Preço do metro quadrado pode chegar a R$ 25 mil em Brasília. Será mesmo? – O pequeno investidor

Você pode gostar...

Comments
  • thiago 31 de dezembro de 2011 at 16:30

    Serei o primeiro do último!?

    Fiquei sabendo que na festa da virada na Paulista em São Paulo, pela primeira vez a chuva de papel picado será substituída por uma chuva de bolhas. Confesso que quase morri de rir.

    O ano promete!

    0
    • Troll 31 de dezembro de 2011 at 17:17

      hehehehee..agora que me liguei “chuva de bolhas”…hehe

      0
      • carlos 31 de dezembro de 2011 at 19:25

        Soh falta estar chovendo na hora das bolhas, nao vai sobrar nenhuma,,,,rsrs
        PLOC PLOC PLOC
        kk

        0
  • MrK 31 de dezembro de 2011 at 16:37

    O mais difícil de qualquer análise do Brasil é ter um número baso confiável

    é impossível dizer hoje o valor praticado do m2 em qualquer bairro, pelo menos motivo que é difícil dizer qual inflação real, ou dizer o endividamento das familias ou ainda o índice de desemprego

    eu perdi a crença em qualquer número oficial, todos parecem fantasiosos (uns mais outros menos), mas crer em IBGE ou ZAP tá ficando complicado… a quanto estão fechando os negócios? os descontos? como anda a venda? sabemos de nada..

    por isso que quando anunciarem o estouro da bolha, este já terá acontecido há meses

    abraços a todos!!

    0
    • Marcos 31 de dezembro de 2011 at 16:40

      Mrk,

      E o IGPM da FGV, é confiável?

      0
      • MrK 1 de janeiro de 2012 at 11:01

        eu sempre achei mais confiavel que o IBGE, o problema que o objetivo do IGP-M não faz com que ele seja muito util para o dia a dia, como deveria ser o IPCA, quando falamos de consumidor final

        0
    • Atribulado 31 de dezembro de 2011 at 20:21

      Mrk, o que está valendo mais a pena hoje: NTN-B, LFT ou LTN?

      0
      • MrK 1 de janeiro de 2012 at 10:59

        depende do seu objetivo

        por exemplo, pra uma aposentadoria a NTN pode ser mais interessante

        se for para o curto prazo eu pegaria LTN ou LFT mesmo, a escolha entre as 2 depende do quanto voce acredita que os juros vao cair vs o mercado

        se vc acha que os juros cairão menos do que o mercado precifica, entao LFT se acha que cairão mais LTN

        abs

        0
  • Anonymous 31 de dezembro de 2011 at 18:16

    A Banânia é avessa à transparência em muitos assuntos, pois a população acredita que o SEGREDO é a alma do negócio e não o TRABALHO. Nos EUA, a história de negócios realizados, com determinado imóvel, incluindo data valor efetivo da transação, é pública e disponível pela Internet.

    A única maneira de expormos a bolha imobiliária na Banânia é fotografar prédios prontos com luzes acesas em poucos apartamentos. Podemos fazer isso de maneira sistemática, contando com a colaboração de muitos aqui do blog.

    0
    • RPL 31 de dezembro de 2011 at 19:15

      Anonymous,

      Acho que outra forma é fazer proposta por imóveis pelo valor que achamos justo.

      Pode ter certeza que tem muito “proprietário” que vai passar apartamento pra frente só de você assumir a dívida….

      A jogada é fazer a proposta justa para uns 5 imóveis… E esperar… Pode ter certeza que em uns 6 meses, um deles te liga de volta…

      A vantagem é que ele já pagou mais 6 meses…

      0
    • Cleyton 2 de janeiro de 2012 at 15:01

      O “segredo” que você diz é aquele videozinho motivacional sobre pensar positivo? Tipo, o cara põe a placa e fica pensando “vai vender, vei vender, vai vender”, é tão surreal quanto o exemplo (no vídeo) do carinha que ficou mentalizando sentado no sofá e os cheques foram chegando pelo correio!!

      0
    • DP 2 de janeiro de 2012 at 20:32

      Alem das fotos que o Anonymous sugere, outra “ferramenta”interessante sao videos encontrados na internet. Existe um programa que eh exibido diariamente aqui nos EUA onde vc consegue ver em detalhes o processo de compra de um imovel aqui.

      Esse eh apenas um exemplo (ha milhares no mesmo site)

      http://www.hgtv.com/hgtv/video/player/0,1000149,HGTV_32796_3122_56321-76959,00.html

      O que se compra com 200-300k dolares eh infinitamente maior, melhor e mais bem construido comparado com o que se compra na banania.

      Na minha opiniao, uma razoes para o estouro da bolha na banania demorar tanto eh a imperfeicao do mercado local (falta de informacoes confiaveis como historico de vendas, precos, indices de mercado,etc..)

      Claro que o video nao eh um substituto para essas informacoes , mas ja ajuda a entender melhor a distorcao.

      0
  • RPL 31 de dezembro de 2011 at 19:37

    Amigos,

    O que eu não entendi até agora é qual foi a intenção das construtoras em vender o máximo que pudiam para quem não vai conseguir financiamento.

    Qual é a idéia em derreter tudo nos lançamentos e pré-lançamentos e na hora de financiar os imóveis voltarem???

    Eu entendo o problema de Agency dos corretores e das corretoras… Quanto mais vendessem mais comissões….

    Alguém sabe como funciona o contrato de uma construtora com um “especulotário”???

    Se o “especulotário” desistir do negócio, qual é a multa?

    Não consigo entender até agora quais as vantagens para a construtora a não ser que:

    – A margem de lucro das construtoras é tão alta que mesmo apenas 20% dos compradores não devolvendo os apartamentos, ela consegue bancar os empreendimentos.

    – Pro especulotário desistir do negócio, ele tem de pagar uma multa alta em relação ao valor do negócio – Tipo 20% do saldo devedor (que basicamente seria o preço de custo da obra para a construtora).

    Alguém tem alguma idéia do porquê as construtoras inflaram a bolha para imóveis que elas sabem que vão voltar???

    0
    • Marcos 31 de dezembro de 2011 at 19:59

      Durante todo esse tempo, as vendas sobre lançamentos foram muito boa. Isso mostrava uma forçava vendedora para o mercado de imóveis. Essa força vendedora fazia os preços das ações subirem.

      O mercado não queria saber como. O mercado queria o resultado. Agora a bomba veio e derrubou os preços das ações.

      Então, o administrador sempre pode incorrer nessas mutretas ou falcatruas para elevar suas ações. E o administrador não perderá seu emprego? Até perde, mas já ganhou os bônus. Os bônus são sobre os resultados. Sem contar que, no caso da Tenda, ele não foi demitido. A empresa foi vendida.

      0
      • RPL 31 de dezembro de 2011 at 20:34

        Marcos,

        Realmente faz sentido….

        A outra, puxando os preços pra cima fez com que o governo pagasse mais por cada casa do MCMV….

        A minha impressão é que os imóveis do MCMV, muito provavelmente, vão desvalorizar que nem carro novo quando sai da concessionária…. O governo paga R$ 100.000,00 pra construtora…. Mas a casa depois de entregue vale R$ 50.000,00 – (O valor de um bem é o que o mercado está disposto a pagar por ele).

        0
        • MrK 1 de janeiro de 2012 at 11:03

          RPL, minha opiniao é que houve muita ingenuidade aí tambem, mal gerenciamento

          as construtoras acreditaram que essa demanda era real, acho que eles só viram o problema quando era tarde demais, eles achavam que o povo tava podendo comprar e tomar esse crédito todo mesmo… não sei se houve uma inflação consciente da bolha não

          0
          • GPTFN 1 de janeiro de 2012 at 23:17

            Existem diversas pessoas que fazem negocios nesse seguimento.

            Numa área próxima a casa da minha avó houve uma invasão anos atrás.
            A prefeitura veio, policia e tal, mas ninguém foi expulso.
            Pelo contrário vieram conversar sobre ligar agua e luz. 🙂
            Alguns meses depois…
            Eis que vejo nada menos que 4 placas de vendo.
            Daí descobri que alguns vizinhos dela pegaram “lotes” nesse terreno (ao lado de uma empresa falida).
            E revenderam por cerca de 10k. Ná época era dinheiro, uns 7 anos atrás.
            Eis que no post anterior um cara colocou um link que já estão revendendo os aptos do minha casa minha divida.
            (trollface)

            0
        • Cleyton 2 de janeiro de 2012 at 15:06

          Se levar a preço de mercado as MCMV estão a 10 contos e um pálio 96, hehe

          0
    • Frank 1 de janeiro de 2012 at 10:58

      vc tocou em um ponto interessante.

      eu acredito q as construtoras, em sua maioria, não são idiotas e SABIAM q muitos “compradores” poderiam tomar uma tunga na hora do financiamento / entrega de chaves.

      a resposta está no q vc falou:

      – a margem é MUITO BOA, de modo q com a venda efetiva de apenas uma parcela das unidades o empreendimento se viabiliza (isso já foi debatido aqui no blog, é difícil saber, mas eu acho q o número necessário para a construtora deve ser acima da sua estimativa de 20%…)
      – na retomada de imóveis de quem não pôde pagar, a construtora fica com uma graninha (
      não sei bem qto, tb já foi discutido aqui no blog, não sei em q post) e coloca o imóvel à vneda novamente (em um cenário de preços crescente, isso pode ser até um ótimo negócio….mas atualmente, com a estagnação, deixou de sê-lo em muitas praças)

      0
  • Fabiano 31 de dezembro de 2011 at 20:46

    Realmente chegamos a um ponto em que o Brasil virou a “ILHA DE LOST” rs rs

    vamos a um calculo rapido preço do metro quadrado a 25 mil

    um apartamento de 120 metros quadrados X 25 mil metro quadrado = 3 milhões de reais

    hoje um juiz estadual iniciante tem rendimento bruto de 18 mil reais e um federal 19 mil reais

    vamos supor que daqui 10 anos o juiz tenha um salário bruto de 32 ou 35 mil reais

    se o cara não gastar um real do salário e todo mes der 30 k no apartamento vai demorar apenas 100 meses para quitar o imovel ou 8 anos e 3 meses rs rs

    agora eu pergunto sera que alguém realmente acredita nestes indices absurdos no futuro , estamos falando de juizes estaduais e federais que estão entre os maiores salários do funcionalismo publico

    sinceramente sou um mendigo rs rs perto destes juizes e mesmo para os juizes um preço neste patamar me parece absurdo.

    Um Feliz ano novo a todos ….. sera que 2012 sera o estouro da bolha ?? sera que os Maias previram o estouro da bolha em 21/12/2012 rs rs bom só o tempo vai dizer .. aguardem as cenas dos próximos capitulos

    0
    • Anonymous 1 de janeiro de 2012 at 11:32

      Fabiano,

      Pelos últimas notícias do embate entre CNJ x STF, parece que muitos juízes tem outras fontes de rendimentos.

      0
      • Tião 2 de janeiro de 2012 at 13:36

        Eles tem esses privilégios e muitos outros, dê uma olhada:

        sebbaelopes.blogspot.com/2011/11/magistrado-e-ressarcido-apos-multa-de.html

        0
  • GONÇALO BH 1 de janeiro de 2012 at 00:55

    Fabiano,

    Já pensou o preço deste imóvel de 3 milhões financiado, não e todo mundo que ganhou na Mega da Virada para compra-lo avista.

    0
  • Júlio Cesar 1 de janeiro de 2012 at 02:34

    Pessoal, moro no interior de Minas Gerais, cidade pequena, custo de vida baixo, mas o cenário é o mesmo narrado aqui: Imóvel caro( para os nossos padrões) mas ninguem compra, não tem liquidez. As pessoas daqui dizem que preço de imóvel nunca cai, este é o senso comum. Para chegar à verdade anotei o preço de uns 50 imóveis e venho acompanhando a oscilação do preço e a venda dos imóveis e tenho percebido até alguma queda nos preços, mas a maioria está encalhada.

    0
  • Fel 1 de janeiro de 2012 at 02:43

    Recordar é viver…

    h t t p ://veja.abril.com.br/vejasp/especial_guia_imobiliario/p_124.shtml

    E que venha 2012.

    0
    • Ratinho 1 de janeiro de 2012 at 09:17

      Hj é diferente. Novembro de 2005 ainda não existia nossa pujante classe média..rsrs

      Precisamos mesmo do estouro de uma bolha pra nos lembrarmos de que o Brasil é o Brasil. Logo, logo ninguém mais se lembrará o que significa esse negócio de BRICS, assim como ninguém mais se lembra o que era o “tigre celta”.

      0
  • Fel 1 de janeiro de 2012 at 02:49

    Recordar é viver 2

    h t t p ://veja.abril.com.br/vejasp/especial_guia_imobiliario/p_120.shtml

    Já repararam que em SP tem sala comercial sendo construída pra tudo quanto é lado?

    Exemplo de “empacamento”: You Metropolitan, que já foi tema de post aqui. Outro empreendimento que deve empacar fortemente é o Luzes da Mooca. Que empresa vai se instalar na Móoca, numa região feia (galpões velhos em volta) e que alaga?

    Na região da Juscelino / Faria Lima também tem vários prédios sendo construídos. Me pergunto se tem demanda pra tudo isso.

    0
    • Inteligivel 1 de janeiro de 2012 at 14:35

      “Muitos profissionais liberais e acionistas de pequenas empresas embarcaram nas promessas feitas pelos corretores e incorporadores na esperança de diversificar seus investimentos. O empresário Ivan Turri, de 48 anos, comprou nove unidades em flats e amargou prejuízos.”

      0
    • Shakespeare 1 de janeiro de 2012 at 15:59

      Essa aí é bolha certa, já definida pelo Dr. Rocha Lima do núcleo de Real Estate da USP

      0
    • GPTFN 1 de janeiro de 2012 at 23:59

      Será que alguém consegue o link postado ja faz algum tempo daquela senhora que estava pagando acho que 7.500 no m2, esperando alugar por 10.000 para executivos?
      Nesses momentos eu sinto vontade de ler novamente essas piadas.

      0
  • Pedro 1 de janeiro de 2012 at 09:34

    Se todos nós começarmos a fazer propostas com pelo menos 30% de desconto, com pouco tempo o mercado vai ter que baixar os preços. Mas se ainda tem mané dando o que o proprietário pede, aí fica difícil.

    0
    • Ricardo 1 de janeiro de 2012 at 10:30

      Pedro, com o número de imóveis a serem lançados e ofertados não haveria tantos “manés” neste país.
      – A nova classe média já está sufocada.
      – Muitos , como os frequentadores deste forum, aguardam a bolha para se lançar no mercado atrás de pechinchas.

      0
    • Scotch 1 de janeiro de 2012 at 17:19

      BOA IDÉIA! VOU COMEÇAR A FAZER ISSO PELO MEU BAIRRO…

      0
  • Dr. Estranho 1 de janeiro de 2012 at 11:35

    Recentemente um amigo de trabalho tentou me passar uma imóvel adquirido na planta. Ele só queria o que tinha pago. Pois bem, fiz uma oferta menor e ele não aceitou. Até agora ele não me contou o que aconteceu, mas descobri que agora ele “tenta” reaver o que perdeu na justiça. Interessante que se diz confiante e que considera a demanda como uma poupança. Esqueceu apenas que se a construtora falir ele será apenas mais um credor quirografário, ou seja, não receberá nunca. Interessante e mais próximo foi meu irmão. Depois de adquirir um carro em 60 vezes sem entrada, se viu em uma enrascada. Depois da quinta prestação passou a atrasar. No desespero tentou me passar o carro, bastando apenas que eu assumisse o restante. Falei para ele devolver o carro e perder o que pagou e isto já seria um excelente acordo. Foi o que fez e se considerou feliz. Só rindo.

    Quanto ao imóvel chegar a 25k o metro quadrado: acredito que passará do 30, entretanto, com o retorno triunfal da hiperinflação. Põe na conta do PT o retrocesso e do brasileiro tolo a bomba de retardo.

    0
    • Paulo - RJ 1 de janeiro de 2012 at 18:23

      Esta poupança do seu amigo está furado.
      Dificilmente ele conseguirá reaver tudo que pagou. Se conseguir 100%, já perdeu o ganho de qualquer investimento, seja qual for, se a grana estivesse aplicada.
      Fora os honorários dos advogados.

      0
  • Anonymous 1 de janeiro de 2012 at 11:40

    Se no Rio tem o “parking assistance” para ajudar voce a estacionar o carro, em Sao Paulo tem o “home assistance” para ajudar voce a entrar em casa. Isso é a Banânia e vai ficar cada vez pior. Portanto, que estiver pensando em cair fora já está ATRASADO!

    Prédios de bairros nobres revistam morador para evitar arrastão

    www1 . folha . uol . com . br/cotidiano/1028550-predios-de-bairros-nobres-revistam-morador-para-evitar-arrastao . shtml

    Moradores de bairros nobres, como Moema, Perdizes e Jardins, estão se submetendo a revistas antes de entrarem em suas residências.

    0
    • DanielCM 1 de janeiro de 2012 at 23:46

      Pelo visto, Anonymous, Banânia é pouco. Deve ser promovida a Banânia falida e mal paga (para sermos educados).

      0
    • GPTFN 2 de janeiro de 2012 at 00:03

      Nesse caso eu me sentiria como um preso, sendo revistado para não entrar com armas e drogas na cadeia

      0
  • Dr. Estranho 1 de janeiro de 2012 at 11:43

    h ttp://www1.folha.uol.com.br/mercado/1028330-bolsas-mundiais-perderam-quase-us-63-trilhoes-em-2011.shtml

    A reportagem só não comenta os perdedores: “as sardinhas”. Os tubarões só comemoram, pois ganham muito na opulência e dobram os ganhos na depressão.

    Isto me lembrou Jean Paul Getty. Perguntado sobre qual seria o melhor negócio do mundo disse ele: “empresa de petróleo dando lucro”. E o segundo melhor negócio? Empresa de petróleo dando prejuízo”.

    0
  • MCS 1 de janeiro de 2012 at 14:11

    Será que assistiremos mais expansão dessa bolha? O PMI da China em dezembro elevou-se para 50 ante 49 do mês anterior. Alguns condicionam o estouro da bolha imob aqui no Brasil uma depressão mundial, principalmente da China,mas os caras não param de crescer! e aí? junte-se a isso a total ignorância do nosso povão, mesmo os mais instruidos em tese.

    0
    • aiwww 1 de janeiro de 2012 at 15:58

      Não se pode desconsiderar que o crescimento do mercado interno tem sustentado há anos o crescimento constante da economia chinesa. Por outro lado, no meu ponto de vista, a economia chinesa também sofreria com uma depressão da economia mundial, mas que seria atenuada, como aconteceu em 2008, uma vez que o governo possui o controle do crédito. Mas ao meu ver, seria ingenuidade imaginar que uma crise em nosso maior parceiro comercial não afetaria o Brasil. Seria ignorar o óbvio ululante.

      0
  • Anonymous 1 de janeiro de 2012 at 15:29

    Economia EFERVESCENTE e ambiente SEGURO de investimentos? reportagem comprada, não tenho a mínima dúvida.

    Brasil é o segundo melhor para se investir em imóvel comercial
    www1 . folha.uol . com . br/mercado/1028601-brasil-e-o-segundo-melhor-para-se-investir-em-imovel-comercial . shtml

    Os imóveis comerciais no Brasil, com sua economia efervescente e seu ambiente mais seguro de investimentos se tornaram um ponto chamativo para investidores globais, segundo a vigésima pesquisa anual dos membros da Afire (sigla em inglês para Associação de Investidores Estrangeiros em Imóveis).

    0
  • Fel 1 de janeiro de 2012 at 16:09

    Tava aqui nos anuncios do site h t t p://www.soflatsnet.com.br/

    Piada completa. Ainda mais vendo a reportagem:

    h t t p ://veja.abril.com.br/vejasp/especial_guia_imobiliario/p_124.shtml

    O setor entrou em uma crise tão grande que no ano passado não ocorreu nenhum lançamento. “Houve uma superoferta, e muita gente teve de baixar as diárias para conseguir hóspedes”, afirma o engenheiro Caio Calfat, presidente da Sociedade Latino-Americana de Estudos Imobiliários (Lares). Quem tentou vender seus imóveis descobriu que o flat passara a valer menos da metade. Os que investiram em um apartamento no Holiday Inn Parque Anhembi, por exemplo, pagaram 113 000 reais há quatro anos. Hoje, o mesmo imóvel é vendido por 40 000 reais. Exceções existem, claro, mas são raras.

    Passou de 40k para 280k! Só aumentou 7x! Ploc?

    h t t p ://www.soflatsnet.com.br/index.php/component/ezrealty/?task=detail&id=174

    0
    • aiwww 1 de janeiro de 2012 at 17:07

      Por mim poderiam estar pedindo 2 milhões no metro quadrado de um flat. A distância entre preço e valor parece estar insustentável nesse caso. Imagine duas garotas de programa maravilhosas … supondo que as duas tragam o mesmo “retorno”, mas uma pede 7X mais que a outra, isso significa que eu irei pagar pela mais cara??? É… eu sei … tem babaca que vai pagar a mais cara e dizer que é exclusiva … fazer o que? … obter retorno de 0,7% a 1% pode parecer bom negócio, supondo que exista ocupação até 2014 e que a valorização irá repor a inflação… mas depois de um grande evento como a copa, será que haveria taxa de ocupação suficiente para pagar esses rendimentos ??? .. que ainda sofrem desconto do IR??? Tenho visto que estamos voltando àquela velha cultura inflacionária dos anos 80 incentivada pela maior parte de nossa sociedade que não se dá conta do retrocesso que isso significa.

      0
    • Carlos Wagner 1 de janeiro de 2012 at 17:24

      Morei em Flat em SP de 2005 a 2008. Quando entrei, pagava 900 reais referente a aluguel e condominio (500 aluguel + 400 de condominio e iptu), só pagava a luz a parte, o resto (tv a cabo, internet, piscina, lavanderia, estacionamento, sauna seca e a vapor, salão de jogos, camareira) tudo incluso. Nessa época, o flat custava 32 mil (apto mobiliado padrão do pool com 29 m2).

      Mes passado, consultei ofertas desse flat na net, por curiosidade. Constatei que estão pedindo de 170 a 210 mil. E olha que é um dos flats mais baratos de SP, fica na av rio branco, flat Champs Elisees Business Residence. Quem conhece SP são que não é um flat luxuoso.

      O problema dos flats é que por menor que abaixem os preços pedidos de aluguel, o condominio acaba encarecendo muito o preço final.

      Conheço flats em que o condominio é 1500 reais enquanto o aluguel não passa de 800. É um absurdo. Só podia encalhar mesmo.

      0
      • aiwww 1 de janeiro de 2012 at 17:31

        Olha, por mim poderiam estar pedindo 2 milhões no metro quadrado de um flat. A distância entre preço e valor parece estar insustentável nesse caso. Imagine duas garotas de programa maravilhosas … supondo que as duas tragam o mesmo “retorno”, mas uma pede 7X mais que a outra, isso significa que eu irei pagar pela mais cara??? É… eu sei … tem babaca que vai pagar a mais cara e dizer que é exclusiva … fazer o que? … obter retorno de 0,7% a 1% pode parecer bom negócio, supondo que exista ocupação até 2014 e que a valorização irá repor a inflação… mas depois de um grande evento como a copa, será que haveria taxa de ocupação suficiente para pagar esses rendimentos ??? .. que ainda sofrem desconto do IR??? Tenho visto que estamos voltando àquela velha cultura inflacionária dos anos 80 incentivada pela maior parte de nossa sociedade que não se dá conta do retrocesso que isso significa.

        0
  • aiwww 1 de janeiro de 2012 at 17:36

    … poderiam estar pedindo 2 milhões no metro quadrado de um flat. A distância entre preço e valor parece estar insustentável nesse caso. Imagine duas garotas de programa maravilhosas … supondo que as duas tragam o mesmo “retorno”, mas uma pede 7X mais que a outra, isso significa que eu irei pagar pela mais cara??? É… eu sei … tem babaca que vai pagar a mais cara e dizer que é exclusiva … fazer o que? … obter retorno de 0,7% a 1% pode parecer bom negócio, supondo que exista ocupação até 2014 e que a valorização irá repor a inflação… mas depois de um grande evento como a copa, será que haveria taxa de ocupação suficiente para pagar esses rendimentos ??? .. que ainda sofrem desconto do IR??? Tenho visto que estamos voltando àquela velha cultura inflacionária dos anos 80 incentivada pela maior parte de nossa sociedade que não se dá conta do retrocesso que isso significa.

    0
    • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 11:43

      prezado aiw
      lembre que mulheres e crianças tbm visitam o blog

      0
  • MCS 1 de janeiro de 2012 at 21:10

    O ano acabou de começar e já estamos sendo bombardeados por notícias que denotam o investimento imobiliário como ótimo, garantindo rentabilidade infinita etc. E com a Dilma anunciando mais crédito imobiliário, FGV anunciando que o índice de confiança ao consumidor aumentou, que investimento em salas comerciais aqui no Brasil é garantia de boa rentabilidade… será que veremos essa bolha inflar ainda mais, como aconteceu em 2008? sim, porque já nesse ano os preços estavam bem altos! não como agora, mas começou aí!!!!

    0
  • jayme 1 de janeiro de 2012 at 22:20

    com bolha ou sem bolha (e eu acredito na primeira opcao) verdade seja dita que; a maioria dos bolhudos do site, pundistas fieis de que a “a bolha vai estourar.. olha, olha.. vai estourar.. olha essa nova materia deixa eu colar aqui pra voces..”
    nao comprarao imoveis, nem com, nem sem … bolha.
    tem gente aqui acreditando piamente que um belo dia elas irao acordar e o imovel de 500 mil que elas sonham , vai estar 250 mil .. (-50% , über improvavel) mas em um sino-cenario como exemplo, 30% é de bom tamanho. entao o imovel sonhado vai estar 350k.
    pergunta, quantos aqui tem poupanca de pelo menos 100k ?

    sejamos realistas x2 – em um cenario de entravamento total a aprovacao de financiamento sera menos de um 1/3
    por tanto, aviso aos bolhudos, tenham suas poupancas.. ou voces nunca comprarao nada.

    0
    • joao 1 de janeiro de 2012 at 22:35

      é verdade, triste, mas é verdade.

      0
    • Felipe 1 de janeiro de 2012 at 23:05

      Jayme, acho que a quantidade de gente que tem esse dinheiro aqui não é pouca. Também acho que 50% de queda, se houver, será muito no futuro. Mas 30% já é realidade…
      E temos que poupar mesmo! e acredito que todos aqui fazem isso.

      0
    • Guilherme Eduardo 1 de janeiro de 2012 at 23:09

      Mas é isso que estamos fazendo. Poupando nosso suado dinheiro para comprarmos nosso imóveis, sejam eles de R$500 mil ou 100mil, contanto que sejam em valores desinflados.

      Imóvel não valoriza eternamente como muitos bradam. Temos exemplos pelo mundo recentemente e na história do Brasil (época da ENCOL), e o cenário atual não está bom para o mercado de imóveis nos próximos anos.

      0
    • GPTFN 2 de janeiro de 2012 at 00:11

      é jayme, os imóveis não cairão.

      Imóvel nunca desvaloriza…

      “Beyoncé vende cabana por 75% a menos do valor que pagou”

      “Beyoncé vendeu uma pequena casinha em uma praia de Miami, Estados Unidos, por 75% a menos do valor que pagou por ela em 2002. As informações são do TMZ.

      Segundo fontes, a cantora pagou US$ 465 mil pela cabana, que servia como uma sala de descanso e tinha um banheiro privado para que a artista não precisasse sair da praia e andar até a sua mansão caso precisasse, e teria vendido a mesma propriedade por apenas US$ 110 mil. ”

      FONTE : ht tp://diversao .terra.com.br/gente/noticias/0,,OI5515978-EI13419,00-Beyonce+vende+cabana+por+a+menos+do+valor+que+pagou.html

      0
      • GPTFN 2 de janeiro de 2012 at 00:15

        Faltou acrescentar:

        ht tp://exame .abril.com.br/seu-dinheiro/noticias/os-paises-com-maior-numero-de-milionarios

        e

        htt p://mail. jornale.com.br/portal/economia/68-02-economia/16434-brasil-e-o-11o-pais-em-numero-de-milionarios.html

        Até porque nos EUA existem apenas 5.200.000 milionários, contra 155.400 no Brasil (incluídos nessa lista os donos de imóveis em Brasília e na Zona Sul do RJ).

        0
    • Pepper 2 de janeiro de 2012 at 14:06

      Eu tenho, Jayme.

      0
    • Jamas 4 de janeiro de 2012 at 23:08

      Jaime, a marca dos 100k eu passei pouco antes de completar 28 anos, há 1 ano. =)

      0
  • Ratinho 1 de janeiro de 2012 at 22:59

    Depois que essa bolha estourar, vai ter muito esqueleto de prédios sendo implodidos, só espero que o Kassab não seja o encarregado do serviço.

    g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/01/parte-de-predio-que-nao-caiu-com-implosao-sera-demolida-diz-kassab.html

    0
    • Guilherme Eduardo 1 de janeiro de 2012 at 23:14

      hehehe essa foi boa, mas…. (off topic)

      creio que a implosão foi mais para não deixar o povo invadir denovo. Como haveria a utilização de explosivo, a isolação na área após o incêndio foi mais rígida.

      0
    • Cleyton 2 de janeiro de 2012 at 15:26

      Será que eu li direito? Os caras põe 800 kg de dinamite na poióca e a implosão não era prioridade?Então a prioridade é manter o emprego dos infelizes que vão ficar dando com a marreta no pé da estrutura já comprometida pelas explosões? É cada uma!

      Acho que o nível de alucinação dos governantes não tem limite mesmo.

      0
  • Bruno 1 de janeiro de 2012 at 23:35

    http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1749489-7823-PREFEITURA+LACRA+CASAS+DE+MORADORES+QUE+QUERIAM+VENDER+IMOVEIS+DO+MINHA+CASA+MINHA+VIDA,00.html

    viram isso ???

    0
    • Cleyton 2 de janeiro de 2012 at 15:28

      Olha os Gersons aí!! Não, o pessoal compra pra morar! Só esqueceram de dizer pra quem morar, cara pálida.

      0
  • Sergio Figueiredo 2 de janeiro de 2012 at 01:43

    Coloquei um comentário discordando da reportagem do seguinte link que foi sumariamente apagada. Acabei de colocar um novo comentário. Vamos ver se fica.

    h t tp://ultimoinstante.com.br/setores-da-economia/setor-construcao-imoveis/60534-especial-mercado-imobiliario-brasileiro-deve-manter-aquecido-2012-apontam-especialistas.html#axzz1i7VnbtIL

    A reportagem (muito engraçada) convida especialistas (todos do ramo imobiliário) que defendem que comprar imóveis é um ótimo negócio. A palavra ESPECIAL no título da reportagem cheira a matéria paga.

    Coloquei no dia 30/12 um comentário discordando e hoje, o meu comentário não estava lá. O pior é que acima do formulário para comentário a reportagem pergunta se você concorda ou não com a matéria.

    Repeti a dose hoje de novo. Vou acompanhar e ver se eles retiram de novo. Se retirar é a confirmação de manipulação da mídia e que estamos certos ao afirmar que a bolha existe.

    0
    • Guilherme Eduardo 2 de janeiro de 2012 at 20:57

      comentei também:

      Discordo. A demanda existente está na sua grande maioria na população de baixa renda, faixa 1 do MCMV, com renda de até 3 salários mínimos. As vendas estão em quedas desde o meio de 2011, e creio que as vendas só estão ocorrendo com desconto e promoção (redução de preços).

      0
  • Zé Cozinha 2 de janeiro de 2012 at 06:54

    “Em 2012, as más notícias virão da China em função dos desdobramentos do estouro das bolhas imobiliária e de crédito, além da perda de reservas cambiais, menor crescimento global e perda de competitividade de seus produtos. A simbiose entre o Brasil e a China sugere que teremos dias muito difíceis pela frente. Como sempre, nesses momentos, o dólar e os fundos cambiais são os ativos preferidos. Peso zero em Bolsa!”
    Marcelo Ribeiro, estrategista da Pentágono Asset

    http:// www1.folha.uol.com.br/mercado/1028409-especialistas-dao-dicas-de-onde-investir-em-2012.shtml

    0
  • Andre 2 de janeiro de 2012 at 07:53

    http: //portoimagem.wordpress.com/2011/08/31/ibge-nos-ultimos-11-anos-brasilia-teve-acrescimo-de-558-mil-habitantes-manaus-427-mil-e-porto-alegre-apenas-53-mil/

    Crescimento populacional de Brasilia tem que ser explicado. O que fez com que Brasilia tenha o maior crescimento populacional? Industrias se mudaram para la? Transformou-se no maior centro comercial do Brasil? Centros de Tecnologia e Pesquisas foram la construidos? Universidades e Centros estudantis foram Criados? – ou finalmente, o governo PT com record de contrataçao de funcionarios publicos, comissionados, e terceirizados (sem concurso), concentrou esse pessoal em Brasilia inchando a cidade e criando a especulaçao? – Nao sei, mas acho que a especulaçao de brasilia esta diretamente ligada a esse fato – afinal o crescimento populacional de Brasilia nao parece ter sido de Pobres – que nao consomem aptos – mas de ricaços, corruptos e picaretas, lobiestas, e marqueteiros e politicos – eses sim sao os verdadeiros compradores dos apes de 1k pra cima

    0
    • Cigano 2 de janeiro de 2012 at 09:00

      “A maior favela do Distrito Federal – a cerca de 30 quilômetros do Palácio do Planalto – tem 56.483 moradores, em 15.737 domicílios. Só perde em população para a Rocinha, no Rio, com seus 69.161 habitantes, de acordo com o censo de 2010 do IBGE.”

      oglobo.globo.com/pais/a-2-maior-favela-do-pais-fica-30km-do-palacio-do-planalto-3510577#ixzz1iISyX64b

      Sabemos que a maior parte da população do df vivem em lugares assim e no entorno, onde a criminalidade supera fácil qualquer favela do rio de janeiro. A diferença é que não tem morro.

      Embora grande, o número de funcionários públicos, o pib per capta mais alto do pais e bla bla bla, a maioria das pessoas não tem o básico….a única explicação para esses preços é uma bolha….

      0
      • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 12:00

        Rocinha só tem 69 mil habitantes em 2010???

        Isso significa que o crescimento lá já estagnou e inverteu, decréscimo de população, igual qualquer área nobre do mundo

        impressionante

        0
  • Davi 2 de janeiro de 2012 at 09:57

    Não sei se já postaram:

    h t t p://classificados.folha.com.br/imoveis/1024010-preco-medio-do-um-dormitorio-em-sao-paulo-e-de-r-398-mil.shtml

    02/01/2012 – 07h00
    Preço médio do um-dormitório em São Paulo é de R$ 398 mil

    Para quem procura morar sozinho em 2012, São Paulo é uma cidade com muitas opções de apartamentos de um dormitório. Só neste ano foram 4.499 unidades novas, segundo levantamento da Geoimovel.

    Mateus Bruxel/Folhapress

    Edifícios em construção junto à Marginal Pinheiros, na altura da Ponte Cidade Jardim, em São Paulo (SP)

    Com a valorização média de 23% nos lançamentos da cidade de São Paulo entre os nove primeiros meses do ano comparados aos novos do mesmo período do ano passado, o metro quadrado do um-dormitório alcançou os R$ 8.250 na cidade de São Paulo. O valor médio da unidade chegou a R$ 398 mil.

    Nos distritos do Itaim Bibi (zona oeste) e Consolação (centro), o metro quadrado ultrapassou os R$ 10 mil. A maioria desses imóveis são “studios” ou quitinetes, com área entre 33 m² e 47 m². O preço médio da unidade no Itaim Bibi é de R$ 593 mil, enquanto na Consolação chega aos R$ 396 mil.

    Os menores preços da cidade estão nos distritos do Ipiranga (R$ 246 mil) e do Cambuci (R$ 140 mil). Ali a maioria dos apartamentos mede entre 31m² e 39 m².

    0
    • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 11:48

      que calculo de média mais absurdo

      vc pega mil apes na periferia que valem 100k soma e tira média com um que vale 700k no bairro nobre, tira a média e da 400k

      que média de merda é essa
      não me espanta esse lixo ter sido publicado na folha, o pior jornal do mundo

      0
    • Fred Henrique 2 de janeiro de 2012 at 12:13

      Gostei do “studio”…

      Nome bacana para caixa de fósforo.

      0
  • Zoom 2 de janeiro de 2012 at 10:26

    Os especialistas estão apostando em imóveis como a melhor opção de investimentos para 2012?

    “Especialistas dão dicas de onde investir em 2012.

    O ano de 2012 não deve ser fácil para as aplicações financeiras, especialmente para a Bolsa de Valores. Na toada do vai piorar antes de melhorar, especialistas ouvidos pela Folha evitam fazer prognósticos certeiros e preferem adotar o básico: na dúvida, nossos juros ainda são os maiores do mundo e devem ser aproveitados.

    É bom lembrar, porém, que a Bolsa está ba……..”

    Fonte: h ttp://www1.folha.uol.com.br/mercado/1028409-especialistas-dao-dicas-de-onde-investir-em-2012.shtml

    0
  • Amate 2 de janeiro de 2012 at 10:27

    CIDADES FANTASMAS – A FARSA DO CRESCIMENTO CHINES

    http://www.youtube.com/watch?v=2yL7t0j_4tQ

    0
    • Amate 2 de janeiro de 2012 at 10:34

      5:19 minutos

      olhem o desepero dos corretores

      minha nossa hein

      0
      • Eric 2 de janeiro de 2012 at 13:45

        Eu não tenho pena nenhuma. Nem dos corretores chineses, nem dos bananenses. Pois transformaram uma profissão como qualquer outra e que era uma boa opção a se escolher para trabalhar em um antro de picaretagem, mentiras e alienação, porque transmitem as informações mentirosas de “consultores” de mercado e de seus gerentes e diretores das imobiliárias(que ganham um belíssimo salário), enquanto os corretores pagam para trabalhar e se não venderem nada, chupam o dedo e o que resta fazer é processar a empresa onde trabalharam e torcer para recuperar ao menos um pouco do que gastaram.

        0
    • Fred Henrique 2 de janeiro de 2012 at 12:36

      Bom vídeo. Obrigado por postar.

      0
    • eam 2 de janeiro de 2012 at 13:24

      Impressionante esta reportagem, Amate, obrigado por compartilhar.
      Agora sei pra onde vão todo nosso minério de ferro e “commodities” agrícolas, e tbem sei o que acontecerá com as empresas que vivem a reboque das exportações para os chineses. Já estou pensando seriamente em realizar um certo prejú nas minhas ações da Vale…
      E um ótimo 2012 a todos” (torcendo para um “soft landing”)

      0
      • Fernanda 2 de janeiro de 2012 at 14:55

        Sobre o crescimento chinês:

        (…)
        “Gordon G. Chang é um advogado chinês, há décadas a viver nos EUA, que tem alertado para o iminente colapso da China. No seu livro, ‘The Coming Collapse of China’, editado em 2001, Chang prevê que os 4 grandes bancos chineses, todos eles propriedade do estado e endividados até à medula por satisfazerem os interesses privados da elite comunista, podem ser os grandes causadores da catástrofe que se adivinha naquele país. Não se trata apenas da corrupção, inevitável quanto mais o estado intervém na economia, mas dos variadíssimos projectos megalómanos que estão ser levados a cabo na China, sem qualquer retorno. Cidades desertas que custaram balúrdios. Construções totalmente inúteis, que nunca serão pagas, nem cujas perdas serão contabilizadas, pois onde não há escrutínio, tudo se apaga ao ponto de nunca ter existido. Conforme nos explica Chang, cerca de 2 a 3 por cento do crescimento económico chinês é excesso de produção. Produtos que jamais serão consumidos, de que nada servem, mas que consomem recursos, dinheiro, tempo e energias que seriam melhor aplicados noutras actividades. Excessos que pressionam o surgimento da inflação. Gastos supérfluos que estão a criar muitas bolhas, cujo rebentamento terá um impacto talvez maior que aquele que nos atinge neste momento.

        Os comunistas em Pequim têm um medo de morte de perder o poder. Por isso, além de incitarem o sentimento nacionalista, tudo controlam, ignorando as correcções que, em qualquer sociedade onde o estado pouco intervenha, são feitas através de um diálogo diário e silencioso, entre consumidores e produtores. Como reconhecer o erro é, naquele regime doentio, meio caminho andado para ser posto em causa, o partido comunista chinês joga tudo por tudo numa fuga para a frente. O tal passo em frente em direcção ao precipício. Não há falências, porque é mais fácil ignorar as regras de contabilidade. Mais fácil, mas mais doloroso. Para a China e para nós.

        Termina hoje o ano em que o Ocidente pôs as mãos na consciência e se deu conta de quanto custa a interferência dos estados nas decisões económicas das pessoas. O ano em que contabilizámos o dinheiro que se gastou e a riqueza que não se produziu, porque os decisores políticos planearam como a vida na Europa devia ser orientada. No ano novo é tempo de recearmos o que vai acontecer na China, fruto desses mesmos erros, mas numa escala maior. O regime chinês tem um dilema: para sobreviver precisa de estabilidade que depende de um forte crescimento económico que, por ser artificial, gera instabilidade. Em 2012, a China pode complicar mais com os seus problemas que com a sua força. A história não acabou em 1989, nem em 2008. Na verdade, ainda tem muitas reviravoltas para dar.”

        oinsurgente.org/2012/01/02/no-fio-da-navalha-10/

        0
        • no_one 2 de janeiro de 2012 at 18:16

          Vale lembrar da última grande ‘economia’ que era controlada a mão de ferro pelo estado de forma centralizada, e o desfecho da mesma – a União Soviética.

          Mais cedo ou mais tarde controle centralizado e totalitário só leva a um resultado – fracasso. No caso da USSR quem pagou o preço, por não ser uma economia global, foi o povo da União Soviética. O preço da ganância chinesa quem pagará será o mundo todo.

          0
          • Fred Henrique 3 de janeiro de 2012 at 11:26

            No_one,

            O mundo todo pagará pois ninguém quis perder a festa chinesa.

            0
      • Amate 2 de janeiro de 2012 at 16:13

        Fazendo um paralelo com a nossa situacao, podem ser bolhas diferentes, terem inicio diferentes e a forma de estouro diferentes, MAS as consequencias parecem iguais para a economia real: a populacao média NÃO CONSEGUE mais comprar uma propriedade para viver.

        E não estamos falando mais de miseráveis e moradores de rua, a classe C não compra mais imóvel em condições, locais decentes e à vista.

        Logo precisam ir para a favela!

        E engana-se quem defende esses estrumos de financiamentos de 30 anos, pois logo a familia vai ter que desfazer dessa bomba e ir pra favela alugado!!! vai perder o que tinha no fgts, o que deu de entrada pq nao vai conseguir pagar a prestacao, vai ter que se render ao aluguel e como o preco destes estao subindo muito, sabemos onde vao alugar.

        A menos que o cara se abdique de comer, vestir e trabalhe exclusivamente para pagar luguel. Alem de botar a mulher e filhos para trabalhar tb.

        0
    • Andre 2 de janeiro de 2012 at 18:23

      Nao entendi muito bem quem e com que dinheiro sao pagos esses apartamentos. Outra coisa que nao consigo entender e quem e qual o objetivo dos “compradores” em comprar esses apartamentos que teoricamente sao imoveis sem retorno financeiro.
      Qual o fundamento economico que esta por traz disso tudo? Pessoas (povo) chines oprimido e miseravel enaquanto imoveis vazios brotaam como erva daninha.
      Por que eu morando em sao paulo – compraria um ap em Cascavel – PR (local conhecidamente embolhado como mostrado aqui) traçando um paralelo com os chineses compradores e essas cidades fantasmas?
      Sera que ha tanto dinheiro no mundo que as pessoas detentoras dessa $$ se dariam ao luxo de simplesmente comprar apartamentos so porque nao tem mais o que fazer com o dinheiro?
      Realmente a situaçao e surreal, inacreditavel? O video e realmente algo “suis generis”

      0
      • Neo 2 de janeiro de 2012 at 20:16

        Andre

        As opções de investimento na china são poucas.

        Pelo que andei lendo o que eles têm de investivemento legal (tem uns agiotas lá tb) esta perdendo feio para inflação. Então em vez de deixar no banco perdendo valor a cada mês eles foram para os imoveis.

        Lembro de ter visto semana passada que o governo chines fechou umas bolsas que negociavam ouro lá, negocios tipo balcao, o motivo era a especulacao em ouro. Isto é perigoso pq estao fechando o cerco!

        Mas é isso ai, no final o que sobrou foi arriscar no mercado imobiliário.

        Ou fazer igual o EMPREENDEDOR da lojinha de brinquedo no shopping vazio, vende um acada 4 ou 5 dias, e ainda prometeram pro coitado que o segundo andar estava todo alugado, é de duvidar, caiu no conto do vigário.

        0
  • pmoraesm 2 de janeiro de 2012 at 10:30

    Até minha mãe, que não acessa a internet, veio me dizer que esse não é um bom momento pra comprar pois leu/viu em algum lugar que os preços devem cair pois subiram demais.

    Aumenta a parcela da população que tem o sentimento que comprar imóvel agora é furada, aposto que 2012 vai ser um ano de maior estagnação de vendas do que já foi 2011.

    0
  • João Miguel 2 de janeiro de 2012 at 10:33

    Primeiramente, FELIZ ANO novo a todos!
    Sei que não tem muita relação com o tópico principal, mas isso exemplifica bem que existem pessoas que estão consegindo conseguindo melhorias na renda familiar, mas que em geral não tem a menor “experiencia” para lidar com essa renda.

    Se a história desse cidadão for verdadeira, ele deve ter um padrão financeiro bom, pois já tinha um apartamento comprado e comprou a corbertura do prédio. Mas pelo jeito ainda peca pela ingeunidade nos negocios.
    Provavelmente caiu no conto do corretor de que já tinha várias pessoas interessadas no seu antigo apartamento, e contando com o ovo no ** da galinha, comprou uma corbertura financiada. Porém já fazem 4 meses e o corretor ainda não vendeu o antigo AP dele, ou seja, se endividou todo, pois acumulou a prestação da cobertura e do apartamento antigo junto, tá com o nome sujo e não sabe o que fazer
    Dá pena..

    http://www.reclameaqui.com.br/1987460/cyrela-brasil-realty/2-apartamentos-comprados-no-norte-privilege-e-nao-sou-tradad/

    http://www.reclameaqui.com.br/1987460/cyrela-brasil-realty/2-apartamentos-comprados-no-norte-privilege-e-nao-sou-tradad/

    0
    • Anonymous 2 de janeiro de 2012 at 11:48

      Joao,

      Eu já escrevi aqui o seguinte: As formigas evitam passar por lugares onde outras formigas foram esmagadas porque elas são capazes de perceber o ácido acético que estava presente no corpo das companheiras esmagadas. Muitos casos desse tipo serão necessários para ensinar os bananenses que dívida de 30 anos esmaga qualquer um. Só podemos desejar que outros bananenses sejam capazes de perceber isso e evitar trilhar o mesmo caminho.

      0
      • Dr. Estranho 2 de janeiro de 2012 at 12:12

        Infelizmente se não doer no bolso o brasileiro não aprende. Não há como sentir “pena”. Muito menos compaixão. Para atitude inconsequente somente a punição educa. Sempre fui comedido nos gastos. Tenho casa própria e jamais teria uma insana megalomania de “cair de cabeça” em algo contando com o ovo no c.. da galinha. Se depender de mim, os preços poderão continuar aumentando exponencialmente. Só não venham pedir esmola e choramingar na Igreja pedindo cesta básica.

        0
      • DanielCM 2 de janeiro de 2012 at 21:09

        é como já disseram: sábio é quem aprende com os erros dos outros. Inteligente é quem aprende com os próprios erros. Quem não aprende nem com os próprios erros é burro mesmo.

        0
    • pmoraesm 2 de janeiro de 2012 at 12:52

      Pode acreditar que esse mesmo cidadão não quer tirar 1 centavo do valor pedido pelo primeiro apartamento dele. Enquanto não faltar comida na mesa essa gente não larga o osso, mesmo todo encrencado.

      0
    • Cleyton 2 de janeiro de 2012 at 16:01

      Toma trouxa: PLOC!

      “…tentar que alguém com poderes possa finalmente receber esse relato…”, vai lá na igreja mundial que o pastor leva pra deus resolver o caso, e se ainda assim não der, assina uma pele de carneiro com sangue e leva “pro outro”.

      O que me deixa enojado é que esse é o tipo de panaca que fica garganteando pra todo mundo que é cara, que melhorou de vida e tal e tá devendo até as zorbas (até assinar a pele do carneiro), vai lá agora pagar wisky 18 anos pras gatinhas, vai.

      0
    • Pensativo 2 de janeiro de 2012 at 18:05

      Engraçado o sujeito falar de “valorização devida”. É impressão minha ou o rapaz assume que a valorização é direito líquido e certo? imóvel virou renda fixa?
      No final o cabeça dura vai perder os dois imóveis. Talvez assim tome vergonha na cara.

      0
      • Guilherme Eduardo 2 de janeiro de 2012 at 21:44

        Investimentos não garantem rendimento futuro baseado em histórico de rendimentos. Tudo bem que o cara foi enganado, mas a ganância dele foi demais. Geralmente quem faz esse esquema de compra dependente de venda faz de forma “casada”, só compro sua cobertura quando você conseguir vender meu apto.

        0
    • Neo 2 de janeiro de 2012 at 21:20

      Ô dó
      Oh meu Deus, a contrutura tirou a valorazação do imovél dele

      Ô dó.

      0
    • Neo 2 de janeiro de 2012 at 21:24

      Isso não pode ficar meu Deus

      Alguem de poder há de ler esse relato e ajudar esse rapaz

      Ele comprou uma cobertura e agora está passando necessidade,

      que país é esse, onde as pessoas lêm esse relato e não ajudam!

      0
      • Fred Henrique 3 de janeiro de 2012 at 11:50

        Neo,

        Você tem o poder, é o escolhido. Salve este bolhudo da matrix!

        rzrzrz

        0
        • Neo 3 de janeiro de 2012 at 23:39

          Mas ele tomou a pilula azul

          Vai ficar na matrix até ser descartado, cuspido e cair no lixo do sistema.

          0
  • Zoom 2 de janeiro de 2012 at 10:42

    Mais alta! Até onde vai parar os preços? Na lua?

    Imóveis devem subir acima da inflação em 2012

    A estimativa para 2012 é que, ao invés de disparar 27%, como em 2011, os preços médios das habitações subam em um ritmo um pouco acima da inflação, em torno de 10% ao ano
    02 de janeiro de 2012 | 7h 25

    GENEBRA – A subida do preço dos imóveis residenciais não vai dar trégua, mas, pelo menos, ficará mais comportada. Empresários da construção e analistas do mercado afirmam que o preço da moradia nas principais capitais do País já atingiu um nível compatível com os novos padrões da economia brasileira.

    A estimativa para 2012 é que, ao invés de disparar 27%, como em 2011, os preços médios das habitações subam em um ritmo um pouco acima da inflação, em torno de 10% ao ano, em cidades como São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre. Em outras, como Rio de Janeiro, Vitória e Recife, o aumento deve seguir mais forte.

    “De maneira geral, o movimento de recuperação do preço dos imóveis já ocorreu, após quase dez anos de estagnação”, afirma o presidente da unidade brasileira da Federação Internacional das Profissões Imobiliárias (Fiabci), Basílio Jafet. “Para 2012, a alta deve ficar perto da inflação.”

    Na avaliação do coordenador de pesquisas imobiliárias do Ibope Inteligência, Antônio Carlos Ruótolo, o aumento anual deve ser bem menor do que o registrado em 2011. “O crescimento chegou a um nível insustentável. Isso já está tornando o preço do metro quadrado proibitivo para a maioria dos consumidores.”

    A valorização dos imóveis foi impulsionada pelo crescimento do poder aquisitivo e da demanda da população, à medida que mais brasileiros deixavam a pobreza para ingressar na classe média, com melhores níveis de emprego e renda. / C.B.

    Fonte: h ttp://economia.estadao.com.br/noticias/economia,imoveis-devem-subir-acima-da-inflacao-em-2012,97912,0.htm

    0
    • Carcará 2 de janeiro de 2012 at 11:36

      Zoom,
      no mercado brasileiro de imóveis existe o preço de “valorização” e o preço de “venda”. Aquele é sempre citado na imprensa. Este, jamais. Mas à medida que os empreendimento forem sendo entregues, triênio 2012-2014, os preços de “valorização” convergirão para os preços de “venda”. Preço de venda, pós-ploc, para mim, é 60%¨do valor de 06/2011.

      Abraços e Feliz 2012 para todos.

      0
    • Guilherme Eduardo 2 de janeiro de 2012 at 21:51

      Quando ele diz “proibitivo para a maioria”, leia-se “proibitivo para 90% da população”.

      0
  • Fred Henrique 2 de janeiro de 2012 at 11:12

    Dando uma googleada sobre alguns assuntos cheguei a este artigo em um blog sobre a Brookfield:

    enganadopelabrookfield.blogspot.com/2011/12/alteracao-no-projeto-o-caso-da-varanda.html

    Legal que o cara reclama da “varanda gourmet”:

    “Entretanto, para minha surpresa, quanto visitei minha unidade (1203) pela primeira vez notei que não tinha varanda gourmet nenhuma. Era apenas uma varanda aberta com uma pia.”

    Tenho pena de quem comprou estas gavetas para morar, mas é bom ver este tipo de coisa para saber o “padrão de qualidade” das gaiolas que, hoje em dia, custam R$1.000.000,00.

    0
    • Anonymous 2 de janeiro de 2012 at 11:31

      Quem compra uma “varanda Gourmet” merece o que está acontecendo e muito mais …

      0
      • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 11:52

        varanda gourmet significa um ponto de água, um de luz e um ralo

        se vc quiser colocar pia, churrasqueira, frigobar, vidro, tudo é a parte.

        0
        • ICF 2 de janeiro de 2012 at 14:31

          É para otário mesmo!

          0
    • Dr. Estranho 2 de janeiro de 2012 at 12:05

      Para ciência;

      O Delúbio é “consultor” desta empresa.

      0
    • Cleyton 2 de janeiro de 2012 at 16:07

      Pode até parecer engraçado, mas me sinto muito melhor aqui no bolha, mesmo toda hora vindo uns e outros me tirando pra pé-rapado, do que num blog enganado.blogspot!!

      0
  • Davi 2 de janeiro de 2012 at 11:37

    h t t p://economia.estadao.com.br/noticias/economia,brasil-vira-2-melhor-mercado-imobiliario-,97911,0.htm

    Esqueçam galera, o preço nao vai cair … entrando grana externa nao vai mesmo, porém a bolha vai ficar cavalar!

    Brasil vira 2º melhor mercado imobiliário
    SP saltou de 26º lugar para a 4ª posição nas prioridades dos investidores estrangeiros

    SÃO PAULO – O boom de construções no Brasil passa a ser a principal novidade no mercado imobiliário mundial e o País se transformará em 2012 no segundo lugar mais atraente para investidores estrangeiros, superando a China e toda a Europa. Uma pesquisa publicada ontem pela Associação de Investidores Estrangeiros no Setor Imobiliário (Afire, sigla em inglês), apontou ainda São Paulo como a quarta cidade mais atraente para aplicações em imóveis entre as grandes metrópoles internacionais no ano.

    A pesquisa mostra que, apesar da crise, o mercado americano ainda é o que oferece as opções de investimentos em imóveis comerciais mais estáveis e seguras do mundo. Segundo a entidade, a crise já começa a dar sinais de estar sendo superada nos Estados Unidos, pelo menos no setor imobiliário. Preços de aluguéis, pela primeira vez desde 2008, começam a subir.

    Se a liderança é dos Estados Unidos, a pesquisa mostra que o boom brasileiro no setor da construção fez do País passou a atrair um interesse global. O grande destaque é a cidade de São Paulo. No ranking elaborado no ano passado, a capital paulista era a 26.ª na lista de prioridades de investidores estrangeiros.

    Na classificação de ontem, subiu para a quarta posição. O local preferido de investidores em 2012 será Nova York, seguido por Londres e Washington. São Paulo superou a cidade de Frankfurt e todas as capitais de países da zona do euro e das economias dos Brics.

    O crescimento da economia, eventos esportivos e as garantias legais são os fatores que transformam o País e a cidade em uma das prioridades de investidores.

    “O Brasil passou a ser considerado como um lugar muito mais seguro para investir e um local onde se consegue uma boa apreciação de capital”, afirmou o CEO da entidade, James Fetgatter. Para realizar a pesquisa, a associação consultou investidores com um portfólio total de US$ 874 bilhões pelo mundo.

    42% dos entrevistados apontaram que planejam investimentos nos Estados Unidos em 2012 como o lugar que oferece as melhores oportunidades. Em 2011, porém, 64% dos entrevistados havia escolhido o mercado americano.

    ‘Roubo’ de investimentos. Segundo a pesquisa, o Brasil “roubou” investimentos dos Estados Unidos. Hoje, 18,6% dos entrevistados indicam que o País oferece as melhores oportunidades de retorno de investimentos no setor imobiliário. Em 2011, apenas 4,4% dos entrevistados escolheram o Brasil para investir.

    Com o resultado, o Brasil superou a China na lista das preferências dos investidores imobiliários. Entre os emergentes, a classificação é seguida pela Turquia, enquanto Vietnã e Índia sofreram quedas.

    Na Europa, a crise envolvendo o euro e a possibilidade de recessão em 2012 praticamente tirou o continente da lista dos locais preferidos por investidores. Nem mesmo a Alemanha resistiu e desabou no ranking organizado pela entidade.

    Preços altos. A pesquisa destaca que os Estados Unidos ainda são muito almejados e foram o segundo país, depois da Grã-Bretanha, a atrair mais investimentos estrangeiros em 2011, segundo dados preliminares da Real Capital Analytics.

    “O ponto baixo é que o país não promete muita valorização de capital, pois os maiores mercados já estão com preços altos”, disse Fetgatter.

    0
    • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 11:54

      informação falsa, ou no minimo velha
      os dolares ja começaram a fuga do BR, vejam os numeros oficiais.

      0
      • Davi 2 de janeiro de 2012 at 12:06

        Sei nao Luiz, a notícia me passou a impressão que esta percepção é nova. Porém devemos ficar atentos pois as tentativas de haver lançamentos de notícias para tentar fazer a roda da fortuna girar não vai ser fraca não.

        0
        • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 12:14

          isso aí Davi, unico lançamento hoje é lançamento de notícia requentada e matéria paga

          nem vou gastar meu tempo conferindo os dados, dezembro apresentou alto deficit de dollares em todas as contas, exceto parte da balança que só continua positiva graças à agricultura e mineração.

          Dollar já subiu 30% entre julho e agora. De ~1,5 a ~1,9

          0
    • GPTFN 2 de janeiro de 2012 at 13:57

      Existem muitas empresas especializadas em vender imóveis de alto-padrão para gringos no Brasil;

      experimente colocar “buy a house rio de janeiro” no google e vc verá.

      Agora, eu não acredito que eles estejam gerando demanda por imóveis fora da Zona Sul e talvez Barra no RJ.

      0
  • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 11:57

    SENHORES LEIA ESTA NOTÍCIA
    Vejam como a infra estrutura brasileira é uma merda, isso aqui aconteceu em Guarulhos/SP onde temos a mlhor infra do país, imaginem no resto como vai ser
    A inauguração de uma igreja parou o aeroporto internacional

    (fonte ESTADAO):

    Abertura de igreja na Dutra isola Cumbica e faz centenas perderem voos

    SÃO PAULO – A inauguração de uma igreja evangélica na Rodovia Presidente Dutra e o estacionamento de centenas de ônibus de caravanas nos dois sentidos da estrada bloquearam o acesso ao Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na tarde deste domingo, 1º.

    No desespero, centenas de pessoas largaram os carros na rodovia e saíram andando, com malas e na chuva, até o aeroporto. Muitas perderam o voo. Para quem voltava do feriado de ano-novo, a lentidão passou dos 20 km na Dutra, afetou a Ayrton Senna e as principais ruas de Guarulhos.

    0
    • RD85 2 de janeiro de 2012 at 13:50

      1h e 20 de espera hoje no Galeão (RJ) para retirar as malas….. Detalhe: só chegaram 2 voos no mesmo horário (internacionais)… Imagina se fossem 5 ou 10?

      Brasil 14 o vexame da história das copas?

      0
      • Fred Henrique 2 de janeiro de 2012 at 14:06

        Em campo ou fora dele?

        Em campo, acho que a “pipocada” está garantida!

        0
  • Fred Henrique 2 de janeiro de 2012 at 13:00

    Mais uma daquele tal de Sapóia:

    youtube.com/watch?v=EHEMZgtKL6I

    O cara lista vários fatores que corroboram a nossa visão de que o Brasil cresce a reboque da China para “concluir” que a China vai crecer pelos próximos 50 anos e que o Brasil está com crescimento garantido.

    Destaque para 0min50s onde ele lista os últimos acontecimentos históricos importantes da China:

    1840 – Guerra do ópio;
    1972 – Comunicado de Xangai

    Não aconteceu NADA neste intervalo???

    0
    • Me 2 de janeiro de 2012 at 14:54

      Cara, pergunta pra ele sobre isso. Ele aceita opiniões diferentes numa boa quando são educados.
      Capaz até de ele fazer um video respondendo.

      0
    • Fred Henrique 2 de janeiro de 2012 at 15:34

      O foco é o vídeo sobre a China e o Brasil e o monte de bobangens que ele fala: basicamente é uma aula de copiar o passado e colar no futuro.

      Quando coloquei os “últimos acontecimentos históricos importantes da China” quis ressaltar o “nível” da análise dele. Sou estudante de história e matemática (academicamente e não academicamente falando) e sei o tamanho da besteira que ele falou, não tenho que ficar perguntando para ele!

      0
      • Me 2 de janeiro de 2012 at 17:25

        Parabéns. Estudante não é formado ainda, e formação não é sinônimo de conhecimento.
        Humildade nunca deu prejuízo a ninguém, inclusive intelectual. Fica a dica. 😉

        0
      • Me 2 de janeiro de 2012 at 17:40

        Outra coisa que pode ser feita também é compartilhar nos comentários do video um tostão de seu conhecimento pra que outros não sejam enganados por ele. Mas tacar pedra é sempre mais fácil, claro.

        Mas falando sério, eu também já notei coisas fora do lugar nos argumentos dele, em particular o otimismo exagerado e o emocional dele embaçando os argumentos(com pérolas como “tá melhor na bunda dele”). Mas se tem um coisa que ele tem e que falta em 90% das autoridades do saber é a humildade(ou culhões?) de dar a cara a tapa, expor o que ele acha que é verdade, aceitar contrapontos e responder praticamente todos eles.

        0
  • augusto 2 de janeiro de 2012 at 13:07

    Veja esta noticia no site da folha de hoje:

    Cai participação de financiamento na venda de imóveis usados
    A participação dos financiamentos nas vendas de imóveis usados em São Paulo caiu para 38,37%, o total de negócios fechados em outubro, aponta levantamento do Cresci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo).

    Foi o menor índice registrado em 2011.

    As vendas à vista, por sua vez, totalizaram 60,47%. Consórcios e a venda a prazo bancada pelos proprietários tiveram participação de 0,58%.

    Segundo o estudo –feito com 469 imobiliárias do Estado–, no ano passado as vendas financiadas só haviam ficado abaixo de 50% do total dos negócios com imóveis usados em fevereiro, março e julho; e mesmo assim; até então oscilaram na faixa de 45%. O Cresci-SP ainda não finalizou o levantamento de novembro e dezembro.

    A maior participação de financiamento na venda de usados foi registrado em junho, mês em que o índice foi de 55,48%.

    “A queda de 15 pontos percentuais nos financiamentos, de setembro para outubro, teve como consequência direta a queda nas vendas, mas não é possível afirmar que a fonte do crédito bancário para a compra da casa própria esteja minguando”, afirma José Augusto Viana Neto, presidente do conselho.

    As vendas de imóveis usados na cidade de São Paulo tiveram queda de 33,21% em outubro, na comparação com setembro.

    Para Viana, essa redução pode ser mais um “soluço”, decorrente da dificuldade de candidatos a mutuários em solucionar pendências burocráticas ou financeiras, do que um indício de crise.

    “Até onde sabemos, não há a fartura desejada, mas também não falta dinheiro nos bancos para financiar a casa própria de quem cumpre as exigências de entrada e comprovação da renda mínima exigida nos empréstimos”, afirma. “Vamos esperar para ver como virão os resultados das vendas de novembro e dezembro”.

    Em outubro, venderam-se mais apartamentos (69,19%) do que casas (30,81%). O preço médio dos usados foi 2,43% menor que em setembro. No acumulado de 12 meses encerrados em outubro, porém, a alta é de 12,39%, quase o dobro da inflação de 6,97% do período.

    O site do Creci na parte ref. a estatísticas diz estar em manutenção, mas pelo que me lembro a última pesquisa publicada foi referente a setembro de 2011.
    Mas se eu não estiver errado foi um bom modo que descobriram para noticiar a queda vertiginosa na venda de usados em outubro 2011 de usados na cidade de SP

    E o site Info money ainda noticia, sem destaque lógico, que o preço dos usados em outubro caiu em média 2,5%

    0
    • Ricardo 2 de janeiro de 2012 at 14:15

      Bolha, esta notícia é típica de tópica (até rimou)

      Caramba, agora o argumento é um “soluço” da economia.
      Antes era carnaval, páscoa………. Em novembro será o que: uma tosse da economia?

      As vendas travaram………. Preços nas alturas….. Comprador sem dinheiro ou aguardando…..
      A FAMOSA “BOCA DO JACARÉ” preconizada pelo MRK.

      0
    • Fabiano 2 de janeiro de 2012 at 17:56

      “Até onde sabemos, não há a fartura desejada, mas também não falta dinheiro nos bancos para financiar a casa própria de quem cumpre as exigências de entrada e comprovação da renda mínima exigida nos empréstimos”

      KKK AGORA EM SE TRATANDO DE DINHEIRO DO MUTUARIO ESTA FALTANDO E MUITO RS RS , O POVO NÃO TEM DINHEIRO NEM PARA PAGAR O CONDOMINIO DO PRÉDIO ULTIMAMENTE AINDA MAIS AGORA QUE O SALÁRIO FOI PARA 622 REAIS , QUANTO MAIS GRANA PARA FINANCIAR UM APTO

      0
  • Dr. Estranho 2 de janeiro de 2012 at 13:09

    Quem lembra do lego? Um brinquedo de criança para montar de desmontar. Não sei se o brinquedo ainda existe, mas repararam que as construções lembram as montagens do lego? Peça sobre peça sem estética. Será que nas universidades os estudantes de engenharia e arquitetura “brincam” de lego? Aprendem a fazer sobrepor caixotes sem deixar cair?

    0
    • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 13:19

      melhor assim
      nos EUA o país mais rico do mundo com temperaturas extrema é comum casas de madeira e paredes de gesso.

      0
      • Cleyton 2 de janeiro de 2012 at 16:20

        Luiz, não lembro onde li até porque faz tempo, mas essa lembra uma mulher reclamando que lá nos states os vidros são duplos e era uma vergonha aqui serem simples, responderam pra ele que como aqui não neva não precisava de isolamento térmico na janela, parti de rir!

        0
        • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 17:02

          o tal vidro duplo é tão simplesmente um vidro normal colado no outro com cola transparente

          é claro que existem outros mais complexos com camara de ar seco, mas pra casas normais é assim simples

          aqui no BR só é caro pq é raro e depois não iria encaixar em 90% das janelas.

          0
    • Cleyton 2 de janeiro de 2012 at 16:17

      Acho que uma diferença importante é que o lego tinha encaixes, ou seja, se tirasse algumas peças de baixo ainda ficava de pé, essas caixinhas pré-moldadas se abrir uma janela cai tudo!!

      0
  • augusto 2 de janeiro de 2012 at 13:20

    Saiu hoje sobre audiência da Globo:

    http://f5.folha.uol.com.br/colunistas/ricardofeltrin/1028837-ibope-da-globo-em-2011-teve-queda-recorde-manha-cai-7.shtml#anc4606382

    Seria consequência direta de ser parcial em certas noticias?

    0
  • Carlos Eduardo 2 de janeiro de 2012 at 14:24
    • Dr. Estranho 2 de janeiro de 2012 at 19:46

      O prédio implodido que ficou de pé?

      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKk

      0
  • Ana 2 de janeiro de 2012 at 14:48

    Sabe pq dizem que a Bolha Imobiliária qdo estoura é inesperada? Pq demora para explodir, e desde 2008 estamos num processo de aumento da bolha e agora, ou as construtoras e imobiliárias através de efetivos descontos progressivos diminuem os preços, ou, caso contrário, em alguns anos, a bolha vai estourar e isto vai afetar bastante as construtoras, imobiliárias e especuladores e o comprador endividado.
    Outra questão, os preços estão super altos que de um dia para outro em termos imobiliários os melhores salários do país tornaram-se pobres.
    Recomendo: Junte-se dinheiro. Se quiser gastar com algo que dê prazer neste ínterim, vai viajar ou compre algo que realmente lhe agrade, pois ainda estes gastos estão dentro de seu patamar financeiro. Agora, qto a comprar imóvel, aguardem para que não se endividem de forma comprometedora e a longo prazo tornem-se escravos dos bancos e inadimplentes ad eternum.

    0
  • nelson 2 de janeiro de 2012 at 15:12

    Brasil vira 2º melhor mercado imobiliário

    O boom de construções no Brasil passa a ser a principal novidade no mercado imobiliário mundial e o País se transformará em 2012 no segundo lugar mais atraente para investidores estrangeiros, superando a China e toda a Europa. Uma pesquisa publicada ontem pela Associação de Investidores Estrangeiros no Setor Imobiliário (Afire, sigla em inglês), apontou ainda São Paulo como a quarta cidade mais atraente para aplicações em imóveis entre as grandes metrópoles internacionais no ano.

    A pesquisa mostra que, apesar da crise, o mercado americano ainda é o que oferece as opções de investimentos em imóveis comerciais mais estáveis e seguras do mundo. Segundo a entidade, a crise já começa a dar sinais de estar sendo superada nos Estados Unidos, pelo menos no setor imobiliário. Preços de aluguéis, pela primeira vez desde 2008, começam a subir.

    Se a liderança é dos Estados Unidos, a pesquisa mostra que o boom brasileiro no setor da construção fez do País passou a atrair um interesse global. O grande destaque é a cidade de São Paulo. No ranking elaborado no ano passado, a capital paulista era a 26.ª na lista de prioridades de investidores estrangeiros.

    Na classificação de ontem, subiu para a quarta posição. O local preferido de investidores em 2012 será Nova York, seguido por Londres e Washington. São Paulo superou a cidade de Frankfurt e todas as capitais de países da zona do euro e das economias dos Brics.

    O crescimento da economia, eventos esportivos e as garantias legais são os fatores que transformam o País e a cidade em uma das prioridades de investidores.

    ‘O Brasil passou a ser considerado como um lugar muito mais seguro para investir e um local onde se consegue uma boa apreciação de capital’, afirmou o CEO da entidade, James Fetgatter. Para realizar a pesquisa, a associação consultou investidores com um portfólio total de US$ 874 bilhões pelo mundo.

    42% dos entrevistados apontaram que planejam investimentos nos Estados Unidos em 2012 como o lugar que oferece as melhores oportunidades. Em 2011, porém, 64% dos entrevistados havia escolhido o mercado americano.

    ‘Roubo’ de investimentos. Segundo a pesquisa, o Brasil ‘roubou’ investimentos dos Estados Unidos. Hoje, 18,6% dos entrevistados indicam que o País oferece as melhores oportunidades de retorno de investimentos no setor imobiliário. Em 2011, apenas 4,4% dos entrevistados escolheram o Brasil para investir.

    Com o resultado, o Brasil superou a China na lista das preferências dos investidores imobiliários. Entre os emergentes, a classificação é seguida pela Turquia, enquanto Vietnã e Índia sofreram quedas.

    Na Europa, a crise envolvendo o euro e a possibilidade de recessão em 2012 praticamente tirou o continente da lista dos locais preferidos por investidores. Nem mesmo a Alemanha resistiu e desabou no ranking organizado pela entidade.

    Preços altos. A pesquisa destaca que os Estados Unidos ainda são muito almejados e foram o segundo país, depois da Grã-Bretanha, a atrair mais investimentos estrangeiros em 2011, segundo dados preliminares da Real Capital Analytics.

    ‘O ponto baixo é que o país não promete muita valorização de capital, pois os maiores mercados já estão com preços altos’, disse Fetgatter.

    0
  • Carlos Wagner 2 de janeiro de 2012 at 15:21

    Pra mim, o que explicaria a supervalorização dos imoveis até 2011?

    Sabemos que empreendimentos imobiliarios demandam tempo e planejamento detalhado de execução. Com o boom imobiliario, as construtoras se depararam com estouro de orçamento devido ao encarecimento da mão de obra, preços inflacionados de materia prima e necessidade de recorrer a emprestimos bancarios para dar prosseguimento às suas obras.

    Como resultado, presenciamos os compradores continuarem pagando os preços prédefinidos com prestações de 500 conto durante as obras. Porém, como forma de reaver esses custos adicionais, as construtoras foram obrigadas e encarecer os imoveis, consequentemente, aumentando o saldo devedor pós chaves.

    Pra mim, particularmente, valorização aceitavem é aquela baseada em indices oficiais de inflação, indice de preços ao consumidor e custos da construção civil. O resto é especulação e repasse de custos e prejuizos.

    Reparem que os preços chegaram a esse absurdo porque as margens de lucro das construtoras devem ser preservadas a qualquer custo e o que temos visto em materia de desconto nada mais é que uma redução dessa propria margem para que os estoques possam ser desovados. O que ainda nao esta funcionando!

    Quanto à reportagem sobre o Brasil ser um dos melhores paises para investimento imobiliario, fico imginando: Como um país ser tão bom assim para investimento se os ativos não vendem mais? Para um mercado ser considerado “bom” ele tem que ter duas caracteristicas basicas: Proporcionar lucro e ter liquidez. Isso nao vemos mais no nosso mercado imobiliario. O resto é conversa fiada de analista.

    0
    • Ader 2 de janeiro de 2012 at 15:54

      Concordo plenamente Carlos, estamos numa fase em que vemos muitas informações contraditórias, que é realmente para pegar os desatentos que ainda sobraram.

      0
    • augusto 2 de janeiro de 2012 at 15:55

      Carlos, o que está pipocando neste inicio de ano na midia , de noticias e comentários de “especialistas” ,enaltecendo e falando mil maravilhas sobre o mercado imobiliário brasileiro (imóveis continuarão a subirem de preço, mercado super promissor, e outras baboseiras e mentiras similares), indica claramente, que os envolvidos e beneficiados pelo processo especulativo, já reconheceram e sentiram a situação de bolha imobiliária estourando, e tentam desesperadamente evitar o estouro dela.

      0
      • Carlos Wagner 2 de janeiro de 2012 at 18:10

        Eu acho que o estouro é inveitavel. Existem muitos interessem por tras dessas informações. Tem muito peixe grande interessado em achar o cidadão pra quem vai passar a trolha… Esse ultimo, vai segurar o rojão, podem ter certeza.

        Depois de tanta propaganda no final de 2011 que o mercado imobiliario havia atingido o teto, que os preços se estabilizariam, que no maximo acompanhariam a inflação etc… Pergunto:

        Quem, em sã consciencia, vai querer investir num mercado estagnado e sem perspectivas de altos ganhos e baixa liquidez?

        Engraçado, virou o ano e por um passe de magica o mercado se revigorou. Agora o Brasil é o segundo melhor país do mundo para se investir em imoveis…

        Muito estranho….

        0
        • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 18:55

          Carlos, existe outra possibilidade ao estouro.
          Se gente o suficiente pagar o pato agora.

          Seria mais ou menos como jogar toda a tripulação e os passageiros no mar pra salvar o capitão e o navio.
          Precisaria muita força política pra orquestrar isso e sem gerar panico

          0
  • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 15:23

    olha o que me mandaram:
    h t t p://enganadopelabrookfield.blogspot.com/

    0
    • Jack Imóveis 2 de janeiro de 2012 at 15:44

      Caro Luiz,

      Dei uma lida no blog. Me parece que a situação se aplica para todo mercado.

      Abraços

      Jack – Generalizando um pouco

      0
      • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 15:52

        Jack, andei me atualizando esses dias, a tal Gfa está num conflito sem precedentes, açoes pulverizadas, falta de comando estratégico, atraso nas obras ( um amigo aqui da sala dafrente está esperando desde 2006, vai se mudar semana que vem isso pq venderam a construção pra outra), executivos interessados apenas em auferir bonus, promissorias encalhadas, e o maior risco de todos, estão dizendo que no dow jones vão realizar lucro ainda esta semana.

        os leadings da coisa são: mercado de automóveis e Salvador/BA

        0
        • Jack Imóveis 2 de janeiro de 2012 at 16:05

          Caro Luiz,

          Me perdi um pouco na relação dos automóveis com Salvador/BA.

          Jack – Confuso

          0
          • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 16:16

            Autos: credito secando, vendas caindo, inadimplencia subindo
            Salvador: o grafico fipezap é autoexplicativo (perdendo pra inflação há meses)

            0
            • Jack Imóveis 2 de janeiro de 2012 at 16:24

              Caro Luiz,

              Está claro. Muito bom. Vamos ver como fica a inadimplência das pessoas fisicas nos primeiros 3 meses de 2012.

              Abraços

              Jack – Pagando tudo em dia

              0
              • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 16:57

                falando nisso, tem cada promoção de seminovo completo, um ano de uso com tudo a bordo por vinte e poucos mil que dá até vontade viu. Passei o domingo da ressaca assistindo as promos.
                Luiz – happy last year

                0
  • Fred Henrique 2 de janeiro de 2012 at 15:33

    O foco é o vídeo sobre a China e o Brasil e o monte de bobangens que ele fala: basicamente é uma aula de copiar o passado e colar no futuro.

    Quando coloquei os “últimos acontecimentos históricos importantes da China” quis ressaltar o “nível” da análise dele. Sou estudante de história e matemática (academicamente e não academicamente falando) e sei o tamanho da besteira que ele falou, não tenho que ficar perguntando para ele!

    0
    • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 15:44

      se ele quiser aprender que venha te perguntar
      história chinesa não é pra qualquerum
      sei bem o que isso significa em termos práticos

      0
      • Fred Henrique 2 de janeiro de 2012 at 16:33

        Luiz,

        Em tempos de google, qualquer um é especialista em tudo – ele não precisa falar comigo, que apenas estudo esse tipo de coisa. Sem stress.

        Só achei estranho o cara basear uma análise macroeconômica em dois fatos históricos distantes mais de um século entre si e de vários e vários dados soltos e desconexos – que poderiam ser utilizados, por exemplo, para concluirmos que o Brasil deve torcer para a China não desacelerar. A relevância destes eventos históricos para o futuro da China (e do Brasil!!!) é quase irrelevante se considerarmos os rumos que podem ser tomados atualmente baseados nestes dados.

        Inclusive ele fala em potências hegemônicas, mas esse assunto é muito controverso, principalmente após a II guerra mundial. É o tipo de coisa daqueles que gostam de simplificar a história para deturpá-la.

        As potências hegemônicas sobressaem-se a partir de um misto de inovação tecnológica, capacidade econômica e poderio militar (os três aspectos têm que se balancear. E quando não acontecem simultaneamente e não se consegue equilibrar posteriormente estes aspectos, as civilizações estão fadadas a uma rápida volta às condições pré-hegemônicas, vide o império de Gengis Khan, ou Portugal e Espanha nas grandes navegações). Após a II guerra mundial, um dos pilares da hegemonia mundial – o poderio militar – tornou-se obsoleto devido à bomba atômica. A Rússia, por exemplo, não é mais uma potência econômica ou tecnológica a ponto de rivalizar com os Estados Unidos, no entanto, pode destruí-los (e o mundo todo também) com seu arsenal JÁ disponível. Ou seja, é difícil falar em hegemonia se algum rival seu pode destruir você SEM precisar de nenhuma inovação tecnológica ou econômica. Desta forma, não vejo como dizer que a China vai ser a potência hegemônica do mundo se, em um apertar de botões russo, ou americano, ou até mesmo chinês, a China pode acabar.

        O Sapóia se apóia (que horror!) em vários dados para chegar à conclusão de que existe uma nova megapotência no mundo e esta é a China, mas a conclusão correta seria que essa megapotência é o Sistema Financeiro Mundial, que não se prende mais à fronteiras ou idiomas. A China pode até ser a bola da vez, mas assim que aparecer outro lugar mais favorável, o SFM moverá seus tostões para fora da China.

        Se eu o vir algum dia, converso com ele sobre história do extremo oriente, sem problemas, mas prefiro a história do oriente médio mesmo.

        Um abraço.

        0
        • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 16:53

          Fred, é sempre fantastico discutir tais assuntos com quem tem o tico e o teco em grau normal de sanidade, rsrs.

          Pelo que entendi de sua critica o Sapoia discute o mundo em bases e valores tão antigos que não servem pra nada.

          Discutir a economia chinesa é impossível sem discutir sua cultura, valores morais, objetivos, sem entender suas bases – taoismo, confuncionismo, lao tsé – mas ao mesmo tempo, uma maquina de guerra capaz de criar os maiores impérios que o mundo ja viu, a maior esquadra naval, o maior muro, e logo depois, ruir quase tudo como castelos de areia na maré.

          A meu ver o reerguimento da China/Índia poderá ser comparado aos anos de ouro da rota da seda, aliás das rotas-da-seda, da invenção da polvora e do macarrão.

          É preciso muita prepotencia e arrogancia, como parece ser o caso do SApoia, dizer pra onde vai o mundo, ou o cara tem bola de cristal?

          Em suma, com avaliação rasas como estas, os analistas de plantão jogam pra torcida, falam o que querem ouvir. Aí quando eles se deparam com alguém como vc é aquela goleada e olha que, aposto, vc não gastou nem 2 centavos do que tem no bolso.

          0
          • Fred Henrique 2 de janeiro de 2012 at 18:08

            Luiz,

            Obrigado pelos elogios. História e matemática são duas disciplinas nas quais, quanto mais se estuda, menos se sabe. Principalmente a história que já é estudada a partir de frações do passado – ou seja, mais estudo leva a menos conhecimento, rzrzrz.

            Quanto a análise econômica do Sapóia, logicamente é uma análise válida, mas se utiliza de meios que disfarçam um grande grau de “achismo”, como, por exemplo, o uso de gráficos que não representam nenhuma função de forma que pareçam que representam uma função – ou seja, ele mostra uma tendência como se fosse uma regra. Ele poderia usar aqueles gráficos para dizer que o crescimento brasileiro foi impulsionado pela China e que uma recessão chinesa, mesmo que impossível para ele, seria desastrosa para o nosso país.

            Ele se utiliza de uma “análise” histórica para dizer que, se até agora, a China cresceu e o Brasil cresceu junto, então isso vai durar “pelos próximos 50 anos”. É até engraçado ouvir este tipo de coisa, pois, ele (o Sapóia) quis abordar a história para fundamentar sua análise, no entanto, segundo a nossa história, o Brasil viveu diversos momentos de pujança seguidos de entreveros por causa da exportação de commodities: ciclo da cana-de-açúcar, ciclo da borracha, ciclo do café… O que vivemos hoje é a repetição da história (respeitadas as devidas proporções).

            Vamos lá, quanto à análise dos dados históricos, ele poderia pegar os dados ainda “in natura” do censo do IBGE 2010, que diz, basicamente, que o Brasil está jogando fora a sua juventude. A pirâmide etária está saindo da figura clássica em forma de delta para a figura típica de estabilização populacional. O que isso pode causar em um prazo de 50 anos (que o Sapóia usou)? Crise previdenciária e aumento de carga tributária trabalhista, o que tornariam o país muito pouco atrativo para investimentos produtivos externos.

            O Brasil teve uma década de ouro para conseguir dar o salto de estrutura necessário para se tornar competitivo, mas preferiu inflar a máquina pública e pôr em prática um plano de perpetuação no poder. A prova disso? O ramo mais atrativo para a juventude atual (eu, inclusive) é o serviço público. Não há incentivo DE VERDADE ao empreendedorismo, à inovação: as reformas tão prometidas, e necessárias, nunca saíram do papel. O Brasil pode até crescer pelos próximos 50 anos, mas, se nada mudar, será um crescimento baseado em commodities, será um crescimento baseado no crescimento de outros países. Quando acabar o ciclo do minério de ferro, virá o ciclo da biodiversidade, depois o ciclo da água, das mulatas…

            Quanto à China, foi mais ou menos este o meu raciocínio: a China dificilmente vai se tornar o carro chefe do mundo em apenas um século. Pode se tornar, como vem acontecendo, o motor econômico. Mas para se tornar o “farol” da cultura mundial vai demorar, provavelmente nunca irá ocorrer. Para isso, teria que exportar sua cultura, mas o que acontece hoje é o contrário, a ocidentalização do oriente. Obviamente a China e a Índia tradicionais não deixaram de existir, mas as partes da China e da Índia que temos contato são as partes que nos aderiram, foram “colonizadas” pelo ocidente (com ressalvas, claro). O restante é turismo.

            Para ter uma noção do quanto é difícil mudar uma cultura, mesmo a nossa, utilizo o exemplo dos direito humanos, que demoraram quase dois séculos, do iluminismo à ONU, para serem aceitos como algo norteador das sociedades ocidentais. Portanto, para mim, é impossível pensar na China como cultura hegemônica nos nossos dias de vida, pois é impossível me imaginar comendo escorpião e afins, por exemplo, quanto mais praticar as pequenas rotinas idiossincraticamente ligadas à cultura do chinês médio.

            Um abraço, Luiz.

            0
            • Carlos Wagner 2 de janeiro de 2012 at 18:31

              Fred

              Obrigado por compartilhar seus estudos conosco. Pessoas como voce enriquecem nosso blog.

              0
            • Wendell 2 de janeiro de 2012 at 22:34

              Sensacional.

              0
            • Platão 3 de janeiro de 2012 at 08:52

              otima analise….mostrando o nivel dos participantes do blog.

              0
            • Carcará 3 de janeiro de 2012 at 09:15

              Fred,
              adiciono a sua análise um dado privado chinês. Como não existe política, no sentido ocidental da palavra, tudo ali é obscuro. Até que ponto podemos acreditar nos dados que partem do partidão, com o perdão do trocadilho? Se aqui, numa atmosfera oficialmente democrática, temos um partido expoliando uma nação para se manter no poder, manipulando dados e estatísticas, o que podemos inferir de um país com liberdade vigiada, com um BIG BROTHER a 1984, controlando tudo e a todos.

              Não há a mais remota possibilidade da China se tornar hegemônica. Acho que a China é o Japão da década de 90, pós-bolha, respeitando-se o tamanho do espaço e da poupulação. E com uma diferença radical – a transparência, essa a favor do japonês.

              Abraços

              0
            • eam 3 de janeiro de 2012 at 09:39

              Só discordo contigo sobre o “ciclo da mulata”, acho q este não vai acabar nunca por aqui. rs. Brincadeiras à parte, ótima análise, Fred.
              Também tenho minhas dúvidas quanto ao “crescimento eterno” da economia chinesa, principalmente em um momento em que o mundo chamado “desenvolvido” e importador de seus produtos entra em um período de recessão.
              O vídeo que foi postado sobre a cidades fantasmas chinesas mostra claramente a base do crescimento daquele país (e será q podemos traçar paralelos com a nossa?).
              Mas como ganhar dinheiro pelas bandas ocidentais está um tanto quanto difícil atualmente, creio que esta “bolha oriental” vai continuar a se inflar até as economias ocidentais entrarem novamente nos eixos, o que vai levar algum tempo.

              0
              • Luiz 3 de janeiro de 2012 at 10:39

                o ponto fraco da china se chama Irã

                Se algo der errado naquele Golfo, os chieneses voltam a queimar carvão p sobreviver.

                Concoda Fred?

                0
                • Fred Henrique 3 de janeiro de 2012 at 18:02

                  Pode ser, Luiz,

                  Mas existe uma reserva enorme de petróleo sob o Ártico esperando que a Rússia tome de conta. Um acordo entre as duas ditaduras não é impossível de ser imaginado.

                  0
    • augusto 2 de janeiro de 2012 at 18:34

      Pessoal creio que o melhor a fazer é esquecer aquele tipo que conhecido como Sapoia, pois ele é o tipo de pessoa que nunca convencerá nem a si próprio

      0
  • nelson 2 de janeiro de 2012 at 16:28

    Preço médio do um-dormitório em São Paulo é de R$ 398 mil
    CARLOS ARTHUR FRANÇA
    DE SÃO PAULO

    Para quem procura morar sozinho em 2012, São Paulo é uma cidade com muitas opções de apartamentos de um dormitório. Só neste ano foram 4.499 unidades novas, segundo levantamento da Geoimovel.

    Com a valorização média de 23% nos lançamentos da cidade de São Paulo entre os nove primeiros meses do ano comparados aos novos do mesmo período do ano passado, o metro quadrado do um-dormitório alcançou os R$ 8.250 na cidade de São Paulo. O valor médio da unidade chegou a R$ 398 mil.

    Nos distritos do Itaim Bibi (zona oeste) e Consolação (centro), o metro quadrado ultrapassou os R$ 10 mil. A maioria desses imóveis são “studios” ou quitinetes, com área entre 33 m² e 47 m². O preço médio da unidade no Itaim Bibi é de R$ 593 mil, enquanto na Consolação chega aos R$ 396 mil.

    Os menores preços da cidade estão nos distritos do Ipiranga (R$ 246 mil) e do Cambuci (R$ 140 mil). Ali a maioria dos apartamentos mede entre 31m² e 39 m².

    0
    • augusto 2 de janeiro de 2012 at 16:44

      Outra daquelas noticias que estão pipocando neste inicio de ano, e que comentei acima

      0
      • Anonymous 2 de janeiro de 2012 at 18:39

        Também notei uma série de notícias otimistas sobre a economia da Banânia. Se o PT não estivesse no poder, eu diria que até parece algo orquestrado.

        0
  • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 17:53

    Pra quem nunca viu preço de imoveis cair aproveite as liquidações aéreas e vá p Salvador
    Ou pelo fipeZAP:

    “salvador, venda, 2 quartos
    variação no período
    FIPE ZAP: 7,2% – ago/10 a nov/11
    CDI: 14,4% – ago/10 a nov/11”

    Perdeu exatos 50% pro CDI.
    Bom negócio?

    0
    • Pensativo 2 de janeiro de 2012 at 18:28

      Luiz,
      não quero ser chato, mas não podemos aplicar o índice FIPE-ZAP para a cidade de Salvador, visto a baixa quantidade de imóveis a venda no site ZAP para a referida cidade (menos de 49 apartamentos, sendo que apenas 16 são de 2 quartos). Ou seja, não há amostra suficiente para a validação do índice, embora considere o índice, mesmo aplicado para o Rio de Janeiro, igualmente falho, pois baseia-se no valor de oferta e não valor real dos contratos firmados.
      Ademais, presumo que o estouro ocorrerá primeiro em Brasília, devido a quantidade absurda de imóveis desocupados e a serem entregues lá. O resto do país irá desinflando à medida que os empreendimentos vão sendo entregues e, por conseguinte, o crédito vá encarecendo.

      PS: Estão plagiando a minha frase “2012 Promete”. Vou cobrar direito autorais.

      0
      • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 18:48

        seja chato sim porfavor, nosso objetivo é esclarecer, ter razão fica em terceiro plano, abaixo dos egos

        foi bom vc ter falado, procurei o tamanho da amostra mas não achei.
        onde está a informação?

        De todo modo 50 apartamentos é maior que zero, e esse numero pequeno pode ser reflexo do desalento dos vendedores, o que por si já é um dado.

        0
        • Pensativo 2 de janeiro de 2012 at 19:32

          Luiz,
          confesso que fiz o mais simples possível para descobrir a quantidade de amostras utilizadas para montar o índice FIPE-ZAP em relação à cidade soteropolitana: entrei no ZAP e pesquisei quantos apartamentos haviam disponíveis para venda em Salvador.
          Os números que apresentei (49 e 16) podem não corresponder exatamente aos utilizados pela FIPE? provavelmente. Porém é improvável que o referido instituto utilizou uma amostra muito maior que esta e no final a amostra é igualmente irrisória.
          Vale ressaltar que o sitio de vendas ZAP é muito forte na região Sudeste, porém, no resto do país, há outros meios de divulgação mais populares, vide o sitio WIMOVEIS em Brasília, portanto, não podemos afirmar que os vendedores soteropolitanos estejam “desalentados”, muito embora todo baiano seja desalentado por natureza, sic!!!
          Na verdade este índice por si só é uma piada, visto que com alguns meros milhares de reais é possível manipular o índice do país inteiro. Afirmo que no início do ano passado, época em que vislumbrava a compra do meu primeiro imóvel, interessei-me por diversos imóveis ofertados no ZAP e a maioria (sim, mais que a metade) era fictício, ou seja, não havia imóvel algum, eram apenas anúncios coelho, responsáveis por alavancar outros das carteiras das imobiliárias. Adicionalmente, afirmo que moro no Rio de Janeiro e logo depois de perder o ânimo com o mercado imobiliário consegui um bom negócio ao alugar um apartamento via anuncio do jornal, ou seja, fugi do ZAP e me dei bem.
          Aos que estão na mesmo situação que eu, sem imóvel para dar de entrada e sem grana para comprar um a vista, digo para pouparem o máximo possível que em um futuro breve não serão poucos os imóveis novos em que o proprietário, digo: mutuário, estará repassando com zero de ágio.
          Paciência, a hora está chegando!!!

          0
          • Pensativo 2 de janeiro de 2012 at 19:44

            Correção:
            Onde se lê “a vista”, lei-se “à vista”.

            0
          • LEOTEX 2 de janeiro de 2012 at 20:23

            pensativo,

            sobre o fipezap não sei nada, mas conferindo classificados dos jornais percebo sim uma estagnação nos preços de imóveis na Bahia. Em meados de setembro entrei em contato com um imóvel anunciado, só por curiosidade. Não negociei, não pedi nada, mas me ofereceram de bandeja 15% de desconto. Em 2010 a coisa era bem diferente…

            Mudando um pouco: início de dezembro, cruzando o nordeste de carro, sintonizei uma rádio de Arapiraca. É uma cidade grandinha, uns 200 mil habitantes, no meio do sertão alagoano. Um quarto e sala por lá está sendo anunciado “a partir de 70 mil”. Aproveitem.

            0
            • Wendell 2 de janeiro de 2012 at 22:39

              Em Santa Cruz (último bairro do Rio de Janeiro, sem a menor infraestrutura, longe das praias, rodeado de favelas e de indústrias poluidoras), há o empreendimento Villa Alegria, que construirá 499 apartamentos de 43,94m² a partir de R$79.000,00.

              Sabe qual é o slogan do empreendimento, impresso em banners e folhetos? “O jeito é viver no Villa Alegria”.

              É pra morrer de rir.

              0
              • Fred Henrique 3 de janeiro de 2012 at 11:03

                Gostei do slogan.

                Só faltou a outra parte:

                Já que você não consegue morar onde quer,
                O jeito é viver no Villar Alegria.

                rzrzrz

                0
  • Fabiano 2 de janeiro de 2012 at 17:59

    Aqui no meu prédio o povo não esta tendo dinheiro nem para pagar o condominio rs rs quanto mais financiar um apto novo.
    Começo de ano chega IPVA , IPTU , fatura do cartão de crédito depois da farra de natal e ano novo rs rs , matricula da escola das crianças rs rs
    Quero só ver a nova classe média pagar tudo isso rs rs

    0
  • EduLon 2 de janeiro de 2012 at 18:06

    OFF TOPIC

    Juro do cartão no Brasil é mais de seis vezes o do México, diz pesquisa

    As condições econômicas de outras nações pesquisadas, mostram claramente que a taxa média dos juros praticados no País é exagerada, diz economista

    h ttp://www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?tl=1&id=1208681&tit=Juro-do-cartao-no-Brasil-e-mais-de-seis-vezes-o-do-Mexico-diz-pesquisa

    0
  • Cleyton 2 de janeiro de 2012 at 18:20

    www . ultimoinstante.com.br/economia/taxa-de-juros/60767-Juro-carto-crdito-Brasil-superior-soma-das-taxas-cobradas-seis-pases-Amrica-Latina.html#axzz1iKloskY5

    2 de janeiro de 2011 – O juro do cartão de crédito no Brasil é o mais alto na comparação com cinco países da América do Sul e o México. É o que aponta uma pesquisa divulgada hoje pela Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste). A soma das taxas dos seis países não chega ao valor médio dos juros cobrados pelas operadoras de cartão de crédito no Brasil.

    Segundo a Proteste, o brasileiro que recorre ao financiamento por meio do cartão de crédito, o chamado de crédito rotativo, está submetido a uma taxa média de juros de 237,9% ao ano. Essa taxa é quase cinco vezes superior à da Argentina, que aparece na segunda colocação e cuja taxa média de juros cobrada nas operações de cartão de crédito chega a 50% ao ano.

    “As condições econômicas dos países pesquisados, quando confrontadas com as do Brasil, mostram claramente que a taxa média dos juros praticados no Brasil realmente é exagerada; caso fosse a metade, ou seja, de 119% ao ano [equivalente a 6,75% ao mês] ainda seria maior que o dobro da segunda colocada”, diz a Proteste.

    Atrás da Argentina aparece o Chile, com taxa média de 40,7%, seguido pelo Peru, com taxa de 40%, o México, com taxa de 36,2%, e a Venezuela, com taxa de 29%. A menor taxa entre os países analisados foi a da Colômbia, com taxa média de juros de 28,5% ao ano no cartão de crédito.

    Os cartões de crédito, de acordo com a associação, têm sido o maior fator de endividamento dos consumidores porque as taxas cobradas no rotativo se tornam impagáveis. Em dezembro, uma pesquisa divulgada pela Boa Vista, administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), apontou que, entre os inadimplentes do país, 64,1% têm dívidas no cartão de crédito.

    (Agência Brasil)

    0
    • xyz 2 de janeiro de 2012 at 18:29

      Não adianta o governo reduzir a selic, os juros ao consumidor no brasil sempre serão os mais caros do mundo.

      Este ano os juros do cartão de crédito e cheque especial bateram recordes históricos.

      Sabem qual o motivo???
      Simples. O brasileiro está disposto a pagar.

      0
      • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 18:50

        Ação da bolsa que mais subiu em 2011: Cielo +50%, a fabrica das maquininhas.

        (enqto a bovespa despencava)

        0
        • Carlos Eduardo 3 de janeiro de 2012 at 00:37

          A cielo nem faz a maquininha, ela só administra as transações! e cobra a parte dela, depois repassa para os bancos, as dividas de cada pessoa sendo ela fisica ou juridica!

          a cielo administra a informação e fica com a grana!

          0
          • Luiz 3 de janeiro de 2012 at 10:31

            sentido figurado amigo, todos sabemos q a cielo é só uma “bandeira”

            0
  • Troll 2 de janeiro de 2012 at 18:55

    Neguim vendendo casa do MCMV, no Paraná:

    h t t p : / / w w w . bemparana.com.br/index.php?n=200620&t=beneficiados-vendem-moradia-do-minha-casa-minha-vida

    0
  • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 19:02

    a prórpia china cometeu esse erro uma meia duzia de vcs na história: unifica, cresce, implode, unifica denovo, cresce,…

    0
    • Luiz 2 de janeiro de 2012 at 19:06

      vcs não, vezes

      esse comentario devia estar lá em cima com a fernanda e o none

      0
    • Carlos Wagner 2 de janeiro de 2012 at 19:08

      Como diz o Gabriel Pensador:

      Acende, puxa, prende, passa…

      0
  • augusto 2 de janeiro de 2012 at 20:04

    Saiu hoje, e ainda disfarçadamente, a oticia sobre vendas de usados em outubro na cidade de São Paulo. Estatistica atrasada sei, mas é o que temos e feita pelo Creci SP que não sei porque em seu site ainda não divulgou a pesquisa. Saiu no site do Infomoney e no MSN dinheiro. Neste último não mais está na relação, espero que o primeiro mantenha a noticia pois eu salvei e a gravei.
    As vendas em outubro 2011 cairam quase 35% em relação ao mes anterior, e o preço tambem caiu quase 3%.
    Se vcs quiserem e puderem podem verificar no link:
    infomoney.com.br/imoveis/noticia/2302253-preco+venda+imoveis+usados+caem+outubro+2011 (não se esqueçam de colocar o www. no inicio

    0
    • augusto 2 de janeiro de 2012 at 20:09

      Desculpem, mas a noticia está confusa e fala nesta terça dia 22!!!!!!, o que parece ser noticia velha

      0
  • BOLHISTA33 2 de janeiro de 2012 at 20:27

    Gente, as acoes das construtoras subiu. Nossa bolha vai demorar pra estourar… Eu vou é comprar meu imovel… Tenho 2.500k guardados,,, E nao tenho imovel proprio… O imovel que eu quero custa isso aqui no Rio… O que eu faco? Se aumentar mais meu dinheirinho vai perder poder de compra…

    0
    • Leo 2 de janeiro de 2012 at 21:06

      Se eu tivesse 2.500K certamente nao compraria imovel algum. Se a ideia de ter o imovel fosse muito importante, provavelmente compraria um de no max 1.000k e deixaria o resto aplicado rendendo junto com minhas economias mensais. É bastante dinheiro…

      Em relacao a alta das construtoras, nada cai nem sobre p/ sempre… resta saber ate onde ela vai subir. Ao meu ver, esse movimento ai é do tipo pegadinha do malandro…vc vai e GLUGLU !

      0
    • veigalex 2 de janeiro de 2012 at 21:13

      Meu amigo(a) Bolhista33.. Tenha um pouco de Paciência. Essa subida não significa nada.
      A Queda dessas empresas no ano de 2011 foi de mais de 50%.
      Acompanhe as ações delas diariamente..isso ao é a molecada se deslumbrando com a Bolsa.
      Hoje foi a vez deles.. amanha você vê a queda expressiva.

      A mídia esta cheia de noticia paga.. Quando a Gafisa desabou agora na penúltima semana de Dezembro, ninguém fez alarde. Muita gente ficou com %$%$.. na mão. Tem muita gente que comprou ações de construtoras quando elas estavam com preço alto.. e esses estão amargurando um prejuízo. Quando tem uma alta assim, fica todo mundo contente.

      Os preços não subirão mais.. agora é só ter paciência e pegar no momento certo.

      0
    • DanielCM 2 de janeiro de 2012 at 23:18

      subiu quando? hoje? depois de uma sequência de quedas? não será um mero repique? tem 2500k? quer imobilizar esse dinheiro todo em um único imóvel, porque acha que a bolha vai demorar a estourar? se eu possuísse todo esse dindin aplicado eu só checaria as minhas posições. mas se a ideia de ter esse dinheiro todo e não possuir um imóvel sequer lhe incomoda, eu começaria a pesquisar os preços agora, mas esperaria pra comprar no segundo quadrimestre, pelo menos.

      0
    • DanielCM 2 de janeiro de 2012 at 23:21

      ou então você pode se mudar para Brasília e comprar um ap de 100 m². dá 2,5 mi fechado rzrzrzrzrzrzrzrzrz

      0
      • Luiz 3 de janeiro de 2012 at 10:47

        a respeito da grande subida, a Gfa subiu 20 centavos por ação
        vc acha q isso significa alguma coisa?

        com 2,5mi na mão a melhor coisa que alguém faz é se mandar do Rio

        0
    • Antonio Duarte 3 de janeiro de 2012 at 14:33

      Algumas perguntas para te ajudar:
      Você quer o imóvel para investir ou para morar? Se for para investir, não compre.
      Você recebe dinheiro suficiente para manter um imóvel desse tipo? Se não tiver, não compre.

      Não faça comparação entre preço de ação de construtora na bolsa e preço de imóvel. Uma empresa mal administrada, sempre trará prejuízo. Um empresa imobiliária que tenha caixa alto e boa rentabilidade, poderá ter ações em alta mesmo com os preços de imóveis em baixa.

      Se fosse eu, eu compraria um imóvel mais barato para morar e aplicaria o dinheiro. Com um imóvel de 500K você pode viver bem e, se os imóveis continuarem subindo, essa parte sobe junto. Se caírem, você te dinheiro no bolso para comprar depois mais barato.

      Abs

      0
    • Carlos Wagner 3 de janeiro de 2012 at 17:17

      Desculpe pela minha ignorancia, mas:

      Não acredito que uma pessoa que tenha 2500k esteja em duvida do que fazer e restrinja-se a caminhos tão desastrosos.

      Realmente, não acredito que li isso.

      0
      • no_one 3 de janeiro de 2012 at 17:33

        É também fiz a mesma indagação, com todo respeito ao Bolhista33…

        0
      • Ania 3 de janeiro de 2012 at 18:56

        Concordo com vc, Carlos.

        0
  • bertz 2 de janeiro de 2012 at 20:59

    Bem bolhista33 compra 10 aps aqui em Santo Andre alugue todos e alugue algum no Rio por 15 mil e ainda sobraria 2 mil pra comer fora todos sins de semana, fora a valorizaçao de 10 aps seria maior que a de um só imovel.

    De novo ao que estava dizendo acima, oportunidades vamos parar para pensar um pouco, dinheiro não se ganha assim tão fácil.

    0
  • veigalex 2 de janeiro de 2012 at 21:17

    Segue a nuticia ai pessual!!

    SP: preço de venda de imóveis usados caem 2,43% em outubro de 2011

    COMENTE
    ÃO PAULO – Os imóveis usados ficaram 2,43% mais baratos em outubro de 2011, na comparação com setembro. Mesmo assim, de acordo com pesquisa divulgada pelo Creci-SP (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo) nesta terça-feira (22), o índice de vendas, que estava em 0,5491 em setembro, caiu mais de 33%, para 0,3667 em outubro.

    Em 12 terminados em outubro, por sua vez, os preços acumulam alta de 12,39% e o índice de vendas evoluiu 17,49%.

    Os imóveis usados com valor superior a R$ 200 mil continuaram sendo os preferidos dos paulistanos no décimo mês do ano passado, com participação de 63,16% das vendas.

    Quando analisadas as regiões de São Paulo, o maior percentual de vendas foi registrado na zona C (Butantã, Cambuci, Ipiranga/Museu, Jabaquara, Santo Amaro), com 33,72% do total. Em seguida, está a zona D, que inclui bairros como Bela Vista, Jaçanã e Vila Alpina, que participou com 18,60% das vendas.

    Na sequência aparecem a zona B (Aclimação, Alto da Lapa, Sumaré, Granja Viana, Jardim Marajoara), que participou com 18,02%, e a zona A (Brooklin – velho, Campo Belo, Pacaembu, Perdizes, Cidade Jardim), com 15,70% das vendas. Por fim, vem a zona E (Campo Limpo, Itaquera, São Miguel Paulista, Pedreira), com 13,95%.

    Preços
    Considerando a faixa de preço abaixo de R$ 200 mil, que representou 36,84% dos imóveis vendidos na capital paulista, os mais procurados foram os de valor de R$ 161 mil a R$ 180 mil, com 21,05% da preferência, conforme tabela a seguir:

    Percentual de venda de imóveis
    na capital paulista
    Valor do imóvel
    (R$) Percentual
    Até 40 mil nulo
    de 41 a 60 mil nulo
    de 61 a 80 mil nulo
    de 81 a 100 mil 1,17%
    de 101 a 120 mil 1,17%
    de 121 a 140 mil 5,26%
    de 141 a 160 mil 4,09%
    de 161 a 180 mil 21,05%
    de 181 a 200 mil 4,09%
    acima de 200 mil 63,16%
    Fonte: Creci-SP

    Vendas
    A maioria das vendas se deu com financiamento – 38,37% do total. As vendas à vista totalizaram 60,47%, enquanto que o pagamento direto aos proprietários respondeu por 0,58%, a mesma representação dos consórcios.

    economia.uol.com.br/ultimas-noticias/infomoney/2012/01/02/sp-preco-de-venda-de-imoveis-usados-caem-243-em-outubro-de-2011.jhtm

    0
    • Inteligivel 3 de janeiro de 2012 at 11:16

      Eu estou louco ou essa matéria foi muito mal escrita?

      “A maioria das vendas se deu com financiamento – 38,37% do total. As vendas à vista totalizaram 60,47%”

      A maioria se deu com financiamento? Tá certo. 38,37% é maior que 60,47%. Essa é a matemática que a CRECI usa.

      0
  • Profeta do Apocalipe 2 de janeiro de 2012 at 23:24

    Interessante que um amigo hoje me disse quando eu indaguei se ia ter tanta gente pra tanto imóvel em construção, ele falou: terá sim, mas sobrará o apartamento vazio que ele morava. Ai eu pensei: será que todo mundo ta saindo da casa dos pais ou ta se endividando pra morar em um 2/4 ou ¾ apertado só porque a mídia ta insistindo que é bom negócio?

    Eu já pensei em comprar um 2/4 num bairro consolidado aqui, mas fazendo umas continhas básicas e simulando uma coisinha dá pra ver que é inviável ou eu ficaria sem vida pelos próximos anos até quitar tudo e contribuir ainda mais pro lucro absurdo dos bancos.

    Gente, imóvel não é fácil: tem custos de adequação, reformas, cotas extras, condomínios etc. tem IPTU, terá pelo menos de 10 a 20% de vizinhos inadimplentes, terá muita dor de cabeça com isso tudo.

    Quem comprou pra investir e não saiu logo pagará o preço da bolha. O cara dava entrada de 10%, vamos dizer R$ 25k . com R$ 100k ele era dono de 4 imoveis, pra que coisa melhor? Esse cara tem que pagar as parcelas e vender logo com ágio, mas quem garante que conseguirá já que as valorizações anuais não são mais de dois dígitos? Agora a curva chegou no ponto de inflexão, a primeira derivada é zero e a segunda é NEGATIVA. Estatística mostra isso!

    Se fosse algo tão bom nunca antes na história desse país tanto investimento em propaganda e mídia vendida como se tem visto. Pensem nisso. Não direi que vai sobrar imóveis, digo que já sobram e que na hora que o pobre coitado do iludido for financiar no banco ele tem grandes chances de ter seu credito negado e ai sim a bolha explodirá. Em Salvador o marco será o Le Parc e esses conjuntos minha casa minha vida p quem ganha até o teto. Gente. Tem muita merda ai, tem muita coisa mal feita, mal localizada! Abram o olho, a coisa vai ficar feia.

    O governo acha que com bolsa família manterá esse crescimento. Aliás, o paí cresce menos que a America latina. O país está todo ano cortando orçamento. A bolha do emprego murchará independentemente da bolha imobiliária e contribuirá pra essa. O aumento do salário mínimo está fazendo o país perder competitividade. Como se aumenta o salário com ganho real sem ganho de produtividade? Péssimo sinal.

    Teremos alguns problemas crônicos:

    -bolha do emprego na construção civil- haverá desemprego e o pessimismo se alastrará.
    -industria automotiva arrefecerá e haverá ajustes. Ninguém troca de carro com tanta freqüência, vide o prazo dos financiamentos ( longos).
    -até maio problemas e crises com o etanol. A gasolina tem pelo menos 18% desse produto!
    -Gafisa com sérios problemas;
    -Bolsa estagnada e com viés de baixa
    -dollar a 2,4 reais até setembro de 2012
    -mais impostos
    -problemas nos aeroportos devido a saturação e a falta de investimento dos mesmos
    -bolha dos shoppings. Mudanças de acionistas e outras. Quiça shopping fechado ou virando “mercado popular”.

    Triste 2012

    segunda-feira, 2 de janeiro de 2012
    Exame: Crise e ressaca na construção civil
    Depois da euforia de 2005, 2006 e 2007, quando 20 empresas do setor captaram 12 bilhões de reais em ofertas de ações na Bovespa e lançaram imóveis a toque de caixa, veio a ressaca.

    Não é à toa que os investimentos do bilionário americano Sam Zell são acompanhados de perto. Em 2006, ele vendeu por 39 bilhões de dólares sua empresa de imóveis comerciais, a Equity Properties. Foi o maior negócio da história do mercado imobiliário dos Estados Unidos – que, como se sabe, entrou em colapso meses depois.

    No Brasil, Zell também aprontou das suas. Em maio de 2010, ele começou a se desfazer de ações da Gafisa, quarta maior incorporadora do país, da qual era sócio desde 2005 (matéria divulgada pelo blog). Quando decidiu vender suas ações, executivos que trabalham para Zell repetiram que ele não estava vendo nada de errado com a incorporadora: a venda fazia parte do ciclo natural de investimentos.

    É impossível saber se a razão foi mesmo essa – ou se Zell estava farejando problemas na operação da Gafisa. O fato é que o investidor americano, mais uma vez, pulou do barco na hora certa. Certíssima, aliás. Nos últimos dois anos, as ações da empresa perderam quase 70% de seu valor na Bovespa.

    Somente nos últimos seis meses, a queda foi de 35%. Aquela que foi uma das mais brilhantes estrelas da onda de aberturas de capital iniciada em 2004 é, hoje, uma companhia vista com desconfiança pelos investidores.

    Numa reunião com investidores no fim de novembro, Alceu Duilio Calciolari, presidente da Gafisa há cerca de sete meses, deu uma declaração que surpreendeu os interlocutores: ele admitiu não ter a dimensão real dos problemas da empresa.

    Os executivos da companhia estão analisando a situação financeira de milhares de clientes de baixa renda que podem não ter como pagar pelos imóveis. Também estão revisando obras com problemas, que podem ser canceladas. “Esse mapeamento é um processo longo, que só vai terminar em 2012”, disse Duilio, como é mais conhecido, a EXAME.

    Calote
    Até que a amplitude do problema seja inteiramente conhecida, a Gafisa vem tomando algumas medidas emergenciais para administrar o caixa. Uma delas é negociar o pagamento feito a fornecedores. Segundo EXAME apurou, as notas com valor superior a 100 000 reais que venceram em novembro e dezembro só serão pagas nos próximos meses.

    “Essa informação logo se espalhou e deixou os fornecedores assustados. Desde 2004, a empresa não fazia uma renegociação desse porte”, diz um ex-diretor da Gafisa que trabalha, hoje, na concorrência. Companhias como Gerdau e Votorantim reduziram o limite de crédito da incorporadora (procuradas, as empresas não comentaram).
    Duilio diz que esse tipo de prática é normal e faz parte da “correria para atingir as metas do ano”. Além disso, a Gafisa demitiu 200 pessoas do escritório central, 10% de seu quadro de funcionários, na última semana de novembro.

    Como ninguém parece saber ao certo o que vem por aí, é natural que a desconfiança em torno da companhia cresça. Com dificuldade para obter crédito de longo prazo, a Gafisa recorreu recentemente ao financiamento mais caro do mercado de dívida corporativa, a nota promissória.

    É como um cheque especial: fácil de usar, mas com um custo alto. No início de dezembro, a incorporadora fechou a captação de 230 milhões de reais, para ser pagos em um ano, com taxas de juro que variaram de 125% a 126% do CDI, ou algo como 14% ao ano – a média do setor, para financiamentos de prazos até mais longos, fica em torno de 115% do CDI.

    A Gafisa enfrenta problemas comuns à maioria das incorporadoras. Depois da euforia de 2005, 2006 e 2007, quando 20 empresas do setor captaram 12 bilhões de reais em ofertas de ações na Bovespa e lançaram imóveis a toque de caixa, veio a ressaca.

    “É como se a Tenda fosse um tumor maligno dentro da Gafisa”, diz um executivo que deixou a empresa em 2011. “Os problemas trazidos por ela contaminam o grupo.” Quem era alocado para trabalhar com os empreendimentos da Tenda costumava ver isso como punição, já que sabia que a chance de conseguir cumprir metas e receber bônus era mínima.

    Daqui para a frente, só serão feitos lançamentos para clientes de baixa renda que tenham sido aprovados previamente pela Caixa Econômica Federal, com a garantia de que os compradores serão financiados pelo banco.

    “Prefiro demorar mais para lançar a voltar a ter essas dificuldades. É fácil esses clientes perderem a capacidade de pagamento ao longo da construção”, diz Duilio.

    A Gafisa perdeu mais da metade de seu valor de mercado em 2011.

    0
    • Carcará 3 de janeiro de 2012 at 08:55

      Profeta,
      se em Ondina (veja anúncio do Terrazo Ondina, no jornal A TARDE) tem vários aps em frente a praia que fizeram aniversário de anúncio, R$ 510 mil, imagina o “Le Porceira” com aquele piscinão de Ramos. Quem tiver paciência para esperar o triênio 2012-2014 fará excelentes negócios.
      Não preciso lhe dizer que moramos em uma das capitais mais pobres e caras do Brasil. Pode sentar-se na poltrona e assistir ao espetáculo. Ah, o preço de compra é 40% daquele pedido em 06/2011.

      Abraços.

      0
  • Fernando 2 de janeiro de 2012 at 23:36

    “Parece pouco, mas é o equivalente a 3,12% de todas as quadras do Plano Piloto.”

    Pois é, parece pouco e é muito pouco. Na verdade é ainda menos, considerando que tanto na 204 Norte quanto na 114 Norte os terrenos são das Forças Armadas e não vão ser colocados no mercado, enquanto a 207 Norte é da UnB que também não tem planos de fazê-lo.

    Ainda existem alguns terrenos nas 700/900 Norte que foram rezoneadas para prédios residenciais, o setor de clubes norte que foi criminosamente transformado em área residencial, e as famosas CAs do Lago Norte. Fora isso acabou, quem quiser morar no Plano Piloto vai ter que comprar imóvel usado.

    O aumento dos preços de imóvel no Plano Piloto estão intimamente relacionados à ausência de oferta de novos imóveis, à expansão dos gastos do governo e ao incrível aumento salarial que várias categorias do funcionalismo tiveram nos últimos 12 anos. A primeira condição vai permanecer, mas as outras duas não são sustentáveis. Por isso eu não vejo como os preços vão continuar a subir desta forma.

    0
  • MrK 3 de janeiro de 2012 at 05:05

    Gente, pra quem pode a dica e’ simples: Mantenham seu dinheiro em CDI e vao morar fora do Brasil, em algum pais de inflacao controlada. E’ isso que estou fazendo desde o ano passado.

    CDI e’ maravilhoso pra quem ta fora, 2 digitos limpos por ano… pra quem ta dentro nao e’ tao bom, pois a inflacao real do Brasil (nao a brincadeira do IBGE) ja esta em linha com o CDI fazendo os juros reais ficarem zero, se nao negativos.

    Sei que isso infelizmente nao e’ possivel pra todos em funcao do tipo do emprego, mas quem puder, fica a dica!.

    0
    • Atribulado 3 de janeiro de 2012 at 10:36

      Só se for pra ficar for do brasil pra sempre, senão não adianta fugir da inflação.

      0
      • Luiz 3 de janeiro de 2012 at 10:44

        pensei nessa possibilidade Mrj
        Já fiz até as contas.
        considerando a mesma qualidade de vida é mais barato pra mim viver em dúzias de países do primeiro mundo.

        Quem puder, eu não posso, vender agora seus kitinetes por 1 milhão e aplicar pode se aposentar com “luxo” em meio mundo.

        0
    • Thiago 3 de janeiro de 2012 at 12:42

      A grande questão ai é a questão cambial não?!

      E se for pra R$2,50? R$3,00

      E os custos de transferência do dinheiro?!

      0
  • MrK 3 de janeiro de 2012 at 05:15

    PAPO SERIO…VOU LANCAR UM TOPICO AQUI E CONVIDO A TODOS A PARTICIPAREM…Investimentos em tempos pos-bolha!!!

    Amigos, o estouro da bolha certamente trara oportunidades de investimentos e ganhos, nao serao as mais tradicionais, os juros por exemplo podem ser baixados para darem liquidez ao mercado e ajudar os endividados, mas podem haver opcoes interessantes em moeda (apostando contra o real), em bolsa (apostando contra algumas empresas do setor civil e principalmente do setor financeiro) e coisas do tipo.

    Um bom exercicio seria olhar o pos estouro da bolha nos EUA e Espanha e ver os ativos que mais derreteram e se algum se valorizou… Uma aposta facil seria o Dolar, mas como eles imprimiram dinheiro demais, fico receoso, o Euro esta igualmente perturbado… Infelizmente ganhar na nossa bolha nao sera “papai com mamae”, mas creio ser possivel.

    Isso e’ apenas um rascunho, uma ideia inicial que precisa ser aprofundada:

    Promissor:
    Dolar australiano e canadense
    Vendido em Reais contra dolar americano
    Vendido contra Banco do Brasil e financeiras

    Neutro:
    Vendido contra empresas setor civil (ja cairam bastante)
    CDI (pode baixar artificialmente)
    Franco Suico
    Ouro
    Inflacao (NTN)

    Evitar:
    CDB de bancos alavancados
    Ibovespa em geral
    Imoveis e fundos imobiliarois

    Toda contribuicao sera bem-vinda!!

    0
    • Carcará 3 de janeiro de 2012 at 08:45

      Mrk,
      dos itens expostos, tenho dúvidas apenas em relação à SELIC. Se os dólares continuarem saindo (e tudo indica que continuarão), o governo teria duas opções: usar a reserva de US$ 350 bi ou elevar a SELIC para tornar a arbitragem mais atraente. Conta a favor do aumento da SELIC ainda a parcela da dívida pública atrelada a esses papéis e um possível recrudescimento inflacionário, com o aumento gradativo do dólar, visto que país que não sabe que I=S tem de contar com S alheio, a famosa Se.
      De qualquer sorte, esse é um governo fundamentalista e aí reside o problema maior para saber qual o investimento mais adequado na Banânia. Vejam que quando falamos de Espanha e EUA, pós-bolha, estamos falando de cenários mais claros, pois não havia governos fundamentalistas.
      Nesses tempos de crise, o que mais me chamou a atenção, foi o fato de um sujeito brilhante e experiente como o Armínio Fraga abocanhar 30% de uma empresa do ramo alimentício, Crasse “C”. Se o Armínio está se escondendo atrás de Todyinho, já não há lugar seguro no mundo das finanças.

      Recordo-me que há algum tempo pensei em entrar num fundo cambial (o dólar tava a R$ 1,55), mas não o fiz pelo fundamentalismo do governo. Essa gente pode mudar as regras do jogo de uma hora para outra, vide taxação de derivativos, IPI carros importados, critérios do IPCA, etc.

      Para ser sincero, como minha aposta é contra o imóvel, estou me contentando com o valor da poupança. Ontem estava assintido o FIRST UP da Bloomberg e foi perguntado a um especialista qual o melhor investimento de 2012 e ele disse: – melhor deixar o dinheiro descansar. Ou seja, T-bills americanos. Esse de fato é um especialista.

      Abraços.
      Abraços.

      0
      • Luiz 3 de janeiro de 2012 at 10:25

        já comecei a entrar em fundo cambial, ganhei 10% em 2 meses no ano passado
        e agora estou voltando a carga.

        Selic tbm duvido que caia muito mais, devido a ameaça da inflação e fuga de dollares

        0
        • Murdoch 3 de janeiro de 2012 at 11:57

          Luiz, tb tô nessa linha.
          Já havia começado ano passado e fui aumentando.
          Acho que o Governo vai gastar o que tem e o que não tem pra tentar segurar. Não sei se será suficiente.
          Penso em empresas de infra estrutura. Acho que se o Governo for gastar vai dar uma bela turbinada.
          Estou olhando concessionárias que exploram água e esgoto.

          0
    • xyz 3 de janeiro de 2012 at 09:36

      Ganhar na crise é para “profisionais”.

      Profisional = aquele que tem informação privilegiada.

      0
      • xyz 3 de janeiro de 2012 at 09:37

        “profissional”

        0
    • Eduardo 3 de janeiro de 2012 at 09:58

      Tem zum zum por aí que o povo rico de São Paulo está investindo no Uruguay, meses atrás conheci um advogado que estava viajando para lá, para estudar a legislação daquele país. Montevidéo ainda é uma cidade relativamente barata, e brasileiro está fazendo bolha naquelas terras.

      0
      • MrK 3 de janeiro de 2012 at 10:36

        Fato e’ que o real esta supervalorizado

        essa moeda nao vale o que pedem, para o Brasil ficar um pais “perto do normal” o real precisa se desvalorizar muito… ficar com 100% do seu dinheiro em reais pode nao ser muito interessante

        quanto ao CDI, eu pensei sim na hipotese dele ficar estavel ou ate subir por conta de fuga de dolares, mas notem que nos paises pos-bolha o govenro mesmo assim forcou os juros pra baixo, pois preferem conviver com inflacao e perda de valor da moeda a encarar uma crise interna de inadimplencia, acho que o COPOM submisso a Dilma iria pelo mesmo caminho, mesmo se tecnicamente nao sendo for a melhor escolha

        0
        • Dr. Estranho 3 de janeiro de 2012 at 11:05

          Creio que essa crise de inadimplência já se manifestou. No meu círculo de amizades pelo menos 60% estão em pânico. No setor bancário acredito que muito balanço está maquiado, igualmente como ocorreu no PANAMERICANO. Tem banco que se diz sólido, mas a menor onda, ou marola, de saques, fecham as portas. Ainda há muita manipulação de balanços e informações. Poucos bancos resistiriam a uma auditoria séria. Que dirá uma série de empresas endividadas em dólar. Esse ano vai ser difícil a meu ver para o governo esconder o que se passa.

          0
        • Tico RJ 3 de janeiro de 2012 at 11:49

          Como faço aplicação em CDI ? Só sei que os bancos oferecem CDB c/ alíquota variando de 83 a 95% do CDI. Renda Fixa não seria tão bom quanto?

          0
    • Salles 3 de janeiro de 2012 at 11:07

      Mrk,

      O que seria um “banco alavancado” ? atualmente invisto meu (pouco) dinheiro em um CDB do banco Sicoob….

      0
      • MrK 3 de janeiro de 2012 at 11:37

        Salles, qualquer CDB ate R$60mil e’ garantido pelo governo, entao soh se preocupe se o valor for acima disso

        quanto ao banco perigoso, seria aquele banco medio ou pequeno que emprestou de forma irresponsavel, hoje seria dificil dizer que banco esta nesse quadro, entao por via das duvidas eu evito CDB, ate porque CDB rende praticamente igual um fundo DI conservador ou um tesouro direto, sendo que esses 2 nao tem o risco do banco quebrar…

        0
        • Salles 3 de janeiro de 2012 at 17:09

          Obrigado pelas dicas, Mrk!

          0
    • Leo 3 de janeiro de 2012 at 11:11

      Mrk,

      O que voce acha de investimento em previdencia ? No momento estou com grande parte do meu dinheiro em VGBL.. uma outra parte em um fundo relacionado a inflacao e um renda fixa. Alguma sugestao ?

      0
      • Bolha Imobiliária 3 de janeiro de 2012 at 11:26

        Fuja da previdencia privada…

        0
      • MrK 3 de janeiro de 2012 at 11:39

        Previdencia privada pode ser uma boa, basta o banco/gestor serem solidos e os custos de administracao nao serem abusivos, infelizmente alguns fundos abusam da taxa de administracao e comem todo beneficio!!

        existe uma questao envolvendo declaracao anual de imposto (se vc fizer a completa) que pode beneficiar quem declara dessa maneira, se voce nao tiver por dentro sugiro ler sobre… se vc fizer a simplificada nao ajuda

        0
        • Carcará 3 de janeiro de 2012 at 12:56

          Mrk,
          só para esclarecer para os colegas que querem investir em previdência privada, para obterem restituição do IR, o precedimento é o seguinte:

          1 – Opte pelo modelo PGLB. O VGLB não é passível de dedução nos rendimentos tributáveis;
          2 – É possível dedução de até 12% do rendimento bruto. Por exemplo, se você teve rendimento anual de 100K, você pode deduzir até 12k. Isso lhe dará uma restituição em torno de 3K;
          3 – Depois de 10 anos, além de poder, ano a ano, obter uma restituição maior do IR, a alíquota do IR cai para 10%, tanto para saque quanto para uso do benefício.

          Tenho o BRASILPREV do BB há pouco mais de 1 ano. Para que tem rendimento tributável, é o melhor negócio do mercado, pois você ganha na aplicação (RF ou RV), você ganha na restituição anual do IR, você tem uma redução de alíquota para 10% depois de 10 anos.

          Maiores informações, procurem o gerente do banco de vocês. A única ressalva, como fez Mrk, é a taxa de adm.

          Abraços.

          0
          • eam 3 de janeiro de 2012 at 13:13

            Desculpe a ignorância nesta seara, Carcará, mas além da taxa de admin. não existe também uma tal “taxa de carregamento”, que já “come” parte do valor depositado?

            0
        • Leo 3 de janeiro de 2012 at 13:41

          Acabei indo pra previdencia por conta da segurança e por terem me vendido a ideia de que na previdencia nao tem o come-cotas e que por isso é mais vantajoso. A escolha do VGBL, flexprev no itau, foi por conta do tempo que devo ficar com o dinheiro investido, parece que o PGBL só fica vantajoso após alguns anos… nao devo ficar com o dinheiro parado por la durante tanto tempo.

          Em relacao a taxa, eles me cobram 1.3% aa.

          Estou com uns 70% em previdencia, 30 em fundo um fundo relacionado a inflacao que no ano passado rendeu uns 13% e um renda fixa q rendeu uns 11%.. sem descontar o come-cota.

          Qual a opiniao de voces em relacao a minha situacao ? Pergunto isso pois ainda estou me adaptando a renda fixa, nao sei se fiz as escolhas corretas. Todas as opinioes sao bem vindas.

          0
          • Carcará 3 de janeiro de 2012 at 15:25

            Leo,
            até onde sei (e não sei muito, ver post acima que aditei ao comentário de Mrk) a diferença entre PGBL e VGBL é que aquele é passivel de dedução no IR e este não. Ambos têm taxas de adm semelhantes e taxação de IR cheia para saque inferior a 10 anos. Ou seja, é investimento para longo prazo. O PGBL é também excelente investimento a curto prazo pelas razões que apresentei acima.

            Abraços.

            0
            • Ivan 3 de janeiro de 2012 at 16:46

              A tributação do IR na previdencia privada pode ser progressiva ou regressiva. E tem que ser feita a opção no momento da adesão.
              Progressiva – qualquer saque (parcial ou total) é tributado em 15%. Quando da declaração do IR deve ser levado para tributação, aí no caso pode-se ter imposto a restituir (se estiver em alíquota inferior a 15%) ou imposto a pagar (se estiver na aliquota superior a 15%), independente do prazo aplicado.
              Regressiva – O saque é tributado por 35% nos dois primeiros anos e vai diminuindo até 10% após 10 anos de aplicação (vale lembrar que conta o tempo de cada aporte). Só vale a pena se não mexer nos próximos 10 anos.
              Esses regimes valem tanto para PGBL (tributa o todo) e VGBL (só tributa o rendimento).

              Espero ter ajudado.

              0
    • tulio 3 de janeiro de 2012 at 12:31

      Olá Mkr,
      Tudo certo?
      vou pegar carona e perguntar, como aplicar no CDI?
      No Bradesco eu já tentei aplicar em CDI, mas a gerente só me abriu um investimento em CDB que paga 98% CDI, mas cobra 2% de adm.

      Vou tentar no BB agora, mas se vc puder me ajudar outra vez eu agradeço.
      Apenas para atualizar. Não sei se vc lembra, mas falei com vc um tempo atrás sobre um preju de 14k em ações. Seguindo os conselhos seus e do Luiz, consegui reduzir para 2k. Vendi as ações (vale5) a 44,40, comprei novamente a 38,12 e vendi a 42,30. Agora sai das ações. Só pretendo voltar durante a fase aguda da crise.

      Obrigado

      0
      • MrK 3 de janeiro de 2012 at 12:57

        oi tulio, tudo certo e vc?

        vejam bem, voce nao consegue investir em CDI igual CDB, CDB e’ um produto bancario, ja o CDI e’ uma taxa que voce obtem somente se investe em titulos do governo (tesouro direto ou fundos DI), eu te diria que 98% do CDI e’ uma boa taxa para CDB de um banco solido como o Bradesco, eu deixaria ai, ate porque o fundo que rende CDI te cobrara uma taxa de administracao que provavelmente fara render menos que o seu CDB

        quanto as acoes parabens, vai aos poucos que voce reverte isso!

        0
        • Salles 3 de janeiro de 2012 at 17:13

          Eu invisto no CDB do banco Sicoob…

          Além de não pagar qualquer taxa no banco (nem taxas
          administrativas do CDB), ele rende 98% do CDI.

          0
      • Luiz 3 de janeiro de 2012 at 12:58

        te dei 12k de lucro???
        hahaha, se dei foi sem queer

        colega, nunca dei conselho de investimento, não tenho a menor idéia do que fazer
        só dou opinião e olhe lá. meu esporte preferido aqui é chutar malandro do blog

        0
        • tulio 3 de janeiro de 2012 at 13:39

          Na verdade não chegou a ser lucro.
          Foi redução do prejuízo.rsrs
          corrigindo:
          “opiniões” do mkr e Luiz.
          mkr, valeu pela dicas.
          Qt ao tópico “investimentos pós-bolha”, p q vc não cria um grupo de discussões ou algo parecido?
          Eu não tenho muito com o que contribuir, mas tenho dedicado boas horas do meu dia estudando o que fazer com meu suado realzinho.
          valeu

          0
    • DanielCM 3 de janeiro de 2012 at 12:49

      até o final do ano passado estava colocando dinheiro no tesouro direto (um pouco em lft, algumas ntn’s, a maioria em ntn-b principal). Já havia dito aqui que o franco suíço e o ouro seriam as minhas apostas.

      0
    • Leo 3 de janeiro de 2012 at 13:53

      O ideal mesmo seria um forum… essa interface do site é um pouco confusa. O que acha ?

      0
  • Menino_do_Rio 3 de janeiro de 2012 at 08:48

    Minha opinião é que de fato 2011 foi um bom ano para o mercado imobiliário:

    http://exame.abril.com.br/negocios/empresas/noticias/pdg-atinge-a-meta-de-lancamentos-do-ano-por-um-triz
    “Já em relação às vendas, a PDG somou 7,481 bilhões de reais no ano – uma cifra 14,7% maior que a de 2010. O volume vendido no quarto trimestre foi de 2,040 bilhões de reais, o que significa uma alta de 6,7% sobre o terceiro trimestre e de 16,1% sobre o mesmo período do ano passado.”

    E eu continuo acreditando em valorizações acima do CDI nos melhores bairros das principais regiões metropolitanas do Brasil (pelo menos até o fim do 3o. mandato do Lula).

    0
    • MrK 3 de janeiro de 2012 at 11:42

      a julgar pelas vendas de natal, pelo desempenho da industria e pelas vendas de imoveis nos ultimes meses do ano… eu diria que 2011 foi o ultimo ano bom para o mercado imobiliario… por muito tempo

      0
    • danilo 3 de janeiro de 2012 at 11:42

      Ainda bem que conseguiram lançar tudo que planejaram. Meu desejo é que lancem o dobro esse ano e que concretizem os planos. Ano que vem quero ter muitas oçoes de compra a 60% do preço atual. Se nao lançarem tanto, ficarei com pouca opçao…vamos em frente.

      0
    • Q 3 de janeiro de 2012 at 12:01

      Realmente! Tomara que estimule centenas de lançamentos. Vai subir até o CÉU. Não importa que não exista comprador com renda compatível. Imóvel brasileiro é o único ativo da história da humanidade que não cai de preço! Quebramos um paradigma!

      0
      • LAR 3 de janeiro de 2012 at 12:53

        doutor,

        mas se não cai o preço, porque vários corretores vem me oferecendo desconto de 20%???

        será um mistério?

        0
    • Pensativo 3 de janeiro de 2012 at 12:04

      Vou na mesma linha que o Danilo. Quero que as construtoras lancem o máximo possível. que lancem milhões de empreendimentos, até que não sobre gente e tenham que importar bolivianos para morar nestes imóveis.
      Para mim o que dita se a situação vai bem ou não ao ramo imobiliário é a relação procura sobre oferta. Se a oferta está aumenta e a procura não então a situação tende então a piorar e não a melhorar.
      Outro detalhe que o Menino do Rio deve levar em consideração é que 2011 teve dois momentos muito distintos: o primeiro semestre, otimista e feliz para as construtoras, e o segundo semestre, momento do pré-PLOC.

      0
    • Luiz 3 de janeiro de 2012 at 12:06

      Quando o Titanic afundou centenas sobreviveram.

      E daí?
      A tragédia não deixou de existir

      0
  • Alex 3 de janeiro de 2012 at 10:51

    OLha só o que diz o “especialista”

    http://www.youtube.com/watch?v=1emitW-3Z2E&feature=youtu.be&a

    0
    • danilo 3 de janeiro de 2012 at 11:49

      O melhor é ele comparar o Brasil com a Suiça ou Dinamarca. Quase igual.

      0
      • Fred Henrique 3 de janeiro de 2012 at 12:55

        O melhor, para mim, foi aos 06min08s:

        “Eu calculo o crescimento do PIB de cerca de 1% apenas”.

        Quando ele falou isso, tudo que eu ouvi foi:

        “Olha, eu acho que preciso chutar um número para o crescimento do PIB, então é 1%”.

        0
        • Luiz 3 de janeiro de 2012 at 15:16

          exato
          os nossos analistas não tem a menor idéia do significado de teste F (vai ver acham q é um teste de gravidez), granger (personagme do harypoter), regressão (coisa de psiquiatra), ou sabem a diferença entre simples paralelismo relação de causa e efeito.

          0
    • Fernanda 3 de janeiro de 2012 at 12:08

      Este Amorim é um palhaço. “Falta MUITO para chegar ao ponto em que nós tenhamos uma bolha imobiliária”

      0
      • Luiz 3 de janeiro de 2012 at 12:13

        MAIS UM ECONOSTROLOGO?

        0
  • Richard 3 de janeiro de 2012 at 11:44

    Precisamos criar um tópico do vídeo:
    http://www.youtube.com/watch?v=2yL7t0j_4tQ

    São efeitos de Bolhas na China e que podem ocorrer aqui no Brasil.
    Uma coisa interessante seria abordar porque os imóveis continuam com os preços altos apesar de haver pouca procura.

    Outra coisa interessante seria abordar porque atualmente existe uma grande quantidade de crédito disponível no mundo. Será que este dinheiro veio das bolsas:
    http://portal.pps.org.br/portal/showData/221359

    0
  • augusto 3 de janeiro de 2012 at 11:48

    Quando alguem tem uma divida e não consegue paga-la fica inadimplente. Então vai ao credor e renegocia sua divida e deixa de ser caloteiro, com uma segunda chance. Mas com relação a este tipo de coisa tenho várias dúvidas e gostaria que alguem me ajudasse a elimina-las.
    1- tal renegociação tambem ocorre em outrso paises?
    2- quantas vezes a mesma divida pode e geralmente é renegociada?
    3- se o devedor não conseguiu pagar na primeira vez continua com a mesma renda , não ganhou na loteria, e nem casou com conjuge rico, por que conseguirá depois da renegociação?
    4 renegociações podem ser um meio de maquiar indices de inadimplência, que como sabemos funcionam como bola de neve em avalanche?

    Desde já agradeço queles que puderem contribuir. Abs

    0
    • eam 3 de janeiro de 2012 at 13:06

      Augusto, como até agora não fiquei inadimplente (ainda bem), suas dúvidas são também minhas.
      Mas a julgar a rapidez do nosso sistema judiciário, creio que os bancos preferem renegociar e lucrar menos (mais ainda assim lucrar!) do que protestar e esperar que o sujeito pague tudo aquilo que ele contratou e assinou embaixo.
      É o velho “jeitinho brasileiro” de fazer negócios, não é a toa que o nosso país é tido como um dos piores ambientes pra negócios no mundo.
      Agora se vc tiver dinheiro e influência política, pode se aventurar no mercado financeiro, tenho certeza vai faturar horrores. Ah, antes de me acusarem de anti-capitalista, lhes digo: não julgo e nem condeno os profissionaris deste mercado, mesmo porque, como já disseram muitos neste blog, o mercado oferece sim o dinheiro, mas não obriga ninguém a tomá-lo.

      0
  • bertz 3 de janeiro de 2012 at 12:27

    Moderar comentarios contrários contra minha opinião que a bolha não vai estourar este ano e vai demorar muito para isso Valdemiro Apostolo da TV faz enganar os outros.

    Não escrevi nada demais, só acho que até os preços se acalmarem vai demorar mais dois ou tres anos.

    Podem cobrar ate pelo meu e-mail se estiver errado.

    0
    • Luiz 3 de janeiro de 2012 at 12:52

      larga mão de ser trouxa

      Eu falo de estouro só em 2015, 2 anos depois de vc e nunca fui censurado.

      vc deve ser censurado não pelas opiniões, mas pela falta de respeito e acusações falsas

      0
  • bertz 3 de janeiro de 2012 at 12:28

    APOSTOLO VALDEMIRO PROMETE MILAGRES NÃO OS FAZ

    0
  • eam 3 de janeiro de 2012 at 12:50

    Voltando ao assunto deste tópico, se em Brasília o metro quadrado pode chegar a 25k, imaginem só o “potencial de valorização” em SP, já que o valor atual está na faixa de 5K (m2) ?!?!?

    h t t p : / / classificados.folha.com.br/imoveis/1024155-dois-quartos-em-sao-paulo-custa-em-media-r-387-mil.shtml

    Caramba, que “negocião”… BORA COMPRAR UM IMÓVEL EM SP !!!

    (“ironic mode” off)

    0
    • Luiz 3 de janeiro de 2012 at 12:55

      fazendo a scontas:

      se hj em BSB está em 10k/m2
      se daqui 10 anso estará em 25k/m2
      o investimento renderá apenas9,6% ao ano

      pior que qualquer CDI, renda fixa, tesouro direto
      grande bosta 25k em 2021

      0
    • eam 3 de janeiro de 2012 at 12:59

      ops, galera, o “display” falhou no post anterior: (ironic mode “ON”)…. rs

      0
  • MrK 3 de janeiro de 2012 at 13:07

    NOTICIAS DE UMA BOLHA PARTICULAR…

    fui jantar outro dia com a diretor de uma empresa de medio porte que tem crescido, vou repetir: DIRETOR, um executivo realmente bem sucedido, por volta de 40 anos. Nao fui indiscreto de perguntar o salario, mas como conheco um gerente da empresa, posso estimar que ele ganhe entre R$25mil e R$35mil alem de belos beneficios e bonus interessantes

    muito bem… ele foi transferido pro Rio ha algumas semanas (estava em outro negocio no Chile) e contou-me que nao conseguiu comprar um imovel onde queria e precisou se contentar com um apartamento de 3qts em botafogo (segundo ele o predio eh bom, mas pera ai, ne?)

    a pergunta que nao sai da mente: Tem TANTA gente assim ganhando acima desse salario no Rio? Ha algo que nao fecha nessa conta, ou ganhar R$30mil virou moleza ou os imoveis estao fora da realidade, cada um acredite na hipotese que quiser e faca suas apostas de acordo…

    0
    • Celso 3 de janeiro de 2012 at 13:19

      Com esse salário, o “certo” seria morar em uma bela, grande e confortável casa com área de lazer, e não num apartamento pequeno. Sim, está MUITO fora da realidade.

      0
    • Felipe 3 de janeiro de 2012 at 15:47

      Tem muito bicheiro e diretor de escola de samba. Não podemos esquecer dos juízes que recebem auxílio-moradia e das mulheres dos traficantes.

      0
    • Ze_Das_Couves 4 de janeiro de 2012 at 02:18

      Ah um salario destes eh mega comum na nova classe media brasileira ou nao?

      0
  • EduLon 3 de janeiro de 2012 at 13:21

    SAM ZELL VOLTA A INVESTIR NO BRASIL COMPRANDO O CONTROLE DA THÁ

    Para quem não conhece a Thá é a mais tradicional construtora de Curitiba com 116 anos, excelente padrão. segue link abaixo:

    h ttp://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2012/1/3/megainvestidor-sam-zell-compra-controle-do-grupo-paranaense-tha

    Agora a pergunta: se o cara sabe que o mercado brasileiro está micado, porque ele foi comprar uma construtora brasileira de capital fechado neste momento?

    Abrir capital? Não me parece sensato neste momento… O que acham?

    0
    • Dr. Estranho 3 de janeiro de 2012 at 13:35

      Simples: ele abrirá o capital; venderá alguns milhões em ações na bolsa; ganhará na valorização destas; venderá tudo para os “investitolos”; cairá fora de novo.

      Assim ele e George Soros cantam ciranda cirandinha…….

      0
      • EduLon 3 de janeiro de 2012 at 15:09

        O número de IPOs caiu drasticamente, e neste momento a maré não está para peixe, principalmente incorporadoras. Ações em geral tem caído muito e de incorporadoras ainda mais. Duvido que consiga fazer uma IPO de sucesso.

        0
    • Carcará 3 de janeiro de 2012 at 15:16

      Agora entendi porque a ações das construtoras estão subindo tanto… Alguém sabe quanto ele lucrou na venda da Gafisa e quanto está investindo agora?

      0
    • trackback 3 de janeiro de 2012 at 16:21

      Até o momento, a Gafisa é a mais negociada na Bovespa, mas o volume é pequeno: perto dos 80 milhões – coisa de sardinha

      Depois da Gafisa vem Vale e Petrobras – em número de negócios; as duas tem quase 1 bilhão em volume.

      0
  • nelson 3 de janeiro de 2012 at 13:42

    Em programa de rádio, Dilma prevê 2012 ‘ainda melhor’
    02 de janeiro de 2012 | 12h 38
    AE – Agência Estado
    A presidente Dilma Rousseff fez um balanço positivo do ano de 2011 e afirmou que 2012 “será ainda melhor”. A avaliação foi feita na edição de hoje do programa semanal de rádio “Café com a Presidenta”, que reapresentou trechos do pronunciamento da presidente à nação transmitido no último dia 23 de dezembro.

    No programa, Dilma repetiu ainda estar longe de se sentir satisfeita, mas ter cada vez mais convicção de que “podemos e vamos avançar muito mais”. “Com planejamento e políticas acertadas, estamos conseguindo proteger a nossa economia, os nossos setores produtivos e, sobretudo, o emprego dos brasileiros. Estamos transformando um momento de crise em um momento de oportunidade e entrando em uma nova era, uma era de prosperidade”, afirmou.
    Dilma ressaltou a criação de mais de dois milhões de novos postos de trabalho em 2011, além de “um bom crescimento, porque ele está acompanhado de inflação baixa, de juros descendentes, aumento do emprego, distribuição de renda e diminuição de desigualdades”.

    A presidente reafirmou que o novo ano “será mais um marco de consolidação do modelo brasileiro”. Segundo ela, o 2012 começará com menos tributos para as mais de 5 milhões de pequenas empresas que estão no Simples e para os Microempreendedores Individuais. “Estes empreendedores também vão ter crédito mais fácil e mais barato”, disse.
    “Todos os brasileiros vão ter mais facilidades para comprar a casa própria. Até 2014, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil vão investir mais de R$ 125 bilhões no Minha Casa, Minha Vida”, acrescentou.Ao lembrar a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre produtos da linha branca e a renovação da redução de tributos sobre caminhões, utilitários e máquinas agrícolas, Dilma disse que “com menos impostos e mais crédito a economia brasileira vai crescer mais”.
    Em relação a investimentos em obras e programas sociais, a presidente afirmou que mais desenvolvimento e melhor infraestrutura serão trazidos pelas obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que, em 2012, “ganharão ainda mais ímpeto, em todo território nacional” e que o governo poderá ampliar políticas de apoio aos mais necessitados. “Por exemplo, o programa Brasil Sem Miséria, que já produziu grandes resultados, vai se consolidar plenamente em 2012”, afirmou a presidente.

    0
  • Menino_do_Rio 3 de janeiro de 2012 at 14:44

    http://oglobo.globo.com/imoveis/pesquisa-traca-perfil-dos-imoveis-disponiveis-para-locacao-no-rio-3551332
    “Segundo os dados coletados pela entidade, a Zona Sul concentra 44,1% das ofertas de toda a cidade, seguida da região da Barra e adjacências, com 32,2%. Entre os bairros, a Barra é a que tem a maior oferta: 488 imóveis, seguida por Recreio (229), Copacabana (175), Ipanema (155) e Leblon (149).

    – A Zona Sul, apesar de ter a maior oferta, ainda tem muita procura. E é historicamente a região mais atrativa.”

    É este tipo de imóvel que eu acredito se valorizar nos próximos anos.

    0
  • Menino_do_Rio 3 de janeiro de 2012 at 14:46

    É claro que Barra e Recreio não são na Z. Sul, e por isso não acredito em valorização.

    0
  • Mori 3 de janeiro de 2012 at 14:52

    Pessoal,

    Vcs viram esse projeto de lei? Até mais do que um eventual aumento do limite para uso do FGTS, a utilização de parte do IR para pagamento do financiamento certamente adiaria um eventual estouro pra depois da Copa e reeleição da Dilma ou do Molusco. Trabalho em empresa privada de grande porte e é fato que:
    1. Muitos funcionários da iniciativa privada tem uma renda relativamente alta
    2. Nunca escapam da mordida do leão
    3. Assim como os participantes do blog, a maioria está apreensiva e frustada sem a possibilidade de comprar um imóvel no atual patamar de preços

    Com a restituição de 50% para pagar a parcela do financiamento, certamente muitos entrarão na roda vislumbrando recuperar aquele dinheiro “perdido” que o trabalhador nem vê!

    h t t p : / / exame . abril . com . br /economia/noticias/pl-preve-deducao-do-imposto-de-renda-na-compra-da-casa-propria

    0
    • DanielCM 3 de janeiro de 2012 at 15:49

      acho que os efeitos não serão os esperados. o governo já usou quase toda a pólvora que tinha na crise de 2008. há muito pouco a ser feito. o que sobra – e sempre sobrará em grandes quantidades por aqui – é a (des)informação, eles sabem disso, e já estão usando.

      0
      • Mori 3 de janeiro de 2012 at 17:14

        Mas me parece que com uma renuncia fiscal dessa magnitude, o efeito seria o desejado. Veja a simulação:

        Família de duas pessoas com renda bruta aproximada de R$ 6 mil cada (valores acima do teto do MCMV) pagam R$ 900 cada em IR por mês. Logo, o benefício seria da ordem de R$ 900/mês.

        Compram um apto de R$ 500 mil com entrada de R$ 140 mil financiando em 240 meses tem uma parcela inicial de aprox. R$ 3.800 (32% da renda bruta). Com a possível ajuda do governo, a parcela cairia para R$ 2.900 (24% da renda). Com isto, a taxa efetiva seria da ordem de 6,5% ao ano, muito próxima a inflação oficial ou ao rendimento da poupança. Além de roupas, eletrônicos e eletrodomésticos parcelados em 12x “sem juros”, agora teríamos também moradias parceladas em 240 meses “sem juros”!!!!

        0
        • Inteligivel 3 de janeiro de 2012 at 19:45

          Caso haja essa renúncia fiscal, e houver um aumento da procura por imóveis, automaticamente os proprietários aumentarão o preço dos imóveis na mesma proporção. Igual aconteceu com o MCMV. Os imóveis que valiam 80, passaram para 100, só com o anúncio do subsídio…

          Quanto menos o Estado interferir na economia, melhor.

          0
        • JPM 3 de janeiro de 2012 at 21:10

          Não funciona bem assim.
          As prestações continuariam sendo pagas normalmente. Só que 50% do valor pago durante o ano seria colocado na declaração anual (somente na completa), sendo abatido da renda bruta para fins de cálculo de imposto a pagar/restituir. No caso dos valores usados como exemplo, o benefício proposto apenas aumentaria a restituição (ou diminuiria o imposto a pagar) em aproximadamente R$ 2800.
          Claro que isso só será entendido por pessoas que pensam no seu dinheiro, como a turma aqui do blog, que tentaria simular os efeitos antes de se empolgar e sair comprando imóveis “para aproveitar a ajuda do governo”, como acabará acontecendo, infelizmente.

          0
    • xyz 3 de janeiro de 2012 at 17:07

      Isso é o limite da aberração.
      Se o governo que incentivar a economia, que desonere todos os setores indiscriminadamente.

      Isso provocaria um aumento instantâneo nos preços, ou seja, quem iria abocanhar esse “dinheiro que trabalhador não vê” seria as construtoras.

      Este governo é especialista em desonerar determinados setores da economia, atendendo a lobbys e causando distorções gravíssimas na economia, onde a bolha é apenas um exemplo.

      0
      • no_one 3 de janeiro de 2012 at 17:53

        Concordo. Assim como o MCMV vai ser mais uma intervenção do governo que será prontamente repassada aos preços.

        A saída certa é desonerar a cadeia produtiva… mas dá trabalho, tem que mexer no bolso dos estados e municípios, e não gera o mesmo marketing…

        0
    • Carlos Eduardo 3 de janeiro de 2012 at 18:00

      Não consigo entender essa maracutáia!

      se o FGTS já tem um destino, como pode isso mundar? mágica?

      estamos gerando dinheiro com mágica? ou seria a preferencia de encobrir a cabeça, e deixar
      os pés de fora ???

      Com certeza essa é mais uma burrece desse governo, que está destinando mais uma parcela do dinheiro publico para esse ralo de chupar grana…

      Ralo de chupar riqueza do pais….

      0
    • Felipe 3 de janeiro de 2012 at 20:32

      É engraçado que para quem compra eles estão fazendo um projeto para dar uma ajudinha. Por que esse incentivo então não é dado pra quem aluga um imóvel pra morar???
      Esses deputado/partido/governo/oposição estão comprometidos até os cabelos do fiofó com essa corja de falsos empresários da construção civil!

      0
  • rsmrsm 3 de janeiro de 2012 at 14:53

    Alguem leu esta matéria ?

    Bancos dos EUA demolem casas de inadimplentes

    http://blogs.estadao.com.br/radar-economico/2011/10/13/bancos-dos-eua-demolem-casas-de-devedores-inadimplentes/

    0
    • DanielCM 3 de janeiro de 2012 at 17:11

      Isso me lembra o crash de 1929, quando queimaram milhões de sacas de café.

      0
    • trackback 3 de janeiro de 2012 at 17:23

      Um trecho ela diz: ” Por “ajudar famílias”, ele se refere à decisão de doar as moradias para outras finalidades, o que valoriza os imóveis do entorno.”

      O desejo de “valorização” imobiliária continua, mesmo depois da pancada da bolha!
      É impressionante!

      0
  • JCH 3 de janeiro de 2012 at 15:23

    Engracado que varios vizinhos colocaram suas casas a venda no ultimo ano aqui em Brasilia, logicamente por precos absurdos, indecentes mesmo, e depois de alguns meses sem receber propostas (obviamente), desistiram das “vendas de oportunidade”. Afinal de contas, pagar 900 mil, 1 milhao e la vai pedrada, em imoveis que nao deveriam passar de 350, 450mil? Ate pra trouxa tem limite!

    0
    • Moyashi 3 de janeiro de 2012 at 20:34

      JHC, esse seu dado sobre vizinhos é de que região de Brasília? Tenho curiosidade, por que sou de lá (moro no interior de SP) e minha família que sempre morou na Asa Sul agora mora longe de tudo. Irmã e cunhado em Águas Claras e pai+madastra naqueles condomínios irregulares atrás do Jardim Botânico. Em Águas Claras eles financiaram à moda clássica: em 30 anos, mas esperam ir abatendo a dívida bem antes disso, usando o FGTS quando podem. Meu pai comprou o terreno antes da construção da 3a ponte. Foi baratíssimo e hoje não teria a menor condição de comprar ali de novo. Isso por que era tudo irregular, não sei nem se eles já pagam IPTU. Talvez sim pq o Arruda andou agradando à classe média.

      Já uma amiga mora de aluguel na Asa Norte, nas 400 (acho que é na 416), diz que os apartamentos vizinhos estão sendo vendidos por 700k. Não se estão sendo vendidos ou estão sendo anunciados (acredito mais na 2a hipótese). Me parece inconcebível que aqueles apartamentos das 400, sem elevador, por mais agradável que o Plano Piloto seja, custem 700K.

      (detalhe: moro em Campinas e meu ap de 1 quarto custa o mesmo que a casa que minha mãe comprou em Kissimee, Flórida: casa enorme, com terreno enorme, rua super tranquila, com uma área verde depois do quintal, etc)

      0
      • JCH 3 de janeiro de 2012 at 23:28

        Moyashi, postei a resposta em local errado, mas esta em comentario abaixo. Valeu.

        0
  • FelipeB 3 de janeiro de 2012 at 15:23

    Mais uma pessima reportagem, falando dos infinitos lucros no investimentos de imóveis:

    Mercado imobiliário: investimento é uma boa opção?

    http://estadodeminas.lugarcerto.com.br/app/noticia/noticias/2011/12/01/interna_noticias,45559/mercado-imobiliario-investimento-e-uma-boa-opcao.shtml

    Destaque para a frase:
    Apesar do “boom” ou “bolha” – expressões usadas pelos analistas do mercado imobiliário para esse período – Tavares enfatiza: “Tenho 45 anos de militância na área, 15 de chaves (referindo-se ao trabalho como corretor). Eu não conheço nenhum ser humano que tenha comprado um imóvel e tenha perdido dinheiro”

    0
    • Carlos Eduardo 3 de janeiro de 2012 at 17:55

      Estão tentando levantar o mercado, com marketing? e impressão de grana ???

      que medo

      0
  • Mori 3 de janeiro de 2012 at 15:35

    Digo isto em relação a classe média tradicional que é a mais prejudicada pela bolha e inflação (em termos relativos ao antigo padrão de vida), visto que tem uma renda familiar de 6 a 20 SM mensais e, mais importante, pagam IR .

    Talvez esteja aí o motivo da subida das ações da construtora. Além de possibilitar a manutenção do valor de vendas pelo menos estabilizados em relação aos últimos dois anos, teriam o risco de uma alta inadimplência ou devoluções muito mais reduzido, visto que assim seria possível flexibilizar um pouco mais o crédito ( e certamente aconteceria) e o devedor faria de tudo para não perder a oportunidade de recuperar este valor mantendo o pagamento em dia.

    0
  • Muca CG Muita Treta 3 de janeiro de 2012 at 17:01

    Estou procurando imóvel para alugar. Não está sendo fácil encontrar algo bom que não ultrapasse o valor de R$ 1 mil. Mas uma coisa me chamou a atenção: sobrados e apartamentos novíssimos que estão sendo repassados para a locação. Os proprietários devem estar desesperados que não conseguem vender. Um exemplo claro disso, é o prédio que mostrarei a seguir. Fica em frente ao metrô Vila Matilde e o cara quer R$ 1 mil de locação, mas R$ 125 de condomínio. Segundo o corretor, estão morando lá apenas três família. É um exemplo bolhudo ou não?

    http://maps.google.com.br/maps?q=Rua+Cuma%C3%AD,+52,+S%C3%A3o+Paulo&hl=pt-BR&ie=UTF8&ll=-23.529799,-46.5274&spn=0.011155,0.01929&sll=-23.525648,-46.526048&sspn=0.011234,0.01929&vpsrc=0&hnear=R.+Cuma%C3%AD,+52+-+Penha,+S%C3%A3o+Paulo,+03649-040&t=m&z=16&layer=c&cbll=-23.529799,-46.527326&panoid=wez9GbdAabMWG7y-0itBCQ&cbp=12,160.93,,0,-16.95

    Nem preciso dizer que o aluguel de mil não vale, né?

    0
  • Carcará 3 de janeiro de 2012 at 17:03

    1.Quantas pessoas pagam realmente IR depois das deduções com despesas médicas, educação, etc?
    2. Quantas dessas (1) pessoas não têm imóvel próprio?
    3. Quantas das que restaram (2) estão querendo comprar imóvel?
    4. Pressupondo que ainda existem candidatos (3), quantos entrariam num financiamento de 30 anos por que teriam 50% das restituição a que tinham direito?

    Para pensarem melhor, façamos uma simulação “a meia boca”. Digamos que o sujeito tenha um rendimento mensal de R$ 12 K, pague imposto de 2K. No fim do ano, ele consegue, no ajuste anual receber de volta (é quase mágica) 50% do que foi tributado, 12K, recebendo, portanto, R$ 12K. Esse sujeito já teria de qualquer sorte, uns 6K de volta.

    Assim, com uma renda mensal de 12K, acho que o sujeito só consegue financiar uns 300K (me corrijam, por favor), pagando uma prestação de 4K todo mês. Então, teremos:

    a) Um sujeito com renda mensal de 12K;
    b) recebendo 6K por ano de bolsa-ap;
    c) pagando 48K de prestação anual (42K com o auxílio da bolsa-ap), por 30 anos;
    d) para adquirir um muqifo de 300K.

    Quantas pessoas insanas (os normais nem cogitariam a asneira) ganham 12K e querem se sacrificar para morar nas condições elencadas?

    Como já disse em reiterados posts – “não há como deter a alvorada”. O PLOC já aconteceu. Quem tiver paciência para esperar a correção de preços durante o triênio 2012-2014 fará excelentes negócios.

    Abraços.

    0
    • Mori 3 de janeiro de 2012 at 17:34

      Fiz uma simulação acima considerando um casal ganhando 6K cada um.

      Em relação ao IR, me parece que já foi o tempo de fazer tanta mandrakaria. Para restituir uns 12K, o cara tem que ter mais de R$ 1,5K mensais aplicados em previdência privada, somar a merreca que a educação reduz da base de cálculo e ainda mais uns 25K no médico, sendo que normalmente o cara tem convênio médico. Resultado: hj em dia não cola mais conseguir tanta restituição sem correr sérios riscos.

      Também acho que os preços estão totalmente fora de órbita, ninguém mais consegue comprar nada nos grandes centros onde estão as empresas (trabalho e resido na ZS de SP), mas isso possivelmente faria girar os apes dos especuladores de 20% que já estão prometidos ou pelo menos fazer a Caixa engolir o financiamento ao reduzir seu risco… além de segurar o preço na estratosfera por alguns bons meses… mas é uma renúncia fiscal violenta, não sei como o governo conseguiria absorver uma loucura dessas sem se endividar ainda mais

      0
      • AAC 3 de janeiro de 2012 at 17:51

        A correção em apenas 4,5% da tabela de IR, nada mais é do que uma maneira disfarçada de aumento de imposto, valor esse 2 pontos percentuais abaixo da inflação oficial e muito abaixo da inflação real. Sô essa jogada aumenta em alguns bilhões a arecadação do governo…já passou do ponto de tolêrancia e o pior é que vai piorar. Na boa, é desmotivante trabalhar para sustentar a luxuria desses &^[email protected](%#

        0
        • Inteligivel 3 de janeiro de 2012 at 19:53

          Só com muita vaselina para aguentar esse país!

          0
      • Carcará 4 de janeiro de 2012 at 08:41

        Mori,
        posso estar enganado, mas acho pouco provável que a maioria dos especuladores de 20% seuqer façam DIRPF, quanto mais pagarem imposto e terem altas restituições. Esse projeto de lei é uma piada. Se não for, a RFB veta.

        Abraços.

        0
    • Carlos Eduardo 3 de janeiro de 2012 at 17:52

      penso igualzinho! porém tenho medo do que o governo está fazendo, tenho medo que o governo decida punir quem não entrou no jogo!

      estão imprimindo grana a rodo! tá chovendo dinheiro, e faltando qualidade no trabalho das pessoas!

      esse pais está ficando cada vez mais estranho!

      cada vez acho que estamos mais e mais no caminho da espanistã!

      0
      • Mori 3 de janeiro de 2012 at 18:20

        É isso aí, alivia o lado de quem entrou e coloca pressão em quem não entrou para participar da farra, pois a conta no final é socializada de qq jeito.

        0
      • xyz 3 de janeiro de 2012 at 20:31

        È literalmente punir quem tem educação financeira.

        0
  • O Poeta da Bolha 3 de janeiro de 2012 at 17:11

    h t t p : / / estadodeminas.lugarcerto.com.br/app/noticia/noticias/2011/12/01/interna_noticias,45559/mercado-imobiliario-investimento-e-uma-boa-opcao.shtml

    Ride, confrades. Ride alto. Gargalhem. Ou chorem aos borbotões.

    0
  • carlos 3 de janeiro de 2012 at 17:12

    desempregadas

    MATA ATLÂNTICA Antiga trilha indígena vale o passeio na Serra do Mar

    TV ESTADÃO Veja dicas para a prova de Português da Fuvest

    MÚSICA Calendário de shows de 2012 começa com várias atrações

    FUTEBOL Presidente do Cruzeiro garante que Montillo fica

    Notícia A+ A-Assine a Newsletter Tweet Tweet12

    Você está em Economia Produção industrial mostra contração pelo 7º mês seguido

    O índice PMI HSBC Brasil atingiu no último mês de 2011 a marca de 49,1 pontos, ficando abaixo dos 50 pontos que separam crescimento de contração 02 de janeiro de 2012 | 12h 46

    Francisco Carlos de Assis, da Agência Estado SÃO PAULO – A produção industrial brasileira manteve-se abaixo do patamar mínimo de crescimento em dezembro pelo sétimo mês consecutivo, segundo medição da atividade do setor conforme o índice de Produção Industrial (PMI) HSBC Brasil. O PMI atingiu no último mês de 2011 a marca de 49,1 pontos, em uma escala de 0 a 100 pontos, ficando abaixo dos 50 pontos que separam crescimento de contração.

    Na comparação com novembro, no entanto, mesmo tendo ficado abaixo da pontuação mínima que indica crescimento, a produção industrial de dezembro apresentou pequena melhora. No mês anterior, a atividade fabril havia atingido 48,7 pontos.

    A pesquisa de dezembro abordou os empresários e executivos de 400 empresas brasileiras do setor industrial.

    Segundo os economistas do HSBC e do Markit Economics Limited, empresa independente global especializada em pesquisas, “a deterioração mais recente refletiu principalmente quedas adicionais no volume de novos pedidos e no nível de emprego. No entanto, a taxa de redução do volume de novos trabalhos diminuiu em relação a novembro.”

    Os fabricantes brasileiros em grande parte atribuíram a deterioração de dezembro à demanda mais fraca por parte dos clientes. O volume de novos pedidos recebidos em dezembro caiu pelo nono mês consecutivo. As entradas de novos trabalhos provenientes do estrangeiro também caíram no mês passado. Os pedidos em atraso foram reduzidos pelo nono mês consecutivo. Os estoques de bens finais ficaram praticamente inalterados.

    Os entrevistados reduziram a quantidade de insumos comprados durante este período da pesquisa. Consequentemente, os estoques de insumos caíram pelo sétimo mês consecutivo. Em geral, a queda na atividade de compras foi atribuída às necessidades mais baixas de produção. Ao mesmo tempo, os prazos de entrega dos fornecedores aceleraram em dezembro, comparativamente ao modesto alongamento registrado em novembro.

    Emprego

    O nível de emprego na indústria voltou a cair em dezembro pela sétima vez consecutiva, de acordo com o PMI HSBC Brasil. Segundo o indicador, aproximadamente 6% dos entrevistados reduziram suas forças de trabalho em dezembro.

    Ainda de acordo com a pesquisa, que ouviu 400 empresários e executivos da indústria, menos de 2% das empresas contrataram pessoal adicional, com o nível de emprego, de um modo geral, caindo num ritmo sólido. Os entrevistados atribuíram predominantemente os níveis mais baixos de contratação a quedas nas vendas em dezembro.

    Os custos de insumos enfrentados pelos fabricantes brasileiros cresceram em dezembro. Além disso, a taxa de inflação no preço de insumos se intensificou no período e atingiu o recorde de alta em seis meses. Os aumentos nos preços dos plásticos e dos produtos alimentícios foram particularmente mencionados pelos entrevistados.

    Ao mesmo tempo, os preços de fábrica também aumentaram em dezembro, em comparação com a redução registrada em novembro. Os preços cobrados cresceram modestamente, com a taxa de inflação sendo a mais alta desde agosto.

    0
  • O Poeta da Bolha 3 de janeiro de 2012 at 17:12

    h t t p : / / estadodeminas.lugarcerto.com.br/app/noticia/noticias/2011/12/01/interna_noticias,45559/mercado-imobiliario-investimento-e-uma-boa-opcao.shtml

    Ride, confrades. Ride alto. Gargalhai. Ou chorai aos borbotões.

    0
    • O Poeta da Bolha 3 de janeiro de 2012 at 17:14

      Perdoai a dupla postagem – é o desgaste da lida com o vulgo. Rogo ao nobre moderador que apare meus excessos.

      0
  • carlos 3 de janeiro de 2012 at 17:14

    Prodocao industrial mostra contração pelo 7º mês seguido

    O índice PMI HSBC Brasil atingiu no último mês de 2011 a marca de 49,1 pontos, ficando abaixo dos 50 pontos que separam crescimento de contração 02 de janeiro de 2012 | 12h 46

    Francisco Carlos de Assis, da Agência Estado SÃO PAULO – A produção industrial brasileira manteve-se abaixo do patamar mínimo de crescimento em dezembro pelo sétimo mês consecutivo, segundo medição da atividade do setor conforme o índice de Produção Industrial (PMI) HSBC Brasil. O PMI atingiu no último mês de 2011 a marca de 49,1 pontos, em uma escala de 0 a 100 pontos, ficando abaixo dos 50 pontos que separam crescimento de contração.

    Na comparação com novembro, no entanto, mesmo tendo ficado abaixo da pontuação mínima que indica crescimento, a produção industrial de dezembro apresentou pequena melhora. No mês anterior, a atividade fabril havia atingido 48,7 pontos.

    A pesquisa de dezembro abordou os empresários e executivos de 400 empresas brasileiras do setor industrial.

    Segundo os economistas do HSBC e do Markit Economics Limited, empresa independente global especializada em pesquisas, “a deterioração mais recente refletiu principalmente quedas adicionais no volume de novos pedidos e no nível de emprego. No entanto, a taxa de redução do volume de novos trabalhos diminuiu em relação a novembro.”

    Os fabricantes brasileiros em grande parte atribuíram a deterioração de dezembro à demanda mais fraca por parte dos clientes. O volume de novos pedidos recebidos em dezembro caiu pelo nono mês consecutivo. As entradas de novos trabalhos provenientes do estrangeiro também caíram no mês passado. Os pedidos em atraso foram reduzidos pelo nono mês consecutivo. Os estoques de bens finais ficaram praticamente inalterados.

    Os entrevistados reduziram a quantidade de insumos comprados durante este período da pesquisa. Consequentemente, os estoques de insumos caíram pelo sétimo mês consecutivo. Em geral, a queda na atividade de compras foi atribuída às necessidades mais baixas de produção. Ao mesmo tempo, os prazos de entrega dos fornecedores aceleraram em dezembro, comparativamente ao modesto alongamento registrado em novembro.

    Emprego

    O nível de emprego na indústria voltou a cair em dezembro pela sétima vez consecutiva, de acordo com o PMI HSBC Brasil. Segundo o indicador, aproximadamente 6% dos entrevistados reduziram suas forças de trabalho em dezembro.

    Ainda de acordo com a pesquisa, que ouviu 400 empresários e executivos da indústria, menos de 2% das empresas contrataram pessoal adicional, com o nível de emprego, de um modo geral, caindo num ritmo sólido. Os entrevistados atribuíram predominantemente os níveis mais baixos de contratação a quedas nas vendas em dezembro.

    Os custos de insumos enfrentados pelos fabricantes brasileiros cresceram em dezembro. Além disso, a taxa de inflação no preço de insumos se intensificou no período e atingiu o recorde de alta em seis meses. Os aumentos nos preços dos plásticos e dos produtos alimentícios foram particularmente mencionados pelos entrevistados.

    Ao mesmo tempo, os preços de fábrica também aumentaram em dezembro, em comparação com a redução registrada em novembro. Os preços cobrados cresceram modestamente, com a taxa de inflação sendo a mais alta desde agosto.

    0
  • MINEIRO QUER BOLHA 3 de janeiro de 2012 at 17:51

    MrK, me explica essa euforia do mercado, Bolsa em alta, ação de Construtora em alta. A crise acabou?

    0
    • Leo 3 de janeiro de 2012 at 18:55

      Nao sou grande conhecedor do mercado mas entendo um pouco de analise tecnica. Olhando o grafico do IBOV, estamos em um triangulo e acabamos de encostar na linha de resistencia fazendo, se nao me engano, a 5a onda conforme a teoria das ondas de Elliott. Acredito que amanha ou nos proximos dias, comece a formaçao da onda A. Que dara inicio a queda, sendo: a-b-c ….

      Vamos ficar de olho para ver como o ibov vai se comportar.

      0
    • Anonymous 3 de janeiro de 2012 at 21:51

      Estamos vendo uma simples demonstração de Fé (acreditar sem ter evidêcias) baseado no fato do planeta Terra ter ultrapassado um posição arbitrária em relação ao Sol. A maioria se contenta em desejar Feliz Ano Novo nessa data.

      0
      • Cleyton 3 de janeiro de 2012 at 22:03

        Nada a ver isso aí Anonymous, se fosse pela posição arbitrária do sol, considerando que 2012 é bissexto e vamos tirar um dia (24h) a mais de “erro” em fevereiro, na verdade a “virada real” foi do dia 30 para o 31, ou seja, a cada ano a “virada” acontece 6 horas antes do ano anterior, e tem bocó fazendo contagem regressiva com relógio em hora local…

        Quando a crise desencadear o Ibov vai estar por volta dos 73k, ela sempre dá uma respirada antes de um mergulho sério.

        0
        • Leo 3 de janeiro de 2012 at 22:33

          Boa !!

          0
        • Anonymous 3 de janeiro de 2012 at 22:39

          Não importa se é ano bissexto ou qualquer outra coisa pois a posição da planeta em relação ao Sol continua sendo ARBITRÁRIA.

          0
          • Cleyton 4 de janeiro de 2012 at 10:34

            Pô cara, além de não ler meu post inteiro ainda fica se contra-argumentando! O ano sideral não é arbitrário, é o espaço entre duas culminações estelares…

            0
            • Anonymous 4 de janeiro de 2012 at 11:24

              Cleyton,

              Qualquer ponto de uma elipse pode ser escolhido como seu começo ou seu fim. O ano “sideral” também é arbitrário – não tem a menor importância ter sido ARBITRÁRIAMENTE definido por duas “culminações” estelares.

              0
              • Luiz 4 de janeiro de 2012 at 12:13

                parem de discutir, se os mayas estiverem certos, dentro de 1 ano não teremos nem terra, nem ano nem elipse
                happy last year pra vcs

                0
          • Fred Henrique 4 de janeiro de 2012 at 11:07

            O ano bissexto, para mim, significa que vou trabalhar um dia a mais antes de entrar de férias…

            0
    • Dr. Estranho 3 de janeiro de 2012 at 22:58

      Eu explico. As ações desvalorizaram tanto que as próprias empresas estão recomprando. Inclua aí as sociedades de economia mista. Na verdade as tiveram grandes baixas, mas encontram-se com caixa estão fazendo excelentes negócios. É claro que isso causa aumento do índice BOVESPA.

      0
    • MrK 4 de janeiro de 2012 at 05:13

      oi mineiro!

      Eh claro que a crise nao acabou! na verdade ela esta apenas comecando

      o que ocorre com as acoes eh que sempre depois que alguma acao cai muito (e essas cairam 50%, 60%…) existe uma turma louca pra comprar achando que existe um potencial de recuperacao, a turma do repique, normalmente essas acoes quando mostram qualquer subidinha essa turma ja pensa “opa! agora vai, compra logo!” e fazem essa alta, mas nao se engane, eh fogo de palha, esse pessoal tem folego curto e logo logo as acoes caem tudo de novo… a unica coisa que pode fazer esses papeis mudarem de direcao pra valer seria um balanco solido e lucros interessantes, atraindo investidores grandes…e isso ta longe…

      0
    • Nero 4 de janeiro de 2012 at 10:12

      Essa semana a revista exame publicou que as ações da Gafisa, por estarem muito baixas, são um bom negócio para 2012

      Isca pra sardinha.. daqui a pouco os tubarões realizam os lucros e tudo volta ao normal

      0
  • Vilma 3 de janeiro de 2012 at 19:39

    Poxa gente, preciso comprar minha casa e não consigo. Esses preços precisam baixar logo.
    A proprietária está pedindo a minha casa.

    0
    • bertz 3 de janeiro de 2012 at 22:32

      Em minha opinião nas grandes cidades o preço nem vai cair, deve até aumentar, mais precisamos garimpar oportunidades todos os dias, não só em notícias da internet, bater na porta mesmo do vendedor, e ver o que ele está disposto a fazer pelo negócio.

      Acompanho o blog a muito tempo e não vejo nexo nestas noticia pontuais como:

      Hoje disseram aqui vendas cairam 2,1% em relação ao ano passado.

      Aonde? qual tipo de imovel que caiu? quem esta deixando de vender? porque nunca estes pontos são colocados.

      Vejo um nível conhecimento absurdo aqui mais somente atras da tela do computador, não em experiências reais de compra e venda nunca vi um relato aqui como:

      Comprei meu imóvel hoje e paguei o que achava justo. Gente ficar esperando e lendo notícias todos os dias não irá baixar preço de imóvel nenhum, saiam na linha de frente de batalha e lutem pelo seu imóvel, guerra com o dono mesmo em meu caso sempre obtive frutos, estou esperando oportunidade de comprar novo negócio mais todo dia faço proposta indecente a algum proprietario, não a corretores sedentos por comissão ou sites que só anunciam os imóveis mais caros do bairro, um dia um que estiver realmente precisando vender e não só especulando vai te vender a preço justo.

      Podem procurar vão encontrar muitas coisas ótimas com certeza mais ficar colocando pedaços de matérias e pequenas notícias de bolha com certeza seu imóvel não vai fazer ploc e cair seu colo.

      0
      • DanielCM 4 de janeiro de 2012 at 03:51

        Bertz, sem querer colocar a sua tese por água abaixo, e já colocando, já tivemos relatos, sim, de alguns colegas que já entraram em contato oferecendo preços 30% abaixo da oferta e foram chamados para uma conversa de negociação (há alguns meses, 10% era tido como um insulto para os corretores). Só aí vemos que os colegas não estão apenas esperando uma baixa de preços, mas tbm que essa queda já está acontecendo (se é deslizando, aterrissando, desabando, são outros 500). Por outro lado, no que concordo com vc, a busca por um imóvel é uma batalha diária. Comprar uma casa não é como comprar uma roupa, que em uma saída no shopping resolve. São vários dias de cálculos, reflexões, visitas, diálogos com familiares, vendedores, seguir uma via crucis de formalidades etc etc). Se vc encontrou um imóvel a um preço que vc acha justo, que lhe atende e que está dentro das suas possibilidades (hoje e nos próximos anos, caso tenha financiado) ótimo! Eu mesmo já tive três achados, mas todos desistiram do negócio, pq, coincidentemente, ainda não tinham encontrado um novo imóvel por um preço razoável.

        0
        • bertz 4 de janeiro de 2012 at 11:24

          Ok Daniel, entendo tambem seu ponto de vista, vou te dar um conselho que vejo muito no mercado pode te servir ou pode descartar.

          1- Comprar de casais recém separados e estão em litígio. Estes estao em briga de vida e morte e qualquer coisa para se livrar da outra pessoa no caso o imóvel que ainda une estes dois valerá a pena. Sempre ouvem qualquer proposta.

          2- Briga em familia de partilha por herdeiros, mesma situação anterior onde tem sempre um que esta falido e quer vender por 3 o que vale 12.

          3- Imoveis com documentação enrolada, mais trabalhoso e nunca aconselharia para ser um a primeira e unica aquisição.

          4- Lugares movimentados em tipo ruas a avenidas de grande tráfego ninguem se interessa mais hoje com drywall e janelas acusticas com 3% do valor do imovél resolve o problema e estes são sempre bem localizados.

          5- Pessoas que pretendem ir para outras cidades (menores da atual), pois o valor do imovel estão olhando geralmente e bem menor e o sonho do sossego de vida de interior ou outro motivo vale a pequena desvalorização de seu atual imóvel

          Neste casos sempre achei excelentes opções de compra, vale a pena pesquisar o motivo da venda pois se não se encontrarem nos motivos acima aqueles que precisam vender por dinheiro mesmo fica na mão de pessoas próximas ou dos donos de imobiliaria mesmo.

          0
      • augusto 4 de janeiro de 2012 at 10:50

        Consulte as pesquisas feitas pelo creci sp, com dados fornecidos pelas imobiliarias e veja que as vendas despencam pelo menos no estado de SP.
        A pesquisa do fipe zap, é feita com bases em anuncios em jornal, e é bastante falha, pois usa fontes não confiáveis

        0
  • Pedro Bolha 3 de janeiro de 2012 at 20:24

    Não tem jeito, a bolha está estourando. Acredito em queda de preço de 30% a 40% e estagnação ou subida leve por uns 8 anos pelo menos, período em que o senso comum dirá que imóvel é “mau negócio”. No momento estou 100% em renda variável, tendo montado o grosso da carteira do fim do ano pra cá. Acredito que IBOV deva ficar de lado e bem volátil (45 – 70K) por um bom tempo, talvez uns 6, 8 ou até 10 anos. Nesse período estarei comprando ações em períodos de baixa, reaplicando dividendos e rendas de eventuais lançamentos cobertos e ajustando a carteira de modo a acumular uma boa poupança. Inevitavelmente chegará o bull market de verdade, que levará IBOV bem além dos 300k pontos. Então, só então, em algum momento, poderei comprar imóveis em leilão.

    0
  • bertz 3 de janeiro de 2012 at 20:43

    Sim Sr Ninja o Abc é somente o terceiro mercado do Brasil em potencial de consumo, perde sim para SP mas outra coisa na Av dos Estados fica com 30% apenas no ABC, outros 70% estão em SP, onde nunca encheu, nem a Av Aricanduva não enche as Marginais também em frente ao Mercadão qual av é mesmo? Dos Estados? se não me engano, talvez não vou perguntar ao Datena ele conheçe onde tem enchente.

    Outro ponto SP é uma cidade limpinha, sem transito, sem drogados na rua, sem roubos, sem poluição, digite o cep 09240-000 no maps e veja minha rua como é um lugar horrível aqui no interior do ABC, SP é ótimo lugar para viver, principalmente sabendo que com 500k voçe compra ap de 30m2 e 6000 mil por m2 ótimo mesmo morarando centro do transito do Brasil,por este valor aqui da para comprar cobertura de 200m2, mas a cobertura pode encher né? mesmo assim prefiro meu lixo de cidade Santo Andre.

    O que todos aqui se referem é o custo X benefício e preço justo, com qualidade de vida.

    Agora vou ver o climatempo se não vai chover, para que não corra perigo,pois vou levar minha filha de 5 anos andar de bicicleta em frente minha casa no asfalto plano novo e sem buracos, pois aqui é interior e não passa muito carro, ruim né?

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK……..

    0
  • Shakespeare 3 de janeiro de 2012 at 23:19

    Refinancing Gets Even More Attractive

    By AnnaMaria Andriotis | The Wall Street Journal – Mon, Jan 2, 2012 1:49 PM ESTShare75EmailPrintHomeowners who have resisted the urge to refinance their mortgages until now could be rewarded for their willpower. Mortgage rates have fallen to new lows—and banks are rolling out incentives to win business.

    Economic uncertainty in Europe and slow growth in the U.S. are prompting investors to pile into ultrasafe U.S. Treasurys. That, in turn, is pushing down mortgage rates, which are tied to Treasurys.

    The average interest rate on a 30-year mortgage fell to 4.05% for the week ended Dec. 23, the lowest in 60 years, according to HSH Associates, a mortgage-data firm. And rates on jumbo mortgages—private loans that in most parts of the country are larger than $417,000—also have hit new lows, averaging 4.61%.

    “It’s hard to argue rates will get much lower than they are today,” says Stuart Gabriel, director of the Ziman Center for Real Estate at the University of California, Los Angeles.

    That’s good news for homeowners. A person who refinanced a $400,000 30-year mortgage in February would pay an interest rate of 5.04% on average, according to HSH Associates, and fork over $2,157 a month; at the current rate of 4.05%, he’d save $236 per month, or $2,830 per year.

    [More from WSJ.com: The Investing Landscape for 2012 Could Be Rough]

    What’s more, demand for refinancing is declining, since many homeowners already took advantage of lower mortgage rates. Applications for refinancing are 17% below this year’s peak in September, according to the latest data from the Mortgage Bankers Association.

    That and other factors have prompted some lenders to offer incentives to win new business—particularly regional and community banks, which are focusing more on jumbo mortgages, says Stu Feldstein, president at SMR Research, which tracks the mortgage market.

    The discounts can be sizable. Regional bank Valley National Bank charges homeowners in New Jersey and eastern Pennsylvania a flat fee of $499 for closing costs on mortgages as large as $1 million. Since average closing costs on a refinance run about 2% of the total loan amount, a person with an $800,000 mortgage could save about $15,500.

    [Click here to check home equity rates in your area.]

    A spokesman for the bank says it is aggressively marketing the discount in part to bring in more customers.

    While many lenders don’t refinance mortgages that are larger than about $2 million, Union Bank—which has branches in California, Oregon and Washington—refinances up to $4 million at no extra cost. (Many banks that refinance multimillion-dollar mortgages tack up to an extra quarter of a percentage point on the interest rate.)

    Since November, Union Bank has also allowed borrowers to roll the costs of a refinance, like the appraisal fee and loan processing fee, into the mortgage. And borrowers whose original mortgage is from Union Bank don’t have to provide all of the income documentation that other customers do in order to refinance.

    In part, the bank’s goal is to develop relationships with high-net-worth clients, says Stuart Bernstein, national production manager of residential lending at Union Bank.

    Despite the incentives, many would-be applicants remain sidelined because they can’t meet the long list of qualifications.

    [More from WSJ.com: Aging and Broke, More Lean on Family]

    The home-equity requirement is one of the toughest hurdles, says Mr. Feldstein. Homeowners with at least 10% home equity make the cut, but people with less have a tougher time.

    Borrowers with 10% to 19% equity in their home usually have to buy private mortgage insurance, whose cost varies based on many factors, including their credit score. A borrower with 15% equity and a FICO credit score above 720 could pay 0.44% of the total loan amount, says Keith Gumbinger, vice president at HSH Associates. On an $800,000 loan that would be $3,520 a year—eating into the potential savings of a refinance.

    In December, the federal government rolled out a revamped version of the Home Affordable Refinance Program with relaxed home-equity requirements, to allow more borrowers to refinance. To qualify, the current mortgage must be owned or guaranteed by Freddie Mac or Fannie Mae, and borrowers need to be mostly current on payments.

    For regular refinancing, applicants need a FICO credit score of at least 740 to get the best rates, says Mr. Gumbinger. And they must provide copious documentation, including at least two years’ worth of tax returns and proof of income as well as recent statements for assets such as retirement and brokerage accounts.

    [More from WSJ.com: Price of Getting a Credit Card Is Paying Expired Debt]

    After clearing those hurdles, you might wait about 60 days for refinancing to be completed, says Mr. Gumbinger—longer than the typical 45 days. While some lenders are offering 60-day rate locks for free, others charge a quarter of a percentage point of the total loan amount for the service. On an $800,000 mortgage, that’s $2,000.

    Or you could opt to take your chances with a free 45-day lock and hope rates don’t spike between day 46 and the date your loan closes. With the euro zone still in economic crisis and global investors rushing to the safety of U.S. Treasurys, housing-market analysts say it could be at least six months before rates rise significantly.

    0
  • JCH 3 de janeiro de 2012 at 23:23

    Regiao do cruzeiro velho, super bem localizado, mas nao e plano piloto, e ainda peca por desastrosa (anti)arquitetura das casas geminadas, em lotes de +/- 180/200m. Aqui 900 mil virou lugar comum das casas “melhorzinhas”. Aquelas caindo aos pedacos custam bagatelas de 500 mil. E o pior que ja vi duas dessas de 500.000 serem vendidas (2008/2009). O novo dono de uma reformou quase tudo, o outro derrubou a casa para fazer outra. Inflaram os precos, mas no ultimo ano, pelo menos aqui perto, ninguem vendeu mais.

    0
    • DanielCM 4 de janeiro de 2012 at 00:27

      aí é que tá. quem comprou de 500k fez uma reforma ou reconstruiu, com o intuito de vender por 900k (ou mais, já que “imóvel sempre valoriza”). só que esqueceram de combinar com o deus mercado.

      0
      • JCH 4 de janeiro de 2012 at 08:44

        Nos casos que citei, as casas foram adquiridas para morar mesmo, nao para investir, mas os precos absurdos, sem contar megareforma/construcao, sao impressionantes (assim como a coragem de quem adquiriu).

        0
    • Moyashi 4 de janeiro de 2012 at 11:24

      Putz, 900k pra uma casa no Cruzeiro é f…

      Acho que a vantagem do Cruzeiro é só a simpatia das pessoas, por que pra se movimentar dali em horário de pico vai ter que pegar aqueles engarrafamentos monstruosos do Eixo Monumental… Se eu tivesse que voltar a morar em BSB, alugaria na Asa Sul ou Norte. Mas tem que saber quais quadras não tem aqueles dejetos humanos do crack…

      0
      • JCH 4 de janeiro de 2012 at 21:46

        Essa insanidade esta fazendo muita gente achar que ficou rica com a valorizacao do seu teto! Mas os salarios continuam os mesmos…

        0
  • Neo 3 de janeiro de 2012 at 23:56

    Presente de Natal chinês

    Traduzido:

    Para a China, o ano de 2012 será o mais “imprevisível, complicado, triste e difícil” ano desde a crise financeira há três anos, disse ele.

    http://www.chinadaily.com.cn/china/2011-12/25/content_14322902.htm

    0
    • Moyashi 4 de janeiro de 2012 at 11:26

      Ano do Dragão… ha ha ha… só não sabemos o que ele vai cuspir ao invés de fogo…

      0
  • MrJaime 4 de janeiro de 2012 at 02:24

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,preco-de-imoveis-encerra-2011-com-alta-de-26,98141,0.htm

    Dois Pontos importantes:

    1) Durante o segundo semestre, o índice FIPE/ZAP indicou desaceleração dos preços dos imóveis em *todo o Brasil*.

    2) Pela primeira vez, desde o início da série histórica, Brasília sofreu DESVALORIZAÇÃO de imóveis em dezembro/2011.

    0
  • DanielCM 4 de janeiro de 2012 at 04:16

    cineblog – parte 2 – o retorno

    qualquer semelhança é mera coincidência

    youtube . com /watch?v=6yJvAR-5WaE

    0
  • MrK 4 de janeiro de 2012 at 05:25

    bertz,

    Eu entendo seu ponto de vista, creio que essa estrategia de esperar pela bolha estourar somente pode ser executada por quem nao tem pressa de comprar um imovel, o motivo eh simples: Ninguem sabe precisar quando os precos cairao. Pode demorar 6 meses, 12 ou 18, somente pode bancar isso quem nao tem problema de viver de aluguel por algum tempo, trata-se portanto de uma escolha pessoal!

    Eu acredito sim que precos irao cair e bem, na minha opiniao ainda esse ano, mas se atrasarem muito as obras atuais e se o governo fizer das suas, o estouro pode ir sim pra 2013, mas veja, eh inevitavel o estouro ja que o mercado esta travado, sem vendas e com muitos imoveis em construcao, eh apenas uma questao de tempo.

    Particularmente, eu acho que vale a pena esperar1 ano ou mais que seja, para economizar 30% na compra mais cara da sua vida, penso eu que errar o timming com imovel eh a pior coisa que pode acontecer na vida financeira de alguem.

    Todo imovel em construcao sera um imovel a mais no mercado, seja por repasse, seja porque o dono vai abandonar o antigo para morar no novo, ou seja, vem muita oferta pra um mercado sem demanda e de familias endividadas, a consequencia disso a lei da oferta e procura ja explicou inumeras vezes, mas eh vital que se tenha paciencia!

    0
  • MrK 4 de janeiro de 2012 at 05:47

    E o Fipe-zap de dezembro?

    Todo mundo sabe que o FipeZap mostra uma foto distorcida da realidade, os motivos ja foram debatidos a exaustao aqui, entretanto, mesmo nesse “mundo cor-de-rosa” comecamos a ver coisas interessantes…

    1- O Indice vem desacelerando forte mes apos mes, nesse ritmo vai perder de um fundo DI ja ja…
    2- No Rio, varios bairros “nobres” da zona sul apontaram queda em Dezembro, alguns ja acumulam queda ha 2 meses consecutivos, outros voltaram ao preco de junho/2011, mostrando que estao sem folego pra subir.

    Fica a pergunta: Se no FIPEZAP a coisa ja esta assim, como estara no mundo REAL???

    0
    • Leo 4 de janeiro de 2012 at 08:45

      Os preços realmente esta caindo. Eu morava em um AP no Leblon e lembro do porteiro comentando que ofereceram 1.200.000 para um proprietario e ele nao vendeu. Passei ontem la p/ pegar algumas correspondências e perguntei sobre os preços, ele disse que a pouco tempo um proprietario tinha vendido um por 900k.

      0
      • MrK 4 de janeiro de 2012 at 08:57

        Leo, veja como as coisas sao interessantes

        no predio onde eu morava tinha um ap a venda por 900mil (gavea), ficou vendendo 6 meses e nada…nada… o condominio la custa caro, entao o dono desistiu e botou pra alugar, conseguiu alugar. Logo apos um outro ap entrou a venda por 1.1milhao… esta ha 7 meses e nada, continua ate hoje, eis que soube que o dono do meu antigo ap, no mesmo predio, esta pedindo agora 1.3milhao no imovel, pois considera a coluna e o andar melhores em relacao ao de 1.1milhao.

        Em resumo: NAO venderam por 900mil, NAO venderam por 1.1milhao e NAO venderam por 1.3milhao…

        Mas pro FIPEZAP o predio valorizou 44% (900mil pra 1.3milhao) hahahahaha!!!

        o preco REAL desse predio sera conhecido quando um ap for realmente VENDIDO, e algo que me diz que sera, com sorte, na casa de R$800mil, pra voces verem o tamanho do abismo entre delirio e realidade

        0
        • Atribulado 4 de janeiro de 2012 at 11:03

          E mesmo assim era um ap de 400 mil até pouco tempo atrás…

          0
        • Luiz 4 de janeiro de 2012 at 11:35

          Mrk aqui em SP tem um famoso flat no Anhembi do lado do sambódromo
          A construtora fez de forma a vender com lucro por 25k, isso no ano dois mil e poucos, logo saltou p 50k, tudo vendido, os repasses começaram a ser vendidos por 100k, 150k em 2006 mais ou menos. Daí começou a loucura, chegou a bater anuncio de mais de 300k, só relembrando um flat.

          Mas como a renda do aluguel está sendo decepcionante, já estão falando em valor de venda de 140k e caindo.

          0
    • TH 4 de janeiro de 2012 at 08:58

      A valorização no Rio de Janeiro em Dezembro de 2011 foi a mais baixa desde maio de 2009

      0
  • Profeta do Apocalipe 4 de janeiro de 2012 at 06:02

    Ai galera, o que acham disso que venho batendo a meses. apesar de participar pouco tou ligado no blog. leio sempre.. esse etanol ta acabando com a competitividade do nosso pais. acabando nao, piorando demais o que ja era ruim… que pais de merda…

    Gasolina deve ficar mais cara nos próximos dias

    Ter, 03 de Janeiro de 2012

    O presidente do Sindicato do Comércio de Combustíveis da Bahia (Sindicombustíveis-BA), José Augusto Costa, anunciou que a gasolina deve ficar mais cara nos próximos dias. Ainda não há previsão para o índice de reajuste, mas o aumento pode ocorrer a qualquer momento, segundo Costa.

    O presidente do sindicato afirmou que os postos repassarão o aumento do litro do combustível, que deverá sofrer reajuste ainda este mês pelas distribuidoras. O período de entressafra da cana-de-açúcar no centro-sul – região onde há maior produção do item – é apontado como causa para o aumento de preço do combustível, que deve acontecer em todo o país.

    “Quando ela (a safra de cana-de-açúcar) acaba, a gente tem uma dificuldade muito grande (no abastecimento). O momento mais dramático será de agora, início de janeiro, até o final de abril, que é o período em que teremos dificuldade de quantidade de produto suficiente para o mercado. Vamos apenas repassar aos consumidores o valor do reajuste dos distribuidores”, declarou Costa.

    Atualmente, o preço médio do litro de gasolina em Salvador é de R$ 2,79. Cada litro é composto por aproximadamente 20% de álcool. A assessoria de imprensa da Petrobras informou não haver até o momento nenhuma informação sobre a mudança de preços na refinaria. As informações são do Jornal A Tarde.
    Adicionar comentário

    0
    • Neo 4 de janeiro de 2012 at 10:24

      Salario minimo subiu, sobe tudo

      Wellcome to inflation

      0
  • Menino_do_Rio 4 de janeiro de 2012 at 09:27

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/precos-de-imoveis-tem-forte-desaceleracao

    Avaliando esta notícia eu concluo que mesmo com os preços no máximo e o mercado travado os imóveis valorizam 1,1%.
    Este foi o motivo que me fez investir em imóveis no meio de 2007, não queria que o PT usasse minhas suadas economias para fazer “inclusão social” eleitoreira. Daqui para frente as poupanças serão corroídas pela inflação (imobiliária e serviços) e pela diminuição da remuneração dos investimentos.
    Mas pelo menos esse “socialismo” com o dinheiro de quem poupa pensando no futuro tem data marcada para acabar: o início do 2o. mandato do Lula. Até lá acredito em valorização acima do CDI + aluguel.

    0
    • MrK 4 de janeiro de 2012 at 11:23

      Menino, o problema que este 1.1% em nada se fala com a realidade, uma coisa eh o seu fundo de investimento render isso, pois no dia seguinte voce pode ir e sacar esse rendimento, mas com imoveis nao funciona assim

      veja o caso que relatei logo acima sobre meu antigo predio na Gavea, essa eh a realidade desse “aumento”, um proprietario pede mais que o outro e vai subindo o preco, mas no fim ninguem vende, quando quiserem vender vao precisar dar um belo desconto e esse 1.1% vai por agua abaixo junto com outros 15% ou 20% que voce achava ter…

      quanto a ter comprado em 2007, lhe dou os parabens, pois esse foi um bom negocio, espero que seu timming de saida seja tao com quanto o seu timming de entrada, desejo sorte de verdade, abs!

      0
      • Luiz 4 de janeiro de 2012 at 11:54

        a gente fala em numeros, tendencias, mercado, cambio, fundos
        Mas a realidade é que imóvel tem muito do pessoal.

        explico pelo exagero:
        pra mim um sítio não vale nada, não sei plantar, não sei cuidar, odeio viver no mato
        um apê no rio, é quase a mesma coisa, tenho a aversão a cultura local tanto quanto a pernilongos
        por outro lado, carnaval, sol de rachar, bagunça é sonho de viver de muita gente.

        Vender ou comprar uma casa especificamente tem muito disto do viés pessoal, o que vale 1 milhaõ pra um vale 100 mil pra outro, então além do timing que o mRk bem fala, tem esse outro viés de achar a casa/pessoa certa, na hora certa, no lugar certo

        desejo bons achados a todos em 2012

        0
      • Menino_do_Rio 4 de janeiro de 2012 at 12:26

        Caro MrK,
        pretendo vendê-los entre 2016 e 2018 (caso o PT continue no poder). Quanto ao ganho/liquidez defini que teria que ser maior que o CDI + aluguel. A velocidade da venda vem com o tipo de bairro que escolhi (Copa e Flamengo). Os índices do ZAP servem apenas como máximos que eu ganharia, mas tb acho que não conseguiria este ganho (34.9% em 2011 no Rio). Talvez usarei este índice para dar de “desconto” ao comprador.

        0
    • Anonymous 4 de janeiro de 2012 at 12:38

      Menino,

      Antes de acreditar no próximo mandato do Lula, comece acreditando que ele vai vencer o cancer.

      Lula chega a hospital para iniciar radioterapia contra câncer
      www1 . folha . uol . com . br/poder/1029725-lula-chega-a-hospital-para-iniciar-radioterapia-contra-cancer . shtml

      0
      • augusto 4 de janeiro de 2012 at 13:10

        Como o destino é irônico, no moluscão o câncer foi atacar justo a região onde estão as cordas vocais. Se conseguir sobrepujar a doença o que convenhamos é muito dificil em carater definitivo, correrá um risco de não poder falar normalmente. Pelo menos neste último caso ficaremos livres de suas baboseiras e mentiras

        0
  • mauraosp 4 de janeiro de 2012 at 10:12

    Preços de imóveis têm forte desaceleração
    Alta no Rio de Janeiro foi a menor em 2 anos e 8 meses; preço cai no DF pela primeira vez desde 2008

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/precos-de-imoveis-tem-forte-desaceleracao

    Se a mídia está falando, é porque a coisa ta ficando feia.
    Tenhamos paciência …… BOOOOMMMMMM e não só ploc

    0
  • Fabricio 4 de janeiro de 2012 at 11:25

    h t t p://www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?tl=1&id=1209141&tit=Grupo-Tha-e-vendido-para-fundo-americano

    0
  • ICF 4 de janeiro de 2012 at 11:45

    Imóvel nāo baixa de preço ??
    Vejam no link abaixo…apartamentos à venda com desconto de 40% em cima do preço praticado no lançamento (2008). Vejam bem, 40% do preço de 2008!!! Por pouco mais de R$1.000.000,00, compra-se este belo ap na beira-mar de Miami. Aqui na minha cidade tá difícil encontrar apartamento razoável por este valor! E lá, ainda pode financiar com um juro muito menor que o daqui.

    http://www.imoveismiami.com.br/comprar-apartamento-miami-trump-towers.php

    0
  • Ninja Pensador 4 de janeiro de 2012 at 11:48

    Rio, Recife e São Paulo lideram alta de imóveis em 2011, aponta FipeZap
    Média nacional de valorização foi de 26% no ano; índice usa unidades anunciadas na internet.
    Os imóveis do Rio de Janeiro, Recife e São Paulo foram os que mais subiram de preço em 2011, entre as sete regiões metropolitanas pesquisadas pelo índice FipeZap, calculado a partir do preço de cerca de 150 mil unidades selecionadas entre os anúncios do site Zap Imóveis. A capital carioca registrou a maior alta, de 34,9%, seguida pela pernambucana (30,7%) e pela paulista (27%). A menor elevação foi medida em Salvador, onde a variação foi de 6,8%.
    Assim como nos últimos anos, os apartamentos pequenos tiveram as maiores valorizações. No Rio, o preço dos imóveis de um dormitório acumula alta de 177% desde janeiro de 2008, data de cálculo mais antiga do índice. Em São Paulo, as unidades de um e dois quartos empatam na liderança, com 139% e 136% de alta no mesmo período. “Tem havido maior demanda da classe média e da população jovem, que muitas vezes compra o primeiro imóvel e busca unidades menores”, diz Eduardo Zylberstajn, pesquisador da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e coordenador do índice.

    Mas o ritmo de valorização tem diminuído nas regiões pesquisadas. Em dezembro, os imóveis de São Paulo tiveram aumento médio de 1,4%, a menor taxa desde maio de 2010. No Rio de Janeiro, o aumento no mês passado foi de 1,1%, o mais baixo desde abril de 2009. No Distrito Federal, dezembro trouxe a primeira queda de preços desde o início da série histórica do FipeZap, com baixa de 2,2%.

    “O preço dos imóveis subiu muito nos últimos três anos, não é razoável que um mercado fique num ‘boom’ por tempo indeterminado”, afirma Zylberstajn. “Parece que o mercado imobiliário está se aproximando de uma condição de equilíbrio.”

    Assim, a previsão é de que a valorização seja menor em 2012. “Dado o conjunto de informações que temos, o mercado deve desacelerar neste ano, mas não dá para dizer o tamanho dessa desaceleração. O que dá para ver é que em janeiro de 2011 o preço subia 2% e em dezembro ele subiu 1,1%”, aponta Zylberstajn. A média nacional de valorização em 2011, de acordo com o FipeZap, foi de 26%.

    Outro indício de que os valores tendem a subir menos em 2012 é a chamada taxa de aluguel, relação entre os preços anunciados de venda e aluguel de um imóvel. O índice variou para baixo nas principais regiões metropolitanas. Em São Paulo, por exemplo, a taxa passava de 0,7% em janeiro de 2008. Ou seja, quem tivesse um imóvel de R$ 100 mil, normalmente alugava por pouco mais de R$ 700. Agora, a mesma taxa é calculada em 0,52% pelo FipeZap.

    Para Zylberstajn, a taxa não está “baixa demais”, e sim mais próxima de um equilíbrio baseado em fundamentos econômicos. Dessa forma, quem compra imóveis ainda consegue alugar e ter um retorno compatível com o investimento. “Em termos de investimento para o comprador, essa taxa tem de ser comparada com o rendimento do CDI descontada a inflação. Ou seja, 0,5% é razoável”, diz. “Baseando-se nesse indicador, pode-se dizer que não está havendo uma alta exagerada dos preço dos imóveis, na maioria dos casos.”

    Brasília é a mais cara
    A pesquisa mostrou ainda que, na média, o metro quadrado do Distrito Federal é o mais caro do país, com valor de R$ 7.919. Na sequência vêm Rio de Janeiro (R$ 7.421) e São Paulo (R$ 6.066). Quando o indicador é desmembrado por tipos de apartamento, o metro quadrado mais caro dp País torna-se o dos imóveis de quatro quartos no Rio de Janeiro, com preço médio de R$ 9.540. Em São Paulo, onde o índice usa 90 mil imóveis anunciados para fazer o cálculo, um apartamento de um dormitório custa, em média, R$ 6.919 por metro quadrado – no de dois quartos, o valor é de R$ 5.306.
    http://economia.ig.com.br/financas/casapropria/rio-recife-e-sao-paulo-lideram-alta-de-imoveis-em-2011-aponta-fi/n1597509386482.html
    Ainda tem gente achando que se trata de um “soft landing” mas apesar da alta em 2011 o final do ano já deu mostras que o mercado já não está tão bom quanto as construtoras projetavam.
    Abraços

    0
  • Ze Bom Dirolo 4 de janeiro de 2012 at 12:10

    Um, dois, o freddy vai te pegar…
    Três, quatro, melhor fechar o quarto…

    0
  • Ze Bom Dirolo 4 de janeiro de 2012 at 12:19

    É, realmente não existem tantos compradores como se imagina. Quem não quiser perder muito dinheiro terá que abaixar um pouco o preço do seu imóvel e vendê-lo agora no início de 2012 enquanto ainda tem uns poucos para comprar, porque no final de 2012 o negócio vai tá brabo.
    Uma vez vi um programa norte-americano em que mulheres vendiam os imóveis depois de terem uma noite com os compradores. Será que vai acontecer isso no Brasil?

    0
    • Felipe 4 de janeiro de 2012 at 12:26

      Aqui não vai poder vender dessa forma pq seria venda casada.

      0
      • Neo 4 de janeiro de 2012 at 13:03

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        0
      • Neo 4 de janeiro de 2012 at 13:04

        Aqui quem fode o vendedor é o LEAO

        0
        • Ze Bom Dirolo 4 de janeiro de 2012 at 20:06

          Acho que vou fazer uma música…
          Vai Reginho….

          Eiiiii…tu qué vendê?
          Quero não.
          Não qué puquê?
          Por nada não.
          Tu qué locá?
          Nâo qué puquê?
          Vou não… quero não… posso não, financiei um milhão….

          0
  • Luiz 4 de janeiro de 2012 at 12:52

    pra quem acompanha a novela gafisa

    retrospectiva dos ultimos capitulos:
    desabou 20% semana passada, mas subiu quase 10% nesses 2 dias

    Hoje:
    dowjones de NY está realizando lucro nela, vai começar a desabar denovo

    0
  • Ze Bom Dirolo 4 de janeiro de 2012 at 12:53

    Ou uma transação…
    Boas trasações para vcs em 2012.

    0
  • Carlos Eduardo 4 de janeiro de 2012 at 13:31

    um off topic

    queria sugerir aos senhores um filme de comédia pastelão!

    chamado idiocracia!
    o filme faz comedia com a queda na capacidade intelectual das pessoas e como essa vão ficando burras com o tempo!

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Idiocracy

    qualquer semelhança com o brasil é mera coincidência!

    ; ) bom divertimento!

    0
  • Drope 4 de janeiro de 2012 at 14:08

    Apenas paras ilustrar uma situação que acompanhei, não acho que seja relevante, acredito até que demonstre mais uma falta de visão do comerciante que qualquer outra coisa.

    Tomo café da manhã esporadicamente em uma dessas dezenas de casas que vendem mate+pão de queijo aqui no Rio. No início Dezembro a promoção de 2 pães de queijo + mate subiu de 2,40 para 2,50. Sem problemas, afinal já fazia bastante tempo que o preço era aquele e até fazia sentido aumentar.

    Duas semanas depois eu volto lá e me surpreendo, o preço subiu de 2,50 para 2,60. Comentei com a caixa ” ué subiu de novo”, ela deu uma risadinha sem graça e ficou por isso mesmo.

    Já tinha até me acostumado com os 2,60 da promoção, quando hoje, o preço aumentou novamente de 2,60 para 2,70!!! Como dizem: “ano novo, vida nova”.
    Já comecei a me lembrar dos tempos de hiper inflação quando isso era coisa do dia-a-dia.

    Espero que pare por aí. E se considerarmos o aumento total ele fica próximo do que foi dado ao salário mínimo… Seria melhor ter sido feito tudo de uma vez do que aos poucos, mas isso é outra história….

    Abs,

    0
    • MUCA CG MUITA TRETA 4 de janeiro de 2012 at 21:48

      Percebi esses aumentos em centavo quando fui tomar uma casquinha no MC. Numa semana era 1,50. Na outra, 1,75. 0,25 nem é nada, mas percentualmente é quase 20%.

      0
      • Ze Bom Dirolo 5 de janeiro de 2012 at 02:29

        Fui na casa das tia semana passada Uma tal de Sabrina Sedex10 disse que era 30. Ontem voltei lá e ela falou que tava 45. Parece pouco, mas demonstra claramente a inflação. O negócio é investir na China. Já pedi para trazer de lá uma réplica da Silvia Saint com reforço de couro, acabamento de nylon e uma caixa de um hipoglós de Taiwan.

        0
        • Marcelo 7 de janeiro de 2012 at 17:10

          Barbearia que frequento ja aumentou 12,5% o corte de cabelo, mas a inflacao pro governo foi so 6,5%.

          0
  • Davi 4 de janeiro de 2012 at 16:34

    Não tem bolha não ….
    ===================

    Fonte: Broadcast Agencia Estado

    16:01 VALORIZAÇÃO DE IMÓVEIS USADOS EM SP É DE 175% EM DOIS ANOS, DIZ LELLO

    São Paulo, 4 – Os preços dos imóveis residenciais comercializados na capital paulista valorizaram em até 175% nos últimos dois anos, segundo levantamento da empresa de administração imobiliária no Estado de São Paulo, Lello. A pesquisa analisou apartamentos de dois dormitórios, que registram maior procura na cidade, entre 50 e 100 metros quadrados em prédios com mais de cinco anos de existência e área de lazer, localizados nas regiões de Perdizes, Jardins, Santana, Mooca e Tatuapé. Os imóveis foram comercializados em 2009, retornaram ao estoque da administradora e foram revendidos em 2011.

    De acordo com a Lello, em nota, o valor médio do metro quadrado dos apartamentos nessas cinco regiões, foi de R$ 4,97 mil em 2011, com um aumento médio de 56,6%. “Isto significa que há dois anos o valor médio do metro quadrado do tipo de imóvel usado mais procurado na cidade era de R$ 3,1 mil, aproximadamente”, disse a administradora.

    O pico de valorização de preços foi registrado na região da Mooca, de até 175%, com média de 80%. Na área do Tatuapé, os apartamentos usados de dois dormitórios tiveram valorização de até 93%, com média de 56%. Já na região de Perdizes a valorização máxima observada foi de 86%, e a média, 51%. Na área dos Jardins a valorização média foi de 52% e, em Santana, de 51%, com picos de 54%.

    “A revitalização de bairros e a expansão da malha metro-ferroviária, aliada à alta demanda, ajudaram a valorizar o mercado imobiliário paulistano, que se tornou, mais do que nunca, uma excelente opção de investimento”, afirmou a diretora da Lello Imóveis, Roseli Hernandes, no comunicado. Segundo ela, na média, a rentabilidade bruta para quem comprou há dois anos foi
    de 2,35% ao mês, chegando, em alguns casos, a 7,3%, como no caso de apartamentos da região da Mooca.

    2012

    Para o ano, a Lello acredita que o imóvel continuará sendo uma boa aposta de investimento “seguro e rentável”. A tendência será de concorrer mais intensamente com os investimentos em renda fixa, cuja rentabilidade tende a cair com a redução da taxa Selic. “Não há bolha no mercado imobiliário, uma vez que ainda há farta disponibilidade de crédito e a demanda continua alta. Por isso não temos indicativo de que haverá qualquer redução no preço de imóveis usados. Pelo contrário, eles continuarão se valorizando, sendo ótima opção para investimento em locação e revenda”, declarou Hernandes.

    A diretora da Lello lembrou, ainda, que o preço médio do metro quadrado dos imóveis usados em São Paulo, maior cidade do país, ainda é bastante inferior às principais capitais mundiais, como Lisboa, Xangai, Moscou, Berlim e até mesmo a Cidade do Cabo. “Isso significa que ainda há espaço para a elevação dos valores”, completou a diretora. (Suzana Inhesta)

    0
    • Shakespeare 4 de janeiro de 2012 at 19:44

      “A diretora da Lello lembrou, ainda, que o preço médio do metro quadrado dos imóveis usados em São Paulo, maior cidade do país, ainda é bastante inferior às principais capitais mundiais, como Lisboa, Xangai, Moscou, Berlim e até mesmo a Cidade do Cabo”

      Mas temos que lembrar que aqui moram brasileiros, com salários brasileiros, carga tributária brasileira e não portugueses, chineses, russos ou sulafricanos…

      0
  • Ze Bom Dirolo 4 de janeiro de 2012 at 20:12

    Acho que vou fazer uma música…
    Vai Reginho….

    Eiiiii…tu qué vendê?
    Quero não.
    Não qué puquê?
    Por nada não.
    Tu qué locá?
    Nâo qué puquê?
    Vou não… quero não… posso não, financiei um milhão….

    0
  • Leo 5 de janeiro de 2012 at 00:16

    Sera que vale um novo Topico ?

    ————————————————————————————-
    Ouviu esse barulho? Trata-se daquele som familiar de mais uma bolha gerada pela expansão monetária de um banco central estourando.

    Após anos de especulação, parece que toda a agressiva expansão monetária engendrada pelo Banco Central da China finalmente está apresentando a conta para aquele país outrora comunista. Como explicou Mises em sua famosa passagem em Ação Humana (cap. XX, sec. 8):

    Não há meio de evitar o colapso final de um boom provocado pela expansão de crédito. A única alternativa é entre uma crise que virá mais cedo, provocada pela decisão voluntária de não se expandir mais o crédito, ou mais tarde, em decorrência de uma total e decisiva catástrofe de todo o sistema monetário.

    No jornal britânico The Telegraph, o experiente jornalista Ambrose Evans-Pritchard escreve:

    É difícil obter dados confiáveis sobre a China, mas sabemos que algo está definitivamente errado quando o Homelink, um website sobre imóveis daquele país, obtém a permissão de noticiar que os preços dos imóveis novos em Pequim caíram 35% em novembro em relação ao mês anterior. Se tal informação for verdadeira, ainda que remotamente, então aquele pouso suave almejado pelas autoridades chinesas foi extremamente mal calculado, e corre o risco de ficar fora de controle.

    A taxa de crescimento anual do agregado monetário M2 caiu para 12,7% em novembro, o valor mais baixo em 10 anos. A concessão de novos empréstimos encolheu 5% em termos mensais. O banco central começou a reverter sua política de aperto monetário agora que a inflação de preços começou a arrefecer, reduzindo a taxa do compulsório pela primeira vez desde 2008 com o intuito de atenuar a contração da liquidez.

    Na bolsa, as ações chinesas estão piscando vários sinais de alerta. O índice de Xangai já caiu 30% desde maio. Em relação ao pico de 2008, a queda já é de 60%, quase o mesmo tanto, em termos reais, da queda ocorrida em Wall Street de 1929 a 1933.

    Com várias manifestações desencadeadas pelos seguidos aumentos nos preços dos alimentos, a China está entre a cruz e a espada, tentando encontrar por meio de mais impressão de dinheiro uma saída para o desastre monetário que criou para si própria. A queda brusca na taxa de crescimento do agregado monetário M2 é um claro sinal de que uma forte desaceleração econômica está por vir. Em julho de 2008, a taxa de crescimento do M2 nos EUA literalmente despencou. Todos sabemos o que aconteceu dois meses depois. Para uma economia impulsionada por uma maciça expansão do crédito, o mais mínimo solavanco no fluxo de criação de dinheiro pode gerar desastrosas consequências.

    Após passar todo o ano elevando a taxa do compulsório, no vão esforço de tentar restringir a inflação de preços, o banco central chinês voltou a reduzir o compulsório há duas semanas, pela primeira vez em quase três anos; foi um claro sinal de que as autoridades monetárias chinesas estão lutando para tentar controlar a sua fatigada economia. Mas o planejamento central nunca funciona, obviamente. Ele consegue apenas criar mais distorções no mercado à medida que os burocratas tentam comandar e coordenar as ações individuais de milhões de pessoas — no caso da China, de mais de um bilhão.

    Para constatar os explícitos exemplos de investimentos insustentáveis gerados pela expansão artificial do crédito na China, basta olhar para os relatos sobre os mais de 60 milhões de apartamentos vagos, as cidades fantasmas e os parques de diversões abandonados.

    A China está a caminho de pouso brusco graças a mais um caso de ciclo econômico de expansão e contração criado pela política monetária de crédito fácil de seu banco central. Para aqueles que entendem as nuanças da Teoria Austríaca dos Ciclos Econômicos, isso era algo já esperado. E é só agora que os ‘especialistas’ estão finalmente se dando conta do que está acontecendo. E estão surpresos.

    Fonte: h t t p : / / www .mises.org.br/Article.aspx?id=1183

    0
  • Ze Bom Dirolo 5 de janeiro de 2012 at 02:33

    Já tô vendo o filme em destaque nas imobiliárias no começo de 2012.
    “Abril despedaçado”

    0
  • Souza 8 de janeiro de 2012 at 14:26

    1 – Esta reportagem do Correio Braziliense é simplesmente ridícula. Até eu, meus colegas e familiares, que investíamos em imóveis em bsb e região até 2011 e concordávamos com este tipo de argumento (aumento dos preços dos imóveis no longo prazo), achamos que houve um grande exagero.

    2 – Apurando os fatos junto aos cartórios de Brasília, o mercado “parou” desde setembro/2011. Repito… O mercado parou aqui em Bsb.

    3- O mercado de imóveis já precificou o efeito olimpíadas e copa do mundo. Não caiam mais exclusivamente nesta desculpa para investir em imóveis.

    4- Não quero fazer futurologia, mas está bem evidente que nos próximos três anos os aumentos nos preços imóveis ficarão, no máximo, compatíveis com a nossa taxa selic. Ou seja, custo de oportunidade tendendo a zero. Só vale a pena investir em imóveis desde que vc ainda ache uma “galinha morta”, o que estão cada vez mais raro.

    5 – Verifiquei que nos últimos dias no Noroeste estão vendendo apartamento de 3 quartos com suíte, 2o andar, 106 m² e duas vagas de garagem a partir de R$ 820.000,00 a vista. Unidades no 1o andar para apartamento na planta ainda são mais baratas.

    6- Os preços de coberturas no NW (bairro nobre de bsb) em 2009 estavam cerca de R$ 5.500/m² em boa parte das construtoras. Hoje, esta mesma cobertura, se vc souber fazer uma boa negociação com a construtora, pagará pouco mais de R$ 7.000/m². Um apartamento de pavimento tipo custava em 2009 (início das vendas no NW) em torno de R$ 7.500 o m². Se vc souber negociar bem com a construtora, pagará este mesmo valor se for a vista, e cerca de R$ 9.000 o m², se pagar de forma parcelada. Não acho o valor presente de R$ 7.500/m² para uma cobertura região nobre de bsb exagerado para um apartamento de alto padrão. Exagerado é sim o valor que se começa a anunciar uma certa unidade sem as negociações.

    7- Conclusão: uma coisa é o preço de anúncio. Outra coisa é o preço da transação. Boas fontes que pode efetivamente comprovar a evolução dos preços dos imóveis são os registros das promessas de compra e venda ou algo similar.

    8 – Nos últimos dois anos, a valorização real média de imóveis aqui em bsb ficou em torno de 15% a.a. Qualquer valor bem acima disto é de se desconfiar da fonte que não usou um método adequado de cálculo.

    Um abraço a todos.

    0
  • luana 18 de abril de 2012 at 14:26

    O condomínio de luxo perto de unaí já está a venda… é o alphaville compreço de 500 mil só o terreno.

    0
  • Gabriel Pereira 7 de junho de 2012 at 11:40

    Não existirá bolha imobiliária enquanto houver terra e enquanto a população aumentar, se você não tem dinheiro para comprar imóvel e tem certeza que pagar mensalmente por aquilo que apenas é de seu direito “utilizar” (aluguel), por favor…
    Volte para a época medieval, seu vassalo.

    0
  • Henrique - DF 23 de julho de 2012 at 22:34

    Agora é oficial, saiu na capa do Correio Braziliense, domingo 22 de julho de 2012. “Esta é a hora de comprar seu imóvel” ao contrário do que pode levar a pensar o título na verdade a matéria traz um apanhado dos acontecimento de queda de grandes construtoras como Tenda e MRV e a dificuldade de venda, e mostra que os imóveis já não são investimentos com garantia de aumento de 30% ao ano, pelas estimativas não devem passar de 4 a 5%, chegou a nossa hora de comprar pois como vocês já devem ter percebido os preços estão congelados ou já caindo em alguns casos.

    0