Cadê os lucros de 30% ao ano até as olimpiadas ??

Você pode gostar...

Comments
  • EduLon 18 de dezembro de 2011 at 20:48

    O mais interessante é que eles continuam dizendo a frase mágica

    “Os preços ainda não vão cair. …”

    Não vai cair …vão despencar! porque cair já começaram na forma de descontos de 10, 15%…
    Quando quem comprou apenas para investir descobrir que não vai conseguir vender nem pelo valor pago, aí sim que o efeito manada vai vir com toda força e os preços irão desabar…

    0
  • veigalex 18 de dezembro de 2011 at 21:00

    Pessoal.. um video muito legal..

    w w w.youtube.com/watch?v=VRIOgwuuMJI

    Se tiver receio, digite no google Hyperinflation Nation

    Mrk.. o que vc acha?

    Podemos traçar um paralelo com o Brasil? o Euro? ou ainda estamos a um passo disso?

    Se algum ja postou esse vídeo, favor desconsiderarem. acompanhar um tópico com 500 post esta ficando inviável ultimamente!

    Isso é o sucesso do Blog!!

    0
    • veigalex 18 de dezembro de 2011 at 21:01

      O link em ingles e alta definição..

      Simplismente fantastico..

      youtu.be/VpZtX32sKVE?hd=1

      é so copiar e colar no endereço..

      se tiver medo.. digite no goolge Hyperinflation Nation

      vale a pela..

      0
    • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 10:02

      Muito bom. Pena que o brasileiro da new media class não tenha paciência para passar 30 minutos assistindo alguma coisa séria.

      0
  • Celso 18 de dezembro de 2011 at 21:05

    Alguém arrisca sobre se os aluguéis no Rio vão continuar subindo absurdamente em 2012? Sim, claro que estou (já) preocupado com o fim do meu contrato de 30 meses no mês de setembro, pagando atualmente algo como 30% abaixo do que vejo no ZAP, e com isso talvez levar uma possível facada para continuar no meu imóvel…

    0
    • aiwww 18 de dezembro de 2011 at 21:50

      amigo … estamos nas mãos de uma quadrilha … eu também estaria preocupado .. por isso também não arrisco alugar nada .. prefiro continuar poupando e vendo de camarote o que vai acontecer …

      0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 09:21

      Já vai procurando algum outro que seja mais barato e guarda isso na manga para a hora da negociação.

      0
    • eam 19 de dezembro de 2011 at 14:33

      Celso, o jeito é pesquisar e muito, ainda mais se vc mora em lugares onde a procura por locação é grande, como a Tijuca, por ex.
      Moro em SP mas minha namorada mora aí no Rio e passou por uma situação parecida com a sua, só que ao invés de expirar o contrato de aluguel a proprietária resolveu “ajustar” o valor em quase 90%.
      Resolvemos arregaçar as mangas e “sair à caça”, mas, como o tijucano deve saber, os preços, tanto de imóveis para venda quanto p/ locação, estão absurdos. Para vc ter uma idéia fui ao Rio pra passar um fim de semana apenas para pesquisar e visitar imóveis com ela, e o resultado foi desanimador.
      Por pura sorte, o sogro da irmã dela possui um imóvel alugado que ficou vago após o falecimento do inquilino (Deus o tenha), e assim ela mudará para o imóvel pagando menos e com relativa “segurança” quanto às bases dos reajustes no novo contrato.
      De qualquer forma foi um puro acaso, se ela não conseguisse esse imóvel provavelmente teria q se conformar em alugar um (bem) menor, ou em uma região mais afastada (Grajaú, Meyer, etc).
      Aqui em SP o mercado já dá sinais de ajuste, mas, ao meu ver, a situação é mais crítica para a (explorada) classe média carioca.

      0
  • veigalex 18 de dezembro de 2011 at 21:09

    Essa semana vou começar uma caça a apartamentos.
    Desisti de imobiliárias.

    Eles acham que sou trouxa. Tudo que anunciam, ja foi vendido e querem te empurrar algo.
    Desisti.
    Vou atras dos porteiros.. rss

    Estava adiando isso, pois acreditava em um evento catalisado.. tipo Gafisa quebrando.. mas ta difícil.

    Os boatos de venda para EZETEC não se concretizam. e o papel não despenca.
    Li em algum lugar que muita gente pois dinheiro nela quando estava a R$15,00 e agora estão segurando sonhando com uma recuperação..

    Vou colocando o que encontrar.. acho que vou achar diferenças em relação aos anúncios..

    0
    • Tico RJ 18 de dezembro de 2011 at 21:51

      veigalex,
      A melhor coisa que se pode fazer é bater de porta em porta e tentar contato direto com o proprietário. Além do benefício de redução de preço, vc começa a conhecer as regiões de sua preferência, e através do papo com porteiros vc sabe das boas e más notícias da região – nessa questão os porteiros são bem informados.

      Faço isso na região de meu interesse e já começo a planejar as melhores regiões ou prédios que me interessam.

      0
    • aiwww 18 de dezembro de 2011 at 21:55

      assim como em qualquer desastre .. aqueles que se desesperam primeiro são os primeiros a morrer … os mais pragmáticos conseguem sobreviver … portanto, MUITA CALMA NESSA HORA 🙂 … hoje ouvi uma frase ótima de minha namorada: “Se não cuidar bem do dinheiro, ele bate em você!” … boa sorte

      0
      • Tico RJ 18 de dezembro de 2011 at 22:39

        Sua namorada está de parabéns. Vc tem minhas bençãos para casar com ela.

        0
      • Felipe 18 de dezembro de 2011 at 22:46

        Ou como diria o poeta Muricy Ramalho, “a bola pune”.

        0
    • augusto 19 de dezembro de 2011 at 07:32

      Indo direto com os proprietários, através de porteiros ou zeladores, ou mesmo de vizinhos, voce já começa economizando 6% do valor da compra.
      Em compra de 330 mil reais, a economia é de 20 mil.
      Como se ve os corretores deram um tiro no pé deles mesmos e continuam atirando agora talvez nas pernas. Como é duro ser burro não?

      0
    • Zoom 19 de dezembro de 2011 at 10:17

      Corre de imobiliária o mais rápido possível.
      O negócio é cara a cara com o proprietário do imóvel.
      Não precisamos de intermediário para faermos um negócio.
      Nenhum corretor levará um “cents” do meu bolso.
      Cambada de desocupados.
      Indignado até o pescoço. kkkkkk

      0
  • Cleyton 18 de dezembro de 2011 at 21:23

    “O valor do aluguel é vinculado ao preço do imóvel. Com os imóveis mais caros, os aluguéis acompanham — diz Mauricio Visconti, da Reit.”

    Como assim acompanham? Parece que esqueceram de combinar isso com o mercado ou será que um payout 40% menor que a poupança (que não é investimento) e ainda com adicionais de risco de inadimplência passou a ser aceitável? Ah, foi tudo planejado né, beleza.

    0
  • Cleyton 18 de dezembro de 2011 at 21:52

    E tem mais uma, porque o IGP-M é chamado pela mídia de “índice do aluguel” se é composto de 60% de atacado? O que tem um contrato de aluguel (tomado isoladamente já que o reajuste também é isolado) a ver com atacado?

    Porque historicamente ele vem sendo usado de forma pornográfica como índice de correção monetária, e nem assim consegue acompanhar a “valorização” estratosféricas dos imóveis que saiu da cabeça doente de algumas construtoras, e vem um animal desses dizer que são vinculadas, é pra acabar!

    0
  • RT 18 de dezembro de 2011 at 22:07

    Fiquei sabendo hoje de mais um caso de pessoa que vive recebendo telefonemas de corretores com quem nunca manteve contato, oferecendo as últimas “oportunidades”. Mercado aquecido, não?

    E para a galera do Rio: no Humaitá, na Rua Macedo Sobrinho, em frente à Casa de Saúde São José, tem um prédio com apartamentos de 3 quartos. Além de garagem, o prédio só tem um play, com uma pequena sala de festas, mas sem piscina, sauna nem nada disso. Só um espaço para lazer mesmo.

    Preço de apartamento à venda nesse prédio: 1 milhão e 250 mil… quase engasguei na bebida quando ouvi…

    0
    • rbc 18 de dezembro de 2011 at 22:22

      aqui em sp os panfletinhos de lançamentos imobiliários vêm colados na caixa da pizza. preciso falar mais alguma coisa?

      0
    • Leo 18 de dezembro de 2011 at 23:53

      Por acaso esse é um que esta com anuncio no vidro do apartamento ? É o predio da esquina ? Se for o da esquina a 10 meses a senhora que me atendeu passou o valor de 800k.

      0
      • RT 19 de dezembro de 2011 at 07:37

        Não é o da esquina, é um que tem apartamentos com varanda e um play, diretamente em frente à Casa de Saúde São José.

        Quanto ao da esquina, se for o número 26… saibam que antes da bolha (2007), uma conhecida minha que tentava vender seu apartamento nesse prédio recusou uma oferta de 300 mil. Se arrependeu, pois mais tarde, a maior oferta que conseguiu foi de 280 mil.

        Ou seja, preço praticamente triplicou… pra mim, não tem “expansão de crédito” que justifique isso. A maior parte é especulação mesmo.

        0
        • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 09:25

          de 300 para 1.200 é quadruplicar!!!

          0
          • RT 19 de dezembro de 2011 at 09:32

            É que meu post ficou um pouco confuso.

            Quando disse “quase triplicar”, estava me referindo ao apartamento que o colega acima disse estar “valendo” 800 mil… antes, valia cerca de 300 mil.

            Se bem que esse exemplo que postei aí… antes da bolha, eu chutaria que custava por volta de 400 mil reais… então, triplicou também, rs!

            0
    • MrK 19 de dezembro de 2011 at 05:04

      se for um baixinho de 3 andares saiba que tem varios repasses dele por ai, no zap achei 2, ambos a R$1.1

      0
  • rbc 18 de dezembro de 2011 at 22:14

    estou me divertindo com os comentários de um troll petista no estadão:

    “De acordo com o boletim Economia Brasileira em Perspectiva publicado em agosto deste ano, a classe C já corresponde a 103 milhões de brasileiros, ou seja, mais de 50% da população do país. O documento aponta que, desde 2002, cerca de 25 milhões de pessoas foram incluídas nesta classe social. Ainda segundo o estudo, os principais motivos para a ascensão de tantas famílias foram o aumento do salário mínimo, controle da inflação, geração de empregos e benefícios sociais.”

    -> Controle da inflação? Benefícios sociais? Só se for o bolsa esmola.

    “Com o aumento do poder aquisitivo das famílias, abre-se um NOVÍSSIMO mercado consumidor (Food Service para a nova classe média), que anteriormente não podia dar-se ao luxo de, por exemplo, jantar em restaurantes ou freqüentar lanchonetes. Certamente o desejo de consumo, ANTES REPRIMIDO PELA FALTA DE RENDA, será extravasado por essa nova classe C, afirma o economista Jean Pontara, sócio da JPontara GESTÃO & NEGÓCIOS, empresa que atua no desenvolvimento do mercado de FOOD SERVICE. A prova disso é a preocupação do governo com o consumo. O poder público lançou medidas de restrição ao crédito para conter os gastos da população, na qual 50,5% é da classe C”, completa Pontara.”

    -> A classe C comendo no McDonald’s vai impulsionar a economia?

    “Além da conquista dessa pujança no desenvolvimento econômico, o País adquiriu também respeito internacional. O Brasil aparece em 11ª posição com melhor estabilidade financeira entre 60 países no Índice de Desenvolvimento Financeiro, à frente DE TODOS OS PAÍSES da zona do euro, dos Estados Unidos e do Japão, de acordo com o índice divulgado hoje pelo Fórum Mundial de Economia, que leva em conta a estabilidade da moeda, do sistema bancário e o risco de crise da dívida soberana. A Arábia Saudita lidera nesse item, seguida da Suíça e, de maneira surpreendente, a Tanzânia em terceiro lugar.”

    -> Caham… cof cof…
    er…
    hm..
    .
    .
    HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA
    HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA
    HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA
    HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA
    HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA

    0
  • rbc 18 de dezembro de 2011 at 22:18

    NÃO NÃO. PARA TUDO. PARA TUDO. ESTE AQUI É CAMPEÃO.

    “O Governo merece credibilidade, até agora só acertou na parte econômica. O endividamento das famílias é normal e a retoma de carros e imóveis faz parte do jogo. Votei no PSDB, isso não quer dizer que tudo que o Governo do PT faz está errado, na economia está certo e vai muito além do que os céticos querem. Vamos aceitar a realidade o Brasil tem problemas diferentes dos que tinha há 10 anos atrás, evoluímos, crescemos, desenvolvemos uma base industrial e agrícola muito interessante, vamos lembrar que isso se deu sobre muito suor do povo que é trabalhador sim, é o que vemos em todas as nossas cidades. Na Espanha começam a trabalhar às 10h da manhã, nos EUA você vê happy hour às 15:30, quem tá ralando que nem cachorro é o brasileiro, quem está fazendo virar é o povo, e o Governo está apenas facilitando as coisas, acertando no que está lá para acertar. Falta a Educação, Saúde e Segurança, se vc vai a Europa vê que nosso problema agora é mudar esses três itens, aqui não tem problema de separatismo, resolvemos isso no voto, ninguém sabe destacar isso. Ao contrário do que se pensa somos muito exigentes conosco e vamos vencer nossos desafios, é uma questão de tempo.”

    extraído diretamente da apostila: “sou brasileiro e não desisto nunca, desde que eu tenha carro, iphone e uma cervejinha”.

    0
    • augusto 19 de dezembro de 2011 at 07:35

      Eu tambem mas queria alguns cartões de crédito para remanejar pagamentos entre eles.

      0
    • xyz 19 de dezembro de 2011 at 09:28

      O mais cruel legado que este governo vai deixar é o de ter “acostumado” boa parte da juventude a viver de esmola com as dezenas de “bolsas” criadas.
      Hoje, matéria do bom dia brasil mostra que sobram vagas em cursos gratuitos de qualificação profisional.

      Sou a favor da esmola, mas para aquelas situações extremas.

      0
  • thiago 18 de dezembro de 2011 at 22:53

    Esse não é nem um artigo direto sobre imóveis, mas uma observação sorrateira de um colunista do Exame me chamou a atenção, ainda mais por se tratar de um artigo sobre opções de investimento:

    “Um ano ruim para os investidores
    São Paulo – 2011 foi um ano bastante difícil para os investidores. Na média, quem correu riscos na bolsa ou em outros investimentos agressivos perdeu dinheiro. Para um número cada vez maior de especialistas, A FARRA DOS PREÇOS DOS IMÓVEIS TAMBÉM ESTÁ PRÓXIMA DO FIM. Já na renda fixa, o Banco Central começou a baixar os juros antes que o esperado pelo mercado e diminuiu a atratividade das aplicações mais seguras. Diante de um cenário tão difícil, não é estranho que milhões de brasileiros se rendam à poupança”

    O melhor foi o termo FARRA!

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/renda-fixa/noticias/5-aplicacoes-de-baixo-risco-que-batem-a-poupanca

    0
  • Thomas 19 de dezembro de 2011 at 00:33

    Há uma técnica muito eficaz para pegar porcos do mato. Primeiro vc coloca apenas um lado de um cercado, e põe milho. Os porcos vêm com cautela, depois se acostumam com a facilidade. Aos poucos vc vai colocando os demais lados do cercado, até que finalmente vc fecha o cercado.

    No meu ver, há algo semelhante acontecendo com o povo brasileiro. Vale a sabedoria popular: quando a esmola é demais o santo desconfia. Terá havido um milagre? O São Lula em apenas 8 anos tirou o país da posição de subdesenvolvido, com uma população majoritariamente semi-analfabeta, para uma potência regional? Qual a mágica é essa? Nenhuma. Mágica não existe, o que existe é ilusionismo.

    Os americanos e europeus gozaram de anos de “welfare state” explorando a mão-de-obra barata dos países do oriente, notadamente a China. Quando fui à europa fiquei surpreso ao ver quanta gente vadiando, sentada nos quiosques, tomando café e lendo jornal às 10h em plena segunda-feira, gozando das benesses de um Estado perdulário. Enquanto isso, haviam trabalhadores miseráveis do outro lado do mundo enfrentando jornadas de até 14h por dia nas indústrias americanas e européias recém transferidas para lá. O problema todo é que o jogo virou. There is not free lunch.

    Todos jogam a culpa nos banqueiros e especuladores de wallstreet, mas eles não teriam feito tanto estrago se não fosse a sanha de lucro fácil das pessoas comuns, que inflou a bolha.

    Em toda essa trama o Brasil é mero coadjuvante. Os políticos “de esquerda” são muito simpáticos ao regime comunista chinês: poucos no poder comandando com mão de ferro a economia e a vida das pessoas.

    Os chineses enxergam longe. Comprar deputado brasileiro sai mais barato que uma noite com uma prostituta de luxo europeia.

    A economia brasileira subitamente foi direcionada para o mercado chinês, para onde exportamos matéria-prima bruta e importamos produtos industrializados. A ilusão do súbito enriquecimento do Brasil encontra base na melhora dos termos de troca de nossos produtos com o mercado internacional. Resumindo: vendemos mais caro e compramos mais barato.

    Só há um problema nisso: nosso principal parceiro, a China, pode a qualquer momento mudar de posição forçando a queda dos preços da commodities. Aliado a isso, temos uma política de utilização do crédito fácil como motor da economia.
    O problema é que crédito não é riqueza e em excesso gera inflação. E o que sobe tem que cair, normalmente em movimentos bruscos.

    Alguém acha que estou sendo “preconceituoso” com os chineses? Pois então vejam o que Charles de MONTESQUIEU escreveu em seu livro “O espírito das leis” sobre os chineses:

    “O que há de singular é que os chineses, cuja vida é inteiramente dirigida pelos ritos, sejam um povo muito velhaco. Isso se manifesta sobretudo no comércio que nunca lhes pôde inspirar a boa-fé que lhe é própria. (Quem compra deve levar sempre sua própria balança, já que cada negociante tem três delas: uma pesada, para comprar; outra leve, para vender; uma terceira, exata, para os prevenidos)”.

    Não se brinca com um povo que tem mais de 3 mil anos de história.

    0
    • Zé Coxinha 21 de dezembro de 2011 at 20:03

      Sensacional esse texto do Montesquieu.

      0
  • GONÇALO BH 19 de dezembro de 2011 at 00:35

    IMOVEIS NUNCA DESVALORIZAM, DIZ O CORRETOR…, ELE NÃO NÃO SABE O QUE ACONTECEU NO EUA E NA ESPANHA

    http://g1.globo.com/videos/parana/paranatv-2edicao/t/ponta-grossa/v/valorizacao-de-imoveis-faz-crescer-investimentos-no-setor/1734425/

    0
  • MrK 19 de dezembro de 2011 at 05:04

    sobre os alugueis…

    Já havia comentado disso meses atrás, mas agora a coisa está ainda pior, isso pra mim é um indicativo claro de bolha, além de explicar porque o aluguel tem subido

    Aps a venda vs. A alugar (ZAP)

    Copacabana 5.366 – 334 16 pra vender pra cada um a alugar
    Ipanema 2061 – 251 8 pra vender pra cada um a alugar
    Botafogo 1737 – 158 11 pra vender pra cada um a alugar
    Leblon 1816 – 284 6 pra vender pra cada um a alugar

    No mundo “normal” a quantidade de apartamentos a venda é igual, ou pouco maior que a de apartamentos a alugar, na zona sul do Rio a média total é superior a 10 imóveis a venda pra cada um a alugar, isso é uma distorção, uma aberração da bolha, que acontece por 2 motivos:

    1- Na bolha, como o preço dispara, a relação aluguel vs preço fica muito baixa, no Rio caiu de 0.5% para 0.3%, tornando-se pouco vantajoso alugar.

    2- Alguns proprietários já notaram o valor irreal dos imóveis e tiram seus inquilinos para tentar vender “na alta” o quanto antes.

    O que acontece com isso é que a quantidade de imóveis a alugar caiu muito, jogando o preço dos alugueis pra cima (oferta e demanda) e por isso vemos esses reajustes de contrato pesados, na ordem de 15% a 25%, essa situação é típica de uma bolha.

    Para o futuro como será? Com mais e mais imóveis vindo ao mercado e o estouro da bolha (queda de preços) a tendência é que muitos imóveis que sairam de aluguel pra venda VOLTEM pra aluguel, pois com a queda de preços (de venda) o índice deve se aproximar novamente do histórico 0.5%, outro fato que ajuda a volta dos imóveis pro aluguel é o fato de que mante-los fechados custa caro.

    Na minha opinião existe espaço sim (Em função de maior oferta) do preço dos alugueis cairem, mas esse não deve cair tanto quanto o de vendas, deve cair menos, até porque precisam se reequilibrar em 0.5% portanto não podem cair na mesma proporção (assim como não subiram na mesma proporção)

    Em resumo, o preço dos alugueis subiu muito mais pela escasses de oferta do que por um reajuste “justo” ou algo do tipo, essa é uma evidência forte de bolha, essa escasses é temporária e por isso os alugueis tendem a apresentar alguma queda com a volta dos imóveis a essa modalidade, logo assim que os preços de venda cairem. É aguardar.

    0
    • Rodrigo 19 de dezembro de 2011 at 07:41

      Mas MrK,

      Como já foi debatido aqui um dos sinais de bolha é a distorção entre o valor do imóvel com o do aluguel, então se este valor esta se normalizando “0,5%” o que isso significa?

      Mesmo que essa escassez seja temporária qualquer contrato de locação tem prazo de 30 meses, sendo assim o valor do aluguel demora mais para se “atualizar” seja para mais ou para menos.

      E não se deve esquecer que só os imóveis vazios tem destinação essa destinação venda/aluguel e ninguém sabe quantos são!

      0
  • MrK 19 de dezembro de 2011 at 07:29

    Vejam algo que vai ficar muito comum agora, esse predio foi um sucesso de vendas na badalada zona sul do Rio (Estacao sorocaba)… 100% vendido… “derreteu”…

    DETALHE, este predio ainda tem 7 meses pra ser entregue e olha como a coisa ja ta comecando…

    O Preco de Mercado se dizia atualmente em R$1.100, veja anuncio como exemplo

    moraiscunha.com/detalhe_imovel.aspx?pandid=596995&pl=4

    Ja caiu uma unidade no site promoimoveis com R$137mil de desconto, saindo a R$1.004 (podem ver no site)

    Depois disso, logo no ZAP um anuncio garante ter 2 unidades ainda da construtora por R$1.000 (ver link) e que pode negociar:

    zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-BOTAFOGO-RUA-SOROCABA/ID-2494073

    Quem nao eh bobo nem nada, nem espera as chaves, esse aqui que parece ser um especulador pessoa fisica ja botou a venda por R$995mil (ver link)

    zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-BOTAFOGO-RUA-SOROCABA/ID-2724457

    Parou por ai? Que nada, esse camarada pegou um apartamento maior (quase 30m2 a mais!!!) e meteu por R$1.019, baixando pra valer o valor do m2

    luiznascimentoimoveis.com.br/imovel/13862-apartamento-botafogo-estacao-sorocaba-rio-de-janeiro-rj/

    e por ai vai… isso tudo agora, imaginem daqui a 6 meses!!!!

    0
    • Tico RJ 19 de dezembro de 2011 at 10:12

      É isso mesmo! Há alguns dias eu observava um número crescente de aps desse empreendimento . E mais: talvez os preços desses novos imóveis do bairro Botafogo sofrerão maior desvalorização por 2 motivos:
      – Atualmente já há grande quantidade de imóveis à venda nessa região;
      – O acesso ao bairro Botafogo está cada vez pior. Quem passa pela praia Botafogo sabe como é horrível o trânsito na entrada para o bairro no fim de tarde.

      Alguém discorda?

      0
      • RT 19 de dezembro de 2011 at 10:30

        Eu apontaria mais um motivo para a desvalorização em Botafogo:

        – imóveis em empreendimentos novos em Botafogo custam hoje o que apartamentos de luxo no Leblon custavam há apenas três anos (excluindo a quadra da praia), sem que a renda da população local tenha subido tanto.

        0
        • MrK 19 de dezembro de 2011 at 10:55

          na minha opiniao botafogo vai ser o bairro que mais vai sofrer na bolha em funcao da sobreoferta, e’ o bairro com maior concentracao de especuladores por varios motivos (boa liquidez, preco relativamente baixo pra zona sul, muitos lancamentos de todos tamanhos na planta…etc).

          a queda de precos em botafogo vai afetar os bairros vizinhos, puxar pra baixo humaita, flamengo, jardim botanico e por ai vai…como uma reacao em cadeia

          veja bem, se agora ja tem varios e varios repasses encalhados, imagina ano que vem? vai bater o desespero…

          outra coisa: Agora que todo mundo admite que o preco bateu no teto, os “investidores” nao vao mais entrar no mercado, pelo contrario, vao sair, afinal querem vender no teto, ja acendeu a luz amarela faz tempo… imagina essa galera vendendo toda junta…

          0
          • Murdoch 19 de dezembro de 2011 at 11:54

            MRK, já me ofereceram esse aí por 950K.
            Outra mais sinistra! Se lembra da história que eu contei aqui de um caso de prédio em lan’çamento em Botafogo que o corretor disse que eu tinha que dornir na porta da imobiliaria no dia do lançamento?
            Pois bem. Derreteu, etc e tal, acabou de ser lançado, ou seja, faltam ainda 2 anos pra ficar pronto e já tem gente repassando…

            0
            • lrp 19 de dezembro de 2011 at 17:06

              A fase dos “descontos” já começou, em alguns casos já chega a quase 40%, isso é um sinal de repique que virá com uma desvalorização muito forte.

              0
  • pmoraesm 19 de dezembro de 2011 at 08:59

    Senhores,

    Aproveitei o final de semana para assistir ao filme “Inside Job”, sobre a crise de 2008. Altamente recomendado para aqueles que não acreditam em manipulação de informação por parte de gente muito, mas muito importante, para interesse de alguns.

    Segue trailer:
    http ://www.youtube.com/watch?v=FzrBurlJUNk

    0
    • aiwww 19 de dezembro de 2011 at 09:23

      … já comentamos sobre esse filme aqui … mas serve para os novos freqüentadores. Boa dica

      0
  • RT 19 de dezembro de 2011 at 09:36

    Vejam só que maravilha é a renda da “nova classe média”, que segundo “especialistas”, é um dos pilares dos preços atuais!!!!!!!!!!!

    “http://oglobo.globo.com/economia/varejo-mira-na-classe-e-aprova-mais-de-um-cartao-por-compra-3476035”

    Destaco o seguinte trecho:

    “De olho no fôlego da nova classe média para o consumo, as empresas estão distribuindo o pagamento dos produtos em mais de um cartão de crédito para burlar o obstáculo da renda.”

    0
    • MrK 19 de dezembro de 2011 at 10:30

      isso nao tem como acabar bem… basicamente estao burlando os obstaculos pra dar mais credito que o saudavel pra um pouco ja muito endividado, vai ter uma explosao de inadimplencia, cara, como tem gente inconsequente

      0
      • Murdoch 19 de dezembro de 2011 at 16:55

        É uma indústria que funciona assim, infelizmente.
        É um gordo que não sabe a hora de parar de comer. Vc avisa que o colesterol subiu, que a artéria está entupindo, que está mto acima do peso, que tem que reduzir calorias, gordura e ele come até explodir. As vezes, sobrevive.

        0
    • Neo 19 de dezembro de 2011 at 12:55

      É o credito flex

      metade em cada cartao (mesma compra)

      [“corra que o alfinete vem ai”]

      0
    • eam 19 de dezembro de 2011 at 14:51

      Essa é nova pra mim !!! É esse o “controle” que o governo faz do mercado de crédito ?!?!?
      Não me lembro agora em que site, mas li este fim de semana que há suspeitas que a CEF se meteu em uma nova enrascada, agora na compra e venda de títulos “podres”, onde estima-se um prejú de R$ 1Bi aos cofres públicos, alguém sabe os detalhes?
      Caramba, e ainda tem gente que acha que este país foi mesmo “descoberto” em jan/2003…

      0
  • DM 19 de dezembro de 2011 at 09:44

    Notícia

    Inflação do aluguel tem queda de 0,07% em prévia, diz FGV

    Fonte: not.economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201112191027_TRR_80625128

    0
    • DM 19 de dezembro de 2011 at 09:45

      Faltou o conteúdo!

      A inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), que é amplamente utilizado na correção de contratos de aluguel, registrou queda de 0,07% no decêndio de 21 de novembro a 10 de dezembro, ante alta de 0,40% do período entre 21 de outubro a 10 de novembro, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta segunda-feira.

      O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou queda de 0,38% no decêndio entre 21 de novembro a 10 de dezembro ante alta de 0,44% no decêndio dos mês anterior. A taxa de variação dos Bens Finais passou de 0,39% para 0,62%, graças, principalmente, ao subgrupo de alimentos processados, que passou de 0,48% para 1,40%. Em contrapartida, o grupo de Bens Intermediários passou de 0,31% em novembro para -0,13% em dezembro.

      Confira as maiores altas do IPCA
      Mamão da amazônia (papaya) – 35,42%
      Tarifa da eletrecidade residencial – 1%
      Alcatra – 5,25%
      Passagem aérea – 13,65%
      Gasolina – 0,90%

      Confira as maiores baixas do IPCA
      Batata-inglesa – 14,03%
      Tomate – 9,46%
      Leite tipo longa vida – 1,41%
      Alho – 6,48%
      Cenoura – 8,49%

      0
    • Zoom 19 de dezembro de 2011 at 10:29

      Tá caindo….IGP-M

      ” No acumulado dos últimos 12 meses, e no ano, a variação é de 5,15%. Em 2011, o acumulado dos últimos 12 meses chegou a 8,65%, em 29 de junho. Os dados foram divulgados nesta sgunda-feira (19) pela FGV (Fundação Getulio Vargas)”.

      0
      • Zoom 19 de dezembro de 2011 at 10:30

        Quem vai comprar imóvel para alugar???

        0
  • aiwww 19 de dezembro de 2011 at 09:55

    Que os preços estão fora do aceitável não é novidade, mas vejam esta apresentação do Banco Central onde eles reconhecem a bolha imobiliária e planejam uma forma de inflá-la por mais tempo …

    bcb.gov.br/pre/credito_imobiliario/pdf/3%20-%20Apresenta%C3%A7%C3%A3o%20O%20CR%C3%89DITO%20IMOBILI%C3%81RIO%20NO%20BRASIL%20Sr%20Iorio.pdf

    0
    • Davi 19 de dezembro de 2011 at 11:39

      Muito interessante o seu achado … as conclusões principalmente.

      Li notícias ao longo deste ano que uma mudança nos rendimentos da poupança é iminente para o primeiro trimestre de 2012, pois ela é um entrave para queda dos juros básicos (SELIC).

      Vcs lembram que lá em 2009 quando a selic estava bem baixa, já estava confirmada uma mudança com um regra ridícula:

      link com informações a época: h t t p ://www.agora.uol.com.br/grana/ult10105u551996.shtml

      Mas temos esta notícia recente:
      h t t p ://www1.folha.uol.com.br/poder/996683-governo-estuda-mudanca-no-rendimento-da-poupanca.shtml

      Assim, vemos que há uma proposta não fechada, que não é bem aquilo que está exposto na apresentação que vc colocou do BC em relação a regra para a poupança.

      Só sei que, se de algum modo conseguirem reduzir a taxa de juros dos financiamentos a DEMANDA EFETIVA vai aumentar bastante, e isso poderá de novo fazer os preços subirem, por outro lado que contratou financiamentos com taxas maiores vão ficar doidos.

      São muitas variáveis na cabeça …

      0
      • Cleyton 19 de dezembro de 2011 at 11:51

        Pô, então a tributação de IR na poupança não vigorou? Sacanagem, comentei isso em outros posts e ninguém disse nada! Mas eu ando desinformado mesmo…

        0
  • aiwww 19 de dezembro de 2011 at 10:06

    Para quem mais se interessar em saber o que o nosso Banco Central está sabendo recomendo as apresentações em

    bcb.gov.br/?CONFINTCREDITOIMOB

    e

    bcb.gov.br/pre/evento/resumoEvento.asp?evento=21&data=2010_3_21

    0
  • dentista 19 de dezembro de 2011 at 10:06

    Esse analistas profissionais não tem credibilidade. São uns palpiteiros e falam o que seus “clientes” ou chefes querem ouvir.
    Veja, no surto do dólar que ocorreu em 2010, eu vi analistas falando na TV, especificamente no Jornal das Dez, que o dólar agora não iria cair mais e que iria rapidamente no final de 2011 a R$3,00 !!!
    Ninguém sabe ao certo o que vai acontecer mas que a bolha irá explodir irá. Acredito que para uma implosão rápida tem que haver um evento mais importante que traga medo ao mercado de forma geral. Pode ser a falência de uma grande empresa, ou uma retração na China, ou mesmo alguma falcatroa em nosso sistema econômico. Vamos ver…

    0
    • Luiz AG 19 de dezembro de 2011 at 10:21

      Concordo com tudo o que disse. Quem vai sofrer são os corretores, em um mercado travado com valores muito altos.

      Depois da farra vem a ressaca…

      0
  • GONÇALO BH 19 de dezembro de 2011 at 10:10
    • LP 19 de dezembro de 2011 at 11:30

      O argumento de sempre: “a concessão de crédito é rigorosa”. Conforme o RT já postou, hoje O Globo fala do varejo aceitar pagamento em dois cartões para driblar o limite de renda da “nova classe C”. Este é só um exemplo do “jeitinho” em ação. Eu então pergunto a quem entende mais do assunto: alguém sabe se o nosso sistema financeiro é tão rigoroso ao ponto de cruzar todas as informações quando analisa crédito? Por exemplo, quando um banco vai decidir a concessão de crédito a um cidadão para comprar um apartamento, ele verifica suas outras dívidas (carro, cartões de crédito, Casas Bahia, mensalidade escolar, etc), ou só vê se aquela prestação (e somente ela) “cabe” no salário?

      0
      • MrK 19 de dezembro de 2011 at 11:34

        falou tudo

        o unico jeito do credito ser responsavel e’ se ele for fiscalizado globalmente, o limite e’ um so’, o salario do individuo e’ um so’! De que adianta o credito imobiliario ser rigoroso e o cartao de credito chutar o balde, as casas bahia chutar o balde, o agiota chutar o balde, a revenda de carro chutar o balde e por ai vai?!

        0
        • LAR 19 de dezembro de 2011 at 12:04

          em um debate voce acreditaria em qual? sobre o assunto bolha imobiliaria??

          Samy Dana, professor de finanças da FGV?

          Paulo Roberto de Faria, professor de administração da ESPM?

          0
    • LAR 19 de dezembro de 2011 at 12:05

      tópico já

      0
  • LAR 19 de dezembro de 2011 at 10:57

    Duas matérias que talvez nao tenham sido garimpadas

    ht tp : / /w ww.portogente.com.br/texto.php?cod=60014
    O impacto do iminente estouro da bolha imobiliária na China
    Texto publicado em 19 de Dezembro de 2011 – 09h12

    ESSA SEGUNDA PRA MIM, MERECE TOPICO! UM ESPECIALISTA AFIRMOU QUE COM CERTEZA EXISTE BOLHA E ESTOURA NOS PROXIMOS QUATRO ANOS JOGANDO PRECOS PRA BAIXO.

    h ttp:/ / ww w . i stoedinheiro.com.br/noticias/75681_BRASIL+BOLHA+IMOBILIARIA+OU+DEMANDA+AQUECIDA

    0
  • Galvão 19 de dezembro de 2011 at 11:13

    A egrégia equipe econômica do governo deve estar coçando a cabeça. A mãe de todas as bolhas está estourando.

    h t t p : / / w w w .telegraph.co.uk/finance/china-business/8957289/Chinas-epic-hangover-begins.html

    China’s epic hangover begins
    China’s credit bubble has finally popped. The property market is swinging wildly from boom to bust, the cautionary exhibit of a BRIC’s dream that is at last coming down to earth with a thud.

    It is hard to obtain good data in China, but something is wrong when the country’s Homelink property website can report that new home prices in Beijing fell 35pc in November from the month before. If this is remotely true, the calibrated soft-landing intended by Chinese authorities has gone badly wrong and risks spinning out of control.

    The growth of the M2 money supply slumped to 12.7pc in November, the lowest in 10 years. New lending fell 5pc on a month-to-month basis. The central bank has begun to reverse its tightening policy as inflation subsides, cutting the reserve requirement for lenders for the first time since 2008 to ease liquidity strains.

    The question is whether the People’s Bank can do any better than the US Federal Reserve or Bank of Japan at deflating a credit bubble.

    Chinese stocks are flashing warning signs. The Shanghai index has fallen 30pc since May. It is off 60pc from its peak in 2008, almost as much in real terms as Wall Street from 1929 to 1933.

    “Investors are massively underestimating the risk of a hard-landing in China, and indeed other BRICS (Brazil, Russia, India, China)… a ‘Bloody Ridiculous Investment Concept’ in my view,” said Albert Edwards at Societe Generale.

    “The BRICs are falling like bricks and the crises are home-blown, caused by their own boom-bust credit cycles. Industrial production is already falling in India, and Brazil will soon follow.”

    “There is so much spare capacity that they will start dumping goods, risking a deflation shock for the rest of the world. It no surpise that China has just imposed tariffs on imports of GM cars. I think it is highly likely that China will devalue the yuan next year, risking a trade war,” he said.

    China’s $3.2 trillion foreign reserves have been falling for three months despite the trade surplus. Hot money is flowing out of the country. “One-way capital inflow or one-way bets on a yuan rise have become history. Our foreign reserves are basically falling every day,” said Li Yang, a former central bank rate-setter.

    The reserve loss acts as a form of monetary tightening, exactly the opposite of the effect during the boom. The reserves cannot be tapped to prop up China’s internal banking system. To do so would mean repatriating the money – now in US Treasuries and European bonds – pushing up the yuan at the worst moment.

    The economy is badly out of kilter. Consumption has fallen from 48pc to 36pc of GDP since the late 1990s. Investment has risen to 50pc of GDP. This is off the charts, even by the standards of Japan, Korea or Tawian during their catch-up spurts. Nothing like it has been seen before in modern times.

    Fitch Ratings said China is hooked on credit, but deriving ever less punch from each dose. An extra dollar in loans increased GDP by $0.77 in 2007. It is $0.44 in 2011. “The reality is that China’s economy today requires significantly more financing to achieve the same level of growth as in the past,” said China analyst Charlene Chu.

    Ms Chu warned that there had been a “massive build-up in leverage” and fears a “fundamental, structural erosion” in the banking system that differs from past downturns. “For the first time, a large number of Chinese banks are beginning to face cash pressures. The forthcoming wave of asset quality issues has the potential to become uglier than in previous episodes”.

    Investors had thought China was immune to a property crash because mortgage finance is just 19pc of GDP. Wealthy Chinese often buy two, three or more flats with cash to park money because they cannot invest overseas and bank deposit rates have been minus 3pc in real terms this year.

    But with price to income levels reaching nosebleed levels of 18 in East coast cities, it is clear that appartments – often left empty – have themselves become a momentum trade.

    Professor Patrick Chovanec from Beijing’s Tsinghua School of Economics said China’s property downturn began in earnest in August when construction firms reported that unsold inventories had reached $50bn. It has now turned into “a spiral of downward expectations”.

    A fire-sale is under way in coastal cities, with Shanghai developers slashing prices 25pc in November – much to the fury of earlier buyers, who expect refunds. This is spreading. Property sales have fallen 70pc in the inland city of Changsa. Prices have reportedly dropped 70pc in the “ghost city” of Ordos in Inner Mongolia. China Real Estate Index reports that prices dropped by just 0.3pc in the top 100 cities last month, but this looks like a lagging indicator. Meanwhile, the slowdown is creeping into core industries. Steel output has buckled.

    Beijing was able to counter the global crunch in 2008-2009 by unleashing credit, acting as a shock absorber for the whole world. It is doubtful that Beijing can pull off this trick a second time.

    “If investors go for growth at all costs again they are likely to find that it works even less than before and inflation returns quickly with a vengeance,” said Diana Choyleva from Lombard Street Research.

    The International Monetary Fund’s Zhu Min says loans have doubled to almost 200pc of GDP over the last five years, including off-books lending.

    This is roughly twice the intensity of credit growth in the five years preceeding Japan’s Nikkei bubble in the late 1980s or the US housing bubble from 2002 to 2007. Each of these booms saw loan growth of near 50 percentage points of GDP.

    The IMF said in November that lenders face a “steady build-up of financial sector vulnerabilities”, warning if hit with multiple shocks, “the banking system could be severely impacted”.

    Mark Williams from Capital Economics said the great hope was that China would use its credit spree after 2008 to buy time, switching from chronic over-investment to consumer-led growth. “It hasn’t work out as planned. The next few weeks are likely to reveal how little progress has been made. China may ride out the storm over the next few months, but the dangers of over-capacity and bad debt will only intensify”.

    In truth, China faces an epic deleveraging hangover, like the rest of us.

    0
    • pmoraesm 19 de dezembro de 2011 at 11:48

      “The BRICs are falling like bricks and the crises are home-blown, caused by their own boom-bust credit cycles. Industrial production is already falling in India, and Brazil will soon follow.”

      E começam a pipocar os alertas internacionais para fugir dos BRICS, e dessa vez o Brasil não é itado como o porto seguro…

      0
    • pmoraesm 19 de dezembro de 2011 at 12:03

      Outro trecho muito interessante:

      “Investors had thought China was immune to a property crash because mortgage finance is just 19pc of GDP. Wealthy Chinese often buy two, three or more flats with cash to park money because they cannot invest overseas and bank deposit rates have been minus 3pc in real terms this year.

      But with price to income levels reaching nosebleed levels of 18 in East coast cities, it is clear that appartments – often left empty – have themselves become a momentum trade.”

      Essa é praqueles que dizem que não há bolha aqui pois o crédito imobiliário ainda representa muito pouco do PIB no Brasil…

      0
  • Evandro 19 de dezembro de 2011 at 11:17

    Essa bolha infelizmente não vai estourar.
    Vire os preços dos carros no Brasil, comprovadamente abusivos, mas a população burra continua pagando sorridente.

    Sobre o aluguel estar pagando menos que a poupança e de que esse seria um indicio de (des)investimento.
    Esquecem de um detalhe crucial, financiamento.
    Com juros habitacionais, em termos de Brasil, baixos(5%-8% a.a) você pode muito bem comprar um imóvel de por exemplo: 120 mil, dando 20 mil de entrada e financiando o resto.
    Mesmo o aluguel desse imóvel pagar, digamos, menos que a poupança. Uns 0,5%, o que daria uns 600 reais mensais(contra 720 na poupança).
    Olhando pro todo(120 mil), obviamente que não vale a pena, mas se considerar apenas os 20 mil de entrada, é uma alavancagem e tanto.
    É um grande negócio tanto pra quem quer morar, quanto quem investe.

    0
    • MrK 19 de dezembro de 2011 at 11:31

      esquece esse negocio de comparar carro com imovel, sao completamente diferentes, incomparaveis…

      ou voce conhecer alguem que comprou 10 carros pra tentar revender com lucro ano que vem?

      0
    • NTL 19 de dezembro de 2011 at 11:42

      Há ainda a questão da concessão de financiamentos, que é absurdamente mais rigorosa para imóveis quando comparados aos veículos, por não permitirem comprometimento maior do que 20 a 35% da renda bruta, dependendo do banco

      Há bancos mais flexíveis que permitem composição com um parente, amigo, namorado, pessoa do mesmo sexo, etc, mas no Banco do Brasil, servidores públicos só podem compor renda com cônjuge e comprometer 30% da renda bruta para terem direito à linha de financiamento com taxas reduzidas.

      0
      • Davi 19 de dezembro de 2011 at 11:51

        Isso que eu fico doido:

        Não permite comprometimento de mais de 30% da renda bruta, mas não sabe se como está de fato o comprometimento do resto da renda do cidadão. Este limite de 30% pra mim é pura bobagem como argumento de “segurança”. Os outros custos continuam subindo, subindo … o governo induz cada vez mais ao consumo.

        0
    • FoxBravo 19 de dezembro de 2011 at 11:56

      Mas se a prestação é 720 e recebo 600 de aluguel ainda tenho que colocar do meu bolso 120 todo mês. Se aplicar os 20.000 mais um depósito de 120,00 por mês vai dar o dobro do valor do imóvel ao final do financiamento, fora a liquidez.
      A taxa de juros de 5-8% só para MCMV
      Também precisa ver se consegue alugar por 600,00. Por esse valor já vale a pena comprar o imóvel e não ficar alugando.

      Não consigo ver vantagem nesse negócio.

      0
      • Cleyton 19 de dezembro de 2011 at 12:04

        A conta não é bem assim, tem que separar o aluguel do imóvel do “aluguel” do financiamento (dinheiro do banco).

        Não sei que valor vc está considerando mas é assim, divida o valor do imóvel pelos meses do financiamento, esse é o valor que você efetivamente está pagando, o resto da parcela é juro, o aluguel do imóvel deve ser maior que essa segunda parcela para valer a pena, se o aluguel for 600, a amortização for 120, então o custo do dinheiro do banco é 600, aí beleza, você paga o imóvel e o inquilino paga o aluguel quase que direto pro banco.

        Essas valores estão meio esquisitos, se tiver mais informações poderíamos fazer um cálculo mais preciso.

        0
    • Carlos Wagner 19 de dezembro de 2011 at 12:05

      O Evandro tocou no ponto que venho frisando ha tempos aqui.

      Para o caboclo comprar o tal imovel de 120 mil, dando 20 mil de entrada e financiando o restante ele precisa comprovar renda de 5 mil reais.

      Pergunta: Quem ganha 5 mil reais quer viver num lixo de apartamento ofertado atualmente por este preço?

      É o meu caso, desisti de comprar e pago 900 de aluguem, menos do que pagaria numa prestação do exemplo, e moro num medio/alto padrao.

      Conclusão: Os preços dos imoveis estão descolados das classes sociais a que se destinam.

      0
      • RT 19 de dezembro de 2011 at 12:38

        “Conclusão: Os preços dos imoveis estão descolados das classes sociais a que se destinam.”

        Concordo plenamente.

        Aliás, penso que essa constatação é a maior prova de que os preços atuais são insustentáveis.

        0
        • Evandro 19 de dezembro de 2011 at 15:59

          Conclusão errada!
          “Para o caboclo comprar o tal imovel de 120 mil, dando 20 mil de entrada e financiando o restante ele precisa comprovar renda de 5 mil reais.”

          Entre no site da caixa e veja.
          Acabei de fazer:
          Imóvel 120 mil
          Entrada 30 mil
          Renda necessária: 2.300 reais
          BEM abaixo dos tais 5 mil…

          0
          • Carlos Wagner 19 de dezembro de 2011 at 16:53

            Evandro

            O simulador da caixa está errado. Palavras da gerencia.

            Eu fiz analise de credito junto ao banco, preenchi meus dados nas planilhas que são solicitadas a todos os adquirentes de credito e para minha suspresa o valor a mim consedido, com 5 mil de renda comprovada em holerite de orgão publico federal foi de 112 mil. Isso mesmo, apenas 112 mil.

            Questionando o gerente, ele disse que o simulador é apenas uma base de quanto a pessoa poderia obter de credito, caso não tivesse absolutamente nenhum comprometimento da sua renda.

            Falo de constatação junto a instituição financeira e nao pelo simulador. Pode acreditar.

            0
            • Evandro 19 de dezembro de 2011 at 17:38

              Amigo, você tem que ver que o juros cobrados pela caixa, são de acordo com a faixa de renda.
              Pra uma renda de 5k os juros são de 8.6%
              Pra uma renda de 2.3k são de 5% (4.5% se você tem 3 anos de carteira assinada)

              Então é uma diferença BASTANTE considerável, e que afeta diretamente o valor que pode ser financiado.

              O simulador não está errado, mas concordo quando você diz para obter o valor lá sugerido, você não pode ter comprometimento da sua renda.

              No meu caso, só o fato de não ter filhos, prestação de carro/corsorcio pra pagar. Me possibilita pegar o valor integral lá indicado. (já fui numa agencia e me confirmaram isso)

              Então minha tese é completamente aplicável, ainda que os alugueis de imóveis rendam menos que a poupança, a alavancagem propiciada por um financiamento com juros baixos é ainda MUITO interessante.

              0
          • Ratinho 19 de dezembro de 2011 at 17:29

            Com salário de aproximadamente R$9500 vc consegue aproximadamente R$240.000 com prazo de 360 meses. Prazo menor, valor menor… Fiz esse cálculo na agência da caixa considerando o convênio para servidores públicos, com juros mais baixo…Por isso, acho que faz sentido 5000 por 120.000….

            0
    • Areias 19 de dezembro de 2011 at 13:31

      Concordo com vc Evandro,

      O brasileiro não vê o preço que está pagando e sim o valor da prestação. Além disso, o sonho de 95% dos brasileiros e´ ter uma casa própria, então ele faz o possível para ter uma, nem que para isso o filho dele estude em um colégio público. Estou louco para comprar um casa, faço até um consórcio alto (300.000),00, mas pelo que estou vendo, nem com este valor eu compro algo decente.

      0
  • Galvão 19 de dezembro de 2011 at 11:50

    Em Brasília não existe imóvel de R$ 120.000.

    0
    • Cleyton 19 de dezembro de 2011 at 12:08

      Curitiba também não, esse valor só casa de madeira ou na favela.

      0
  • MrK 19 de dezembro de 2011 at 11:55

    Pensa bem..

    se voce e’ investidor e comeca a ler 2 tipos de noticia: De um lado uma possivel “bolha” e de outro a industria admitindo que o preco bateu no teto e nao sobe mais, por mais que voce acredite na industria, faz sentido investir em algo que chegou no topo?!

    pior ainda quando voce ve o aluguel pagando 0.3%, o indice mais baixo de todos os tempos, ou seja, preco no topo, retorno no fundo do poco, faz sentido investir nisso? claro que nao!

    entao o que vai acontecer… investidores saindo do mercado… e sem eles quem vai comprar essa avalanche de repasses caros e lancamentos em construcao?! a nova classe C? huahuahuhau

    0
    • augusto 19 de dezembro de 2011 at 12:00

      Uai sô, a nova classe C vai comprar com cartão de crédito, pois agora ela tem isto. Até tem gente que pensa que quando recebem a fatura indicando valor mínimo a pagar no mes, ganharam um desconto e só vão precisar pagar aquele valor do total de gastaram.
      É por esta e outras que quando nosso melhor e mais badalado time de futebol, joga com o melhor da Europa, nem vemos a cor da bola

      0
  • ildeu 19 de dezembro de 2011 at 12:05

    muito produtiva uma visita que fiz ao shopping ontem ,comprei um tênis e ao pagar uma surpresa : pedi um desconto pra pagar à vista , a moça disse que não tinha , mas dividia em 10 vezes no cartão , fui comprar um celular tbém dividia em 10 vezes ” s/ juros” …um kiosque vendendo um cone de amendoim , catanhas etc… por 17 reais !devia ter uns 100 gramas do produto[só assim pra sustentar 3 mil de aluguel e dois mil de funcionários vendendo amendoim]
    O povo não tá tá conseguindo comprar nem em 3 vezes mais só em 10 ; a bolha já estourou , agora só precisa as pessoas físicas cairem na real , pois as empresas já perceberam

    0
    • MrK 19 de dezembro de 2011 at 12:17

      quando der a primeira dorzinha de barriga na economia vai ser um festival de inadimplencia…

      o termometro pra ficar de olho sao os gastos superfluos, como restaurantes, teatro, divertimento em geral… quando essas coisas comecarem a esvaziar e’ que o povo ja comecou a se conter e o bum ta’ proximo

      0
      • xyz 19 de dezembro de 2011 at 12:50

        Como os empresários já perceberam o tamanho da inadimplência, os juros do cheque especial este mês bateu record novamente. Não adiantou o governo baixar a selic.

        h ttp://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/2011/12/juro-do-cheque-especial-sobe-e-e-o-maior-desde-2005.html

        0
        • augusto 19 de dezembro de 2011 at 14:29

          O que vai haver é o chamado ” empoçamento de liquidez ” ou seja os bancos tem dinheiro mas não emprestam. Assim de nada adianta liberar compulsórios, pois os bancos não querem este capital que para eles rende Selic, pois não confiam em quem quer emprestar para baboseiras

          0
          • xyz 19 de dezembro de 2011 at 14:32

            Você colocou um ponto muito interessante.
            Na crise de 2008 a primeira coisa que o BC fez foi diminuir o compulsório.
            MAS acho que desta vez, ironicamente, são os bancos que estão pressionando o governo para não diminuir o compulsório.

            0
      • LAR 19 de dezembro de 2011 at 13:10

        sinceramente eu acho que a parte do entretenimento já está sentindo… tenho visto cinemas vazios

        já quanto ao natal, aqui no Barra Shopping e no Carioca Shopping, no natal passado demorei horas pra achar uma vaga. Já nesse natal, eu achei quase de cara… além de notar os shoppings mais vazios do que o normal PRA ÉPOCA.

        (É, eu fui louco de ir pra shopping um fds antes tanto ano passado quanto esse ano)

        Acho que o consumo nesse mês não ta lá muito bom não

        0
        • Paulo - RJ 19 de dezembro de 2011 at 13:56

          Shopping Tijuca, pouco movimento também

          0
        • Infelizmente... 19 de dezembro de 2011 at 16:44

          Shoppings ficam lotados a uma semana do dia de Natal

          Lojistas apostam em compras de última hora e ampliação de horário para venderem até 20% mais
          NADJA SAMPAIO
          Publicado:
          18/12/11 – 23h00
          Atualizado:
          18/12/11 – 23h00

          Tweet
          Envios por mail: 0

          Movimentação de compras de natal no Shopping Nova America, na Zona Norte da cidade
          PEDRO KIRILOS / AGÊNCIA O GLOBO
          RIO – O tempo nublado ajudou a encher os shoppings no último fim de semana anterior ao Natal. A expectativa dos lojistas é que, a partir de amanhã, com o aumento do horário de funcionamento das lojas, se confirme o crescimento nas vendas de 10% a 15% este ano com relação ao ano passado.
          No Shopping Nova América, de janeiro a primeira quinzena de dezembro, os números já expressam um crescimento de 10% nas vendas em relação ao ano passado:
          — Estamos otimistas com as vendas e estima-se um crescimento de 18% em relação ao Natal do ano passado — afirma Carlos Martins, superintendente do Nova América, acrescentando que o número de pessoas circulando pelo shopping deve crescer 15%.
          Na Mercatto, a aposta foi nos vestidos a partir de R$ 49,90 e nos kits de duas ribanas mais nécessaire por R$ 29,90:
          — Esperamos um crescimento nas vendas de 10%. Esta semana o movimento deve aumentar. Estou otimista — afirmou Cíntia Amaral, supervisora comercial da Mercatto.
          João Luis Resende, gerente da Taco, aposta nas bermudas a R$ 79 para fechar o mês com um aumento de vendas de 10%. Segundo ele, o tíquete médio de compras na loja é de R$ 90.
          O movimento de consumidores no Botafogo Praia Shopping nesta semana foi 23% maior que a semana anterior, segundo Daniela Paladini, superintendente do shopping:
          — As pessoas deixam as compras para a última hora e, com a menor taxa de desemprego e a economia estável, a expectativa é crescer 18% nas vendas.
          Na Zona Oeste do Rio, o Bangu Shopping espera um aumento de 23% nas vendas em relação a dezembro passado. E o shopping Grande Rio, na Baixada Fluminense, espera ampliar as vendas em 12%.

          0
    • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 12:48

      Acho fantástico ir ao shopping e ver o pessoal comprando até sorvete em casquinha no cartão de crédito.

      0
      • Jonathas 19 de dezembro de 2011 at 13:07

        Ué, mas eu faço isso. Pago tudo que posso no cartão de crédito e depois pago 100% da fatura. Dessa forma, ganho milhas e não pago um real de anuidade 🙂

        0
        • Paulo - RJ 19 de dezembro de 2011 at 13:55

          Boa estratégia,

          Só não uso porque eu tenho medo de perder o controle, sou meio desligado e cabreiro. Mas é uma boa sim, ganhar umas milhas.

          PS: Achava que não tinha mais diferença entre compra com cartão e dinheiro/débito. Fui comprar um livro hoje e deram 10% (tudo bem, foi uma merreca) por ser pagamento à vista.

          0
          • Tico RJ 19 de dezembro de 2011 at 14:23

            Compro sempre no cartão quando não consigo desconto à vista, é a minha estratégia. Priorizo a economia e deixo os pontos de milhagem em segundo plano – mantendo o controle dos gastos com cartão.

            0
            • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 14:52

              pago no cartão dividido em muitas parcelas, mostro quye tenho o modelo mais caro pros lojistas
              depois peço 10% em dinheiro, sempre consigo no minimo 10%, vou começar a pedir 15% depois do natal. fui sexta no shopping,e stão bem vazios prum ultimo fds antes do natal

              0
            • eam 19 de dezembro de 2011 at 15:01

              Isso aí, Tico. Primeiro pergunta-se se há desconto à vista. Caso haja, então “chora-se” o maior percentual. Caso contrário, paga-se no cartão. Se o valor for muito alto, parcelo, caso contrário pago o valor total, NUNCA deixando de pagar o total da fatura.
              Acho o cartão de crédito um instrumento fantástico, mas se utilizado da forma correta, mas como o brasileiro médio (acho q não é o caso dos colegas aqui do Bolha) não tem a mínima noção de finanças, o resultado é este que vemos por aí: dívidas e mais dívidas, e se a taxa de desemprego aumetar, haja proteção contra inadimplência…

              0
              • Tico RJ 19 de dezembro de 2011 at 15:42

                Isso mesmo eam, falou a minha língua. Se pagando um valor pequeno em parcela única no cartão, a perda é pequena, mas se o valor começa a ser alto é melhor pagar na maior quantidade de parcelas sem juros. Mas é preciso controle, e sempre pagar o total da fatura.

                Para lembrar o que já foi dito aqui no blog: as operadoras cobram 8% sobre o serviço do cartão de crédito e 5 sobre o cartão de débito – são taxas altíssimas!

                0
                • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 16:07

                  A maioria dos brasileiros não sabe nem quanto ganha exatamente.

                  0
        • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 16:00

          Ok, ok, ponto para você.

          Mas o pessoal que eu vejo comprando sorvete em casquinha usa aqueles cartões que NÃO dão direiro a milhas!

          0
          • Ítalo 19 de dezembro de 2011 at 22:03

            Isso não quer dizer nada…você pode ter visto compra com cartão de débito…

            0
            • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 22:16

              Já vi dezenas de vezes compras de sorvete com cartão de crédito.
              Sempre dá para ouvir o seguinte diálogo:

              – Crédito ou débito, senhor?
              – Crédito.

              Acho absurdo passar R$1,50 no cartão. Tem quem não ache absurdo. Só isso.

              0
      • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 13:08

        mas se o preço a vista é o mesmo que no cartão e eu não pago anuidade nele, então é mais prático do que levar dinheiro, se importar com troco, ter o risco de receber nota falsa, além de ficar tudo registrado quanto e onde gastou

        0
        • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 16:04

          Cartão ou dinheiro, é do gosto de cada um.

          O que me surpreende é o povo achando que por ter R$4.000 de limite tem R$4.000 de renda.

          Eu prefiro usar dinheiro. Não gosto de cartão. Só uso cartão para comprar na internet.

          0
    • TH 19 de dezembro de 2011 at 13:54

      Acho que não é novidade pra ninguém aqui que se vendem em 10 vezes “sem juros” é porque os juros já estão embutidos no valor a vista.

      Como me recuso a pagar juros a vista, sempre parcelo no maior número de vezes “sem juros”. Fico com a sensação que estou fazendo a coisa certa, por não dar dinheiro de graça aos comerciantes e por estar contribuindo para esgotar o crédito no país. (Contribuição bem modesta, é claro)

      0
    • alda 19 de dezembro de 2011 at 21:50

      Eu também fui comprar minha maquina de lavar, eles dividiram 10 vezes no cartão sem juros

      0
  • Susy 19 de dezembro de 2011 at 12:29

    Não sei se vocês já viram, mas saiu uma entrevista em vídeo com dois professores: um da FGV, a favor de que existe bolha, outro da ESPM, contra a ideia de que haja bolha.

    Discute-se o que já se falou aqui à exaustão, mas é bom ver que o assunto está ganhando espaço na mídia.

    h t t p ://w w w .istoedinheiro.com.br/noticias/75681_BRASIL+BOLHA+IMOBILIARIA+OU+DEMANDA+AQUECIDA

    0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 13:03

      é por isso que confio mais na FGV

      0
  • danilo 19 de dezembro de 2011 at 12:32

    A atividade caindo e eles se dizendo otimistas. Entao quando acumular o décimo mês eles vao estar ficar doidos de tanta felicidade

    Atividade da construção civil cai pelo quarto mês consecutivo, mas empreiteiros estão otimistas para 2012

    16/12/2011 15:58

    O nível de atividade da construção civil em novembro ficou abaixo da mediana pelo quarto mês consecutivo, segundo apontou a pesquisa Sondagem Indústria da Construção, divulgada nesta sexta-feira (16/12) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice do nível de atividade (INA) de novembro foi 49,3 pontos, mais de meio ponto abaixo do índice de outubro (50,3 pontos), reforçando os sinais de estagnação do setor industrial.

    O índice é medido em uma escala de zero a 100 pontos. Valores acima de 50 indicam crescimento. Abaixo, apontam para a redução do nível de atividade.

    Apesar do freio nas obras da construção civil, os empresários estão mais otimistas em relação aos próximos meses. A expectativa para o desempenho do setor no primeiro semestre de 2012 atingiu 58,3 pontos em dezembro, ante 56,1 registrados em novembro.

    “Todos os indicadores de expectativa (nível de atividade, novos empreendimentos e serviços, compras de insumos e matérias-primas e número de empregados) cresceram em comparação a novembro. Essa melhora no otimismo se deu, principalmente, entre as grandes empresas”, analisaram os técnicos da CNI.

    Na nota explicativa, o economista da confederação Danilo Garcia atribuiu o aumento da expectativa do empresariado à possível retomada dos empreendimentos federais no próximo ano, principalmente no setor de infraestrutura. “Os empresários estão com expectativas de que vários projetos de obras governamentais serão retomados no próximo ano”.

    As expectativas sobre novos empreendimentos e serviços aumentaram de 57,2 pontos em novembro para 59 pontos este mês

    0
  • veigalex 19 de dezembro de 2011 at 12:34

    Olha a Gafisa ai gente.. R$ 4,99.

    0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 13:01

      abaixou, abaixou, abaaaiiixoooouuu!!!

      0
      • Platao 19 de dezembro de 2011 at 14:11

        derretendo… R$ 4,89 as 14:13

        0
        • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 16:12

          GFSA3 MELTDOWN:

          R$4,84 (-8,88%) às 15h

          Mr. MrK, o senhor previu esta queda desde o começo do ano, a Gafisa consegue chegar ao fim do ano ou já quebrou?

          0
          • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 16:14

            Meus óculos estão vencidos.

            O valor certo é R$ 4,64

            0
      • Cleyton 19 de dezembro de 2011 at 16:16

        A queda até agora (15:58) já é de 8,45%, ela está sendo negociada pela metade do seu valor patrimonial! Que lindo isso!

        0
        • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 17:25

          Ela já passou por todos os stop-gain e já está muito abaixo do stop-loss analisado pelo pessoal do ADVFN:

          Stop-gain 3: R$ 6,09

          Stop-gain 2: R$ 5,90

          Stop-gain 1: R$ 5,58

          Preço Entrada: R$ 5,38

          Preço Atual: R$ 5,05

          Stop-loss: R$ 4,97

          0
      • manuelao 19 de dezembro de 2011 at 23:09

        é tetra!

        é tetra!!

        0
    • Carlos Wagner 19 de dezembro de 2011 at 14:01

      Os investidores devem estar tirando a cueca pela cabeça de raiva…hehe

      0
  • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 12:59

    19/12/2011 – 08h42
    Titanic europeu

    MADRI/ROMA – Para quem está acostumado ao subdesenvolvimento visualmente feio, sujo e malvado de cidades brasileiras como São Paulo, é difícil perceber o tamanho da crise nas principais capitais europeias.

    Mas ela está presente. Latente no cotidiano, nas manchetes dos jornais, na TV, nas conversas, em dezenas de lojas fechadas no centro e em inúmeros cartazes de imóveis à venda.

    Fernando Canzian/Folhapress

    Imóvel para alugar no centro de Madri; o mercado imobiliário espanhol continua em crise
    Ou mais presente ainda, como em um acampamento de “indignados” montado a poucos metros do Coliseu. Ou em cartazes chamando para manifestações em Roma ou Madri.

    Mas não seria exagero dizer que o pior, do ponto de vista europeu, ainda está por vir.

    O desemprego médio entre os 17 países que usam o euro é de 10,2%. Mas entre os mais jovens ele sobe a 29% na Itália e a 45% na Espanha.

    Mesmo na Alemanha (média de 6,9%) a crise entre os jovens só não é explosiva devido aos “minijobs”, que permitem a criação de vagas precárias que pagam hoje uma média de 230 euros (R$ 550) por mês. Há 7 milhões de alemães nisso.

    Fernando Canzian /Folhapress

    Acampanento do movimento dos “indignados” próximo ao Coliseu, em Roma
    Neste exato momento várias economias europeias já entraram ou estão entrando novamente em recessão. E elas nem sentiram ainda todo o custo dos programas de ajuste adotados pelos quatro cantos do continente.

    Na Itália, quando totalmente implementado, o ajuste vai tirar 3.160 euros (R$ 7.600) por ano do bolso de uma família média via impostos sobre o consumo e residências.

    O governo de Mario Monti persegue uma economia de 33 bilhões de euros (R$ 80 bilhões) para pagar as dívidas estatais. Isso deve custar à Itália, segundo o FMI, cinco pontos a menos de crescimento em três anos.

    Visto por alto, o problema central da Europa pode até parecer esse: excesso de dívidas. Logo, a solução é apertar os cintos, atravessar o deserto, e voltar a crescer daqui a alguns anos.

    Fernando Canzian/Folhapress

    Espanhóis formam fima de mais de 300 metros em Madri para apostar na loteria de Natal
    Haveria gordura para queimar, especialmente para quem vê a região, seu Estado de bem estar social, renda e infraestrutura com olhos de subdesenvolvido.

    Mas o buraco é mais embaixo. Daí o nervosismo nos mercados e o desconforto da população.

    Um breve retrospecto:

    1) Já chegou-se à conclusão de que alguns países têm dívidas muito altas; e o mercado passou a exigir juros insustentáveis para rolá-las;

    2) Alemanha e França, os dois mais fortes do euro, impuseram ajustes nos gastos dos demais e agora trabalham por um compromisso que leve a punições para quem não andar na linha;

    3) Enquanto isso, a Alemanha se recusa a permitir que o BCE (Banco Central Europeu) garanta a rolagem das dívidas dos mais endividados. Por dois motivos: porque os alemães teriam de pagar parte da conta dos demais e porque, assim fazendo (e também se endividando), a Alemanha seria obrigada a pagar juros maiores para ela mesma se financiar (hoje o faz a custo quase zero).

    Em resumo, esse é o plano europeu: ajustar os endividados sob a batuta alemã.

    Dois problemas: recessões pioram rapidamente o endividamento de qualquer país, pois dívidas são examinadas como proporção do PIB; e a Europa só chegou a isso porque não criou nenhuma outra alternativa.

    A Alemanha é o país que mais se beneficiou com a criação do euro e o endividamento dos demais. Ela não só pagou com isso o pesado custo de integrar a ex-Alemanha Oriental nos anos 1990 como se tornou o motor da região, com o grosso de suas exportações voltadas para a Europa.

    Com a região embarcando em um pesado ajuste de longo prazo, a Alemanha certamente sofrerá consequências difíceis de manejar.

    O pano de fundo de tudo é que o arranjo da chamada Eurolândia dependia do endividamento de alguns para que outros prosperassem, e dessem respaldo aos demais pela via de uma moeda única, o euro.

    Funcionou por um tempo, até que as dívidas de alguns começaram a chamar demais a atenção. Daí a ameaça de terem de deixar o euro e a proteção que a moeda oferece.

    A alternativa 2.0 (além do euro) seria a Alemanha finalmente concordar com a união fiscal plena na região. Significa que ela compartilharia com os demais o custo da rolagem das dívidas, por meio de eurobônus garantidos pelas 17 economias do euro.

    Há quem aposte que a Alemanha esteja primeiro exigindo austeridade dos demais para só depois entrar com seu lastro e passar a garantir as dívidas europeias, aliviando a pressão.

    “Frau Nein”, como Angela Merkel é chamada, não dá nenhuma indicação de que tomará esse caminho.

    Mesmo isso não resolveria o grande problema subterrâneo: há uma disparidade enorme de industrialização, produtividade, benefícios sociais e, em última instância, “filosofias de vida” entre os 17 países da Eurolândia.

    O euro foi uma tentativa quase abstrata de aplainar isso. Não está funcionando.

    0
  • favelinho 19 de dezembro de 2011 at 13:11

    No O Globo de hoje:
    ‘Favela est belle’
    Um casal francês comprou uma cobertura dúplex em Botafogo, no Rio, em plena Rua da Matriz, por quase R$ 2 milhões.
    Fechou negócio porque teria ficado admirado com a bela “vista bucólica da Favela Dona Marta”.

    0
    • Thiago 19 de dezembro de 2011 at 14:22

      Tem retardado pra tudo nesse mundo

      0
    • Celso 19 de dezembro de 2011 at 14:33

      Putz. Não sei de quem eu tenho mais dó, se é desses franceses ou das pessoas que compram apartamentos minúsculos com cômodos apertadíssimos, de 2qtos em 50m² em verdadeiras favelas verticais (contendo áreas de lazer) por 200+ mil reais – e achando tudo MUITO bonito.

      Na verdade não tenho dó, nem pena. Tenho mais é que rir da cara deles.

      0
    • Murdoch 19 de dezembro de 2011 at 16:41

      Notinha tendenciosa do cacete.
      É daquela galera que acha que o Leblon é a Cote D’azur

      0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 17:04

      espera a primeira rajada de fuzil entrar pela janela da sala deles, ou o primeiro bonde dos traficantes espalhando granadas de mão e tiros de escopeta passar por eles, para que eles vejam o quanto é bucólica a vista de lá…

      0
  • danilo 19 de dezembro de 2011 at 13:12

    A pergunta agora é outra. Se a Gafisa fechar na casa dos R$4, ela quebra antes de chegar à casa dos R$3?

    0
    • Neo 19 de dezembro de 2011 at 13:24

      acabou de perder os 5,xx

      GFSA3 = 4,85 dilmas neste momento

      0
    • Neo 19 de dezembro de 2011 at 13:29

      pelo grafico ela pode buscar os 3,5x

      foi o fundo na crise de 2008

      mas como essa vai ser pior, espero ela lá nos 1,80 (ali boto uma ordem de compra, depois disso 1,50)

      Sim, muitos pagaram 15,00 e vao vender por 1,50

      0
      • danilo 19 de dezembro de 2011 at 13:50

        Otimo negócio. Comprar a 15 e vender a 1,50. O pessoal daquele grupo de discussao dos investidores da Gafisa devem estar cogitando que apos 2011 vai ter um repique para 20. rs

        0
      • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 17:10

        teve um cara lá que contou que comprou a 12 e já considera que jogou dinheiro no lixo

        0
  • danilo 19 de dezembro de 2011 at 13:29

    Ouvindo a CBN agora acabo de ouvir que as famílias que nao conseguirao pagar suas dívidas nos próximos meses se concentram na faixa de R$2000 R$2500. Salientaram que essa parcela subiu, mas sem educaçao financeira em gastar o que pode e nao o que quer.

    0
  • Muca CG Muita Treta 19 de dezembro de 2011 at 13:30

    Assim como na área de imóveis, o mercado de shows vive uma bolha no preço dos ingressos. E a exemplo da área imobiliária que sofreu com a implantação di MCMV, o segmento de shows só ficou assim por conta da banalização da Lei Rouanet. Acho que dá até para traçar um paralelo entre os dois setores. Se lerem com atenção essa matéria, encontrarão vários pontos em comum.

    Lei Rouanet inflaciona mercado e preços de ingressos vão às alturas
    PUBLICIDADE
    MÔNICA BERGAMO
    COLUNISTA DA FOLHA
    MARCUS PRETO
    DE SÃO PAULO

    O fracasso da turnê de 80 anos de João Gilberto reforça a tese: nem um dos maiores artistas brasileiros sobrevive hoje sem recursos públicos das leis de incentivo à cultura.

    Anunciada há seis meses e cancelada na semana passada, a série de shows não fazia uso da Lei Rouanet para captar recursos (ela permite que patrocinadores abatam do imposto parte do dinheiro investido em cultura).

    Os produtores afirmaram que tentaram convencer mais de cem empresas a investir na turnê. Em vão. Decidiram retirar da bilheteria todo o dinheiro para cobrir os custos. E também seus lucros.

    O preço dos ingressos foi às alturas -de R$ 500 a R$ 1.400. Resultado: boa parte encalhou. Shows foram adiados -a assessoria afirmou que o cantor estava gripado.

    Na última hora, os Correios toparam investir R$ 300 mil nas apresentações do Rio e de SP. Pouco. E tarde demais.

    14.ago.08 – Tuca Vieira/Folhapress

    João Gilberto se apresenta com banquinho e violão no auditório do Ibirapuera em SP, em 2008
    Segundo artistas e produtores, hoje não é mais possível sobreviver sem incentivo.

    “Se não uso a Rouanet, não consigo patrocínio. De cada dez empresas, sete perguntam de cara: tem lei de incentivo?”, fala Flora Gil, empresária e mulher de Gilberto Gil. “Posso fazer show sem patrocínio? Posso. Mas o preço dos ingressos vai subir.”

    Flora Gil diz que, para o artista, seria mais confortável se o mercado funcionasse sem o dinheiro das empresas.

    “O artista teria que se alinhar apenas com ele mesmo -não com uma marca. Não precisaria ir a reuniões e mais reuniões, nem citar o patrocinador em entrevistas. Mas, sem esse dinheiro, hoje, os projetos são inviáveis.”

    Chico Buarque é um dos poucos que resistem: ele não usa o dinheiro público da renúncia fiscal. Até há pouco, era até mais radical: não buscava nem mesmo patrocínio de empresas para os shows.

    Em 2006, cedeu em parte: sua turnê foi bancada pela TIM -mas sem incentivo. Neste ano, seguradoras financiam suas apresentações.

    “Até o fim dos anos 90, com o mercado fonográfico ainda vivendo a exuberância de seus anos dourados, nos contratos dos principais artistas com suas respectivas gravadoras havia uma cláusula denominada ‘tour support'”, verba que financiava parte da turnê de lançamento dos discos, diz Vinicius França, empresário de Chico.

    “Colocava-se uma produção de pé e os shows estreavam com suas contas praticamente zeradas.” Com o declínio do mercado fonográfico, a verba deixou de existir.

    MAIS CARO

    Os custos de produção, por outro lado, subiram, “incluindo profissionais e equipamentos cada vez mais sofisticados”, diz França. “Hoje é virtualmente impossível para quem pretende fazer longa turnê de qualidade assumir sozinho esses custos.”

    Marisa Monte, outro caso raro, também conseguiu “dinheiro bom”, do marketing das empresas, sem renúncia, para uma turnê. Em 2006, foi bancada pela Natura, uma das poucas empresas que investem ao menos parte em cultura sem renúncia fiscal.

    Neste ano, representantes de Marisa procuraram a empresa. Mas, em 2012, a companhia só investirá em projetos do Natura Musical, mais baratos e incentivados. São R$ 1,5 milhão em seis projetos. A turnê anterior dela foi estimada em R$ 5 milhões.

    ESTRATOSFERA

    No passado, espetáculos se bancavam com a receita da bilheteria -e o público não tinha que dar as calças em troca da entrada de um show ou teatro, como ocorreu agora no caso de João Gilberto.

    Mas as leis de incentivo inundaram o mercado de dinheiro e inflaram os preços da produção cultural.

    “Quando sabem que você tem Rouanet, o preço das coisas vai para a estratosfera”, diz o ator Juca de Oliveira.

    “Os custos sobem pela pressuposição de que seu espetáculo tem apoio, e, portanto, dinheiro. Então [os prestadores de serviço] sobem o preço. Os financiamentos elevaram todos os custos, sobretudo de divulgação.”

    Juca estava tentando montar, “a sangue frio”, ou seja, sem leis de incentivo, um espetáculo baseado num livro de Lya Luft. “Eu ia mendigar a divulgação por aí.”

    “E, como se não bastasse, o Brasil é imenso. Sem avião não se chega a lugar nenhum. Calcule o custo de uma peça com apenas dois atores, equipe de luz, som e produção, junte a alimentação, transporte e o hotel; a bilheteria não cobre de jeito nenhum”, diz a atriz e colunista da Folha Fernanda Torres.

    SHAKESPEARE

    “Antigamente, os artistas faziam uma cooperativa e ganhavam um percentual da bilheteria. E aí se fazia permuta de madeira, de roupa, a produção era extremamente barata. Ou pelo menos palatável”, diz Juca de Oliveira.

    “Vamos ter que voltar a discutir o tema. Não faz sentido que apenas pessoas que têm patrocínio possam fazer teatro. Fica tudo desesperadamente pobre.”

    Ele diz que hoje os produtores captam recursos pela Lei Rouanet -e tiram o espetáculo de cartaz quando esse dinheiro acaba, mesmo que esteja fazendo sucesso.

    “Antigamente, se a peça lotava, ficava anos no teatro”, diz o ator, que ficou seis anos em cartaz com o espetáculo “Meno Male”, quatro com “Caixa Dois” e cinco com “Hotel Paradiso.”

    “Gosto de viver da bilheteria, como Shakespeare, com os dois olhos na máquina registradora. E hoje as pessoas vivem do dinheiro da lei.”

    Fernanda lembra que empresas acabam “editando” a arte conforme a conveniência do marketing. Cita mostra da americana Nan Goldin, censurada no Oi Futuro (Rio).

    “O mundo corporativo não comporta a vida mundana, apaixonada, torta e nada exemplar de Goldin”, diz.

    “Entregar a cultura nas mãos do marketing ou no retorno da bilheteria não funciona inteiramente, o governo e a sociedade têm de se envolver. A arte, na maior parte do tempo, é uma atividade que opera no vermelho.”

    0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 14:46

      no meu tempo era mais fácil…

      0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 14:55

      de toda forma os princípios básicos financeiros continuam a valer:

      Se os custos estão altos e os preços não podem ser pagas, vamos cortar na carne os custos:

      – vender o jatinho próprio e andar de avião de carreira
      – Deixar de viajar para o exterior a passeio 4 meses por ano
      – Diminuir a superprodução nos shows
      – Procurar casas de espetáculo mais em conta
      – Demitir profissionais caros e com desempenho menor e contratar outros mais eficazes
      – Parar de comprar carrões e jóias e usar o dinheiro para bancar uma parte do espetáculo (afinal se o artista confirma no seu próprio taco sabe que isso é investimento e não gasto)
      – vender a mansão dispendiosa e comprar um apartamento mais em conta (se isso fosse possível hoje em dia…)

      O que precisa é acabar com esse círculo vicioso de que pode cobrar o que for, porque tem financiamento público e se não tiver, os preços não podem cair porque a estrutura tem que ser mantida…

      0
  • Bolha CWB 19 de dezembro de 2011 at 13:46

    A Gafisa rompeu a barreira dos R$5,00…

    O Chão é o limite…

    0
  • LAR 19 de dezembro de 2011 at 13:59

    impressionante como a prática de compra de imóvel para revender com ágio não é coibida.

    Traçando um paralelo simplório, o cambista em jogos de futebol e shows é mal visto e execrado pela sociedade, pois sempre esgota os ingressos para revende los mais caros encima da hora.

    A sociedade fica indignada, briga esperneia e alguns mais exaltados até pegam cambistas na porrada (já vi isso no maracanã)

    Ora bolas… já a prática do especulador que compra imóveis na planta esgotando lançamento para revenda com ágio nas chaves é visto com bons olhos.

    -Investidores! Arrojados! Espertos!
    enchem a boca diversos setores da sociedade ao falar da prática.

    pra mim há pouca diferença entre o cambista de ingresso e o cambista de imóveis. São malandros, querendo ganhar dinheiro as custas do suor dos outros, com o agravante de o cambistinha que compra e revende ingressos não gerar nenhum grande prejuizo a economia.

    0
    • danilo 19 de dezembro de 2011 at 14:11

      Positivo.

      Só espero que o governo nao dê o mesmo desfecho que o dos cambistas. Estes últimos, quando morrem com ingresso na mao, devolvem à bilheteria.

      0
      • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 14:45

        até hj não entendo pq o CRECI, o SECOVI, as Construtoras não correram pra acabar com isso.

        tá certo que eles ganham algum ao devolver só parte da entrada, mas o preço pra se dar bem no curto prazo foi o de destruir o próprio ramo. São uns estúpidos.

        0
      • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 16:04

        como assim “devolvem para a bilheteria”?

        0
  • Tomaz 19 de dezembro de 2011 at 14:01

    Insights, via google:

    Estatística de pesquisas com palavras chaves “venda imoveis”:
    http://www.google.com/insights/search/#q=venda%20imoveis&geo=BR&cmpt=q

    Estatística de pesquisas com palavras chaves “bolha imobiliaria”:
    http://www.google.com/insights/search/#q=bolha%20imobiliaria&geo=BR&cmpt=q

    Estatística de pesquisas com palavra chave “venda apartamentos”:
    http://www.google.com/insights/search/#q=venda%20apartamentos&geo=BR&cmpt=q

    Tudo junto:
    http://www.google.com/insights/search/#q=venda%20apartamentos%2Cbolha%20imobiliaria%2Cvenda%20imoveis&geo=BR&cmpt=q

    0
  • Tomaz 19 de dezembro de 2011 at 14:02

    Insights, via google:

    Estatística de pesquisas com palavras chaves “venda imoveis”:
    h t t p ://www.google.com/insights/search/#q=venda%20imoveis&geo=BR&cmpt=q

    Estatística de pesquisas com palavras chaves “bolha imobiliaria”:
    h t t p ://www.google.com/insights/search/#q=bolha%20imobiliaria&geo=BR&cmpt=q

    Estatística de pesquisas com palavra chave “venda apartamentos”:
    h t t p ://www.google.com/insights/search/#q=venda%20apartamentos&geo=BR&cmpt=q

    Tudo junto:
    h t t p ://www.google.com/insights/search/#q=venda%20apartamentos%2Cbolha%20imobiliaria%2Cvenda%20imoveis&geo=BR&cmpt=q

    0
    • Thiago 19 de dezembro de 2011 at 14:17

      Perfeito

      Ou seja, o movimento já parou, o mercado agora está cada vez com menos capacidade de compra.

      E as pessoas estão questionando os valores mais

      É, o pico já passou

      0
      • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 14:40

        o pico já passou, agora vem o picasso do jotajota

        0
    • Tomaz 19 de dezembro de 2011 at 14:28

      Se pudermos, com boa aproximação, ligar os números da procura no google com a comercialização real de imóveis (unidade vendidas/unidade de tempo), me parece que o ponto de equilíbrio está em 40% no gráfico do google (o que acredito seria um crescimento orgânico e saudável). Será interessante ver o que acontece com a economia real se este gráfico chegar a 35%…

      Em Janeiro de todo ano parece haver um repique para cima. Se não tivermos este repique neste próximo Janeiro, temos bom indicativo de para onde estamos caminhando. Veremos…

      0
  • FQ 19 de dezembro de 2011 at 14:18

    Galera,

    Esta começando!!!

    A ação da Gafisa rompeu a barreira dos 5,00 reais. Chegou hoje a R$ 4,86, uma queda de mais de 4% num dia, até agora, estável para a Bovespa.

    0
    • veigalex 19 de dezembro de 2011 at 14:34

      Ótimo comentário no ADVFN!

      Fui banido!! rsss

      0
      • FQ 19 de dezembro de 2011 at 14:36

        Aqueles caras são uma piada. São verdadeiros motivadores: “Hoje vai galera!” “Semana que vem volta a 6,00”

        Devem ser pagos!

        0
        • veigalex 19 de dezembro de 2011 at 14:52

          R$ 4,79….

          Acho que agora eu vou comprar umas ações..kkkkkk

          Olha o evento catalisador ai…

          A desculpa agora vai ser a 25 de março..

          Cade os dados do Secovi.. esse ano não tem mais?

          0
          • FQ 19 de dezembro de 2011 at 15:10

            Meus comentários sobre a bolha acabaram de ser apagados do fórum (br.advfn) e também fui banido…

            Começou a censura a Bolha!

            Bolha,

            se alguém falar no seu blog por lá, é banido!

            PS: Cuidado com os acionistas da Gafisa na rua pessoal, eles estão nervosos! Tome cuidado com corretores em stands também! Nada de questionar a bolha em público!

            0
            • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 15:21

              felipe, me leia aqui embaixo, quero sua opinião “radical” sobre os acontecimentos que postei
              parece q a coisa tá séria

              0
            • me 19 de dezembro de 2011 at 15:23

              Que forum? Link?

              0
            • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 16:28

              São estas as regras do fórum, acho que você caiu na regra 4:

              Este fórum está aberto para discussão sobre o ativo GFSA3, NYSE:GFA, Índices IBOV…

              Será passível de moderação, filtro ou banimento o usuário que se utiliza de comentários:

              1. que contenha ataques pessoais (palavras ofensivas, desrespeitosas, obscenas);

              2. depreciativos ou apreciativos aos ativos GAFISA sem a fundamentação adequada;

              3. As notícias postadas são importantes e somente serão aceitas as que contenham fonte, link e a data de sua publicação.

              4. Não serão aceitos comentários com propagandas, blog’s, produtos e serviços de qualquer natureza. Também não serão aceitos post’s com imagens desnecessárias de terrorismo ou euforia que nada agregam à discussão.

              5. Não contestar o trabalho da moderação!

              6. Cabe ao leitor usuário ou visitante deste fórum, a decisão sobre os investimentos nos ativos objetos desta discussão.

              Este fórum e seus moderadores não se responsabilizam por decisões sobre melhor ponto de entrada e/ou saída do referido papel!

              0
              • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 16:36

                Shakespeare, sempre didático.

                0
                • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 23:05

                  to teach or not to teach,

                  that is the question

                  0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 16:33

      Quase chegou a 4,60, agora subiu um pouquinho mas ainda não recuperou o 4,70

      0
      • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 16:55

        Agora está em 4,60 redooooondo!

        0
      • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 17:27

        baixou de 4,60…

        alguém tem apto na planta aí?

        o jotajota vai querer comprar

        0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 17:14

      ISTOE DINHEIRO Nº EDIÇÃO: 638 | 30.DEZ.09 – 10:00 | Atualizado em 18.04 – 08:50

      O buraco da Gafisa

      A construtora vale menos e deve mais do que os concorrentes. E também não evitou que os problemas da Tenda arranhassem sua imagem

      O setor imobiliário brasileiro vive o melhor momento de sua história, com índices de crescimento que não se repetem em nenhum lugar do mundo. Uma empresa, porém, destoa desta fase de pujança. Trata-se da Gafisa, segunda maior construtora do Brasil em faturamento, atrás da Cyrela Realty.
      Uma consulta ao desempenho das ações da Gafisa revela o tamanho do buraco em que ela se meteu. Nos últimos seis meses, os papéis da companhia subiram 37%, bem aquém da performance média. No mesmo período, segundo dados da consultoria Economática, a expansão do segmento foi de 60%.
      Suas principais concorrentes, como JHSF e Abyara, tiveram alta de 77% e 88%, respectivamente. Mas não é só isso. A relação dívida sobre patrimônio líquido da Gafisa chegou em dezembro a 126%, quase o dobro dos 68% de média do mercado. Sob a gestão do presidente Wilson Amaral, as contas a pagar da Gafisa dispararam.
      Em setembro de 2008, a empresa devia R$ 1,3 bilhão. Um ano depois, o valor duplicou, totalizando R$ 2,5 bilhões. Nos últimos anos, a empresa adotou uma série de decisões estratégicas que culminaram nos resultados negativos de 2009. Enquanto o mercado luta para enxugar gastos,as despesas comerciais e administrativas da Gafisa revelam um descontrole de caixa. Nos nove primeiros meses do ano, as despesas do Grupo Gafisa alcançaram R$ 172 milhões – são as mais altas do setor. Segundo o mercado, o presidente Amaral é conhecido como um executivo centralizador, que toma decisões solitariamente.
      Uma dessas decisões repercutiu negativamente nos números da Gafisa. Em setembro de 2008, a empresa comprou a Tenda, que atua nos segmentos de baixa renda. Dados do Procon de São Paulo revelam que a companhia foi a empresa do setor com o maior número de reclamações em 2008 – foram 55, das quais 30 não foram solucionadas. A publicitária Cleni Silo diz que teve uma experiência “muito ruim” com a empresa.
      No final de 2007, Cleni comprou uma unidade em fase de construção, em Santo André. Ela deu uma entrada pequena, de R$ 1 mil, para garantir a aquisição do imóvel. “Depois, fui até o escritório da Tenda e descobri que o mesmo apartamento tinha sido vendido para várias pessoas”, afirma. “Você compra um apartamento na planta só para garantir a venda.
      Depois, o problema aparece.” Cleni continua: “Perdi 30% do valor que tinha dado por quebra de contrato, mas na verdade foi a Tenda que não cumpriu o contrato.” Ações como essa acabam arranhando a imagem da própria Gafisa. “Nesse caso, é preciso reconstruir a marca num setor em que a perda de credibilidade é mortal”, diz Antônio Trajano, sócio da Branding Consumer.
      A integração entre a Gafisa e a Tenda não foi concluída. Amaral já anunciou a saída do atual presidente da Tenda, Carlos Trostli, que deixa o cargo no início do ano. Segundo analistas, o futuro da Gafisa é incerto. “A questão é que a Gafisa precisa reduzir a alta alavancagem e elevar os índices de performance operacional, numa conjuntura econômica ainda sujeita a incertezas”, informa o mais recente relatório da agência de risco Fitch.
      Em junho, a Gafisa cancelou uma oferta de ações na Bolsa de São Paulo. Segundo Amaral, o problema foi de “comunicação”. Procurada pela DINHEIRO, a empresa não dá explicações sobre sua performance, embora tenha montado uma máquina de consultores para auxiliá-la nessa tarefa. Seria essa mais uma decisão equivocada?

      0
  • DM 19 de dezembro de 2011 at 14:53

    Mercado imobiliário: como esse setor vai se comportar em 2012?

    SÃO PAULO – Os brasileiros já começaram a contagem regressiva. Em menos de 20 dias inicia-se o novo ano, e com muitas expectativas, sobretudo para os setores mais importantes da economia. Uma das questões é: como será o comportamento do mercado imobiliário ao longo de 2012? Veremos um aquecimento, uma retração, alta nos preços, mais oferta, enfim, o que podemos esperar?

    O diretor de economia do SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo), Eduardo Zaidan, aposta em uma acomodação dos preços, em relação aos níveis verificados nos anos anteriores.

    Zaidan explica que os preços dos imóveis em São Paulo subiram muito nos últimos anos por conta de uma demanda reprimida que inundou o mercado. Essa forte demanda refletiu tanto a onda de estabilidade monetária pela qual o Brasil passou, com baixos índices de inflação, quanto o crescimento sustentável do País, com renda e emprego crescendo consistentemente.

    No entanto, se por um lado esses fatores fizeram com que o mercado imobiliário mostrasse números “muito espetaculares”, por outro, essa mesma demanda reprimida já foi bastante atendida e 2011 já começou a mostrar uma evolução mais moderada. Assim, para 2012, Zaidan espera uma demanda ainda grande, “mas não com números tão fortes como em 2008, 2009 e 2010”, sobretudo por conta desse atendimento da demanda.

    O presidente do Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo), José Augusto Viana Neto, tem opinião semelhante à de Zaidan. “Os preços tendem a se estabilizar a partir desse momento. Não haverá um aumento de preço como ocorreu até 2010”, afirma Neto.

    De todo modo, ambos descartam a possibilidade de retração nos preços. Os preços vão, sim, continuar subindo, mas apenas em ritmo mais reduzido. Neto explica que os números observados em 2011 sinalizam que a desaceleração já começou, “mostrando que o mercado está encontrando um ponto de equilíbrio entre oferta e demanda”.

    Regiões e regiões
    Se, na média, devemos esperar uma estabilidade nos preços, não podemos esquecer que há regiões demandadas e as ‘super demandadas’. Neste último caso está São Paulo.

    Nesses locais ‘super demandados’, a expectativa é de que os preços se mantenham em alta. “Se você lançar um prédio na Alameda Campinas, no meio de Moema ou no entorno da Juscelino Kubitschek, ele vai ser caro, não tem jeito”. Nesses locais, onde a demanda é forte e contínua e os imóveis chegam a ser considerados raros, não há como esperar qualquer tipo de retração nos preços.

    Zaidan também lembrou de todos os custos envolvidos no processo de construção. As construtoras precisam administrar os altos custos dos terrenos, a mão de obra cara, a rígida fiscalização, problemas na entrega de materiais e a forte valorização nos preços dos terrenos, por exemplo. Esses elementos pressionam e continuarão pressionando os preços dos imóveis.

    Locação
    Falando das locações, Zaidan acredita que em 2012 haverá uma oferta maior de imóveis para locação, o que corrobora a avaliação de que esse é um tipo de investimento muito interessante. A respeito dos preços, Zaidan afirma que “os aluguéis de imóveis bem localizados vão continuar caros”.

    O presidente do Creci-SP também confirma a perspectiva de que o mercado de locação vai continuar aquecido, “há muitas pessoas necessitando de imóveis para alugar, e por isso o valor da locação acaba sendo excessivo. Os proprietários estão aproveitando esse momento”, diz Viana Neto.

    Em sua análise, o imóvel nesse momento é “um excelente investimento para quem quer aplicar dinheiro para ter renda de aluguel”. Os preços dos aluguéis devem continuar elevados ainda por muito tempo, mas a localização é um fator que deve sempre ser considerado. “Imóveis mais populares, em regiões próximas à linha de metrô, por exemplo, têm uma procura muito maior e, portanto, uma valorização maior”, explica.

    Além disso, os preços dos aluguéis devem ser analisados considerando o conjunto de custos que o inquilino terá por mês para morar em um determinado imóvel. Na prática, isso quer dizer que a evolução dos preços dos aluguéis também será influenciada pela evolução dos valores dos condomínios e do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano).

    “Alguns aluguéis não vão subir muito porque o condomínio e IPTU já subiram demais”, explica Zaidan. Por outro lado, aqueles imóveis que não tiveram altas expressivas nesses dois custos poderão apresentar altas mais fortes nos aluguéis.

    A região e o tipo de apartamento também influenciam tanto no valor do aluguel quanto na velocidade com que o imóvel é locado. Imóveis de um a dois dormitórios em Moema, por exemplo, não ficam um mês sem ser alugado. “Os bons imóveis, os imóveis menores, não esquentam prateleira”, afirma Zaidan.

    Fonte: economia.uol.com.br/ultimas-noticias/infomoney/2011/12/19/mercado-imobiliario-como-esse-setor-vai-se-comportar-em-2012.jhtm

    0
    • DM 19 de dezembro de 2011 at 14:57

      ë claro que é para a série bola de cristal!

      Sempre o mesmo papinho parcial destes mesmos Srs.

      0
    • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 15:02

      o texto é um show de contradições, mas quero destacar essa parte:

      com o aumento do salário minimo em 15% em janerio de 2012, as taxas de condominio vão subir no mesmo patamar, e vão comer todo aumento de renda disponível dos inquilinos, não vai sobrar nada para repassar pro aumento de aluguel.

      Acrescenta nisso a sobrfeoferta prevista por eles.

      0
    • danilo 19 de dezembro de 2011 at 15:05

      De acordo com o artigo é a demanda que inundou o mercado, nao a oferta.

      0
  • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 14:56

    Maldita mídia

    Quando o IGPM subia eles estampavam na capa: INFLAÇÃO DO ALUGUEL DISPARA

    HOJE IGPM deu negativo, mas cadê a capa INFLAÇÃO DO ALUGUEL DESABA???

    CADê???
    ATÉ o Estadao está no bolso deles, malditos jornais, perdem a credibilidade dia-a-dia pra internet

    0
    • Carlos Wagner 19 de dezembro de 2011 at 15:10

      Luiz

      Boa observação a sua. Note que, por mais ridiculo que possa parecer, os jornais e a grande midia passou a comemorar cada alta que temos nos indices de reajuste de preços como se fosse um ganho para a população e crescimento para o país.

      Isso beira a irracionalidade e mostra quao imparcial e vendida é a midia em relação ao governo e prejudicial à economia popular.

      Estamos vivendo tempos confusos onde a ignorancia, retrocesso economico e emburrecimento coletivo são idolatrados.

      Isso vai dar merda!

      0
  • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 15:13

    NÃO TEMOS SUBPRIME

    no jornal valor: Denúncia agrava crise entre PT e PMDB na gestão da Caixa ECONOMICA FEDERAL (que financia o MCMV)

    A crise entre PT e PMDB na gestão da Caixa se agravou com a denúncia de que transações com papéis da dívida pública podem causar um prejuízo de R$ 1 bilhão aos cofres públicos.

    0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 16:35

      adivinhem quem vai pagar esta conta?!!

      0
      • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 16:39

        Já estou separando três cartões para pagar minha “cota” nessa conta. rzrzrzrz

        0
  • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 15:18

    GFa na casa dos 4
    PDG na casa dos 5
    as duas desabando em dia estável na Bolsa
    desabando, com volume alto e no. de negócios alto, ou seja debandada geral

    Deu alguma merda e a gente não está sabendo, será que tem relação coma notícia da Caixa?

    0
    • veigalex 19 de dezembro de 2011 at 15:23

      Segue noticia

      w w w.valor.com.br/politica/1144348/analise-denuncia-agrava-crise-entre-pt-e-pmdb-na-gestao-da-caixa

      0
      • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 15:44

        acabei de copiar essa noticia aqui em cima
        é 1 bilhão embaixo do tapete
        vou entrar no cambial hoje mesmo

        0
  • me 19 de dezembro de 2011 at 15:20

    Uma pergunta idiota(só não é mais idiota do que não perguntar):

    alguém saberia me explicar como que queda de ações de uma imobiliária pode levar a diminuição dos valores dos imóveis(falei que era idiota)? O inverso consigo ver sentido.

    0
    • veigalex 19 de dezembro de 2011 at 15:27

      Ué.. o mercado não esta aquecido.. como uma empresa deste nicho quebra?
      O Holofotes virão com tudo para o mercado..

      0
      • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 15:36

        me, eu não entendo pq vc nao entende

        Se uma grande quebrar, quebra o ramo inteiro.

        O mercado vive de expectativa, o mercado atual flutua sobre expectativas mais do que sobre matematicas

        Aí vc vai dizer, se quebrar é 1 a menos pra sobreofertar.
        Errado, se uma grande quebrar todos os esqueletos da cidade passam a valer nada.

        0
        • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 15:38

          veiga, entrei lá e vi q vc participa.

          Me explica:
          Há alguma possibilidade de estar caindo pq tem gente grande entrando, pq vem boa notícia pela frente?

          0
        • veigalex 19 de dezembro de 2011 at 15:39

          Queda geral.. acho que foi a noticia da Caixa.. ta tudo caindo no IMOB.. Gafisa R$ 4,70.

          0
          • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 15:43

            isso derepente numa segunda calma antes do natal é coisa grande Veiga.
            quebra da gafisa = estouro da bolha

            está no livro do apocalipse: o fim será visível a todo olho
            citação biblica em homenagem ao me

            0
            • veigalex 19 de dezembro de 2011 at 15:47

              Luiz!

              Parece que estou vendo capitulo final de novela. É viciante.. cada centavo que cai.. eu vibro.. rss O seguimento inteiro sofreu uma queda brusca hoje.
              Com o mercado parado deste jeito, teremos surpresas em 2012.

              0
              • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 15:57

                pqp veiga, acabei de dar um f5, queda de mais de 7% em dia “positivo”
                se essa queda tiver relação com escandalos na caixa esquece 2012: game over

                0
                • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 15:58

                  8%, cada f5 que dou cai 1%
                  é hoje

                  0
                  • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 16:09

                    9%

                    0
                    • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 16:45

                      Luiz,

                      Não vi chegar aos 9%,

                      Mas nos -8,84%, comemorei tomando uma dose de Black Label (estou de férias).

                      0
                    • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 16:50

                      Fred ficou nos 9% de queda por quase 1 hora
                      veja os horarios dos comentarios

                      0
                  • Salles 19 de dezembro de 2011 at 16:13

                    É… to achando que a cotação da gfsa3
                    pode ser utilizada como contador regressivo
                    para o estouro da bolha…

                    9, 8 , 7, 6, 5, 4.6 , ….

                    Daqui a pouco chega no 0 (aí vamos começar a fazer
                    contagem regressiva com o preço dos imóveis…
                    400 mil, 395, 390, 385 …)

                    0
                    • pmoraesm 19 de dezembro de 2011 at 17:00

                      – 9.43% R$ 4,61

                      0
                    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 17:43

                      já foi… leilão

                      0
            • me 19 de dezembro de 2011 at 16:48

              Se fiz entender que quero discussões religiosas, peço desculpas. Minha questão quando mencionei sobre isso foi quando o assunto estava sendo desviado e misturado com outros.
              No mais, Jesus te ama, irmão.

              0
    • Paulo - RJ 19 de dezembro de 2011 at 16:18

      Não creio que a queda de um player possa siginificar uma quebradeira geral do ramo. Tem que ter mais elementos para análises.

      Agora, se eu tivesse algum imóvel da Gafisa na planta, já começava a rezar pra São Judas Tadeu…

      0
  • pmoraesm 19 de dezembro de 2011 at 16:02

    Será que nas reportagens futuras sobre a bolha no Brasil vão dar como a data do estouro o dia da quebra da Gafisa?

    0
    • Carlos Wagner 19 de dezembro de 2011 at 16:17

      Sinceramente?

      Eu acho que essa porra ja estourou nos bastidores e isso é apenas consequencia. Mas ainda é só a cabecinha, tem mais tronca vindo…

      0
  • gekko 19 de dezembro de 2011 at 16:22

    Pessoal, que notícia é esta da Caixa que vocês estão se referindo?

    0
  • MrK 19 de dezembro de 2011 at 16:24

    VOCES VIRAM A GAFISA???

    eu falei aqui semana passada que se ela perdesse o suporte de R$5,00 era sangreira… e que ela iria perder… pois bem, tá tomando -8.9% na cabeça, caindo a R$4,64

    como diria Galvão Bueno: HAAAAAAAAAAAJA CORAÇÃO AMIGO ACIONISTA!!

    0
    • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 16:29

      a imprensa pôs a culpa nos misseis da coreia do norte depois da morte do tampinha, mas que há de novo nisso?
      ainda acho que a notícia do bilhão embaixo do tapete é a fonte.

      0
  • Selvagem 19 de dezembro de 2011 at 16:31

    Daqui a pouco vai entrar em leilão.

    Cade o banco que falou que ia a subir a 13%?

    0
    • Cleyton 19 de dezembro de 2011 at 16:36

      Esse é o famoso circuit-break? Saberia dizer qual o limite pra disparar?

      0
      • Carlos_ 19 de dezembro de 2011 at 16:39

        Cleyton, circuit breaker é quando o índice de ações cai mais de 10%, não quando uma ação específica cai.

        0
        • Cleyton 19 de dezembro de 2011 at 16:42

          Entendi, valeu. E como funcionaria o leilão nesse caso?

          0
        • LAR 19 de dezembro de 2011 at 16:43

          doideira essa Gafisa

          alguem poderia postar as demais construtoras?

          0
          • me 19 de dezembro de 2011 at 16:50

            Tem o índice de todas elas aqui: infomoney.com.br

            0
    • MrK 19 de dezembro de 2011 at 16:43

      MUITO BEM LEMBRADO

      são os mesmos bancos que estão garantindo que o crédito no Brasil é exemplar e que não há bolha imobiliaria

      cada um acredite no que quiser…

      0
    • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 16:51

      Foi o Santander.

      Se eu tivesse um pouco mais de paciência para procurar, te dava o link do relatório.

      0
  • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 16:47

    a coisa é pior do que eu pensava

    BOLha
    novo tópico urgente

    Operação da Caixa pode ter dado prejuízo de R$ 1 bi
    Investidores pagaram mais por papéis vendidos durante período em que o sistema de dados da Caixa não estava funcionando e podem reclamar perdas

    Operações com títulos da dívida pública durante período em que o sistema de dados da Caixa Econômica Federal não funcionava podem gerar prejuízo de até R$ 1 bilhão aos cofres públicos.

    … a empresa Tetto Habitação vendeu a fundos de pensão e bancos volume expressivo de cédulas de crédito imobiliário – títulos emitidos pelo governo para pagar dívidas com bancos. As transações, porém, são suspeitas.

    … negócios realizados pela Tetto, empresa carioca especializada em administrar créditos imobiliários

    estadao . com.br/noticias/impresso,operacao-da-caixa-pode-ter-dado-prejuizo-de-r-1-bi-,812820,0.htm

    0
    • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 16:53

      Seria bom se não fosse péssimo.

      O pagamento da conta vai sair do nosso bolso…

      0
      • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 16:55

        já está Fred
        a caixa é sustentada pelo tesouro e este por nós
        a propósito, queda voltou ao 9% depois do estadao repercutir a noticia

        0
        • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 17:03

          Luiz, respondendo aqui, já que lá em cima não tinha espaço:

          Eu não cheguei a ver os 9%, pois nos 8% eu já estava rindo à toa.

          Quanto a nós pagarmos a conta do PT-PMDB na Caixa, eu sei que já estamos pagando, mas fica mais enfático dizer que vamos pagar.

          O senhor falou em cambial, vai apostar em qual?

          0
  • MrK 19 de dezembro de 2011 at 16:52

    Pessoal desculpa, só vi agora que já tinham comentado da gafisa lá em cima, não quis duplicar o tópico

    olha, na minha cabeça o preco justo dessa ação é perto de R$2,50… falei isso desde quando ela custava R$9,00

    se vai chegar a isso eu não sei, acho pouco provável porque tem muita gente comprada que vai defender o ativo com unhas e dentes, pode até ser que chegue, mas não vai ser num piscar de olhos não

    me perguntaram se ela já está quebrada, olha, analisando friamente o balanço e o mercado, eu responderia que é uma empresa que EU não emprestaria nem 50 centavos… a EZTEC que se cuide se comprar

    0
    • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 16:56

      MRK,
      porfavor vc poderia trocar em miúdos a noticia do escandalo envolvendo a caixa, fundos de pensão e creditos imobiliários?

      0
  • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 16:56

    Mestre MrK, acho que o senhor respondeu a minha pergunta lá de cima.

    Quanto a possibilidade de a quebra da Gafisa, por exemplo, contaminar o resto da economia, qual a sua avaliação?

    0
    • MrK 19 de dezembro de 2011 at 17:06

      olha, o impacto será muito mais psicologico do que financeiro, no longo prazo é bom que quebrem as empresas ruins para liberar recursos e dar espaco pra novas, mas vamos falar do curto prazo

      a gafisa provavelmente vai ser comprada (ou dada) para alguém tocar…eztec, pdg, fundo de quintal S/A… quem pode perder mesmo são os credores e acionistas, PRINCIPALMENTE os credores da divida, os malucos que compraram esses papéis e o governo

      mas voce já imaginou a coca-cola ou o mc donalds quebrando nos anos 80? walt disney quebrando nos anos 70? imaginou a Shell quebrando com o preço do petroleo nas alturas? impensável, né?

      a quebra da gafisa terá um efeito psicologico forte no mercado imobilario de fazer a ficha “cair”, vai colocar um elemento de risco, de medo, de incerteza… isso pode sim acelerar o estouro da bolha e torna-lo maior na minha opinião

      0
      • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 17:09

        Acho que não fui muito claro na pergunta,

        Se a Gafisa confirmar a falência, os desempregados dela têm potencial para, a curto-médio prazo, contaminar os setores de varejo, serviços ou automóveis, por exemplo?

        0
        • MrK 19 de dezembro de 2011 at 17:19

          Fred, a grande maioria de empregados dessa empresa são peões de obra, mestre de obra etc… esses aí estão com muita demanda, muito projeto atraso… além de que as obras podem ser assumidas por outras empresas ou grupo de moradores…mesmo os que saissem provavelmente se recolocariam

          eu não acho que os desempregados da gafisa, que não se recolocarem, tem potencial de fazer um estrago na economia… como disse, acho que o estrago vai por outros meios:

          1- credores da divida
          2- acionistas
          3- especuladores de imoveis (imagina voce comprou 2 ou 3 gafisas na planta e a empresa quebra, é de gelar a espinha…)

          0
          • Troll 19 de dezembro de 2011 at 20:20

            Pois é, MrK. Vide ENCOL na década de 90. Mas creio que os órfãos da Gafisa (os desempregados) serão absorvidos pelas construtoras “sólidas” restantes.

            0
      • Pensativo 19 de dezembro de 2011 at 19:25

        MrK
        Interessante, porém o PT NUNCA vai deixar a Gafisa quebrar, nem que para isso estatize-a via BNDES. A Encol já ensinou ao Brasil que o custo para salvar uma grande incorporadora da falência é muito menor que deixar ela ir para o buraco.
        Entretanto, não há como o governo alavancar mais o mercado imobiliário sem causar grandes estresses inflacionários. Uma hora o Dilma terá que decidir se salva o Real ou mantém a farsa (de que o Brasil virou país de primeiro mundo, onde qualquer um pode comprar um imóvel de 500k) e deixa a bomba para o próximo governo. Sinceramente tenho duvidas se já não passamos do ponto sem volta e agora é só estamos a esperar pelo pouso n’agua.

        0
  • Muca CG Muita Treta 19 de dezembro de 2011 at 17:01

    Gafisa, PDG e Rossi fecharam com fortes quedas. Isso significa que os fatos estão ficando cada vez mais claros. Qual seria o impacto para as construções em andamento, caso essas empresas quebrassem mesmo? Teríamos muitos esqueletos pelas cidades? O impacto seria maior do que o da Encol, por exemplo?

    0
    • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 17:06

      Caro Muca (se der para explicar o nickname é bom, pois é o mais enigmático que eu vi aqui no bolha até agora),

      ACHO que vai haver mais esqueletos (caso confirme a queda), pois os investidores não vão se juntar para terminar uma obra em que não vão morar.

      0
      • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 17:11

        adorei seu comentário
        kkkkk
        pode mesmo ser pior que a encol

        0
      • Carlos Wagner 19 de dezembro de 2011 at 17:13

        “ACHO que vai haver mais esqueletos (caso confirme a queda), pois os investidores não vão se juntar para terminar uma obra em que não vão morar.”

        Fred

        ótima observação….

        0
      • Muca CG Muita Treta 19 de dezembro de 2011 at 17:26

        Fred, meu nickname é em homenagem a um conhecido. Ele é aquele suburbano estereotipado, que adora motos CG, é metido a machão e cujo apelido é Muca (que deriva de seu nome, Murilo).

        0
        • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 17:42

          AH!

          Valeu! rzrzrzrzrz

          0
        • Troll 19 de dezembro de 2011 at 20:23

          uahauahauhauahuahau

          0
  • danilo 19 de dezembro de 2011 at 17:05

    Queda de aproximadamente 9,5%. Interessante

    0
    • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 17:09

      pra dar rizada

      copiei de um genio investidor com 5 anos de experiencia

      2390 de 239019/Dez/2011 16:52
      2 NW1Comentários: 775 – Desde: Out 2006

      Ia entrar com mais mas vou esperar, esta muito esquisito cai 9,6% e num reage? ta com cara que vai para 4,10 mesmo.

      0
      • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 17:24

        Luiz, pela “rizada” sei que o senhor é fã do nosso amigo-corretor JJ,

        Cadê ele para analisar a queda de 9,43% da maior do setor em um dia que o IBOV ficou em modestos -0,9%?

        0
        • dentista 19 de dezembro de 2011 at 17:42

          Curioso é ver que nenhum dos sites de economia está dando essa queda de hoje como notícia. Será que vão abafar o caso?

          0
    • lrp 19 de dezembro de 2011 at 17:16

      a gafisa já vem cancelando seus lançamentos a algum tempo, não tem compradores, varias açoes na justiça, imoveis de pessima qualidade, não vou estranhar se ela falir e deixar muita gente na mão, meu colega de trabalho ganhou muito dinheiro vendendo açoes a 20 reais da gafisa, saiu na hora certa, outro colega de trabalho deixou o imovel dele quitado num bairro mais proximo do trabalho pra comprar uma cobertura num bairro longe pra pagar a diferença em 30 anos e ainda acha q fez um excelente negocio.

      0
    • augusto 19 de dezembro de 2011 at 17:44

      Deveras interessante, muito mesmo. O que o mercado sabe que não divulfam para os mortais?

      0
  • FQ 19 de dezembro de 2011 at 17:10

    Caraca!!!!!!!

    Tá caindo 10%!!!

    Quero ver as manchetes dos jornais amanhã! Se estivesse subindo esse montante, teríamos umas 200 reportagens enaltecendo o mercado imobiliário e uns 20 reportes entrevistando moradores “milionários” e “felizes” da barra!

    0
  • MrK 19 de dezembro de 2011 at 17:10

    Sabem o que acho engraçaod nessa historia da gafisa?

    os bancos ja sabiam que essa empresa tava quebrada ha pelo menos 6 meses, qualquer analista bom já saberia isso há 9 meses… nada aconteceu de ontem pra hoje que fez a empresa quebrar, mesmo que tenha alguma noticia que ainda virá a tona, se vier vai ser só o golpe de misericordia, o cenário tá desenhado há muito tempo….. ainda assim esses analistas ficavam mandando comprar, foi até topico do bolha, são uns fanfarrões, que fique de lição pra quem pensa em seguir essas “ficas”

    quem comprou a R$15,00 vai precisar que o papel suba 226% só pra tirar o principal…. sem contar o custo de oportunidade.

    o elefante pergunta pra vaquinha: tomou?

    0
    • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 17:15

      Mrk,
      desculpa insistir, achoq q se vc puder explciar em doutas palavras a questão do esncadalo envolvendo fundos de pensão, Caixa, governo e pT vai fciar tudo mais claro

      0
      • MrK 19 de dezembro de 2011 at 17:28

        Luiz, eu li a noticia, mas só lendo é impossivel saber se houve sacanagem ou apenas um sucessão de erros, não dá pra garantir que houve má fé

        basicamente a caixa vendeu titulos por R$1bn a mais do que valiam por um “erro” de sistema, para fundos ligados a politicos do PMDB e estatais (furnas, correios etc..), poderia ser uma maneira ilicita de financiar a caixa? poderia, mas é impossível afirmar

        quem se ferrou com isso foram os cotistas do fundo, ou seja, funcionarios comuns de correios, furnas e outras estatais que tomaram um prejuizo feio no fundo de pensão deles.

        uma coisa interessante vai ser ver como isso vai ser resolvido, se a caixa vai precisar devolver 1bi pros fundos… não da pra dizer ainda se isso tem a ver com necessidade de financiamento imobiliario ou algo do genero

        0
        • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 17:32

          será que tem a ver com a ordem do governo de mandar os fundos segurarem as pontas no mercado de creditos imobiliários?

          0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 17:31

      olha a data:

      EXAME – 11/05/2011 11:30

      Diretor presidente da Gafisa renuncia ao cargo
      Wilson Amaral deixa a construtora depois de cinco anos como diretor presidente da Gafisa

      São Paulo – O conselho de administração da Gafisa reconheceu na segunda-feira (9/5) a renúncia do diretor presidente da companhia, Wilson Amaral, e nomeou Alceu Duilio Calciolari como seu substituto, sem especificar o motivo.

      Amaral, que havia sido reeleito em dezembro de 2009 para o cargo, permanecerá como membro do conselho, informou a ata da reunião. Sua saída estava prevista para o fim do ano depois de cinco anos como diretor presidente da Gafisa.

      Segundo o documento, Calciolari também exercerá o cargo de diretor financeiro e de relações com investidores e terá mandato até 31 de dezembro de 2011.

      0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 18:29

      repare na data

      EXAME Construção | 05/07/2011 11:29

      Gafisa tem novo diretor-presidente
      Calciolari é diretor financeiro da empresa há 11 anos

      São Paulo – O executivo Alceu Duilio Calciolari foi efetivado como diretor-presidente da Gafisa, cargo que exerceu como interino nos últimos 45 dias. Calciolari está há 11 anos como diretor financeiro da empresa – durante seis desses 11 anos ele acumulou a função de diretor de relações com investidores.

      “Estou muito honrado por assumir a presidência da Gafisa”, afirmou Calciolari, em comunicado. Antes de trabalhar na Gafisa, o executivo atuou como diretor financeiro da Tupy e ALL. Calciolari é formado em administração de empresas e possui mestrado em Controladoria pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

      Além de Calcionari, outro diretor da empresa mudou de cargo. Rodrigo Osmo, atual diretor superintendente da AlphaVille Urbanismo, assume a diretoria financeira. Até o final do ano ele vai acumular as duas funções. O executivo está há cinco anos na empresa e está à frente do plano de negócios que irá fundamentar a compra dos 20% ainda pertencentes à Alphapar.

      Antes de entrar na Gafisa, Osmo atuou como executivo da GP Investimentos e consultor da Bain & Company. Ele também foi professor assistente de Finanças da Escola de Negócios de Harvard, Harvard University, e sócio-fundador da Ysoquim Representações Internacionais. Osmo é formado em engenharia química pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e possui mestrado em administração de empresas pela Harvard Business School.

      0
  • Davi 19 de dezembro de 2011 at 17:16

    h t t p ://www.infomoney.com.br/gafisa/noticia/2262507-acao+gafisa+cai+semana+lidera+perdas+ibovespa+periodo

    0
    • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 17:19

      a pergunta que não que rcalar:
      Pq a cyrela não foi junto?

      0
      • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 17:27

        Luiz,

        É questão de tempo para a Cyrela ir para o mesmo buraco.

        0
        • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 17:30

          cara esse forum da advfn é engraçadíssimo,
          estou me mijando de rir
          os traders não tem noção de nada com nada, devem ser adolescentes não é possível
          acho q vou aprar de jogar xadrez on line e tirar uma grana no mercado

          outro comentário deles sobre a gafisa:
          “foda-se vou comprar mais”

          0
          • MrK 19 de dezembro de 2011 at 17:31

            eu fui banido desse forum hehehe

            só porque recomendei um cara a NÃO fazer um trade, ele fez, tomou um prejuizo do tamanho do mundo e me baniu de vingança hahahaha

            quando o assunto envolve dinheiro as pessoas ficam com os nervos a flor da pele… olha que eu tentei ajuda-lo

            0
          • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 17:48

            Pois é, Luiz,

            O melhor do fórum do ADVFN é que dá para ver a discussão desde muito tempo.

            É incrível. Primeiro foram os que diziam que ia romper a barreira dos R$12 para buscar mais de R$20. Depois os que diziam que ia romper os R$8 para buscar os R$15, agora vai romper os R$5 para buscar os R$7.

            Daqui a pouco vão dizer que vai romper os R$0,25 para buscar o R$1!!!!

            0
            • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 18:04

              pode negociar a menos de 0,01?

              0
      • MrK 19 de dezembro de 2011 at 17:30

        luiz, uma teoria é a seguinte..

        se a gafisa quebra, a cyrela fica dona do mercado

        mesmo que outra empresa compre a gafisa, até ela estabilizar e ficar “operacional” de novo leva tempo, a cyrela poderia nadar sozinha e abocanhar o mercado

        a situacao da cyrela não é das melhores, mas se ela ganhar 50% da fatia de mercado da gafisa já pode comecar a melhorar…

        0
        • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 17:40

          MRK vc ser banido daquilo considere um elogio

          A sua teoria da conspiração é bem interessante
          até acho que no BRasil as coisas costumam ser um pouco mais prosaicas do que isso, rs

          e pensando já 2 jogadas na frente, se eles estão mesmo pensando isso eles estão errados, vão cair numa “perpétua”

          0
        • Rf 19 de dezembro de 2011 at 17:48

          MRK e colegas do Bolha

          Vendo esta situação calamitosa que se encontra o mercado e a Gafisa vocês acreditam que a Eztec ainda estaria disposta a comprar-la?
          Não seria um problema maior para a Eztec do que foi a Tenda para a própria Gafisa?

          0
          • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 17:55

            Rf,

            Acho que a EZTEC só compra a Gafisa se houver alguém muito gênio e visionário ou muito idiota na empresa para não conseguir ver o que todos vêem: a dívida da Gafisa é uma BOMBA.

            0
        • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 17:50

          MrK, acho que se a Gafisa quebrar, leva Cyrela junto.

          O pessoal pode ver a Cyrela como a “nova Gafisa” e correr do papel, mesmo com a empresa (Cyrela) mais saudável que a finada Gafisa.

          0
          • dentista 19 de dezembro de 2011 at 17:53

            Concordo, Porém é provavel uma estagnação nas vendas pois os potenciais compradores ficarão temerosos sobre a saúde financeira das contrutoras. O mercado como um todo vai junto.

            0
            • MrK 19 de dezembro de 2011 at 17:56

              olha, são tantas variáveis que realmente fica dificil dizer

              pode ser sim que uma quebra da gafisa, ou uma venda as pressas (quebra disfarcada) prejudique a confianca na cyrela, isso não é nenhum absurdo de se pensar, por outro lado a cyrela pode se consolidar sozinha no mercado, não sei o que prevaleceria, honestamente.

              depende de muita coisa… momento economico, confiança, facilidade da cyrela em rolar as dividas.. fica dificil mesmo dizer qualquer coisa, temos que aguardar, fato é que a confianca no setor de construcao civil ta cada dia pior

              0
              • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 17:59

                a cyrela vai abocanhar sozinha o mercado?
                qual mercado?
                rs

                0
      • Troll 19 de dezembro de 2011 at 20:25

        Timing. Só isso

        0
  • Thigu 19 de dezembro de 2011 at 17:22

    E-mail recebido hoje.

    Unidade ao lado metro com 136 metros pronto para morar- Ipiranga- Even

    Olá boa tade!

    Voltou uma unidade com 136m , pronto para morar , a 100 metros do metro Alto do Ipiranga.
    Projeto com duas torres ,no 10º andar…

    É… logo logo o mercado vai estar cheio de imóvel voltando…

    0
  • Miguel Jacó 19 de dezembro de 2011 at 17:32
  • lrp 19 de dezembro de 2011 at 17:38

    Gafisa, ativo congelado. Amanha continua.

    0
  • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 17:59

    Entre as 5 maiores baixas de hoje, duas do setor: MRV e adivinha qual outra?

    Dica: começa com G

    0
  • MrK 19 de dezembro de 2011 at 18:02

    GAFISA NO AUGE DA BOLHA R$15

    GAFISA HOJE R$4,60

    queda de 70% !!!!!!!!!!!

    mas o mercado está muito aquecido, viu??????????

    o pior que amanhã a gafisa pode subir no repique pra R$4,70 aí vem menino do rio, andré, jotajota, a turma da lopes encher a paciência..

    0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 18:03

      aí a gente dá rizada deles

      RZRZRZRZRZRZRZ

      0
      • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 18:07

        RZRZRZRZRZRZRZRZRZ
        RZRZRZRZRZRZRZRZRZ
        RZRZRZRZRZRZRZRZRZ
        RZRZRZRZRZRZRZRZRZ
        RZRZRZRZRZRZRZRZRZ

        0
        • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 18:36

          MRK,

          Amanhã vai dar Repique?
          Acho que vai dar REPICASSO… em homenagme ao jotajota

          0
        • Mineiro BH 19 de dezembro de 2011 at 20:24

          Oooooooo gente, eu amo esse blog kkkkkkkkkkkk

          O humor aqui é top…

          Sério, tou com saudade do JJ, será que ele tá ocupado realizando os lucros com a Gfs?

          0
          • Bolha Imobiliária 19 de dezembro de 2011 at 21:48

            Engraçado que com esta queda monstruosa da Gafisa, ele nem apareceu para falar contra…Ele era um contra-bolha, mas não ofendia ninguém, por isso eu permitia as postagens dele

            0
            • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 22:32

              pelo contrário,

              um JJ diverte muita gente
              dois JJ’s divertem, divertem muito mais

              0
  • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 18:02

    GFSA3 a 4,48

    0
    • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 18:06

      – R$11,79

      Bolheiros e bolhudos,

      Amanhã será um dia de grandes emoções, nenhum papel cai assim sem justificativa.

      0
      • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 18:06

        Foi mal, é -11,79%

        0
      • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 19:10

        19/12/2011 – 18h55
        Magnata russo compra apartamento mais caro de Nova York

        DA EFE, EM NOVA YORK

        O magnata russo Dimitry Rybolovlev, um dos cem homens mais ricos do mundo segundo a revista “Forbes”, comprou por US$ 88 milhões o apartamento mais caro de Nova York, informou nesta segunda-feira o jornal “The New York Observer”.

        Segundo fontes do periódico, Rybolovlev adquiriu de Sandy Weill, ex-conselheiro do Citigroup, uma luxuosa cobertura de 625 metros quadrados em Central Park West, considerada a propriedade mais valiosa da história do mercado imobiliário da cidade.

        O apartamento –com uma vista ampla para o Central Park e um terraço de quase 200 metros quadrados que rodeia todo o imóvel– tem dez quartos, 17 armários e tetos de mais de quatro metros de altura.

        A transação supera o recorde anterior de venda de uma propriedade residencial em Nova York, estabelecido neste mesmo ano por outro russo, o compositor Igor Krutoy, que comprou por US$ 48 milhões outra residência na mesma área da cidade.

        Ryobolvyev, de 45 anos, desembolsou há três anos US$ 95 milhões para adquirir do empresário americano Donald Trump sua mansão em Palm Beach, na Flórida, casa que agora é reivindicada por sua mulher como parte de um divórcio que pode custar ao magnata até US$ 6 bilhões, acrescentou o jornal nova-iorquino.

        O russo também deseja imitar seu compatriota Roman Abrámovich, proprietário do clube de futebol inglês Chelsea, sendo o próximo dono do Monaco, da França, com um investimento próximo dos 200 milhões de euros.

        Ryobolvyev –que neste ano ocupou a 93ª posição entre os homens mais ricos do mundo da lista da “Forbes” com um patrimônio de US$ 8,6 bilhões– multiplicou sua fortuna em 2010, quando vendeu suas ações do fabricante de adubos russo Uralkali por US$ 6,5 bilhões, e atualmente mora no Chipre.

        0
    • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 18:29

      queda de 13%

      0
  • MrK 19 de dezembro de 2011 at 18:09

    né brincadeira não

    uma ação da gafisa não paga nem mais 1 hora de estacionamento no shopping

    uma ação da gafisa tá regulando com um café expresso (se for nespresso aí não!)

    daqui a pouco vai ser trocado “me dá um sorvete e pode dar o troco em gfsa3”

    0
    • Carlos Wagner 19 de dezembro de 2011 at 20:09

      O Sr. aceita o troco em Gafisa3?

      Não nao….Me dá em bala mesmo….ahuahuahuhaua

      0
  • José Trein 19 de dezembro de 2011 at 18:12

    Galera,
    Venho lendo o que vocês escrevem e algumas outras coisas e pensado sobre o tema da bolha e acho que agora posso juntar algumas idéias e expressar uma opinião sobre o assunto.
    Primeiro tinha apenas a “sensação” que as coisas não estavam normais, os preços praticados já saíram do razoável faz tempo e as pessoas continuam falando com se fossem entrar em órbita, como se 1 milhão fosse troco. Mas para engenheiro “sensação” não basta, gostamos de números, ainda que em se tratando de economia muitas vezes estes sejam pouco úteis(a intuição prevalece sobre a lógica e a emoção sobre a razão). Mas algumas coisas me chamam a atenção:
    – Os que defendem a “não bolha”, argumentam que o nível de endividamento no Brasil ainda está muito abaixo dos EUA pré-bolha. Isso indicaria que a condição do honrar os pagamentos por aqui é melhor. Ok! Mas quem disse que as bolhas só estouram por falta de pagamento? As tulipas não se desvalorizaram porque as pessoas estavam endividadas com a compra de flores, nem porque as “parcelas” da compra estavam vencendo sem os compradores conseguirem honrar. As tulipas caíram porque o preço estava irracional e alguma hora uma pessoa disse: chegou o limite!
    Se você acha que o nível de empréstimos ainda é baixo, veja esses dados (http://www.brazilianbubble.com/2011/12/analysis-household-debt-service-ratio.html#more) que mostram o PERCENTUAL da renda familiar comprometida com financiamento de imóveis, e decida se eles são assim tão baixos (2X maiores que EUA e UE).
    – Segundo o IBGE a população do município do Rio de Janeiro é de 6,3 M e ainda segundo o mesmo instituto o número de famílias com renda superior a 20 salários mínimos (R$ 10.800,00) é de 4,5 ~ 5% da população do Rio (http://seriesestatisticas.ibge.gov.br/series.aspx?vcodigo=PD248&t=rendimento-medio-mensal-domiciliar-por-classes-de-salario-minimo) e segundo a FGV o número de ricos (acima de 40 salários mínimos ou R$ 21.600,00) é de aproximadamente 1% (http://www.fgv.br/ibrecps/M3/midia/kc913.pdf) , como o primeiro caso é renda familiar e o segundo pessoal, consideremos como 2% o número de famílias com renda acima de 40 salários mínimos. Isso dá ~ 42 K famílias nessa faixa (no RJ). De acordo com reportagem do jornal Destack do início de 2011, existiam na zona sul mais de 150 K imóveis acima de 1 M, ou seja, dá quase 4 imóveis para cada família mais abastada.
    Mas vamos voltar aos valores de salários e imóveis para verificar se apesar de tão falado não há uma bolha de solvência nos financiamentos imobiliários.
    Vamos pegar um apartamento médio, de 700K, baratinho pros dias de hoje, que está mais para “nova classe média” que para essa galera >40 salários que não se contenta com menos que Leblon e Ipanema. Pois bem, se eu der 200K à vista (não é qualquer trocado..) faltam 500K, financiando pela tabela price com juro real de 6% ao ano, só para facilitar as contas, tenho prestações de R$ 4.290,00 por 15 anos. Não são 15 meses, como o fim-de-semana no nordeste pela CVC, são 15 ANOS. Para um casal jovem isso significa um horizonte de tempo com filho (ou filhos) e alguns chegando na adolescência, com curso de inglês, academia, intercâmbio, etc. E isso são valores ilustrativos, no simulador do site da caixa você não consegue isso de jeito nenhum!
    Ganhando R$ 21.600,00, você cai na alíquota de 27%, sobra R$ 15.800,00 e então os R$ 4.290,00 levam outros??? 27%!!!! Exatamente. Imagina você pega o seu salário tira o imposto de renda e depois, do que sobrar, você tira de novo!!!
    Legal, você acaba de voltar para a galera dos 20 salários 😉
    Mas 700K é um preço médio baixo porque só no zap temos a seguinte distribuição de valores de imóveis, apenas para o município do RJ:
    600 a 800K: 6927
    800K a 1M: 4600
    1M a 3M: 10941 ( é aqui que a galera tá focando, precinho médio…)
    > 3M ( o céu é o limite): 2915
    Apenas para tornar mais divertido pegamos um ap. na faixa com mais oferta, digamos 1,5M, com 500K desembolsados na bucha, que poderia ser de outro ap. vendido na troca, financiando o restante para 20 anos pra ficar mais leve… Aí seriam SÓ R$ 7.265,00 mensais, tranqüilo…
    Quem tem essa grana pra dar durante VINTE ANOS? Conheço poucos!
    Se você acha que a bolha do Brasil não tem nada a ver com a dos EUA, Espanha, Irlanda, etc, veja http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=611
    Assim verificamos que a subida IRRACIONAL dos preços tem um apanhado de motivos:
     Crédito farto (em grande parte lastreado por governo/poupança o que é preocupante no momento do estouro)
     Presença de investidores/especuladores
     Pessoas que compram apenas na expectativa de revenda com preço maior mas não apenas com a finalidade de moradia(vou morar mas tenho a expectativa de aumentar meu patrimônio – pequeno especulador)
     Pessoas que precisam de moradia, não são investidores, mas compram no desespero, pois sabem que se pararem pra pensar e ficarem reclamando de como os preços estão altos, do quanto são absurdos e etc eles já terão subido outros 30%. Então simplesmente não pensam e contra suas próprias crenças do que seja um preço justo compram o que for possível (quem sabe Botafogo em vez de Leblon… ops passaram 6 meses então quem sabe Tijuca em vez de Botafogo 😉
    Enfim, todas as características de bolha estão aí, mas como sempre aconteceu nas outras vezes insistimos em procurar motivos racionais para explicar porque continuará subindo: copa no mundo, olimpíadas, UPPs, etc (no caso do RJ, em Brasília e outras cidades deve haver outras explicações bastante razoáveis).
    Se você quer ver como é otimista o pensamento durante a bolha assista: http://www.youtube.com/watch?v=wQjEdcykTx8&feature=related

    0
    • Carlos Wagner 19 de dezembro de 2011 at 20:19

      José

      É isso mesmo. Otimo post e obrigado por compartilhar seu ponto de vista conosco.

      0
    • Fred Henrique 19 de dezembro de 2011 at 22:21

      Trein, bem vindo ao clube.

      0
    • Me 19 de dezembro de 2011 at 23:00

      Muito obrigadp José. Bem legal essas informações.

      0
    • dentista 20 de dezembro de 2011 at 00:01

      excelente Post, Vale um tópico exclusivo no blog

      0
  • José Trein 19 de dezembro de 2011 at 18:13

    Pois bem, que há bolha parece ser evidente, e apenas para me sentir mais dentro do grupo que discute o assunto, vou propor a pergunta: mas quando???
    Como todos disseram antes: isso é mera especulação!
    Claro, é sim, mas existem indícios?
    Talvez…
    Se a bolha pára de inflar (pára de dar lucro e deixa de ser um investimento interessante para virar uma fonte de despesas com imóveis), se as pessoas não conseguem mais sustentar a alta de preços (1M deixa de ser troco para todo mundo), se seca o crédito imobiliário (o ar da bolha), ou se há um grande susto no mercado que faça as pessoas saírem, por um momento que seja, dessa roda viva e pensar um pouco, aí podemos ver um estouro.
    O que temos agora?
     Mercado em desaceleração: (http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2011/12/noticias/minuto_a_minuto/nacional/1057456-sondagem-mostra-que-contrucao-civil-esta-em-desaceleracao.html) se isso ocorre um especulador irá fazer as contas de quanto é possível ganhar, em que prazo e mais importante; qual o risco associado? Então pode começar a deixar de ser interessante investir nesse moto perpétuo da multiplicação de $$$ para voltar ao bom e velho mercado financeiro.
     Oferta de crédito incerta:
    Apesar da Caixa anunciar valores crescentes de financiamento, o principal estoque de recursos, a caderneta de poupança, deve esgotar sua capacidade de financiar ainda em 2011: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=611
     Começou a ficar caro:
    As pessoas parecem estar chegando ao limite da sua capacidade de pagamento, com isso as construtoras usam o artifício de reduzir o tamanho dos imóveis para manter a demanda sem superar esse “teto” e ao mesmo tempo a alta do m2. http://www.realestate.br/images/File/NewsLetter/CartaNRE26-4-11.pdf
     Poderemos ter um grande susto?
    A quebra de uma grande construtora como foi a Encol certamente balança o mercado e pode fazer investidores reverem suas posições e famílias que pouparam a vida toda pelo sonho da casa própria pensarem melhor se é o momento de colocar todas suas economias em um “imóvel na planta” que pode ficar mais para planta que para imóvel.
    Queda da (nos últimos 2 anos):
    Bovespa: 15%
    Brookfield Incorporacoes (BISA3): 30%
    CYRELA REALT ON NM (CYRE3): 38%
    GAFISA ON (GFSA3): 64%
    MRV (MRVE3): 71% (mas com um evento excepcional há dois anos)
    http://economia.terra.com.br/mercados/acciones/default.aspx
    Resumindo em poucas palavras:
    Há bolha?
    SIM!
    Para haver bolha não precisamos de créditos podres ao estilo subprime EUA, basta crédito farto, crescimento sem justificativa para níveis sem nenhum lastro que explique ou demonstre ser aquele um nível real de preço (tipo relação aluguel/valor do imóvel remunerando abaixo da poupança), presença de especuladores (pequenos e grandes), idéia que inventamos (ou EU inventei, afinal sou muito esperto e sei coisas que os outros não sabem) a maquina perpétua de fazer dinheiro.
    Temos tudo isso por aqui!
    Quanto ao quando, isso já é especulação e estaria me unindo aos outros se indicasse uma data, mas parece que já temos todos os ingredientes, seria o PIB negativo o alfinete? http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica-brasil-economia/33,65,33,3/2011/12/15/internas_economia,282906/economia-encolhe-0-32-em-outubro-e-derruba-estimativas-parao-pib-em-2011.shtml

    0
  • José Trein 19 de dezembro de 2011 at 18:14

    Gafisa caindo 13% a 4,45 parece que a casa caiu, literalmente…
    Quem ainda tem um ap pra vender tira 20% e joga no mercado pra tentar salver alguma coisa…

    0
    • dentista 19 de dezembro de 2011 at 18:38

      Imagine agora o desespero dos que compraram na planta e com obras em andamento.
      A casa caiu!

      0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 18:38

      nem se tirar 40%… começamos a conversar se tirar 50%

      0
      • José Trein 20 de dezembro de 2011 at 09:36

        Concordo com você, pra mim só tirando 50%, mas tem uns especuladores/investidores que são mais espertos que eu e você juntos e vão ghanhar rios de dinheiro com o “repique” de alta qua vai dar nos próximos meses… RSRSRS

        0
    • Miguel Jacó 19 de dezembro de 2011 at 19:16

      Gente, alguem pode me explicar qual é a relação direta da grande queda da Gafisa com o estouro da bolha? Sinceramente, ainda não consigo enxergar isto como o estopim para o estouro da bolha.

      0
      • Luiz 19 de dezembro de 2011 at 21:59

        Se uma das maiores construtoras do país quebrar isso mostra duas coisas:

        1) Que o mercado não está assim tão bom quanto se supunha, afinal, se as vendas estivessem em ritmo acelerado a empresa não teria os problemas financeiros que está tendo.

        2) Que o mercado de imóveis, ao contrário do que se propaga, é um investimento de risco e quem compra na planta pode ficar chupando o dedo, isso pode afastar de vez os investidores e diminuir ainda mais as vendas, forçando os preços para baixo.

        0
        • Miguel Jacó 19 de dezembro de 2011 at 23:01

          Até aí tudo bem, mas as ações da Gafisa estando em baixa acarretam algum prejuízo financeiro a ela? Desculpe novamente minha ignorância, mas na minha opinião não acarreta, pois as ações são títulos lançados para captação de dinheiro, ou seja, a GAFISA lançou por X e já está com o $$$ na mão. Procede?

          0
          • Cleyton 19 de dezembro de 2011 at 23:11

            Tem razão em partes, esses títulos lançados à mercado fazem do comprador um sócio da empresa, e como tal um avaliador dos lucros futuros (e seus potenciais dividendos) bem como de seu possível valor no futuro, caso resolva vendê-la.

            Ou seja, a cotação do ativo na bolsa é uma avaliação que o mercado faz da empresa, ver que o mercado não está avaliando bem pode afetar de forma negativa possíveis negócios futuros dela, dificultar futuras captações, atrapalhar possíveis fusões, um cenário não muito favorável.

            É minha opinião.

            0
            • Nato 20 de dezembro de 2011 at 10:05

              Miguel Jaco

              O valor da acao de uma companhia (Gafisa por exemplo) e a composicao de varios fatores objetivos e subjetivos.

              O mais significativo fator objetivo e o valor presente do fluxo de caixa que essa empresa deve gerar no futuro. Ai vem uma primeira “pegadinha”: Se assumirmos que a empresa vai ficar aberta eternamente, tecnicamente chamado de “on-going concern”, entao o valor deveria ser infinito certo? obviamente a resposta esta errada pois existem riscos impossiveis de se calcular hoje, por isso existe um “fator de desconto” ou taxa de desconto no valor dos fluxos de caixa futuros.

              Quanto maior o risco e incerteza, maior a taxa de desconto. No caso da Gafisa, eu diria que o fator de desconto poderia ser maior do que 17% (em termos reais, ou seja alem da inflacao), mas isso e estritamente pessoal e cada analista financeiro tera seu numero.

              Se uma companhia tem futuro cada vez mais incerto, isso significa que lucro e fluxo de caixa futuros estao sob risco de diminuicao, por isso o preco de sua acao automaticamente cai.

              Outros fatores subjetivos como troca de comando frequente, cancelamento de festa de final de ano e outros que indiquem que o moral esta baixo na companhia tambem influem o preco da acao, mas numa escala menor do que os fatores objetivos. Cabe ressaltar que num momento de crise e panico no mercado financeiro, os fatores subjetivos tendem a ser mais considerados do que os objetivos como endividamento, caixa etc.

              Espero ter ajudado.
              Ab

              0
  • Edwania Amorim 19 de dezembro de 2011 at 18:21

    Boa noite a todos,

    A tempos acompanho o blog. Eu, como muitos aqui, rejeito a ideia de ter de financiar por muitos anos um imóvel. A intenção é adquiri-lo à vista, no entanto, com os preços absurdos, isso se torna impossível. Ao contrário da maioria aqui, entendo pouco do assunto. Entretanto, tenho observado que o levou as pessoas a buscar o finaciamento de imóveis, seria o fato da parcela ser equivalente ao valor despendido para alugar. Assim, as pessoas acham mais vantajoso ficar anos pagamento um imovel, já que se tornará proprietário do imovél, o que não acontecerá apenas alugando. De certa forma, essas pessoas tem razão. Diante disso, acredito que a procura de imóveis para “compra” somente vai diminuir quando esses valores se inverteram, ou seja, quando alugar se tornar vai vantajoso que financiar. E isso vai depender da oferta de crédito a juros baixos.

    0
    • MrK 19 de dezembro de 2011 at 19:21

      mas alugar é muito mais vantajoso

      um imovel que custe, digamos R$300.000, custa em media R$3.000 de parcela e o aluguel na ordem de R$1.000 (valores aproximados)

      hoje vale infinitamente mais a pena alugar, portanto não acho que esse ponto seja realista ao menos no Rio de Janeiro onde conheco os valores

      0
      • eam 19 de dezembro de 2011 at 19:54

        MrK, achar um imóvel razoável, em um local de padrão classe média (Tijuca, por ex, q eu conheço) por menos de R$ 1k é uma missão que nem Tom Cruise em sua famosa série de filmes conseguiria atualmente. Falo isso por experiência própria, ou melhor, “quase própria” (postei minha “história” ainda hj, mais cedo).
        Se o mercado imobiliário brasileiro em geral está insano, o caso carioca é algo que classificaria como “hour concur” na escala de insanidade, e está pior para os inquilinos, pois os proprietários estão aproveitando pra enfiar a faca, com a lâmina e cabo, e se puderem empurram tbm os dedos pra dentro da ferida.
        Aí vem “mané” (como dizem vcs cariocas) dizendo q a queda no comércio em geral deu-se em função da crise européia… fala sério !!!!

        0
      • eam 19 de dezembro de 2011 at 20:12

        …ah, em tempo: no atual cenário tbm concordo que o aluguel é a melhor opção.

        0
    • Miguel Jacó 19 de dezembro de 2011 at 19:23

      Alugar historicamente foi mais vantajoso que financiar, até o momento em que começou a bolha, onde adquirir, repassar e ficar com o lucro virou vantagem.

      Hoje, financiar é loucura: os preços estão no topo extremo, você pagará uma prestação alta, por muitos anos, e no final das contas terá pago o dobro do que é considerado hoje super caro.
      Além disto, confirmando-se o estouro da bolha, o imóvel desvalorizará de 30 a 40%. Ou seja: você estará jogando seu suado dinheirinho pela janela, e automaticamente jogará pela janela todo seu dinheirinho futuro que você ainda vai trabalhar para ganhar.

      0
    • DanielCM 20 de dezembro de 2011 at 03:04

      se a parcela fosse do valor do aluguel, vá lá. Ocorre que isso nem sempre acontece. É fácil as pessoas comprometerem uma parcela maior do orçamento porque estão investindo no “sonho” da casa própria”. e o brasileiro nem quer saber quanto de juros irá pagar, pois só quer saber se a parcela cabe no bolso, como naquela piada do macaco que media as frutas antes de comer.

      0
      • Cleyton 20 de dezembro de 2011 at 09:58

        Haha! Foi a melhor analogia que esse blog já teve!!!

        0
    • Edwania Amorim 20 de dezembro de 2011 at 10:30

      corrigindo… Há tempos

      0
  • Leandro 19 de dezembro de 2011 at 18:24

    A queda das ações da GFSA3 (12,96) representa mais do que notinhas em jornais, significa o fim de um ciclo, o boom esta oficialmente encerrado.
    A esperança de uma reação do mercado imobiliário encerrou nesse ultimo final de semana, esse ano não se vende mais imóveis, a expectativa era que o resultado muda-se nos 45 do segundo tempo. Para a indústria imobiliária a decepção é geral
    O mês de dezembro é a cereja do bolo para os negócios imobiliários, corresponde de 15% a 20% do faturamento anual, o levantamento prévio do mercado demonstrou que os negócios deste mês ficaram muito aquém da expectativa.
    A GAFISA jogou todas suas ficha nas vendas de final de ano, seria a saída para alguma melhora no já debilitado balaço, essa jogada se mostrou um blefe. Ela vai precisar passar por ajustes internos, mas provavelmente será incorporada (Incorporadora Incorporada rsrs).
    Quanto às outras, terão muitas dificuldades, umas mais outras menos, mas todas terão que repensar os valores propostos, senão seguirão o mesmo caminho.

    0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 18:37

      a ganância está tão grande que tenho que dizer que não tenho dó nenhum deles…

      tentaram tirar tantos ovos de ouro da pobre coitada da galinha que ela está morrendo…

      0
  • Selvagem 19 de dezembro de 2011 at 18:36

    A gafisa a gente ja esperava.

    Agora alguem me explica a EZTEC -5%? Não era essa a empresa modelo, diferenciada, que tinha fundamento e não se alavancava?

    0
  • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 19:11

    19/12/2011 – 18h55
    Magnata russo compra apartamento mais caro de Nova York

    DA EFE, EM NOVA YORK

    O magnata russo Dimitry Rybolovlev, um dos cem homens mais ricos do mundo segundo a revista “Forbes”, comprou por US$ 88 milhões o apartamento mais caro de Nova York, informou nesta segunda-feira o jornal “The New York Observer”.

    Segundo fontes do periódico, Rybolovlev adquiriu de Sandy Weill, ex-conselheiro do Citigroup, uma luxuosa cobertura de 625 metros quadrados em Central Park West, considerada a propriedade mais valiosa da história do mercado imobiliário da cidade.

    O apartamento –com uma vista ampla para o Central Park e um terraço de quase 200 metros quadrados que rodeia todo o imóvel– tem dez quartos, 17 armários e tetos de mais de quatro metros de altura.

    A transação supera o recorde anterior de venda de uma propriedade residencial em Nova York, estabelecido neste mesmo ano por outro russo, o compositor Igor Krutoy, que comprou por US$ 48 milhões outra residência na mesma área da cidade.

    Ryobolvyev, de 45 anos, desembolsou há três anos US$ 95 milhões para adquirir do empresário americano Donald Trump sua mansão em Palm Beach, na Flórida, casa que agora é reivindicada por sua mulher como parte de um divórcio que pode custar ao magnata até US$ 6 bilhões, acrescentou o jornal nova-iorquino.

    O russo também deseja imitar seu compatriota Roman Abrámovich, proprietário do clube de futebol inglês Chelsea, sendo o próximo dono do Monaco, da França, com um investimento próximo dos 200 milhões de euros.

    Ryobolvyev –que neste ano ocupou a 93ª posição entre os homens mais ricos do mundo da lista da “Forbes” com um patrimônio de US$ 8,6 bilhões– multiplicou sua fortuna em 2010, quando vendeu suas ações do fabricante de adubos russo Uralkali por US$ 6,5 bilhões, e atualmente mora no Chipre.

    0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 19:12

      Jotajota, vc não tem nenhuma daquelas ofertas imperdíveis para mostrar para o magnata aí, não? Vendeu todas?

      0
  • pmoraesm 19 de dezembro de 2011 at 19:28

    “Em Santana – Grande oportunidade.
    Economize mais de 250 mil

    Em Santana – Apartamento de 4 dormitórios com 195m², ótima localização que reúne todas as qualidade do bairro a um empreendimento completo, de alto padrão. Grande oportunidade! Economize 259 mil.

    De: R$ 1.359.000,00
    Por R$ 1.100.000,00”

    Uau, vou reservar 2 pra mim.

    0
    • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 19:33

      e nessa área aí devem estar somando vagas de garagem, armário na garagem, jardineira e casinha do joão-de-barro na árvore do jardim, mas com o desconto você consegue comprar um apartamento em Miami…

      0
    • eam 19 de dezembro de 2011 at 19:40

      pmoraesm, vc sabe a localização deste “negócio da China”???
      Apenas pra constar, sou morador da região e não pagaria R$ 1000k em nenhum apto por aqui…

      0
      • pmoraesm 19 de dezembro de 2011 at 21:40

        Rua Voluntários da Pátria, 3955

        Recebi por email mas está na pagina principal deles

        http ://www.promoimoveis.com.br/index.php/site/index/

        0
        • eam 20 de dezembro de 2011 at 10:23

          Ao lado do hospital do Mandaqui…
          Bom, se o comprador passar mal dps de perceber a burrada q fez ao comprar essa jostra por R$ 1000k, pelo menos não precisará andar mto pra ir ao hospital… he he he he… (o q não significa q será atendido, diga-se de passagem).

          0
    • L1 19 de dezembro de 2011 at 22:05

      ahahaahh

      chega a ser engraçado… é como a metáfora do coiote que muitos contam aqui… acabou o chão mesmo… eles estão tentando se segurar no barranco desesperadamente

      0
  • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 19:44

    Olha a conversa que tive agora a pouco com um corretor da GAF:

    Corretor 19:19:58 Bem-vindo(a) Shakespeare,você acessou o canal exclusivo de vendas Gafisa. Quais são as características do imóvel que deseja comprar?
    Shakespeare 19:20:18 Oi corretor fulano, já começaram as promoções de final de ano?
    Corretor 19:22:17 Envio de URL: http://Sim Manuel
    Shakespeare 19:22:53 e de quanto tem sido o desconto médio?

    ***neste ponto ele parou de me responder objetivamente e passou a me sondar, a conversa transcorreu até que disparei:***

    Corretor 19:34:47 o seu teto de valores é este?
    Shakespeare 19:35:03 é
    Shakespeare 19:35:15 não quero fazer um financiamento
    Shakespeare 19:35:25 são recursos próprios

    *** neste momento ele já viu que as coisas estavam difíceis para ele, pois tinha nas mãos um consumidor consciente e não um cordeirinho***

    Corretor 19:36:00 consigo a baixo deste valor tratando de um pagamento a vista.
    Shakespeare 19:36:11 certo
    Shakespeare 19:36:21 como hoje as ações da Gafisa levaram um tombo feio nas bolsas, acho que vou esperar mais um tempo, voltamos a conversar em alguns dias…
    Shakespeare 19:36:39 obrigado

    ***Imagino a cara dele***

    0
    • Troll 19 de dezembro de 2011 at 20:43

      Trollagem!!

      0
      • shakespeare 19 de dezembro de 2011 at 20:59

        total

        rzrzrzrzrzrzrzrzrz

        0
    • Bolha Imobiliária 19 de dezembro de 2011 at 22:05

      Hahshuahusahsuhusa, como voce é mau….hehe

      0
  • Fabiano 19 de dezembro de 2011 at 19:48

    Gafisa aprova emissão de R$230 milhões em notas promissórias

    RIO DE JANEIRO (Reuters) – O conselho de administração da Gafisa aprovou uma primeira emissão de notas promissórias comerciais no valor de 230 milhões de reais.

    A emissão se dará em duas séries, uma de 150 milhões de reais e outra de 80 milhões, com valor unitário de 10 milhões de reais cada papel.

    “Os recursos captados por meio da distribuição pública das notas promissórias serão utilizados para usos gerais da companhia – capital de giro”, afirma a Gafisa em ata da reunião do conselho divulgada no final da noite de segunda-feira.

    As notas promissórias terão prazo de vencimento de até 360 dias corridos a partir da emissão.

    noticia do dia 06/12/2011

    só digo uma coisa quem comprou apto na planta da Gafisa que comece a rezar agora no natal rs

    0
  • Miguel Jacó 19 de dezembro de 2011 at 19:48

    http://noticias.r7.com/economia/noticias/varejo-corta-previsao-de-vendas-no-natal-20111218.html

    Varejo corta previsão de vendas no Natal
    Expectativa é de aumento de 2% em relação ao ano passado.

    Mesmo com redução do IPI e todo incentivo moral da presidenta, as vendas estão estagnando…
    Sabe o que significa isto, meus amigos? Recessão a caminho…BOOOOOOMMMMMM!

    0
  • Ghaspar 19 de dezembro de 2011 at 23:25

    Gostaria que alguem me explicasse o seguinte:
    Como em 2008 estava todo mundo FU…..e em 2010, ficou todo mundo milionário ???
    Com um simples estalar de dedos…como se fosse mágica….kkk
    E porque o (s) autores de tamanha façanha não ganharam o Nobel de Economia ?????

    Pois eu , como Hamlet , digo depois de longa experiencia , que há algo de muito podre no ar…
    Vem rola grossa pela frente( ou por traz…kkk) …Podem acreditar……A PEIA É GROSSA…kk

    0
    • Shakespeare 20 de dezembro de 2011 at 09:16

      vou cobrar meus direitos autorais… e usar a grana para comprar apê baratinho em 3…2…1…

      RZRZRZRZRZRZRZRZRZRZ

      0
  • Leo 20 de dezembro de 2011 at 09:13

    Estou comecando a ver postagens de venda de AP no facebook… de pessoas que sei que compraram como investimento… um deles dizia que só colocaria p/ vender em junho do ano que vem.

    Ja comecou… as noticias estao ai. Quem tem C tem medo…. a ganancia é mole mas o medo de perder $ é duro.

    0
  • Paulo Franc 20 de dezembro de 2011 at 09:24

    Pessoal olhem a contradição de reportagens do mesmo site, UOL Economia:

    29/11/11 – http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/valor/2011/11/29/venda-de-imoveis-novos-em-sp-cresce-162-em-setembro-aponta-secovi.jhtm

    e hoje postaram isso:

    http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/reuters/2011/12/20/vendas-de-imoveis-novos-em-sp-caem-mais-de-30-em-outubro.jhtm

    Agora fica a pegunta, quem esta mentindo nesta historia? Me lembro quando publicaram a do dia 29/11 eu comentei que ‘ uma mentirinha (secovi) pode ser saudavel’

    0
  • Marvin 20 de dezembro de 2011 at 17:18

    Pessoal, moro no grande ABC (grande bost..), e, procurando informações sobre preço dos “terrenos de alto padrão” no espaço cerâmica em SCS (só por curiosidade), fiquei estarrecido… 1,1 milhão por um terreno de 340m2!!!! O pior de tudo, é que fica a poucos metros de um córrego podre que alaga quando dá uma garoa um pouco mais forte, e, olhando para a divisa com São Paulo, é possível avistar um conjunto habitacional construído para a galera do Heliópolis (até que é ajeitadinho, mas é um conjunto habitacional); chamar de alto padrão um terreno desse me parece meio exagerado, e cobrar mais de 1 milhão, aí eu chego a conclusão de que algo está muito errado… Alguém aí tem informações sobre este condomínio, se já está “tudo vendido” como dizem, se já tem gente construindo, qual o valor do condomínio….

    0