro de 2012 at 12:32

      Tem um link pro vídeo?

      0
  • Annibal 21 de janeiro de 2012 at 17:51

    Fora do assunto principal, mas….

    h t t p ://oglobo.globo.com/rio/recepcao-desagradavel-para-quem-chega-de-navio-cidade-3730078

    RIO – Nada de Pão de Açúcar ou Cristo Redentor. Até chegar ao destino desejado na cidade – os pontos turísticos ou a própria casa – os cerca de 25 mil passageiros que desembarcaram no porto do Rio neste sábado, a bordo de cinco transatlânticos, se depararam com um cenário nada agradável. O trânsito caótico, a falta de informação, os tapumes e buracos provenientes das obras do Porto Maravilha e a escassez de transportes — o tempo médio de espera para se conseguir um táxi foi de meia hora – dificultaram a vida de quem queria sair da zona portuária. Fora o calor…
    O professor universitário Moacir Hetzel, que mora na cidade, esperou mais de 20 minutos para conseguir um táxi para Copacabana.
    — Ao longo da viagem paramos em vários portos e não tivemos qualquer tipo de problema. O Rio é lindo, mas a situação aqui é caótica. Já que todo mundo sabe a hora que os navios vão chegar, por que não é feito um sistema especial de trânsito? — indagou ele, que passou 14 dias viajando ao lado da família.
    Vindos da Bahia, os recém-casados Miranda e Mary andaram até a Av. Rio Branco para conseguir um meio de transporte que os levasse até a Lapa.
    — Os táxis não querem nos levar lá porque é relativamente perto daqui. Eles só querem fazer viagens longas. O negócio é andar e agradecer a Deus por não ter nenhuma dificuldade física — comentou ela, em sua primeira viagem ao Rio.

    0
    • suelen 22 de janeiro de 2012 at 10:50

      Já tive que descer de taxi no aeroporto Santos Dumont porque o taxiista não queria me levar para a Lapa por ser muito perto. Eu tenho ótimas experiências com os taxistas do RJ!

      0
      • Troll 22 de janeiro de 2012 at 12:05

        Acho que nunca peguei um taxista honesto no Rio. Além disso nenhum deles sabe fazer contas com centavos.

        0
        • EduLon 22 de janeiro de 2012 at 17:19

          Uma vez derrubei peguei um taxi no RJ assim que sai do carro, bati como de costume no bolso para ver se celular e carteira estavam comigo. Vi que o cel tinha caido da bermuda. Peguei um telefone de uma amiga e liguei no meu cel… o taxista nao atendeu, e perdi o celular.
          Outra vez cheguei no santos dumont e os taxistas gritavam – vai pra onde? quando eu respondia que era perto do arpoador os caras respondiam – o local para embarcar é lá naquela fila… se fosse pra barra me convidariam a entrar no taxi na hora…

          0
        • Yuri 23 de janeiro de 2012 at 14:42

          Perae, Troll, tu é um azarado então. Eu sou carioca, já peguei muito taxi, muito mesmo, havia uma época em que só andava de táxi. E apenas uma vez dei azar de pegar um cara desonesto, logo onde, na rodoviária. O cara me chamou e eu fui, de otário, pra nunca mais. Felizmente eu tinha noção do preço da corrida e consegui desenrolar com ele quando cheguei ao meu destino.

          Pegue táxi AMARELO passando na rua (evite os taxis parados) e tenho certeza de que a chance de pegar um cara desonesto é bem pequena. A maioria roda o dia inteiro para tirar uma grana honesta, muitos pagam diária e não merecem essa generalização que vc fez.

          Se estiver mal localizado, anote o número de uma ou duas cooperativas conhecidas e não passe mais aperto, ok?.

          Abraços,

          Yuri

          0
  • ll 21 de janeiro de 2012 at 18:08

    Prezado Bolha,

    Gostaria de sugerir que os livros e vídeos citados pelos comentaristas fossem listados na capa do blog, permitindo o acesso a todos, evitando-se a necessidade de buscar a informação em cada tópico.

    É evidente que isto não tem por objetivo a propaganda, mas a simples disseminação de cultura, educação para a economia, etc.

    0
  • c 21 de janeiro de 2012 at 18:12

    Bem, não entendo grande coisa de economia, mas pelo que me parece, vão gastar mais dinheiro que não tem e ainda conseguir mais de “investidores” (provavelmente com dinheiro herdado) sem ideia de como o mercado funciona para fazer uma mercadoria que não vão conseguir vender depois de pronto. Ou seja, vamos criar mais dívidas para continuar mantendo um crescimento que a muito tempo é baseado em ilusões.

    Emocionalmente, eu achava que era muito esperar que a fantasia do Brasil em evolução e do crescimento do setor imobiliário não duraria até a copa. Depois dela, teremos um fator a mais para piorar a situação, pois as pessoas finalmente vão entender que um monte de gente chutando bola por alguns dias não cria progresso econômico permanente e nem vamos ter tantos gastos do governo para incentivar a construção civil, que estará em péssimas condições até para os que hoje se recusam a ver.

    Aqui em BH está cheio de placas escrito vende-se. Está tão normal que já parece uma nova moda de decoração. Ainda tem obras para todos os lados. Estão fazendo uns conjuntos de lojas em alguns locais onde nem tem muita gente circulando e nem muito comércio. Eu não acho que vai ter tanta gente assim para frequentar estas lojas e eu não abriria uma, pois não terei clientes depois que as pessoas assumirem que não aguentam mais pagar os cartões de crédito.

    Trabalho num escritório especializado em busca e apreensão. Vejo pilhas de contratos de carros populares e motos baratas que as pessoas não tem condição de pagar, escondem na casa de parentes e amigos, tiram apenas no fim de semana para tentar evitar a apreensão. Estou falando de prestações baratas que elas não conseguem pagar. Os caminhões eu até entendo, pois algumas pessoas financiam e depois somem, colocam ele para render dinheiro sem ter que pagar. O problema é que uns 85% dos contratos são de motos 125 ou carro popular. Não sei de onde tiram que o Brasil está crescendo, que os pobres estão melhorando e ainda mais este clichê de “hoje tudo é mais fácil”.Outro dia apareceram 3 notificações referentes a crédito imobiliário.Acho que os escritórios que cuidam disso estão cheio de serviço para o banco passar logo para nós.

    Tudo o que quero comprar está mais difícil. Meu salário não paga nem a faculdade e ainda bem que acaba este semestre, pois está complicado pagar. Olha que não tenho cartão de crédito, pago tudo no dinheiro e peço desconto, não faço muitos gastos. Eu não participo do que vejo nos jornais sobre aumento da renda do brasileiro. Eu não vivo no Brasil e sim num lugar onde tenho que pagar muito caro até de passagem de ônibus (R$ 2,65). Tudo está ficando cada dia mais difícil para quem faz as contas antes de usar algum crédito.

    Moro no subúrbio, mas o metro quadrado aqui está custando mais caro que no mangabeiras ou belvedere em 2006. Olha que estes dois bairros são da zona sul e bem valorizados. Outra coisa engraçada é que bairros de padrão bem distinto agora tem preços parecidos aqui. Não se tem mais ideia de como colocar o preço. Parece que basta digitar muitos zeros. Eu tb poderia comprar uma sala com poucos anos de trabalho de advogado no início da carreira, mesmo trabalhando para os outros e ganhando pouco. Hoje, nem sei que investimento fazer para valer a pena comprar uma sala ou mesmo uma loja. Eu não sei como as pessoas podem acreditar que o dinheiro está caindo do céu para os brasileiros. Quem compra uma loja hoje não vai recuperar o dinheiro tão cedo, mesmo com tudo tão caro. Não tem como passar este custo para os produtos ilimitadamente.

    Deixando de lado o senso crítico, parece que os imóveis são uma anomalia no mercado. Eles fazer você se tornar um milionário em poucos anos, são imunes as leis do mercado e são muito fáceis de comprar. Parece que tb não existe condomínio nem iptu. O governo simplesmente ajuda você a comprar um dando parcelas ao invés de passar anos juntando dinheiro, coisa impossível, pois como não tenho capacidade de questionar, não reparo que o dinheiro todo vai embora com modinhas como tv, carro, roupas e tudo mais que me permitiria viver uma vida de aparências. O pt fez chover dinheiro nas minhas mão e não tenho que me preocupar com quem vai pagar a conta, pois o país tem reservas. Tambem não tenho que fazer contas e ver que vou gastar a minha vida toda pagando um imóvel que me custaria várias vezes menos antes desta chuva de dinheiro. Hoje tudo é mais fácil e o mundo evolui. Perguntem a qualquer um. Basta acreditar cegamente nisso, como todo bom ser humano faz.

    Eu não sei quando vai acontecer e nem tenho como marcar uma data, mas o que não entendo é como pouca gente não repara que tem alguma coisa muito errada com isto. Não sou um exemplo de inteligência e cultura, mas parece que apesar de todos os clichês sobre era da informação, o que as pessoas aprendem a a postar bobagens no facebook de qualquer lugar do mundo com a moderna tecnologia, bater aquelas fotos ridículas de quem sequer leu o manual, ligar a tv para ver novela e um pouco de jornal para fingir que entende a realidade. Vivemos na era da informação e as pessoas não sabem nem comprar um computador, pois não entendem nada das especificações técnicas.

    A sociedade sempre viveu de aparências. seja no feudalismo ou na era moderna. Os modos de produção escondem as verdades de um modo que este planeta de macacos não consegue perceber. Diziam que o rei era divino e que o liberalismo premiaria as pessoas de acordo com a capacidade delas. O resultado foi um monte de monarcas gastando dinheiro público com caprichos, um monte de miseráveis nas fábricas do século XIX. Tudo o que foi criado para substituir o problema antigo prometia um monte de coisas, mas criou novos problemas. Passa o tempo e o que vemos é que as pessoas são incapazes de compreender as mentiras de quem tem influência.

    Dilma é mesmo muito boa com explosivos. Antes, tinham colocado lenha para queimar o dinheiro de quem acredita no progresso ilimitado do setor imobiliário. Agora acham que é pouco e colocaram nitroglicerina. Depois ela passa para outras coisas. Não sei o tamanho da crise que vai chegar logo aqui e nem quanto tempo ela vai durar. O que sei é que depois de tudo vai dar para comprar imóveis num preço de acordo com a realidade.

    0
    • O Poeta da Bolha 25 de janeiro de 2012 at 12:06

      Bravíssimo. Assaz lúcido teu comentário, pertinazes tuas observações. Exatamente o que descreveste, “ipsis litteris”, ocorre no outrora belo horizonte, que não me apraz coabitar.

      Faz-se mister que outros confrades como tu aportem-nos mais experiências do lidar diuturno com a realidade, “esta quimera” (salve, Augusto dos Anjos).

      0
  • Troll 21 de janeiro de 2012 at 18:42

    Notícias da bolha:

    Estive hoje de manhã em uma imobiliária dando uma troll..digo pesquisada. Tenho dois comentários a fazer:

    1) A corretora da imobiliária disse que tá tudo parado, e que usado só vende se colocar um preço “real”. Disse que uma das corretoras dela vendeu por 640k um AP que estava anunciado a 750k, ou seja 14,67% de queda em relação ao anunciado. Parece que as vendas em geral estão fracas.

    2) Adivinhem qual era o protetor de tela dos computadores da imobiliária? Pois é. Um monte de bolhinhas passando pela tela. Será um sinal? kkkkkkkkkk

    Parece que a farsa dos preços absurdos e do “se colar, colou” já era. Quem viver verá.

    0
    • Money addicted 21 de janeiro de 2012 at 19:13

      mas 15% de desconto ainda eh mto pouco

      0
      • Miguel Jacó 21 de janeiro de 2012 at 19:50

        15% é passado, estamos vivenciado a faixa de 20-25%, com relatos pontuais (ainda…) de descontos de 30%.

        Esperem mais um mês para presenciarem o tão esperado “Espetáculo do Decrescimento”. Ou, se alguém for muito conservador, até 05/03/2012, a Fronteira Final.

        0
        • Troll 21 de janeiro de 2012 at 21:30

          Pô, to atrasado então…hehehe

          0
      • Dr. Estranho 21 de janeiro de 2012 at 21:42

        Talvez ela tenha mentido. Pode ser bem menos, mas aí a peteca cai.

        0
    • Sir Income 21 de janeiro de 2012 at 20:15

      O Brasil só começa de pois do carnaval.

      Assim que passar o carnaval e os números vierem, o rei momo cai do trono!

      0
      • Troll 22 de janeiro de 2012 at 10:17

        Acho q depois do carnaval virá a fase conhecida como “New Paradigm”.

        0
  • Anonymous 21 de janeiro de 2012 at 18:43

    Interessante a conclusão mostrada num trabalho de alunos de graduação sobre a situação econômica e financeira da Gafisa entre 2008 a 2010. Supera a análise de muitos bancos da Banânia.

    sistemas . usp . br/siicusp/cdOnlineTrabalhoVisualizarResumo?numeroInscricaoTrabalho=3362&numeroEdicao=19

    Conclusão: De uma forma geral, a empresa possui perspectivas promissoras de crescimento e continuidade, com índices indicando sua situação financeira favorável e apresentando grandes crescimentos nas vendas. NO ENTANTO, O RETORNO AOS INVESTIDORES PARECE NÃO SER MUITO ATRATIVO, EM TERMOS DE RENTABILIDADE E DIVIDENDOS DISTRIBUÍDOS.

    0
  • Chapolin 21 de janeiro de 2012 at 20:38

    Há dez meses que o imóvel está anunciado, não vende, faz o que então? Aumenta o preço?!!

    http://www.agenteimovel.com.br/imovel/a-venda/rua-alberto-de-campos/ipanema/rj/914568.htm

    Que lógica é essa?

    0
  • Neo 21 de janeiro de 2012 at 21:46

    teste

    0
  • Mineiro que bolha 21 de janeiro de 2012 at 22:04

    Classe média compra o segundo imóvel

    Possibilidade de ganhos de 30% até a entrega das chaves seduz investidores que procuram rentabilidade e segurança

    Patrícia Santos Dumont – Do Hoje em Dia – 21/01/2012 – 09:14

    FREDERICO HAIKAL

    Daniel Gustavo, que já conseguiu 34% de valorização em imóvel de Betim

    Com a renda turbinada pelo pleno emprego, a classe média voltou com força ao mercado de investimento imobiliários. De acordo com construtoras e imobiliárias da capital, o movimento de venda para investidores nunca esteve tão intenso. Para o setor, investidores são os compradores que possuem casa própria e adquirem um segundo imóvel apontando na sua valorização e no retorno em forma de aluguel.

    A consultora financeira e professora do MBA em Gestão Empresarial da FGV/IBS Marlene Hillesheim Kraus sustenta que o investimento na planta é a opção mais rentável para quem tem a possibilidade de esperar a conclusão e resgatar o valor investido. Na entrega das chaves, a valorização pode ser superior a 25%. A economia para quem opta pelo negócio também é grande, de 20% a 30%.

    “Do momento da compra à entrega, só existe valorização, ao contrário do imóvel pronto, seja ele novo ou usado, que com o tempo ou manutenção inadequada perde seu valor de venda”, avalia a consultora.

    Essa mesma margem de lucro, de 20% a 30%, é o que pretende conseguir Alan Max, de 30 anos, com a venda de duas casas geminadas adquiridas na planta em 2010. Os imóveis, pelos quais pagará R$ 160 mil até o final do contrato, poderão ser vendidos por até R$ 208 mil, segundo ele. Para o médico recém formado, segurança e valorização garantida influenciaram a decisão e estimularam o investimento.

    O permissionário de transporte suplementar, Daniel Gustavo Santos Brizon, 31 anos, também deu o mesmo destino à renda extra que tinha há um ano e meio. Ele deverá pagar cerca de R$ 93 mil até o final do contrato, em agosto deste ano, por um apartamento em Betim, na Região Metropolitana.

    Há sete meses da entregue, a valorização, garante ele, é de 34%. “Até agosto, quando irei receber as chaves, terei pago cerca de R$ 93 mil e poderei vender por pelo menos R$ 125 mil”, comenta.

    O segundo investimento do permissionário foi feito há um mês, em um apartamento no Bairro Betânia, Oeste da capital. Daniel garante que a forma mais segura e lucrativa de investir uma renda extra ou parte do valor poupado durante anos.

    Na Rede Imvista, conforme o vice-presidente e diretor comercial, Fabiano Taylor, as vendas na planta para investidores de classe média no ano de 2011 foram 30% superiores em relação a 2010. Segundo ele, foram vendidos cerca de 10 mil imóveis em Belo Horizonte e Região Metropolitana.

    “O déficit habitacional é muito grande, então, enquanto existir consumo nessa área terá valorização”, destaca. Na visão de Taylor, é importante que o governo brasileiro não deixe que a economia estrangeira desacelere a nacional, e, para isso, é preciso incentivar a construção civil com a liberação de financiamento e taxa de juros mais baixas.

    A Mórus Imóveis também experimenta crescimento semelhante. Segundo o sócio-proprietário da empresa, Marcelo Groppo, o mercado que mais compra hoje é o da classe C. “O grande chamariz são os baixos valores de entrada, que podem ser de até R$ 10 mil”, argumenta. O crescimento nos negócios da empresa voltados para o investidor de renda média foi de 70% em 2011.

    Groppo ressalta que o retorno do valor investido pode ser na venda do produto comprado na planta ou no aluguel do imóvel. “Ainda há a possibilidade de repasse do financiamento, caso o proprietário, ou seja, o investidor, opte por resgatar o valor investido antes da entrega do imóvel”, acrescenta.

    Fonte: Hoje em dia

    0
  • Ghaspar 21 de janeiro de 2012 at 22:21

    Cuidado
    Essas Letras Imobiliarias e congeneres nada mais são do que uma versão tupiniquim das “Sub-Primes” que levaram à Bolha Americana…..O grande capital especulativo segue sempre o mesmo caminho…
    Banania que se cuide….kkkkkk

    0
    • Neo 21 de janeiro de 2012 at 22:33

      A arapca é tão discarada que não paga nem I.R.

      0
      • Sergio Figueiredo 23 de janeiro de 2012 at 11:25

        Claro que ninguém vai pagar IR! Só se paga IR sobre a renda e o Governo já sabe que quem entrar nestes investimentos não vai ter lucro nenhum para declarar! Só prejuizos.

        0
  • Mauro 21 de janeiro de 2012 at 23:12

    Hoje encontrei-me com um amigo que a esposa trabalhava em uma das maiores imobiliárias de SP.

    Perguntei:

    Como vão as vendas de imóveis ?

    Resposta:

    A …..Saiu da imobilíaria há 1 mês pois há um ano não vendia um unico imovel e não conseguia mais bancar as despesas relativas ao trabalho.

    E junto com ela saiu toda a equipe.

    Só não ve quem não quer !!!!!!!

    0
  • Fel 21 de janeiro de 2012 at 23:52

    URGENTE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Passei em frente ao You, Metropolitan. Era aquele empreendimento que já foi até tópico aqui.

    TEM UMA PLACA DE TOTALMENTE VENDIDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Pagaram 9000/m2 no empreendimento comercial no Tatuapé e 6500/m2 em pombais residenciais.

    Onde vamos parar??? Está tudo do avesso!!!!

    0
    • aiwww 22 de janeiro de 2012 at 01:24

      pode ser … 100% vendido para “investidores” … quando chegar a entrega das chaves várias unidades “voltarão” para a construtora ou estarão anunciados com ágio nos jornais … nada fora do comum em tempos de bolha … comprar imóvel virou moda … já sabemos o que acontece quando a moda passa … fica a dívida e um caminhão de desesperados tentando se livrar do “investimento” …

      0
    • MrK 22 de janeiro de 2012 at 09:57

      Fel… olha a bomba…

      —————–

      Gerson Silveira diz:
      eu passei em frente outro dia e achei a localização muito boa mesmo, e pelo que vi aqui na internet parece mesmo um projeto campeão
      mas queria saber quais plantas disponiveis, quantos quartos, quais andares etc

      VASTHI diz:
      Infelismente foram vendidas todas unidades do residencial, no comercial há uma unidade que esta sendo tratada,

      Gerson Silveira diz:
      foram mesmo é? que pena, infelizmente so me interesso pela residencial

      VASTHI diz:
      Temos outros projetos em venda na região.
      estou vendo residenciais, momento
      Pode ser região central , para investimento é excelente prox. de tudo e faculdades.

      Gerson Silveira diz:
      eu gostaria só se fosse no you metropolitan
      minha esposa analisou e disse que esse é o empreendimento para comprar

      VASTHI diz:
      Bom, pode ser revenda ? posso levantar rvendas la

      Gerson Silveira diz:
      revenda?
      da construtora?

      VASTHI diz:
      sim, tenho investidores ou pessoas que compram no lançamento e logo apos revendem com pequeno lucro
      O sr. compra de uma pessoa que comprou, todo tramite é feito pela Lopes., o sr. pagará o que esta pessoa ja pagou e assume a divida junto a costrutora, é pratico.

      0
    • Troll 22 de janeiro de 2012 at 10:18

      100% vendido aos “investidores de 20%”. Portanto na prática, em termos de fluxo de caixa, temos somente 20% vendido. O correto seria dizer 100% vendido, se estivesse 100% pago.

      0
      • Gil 22 de janeiro de 2012 at 19:50

        Caramba, não acredito que li isso.

        0
    • Anonymous 22 de janeiro de 2012 at 12:22

      Busca no google por “You Metropolitan”

      10/11/2011, R$ 400.000, (11) 95679006, ID 39323360
      13/11/2011, R$ 300.000, (11) 98140790, ID 47862403
      11/09/2011, 1 e 2 dormitórios, Renato (11) 9814-1505

      0
  • Cai cai balão 22 de janeiro de 2012 at 01:59

    Aqui em Belém/PA, comecei a acompanhar a oferta de imóveis, observando o Jornal Liberal (ORM). No Umarizal ($$$), vejo uma grande oferta de imóveis que entra domingo sai domingo, continuam lá, fiéis aos classificados. Contei hoje (edição de domingo 22/01), 17 unidades do Village Prime e Premier nas mãos de especuladores.

    Quanto tempo levará pro povo aprender que imóvel é pra morar, não pra especular?

    0
  • MrK 22 de janeiro de 2012 at 09:41

    Estou vendo um movimento muito curioso nos alugueis…

    Os imoveis prontos comprados por investidores que querem viver da renda do aluguel, voce nota no anúncio que são 1a locação, e eles tem um valor altíssimo, totalmente fora da realidade dos apartamentos “concorrentes”, dando exemplos concretos:

    Numa Rua em que o valor médio é de R$3.000 eles anunciam por R$5.500, obvio que ninguém aluga, pois ninguem vai pagar quase o dobro só porque o prédio é novo! Consequencia: O Ap fica vazio.

    Agora vem o nó: O “investidor” não deve poder baixar o aluguel, pois ele comprou o imóvel a um preço tão bolhudo que a prestação é muito alta, pelas minhas contas deve ser mais que os R$5.500 que ele pede de aluguel, ou seja, se meteu numa beco sem saída: Se abaixa o aluguel vai ter prejuizo tudo mês por 30 anos, mas se não abaixa não aluga, pois está incompatível com o mercado! e agora, josé?

    reparem em suas regiões, como o aluguel de prédios recém-entregues está totalmente desconectado dos apartamentos tradicionais

    0
    • thiago fm 22 de janeiro de 2012 at 10:26

      MrK,

      A verdade é que a questão dos aluguéis e/ou venda de imóveis tem dois lados. Se o preço do aluguel está alto, o valor de compra dos imóveis está absurdo. Como você mesmo vem dizendo, o aumento dos repasses diminui a oferta de aluguel e isso vai pressionar pra cima o preço. Quem não tem imóvel próprio vai deixar de comprar por dois motivos: porque não quer ou simplesmente porque não pode. Logo tem que alugar. Isso se não quiser passar pela humilhação de voltar para casa dos pais e sogros ( coisa que eu, por exemplo, jamais faria).
      Nesse ponto, o mercado terá que encontrar um equilíbrio da oferta/demanda, mesmo que provisório. Nem o locatário conseguirá alugar pelo preço que conseguia antes do boom imobiliário, nem tampouco o locador obterá um valor de aluguel capaz de se ajustar a um índice normal na relação valor aluguel/ remuneração do ativo total. A situação só volta ao normal, à meu ver, se o preço do imóvel for corrigido pra baixo, seja por meio da inadimplência ou pela venda não concretizada no tempo que o proprietario espera vender, ou dentro do tempo que os teimosos puderem suportar os encargos da espera.
      O que pode adiar o estouro da bolha é exatamente o TEMPO que o investidor ou o ignorante – sonhador consegue segurar a barra ( seja essa a parcela do financiamento ou os encargos do imóvel parado, ou ainda a baixa remuneração do seu investimento em relação às demais opções do mercado). O que não podemos subestimar é a capacidade de muitos investidores, seja por pura ignorância ou por falsa confiança, de segurar a barra por um bom tempo ainda, considerando que nos últimos 3 anos quem investiu em imóvel acumulou não só muita gordura, mas bastante proteína pra queimar por um bom tempo ainda. O nó maior a ser destadao é daquele que comprou recentemente e vai ter que pagar o pato de ter comprado na alta. Esse vai soltar a corda primeiro, causando um efeito domnó que pode se estender por algum tempo ainda.

      0
      • thiago fm 22 de janeiro de 2012 at 10:30

        ” Destadao = desatado” – desculpe

        0
    • carlos 22 de janeiro de 2012 at 11:24

      Notei a MESMA coisa em alguns apartamentos aqui em Goiânia. Os caras querem pagar o financiamento com o aluguel. Raciocinemos: quem conseguir pagar isso, porque não financiaria ele mesmo um apartamento? Desse jeito, apenas alugariam esses apartamentos aquelas pessoas que estão de passagem pela cidade ou que têm algum problema cadastral. Porque quem tem essa grana pra pagar de aluguel tem boa chance de ter o valor de entrada num financiamento.

      0
      • Cleyton 22 de janeiro de 2012 at 16:01

        É exatamente a falta desse raciocínio (de na verdade a absoluta falta de raciocínio) que está gerando essa bolha, muito bem observado!

        0
  • Orozimbo 22 de janeiro de 2012 at 09:50

    Explicado de onde vem tanto dinheiro para comprar os imóveis supervalorizados.

    h t t p://www1.folha.uol.com.br/poder/1037375-seis-em-cada-dez-brasileiros-pertencem-a-classe-media-diz-datafolha.shtml

    Brasil, um país de ricos. Só não sabia que o meu engraxate também o é.

    0
    • Anonymous 22 de janeiro de 2012 at 11:22

      Caro Orozimbo,

      Não sei po que, mas estou lembrando do slogan dos anos 70 – BRASIL AME-O OU DEIXE-O!

      Faça o teste e descubra a que classe social você pertence

      www1 . folha . uol . com . br/poder/1036261-quiz-faca-o-teste-e-descubra-a-que-classe-social-voce-pertence . shtml

      COELHOMALUCO COMENTOU: Sinceramente eu não sabia que ter 2 tv das antigas ( plasma nem pensar) , maquina de lavar, video, ter nivel superior, ganhar 5 mil por mes e ter um carro 1996 é classe alta. Gente. Obrigado sou rico e não sabia …

      0
      • Troll 22 de janeiro de 2012 at 12:11

        Engraçado, deu que sou da classe alta. No entanto não entendo o porque de não consiguir morar em algo decente.

        0
        • Carlos Eduardo 22 de janeiro de 2012 at 13:08

          é porque aqui na banania, se você tiver um imovel…
          você não é rico, é milionário rapaaa…

          hahaaaa

          0
      • EduLon 22 de janeiro de 2012 at 17:29

        recomendo a todos frequentadores do site fazerem o teste. antes de comecar há uma pergunta: clique na classe social que você acha que pertence. eu cliquei média intermediária. e ao final deu resultado: ALTA… olha, daqui a pouco o governo vai criar a classe média reduzida, e a classe media remediada, classe média falida e vai soltar uma nota dizendo: BRASIL JÁ É 91% CLASSE MÉDIA. O RESTANTE É CLASSE ALTA.
        Cliquem e postem como vocês se vêem e o resultado final…

        0
      • Raposão 22 de janeiro de 2012 at 17:33

        Esse teste da Folha é pior do que teste de adolescente em sites de fofocas…

        Do jeito que eles estão considerando a metodologia do teste, baseada nos dados estatísticos da “nova e exuberante classe C” (C de Cartão de Crédito), não seria de se espantar quaisquer incongruências.

        É engraçado ver esses pseudo-testes embasados em estatísticas com metodologia, no mínimo, imatura ou dissimulada.

        0
    • rubens 22 de janeiro de 2012 at 13:05

      O problema que a avaliação das classes realizadas pelo governo – Aspone – é uma simbiose entre a necessidade de mostrar que é, com a vontade de acreditar ser. Isso porque o brasileiro gosta de ser enganado, gosta da mentira cabeluda, gosta de mostrar sem ter BOS TA no C U pra cagar. Simples assim, compare as classes médias do brasil com um país de primeiro mundo. Ridículo é a soberba do brasil!!! Acredita que somos a 5ª economia do mundo…. A classe média no brasil não tem poder de compra, não tem casa, paga financiamentos eternos de carro, não tem i-pods, são formados em pedagogia ou administração em ead’s, devem cartão, cheque especial, crediários, quando donos de negócios, nada mais é do que um bar ou uma merceariazinha. É terrível nossa realidade, somos enganados diariamente pela mídia que nos bombardeiam com sensacionalismo burro e ignorante, e o pior disso tudo, é que nós aceitamos e acreditamos. Infelizmente, apoio a todos que adoram chamar nosso defeituoso país em banania. É assim que me considero. O mais certo agora, pra celebrar minha estupidez é assistir Faustão, já que estou no domingo á tarde.

      0
      • Troll 22 de janeiro de 2012 at 15:17

        Ué, este não é o mesmo cidadão que perguntou se tava caindo o nível do blog? Olha as palavras do sujeito…

        0
  • Bertz 22 de janeiro de 2012 at 10:08

    Aí Jão, aí Crue,l chequem aí, não querem embasamento, argumentos:

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1036261-quiz-faca-o-teste-e-descubra-a-que-classe-social-voce-pertence.shtml

    0
  • Ana 22 de janeiro de 2012 at 10:33

    Achei muito oportuna a matéria de hoje no Estado de Minas. Corrobora muitas teorias aqui expostas.

    De olho em 2014, governo prioriza e turbina Minha casa, minha vida

    Paulo de Tarso Lyra
    Publicação: 22/01/2012 08:14 Atualização:
    O programa Minha casa, minha vida 2, que promete entregar 2 milhões de casas até 2014, começa a se transformar no principal projeto da presidente Dilma Rousseff. Amanhã, durante a reunião ministerial para discutir as ações do governo em 2012, a presidente avisará que pretende priorizar a construção de unidades habitacionais para a faixa de renda de até R$ 1,6 mil, que abrange 60% da meta estipulada (1,2 milhão de unidades) até o fim do mandato. Com a percepção de que o Bolsa-Família e o Brasil sem miséria já estão consolidados perante o eleitorado, o Planalto quer transformar o Minha casa, minha vida no grande capital político para as eleições de 2014.

    Interlocutores da presidente Dilma apressam-se em afirmar que o Executivo não está relegando a luta para tirar da miséria absoluta os 16 milhões de brasileiros que ainda sobrevivem com até R$ 70 mensais. Mas admitem que a presidente inicia uma nova fase na qual os benefícios para atender aos mais carentes não se resumem à entrega de um cartão com recursos que garantam a sobrevivência mensal: é fundamental garantir uma habitação confortável para viver com dignidade.

    A opção por privilegiar a faixa de renda familiar de até R$ 1,6 mil também tem explicação. É nela que os subsídios do governo são integrais. A partir desse nível, as famílias têm mais condições de obter financiamentos junto às instituições bancárias. Na faixa 3, por exemplo, de R$ 3,1 mil a R$ 5 mil, a presença do governo nas negociações é quase residual.

    O governo promoveu algumas mudanças administrativas para tornar o processo mais ágil. Esvaziou, por exemplo, a participação do Ministério das Cidades, considerado pela presidente Dilma Rousseff, nesse primeiro ano, ineficiente do ponto de vista de execução de programas. A concentração das ações está mais diretamente ligada à Caixa Econômica Federal, que firma os contratos com os futuros proprietários. “Nós temos um papel mais operacional, estamos na ponta. Mas isso não significa que sejamos mais importantes do que outros atores envolvidos no processo”, esquivou-se o vice-presidente de governo da Caixa Econômica Federal, José Urbano Duarte.

    Dilma também tem com o Minha casa, minha vida o mesmo cuidado que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinha em relação ao Bolsa-Família. Lula costumava visitar os beneficiários do programa, perguntar como eles estavam, quais as carências e quais as necessidades de mudanças. Com seu olhar de gestora, Dilma visita as obras e questiona engenheiros e arquitetos envolvidos nos projetos. “Essa porta está no lugar certo?” E essa janela? Vocês acham que um cômodo deste tamanho oferece algum nível de dignidade?”, pressiona ela, segundo relato de pessoas que já acompanharam as vistorias.

    Urbano acredita que o incremento dado pelo governo Dilma – o projeto permaneceu praticamente estagnado nos dois últimos anos de governo Lula – também tem ligação com o aperfeiçoamento das instituições. A Caixa Econômica Federal, por exemplo, preparou-se para as exigências da presidente: contratou 1,5 mil arquitetos e engenheiros para acelerar as obras – 226 deles começarão os treinamentos segunda-feira. E abriu novas unidades operacionais em pontos como Marabá (PA), Barreiras (BA) e Montes Claros (MG), para que as demandas sobre o projeto possam ser resolvidas com mais agilidade.
    Acompanhe também o EM.com pelo Twitter

    0
    • Miguel Jacó 22 de janeiro de 2012 at 11:25

      A presidenta agindo com um grande coração, atuando até como fiscal, perguntando se a porta está no lugar certo, e nós aqui, cheios de maldade na alma e desconfiança, criticando o governo.

      0
      • Troll 22 de janeiro de 2012 at 12:12

        Tá ironizando né chefe?

        0
      • Cruel 22 de janeiro de 2012 at 13:58

        Fazer caridade com o dinheiro dos outros é fácil

        0
    • rubens 22 de janeiro de 2012 at 12:49

      Uma das características dos programas MCMV foi o baixo preço dos imóveis praticados anteriormente. Infelizmente, hoje, estes projetos já surgem com sérios defeitos. Um deles, é o valor expressivo dos imóveis a serem entregues pela caixa. No interior de Minas, os imóveis entregues pela caixa já foram vendidos por 20.000. Hoje, os imóveis serão entregues pela caixa por valores de 60 a 80.000. Considerando o assalariado que, com o subsídio, tenha que financiar 50.000. A prestação mensão vai ficar em torno de 600,00. Estou representando minha realidade, no interior de minas. Se uma família terá que pagar 600 reais de financiamento, para morar -digamos a verdade – mal, é evidente que ela terá dificuldades.

      0
    • Cleyton 22 de janeiro de 2012 at 15:58

      Todo mundo que faz alguma coisa está sujeito a erros, tranquilo, mas quando você faz merda tem que parar e pensar, se continuar no embalo vai acabar fazendo uma merda em cima da outra, e parece que é justamente o que o governo está fazendo…

      Invés de concentrar os recursos em programas mais “baratos” e politicamente mais concretos como o fome zero (é uma análise fria, não que eu ache certo) vai botar as próximas eleições a perder e enfiar dinheiro de longo prazo num setor que já está mostrando sinais claros de fadiga e que na minha opinião tem poder de pôr em risco toda a estrutura econômica.

      0
  • Anonymous 22 de janeiro de 2012 at 11:07

    Tem mais alguém lembrando dos anos 70?

    BRASIL AME-O OU DEIXE-O

    Seis em cada dez brasileiros pertencem à classe média
    www1 . folha . uol . com . br/poder/1037375-seis-em-cada-dez-brasileiros-pertencem-a-classe-media-diz-datafolha . shtml

    0
    • Shakespeare 22 de janeiro de 2012 at 11:20

      o teste é uma piada, fiz lá…

      tentem e verão

      0
      • Rico 23 de janeiro de 2012 at 12:30

        Nossa, sou rico, não sabia.

        Achei que era classe média intermediária, mas sou rico!

        O problema agora é achar 1 milhão para comprar o apartamento da minha classe social.. hehehe..

        0
    • thiago fm 22 de janeiro de 2012 at 11:25

      Ha-HA

      http: //www1.folha.uol. com.br /poder/1036261-quiz-faca-o-teste-e-descubra-a-que-classe-social-voce-pertence.shtml

      No link acima tem uma ferramenta através da qual se pode descobrir em que classe social você se enquadra. Você informa em qual faixa você “acha” que está e os bens que possui e no fim a ferramenta te dá sua faixa real. Achei que fosse classe média intermediária e descobri que sou da classe alta. Não é o máximo gente, acho que sou da elite e não sei.

      Ah, só para constar – não tenho imóvel próprio.

      É muito escolher critérios para manipular a realidade. O Brasil é tão classe média quanto a inflação é 6%.

      0
      • Ana 22 de janeiro de 2012 at 11:40

        O teste é tão cretino que pergunta quantas tvs tem em casa, mas não pergunta se é LCD ou se é daquelas de tubo. Pergunta quantos carros tem mas não pergunta o ano. Pergunta a escolaridade do chefe de familia mas não pergunta se estudou em escola pública ou particular. Coloca num mesmo quem ganha 5K e quem ganha 10K. No meu deu “classe alta”. KKKKKKKKKK! Mal sabem eles que eu moro numa casa de fundos muito feia e velha, e ainda por cima alugada.

        0
      • suelen 22 de janeiro de 2012 at 11:42

        O teste é uma piada mesmo. Também sou da classe alta (6% da população). Não consegui comprar meu imóvel ainda, apesar de ter poupado para isso. Sou classe alta com a seguinte resposta: 1 geladeira, 2 tvs e 1 banheiro em casa; a escolaridade (minha e do chefe de família) é superior completo e a renda familiar de R$ 5.451,00 a R$ 10.900,00.

        0
        • suelen 22 de janeiro de 2012 at 11:43

          Ah! A classe alta é 9% da população.

          0
        • Ana 22 de janeiro de 2012 at 11:44

          Suas respostas foram bem parecidas com as minhas, Suelen. Acho que estão manipulando pra todo mundo se achar rico, pensar que mora num país com economia saudável e resolver comprar um imóvel pra engrossar as fileiras de futuros endividados.

          0
      • Troll 22 de janeiro de 2012 at 12:14

        Engraçado, deu que sou da classe alta. No entanto não entendo o porque de não consiguir morar em algo decente.

        Parece um teste encomendado por uma ditadura.

        0
      • Sir Income 22 de janeiro de 2012 at 12:39

        Queria saber se alguém falava de bolha imobiliária no noticiário há alguns atrás.

        0
      • Shakespeare 22 de janeiro de 2012 at 13:03

        Já está confirmado que a presidentE Dilmona conseguiu cumprir a promessa de deixar todos os bananenses “crasse média”, alteraram os critérios e todos os que estão vivos agora estão na média… que Deus tenha piedade de nós!

        0
      • Bolhado 23 de janeiro de 2012 at 00:04

        Esse teste é uma comédia mesmo!

        1 TV, Dois banheiros, um automóvel, nivel superior, 1 geladeira, 1 radio, 1 dvd, renda de 200 a 5400 e a porcaria me coloca classe alta! Por isso que o Brasil teve tanta gente subindo de renda! KKKKKK

        BRASIL, PAÍS DE TOLOS!

        0
        • Luiz 23 de janeiro de 2012 at 13:07

          Trabalho com dados sociais e posso atestar que o teste está correto, e apesar de um pouco confuso, é bem razoável.

          Infelizmente somos um país muito mais pobres que os corretores pensam que somos.

          A ILUSÃO de que os ricos são mais ricos do que realmente são é um dos motivos psicológicos da Bolha (espero não ter sido confuso com essa frase)

          0
          • Shakespeare 24 de janeiro de 2012 at 10:15

            Luiz,

            Os dados podem até estar corretos ou dentro da metodologia proposta, mas a contestação aqui é exatamente sobre esses limites propostos na metodologia.

            Afinal vc acha correto juntar no grupo dos ricos aqueles que tem um apto velho, tv de tubo, 2 banheiros pequenos, um carro 1998, e uma faculdade feita no ProUni com o cara que tem uma mansão nova, 5 suítes com TV de LED 50″ em cada quarto e outra 3D de 62″ na sala, 3 carros importados, que viaja a cada 6 meses para o exterior e que fez faculdade lá?

            Eu sinceramente acho que não.

            Até entendo que, para a pessoa pobre, os dois podem ser considerados ricos e faz todo o sentido a metodologia, mas lhe garanto que para o primeiro cidadão que comentei acima, ser considerado rico, da mesma forma que o segundo sortudo citado é uma afronta.

            É disso que estamos falando e reclamando. Estão considerando ricos pessoas muito discrepantes, que em outros tempos, e pela percepção pessoal deles, se consideram classe média. Eu tenho uma impressão de que os critérios utilizados colocaram pessoas muito discrepantes na mesma classe e seria preciso definir separações mais refinadas a fim de mostrar uma distribuição parecida com esta: (os percentuais são fictícios)

            1% dos muito ricos/milionários;
            3% ricos;
            10% classe média alta;
            22% classe média;
            32% classe média baixa;
            22% pobres;
            8% muito pobres;
            2% excluídos.

            Este é só um exemplo e poderia haver até uma granularidade maior, para melhor representar a diferença de classes em função do patrimônio, dos ganhos e da escolaridade.

            Vou propor algo e depois podemos conversar a respeito.

            0
  • alsouza 22 de janeiro de 2012 at 11:29

    Esse FIPE-ZAP e nada é a mesma coisa. Cansei desse índice.

    Vou usar o índice “QUARTIER” para acompanhar a evolução de preços no Rio de Janeiro, em particular na zona sul.

    Quartier Carioca é um condomínio estilo Barra – cheio de infra – fincado no Catete, bairro da zona sul do Rio de Janeiro.

    Pois bem, na época da sua construção, lá pelos idos de 2005/2006, cada unidade, com 2+1 quartos e metragem total de 86 m², custava em torno de R$ 300k. Em 2009, foi para R$ 500k, época em que o governo liberou o FGTS para compra de imóveis até este valor. Hoje, pelo jornal OGlobo, estão pedindo redondos R$ 800k. Que escalada, não?

    Como são mais de 800 unidades e os apartamentos são padronizados (sem contar que é fácil identificar a tag quartier nos classificados), acredito que este microcosmo me dará um boa ideia do que vai acontecer no mercado imobiliário carioca.

    Não aparecem muitas unidades para alugar no jornal, mas a última estava por R$ 3000,00, ou seja, 0.375%, abaixo dos tradicionais 0.5%.

    0
    • MrK 22 de janeiro de 2012 at 11:38

      R$3000 de aluguel pra morar no catete????????

      perdoe meu frances, mas…. p#[email protected]%$$%%$##$%@@riu!!!

      mas eu que devo estar errado, afinal, segundo o link das classes pra pessoa morar no catete pagando esse aluguel, que ser classe alta, topo 9%

      na zona sul então, deve ser tudo classe AAA

      0
    • Miguel Jacó 22 de janeiro de 2012 at 12:22

      Em 2010 estava entre 450k e 650k, já está em 800k??? Meu Deus! Quase um milhão pra morar no Catete!

      0
      • Shakespeare 22 de janeiro de 2012 at 12:59

        Mas o Catete já teve o endereço mais desejado de se morar no país, o Palácio do Catete! 😮

        0
      • Ana M 22 de janeiro de 2012 at 15:29

        300 para 800k e qual a diferença disso pro fipe-zap???

        0
  • Elias 22 de janeiro de 2012 at 11:46

    “Estou vendo um movimento muito curioso nos alugueis…”

    Mrk e Thiago, isto me lembra o que li sobre a bolha japonesa em 1990, no livro do R. Aliber.

    Os “mutuários” japoneses começaram a abrir o bico quando não aguentavam mais arcar com a diferença entre o financiamento que pagavam e o aluguel que recebiam.

    O estouro da inadimplëncia se deu quando o governo japones, tentando conter a bolha imobiliaria, iniciou uma politica monetaria restritiva, aumentando os juros, dificultando a rolagem das dividas das familias.

    Vejo que por enquanto, o governo aqui faz o oposto. Mas um dia a mare muda.

    Na proxima vez que os juros subirem e o credito ficar restritivo – e ha varios sinais de que isso ocorrera em breve – vide canais de transmissao da crise europeia, esgotamento da poupanca, necessidade de conter a inflacao apos a farra eleitoral deste ano e desvalorizacao do real entre 2012 e 2103 – esses pseudoinvestidores vao ficar na mesma situacao dos japoneses em 1990.

    Nao tem jeito, os espacos de manobra dos interessados na manutencao da bolha sao cada vez menores.

    0
    • MrK 22 de janeiro de 2012 at 12:09

      exatamente!!
      muitos compraram com a ilusão de que, como todo mundo ficou rico, haveria gente de sobra pra pagar alugueis de R$5.000… doce ilusão

      0
      • Troll 22 de janeiro de 2012 at 12:21

        Então, acho que a realidade aqui tá bem pra esse lado mesmo. Vi muitos conhecidos dizerem que compraram na planta pra repasse. Dizem que se não conseguirem vender vão alugar. A julgar pela região suponho que o aluguel vai ficar em torno dos tradicionais 0,35%.
        Outro conhecido comprou na planta um de 810k, mesmo tendo um salário que não permitiria o financiamento desse montante. Pelo que sei a entrada foi mínima, muito baixa mesmo.
        Disse que vai repassar na entrega em 2015. Já tá contando que vai ter comprador.

        0
  • MrK 22 de janeiro de 2012 at 12:11

    esse é o video que recomendo…são 3 partes

    vejam e reflitam

    terratv.terra.com.br/Noticias/IstoE-Dinheiro/Brasil-Bolha-imobiliaria-ou-demanda-aquecida-PARTE-1_4785-394291.htm

    0
  • Orozimbo 22 de janeiro de 2012 at 12:16

    Amigos,
    Vou contar algumas coisas que venho observando ou de que fiquei sabendo. Podem parecer coisas menores, mas acho que talvez ajudem a gente a compor um panorama mais próximo da realidade, que vem sendo manipulado de maneira tão absurda pela grande mídia:
    1- Minha esposa tem um paciente que é agente de turismo. Disse que não vendeu nada no fim do ano e está com medo de perder o emprego;
    2- Ela acabou de voltar do sacolão e os artigos mais nobres estavam com muitas promoções, algo em torno de 20%;
    3- Tem dois apartamentos no meu prédio pra alugar há mais ou menos um mês. No ano passado, não ficavam vagos uma semana;
    4- Moro perto do empreendimento On Time- Osca Freire. O stand de vendas está funcionando há um bom tempo (pelo menos uns dois meses) e quando passo na frente, está normalmente vazio, com vários corretores ociosos.
    Sei lá, mas me parece que a economia não está tão aquecida e que as coisas não vão tão bem quanto nos querem fazer acreditar.
    E a propósito: no teste da folha, sou da “zelite” também, mas acho os preços dos imóveis irreais e vivo de aluguel.
    Abraços e bom domingo a todos.

    0
    • Anonymous 22 de janeiro de 2012 at 12:31

      Estou com medo de fazer o teste da folha. Vai dar classe ALTA e ai vai ter gente querendo me sequestrar para pedir resgate.

      0
  • SIMONE 22 de janeiro de 2012 at 12:26

    Vale lembrar que o empreendimento imobiliário em João Pessoa já vendeu oito apartamentos de R$ 700 mil reais cada, devido à frase “Luíza está no Canadá”.

    Luíza soube da repercussão em torno do seu nome pelo Facebook, quando duas amigas mostraram o sucesso da frase nas redes sociais. A jovem foi para São Paulo, onde gravou a segunda parte da propaganda do prédio residencial que lhe rendeu fama, além de afirmar que recebeu propostas para novas campanhas. O novo comercial deve ir ao ar hoje (19/01), na Paraíba.

    Vale lembrar que o empreendimento imobiliário em João Pessoa já vendeu oito apartamentos de R$ 700 mil reais cada, devido à frase “Luíza está no Canadá”.

    Questionada se pretende voltar para terras canadenses, a jovem diz que “sim, claro que pretendo voltar. Fiz amigos lá para a vida inteira”. A paraibana estudava o equivalente à segunda série do ensino médio.

    0
  • Nilton 22 de janeiro de 2012 at 12:42

    PELO TESTE DA FOLHA, SOU CLASSE MEDIA ALTA. KKKKKKKKKKKKKKK. ISSO É UMA PIADA, CARA.

    0
  • rafael 22 de janeiro de 2012 at 13:13

    Prezados,

    O primeiro argumento que o “economista” contra bolha fala é de uma massa ferverosa por imóveis, porém minha primeira pergunta é: essa massa tem dinheiro para comprar esses imóveis?

    Parece que o crescimento do Brasil e da população esta de acordo com o crescimento desses valores…… Morro no Rio e digo-lhes que esta impossivel comprar algo, como flaei em outro tópico, não ganho mal, não tenho muitas despesas, não estou tentando morar na zona sul e não vejo possibilidade de compra. Qualquer apartamento aqui ta valendo 300 mil, queria saber quem esta comprando, pois p mim é impossivel, e repito não ganho mal e não tenho despesas!

    abcs

    0
  • Shakespeare 22 de janeiro de 2012 at 13:15

    Aluguei um apt de 1 dorm em BH em condomínio com piscina e outras amenidades, com as seguintes características:

    – Região da Savassi
    – área: 43 m2
    – Sala de estar / jantar
    – Cozinha americana
    – Banheiro
    – Quarto
    – Sacada
    – 1 vaga de garagem (que vou sublocar e ganhar uns duzentinhos)
    – mobiliado

    No mesmo prédio estão anunciando um igual, só que num andar mais alto por R$ 398.000. Eu estou pagando R$ 2.100 por mês (o locador tinha pedido R$2400 de cara)

    Sei que o valor ainda é bolhado, mas procurei e não encontrei outros por menos… o contrato é de 30 meses, mas a partir do 3o posso devolver sem multa. Com isso vou continuar procurando na região, porque fica perto de onde trabalho.

    0
    • MrK 22 de janeiro de 2012 at 13:21

      Cara, analisando friamente essa relação preço/aluguel ai está muito cara, você paga mais de 0.5%, uma coisa absurda, tenho visto como regra algo como 0.3% e ainda assim dificuldades em alugar em alguns locais

      ou o seu aluguel está muito caro ou esse preço de imovel está baixo, veja, com alguma entrada o financiamento não ficaria tããã mais caro que esse aluguel não!

      mas não te critico, seja como for, hoje em dia melhor alugar porque os precos podem despencar

      0
      • Shakespeare 22 de janeiro de 2012 at 13:38

        é MrK, eu sondei com o dono do imóvel e ele me falou que o outro proprietário pôs para vender muito barato, ele não vende por menos que 500k (isso na cabeça dele) rzrzrzrz

        de toda forma, se encontrar outro mais em conta, daqui a 3 meses to pulando fora 🙂

        0
        • Shakespeare 22 de janeiro de 2012 at 13:54

          esqueci de falar que não tenho interesse nem intenção de comprar um ap em BH pq trabalho como consultor e posso ter que sair de lá a qualquer momento… estava gastando uma média de R$3.600 em hotel, entao o aluguel por 2k ficou de bom tamanho

          0
          • Shakespeare 22 de janeiro de 2012 at 13:56

            se alguém souber de um, mobiliado, por R$ 1.200 a R$2.000 me avisem que eu to mudando

            0
          • Anonymous 22 de janeiro de 2012 at 14:13

            Para comparação: Estou pagando 2050 Reais/mes (900 EUR/mes) num hotel, incluindo estacionamento, TV a cabo e Internet na ALEMANHA.

            0
            • Shakespeare 22 de janeiro de 2012 at 14:45

              R$70/dia nem no Ibis em Betim 🙁

              0
              • Anonymous 22 de janeiro de 2012 at 15:09

                Desde 2009 eu percebo que a Banânia é um país para RICOS. Só não entendo porque os Bananenses com tanto dinheiro não preferem morar um lugar melhor. O mais incompreensível para mim é alguém querer morar no Rio de Janeiro que está repleto de favelas (basata ver o Google Maps), com bueiros explodindos e guerra de traficantes de vez em quando.

                0
                • rafael 22 de janeiro de 2012 at 15:32

                  Amigo,

                  Desculpe-me, mas o senhor esta tendo uma visão no mínimo preconceituosa, posso te garantir que se vc souber viver não há lugar como aqui, como todos os lugares tem seus problemas, mas te garanto que da pra viver muito bem aqui.

                  0
                  • Anonymous 22 de janeiro de 2012 at 15:37

                    rafel,

                    Visão PRÉ-conceituosa é a que utiliza conceitos PRÉ-concebidos. No meu caso, posso assegurar que minha visão é PÓS-conceituosa.

                    0
                    • Ana M 22 de janeiro de 2012 at 18:47

                      e mesmo assim não dá pra dizer que vale pra todos

                      0
                  • Money addicted 22 de janeiro de 2012 at 18:53

                    vou entrar nessa conversa tambem pois nao suporto mais nosso pais (infelizmente) concordo que ate tem uma natureza mto bonita, um clima gostoso, mas ser reoubado pelos politicos da maneira q somos…..nao compensa…..e alem desse roubo ainda temos que pagar super caro por tudo…..assim q possivel farei minhas malas

                    []s

                    0
                    • Anonymous 23 de janeiro de 2012 at 11:09

                      23/01/2012 FSP online – Bebê de 11 meses é ferido por bala perdida no colo da mãe no Rio

                      0
      • Troll 22 de janeiro de 2012 at 15:23

        MrK, pode ser que neste caso o R$ 2100,00 seja o pacote completo já com o valor de condomínio e IPTU. Então creio que uma conta mais acertada seria descontar o condomínio e IPTU (algo que você teria de pagar do mesmo modo, se fosse seu). Acho que nesse caso a relação cairia um pouco.

        0
        • Shakespeare 24 de janeiro de 2012 at 09:57

          No caso 2100 é só o aluguel mesmo

          tem mais 80 de IPTU e 200 de condomínio

          Mas andei perguntando ontem para moradores proprietarios e eles estao falando que os imoveis estao avaliados em 550 k

          0
  • Leo 22 de janeiro de 2012 at 13:22

    Passei a acompanhar a evolucao das ofertas de venda de Imoveis do RJ no Zap. Tem mes que acabo esquecendo de olhar e as datas nunca sao as mesmas… mas da p/ ter uma ideia do que vem acontecendo. De 05/11 para o dia de HJ, a media é de 50% de aumento no numero de Imoveis a Venda. Para terem uma ideia, Ipanema tinha 1027 em 05/11 e hj tem 1948 imoveis a venda.

    0
    • MrK 22 de janeiro de 2012 at 13:39

      pois é…a zona sul como um todo tem uns 14.000 imóveis anunciados, a barra/recreio outros 14.000… é muito imovel!! e nem falei da zona norte…

      detalhe que isso é só o zap, nem todos imóveis estão no zap, se a gente pudesse fazer uma limpa (Tirar os repetidos e vendidos, porém acrescentar os fora do zap) o número facilmente subiria, esse mercado é complicado pq faltam dados de qualidade pra analisar, mas de feeling parece mesmo que o pessoal tá correndo pra vender a preço bolhudo, o assunto bolha se espalhou muito… se o pessoal acreditasse que não há bolha, veriamos o contrário, as pessoas segurando os imóveis, oferta seca

      0
      • neandertal 22 de janeiro de 2012 at 23:53

        em areas nobres do rio todos os imoveis estão SIM no zap.

        ninguém ousa não anunciar no zap, que é disparado a maior visibilidade, pra economizar uma merreca de 100 ou 200 reais

        0
        • Shakespeare 23 de janeiro de 2012 at 14:44

          hoje, conversando no almoço, encontrei uma pessoa que tem 3 imóveis para venda no Rio (Recreio, Barra e Meier) e que não anunciou no ZAP.

          Sua teoria foi desmontada

          0
          • neandertal 24 de janeiro de 2012 at 08:16

            Companheiro, tem uns 40 mil imoveis no zap rio, falta um “cadinho” pra desmontar a teoria…

            Seus 3 imoveis não são nem 0,01%…
            Obs.: esta pessoa está rasgando dinheiro, vai atrasar a venda dos imoveis por causa de um valor que não chega ao condominio de UM mes de UM deles…

            Obs2: se ele colocou em imobiliária, a imobiliaria pode ter colocado no zap e ele nem sabe

            0
    • Carlos_ 22 de janeiro de 2012 at 14:50

      Leo, obrigado por levantar esses dados. São muito importantes. Estão acessíveis para todos, mas acabamos nos esquecendo de fazer um histórico.

      2.000 imóveis em Ipanema é MUITA coisa. Mesmo que apenas 1/3 disso esteja a venda de verdade, é muito.

      0
  • Sem Nome 22 de janeiro de 2012 at 13:46

    Pessoal

    A pesquisa de classe social da Folha indica algo interessante. Se nós, leitores deste blog, pertencemos à classe alta, isso só vem a reforçar a nossa visão da existência da bolha.

    Se as famílias de classe alta não possuem condições de adquirir um apartamento de 1 ou 2 dormitórios, em um bairro de primeira linha, quem está comprando (ou alugando) os apartamentos de 3 e 4 dormitórios?

    Obs: realmente pertencemos à classe alta quando o parâmetro de comparação é a população brasileira. A renda média do trabalhador brasileiro é de mil e poucos reais, conseqüentemente se você possui renda individual de quatro / cinco mil reais, quando comparado à média, você pertence classe alta sim.

    Abraços e bom domingo para todos.

    0
    • Shakespeare 22 de janeiro de 2012 at 14:12

      nós sabemos disso, Sem Nome, mas a crítica é a forma em que os classe alta são tratados, todos no mesmo balaio.

      Posso dar um exemplo de mim:

      Comparado com as pessoas da minha cidade natal, realmente sou da classe alta, pois sou filho de pais universitários, temos casa própria, sempre estudei em escola particular e cara, fiz faculdade pública e hoje tenho renda suficiente para garantir um bom padrão de vida (apesar de não ocnseguir comprar um ap em SP com os valores atuais)

      Mas lembrando da minha época de escola, tinha colegas que moravam em casas de 400m2 (todos os quartos suítes), que viajavam todos os anos duas vezes (1 p/ os EUA e outra para Europa), tinham 3 ou 4 carros) e que tinham casa na praia e no campo.

      Como se pode ver, para o IBGE tanto eu como eles somos classe A, mas na minha percepção eles são mais A’s do que eu…

      A ideia era criar algo tipo A, AA, AAA e AAA+ (para os Eike Batistas da vida) 🙂

      0
  • Sir Income 22 de janeiro de 2012 at 14:18

    Com dólar baixo, onde que a nova classe média vai consumir?

    Brasileiros reativam motor econômico do sul da Flórida
    Brasileiros são responsáveis por injetar US$ 1,5 bilhão ao ano na região

    exame.abril.com.br/economia/noticias/brasileiros-reativam-motor-economico-do-sul-da-florida

    Abraços,
    Sir Income
    sirincome.blogspot.com/

    0
  • Sir Income 22 de janeiro de 2012 at 14:24

    As metrópoles que mais cresceram em 2011

    Estudo feito pelo Instituto Brookings mostra quais cidades tiveram maior crescimento econômico no ano passado; São Paulo é a 37ª

    exame.abril.com.br/economia/mundo/noticias/as-metropoles-que-mais-cresceram-em-2011?p=1#link

    Cade as brasileiras? Só cresceu o preço dos imóveis!

    Abraços,
    Sir Income
    sirincome.blogspot.com

    0
  • Anonymous 22 de janeiro de 2012 at 15:48

    Olha aí a verdade escancarada sobre a realidade Bananense.

    Folha de São Paulo, 22 de janeiro de 2012

    Brasileiro vira sacoleiro global

    Cerca de 4 milhões de brasileiros devem viajar para o exterior nos próximos seis meses, segundo o Ministério do Turismo. Mais do que conhecer lugares e culturas diferentes, a maioria vai comprar roupas, sapatos, eletrônicos e outros mimos por menos da metade do preço no Brasil.

    Preço, variedade, qualidade e real forte -que lembra o câmbio fixo dos anos 90- explicam por que o brasileiro é tão assediado no exterior.

    Mas o que faz uma pessoa pegar um avião para comprar o enxoval do bebê em Miami? É que ficou fácil comparar preços pela internet e mais gente pode fazer essa viagem.

    Guia turística especializada em compras, Cristiane Barrientos cobra US$ 180 para ajudar brasileiros a achar pechinchas nos outlets da Flórida.

    Grávida de seis meses, a advogada Carol Bottino queria comprar um carrinho de bebê que custava R$ 4.500 no Brasil. Pesquisou na internet e achou o mesmo modelo por US$ 500 em Miami. “Com o dinheiro do carrinho no Brasil, paguei a minha passagem e a do meu marido e ainda voltei com o carrinho.”

    Para mobiliar a casa em Porto Alegre, o consultor gaúcho Sérgio Torres comprou cubas de pia para a cozinha por 30% do preço no Brasil e cadeiras Philippe Starck por um quarto do valor. “Levo tudo na mala. Mesmo pagando volume extra, compensa.”

    “Faz cinco anos que não compro roupa no Brasil”, disse Carlos Gustavo, 36, auxiliar de cartório.

    0
    • MrK 22 de janeiro de 2012 at 16:06

      eu tambem nao compro roupa no Brasil há anos… todas roupas que tenho de marcas nacionais foram presentes de natal, aniversário etc…

      as roupas fora não só custam menos da metade do preço como a qualidade é infinitamente superior, eu tenho roupas da polo que após 3 anos continuam como novas, quanto as marcas nacionais (mais caras) normalmente duram de 6 meses a 1 ano até desbotar…. fora também o tecido ser bem superior

      0
    • thiago fm 22 de janeiro de 2012 at 17:20

      Ontem vi uma reportagem que mostrou que muitas noivas estão viajando para os EUA pra comprar o vestido de noiva por menos da metade do preço.

      0
    • Anonymous 22 de janeiro de 2012 at 18:41

      Folha de São Paulo, 22 de janeiro de 2012

      * Quem prefere não pegar o avião importa dos EUA

      Gustavo Ayala, 32, médico de Porto Alegre, compra tudo por sites nos EUA. Ayala gasta mais ou menos US$ 1.500 por mês; já comprou relógio, livro, CD, ventilador e até torneiras.

      “Comprei um ‘blu-ray’ do Roberto Carlos por US$ 7. No Brasil custa R$ 150.”

      * Comprador brasileiro reanima mercado imobiliário de Miami

      Brasileiros são proprietários de 70% das unidades em torres de luxo, segundo corretores

      0
    • Ana M 22 de janeiro de 2012 at 18:44

      e a tal cota de 500 dolares por pessoa? acima disso acho que tem imposto de 60%.

      0
      • Tomaz 23 de janeiro de 2012 at 09:33

        Imposto de 50%. Mesmo assim, na maioria (absoluta?) das vezes, ainda vale a pena. E sempre dá para tentar a sorte de passar sem pagar nada…

        0
        • Luiz 23 de janeiro de 2012 at 13:20

          a cota não entra pra produtos de uso pessoal

          é só vc arrancar as etiquetas, jogar foras as caixinhas, se quiser ser bem prudente pdoe até dar uma usada antes de voltar.

          comece pela mala que aqui custa 400 reais e lá custa 15 euros na promoção.
          A maioria dos produtos custa menos da metade dos daqui, alguns chegam a custar 1 décimo.

          0
  • Guerreiro da Luz 22 de janeiro de 2012 at 16:21

    Sei que os preços estão inflados. Contudo, não tenho mais condições de aguardarl: são quatro guri bagunçando num ap de 80 mtros!
    Ademais,. Recofe vao se tramsformando na verdadieira São Paulo do Nordeste: são muitos investimentos por aqui,.de forma que mesmo que os preos baixem acho que imóvl vai ficar, de fato, nos padrões dos preços dos imóveis do sudeste.
    Assim, queria a ajuda dos colgas para me dizerem por quanto custaria ou seja, qual seria o preço justo de um ap de 170m, num bom bairro de rio de janeiro ou são paulo. O preço por aqui é de 800,000.
    Agradeço as informações.

    0
    • MrK 22 de janeiro de 2012 at 16:30

      vai no zap q vc consegue uma amostra do valor “pedido” por m2

      acho que no Rio, num bairro bom, isso bateria mole mole na casa dos R$2milhoes

      0
    • Pensativo 22 de janeiro de 2012 at 17:18

      Primeiramente, por favor traduza o seu post para o português.

      0
      • Vinicius Lima 23 de janeiro de 2012 at 14:43

        Hehehhehehheehehehhe…realmente esse texto ficou tenso de ser ler…

        0
  • bertz 22 de janeiro de 2012 at 16:22

    È pessoal lá ta bem mais barato, fora tudo segurança, limpeza, educação.

    http://classificados.folha.uol.com.br/imoveis/1037435-comprador-brasileiro-reanima-mercado-imobiliario-de-miami.shtml

    0
  • Raposão 22 de janeiro de 2012 at 16:45

    Presente, passado e FUTURO.

    Comparando a notícia do tópico atual (jan 2012 – presente) com a notícia vinculada sobre a mesma temática (jul 2010 – passado), em http://www.cte.com.br/site/ver_noticia.php?id_noticia=2396 , fiquei cismado com o FUTURO (2012 para 2013)

    Na notícia presente, na parte final que trata da reciclagem de dívida como alternativa a poupança, fala-se dos CRIs. Na notícia correlacionada, a do passado, faz-se menção ao CRIs que à época não eram atrativos aos investidores porque o interesse era de papéis que fossem lastreados pela inflação. Com a inflação crescente em Banânia ameaçando o teto das metas, mesmo com o governo mudando a metodologia de cálculo para atenuar, não seriam as CRIs um fiasco, acrescido ainda dos índices de inadimplência maiores? FUTURO temeroso!

    O que poderá haver de investidor iludido comprando títulos de renda fixa (tecnicamente falando, como preconiza a matéria do tópico) com garantias frágeis será assombroso: investidores amadores e suas moedas em avançado estado de putrefação.

    PLOC!

    0
  • aiwww 22 de janeiro de 2012 at 16:50

    Para discontrair um pouco .. ouçam a música das corretoras de imóvel ..

    letras.terra.com.br/molejo/47475/

    0
  • Ze_das_Couves 22 de janeiro de 2012 at 17:17

    Do video postado acima pelo Mrk tem uma parte no final que eh muito interessante: “existe toda uma expectativa de um milagre que vai acontecer na copa do mundo e que todos os problemas serao resolvidos…”

    Soh faltou alguem publicar uma reportagem que Deus eh brasileiro e que a nao teremos problemas de credito, preco das commodities… etc…

    E sobre a materia nao seria um indicio de que logo eles vao ter de aumentar a alavancagem de dinheiro para continuar fazendo com que o credito de quantias ate mesmo maiores das que sao atualmente liberadas sejam disponibilizadas a compradores?

    0
  • thiago fm 22 de janeiro de 2012 at 17:59

    http :/ /www1. folha.uol.com.br/poder/1037925-dilma-pede-a-bancos-publicos-medidas-para-estimular-credito.shtml

    A presidente Dilma Rousseff pediu neste sábado (22) que Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal preparem estudos com medidas que possam estimular o crescimento do crédito no país, principal aposta do governo para sustentar o avanço da economia brasileira em 2012.

    A ideia é favorecer o crédito produtivo, para incentivar o consumo, e também para a exportação por empresas brasileiras. O governo aposta nesse tipo de medidas para recuperar o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto).

    A avaliação da equipe econômica é que o PIB deverá crescer de 4% a 5% neste ano, sendo que a base para isso deverá ser o consumo interno, financiado pelo crédito. Em 2012,deverão entrar em operação medidas de estímulo da economia como o aumento do salário mínimo e a desoneração da folha de pagamento.

    Segundo projeções do Banco Central, o estoque de empréstimos e financiamentos deve aumentar neste ano apenas 15%. A alta deverá ser puxada basicamente pela concessão de crédito para habitação por parte dos bancos públicos.

    Dilma fez ao longo do dia uma série de reuniões sobre temas econômicos. Estiverem presentes os ministros da área entre eles: Guido Mantega (Fazenda), Miriam Belchior (Planejamento), Gleisi Hoffmann (Casa Civil), além do presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda, e do presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Luciano Coutinho.

    A presidente também vem discutindo com a equipe econômica cortes em despesas do Orçamento que podem ultrapassar R$ 60 bilhões para seguir a meta estabelecida para pagamento de juros. O Orçamento de 2012 prevê receita total de R$ 2,150 trilhões.

    Um pouco mais de ar pra nossa bolha

    0
    • Galvão 23 de janeiro de 2012 at 08:34

      O Governo Jogando Gasolina na fogueira:

      “A avaliação da equipe econômica é que o PIB deverá crescer de 4% a 5% neste ano, sendo que a base para isso deverá ser o consumo interno, FINANCIADO PELO CRÉDITO.”

      Segundo projeções do Banco Central, o estoque de empréstimos e financiamentos deve aumentar neste ano apenas 15%. A alta deverá ser puxada basicamente pela CONCESSÃO DE CRÉDITO PARA HABITAÇÃO por parte dos bancos públicos.

      0
  • Anonymous 22 de janeiro de 2012 at 18:01

    Mais uma noticia da série BRASIL, AME-O OU DEIXE-O. Agora, sabemos que o custo de vida da CLASSE MÉDIA foi INFERIOR à inflação.

    economia . estadao . com . br/noticias/economia,custo-de-vida-da-classe-media-tem-maior-alta-desde-2008,99940,0 . htm

    SÃO PAULO – O custo de vida da classe média paulistana teve em 2011 a maior alta anual desde 2008 ao subir 5,91% ante 2010, de acordo com o Índice do Custo de Vida da Classe Média (ICVM), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP).

    0
    • Sir Income 22 de janeiro de 2012 at 18:33

      Eu não entendi essa notícia. Se o IPCA foi de 6,5%, então a classe média saiu ganhando?

      Onde esta o erro?

      0
      • Anonymous 22 de janeiro de 2012 at 18:37

        Pois é, além de 60% dos bananenses pertencerem à classe média, a inflação para eles é um poco menor do que a média.

        BRASIL, AME-O OU DEIXE-O

        0
  • Dr. Estranho 22 de janeiro de 2012 at 18:28

    Acredito que já sabemos tudo.Os preços de vários ativos descolaram de seus fundamentos, ou seja, temos várias bolhas. O governo mantém e até expande linhas de crédito, ou seja, fomenta bolhas. Não tivemos aumento de massa salarial compatível, ou seja, não conseguimos mais comprar. Tudo converge para a estagnação econômica, mas nada abaixa o preço. Aos nobres debatedores pergunto: o que falta? É apenas uma questão de tempo para a queda dos preços ou elas só virão com a recessão? Qual interstício entre o aviso da bolha e seu real estouro nos outros países? Alguém tem dados precisos ou aproximados?

    0
    • Cleyton 22 de janeiro de 2012 at 18:43

      Eu acho que não é possível fazer uma previsão séria sobre o estouro, depois que estourar alguém vai eleger um marco histórico (tipo a queda da Bastilha) que será só uma referência e um retrato de um momento que pode não ter um início e um fim claro e definido.

      Essa bolha é tão instável como uma nuvem com muita carga elétrica ou como placas tectônicas, não é possível estimar o colapso, pelo nível de descolamento dá pra ter uma ideia do tamanho do tombo, mas quando não.

      0
    • Anonymous 22 de janeiro de 2012 at 18:47

      Acho que o momento do estouro será marcado pela falência da GAFISA.

      0
      • Cleyton 22 de janeiro de 2012 at 18:52

        Com certeza seria um marco importante, mas só se não houver nada mais “catastrófico” em seguida. Imagine por exemplo um Bradesco pedindo falência, claro que é muito improvável, mas seria um marco mais “marcante”.

        0
        • DanielCM 22 de janeiro de 2012 at 22:52

          cleyton, fique “tranquilo”, pois banco não pede falência. primeiro porque a lei não deixa e mesmo se permitisse, o governo faria uma ‘pindureta’ na conta da viúva. nesse jogo, os bancos dão de 2×0 no povão.

          0
        • Sergio Figueiredo 23 de janeiro de 2012 at 13:01

          PelamordeDeus!! Brinca não. Me avisem antes do Bradesco pedir falência.

          0
      • Sir Income 22 de janeiro de 2012 at 18:57

        O BNDES vai receber dinheiro para isso não acontecer!

        0
  • Money Addicted 22 de janeiro de 2012 at 20:31

    lendo a veja dessa semana tem um quadro que mostra “sobe” & “desce” e um dos destaques “desce” foi o mercado imobiliario que teve 2011 como o pior desde 2006….

    0
  • Money Addicted 22 de janeiro de 2012 at 20:36

    mais um comentario baseado na revista veja, esse eh “off topic” e diz que nao soh os filmes apresentados na tv por assinatura como tambem nos cinemas estao tendo mais sessoes dubladas devido a explosao da classe C, isso se deve ao fato de que as legendas afugentam grande parte desse publico. Sem preconceitos, eu acredito que todos tem direito a melhorar de vida, mas na minha opniao essa melhora passa pela educacao e nao ser capaz de ler uma legenda enqto ve um filme…..eh MTO triste, e esse eh o crescimento que nossos governantes tanto se gabam….

    []s

    0
    • RT 22 de janeiro de 2012 at 21:42

      Falando em revista VEJA: dei uma folheada rápida na mesma hoje, e salvo engano, na reportagem sobre São Paulo, diz que 36% da população lá ganha até 2 salários mínimos.

      No entanto, “especialistas” seguem fazendo nossos ouvidos de penico, ao citarem a “demanda” e a “melhora de renda da população” para “justificar” os preços atuais…

      0
      • Money addicted 22 de janeiro de 2012 at 23:12

        isso mesmo e ainda que apenas 40% da populacao concluiu o ensino medido, ou seja, 60% da populacao estudou no max 8 anos e ainda se fossem 8 anos de ensino de qualidade mas infelizmente sabemos como funciona a maioria das escolas publicas

        0
  • RT 22 de janeiro de 2012 at 21:38

    Sobre os vídeos que o MrK postou, da “IstoÉ Dinheiro” (“terratv.terra.com.br/Noticias/IstoE-Dinheiro/Brasil-Bolha-imobiliaria-ou-demanda-aquecida-PARTE-1_4785-394291.htm”), achei interessante:

    – o professor que crê na bolha apresenta argumentos CONCRETOS, mostrando que imóvel se tornou um investimento com MENOR RETORNO que a poupança, mesmo sendo um investimento de MAIOR RISCO. Mostrou, ainda, que do ponto de vista financeiro, hoje está valendo mais a pena alugar;

    – o professor que não crê na bolha ignorou tudo isso e começou tentando explicar que a disparada dos preços NOS ÚLTIMOS TRÊS ANOS resulta de uma demanda que começou a se formar nos ÚLTIMOS 15 ANOS (????), devido ao Plano Real, entre outras coisas;

    – DETALHE ESTRANHO: na parte 2 do vídeo, o professor “anti-bolha” alegou, entre outras coisas, que “na década de 80, era muito difícil conseguir financiamento imobiliário”. Achei esquisito, pois meus pais compraram apartamento assim, em 1981!! Alguém corrobora a alegação dele?

    – achei EXCELENTE a explicação do professor “pró-bolha” sobre a diferença entre “bolha de crédito” e “bolha de preço”. Também foi brilhante ao mostrar que o valor do imóvel não pode se descolar do aluguel (seja pra morar ou pra investir);

    – o “pró-bolha” foi sensacional ao comparar o “déficit imobiliário” com o “déficit de alimentação”, ao dizer que “entretanto, eu não posso cobrar 1000 reais por um sanduíche”;

    – “o anti-bolha” foi lá e mandou : “nosso financiamento imobiliário é uma % do PIB muito baixa frente a dos EUA”. Mais adiante, o “pró-bolha” falou: “não podemos comparar nossas taxas de juros e renda com as dos EUA”;

    – o “anti-bolha” disse que não acredita em “estouro de uma bolha” porque “existe um colchão muito grande de demanda”. Só faltou explicar como esse “colchão” vai pagar R$ 1 milhão em Botafogo ou R$ 700 mil no Méier. Pra usar o exemplo do faminto: “só faltou explicar como o pessoal que forma essa demanda vai pagar 1000 reais no seu sanduíche”;

    – no fim da última parte, o “anti-bolha” tornou a explicar a disparada dos imóveis nos ÚLTIMOS TRÊS ANOS com base na “estabilização da sociedade”, citando a “democracia” e as “instituições mais confiáveis”;

    – pra não dizerem que fui só elogios: achei que o “pró-bolha” deu uma certa “amarelada” ao não falar da possibilidade de quedas expressivas nos preços. A meu ver (obviamente, aceito opiniões em contrário), os abusos são tantos e tão expressivos que poderemos, sim, ver grandes quedas nos preços;

    Como creio na bolha, sou suspeito pra falar. Mas acho que o “pró-bolha” se saiu muito melhor.

    Parabéns o MrK pela contribuição!

    Esses vídeos não dariam uma bela postagem para o blog???

    0
    • Ana M 22 de janeiro de 2012 at 22:59

      eu creio em bolha, e acho que os preços devem cair bastante mas acho que faz sentido sim o argumento do cara (estabilização no ultimos 15 anos fez o preço aumentar nos ultimos 3).

      nos primeiros 12 foi formando uma demanda reprimida, pessoas melhorando (um pouco) de vida e mesmo assim sem poder comprar pois nao tinha credito nem pra 10% deles.

      isso tem a ver com a sua pergunta: sim, é verdade, nas decadas de 80 e 90 só poucos conseguiam financiar imovel, acho que isso tem a ver com a quebra do BNH nos anos 70.

      12 anos pra juntar demanda, tres anos pra gastar e agora X anos sem demanda pra trazer os preços de volta ao normal (tomara)

      0
      • Frank 23 de janeiro de 2012 at 12:46

        “(…) e agora X anos sem demanda pra trazer os preços de volta ao normal (tomara)”

        a pergunta de 1 MM: qto é X ?

        (ou pergunta de 0,6 MM, após o estouro da bolha 🙂

        0
  • ali 22 de janeiro de 2012 at 21:42

    Levanta a mão quem gostaria de matar um especulador?
    Hoje acordei com muita raiva deles!

    0
    • Cleyton 24 de janeiro de 2012 at 18:46

      o

      0
    • Menino_do_Rio 23 de janeiro de 2012 at 07:56

      Taí um assunto pouco comentado pelos foristas.
      Qual a relação da grande demanda por fundos imobiliários e a alta dos preços dos imóveis?
      Seria uma boa entrar nestes fundos como hedge?

      Tenho um parente que comprou ALMI11B pela caixa econômica em 2006 e está muito satisfeito (não esquenta a cabeça, só com IR).

      0
  • thiago fm 22 de janeiro de 2012 at 22:00

    A verdade é que necessitamos de dados em quantidade e qualidade suficientes para fazer uma análise sobre a real situação do mercado imobiliário do país. Infelizmente estamos fazendo suposições, como quem tem que fazer omelete sem ovos. Aqui tem uma relação do que seria nossos ovos:

    – uma série histórica maior e mais confiável sobre o preço de compra venda dos imóveis;

    – previsão de oferta e entrega de imóveis à curto e médio prazo;

    – estoque de imóveis novos e usados para venda e aluguel ( lançamentos/ construção / prontos);

    – valor médio de aluguel/ venda por região;

    – dados sobre evolução da renda/ custo de vida / inadimplência / intenção de compra e venda por região;

    – informações sobre perfil dos compradores e da compra em si ( investimento x moradia );

    – percentual de financiamento sobre aquisições e valor absoluto;

    – dados sobre o déficit habitacional real e o crescimento vegetativo da população( considerando a demanda potencial real x demanda virtual ), isto é distinção entre os que conseguem comprar e os que não podem e, portanto, estão excluídos do mercado;

    – dados sobre a carteira, tipo e evolução do crédito bancário;

    – informações sobre as transferências de dívidas até a entrega e percentual sobre o total de aquisições.

    – dados sobre o tipo da compra ( primeiro imóvel ou troca )

    – dados reais sobre a saúde financeira do setor de construção civil.

    0
  • Sir Income 22 de janeiro de 2012 at 23:07

    Site “ponta de estoque” venderá imóveis novos

    “Os descontos no valor de unidades prontas e semiprontas ficarão entre 15% e 20%, de acordo com a negociação com a incorporadora, segundo o fundador, Rogério Santos, que atua há 25 anos no setor imobiliário.”

    “Segundo estimativas da RealtON, as despesas das empresas com unidades em estoque podem chegar a 18% do valor delas. No caso dos apartamentos prontos, há ainda outros gastos, como IPTU e condomínio.”

    www .buildings.com.br/noticias/1475-site-ponta-de-estoque-vendera-imoveis-novos

    Melhor o pessoal do repasse abrir o olho!

    Abraços,
    Sir Income
    sirincome.blogspot.com/

    0
  • Sir Income 22 de janeiro de 2012 at 23:26

    Estava olhando os dados do mercado no secovi-sp em
    www .secovi.com.br/pesquisas-e-indices/indicadores-do-mercado/

    Duas coisas me chamaram a atenção:

    – Queda de 10,23% nas vendas de nov/2010 para nov/2011
    – Aumento do VGV em 25,12% de nov/2010 para nov/2011, passou de R$ 257.624,68 para R$ 322.329,06

    Dados só de SP.

    Ou seja, a queda nas vendas foi por conta do aumento do preço.

    Alguém pode verificar se está correto. E o que vocês acham?

    Abraços,
    Sir Income
    sirincome.blogspot.com/

    0
    • Sir Income 22 de janeiro de 2012 at 23:34

      A queda nas vendas foi pelo aumento de preço ou
      Aumento na venda dos imóveis com preço superior e queda na venda dos imóveis com preço inferior.

      0
  • aiwww 23 de janeiro de 2012 at 00:43

    Economista alerta que Brasil pode enfrentar bolha imobiliária
    Publicado 04.01.2012, em Geral

    Preço dos imóveis sobe vertiginosamente, mas o valor dos salários não acompanha o mesmo crescimento. Este é um dos indícios de que um país está diante de uma bolha imobiliária.

    Para o doutor em economia e professor da Pós-Graduação da FAE Luciano D´Agostini o Brasil vive o terceiro estágio da formação de uma bolha imobiliária, de acordo com um processo definido pelo especialista em quatro fases, a saber:

    1ª dinheiro inteligente;
    2ª investimento consciente;
    3ª euforia e ganância sem limites;
    4ª deflação.
    De acordo com D´Agostini, o endividamento dos brasileiros é um importante sintoma que aponta a formação de bolha imobiliária. Segundo dados do Banco Central, o endividamento das famílias está no nível mais alto da história, acumulando uma dívida de aproximadamente R$ 715 bilhões, somente entre pessoas físicas.

    fonte: www2.fae.edu/posblog/exibirpost.vm?id=49195693

    0
  • ninja SP 23 de janeiro de 2012 at 05:49

    desacreditado.

    0
  • Mineiro que bolha 23 de janeiro de 2012 at 06:21

    Dilma pede a bancos públicos medidas para estimular crédito
    PUBLICIDADE

    DE BRASÍLIA

    A presidente Dilma Rousseff pediu neste sábado (22) que Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal preparem estudos com medidas que possam estimular o crescimento do crédito no país, principal aposta do governo para sustentar o avanço da economia brasileira em 2012.

    A ideia é favorecer o crédito produtivo, para incentivar o consumo, e também para a exportação por empresas brasileiras. O governo aposta nesse tipo de medidas para recuperar o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto).

    A avaliação da equipe econômica é que o PIB deverá crescer de 4% a 5% neste ano, sendo que a base para isso deverá ser o consumo interno, financiado pelo crédito. Em 2012,deverão entrar em operação medidas de estímulo da economia como o aumento do salário mínimo e a desoneração da folha de pagamento.

    Segundo projeções do Banco Central, o estoque de empréstimos e financiamentos deve aumentar neste ano apenas 15%. A alta deverá ser puxada basicamente pela concessão de crédito para habitação por parte dos bancos públicos.

    Dilma fez ao longo do dia uma série de reuniões sobre temas econômicos. Estiverem presentes os ministros da área entre eles: Guido Mantega (Fazenda), Miriam Belchior (Planejamento), Gleisi Hoffmann (Casa Civil), além do presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda, e do presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Luciano Coutinho.

    A presidente também vem discutindo com a equipe econômica cortes em despesas do Orçamento que podem ultrapassar R$ 60 bilhões para seguir a meta estabelecida para pagamento de juros. O Orçamento de 2012 prevê receita total de R$ 2,1

    0
  • MrK 23 de janeiro de 2012 at 07:00

    Historias de uma bolha…

    outro dia conversava com um casal de amigos, ele gerente junior, 6 anos de empresa, ela analista de RH de uma multinacional, me contaram que ambos tem uma renda somada de R$18mil brutos (muito boa, ne?) e ainda algum variavel..

    pois bem, queriam comprar um ap na zona sul, pois um trabalha em botafogo e outro no centro, sabe onde conseguiram comprar, apos muita pesquisa? so’ no Rio 2!!!!!

    sao exemplos reais assim que mostram que algo esta errado, uma renda bruta de 18k + variavel, sem filhos, so’ conseguir bancar um Rio 2, e’ surreal, ate pouco tempo atras o Rio 2 era um condominio de classe media-media, agora precisa ganhar uma fortuna pra conseguir morar ali…

    0
    • Tatanka 23 de janeiro de 2012 at 07:32

      Quanto mais leio sobre, mais me convenço que algo esta errado. Ontem almocei com minha mulher em um restaurante comum, afastado +- 60km de São Paulo, R$ 196,00 sem sobremesa. Para os mesmos tipos de pratos pagamos em um jantar em Junho ultimo, em um restaurante na Saint German de Pres com vista para o Seine € 70.00. (com vinho).E olha que foi uma despesa fora da media aquele dia, mas como era aniversario de casamento exageramos.
      E algumas pessoas dizendo que isso é normal?
      Sera que nos do blog estamos malucos?

      0
      • Migueljacó 23 de janeiro de 2012 at 07:58

        Fujam do Rio de Janeiro.
        Fujam de São Paulo.
        Fujam de Brasília.
        Fujam de BH.
        Estas cidades são outro país, não pertencem mais à nossa realidade. Fujam para as cidades próximas, periferia, ou o que quer que seja, mas o importante é que fujam.

        A verdade nua e crua é esta, doa a quem doer.

        0
        • marvin 23 de janeiro de 2012 at 08:28

          Não são só essas capitais que estão fora da realidade não… recentimente estive em maceió, e uma isca de peixe (meio vagabunda), uma salada de palmito (que tinha mais alface murcha do que palmito) e umas três cocas e uma cerveja ficou em mais de 100 pilas na praia do francês… Depois, o governo quer incentivar o turismo no brasil…. Piada…
          PS. só depois que estava lá, descobri que é a capital com a maior taxa de homicídios do brasil… também pudera, me desculpem os alagoanos, mas aquilo lá é uma imensa favela.. da janela do hotel ritz lagoa da anta, para frente via-se o mar, para trás, só favela… para quem conheçe as bocadas em são paulo, parecia o jardim elba com praia…. Até a Praia Grande-SP é mais bonita que o centro de maceió… Claro, maceió tem uns lugares lindos fora do centro, mas a “esperteza” do brasileiro consegue f..der com tudo… todo mundo na volta estava reclamando dos preços abusivos… sabem quando eu volto lá????

          0
        • Anonymous 23 de janeiro de 2012 at 10:14

          RESUMINDO: Fuja da Banânia.

          0
      • Anonymous 23 de janeiro de 2012 at 10:09

        Faltou dizer que 196 BRL é igual a 85 EUR, ou seja, sua refeição na Banânia saiu 20% MAIS CARO do que na França. A explicação mais provável é que os Franceses não são muito bons em gastronomia e por isso tudo lá é caro, além da qualidade inferior. É isso, concorda?

        0
        • xyz 23 de janeiro de 2012 at 10:45

          Faltou ainda um detalhe. Os funcionários aqui (brasil) são muito melhor remunerados. Provavelmente, no restaurante onde o nobre amigo jantou, nem o cumin ganha menos que 10mil.

          0
          • xyz 23 de janeiro de 2012 at 10:51

            Em tempo: já exerci esta profissão, mas infelizmente na minha época era mal remunerada.

            0
          • Anonymous 23 de janeiro de 2012 at 12:10

            Como fui esquecer que está fácil ganhar “dézinho”.

            0
            • Atribulado 23 de janeiro de 2012 at 20:47

              não pra voce…

              0
          • Anonymous 23 de janeiro de 2012 at 12:15

            Vaga: Cumin
            Cidades: RIO DE JANEIRO/RJ
            Descrição: Atuará com limpeza e a organização do restaurante dando suporte ao atendimento dos clientes. Disponibilidade horário para período noturno. Necessário residir ou ter fácil aceso a região de Jacarepaguá/RJ.
            Faixa salarial de R$ 585,00 a R$ 800,00.

            0
        • augusto 23 de janeiro de 2012 at 10:47

          É que lá eles não tem uma presidenta tão boa quanto a nossa, e o povo não tem nada de cultura e saber como o nosso. Nossos empresários tambem saõ muito melhores, nossos politicos espetaculares e nem um pouquinho de corruptos ou nepotismo, nossos sindicalistas especiais de bom

          0
        • Luiz 23 de janeiro de 2012 at 16:51

          caramba, e olha que a cidade é uma das mais caras do mundo e o país é um dos vencedores da zona do euro, sem crise nenhuma por lá

          0
      • Eduardo 23 de janeiro de 2012 at 13:05

        É por isso que tem 5 anos que somente viajo para o exterior.
        Os preços no Brasil são ridículos.
        Gastei R$ 100,00 por casal em restaurantes medianos na Suécia.
        Vá em Búzios e tente gastar isso.

        0
    • Maluco 23 de janeiro de 2012 at 09:29

      mrk, pra morar no Rio 2 precisa ganhar 6k (aluguel) ou uns 8k (financiamento de 30 anos com entrada de 20%)
      renda familiar

      0
  • Moacir 23 de janeiro de 2012 at 08:25

    A mensagem que essa reportagem deixa implícito mas que, de fato, quer passar é o seguinte: “Comprem logo o seu imóvel financiado que os recursos logo vão se esgotar”, com isso eles conseguem fazer com que os recursos se esgotem ainda mais cedo e retroalimentam a bolha.

    Se outras aplicações, como a bolsa, voltarem a ser mais atrativas e rentáveis, muita gente irá tirar dinheiro da poupança e os recursos se esgotarão ainda mais cedo. Eu mesmo tinha interesse em investir em fundos de investimentos ou até mesmo na bolsa, mas desisti e acabei deixando o dinheiro na poupança por segurança, mas assim que encontrar outra aplicação mais viável certamente tirarei boa parte do que tenho da poupança para aplicar outras investimentos.

    0
    • marvin 23 de janeiro de 2012 at 08:34

      Moacir, acho também que muita gente já está tirando o pouco que tem na poupança para ajudar a manter a casa (fora os que têm financiamentos de carros, imóveis)… com a inflação galopante (maqueada pelo governo), muita gente tá tendo que rasgar o colchão e raspar tudo para conseguir viver…

      mas, como diz o mantra presidencial repetido há 9 anos: nunca antes na história o brasil esteve tão bem, os empregos estão aumentando, a renda está crescendo, a classe média está maior e consumindo como nunca, etc, etc, etc….

      0
      • augusto 23 de janeiro de 2012 at 10:38

        E o Brasil não tem mais pobres. E toma popularidade para cima. Povinho toupeira né

        0
  • MrK 23 de janeiro de 2012 at 08:40

    Moacir, eu estou particularmente receoso com a bolsa, essa subida de janeiro ate agora nao esta me cheirando bem… nao vi nada que pudesse sustentar isso, pelo contrario…

    petrobras com a nova cumpanheira da dilma
    a vale ja teve que aguentar outro cumpanheiro da dilma
    as commodities nao esta com boas perspectivas
    o consumo interno parece ter enfraquecido por causa do endividamento familiar
    imoveis voces ja sabem que deu uma travada, carros parece que idem
    o natal foi considerado fraco
    hmmmm…

    vejo chances grandes de nos proximos 60 dias ter queda forte…eu nao me arrisco a entrar agora nao

    0
    • Carcará 23 de janeiro de 2012 at 09:48

      Mrk,
      na verdade tenho acompanhado a relação das bolsas com o noticiário e, posso afirmar, que há uma sintonia afinadíssima entre más-notícias e a subida da bolsa. Por incrível que pareça, más-notícias politico-econômicas passaram a ter uma relação direta com altas na bolsa, quando deveria ser o inverso. Isso indica que algum grupo de gente graúda e não exatamente bem intencionada está manipulando os preços para cima para no momento da tempestade perfeita, sair com a maior dignidade possível – LUCRO. Um dos exemplos, para não sairmos do ramo imobiliário, ocorreu com a Cyrela. Quem enxerga um palmo além do nariz, sabe que a Gafisa de hoje é a Cyrela de amanhã. E, no entanto, ela mantém-se firme por volta dos R$ 15,00.

      Ainda causa-me algum espanto o Armínio Fraga ir se esconder atrás de Todynho. Esperemos o desenlace.

      0
    • Jonathas 23 de janeiro de 2012 at 10:04

      Pois é, MrK.

      Elpl4, ação defensiva que estava tendo um desempenho,fantastico, começou a cair. o pessoal provavelmente tirou dinheiro de lá para outras “oportunidades”.

      Consegui esse mês um rendimento fantástico dos meus investimentos em bolsa, me dei por satisfeitíssimo e cai fora.

      Estou só esperando o ursinho dar suas patadas pra entrar outra vez.

      0
    • Bolha Imobiliária 23 de janeiro de 2012 at 11:30

      O que você falou também acho contraditório. Não tem nada na economia internacional que justifique esta alta. Só pode ser especulação.

      0
    • Pensativo 23 de janeiro de 2012 at 12:40

      Faz oito meses que não lanço uma ordem no mercado de ações. Percebi que este tipo de investimento, que na verdade é pura especulação, é para poucos. É coisa só para quem tem poder suficiente para controlar a administração da S.A ou para quem tem informações privilegiadas. Já os pequenos acionistas, estes são os “otários necessários”, pois empregam os seus parcos recursos em troca de uma simples “promessa” e não participam em nada na administração ou nas decisões da empresa.
      Dica para o NEWBA que deseje investir na bolsa: NÂO INVISTA.

      0
      • Pensativo 23 de janeiro de 2012 at 12:50

        Digo: Fazem

        0
        • Fred Henrique 25 de janeiro de 2012 at 11:55

          O certo é “faz”, mesmo.

          0
          • Pensativo 25 de janeiro de 2012 at 18:57

            FH,
            Você está correto. Falha minha.

            0
      • Jonathas 23 de janeiro de 2012 at 12:51

        Pensativo,

        Não é bem por aí.

        Bolsa não é um investimento simples como a poupança, mas também não é nada do outro mundo.

        Já consegui bons rendimentos estudando muito, tendo precaução e sabendo reconhecer quando errei. A grande questão é que os “newbies” querem comprar ação na alta, violando a mais basilar lei do mercado, sintetizada com maestria na frase “Compre ao som dos canhões e venda ao som dos violinos” e não querem admitir perder dinheiro num investimento que sabidamente é de risco.

        Investir demanda tempo, mas existem excelentes investimentos de longo prazo na bolsa que não demandam tanto acompanhamento. É só estudar, como muitos aqui fazem sobre o mercado imobiliário.

        Além disso, as ações negociadas em bolsa realmente não dão direito a voto na empresa, mas implicam na repartição dos lucros, o que, no meu ver, é o objetivo de todo investidor.

        0
        • Pensativo 23 de janeiro de 2012 at 13:19

          Você afirma que ganhou dinheiro na bolsa, mas isso não quer dizer porra nenhuma. Conheço um monte de gente que perdeu. É como eu disser que ganhei no Jogo do Bicho, portanto é um bom investimento.

          Ademais, não há estudo científico aceito que indique que as analises técnica ou fundamentalista realmente funcionem. Na verdade a maioria destas analises utilizam mesmo a Falácia do Jogador.

          Outra: e quem garante que as empresas que possuem ações no mercado não vão realizar retenção de lucros desnecessários ou até mesmo fraudem seus balanços contábeis para não distribuir lucros. Não há com garantir que os dividendos estão realmente sendo distribuídos honestamente.

          Resumo: Se você não tiver muito dinheiro ou informação privilegiada, a Bolsa de Valores é nada mais que um jogo de azar.

          0
          • Jonathas 23 de janeiro de 2012 at 14:06

            Discordo do seu posicionamento pelos motivos expostos. Com uma boa análise fundamentalista e estudo do mercado, você consegue fundamentar sua “aposta”, como você colocou e diminuir os riscos a que você está exposto.

            Claro que existem os riscos que você sustenta, mas afirmar que isso ocorre com 100% das flutuações do mercado, me parece teoria da conspiração.

            Enfim, se você é contrário ao investimento em bolsa, não invista seu dinheiro lá. Ele é seu e só você pode definir os riscos a que pretende submetê-lo, estando sempre correto em suas decisões, independentemente do que eu ou qualquer outro pensemos.

            0
            • Anonymous 23 de janeiro de 2012 at 14:25

              Jonathas,

              O mercado de ações que voce imagina deixou de existir faz muito tempo, embora exista na teoria economica. Se ainda não assistiu, assista o filme sobre a ENRON (The smartest guys in the room). O ponto importante é quando um dos controladores refere-se aos acionistas como “useful idiots”. É uma síntese do que o acionistá é hoje em dia – um idiota útil para os controladores e nada além disso. A própria GAFISA é um exemplo brilhante. Pegou o dinheiro dos idiotas úteis por volta de 2007 e fez uma farra de lançamentos, com grandes bonus de desempenho para seus controladores até a casa começar a cair.

              0
              • Pensativo 23 de janeiro de 2012 at 15:42

                Sei lá, esse pessoal que acredita que vão se dar bem na Bolsa são muito parecidos com os que acreditam em Herbalife ou qualquer outro esquema de marketing multinível. São sempre com o mesmo slogan: “Se trabalhar bem e com seriedade vou ganhar dinheiro. Os outros trabalharão por mim”
                Na bolsa é pior: se esquecem que: para ganhar alguém tem que obrigatoriamente perder. Agora pergunto: Quem irá ganhar, o grande ou o pequeno investidor?
                No final, a bolsa, na melhor das hipóteses, alcança o TD. E isso no caso de carteiras com grandes pagadoras de dividendos, as quais dá para contar com uma mão.

                0
                • Intel 23 de janeiro de 2012 at 17:44

                  Por mais pessimista que seja sua opinião, eu tendo a concordar contigo.

                  0
              • Atribulado 23 de janeiro de 2012 at 20:44

                Anonymous, a bovespa tem 373 empresas listadas, a Gafisa é UMA

                0
          • Tomaz 23 de janeiro de 2012 at 15:46

            É fácil ficar com um pé atrás com a bolsa,e pensar que aquilo é um grande cassino. O negócio que quase ninguém conta e que poucos descobrem é que dá pra investir na bolsa ficando fora do cassinão. Não desmereço sua opinião, mas tenho, por experiência própria, opinião contrária. O segredo é simples e está espalhado pro aí aos 4 ventos: se torne sócio das empresas (e nunca um comprador de papéis).

            28% a.a. não mentem para mim (mesmo pegando crise no meio do caminho). E esse rendimento anualizado não é coisa de 2, 3 anos não…

            Se a minha humilde opinião contar alguma coisa, sugiro procurar fontes diferentes das que você utilizou no passado. Você pode ter surpresas agradáveis.

            0
            • Pensativo 23 de janeiro de 2012 at 15:58

              KKKK
              Seu post me lembrou o “Quer emagrecer? pergunte-me como!!!” ou o “Trabalhe em casa em meio período com rendimentos de até 6k mensais”.
              Fala sério!!!

              0
              • Luiz 23 de janeiro de 2012 at 16:44

                Uma vez eu ganhei um walkman no sorteio da rifa que comprei dum primo

                Olha, eu sei que há milionários que ganharam fortunas nessa roda, outros bem sucedidos apenas, mas pra absoluta maioria das pessoas a bolsa é algo tão previsível quanto o clima, e pra elas o mais sensato a fazer é ficar bem longe.

                0
            • Anonymous 24 de janeiro de 2012 at 11:02

              É justamente o tornar-se sócio que não existe mais – só na teoria economica. Antes de falar em rendimento, lembre sempre que o Madoff prometia entre 10% e 17%. Voce acha mesmo que alguém aqui vai acreditar em 28%? TOLINHO.

              0
  • etmso 23 de janeiro de 2012 at 09:20

    Venho a tempos ouvindo que os imóveis estão caros etc, etc…

    Então como sou engenheiro de custos resolvi fazer algumas contas sobre um destes “empreendimentos” imobiliários:

    Peguei a área total construída do empreendimento (aptos, halls, área comum, elevadores, garagens, etc) e dividi por 82 (número de aptos deste empreendimento). Pela revista PINI (referência na construção civil) o custo do m2 construído na cidade de São Paulo está em 2,7 mil o m2, multipliquei e cheguei que uma unidade do empreendimento custou (P);

    Os novos empreendimentos ocupam uma área grande, peguei uma amostra de preço de residencias na região do empreendimento e dividi pela metragem média dos lotes, achei que o custo de m2 do lote na região do empreendimento é de 3,3 mil o m2, multipliquei pela metragem do lote e cheguei que custou (L);

    Por fim, somando o custo do prédio (P)x0,2 (20% lucro e risco da construtora), mais o custo do lote (L) = Cheguei que cada unidade custa (C);

    Este (C) que cheguei foi 13% apenas mais barato em relação ao valor que eu paguei.

    Por tanto, acredito que exista trolagem, entretanto esta ligada também ao lote e outra por conta das obras de infra estrutura, privadas (petrobras e vale do rio doce), copa do mundo, olimpiadas, etc, que fizeram com que o custo do m2 construído suba pela competição de mão de obra. Este papo de que a os imóveis estavam depreciados tem algum fundamento, vide que hoje o curso de engenharia civil é tão concorrido quanto medicina, mostrando o desaquecimento do setor na década de 90 e inicio de 2000;

    Por estas, estava a 2 anos na expectativa de abaixar o preço, e como percebi que os motivos da crise nos EUA, relacionadas ao sub prime são diferentes do SFH brasilerio (muito mais rigoroso), e que o endividamento imobiliário do Brasil chega a apeans 4% do PIB (nos EUA e Espanha é 45% e 66%) resolvi comprar. Achando justo? Não, mas sem saída.

    0
    • Shakespeare 23 de janeiro de 2012 at 13:02

      amigo engenheiro,

      o raciocínio exposto serve para um início de conversa mas tenho 3 pontos a destacar:

      1) Se os seus números médios estiverem só 10% equivocados (o que me parece pouco) já temos quase de 25% de margem para cima, no preço que você pagou, ou pode estar empatando

      2) Os valores valem para prédios novos, nos quais as construtoras tem melhor poder de controlar os preços, quando falamos de bolha estamos dizendo também dos edifícios antigos, nos quais os proprietários estão pedindo valores absurdos de m2

      3) Falando do preço do m2, tenho visto em RJ, SP e BH coisas da ordem de 4.5 K nas regiões periféricas; 7.5 K nas centrais e até 12 K nas mais valorizadas, o que está muito acima dos valores de m2 construído que você citou e, está mais ou menos de acordo com o que eu estimei. Com isso só sobra a variável do preço do terreno para justificar e este pode ser o início da bolha: o preço dos terrenos onde são construídos os imóveis.

      De toda forma, corrobora a tese da bolha.

      Abs

      0
      • etmso 23 de janeiro de 2012 at 16:56

        Caro Shakespeare,

        Esta estimativa de 2700 mil o m2 é para um padrão A de construção, elevadores, piso, elétrica, hidraúlica, modernidade do projeto, janelas, portas, fechaduras, etc. Mas existem m2 de preço bem menor de acordo com a região e materiais usados.

        Com certeza o Lote é fator expeculativo, os novos empreendimentos possuem áreas muito maior do que os antigos, pelas leis de zoneamento / plano diretor. Por exemplo, não existem lotes em Ipanema, logo um lote lá é um diamante, em economia quando algo é extremamente raro pode ter seu preço até aumentado para selecionar um público, etc, deixa de ser econometrico.

        Você tocou em um ponto importante, quando uma pessoa precifica seu apto em relação a um novo de mesma metragem, ele esta esquecendo que imóvel também deprecia, apesar de muito pouco e a partir de uns 5 anos de uso, algo em torno de 0,5% a.a., Mas ao longo de 30, 40 anos isto se torna significativo uns (15 a 20%), pois vc terá um elevador encrecado, uma garagem apertada, um pia entupida, etc, etc. (vide Z.S. do Rio);

        Entretanto, a regra número da vida, heheh é OFERTA e DEMANDA, se muita gente quer alguma coisa, ela vai subir de preço, não adianta fazer contas e contas, no Rio (em especial Z.S.) eu conheço muitos amigos que compõe o grupo D.R.EA.M. (demanda reprimida a espera de um milagre, rs), em São Paulo este grupo é menor, muitos acabam comprando, mas no Rio tem uma boa galera, com dinheiro guardado esperando cair 10% pra comprar, fazendo com que volte a subir o preço.

        Fiquem atentos, os indicies do ZAP são MAQUIADOS, pois as pessoas não sabem a diferença entre metragem útil e privativa (útil é sem a garagem ou depositos). E não existe uma auditoria sobre o que é anunciado. Se vc tem um apto de 130m2 privativos e 3 vagas, útil é uns 105m2.

        Pelo atual cenário, acho que algumas regiões devem cair de preço, regiões que tem muitos empreendimentos a serem entregues, pelos expeculadores, etc etc….mas nada parecido com uma bolha americana, coisa de 10%, 15%…

        0
        • Luiz 23 de janeiro de 2012 at 17:01

          não dá pra colocar o preço do hall, garagem pelo mesmo valor do m2

          0
          • etmso 23 de janeiro de 2012 at 17:23

            Na média sim, pq vc terá o m2 da piscina, da sauna, e do elevador, que são mais caros que o do hall e da garagem, aí na média dá isto (isto para os aptos novos) O caro da construção é a mão de obra e seus encargos nem tanto o material.

            Outra coisa, eu coloquei nas contas 20% relativo a lucro e risco da empreeiteira, mas pensa você investindo 50 milhões, e recebendo 15-20 milhões disto ao logo de 30 meses, acho que este 20% pode até ser maior, de acordo com o grau de alavancagem da empreeiteira, % de juros de capitação de grana na obra, etc…

            0
  • MrK 23 de janeiro de 2012 at 09:24

    o problema da bolha imobiliaria no resto da economia, eh que tudo fica mais caro

    quando voce tinha apenas R$100mi pra comprar um imovel, e agora tem R$500mil porque obteve credito, voce simplesmente “criou” R$400mil do ar, pra ser pago em 30 anos, esses R$400mil serao injetados na economia automaticamente (por quem vendeu o imovel) e assim um caminhao de dinheiro que nao pertencia a economia hoje passa a pertencer, inflacionando o preco de TUDO, imaginem quantos bilhoes nao foram despejados de 2009 a 2011, que a economia nao estava pronta pra receber?

    o problema que ninguem lembra que todos esse bilhoes precisarao ser pagos algum dia…

    0
    • Leo 23 de janeiro de 2012 at 10:16

      Cade o “Like” do facebook ? …. Muito bom seu post.

      0
    • Ze_Das_Couves 23 de janeiro de 2012 at 10:19

      Eh realmente visivel que tudos esta inflacionado no brasil. Lendo a exame do mes de janeiro tambem fica claro que alguns setores da economia vivem uma bolha. Metalurgicos do abc tinha escrito na exame(nao sou eu falando) que estao ganhando 10k ou mais ao mes. Empregados de construcao civil tambem estao ganhando um bom dinheiro.

      Se tudo se concretizar em relacao a bolha vai ter muita gente entrando em “negative equity” mais para a frente. 30 anos eh muito tempo mesmo. Em trinta anos da para mudar de emprego e ser despedido varias vezes. Ninguem tambem garante que um pais vai crescer para sempre vendendo apenas commodities e com um mercado baseado apenas em servicos. Ah tem tambem os juros e a divida publica que nao para de aumentar. O governo esta bem desesperado para cortar 70Bi este ano por qual motivo?

      Enfim os bancos se precisarem serao socorridos e salvos. As construtoras que tem amigos no governo tambem tem essa possibilidade. Agora o cidadao comum que pode ter de arcar por uma prestacao por boa parte da sua vida vai ter de continuar pagando e pagando em dia senao perde rapido o bem.

      Tomara que continue aumentando por mais um tempo para chegarmos bem ate a copa. Quem sabe os problemas do brasil desaparecem 😉

      0
    • augusto 23 de janeiro de 2012 at 10:33

      Sem dúvida é muita grana, mas que torna-se até pouca em relação ao que os EUA, Europa, criaram do nada. Esta enorme quantia do exterior vem para cá em grande parte fingindo ser IED, e nosso governo finge que acredita, e o povo babaca acredita de fato.
      Um dia tudo isto vai desabar, mas até lá tudo parecerá um mundo espetacular. Quando vai acontecer é uma boa pergunta.

      0
    • Joselito 23 de janeiro de 2012 at 10:36

      Neste artigo existe um gráfico mostrando a quantidade de dinheiro sem lastro na economia brasileira. Vale a pena ler.

      http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1108

      0
  • Carcará 23 de janeiro de 2012 at 09:31

    Para aqueles que ainda acham que preço de imóvel nunca cai. Dei atenção especial ao parágrafo que diz: “The market has slowed substantially but residential prices are likely to fall up to 60 per cent, possibly even more, within five years.”

    60% sobre os valores de 06/2011 são o mínimo razoável que se pode comprar depois da insanidade que ocorreu no mercado imobiliário brasileiro. Quem tiver paciência, verá.

    Segue a reportagem do brazilianbubble

    Bargains in Australia’s Real Estate Market: 70% off oceanfront homes!
    Bloodbath to hit Australian real estate?

    According to the Courier Mail, bargain hunters are snapping up holiday homes in coveted beach locations up and down the Queensland coast as desperate owner slash their prices by up to 70%…

    While prices soar in some coastal towns close to mining centres, astute buyers are managing to secure ocean- front homes in traditional tourist locations for $500,000 or more off peak prices as vendors cave after years of trying to sell.

    One buyer scored an oceanfront unit in a marina development at Cardwell, halfway between Cairns and Townsville, for $157,000 – almost $300,000 less than it sold for in 2006. The unit had been on the market for three years.

    A penthouse with ocean views in the same development sold for $570,000 less than its 2007 sales price.

    RP Data senior analyst Cameron Kusher said buyers of the most affordable seaside holiday homes needed to be prepared for a long commute. But he said coastal market values had fallen across Queensland, meaning bargains could even be found in popular locations.

    In another piece, a real estate advisor sounds bearish on Australia…

    “The market has slowed substantially but residential prices are likely to fall up to 60 per cent, possibly even more, within five years.”

    The outlook is even grimmer for land investments, which Mr Wirsz said are more speculative and will plummet by as much as 80 and 90 per cent in value.

    Commercial property will also take a hit in line with the residential sector shedding at least 50 per cent of its value.

    Mr Wirsz pointed to artificially low interest rates, high loan-to-value lending practices, overinflated property prices, unrealistic vendor expectations and Australia’s large number of second mortgages.

    http://www.brazilianbubble.com/2012/01/bargains-in-australias-real-estate.html

    0
  • Flavio Alves 23 de janeiro de 2012 at 10:11

    as vendas em dezembro?? Dizem que após a calmaria vem a tempestade…

    0
  • Menino_do_Rio 23 de janeiro de 2012 at 10:38

    O mercado continua muito aquecido, acredito que correções apenas no 4o. mandato do lula (2019).

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/inadimplencia-no-aluguel-e-a-menor-em-19-anos
    “Volume de processos em São Paulo é o mais baixo da série histórica e está 7,4% abaixo do que o registrado em 2010”

    0
    • augusto 23 de janeiro de 2012 at 11:57

      O mercado está mesmo aquecido (ainda, mas até quando?), mas podem esquecer outros mandatos para o moluscão, pois se a doença não o matar, ou mutila-lo deixando ele sem voz, sua criatura que está mais popular que ele, nunca mais o deixara ganhar para presidente
      Se não morrer poderá ser um deputado ou senador, mas esqueça de uma vez a presidencia.

      0
      • Moacir 23 de janeiro de 2012 at 12:08

        Nossa… Quanto abobrinha sai desse “Augusto”…

        0
        • augusto 23 de janeiro de 2012 at 14:39

          KKKKKKKKKK e mais KKKKKKKKKK
          Puxa como tem gente que entra aqui só uma vez, até párece que uma mesma pessoa tem varios nicks aqui.

          0
      • xyz 23 de janeiro de 2012 at 14:02

        Gostaria de ter o seu otimismo quanto ao (não) retorno do Lula à presidência.

        0
    • MrK 23 de janeiro de 2012 at 11:58

      explica por favor como o numero de acoes contra inquilinos te garante que o mercado esta aquecido??

      com eu comentei abaixo, muita gente migrou do aluguel pro financiamento, entao e’ natural que o numero de acoes (numero absoluto e nao percentual) caia… a materia nao trata de percentual, que ai sim daria uma visao mais limpa

      repare que todos os dados de inadimplencia percentuais (os corretos de usar), como cheques sem fundo, cartoes etc… subiram

      pra mim, essa menor inadimplencia no aluguel e’ apenas migracao de uma maior inadimplencia que esta indo pro financiamento

      quanto a proposicao inicial “o mercado continua aquecido” , pergunte a um corretor honesto pra saber…

      0
      • Menino_do_Rio 23 de janeiro de 2012 at 12:38

        É verdade, tinha que ter um percentual, vc está certo.

        Outra dúvida:
        Qual a relação da grande demanda por fundos imobiliários e a alta dos preços dos imóveis?
        Seria uma boa entrar nestes fundos como hedge?

        Tenho um parente que comprou ALMI11B pela caixa econômica em 2006 e está muito satisfeito (não esquenta a cabeça, só com IR).

        0
        • Luiz 23 de janeiro de 2012 at 15:09

          esses fundos imobiliários forma feitos pra pegar a raspa do tacho

          Se vc tem uma lata cheia de merda e enfia lá só uma colherzinha bem pequena, o que vc acha que vc via conseguir tirar da lata? mesmo que pouquinho não é a mesma coisa?

          O que vai explodir a Bolha, diferente de japão, espanha, irlanda, EUA, não sera a falta de crédito e sim a falta de trouxa pra pagar .

          0
          • Lucas Sabino 23 de janeiro de 2012 at 15:16

            “O que vai explodir a Bolha, diferente de japão, espanha, irlanda, EUA, não sera a falta de crédito e sim a falta de trouxa pra pagar .”
            Concordo, e sabe quando isso vai acabar?
            Nunca, não pelos próximos 50 anos.
            Por isso digo e repito, não vai haver bolha. nosso povo é uma criança em se tratando de consumo.

            0
            • Luiz 23 de janeiro de 2012 at 15:38

              sinto muito, mas a quantidade de trouxas é definida por questões físicas, somos apena 49 milhões de lares, com um pib per capita de merda de 10k dollares por ano

              Então, a não ser que vc esteja contando com os haitianos ilegais, com a Luiza e com Frrancesco Scatino, em algum momento do tempo vamos atingir o limite.

              0
            • augusto 23 de janeiro de 2012 at 15:48

              Opa mais um novato que nunca mais postará

              0
        • Atribulado 23 de janeiro de 2012 at 20:37

          Menino do Rio, o seu parente está esquentando a cabeça à toa, pois FIIs são isentos de IR

          0
    • Paty 23 de janeiro de 2012 at 16:54

      Menino do Rio seu post provoca arrepio….

      0
      • Manuelao 23 de janeiro de 2012 at 23:46

        rzrzrzrzrzrz

        0
    • GPTFN 23 de janeiro de 2012 at 23:14

      htt p://exame .abril.com.br/economia/noticias/inadimplencia-cresceu-22-3-em-2011-indica-pesquisa

      Inadimplência cresceu 22,3% em 2011, indica pesquisa

      ela pode ter caido no aluguel, mas como o “cobertor é curto”, ela está aumentando em outros lugares.

      0
  • Anonymous 23 de janeiro de 2012 at 10:43

    Mais uma noticia da série BRASIL, AME-O OU DEIXE-O.

    Inadimplência em contrato de aluguel atinge menor nível em 2011
    www1 . folha . uol . com . br/mercado/1038104-inadimplencia-em-contrato-de-aluguel-atinge-menor-nivel-em-2011 . shtml

    A inadimplência nos contratos de aluguel atingiu em 2011 o menor nível desde 1993, quando teve início o levantamento pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação) no Estado de São Paulo. O número de processos de locação totalizou 18.655 ocorrências, 7,4% inferior às 20.155 ações do ano anterior.

    Em 2011, as ações por falta de pagamento, que são responsáveis por 78,6% das ações, foram 11,96% menos numerosas que as registradas no ano anterior.

    0
    • MrK 23 de janeiro de 2012 at 10:52

      essa conta nao pode ser feita assim, pelo numero de acoes!

      a conta tem que ser feita pelo total de acoes dividido pelo total de contratos em vigencia, pois muita gente comprou imovel proprio e saiu do aluguel, fazendo essa inadimplencia “migrar” pro ramo do financiamento e nao do aluguel… nao sei dizer se o numero de pessoas que pagam aluguel hoje e’ comparavel com de anos anteriores em funcao de tanta construcao, entende meu ponto? faz sentido isso?

      0
      • Atribulado 23 de janeiro de 2012 at 20:35

        MRK, a inadimplência dos financiamentos imobiliários está no mínimo também, menos de 2%…

        0
  • Fernanda 23 de janeiro de 2012 at 10:59

    A bolha imobiliária canadense está a ponto de estourar. O mercado imobiliário de Vancouver subiu 142% de 2002 a 2011. Preço médio de casa não geminada em Vancouver é US$ 1 milhão, enquanto a renda média familiar é de US$ 67 mil por ano.

    (…)

    Enquanto muitas pessoas no Canadá e em lugares como Vancouver preferem negar a bolha imobiliária, a mesma é bastante clara para a maioria das pessoas que olham de fora. A bolha vai estourar e já está muito perto de atingir o pico. Todos esses argumentos e justificativas já foram usados na Califórnia também. Isso é algo que é muito familiar, especialmente agora que entramos no quinto ano do colapso imobiliário na Califórnia. E assim como aconteceu nos EUA, os mercados marginais colapsam primeiro.

    rcesar.net /2012/01/bolha-imobiliaria-do-canada-esta-a-ponto-de-estourar/

    0
    • Raposão 25 de janeiro de 2012 at 12:48

      Creio que depois dessa notícia a Luiza não volte mais pro Canadá, porque bolha bananense é tropical e lá na terrinha do papai dela faz calor o ano inteiro.

      0
  • Anonymous 23 de janeiro de 2012 at 11:04

    PATÉTICO, para dizer o mínimo.

    ‘Clube do Milhão’ reúne amigos para fazer fortuna
    www1 . folha . uol . com . br/mercado/1038097-clube-do-milhao-reune-amigos-para-fazer-fortuna . shtml

    Chegar ao primeiro milhão antes dos 40 anos, conquistar a independência financeira e ainda se divertir. Foi assim que seis amigos juntaram dinheiro há três anos para comprar um APARTAMENTO NA PLANTA que, de outra forma, teria prestações “pesadas demais” para jovens no início da carreira.

    Organizador informal do “Clube do Milhão”, o ex-bancário Matheus Pardi, 32, queria adquirir um apartamento do pai, que constrói prédios em Ribeirão Preto (SP) com o dinheiro dos compradores.

    O investimento dura o período de construção, tem ALTÍSSIMA RENTABILIDADE, mas exige que o investidor arque com prestações mensais de pelo menos R$ 5.000, o que era inviável para ele sozinho.

    Pardi chamou então os amigos, que formaram o clube e dividiram o custo.

    Cada um se comprometeu a colocar R$ 1.000 por mês no clube por dez anos, período em que teriam pelo menos

    R$ 1 milhão cada um -daí o nome “Clube do Milhão”.

    0
    • Fernanda 23 de janeiro de 2012 at 11:12

      Exclusivo: Uma foto do clube do milhão:

      portaldoagronegocio.com.br/arquivos/n_como_milho_583515869.jpg

      0
  • Flavio Alves 23 de janeiro de 2012 at 11:05

    http://www.cbic.org.br/sala-de-imprensa/noticia/aposta-pesada-na-habitacao

    “Vocês acham que um cômodo deste tamanho oferece algum nível de dignidade?” DILMA ROUSSEFF – PRESIDENTA DO BRASIL.

    “Você acha que com esses preços é possível para uma pessoa “comum” comprar uma moradia cujo espaço seja digno?” – EU – LEITOR DO BLOG.

    0
    • augusto 23 de janeiro de 2012 at 11:51

      Não senhora presidenta não oferece o minimo de dignidade, mas a senhora tem muita culpa nisto tudo. Chega de demagogia e querer passar por boazinha

      0
  • Anonymous 23 de janeiro de 2012 at 11:32

    Da séria, a verdade escancarada sobre a realidade bananense.

    * Miami Has a Hearty Oi (Hello) for Free-Spending Brazilians
    www . nytimes . com/2011/12/28/us/miami-courts-free-spending-brazilians . html

    … Brazilians are visiting South Florida in droves and spending millions of dollars on vacation condominiums, clothes, jewelry, furniture, cars and art, all of which are much less expensive here than in Brazil …

    Brasileiros estão visitando o sul da Flórida em massa e gastando milhões de dólares em condomínios de férias, roupas, jóias, móveis, carros e arte, os quais são muito menos caro do que no Brasil.

    * Brasileiros compram imóveis de até US$ 300 mil em Miami
    classificados . folha . com . br/imoveis/1037472-brasileiros-compram-imoveis-de-ate-us-300-mil-em-miami.shtml

    … Quase um terço (30%) gastam menos de US$ 100 mil em suas aquisições …

    Anonymous: Significa que 30% estão comprando imóveis em Miami que custam até 175 mil Reais.

    0
    • augusto 23 de janeiro de 2012 at 11:49

      Que peninha , pois poderiam estar investindo aqui, deixando o dinheirinho com os proprietários, e dando comissão aos corretores

      0
  • Shakespeare 23 de janeiro de 2012 at 12:42

    Noticias do Brasil Economico (h t t p ://www.brasileconomico.com.br):

    Lançamentos totais da Gafisa caem 21% em 2011
    Brasil Econômico ([email protected])
    20/01/12 08:53

    A Gafisa comunicou que os lançamentos consolidados somaram R$ 3,5 bilhões em 2011, com baixa de 21% na comparação com o mesmo período de 2010, alcançando a meta da empresa.

    “A desaceleração intencional nos lançamentos de Tenda no segundo semestre de 2011 faz parte da nova estratégia mais conservadora do Grupo, planejada para aumentar a rentabilidade, gerar caixa e reduzir dívida”, justificou a empresa em comunicado.

    Ao longo do ano, 51 projetos foram lançados em 10 estados.

    Já os lançamentos consolidados do quarto trimestre de 2011 foram contabilizados em R$ 582 milhões, com recuo de 62% na variação anual, refletindo a implementação da estratégia de Tenda de lançar apenas empreendimentos que possam ser imediatamente transferidos para instituições financeiras.

    Por sua vez, as vendas contratadas consolidadas somaram R$ 3,4 bilhões em 2011, declínio de 16% ante 2010. E no último trimestre, as vendas contratadas situaram em R$ 338 milhões, retração de 73% em relação ao mesmo trimestre de 2010.

    “Esse resultado é consequência direta da mudança de estratégia durante o segundo semestre”, comentou a Gafisa.

    Tratando somente dos lançamentos da Gafisa em 2011, eles mantiveram-se estáveis em R$ 2,2 bilhões no período e incluíram 22 projetos em 3 estados brasileiros.

    E as vendas contratadas somente da Gafisa totalizaram R$ 2,2 bilhões em 2011, valor 10% superior em relação ao ano anterior.

    Prévia de resultados da Gafisa desanima analistas
    Rafael Palmeiras ([email protected])
    20/01/12 14:54

    Após registrar queda nos resultados do quarto trimestre, analistas colocam os papéis da Gafisa em revisão e recomendam outras empresas do setor.

    A companhia anunciou na quinta-feira (19/1) os resultados referentes ao quarto trimestre, em que o volume de lançamentos ficou em R$ 582 milhões, 62,3% abaixo do mesmo período do ano anterior.

    No mesmo ritmo, às vendas contratadas totalizaram R$ 338 milhões, 72,8% inferior ao do mesmo trimestre do ano anterior.

    Para os analistas da Concórdia, Leonardo Zanfelicio e Karina Freitas, o resultado é negativo.

    “Mais uma vez a Tenda foi à grande vilã dos números consolidados da Gafisa, dado o cancelamento de inúmeros lançamentos e dos contratos de vendas já assinados junto aos clientes que não conseguiram aprovação do financiamento bancário.”

    A Tenda é uma incorporadora pertencente ao grupo, com foco em imóveis para baixa renda.

    No período, a relação entre as vendas contratadas e os lançamentos foi de 58,1%, com queda de 22,3 ponto percentual ante o mesmo trimestre do ano passado.

    “Visto o processo de reestruturação pelo qual a empresa passa, estamos revisando nossas estimativas para a empresa e também para o preço das ações GFSA3”, avaliam os analistas da Planner.

    Dentro do setor, a corretora opta por recomendar as ações da PDG Realty (PDGR3) e EzTec (EZTC3).

    No pregão desta sexta-feira (20/1), os papéis da Gafisa (GFSA3) apresentam queda de 1,62%, cotados a R$ 4,25.

    E na versão impressa li que o número de distratos de vendas da Tenda está se tornando uma “pedra” no balanço da Gafisa

    0
    • MrK 23 de janeiro de 2012 at 12:49

      “as vendas contratadas situaram em R$ 338 milhões, retração de 73% em relação ao mesmo trimestre de 2010.” aaaai… essa doeu heim?!?!

      agora me responda: Uma empresa que se endividou horrores planejando crescer a ritmo chines, de repente nao cresce, ao contrario, toma uma retracao dessas…vai pagar a divida como?????????

      0
      • Anonymous 23 de janeiro de 2012 at 12:54

        A GAFISA vai sinalizar o estouro da bolha imobiliária logo, logo. Está evidente que vai acabar FALINDO.

        0
        • dp 23 de janeiro de 2012 at 13:31

          Anonymous – ja postei ha algum tempo sobre a GAFISA, que na minha opiniao nao dura mais 12 meses. Em se tratando de Banania, eh possivel que ao inves de falir, ela seja resgatada com dinheiro do BNDES (nossos impostos) e fique por isso mesmo. Eh o “bailout” tupiniquim.

          0
          • Anonymous 23 de janeiro de 2012 at 13:39

            Acho que vai ter um bailaut (está escrito em Bananês) para a GAFISA se o problema resumir-se a ela somente. Senão vai ser como no caso do Lehman Brothers – vai servir de exemplo para as outras.

            0
      • Jonathas 23 de janeiro de 2012 at 12:57

        A resposta é óbvia, MrK: vai financiar o saldo devedor em 30 anos na caixa econômica!

        0
      • Pensativo 23 de janeiro de 2012 at 12:58

        MrK,
        essa é fácil: vendendo os seus terrenos para as outras construtoras e imóveis encalhados com descontos de 30% para o que podem comprar a vista.
        Claro que isso fará com que os imóveis tendam a cair, mas não muito, visto que a Gafisa já não é mais uma grande construtora.

        0
      • Diego RJ 23 de janeiro de 2012 at 13:21

        Quem vai pagar a dívida e “ajudar” a GAFISA vai ser nós através do BNDES.

        0
  • Pensativo 23 de janeiro de 2012 at 13:00

    Ops,
    onde se lê “a vista”
    leia-se “à vista”

    0
  • Elias 23 de janeiro de 2012 at 13:26

    Volume de cheques sem fundos volta a subir em 2011

    Índice atingiu 1,95% dos cheques compensados em todo o País, o maior porcentual desde 2009, quando o Indicador de Cheques Sem Fundos da Serasa chegou a atingiu 2,15%
    23 de janeiro de 2012 | 11h 02

    h ttp://economia.estadao.com.br/noticias/economia+geral,volume-de-cheques-sem-fundos-volta-a-subir-em-2011,100226,0.htm

    0
    • Sir Income 23 de janeiro de 2012 at 13:48

      Usaram todo o limite do cartão e agora vai cheque que não tem como saber se tem limite ou não.

      0
  • danilo 23 de janeiro de 2012 at 13:43

    DESCOBRIRAM A RODA!!!

    Venda de imóvel financiado é oportunidade para lucrar

    Além de quitar o débito com a instituição financeira, ao vender o imóvel, o proprietário geralmente consegue saldo positivo, em vista da valorização do bem

    Júnia Leticia – Estado de Minas
    Dione Tavares, advogada, ao lado do marido, o gerente de projetos Túlio Tadeu Cabral

    Não é de hoje que os imóveis são o investimento preferido de muita gente, ainda mais com o acesso ao crédito imobiliário em alta. Com a demanda aquecida, uma alternativa ficou ainda mais viável: vender o imóvel financiado antes de ser completamente quitado. Para quem está no meio do financiamento e, por algum motivo, deseja vendê-lo, é possível realizar a transação.

    O negócio representa grandes vantagens para o proprietário. Ao vender um imóvel com processo de financiamento em vigor, ele imediatamente quita o débito junto ao agente financeiro e tem a possibilidade de auferir algum lucro, de acordo com a valorização do imóvel no período da venda. Para avaliar o imóvel, a diretora da Apogeu Netimóveis, Eliane Tito Henriques, explica que são considerados três critérios: análise dos consultores, valor do metro quadrado na região e sistema de amostragem. “Feito isso, o seu valor é atualizado”, diz.

    Suponha que uma pessoa compre um apartamento por R$ 150 mil, e tenha pago R$ 30 mil pelo financiamento. Nesse período, o imóvel é valorizado, passando a custar R$ 200 mil. Ao vendê-lo, o proprietário vai receber R$ 80 mil, ou seja, o valor atualizado do imóvel, menos o saldo devedor, de R$ 120 mil.

    Para o advogado e diretor da Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH), Lúcio Delfino, a única diferença desse tipo de negócio em relação a outros que envolvem imóveis é que o vendedor se livra da dívida do financiamento no momento da venda, deixando de pagar os juros dali em diante. Já para o presidente da Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais (CMI/Secovi-MG), Ariano Cavalcanti de Paula, o vendedor quita sua dívida e ainda apura lucro. “Assim, ele pode financiar outro imóvel com patamar mais baixo de juros.”

    NEGOCIAÇÃO Há dois tipos de negociação, que são a venda de imóveis prontos (avulsos) e a de imóveis em construção. “Nos avulsos, com a venda, obrigatoriamente, o seu saldo devedor será quitado”, avalia Eliane. “Já o imóvel em construção, normalmente, quem vende é o investidor e, nesse caso, é feita uma cessão de direitos junto às construtoras, na qual o investidor cede ao comprador os direitos e obrigações assumidos por meio de contrato de promessa de compra e venda, ou seja, o saldo devedor é automaticamente repassado ao comprador.”

    O gerente de projetos Túlio Taxdeu Cabral e a advogada Dioni Tavares optaram por vender seu imóvel, no Bairro Ouro Preto, Região da Pampulha, antes de quitá-lo. Apesar de não visar lucro, a necessidade resultou em um bom investimento para o casal. Com a valorização dos imóveis na região, eles puderam negociar o bem com valor muito acima do que foi comprado. “O fato de termos quitado antecipadamente o nosso primeiro financiamento facilitou a aprovação do segundo processo na Caixa, devido ao relacionamento com a instituição”, comemora a advogada.

    “Para o imóvel usado, a rentabilidade vai depender da situação do mercado”, diz Eliane Tito Henri, diretora da Apogeu Netimóveis
    CUIDADO SEMPRE É BOM

    As vantagens que o negócio apresenta não dispensam medidas preventivas no sentido de evitar transtornos relacionados a toda e qualquer transação envolvendo imóveis

    Corretor de imóveis da Viva Vida, Noé Crescêncio Silvestre também optou pela venda de imóvel sem estar com o financiamento quitado. De acordo com o corretor, no caso de empreendimentos na planta, além de ser um bom investimento, que precisa de um pequeno sinal no início, pode ser usado mais tarde, caso haja necessidade, como moradia.

    Nesse caso, para quem quer entrar nesse negócio como investidor, o que importa é a rentabilidade que se pode obter. De acordo com Lúcio Delfino, isso vai depender da valorização do imóvel e da taxa de juros do financiamento. “Considerando uma valorização de 20% ao ano no imóvel e uma taxa de juros de 8% ao ano + 2% da TR (índice de correção monetária utilizado nos financiamentos do SFH), ele teria um lucro de 10%. Essa rentabilidade é baseada na taxa de juros do financiamento, nas demais despesas e no fôlego do mercado imobiliário”, diz.

    Noé também coloca tudo na ponta do lápis para obter uma estimativa sobre quanto pode ser a rentabilidade de quem compra um imóvel na planta e o vende antes de quitar o financiamento. No caso de um empreendimento de R$ 130 mil, ele diz que é necessário como sinal, aproximadamente, 1% do valor do imóvel, mais R$ 500 referentes à taxa de abertura de cadastro (TAC) – isso para imóveis de até R$ 150 mil. Além disso, são pagas parcelas fixas até a entrega das chaves, quando é necessário desembolsar cerca de 10% do valor do imóvel. “Quando ele estiver pronto, a lucratividade estimada será de 25% a 35%”, avalia.

    Entretanto, o investidor deve levar em consideração outras despesas inerentes ao negócio, que podem comprometer, e muito, a rentabilidade final, conforme alerta Lúcio Delfino. Entre essas variáveis estão tarifas bancárias para concessão do financiamento, prêmios com o seguro habitacional obrigatório (financiamentos do SFH), além de ITBI e registro do contrato no cartório de imóveis. “Há ainda a comissão de venda ou corretagem a ser paga ao corretor de imóveis ou imobiliária que vender o bem – em torno de 6% do valor da venda –, custos com taxas condominiais e IPTU entre a entrega da unidade e a venda, e eventuais investimentos extras no imóvel, como acabamentos e armários”, acrescenta.

    RENTABILIDADE A diretora da Apogeu Netimóveis, Eliane Tito Henriques, diz que, para o imóvel usado, a rentabilidade vai depender da situação do mercado no momento da venda. “Já em se tratando de imóveis em obras, as construtoras fazem os cálculos dos custos do investimento e repassam suas tabelas de vendas.” A rentabilidade vai ser o produto do rendimento do imóvel, abatendo-se a amortização realizada, incluindo encargos, juros e correção, como acrescenta o presidente da Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais (CMI/Secovi-MG), Ariano Cavalcanti. Mas ele avisa que, para que a negociação seja bem-sucedida, quem adquire um imóvel com financiamento já contratado precisa tomar alguns cuidados. “Devem ser verificados, junto ao banco financiador, o saldo devedor atual, a prestação atual e a real possibilidade de validar junto ao banco o repasse do financiamento ao novo comprador.”
    PALAVRA DE ESPECIALISTA
    Formas de pagamento, por Lúcio Delfino – advogado e diretor da ABMH

    “A venda de um imóvel com financiamento ou consórcio em andamento pode ser feita pelo proprietário/mutuário/consorciado a qualquer momento, como se o imóvel estivesse livre e desimpedido. Funciona assim: se o comprador utilizar recursos próprios, ele quita o financiamento com o banco ainda em nome do vendedor e, em seguida, – depois da baixa da hipoteca ou do registro do termo de quitação (quando alienação fiduciária) –, faz a escritura pública de compra e venda. Nessa hipótese, o mais comum é que o comprador dê como entrada o valor necessário para a quitação do financiamento e faça o pagamento do restante na outorga da escritura. Mas tudo isso é livre, pode ser pactuado da forma que as partes preferirem. Se o comprador se valer de FGTS, o financiamento do vendedor é quitado por meio dos recursos do FGTS do comprador. Nessa hipótese, não há necessidade de aguardar a baixa da hipoteca, já que o próprio contrato de compra e venda autoriza a baixa. O único desconforto, principalmente para o quem vai comprar o imóvel com recursos próprios é que terá de aguardar a baixa da hipoteca para registrar a escritura pública de compra e venda, o que pode demorar de três a quatro meses.”

    0
    • FoxBravo 23 de janeiro de 2012 at 13:55

      Pior que foi publicado hoje:
      h t t p ://estadodeminas.lugarcerto.com.br/app/noticia/noticias/2012/01/23/interna_noticias,45745/venda-de-imovel-financiado-e-oportunidade-para-lucrar.shtml

      Publicação: 23/01/2012 09:30

      0
    • Gaba 23 de janeiro de 2012 at 13:56

      Meu Deus, que lindo!

      Tá tudo ótimo! O céu é azul e o mundo é cor de rosa!

      Mas a Gafisa e outras não estão no vermelho e a coisa tá preta!

      Mistériooooo…

      0
    • Flavio Alves 23 de janeiro de 2012 at 15:20

      Lendo esta notícia, que mais parece o “manual do especulador”, a única coisa que vem a minha cabeça é que tudo não passa de uma pirâmide.. Quem começou se deu bem, mas quem quiser fazer isto agora vai se dar muito mal…

      0
    • GPTFN 23 de janeiro de 2012 at 23:26

      Assim como no caso das ações,
      essas matérias tem a mesma finalidade.
      Teoria do Tolo Maior.
      Estão tentando achar os últimos trouxas para repassarem o prejuízo antes do estouro da bolha!

      0
  • FoxBravo 23 de janeiro de 2012 at 13:50

    Quanto aos preços de roupas praticados aqui no Brasil.
    Qualquer lojista de shopping sabe que, se baixar os preços, não aumenta as vendas na mesma proporção. Conforme o caso não vende nada e tem que fechar as portas.
    Os preços tem que ser altos para as pessoas terem a percepção que estão comprando um produto de alta qualidade. Ou um produto exclusivo. É tudo puro marketing e não tem nada a ver com custos da mercadoria ou custos Brasil apesar de usarem isso para justificarem os preços elevados.

    Eu não conheço nenhum país onde essa tática de marketing funciona (vender mais caro para vender uma maior quantidade).

    Agora eu percebo que isso está funcionando para imóveis. Pessoas pagam mais caro pensando única e exclusivamente no status e esquecem todo o resto como metragem, localização, etc…

    0
    • Sir Income 23 de janeiro de 2012 at 14:16

      Já ouvi comentários de pessoas que preferem morar em prédios com condomínios caros porque pessoas de baixo poder aquisitivo não poderiam morar ali. Deve ser o mesmo motivo que faz vender roupas caras, carros caros e etc

      0
      • Money addicted 23 de janeiro de 2012 at 14:39

        okay, eu sempre penso nessa questao, e vou tecer alguns comentarios que talvez possam ser encarados como preconceituosos, mas vamos la, em uma situacao hipotetica (e tambem levada ao extremo para exemplificar) o q vc preferiria, tendo dois predios identicos no entanto um o governo comprou e deu para pessoas de baixissima renda morar e o condominio sera pago pelo governo e um outro predio onde os moradores terao que pagar o condominio do proprio bolso (valor alto), fica a pergunta, qual seria a escolha?

        eu estava pensando sobre isso, pois no sabado fui comemorar o aniversario de uma amiga, e fomos em um lugar bom, no entanto super caro (a minha cta + da namorada ficou em R$95) apenas dois lanches e dois sucos.

        a questao eh que se fossemos em um lugar mais barato o ambiente seria mto desagradavel.

        nao sei como eh em outros paises (nunca morei no exterior) mas aqui (como foi dito) se usa o valor para filtrar, o grande problema que vejo eh que esse valor elevado quase nunca se reflete em melhor qualidade dos produtos.

        Ps.: espero que nao tenha passado uma img mto preconceituosa

        0
        • Sir Income 23 de janeiro de 2012 at 15:06

          Money,

          se houvesse melhor educação, você poderia frequentar lugares mais barato sem confusão.

          Compare shows internacionais no Brasil e Europa. Veja se tem corre-corre e empurrão em shows na Europa.

          Infelizmente, o dinheiro, no Brasil, serve de filtro da sociedade.

          Abraços,
          Sir Income

          0
          • Zé Coxinha 23 de janeiro de 2012 at 16:18

            Ponto interessante esse do “brasileiro pagar mais caro pelo ambiente” e “dinheiro com filtro” e tal… ainda assim, acho interessante notar que nisso não funciona em alguns mercados, como o hoteleiro, por exemplo.

            Viajo bastante a turismo, e enquanto junto dinheiro na poupança pra construir minha casa (terreno já tenho!), gasto em torno de 10% do meu salário só com viagens. Pois bem: As melhores experiências de hospedagem que já tive foram em Hostels e Campings, gastando algo em torno de R$20-R$25 a diária. Turistas europeus e argentinos, brasileiros mente aberta, “churrasco de peixe” recém pescado regado a boa música… Uma maravilha.

            Agora, sabe quais lugares foram os PIORES que já fiquei, cheio de gente gritando, ouvindo funk e fazendo M? Nos hóteis e pousadas metidos a chiques, 4 ou 5 estrelas, que ultimamente só andam sobrevivendo graças aos Groupons da vida.

            0
            • Luiz 23 de janeiro de 2012 at 16:25

              zé, tenho a mesma experiencia

              Minhas maioresa satisfações foram em lugares absolutamente despretenciosos, além destes, apenas lugares absolutamente exclusivos. Todos estes onde a gente conta muitas estrelas foram sempre ou problemas ou decepções.

              0
  • ninja SP 23 de janeiro de 2012 at 14:10

    Verbo fazer quando indicar tempo ou temperatura é impessoal,deve ficar no singular.
    – Faz oito anos que…

    0
  • Luiz 23 de janeiro de 2012 at 14:58

    São Paulo quer antecipar rede de metrô para 2018

    A carteira de parcerias público-privadas (PPPs) do Estado de São Paulo prevê investimentos de R$ 25 bilhões até 2015. Há, pelo menos, 13 projetos aprovados com estudos em desenvolvimento. Boa parte deles envolve um setor crítico de São Paulo: a mobilidade urbana. Estamos focando nossos esforços numa área que tem tirado a competitividade da região metropolitana, observa o vice-governador do Estado, Guilherme Afif Domingos.

    Segundo ele, o Estado tem o maior portfólio de PPPs do mundo e inclui projetos de médio e grande portes. Nos últimos anos, conseguiu contratar três empreendimentos, cujos investimentos somaram quase R$ 6 bilhões: a linha 4 do metrô, a estação de tratamento de água Taiaçupeba e a Linha 8 Diamante da CPTM. Para Afif, a crise mundial pode representar uma grande oportunidade para São Paulo deslanchar o programa.

    As economias tradicionais estão debilitadas, com vários projetos suspensos. Os investidores estão à procura de empreendimentos estruturados em países emergentes, avalia ele. Uma das prioridades será antecipar a construção da rede de metrô de 2025 para 2018. São 120 quilômetros, diz Afif. O que não fizemos em 40 anos podemos fazer em oito. Segundo o vice-governador, a ideia é elaborar projetos que criem competição com o carro, hoje um dos principais meios de locomoção do paulista.

    Nessa linha, o Estado planeja quatro trens expressos na região metropolitana e no interior. O ponto de partida será sempre a estação paulistana da Água Branca. Dali sairão trens com velocidade entre 160 km e 180 km por hora para Jundiaí e Campinas; Guarulhos e São José dos Campos; São Roque e Sorocaba; e Baixada Santista. Juntas, essas linhas vão somar 400 km de trilhos e investimentos de R$ 16 bilhões. A dúvida é se alguns trechos não vão ser inviabilizados pelo projeto federal do trem-bala, entre Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro.

    No setor de cargas, um dos destaques é o Porto de São Sebastião e acessos terrestres – duplicação da Tamoios, das marginais da baixada de Caraguatatuba e ligação ferroviária entre Jacareí e o porto.

    A ideia é usar a estrada de servidão da Petrobrás que desce para a Serra do Mar, em Jacareí seria construída uma área retroportuária, já que São Sebastião não tem espaço suficiente para a movimentação de carga.

    O programa paulista de PPPs ainda inclui a construção de seis fóruns, três complexos prisionais, de 10.100 vagas, seis hospitais e a reforma de outros seis hospitais.

    0
    • Pensativo 23 de janeiro de 2012 at 15:51

      Isso é São Paulo se destacando ainda mais em relação ao restante do país. Estão investindo para que o estado continue sendo o motor econômico brasileiro.
      Enquanto isso no Rio de Janeiro: estão querendo derrubar a Perimetral sem construir antes o túnel. Lógico que vai dar [email protected]!!!!
      oglobo. globo. com/transito/interdicoes-na-zona-portuaria-complicam-manha-dos-cariocas-3738740

      É o Porto Maravilha que vai transformar a vida do carioca em um inferno?

      0
      • Pensativo 23 de janeiro de 2012 at 15:54

        Bem, nem tudo são flores em Sampa

        celebridades.uol . com . br /album/2012/01/23/album-da-semana-23-a-29112.htm?abrefoto=2#fotoNav=2

        kkkkk
        Ri alto!!!

        0
        • Carlos Eduardo 24 de janeiro de 2012 at 01:04

          São Paulo tem o mesmo problema do país inteiro, talvez em proporsões ligeiramente menores!
          que é o fato de ter mais gente puxando a corda para o lado mal do que para o bem ..

          o egoismo que faz uma pessoa roubar todos os recursos da população para os fins próprios!

          cada dia que pasa fico mais sem palavras com esse pais! esse governo do PT foi um show de horror!

          0
  • rsmrsm 23 de janeiro de 2012 at 15:04

    Impressionante !!!

    O nível de conhecimento do pessoal daqui deste fórum é uma loucura.

    Fico até sem jeito de perguntar alguma coisa.

    abçs

    0
    • Shakespeare 23 de janeiro de 2012 at 15:34

      mas só quem pergunta é que consegue aprender e pode chegar ao mesmo conhecimento dos outros… deixe a vergonha de lado e pergunte!

      0
    • augusto 23 de janeiro de 2012 at 15:46

      Não somos nós que conhecemos muito, são os corretores que são totalmente boçais, analfabetos, incompetentes e picaretas. Eta profissão desnecessária

      0
    • André 23 de janeiro de 2012 at 16:11

      Só eu que notei uma bela carga de ironia no comentário acima?

      0
      • augusto 23 de janeiro de 2012 at 16:40

        Voce está certo André, tambem achei ele irônico e muito, parece ter tirado sarro na gente. Talvez algum corretor sem ter o que fazer escondendo as contas que tem que pagar

        0
      • Richard S Miranda 23 de janeiro de 2012 at 18:49

        Não sou corretor !!!
        Desculpe se o meu texto tem alguma ironia, não foi esta intenção.

        0
      • Raposão 25 de janeiro de 2012 at 12:44

        Engraçado…

        Augusto virou Richard!

        Seria um produto precoce do pós-bolha?
        Seria uma fantasia made in china (ou devaneio) do carnaval bananense?
        Talvez uma mutação resultante dos aditivos quimícos nos alimentos industrializados bananenses.

        Brincadeirinha, mas…

        IT’S FAIL!

        Att.
        Raposão, autêntico e saudável.

        0
  • Vinicius Lima 23 de janeiro de 2012 at 15:15

    Excelente texto… gostei do estágio da euforia…hehehehehhe

    0
  • Shakespeare 23 de janeiro de 2012 at 15:42

    Pesquisa
    Número de devoluções de cheques é o mais alto desde 2009
    Brasil Econômico ([email protected])
    23/01/12 10:35

    Alta da inadimplência e inflação estão entre os motivos da expansão

    A quantidade de cheques devolvidos cresceu em 2011, de acordo com levantamento publicado nesta segunda-feira (23/1) pela Serasa Experian.

    No período, as devoluções representaram 1,95% dos cheques compensados, representando o maior percentual desde 2009, quando foram devolvidos 2,15%.

    Já em dezembro, o percentual de cheques sem fundos foi de 1,99%, abaixo dos 2,19% registrados em novembro, mas superior do 1,72% apurado em dezembro de 2010.

    “A elevação da inadimplência do consumidor, o crescimento da inflação que reduziu o poder aquisitivo, o rápido aumento do endividamento e os juros altos que encareceram o crédito foram fatores determinantes que comprometeram a capacidade de pagamento do tomador de crédito, incluindo o do pré-datado”, afirmaram os economistas da Serasa.

    Em 2011, Roraima foi o estado com o maior percentual de cheques devolvidos (12,48%). São Paulo, por sua vez, foi o estado de menor percentual (1,45%).

    Entre as regiões, o Norte teve o maior percentual de devolução de cheques em 2011, com 4,18%. Na outra ponta do ranking está o Sudeste, com 1,57%.

    0
  • Leo 23 de janeiro de 2012 at 15:49

    Galera.. descobri.

    A Bolha nao existe… na real, vivemo em um pais de Ricos e EU sou o unico pobre.

    Vejam, uma creche na ZONA NORTE do RJ cobra 1400 reais por 6 hrs… Isso mesmo, na zona norte do RJ.. bem pertinho de umas 3 favelas, estao cobrando 1400 reais.

    Eu nao ganho mal, posso pagar esse valor… mas isso nao existe. É o tal caso que o MRK comentou, essa merda de dinheiro que aparece com a Bolha esta F%$%$#@#$$dendo com a nossa economia.

    Quero mais que esta m$%#$#$#rda exploda de tal maneira que feda em tudo quanto é lugar para que as pessoas aprendam a ter noçao do valor real do dinheiro.

    Pais de M E R D A !

    0
  • Luiz 23 de janeiro de 2012 at 16:04

    PROCESSOS AUTOCATALÍTICOS E O COLAPSO

    (Estou adaptando de um estudo sobre Colapso social – o autor é ganhador de Pulitzer em 2005).

    Processo autocatalítico é um processo onde o resultado parcial do sistema contribui para aceleração de todo o processo, em termos mais claros, quando um especulador em 2007 ganhou muito dinheiro, ato continuo, espalhou a notícia para mais especuladores com a intenção de melhorar os seus resultados e esses outros especuladores fizeram o mesmo para mais e mais gente.

    O processo autocatalitico no principioum é benéfico no sentido de se alcançar mais rápido o resultado e a estabildiade final, contudo é um processo que necessariamente ruma ao colapso uma vez que pelo menos uma das fontes que o alimenta se esgota. O colapso, um bom termo para o fenômeno, ocorre de modo repentino e no ponto exatamente seguido ao seu auge.

    O fator limitante que leva ao colapso, a menos que continuem a ser alimentados externamente pode ser apenas um e qualquer um dos itens que o geram: crédito, clientes, mdobra, terrenos, …, ou na melhor das hipóteses, quando se atinge o seu objetivo-fim, ou seja, qdo o déficit habitacional seja finalmente zerado.

    Vendo desta maneira lógica e com inúmeros exemplos pela vida e pelo mundo,a especulação necessariamente ruma ao colapso, de forma tão rápida quanto pouco previsível.

    Façam as suas apostas, a roleta está girando.

    0
    • xyz 23 de janeiro de 2012 at 17:29

      Vulgo PIRÂMIDE.

      0
  • Luiz 23 de janeiro de 2012 at 16:32

    Para ANTT, Brasil vive no ‘limite da gambiarra’

    Se as exportações de commodities brasileiras brilharam e turbinaram as contas externas do país desde 2000, a infraestrutura logística está longe de ter acompanhado o mesmo ritmo. Manteve-se cara e ineficiente. Nesse período, o país aumentou em 384% a quantidade de toneladas que circulam e congestionam as rodovias, ferrovias e hidrovias em direção ao exterior. Mas o número de rodovias asfaltadas aumentou apenas 18% no período, enquanto as linhas de trem cresceram só 500 quilômetros. O país vem operando no limite da gambiarra, segundo o diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo: 

    — O país está diante da possibilidade de um apagão logístico. Mas a logística não pode ser vista só pela lógica da obra e sim pelo desempenho do transporte. Não se resolve o problema logístico transigindo com a boa forma de fazer. Chegamos ao limite da gambiarra — disse ele ao GLOBO. 

    Dados inéditos obtidos pelo GLOBO mostram que os fretes cobrados pelas concessionárias de trens estão R$ 600 milhões acima do teto que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) considera razoável, segundo a proposta a revisão tarifária que está em consulta pública atualmente. Além disso, gargalos e a falta de sintonia dos vários modais prejudicam o escoamento da produção.

    — Nos últimos anos, a ociosidade de caminhões e trens absorveu o aumento da produção, mas já não há gordura a ser queimada. O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) é a $de mudar esse quadro, junto com a nova legislação.

    Hoje, um trem leva 88,41 horas do Alto Araguaia até Santos. Mas cada vagão leva em média 28,9 horas no porto para descarregar. Sem o ferroanel em São Paulo, os trens precisam trafegar de 30 a 40km/h para 5km/h. Levam um dia para atravessar a capital paulista, em vez de contorná-la.

    Ferrovias estão concentradas em poucas empresas

    A falta de concorrência no transporte ferroviário é o principal problema do setor, segundo técnicos do governo. O fato de as malhas de trem disponíveis no país estarem concentradas nas mãos de poucas empresas contribui para aumentar a burocracia e deixar os custos elevados para exportadores. Um exemplo do efeito nefasto da concentração é que as concessionárias fazem de tudo para evitar que concorrentes utilizem seus trilhos. Em Santos, a MRS detém o acesso até o porto, mas a ALL é responsável pela linha lá dentro.

    0
  • Miguel Jacó 23 de janeiro de 2012 at 17:40

    Notícia bombástica, mudará os rumos do Brasil (para pior):
    Missão de Dilma para 2012: crescimento de 4%
    Presidente pode reduzir impostos, tomar medidas de estímulo e possivelmente sacrificar outras metas se for preciso.

    Atentem para este trecho:
    “…..Se os preços das exportações de commodities brasileiras ficaram estáveis ou caírem neste ano, isso pode deixar a demanda do consumidor como único motor remanescente para a economia. Nesse caso, medidas de estímulo podem gerar bolhas em áreas como o setor imobiliário e no crédito para grupos de renda mais baixa….”

    h t t p://exame.abril.com.br/economia/noticias/missao-de-dilma-para-2012-crescimento-de-4?page=1&slug_name=missao-de-dilma-para-2012-crescimento-de-4

    0
  • Anonymous 23 de janeiro de 2012 at 17:48

    Eu já tive mais respeito por bancos, principalmente os suiços. Hoje, entendo o motivo de alguns terem “investido” com o Madoff. O motivo é simples: são tão ou provavelmente mais idiotas do que qualquer pessoa.

    Cresce disputa de bancos por milionários
    www1 . folha . uol . com . br/mercado/1038078-cresce-disputa-de-bancos-por-milionarios . shtml

    O Brasil produzirá 271 milionários por dia até 2016. Depois da China, entre os emergentes, o país terá a maior fábrica de endinheirados com mais de US$ 1 milhão na conta bancária nos próximos cinco anos, segundo estudo do banco Crédit Suisse.

    São fortunas que estavam “imobilizadas” em negócios de pequeno e médio portes, TERRENOS COBIÇADOS, FAZENDAS E IMÓVEIS RECÉM-VALORIZADOS …

    Madoff liquidator seeks $375 million from Credit Suisse
    www . thelocal . ch/2017/20111214/

    The liquidator of the Madoff pyramid scheme case is seeking $375 million from Credit Suisse to be used to repay investors duped of billions of dollars in the scandal.

    0
  • Carlos_ 23 de janeiro de 2012 at 18:24

    Chamo atenção para o trecho da reportagem acima, sobre a Grafisa:

    “Mais uma vez a Tenda foi à grande vilã dos números consolidados da Gafisa, dado o cancelamento de inúmeros lançamentos e dos contratos de vendas já assinados junto aos clientes que não conseguiram aprovação do financiamento bancário.”

    Resumo: clientes que compraram na planta e não tem grana para pagar o imóvel na entrega. Como dissemos várias vezes aqui que aconteceria.

    Então, fica a dúvida: se o mercado está aquecido, se os preços são adequados ao poder aquisitivo da pessoas, porque OS COMPRADORES TIVERAM QUE DEVOLVER O IMÓVEL E PERDER OS 20% QUE DERAM DE ENTRADA? Por que não conseguiram repassar, mesmo sem nenhum ágio ou até mesmo com um pequeno prejuízo, para recuperarem parte da entrada?

    0
  • Luiz 23 de janeiro de 2012 at 18:38

    Será só a Tenda?
    Será só a Gafisa?
    Será só o perfil MCMV?

    Será tudo uma ilusão

    0
  • rafael 23 de janeiro de 2012 at 19:25

    Só para informação, ewste empreendimento vai ser entregue em Fevereiro, pertence ao MCMV, valor inicial R$ 115.000,00.

    Tem 20 anuncios no ZAP.

    http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-SAO-CRISTOVAO-RUA-GAL-BRUCE/ID-2729035

    0
  • realidade 23 de janeiro de 2012 at 19:31

    Meu amigo, de idiota os suiços não têm nada. A comunidade helvética é uma das mais evoluídas, instruídas e inteligentes na história da civilização. Um banco suiço com braço em um país emerdente nem sempre representa 100% sua matriz. A suiça é o cofre do mundo moderno.

    0
    • Anonymous 24 de janeiro de 2012 at 09:56

      É mesmo? Então explica como a matriz foi tão idiota a ponto de cair na conversa do Madoff?

      www . thelocal . ch/2017/20111214/

      0
      • realidade 24 de janeiro de 2012 at 10:36

        Engraçado criticar o suiço, quando você mesmo contribuinte foi roubado por banqueiros nacionais. Isso mesmo. Lembra do banco do titio Silvio, cuja CEF, da qual você é acionista, como brasileiro e contribuinte, comprou 49% das ações do Panamericano e não viu nada de errado. Agora pergunto: O Maddoff tá em prisão “domiciliar”? Querer comparar a seriedade dos bananenses com alguns outros povos é brincadeira. Pode ter certeza que os fizeram essa cagada não foram só os suiços. Até judeu ortodoxo entrou, rabino e inclusive familiares do cara. Pilantragem têm no mundo inteiro. A diferença está no que acontece com os responsáveis após descoberto o fato…..

        0
        • Anonymous 24 de janeiro de 2012 at 11:48

          Eu não; largue a Banânia faz um tempinho. Na minha opinião, só trouxa continua morando aí.

          0
        • Anonymous 24 de janeiro de 2012 at 11:54

          Existe uma condição básica para qualquer pessoa cair no conto do bilhete premiado que é o seguinte: Ela se acha MAIS esperta do que o sujeito que está vendendo o bilhete. É o caso do Credit Suisse (e muitos outros) que compraram o “bilhete” do Madoff (rendimentos da ordem de 15% ao ano). É também o caso de milhares de bananenses que compraram o “bilhete” das construtoras (rendimentos da ordem de 30% ao ano). Percebeu a semelhança?

          0
  • Vinicius 23 de janeiro de 2012 at 19:40

    “Olhe o que aconteceu agora”, disse Eike. “Os preços dos imóveis triplicaram. As pessoas deveriam me pagar uma comissão”.

    http://oglobo.globo.com/economia/nyt-sobre-eike-magnata-ve-si-proprio-como-inspiracao-3730098

    Pagar comissão por transformar a vida dos que querem comprar imóveis um inferno ?

    0
    • Anonymous 24 de janeiro de 2012 at 10:03

      magnata vê a si próprio como inspiração – Qualquer pessoa com um mínimo de conhecimento de psicologia perceberá que ele ainda não abandonout o “projeto causa sui”, ainda está na fase do narcisismo infantil.

      0
  • Leo 23 de janeiro de 2012 at 19:43

    Acabei de ficar sabendo, por uma Amigo, que a Construtora Arcaz (eu nao conhecia) esta Quebrada… Esse amigo comprou um AP na Planta em Niteroi / RJ e a ideia era vender após a entrega das chaves…. Após longas discussoes, ela resolveu antecipar a venda e tentar repassar antes da entrega. Alguns interessados ligaram e somente 1 resolveu dar sequencia a compra.. durante o processo esse possivel comprador pediu a uma empresa de contabilidade p/ verificar o balancete da construtora e descobriu que ela esta QUEBRADA.

    Isso me fez pensar, quantas construtoras devem estar nessa situação ?

    Em paralelo vou tentar descobrir com o nome do ” empreendimento ” para saber se ainda existe imovel a venda pela construtora.. pq se ela realmente estiver quebrada, a entrega das chaves aos especuladores vem com um brinde… a concorrencia direta e desleal da construtora.

    0
  • thiago fm 23 de janeiro de 2012 at 19:51

    ACHEI UM MAPA BASTANTE INTERESSANTE DA ÁREA DE GEOPROCESSAMENTO DO SECOVI/SP DE AGOSTO DE 2011, NO QUAL SE PODE OBSERVAR O LANÇAMENTO DE EMPREENDIMENTOS NOS ÚLTIMOS 3 ANOS EM SÃO PAULO E O ESTOQUE ATUAL DE UNIDADES A VENDA. PERCEBAM A GRANDE QUANTIDADE DE EMPREENDIMENTOS COM ESTOQUE ACIMA DE 20 UNIDADES. NÃO DÁ PRA CONTABILIZAR, MAS DÁ PRA SE TER UMA NOÇÃO DO ENCALHE DE IMÓVEIS.

    http://www.secovi.com.br/files/Arquivos/mapas-1109.pdf

    0
  • Avoador 23 de janeiro de 2012 at 20:16

    Não sei se convêm mas, notícia boa para um tópico:

    “Seg 23/01/12 – 18h – Dinheiro da caderneta de poupança para habitação deve acabar em 2 anos – estimam economistas

    A caderneta de poupança pode estar com os dias contados como principal origem de recursos para o financiamento imobiliário. A estimativa de economistas é de que em dois anos seja atingido o limite, restringindo a oferta de imóveis para a classe média brasileira. Em dez anos, os depósitos dos poupadores cresceram 238% (R$ 14,2 bilhões em 2011) e o saldo dos financiamentos aumentou 4.110% (estimativa de R$ 80 bilhões no ano passado). “Em algum momento, lá por 2013, as linhas vão se cruzar”, diz Fernando Baumeier, superintendente de negócios imobiliários do banco Santander. ”
    Fonte: http://montesclaros.com/noticias.asp?codigo=57342

    Não sou especialista, muito menos entendido, apenos acompanho os confrades do blog… podemos questionar então:

    – Quando acabar o dinheiro desta farra, imagine quem terá imóvel para vender e compradores não tendo mais meios de financiar?

    -Seria este o prazo estipulado que tanto esperamos, fim do crédito, ploc da bolha?

    -Pra quem tem necessidade de fazer um financiamento porque não tem mais do que 10k juntados (meu caso), seria interessante financiar agora para moradia caso ache uma boa pechincha?

    0
  • Ploc 23 de janeiro de 2012 at 20:35

    Senhores,

    Acabo de ouvir num onibus na Barra (Rio de Janeiro) corretor falando ao celular que está desesperado pois há meses que não consegue vender nada e precisa urgentemente mudar de área pois já está com várias contas atrasadas.

    Talvez seja um caso isolado ou ele não é bom profissional. Como não consegue vender nada se o mercado está aquecido?

    Abraços,

    Ploc

    0
  • thiago fm 23 de janeiro de 2012 at 20:46

    http ://exame.abril.com .br/mercados/noticias/acoes-defensivas-perdem-espaco-para-consumo-e-construcao-5?page=1&slug_name=acoes-defensivas-perdem-espaco-para-consumo-e-construcao-5

    Ações defensivas perdem espaço para consumo e construção

    Investidores parecem mostrar mais disposição para apostar em ações além daquelas consideradas defensivas como telefonia e energia…

    Esperemos os balanços

    0
    • lrp 23 de janeiro de 2012 at 21:49

      Pessoal, infelizmente minha irmã é corretora, rs, mas quem mandou não estudar né, a sorte dela é que a imobiliária que ela trabalha atende muitas pessoas ricas, jogador de futebol, médicos bem sucedidos, mesmo assim vejo ela sempre no vermelho, nunca consegue juntar grana nenhuma. Se a situação ta ruim pra ela que atende os ricos imagina pro resto.

      0
  • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 23 de janeiro de 2012 at 22:09

    Nao sei mas acho que nos aqui da bolha somos uma minoria desacreditada e tida como loucos varridos. Vc chega em uma roda de amigos e tenta falar do absurdo dos preços e todos acha isso normal – que os preços sao esses e tambem nunca vao cair. Pergunto entao quem e que tem $$$ pra comprar nesses valores e eles apenas se referem a existir um “monte de gente com dinheiro” porem nao me apontam um desses – ou seja, como eles ja tem imoveis acham “bonita” a situaçao pois incentivando o alto valor do imovel tambem acham que o deles vale a mesma coisa. Chega a ser engraçado se nao fosse tragico. Esses sao os verdadeiros fomentadores indiretos da bolha – alem de nao comprarem nada ainda acham tudo bonito – vai enteder uma coisas desses?

    0
    • FoxBravo 24 de janeiro de 2012 at 07:39

      Acontece exatamente o mesmo comigo. E quando aparece um imóvel com um preço 10% de desconto dizem que está bem barato!

      0
  • Todd 23 de janeiro de 2012 at 22:10

    PINIWEB – Estudo aponta alerta de bolha para alguns segmentos do mercado.

    Carta trimestral do NRE-Poli mostra fatores que indicam desequilíbrio no setor imobiliário:

    http://www.piniweb.com.br/construcao/mercado-imobiliario/artigo240867-1.asp

    0
  • A espera de um estouro 23 de janeiro de 2012 at 22:12

    PEssoal, alguém aqui já comprou imóveis em leilão? É uma alternativa viável em tempos de bolha?

    0
    • Andre da Bolha de Plastico (para evitar homonimos) 23 de janeiro de 2012 at 22:27

      Imovel nao, eu comprei carros em leilao judicial (tradicional) e te digo que a coisa nao e assim tao facil – primeiro porque vc tem que depositar 20% do valor – e o restante alguns juizes admitem pagar o resto em parcelas – poreme se o devedor recorrer da decisao da venda a coissa pode demorar anos – isso e negocio pra quem tem muito dinheiro – o cara compra 10 imoveis (ele estuda o processo antes pra ver se o advogado do reu durante o processo foi muito diligiente ou nao) ele procura os reus com os piores advogados esperando evitar recursos do devedor dos 10 imoveis arrematados 30% podem dar chabu (recurso do devedor, demora, etc) e os outros 70% ele pega o imovel – quando ele vende esse 7 os outros 3 imoveis (enrolados) ficam de lucro – e dai a 5 ou ate 10 anos – ele pode usufruir do bem.
      Existe ainda o lelilao extrajudicial – esses realizados pelos bancos – em execuçao de hipotecas – sem a participaçao direta da justiça – o problema e que ate hj. nao se sabe ao certo se isso e ou nao legal e dai muitos devedores recorrem ao judiciario para anular a venda – tambem e uma loteria. Outra coisa – tem que ver se tem dividas de condominio e IPTU pois se demorar muito para se apossar do imovel o tiro pode sair pela culatra. Se e um bom negocio – sim – para quem tem muita experiencia e faz isso somente como um negocio e nao para morar.

      0
      • FoxBravo 24 de janeiro de 2012 at 07:46

        Já comprei muitos de leilões de bancos. Coisa de 10, 8 anos atrás. Sempre para revender e sempre desocupados. Nunca tive problemas com a justiça. Muitos destruídos pelos antigos moradores precisando de reformas mesmo sendo novos.
        Antes de comprar pode-se visitar o imóvel e consultar os débitos de iptu, condomínio, etc. Nenhuma compra no escuro. Dava para planejar bem.

        De qualquer forma esse tipo de leilão atraiu muitas pessoas e os preços começaram a fugir do controle. Eu vi vários imóveis sendo arrematados por preços acima do mercado. Apartamentos arrematados por preços maiores do que o apartamento vizinho! Então ficou inviável como negócio.

        Não sei como está hoje. Os leilões que eu olhei alguns meses atrás estavam todos sem lances. Tudo com preço mínimo muito alto (dentro do preço do “mercado”) mas que eu considero alto.

        0
  • Neo 23 de janeiro de 2012 at 22:19

    Não não Money addicted, você está certíssima em seu raciocíonio

    É exatamente isso que acontece no Brasil, e pasme, é o que o diferencia
    dos paises desenvolvidos.

    Explico:

    Uma vez, quando fiquei sobre o preço do honda fit nos EUA comentei sobre
    isso com minha chefa, ela tinha um civic e o marido um fit.

    Falei que lá era 14mil dolares um zero. E comentei que “aqui poderia ser assim né”.

    Esperando uma revolta por parte dela de repente ouço: “Mas ai todo mundo vai ter um”.

    É essa a mentalidade dos classe “alta”. Se todo mundo tem não presta, perde a graça.

    Tem que ser alto para filtrar.

    Só que fulano esquece, ou se finge de burro, que se todo mundo tem um fit ELA TERIA UM PORSCHE pelos 40mil dolares que pagou no civic.

    Você tem que pagar o preço justo, o resto o mercado dá um jeito aos poucos.

    Se o preco justo da roupa é X e a classe baixa compra ela, a que custava 3X vai baixar e ficar mais acessivel para a classe media.

    Ou seja, enquanto as pessoas aceitarem pagar mais por status seremos sempre colônia, não tem jeito.

    >>Money addicted disse:
    >>23 de janeiro de 2012 às 14:39
    >>
    >>okay, eu sempre penso nessa questao, e vou tecer alguns comentarios que talvez possam >>ser encarados como preconceituosos, mas vamos la, em uma situacao hipotetica (e tambem >>levada ao extremo para exemplificar) o q vc preferiria, tendo dois predios identicos no entanto >>um o governo comprou e deu para pessoas de baixissima renda morar e o condominio sera >>pago pelo governo e um outro predio onde os moradores terao que pagar o condominio do >>proprio bolso (valor alto), fica a pergunta, qual seria a escolha?
    >>
    >>eu estava pensando sobre isso, pois no sabado fui comemorar o aniversario de uma amiga, e >>fomos em um lugar bom, no entanto super caro (a minha cta + da namorada ficou em R$95) >>apenas dois lanches e dois sucos.
    >>
    >>a questao eh que se fossemos em um lugar mais barato o ambiente seria mto desagradavel.
    >>
    >>nao sei como eh em outros paises (nunca morei no exterior) mas aqui (como foi dito) se usa >>o valor para filtrar, o grande problema que vejo eh que esse valor elevado quase nunca se >>reflete em melhor qualidade dos produtos.
    >>
    >>Ps.: espero que nao tenha passado uma img mto preconceituosa
    >>

    0
    • carlos 23 de janeiro de 2012 at 22:34

      Passou sim.

      Gente é gente. Vc filtra é sujeira.

      0
      • Lucas Sabino 24 de janeiro de 2012 at 08:35

        A é?
        Teria coragem levar os traficantes do rio para um churrasco na sua casa?

        0
        • carlos 24 de janeiro de 2012 at 08:38

          Pode ter certeza que os maiores traficantes mesmo vc nem suspeita que são traficantes; usam terno e gravata e tenho certeza que vc os levaria tranquilamente pra jantar na sua casa.

          0
          • carlos 24 de janeiro de 2012 at 08:40

            Complementando: os levaria pra jantar, sem nem suspeitar que se trata de traficantes.

            Nem todo pobre é bandido, nem todo rico é honesto. Muito pelo contrário.

            0
            • Lucas Sabino 24 de janeiro de 2012 at 23:40

              Me refiro aqueles que usam kalashnikov nos morros do rio.
              Os outros traficantes de terno não colocam você no “Microondas” apenas por você ter nascido em um bairro nobre.

              0
    • Sir Income 23 de janeiro de 2012 at 22:43

      É essa mentalidade que faz as pessoas migrarem de cidade. Muitas pessoas saíram de Santos para morar em São Vicente, Praia Grande e até Mongaguá por falta de condição de comprar apto em Santos.
      E não estou falando de pobre.

      0
    • Neo 23 de janeiro de 2012 at 22:44

      pois é carlos,

      essa colônia não tem jeito

      a classe alta que devia dar o rumo das coisas, por ser mais estudada, tem mais cultura, lê mais, viaja para o exterior, parece que prima em fazer o contrário e se sente bem com isso!

      Andar na contramão.

      É dificil fazer as pessoas sairem da matrix, eu nem tento mais, só falo quando alguem se mostra interessado, você ainda acaba sendo ridicularizado e passam a fazer conta de quanto tem investido/aplicado etc por não seguir a massa.

      0
    • MrK 24 de janeiro de 2012 at 09:28

      Olha, o problema que nao funciona assim

      nao eh o fato de voce pagar mais que vai garantir que tera vizinhos de alto nivel, morei a vida toda no Rio em predios de “alto padrao” da zona sul e ja sofri muito com vizinhos..

      Tive vizinho que quebrava a porcaria do ap todo ano, obra o tempo todo
      Tive vizinho que pra camuflar obra proibida (sabado) ligava rock n roll no maximo
      Tive vizinho que tinha um ar condicionado tao velho que fazia tanto barulho (parecia um aviao antigo) e nao me deixava dormir
      Vizinho que fazia festa nas alturas todo dia ate de madrugada e um bando de maconheiro
      Ja sofri com elevador pixado, gente que joga coisa pela janela..tudo em predio rico

      mas o que mais me irrita eh o vizinho FDP que pra fazer um “bonito” abre o livro de caixinha do natal com R$800… e faz voce parecer um porco pao-duro, FDP!!!!!!!!

      0
    • Rico 24 de janeiro de 2012 at 10:00

      Desculpe o comentário, mas é o pensamento de vários aqui. Na verdade, como muitos tem emprego público e não sofre problema de desemprego, quer mais que o país se exploda para que possa comprar imóveis e outros bens a preço de banana.

      Tem muito urubu aqui sobrevoando esperando a carniça.

      Sad, but true.

      0
      • MrK 24 de janeiro de 2012 at 10:10

        Rico,

        a pessoa que esperava uma quebra pra comprar mais barato e’ tao “capitalista” e “calculista” quanto a pessoa que compra na planta um imovel pra revender mais caro pro futuro morador

        um tenta ganhar dinheiro sem fazer nada, o outro tenta economizar sem fazer nada (de certa forma ganhar tambem)

        estao todos jogando O MESMISSIMO jogo, todos conforme as regras…

        PS: Nao sou funcionario publico

        0
        • Rico 24 de janeiro de 2012 at 13:29

          MrK, acho que você resumiu meu pensamento. Não tenho nada contra o mercado financeiro, ganha quem sabe jogar.

          Acompanho o blog a muito tempo, verifico que tem saído um pouco do foco, com muitos citando “funcionários mamando na teta do governo” e outros chamando de “corretorzinho de m…”

          Em tempo, tenho nojo de corretor, acredito que a diferença da maioria e um bandido é a ficha criminal, sim, acredito que a bolha vai estourar. Mas voltar para o Brasil de “Odete Hoitman”, acredito que não.

          Encotraremos um meio termo. Só lamento nessa evolução de renda toda o baixo investimento em educação e Pesquisa e Desenvolvimento. Ao invés de MCMV, os financiamentos deveriam estar direcionados para educação e P+D.

          Falando nisso algumas frases de Odete Hoitman, que reflete bem a situação atual:

          – “E eu que pensei que alguma coisa tinha mudado nesse país. Foi só botar o pé aqui que você começa a sentir esse calor horroroso, uma gente horrível no caminho, gente feia esperando ônibus caquéticos no ponto.”

          – “Eu gosto do Brasil. Acho lindo, uma beleza. Mas de longe, no cartão postal. Essa terra aqui não tem jeito. Esse povo daqui não vai pra frente, é preguiçoso. Só se fala em crise e ninguém trabalha?”

          []’s

          I

          0
      • Lucas Sabino 24 de janeiro de 2012 at 11:00

        Quem regula os preços de mercado é o povo.
        Se o povo compra é porque pode pagar.
        Se ninguém comprasse os preços baixariam.
        Todo mundo reclama quer carro ta caro mas acaba comprando.
        Eu sei o que vão dizer que o transporte publico é ruim etc .. etc.., mas enfim a verdade é essa, o povo tem um poder enorme na mão e não sabe usar, nós aqui do blog somos minoria, é que nem greve, se somente 20% aderir, esses 20% vão pra rua, mas se pelo menos 80% aderir, o emprego de todo mundo estaria (de certa forma) garantido, um pequeno aumento também.
        Agora e pra convencer os outros 80%? vai demorar um pouco né?
        até lá vamos ouvir corretor babaca falar:
        – Olha.. vai aumentar ainda mais até em 2016 um imovel de 45metros vai estar custando 700.000R$

        0
  • Muca CG Muita Treta 23 de janeiro de 2012 at 22:44

    É, de fato, somos minoria mesmo. Ainda. Mas aos poucos, o assunto bolha tem sido disseminado. Basta notar nos comentários das notícias que são postadas aqui. Mas, mesmo tendo essa percepção, todo esse cenário tem me deixado preocupado e chateado. Outro dia, meu pai perguntou porque eu não comprava logo um apartamento popular, para começar a vida de casado com “mais segurança”. Quando respondi que estava muito caro e não compensava, ele respondeu: “tá cara e não vai abaixar; nunca abaixou”. É essa mentalidade opressora que precisa ser combatida com força por nós. Não enxergar o novo panorama é um fator delimitador de crescimento pessoal e econômico.
    Entre as pessoas que tenho algum poder de persuasão, conseguiu convencê-las a ir contra o comportamento de manada. Pior, exigi que minha esposa conhecesse o mercado in loco. Estamos procurando imóvel para alugar e, até então, eu que estava correndo atrás. Essa semana, ela foi visitar imobiliárias e, ao chegar em casa, ela me confidenciou: estava espantada com os preços. R$ 800, R$ 900 é preço de casa de fundos na zona leste de SP. Um absurdo. Não por mim. Mas imagine quem ganha um salário mínimo. Vai morar aonde? Nem em fundos consegue mais? Não é algo que, além de incomodar racionalmente, revolta psicologicamente? Sério, desde que percebi o cenário econômico atual desmoronando pela liberação desenfreada de crédito, tenho aflição física a cada leitura de matéria que apoia esses absurdos. Tenho 26 anos e quando estava na faculdade pensava que no dia que eu ganhasse mais de R$ 3 mil, minha vida seria um pouco mais tranquila. Esse dia já chegou. Mas quando o dia 30 bate à minha porta, aquele salário mil já se foi e eu nem sequer ostentei para justificar a evaporação da grana.

    0
    • Neo 23 de janeiro de 2012 at 22:50

      quem ganha um salario minimo em sao paulo tem que morar perto do esgoto na periferia. E depois do aluguel sobra só pra comida e olhe lá.

      não é exagero. e alguns chamam isso de progresso.

      0
      • Muca CG Muita Treta 23 de janeiro de 2012 at 22:53

        Pois é. Não é uma atitude progressista e muito menos sustentável. A sociedade entrará em colapso não só econômico. Quem está incomodado com tudo isso, pode até ser afetado de outras maneiras. Eu mesmo nunca passei tanto nervoso com uma situação do país.

        0
        • Neo 23 de janeiro de 2012 at 23:02

          O colapso social esta perto mesmo.

          São Paulo é uma bomba relógio.

          Na zona leste tem uma estação de metro, a última da linha vermelha (corinthians itaquera). Se você traçar um raio de 3k em volta dela tem, pasme, tem cerca de 500mil adolescentes e pre-adolescentes.

          Isso mesmo, meio milhão de pessoas que estão excluídas, logo chegarão a idade adulta e precisarão de R$ para se manterem.

          O governo desesperado está construindo 2 escolas lá do lado da estação. Uma Fatec e um IFSP.

          Só que juntas não vão oferecer nem 3mil vagas. SÃO 500mil adolescentes!

          Bomba relógio, coming soon.

          0
          • Muca CG Muita Treta 23 de janeiro de 2012 at 23:07

            Eu sei disso. Moro dentro desse raio. Atualmente, vivo em uma casa no segundo quarteirão após o metrô Artur Alvim. Só na Cohab que tem aqui perto, é gente que não acaba mais. AE Carvalho e Itaquera também são bairros cheios de jovens e condomínios populares.

            0
            • Neo 23 de janeiro de 2012 at 23:11

              Muca, a ultima coisa que lembro do reitor falando na reuniao é “só nos resta sentar e chorar”

              Não dá para oferecer 500mil vagas. Gostariamos muito, mas é impossível.

              0
              • Muca CG Muita Treta 23 de janeiro de 2012 at 23:17

                Neo, mas lembrando também que, nem todos os 500 mil jovens residentes por aqui têm interesse em estudar. Tenho amigos com cujos pais se ofereceram a pagar faculdade e os caras não quiseram. Preferiram ficar trabalhando no comércio dos pais, andando de carro pelo bairro e ostentando o pouco que têm. É triste. Muitas pessoas clamam por oportunidades, mas sei que na real nem todos se esforçariam por uma vida melhor.

                0
                • Neo 23 de janeiro de 2012 at 23:21

                  mas um dia não terão mais pai e mae.

                  0
          • Lucas Sabino 24 de janeiro de 2012 at 09:08

            200.000 vão morrer em confrontos entre traficantes(eles mesmos) e a policia, antes disso vão matar umas 35.000 pessoas.
            100.000 vão trabalhar na construção civil já que o mercado tá aquecido e a mrv está contratando a rodo até haitiano.
            100.000 vão trabalhar como corretor de imóveis que também o mercado está aquecido.
            100.000 vão pra faculdade porque esses realmente querem estudar.
            pronto.. fechou a conta!

            0
  • Sir Income 23 de janeiro de 2012 at 22:48

    Dá série para rir… Olhem os argumentos desses caras! PQP!

    DOMINGO, 22 DE JANEIRO DE 2012

    Imóveis ficarão mais caros ao longo do ano
    Diário do Grande ABC –

    Quem deixou para comprar a casa própria neste ano pode preparar o bolso. Ao que tudo indica, os imóveis devem manter a mesma valorização de preços que em 2011 – entre 15% e 20%. “Os índices de venda de lançamentos no Estado devem até encarecer”, projeta o economista-chefe do Sindicato da Habitação do Estado de São Paulo, Celso Petrucci.

    Apesar da supervalorização nos imóveis, especialmente no segundo semestre – o que preocupou empresários do setor sobre uma possível baixa na venda de unidades -, o presidente da Viana Negócios Imobiliários, Aparecido Viana, é enfático: “Imóvel sempre vai valorizar, porque a oferta é sempre menor e, a demanda, maior”.

    Contudo, o presidente da Associação dos Construtores, Imobiliárias e Administradoras do Grande ABC, Milton Bigucci, minimiza o impacto dos aumentos, ao frisar que nos últimos quatro anos triplicou o custo das residências. Dessa forma, o ritmo não deve assustar. “Os aumentos não podem ser tão altos para não prejudicar a velocidade das vendas e escoamento das unidades.”

    Segundo ele, equilibrar essa conta matemática não é nada fácil. Isso porque, além da valorização real dos imóveis, as construtoras ainda arcam com preços elevados dos terrenos, reajustes de salários no segmento e de material de construção. Também defendem margem de lucro como justificativa para aumentos. “Tudo isso é repassado aos compradores, não tem jeito.”

    A cidade elegida pelos empresários ouvidos pela reportagem do Diário a despontar até dezembro na região é Diadema. O valor médio cobrado pelos imóveis será entre R$ 240 mil e R$ 300 mil.

    Para o presidente da MZM Construtora, Francisco Diogo Magnani, a cidade já conta com quatro empreendimentos da construtora. Um deles envolve um hotel com 10,8 mil metros quadrados, no Centro. “O fato de o terreno ser muito mais barato do que em São Paulo é um diferencial. Custa de 30% a 60% menos.”

    Contudo, a menina dos olhos do setor hoje é São Caetano. Apesar do espaço restrito, Viana garante que ainda há “gordura” de até 7% a ser preenchida na cidade nos próximos meses.

    Os tamanhos dos imóveis, segundo o delegado regional do Creci-SP, Alvarino Lemes, devem ficar na média de 44 m² a 52 m², para imóveis de até R$ 170 mil. Já unidades com preços de R$ 280 mil, devem abarcar tamanho entre 68 m² a 75 m². “Os mais procurados são e devem continuar sendo os de dois dormitórios para as metragens menores.”

    CAUTELA – A crise e a inflação em alta, que abocanham os ganhos da massa salarial, já interferem no desejo dos paulistas para comprar imóveis. Pesquisa do Programa de Administração de Varejo mostra que neste trimestre, frente a igual período de 2011, houve queda de 32,5% na intenção de compra de imóvel. Só 500 entrevistados falam em adquir uma unidade até março.

    Apesar disso, o gerente de vendas da Casari Imóveis, Valdecir Lanza, garante que as expectativas na região são otimistas. Mas admite: “As vendas não serão em igual volume, tão grande, como foi nos últimos três anos na região”.

    Vendas estão abaixo do esperado

    No Grande ABC, as vendas de imóveis até o terceiro trimestre (balanço mais recente), apontaram crescimento de 34,09% em comparação com o mesmo período de 2010, somando 2.596 unidades, segundo a Acigabc.

    O desempenho do setor imobiliário superou o dos quatro últimos iguais períodos. Bigucci, presidente da Acigabc, espera que o setor tenha repetido nos últimos três meses de 2011 ao menos o número de 2.000 imóveis comercializados de outubro a dezembro de 2010.

    Enquanto não há o fechamento do ano, imobiliárias destacaram que as vendas superaram, e muito, o volume obtido em 2010. A ressalva, no entanto, é que os números ficaram abaixo do projetado. A alta previsão era de resultado do forte aumento de comercializações, especialmente após 2010, quando ocorreram picos nas vendas.

    Lanza, da Casari Imóveis, destaca que houve momentos inclusive de decréscimos nas vendas no fim de 2011. “Os imóveis com valores acima de R$ 500 mil foram os que mais tiveram estabilização nos preços.”

    Já o volume de imóveis lançados e vendidos na região metropolitana de São Paulo foi menor em 2011, se comparado a 2010 – foram colocadas no mercado cerca de 65 mil unidades, enquanto que em 2010 foram 70 mil imóveis – 10% a menos. Quanto às comercializações, 2011 somou 52 mil unidades, contra 65 mil (25% menos) dois anos atrás, diz o Secovi-SP.

    “A queda nas vendas em 2011 foi resultado das más notícias na economia mundial, maior inflação e a indefinição das regras do programa federal Minha Casa, Minha Vida (no primeiro semestre), que acabaram por frear o ritmo “, justifica Petrucci, do Secovi-SP. (TM e VG)

    www .clippingimoveis.com.br/2012/01/imoveis-ficarao-mais-caros-ao-longo-do.html

    0
    • Lucas Sabino 24 de janeiro de 2012 at 08:53

      Tudo farinha do mesmo saco, esse Milton Bigucci é nada mais nada menos que dono da MBigucci:
      http://www.mbigucci.com.br/capa/1024

      0
      • Eduardo 24 de janeiro de 2012 at 12:03

        Esse Bigucci é um hipócrita. Meu primo fornece materiais para acabamento a essa empresa, e em conversa com os diretores desta, foi revelado que estão com muito receio em relação ao número de lançamentos para este ano. Além do mais, também estão preocupados com as vendas.

        0
    • bertz 24 de janeiro de 2012 at 12:53

      Hhehehee também vi esta reportagem Sr Income, quando comprei em 2009 tem imóvel que desde aquela época está a venda, mais infelizmente no ABC, vai demorar um pouco mais para cair, pois SP tá muito caro e aqui ainda é o preço 50% com imóveis parecidos.

      0
  • DanielCM 24 de janeiro de 2012 at 00:05

    Algumas notícias (o mercado tá bombando, no meu é que não é):

    w w w . infomoney.com.br/imoveis/noticia/2319433-brasileiros+acreditam+que+precos+imoveis+devem+desacelerar+2012

    “De acordo com enquete do portal InfoMoney, 29% dos leitores acreditam que a probabilidade dos valores de imóveis residenciais desacelerarem este ano é de 100%.”

    http://estadao.br.msn.com/economia/aluguel-para-carnaval-em-santos-e-guaruj%C3%A1-est%C3%A1-at%C3%A9-40percent-menor

    “Aluguel para Carnaval em Santos e Guarujá está até 40% menor”

    w w w . brasileconomico.com.br/noticias/vendas-de-imoveis-novos-em-sp-caem-208-ate-novembro_111811. html
    “Vendas de imóveis novos em SP caem 20,8% até novembro” (é da semana passada)

    economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201201191643_TRR_80745155
    “Desaceleração trava setor imobiliário em São Paulo, diz Secovi” (é da semana passada)

    0
  • Zoom 24 de janeiro de 2012 at 00:25

    Pow, sei que estou atrasado, mas quem entende esses pessoais. Uma hora o camarada solta um depoimento que o setor da construção está aquecido e numa outra hora solta que já sabíamos do que iria acontecer. Sacanagem.

    “Por outro lado, os analistas do Itaú BBA, David Lawant, Enrico Trotta e Vivian Salomon, acreditam que os resultados já eram parcialmente esperados pelo mercado e, por conta disso, terão efeito reduzido sobre os papéis. Opinião que é compartilhada por Guilherme Rocha, Daniel Gasparete e Vanessa Quiroga, que compõem a equipe de análise do Credit Suisse.”

    Se já era parcialmente esperado pelo mercado, por qual motivo divulgarem que o setor está aquecido. Pega trouxa msm.

    Tchau, Dona GAFISA. Até a próxima encarnação.

    fonte: h ttp://www.infomoney.com.br/gafisa/noticia/2319473-previa+decepciona+analistas+preveem+impacto+negativo+sobre+acoes+gafisa

    0
    • Zoom 24 de janeiro de 2012 at 00:28

      Ops, aquecido não (isso todo mundo sabe que está) que as açoes irão subir. Não sei não, a Gaga tah quebrando.

      0
      • MrK 24 de janeiro de 2012 at 05:28

        Sao uns comediantes ne? Se ja “sabiam” que o negocio viria ruim, porque ha 6 meses tavam recomendando comprar e dizer que o preco alvo era R$16???

        Agora, pra comentar sobre essas empresas so’ mesmo aguardando o balanco, pra gente ver como ficaram com a posicao da divida, o caixa e o impacto desses apartamentos “devolvidos”, nessa hora que eu acho que o bicho vai pegar…

        0
        • Cleyton 24 de janeiro de 2012 at 21:47

          Imagino que no tribunal eles vão dizer que era apenas a opinião deles, ninguém precisava seguir.

          Para nós (e para quem levou algum tombo com subprime) ainda soaria familiar.

          0
    • etmso 24 de janeiro de 2012 at 09:40

      Não creio que a quebra da Gafisa seja percursor de uma crise no setor, pq como todos sabemos o governo é muito assistencialista e está com os bolsos cheios, como sempre será dinheiro nosso (BNDES) para ajudar os empresários.

      Vamos definir “bolha imobiliária” na minha concepção é uma baixa acentuada nos preços (30% ou mais) em um curto espaço de tempo (menor que 2 anos) desencadeado por um fator temor, atingindo amplamente o setor.

      Vamos listar o que poderia desencadear isto no Brasil:

      1) Quebra no sistema financeiro imobiliário;
      2) Quebra das construtoras;
      3) Recessão/Desemprego;
      4) Maior oferta que demanda por imóveis;

      Agora vamos analisar um a um:

      1) Acredito que esta quebra poderia se dar pelo endividamento das pessoas no crédito rotativo (cartão de crédito), entretanto para atingir todo o sistema financeiro brasileiro isto demorá algum tempo, pois a liberação de crédito p/ as classes de menor renda no Brasil é recente. Esta quebra ao meu ver também poderia ser na desonrra aos compromissos com o financiamento imobiliário, entretanto, hoje as regras são muito rigorosas em relação ao EUA (por exemplo) e a taxa de inadimplência vem diminuindo com relação a este financiamento.

      2) Historicamente temos a Encol, entretanto alguns prédios foram terminados por associação de moradores, etc, mas como aqui existem muitos ‘expeculadores’ talvez esta prática não daria certo. Acho que para isto atingir o setor teria que haver uma ampla “quebradeira” pelo menos umas 5 destas grandes quebrando ao mesmo tempo com as pessoas desistindo dos seus imóveis comprados na planta. Mas não sei se isto atingiria de forma acentuada o mercado, pois a oferta de apartamentos novos em relação aos usados não chega a 1/3. E outra, com o governo era Lulinha paz e amor, ninguém garante que haveria um socorro a estas construtoras;

      3) Acho que este é um fator que realmente poderia desencadear uma bolha, se a taxa de desemprego chegasse a uns 20% – 25% haveria muitas desonrras de financiamentos, vários imóveis iriam para leilão, o juros do financiamento iria subir por conta do risco, os imóveis voltariam a patamares da década de 90, efeito bolha derretimento de uns 80% nos preços.

      4) Não creio este aumento da oferta tem capacidade p/ diminuir drasticamente o preço, pois existe um baixa de moradia, pessoas morando em condições sub humanas que estão ganhando 1 ou 2 minimos e indo morar em casas populares ou conjuntos habitacionais (minha casa minha vida). E pessoas melhorando de vida, procurando casas/aptos melhores…etc E também existem muitas familias morando junto, filhos de 25 – 30 anos morando com os pais, coisa que a 2, 3 décadas atrás não existia igual hoje, pois as pessoas hoje casam mais velhas.

      Em resumo acho que para haver uma “bolha” teriamos que ter o fator (3) somado ao fator (4).

      0
      • aiwww 24 de janeiro de 2012 at 09:55

        Desculpe a sinceridade, mas não consigo ler suas observações. Foram escritos tantos erros de português que acabei parando no “demorá”. Poderia ser “demorará”? Como diz minha namorada, não consigo deixar de praticar o “sincericídio”. 🙂

        0
        • etmso 24 de janeiro de 2012 at 10:28

          Desculpe, rs, se você quiser copie e cole no word, passe o corretor, depois leia para não ferir seus olhos com minhas coloquiais palavras.

          0
      • MrK 24 de janeiro de 2012 at 10:04

        eu gosto de ler analises de 3os, bons pontos, mas acho que faltou coisa

        voce poderia citar outro fator que romperia a bolha: 5- Falta (ou encarecimento) do credito, uma vez que o credito diminua ou encareca, vai afetar rapidamente o poder de compra (demanda) e a oferta cresceu muito

        um detalhe: quanto ao seu ponto de recessao, acho que nao precisaria irmos a desemprego de 20% para ter um derretimento do preco dos imoveis, acho que se o desemprego ja bater em 10% a coisa ficaria feia, 12% ou 13% ja seria derretimento, mas nao vejo esse cenario pelo menos em 2012

        vale deixar registrado que so saberiamos com boa precisao quando a bolha estoura, se soubessemos o grau de especulacao no mercado, se de cada 10 aps vendidos, 1 foi pra especulador eh uma coisa, se de cada 10 vendidos, 4 foram pra especulador, eh ooooutra coisa, mas isso ninguem sabe com certeza!

        0
        • etmso 24 de janeiro de 2012 at 10:44

          Sim, esta falta de crédito pode ser desencadeada quando houver o cruzamento das curvas, poupança vs financiamento imobiliario. Mas já vi um camarada na TV dando inúmeras alternativas para isto, e outra, com a crise na Europa deverá chegar capital de fora aqui, por ser mais “seguro”. Em resumo, acredito que o governo tem muitas cartas na manga (recursos do FGTS) e irá solta-lás quando necessário, mesmo pq se ele soltar tudo de uma vez o preço explode. O governo irá soltar p/ não desquecer o setor, visto que o setor é oq mais oferta empregos formais.

          Quanto aos expeculadores dos empreendimentos na planta, eu também gostaria MUITO ver um dado sobre isto, mas vamos supor que seja 50%, seria 50% em relação aos novos imóveis, que são 30% em relação ao todo de ofertas.

          Ou seja seria 50% de 30% o que dá, 15% de expeculadores do total de imóveis ofertados. Acho que teremos uma leve baixa nos preços em bairros onde existem muito imóveis novos a serem ofertados, e mesmo assim, esta oferta ocorrera paulatinamente, não caracterizando um derrame de oferta e diminuição abrupta de preço, caracterizando a “bolha”.

          E outra, quando a construtora “toma” o imóvel do expeculador por calote, ela segura seu preço após o imóvel pronto, elas tem fôlego, para ela desovar estes imóveis a preços mais baixos teria que acontecer um calote geral dos expeculadores pois assim ela estaria com um imobilizado muito grande. Eu recebi uma planilha da Gafisa com estes imóveis tomados, eles estavam com preço bem alto.

          0
          • Carcará 24 de janeiro de 2012 at 11:25

            etmso, o que vocês troll não entendem é que não há como deter a alvorada. Vocês podem vir aqui e blá,blá,blá. Em relação a financiamento, não se preocupe. Eles não vão se exaurir. O problema é um pouco mais GRAVE – não haverá que se credencie, seja por qualificação técnica (money), seja por desinteresse, por força dos preços absurdos impostos pela BI.

            Contudo, troll etmso, entendo sua agonia… fique à vontade para nos brindar com suas “eXpeculações”.

            0
            • Jonathas 24 de janeiro de 2012 at 11:42

              Carcará,

              Ele está argumentando educadamente e, no meu ver, é bem-vindo. Temos que valorizar o contraditório, até para reforçar as nossas crenças.

              0
            • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 12:11

              prezado carcara, não considere o etmso um troll.
              ele se esforça em desenvolver uma argumentação bastante saudável, concordemos ou não.
              Eu mesmo só discordo dele no timing. Acho que estes argumentos tem prazo de validade, daqui alguns anos veremos a alvorada sim, mas a curto prazo estamos entrando numa estagflação das feias, vai ser um vale-tudo e as armas são essas que eles descreve e muitas outras. Somente algo macro vai mudar isso aí que ele pintou, mas cadê?

              0
              • etmso 24 de janeiro de 2012 at 12:44

                Quero deixar claro que até 1 mês atrás eu estava na posição de vocês. Aliás eu estava a uns 2 anos assim, e nos últimos anos vi os preços dos imóveis aumentando, na esperança de cair vendo o exemplo dos EUA (exemplo é com X né? rs) mas a minha crença na “bolha” era fundada por comentários aleatórios.

                Resolvi estudar mais a fundo a questão para tirar as minhas próprias conclusões, pois hoje o cenário é totalmente confuso, uma verdadeira loteria.

                E cheguei a MINHA conclusão baseada em estatisticas, custos e números e não no blá blá de corretores e desta mídia que manipula. EU acho que não haverá uma redução igual nos EUA nos próximos anos, acredito em uma queda (10% a 20% no máximo) mas isto será particular dependendo da região ou bairro por conta do aumento da oferta. Agora lugar que não tem oferta e tem aumento de procura, é batata: preço sobe.

                Agora gostaria de deixar claro a minha total indignação com os preços, mas o que fazer? Eu pago aluguel a 4 anos já, já devo ter pago uns 80 mil de aluguel no período e vi os preços subirem uns 80% acreditanto na “bolha” por palpite. Não haverá bolha pq queremos que haja, não existe este negócio de mobilização pra ninguem comprar, estamos num país que as pessoas formadas em universidades federais escrevem especulação com “X” o que dirá o resto da população…total manipulada.

                Agora se vocês quiserem que eu me retire das discussões. Deixando o grupo fechado a pessoas que acreditam que uma bolha virá derretendo os preços a patamares de 2007. Eu me retiro.

                0
                • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 13:00

                  Etmos
                  Mas a 4 anos atrás vc tinha dinheiro na mão?
                  Essa é a questão

                  Diferente de vc penso que o início da fase maníaca da Bolha começou em 2010, apenas 2 anos atrás. Cheguei nesta conclusão comprando inumeros dados, informações e lógicas e ao perceber valorizações muito discrepantes entre algumas cidades onde os fundamentos seriam basicamente os mesmos. Acreditava em inflação da bolha até 2013, mas pela estagnação e esgotamento da classe consumidora, o ponto fraco, já começamos a andar de lado no fim de 2011.

                  Todo o esforço que se fizer será para manter o atual patamar, e neste caso Salvador é leading. Lá já houve algumas recuperaçõse de empresas quebradas e projetos do MCMV. Eles estão derrapando desde uns 6 meses, mas uma coisa é salvar Salvador, outra coisa é um efeito manada nacional. No extremo oposto recife está só começando.

                  Portanto assim como nos EU, a bolha vai inflar e estourar cidade a cidade, bairro a bairro, a cada caso em em cada tempo.

                  Contudo o grande problema é: o que fazemos enqto os preços sobem? pra onde vamos? onde investimos?
                  Esta resposta tbm é pessoal.

                  UM blog nunca terá poder de influir no mundo
                  NOSSO GRANDE VALOR É A TROCA DE EXPERIÊNCIAS

                  0
                  • etmso 24 de janeiro de 2012 at 13:28

                    Na época eu não tinha Luiz, mas em 2008 eu entrei num empreendimento que eu podia comprar, estava nas minhas condições e ele era financiado até o fim com a construtora, ele era 270k e hoje “vale” uns 500k…Mas eu preferi achar que 270k era caro, e a repetir a frase “isto é bolha” … sem nem saber o que realmente tinha se passados nos EUA.

                    Eu tb acho que haverá uma queda particular, mas a palavra “bolha” remete a algo que era grande, que estora e que depois some…E todo mundo aqui percebeu que oq acontenceu nos EUA é diferente dq. Mesmo assim outro dia eu entrei num site de venda de imóveis, ainda é absurdo o preço dos imovéis no Brooklyn em NY.

                    Hoje existe no Brasil uns lugares inlógicos, lugares com preço absurdo que não oferecem um contigente de pessoas com renda suficiente p/ absorver os preços. Eu acredito que São Paulo seja o lugar mais econometrico do país, foi um dos últimos a subir o preço, pois tem muitas opções e tem muita renda, absurdamente.

                    Agora vc vai p/ uma capital do nordeste as cidades são legais, mas nada justifica ter um preço parecido ou próximo a sp/rio/bsb não há tanta gente ganhando bem qto nestas cidades…Depois do estouro da bolha nos EUA vc percebe claro este distanciamento, entre o lugar que tem renda e o lugar que é capital local e/ou turístico, hj NY e muito mais caro que Miami.

                    O Rio a maior influencia é pela falta de oferta, pelo pré sal e pela Globo, (cidade maravilhosa, rs), Brasília é pela alta renda, e nos últimos anos houve um acrescimo de funcionários publicos. Recife pelo porto de Suape e Refinaria do NE (30bi) e pela obras da Fiat.

                    Salvador, Natal, Fortaleza, não vejo nada de grande porte, que efetivamente mudou a renda das pessoas, talvez seja um pouco pelo oba, oba, euforismo (obra da copa não vale, pois o investimento é 1bi, irrisório)

                    0
                    • bertz 24 de janeiro de 2012 at 16:26

                      Etmso, no post anterior comentei que um amigo havia comprado 2 andares 8aps, fui apredejado quando disse que ele ainda estava ganhando muita grana.

                      Ontem jogamos futebol juntos, ele veio me dizer que nesta semana vendeu três, 2 para 2 irmãos a 220k cada, e outro financiado mais recebeu já 60% a vista por 230k.

                      Conclusão está rindo à toa, pagou já praticamente os 8 aps, terá 4 como lucro igual a mais de 100% em dois anos.

                      Conclusão: Qual aplicação dá este retorno? Este cara está vendo alguma bolha? Estará ele preocupado?, pois já está comprando mais dois andares em Mauá em um lançamento.

                      O que digo a algum tempos é quem tem muita grana, ganha muita grana, nós temos que aproveitar situações de desespero de vendedores, garimpar, estou com voce, fala-se muito, acho muito legal o blog, mais não são aceitas opinões contrárias a quedas de mais de 50% coisa que eu não simplesmente acredito, gostaria, infelizmente tenho certeza que não ocorrerá.

                      Aprendo muita coisa aqui, só que acho que muitos precisam de humildade, pois não é competição de classe social ou poder simplesmente, estamos esperando uma oportunidade que pode ajudar-nos a ter um futuro mais tranquilo, através de opinões conjuntas como um time, mais começou as panelinhas,aí adeus campeonato, por isso nada aqui neste país funciona, sempre tem um querendo puxar o tapete do outro.

                      Desculpem a mistura de assuntos só um desabafo.

                      0
              • Murdoch 24 de janeiro de 2012 at 15:06

                Luiz, já contei bastante minha história aqui. Já tive certeza de não haver bolha, depois certeza absoluta de que havia e fui pesquisando pra saber e aprender um pouco.
                Já postei aqui há alguns meses que minha conclusão era de que não havia bolha, mas talvez um sobrepreço, principalmente no RJ.
                Acho que a bolha ainda pode estar sendo formada.
                Já escrevi isso aqui. O Governo nem começou a gastar os cartuchos que tem!! Ainda tem muita lenha pra queimar.
                Vale lembrar que, com esse cenário de juros permanecendo, investidor mundo afora desesperado sem saber onde enfia dinheiro e governo protcionista a coisa não muda e, nesse caso, vc vai premiar quem contrai dívida. Sinceramente, não aposto em mudança tão cedo. Achei q segurava até as Olimpíadas, mas acho que vai bem mais alem…

                0
                • Frank 24 de janeiro de 2012 at 16:45

                  o cruel desse cenário é q ele premia quem faz dívida.

                  e penaliza quem poupa.

                  0
              • Carcará 24 de janeiro de 2012 at 16:18

                Luiz e Jonanthas,
                pedido atendido. Mas acho que é troll…rs. Ah, há 4 anos não havia bolha, não. O negócio só ganhou corpo quando determinado ser marinho resolveu transformar tsunami em marolinha, início de 2009.

                PS. Não preciso nem citar aquele fraseado de Voltaire para defender a diversidade de opiniões, inclusive de trolls.

                Abs

                0
                • etmso 24 de janeiro de 2012 at 16:50

                  Bertz, eu tb admiro muito o blog, mas não vejo dados estatisticos de uma possível bolha, o que vejo e o enriquecimento de alguns com expeculação em cima de nós que apenas queremos um imóvel.

                  Acho que o legal seria se começarmos a materializar a tal bolha, por exemplo, ligando para as construtoras e perguntando se existem imóveis pronto para vender e a que preços estão sendo vendidos. Meu primeiro contato com estes imóveis foi nada animador, estavam todos bem caros, ninguém vende algo a preço de custo + margem, e sim a preço de mercado. E já era para aparecer estes imóveis pois a “modinha” de empreendimento já faz uns 2, 3 anos e é o prazo de uma obra.

                  E cada caso é um caso, estes bairros novos cheio de empreendimentos tendem a cair o preço é obvio, não é pegando o exemplo de um bairro de Brasilia que você vai tirar conclusões a respeito do Brasil todo. Apenas um fator macroeconomico poderia acarretar numa bolha em todo país. Se o cara trabalha no centro do Rio ele quer morar na Zona Sul ou na Tijuca, e estes lugares não tem lotes e a oferta de trabalho no centro do Rio só cresce… e o trânsito para Barra também, qual é a mágica que fara o preço cair? Para haver bolha tem que ter fator macroeconomico, não é fator local.

                  0
                  • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 17:55

                    etmos
                    os numeros e dados a nivel Macro pra verificar a existencia de bolha estão todos aí
                    Sugiro vc ler a carta n26 do nucleo de real state da escola politécnica, todo mundo aqui do blog já conhece, foi psotado uams 3 vezes,
                    O pessoal da bolsa que é mais eXperto já derurbou as Imobs em alguns casos em mais de 70%

                    Só ficaram os patos, e ao menor gatilho tudo vem a baixo, mas esse gatilho não vem nem vai vir tão cedo, digo uns 6 meses. Nem grecia, nem china, nem inflação, nem nenhuma falencia, estamos na maior calmaria, ninguiem compra ninguem vende, todo mundo esperando pra ver como fica.

                    Ganhar daqui em diante eu duvido.
                    Contar estorinha do passado é fácil, eu tbm tenho as minhas, todos tem alguma.

                    0
                    • Xangai 24 de janeiro de 2012 at 18:54

                      Bertz..
                      se vc leu topicos anteriores do blog vai ver que tem muitos links muitas historias e muitas demonstracoes com nomes , etc.

                      sem querer bisbilhotar … querendo so demonstracoes … qual o empreendimento seu amigo
                      comprou e vendeu para irmaos , etc.. !??!

                      deixa o pessoal pesquisar … e quem sabe ate comprar os outros do seu amigo !!

                      0
  • MrK 24 de janeiro de 2012 at 07:22

    Alguem do Rio sabe dizer como anda o mercado de alugueis na zona sul?

    Existe espaco pra oferecer abaixo dos valores ofertados, alguem tem dados/experiencia pra relatar? Devo voltar ao Brasil e preciso ir me programando, vou voltar depois do carnaval, o que e’ uma coisa boa

    0
    • Riodetudo 24 de janeiro de 2012 at 10:03

      Na zona sul, esquece. Os preços “normais” são os anunciados e alugam rápido (a não ser essas insanidades como 2 quartos a 4 mil reais). A zona sul menos legal (Catete, Sta Teresa, etc) pode ter uma margem pequena para baixar. Em outras regiões, acho que dá para negociar melhor. Eu moro com a minha família num “bunker” no Leblon de 50m2 e não saio daqui nem a KCT com os preços que estão já que consegui manter o valor antigo.

      0
    • Pedro 24 de janeiro de 2012 at 14:14

      Selva de Pedra no Leblon estagnou em torno de 3.5 a 4k em aptos de 3 qtos de 90m2.

      0
    • Murdoch 24 de janeiro de 2012 at 14:38

      Bom, eu consegui 10% em Botafogo prédio novo.
      Acho q tem espaço pra brigar sim, principalmente se vc tiver paciência procurando…

      0
    • RT 24 de janeiro de 2012 at 21:51

      MrK,

      Aluguei o apartamento em Botafogo em que hoje moro (1 quarto e sala, prédio antigo) por R$ 1300,00, em Janeiro de 2011.

      Ele foi originalmente anunciado em Setembro de 2010, por R$ 1600,00. Como não alugou, baixou para R$ 1500,00 e depois, para R$ 1400,00.

      Foi quando fui na imobiliária e disse: “se baixar para R$ 1300,00, eu alugo”. Recebi a resposta positiva dois dias depois, e aluguei.

      O apê é muito bem localizado (creio que a procura aqui seja boa) e não tem qualquer problema de infraestrutura… diante do que, só posso concluir que não alugava por causa do preço mesmo.

      Acho que há, sim, espaço para barganha.

      0
  • MrK 24 de janeiro de 2012 at 08:04

    Hoje li no jornal que o Rio viveu caos com mudancas de transito e a perimetral fechada, pessoas desciam dos onibus em pleno elevado pra seguirem andando, com sol a pino, motoqueiros andavam carregando as motos a pe, horas de transito, e de outro lado houve caos tambem no metro, atrasos e superlotacao, um dia de cao

    me pergunto se isso tambem deve valorizar os imoveis? afinal tudo eh desculpa,,,

    0
    • Moacir 24 de janeiro de 2012 at 08:51

      Valoriza sim…
      Tanto que eu fiquei morrendo de inveja deles e pretendo ir morar lá no Rio também. Quero comprar algumas kitinetes de 40 m² por R$ 700 mil cada e revendê-las antes da Copa por pelo menos R$ 1,2 milhões.
      Aliás, todo o Brasil que ir morar lá na cidade maravilhosa. Qualidade de vida é no Rio!!
      [Ironic Mode Power Plus On]

      0
      • augusto 24 de janeiro de 2012 at 11:41

        Só que vc vai ter a minha concorrencia pois estou disposto a pagar até 800 mil por kitinets menor que a sua. Afinal de contas os corretores dizem que é ótimo negócio, e com tais profissionais gabaritados e super competentes, o negócio deve ser mesmo ótimo

        0
  • Carcará 24 de janeiro de 2012 at 08:34

    Mesmo com o MCMV, a tendência é que mais notícias, como a que segue a abaixo, se tornem frequentes, pois o triênio 2012-2014 verá a entrega (dos que chegarem até a fase de conclusão) daqueles imóveis que derretiam na planta, em 2010-2011.1.

    Abs

    Emprego na construção civil cai 0,62% em novembro
    24 de janeiro de 2012 | 7h 28
    Notícia
    A+ A- Assine a Newsletter Tweet
    CIRCE BONATELLI – Agencia Estado
    SÃO PAULO – O emprego na construção civil no País registrou queda de 0,62% em novembro ante outubro do ano passado, o que significa redução de 19,6 mil vagas no setor, de acordo com pesquisa divulgada hoje pelo Sindicato da Indústria da Construção (Sinduscon-SP) em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A queda nesses meses reflete fatores sazonais e já é esperada, segundo o Sinduscon-SP. Ainda assim, o recuo no período analisado foi o maior em três anos.

    A queda foi maior do que a registrada em novembro de 2010 (-0,07%) e oposta ao aumento registrado no mesmo mês de 2009 (+0,94%). O resultado só não foi pior que o de novembro de 2008 (-0,90%), após a eclosão da crise internacional. “A pesquisa mostra que a construção voltou ao seu ritmo normal, mas distante do super-aquecimento registrado em 2009”, afirmou em nota Sérgio Watanabe, presidente do Sinduscon-SP.

    A pesquisa também mostra que a quantidade de empregos com carteira assinada na construção civil brasileira chegou a 3,124 milhões no penúltimo mês do ano passado. Com isso, os empregos no setor cresceram 10,43% entre janeiro e novembro de 2011. Apesar do nível alto, o crescimento é o menor dos últimos quatro anos. No mesmo período de 2010, os empregos na construção haviam saltado 16,08%.

    Regiões

    O emprego na construção caiu em novembro ante outubro em todas as regiões do Brasil com exceção do Nordeste, onde cresceu 0,25%, com mais 1.638 postos de trabalho. Já no Sudeste, o saldo de demissões atingiu 12.410 vagas (-0,77%), seguido por Centro-Oeste, com redução de 5.990 vagas (-2,41%), Norte, com corte de 1.695 vagas (-0,88%) e Sul, com corte de 1.169 vagas (-0,27%).

    A pesquisa ainda informa que, no Estado de São Paulo, o nível de emprego da construção também caiu em novembro, baixando 0,68% naquele mês. Fecharam-se no período 5.516 postos de trabalho, reduzindo-se o contingente empregado a 804,3 mil trabalhadores com carteira assinada. Entre janeiro e novembro, o saldo continuava positivo em 7,55%, equivalente à admissão de 56,4 mil novos empregados no ramo.

    Na cidade de São Paulo, a queda foi de 0,64% (menos 2,4 mil postos de trabalho) em novembro ante outubro. Já no acumulado do ano, o saldo é positivo em 8,22%. Dentre as nove regiões do interior paulista, apenas três tiveram aumento do emprego: Ribeirão Preto (0,78%), Santos (0,41%) e Bauru (0,29%). A maior queda porcentual ocorreu em Santo André (-1,87%).

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia+geral,emprego-na-construcao-civil-cai-062-em-novembro,100349,0.htm

    0
    • augusto 24 de janeiro de 2012 at 11:38

      Significa que muito pedreiro que estava ganhando 10 mil por mes ou até mais (sic)- nova classe média né, vai ficar no zero. Se tiver empréstimos a pagar no inicio ainda consegue, mas depois inadimplencia.

      0
      • MrK 24 de janeiro de 2012 at 12:00

        augusto, temos que acompanhar, ainda acho uma queda de 0.6% pouca coisa pra formar uma opiniao, esta bem claro que a euforia e oba-oba passou (ou diminuiu muito) mas dai falar em desemprego na construcao esta longe…precisariamos de mais umas 3 quedas seguidas como essa pra ver um cenario mais negro nesse ramo… totalizando uns 3% de queda…ai sim comecara a preocupar o setor

        ps: nao vamos esquecer que isso foi novembro.. isso esta defasado

        0
    • henrique 24 de janeiro de 2012 at 13:13

      O desemprego no setor vai se manter baixo enquanto as obras de 2009/2012 não terminarem.

      Depois que tais obras terminarem, e com a redução dos lançamentos, toda essa mão-de-obra deixará de ser reabsorvida pelo setor de construção.

      Daí, já era.

      0
  • Pensativo 24 de janeiro de 2012 at 10:39

    Está explicado de onde vem os milionários que estão comprando os imóveis bolhudos da orla da Zona Sul do Rio de Janeiro.

    exame. abril. com. br/economia/brasil/noticias/supersalarios-de-juizes-no-rj-chegam-a-r-150-mil

    0
    • etmso 24 de janeiro de 2012 at 11:05

      No Rio é [email protected], eu morava aí em 2007. Na minha empresa tem uns gerentes que moram muito bem, até de frente p/ Lagoa e tal, mas fizeram aquisição na decada de 90. Hoje a atual geração que compra estes aptos não é o pessoal que ganha bem, é gente que paga bem…heheh Só para empresários.

      A solução que eu vejo pro Rio é mudar daí. Outro dia mostrou na TV um apto em Copa de frente pro mar 27m2 por 700k. Hoje em dia a pessoa tem que ponderar MUITO bem qual cidade ele quer morar. Pense bem antes de aceitar uma proposta de trabalho, o custo de vida pode esmagar seu salário e sua carreira, fazendo com que vc trabalhe mais p/ sustentar o custo de vida.

      0
  • João Paulo da Silva Simões (Contagem - MG) 24 de janeiro de 2012 at 11:04

    Ontem peguei para ver o blu-ray do documentário “Inside Job”, me chocou demais como os economistas, e governantes responsáveis por zelar pelo bem da população, ajudam a agravar os problemas que temos, protegendo os responsáveis pelo mal, e um jogo que somente perde a maioria nunca a minoria, e constrangedor ver os depoimentos dos envolvidos, chocante, e recomendo, aos que estão na duvida sobre a bolha, que muitos negaram, mais ao fim culminou no que estamos vivendo até hoje, sem limite para acabar.

    Abraços.

    0
    • Lucas Sabino 24 de janeiro de 2012 at 11:16

      Vale a pena assistir também o filme: Margin Call – O Dia Antes do Fim, na mesma linha de wall street – o dinheiro nunca dorme

      0
  • Cai cai balão 24 de janeiro de 2012 at 11:17

    Endividamento das famílias começa 2012 em alta
    Por Diogo Martins | Valor

    RIO – O nível de endividamento das famílias brasileiras iniciou o ano em expansão, ao passar de 58,6% para 58,8% entre dezembro e janeiro, informou nesta terça-feira a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), por meio da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic). Esse resultado interrompeu uma sequência de baixas que já durava há sete meses.

    Apesar do resultado de janeiro, o atual nível de endividamento das famílias é inferior aos 59,4% observados em igual mês de 2011.

    De acordo com a pesquisa, as dívidas ou contas em atrasos, que em janeiro de 2011 faziam parte da realidade de 22,1% das famílias brasileiras, neste mês caíram a 19,9%, abaixo dos 21,2% verificados em dezembro.

    A Peic de janeiro também apontou que 6,9% das famílias declararam não terem condições de pagar suas dívidas, enquanto no mês anterior esse percentual era de 7,2%. Em janeiro de 2011, estavam nessa situação 7,9% das famílias.

    Entre as famílias com renda inferior a dez salários mínimos, 59,5% estavam endividadas, proporção praticamente estável em relação aos 59,6% verificados em dezembro e bastante inferior aos 61,3% de janeiro de 2011.

    Para as famílias com renda acima de dez salários mínimos, o percentual de famílias endividadas aumentou entre dezembro e janeiro, passando de 51,4% para 53,4%. Em janeiro de 2011, 48,9% das famílias nessa faixa de renda haviam declarado possuir dívidas.

    O número de famílias com contas ou dívidas em atraso recuou nos dois grupos de renda, entre os meses de dezembro e janeiro. Ao todo, 21,3% das famílias com renda inferior a dez salários possuíam contas ou dívidas em atraso em janeiro, contra 22,4% em dezembro e 24,2% em janeiro do ano passado.

    Nas famílias com vencimentos acima de dez salários mínimos, o percentual de inadimplentes foi de 13,1% em janeiro ante 11,4% em dezembro. Em janeiro de 2011, a proporção era de 10,8%.

    http://www.valor.com.br/brasil/2500888/endividamento-das-familias-comeca-2012-em-alta

    OBS: o financiamento imobiliário e o aluguel são os últimos compromissos a serem inadimplidos, quando o endivdamento cresce com descontrole. É possível que isso não venha a repercutir diretamente em dívidas dessa natureza. Contudo, quando o bicho pega com habitação, todo o resto já está podre.

    Não vejo como isso possa acabar bem.

    0
  • Diego RJ 24 de janeiro de 2012 at 11:51

    Gente,
    Existe algum canal de ouvidoria do governo que a gente possa externas nossas opiniões?
    A gente poderia encher a ouvidoria do governo com mensagens. Não sei se daria certo, mas acho que fariamos a nossa parte como cidadãos.
    abraços

    0
    • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 12:21

      temos muito pouco, o MP andou s emexendo e só

      Nem seque um politcio oportunista querendo levantar a bandeira
      é a prova que somos a minoria da minoria, e isso é bom
      Tanto melhor quanto mais rápido os trouxas descerem pelo ralo,

      0
      • Money Addicted 24 de janeiro de 2012 at 12:48

        cada caso eh um caso, no meu particularmente, nao preciso ter pressa ( me solidarizo com o pessoal que esta apertado)

        eu moro de aluguel em ap pagando 0,36% do preco que pedem, enqto isso vou aplicando um dinheirinho no cdb a 0.7. E nesse meio tempo quero mais que a bolha infle, pois como diz o ditado, qto maior -> maior o tombo

        me preocupa sim, o valor que tenho no fgts que “rende” somente em torno de 0,3.

        []s

        0
    • aiwww 24 de janeiro de 2012 at 12:47

      Podemos falar com a pessoa que ocupa a presidência dessa joça -> sistema.planalto.gov.br/falepr2/index.php

      ou com os inúteis do Senado -> http://www.senado.gov.br/senadores/

      ou com os inúteis da Câmara -> www2.camara.gov.br/deputados/liderancas-e-bancadas/liderancas-relacao-simplificada

      0
  • Money Addicted 24 de janeiro de 2012 at 12:56

    off – topic ( referente a nossa midia)

    o q vcs acham desse “alvoroco” todo q esta sendo causado pelo fim das sacolinhas plasticas nos supermercados??

    eu sou totalmente a favor da ecologia, mas eu acho q a midia deveria estar denunciando os casos de desmatamento, queimadas, trafico de animais, etc.

    ao inves disso dedica todo o tempo de programacao para o fim das sacolinhas plasticas que eu entendo que eh prejudicial ao meio ambiente mas que perto dos fatos citados a acima seria mto pequeno (nao tenho fontes pra dizer isso, mas pelo “achometro” acredito que as queimadas/desmatamentos seja infinitamente piores para o meio ambiente)

    0
    • Glaucio 24 de janeiro de 2012 at 13:06

      Aqui em Curitiba, apesar de não ter essa lei, a maioria dos supermercados já adotou sacolas de plástico biodegradável há mais de 3 anos, e não cobram nada por isso.

      0
      • Pedro 25 de janeiro de 2012 at 08:01

        Cobram sim.. aumentam os preços das mercadorias para compensar o gasto com essas sacolinhas.

        0
    • Galvão 25 de janeiro de 2012 at 10:31

      Acho isso a maior das hipocrisias. Uma defesa aos interesses econômicos dos supermercados.
      Sacolinha é reutilizável, e o problema está na sua reciclagem e não na sua utilização. Agora me fala onde você vai colocar o lixo.
      Por que não proibem também de usar o plástico para embalagem de arroz, feijão….etc. Por que vai contra os interesses econômicos, ficaria mais caro.

      Hipocrisia pura!!!

      Os ambientalistas estão no seu direito de defender o meio ambiente, mas a campanha é claramente visando reduzir os custos dos supermercados.

      0
      • Cleyton 26 de janeiro de 2012 at 00:45

        Também acho, muitos movimentos “verdes” embutem favorecimentos específicos como os HDs verdes, os caras vendem pessas obsoletas com preços mais altos porque são “verdes”.

        Outra que vi era condomínio com ampla área verde, como se isso fosse uma vantagem, só que a área verde são árvores de reserva que não tiveram liberação para serem derrubadas, então você chama de ecologicamente correto e transforma um problema em um motivo para cobrar mais caro, absurdo!!!

        0
        • Cleyton 26 de janeiro de 2012 at 00:47

          Opa, peças, é que escrevi com preça… hehehe

          0
  • Flavio Alves 24 de janeiro de 2012 at 12:57

    http://exame.abril.com.br/negocios/empresas/industria/noticias/vendas-contratadas-da-mrv-somam-r-4-3-bi-em-2011

    Vendas contratadas da MRV somam R$ 4,3 bi em 2011
    O resultado representa alta de 15% ante 2010 e cumpre o piso da meta de vendas para o ano

    #Confuso

    0
    • augusto 24 de janeiro de 2012 at 14:55

      E as ações da MRV despencam hoje no mercado, nem o site do Infomoney sabe explicar o por que disto

      0
  • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 13:04

    olha a Bolha custando caro, essa notícia tem todos os ingredientes, lembrem que Brazil real state era do Sam Zell

    economia.estadao.com.br/noticias/economia,caixa-ja-pos-mais-de-r-14-bi-no-panamericano,100315,0.htm

    CAIXA já pôs mais de R$ 1,4 bi no Panamericano

    Além dos R$ 740 milhões investidos na aquisição de 36,5% do ex-banco de Silvio Santos, instituição do governo fez novo aporte de R$ 658 milhões

    O investimento da Caixa Econômica Federal no Panamericano já chega a R$ 1,4 bilhão, considerando apenas os valores relativos à participação acionária de 36,56% no banco que pertencia a Silvio Santos. Ou seja, sem levar em conta os recursos para garantir seu funcionamento no dia a dia.

    Para entrar no Panamericano, a Caixa pagou R$ 740 milhões. Na semana passada, o banco público colocou mais R$ 658 milhões, em uma operação de aporte de capital feita em conjunto com o outro sócio do Panamericano, o BTG Pactual.

    O dinheiro novo servirá, segundo os sócios, para equilibrar de vez as contas do banco após a descoberta – e resolução – das fraudes contábeis de R$ 4,3 bilhões. Além disso, parte do dinheiro será usada para bancar a compra da Brazilian Finance & Real Estate – maior financeira independente de empréstimos imobiliários do País -, anunciada no fim do ano passado.

    Desde que entrou no negócio, em dezembro de 2009, a Caixa ainda não obteve retorno com o investimento no Panamericano. Mesmo assim, a direção do banco informa, por meio da assessoria de imprensa, que está satisfeita com o negócio.

    0
    • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 13:22

      ^ noticia acima altamente relevante, sem preguiça, leiam

      0
    • MrK 24 de janeiro de 2012 at 13:31

      hahahaha bela estrategia!!! em vez de esperar quebrar e ter que comprar com dinheiro publico, gerando ira na populacao (igual foi nos eua), eles fizeram melhor: Compraram agora (quando nao chama atencao de ninguem) e conforme forem tomando calotes vao tapando o buraco com dinheiro publico

      ou seja, essa Brazil Estate eh a mesmissima coisa de uma fanny mae, soh que sem provocar ira no contribuinte, pois foi feito do jeitinho brasileiro, sem alarme…. esbanjando criatividade!!!

      0
      • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 15:48

        olha só o que achei, olha pq op panamericano não podia falir:

        brazilianbubble.com/2012/01/here-is-real-reason-why-banco.html#more

        Lista dos expostos em primeiro na lista o Bradesco

        0
  • Carlos_ 24 de janeiro de 2012 at 13:06

    Foi com o crescimento da renda descrito abaixo que teoricamente os brasileiros passaram a ter dinheiro para pagar o triplo do preço nos imóveis.

    Renda do paulista cresce menos que a média nacional, diz Ipea

    O poder aquisitivo de quem vive no Estado de São Paulo registrou crescimento “muito aquém” da média nacional e mesmo da região Sudeste no período entre 2001 e 2009, com índice de 9,3%. A constatação é da pesquisa sobre “A situação social nos Estados”, cuja versão paulista foi divulgada nesta terça-feira (24).

    De acordo com o estudo, a renda domiciliar per capita apontou que, em 2001, o indicador paulista era de, em média, R$ 738,20; em 2009, esse valor saltou para R$ 806,90 (aumento de 9,3%). No Brasil, o crescimento do poder aquisitivo foi quase o dobro do verificado em São Paulo, com aumento real de 23,5% –de R$ 511,5 em 2001, para R$ 631,7, em 2009. No Sudeste, o indicador que era de R$ 647,5 em 2001 passou para R$ 759,5 em 2009 –aumento real de 17,3%.

    Segundo os pesquisadores do Ipea, a renda domiciliar per capita foi adotada para definição do indicador de crescimento por contemplar todas as fontes de renda que uma família pode possuir, dividido pela quantidade de pessoas que a compõem. “Expressa, portanto, a parcela da renda que é efetivamente apropriada por cada membro da família para seus gastos”, diz trecho do estudo.

    Por outro lado, o levantamento apontou diminuição das desigualdades de renda média da zona rural em relação à zona urbana: o crescimento de 35,6% na área rural foi mais de quatro vezes os 8,5% registrados na área urbana.

    Além das questões de renda, pobreza e desigualdade, o estudo do Ipea tratou ainda de aspectos demográficos, de saúde, educação, previdência, seguridade, trabalho e renda e cultura. Entre as fontes para obtenção dos dados está a PNAD/IBGE (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

    Pela questão demográfica, por exemplo, a pesquisa apontou que apenas 5,5% dos 41 milhões de habitantes do Estado vivem na zona rural –um dos mais baixos percentuais o Brasil, onde a média é de 15,6%. Ainda assim, é a terceira maior população rural do país, atrás apenas de Bahia e Minas Gerais.

    0
  • Leandro 24 de janeiro de 2012 at 13:12

    Hoje no DFTV 1ª edição passou uma reportagem falando da grande quantidade de lojas que estão fechando no plano piloto de Brasília devido ao aumento desenfreado dos aluguéis.
    Tudo consequência óbvia da nossa bolha.
    Acho que essa reportagem talvez seja colocada no site da Globo, já que não fala em momento algum de “bolha”.

    0
    • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 13:21

      tá acontecnedo isso em SP capital

      esse fds fui procurar um daqueles reastaurnates charmosos da região de pinheiros v. madalena pra almoçar

      Diria que no mínimo 70% estavam fechados, vários com placa de “passo o ponto”, os sboreviventes estavam caros além do que oferecem. Seria por causa das férias?

      0
      • Inteligivel 24 de janeiro de 2012 at 15:38

        Em dezembro um amigo me chamou para a “festa de despedida” de uma livraria que frequentávamos na praça Roosevelt (centro de SP) iria FECHAR porque ficou inviável continuar o negócio devido ao novo valor do aluguel. Pode Arnaldo?

        0
    • Riodetudo 24 de janeiro de 2012 at 13:52

      Na Av. Nsa.Sra.Copacabana, no Rio, tem 3 lojas fechadas (uma delas grande) com “aluga-se” a dois meses. Quase em frente ao Copacabana Palace e nem sinal de algo novo por ali. Só falta passar um feno rolando por ali…

      0
    • Carlos_ 24 de janeiro de 2012 at 14:08

      Só no Brasil as pessoas acham que os preços dos imóveis podem triplicar sem causar uma disparada da inflação. Por que preço as novas lojas que abrirem no lugar das antigas vão ter que vender seus produtos para poderem pagar aluguel, pessoal e terem lucro?

      0
  • RD85 24 de janeiro de 2012 at 14:21

    Indústria operou dezembro com a menor capacidade desde junho de 2009
    Por Thiago Resende | Valor

    BRASÍLIA – O indicador de utilização da capacidade instalada efetiva em relação ao usual caiu, em dezembro, para o menor nível desde junho de 2009, informou a “Sondagem Industrial”, da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

    A taxa recuou de 45,2 pontos para 42,6 pontos, entre novembro e dezembro. Em junho de 2009, o índice registrado foi de 36,5 pontos. O indicador varia de zero a 100, sendo que valores abaixo de 50 pontos apontam que o setor opera com capacidade abaixo do usual.

    A indústria operou, em média, com 71% de sua capacidade instalada em dezembro. Além disso, a produção industrial teve recuo mensal de oito pontos, para 42,1 ponts no mês passado.

    “Ao fim do quarto trimestre os indicadores apurados pela Sondagem Industrial sugerem a manutenção da queda na produção nos primeiros meses de 2012”, afirma a CNI.

    (Thiago Resende/Valor)

    0
  • Sir Income 24 de janeiro de 2012 at 14:57

    Conheça o cartão de crédito com juros de 1.044% ao ano
    Portador do cartão do Carrefour que atrasar o pagamento da fatura terá de arcar com uma taxa de juros efetiva que assusta até quem viveu períodos de hiperinflação

    exame.abril.com.br/seu-dinheiro/credito/noticias/conheca-o-cartao-de-credito-com-juros-de-1-044-ao-ano

    E tem gente preocupada que a Selic é alta…

    0
  • Sir Income 24 de janeiro de 2012 at 14:58

    Gasto de brasileiros no exterior sobe 30% e bate recorde em 2011

    Turistas brasileiros deixaram 21,2 bilhões de dólares em viagens internacionais ao longo do ano passado; estrangeiros gastaram 6,8 bilhões de dólares no país

    veja.abril.com.br/noticia/economia/gasto-de-brasileiros-no-exterior-sobe-30-e-bate-recorde-em-2011

    É bom o Mantega segurar o cambio

    0
  • augusto 24 de janeiro de 2012 at 15:00

    Concordo com voce Luiz que somos minoria, mas o fato de às vezes alguns deles virem aqui tentando nos provocar, demonstra que estamos incomodando-os.
    Mas nos mais diversos pontos do Pais a voz corrente é que o preço dos imóveis subiu muito, e não é hora (ou não há grana) para compra-los

    0
    • DM 24 de janeiro de 2012 at 15:26

      Concordo plenamento contigo.

      Mesmo os que não concordam ou não acreditam nesta bolha falam abertamente que os preços estão muito altos e que agora não é hora de comprar, mas sim vender os imóveis.

      Isto é cômico, pois não admitem bolha e ao mesmo tempo demonstram a insanidade atual do mercado e ainda contribuem para reforçar a tese da existencia da mesma.

      Como diziam os antigos, o pior cego é aquele que não quer enxergar!

      0
      • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 15:54

        Australia esta com preços 70% offs.
        Vejam no brazilian bubbe.

        0
  • Sir Income 24 de janeiro de 2012 at 15:15

    TERÇA-FEIRA, 24 DE JANEIRO DE 2012

    Investidores trocam bolsa por mercado imobiliário brasileiro
    Fator Brasil –

    “Na opinião de Alexandre Lafer Frankel, diretor-presidente da Vitacon, comprar um imóvel – mesmo que seja para morar – é uma opção de investimento. “As pessoas não querem mais arriscar”, afirma. Segundo ele, em 2012 o investidor deverá optar por apartamentos residenciais compactos, já que o preço para a compra é bastante atrativo frente à renda que será obtida com o aluguel,”

    www .clippingimoveis.com.br/2012/01/investidores-trocam-bolsa-por-mercado.html

    Como é que é? A propaganda rolando solta para pegar sardinha?

    0
    • Anonymous 24 de janeiro de 2012 at 15:43

      Esse sujeito já foi discutido no BLOG. Em 2000 ele era CEO da BANANA GAMES e hoje ele é especialista em mercado imobiliário. -Não, não estou brincando. Veja no link abaixo.

      tw . commerce . com . tw/modules.php?modules=tradeleads&action=tradelead_inside2&dbT=buyposts&ID=43331

      Description Banana Games is a game portal site for two kinds of public: heavy gamer and
      casual gamer. It was established in April/2000.

      Banana games is looking for games below:

      – The Legend of Mir II (oriental fantasy online mug based in 2D);
      – The Legend of Mir III (upgrade title of Mir II, which combine merit of 2D & 3D effect, world’s finest online mug – mmo RPG).

      President Mr. Alexandre Lafer Frankel
      Country Brazil

      0
  • Anonymous 24 de janeiro de 2012 at 15:38

    O gasto estrangeiro RECODE não chega a 1/3 do gasto dos Bananenses no exterior. Por que será? Oh, dúvida cruel.

    strangeiros gastaram US$ 6,7 bi no Brasil em 2011; número é recorde
    www1 . folha . uol . com.br/poder/1038791-estrangeiros-gastaram-us-67-bi-no-brasil-em-2011-numero-e-recorde . shtml

    Gastos de brasileiros no exterior batem recorde e atingem US$ 21,2 bi
    www1 . folha . uol . com . br/poder/1038689-gastos-de-brasileiros-no-exterior-batem-recorde-e-atingem-us-212-bi . shtml

    0
    • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 15:59

      Comentário num outro blog de um Russo que acaba de voltar de Trancoso:

      Infra estrutura do Cambodja com preços de St. Tropez

      0
      • Ader 24 de janeiro de 2012 at 16:48

        Luiz, fico me perguntando: Como podem ser cobrados valores tão altos por serviços aqui no Brasil e ninguém fala nada? Será que os prestadores de serviço estão pagando imposto de renda? Eu pago imposto e reclamo, procuro serviços mais em conta, pechincho, e já estou montando uma planilha para pesquisa de preços quando for fazer o mercado. Sou Funcionário Público e o governo não reajusta o salário com a inflação, que dirá dar aumento. É a “Lei da Sobrevivência” e estou decidido que não sucumbirei a esta loucura que estamos vendo, que é uma inflação maquiada por uma ditadura socialista visando o enriquecimento de poucos em troca da distruição de uma nação.

        0
        • Ader 24 de janeiro de 2012 at 16:51

          … destruição…

          0
          • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 18:03

            Ader, tbm acho q vc conseguia mil hein!!!

            Por falar em mil veja este artigo engraçadissimo sobre o sorvete mais caro do mundo, advinha onde?

            brazilianbubble.com/2012/01/perhaps-most-expensive-ice-cream-in.html#more

            0
  • Yoda 24 de janeiro de 2012 at 15:47

    Andando de carro agora há pouco em Águas Claras/DF, contei 18 prédios prontos ou quase concluídos (pelo menos com janelas e revestimento). Estão todos esperando para serem entregues, não têm moradores ainda. Sequer me preocupei em entrar em algumas quadras para aumentar a contagem, os prédios são de padrões variados.

    Se os preços não abaixarem em 2012, é porque tem muita gente cagando dinheiro e só eu é que continuo pobre.

    0
    • danilo 24 de janeiro de 2012 at 16:49

      Isso porque dizem que somente 40a 50% dos apartamentos estao ocupados. Imagine juntar esse grupo com o que será entregue nos próximos anos.

      0
  • Ader 24 de janeiro de 2012 at 16:23

    OFF TOPIC
    Boa Tarde pessoal! Andei um pouco sumido e gostaria de relatar sobre um contrato de aluguel que acabei de fazer. O Ap fica na Pampulha, em BH, uns 800 mts do aeroporto, 3 quartos, aproximadamente uns 90 m², muito bem localizado. Liguei para a imobiliária e disseram que o aluguel era de R$ 1.300,00. Depois de visitar o Ap dei uma proposta de R$ 1.100,00. Aceitaram a minha proposta e ontem peguei as chaves. Para minha surpresa em um dos chaveiros que me entregaram havia um valor de R$ 1.500,00. Conclusão: estão especulando muito e não podemos dar logo o que pedem.
    Um grande abraço!

    0
    • Ader 24 de janeiro de 2012 at 16:27

      Único arrependimento foi não ter oferecido R$ 1.000,00.

      0
    • Shakespeare 24 de janeiro de 2012 at 18:44

      No meu caso aluguei um com metade do tamanho pelo dobro do preço, mas situado na Savassi.

      Foi bom ter essa referência, porque vou começar a procurar um outro para mudar. Como estava precisando mudar, porque estava pagando 800 por semana de hotel, tive pouco tempo para pesquisar, mas agora que estou instalado vou procurar com calma.

      0
      • Ader 25 de janeiro de 2012 at 16:15

        A maior vantagem para mim ShaKespeare é que onde vou morar fica a cinco minutos do trabalho, a pé. Sonho de consumo muito antigo… Boa sorte na procura…

        0
  • MrK 24 de janeiro de 2012 at 17:15

    A coisa mais engraçada é quando leio “ahh veja bem, antes de falar em bolha conheco fulano que comprou aps e vendeu com lucro, ta rindo a toa”

    ôô amigos, em qualquer bolha quem sai e entra na hora certa ganha dinheiro, claro! igualzinho num ponzi! o Cara que entrou no madoff e soube sair na hora certa GANHOU um belo rendimento, nem por isso o esquema desabou logo depois!!! Quem comprou casa nos EUA e vendeu antes do estourou lucro… e daí???

    se voce tem sangue frio e acha que tem o “timming” da brincadeira, recomendo: vai nessa mesmo!!! pois se acertar o rendimento vai ser maior que qualquer outra aplicação, mas dizer que por isso “não há bolha” é uma tremenda bobagem!!!

    0
    • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 17:57

      te comentei mas não aninhou, caiu lá embaixo

      0
    • bertz 24 de janeiro de 2012 at 18:20

      Bem Mrk, primeiro não conheço este cara de que esta falando,este cara somente frequenta minhas casas a 25 anos. Não entendo porque esta desejando mal a esta pessoa, será por que esta ganhando ou ganhou muito dinheiro, talvez foi mais esperto que voce e não viu a bolha que voce vem falando a tempos e voce não? Talvez você pense que por causa de gente como ele não está conseguindo comprar alguma coisa.

      Ninguém aqui é dono da verdade,respeito muito seus comentários acho bons mesmo, mais sair falando assim: Eu sei de tudo, o teu amigo vai se danar o ano que vem, igual ao Madoff, tem que ser moderado por que tem gente aqui que pode levar a sério esperar para comprar e quebrar a cara.

      Se és tão sábio nos dia qual será a hora do estouro bolha?, pergunta difícil nem mesmo os melhores economistas saberiam responder. Tento passar experiência igual as de cima que são REALMENTE REAIS, quero comprar também, mais sou realista senão estava em qualquer igreja por aí a espera de um milagre.

      Berrar em discursos inflamados não irá mudar minha opinião 50% não 10 ou 20% acredito, por enquanto.

      Mais uma vez respeito sua opinião mais sem argumentos reais não mudará a minha, também gostaria sempre de poder colocá-las aqui, se não forem mais aceitas muito obrigado, não os incomodarei mais por ter opinião divergentes em alguns aspectos.

      0
      • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 18:38

        Bertz, vc mudaria a sua opinião sobre mim te disesse que consegui uma valorizaçãod e 1.000% a alguns anos atrás???

        O interessante da vida é que o futuro não é obrigado a repetir o passado, vivemos numa eterna icognita.

        Agora repare, a especulação se alimenta dela mesmo, qaunto mais gente houver repetindo esses lucros maravilhosos, masi gente vai tentar entrar na jogada. é o caso do participante daqui que comentou dum taxista que se deu bem e 2 anos depois todos os colegas do ponto entraram pra fazer o mesmo.

        Repetir que alguns ganharam muito não é novidade, temos jornais, secovis, o mundo repetindo isso diariamente.

        O que a gente tbm tenta aqui, além de trocar experiências, é ter um pouco de crítica, então não se sinta, pessoalmente agredido. Nem só de lucro vivem as pessoas.
        abrxxx

        0
        • bertz 24 de janeiro de 2012 at 19:05

          Luiz também obtive lucros enormes rapidamente, mais no ponto de que nem todo mundo vive de lucros vou discordar porque:

          -muitos aqui sonham com seu próprio imóvel, tem milhões de relatos do blog mesmo, de que quando chega a época do reajuste do aluguel estariam preocupados da forma como este aconteceria.

          -portanto acho em minha opinião uma suposição: compro hoje um ap de 300k, amanhâ estoura a bolha meu ap vale 180k, mesmo assim não me preocuparia pois estou morando no lugar que sonhei, não preciso mais se preocupar com o locatário, e como voce disse acima nem todas as curvas são todas de baixa ou alta tendem a se estabilizar com o passar do tempo, então ficaria sossegado, pois sei que imóvel não se vende todo ano. E o principal copiei de voce acima:

          “Nem só de lucro vivem as pessoas”.

          Acrescentaria: O valor de alcançar um sonho as vezes pode nos trazer algum prejuízo financeiro mais a tranquilidade conosco mesmo compensa a perda. “Sou pobre mas durmo sossegado na minha própria casa”.

          0
          • Ratinho 24 de janeiro de 2012 at 19:51

            O problema é que tem muita gente comprando o que não vai conseguir pagar (imóvel super valorizado, minúsculo, mal-acabado,….), em nome desse sonho… A grande maioria das pessoas não sabe matemática básica, não consegue elaborar um planilha, não pesquisa…. Financiamento de 20, 30 anos não é para qq um. Estamos sujeitos a problemas de toda sorte.

            0
            • bertz 24 de janeiro de 2012 at 20:09

              Concordo Ratinho, já falei aqui 1 milhão de vezes a palavra garimpar, escolher uma oportunidade ímpar, um bom negócio, sempre existe, tem que conhecer as pessoas certas para isto infelizmente senão outro melhor amigo passa sua frente.

              Comprar bem é melhor que vender bem, as dívidas vem de berço, pessoas com famílias estruturadas, que deram educação financeiras aos seus filhos, dificilmente iriram cair nessas furadas.

              O que discordo é o seguinte: Quem comprou tem que se ferrar, é burro, é banana, não gosto de desejar mal aos outros, pois estou no mesmo barco, gostaria que estes não se dessem mal, pois uma coisa que aqui ninguém percebeu é que se o bananense se ferrar, vira uma cadeia, ou aqui tem alguém imune a qualquer crise.

              0
              • MrK 25 de janeiro de 2012 at 06:01

                prezado Bertz,

                Acho que houve algum problema de comunicacao, talvez eu tenha me expressado mal ou voce entendeu por outro lado, deixe-me esclarecer alguns pontos por favor:

                1- Nao desejo mal ao seu amigo ou quem ganhou dinheiro, o jogo esta aih para ser jogado, especulacao faz parte do capitalismo, nao e’ crime, quem teve a visao e comprou imovel em 2007/2008 merece parabens se realizou o lucro

                2- O objetivo do meu post foi apenas lembrar que assim como o mercado sobe, ele DESCE, normalmente depois de subir muito (sem fundamentos solidos) ele desce muito, ou seja, eu apenas quis dizer: Nao eh porque fulano ganhou dinheiro que nao existe bolha, ou ainda “nao eh porque fulano ganhou dinheiro que ciclano vai ganhar tambem”, sou apenas contra esses raciocinios

                abracos!

                0
  • João Paulo da Silva Simões (Contagem - MG) 24 de janeiro de 2012 at 17:17

    Criação de emprego com carteira cai 23,5% em 2011 Em dezembro, houve o fechamento de 408 mil vagas, segundo o governo.

    http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/01/empregos-formais-somam-194-milhao-em-2011-com-queda-de-228.html

    0
  • ICF 24 de janeiro de 2012 at 17:25

    Vejam o que uma prima minha fez e vai fazer:

    1. casou
    2. comprou apartamento minusculo (70m2) por R$90.000,00;
    3. casal quitou o apartamento dividindo por igual as parcelas;
    4. dois anos após, brigaram; separaram;
    5. ela ficou com a guarda da filha;
    6. agora, para finalizar o divórcio, o ex-marido quer a metade dele no imóvel que julga valer R$210.000,00 (pouco mais de dois anos após);
    7. como ela não tem o dinheiro, vai FINANCIAR R$105.000,00 PELA CAIXA; detalhe, ela, atualmente, já trabalha dois longos expedientes e só vê sua filha à noite; a filha passa o dia inteiro sendo criada pela empregada.

    Acho uma loucura fazer este financiamento, mas não consegui convencê-la.

    0
    • augusto 24 de janeiro de 2012 at 17:28

      Cada um paga pelas bobagens que faz ou fez, parece cômico mas sua parente entrou em uma fria danada hem. Mas merece por ter sido babaca

      0
    • MrK 24 de janeiro de 2012 at 17:39

      amigo ICF, este é um momento delicado e portanto as pessoas podem tomar decisões que não são as mais racionais, não quero julga-la por isso.

      mas falando do nosso lado (friamente) ela poderia simplesmente se negar a pagar tal valor e por o AP a venda, em vez de ficar pagando o ex-marido ela iria embolsar metade do lucro, poderia depois decidir se aluga ou compra algo, ou seja, ela tem (ou tinha) opções

      0
    • Miguel Jacó 24 de janeiro de 2012 at 18:44

      Eu acho que ela está certa, pelo seguinte motivo: ela pagou metade (45k) pelo imóvel, vai pagar mais 105k, totalizando 150k. Hoje, ela compraria um apto de 70m² por 150k na região onde ela mora?

      Se a resposta for: “compra um igual”, não vale a pena, pois ela terá que pagar mudança, depreciará sua mobília , pois estraga um pouco com a mudança, fora o tempo que ela gastará para embalar, arrumar, desarrumar as coisas e achar outro lugar para morar.

      Eu, se fosse ela, brigaria na justiça para baixar ao máximo o valor do apto, para em torno de 160k. Mas, pelo jeito, ela aceitou os 210k já. Mesmo assim, não foi mau negócio.

      0
      • Guilherme Eduardo 24 de janeiro de 2012 at 20:33

        A melhor opção para ela nesse caso seria colocar o apto a venda e dividir o R$ por 2. Se ela tiver que comprar a parte dele, ele vai supervalorizar e ela subvalorizar. Ou ela acabará gastando muito ou ficará uma disputa na justiça por anos.

        OUTRA opção, mas que ele provavelmente não vai aceitar: somar todos os valores que ele pagou com o dinheiro dele e atualizar pela inflação ou tabela da justiça (acho que é 1%am).

        Nessa hora um bom advogado faz a diferença.

        0
    • Ze Bom Dirolo 24 de janeiro de 2012 at 21:21

      Dicas:
      1. Não case.
      2. Se casar, que seja em separação de bens.
      3. Escute o que sua mãe fala.
      4. Nunca case com uma mulher com nível cultural ou com rendimento muito diferente de você.
      5. Pense no casamento como um contrato de 02 anos.
      6. Procure mulheres tolerantes.
      7. Durma em quarto separado.
      8. Nunca trabalhe no mesmo lugar que ela.
      9. Tenha dois banheiros.
      10. Exponha o que você tem de pior ou mais nojento já no namoro.
      11. Não case no auge do testoterona.

      0
      • Leandro 24 de janeiro de 2012 at 22:26

        Parece cômico, mas é perfeito!

        0
      • DRN 25 de janeiro de 2012 at 10:12

        No meu caso, só não se aplicam os itens 1, 5 e 7.

        0
      • Yuri 25 de janeiro de 2012 at 13:10

        Acho que vou passar papel de bobo apaixonado, mas me sinto no dever de expor o outro lado:

        1. Case-se! É bom demais!
        2. Faça um pacto antenupcial para se casar em comunhão TOTAL de bens. A conta vai ser muito mais simples, em caso de uma separação: divida tudo por dois e pronto.
        3. Escute sua mãe em tudo, mas nunca se esqueça de que você é o principal afetado por este tipo de escolha.
        4. O nível cultural é realmente importante, mas o rendimento não. Depois de casado, a renda é da família, não sua. Você vai sacrificar todos seus hobbies e até as coisas que julgava indispensáveis pela sua esposa e filhos.
        5. Pense que o casamento vai durar para sempre. É a única forma de se viver feliz no casamento.
        6. Procure mulheres tolerantes, mas que não aceitem ficar longe de você em hipótese alguma!
        7. Troque com ela de lado da cama de vez em quando. Evita Alzheimer… 🙂
        9. Tenha dois banheiros… mas procure usar o mesmo sempre que possível.

        Quanto ao 8, 10 e 11, não tenho nada a acrescentar.

        Estou casado há apenas 5 anos mas que venham os próximos 70! Sou muito feliz no meu casamento e estou preparando uma surpresa daquelas para o aniversário de 30 anos da minha esposa.

        Eu sei que o número de divórcios hoje em dia é alto. Mas acho que isso é fruto do excesso de investimento em carreira profissional em detrimento de todo o resto, inclusive a vida familiar.

        Invista no seu casamento, é o melhor investimento sem dúvidas.

        Um abraço a todos,

        Yuri

        0
  • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 17:36

    Mrk, o argumento corrobora a existência da bolha.

    Somente num cenário inflamado é possível valorizar 50% em pouco mais de 2 anos (o que aliás nem é tanto assim se descontar impostos, custos, inflação, taxas, etc; comparadas com o CDI).

    O grande lance está no repasse do ágio quando o cara paga só 20% e tem o direito de auferir 100% da valorização. Segundo estimativas mais otimistas, esse valor chegou a 400% em 6 meses

    O cara que consegue esse feito ou é muito antenado na área há anos, ou um grande gênio, ou simplesmente deu sorte (a grande maioria). Pro resto das pessoas, nós os “normais” o melhor a fazer é ficar longe do jogo. E praqueles que acham que dá pra repetir a bolada, boa sorte, manda ver, só aviso que muita gente tbm tá sabendo, e fazendo. Teste a sorte.

    0
    • MrK 24 de janeiro de 2012 at 17:46

      com certeza luiz! os lucros astronomicos sempre terminam mal

      alguns levam o lucro felizes, e os ultimos pagam a conta…

      não adianta, não tem saída, lucrar acima do CDI tem fortes riscos associados, principalmente se for muito acima (caso imobiliario)

      0
      • Luiz 24 de janeiro de 2012 at 18:09

        a merda do lucro fácil é isso Mrk,

        eu ja vi e vivi isso várias vezes, vc ganha a primeira, fica corajoso, se acha o bão, vai lá e dobra a aposta, perde, tenta de novo, ganha, depois perde, ganha, …

        No fim quem manda é a velha lei da gravidade média. Todos os resultados tendem no longo prazo para a média.

        Quem diz que faz melhor ou tem habilidades acima da média (raro) ou é mentiroso (99%).
        Quem faz melhor fica quieto.

        0
  • Sir Income 24 de janeiro de 2012 at 17:38

    Casa própria nem sempre é um bom negócio
    Para Pensar / Finanças pessoais

    www .mba60segundos.com.br/video/casa-propria-nem-sempre-e-um-bom-negocio/

    0
  • Vinicius Lima 24 de janeiro de 2012 at 17:38

    Matéria em foco no G1:

    <<>>

    g1.globo.com/economia/noticia/2012/01/empregos-formais-somam-194-milhao-em-2011-com-queda-de-228.html

    0
  • Vinicius Lima 24 de janeiro de 2012 at 17:43

    Depoimento bem interessante…Demonstra que o mercado imobiliário não está esse mar de flores que dizem.

    0
  • TH 24 de janeiro de 2012 at 18:00

    Vejam a reportagem abaixo:

    ht t p:// economia.estadao.com.br/noticias/economia%20geral,salario-medio-de-admissao-subiu-312-em-2011-diz-caged,100451,0.htm

    Desde 2003 o sálario de adminssão subiu 33,06%. Acho que isso dá menos que a inflação acumulada no período.

    0
    • Sir Income 24 de janeiro de 2012 at 18:08

      IPCA 2003 a 2011 = 66,83%

      0
  • bertz 24 de janeiro de 2012 at 19:24

    Olá Xangai conforme me pediu aqui está o link do imóvel:

    http://www.mbigucci.com.br/produto/1024/82/imovel-apartamento-de-2-ou-3dorms-pq-jacatuba-santo-andre-camerata

    O preço de venda foi de 2 dormitórios, pagou 130K a vista por 8 aps e o valor do lançamento era 155K, mais sempre tem aqueles descontos sabe, como comprou 8 a vista conseguiu 130k.

    Obs: Repassou sem pagar nada pois pedem 250k, como tem habite-se coisa e tal preferiu vender mais barato, o comprador vai se virar com as taxas de entrega, os 4 últimos ele vai ver o que vai fazer, vai depender do mercado como está.

    0
    • Xangai 25 de janeiro de 2012 at 09:25

      Oi Bertz.
      Tenho familiares nessa regiao ( santa terezinha, utinga, parque das nacoes, etc )

      Fazendo uma pesquisa basica , esse empreendimento do “doutor” Milton Bigucci na verdade foi lancado em julho/2008 , as obras comecaram em jan/2009.

      Se o seu amigo comprou no lancamento isso faz 3,5 anos , nao 2 anos. Nao eh pouco … em 3,5 anos o custo oportunidade deve estar em torno de +-40% ( meus amigos economistas me ajudem ) o que leva o valor atual a mais de R$ 180k.

      Existem algumas poucas unidades ofertadas no ZAP ou ate “quebarato” , mas acredito mesmo que agora apos o “habite-se” outras surgiram. Vamos acompanhar.

      Sem duvida se o seu amigo estiver informado ( e parece que esta ) deve vender tudo o que tem na mao … mesmo antes de outros investidores o fazerem .. pois parece que o preco para venda sugerido no momento eh R$220 k.

      Vamos acompanhar e ver quando outros caras vao comecar a desovar. Envie emails para os vendedores atuais e assim que tiver resposta eu post.

      0
      • bertz 25 de janeiro de 2012 at 12:14

        Xangai as vendas de lançamento começaram foi a tres anos mais ou menos, só que como todo empreendimento não venderam tudo, ele comprou para ser exato a 2 anos e 2 meses direto Bigucci sem intermediário por conhecimento de amigos em comum.

        Como disse ele é macaco velho, já está correndo para Mauá onde tem muita gente morando de aluguel, e se voce der crédito a esse tipo de pessoa sem cultura financeira, eles vão financiar até o ar que respiram.

        Ainda acho que tem algum fôlego, lugares periféricos, onde vai demorar mais um pouco para coisa pegar mesmo. Os construtores que conheço de Santa Terezinha, Utinga, Parque das Nações, estão construindo em Vinhedo, Atibaia, Brangança Paulista e a bola da vez segundo eles é Jaguariúna e Indaiatuba, cidades de grande qualidade de vida.

        Como disse o Luiz, quando alguém descobre que alguém está se dando bem todo mundo corre para fazer o mesmo, só que quem entrar agora vai ganhar pouco, os espertos já estão saindo fora (Outros Mercados).

        Ps: Meu sogro tem 13.000m2 no centro de Socorro SP, estamos montando um esquema de prédios populares para o MCMV, conversando com o gerente da Caixa local, ele nos passou que tem 180 pessoas que estão com crédito pré aprovado, mais não tem imóvel para este valor. Final de semana vamos nos reunir, coloco as informações depois para voces.

        Esqueçam o Maldito ZAP tudo mentira nada lá é verdadeiro, nunca tiro base por nada de lá, se pegar corretor autonomo pagará ate 3% de comissão esqueça os grandões, sempre tem algumas oportunidades legais, mas temos que correr atrás.

        0
  • Cetico 24 de janeiro de 2012 at 20:55

    A sua chefe e o cara que conheci abaixo sao farinha do mesmo saco…

    PS ja tinha postado isso antes…

    Morei na Australia por quase 6 anos. Um brasileiro que havia se mudado recentemente para la’ estava reclamando de 2 coisas:

    1. Ele que nao havia recebido a devida atencao do vendedor da concessionaria quando foi comprar o seu Honda Civic ou Accord. O cara queria ser tratado como a ‘zelite’ que pode ter acesso a um carro ‘de nivel’. O coitado percebeu que qualquer um la tem acesso a esses carros quando nao recebeu o tratamento ‘diferenciado’ do cara da concessionaria…

    2. Ele nao se conformava que seu vizinho (australiano), que era encanador, ou seja, nao tinha curso superior, e falava um ingles, fazendo uma comparacao, tipo aquele jogador lateral esquerdo do Palmeiras , Junior, possuia uma casa praticamente quitada e tinha tambem um Honda Civic novo.

    Esse tipo de gente precisa ter alguem ‘inferior’ a eles pra eles se sentirem que estao bem de vida.

    Eu simplesmente ADOREI essa historia. Tomara que o otario tenha voltado para o Brasil com esses 2 sapos goela abaixo.

    Abracos

    0
  • bertz 24 de janeiro de 2012 at 20:58

    Xangai não são irmãos dele, vendeu para 2, por que um quer ficar perto da mãe que mora com o outro.

    Deu sorte.

    0
  • engana que eu gosto 24 de janeiro de 2012 at 21:12

    especulando encima de familia , porque não aconselhou os irmãos comprar por 130, espertinho hemmmmmmmmmmmmm

    0
  • Zé Coxinha 24 de janeiro de 2012 at 21:15
    • Shakespeare 25 de janeiro de 2012 at 09:56

      por causa disso, os preços dos quarto e sala de Copacabana aumentaram 15% 🙂

      0
  • Guilherme Eduardo 24 de janeiro de 2012 at 21:29

    Dando uma lida nos tópicos e em alguns argumentos dos que não acreditam na bolha e após uma googlada, percebi uma coisa:

    Muitos que compram imóvel na falam que se não conseguirem vender vão alugar e que o valor do aluguel vai pagar o financiamento. A maioria dos imóveis estão sendo comprados pelo SFH, que tem taxas mais baixas.

    Porém o SFH não permite que o imóvel seja alugado!!!!! Claro que a CEF, BB, Bradesco, Santader, Itaú e outros não vão ficar visitando todos os imóveis financiados para saber de estão sendo locados para terceiros ou não, mas se algum problema acontecer, o “investidor” terá uma grande dor de cabeça. Quais problemas? Refinanciar, transferência de dívida, inadimplência do inquilino (se ele não pagar o aluguel, você terá de tirar o $$ do bolso para pagar o financiamento, se não tiver, o Banco vai tomar), e qualquer outra operação que seja necessário fazer uma avaliação do imóvel.

    ou seja, esse procedimento é IEGAL!!! Financiar pelo SFH e colocar para alugar não pode!!!

    Alguns vão dizer que podem utilizar outras linhas de financiamento, mas ela são bem mais caras amigos.

    0
    • Anonymous 25 de janeiro de 2012 at 10:04

      Guilherme,

      Voce acaba de fornecer uma arma de destruição em massa para os inquilinos dos “investidores”. Basta o inquilino não pagar que o a perda do aluguel será o menos dos problemas do “investidor”.

      0
    • Frank 25 de janeiro de 2012 at 10:28

      não sabia disso.

      se não for letra morta, pode vir a ser usado com esperteza por inquilinos q queiram calotar / ou forçar redução de aluguel.

      essa informação é bastante relevante.

      0
  • veigalex 24 de janeiro de 2012 at 22:18
  • thiago fm 24 de janeiro de 2012 at 23:01

    Acumulados de janeiro a novembro de 2011

    Considerando-se os resultados acumulados de janeiro a novembro de 2011, foram vendidas 24.491 unidades novas, com variação negativa de 20,8%, comparativamente ao total de 30.909 imóveis comercializados no mesmo período de 2010.

    O VSO médio dos 11 meses de 2011 foi de 13,9% ao mês, diferentemente dos 22,7% ao mês registrado de janeiro a novembro de 2010.

    Em volume de lançamentos percebeu-se uma estabilização no mercado, com a oferta de 30.587 unidades de janeiro a novembro de 2011, e ligeiro crescimento de 1,3% em relação ao mesmo período de 2010, quando foram lançadas 30.198 unidades.

    Região Metropolitana de São Paulo – RMSP

    Na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), representada pela Capital e mais 38 municípios, foram registradas as vendas de 3.988 unidades em novembro de 2011, contra 2.882 de outubro do mesmo ano. Isso correspondeu a um crescimento de 38,4%. O indicador VSO de novembro foi de 11,0%, ligeiramente inferior aos 13,6% registrado na Capital no mesmo mês, porém superior ao índice de 9,3% notado em outubro na RMSP.

    As 2.601 unidades vendidas na cidade de São Paulo representaram 65,2% do total comercializado em novembro de 2011 na RMSP.

    Assim como ocorreu na Capital, o total de unidades vendidas nos 11 meses de 2011 foi inferior ao percebido no mesmo período de 2010. De janeiro a novembro de 2011, venderam-se 45.114 unidades contra 58.083 de 2010, uma queda de 22,3%.

    Considerações Finais

    Na cidade de São Paulo, o VSO médio no período de 11 meses de 2011 foi de 13,9% ao mês, índice superior à média histórica dos anos 1980, de 11% ao mês, e dos anos 1990, de 8% ao mês. “Isso demonstra que o mercado imobiliário atingiu a normalidade”, ressalta Petrucci.

    Embora os lançamentos tenham se mostrado estáveis em 2011, as vendas em unidades sofreram redução da ordem de 20%, em comparação ao mesmo período de 2010. “Esse comportamento permitiu repor parte da oferta tradicional da cidade, estimada em aproximadamente 20 mil unidades, com 16.511 imóveis em estoque no final de novembro”, explica o economista-chefe do Secovi-SP.

    Mas vale a pena lembrar que o mercado imobiliário enfrentou uma situação preocupante de queda na oferta de imóveis novos, que atingiu o nível mínimo de 7,8 mil unidades ofertadas entre agosto e setembro de 2010.

    ——————————————————————————————————————————————-

    Quem lê rapidamente ou apenas o título deixa escapar algumas informações importantes pra melhor avaliar a situação atual do mercado imobiliário. Vamos tirar o que realmente importa desse monte de informação além do que já foi dito:

    – foram lançadas 30.198 unidades de 01/2010 à 11/2010. Vendeu-se 30.909 imóveis ( vendas superaram lançamentos em 711 unidades )

    – foram lançadas 30.587 unidades de 01/2011 à 11/2011. Vendeu-se 24.491 unidades ( vendas foram inferiores aos lançamentos em 7096 unidades )

    – Em setembro de 2010 o estoque atingiu o nível “crítico de ~ 8000 unidades novas.

    – Em nov/ 2011, isto é, 14 meses depois, o estoque atingiu 16511 unidades disponíveis. ( aumento de 106% do estoque à venda)

    Traduzindo…

    Em 2011, mesmo com a estabilização dos lançamentos por parte das construtoras ( cortando investimentos) o encalhe em relação à 2010 mais que dobrou em pouco mais de um ano, atingindo um patamar próximo ao que o Secovi considera “normal”, em torno de 20000 unidades. Mas não acaba aqui…

    “O indicador VSO (VENDA SOBRE OFERTA) de novembro foi de 11,0%, ligeiramente inferior aos 13,6% registrado na Capital no mesmo mês, porém superior ao índice de 9,3% notado em outubro na RMSP.”

    “Na cidade de São Paulo, o VSO médio no período de 11 meses de 2011 foi de 13,9% ao mês, índice superior à MÉDIA HISTÓRICA DOS ANOS 1980, de 11% ao mês, e dos anos 1990, de 8% ao mês. “Isso demonstra que o mercado imobiliário atingiu a normalidade”, ressalta Petrucci.

    Retomando…

    Não sei se alguém percebeu mas a média VSO entre 10/2011 e 11/2011 foi de 10%, menor que a média histórica dos anos 80 e pouco maior que dos anos 90. A média do mesmo período de 2010 foi de 22,7% . Isso
    significa uma queda de mais de 50% em relação ao índice de novembro de 2011. Onde isso representa mercado normal? Uma queda vertiginosa na velocidade e número de vendas é CRISEEE!!!!

    Basta ler os próprios números do setor. Oferta em alta num mercado saudável e capitalista representa queda de preços, não tem saída!

    0
    • Ratinho 25 de janeiro de 2012 at 07:38

      Puxa vida, tiveram que garimpar um VSO menos lá na década de 80 pra justificar que “o mercado imobiliário atingiu a normalidade”. Esse economista-chefe é um comediante.

      0
  • Paulo 25 de janeiro de 2012 at 02:00

    Moro em BH, segue abaixo dados retirados no site IPEAD/UFMG – opção: mercado imobiliário(localizado no lado direito no alto da tela) – Série histórica de comercialização – acessar arquivo 11_2011_Construção.pdf

    Dados de vendas abaixo referente a cidade de Belo Horizonte, por ser tratar de uma instituição respeitada resolvi repassar os dados e a forma de acesso, nota-se uma grande queda nas vendas desde julho de 2011.

    A tabela 9 apresenta a evolução da quantidade de imóveis residenciais (apartamentos)
    vendidos.

    Tabela 9: Quantidades de imóveis residenciais vendidos

    Período Quantidade de Unidades Vendidas
    Nov/09 474
    Dez/09 357
    Jan/10 617
    Fev/10 461
    Mar/10 613
    Abr/10 348
    Mai/10 396
    Jun/10 376
    Jul/10 849
    Ago/10 716
    Set/10 325
    Out/10 393
    Nov/10 498
    Dez/10 609
    Jan/11 236
    Fev/11 574
    Mar/11 550
    Abr/11 169
    Mai/11 259
    Jun/11 572
    Jul/11 182
    Ago/11 101
    Set/11 188
    Out/11 152
    Nov/11 165
    FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

    0
    • MrK 25 de janeiro de 2012 at 06:09

      excelente informacao! estao ha 6 meses com vendas quase travadas, agora quero ver sair dessa sem baixar preco… tem jeito nao, a nao ser que revisem toda teoria economia

      e o que eh incrivel, as vendas sumiram mesmo com o credito ainda farto e o emprego em niveis bons…ou seja, acabou o folego MESMO, tem nem de onde tirar mais…

      0
    • rsmrsm 25 de janeiro de 2012 at 08:31

      Não consegui entender estes números.

      0
      • Shakespeare 25 de janeiro de 2012 at 09:40

        Veja assim:

        Comparando o ano de 2010, no qual se vendeu 6.201 unidades, o ano de 2011 até novembro tinha vendas anotadas até novembro de 3.148 unidades, quase 50% do ano anterior.

        Como sabemos que dezembro também não foi muito bom, o ano de 2011 foi bem pior em termos de vendas de imóveis em BH.

        0
    • Anonymous 25 de janeiro de 2012 at 09:56

      A média de unidades vendidas por mes é 407. Então, a QUEDA a partir da média, para os últimos 5 meses fica sendo:

      55%
      75%
      54%
      63%
      60%

      É, mercado AQUECIDAÇO!!!

      0
    • Frank 25 de janeiro de 2012 at 10:22

      impressionante a queda de Junho p/ Julho de 2011

      0
    • Tales 25 de janeiro de 2012 at 14:50

      Paulo,

      Muito boa essa pesquisa do IPEAD. Também sou de BH e tem muita informação boa. Inclusive de alguns bairros de BH.

      Dah pra perceber também que a oferta tah aumentando.

      Sugiro darem uma boa olhada nesta pesquisa. Dah pra tirar muita informação de como tah a situação atual do mercado.

      Segue o link direto pro pdf:

      ipead.face.ufmg.br/site/siteipead/documentos/imobiliario/comercializacao/2011/11_2011_construcao.pdf

      0
  • Shakespeare 25 de janeiro de 2012 at 09:51

    Parabéns São Paulo:

    PIB de SP pode mais do que dobrar em 30 anos

    h t t p ://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1039034-pib-de-sp-pode-mais-do-que-dobrar-em-30-anos.shtml

    0
    • Anonymous 25 de janeiro de 2012 at 10:00

      Mesmo que dobre, é muito pouco. Observe que usando a taxa de juros de poupança – 6% ao ano – um valor depositado durante 30 anos, é SEXTUPLICADO.

      0
    • RD85 25 de janeiro de 2012 at 10:04

      se a notícia se refere ao PIB nominal pior ainda… Crescimento nominal de 2,33% ao ano vai ser crescimento real negativo todos os anos… porque nossa inflação nunca vai cair abaixo de 3%…

      0
  • Profeta dos Pampas 25 de janeiro de 2012 at 10:14

    Desespero em POA.

    Meu nome é XXXXXX, sou CONSULTOR da plataforma de VENDAS ONLINE da construtora GOLDSZTEIN CYRELA e estou passando para divulgar nossa CAMPANHA DE VERÃO 2012!

    O nome da campanha é “CASA NOVA, CASA MOBILIADA”. Os clientes que adquirirem seu imóvel GOLDSZTEIN CYRELA entre 25-jan-12 e 24-fev-12, receberão de brinde o apartamento MOBILIADO! É isso mesmo, MOBILIADO!

    0
    • MrK 25 de janeiro de 2012 at 10:23

      Ahhh agora sim ficou bom, vou comprar um imovel bolhudo a preco de nova york, mas como vai vir cheio de movel de compensado, porcelanato de 5a categoria e tapete da casa e video, entao vale a pena!!!

      0
      • MrK 25 de janeiro de 2012 at 10:29

        acabou de me ocorrer algo: No fim do ano quando viamos aquelas promocoes, alguns anti-bolhas diziam: “ahhh mas eh normal, eh pra fechar ano, nada demais”, agora que as promocoes estao entrando fevereiro a dentro quero saber o que eles vao dizer, a MRV e a Gafisa continuam tb com promocoes…

        0
      • Anonymous 25 de janeiro de 2012 at 10:34

        MrK,

        Qualquer imóvel nos EUA já vem “mobiliado” por 1/3 do preço de um imóvel similar em qualidade, incluindo vizinhança, na Banânia. Se o imóvel for novo, virá com eletrodomésticos que só estarão disponíveis na Banânia na próxima década.

        0
        • Thiago 25 de janeiro de 2012 at 10:56

          Só fazendo um adendo

          Nos EUA mobiliado significa que a casa tem

          Ar condicionado/aquecimento central (isto é, para todos os cômodos)
          Fogão/Forno
          Geladeira
          Máquina de lavar louça
          Em alguns casos lava roupa e secadora (senão é central do condomínio)
          Móveis
          Triturador de lixo na pia

          Até os eletros mais ‘entry level’ lá são do nível mainstream aqui

          Aqui provavelmente mobiliado significa um fogão xexelento e uns móveis das Casas Bahia

          0
          • Lucas Sabino 25 de janeiro de 2012 at 11:13

            kkk verdade, e fogão DAKO…kkk

            0
          • Frank 25 de janeiro de 2012 at 11:16

            na verdade, qq produto massificado nos EUA equivale a um produto de qualidade / premium no Brasil.

            0
  • Salles 25 de janeiro de 2012 at 10:18

    Artigo interessante: http:// ww w. estadao.com.br/noticias/internacional,construcao-de-arranha-ceus-pode-ser-prenuncio-de-crise-diz-banco,821814,0.htm

    “Construção de arranha-céus pode ser prenúncio de crise, diz banco”

    0
  • Anonymous 25 de janeiro de 2012 at 10:55

    Está na hora de fazer uma fézinha no velho e bom DOLAR. Uma maxi-desvalorização pode tardar, mas não vai faltar. Aposto que a Banânia está importando bananas.

    Brasil já importa produtos típicos como óleo de dendê e coco
    www1 . folha . uol . com . br/mercado/1039075-brasil-ja-importa-produtos-tipicos-como-oleo-de-dende-e-coco . shtml

    “O país está muito caro, especialmente na produção. Por isso, perde competitividade até em setores em que tem vocação natural”, afirma José Augusto de Castro, presidente em exercício da AEB (Associação de Comércio Exterior do Brasil).

    Coco seco da Indonésia, Filipinas e Tailândia
    Óleo de dendê da Colômbia
    Alcool dos EUA
    Alumínio da Venezuela e Argentina
    Feijão da China e Argentina
    Café industrializado da Suiça

    0
  • lupo cattivo 25 de janeiro de 2012 at 11:06

    Essa semana estive conversando com o motorista da empresa onde trabalho, cuja esposa é corretora na região de Perdizes/Higienópolis – São Paulo. Ele comentou que a esposa dele não vende um imóvel faz 8 meses……
    Aliás, outro fato interessante. Estive conversando com um colega que havia comprado um apartamento na planta por x há 3 anos atrás e agora ele acredita que o apartamento vale 2,5x. Aliás, esse mesmo colega estava fazendo trava de baixa numa determinada ação e justificou dizendo que o valor da ação tinha rompido a banda de bollinger e estava muito longe da média móvel, manifestando que a tendência era o preço aproximar-se da média móvel. O engraçado é que, para ele, apenas o valor dos imóveis permence constante ou sobe com o tempo, não se aplicando os mesmos paradigmas que ele acredita no mercado de capitais……

    0
    • augusto 25 de janeiro de 2012 at 12:22

      Pode pensar que vale 2,5x, mas o problema é ele encontrar comprador. Papai Noel existe para muitos adultos bocós

      0
  • MrK 25 de janeiro de 2012 at 11:28

    Prezado Anonymous, creio que o Sr devera rever o apelido dado ao Brasil de “banania”, reportagem hoje do oglobo atesta que no Brasil, cerca de 50% dos produtos anunciados como contendo frutas na embalagem (iogurtes, sucos, sorvetes, gelatinas) na verdade nao tem nada de fruta, apenas aditivos quimicos.

    Em outras palavras, pode ser que a banana da banania nao passe de acucar e aditivos quimicos…nao somos merecedores de tal apelido.

    0
    • Anonymous 25 de janeiro de 2012 at 11:38

      Que tal Banania-PVIII, ou seja, com a adição de conservante para mostrar a natureza artificial do país?

      0
      • MrK 25 de janeiro de 2012 at 12:15

        talvez “extrato sabor artificial de banana” fosse mais adequado.

        claro…por pouco tempo, pois em breve esse extrato sera importado made in china.

        0
  • marlon 25 de janeiro de 2012 at 11:39

    chegando tarde para comentar assunto ja tratado aqui. matéria da gazeta do povo, jornal de Curitiba acerca da diferença dos valores de automóveis vendidos no Brasil e nos Estados Unidos.

    http ://ww w.gazetadopovo.com.br/automoveis/conteudo.phtml?tl=1&id=1216365&tit=Nosso-carro-custa-bem-mais-do-que-nos-EUA

    0
  • Frank 25 de janeiro de 2012 at 11:44

    ótima referência para compararmos a affordability no Brasil com a de outros países:

    http://www.demographia.com/dhi.pdf

    affordability usada = valor médio do imóvel / renda bruta anual (equivale ao número de anos q a renda bruta leva para comprar imóvel….)

    alguns dados da pesquisa realizada nas pricipais praças (regiões metrop.) em alguns países:

    EUA: 3.1
    UK: 5.0
    Austrália e nova Zelândia: entre 6.4 e 6.7
    Canadá: 4.5

    fiz a conta para Zona Sul do RJ com o seguinte cenário:
    – apto típico = 1MM
    – renda bruta anual (família) = 200K (grosseiramente = 16,5 K mensais)
    – affordability ZS = 5 anos

    o relatório considera uma affordability saudável = até 3 anos

    ou seja:
    – de acordo com esse report, há vários países bolhudos no mundo anglo-saxônico.
    – os EUA estão relativamente bem baratos…
    – os dados de Austrália e NZ confirmam essa bolha q não estoura…
    – algumas praças no BR estão com o affordability muito ruim, podendo ser consideradas “bolhadas” segundo essa métrica

    questão: a referência de 3 anos de affordability é razoável ? ou está subdimensionada ?

    0
  • Frank 25 de janeiro de 2012 at 11:44

    ótima referência para compararmos a affordability no Brasil com a de outros países:

    demographia.com/dhi.pdf

    affordability usada = valor médio do imóvel / renda bruta anual (equivale ao número de anos q a renda bruta leva para comprar imóvel….)

    alguns dados da pesquisa realizada nas pricipais praças (regiões metrop.) em alguns países:

    EUA: 3.1
    UK: 5.0
    Austrália e nova Zelândia: entre 6.4 e 6.7
    Canadá: 4.5

    fiz a conta para Zona Sul do RJ com o seguinte cenário:
    – apto típico = 1MM
    – renda bruta anual (família) = 200K (grosseiramente = 16,5 K mensais)
    – affordability ZS = 5 anos

    o relatório considera uma affordability saudável = até 3 anos

    ou seja:
    – de acordo com esse report, há vários países bolhudos no mundo anglo-saxônico.
    – os EUA estão relativamente bem baratos…
    – os dados de Austrália e NZ confirmam essa bolha q não estoura…
    – algumas praças no BR estão com o affordability muito ruim, podendo ser consideradas “bolhadas” segundo essa métrica

    questão: a referência de 3 anos de affordability é razoável ? ou está subdimensionada ?

    0
    • Paulo 25 de janeiro de 2012 at 11:56

      Renda Bruta?

      0
      • Frank 25 de janeiro de 2012 at 12:11

        sim

        0
        • RD85 25 de janeiro de 2012 at 13:19

          Renda bruta é ridículo….

          Só a diferença do I.R. dos países já causa distorções absurdas… ademais, alguns países desses, o sujeito paga 50% da renda em tributos, mas gasta 0 com serviços básicos… no Brasil você gasta 33% (4 meses de salário?) em tributos e mais plano de saúde privado, educação privada (exceto nível superior), pedágio, segurança privada, etc etc etc

          0
  • realidade 25 de janeiro de 2012 at 12:00

    país não têm inflação…faxineira acabou de comprar pastel na feira…produto altamente refinado e com grande grau de sofisticação..foi de R$ 3,00 pra 3,50, quase USD 2…..Na China ou Japão, sei lá,,, deve estar + barato que na banânia…rs

    0
  • Etmso 25 de janeiro de 2012 at 12:13

    Temos no Brasil 200 milhoes de habitantes, colocando 10 pessoas por moradia, temos 20 milhoes de moradia, 200.000 unidades, 1%, em estoque pode afetar tanto o preco? A maioria dos imoveis no Brasil estão pagos. Nos EUA a maioria era hipotecado. O que fez os imoveis subirem no Brasil foi um fator macro, liberação de credito, e o que atingira o preco de forma ampla também devera ser macro. Imoveis nao sao acoes, que vc faz e desfaz em segundos, as pessoas precisam de moradia, sempre precisarão. Se nao houver uma merda macro, esquece quedas acentuadas de preco.

    0
    • augusto 25 de janeiro de 2012 at 12:19

      Só que quem não abaixar vai ter muita dificuldade de vender. É só ver as pesquisas feitas pelo proprio pessoal envolvido com comercialização de imóveis, vendas caem mes a mes, e os poucos que vendem na maioria são de valores mais baixos.

      0
    • Anonymous 25 de janeiro de 2012 at 12:25

      Nos 200 milhões de pessoas, a grande maioria é pobre. O mercado dos potenciais compradores de imóvel é muito menor do que voce imagina e talvez o estoque atual esteja altíssimo.

      0
      • MrK 25 de janeiro de 2012 at 12:35

        PERFEITO

        no Brasil, poucos tem renda realmente forte, e desses poucos a grande maioria ja tem imovel, seja adquirido no passado ou no boom de 2009 a 2011, minha opiniao: a quantidade de pessoas que nao tem imovel e TEM RENDA pra bancar a esses precos eh muito pouca para o estoque atual + estoque em construcao

        0
    • MrK 25 de janeiro de 2012 at 12:28

      Etsmo, cuidado, voce esta indo pelo mesmo raciocinio daquele camarada: Existe deficit de fome entao posso cobrar R$1.000 no sanduiche!!

      Voce tem que focar em 2 coisas: RENDA disponivel vs VALOR do estoque a ser vendido, esqueca falar em unidades!!!

      outra coisa, nao entendi o seu 200.000, soh no Rio, soh na barra da tijuca, soh no zap tem 15.000 imoveis a venda e mais outros tantos em construcao, voce quer dizer que a barra da tijuca representa 10% do brasil?!?!? acho que o estoque atual + o estoque a ser entregue em 2012 deve ser beeeeeeem maior que isso

      0
      • Etmso 25 de janeiro de 2012 at 12:41

        Então vamos colocar 50 milhoes de pessoas com potencial de compra, 5 pessoas por moradia, 10 milhoes de moradia, 500 mil moradias em estoque, o que da 5%. Sera que influencia o preco? Temos que nos atentar que o uso da internet cresce vertiginosamente, e que as pessoas podem anunciar seus imoveis em 2, 3 sites simultaneamente.

        Outro dado legal de trabalharmos e o % de imoveis hipotecados no Brasil, Vera que a taxa e muito baixa em relacao aos países que houveram bolha, esta merda aqui vai continuar alta…com tudo caro por uns bons anos ate todo mundo ficar endividado ate o caroço vai levar anos e anos.

        E evidente que as vendas diminuíram, mas os lançamentos também, ainda nao vejo este descompasso significativo a ponto de derrubar os precos um grande %.

        0
        • MrK 25 de janeiro de 2012 at 13:06

          Etmso?!?!

          50 milhoes com poder de compra?! Voce sabia que a renda media do Brasileiro eh de R$1.200???

          Vou te dizer a minha opiniao:
          Brasileiros com poder de compra para os precos atuais: 15% = 28milhoes (sendo MUITO otimista)
          Brasileiros com poder de compra que querem comprar imovel (30% desses, acho que dessa turma do topo a maioria ja tem) = 8milhoes
          Considerando familia media de 3.5 pessoas = 2.3milhoes de lares em demanda

          MAS ATENCAO, como muitas dessas pessoas hoje moram de aluguel, ao sairem pra um ap comprado irao ESVAZIAR outro, ou seja, digamos que 70% desses moram de aluguel e 30% com a mamae = Demanda nova = 2.3 * 0.3 = 690.000

          Se for ver o que temos em estoque + o que temos em construcao para entregar no curto prazo passa isso de longe, por isso acredito na sobreoferta!!

          criticas?

          0
          • Anonymous 25 de janeiro de 2012 at 13:19

            Vamos supor que os potenciais compradores sejam jovens, uma vez que os mais velhos já devem possuir algum tipo de imóvel. Segundo o IBGE, cerca de 9% da população está entre 20 a 24 anos. Portanto, cerca de 0.09 * 200 = 18 milhões de pessoas. Usando o conceito extremamente flexível de classe alta, mostrado na Folha de São Paulo, temos cerca de 0.09 * 18 = 1.6 milhões de pessoas. O número de potenciais compradores de imóveis, é uma parte dessas pessoas. Na verdade, supondo ainda que a maioria quer comprar um imóvel justamente porque vai constituir familia, podemos dividir esse número por 2 (homem + mulher). Chegamos em 800 mil potenciais compradores.

            0
            • MrK 25 de janeiro de 2012 at 13:32

              nao se esqueca que muitos desses hoje moram em aps que serao devolvidos,ou seja, ele tem demanda de compra, mas assim que compra devolve um pro estoque,entao sao neutros!!!

              olha, no fundo no fundo essa conta eh MUITO dificil de ser feita, o que eu fiz, voce e o etsmo sao chutes, pq existem muitas outras variaveis

              entretanto acho que da pra ter um “cheiro” do que temos e o meu “cheiro” eh sobreoferta

              0
              • Debbie 25 de janeiro de 2012 at 14:10

                eu concordo com tudo que o MrK diz e somando ainda temos uso de derivativos para alavancar os financiamentos, as pessoas nao querem saber de onde esta vindo o dinheiro que estao usando para comprar o imovel, eles querem simplismente comprar…

                0
          • Ze_Das_Couves 25 de janeiro de 2012 at 13:33

            Nao eh critica mas acho tambem que regioes do pais e cidades irao sentir os efeitos de maneira diferente.

            Cidades com maior potencial economico como RIo e SP devem sentir os efeitos de maneira diferente de cidades onde o crescimento nao tem muita justificativa.

            Hoje no brasil tem construcao para tudo quanto eh lado e todos erguendo, construindo, aumentando…

            Tem lugares que vai afetar mais e mais rapido e outros lugares menos e mais lentamente. Agora formula e calculo nao da para fazer sem dados e estatisticas reais e atualizadas. Coisa que no brasil temos pouco.

            0
          • Etmso 25 de janeiro de 2012 at 13:41

            Mas ai e que ta, msm a familia que ganha 1500 por mês hoje pode comprar um apto, prestações de ate 500 reais pela regra da caixa. Esta foi a merda! A liberação de credito fazem as coisas serem calculadas a partir das prestações e o valor final fica esquecido!

            Precisariamos pegar dados do IBGE para saber se estes lançamentos imobiliários sao significativos a ponto de diminuir o preco por aumento de oferta. (isto nao e bolha). Pelas nossas estimativas a vissao blog deu 20% de estoque, visão troll rs 5%. Vamos fechar com 12% vc acha que derruba os precos qtos % ?

            A faltas destes créditos nos anos 90, depreciou os imoveis pois a pessoas tinham que juntar
            para comprar.

            Nao se esquece que tem gente subindo de vida (msm que a base de prestações) então tem gente saindo do barraco de tábua pra casa popular, e da casa popular pro apto do minha casa minha vida…assim por diante.

            0
            • MrK 25 de janeiro de 2012 at 13:47

              etsmo, olhar o tamanho do estoque como % dos imoveis prontos nao eh relevante… voce tem que olhar o tamanho do estoque e o tamanho da demanda que pode pagar por esse estoque… veja bem, se estivessemos numa situacao de equilibrio, como vc sugere, as vendas estariam com folego… no entanto nao eh isso que temos visto, pra piorar, vamos ter competicao de venda de construtora com de especulador, coisa que antes tinha-se muito pouco no brasil, ou seja…ploc

              0
              • Etmso 25 de janeiro de 2012 at 14:17

                Sim estamos numa fase de ajuste…mas ja existe uma demanda reprimida pelos altos precos.
                Cara Rio, SP, BSB, Recife, bairros próximos a oferta de trabalho nao cai.

                0
            • Pedro 25 de janeiro de 2012 at 15:27

              Não, vc está enganado, com esses preços abusivos, ninguém consegue comprar nada, nem mesmo casas populares, a não ser em uma favela e em área de risco.
              http: // oglobo.globo.com/pais/aumento-do-numero-de-moradores-de-favelas-chama-atencao-3494683

              0
        • Pepper 25 de janeiro de 2012 at 15:30

          Os lançamentos diminuiram, mas ainda assim o estoque aumentou.

          0
    • MrJaime 25 de janeiro de 2012 at 13:52

      Realmente o que causou o aumento foi a expansão do crédito. Basta que o crédito estabilize ou seque para que os preços voltem aos seus níveis naturais. Isso ocorre pois as rendas familiares não são capazes de arcar com os preços inflados pela expansão de crédito, ou seja, os preços se sustentam pelo “dinheiro adicional” que entrou no mercado.
      Em verdade, a expansão demasiada do crédito é nociva não só para o mercado imobiliário, mas para todo o equilíbrio de preços da economia. Não é à toa que recentemente Mauro Halfeld alertou que boa parte da economia Brasileira estava em uma bolha.

      Para finalizar, deixo a célebre frase do pai da escola austríaca de economia, Lud Von Mises:

      “Não há maneira de evitar o colapso final de um boom trazido por expansão de crédito. A alternativa é se a crise deve vir mais cedo como resultado do abandono voluntário de mais expansão de crédito, ou mais tarde com total catástrofe do sistema monetário envolvido.”

      0
  • bertz 25 de janeiro de 2012 at 12:44

    Pessoal o que está acontecendo com a Bolsa este ano? Não iria caminhar de lado, ou os grandes conseguiram o que queriam, comprar a preço de banana dos coitados que estavam desesperados em perder dinheiro, e agora tudo volta ao normal? quem tem grana consegue iludir o mercado?

    0
    • henrique 25 de janeiro de 2012 at 14:47

      Dos 64K não passa.

      Mês que vem a chapa esquenta.

      0
  • Nero 25 de janeiro de 2012 at 13:14

    Pois bem, hora de dar o meu relato. Se ficar meio esquecido nesse post que já está meio “velho”, postarei no outro pois acho de relevância para todos – por isso, já peço desculpas antecipadas pela eventual repetição…

    Há um tempo fui no “pré-lançamento” de um empreendimento na região do Jaguaré – SP, e o vendedor (nem da pra chamar de corretor…) disse que a tabela ia sair por 5.500/m2, que tava realmente num preço muito bom, que oportunidade como essa é dificil encontrar de novo, que os terrenos em SP estão acabando, aquele bla bla bla todo.

    Como achei caro, e nem estou com a $ para de fato comprar agora, tava apenas começando a sondar o mercado para poder avaliar melhor as oportunidades quando tiver o $ pra comprar (e, até lá, que o mercado já tenha se corrigido, com ou sem burst), agradeci a atenção, deixei meus contatos e fui pro bar tomar uma cerveja com os amigos (estes, um pouco menos informados, que acharam 5,5m² uma pechincha)

    Isso foi no começo de dezembro.

    Nesse fim de semana o referido vendedor/corretor me liga no sábado de manhã para dizer que a tabela tinha saido e que eu tinha que ir la conferir. Custou para ele me passar uma base de preço por telefone, mas no fim me confirmou que tava na base dos 5,5m2 mesmo.

    Hoje, quarta feira (feriado em SP inclusive), recebo email do mesmo dizendo que o preço médio do apartamento no empreendimento está em 4.100m²! 35% mais barato em relação à previsão inicial!!

    Na minha terra, isso se chama “água batendo na bunda”!

    abraços a todos, e parabéns pelo blog, tenho acompanhado há 2 meses e tem me ajudado a esclarecer muitas dúvidas!

    0
  • bertz 25 de janeiro de 2012 at 13:23

    http://imoveis.trovit.com.br/index.php/cod.frame/url.http%253A%252F%252Fwww.sonhofacilimoveis.com.br%252Fengine.php%253Fid%253D60193%2526page%253Ddetalhe%2526cd_imovel%253D1993353/id_ad.X1m1j1712121dW/type.1/what.casa%20contrato%20gaveta/pos.12/org.1/pop.1/publisher_id./referer_id.1/t.1

    Rende no mínimo 800k de aluguel com imobiliária garantido, contrato de gaveta, ótimo para quem não quer pagar aluguel por enquanto, poderá ficar tranquilo por 30 anos, esperando reação do mercado.

    Vou mandar 50k mais antes vou consultar meu advogado

    0
    • Pensativo 25 de janeiro de 2012 at 14:50

      ???
      Agradeceria se traduzisse. E sem erros crassos de português, por obséquio.

      0
      • bertz 25 de janeiro de 2012 at 16:05

        Pensativo tradução: Imóvelno link acima sem documento então preço = 69k

        bertz diz: Consultar a situação para desenrolar este imóvel com advogado se compensar ofereço 50k.

        Aluguel= 800k padrões atuais mais de 1% de rendimento.

        Não recomendado para primeiro imóvel , ou pessoas que não tenham assistência profissional competente.

        Qualquer outras dúvidas estaremos a disposição. kkkkkkkk

        0
      • bertz 25 de janeiro de 2012 at 16:09

        Pensativo tradução: Imóvelno link acima sem documento então preço = 69k

        bertz diz: Consultar a situação para desenrolar este imóvel com advogado se compensar ofereço 50k.

        Aluguel= 800k padrões atuais mais de 1% de rendimento.

        Não recomendado para primeiro imóvel , ou pessoas que não tenham assistência profissional competente.

        Desculpe os erros escrevo tão rápido quanto trabalho e não corrigo depois.

        Qualquer outras dúvidas estaremos a disposição. kkkkkkkk

        0
  • TH 25 de janeiro de 2012 at 13:28

    Esse video é bem interessante. O comentarista parece estar um tanto otimista que a economia da China não vai passar por um hard landing, mas não parece ter nenhuma dúvida que existe uma bolha imobiliária lá, que está estourando, e que não será um processo tranquilo.

    h t t p :// w ww.bloomberg.com/video/84837208/

    0
  • MrK 25 de janeiro de 2012 at 13:41

    Soh hoje no blog tivemos:

    numeros de queda forte de venda em bh
    relato do nero da queda de precos na tabela
    relato da esposa corretora que nao vende nada ha 8 meses
    relato do camarada que ouviu o corretor desesperado no onibus pq nao vende

    eh claro que se for pegar qualquer um desses relatos separados, eles parecem bobagens, individualmente sempre vao poder dizer : ahhh mas eh um caso…caso isolado!!! nao tem representatividade

    mas quando vc comeca a ver que eh um atras do outro, todos apontando na mesma direcao, comeca a ver dados, ver os estoques recodes…hmmm…sei nao heim…

    0
    • Tales 25 de janeiro de 2012 at 14:57

      MrK,

      Dah uma olhada na pesquisa de que o Paulo falou no post acima. Tem muita informação boa de com tah andando o mercado. É daqui de de BH mas pode ser base pro mercado em outras regiões.

      ipead.face.ufmg.br/site/siteipead/documentos/imobiliario/comercializacao/2011/11_2011_construcao.pdf

      0
    • Xangai 26 de janeiro de 2012 at 08:31

      otimo MRK ..

      isso “apenas” nesse post …

      sera que alguem conseguiria fazer esses sumarios e manter atualizados ?!?!?

      imagina a qtd de casos e causos nos ultimos 6 meses !!

      ainda lembro de uma senhora/corretora/troll falando que comprou 2 aptos e venderia
      um para pagar o outro ( vc deve lembrar ) , ate perguntei qual era o empreendimento
      para poder ( quem sabe nesse momento ) perguntar se ela realizou o plano.

      well … um sumario itemizado seria bem legal !!

      0
  • Carlos Wagner 25 de janeiro de 2012 at 14:00

    E ai galera… Nao vai rolar outro topico?

    0
  • marcio 25 de janeiro de 2012 at 14:04

    Pessoal vou dar um relato importante e isento de emoção ou algo parecido.

    Moro em Ramos zona norte do RJ, em casa própria mais estou a 2 anos a procura de outra casa maior e com boa área externa, como não encontrei nada justo, diga-se: Tamanho x valor, parei de procurar e hoje falei com um corretor que me amostrou uma ótima casa por um preço legal mais que estava enrolada em inventário, a única casa boa nesta relação acima, e eis o relato dele:

    Márcio o mercado está louco, não se vende nada nestes valores, os proprietários estão enlouquecidos com os valores, querem valores irreais que quase ninguém tem condições de pagar e quando fazemos uma avaliação técnica que os valores ficam cerca de 40, 50% mais barato do que eles falam eles dizem que sou louco, que o fulano conhecido vendeu por muito mais e aí sou obrigado a aceitar o valor do dono só que aí o imóvel não vende e eu não ganho nada. Vc me conhece trabalho a mais de 30 anos neste ramo e mesmo sendo burro pelo tempo o cara aprende alguma coisa e eu aprendi, não compre nada agora, faça sua grana e espere uns 2 a 3 anos q vc vai pagar muito mais barato, pq do jeito q tá é impossível continuar, não vendo nada a muito tempo estou num aperto danado! E outra vc sabe o que mais nos fode? Essa maldita Globo e Jornais que falam q o mercado está a 8 maravilha do mundo, com isso ninguém quer vender por um preço real e sim por um preço irreal.

    Estava ansioso para postar isso aqui, pois é um relato de um amigo e trabalhador da área à anos, que jamais falaria isso a toa! E com isso tomei minha decisão final, vou ficar quietinho só esperando!

    abcs!!!!

    0
    • Carlos Wagner 25 de janeiro de 2012 at 14:13

      Marcio

      Como voce pôde abservar, estamos todos esperando aqui, mas nos recusamos a ficar quietinhos….hehe

      Estamos a maior ilusão de todos os tempos. O governo se encarregou de plantar a maior mentira economica da historia deste país…

      A proposito, acabei de sair do hospital, fiz uma cirugia de hernia umbilical e fiquei 2 dias sem acompanhar o blog. Ja se foram 500 posts. Tentando ler alguns dos comentarios aqui, deparei me com o teste sobre qual classe social pertencemos, feito pela folha… Pois bem, fiz o teste e o resultado foi que sou CLASSE ALTA.

      Soi Rico…

      0
      • Anonymous 25 de janeiro de 2012 at 14:26

        Sei não, mas “cirugia de hernia umbilical” só pode ser coisa de classe alta mesmo. Em todo caso, desejo um pronto restabelecimento.

        0
      • aiwww 25 de janeiro de 2012 at 14:35

        É!
        A gente não tem cara de panaca
        A gente não tem jeito de babaca
        A gente não está
        Com a bunda exposta na janela
        Prá passar a mão nela…

        ….

        Gonzaguinha

        0
    • Carlos_ 25 de janeiro de 2012 at 14:22

      Marcio,

      Muito obrigado pelo depoimento, essas peças, como já disse, são fundamentais para montarmos o quebra-cabeça da atual situação do mercado.

      Destaco o seguinte trecho abaixo. Sempre mencionamos isso aqui, mas é muito bom ter um depoimento de um insider do mercado dizendo a mesma coisa:

      “E outra vc sabe o que mais nos fode? Essa maldita Globo e Jornais que falam q o mercado está a 8 maravilha do mundo, com isso ninguém quer vender por um preço real e sim por um preço irreal.”

      0
      • Pepper 25 de janeiro de 2012 at 15:46

        As pessoas realmente enlouqueceram com essa de que “fulano vendeu por muito dinheiro” e querem no m² do imóvel usado há 30 anos o mesmo preço (ou mais) do metro quadrado de um novo, que já está nas alturas!

        0
    • Vinicius Lima 25 de janeiro de 2012 at 17:38

      Obrigado marcio, excelente depoimento!!!!

      0
  • Frank 25 de janeiro de 2012 at 14:26

    “Só a diferença do I.R. dos países já causa distorções absurdas”

    é verdade.

    ainda assim, a abordagem pela renda bruta dá um “cheiro” da coisa.

    considerando a renda líquida, na comparação com os EUA por exemplo, nossa situação e´ainda pior.

    0
    • RD85 25 de janeiro de 2012 at 14:45

      Frank,

      eu falei do I.R e dos serviços públicos porque no Brasil tem que ter um bocado de disciplina pra guardar 35% da renda bruta com todos os gastos de dupla contagem em que incorremos (pagamos pelos serviços públicos e temos que comprar privado se quisermos ter efetivamente o serviço)…

      Como qualquer muquifo hoje custa 500k a conta da nossa affordability para uma renda bruta de 16,5k (líquida de 5,8k considerando 35%) iria pra 7,18 anos…

      Se o número ideal está em torno de 3, ou os salários duplicam ou os imóveis caem pela metade do preço…

      0
      • Frank 25 de janeiro de 2012 at 15:05

        correto.

        não sei se ficou claro, mas não estamos divergindo 🙂

        o relatório colhia dados do mundo anglófilo – q guardam algumas semelhanças culturais, institucionais e legais, ainda q muitas diferenças em termos justamente de carga tributária.

        o q é interessante é se poder comparar um dado adimensional (q, em tese, afasta (ou minimiza) todos os demais aspectos de câmbio, taxa de juros, etc., etc.) do Brasil com o de outros países.

        voltando à comparação pela renda bruta (entendendo q é falho, mas tem o mérito da simplicidade e de evitar a assunção de outras premissas tb discutíveis), a affordability em algumas praças do Brasil só deve ser comparável à países claramente bolhadas (Austrália + NZ), praças ícones no mundo (NY, Londres) ou de cidades-estado ricas (Hong Kong).

        0
  • Carlos_ 25 de janeiro de 2012 at 14:39

    O depoimento do Marcio, assim como o depoimento de um colega que tem uma parente que está se separando e vai comprar a parte do apartamento do marido mostra como a ‘riqueza’ gerada pela ‘valorização’ imobiliária é ilusória. Só é boa mesmo para quem tem vários imóveis. Mesmo quem já tem um para morar acaba de dando mal.

    l.

    0
  • Indecoroso 25 de janeiro de 2012 at 14:43

    DESTAQUE PARA O ÚLTIMO PARÁGRAFO DA NOTÍCIA ABAIXO…

    Fonte: h ttp://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica-brasil-economia/33,65,33,3/2012/01/25/internas_economia,287513/indice-de-confianca-do-consumidor-cai-no-primeiro-mes-de-2012.shtml
    _____________________________________________________________
    Índice de Confiança do Consumidor cai no primeiro mês de 2012

    Agência Brasil- Publicação: 25/01/2012

    Rio de Janeiro – O Índice de Confiança do Consumidor, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), teve uma queda de 3% entre dezembro do ano passado e janeiro deste ano. O índice passou de 119,6 pontos no mês passado para 116 pontos nesta primeira apuração do ano de 2012.

    A queda da confiança do consumidor foi provocada pela redução dos subíndices da Situação Atual, que caiu 2,3% (ao passar de 140,7 para 137,4 pontos), e de Expectativas, que diminuiu 3,4% (ao passar de 108,6 para 104,9 pontos).

    Segundo a pesquisa da FGV, a proporção de consumidores que avaliam a situação econômica local como boa diminuiu de 27,1% para 24,4%; enquanto aqueles que a consideram ruim aumentaram de 17% para 18,4%.

    Já o item que mais contribuiu para a queda do Índice de Confiança do Consumidor foi a intenção de compra de bens duráveis nos seis meses seguintes. A parcela de consumidores que pretendem comprar mais caiu de 19,5% para 15,9%. A proporção dos que pretendem comprar menos subiu de 31,3% para 37,8%.

    0
  • Shakespeare 25 de janeiro de 2012 at 14:48

    Piada do Dia (vi, por acaso na página inicial do UOL e dei muita riZada):

    Venceu o reality em 2011
    Maria Melilo conta que investe prêmio do BBB11 em imóveis

    Quando perguntada sobre como está utilizando o dinheiro da premiação de campeã da atração da Globo, Maria contou. “Estou investindo em imóveis, que nunca desvalorizam e vão me dar mais lucros mais tarde”.

    fonte: h t t p://caras.uol.com.br/noticia/maria-melilo-sobre-suposta-doenca-estou-otima#image0

    0
    • Carlos_ 25 de janeiro de 2012 at 14:56

      Sim, o nível médio de conhecimento sobre economia dos brasileiros é igual ao da Maria, se não for inferior.

      Mas se é para falar de piadas envolvendo BBB e Imóveis, tem uma já clássica:

      Bial – E então, agora o que vc vai fazer com seu prêmio de 1 milhão?
      Vencendor – Vou comprar um apartamento para mim.
      Bial – E o resto?
      Vencedor – O resto? Bem, o resto vou financiar pela caixa.

      0
      • Shakespeare 25 de janeiro de 2012 at 17:22

        RZRZRZRZRZRZ

        deve ser por isso que eles aumentaram o prêmio

        0
    • realidade 25 de janeiro de 2012 at 15:20

      Só pra rir mesmo. Essa gostosinha fazia michê antes do BBB. Então é mesma coisa escutar a Bruna Surfistinha analisar a economia atual. P.S. nada contra as “primas”…rs

      0
    • Avoador 25 de janeiro de 2012 at 16:54

      Hoje, no classificados vi o anúncio de um lote no meu bairro (cidade de Montes Claros-MG), lote de 30×40 custando 1.000.000,00 (1.000)k… Pensei, urra… Cresci vendo este valor distante… apenas para ganhadores de realitys e shows do milhão… Pois é, meu vizinho zé é milionário e não sabia… Problema é achar “investidor” para este lote…

      0
    • Manuelao 25 de janeiro de 2012 at 22:48

      dependendo de onde ela comprou, foi um imóvel só, e pode ainda ter ficado com uma dívida

      0
  • D9 25 de janeiro de 2012 at 14:55

    Análise dos dados do wimoveis (site conhecido de venda de imóveis)
    Do dia 15 de janeiro até até hoje (25), pude concluir que:

    1. Existem 6400+ unidades a venda em Águas Claras (em média no site).
    2. Existem 4300+ unidades a venda no Plano Piloto (890+ no setor mais caro, Noroeste).
    3. Sairam do site ( não necessariamente vendidos ) 105 unidades em Águas Claras.
    4. Entraram no site 78 unidades no Plano Piloto.
    5. Na faixa entre 800k e 1.2kk existem 1179+ unidades a venda no Plano Piloto.
    6. Entre 1.2kk e 2.0kk existem 760+ unidades a venda no Plano Piloto.

    Opnião pessoal, acredito que estão sobrando ofertas e faltando compradores.

    0
    • Etmso 25 de janeiro de 2012 at 15:59

      Confronta estes numeros de aptos vagos com os concursos abertos e cargos para 2012 com vagas para o DF com salários acima de 13k.

      0
      • Piaui 25 de janeiro de 2012 at 16:02

        Nao fala m. colega! Vc acha que quem passa nesses concursos são estagiários que estão raspando o cú com a unha? ACORDA MEU FILHO!

        0
      • MrK 25 de janeiro de 2012 at 16:23

        já passou pela sua cabeça a possibilidade de que vários desses cargos foram abertos pra suprir gente que se aposentou ou faleceu? ou voce acha que tudo isso é cargo novo na economia… parte até pode ser, mas a menor parte…. cmom…

        0
      • roberto 25 de janeiro de 2012 at 16:31

        Uma coisa é concurso aberto, outra coisa é a convocação !!!!!

        0
      • Jonathas 25 de janeiro de 2012 at 16:47

        Essa é mais uma das lendas urbanas de brasília: aqui só tem servidor público bem remunerado. Ser servidor ou não é um dado quase irrelevante.

        O IBGE (censo 2010) indica que no DF só +- 87.000 domicílios tem rendimentos nominais superiores a R$ 10.900,00.

        Utilizando os dados da CODEPLAN (2007), o Sudoeste/Octogonal, o Plano Piloto (Brasília – RA) e o Lago Sul, sozinhos, tinham capacidade de atender, àquela época, 78.000 dessas famílias.

        Veja que não tem na conta o Lago Norte, Águas Claras, Park Way, o Noroeste…

        Só Águas Claras, hoje, tem mais 24.000 apartamentos, presumivelmente aptos a atender as exigências de quem tem esse padrão de renda.

        Eis os valores para que esses 87.000 escolhidos financiem seus imóveis:

        Simulações de financiamento na CAIXA, utilizando as condições do acordo do MPOG, Imóvel Usado, prazo de 360 meses e SAC:

        500.000 – 250.000 entrada / 250.000 financiamento
        700.000 – 490.000 entrada / 210.000 financiamento
        800.000 – 590.000 entrada / 208.000 financiamento
        1.000.000 – 792.000 entrada / 207.000 financiamento

        Além de ter uma renda suficiente, os escolhidos ainda precisariam ter uma disponibilidade de caixa invejável para comprar um apartamento.

        E é exatamente por inexistir pessoas com renda/disponibilidade de caixa que a OFERTA de apartamentos (que é grande, como visto) vem aumentando mês a mês desde Janeiro deste ano.

        Em janeiro, foram ofertados 14.350 imóveis residenciais para venda segundo o SECOVI/DF. Em Outubro/2011 existem 20.168.

        A única quebra na série de aumentos foi o mês de outubro, considerando que em setembro existiam 20.282 imóveis residenciais à venda.

        Só que, mesmo nesse mês “atípico”, temos um comportamento interessante e que é indiciário da tese sustentada acima: havia 1.928 apartamentos de 4 quartos à venda em setembro em comparação com 2.017 à venda em outubro (acréscimo de +- 5%). imóveis de 3 dormitórios tiveram estabilidade prática (diferença de 20 unidades num universo de quase 5.000) e apenas imóveis menores (quitinetes e um dormitório) tiveram movimentação relevante.

        Como sabido, usualmente a quantidade de dormitórios tem forte ligação com a metragem do apartamento e, consequentemente, com o valor da transação. Ou seja, a oferta de imóveis com preço mediano acima de 500.000 (3 qtos ou mais) é superior à demanda por esse tipo de apartamento, o que vem gerando estoques mês a mês.

        Outro dado interessante é que lofts e apartamentos de um dormitório são normalmente os alvos preferidos de investidores, o