A chuva, o feriado e um estande de vendas na capital – Estadão

Você pode gostar...

Comments
  • veigalex 22 de novembro de 2011 at 13:19

    Eu passo em frete a este empreendimento todo dia.

    Sempre tem corretor.
    Uns entregando folheto, outros olhando o horizonte.

    A localização é ótima, mas nesses preços, só rindo mesmo!

    Ótima reportagem!

    0
    • João 29 de janeiro de 2012 at 21:14

      É HORA DE TENTAR VENDER TUDO O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL AQUI NO RJ. O OLHO É MUITO GRANDE E NÃO ESTÁ SE VENDENDO NADA REALMENTE. QUANDO ESTA BOLHA IMOBILIÁRIA ESTOURAR VAI MERDA PARA TUDO QUANTO É LADO.

      0
      • aiwww 29 de janeiro de 2012 at 23:57

        Concordo. A tática dos corretores em 2011 foi a seguinte “compre agora ou nunca mais comprará”. Pois bem, aumentaram os preços e passaram do caro em 2009, para o absurdo em 2011 e ainda há muitos que conseguiram chegar ao ridículo. Não gosto da dar uma de Nostradamus, acompanho o mercado diariamente desde o final de 2007, mas o ao meu ver, na hipótese dos preços não subirem mais, o mercado ainda deve demorar de 5 a 10 anos para absorver os preços atuais. Por isso não há como temer que os preços subam mais, pois já subiu até o nível ridículo e assim as vendas despencaram. Sem pressa e desespero, a hora é de deixar a água correr para o rio. É só esperar, dar tempo ao tempo e acompanhar o mercado. Se eu estiver errado, quem puder esperar por mais um ano não estará perdendo nada, apenas ganhando tempo e poder de barganha na hora que o desespero tomar conta daqueles que compraram para especular.

        0
  • Felipe 22 de novembro de 2011 at 13:35

    é o sonho do dinheiro fácil… Parece aquele filme “O Primeiro Milhão” (boiler room), em que o chefe dos corretores estagiários tem uma ferrari e fica mostrando pros novatos.

    é novidade pra mim tbm que cada corretor tenha um nome de guerra – bem legal essa reportagem.

    0
    • Anonymous 22 de novembro de 2011 at 14:10

      Felipe,

      Prostituta também tem nome de guerra. Acho que no fundo é VERGONHA da profissão.

      0
    • Ader 22 de novembro de 2011 at 14:12

      Achei muito estranha a utilização de apelidos…

      0
      • Indecoroso 22 de novembro de 2011 at 14:44

        Pra mim, o uso de apelidos pelos corretores visa a evitar futuras ações por excesso de promessas na venda, juridicamente denominado de “dolus malus”, que pode até nulificar o negócio imobiliário.

        0
        • Ader 22 de novembro de 2011 at 15:01

          Indecoroso,
          Isso seria Falsidade Ideológica?

          0
          • Indecoroso 24 de novembro de 2011 at 19:33

            Opa… só vi agora.

            Falsidade ideológica até que não, a não ser que o corretor omita informações em algum documento público/particular com a finalidade de manipular dados.

            Se restar demonstrado que ele adotou nome diverso com a finalidade de cometer fraudes na venda de imóveis, deverá ser enquadrado no art. 307 do Código Penal, que diz:

            “Art. 307. Atribuir-se ou atribuir a terceiro falsa identidade para obter vantagem, em proveito próprio ou alheio, ou para causar dano a outrem”.

            Grosso modo, acho que a abordagem jurídica penal seguiria nesse caminho. Algum especialista aí em Direito Penal para nos esclarecer melhor?

            0
  • Salles 22 de novembro de 2011 at 13:39

    Mais novidades do mercado…

    http://www1. folha .uol .com . br/mercado/1010216-cyrela-avalia-necessidade-de-revisar-projecoes-para-2012.shtml

    0
  • Evandro CPS 22 de novembro de 2011 at 13:45

    h t t p : / / www1.folha.uol.com.br/mercado/1010216-cyrela-avalia-necessidade-de-revisar-projecoes-para-2012.shtml

    No fim da matéria:
    “…Ele disse ainda que não vê, em um horizonte próximo, tendência de queda ou acomodação de preços. “Em nenhum lugar do Brasil o preço de terreno cai… não há nada que indique acomodação de preços (de imóveis)”….”

    0
  • John 22 de novembro de 2011 at 13:51

    Se os preços caíssem para um patamar de acordo com a realidade (preços beeeem mais baixos) seria saudável para o mercado. Até acredito que exista sim demanda, por isso uma queda poderia reativar bem as vendas. Agora, uma coisa é certa: se eu fosse especulador e tivesse entrado alavancado estaria dormindo mal hoje.

    0
  • Andre Luiz 22 de novembro de 2011 at 13:57

    “O hoje superintendente de vendas Evandro Mota, o Fazano, chegou de Mercedes ao estande, finalizando o dia. Em 2009, quando entrou na Lopes, ele era apenas mais um corretor.”

    Essas carreiras relâmpago são só para iludir. Será que ele vai manter esse padrão de vida por muito tempo?

    0
    • Luiz 22 de novembro de 2011 at 14:44

      Mercedes e Ferrari tem pra alugar

      Eles usam as mesmas estratégias de porta de boate pra enganar adolescente.
      Vcs acham que alguem semialfabetizado tem condição de ficar rico honestamente?

      0
      • Frank 22 de novembro de 2011 at 21:52

        jogador de futebol….pagodeiro…político no Brasil 🙂

        0
        • Hik 25 de novembro de 2011 at 00:44

          Para o último caso não se aplica o termo “honestamente”.

          0
          • Marco 25 de novembro de 2011 at 12:01

            Tem como sim ficar “rico” honestamente. Conheço VÁRIOS empresários que ficaram e ficam cada vez mais ricos que não possuem o ensino superior. Trabalho no ramo de vendas, e com atitude e perseverança se alcança o sucesso sim, sem precisar utilizar de artifícios excusos pra isso.

            0
  • Tiago 22 de novembro de 2011 at 15:09

    Pena que o nível dessa discussão pendeu pro lado da esculhambação ao invés da análise e coesão… 🙁

    0
    • xyz 22 de novembro de 2011 at 17:17

      È verdade. O pior é que o alvo é errado.
      Corretores são meros vendedores e só quem é otário não sabe que vendedores tendem a “maquiar” o bem que estão vendendo, exceto quando estes bem são tão bons que dispensam essa “maquiagem”.

      0
      • Jack Imóveis 22 de novembro de 2011 at 17:34

        Tiago e Xyz,

        Discordo de vocês. Há muitos corretores bons. Mas os mais novos são arrogantes, sem experiência e muito menos preparo.

        Lembro de uma frase que o corretor que me vendeu o apartamente me disse.

        “Investidor de verdade compra a vista com desconto, senão o retorno fica abaixo do CDB”

        O cara era das antigas e muito experiente.

        Não sou tão radical quanto o Luiz espanta corretor, mas acho que na sua maioria hoje esses profissionais não cumprem seu dever dentro da ética necessária.

        Abraços

        Jack – Certinho da Titia

        0
        • Tiago 22 de novembro de 2011 at 22:10

          Amigos…

          os corretores precisam ganhar o dinheiro deles… não podemos menosprezá-lo ou enxotá-los… o problema não são eles… o problema é a especulação… a falta de políticas para combater a bolha… o descaso do governo… a falta de critérios para liberação do crédito… etc…

          0
      • me 22 de novembro de 2011 at 17:44

        Fora as teorias de conspiração.

        0
        • MrK 22 de novembro de 2011 at 18:00

          me,

          eu não acho que haja uma conspiração

          mas acho muita ingenuidade achar que num mercado de bilhões de reais, que movimenta governo, empresários e a midia (em função das propagandas) as coisas sejam todas limpas e claras

          no MINIMO ingenuidade

          conspiração? não sei. Manipulação? certamente!

          0
          • Luiz 22 de novembro de 2011 at 18:36

            – é o país dos coitadinhos:

            – é muito macho qdo o coronér manda matar

            – mas se for preso chora quenem criança: “só tava cumprindo ordi seu dotô”

            vcs mesmos viram o que os corretores prometeram neste blog: promessas de valorização garantida, mentiras deslavadas, até uma fabrica eles prometiam fechar, mas tudo bem sáo apenas capangas analfabetos que mal tem dentes.

            E vcs ainda sentem pena, o coitadinho, não arrumava emprego vive de vender drogas.
            ou de corretagem
            Lamentável.

            0
            • Hik 25 de novembro de 2011 at 00:53

              Concordo. Eu trabalho na área de vendas também (nada a ver com imóveis) e sempre atuo com ética, mesmo porque o meu trabalho parte do princípio das relações comerciais duradouras, quando não o mais próximo posssível da perenidade. O problema é que esses “vendedorezinhos” não agem pensando em fidelizar um cliente-parceiro no longo prazo, aonde ambas as partes têm o valor adicionado e satisfação no negócio fechado.
              Realmente, esse negócio de “eu só segui ordens” não cola. Ética e bom senso não mudam de setor para setor.
              Uma parte dos corretores ajudaram a inflar a bolha, sim e muito conscientemente.

              0
  • Carlos Wagner 22 de novembro de 2011 at 15:10

    Colegas

    Se essa reportagem não é uma descrição de um mercado em frangalhos e apresentando tendência de queda e desvalorização, não sei o que é.

    Outro ponto que chama a atenção é mencionar que o superintendente de vendas chegou de mercedes no stand ao final do dia. Quem é mais velho vai se lembrar: mas isso se parece muito com a euforia que tomou conta de brasil ha alguns anos com o famoso Net Work Marketing com a Am Way. Todos queriam consumir e vender seus produtos para progredirem na escala das porcentagens de retorno financeiro que a empresa dava aos “sócios”. Para estimular aquela multidão, vinham “sócios” diamante, esmeralda, rubi das grandes capitais, dirigindo seus mercedes, BMWs, para mostrar aos meros mortais como aquele negocio era o supra sumo dos investimentos.

    Já vi esse filme outras vezes e o desfecho quase que inevitavelmente vai ser, novamente, a deteriorização do esquema mirabolante.

    0
    • Lucas 22 de novembro de 2011 at 15:22

      Cara, o MrK já fez essa análogia da pirâmedi com o mercado imobiliário atual.
      Vamos ver o que vai acontecer.

      0
      • Lucas 22 de novembro de 2011 at 15:49

        digo, piramide.

        0
    • Cleyton 22 de novembro de 2011 at 15:23

      Ah, Carlos, muito boa a comparação, acho que é por aí mesmo. O cara que larga a profissão pra ser corretor, vendedor “multinível”, pedreiro (no caso da espanha) ou trader de bolsa só porque está dando dinheiro, é quem move as bolhas, no caso no MMN quem toma na cabeça é só o “empreendedor”, não altera os preços no mercado, creio que o que conta é a atitude especuladora de ganhar dinheiro sem precisar estudar.

      0
      • Luiz 22 de novembro de 2011 at 15:36

        bem lembrado Carlos, essa gente é a mesma que vendia os produtos amway de porta em porta.

        Muitas esposas levaram o marido à falência na tentativa de criar uma imagem que cremes e sabonetes jamais poderia sustentar.

        0
        • aiwww 22 de novembro de 2011 at 16:20

          Esse esquema da Amway ainda perdura no Brasil. Quem nunca ouviu falar de Herbalife …

          0
          • Indecoroso 22 de novembro de 2011 at 18:08

            Falando em pirâmide, lembram-se também da Omni Brasil? O coitado entrava com 4k com a promessa de que em mais ou menos 5 anos se tornaria um magnata!
            Dessa aí até os egípcios ficaram com inveja.

            0
          • Schmidt 22 de novembro de 2011 at 18:58

            Forever também.

            0
          • Anonymous 22 de novembro de 2011 at 19:15

            Tem também o caso da “Boi Gordo”. O golpe mais antigo que me lembro foi o caso “Montepio da familia militar” nos tempos da ditadura.

            0
      • peterson 23 de novembro de 2011 at 11:45

        Traders profissionais realmente especulam muito bem na bolsa, mas o mercado só pode virar uma bolha se assim for conspirado. Eu já disse que hoje não existem mais traders profissionais operando nas carteiras imobiliária brasileira, sinais claros foram dados, alguns aqui captaram e até disseram alguns deles, ficaram os outros operadores, como preferirem chama-los… ps.: não opero em ações pois sou mais agressivo rs

        0
        • Cleyton 23 de novembro de 2011 at 11:54

          peterson, bolha por definição é descolamento entre preço e valor, isso acontece na minha opinião em economias de referência nominal (como os EUA e o Brasil apartir do plano real), antigamente tinhamos a correção monetária que freava bolhas, mas tinha inflação como efeito colateral, o nominalismo tem menos inflação mas gera bolhas periódicas, não tem a ver com conspiração, tem a ver com referência de valor apenas, baseio minha opinião nos trabalhos deste professor http : //w ww.kanitz.com/artigos_nominalismo.asp

          0
      • Ricardo 23 de novembro de 2011 at 14:21

        Exato, a chave é essa: pessoas querendo ganhar dinheiro sem precisar de conhecimento. Quem investia em Herbalife ficava feliz por conseguir ganhar dinheiro “trabalhando duro” em contrapartida ao pouco conhecimento que possuía. Não eram pessoas folgadas, apenas crédulas, ignorantes.

        No caso da especulação com imóveis, eu vejo algo mais sério ainda, pois os caras nem mesmo trabalhar querem. Querem apenas assinar os papéis, fazer os depósitos e largar os corretores por aí deixando eles ricos com os repasses.

        Eu conheço gente que se acha a última bolacha do pacote por ter R$ 200 mil guardardo no banco. Falam em “deixar a grana trabalhar por mim”, como se fossem mega-investidores donos de bancos particulares. Mas são apenas pessoas que passaram 30 anos em uma carreira comum, que até dois anos atrás ganhavam R$ 4-5 mil por mês.

        Não é grande coisa guardar R$ 200 mil. Mas quem guarda isso se sente rico, poderoso. Porque não sabem fazer contas direito e não percebem que dos 60 aos 80 esse dinheiro mal complementa a aposentadoria pública que receberão. Não consideram perda do poder aquisitivo, inflação oficial, gastos com saúde, etc. No caso dos negócios, não consideram que a venda do imóvel possui custos, que o imóvel vazio também custa e que um imóvel novo necessita de uns R$ 30 mil em reformas para que seja habitável.

        Todos esses pequenos detalhes fazem com que esses especuladores percam dinheiro. Sabe algo incrível? Se tiverem que pagar as chaves corrigidas pelo INCC irão perder dinheiro mesmo ganhando 20% ao ano na valorização de um imóvel na planta. O lucro depende do otário final, que senta no escritório da corretora para calcular o financiamento corrigido (que NUNCA é informado de forma transparente por quem está repassando o ágio) e sai de lá querendo chorar.

        E tem muito otário indo para stand de vendas com New Civic usado parcelado em 60x, comprar 4 apartamentos na planta com os com 200 mil que tem no banco (*).

        (*) Eu já tive/ainda tenho subordinados cinquentões que tinham 200, 300 mil no banco e mesmo assim parcelavam os automóveis de R$ 50 mil deles. Falavam com orgulho e com um tom de sabedoria que “aquele dinheiro lá é pro futuro, pra segurança” e que “o que importa é o carro caber no salário do mês”. Só faltavam bater no meu ombro e dizer que eu era muito novo (28) e um dia iria aprender a ser tão bom como eles. Todos eles na realidade acham que eu tenho sorte apenas, ou que puxo saco, sei lá.

        Se são felizes assim, ótimo. Pena que perdem muito dinheiro com toda a sabedoria deles. Mas o brasileiro não sabe fazer conta, o que é uma pena.

        0
  • Mr. R 22 de novembro de 2011 at 15:15

    Cheia de romantismo essa reportagem… Acho que a intenção era mostrar como a profissão de corretor é glamourosa, mas veio a chuva (ou seria a bolha?) e estragou tudo. Que pena!!

    0
  • Marco 22 de novembro de 2011 at 15:45

    E que nem o Herbalife. O cara acha que vai ficar rico rapidinho.Uma maquina de enganar trouxas.
    Os precos ja estao caindo e neguinho vai ter que trabalhar honestamente pra vender alguma coisa.
    Esperem pra ver.

    0
  • Evandro CPS 22 de novembro de 2011 at 15:57

    h t t p : / / economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201111221738_TRR_80516944

    Venda de imóveis usados em São Paulo cresce 1,91% em setembro

    O mercado de imóveis usados da cidade de São Paulo cresceu 1,91% em setembro em relação ao mês anterior, segundo pesquisa feita com 448 imobiliárias da Capital pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP). O mês de setembro mostrou que a queda de 14,47% no mês de agosto foi pontual, após um crescimento alto (85,76%) em julho em relação ao mês anterior.
    O mercado de locação de imóveis continuou recuando no mês de setembro, com queda de 15,32% em setembro após retração de 4,89% em agosto. Segundo José Augusto Viana Neto, presidente do Creci-SP no final de ano, a expectativa é que as famílias destinem os 13º salários, férias e abonos para a compra da casa própria ou para novos imóveis alugados e, por isso, os dois mercados devem apresentar crescimento.
    No entanto, segundo Viana Neto, a crise européia e seus efeitos no Produto Interno Bruto (PIB) nacional gerará impacto nos índices uma vez que, apesar da baixa dos juros básicos (Selic) promovida pelo Banco Central (BC), o custo das prestações de financiamentos continuará alto para a maioria das famílias. Para o presidente do conselho, o governo deve criar mecanismos de atração de parte dos ganhos adicionais da nova classe média para o setor habitacional.
    Recuperação das vendas
    De acordo com o conselho, as 448 imobiliárias consultadas em setembro venderam 246 imóveis. Os apartamentos foram os mais vendidos, com 160 unidades (65,4%). Os imóveis mais vendidos foram os de valor superior a R$ 200 mil (57,08% do total).
    As vendas feitas por meio de financiamento bancário representaram 53,72% do total, seguido da venda à vista (42,56%), venda parcelada pelos proprietários (2,48%) e vendas por crédito de consórcio imobiliário (1,24%). A média geral de preços dos imóveis usados subiu 6,6% em setembro em relação à média de agosto. No acumulado do ano, o valor médio dos usados acumula queda de 2,51%.
    As casas de padrão médio com tempo de construção entre 8 e 15 anos e situadas na Zona E (Brasilândia, Campo Limpo, Grajaú e Itaquera), foram as que mais subiram proporcionalmente em setembro, com alta de 74,23%. O m² nos locais passou de R$ 1.501,82 em agosto para R$ 2.616,67 em setembro.
    O imóvel que ficou mais barato foram os apartamentos de padrão médio com mais de 15 anos de construção nos bairros Belém, Bom Retiro, Brás e Butantã, cujo preço médio caiu 19,89%, de R$ 3.985,98 em agosto para R$ 3.193,16 em setembro.

    0
    • Ricardo 22 de novembro de 2011 at 16:03

      Opa, eu quero a comparação com SETEMBRO DE 2010 e não com agosto de 2011. O SECOVI sempre compara com o que resultado que der o maior índice. Já conhecemos bem essa historinha.

      Alguém teria o índice de 09/2010?

      0
      • Evandro CPS 22 de novembro de 2011 at 16:09

        Acho que é isso:

        vendas de 2010:
        h t tp : / / http://www.monitormercantil.com.br/mostranoticia.php?id=87120

        0
      • peterson 23 de novembro de 2011 at 11:51

        e mais uma vez meu EA estava certo rs… muito feliz com isso. Eu estou aprendendo muito com essa bolha brasileira, os sinais, os movimentos, as tendencias, muito legal para aprimorar minhas técnicas de análise, quem disse que não ganha-se nada com isso está enganado, ganha-se muito, mas tem que ter percepção, feeling no tempo certo, ao final desta bolha penso que estarei muito forte e muito preparado, pois ví sua formação e verei sua extinção… aomenos é o que se desenha!

        0
  • DM 22 de novembro de 2011 at 16:15

    Só maluco hoje em dia trocaria uma profissão por este tipo de atividade (Isto não é emprego).

    Sem querer esculhambar, verifica-se com a reportagem que só é corretor de imóvel hoje em dia quem não tem outra opção, estando desempregado ou não sabendo fazer nada. Pena que o futuro destes novos corretores não seja mais emocionante que o dia em que ficaram no estande esperando potenciais compradores.

    Para mim esta reportagem só reforça a atual situação do mercado em que depois de uma euforia e exploração deixou uma terra arrasada, o mercado imobiliário vai levar muito mais tempo para se estabilizar do que levou neste pseudo “crescimento” dos últimos 3 anos, pois a sustentabilidade é zero.

    E para mim a bolha já estourou sim, de uns meses para cá até os idiotas já se convenceram de que imóvel está proibitivo e com um preço irreal, somente alguns querem acreditar que não, que não querem ver o óbvio por medo da triste realidade que possam ter se dado mal, e por aqueles que acham que estão mais ricos pois o seu imóvel mais que duplicou de valor (Achar ok, quero ver vender!) e é claro pelas construtoras e SECOVI`s da vida que já a muito tempo cairão na real que o sonho do $$$$ fácil já acabou, mas que tem que manter a pose de que o barco vai bem obrigado para tentar evitar o barata voa no vestiário feminino.

    0
    • Evandro CPS 22 de novembro de 2011 at 16:19

      off-topic

      Demais a anologia da barata no vestiário! kkkk

      0
      • Luiz 22 de novembro de 2011 at 16:31

        tbm gostei da imagem da barata voadora no vestiario feminino, rsrs

        melhor que aquela do desenho do papaleguas quando coiote só lembra de cair no precipicio quando olha pra baixo e vê que a estrada acabou

        0
    • Carlos Wagner 22 de novembro de 2011 at 17:14

      Muito boa a analogia da barata. Rachei de rir. Só mulherada pelada correndo na loja, caos total…rs

      0
    • Leandro 22 de novembro de 2011 at 22:43

      Muito boa a da barata! kkk

      0
    • Indecoroso 24 de novembro de 2011 at 19:38

      Pena que só consegui imaginar a mulherada saindo “com uma mão na frente e outra atrás…”

      Hehehe…

      0
  • RD85 22 de novembro de 2011 at 16:30

    Continha de padaria (com base no artigo do colega acima no Monitor Mercantil):

    Junho – Queda
    Julho – Queda
    Agosto – Queda
    Setembro + 19,71% em cima de uma base acumulada de 3 quedas

    – 531 imobiliárias (Creci-SP)

    As imobiliárias pesquisadas venderam em setembro 286 imóveis

    Setembro: 286 / 531 = 0,54 imóvel por imobiliária…

    Agosto: 286 / 1,19 = 241 (sendo gente boa e arredondando pra cima)
    241 / 531 = 0,45 imóvel por imobiliária

    Maio:Supondo que a queda foi de 20% de Maio pra Junho, de Junho pra Julho e de Julho pra Agosto (prova por absurdo, porque a chance de ter sido isso é bastante pequena) teríamos em Maio (antes das quedas todas):
    241 / (0,8^3) = 471 (sendo gente boa de novo e arredondando pra cima)
    471 / 531 = 0,88 imóvel por imobiliária…

    Ou seja, nem em Maio quando a coisa tava “boa ainda” havia mais que 1 venda por mês por imobiliária….

    Me engana que eu gosto Secovi…

    0
    • Jack Imoveis 22 de novembro de 2011 at 16:41

      Caros,

      Só para esclarecer. Esses dados são do CRECI. Eles monitoram os inoveis usados. O Secovi monitora imóveis novos.

      Muitos acham que os dados não valem nada, mas eu acho que são ótimas fontes e com credibilidade. Até porque eles tem reportados seguidas quedas.

      Quem não tem credibilidade são os executivos das mesmas que justificam as quedas com as coisas mais absurdas.

      0
      • RD85 22 de novembro de 2011 at 16:54

        Jack,

        obrigado pelo esclarecimento e contribuição.
        O “me engana que eu gosto” foi para nosso amigo José Augusto Viana Neto:

        “Esse número mostra o potencial de valorização dos imóveis e a oportunidade de se fazer bons investimentos no setor” – afirma José Augusto Viana Neto, presidente do Creci-SP

        0
        • luciane 22 de novembro de 2011 at 18:04

          Agora comparando com os dados de 2010, confome link postado acima:

          Setembro de 2010 – 286 imóveis
          Setembro de 2011 – 246 imóveis

          Queda de 14% em relação ao ano anterior. Mas eles não vão publicar isso né, é melhor comparar com Agosto que tradicionalmente já é um mês com vendas mais fracas…

          0
    • Ricardo 23 de novembro de 2011 at 14:39

      São 286 imóveis em uma cidade MONSTRUOSA como São Paulo!

      São Paulo possui 3,93 milhões de domicílios. Significa que em um mês a rotatividade foi de 0,0072%? Ou de 0,087% por ano?

      Que apenas 10% da cidade não sejam favelas que estão fora do mercado formal. Que apenas 50% das transações do mercado formal passem pelas imobiliárias. Improvável, mas vale o exercício.

      Uma rotatividade de 1,74% significaria que as famílias vivem mais de 50 anos na mesma residência, sem que os filhos saiam de casa, sem que mudem para outros bairros, sem que investidores vendam e compram. O mercado está TRAVADO! Com o freio de mão puxado!

      Se a cidade vivesse apenas de especuladores de médio prazo (10 anos), o número já seria muito maior do que 300 imóveis por mês. Devem existir mais do que 50 mil pessoas na cidade que investem em imóveis de forma casual, comprando e vendendo algumas unidades para alugar e posteriormente (10 anos) vender valorizado. E mesmo 300 imóveis por mês não supriria nem mesmo essa demanda.

      Coitado de quem é corretor!

      0
      • Fausto 23 de novembro de 2011 at 22:23

        Ricardo,
        286 não é a amostra da pesquisa? Não é o número total de imóveis vendidos em SP.

        0
        • Ricardo 24 de novembro de 2011 at 16:00

          Não é bem uma amostra, é a totalidade das imobiliárias que contribuem com o sindicato. É isso que eu quis dizer com “mercado formal”. Acredite, 500-600 imobiliárias é um número bem grande para uma cidade como São Paulo.

          E, a não ser que o Secovi escolha a dedo as imobiliárias com menor performance da cidade, esse número poderia subir muito (que sejam 10 mil imobiliárias) e ainda seria baixo o total de imóveis vendidos.

          Por isso a minha “acoxambração” dos 10% * 50%. Que só 10% dos imóveis da cidade sejam cobertos por essas imobiliárias “chiques” sindicalizadas e que só 50% desses imóveis utilizem os serviços delas. O resto faria de proprietário para proprietário ou utilizando imobiliárias pequenas, de fundo de quintal.

          Os número são muito pequenos.

          0
  • Garcia 22 de novembro de 2011 at 16:46

    Sempre acompanho o blog, nunca postei, mas diante do que aconteceu no último sábado resolvi compartilhar com vocês.
    Acordei às 8:00 hs, e deu pra visualizar da janela do meu prédio o stand de vendas de um empreendimento na Vila Matilde (São Paulo) próximo ao metrô, que estava com uma fila enorme de pessoas. Saí para trabalhar e ao retornar soube pela minha mulher que havia sido o lançamento do empreendimento Solare, da construtora Brookfield, e que sua tia havia comprado um apto, tendo ficado das 8:00 às 20:00 hs no local para conseguir uma unidade.
    Não me conformei com a situação absurda de uma pessoa passar o dia num stand de vendas para a compra de um apto, sendo que a mesma informou que todos os aptos haviam sido vendidos no lançamento, tendo algumas pessoas comprado 4 unidades.
    Detalhe que o valor do m² pedido foi de mais de R$ 5.000,00, chegando a custar um apto de 68 m² a quantia de R$ 400.000,00, PREÇO ABSURDO PARA A REGIÃO.
    Na segunda-feira, não me conformei com as informações passadas e fui até o stand de vendas e me passei como comprador, o corretor mostrou a maquete, o decorado, mas na hora de mostrar o espelho de vendas com a coordenadora tomei um choque, pois só haviam restado poucas unidades em andares baixos, na maioria 1 andar.
    Depois dessa experiência, ainda acredito que essa Bolha vai inflar muito mais até estourar.
    Detalhe: os aptos foram vendidos pela Lopes.

    0
    • RT 22 de novembro de 2011 at 20:12

      Esse relato é mais um indício de que o momento do mercado imobiliário não é sustentável.

      “Algumas” pessoas compraram 4 apartamentos?

      Lançamento de 68 m2 a 400 mil esgotando em um único dia?

      Estamos cercados por ricos? Tanta gente com o troco que sobrou da Mega Sena (400 mil) no bolso, a ponto de vender tudo em um dia?

      Desde quando apartamento vende que nem água?

      0
    • Glaucio 22 de novembro de 2011 at 22:08

      Sei não, Garcia. Ano passado andei visitando alguns empreendimentos aqui em Curitiba. A corretora me mostrou disponíveis apenas unidades nos três primeiros andares. Como era perto de uma movimentada avenida, disse que não me interessavam essas unidades. Aí ela insistiu que eu deixasse o telefone para que ela ligasse caso houvesse alguma desistência. É claro que alguns dias depois ela ligou oferecendo apartamentos em outros andares mais altos, uma oportunidade única e que eu “deveria decidir logo pois já havia mais gente interessada”. Como eu não tinha condições de comprar nem pela metade do preço, disse que desisti de comprar.
      O stand está vendendo até hoje, com as obras iniciadas.

      0
      • Luiz 23 de novembro de 2011 at 14:42

        Garcia, eu vejo um da Lopes da janela de casa do meu irmão: rua correia de lemos, 480
        estão às moscas faz uns 3 meses
        sinceramente, não consigo acreditar que seja a mesma Lopes.

        0
    • Ricardo 23 de novembro de 2011 at 14:44

      Esse processo de migração é normal. Chama-se “o tolo maior”. Os tolos antes compravam apartamentos nos Jardins e no Itaim. Agora o mercado está migrando para as periferias, apostando na falta de conhecimento dos compradores e especuladores menos escolarizados.

      São muitos aposentados, comerciantes e profissionais de sucesso (mas inteligência reduzida, pelo visto) que moram na periferia.

      Os comerciantes possuem muito dinheiro e dão pouco valor para o mesmo.

      Os profissionais de sucesso querem um apartamento novinho proximo da casa dos pais e também próximo dos parentes. Querem se exibir para os primos pobres, para os irmãos, etc. Vão comprar um apto de 400 mil em 30 anos, se endividar para comprar uma cozinha planejada. Vão encher o piso da sala de Mármore de 200 reais o m2 e passar os próximos 30 anos pagando contas.

      Os aposentados compram na planta com a esperança de vender a casa velha deles por uma fortuna. Em geral são enganados pelo próprio corretor do lançamento na planta, que promete vender a casa antiga por um valor superior ao apartamento, antes que cheguem as chaves.

      As táticas todas migraram. Antes tentavam vender para o cinquentão metido a esperto do Itaim, de Moema. Hoje vão tentar vender na periferia. Só que o mercado lá é bem menor, não dará muita sobrevida ao processo.

      0
      • Ricardo 23 de novembro de 2011 at 14:58

        Detalhe: muitas das casas antigas dos aposentados são casas horríveis que serviriam como terreno para empreendimentos imobiliários. Ninguém compraria para morar, pelo menos não pelos R$ 400 mil (que nas chaves virarão R$ 500 mil corrigidos) do novo apartamento que abrigará a família.

        Só que a periferia tem MUITO terreno. As construtoras compram casas apenas por R$ 80 – 100 mil, por mais que os iludidos tentem vender as casas por R$ 300 – 400 mil e até mesmo consigam vender para outras famílias por R$ 200 – 300.

        Construir prédios na periferia é uma arte. A compra dos terrenos é bem pensada: em geral começa com um tiozinho pobre, com um fusquinha na porta e uma casa toda mofada. Ele precisa vender a casa urgente. O passo seguinte é desvalorizar a casa dos vizinhos, transformando o imóvel recem-comprado em cortiço.

        Aí você compra outra casa com um fusquinha na frente, a uns quarteirões de distância dali. Reforma a casa e a oferece (base de troca) para o vizinho do cortiço. Ele aceita, xingando que “esse bairro já foi melhor, moro aqui há 20 anos e agora está cheio de vagabundos”. Transforma outra casa em cortiço e continua degenerando o bairro.

        Em 3 anos você compra todas as casas necessárias para o empreendimento. Cada terreno de 200 m2 não sai por mais de 100 mil reais. Um terreno de mil m2 que acomoda uns 100 apartamentos sai por 500 mil, e em muitos casos menos de 5 mil de custo de terreno por unidade de 50 m2.

        Essa tática é velha: se chama Blockbusting. Procurem no Google/Wikipedia.

        As pobres coitadas das tiazinhas aposentadas NUNCA venderão a casa delas por 400 mil. Pois perifa é perifa e lá o blockbusting domina.

        0
        • Ricardo 23 de novembro de 2011 at 15:10

          Novamente respondendo a mim mesmo: leiam com olhar crítico, na Lei do Inquilinato, os artigos associados às habitações coletivas, multifamiliares.

          Nossos legisladores (e seus financiadores) operam a favor do blockbusting. A maioria dos operadores de cortiço são muito espertos e maliciosos. Não deixam as famílias morarem por mais de X meses no mesmo imóvel e criam ambientes insalubres que inviabilizam a permanência por mais de um ano.

          As leis do cortiço inicialmente soam como medidas sociais que permitem que o povo sobreviva temporariamente nesse tipo de habitação, até que o déficit seja resolvido. Baboseira: o país é grande, com muitas terras a serem desenvolvidas. Os cortiços são permitidos no Brasil (ao contrário de outros países onde é probido até mesmo chamar a família do seu irmão para dividir a casa) pois há interesse político.

          A forma com que as pessoas pobres são manipuladas a favor da especulação alimenta os movimentos de pessoas sem-teto. O assunto é complicado e a maioria ignora por não ser afetado por ele. Ou por acharem que não são afetados.

          Pois quando “o bairro está ficando violento” ou “aqui já foi melhor”, nem tudo é obra inocente do acaso. Em muitos casos existe manipulação a favor da especulação.

          Na cidade de São Paulo a mídia está instituindo o medo coletivo sobre os moradores de casas. A polícia também é ausente e acredito que em muitos casos age assim por ordens superiores. Grande parcela dos que não moram em condomínio fechado está pensando em se mudar para apartamentos.

          Essa situação permite que a máquina da construção civil continue funcionando.

          0
  • MrK 22 de novembro de 2011 at 17:32

    essa noticia claramente é falsa, havia um corretor daqui da LOPES ha 2 meses atrás jurando que o mercado estava aquecidissimo

    nao posso crer que ele estava mentindo, seria possivel um corretor mentir????

    0
    • Jack Imóveis 22 de novembro de 2011 at 17:39

      Mrk,

      O Marco Antonio, estrela ascendente do ramo imobiliário falava de imóveis novos, que já cairam 23% na comparação anual.

      Veja que para imóveis novos a vende gira em torno de 2.000 unidades mês. Os usados em torno de 200 a 300.

      Faço uma questão.

      Quem compra imóvel usado normalmente comprar para morar. E quem compra novo, para morar também?

      Jack – fazendo perguntas óbvias com respostas mais ainda

      0
      • MrK 22 de novembro de 2011 at 17:42

        amigo, te rebato com outra filosofia:

        o que são imoveis usados, se não imoveis novos que passaram algum tempo?

        em outras palavras: todos os novos certamente virarão usados, quem irá recompra-los?

        0
        • Jack Imóveis 22 de novembro de 2011 at 17:44

          Re rebatendo.

          Imóveis novos são imóveis usados que vc não precisa ter 100% da grana ou crédito aprovado para comprar na hora.

          Além do que os imóveis novos tem paredes de isopor e lajes de palha cimentada.

          Abraços

          Jack – Jogando tenis

          0
          • Bubble Boy 22 de novembro de 2011 at 21:10

            Ou seja, não há déficit nenhum.

            0
  • MrK 22 de novembro de 2011 at 17:41

    muita gente comentou ai que a gente já está esculhambando um pouco e sendo menos analíticos…

    olha, isso até é verdade, mas somos seres humanos, muitos aqui sofreram 12 meses ou mais com essa bolha, muitos se ferraram com renovações de alugueis proibitivas, muitos foram tratados de forma pouco educada por corretores esnobes ou sofreram com noivas e esposas de cabelo em pé

    deixem os que passaram sufoco agora terem o seu dia de caça… afinal tudo que previram está acontecendo e eles cada vez mais felizes com a decisão de não embarcar na bolha

    entendo que não podemos perder o foco analítico e o debate sério, mas ninguém é de ferro

    ofereco um brinde de champagne moet chandon em homenagem aos corretores da lopes

    cheers!

    0
    • Marcelo Arruda 22 de novembro de 2011 at 17:52

      Boa MrK

      0
      • Atribulado 22 de novembro de 2011 at 23:24

        “muitos aqui sofreram 12 meses ou mais com essa bolha”

        12 meses só? A alta forte começou há uns 2,5 ou 3 anos.
        E já acabou?
        Quantos meses ainda irão sofrer?

        “deixem os que passaram sufoco agora terem o seu dia de caça…”

        Deixe pra comemorar quando os preços caírem…

        0
        • peterson 23 de novembro de 2011 at 12:02

          qualquer bolha, colega, possui uma característica bacana, sobe a 45° e desce a 90° ok…

          0
    • Carlos Wagner 22 de novembro de 2011 at 18:16

      Eu vou brindar com Sidra Cereser, porque essa Champagne aqui no Brasil tá cara pra carai…É a bolha!!!

      0
      • Luiz 22 de novembro de 2011 at 18:47

        Mrk,
        Discordo,
        Onde está a esculhambação?

        Eu acho que quem falou que estamos esculhambando ainda não acredita do que os corretores são capazes de fazer.

        Sugiro a quem ache que é esculhambação que procure se informar, ele vai descobrir que a realidade é muito mais esculhambada do que nossas críticas – procure sites como o obras atrasadas, o reclame aqui, ou vai ele mesmo no estand e veja por si próprio.

        0
    • RT 22 de novembro de 2011 at 18:42

      Não estamos nem perto de promover “esculhambação” por aqui.

      Este “post” reproduz uma coluna que saiu no Estadão… sinal de que mais pessoas estão vendo o mesmo que nós.

      E outra coisa… complementando: somos seres humanos PENSANTES, e como tal, ninguém aqui gosta de ser feito de idiota, como vem acontecendo a meses.

      Dizer que os preços atuais são “compatíveis com o bolso do consumidor”, que “o momento atual desse mercado é saudável” enquanto muitos passam por transtornos resultantes disso… esperar que eu engula essas coisas é a mesma coisa que me chamar de idiota.

      0
      • Luiz 22 de novembro de 2011 at 18:49

        Conheço um ótemo corretor, honesto, 30 anos de mercado.

        Ele esta ainda mais indignado que nós com a esculhambação do setor que jogou lama no seu ramo de trabalho.

        As promessas RT são as mais absurdas, prometem fechar a fabrica do vizinho que vão cosntruir avenida nova, prometem valorização garantida, prometem entregar a mãe se necessário

        0
        • RT 22 de novembro de 2011 at 19:30

          Luiz,

          Era você que vinha analisando os dados do Censo, que estava falando sobre a classe AB no último “post”?

          Se for, tem uma coisa que eu queria perguntar (quando vi os dados, estava no trabalho e não pude comentar, hehehe)?

          Era você?

          0
          • Luiz 23 de novembro de 2011 at 12:06

            RT
            sou eu sim
            continuo desvendando os numeros, ainda hoje vou colocar contas novas lá embaixo pra não perder a discussão

            pelas minhas conta so mercado gfira em 0,5% do total
            SP teria emrcado p 18 mil novos lançamentos, o que é 4x menos do que está sendo lançado

            0
            • peterson 23 de novembro de 2011 at 13:47

              um grafico bacana é demanda X lançamento, uma boa para demanda seria o crescimento das classes AB e uma boa para lançamento seria o acumulo mensal dos imóveis novos … LOGICO que ninguém tem estes dados pois eles desmascaram a realidade… mas seriam muito valiosos.

              0
              • Luiz 23 de novembro de 2011 at 14:53

                Peterson
                hoje é seu dai de sorte
                eu tenho esses dados e estou fazendo

                resultado preliminar resumido:

                1. movimento para classes AB = 0,5% da população média nacional
                2. Lançamentps média dos ultimos 2 anos (09/10) = 36 mil imoveis (incluindo os do MCMV)

                Se vc fizer as contas para cidade de SP
                A demanda da AB é de 18k e a produção é de 36k
                Pra RMSP demanda de 36k produção de 63k

                Ainda falta fazer alguns refinamentos

                0
                • peterson 23 de novembro de 2011 at 16:02

                  Luiz este seu levantamento se baseado em dados reais de fontes confiáveis merecerá topico neste blog pois desmascara com certeza um dos maiores mitos que existem que se chama “demanda reprimida” (anote as fontes) caso você gere um gráfico teremos um dos melhores materiais gerados neste site e um dos graficos mais originais deste país. Parabens pela iniciativa e não se esqueça de receber os méritos, ou seja, informe que é proibido reproduzir seu material ou sua analise sem consultá-lo formalmente (alguns jornalistas adoram copiar as boas ideias de blogs). Aliás este seu gráfico é tão bom que ele mostrará claramente um dos movimentos de ruptura da bolha (se é que dará tempo de ver neh)

                  0
                  • Luiz 23 de novembro de 2011 at 16:13

                    Peter, tbm percebi a importancia disto

                    O mais dificil é casar alguns dados, ir do nacional pro local sem forçar demais algumas generalizações.

                    Vou tentar refinar o melhor possível

                    Mas o primeiro numero seria isso mesmo, cerca de 100% de sobreoferta no ultimo bienio
                    Com os refinamentos não vejo como possa cair pra zero
                    Tbm preciso descobrir qual era o estoque de demanda que se acumulou nos anos inciais do boom economico.

                    0
                    • Frank 23 de novembro de 2011 at 18:02

                      fantástico !

                      agora q eu vi essa discussão de vcs.

                      tem q virar post sim.

                      0
      • Cleyton 22 de novembro de 2011 at 19:25

        Esculhambação é o cara financiar a contrução por três anos e depois começar a pagar por ela corrigida pelo IGPM e comprometer 30 anos de trabalho com isso esperando lucro fácil, esculhambação é ter que ouvir deboche de corretor e familhares e clichês sobre o setor na mídia. Isso que o pior nem chegou ainda…

        0
      • RPL 22 de novembro de 2011 at 19:55

        Depende… A questão é:

        – Se o corretor tenta esculhambar comigo primeiro, sendo arrogante e achando que meu Q.I é algo como 12, eu não tenho problema algum em “c… na cabeça dele”…

        O problema é que de cada 10 corretores com quem eu converso, 9,8 são do tipo que eu citei acima…

        Então, sinceramente, tem mais é que se f… mesmo.

        E isso não é só com corretor de imóveis… É com vendendor de carro….

        É com aquelas pessoas que telefonam falando que são do abrigo sei-lá-o-que e que o leite das crianças custa R$ 200,00 a lata… Costumo dar trela pra essa pessoa… Pergunto de novo o nome do leite, jogo no google e vejo que não custa mais de R$ 25,00…

        Ou seja, é uma questão de honestidade… A pessoa foi honesta e correta comigo, eu sou a melhor pessoa do mundo… Se for arrogante e apostar contra a minha inteligência….

        0
    • Andre Luiz 22 de novembro de 2011 at 18:57

      Sofrer, sofrer, eu sofri 12 meses, entre agosto de 2009 e agosto de 2010, quando efetivamente estava procurando imóvel. Mas se levar em consideração que eu ainda quero encontrar um, embora esteja só na “tática do urubu”, já são 27 meses sofrendo. hehehe

      0
    • Leandro 22 de novembro de 2011 at 22:48

      Concordo!

      0
    • me 23 de novembro de 2011 at 11:00

      Discordo integralmente. Um erro não justifica outro. O erro que você comete por destemperamento ainda que justificado, continua erro. Eu mesmo sou um desses que está sofrendo feio com reajuste de aluguel com proprietário olho grande. A questão é: o que você faria se você você o locador?

      Vamos ser mais adultos, pessoal. Brincadeira é bom e encorajo, mas tem hora.

      0
      • Luiz 23 de novembro de 2011 at 12:14

        Sem querer defender o Bolha
        tudo é uma questão de regras

        o dono do site permite destemperamentos (ainda que sejam muito raros)
        mas não permite usar o blog pra espalhar mentiras de “corretor”

        ou aceita-se as regras ou podem escolher outro blog
        a mídia toda taí a serviço deles, não entendo pq ainda vem aqui num simples blog, …
        eles não preferem a Globo? fica lá ué

        0
      • MrK 23 de novembro de 2011 at 12:30

        me

        discordo de voce, temos sangue latino, eu ao menos tenho, nao consigo ver toda essa palhacada se formando, com aval governamental, com lei de gerson das construtoras (prometendo o que nao pode cumprir) e com corretores mal intencionados (a maioria)

        se voce consegue ver e sofrer com isso e ainda assim quer comemorar discretamente, fique a vontade

        outra sugestao eh voce perder seu tempo com figuras como o andre e o jose, aqueles dois que vinham aqui jurar que nao tem bolha, pois o crescimento da renda sustentava isso, aposto que eles irao compartilhar do seu ponto de vista.

        saudacoes

        0
        • me 23 de novembro de 2011 at 14:04

          “se voce consegue ver e sofrer com isso e ainda assim quer comemorar discretamente, fique a vontade”
          – Por favor, não atribua palavras que não usei a mim.

          “outra sugestao eh voce perder seu tempo com figuras como o andre e o jose, aqueles dois que vinham aqui jurar que nao tem bolha, pois o crescimento da renda sustentava isso, aposto que eles irao compartilhar do seu ponto de vista.”
          – 90% dos argumentos deles são mantidos com dados e fatos. E um deles já disse que não está fora de cogitação uma bolha.

          Essa foi a última vez que dirigi a palavra a você.

          0
          • MrK 23 de novembro de 2011 at 17:56

            me,

            se voce acha que um monte de relatorio de banco querendo vender ideias e produtos que o jose postava ou as analises do andre de media movel e coisas do genero se qualificam como “fatos e dados”, sinceramente, boa sorte pra voce

            trabalhei anos como trader em banco e posso garantir pelo nível de argumento e garotice que o jose deve ser estagiário de mesa, se muito

            alias, se QUALQUER um aqui achar que os relatorios de bancos vao contar a verdade, podem comecar comprando acoes da gafisa… e boa sorte

            e quanto a não se dirigir a mim, faca como quiser, por mim…estou nem aí

            0
            • Walter 23 de novembro de 2011 at 19:43

              colega, em que banco trabalhaste? se incomodaria em divulgar seu perfil no linkedin?

              0
            • Atribulado 23 de novembro de 2011 at 20:32

              picuinhas pessoais denotam bem o nível de maturidade de uma pessoa

              0
  • MrK 22 de novembro de 2011 at 18:07

    Vou falar uma coisa pra vocês

    muita gente acha que quando a crise engrossar na europa é que nós vamos sofrer aqui, eu sinceramente já não sei, o Brasil teve uma sorte danada, hoje recebe dinheiro e investimentos de fora não porque fez por merecer, mas por exclusão mesmo:

    Europa ninguém mais quer!
    EUA não está essas maravilhas!
    China apesar de ter crescido com produção e poupança (crescimento real) ainda assusta alguns pelo governo autoritáro e moeda artificialmente baixa.
    Existem bons paises pra investir (Suiça, Canada, Australia…) mas não dão conta de todo dinheiro fugindo da Europa!

    Em outras palavras, parece multipla escolha e alguns países como Brasil vão nadando na maré

    Acho que se a Europa ou EUA comecar a entrar nos trilhos e mostrar promessa de crescimento, o dinheiro evapora daqui no dia seguinte, temos que ficar atentos

    0
    • Money Addicted 22 de novembro de 2011 at 18:14

      concordo…acho q qto pior la fora “melhor” para nos….o nosso problema sera se la fora melhorar. Claro que existe N outras questoes…..mas concordo com essa ideia.

      0
    • henrique 22 de novembro de 2011 at 20:08

      Há muito dinheiro entesourado aguardando uma melhora na economia americana e europeia para ser investido. Sendo eu um gestor de grandes fundos certamente não aplicaria dinheiro em um pais cuja economia acabou de entrar em tendência de queda (ou seja, o único caminho é pra baixo). Preferiria aguardar a recuperação de economias que se não chegaram ao fundo do poço estão muito próximas disso para investir meu dinheiro nesses países (o caminho é para cima). Todo mundo gosta de galinha morta e com grandes fundos e investidores não é diferente.

      0
    • Tico RJ 22 de novembro de 2011 at 20:24

      MrK,
      Com todo respeito, parece que vc está sendo incoerente.
      Se essa for sua hopótese, e se a economia da Europa e EUA melhorar dqui a +-2 anos, por que vc acha que a bolha imobiliária brasileira vai estourar no início de 2012?

      0
    • Tommaso 22 de novembro de 2011 at 22:04

      Boa tarde,

      sou italiano, então se eu errar na hora de escrever me perdoem (ou, se tiverem paciência, me corrijam até). Acompanhei esse site nos últimos meses, já que estou pensando em me mudar para aí (já que sou apaixonado pelo país de vocês).

      Acho que vários brasileiros estão enganados pelo que leem nos jornais: o risco que corre a Europa não é de ficar pobre, mas apenas de ficar menos rica, que é diferente. Falando sobre meu país que é o cuja situação eu conheço melhor: é verdade que a dívida pública é altíssima (1,9 bilhões), mas ao mesmo tempo o estado tem “assets” pra vender valendo quase a mesma coisa (1,8 bilhões). Isso sem considerar que a taxa de desemprego não é tão dramática (8,3% do passo que no Brasil é 6%), que não teve bolhas imobiliárias e que as famílias italianas, diferentemente das inglesas, por exemplo, têm uma riqueza mais de 4 vezes maior que a dívida pública (8,3 bilhões). Além disso, pelo que eu vi na minha cidade (moro em Roma) as coisas continuam indo mais ou menos como sempre (no bem e no mal). Conclusão: tem crise (eu diria especulação) e os efeitos vão ser visíveis, é inútil negar, mas quem imagina cenas apocalípticas está enganado.

      0
      • Murdoch 22 de novembro de 2011 at 23:59

        Tommaso, mto bom seu portugu^es! Vou pedir desculpas pelos acentos, pq estou num computador no qual ainda nao consegui configurar.
        C oncordo contigo. Acho que a Italia esta sendo vitima de ataque especulativo mesmo. Os tubaroes sentiram uma boa oportunidade e nao perdoaram. A Italia ja fez o dever de casa que o Brasil nao fez. Nao temos uma populacao educada e com acesso a saude. Para que voce tenha uma breve ideia, nem metade da populacao tem acesso a saneamento basico!
        Eh exatamente isso que vc disse. So deixa de ser um pouco mais rico. No nosso caso o buraco ja eh mais embaixo…
        Mas concordo contigo. Ja tive oportunidade de morar fora e acho esse pais aqui incrivel, apesar dos inumeros problemas.

        0
        • Fábio 23 de novembro de 2011 at 06:55

          Vou discodar de voce, estive 1 mes atras em Roma e não vi um pingo de educação nos Romanos. Alias vou a cidade que mais odiei na Europa, lembra um Rio de Janeiro com pessoas antipaticas e estressadas.

          0
          • Cleyton 23 de novembro de 2011 at 10:50

            Fábio, acho que o Murdoch quis dizer educação no sentido de instrução, não de cortesia.

            0
            • Fábio 23 de novembro de 2011 at 10:57

              É Clayton tem razão mas brasileiro tem mania de se impressionar com a Europa, poucos países lá merecem ser chamados de primeiro mundo. Temos que acabar com esse complexo de Vira-lata, temos bolha imobiliaria e de credito? Temos sim e temos que aprender a valorizar as poucas coisas que temos de bom e fica o alerta para os brasileiros que são exigentes, muito cuidado em Roma pq simpatia e educação vai ser coisa rara de ser ver.

              0
              • peterson 23 de novembro de 2011 at 13:58

                fui na Itália e me senti extremamente feliz em morar no Brasil rs

                mas adorei a Alemanha e alguns lugares da França. Alguns cartões postais são bonitos como são, ou seja, como cartrões postais.

                De fato o capital do povo e a organização social é muito maior, mas sinceramente se não fossemos tão explorados por toda a terra e por nós mesmos seríamos a melhor nação do mundo.
                Dizem que quando Deus “criou” a terra fez um lugar que tinha tudo, água, minério, petróleo, floresta, biodiversidade, etc, etc, então percebeu que havia criado o paraíso, para contrabalancer seu “erro” criou os brasileiros…

                0
        • Tommaso 23 de novembro de 2011 at 09:33

          Obrigado, a língua de vocês é linda e estou tentando aprender da melhor maneira possível.

          0
          • Luiz 23 de novembro de 2011 at 12:18

            Ciao Tommaso
            seja bem vindo, fiz muitos amigos na sua terra que é linda (não fui à Roma, fujo de turistas, principlamente brasileiros)
            diga tudo o que vc precisar saber que passamos todas as informações que vc precisar
            abraço

            0
            • Tommaso 27 de novembro de 2011 at 15:20

              Obrigado Luiz,
              na verdade ainda estou me informando, já que ainda não tenho certeza da cidade em que morarei. Quando eu tiver mais informações com certeza vou voltar nesse site.

              0
      • MrK 23 de novembro de 2011 at 08:36

        amigo italiano,

        sugiro voce prestar atencao em 2 coisas:

        1- O Euro esta muito em baixa
        2- As csas no Brasil estao muito em alta

        creio que ambas as coisas podem reverter, principalmente a 2a, portanto cuidado se for trazer seus euros pra ca para comprar uma casa, nao acho nem de longe um bom momento pra isso

        0
        • Tommaso 23 de novembro de 2011 at 09:17

          Mrk, não penso em comprar casa, ma apenas em alugar, caso eu consiga me mudar para o Brasil.
          Obrigado pela sugestão, de qualquer jeito.

          0
          • Luiz 23 de novembro de 2011 at 12:20

            hahaha, claro que não é pra comprar, eu vi quanto custa uma casa na italia, muito mais barato e melhor que as daqui

            0
      • Fábio 23 de novembro de 2011 at 08:55

        Só espero que não seja o Rio o seu local predileto, pq se depender de mim e outros amigos de Copacabana que alertei sobre os romanos, voces vão ter um tratamento similar ao que oferecem aos turistas. A maioria dos brasileiros adora puxar o saco de voces, mas é pq muitos não visitaram esse lugar e desfruturam da malandragem de cobrar mais caro pelos taxis, pedir informação e fingir que esta dormindo e outras coisas bacanas que os romanos fazem de tão bacana.

        0
        • Tommaso 23 de novembro de 2011 at 09:26

          Sinto que sua experiência aqui não tenha sido boa e que tenha encontrado pessoas antipáticas, mas quero que saiba que nem todos são assim (eu acho não ser mal educado e sou romano também). Conheço muitos outros estrangeiros, inclusive brasileiros, que não tinham essa impressão. Me permita falar que julgar uma cidade com 4 milhões de habitantes pelo comportamento de uns, sei lá, 10, não demostra muita abertura mental… Seria como se eu depois de ter sido enganado por um motorista de taxi e de um arrastão falasse que odeio “os cariocas”. Caso decida voltar me fale que vai ser um prazer ser seu guía e tentar lhe fazer mudar ideia sobre a cidade em que moro.

          0
          • Fábio 23 de novembro de 2011 at 09:51

            Bem diria que não foram 10 pessoas, foram muito mais, fiquei exatamente 7 dias na sua cidade, a maioria dos brasileiros fica sei la 2ou 3 dias no maximo, até pq quer economizar e não costuma alongar a estadia. Fora que brasileiro acha tudo lindo e maravilhoso quando esta na Europa, até pq imagina a frustração de gastar uma boa quantia e voltar dizendo que a viagem foi ruim? É o espirito muquirana mesmo que não permite o cara abrir a mente e criticar um País que diz ser de primeiro mundo, mas vamos ao que interessa o transpote público de voces é muito ruim comparado ao do Rio de Janeiro, o metro e os onibus são superlotados e muitos não passam o ticket pq não tem fiscalização dentro dos onibus, informação é algo que voce não pode pedir, pedi informação a uns 30 italianos e apenas 2 me deram a informação mais ou menos correta, aquela central de turismo que serve para dar informação, os que estavam trabalhando pareciam que estavam ali obrigados e pouco dispostos a efetivamente dar informação, diferentemente do I-Tourist da Suiça onde só faltam te levar pela mão nos pontos turisticos. Resturantes, essa foi uma das piores decepções, mesmo estando em resturantes guia michelin, teve dois casos de erros de pratos e o caso mais interessante ocorreu com um casal alemão que fiz questão de filmar, erraram os pratos 3 vezes e na quarta vez o casal alemão de saco cheio pegou o dinheiro e colocou em cima do prato de comida que estava errado, nunca tinha visto tal coisa no Brasil. Teste Mcdonalds, fui 5 vezes ao Mcdonalds, e para cada atendimento demorei em media, 20 minutos, isso pq tinha umas 3 pessoas na minha frente, parece que ficam irritados de trabalhar com atendimento ao publico. Fui ver Roma x Milan, entrar e sair do Estadio Olimpico de Roma usando transporte público é um verdadeiro Caos, tentei pegar taxi e só consegui depois de ir andando até o Vaticano, pq só passou um onibus super lotado durantes sei la 30 minutos. E pode apostar que tive contatos com sei la uns 100 italianos de Roma e a impressão foi pessima, tanto é que pergunto aqui em Copa quando é turista a nacionalidade e para italianos de Roma procuro fazer um tratamento especial. Lembrei de um caso, em um supermercado, um idioso brigando em uma fila com uma mulher aos gritos, quase sairam na porrada na minha frente, isso por causa de uma fila.

            0
            • Luiz 23 de novembro de 2011 at 12:26

              Fabio, não quero te desmentir, coisas assim acontece mesmo por lá.
              Só queria te dizer que tivemos excelentes experiencias no país (n fui a Roma).
              Se houver proxima vez procure lugares menos turisticos.

              0
              • Fábio 23 de novembro de 2011 at 12:52

                Fui a Veneza, Milão, Florença e Roma e certamente Roma é bem diferente das demais.

                0
                • Luiz 23 de novembro de 2011 at 13:21

                  hehe, olha a minha lista: Genova, Napoli, Montepulciano, Modena, Pescara e Brindisi
                  conheci outra italia, tive outras epxeriencias.
                  (não vá pra Napoli)

                  ps: jamais irei p Veneza ou MIlão (a não ser a trabalho)

                  0
                  • Jack Imóveis 23 de novembro de 2011 at 14:39

                    Caros,

                    Sou um entusiasta de Newton. Ação e Reação.

                    Se foi tradado mal deve ser porque se comportou pior ainda.

                    Estive em 15 cidades italianas, incluindo Roma e Veneza e fui muito bem tratado. (Luiz, da para visitar escapando das armadilhas e dos turistas)

                    Jack – Pre julgando

                    0
      • Carcará 23 de novembro de 2011 at 08:56

        Tommaso (é o Buschetta?),
        só o BC daqui viu uma europa em frangalhos. E por motivos sartreanos – ter a quem culpar. Eles precisaram criar um cenário dramático, pois o país deixou de crescer (já que nosso crescimento é baseado no Lord Keynes) quando arrocharram a SELIC por causa da inflação. A solução foi colocar a culpa nos outros, baixar a SELIC na marrra, afrouxar o crédito novamente e se deus quiser até 2014 a gigantesca bolha de crédito brasileira e a inflação não explodem. Mas depois do segundo mandato, vai ser difícil segurar.
        Você tem razão a europa vai ficar menos rica. Ah, em relação ao euro a decisão é alemã: Ou paga a conta da salvação (die Euro-Rettung); ou pagam a conta de ter uma moeda mais valorizada que as outras economias da europa. Ao final, eles verão que essa conta é mais barata. Aber Die Deutschen werden irgendwie bestraft.

        0
        • Tommaso 23 de novembro de 2011 at 09:28

          Por sorte não sou o Buschetta não 🙂

          Concordo com a sua opinião.

          0
    • Murdoch 22 de novembro de 2011 at 22:11

      Mrk, por esse motivo que eu acho que nao explode tao cedo.
      Que h’a eu nao tenho duvida, mas nao sei se estoura. Pra mim murcha, como ja havia dito…

      0
    • Fabio 22 de novembro de 2011 at 22:37

      Posso estar enganado, mas não vejo como EUA e Europa melhorar economicamente enquanto mantiverem o enorme deficit e amontoarem anos após anos mais dívidas à sua já enorme montanha. Como disse o economista Detlev Schlichter, a UE inteira (com exceção da Estônia) está indo para a mesma direção, a diferença é que a Grécia chegou lá primeiro que todos. Até a Alemanha, vista como âncora europeia, se endivida mais (% Divida / PIB) a cada ano pra manter seu Welfare State. No caso dos EUA então, nem se fala. A China já está dando sinais de inquietações com um dólar cada vez mais desvalorizado pela impressão desenfreada do verdinho.
      Eu acho que essa crise está apenas começando, ainda teremos muitas surpresas vindouras. Façamos um tributo aos Maias.

      0
  • Boris 22 de novembro de 2011 at 19:37

    Ou seja, pros precos baixarem, so daqui 2 anos por exemplo?
    Que bolha é essa? Aqui no Rio ta aquecido e os precos ainda aumentam…

    0
    • Felipe 22 de novembro de 2011 at 19:56

      Realmente a temperatura no Rio está aumentando a cada dia…

      0
      • RT 22 de novembro de 2011 at 20:06

        Tá aquecendo mesmo.

        Até liguei o ar-condicionado…

        0
        • Ana Paz 23 de novembro de 2011 at 11:46

          Pena que ninguém explica o aumento exponencial do número de imóveis a venda nos classificados de domingo… Copacabana, Princesinha do mar, aumenta o número de placas diariamente. Mercado aquecido? Onde? Os imóveis encalhados na “vitrine” continuam os mesmos. Alguns, farão 1 ano de anúncio em março/2012. To apostando. Vou começar a postar as fotos deles no meu facebook, para que todos possam conferir.

          0
    • Guilherme Eduardo 22 de novembro de 2011 at 19:58

      Um dos motivos da alta é a promessa de valorização certa. Alguns lugares estão valorizando de verdade, por que o bairro está valorizando (shopping novo, avenida nova, plano diretor novo, parque novo, filial nova de empresa grande, etc), mas a maioria está subindo por pura especulação. Quando algum lugar desvalorizar e a queda virar notícia em algum jornal grande (Jornal Nacional, por exemplo), a valorização certa deixará de existir, afastado assim novos investidores. O desespero fará o resto, pois imóvel parado gera custos, e quem comprou para revender com ágio (grande maioria) vai querer repassar rápido. Qual é uma das melhores maneiras de vender um produto rápido? Dando desconto!

      0
  • Guilherme Eduardo 22 de novembro de 2011 at 19:51

    Fiz umas contas e cheguei nesse resultado:

    Apto 47 m2 x R$ 7.500,00 (R$/m2) = R$ 352.500,00
    Comissão de 0,85% = R$ 2.996,25
    Se vender UM apto por final de semana = R$ 2.996,25 x 4 = R$ 11.985,00/mês !!!!!

    Por isso muita gente está virando corretor de uma hora para outra! Se vender só UM POR MÊS já dá um dinheiro bom (R$ 3.000,00).O problema é que o mercado já não está tão bom assim. A farra foi em 2008-2010, esse ano não há mais “pré-reserva do pré-lançamento” derretendo em 2 horas. Creio que o excesso de corretores faz com que a maioria deles prometam o impossível. É a ganância.

    Olhando essa conta, acho que quem ganhou dinheiro de verdade na supervalorização dos imóveis não foram os compradores de imóveis na planta, mas sim os corretores……

    0
    • RPL 22 de novembro de 2011 at 20:33

      Guilherme,

      Eu acho que as construtoras ou incorporadoras foram espertas….

      Os caras que chegaram em 2006, 2007 para vender imóveis ganharam dinheiro….

      Depois a sacada das construtoras foi abarrotar de corretores, já que esses não têm custo fixo… Assim os corretores que estavam acostumados a ter um bom padrão de vida, tinham que se matar pra conseguir manter o padrão…

      Acho que de 2008 pra cá, pelo número de corretores, o ganho nem foi tão alto…

      0
      • Guilherme Eduardo 22 de novembro de 2011 at 22:56

        Isso que você falou é verdade RPL, como queriam manter o padrão de vida (99,99% quer), fizeram de tudo para vender, inclusive agir sem ética.

        0
    • Leandro 22 de novembro de 2011 at 22:52

      Conheço corretores que não vendem um ÚNICO imóvel há vários meses. Já vi vários aventureiros desistindo da profissão/bico de corretor.

      0
  • aiwww 22 de novembro de 2011 at 21:44

    What You Can Rent in Rio for R$1,500
    September 13, 2011 | Filed underReal Estate | Posted by Saira Ansari

    By Saira Ansari, Contributing Reporter

    RIO DE JANEIRO, BRAZIL – Following up on previous articles listing places for rent in Rio within the R$3,500 and R$2,500 monthly rental price range, we now look at what is available for the lower amount of R$1,500. The focus is still on the more popular areas of Zona Sul (South Zone) for foreigners, but with the real estate and rental prices rising considerably in the last two years, the choices are limited within this range.
    Copacabana beach, Rio de Janeiro, Brazil, News

    Copacabana beach, photo by Roberto Moretti/Wikimedia Creative Commons License.

    Prices do not include significant condominium fees and IPTU taxes, which can add an additional R$250 – R$400 per month in this proce range. Also not included is the “seguro fiança”, a type of renter’s insurance often required for long-term leases, that can be equal to two or three month’s rent and paid up-front.

    Ipanema

    Ipanema is undoubtedly one of the most famous tourist destinations of the city, however, it is also perhaps one of the priciest options. The area has a world famous beach and the neighborhood is brought alive by the countless young and beautiful people that throng its busy bars and restaurants. At this budget it is nearly impossible to find an apartment rental, and it is more realistic to look into roommate options.

    Example: This one bedroom apartment is furnished and located at Rua Saint Roman, close to the metro station. Details are limited in the listing, but the apartment can be inspected upon a visit. It is available for seasonal rent for R$1,400 a month.

    Approximate average apartment area: 40m²
    Approximate average rent per m²: R$52

    Copacabana

    Owing to Copacabana’s popularity as the ultimate tourist destination the year round, it is one of the harder areas to find a spacious or furnished apartment for rent in this budget. Oftentimes the rent does not include additional cleaning charges or taxes. However, several unfurnished apartments are up on the market for rent.

    Example: This 36m² one-bedroom apartment is an open plan apartment on the main Avenida Nossa Senhora de Copacabana, two blocks from the beach. At R$1,500 per month rent, it is also one of the few apartments in this range with a view of the sea.

    Approximate average apartment area: 35m²
    Approximate average rent per m²: R$42

    Leblon

    Leblon is a more exclusive neighborhood and has been identified as Brazil’s second most expensive real estate location. The neighborhood begins where Ipanema ends and has been the preferred choice of residence for many expats due to several reasons: It is much more quieter, cleaner and spacious in comparison to the more touristy areas of Ipanema and Copacabana but at the same time is only a stones throw from them.

    Example: This 40m² unfurnished apartment is slightly over the budget and comes in R$1,800 a month. It seems a very good option for a very affordable rate in one of the most sought after neighborhoods in the city.

    Approximate average apartment area: 30m²
    Approximate average rent per m²: R$55
    Botafogo, Rio de Janeiro, Brazil, News

    Botafogo, photo by Marcus Guimares/Wikimedia Creative Commons License.

    Botafogo

    The neighborhood of Botafogo is being upgraded with various development projects all over. It is located between Copacabana and Flamengo, but it is relatively cut off from all sides by mountains. It does have its own metro station and public transport is adequate enough. Recent additions like the Rio Sul shopping mall, many new restaurants and a bustling nightlife have lifted the spirit of the area. Praia Botafogo has great views of Sugar Loaf Mountain.

    Example: This 35m² one bedroom apartment is located on the Praia de Botafogo. It is fully furnished, has wardrobe space in the bedroom and the floors have ceramic tiling. The kitchen has a granite sink and is equipped with a refrigerator, stove and microwave.

    Approximate average apartment area: 42m²
    Approximate average rent per m²: R$32

    Flamengo

    This upper-middle class neighborhood is located between Botafogo and Centro and is famed for its Art Deco architecture. Flamengo is home to Brazil’s largest urban park, which runs alongside the Guanabara Bay and has three major museums situated within it. There are three metro stations in the area and plenty of good transport links. Due to these plus points and its proximity to popular tourist attractions across the city, this area is also rising in popularity for both locals and foreigners.

    Example: This 55 m² one bedroom unfurnished apartment is based on a quieter street of the busy neighborhood. At R$1,500 per month this apartment is close to the subway and shops and also boasts a winter garden. The kitchen,on the other hand, is not of a very high standard and may need work.

    Approximate average apartment area: 38m²
    Approximate average rent per m²: R$37

    ——————————————————————————————————–

    One Response to What You Can Rent in Rio for R$1,500

    Geovanni
    September 16, 2011 – 6:10 PM

    8 years ago i lived in rio zona sul… where else can you live in this city without have the feeling im in africa, i keep asking myself?

    …anyway, before the lula era, rio was affordable, after the lula era, all of brazil as became a country without VALUE.

    extremely expensive, poor quality in everything you can image from services to products, this is today one of the lowest value for money country in the world.

    bring loooootsssss of money to live or visit brazil today…receive a african standart type of service and accept a brasilian smile.

    the mainstream media manipulated all people in this country so much, that now everybody thinks they are richer then they were 8 years ago.

    great if you own a bank, terrible if you have debts like 99% of the brasilians and dont have a clue of basic mathematics.

    1000 usd…1000 euros rent a month, for a piece of garbage its the rule today in town.

    welcome to rio.

    fonte: riotimesonline.com/brazil-news/rio-real-estate/what-you-can-rent-in-rio-for-r1500/#

    0
    • aiwww 22 de novembro de 2011 at 21:46

      This one is for the stupid gringo -> http://www.rioapartments.se/

      0
    • Frank 22 de novembro de 2011 at 22:05

      pode ter sido um brasileiro / carioca dando uma sacaneda no site, mas, se for mesmo o relato de um gringo q morou por aqui, o cara tá bem próximo da verdade…

      0
      • Tiago 22 de novembro de 2011 at 22:19

        esse Giovani é dos nossos!

        0
      • Fabio 22 de novembro de 2011 at 22:20

        Eu li dia desses um post de um italiano morando em São Paulo, reclamando que está ganhando mais aqui do que ganhava em seu país e mesmo assim passa dificuldades pra manter um Corsa, enquanto lá ele mantinha tranquilamente um Audi (se não me engano, mas era um carro muito superior). Também disse que lá ele tinha uma qualidade de vida bem superior, mesmo com menos dinheiro, e um poder aquisitivo bem maior. O que houve com nosso Brasil?

        0
        • Fel 22 de novembro de 2011 at 22:39

          FACIL DE EXPLICAR – LEI DE GERSON!!!!

          0
          • Mineiro BH 22 de novembro de 2011 at 23:18

            É isso aí, Fel !

            0
    • MrK 23 de novembro de 2011 at 08:40

      por mais que os cariocas nao gostem de admitir, tudo que o rapaz falou eh a mais pura verdade

      alias, tem uma falha, muitos servicos africanos sao melhores que os cariocas, africa do sul por exemplo

      de resto eh isso mesmo

      0
  • ildeu 22 de novembro de 2011 at 22:49

    Hã cerca de 1 ano fui ver uns lotes num condominio fechado , gostei de 1 que custava 75 mil ,900 metros [condomio rural , mas a 5km da minha cidade ].Hoje vi uma propaganda falando que os lotes “valorizaram” 50% em 1 ano , e que tinham lotes de 1100 por 60 mil reais ;quase morri de rir , quem foi lá a 1 ano sabe que desvalorizou em relaçao ao preço de lançamento , mas os cara tem a cara de pau de dizer que subiu 50% .Depois dessa percebi que o “mercado “se baseia no eterno jeitinho brasileiro de que se colar ,colou !

    0
  • profeta do apocalipse 22 de novembro de 2011 at 23:11

    deem uma olhada nesse cara. comentarios otimos. o governo e uma farsa

    w w w .observadordomercado.blogspot.com/

    http://voce.estadao.com.br/seguidor_observador

    0
  • Abismado 22 de novembro de 2011 at 23:41

    Como qualquer pessoa que preza o seu dinheiro, antes de comprar algo é necessário fazer uma boa pesquisa de preços. Sendo assim, gosto de me informar sobre os preços antes mesmo de estar decididamente a comprar algo. O chato de tudo isso, é que vc vê um apartamento, não gosta por alguma razão (principalmente preço..), mas aquele corretor fica te ligando um tempao depois para te convencer a comprar a oportunidade rara…

    O que me ocorreu é que já passou mais de 1 mes que visitei um stand de vendas. Foi me dito que já havia sido vendido mais de 30% dos apartamentos e logo logo as obras iriam começar com tranquilidade de caixa para a construtora pois a cota inicial já havia sido batida…Até agora, passado mais de 1 mes, estranhadamente ninguem me ligou. Poxa vida, a corretora era até bonitinha… nao me ligou até agora…

    Será que é porque eu perguntei sobre a tal Bolha Imobiliaria depois que ela me falou do preço?

    é só falar na tal da bolha que somos riscados do caderninho…?

    0
    • Guilherme Eduardo 23 de novembro de 2011 at 00:08

      A dica é questionar da seguinte forma: Quando os apartamentos ficarem prontos, o senhor tem previsão de quanto será o desconto? 20%? 30%?

      Quando ele responder que imóvel não desvaloriza, você responde que com as vendas em queda, os bancos arrochando o crédito e a economia mundial e nacional com previsão de desaceleração, como eles irão vender se dar desconto?

      rsrsrsrs só falta ele responder que desconto não dá, mas que se você comprar o de 48m2 por R$ 200k facilitados ganha um carro zero km!!!

      0
  • Guilherme Eduardo 22 de novembro de 2011 at 23:56

    05 de novembro
    Folha.com.br
    Site ‘ponta de estoque’ venderá imóveis novos

    17 de novembro
    Estadao.com.br
    Preço do imóvel cai e chineses protestam

    18 de novembro
    Estadao.com.br
    ‘O Brasil é hoje a versão 2.0 da Espanha de 2003’, diz economista espanhol

    19 de novembro
    Estadao.com.br
    BC incentiva crédito no momento em que dívida de brasileiro bate recorde

    20 de novembro
    Estadao.com.br
    Gafisa desacelera e corrige rota

    21 de novembro
    Estadao.com.br
    Com medo da crise, bancos médios reduzem ritmo de empréstimos

    22 de novembro
    Ig.com.br
    BC: Instituições preveem oferta menor de crédito
    ————————————————————————————————————
    Cadê as notícias sobre “preço de imóvel nunca cai”? (o que está acontecendo na China é o quê? acomodação?)

    Cadê as notícias sobre a nova classe média e o déficit habitacional? (E o site de ponta de estoque, alguém esqueceu de avisá-los. O déficit é enorme, mas para quem ganha um ou dois mínimos para sustentar a família)

    0
    • Sérgio 23 de novembro de 2011 at 00:44

      Ótima observação o cadenciamento de reportagens: é como a antiga didática para ensinar crianças – ligue os pontos e terá formada a palavra PLOC!

      0
  • MrK 23 de novembro de 2011 at 08:51

    Esclarecimento sobre a crise

    Quando falei que a crise na europa estava mais nos ajudando do que atrapalhando, isso realmente eh verdade, mas isso nao quer dizer que a bolha aqui nao va estourar em 2 anos, quer dizer no maximo que tem dado uma sobrevida a bolha, atraves do investimento estrangeiro

    temos que lembrar que uma bolha estoura por uma combinacao de fatores, esse tem ajudado, mas muitos outros tem atrapalhado, e o fator mais forte (revenda/especulacao) vai vencer a queda de braco, nao tenham duvidas!

    eu continuo achando que em 2012 veremos queda de precos razoaveis, o fundo pode ser que vejamos somente em 2013 ou ate depois, mas em 2012 o preco ja volta bem, pra mim o que ditara a velocidade da quda vai ser a entrega dos imoveis hoje em construcao, todo mundo ja percebeu a quantidade enorme de gente que vai querer repassar e a demanda simplesmente evaporou!

    Outra coisa, concordo com o Italiano, mesmo em crise, na Italia (ou franca, ou grecia…) voce pode pegar metro pra qualquer lugar, pode andar seguro na rua (mais que aqui pelo menos), pode comer bem, pode comprar um carro a preco justo, pode usar servicos publicos, enfim, mesmo em crise estao anos luz! O Brasil se orgulha do que? Se voce tiver um acidente nao pode nem ir pra um hospital publico!

    0
    • RT 23 de novembro de 2011 at 09:01

      MrK,

      Pergunta de leigo em economia: o travamento das vendas não seria um fator ainda mais importante que a entrega das chaves no estouro da bolha??

      Eu chutaria que, com os preços onde estão, esse mercado não conseguiria se segurar mesmo que não houvesse previsão de qualquer entrega… afinal de contas, com apartamentos em estado razoável custando de 700 mil pra cima, imagina como as vendas devem estar… e se eles não vendem, de que vão viver?

      0
      • MrK 23 de novembro de 2011 at 09:10

        RT,

        com o travamento da economia faz sentido sim os precos cairem para ajustar, mas aqui estamos falando da diferenca entre uma queda de precos (ajuste) e um estouro de bolha (algo muito mais agressivo)

        pra mim o estouro de bolha, em que vemos uma queda forte mesmo (30%..40%…) so’ com a sobreoferta gerada pela especulacao!

        abs

        0
    • Fábio 23 de novembro de 2011 at 09:05

      Bem esse exemplo pode se encaixar em qualquer em algumas cidade que conheço, como Paris, Berna, Zermatt, Bruxelas, Zurique, Munique, Viena mas sinceramente tem coisa muito pior na Europa como a propria cidade desse italiano. Roma tem um metro que da medo, voce ja pegou metro ou andou de onibus em Roma? Experimente… garanto que vai ser uma experiencia incrivel rsss. Comida? Bem fui em 3 restaurantes 3 estrelas guia Michelin e honestamente, a comida no Brasil e o atendimento é muito superior, agora o metro de Paris, o transporte público na Suiça, Austria, Alemanha é algo fora do comum mas Roma perde feio para o Rio de Janeiro.

      0
      • Tommaso 23 de novembro de 2011 at 09:40

        Vejo que você não gostou mesmo daqui 😛
        É verdade, metro (nem todas as linhas) não é ao nível que está, por exemplo, em Paris. De outro lado aqui pode deixar carro sempre estacionado na rua que ninguém rouba, pode passear no centro às 2 da noite sem medo de assaltos e se ouve tiros é só porque está no cinema assistindo filme. De novo, sugiro que, quando tiver tempo, tente visitar de novo Roma.

        0
        • Fábio 23 de novembro de 2011 at 10:00

          Bem vamos a questão de segurança, na saida do Estadio Olimpico de Roma, indo a pé em direção ao vaticano, um policial tinha prendido um filipino e outro cara porque tinham roubado carteiras e tinha alertado a minha esposa cuidado com a bolsa, pq tinha muitos roubos naquele horario. Particularmente eu achei o metro da linha 1 do Rio muito melhor do que o italiano e onibus voce deve entender do que estou falando, fora que domingo parecem que só roda uns 3 onibus rsss. Sinceramente se eu fosse voce mudava ontem daí para cá.

          0
          • Tommaso 23 de novembro de 2011 at 11:21

            Fábio, então continue com suas ideias, já que acho que mesmo se encontrasse 1000 romanos simpáticos e educados não iria mudar. Nem preciso comentar a abertura mental de quem julga uma cidade inteira pelas poucas experiências que teve. Pela minha experiência turista respeitoso e educado é tratado bem em 90% dos casos em qualquer lugar: será que você foi?
            Dito isso não vou continuar essa conversa, já que estamos off-topic.

            0
            • Fábio 23 de novembro de 2011 at 11:37

              Acho que esse foi meu problema, fui muito educado e sempre sou em todos os Países que visitei, fazendo inclusive amizades na Suiça e Alemanha. Agora o negocio é tratar os Romanos como devem ser tratados, com grosseria e ja vimos agora alguns relatos que não só foi comigo que isso ocorreu. Eu mesmo fiz uma reclamação formal junto ao Ministerio das Relações Exteriores visando alertar aos brasileiros nas visistas a Roma, acredito que voces deveriam tratar melhor os turistas pq ninguem sabe o dia de amanha.

              0
        • DRN 23 de novembro de 2011 at 10:52

          A segurança (ou a sensação de segurança) realmente existe. Andei sem medo à noite por Milão e Roma.

          A comida é boa sim, mas vc tem de escolher bem os restaurantes e mandar ver em 150 euros a refeição para o casal. A carne de vaca é que não é aquelas coisas. Mas também o referencial é o Brasil. Então, fica difícil competir.

          O povo é meio grosso mesmo, mas se vc for grosso de volta, eles baixam a crista. Num dos restaurantes perto do Coliseo, o garçom (italiano) não estava atendendo direito. Fui ao banheiro e estava fétido. Voltei, falei para o garçom, em pé, no meio do salão, para todo mundo ouvir, em inglês, que o banheiro era imundo e que a comida provavelmente também seria. Ele não entendeu. Daí eu disse em italiano que o mínimo que se esperava era que eles falassem inglês. Pus o dinheiro do vinho e da entrada na mesa, peguei a garrafa (porque eu não ia pagar e deixar o negócio lá) e fui embora. O cara ficou quietinho com uma cara de bunda.

          0
          • Fábio 23 de novembro de 2011 at 11:03

            Legal esse seu relato DRN, pensei q só eu tinha notado essa grosseria e falta de tato com os turistas que os romanos tem, com relação aos restaurantes fui nos recomendados pelo Guia Michelin e dois deles gastei por volta de 130 euros o casal e não vi nada de mais, alias o risoto deles parece um mingau, pedi risoto de camarão e não tinha nenhum camarão, acho que eles podiam chamar de risoto com cheio de camarão que ficaria mais honesto. E voce fez muito bem de reagir dessa forma, fui tentar ser educado e me lasquei com esses caras, agora vou dar o troco neles aqui na zona sul do Rio.

            0
            • FQ 23 de novembro de 2011 at 11:19

              O metrô de Roma e de Paris dá medo mesmo… é antigo, grande, cheio de túneis, pichado, as vezes vazio…

              Entretanto, andei tarde da noite várias vezes e nunca nem sequer vi algum tipo de assalto, e nunca ouvi um turista falar que presenciou algum assalto. O máximo que já ouvi falar, foram sobre imigrantes que se aproveitam de turistas distraídos para “bater” carteiras na surdina. Agora nunca ouvi falar de alguém sacar uma arma para ameaçar um assalto!

              A propósito, na Itália são mal educados e grosseiros com turistas mesmos!

              0
            • DRN 23 de novembro de 2011 at 12:13

              Vc tem de ter uma mulher que tope o “show”. Lembro que eu tinha uma namorada patricinha (filha de pai rico) antes de namorar a minha esposa que achava a coisa mais DESELEGANTE e POBRE do mundo reclamar em alto e bom tom, pra todo mundo ouvir. Felizmente, não me casei com ela. Minha esposa é classe média guerreira como eu. Ela filha de bancários, eu filho de jornalista e professora. Se tiver de fazer um barraco, é capaz de ela falar mais alto que eu ainda!!!

              0
  • MrK 23 de novembro de 2011 at 09:08

    O que acontecera com o preco dos alugueis?

    Eu consigo responder essa pergunta se alguem conseguir me responder essa outra: Quando os imoveis novos chegarem pra repasse e nao conseguirem ser vendidos, o que o especulador fara: ira baixar o preco ou vai por pra alugar?

    Sinceramente, se a maioria dos especuladores der o braco a torcer e baixar o preco, o impacto no mercado de alugueis ocorrera, mas sera menor, ocorrera basicamente pq teremos mais imoveis no mercado e pessoas que pagam aluguel irao se mudar pra imoveis proprios, deixando os antigos vazios pra alugar.

    Agora, se a maioria dos especuladores se recusarem a baixar o preco e botarem pra alugar (esperando nova valorizacao por exemplo), ai sim acho que teremos uma queda forte nos alugueis por sobreoferta

    por enquanto vejo a 1a opcao como mais provavel

    abs

    0
    • Anonymous 23 de novembro de 2011 at 10:36

      MrK,

      A maioria vai abaixar o preço no desespero pelo simples fato de não ter RENDA para fazer o financiamento. Lembre-se que um imóveis barato é da ordem de 500 mil Reais. Quem tem renda para financiar isso, não precisa especular com imóveis na esperança de ganhar dinheiro sem fazer nada.

      0
    • Paulo SCSul 23 de novembro de 2011 at 10:36

      Acredito que 50% irá vender e os outros 50% irá alugar, isso depende do perfil do especulador brasileiro.

      0
    • Sérgio 23 de novembro de 2011 at 10:46

      Bom dia, MrK. Concordo com sua conclusão, mas não plenamente. A situação em que está – e que é examente como expôs pode ser comparada por analogia. Imaginemos uma mulher gorda (co m todo o respeito pelas gordinhas), mas gorda mesmo, com sobrepeso mórbido, 180 Kg. Agora imaginemos essa mesma mulher com um vestido floral esvoaçante, em que vá até o meio das coxas, próximo ao joelho. Imagem bonita, não. Bem, ela está fazendo sua caminhada matinal do posto 3 até 50m depois do posto 3. Uma amiga chega e lhe diz que sua bunda está à mostra (bunda da gorda); ela disfarçadamente inclina-se para trás fazendo com que a parte de trás do vestido desça e o da frente suba, deixando à mostra sua parte pudenda frontal. Ela altivamente diz que não tem nada curto atrás, sob o olhar estupefato da amiga ao ver-lhe seu umbigo, que antes estava encoberto, aparecendo.
      A situação será bem essa, numa analogia mal e porcamente concebida, mas bem esclarecedora.
      O que quero dizer é que tanto um quanto outro irão cair (muito mais, né, pois já começaram), pois o mercado não pode gangorrar como a personagem acima

      0
      • Money Addicted 23 de novembro de 2011 at 11:15

        rsrs….comica a img dessa mulher…rs

        0
    • Cleyton 23 de novembro de 2011 at 10:58

      MrK, não creio que seja questão de opção, ninguém vai baixar os preços porque quer, sem luta, a queda será sempre o último recurso, quem tem bala na agulha vai tentar segurar, pra mim a queda é uma consequênca do desenvlvimento da bolha, não uma opção.

      0
    • DRN 23 de novembro de 2011 at 11:07

      Quem tem dinheiro para pagar sem financiar pode eventualmente alugar.

      Quem tem de financiar, não vai querer sentar na trolha: ou vai devolver para a construtora negociando o valor da devolução, ou vai vender com muito desconto. Vai ser uma questão de cálculo do menor prejuízo. Duvido que o cara vá financiar e alugar, porque o alguel não vai cobrir o financiamento.

      Na minha opinião, o que pode ficar sobreofertado é o mercado de venda, e não o mercado de aluguel.

      0
      • L1 23 de novembro de 2011 at 14:31

        Eu acho que temos que considerar a seguinte hipótese:

        Brasileiros sempre tiveram cultura de comprar para botar pra alugar. Não podemos descartar que muitos dos “investidores” entendem como investimento comprar e colocar pra alugar.

        Sem fazer conta nem nada, eles imaginam que comprar pra botar pra alugar é bom negócio, pensando em longuissimo prazo. Nunca duvide da falta de esclarecimentos do brasileiro.

        A cultura do botar pra alugar para “viver de renda” é muito forte, mesmo que nós saibamos que não compensa nos preços atuais.

        0
  • Davi 23 de novembro de 2011 at 09:34

    http://economia.ig.com.br/financas/casapropria/precos-dos-imoveis-vao-continuar-em-alta-diz-cyrela/n1597378467626.html

    Os preços dos imóveis no Brasil continuarão em alta nos próximos anos, na avaliação da Cyrela. “Como tendência, não há nada que indique que os preços vão se acomodar”, afirmou nesta terça-feira Ubirajara Spessoto, diretor geral da Cyrela São Paulo.

    Foto: AE Ampliar
    Com demanda ainda forte, Cyrela diz que tendência de alta dos preços dos imóveis deve continuar

    Os custos elevados de mão de obra e materiais de construção devem seguir pressionando o setor. O câmbio também pesa sobre os custos, em especial no caso de produtos como cimento e aço, que têm seus preços influenciados pela cotação do dólar. Outro fator é a alta no valor dos terrenos, que ficaram mais caros em todas as regiões do País, segundo o executivo.

    Leia também:

    Cyrela lucra menos no 3º trimestre, mas supera previsões

    Ibope: Não há sinal de queda no preço dos imóveis

    “Não equação de custo não tem refresco. Ou diminui margem ou o preço sobe”, disse Spessoto. Como a demanda por imóveis continua forte, apesar da desaceleração verificada ao longo de 2011, os preços dos imóveis devem seguir em alta. “O preço deve absorver o aumento dos custos”, afirmou.

    Sem promoções

    Ao contrário do que foi anunciado por algumas construtoras, a Cyrela não planeja promoções ou descontos em seus imóveis no quarto trimestre. “Não vamos de forma nenhuma diminuir margem em prol de velocidade maior [de vendas]”, disse Spessoto.

    A regra também vale para imóveis no segmento econômico, a cargo da Living Construtora. “Boa localização e bom produto é nosso diferencial”, afirmou Antônio Guedes, diretor geral da Living.

    No início do quarto trimestre, a Cyrela havia atingido 85% da sua meta de lançamentos e 80% do guidance de vendas para 2011, que prevê a entrega de um total de 25 mil unidades. Se confirmado, o número representará um crescimento de 62% em comparação ao registrado em 2010.

    Mercado forte, mas crescendo menos

    A Cyrela trabalha com um cenário de crescimento menor para a economia em 2012, o que deve fazer com que o mercado imobiliário continue a se acomodar – mas em um patamar elevado. “A oferta continuará consistente. Não vamos assistir em 2011 e 2012 a mesma velocidade [de lançamentos e vendas] que tivemos no segundo semestre de 2009 e em 2010”, afirmou Spessoto. “Mas o mercado está forte para bons produtos”, disse.

    Após ter ficado praticamente parado com a crise financeira mundial de 2008, o setor imobiliário teve um crescimento expressivo entre o final de 2009 e todo o ano de 2010, já que a demanda por imóveis continuava aquecida. O movimento também foi impulsionado pelo início do programa “Minha Casa, Minha Vida”.

    Para 2012, a construtora e incorporadora projeta crescimento entre 3% e 3,5% para o País. “Toda vez que o Brasil cresceu 3%, o mercado imobiliário de São Paulo cresceu entre 10% e 15%”, disse Spessoto. Além disso, a Cyrela não espera que o setor sofra com restrição de crédito no ano que vem. “Nosso cenário-base não é de crise se alastrando para o Brasil.”

    Segundo o vice-presidente financeiro e diretor de relações com investidores companhia, José Florêncio Rodrigues, o guidance para 2011 e 2012 ainda pode sofrer nova revisão, mas a projeção atual “parece bem razoável”.

    A empresa espera fechar o ano com vendas entre R$ 6,9 bilhões e R$ 7,7 bilhões (alta de 10% a 25%). Para 2012, o cenário é de vendas de R$ 8 bilhões a R$ 8,9 bilhões (avanço de 4% a 16%).

    “A boa notícia para 2012 é que a gente espera ter um ano inteiro de geração de caixa”, disse Spessoto. No terceiro trimestre, a Cyrela registrou geração de caixa de R$ 60 milhões, excluindo recompra e aquisição.

    (Atualizada às 15h32)

    0
  • Yoda 23 de novembro de 2011 at 10:14

    Estava reparando a quantidade de imobiliárias diferentes que existem no Wimóveis. Há 2 ou 3 anos o que se via no site eram poucas imobiliárias, a maioria tradicionais. Agora, se pegar um imóvel como Riviera dei Fiori, com vários anúncios de apartamentos à venda, é possível verificar a quantidade de imobiliárias distintas e desconhecidas.

    0
  • Anonymous 23 de novembro de 2011 at 10:58

    Estou na Europa visitando vários paises e vou dar minha opinião politicamente incorreta. Pelo que vi até agora, as cidades evoluiram caóticamente de favelas medievais. Não é nenhum exagero chamar de favelas medievais, pois as ruas não fazem um padrão regular. A grande maioria das moradias nem sequer tem banheiro decente. A cultura onde banheiro era artigo de luxo permanece até hoje. Visitei alguns prédios novos de apartamentos com 2 ou 3 dormitórios e constatei um só banheiro. Estacionamente é raro, também um problema cultural. A maioria das pessoas fuma, inclusive em restaurantes sem a menor consideração com as outras pessoas. Um detalhe importante que observei é que qualquer McDonalds está sempre lotado pelo simples fato de ter estacionamento. Hoje mesmo observei uma praça, ao lado de uma Igreja, que foi remodelada para dar lugar a um estacionamento. O detalhe é que o estacionamento ocupa 1/3 da área praça, Os outros 2/3 estão ocupados por uma única estátua e servem para absolutamente nada.

    0
    • FQ 23 de novembro de 2011 at 11:08

      As cidades ou os centros históricas da Europa, o qual normalmente visitamos, são “tombados” e com restrições severas a reformas, justamente para manterem a herança milenar e fomentar o turismo.

      Entretanto, estes centros históricos não representam nem de longe a Europa atual. Por exemplo, Roma é apenas uma cidade turística, com proibições econômicas diversas, o verdadeiro centro financeiro da Europa é Milão, uma cidade que ninguém visita! A Ferrari fica em Maranelo, as indústrias em outra região ainda, o vinho na toscana… Roma, Veneza, Florença são cidade históricas, turísticas e exóticas mantidas como patrimônio da humanidade.

      Quanto a questão do Banheiro, eu concordo. Seja onde for, é uma porcaria, eles não tem a cultura do banho diário!

      0
    • MrK 23 de novembro de 2011 at 11:15

      ja fui a europa umas 5 vezes, nao me lembro de ter pego carro uma unica vez! voce faz tudo a pe, de metro, com a maior tranquilidade, toda seguranca e e’ barato!!!

      cara, voce esta tentando adaptar um estilo de vida brasileiro no europeu, nao vai rolar!!!

      assim como voce estranha o que eh diferente, o europeu nos acha maluco por trabalharmos ate as 20h todo o dia e depois pegar 1h de engarrafamento pra chegar em casa

      se vc quer o estilo de vida brasileiro adaptado no 1o mundo, va pros EUA, Australia ou Canada

      0
      • Fábio 23 de novembro de 2011 at 11:32

        Eu trabalho 7 horas por dia, 35 horas semanais, tenho uma qualidade de vida excelente e morar em Roma jamais faria uma insanidade dessas rsss.E fui ao supermercado, andei em todos os transportes publicos, procurei fazer tudo de forma tranquila mas não rola lá, agora países de Primeiro Mundo mesmo, como França, Suiça, Austria, Alemanha aí sim.

        0
    • Anonymous 23 de novembro de 2011 at 11:53

      Felipe, MrK,

      A minha análise foi em termos de qualidade de vida, que obviamente tem uma enfase pessoal. Estou viajando de carro e geralmente fico em hoteis nos arredores das cidades. Esses hotéis, conhecidos como ParkHotels, são bem mais baratos que os hotéis na cidade e possuem estacionamento. Procuro ficar em cidades que não são voltadas para o turismo, para justamente ter uma idéia do que é o normal e não cidades para “Ingles ver”. Entendo essa idéia de fazer tudo a pé ou usando o transporte público. Entretanto, existe uma consequência geralmente desprezada nesse estilo de vida – todo mundo quer morar na cidade e isso leva a um aumento do preço dos imóveis. Na minha opinião, a qualidade de vida é pouco melhor que na Banânia, mas muito longe da qualidade de vida dos EUA.

      0
      • Andrade 23 de novembro de 2011 at 12:33

        Caro Anonymous,
        Morei na Suiça de 1980 até 2010, 30 anos portanto, e desde 2010 que vivo no Brasil.
        Qdo vc fala assim da Europa, tem que entender que se trata de paises com historias milenares, logo muitas construções, casas, ruas, etc se mantiveram e se vão se manter ainda muitos anos por vontade de preservação de patrimonio historico, quando alguem quer reformar esses lugares velhos … na maioria das vezes nao lhe é permitido devido a essas proteções todas.
        Vivendo estes 30 anos lá, logo conheço a Europa toda, tanto a férias como a trabalho. Também conheço os EUA e outros continentes, e compreendo o seu comentario negativo sobre europa, pois vc vivendo e estando adaptado aos US… é normal estranhar a Europa, pois estilo de vida, sociedade, cultura em geral é muito diferente. Posso lhe dizer que de todas as vezes que visitei os US me ocorriam sempre os mesmos pensamentos, que eram… que dificilmente gostaria de viver nos US, acho uma sociedade com grande défice humano… é um pais de carros… dos lugares que conheci (NY, DC e VA), só new york se distingue pra melhor. Na Europa apesar de alguns lugares tbm serem com us, a grande maioria é bem diferente, povo sai à rua, “vive” na rua, existe muita vida além dos shopping Malls, mas respeito tanto americanos, brasileiros ou europeus, é questao de cultura mesmo, e isso vc traz desde que “nasce”.
        Sobre os banheiros na europa, realmente em lugares antigos é assim como vc descreve, mas nos outros é um luxo, enfim tem de tudo. Aqui no Brasil a maioria dos banheiros publicos em que entro sao muito mais sujos, fedorentos, muitos sem papel…
        Ao amigo abaixo que lá nao tem cultura do banho diario, é verdade, mas tem o clima que forjou esse mau habito, mas aqui no brasil se pudesse tomaria 10 duchas/dia… tal o calor, humidade existente!
        Sobre cigarro, concordo, lá fumam mais, mas frança, suiça, italia, portugal e outros paises mais é proibido fumar em lugares publicos fechados, logo onde nao é… é claro que fumante faz como sempre se fez na era do cigarro libre. Tens muitos lugares aqui no brasil que as pessoas tbm fumam apesar de ser ilegal… e muitos nao estao nem ai tambem. Nao se pode generalizar.
        Vou terminar com um desabafo, vivo no brasil à 16 meses, e estou correndo pra voltar pra suiça em fevereiro próximo, nao me adaptei mesmo, acho tudo super caro, sobretudo tendo em conta qualidade vs preço, imoveis entao nem se fala. Qualidade de vida no geral é muito ruím com o que eu estava acostumado, administraçao, burocracia péssimas… morosidade gigante, sem claro falar dos mesmos temas de sempre: saude, segurança, educação, estradas, infraestruturas no geral… e tudo isso eu lá tenho em qualidade de 1ro nivel … quase de graça.
        Pensava eu que a vida aqui era bem menos corrida e tal… e para meu espanto encontrei uma sociedade super corrida, desorganizada, muita bagunça, estresse por tudo e mais alguma coisa, resultado… entendi o porquê da suiça ter 3 cidades no top 10 de qualidade de vida, e 2 cidades no top 3 mundial, enquanto as cidades brasileiras..?!
        O que me vai faltar será unicamente o lado humano, calor humano, do povo em geral, apesar de que tbm tem mt falta de educaçao e principalmente civismo! Esses lados positivos nao compensam mesmo tudo o resto de pior … fazendo diferença na qualidade de vida! Meu lema é SER, e nao TER.
        Abraços

        0
        • Inteligivel 24 de novembro de 2011 at 17:54

          Estou com inveja de você. Gostaria muito de morar na Suíça. =)

          0
          • Andrade 24 de novembro de 2011 at 23:16

            Oi Intelegivél,
            A Suiça não é um país fechado, dependendo de sua area profissional pode sim ter uma chance de morar por lá! Conheço muitos Brasileiros que vivem lá apesar de terem entrado inicialmente com o estatuto ilegal, mas se viraram bem e hj estao completamente integrados e legalisados.
            Quando queremos, vamos atrás. Bons ventos. Abraço

            0
  • Valdir 23 de novembro de 2011 at 11:03

    ssoal bom dia,

    Sobre a crise, como especulo em forex acompanho as moedas estrangeiras a algum tempo, na maioria das vezes especulando nas moedas EuroUsd e UsdCad e tenho visto a moeda da Europa cair, em alguns momentos desabar, mas no entanto a tendencia sempre é de estabilização e recuperação a medio prazo.
    A moeda brasileira não tem peso algum no comercio mundial, não produzimos novas patentes, não produzimos artigos cientificos (com excessão de Usp e Unicamp), todas as empresas de peso do Brasil são dos setores alimenticio (brfoods, jbs, marfrig) ou ligadas a mineração-extração recursos (vale, petrobras), o governo Lula foi o governo que pegou o pais no melhor momento de toda a historia….por que?? MINERIO DE FERRO NAS ALTURAS….
    Pensar que Europa ou EUA vão quebrar é no minimo pura ingenuidade, eles não vão quebrar, o que eles estão passando é ciclico, ou seja ciclo.
    Eles (Europa – Eua) irão continuar apresentando inovações tecnologicas ao mundo, os melhores carros continuarão vindo do velho continente, a America inventou o capitalismo que conhecemos hoje, e, Coca – Cola, Microsoft, Aple, Oracle continuarão a ser Americanas.
    Li uma noticia que Ipod é mais vendido que os celulares ching-ling na propria China.
    A Argentina esta absolutamente melhor que o Brasil, e no entanto estava praticamente quebrada a 2 anos atras.
    E o Brasil? como acho que vai ficar?
    Bom acredito que teremos uma geração de devedores, num pais que não produz nada de valor efetivo, logico que o Brasil não vai quebrar, mais como uma democracia-capitalista, que obviamente tem ciclos (economia ciclica), ou seja ciclos de crescimento e queda, a minha preocupação é se essa queda acontecer em um momento que grande parte da população estiver endividada, ai vamos ver algo interessante: Bancos segurando emprestimos, desemprego em alta…..isso parece familiar???
    Carlos Slim o homem mais rico do mundo certa vez contou o segredo dele, ele disse a uma reporter: meu pai me ensinou o segredo para ficar rico, certa vez ele me disse, Carlo, quando o pais estiver ruim, a beira do abismo, pegue o seu dinheiro e saia comprando tudo que ver pela frente, terras, empresas, imoveis….sabe por que? porque o pais nao vai quebrar, ele sempre se recupera…
    O que o brasileiro fez? no momento de imoveis e tudo mais com preços nas alturas pegou dinheiro no banco e saiu comprando tudo o que via pela frente, carros imoveis, terras…
    No comparativo quem parece estar mais certo?? Brasileiro ou homem mais rico do mundo.
    Quanto ao momento certo de comprar imoveis acredito que seja a apartir de agosto do ano que vem, quando sera dado o tiro de misericordia nas contrutoras…
    Espero ter contribuido com meus colegas de debate…
    Segue link com otima piada para descontrairmos…
    http://economia.ig.com.br/financas/casapropria/precos-dos-imoveis-vao-continuar-em-alta-diz-cyrela/n1597378467626.html

    Forte abraço

    0
  • Mdc 23 de novembro de 2011 at 11:14

    Rio, SP, BSB, Roma…Olha, já morei nas três cidades do Brasil e conheço muito bem Roma e a Itália. Atualmente moro no Leblon, pagando um aluguel exorbitante. De longe, o Leblon é melhor que qualquer bairro de SP. Em BSB, o Lago Sul também é uma excelente opção, com um dos maiores IDH do mundo. No entanto, saindo do Leblon, no Rio, ou saindo do Lago Sul, em BSB, a coisa despenca…é oito ou oitenta, com algumas opções intermediárias. Neste aspecto, SP ainda apresenta muitas opções para os integrantes da velha classe média. Respeito a opinião de todos, mas quem acha que Taguatinga, Guará, Tijuca, Botafogo e até mesmo Flamengo são excelentes bairros para morar realmente perdemos a noção (digo perdemos, pois nas atuais condiçoes de preços moraria, numa boa, no Botafogo ou Flamengo). Taguatinga e Guará, no way. Quanto à Itália, Roma é uma coisa e a Itália é algo completamente diferente. basta dar uma rodada na região da Toscana, onde vc compra uma casa de vila por 200 mil euros, para avaliar o tamanho da bolha e da insanidade que estamos vivendo no Brasil e para compreender o que é qualidade de vida, com crise e tudo. Enquanto isso, sigo aguardando os preços retornarem para a realidade dos anos 80/90 onde um ap de 3 dormitórios e 150 m2 custava, e voltará a custar, US$ 120 mil em um bairro da antiga classe média alta de SP.

    0
  • nelson 23 de novembro de 2011 at 11:17

    Preços dos imóveis vão continuar em alta, diz Cyrela
    Custos elevados de mão de obra, materiais de construção e terrenos devem seguir pressionando o setor
    Danielle Assalve, iG São Paulo | 22/11/2011 12:22
    Preços dos imóveis vão continuar em alta, diz CyrelaCustos elevados de mão de obra, materiais de construção e terrenos devem seguir pressionando o setor. Preços dos imóveis vão continuar em alta, diz CyrelaCustos elevados de mão de obra, materiais de construção e terrenos devem seguir pressionando o setor
    Os preços dos imóveis no Brasil continuarão em alta nos próximos anos, na avaliação da Cyrela. “Como tendência, não há nada que indique que os preços vão se acomodar”, afirmou nesta terça-feira Ubirajara Spessoto, diretor geral da Cyrela São Paulo.
    Com demanda ainda forte, Cyrela diz que tendência de alta dos preços dos imóveis deve continuar
    Os custos elevados de mão de obra e materiais de construção devem seguir pressionando o setor. O câmbio também pesa sobre os custos, em especial no caso de produtos como cimento e aço, que têm seus preços influenciados pela cotação do dólar. Outro fator é a alta no valor dos terrenos, que ficaram mais caros em todas as regiões do País, segundo o executivo.
    Não equação de custo não tem refresco. Ou diminui margem ou o preço sobe”, disse Spessoto. Como a demanda por imóveis continua forte, apesar da desaceleração verificada ao longo de 2011, os preços dos imóveis devem seguir em alta. “O preço deve absorver o aumento dos custos”, afirmou.
    Ao contrário do que foi anunciado por algumas construtoras, a Cyrela não planeja promoções ou descontos em seus imóveis no quarto trimestre. “Não vamos de forma nenhuma diminuir margem em prol de velocidade maior [de vendas]”, disse Spessoto.
    A regra também vale para imóveis no segmento econômico, a cargo da Living Construtora. “Boa localização e bom produto é nosso diferencial”, afirmou Antônio Guedes, diretor geral da Living.
    No início do quarto trimestre, a Cyrela havia atingido 85% da sua meta de lançamentos e 80% do guidance de vendas para 2011, que prevê a entrega de um total de 25 mil unidades. Se confirmado, o número representará um crescimento de 62% em comparação ao registrado em 2010.
    Mercado forte, mas crescendo menos
    A Cyrela trabalha com um cenário de crescimento menor para a economia em 2012, o que deve fazer com que o mercado imobiliário continue a se acomodar – mas em um patamar elevado. “A oferta continuará consistente. Não vamos assistir em 2011 e 2012 a mesma velocidade [de lançamentos e vendas] que tivemos no segundo semestre de 2009 e em 2010”, afirmou Spessoto. “Mas o mercado está forte para bons produtos”, disse.
    Após ter ficado praticamente parado com a crise financeira mundial de 2008, o setor imobiliário teve um crescimento expressivo entre o final de 2009 e todo o ano de 2010, já que a demanda por imóveis continuava aquecida. O movimento também foi impulsionado pelo início do programa “Minha Casa, Minha Vida”.
    Para 2012, a construtora e incorporadora projeta crescimento entre 3% e 3,5% para o País. “Toda vez que o Brasil cresceu 3%, o mercado imobiliário de São Paulo cresceu entre 10% e 15%”, disse Spessoto. Além disso, a Cyrela não espera que o setor sofra com restrição de crédito no ano que vem. “Nosso cenário-base não é de crise se alastrando para o Brasil.”
    Segundo o vice-presidente financeiro e diretor de relações com investidores companhia, José Florêncio Rodrigues, o guidance para 2011 e 2012 ainda pode sofrer nova revisão, mas a projeção atual “parece bem razoável”.
    A empresa espera fechar o ano com vendas entre R$ 6,9 bilhões e R$ 7,7 bilhões (alta de 10% a 25%). Para 2012, o cenário é de vendas de R$ 8 bilhões a R$ 8,9 bilhões (avanço de 4% a 16%).
    “A boa notícia para 2012 é que a gente espera ter um ano inteiro de geração de caixa”, disse Spessoto. No terceiro trimestre, a Cyrela registrou geração de caixa de R$ 60 milhões, excluindo recompra e aquisição.

    0
    • Tomaz 23 de novembro de 2011 at 14:06

      Estranho. Que eu saiba, o que manda nos preços é a oferta e a demanda… novas leis de economia???

      0
      • peterson 23 de novembro de 2011 at 17:02

        e você tem razão… mas as bolhas não respeitam esta lei fundamental, assim, qualquer economista decente percebe que estamos vivendo uma Bolha…

        0
  • nelson 23 de novembro de 2011 at 11:21

    Não há sinal de queda no preço dos imóveis, diz Ibope
    Rio de Janeiro e Recife registraram as maiores altas nos últimos seis meses, com valorização média de 18%
    Danielle Assalve, iG Sâo Paulo | 26/10/2011 12:06
    Mesmo com a crise econômica, os preços dos imóveis seguem em firme tendência de alta no Brasil. Segundo pesquisa divulgada pelo Ibope Inteligência nesta terça-feira, apartamentos novos e usados nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Recife registraram expressiva valorização nos últimos seis meses.
    Preços dos imóveis seguem em firme tendência de alta no Brasil, diz Ibope
    “Os preços mantêm uma tendência altista exagerada que tem sido observada desde 2009. Não há nenhum sinal de desaceleração no médio prazo”, diz Antônio Carlos Ruótolo, diretor de geonegócios do Ibope Inteligência.
    As maiores altas foram verificadas nas cidades do Rio de Janeiro e Recife, ambas com crescimento de 18% no preço dos apartamentos novos entre abril e outubro deste ano – considerando a média dos imóveis nos bairros comparáveis. No Rio de Janeiro, o preço do metro quadrado vale, em média, R$ 4.656, enquanto em Recife o valor é de R$ 4.020.
    Já o preço dos apartamentos usados nas duas capitais subiu ainda mais que o dos imóveis novos. Em Recife, os imóveis usados registraram alta de 20% no período, para um valor médio de R$ 3.066 por metro quadrado. No Rio, a alta foi de 19%, com o metro quadrado valendo R$ 5.047.
    Segundo Ruótolo, o fato do preço médio dos imóveis usados subir mais que o dos novos é “uma indicação de anomalia no mercado, algo atípico e temporário”. No caso de Recife, o diretor do Ibope acredita que o movimento tem relação com o crescimento da cidade, puxado pelo complexo industrial portuário de Suape, que resultou em um aumento inesperado da demanda por imóveis. Como o número de lançamentos não tem acompanhado o movimento, cresce a procura por apartamentos usados.
    No Rio de Janeiro, Ruótolo acredita que a alta dos preços de usados tem relação com a carência de lançamentos e de terrenos para construir, em especial na área sul. “O Rio está crescendo para a periferia, em regiões como Zona Oeste, Bangu. E a classe média em geral prefere morar em outros lugares, o que aumenta a transação de usados em certas áreas da cidade.”
    Em São Paulo e Porto Alegre, os preços dos imóveis novos e usados também registraram forte valorização – embora dentro de padrões mais estáveis. Os apartamentos novos ficaram, em média, 14% mais caros em São Paulo, com valor de R$ 6.030 por metro quadrado – maior valor entre as quatro cidades pesquisadas. Em Porto Alegre, houve alta de 11% nos últimos seis meses, para R$R$ 4.567 o metro quadrado.
    No caso das residências usadas, São Paulo registrou alta de 11%, para R$ 4.554 por metro quadrado, enquanto Porto Alegre teve valorização de 8%, para R$ 2.998.
    Considerando a média de todos os imóveis em outubro, o metro quadrado custa, em média, R$ 6.019 em São Paulo, R$ 6 mil no Rio de Janeiro, R$ 4.501 em Porto Alegre e R$ 4.074 em Recife. Já o metro quadrado dos apartamentos usados vale, em outubro, R$ 4.979 em São Paulo, R$ 5.106 no Rio de Janeiro, R$ 2.922 em Porto Alegre e R$ 3.066 em Recife.
    Crescimento anual segue forte
    Na avaliação de Ruótolo, os resultados da pesquisa mostram que o mercado imobiliário segue aquecido – embora os preços tenham até diminuído em poucos bairros. Considerando a variação de preços desde 2009, quando teve início a pesquisa do Ibope, os imóveis novos ficaram, em média, 85% mais caros em São Paulo nos últimos dois anos e, em 2011, registram crescem em ritmo anual a uma taxa de 28%.
    No Rio de Janeiro, os preços subiram 79% desde 2009 e apontam crescimento anualizado de 34% em 2011. Em Porto Alegre, a pesquisa mostra alta de 63% nos últimos dois anos e ritmo de crescimento anual de 22%. O levantamento do Ibope em Recife começou a ser feito em abril, portanto o único dado disponível é a alta média anualizada de 36% em 2011.
    Para o diretor do Ibope, fatores como forte queda do desemprego no País, reajustes salariais e financiamento abundante têm levado muitos a realizar o sonho de comprar a casa própria. “Os preços estão altos, em patamares que não são sustentáveis no longo prazo, mas não vemos até agora nenhum sinal de acomodação do mercado, apesar da crise”, diz Ruótolo

    0
    • Sérgio 23 de novembro de 2011 at 12:16

      Nesse nosso mundo existem pessoas até que comem cocô, imaginem se não existirão as que creem em milagre financeiro, mesmo estando à beira do abismo e com uma enchurrada de ativos encalhados e dívidas crescentes as empurrando.
      Uma coisa é um cara, lutador de boxe (hoje eu tô pra analogia… he he he), apanhando à beça de um outro, tipo Mike Thysson nos bons tempos, ter um insight de lucidez no meio de toda dor do mundo, pegar e JOGAR A TOALHA: ele vai sentir-se ligeiramente desmoralizado, um pouquinho menos rico (pois também vai ganhar algun$), mas extremamente aliviado. Outra é um cara, dono ou grande investidor no setor de imoveis, com milhões e milhões investidos em ativos que não vendem, fazer o mesmo. Eles só o farão quando o próprio mercado (eu e vocês fazemos parte dele) o obrigarem. Logo, uma comparação mais razoável – e que me ocorreu enquanto escrevia essas malfadadas linhas – seria a luta de jiu-jitsu: o investidor/dono de construtora só vai dar o TAPA pedindo arrego quando o adversário (mercado) der um MATA-LEÃO.
      Hoje eu to inspirado… he he he… e que venham mais notícias de comedor de cocô!

      0
    • Insanidade 23 de novembro de 2011 at 12:32

      “Na avaliação de Ruótolo, os resultados da pesquisa mostram que o mercado imobiliário segue aquecido – embora os preços tenham até diminuído em poucos bairros. Considerando a variação de preços desde 2009, quando teve início a pesquisa do Ibope, os imóveis novos ficaram, em média, 85% mais caros em São Paulo nos últimos dois anos e, em 2011, registram crescem em ritmo anual a uma taxa de 28%.”

      Destaque #1: “os resultados da pesquisa mostram que o mercado imobiliário segue aquecido”

      Destaque #2: “os imóveis novos ficaram, em média, 85% mais caros em São Paulo nos últimos dois anos”

      Destaque #3: “crescem em ritmo anual a uma taxa de 28%”

      Alguém aí me diga se a sua renda aumentou 85% nos últimos dois anos?

      Se você era peão e passou para gerente, ou era gerente e passou para diretor, OK, aí eu entendo…fora isso???

      Continuem aumentando sem parar, assim o tombo será maior.

      0
    • Carcará 23 de novembro de 2011 at 12:37

      Continuam subindo!!! Como hoje não acordei muito bem, só vou comprar uns 5 aps. A vista, naturalmente. E todos imóveis Cyrelas da pesquisa do IBOPE, pois não desvalorizam nunca.

      0
    • Carlos Wagner 23 de novembro de 2011 at 14:52

      Após o sumiço das reportagens que diziam que os imoveis iriam subir eternamente, vemos um grupo crescente de pessoas que querem manter o mercado imobiliario aquecido no grito.

      Na minha modesta opinião, mercado aquecido é aquele em que as vendas acontecem e crescem exponencialmente, não aqueles em que as vendas estão travadas.

      A nova lógica do mercado imobiliario, segundo “analistas, é: Se o preço continua subindo é porque o mercado está aquecido.

      Acredito que esse seja o ultimo argumento para impulsionar o defunto no grito.

      0
      • peterson 23 de novembro de 2011 at 17:15

        aprendam essa, lei fundamental das bolhas, sempre sobem a 45° e descem a 90°, o tempo que se leva na construção é 1/10 do que se leva para destruí-la e 5 vezes mais para superá-la. Quanto mais ela infla mais verticaliza, lembrando que V=Vo + gt, quanto maior a velocidade inicial e o tempo de queda (que depende da altura) mais rápida será a velocidade final. (fisica pura, ou vocês achavam que isso não servia para economia? aprendam mais essa rs)

        0
        • LAM 24 de novembro de 2011 at 06:58

          Hahahaha… peterson, você é um dos CARAS que deixam esse blog cada vez mais top! Essa analogia física foi ótima!! Falta agora uma análise quântica, pra fechar com chave de ouro!

          0
  • MrK 23 de novembro de 2011 at 11:25

    Eu nao sou da turma que fica falando “Banania”, mas eu entendo o anonymous

    Morar fora e’ uma experiencia muito importante e muda a forma como voce ve o mundo, me desculpem, morar fora e viajar pra fora nao sao experiencias similares

    Quando voce mora fora voce viva a cidade, voce faz compras no mercado semanalmente, voce conhece os costumes locais, voce sente o ambiente de trabalho, o transito, os verdadeiros precos, os pros e contras…

    Atualmente estou morando fora e vendo como tudo que eu achava “o maximo” no Rio, nao passa de “mais ou menos” (pra ser educado), vejo como o servico no Rio e’ horrivel, como a cidade e’ suja e baguncada, como o povo (que tem fala de cordial) e’ na verdade trambiqueiro (famosa lei de gerson), vejo como pagamos impostos absurdos no Brasil, vejo como temos mais opcoes aqui no supermercado (e mais barato) e por ai vai

    Sem falar que minha qualidade de vida triplicou, pois todos aqui trabalham ate as 18h e vao pra suas familias, no Rio trabalhava ate as 20h em media! Pago menos e vivo melhor!

    Outra coisa que nao tem preco eh andar na rua tranquilo, minha cidade atual nao eh super segura, mas os crimes que existem sao roubo de carteira, ipod, tudo na rua a noite… nao existe fusil, granada, bala perdida…

    O Problema que o governo Brasileiro investe massivamente em propaganda para enganar o povo de que no Brasil estamos super bem, pura palhacada, mas infelizmente o povo acredita por falta de conhecimento.

    Recomendo a todos que tenham a oportunidade que morem fora, nem que por alguns meses.

    0
    • Anonymous 23 de novembro de 2011 at 12:10

      MrK,

      Voce tocou num ponto que já observei para vários amigos que viajaram para outros países, mas nunca moraram nesses países. Eu digo que ele não fizeram nada além de ver paisagem. O meu arrependimento é não ter saido da Banânia ANTES. Quando uso o termo Banania, tenha certeza que estou sendo muito delicado.

      0
      • DRN 23 de novembro de 2011 at 12:20

        Anonymus, eu penso que vc está coberto de razão quanto à qualidade de vida. Não dá para comparar mesmo. Nunca morei fora, mas só de viajar dá para notar. Não precisar ser muito perspicaz, não. Agora, só por curiosidade, o que vc fez com seus pais, seus tios, seus primos, seus irmãos, seus amigos etc.? É claro que vc não pôde levar todo mundo. Aquele churrascão com o tio barrigudo caindo bêbado, as crianças correndo e as mulheres numa rodinha conversando, o abraço da sua mãe, a camaradagem dos seus primos, as piadas toscas daquele outro tio que quer agradar. Isso não te faz falta?

        0
        • Luiz 23 de novembro de 2011 at 13:05

          Conheço brasileiros que se deram bem e outros que se deram mal na europa, tanto morando como em viagem

          Toda a diferença está na atitude que a pessoa tem.

          -> os quese deram mal procuraram agir lá como agem aqui, ter os mesmos vicios e atitudes estupidas

          -> os que sederam bem entenderam as seguintes coisas:
          1. garçons não são escravos e serviçais, trate os como vc trata o seu amigo
          2. restaurante não são locais publicos, trate os como vc trataria a casa da sua mãe
          3. lugares lotados não são uma especie de competição, se esta lotado vá embora e volte outra hora, ou outro dia
          4. não tente trapacerar ou dar uma de esperto o tempo todo, todo mundo vai perceber, eles são discretos mas não saõ idiotas
          5. aprenda a falar porfavor, obrigado, desculpas, oi como vai, muito prazer, aprenda a elogiar,, saborear, apreciar e faça isso o tempo todo, de preferencia na lingua do local
          6. peça desculpas caso vc não fale a lingua local, eles vão compreender e te ajudar, a lingua da boa vontade é a mais importante
          7. não entre gritando onde quer que seja, depois que ficou intimo do local vc pode até gritar, brigar, pular, conforme a regra do local, que vc vai ser considerado
          8. não aponte, não fale mal de onde esteve, das outras pessoas, seja discreto ao criticar e farto ao elogiar
          9. alugue um carro por até 15 euros por dia e vc vai conhecer ainda mais cidades e de quebra conhecer o que é um carro de verdade.
          10. evite lugares turisticos, principalmente se houver muito japones ou brasileiro, estes locais serão caros e ruins. Faça o turismo que o europeu faz, vá aonde o morador vai, fuja da multidão.
          11. O principal: o maior segredo de todos o europeu é na verdade muito muito humilde, são encantadores, não ligam pra quanto vc ganha ou o que vc usa, ou qual cargo ocupa. Agora tente ser melhor que eles e eles vão te mostrar rapida e eficazmente que vc não é. Tenha certeza a respeito disto em relaçao a toda e qualquer pessoa que vc encontrar, ninguem lá é compeltamente inutil, vagabundo, padronizado, cada pesosa é um mundo, esteja atento quando se aproximar deles. ah, as italianas são lindas e todas são sempre simpaticas.

          Se alguem aqui for viajar procure se concentrar nestas poucas e simples dicas.
          Sua viagem será incirivel, vc fará amigos e ouvirá que é bemvindo.

          0
        • Evandro CPS 23 de novembro de 2011 at 13:14

          Sempre tive vontade de fazer essa pergunta ao Anonymous.
          Curioso pela resposta.

          0
        • Anonymous 23 de novembro de 2011 at 13:36

          DRN,

          A familia e amigos são importantes, mas chega uma hora em que voce percebe que eles não pagam as suas contas. Além disso, voce faz novos amigos.

          0
          • DRN 23 de novembro de 2011 at 13:56

            Então, Anonymus, vc chegou ao meu ponto: temos de sopesar várias coisas. E não é só a família não. Veja, por exemplo, o meu caso. Eu sou advogado há 10 anos. Sai de um escritório de grande porte (quarto maior em número de advogados e segundo maior em faturamento do país) depois de 10 anos (5 de estágio e 5 de advocacia). Tô aqui batalhando meus clientes, continuando a vida acadêmica e tal. Como é que eu vou me debandar para os EUA? Até daria para eu ir trabalhar num escritório, conseguir a licença local e tal, mas, fora o trabalho de estudar o Direito local, é certo que eu ia ter de começar por baixo, carregando a pasta com os documentos (entende?) e não liderando a estratégia dos casos. Isso é só um exemplo. Há uma infinidade de outras situações.

            Saudações.

            0
            • Anonymous 23 de novembro de 2011 at 19:26

              DRN,

              Voce não sabe a sorte que tem. Gostaria de saber o que eu sei hoje tendo trabalhado somente 10 anos na Banânia. Como gostaria!

              0
      • Paty 23 de novembro de 2011 at 12:34

        Oi anonymous, eu respeito seu ponto de vista mais isso nao se aplica a todos, eu ja falei para o maridão que essa é a segunda e ultima vez que moro fora do Brasil, eu nao gosto de morar aqui nos EUA, esse pais me deixa depressiva, parece que td aqui é em preto e branco. De que adianta ter td que o dinheiro pode comprar se nao tem alegria nao que eu seja uma boba alegre que fica rindo de td, eu tô falando de calor humano. É tão chato quando vc tem td ao seu alcançe sem luta, a vida para mim é totalmente sem graça. Sorry aos que idolatram os EUA, mais eu nao gosto …

        0
        • Anonymous 23 de novembro de 2011 at 14:01

          Paty,

          Segundo minha própria experiênca, acredito que voce fará amizade com as esposas dos colegas de trabalho do seu marido. Entretanto, será um tipo de amizade que classifico como superficial. Com esse amigos, voce verá, se é que já não viu, que para marcar um simples jantar de confraternização levará semanas. Pode esquecer ligar para esses amigos e dizer algo do tipo: “E ai, vamos jantar HOJE em tal restaurante?”. Procure fazer amizade com pessoas aposentadas. É relativamente fácil através da sua vizinhança ou da sua Igreja, caso voce frequente uma. Então, voce vai se surpreender com essas amizades,pois serão completamente diferentes. Os aposentados são do tipo que batem na sua porta, às vezes sem avisar, para convidá-lo para alguma atividade para os próximos dias. Voce saberá quem são os amigos de fato, quando eles convidarem para o Thanksgiving.

          0
          • Luiz 23 de novembro de 2011 at 17:33

            Paty, deixa eu dar o meu pitaco, morei fora qdo criança, vi meus pais se relacionarem

            amizades é mais facil do que vc pensa, os povos de cultura anglicana, diferente da gente, prezam a vida comuinitária, coisa que aqui a gente meio que despreza: são os vizinhos delado de frente, a turma de mães da escola, a turma da igreja, a turma do golfe do bairro (tem cidades que cada bairro tem um campo), do time da cidade, da praça, do piquenique no parque, da pescaria, etc…

            procure nas coisas mais prosaicas do mundo

            eles são todos muito parecidos economicamente, então tanto faz diferença se é este ou aquele. deixa eu explicar melhor isso, por exemplo (pros homens): vc chega num pub e conversar com as pessoas imediatamente ao seu redor, não precisa trazer amigo de casa, vir com aquela turma imensa, é so chegar no balcão e começar a falar, desafiar pruma sinuca e pronto: amigo.

            Tenho certeza que assim que vc pegar o fio da meada vc vai fazer amizades super fortes, como nunca fez no BR e vai se corresponder com eles pro resto da vida. Exemplo, ano passado meus pais receberam a visita de amigos que não viam há 30 anos.

            Vc ainda vai embora daí chorando pela falta dos amigos que fez, rsrs.

            0
        • Expat 23 de novembro de 2011 at 19:30

          Paty,
          Aproveitando o OFF tópic, dah uma passada no http://www.expatriadas.com
          Quanto ao Bolha, não dah pra ficar em uma passada só. Desde que experimentei vcs, bolhei total!

          0
    • pmoraesm 23 de novembro de 2011 at 12:24

      Cara, eu já perdi a fé no povo brasileiro…a imensa maioria engole qualquer verdade fabricada pelos formadores de opinião (imprensa, governo, etc), inclusive esse papo de que aqui está melhor que nos EUA e na Europa.

      Nego meteu o pau nas privatizações e esbravejou quando levantaram a hipótese de privatizarem a Petrobras, esbravejando que a empresa era do povo e não podia cair nas mãos de estrangeiros. Pois bem, GRANDE M****, o povo argentino que importa nossa gasolina paga mais barato que nós, brasileiros.

      O fim da picada pra mim foi quando vi o Lula fazendo um discurso defendendo a CPMF e o povo APLAUDINDO… eu nunca vi povo nenhum aplaudir imposto, ainda mais num país como o nosso em que quase tudo para nas mãos de corruptos.

      É por isso que, se surgir uma oportunidade de trabalho fora daqui, vou embora sem pensar dua vezes.

      0
    • RT 23 de novembro de 2011 at 12:41

      Morei em NY por dois anos, e sou mais um a dizer: morar é uma experiência completamente de visitar. Acho isso meio óbvio, mas é possível que não seja para quem nunca teve a experiência de morar em outra cidade além de onde nasceu.

      Embora goste de minha vida aqui, reconheço que lá a qualidade de vida é outra coisa…

      E tem uma constatação que concordo contigo: não sei de onde vem a fama do brasileiro médio de “cordial”, “alegre”, etc. Só sei que é lenda. A maior parte dos brasileiros não dá valor às leis, não entende que elas devem ser seguidas por TODOS para o bem comum, não pára para refletir “o que aconteceria se todo mundo resolvesse fazer o que dá na telha”…

      Pode parecer que estou falando de gente sem instrução, mas não! Tem muita gente formada mesmo, colegas de trabalho, etc, que só é a favor de cumprir a lei quando é com os outros! Entretanto, avança sinal (e ainda reclama que a multa é injusta!), trabalha de qualquer jeito, compra DVD pirata, reclama da Lei Seca (mas admira países de primeiro mundo que a adotam), não segue regras básicas do condomínio (“estou na minha casa e faço o que quero”), sonega imposto, joga futebol na praia, bate na PM quando ela prende maconheiro, faz barulho de noite… modéstia à parte, me incluo fora desta maioria. Me obrigo a seguir regras e fico p*to da vida quando as outros as desconhecem na cara de pau.

      Hehehe, foi mal pelo desabafo. Mas fico nervoso com essas lendas que sobrevivem à parte da realidade.

      0
      • Wendell 23 de novembro de 2011 at 23:51

        Concordo com tudo, menos com o “joga futebol na praia”. Poxa, qual o problema? Desde que numa faixa de areia mais afastada dos banhistas… 🙂

        0
        • RT 24 de novembro de 2011 at 10:17

          O “único” problema é que tem uma lei que proíbe (exceto pelas quadras que já existem na praia para esse fim).

          0
  • DRN 23 de novembro de 2011 at 11:27

    Deixei um comentário lá criticando e remetendo os leitores a este blog, mas é claro que fui moderado…

    http:// economia . ig.com.br/financas/casapropria/precos-dos-imoveis-vao-continuar-em-alta-diz-cyrela/n1597378467626.html

    0
  • shakespeare 23 de novembro de 2011 at 12:22

    Gente,

    Tenho certeza de que existe uma bolha e que os preços estão impossíveis. Até então isso estava restrito aos imóveis novos e para compra, mas hoje vejo a seguinte reportagem:

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1010710-contratos-novos-de-aluguel-sobem-197-em-um-ano-em-sao-paulo.shtml

    Contratos novos de aluguel sobem 19,7% em um ano em São Paulo

    DE SÃO PAULO

    Os contratos novos de locação residencial assinados na capital paulista tiveram aumento médio de 19,66% nos últimos 12 meses terminados em outubro, registrando a maior variação na série histórica do Secovi (Sindicato da Habitação) de São Paulo, iniciada em 2005.

    Considerando apenas outubro, houve acréscimo de 2,2% ante setembro, de acordo com os dados divulgados nesta quarta-feira pela entidade. “Isso mostra que não há um estoque suficiente de imóveis para se alugar na cidade, situação que não deve ser revertida no curto prazo”, destaca Francisco Virgilio Crestana, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP.

    Para os contratos de aluguel em andamento com aniversário em novembro e atualização pelo IGP-M (Índice Geral de Preços de Mercado), da Fundação Getúlio Vargas, a alta foi bem menor (6,95%).

    Os imóveis de um dormitório apresentaram a maior alta em outubro, subindo, na média, 3,0%, seguidos daqueles com dois quartos (2,5%).

    O fiador foi a modalidade de garantia mais utilizada nos contratos, respondendo por quase metade (47,5%) dos imóveis locados. O segundo tipo mais comum foi o depósito de até três meses de aluguel, que viabilizou 32% das locações. Já o seguro-fiança foi responsável por 20,5% dos contratos efetuados.

    As casas e os sobrados foram locados mais rapidamente que os apartamentos, levando, em média, de 12 a 29 dias para serem alugados.

    Como estou procurando imóvel para alugar em SP, estou sentindo isso na pele e gostaria de perguntar, quando essa maldita bolha vai estourar?

    Até lá meu orçamento estará muito comprometido… Antes quando era só nos imóveis novos eu estava tranquilo, porque não sou obrigado a pagar imóvel novo, mas preciso morar…

    0
    • pmoraesm 23 de novembro de 2011 at 12:32

      Quando ela vai estourar eu não sei, eu só quero ver o que vai acontecer quando nego (me incluo nessa turma) ir pro meio da rua por não ter dinheiro pra comprar nem alugar nada…

      0
      • Muca Conexão CG Muita Treta 23 de novembro de 2011 at 12:37

        Minha mulher já está ficando maluca, pois me recuso a abandonar meu aluguel baratinho de contrato antigo e assumir um roubo desses. Vamos só ver até quando eles vão continuar encontrando gente disposta a pagar R$ 1,5 mil em casa térrea em Itaquera.

        0
    • Insanidade 23 de novembro de 2011 at 12:37

      “Os imóveis de um dormitório apresentaram a maior alta em outubro, subindo, na média, 3,0%, seguidos daqueles com dois quartos (2,5%). ”

      Inflação de menos de 6% ao ano?

      Não para quem paga aluguel…

      Todos os governos enganam os seus povos, em maior ou menor grau, mas aqui beira o absurdo…

      E o povo sorrindo, tomando cerveja e falando de futebol…

      0
    • MrK 23 de novembro de 2011 at 12:38

      tudo depende da forma como voce analisa!

      eles dizem que o preco do imovel subiu uns 40% no mesmo periodo, ou seja, se o aluguel subiu 19%, a proporcao preco/aluguel que ja era ruim, ficou ainda pior! Ou seja, imovel tornando-se cada vez um investimento pior!

      fora isso 19% nao me assusta, a inflacao real na banania e’ da ordem de 15% (apesar do governo falar que e’ 6.5% com base no preco da beterraba e da laranja pera)

      mas repito, creio que os alugueis irao descer nos proximos 12 meses, resta saber se muito ou pouco dependendo da decisao dos especuladores do que fazer com o imovel vazio

      0
      • Leandro 23 de novembro de 2011 at 13:28

        Em Brasília os aluguéis já tiveram uma pequena queda nos últimos 6 meses.

        0
        • Indecoroso 24 de novembro de 2011 at 19:56

          Tenho observado apartamentos do meu prédio (BSB, SQN 402) que antes não ficavam 15 dias sem inquilino e hoje as chaves ficam disponíveis na portaria por até um mês e meio, e quando são alugados, fecham em preços similares ou “inferiores” ao que pago pago desde fevereiro/11.
          E quem tá se fu***** nessa? Eu, porque o meu contrato tá começando a flutuar em sobrepreço.

          0
          • Leandro 24 de novembro de 2011 at 22:12

            Aconteceu isso com um amigo também, só que na 212 sul. Ele falou que quando o contrato completar um ano, vai tentar baixar o preço, pois já viu apartamentos melhores que o dele e com preço mais baixo.

            0
    • Joselito 23 de novembro de 2011 at 12:50

      “Contratos novos de aluguel sobem 19,7% em um ano em São Paulo”

      Reportagem mal feita. A alta foi do valor do contrato ou do número de contatos?

      0
      • Luiz 23 de novembro de 2011 at 13:14

        Vc precisaser inteligente pra interpretar isso

        veja bem ele fala de reajsute de contratos NOVOS

        Se os contratos duram 3 anos
        Se um contrato novo sobe 19%
        Quer dizer que reajsutou na média de 6% ao ano

        19% pode ser pouco, pode perder pra inflaçao, pode ser até menor que o reajsute anual.

        0
        • Evandro 23 de novembro de 2011 at 15:00

          Não é assim.
          Os 19% são dos novos contratos comparados com outubro passado e é o valor e não quantidade.

          Então, isso é sim um problema, pois para os contratos que estão chegando no final e os donos vêem esses dados, ele sabe que pode reajustar até 19% dependendo da região que vai ficar na média dos outros.

          O mercado de aluguel está uma loucura, há apartamentos no meu prédio que estão pedindo 50% mais do que fechei num andar próximo e olha que aluguei em agosto. Tomara que não encontre alguém que pague mas é sempre assim, acaba alugando por um valor menor e o pessoal acha que alugou pela valor original

          0
    • RT 23 de novembro de 2011 at 12:55

      Sei que já disse, mas não custa repetir: ando abismado com a diferença entre o que os jornais dizem e o que constatamos no nosso dia a dia.

      O apartamento que alugo hoje (aluguei no começo do ano) ficou parado por uns 3 ou 4 meses, sendo que a proprietária ainda reduziu o valor do aluguel em 300 reais desde o primeiro anúncio.

      Tirando o caso de quem “era peão e virou gerente” (exemplo do colega mais acima), ninguém teve aumento salarial que acompanhasse nem de perto a disparada dos imóveis.

      Entretanto, sai na mídia que “o mercado está aquecido” e que “cada vez mais brasileiros têm a possibilidade de comprar casa própria devido ao pleno emprego”.

      Minha percepção está errada?? Ou tem algo estranho?? Porque os jornais não compararm as falas dos “especialistas” com os FATOS? A cidade está cheia de ricaços e eu não conheço nenhum?

      0
  • MrK 23 de novembro de 2011 at 12:41

    seria triste se nao estivessemos tao p. da vida

    mas tenho visto no zap sempre os mesmos imoveis a venda..dia apos dia…

    a novidade e’ que agora vejo tambem os mesmos imoveis a alugar…dia apos dia….

    ate no mercado de alugueis, ao menos no Rio, parece que a coisa esfriou

    mas sabe como e’, o proprietario nao quer baixar o preco de jeito nenhum, pq ouviu falar que um amigo de um amigo alugou por x…

    segue o jogo…

    0
    • shakespeare 23 de novembro de 2011 at 12:53

      Acho que é isso mesmo…

      É um efeito cascata, eu aumento pq o outro aumentou e por aí vai… mas até quando isso se sustenta? É a pergunta do milhão.

      Acredito que o mercado testou o limite das pessoas se endividarem, os bancos, apoiados pelo governo, bancaram e os preços explodiram… mas isso tem que ter um fim.

      0
  • Marcos 23 de novembro de 2011 at 12:44

    QUARTA-FEIRA, 23 DE NOVEMBRO DE 2011
    Brasil, Brasil Juros | 08:47
    Emprego dá sinais de enfraquecimento

    colunistas.ig.com.br/ricardogallo/2011/11/23/emprego-da-sinais-de-enfraquecimento/

    O desemprego será o problema. Se o pessoal não pagar as dívidas, o castelo de carta desaba.

    Ano que vem tem aumento de 14% no salário mínimo. Alguém tem dúvida que haverá demissões?

    0
    • Valdir 23 de novembro de 2011 at 13:12

      Marcos, ponto interessante que voce tocou.
      Tenho micro-empresa, tinha 6 funcionarios, tive que demitir 1 e nao estou pensando em recontratar.
      A proposito, a 6 meses atras estava praticamente impossivel contratar uma pessoa aqui em SP, não tinha ninguem, hoje esta aumentando cada vez mais o numero de pessoas tocando o interfone pra entregar curriculum em minha empresa.
      As pessoas da construção civil que estão terminando as obras estão indo pra rua, ou seja, não tem novos empreendimentos em vista.
      A proposito, o nivel de desemprego que caiu foi principalmente de pessoas da contrução civil, empregos com maior valor agregado ficaram estaginados no periodo.

      0
      • Leandro 23 de novembro de 2011 at 13:32

        Logo logo estaremos igual à Espanha, como já nos alertou o “mises.org” e alguns outros economistas.
        Aqui em Brasília parece que continua difícil contratar. Mas ocorre que os salários estão baixos. Meu tio é dono de restaurante e está com dificuldade de contratar pessoal pra cozinha (mas o salário da categoria é de 700 reais). Se a pessoa for “vigiar” carro na rua consegue ganhar mais.

        0
        • Leandro 23 de novembro de 2011 at 13:36

          E não adianta nada o Governo ficar incentivando a economia, se isso não é sustentável no longo prazo. Uma hora as dívidas alcançam um limite, têm que ser pagas e a economia acaba travando, destruindo o sonho de muita gente que acreditou no milagre econômico.
          Vejam como anda o mercado de automóveis (várias empresas dando férias coletivas e dando vários descontos pra quem quer comprar).

          0
          • Valdir 23 de novembro de 2011 at 13:46

            Leandro,

            Incentivo do governo é igual mesada para o filho, enquanto ele é pequeno e esta combrando balas e doces no bar da esquina voce banca tranquilamente.
            Agora quando ele arruma aquela namoradinha, quer um carrinho e dinheiro para a baladinha, ai a mesada nao aguenta, ai ou trabalha para se sustentar ou perde a namoradinha….
            Muita gente daqui a pouco vão perder as “namoradinhas” construidas pelas Cyrelas da vida…

            0
  • shakespeare 23 de novembro de 2011 at 13:14

    Outra dúvida que tenho:

    Se o cara comprou um ap de 65 m2 que deveria valer R$ 150 mil mas pagou R$ 350 mil. Fez plano de R$ 50 mil até as chaves e financiou os R$ 300 mil restantes com o banco. Daí o cara não consegue pagar, devolve tudo, recebe R$ 5 mil de volta (otimo negocio!!) e o banco ainda fica com o ap, mas ele vai vender por quanto? R$ 250 mil, R$ 200 mil? Ainda vai estar caro…

    0
    • Vasconcellos 23 de novembro de 2011 at 13:26

      Shakespeare,

      alto lá! Devolve tudo,não! O ap vai pro banco mas a dívida fica!

      A trolha não sai do bumbum desse cara…A não ser que alguém assuma o financiamento….

      0
      • DRN 23 de novembro de 2011 at 13:46

        Vasconcellos tem razão. E a propósito, Ferraz, como vai?

        Se alguém estiver vendo a trolha no final do túnel, PELO AMOR DE DEUS, não vá fazer o contrato de financiamento para, depois, tentar devolver o imóvel. DEVOLVA DIRETAMENTE PARA A CONSTRUTORA ANTES DE CONTRATAR O FINANCIAMENTO. Se vc não ficar satisfeito com o percentual de devolução, analise, junto com seu advogado de confiança, se é melhor cobrar mais em juízo (75% é o entendimento do STJ, mas dependendo do julgador se consegue 90%) e correr o risco de a empresa falir antes do final do processo, ou se é melhor receber o percentual ofertado pela construtora.

        0
      • shakespeare 23 de novembro de 2011 at 14:05

        aí que os preços não vão cair nunca… como assumir um financiamento inflado em 3x o valor justo do imóvel?

        já estou pensando no limite em que o imóvel foi tomado…

        0
  • Money Addicted 23 de novembro de 2011 at 13:28

    off topic – enqto isso….acabou de ouvir no jornal q a tarifa de luz vai ser aumentado….se nao me engano….o molusco fez favor de pagar mais para o paraguai….e ainda disse q isso nao impactaria o brasileiro….outra coisa q nao entendo…(ou melhor entendo) mas me revolta…..sao essas “mentiras” sem peh nem cabeca q os politicos em geral dizem….como q o brasil vai pagar mais por algo e isso nao vai impactar o bolso dos brasileiros???

    0
  • Paulinho 23 de novembro de 2011 at 13:35

    Algo que penso assim como os colegas, é sobre a renda do brasileiro, consultem os dados do senso de 2010, e você verá qual a renda média da maioria das familias, que fica por volta de 3 mil reais, essa renda FAMILIAR! Agora pergunto, com uma renda destas como comprar e pagam imoveis na faixa de 300 a 500 k ? Ou sou muito pobre ou burro de mais….

    Ainda sobre a renda no Brasil todo, existem pouco mais de 1 milhão de famílias que ganham acima de 20 salários(pouco mais que 10 mil reais).

    Ou seja, existe um grande OBA OBA, baseado principalmente no crédito fácil, e caso a crise afete de alguma forma a economia brasileira, quem tiver $ na mão vai fazer ótimos negócios principalmente com leilões de imóveis que os bancos iram tomar de quem perdeu o emprego e não conseguiu honrar as parcelas.

    0
  • Tiago 23 de novembro de 2011 at 14:04

    Pessoal… em alguns minutos vow postar um estudo feito a grosso modo:

    gostaria que me ajudassem a calcular ver se é isso mesmo…

    0
  • GONÇALO BH 23 de novembro de 2011 at 14:12

    Bolha imobiliária chinesa começa a murchar

    Vendas caem tão rapidamente que corretoras do país inteiro dispensam milhares de funcionários, enquanto o governo força a redução dos preços das casas

    http://economia.ig.com.br/bolha-imobiliaria-chinesa-comeca-a-murchar/n1597375126821.html

    0
  • Tiago 23 de novembro de 2011 at 14:17

    Segue meu estudo para comparação:

    Estou imaginando o empreendimento comparando-o com um lançamento da EZTEC na região da lapa.

    http://www.zap.com.br/imoveis/lancamento/apartamento-padrao-venda-sao-paulo-lapa-rua-clelia-quality-house-lapa-eztec/id-6091

    ——————————————————————
    Vamos pensar que nem construtora:
    ——————————————————————
    Projeto: YOU SKY (VOCÊ NO CÉU)
    ——————————————————————
    Descrição:
    Empreendimento de apartamentos de 100m2 com 1 torre totalizando 16 andares ou 64 apartamentos.
    Localização excelente (a 15 minutos do centro)
    Área de lazer.
    Estacionamento no subsolo.
    Depósito
    ——————————————————————
    Custo da construção civil por m2 de acordo com INCC de setembro e colocando mais R$ 4 reais em cima (5%):
    R$ 806/m2
    ——————————————————————
    Vamos calcular por área útil, vow incluir nesse cálculo:
    3,75 m2 por vaga de estacionamento (2 vagas) = 7,5 m2
    4 m2 para depósito = 4 m2
    ——————————————————————
    Total de área útil:
    100 m2 + 7,5 m2 + 4 m2 = 111,5 m2
    ——————————————————————
    Preço do m2 do terreno:

    Imagino exageradamente que preciso de um terreno de 2000 m2 para construir esse prédio – acho que 1000m2 ou 1500m2 já seriam mais do que suficiente. Aqui por exemplo no bairro da Lapa em uma área bem localizada tem um terreno de 2000m2 que
    nessa metragem está saindo por 5 milhões. Vamos colocar mais 5 milhões em cima. Totalizando 10 milhões de reais por um terreno de 2000m2.

    R$ 5.000 m2 do terreno
    R$ 156.250 valor do terreno por apartamento
    ——————————————————————
    Vamos aos cálculos:

    Custo da construção de cada apartamento:

    Vow colocar + 10 m2 por apartamento referente a área de lazer para criar uma gordura:
    121,5 m2 * R$ 806 = R$ 97.929
    ——————————————————————
    Total de custo:

    R$ 97.292 (Custo da construção por apartamento)
    R$ 156.250 (Custo do terreno por apartamento)
    R$ 25.417 (Colocando 10% de custo de marketing e corretagem em cima do custo da construção e custo do terreno)
    R$ 278.959 (Custo total por apartamento)

    R$ 2.501 (Custo por m2 com todas as gorduras cabíveis)
    ——————————————————————
    Preço do m2 da região:
    R$ 6.444 (Valor cobrado por um apartamento de 72m2)
    ——————————————————————
    Preço do m2 a ser cobrado (tirando 5% para ser competitivo):
    R$ 6.121
    ——————————————————————
    Valor final do apartamento:
    R$ 679.431
    ——————————————————————
    Total a ser investido na construção:
    R$ 278.959 * 64 = R$ 17.853.376
    ——————————————————————
    Valor total do empreendimento:
    R$ 679.431 * 64 = R$ 43.483.584
    ——————————————————————
    Margem % de lucro (ROI – Return of investment):
    143%
    ——————————————————————
    Expectativa de retorno (tempo da construção):
    2 anos
    ——————————————————————
    Valor total a ser recebido até as chaves (20%):
    R$ 8.696.716
    ——————————————————————
    Total do investimento a ser feito pela construtora até as chaves:
    R$ 9.156.660
    ——————————————————————

    Tirem suas próprias conclusões.

    0
    • Tiago 23 de novembro de 2011 at 14:36

      errei aqui

      Custo da construção civil por m2 de acordo com INCC de setembro e colocando mais R$ 4 reais em cima (0,5%):

      0
      • Cleyton 23 de novembro de 2011 at 14:39

        Ô Tiago, não esqueceu de nada não? Cadê o post?

        0
        • Tiago 23 de novembro de 2011 at 15:18

          tá aguardando moderação…

          acho q porque é grande

          0
          • shakespeare 23 de novembro de 2011 at 15:42

            Faça como o Jack, em partes… rsrsrsrsr

            0
    • Tiago 23 de novembro de 2011 at 16:30

      Exagerei bem no valor do terreno…

      http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Terreno-Padrao-venda-SAO-PAULO-LAPA-R-MATEO-FORTE/ID-151622

      média do preço do terreno na região é bem menor…

      vendo no zap varia de 1675 a 4000 o m2 do terreno…

      iria jogar os custos lá em baixo… talvez uns 25%…
      Responder

      0
    • Frank 23 de novembro de 2011 at 17:44

      “Tirem suas próprias conclusões.”

      não entro no mérito do detalhe do cálculo, mas, em uma olhada geral, me pareceu consistente.

      moral da história: o negócio “se resolve” com a venda de menos de metade das unidades.

      a gordura para eles queimarem com unidades encalhadas e/ou compras em q o financiamento com o banco venha a micar (e eles fiquem apenas com os 20%, e tenham q ir “pra briga” pelo resto) é ENORME

      0
      • Cleyton 23 de novembro de 2011 at 17:56

        Eu tô aqui olhando, achei muito interessante o cálculo, pra mim isso já era claro só pelo fato de corrigir as chaves pelo INCC, ou seja vc fica pagando 2 anos e no final eles te vendem pelo valor de mercado aquilo que vc pagou pra contruir, jóia né? Só que Frank, tem uma coisinha errada no teu raciocínio, se entendi direito, na entrega das chaves 94,98% já foi pago! material, terreno e mão de obra estão incluídos no índice de custo de contrução que o Tiago usou, ou seja, se só 5% puder pagar tá tudo certo, o resto é lucro!

        0
      • Atribulado 23 de novembro de 2011 at 20:18

        “Custo da construção civil por m2 de acordo com INCC de setembro e colocando mais R$ 4 reais em cima (5%):
        R$ 806/m2”

        só 800,00 o m2? A Eztec não é uma construtora voltada p/ alto padrão? O m2 de alto padrão é +ou- o dobro disso, acho.

        0
        • Tiago 23 de novembro de 2011 at 22:03

          o índice se não me engano é 802,66 de setembro…

          coloquei 806 por erro… e para não ter q refazer todos os cálculos frizei essa gordura… como se trata de um índice que envolve várias capitais e construtoras diferentes então é difícil prever o custo da EZTEC… até porque essa informação é velada… mas eu imagino que mesmo sendo uma construtora premium o valor do m2 não está destoando do preço das outras construtoras na região… o que reforça a idéia que o custo é parecido…

          também considero que esse índice deva ser usado como termomêtro para as construtoras balizarem o seu custo… não acredito que tenha construtora com custos superiores a 20% em cima desse índice… no rio existe um índice específico que em outubro deu 900,38… ou seja, o cálculo desse índice é bem justo… em são paulo não temos um índice para isso… mas acho que da para ter idéia da dimensão do lucro… coisa que acontece com os automóveis…

          o maior erro desse cálculo foi o preço dos terrenos… pesquisando novamente encontrei terrenos na localidade no valor de 3000 por m2… e eu usei como base 5000 por m2… o que dá uma gordura muito grande…

          NDICADORES ECONÔMICOS
          IGP-M (FGV % variação set/12 meses) -0,65 / 7,46
          IGP-DI (FGV % variação ago/12 meses) -0,61 / 7,81
          INCC (IBGE % variação set/12 meses) -0,19 / R$ 802,66 / 6,26
          INCC RJ (IBGE % variação set/12 meses) -0,15 / R$ 900,38 / 7,26
          IPCA (IBGE % variação set/12 meses) -0,53 / 7,31
          CUB/RJ (Sinduscon Rio – % variação set) -0,17 / R$ 974,16
          TR – Taxa referencial (% variação set)0,1003
          Selic -12

          fonte: http://www.ofirimoveis.com.br/artigos1.php?id=334&layout=1

          0
        • Tiago 23 de novembro de 2011 at 22:18

          Não estou considerando a localização nesse momento…

          Apartamento paupérrimo: metragem menor do que eu falei acima
          Preço do m2: R$ 5.532
          http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-SAO-PAULO-LAPA-/ID-2012607
          ————————————————————————————————————————————-
          Apartamento no mesmo padrão:
          Preço do m2: R$ 6.105
          http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-SAO-PAULO-LAPA-LAPA/ID-2328731
          ————————————————————————————————————————————-
          Apartamento no mesmo padrão (devia ter usado no exemplo):
          Preço do m2:R$ 6.900
          http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-3-quartos-venda-SAO-PAULO-LAPA-/ID-2646486

          Ou seja, os custos do m2 parecem que estão dentro da média das construtoras… não há um desvio muito grade

          0
        • Tiago 23 de novembro de 2011 at 23:00

          acho q eu achei o custo “EZTEC” no site de relacionamento com investidores…

          estou debulhando o material… em minutos te passo!

          0
        • Tiago 23 de novembro de 2011 at 23:27

          Estou olhando e acho q encontrei essa informação no site com os resultados da EZTEC para os investidores. Não terei um valor de custo m2 mas meu estudo não destoa tanto do que eles publicaram:

          http://ir.eztec.com.br/eztec2009/web/conteudo_pt.asp?idioma=0&tipo=26870&conta=28

          Baixem a planilha de resultados interativos e vão no item DRE ontem tem a margem líquida. Lá teremos uma idéia dos percentuais que praticam.

          Se forem na planilha histórico de lançamentos vão ver que o item que reflete a % de custo do terreno sobre o custo total equivale de 7 a 37% no máximo. Mesmo patamar do ano passado. Ou seja, o meu cálculo do terreno estava errado… deveria ser em torno de no máximo R$ 4000 o m2 o que abaixaria muito o custo do m2 do empreendimento objeto de estudo e aumentaria a %de lucro deles…

          Outro item interessante é a comparação entre a Receita Operacional Bruta e o total de custos…

          Exemplo:

          3 trimestre de 2011

          Receita operacional bruta 183.932 (milhões)
          Total dos custos 76.353 (milhões)

          Pelos cálculos deles 54% de lucro bruto e 45,1% de lucro líquido…

          Fazendo a conta reversa chegamos a conclusão que em média eles tiveram que lucrar 100% a mais por apartamento para obter em torno de 50% de lucro certo?

          Lembrando que coloquei 10% de custos com a venda (corretores, publicidade)… dependendo pode ser que a EZTEC pratique percentuais até maiores… só que aí entra o detalhe do modelo de negócio dela que eu não conheço…

          Outra coisa interessante… olhando em 2008 e começo de 2009 (crise do subprime) vejam as proporções de lucro

          18,0% 3t08
          38,3% 4t08
          37,7% 1t09
          29,0% 2t09
          34,6% 3t09
          28,0% 4t09

          e agora no nesse trimestre conseguiram 45% e nesse ano o lucro esteve em patamares acima de 40%…

          Sinal de bolha a vista!!!!

          0
    • Tiago 23 de novembro de 2011 at 22:31

      por isso q tem corretor há 3 anos no mercado e andando de mercedez….

      0
  • Jack Imóveis 23 de novembro de 2011 at 14:25

    Caros,

    Muitos posts sobre morar fora coisa e tal. Acho que é uma decisão pessoal que envolve uma série de fatores, mas contra fatos não há argumentos:

    – Não há uma capital na Europa Ocidental mais violenta que São Paulo
    – Não há uma cidade na Europa Ocidental com sistema de transporte publico pior que o de São Paulo
    – Não há uma cidade na Europa Ocidental com o atendimento de saúde pior que São Paulo
    – Não há uma cidade na Europa Ocidental com educação até o segundo grau de qualidade mais cara que em São Paulo
    – Fora Londres não há uma capital na Europa na qual seja mais caro comer do que em São Paulo

    Eu já estive algumas capitais Européias e caminhei em todas, de madrugada sem a menor preocupação em ser assaltado ou sequestrado no meio da rua.

    Jack – O viajante

    0
    • Carlos Eduardo 23 de novembro de 2011 at 14:30

      Apoiado!

      : D

      0
    • shakespeare 23 de novembro de 2011 at 14:42

      só não existem empregos por lá, ainda mais para pobres tapuias que só tem passaporte da pérola da sud america.

      0
      • Luiz 23 de novembro de 2011 at 15:03

        Prezado Jack
        vc fala isso pq não conhece a Europa Oriental, nem eu

        pelo que me disseram e pelos mapas de metro que vi pode estender suas afirmações até a Russia

        0
        • Jack Imóveis 23 de novembro de 2011 at 15:07

          Caro Luiz,

          Exato. Só podemos falar do que sabemos, mas penso como você.

          Jack – Humilde

          0
          • Andrade 23 de novembro de 2011 at 15:43

            Confirmo… estive a trabalho mais de 10 vezes na Russia, em S. Petersburgo, Moscow e o sistema de metrô lá é muito bom, é claro que os metrôs nao sao tao modernos como noutras cspitais da europa ocidental… mas numa coisa eles ganham de todo o mundo: as estações na russia sao autenticos museus subterraneos, a arquitetura, decoração e grandeza no geral dão 100 a zero em qualquer outra, bem ao estilo grandioso russo! Nao tenho certeza, mas me parece que inclusive sao patrimonio mundial da unesco!

            0
  • Jack Imóveis 23 de novembro de 2011 at 14:28

    Caros,

    Em tempo

    Secovi divulga dados de aluguel de Outubro, mas não divulga dados de venda de Setembro.

    Pode arnaldo?

    Jack – Olhando o calendário

    0
    • Luiz 23 de novembro de 2011 at 16:28

      não pode galvão

      a regra é clara

      impedimento

      0
  • Marcelo Arruda 23 de novembro de 2011 at 14:40

    Inadimplência do consumidor sobe para 7,1% em outubro

    Fonte: economia. uol.com.br/ultimas-noticias/infomoney/2011/11/23/inadimplencia-do-consumidor-sobe-para-71-em-outubro.jhtm

    SÃO PAULO – A inadimplência dos consumidores teve um leve aumento de 0,1 ponto percentual no mês de outubro, na comparação com setembro, ao registrar 7,1% do total das operações. Assim, a taxa é a maior do ano e a mais alta desde fevereiro de 2010, quando estava em 7,2%.

    De acordo com os dados da Nota de Política Monetária e Operações de Crédito, divulgada pelo Banco Central nesta quarta-feira (23), na comparação com outubro de 2010 houve alta de 1,4 ponto percentual, pois naquele mês a taxa estava em 6,0%.

    Os dados do BC mostram que as dívidas vencidas de 15 a 90 dias representaram 6,9% das operações, índice que subiu 0,5 p.p em relação ao mês anterior e ficou 5,0 pontos percentuais maior, na comparação com outubro do ano passado.

    Modalidades
    Dentre as modalidades analisadas pelo Banco Central, a inadimplência com a aquisição de bens (veículos) e a inadimplência com crédito pessoal registraram os maiores aumentos, de 0,3 ponto percentual e 0,2 ponto percentual, respectivamente, ficando em 4,7% e 5,2%, nesta ordem.

    Em outubro, a inadimplência com aquisição de bens (outros) ficou em 13,8% – a maior dentre as modalidades analisadas e 0,1 ponto percentual maior que a registrada em setembro. Já a inadimplência da modalidade cheque especial encerrou o mês em 9,5%, mesmo patamar de setembro.

    Na tabela abaixo, é possível avaliar as taxas de dívidas vencidas entre 15 e 90 dias e de inadimplência (considerada acima de 90 dias de atraso) das modalidades em outubro deste ano e o mesmo mês do ano anterior. Vale lembrar que os dados são preliminares:

    0
  • Tico RJ 23 de novembro de 2011 at 14:52

    Galera do Rio,
    Sabe aquele lançamento de alto padrão da Construtora Calçada que será feito na Tijuca, o ATRIUM? Parece que sobraram vários aptos. para serem vendidos.
    Antes do lançamento, conversei com um corretor sobre esse empreendimento, ele me falou que não ia sobrar nada e se eu quisesse um pediu para reservar e chegar bem de manhã no stand de vendas. Se olharem no Zap, tem várias imobiliárias vendendo.

    0
    • shakespeare 23 de novembro de 2011 at 15:52

      entrei em contato agora, interessado em um de 4 dorm, 128 m2 e me pediram $830 mil… o de 3 dorm $550 mil… acho que est’adando por volta de 6,5 mil o m2.

      A corretora me falou que so tem 4 disponiveis para a venda, mas disse que no dinheiro a vista existe possibilidade de bons descontos.

      0
      • Tico RJ 23 de novembro de 2011 at 16:20

        Com $$$, sempre dão ótimos descontos, mas nesse momento o risco de se comprar na planta é alto. O interessante é que vários apartamentos do Atrium não foram vendidos – quem comprará aps de alto padrão na Tijuca (longe da praia) com preço nas alturas? Nem investidor.

        0
        • Rodrigo 23 de novembro de 2011 at 20:38

          O que realmente acontece é que ESTA corretora SÓ tem 4 disponíveis, mas quantas imobiliárias investiram realmente comprando direto da construtora e colocam os corretores para vender suas próprias unidades e no final das contas só restam 4 porque ESTA imobiliária SÓ tem estas unidade, não interessa quantas as outras concorrentes tem.

          0
  • ildeu 23 de novembro de 2011 at 15:32

    Que saudade dos militares , a única coisa errada que eles fizeram ,foi terem feito o serviço pela metade .Deixaram muito politico vivo , e cancer tem que ser bem extirpado .Deu no que deu , veio a democracia , e com ela lula , collor , sarney ,josé dirceu , etc…Esse papo de repreender a cultura é piada , liberdade serviu pra criar o quê ? Luan Santana , pagode , sertanejo , axé ….seria muito bom pro país se os militares descessem o cacete nessas aberrações culturais.Toda infra estrutura que os militares fizeram é que faz o país caminhar hoje …Viva o exercito brasileiro !

    0
    • FQ 23 de novembro de 2011 at 16:59

      O problema ou a solução não foram ou são os militares, o problema é a verdadeira máfia financeira e de banqueiros que tomou conta deste país na saída dos militares, controlando a casa da moeda, controlando a grande mídia, controlando a emissão de dinheiro e a formação de opinião e cultura.

      Tanto FHC, como Lula, Collor ou Serra são marionetes submetidos ao império de banqueiros e da mídia!

      Somos uma colônia!

      0
      • FQ 23 de novembro de 2011 at 17:23

        Essa Bolha imobiliária e seus financiamentos absurdo nada mais são do que a tentativa de escravização da população ignorante e adormecida, que desta forma passará o resto de suas vida com suas almas vendidas para um banco! Se parar de trabalhar, se reclamar, se respirar o banco vem e leva seu lar! Leva tudo o que você tem e joga tua família na rua, nada é seu, tudo é do banco. Trabalhe e pague tudo por 30 anos da tua vida e não basta ser pouco, o valor têm que ser cada vez mais exorbitante, escravizante e inalcançavel com um salário comum, temos todos que pedir “benção” e “favores” para os senhores banqueiros e assim podermos dar um teto a nossa família! Nossa trabalho nada vale mais, nosso dinheiro mal compra uma coca-cola mais, precisamos dedes, precisamos de prestações, juros, alienações fiduciárias…

        Os senhores dos escravos tinham numa carta que lhes davam direitos sobre o trabalho do individuo. Hoje os senhores de escravos moderno têm um contrato que lhes garante a posse do lar de milhões de famílias e em troca de 30 anos de trabalho e submissão permite que seus “escravos” morem na residência financiada. Pouca coisa mudou! Aboliram o chicote e escravizam-nos por nossas necessidades básicas! A força hoje está no capital e na fome!

        Muitos aqui, sem saber, torcem pelo estouro desta bolha porque ela será na verdade como uma Lei Áurea para a sociedade atual, permitindo assim que o trabalhador tenha direito a uma moradia digna num preço justo e condizente com sua remuneração e não nos valores extorsivos, criminosos e manipulados que submetem o cidadão a vender sua vida, seu suor e 30 anos de trabalho. Moradia é direito fundamental, básico e moral numa sociedade e não pode ser objeto de especulação, monopolização e chantagem como têm sido praticado.

        Somos um país continental, com farta mão de obra, fartos de recursos naturais… tijolo nada mais é do que areia cozida, cimento é areia misturada, cerâmica é barro cozido. Chão temos de sobra. Mas, a imprensa e os bancos criam uma falsa e corrida do ouro, fazem propaganda, forjam um falso senso comum, uma falsa opinião popular e montam uma verdadeira arapuca para a sociedade incauta e idiotizada com programas de tv chulos, educação deteriorada, imoralidade descontrolada e bestializada.

        0
        • Jack Imóveis 23 de novembro de 2011 at 17:41

          Caro,

          Vamos acabar com a imprensa e com o bancos.

          Ai sim fica bom.

          Jack – Gosto de ler jornais e ter conta bancária.

          0
          • FQ 23 de novembro de 2011 at 18:11

            Então não chora na hora que vier a “chicotada”!!!

            Abaixe o lombo e trabalhe para pagar os seus carnês! Domingo você descansa assistindo o Domingão do Faustão!

            0
            • Jack Imóveis 23 de novembro de 2011 at 18:42

              Caro,

              Deixe-me ver. Dado que eu leio jornais e tenho conta bancária sou um escravo?

              Você deve ser um gênio incompreendido.

              Felipe para Capataz! Já!

              Jack – Ainda mais feliz por ler jornais (mais de 1) e ter conta bancária (essa só uma)

              0
            • Jack Imóveis 23 de novembro de 2011 at 18:47

              Caro,

              Em tempo. Eu não sou o tipo chorão. Já vc…

              Jack – Sem paciência

              0
              • FQ 23 de novembro de 2011 at 19:55

                Meu caro “Jack sem paciência”,

                Eu sei que a luz incomoda, mas tenha calma e leia pacientemente.

                Conta bancária é uma coisa, alias ela é até boa e ninguém aqui critica as pobres “contas bancárias”, criticamos juros e uma economia baseada no endividamento da população feitas por juros exorbitantes em cima de bens sobrevalorizados!

                Ploc!

                0
                • FQ 23 de novembro de 2011 at 22:08

                  Em tempo.

                  Se um sujeito não sabe a diferença entre ter uma conta bancaria e ter um endividamento de 30 anos, este sujeito provavelmente já deve estar totalmente endividado com o banco! Calma Jack! Vai dá tudo certo!

                  0
        • ildeu 24 de novembro de 2011 at 07:59

          Belo texto …

          0
        • Indecoroso 24 de novembro de 2011 at 20:01

          Leia “O Poder Secreto”, de Armindo de Abreu.

          Viva o caos organizado!!!

          0
    • Carlos Eduardo 23 de novembro de 2011 at 18:31

      apoiado!!

      0
    • Anonymous 23 de novembro de 2011 at 18:42

      Lembro que na ditadura, o Presidente era trocado rigorosamente a cada 4 anos. Foi só na democracia que tivemos Presidentes que ficaram 8 anos no poder. Interessante, não?

      0
  • Tiago 23 de novembro de 2011 at 15:40

    Exagerei bem no valor do terreno…

    http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Terreno-Padrao-venda-SAO-PAULO-LAPA-R-MATEO-FORTE/ID-151622

    média do preço do terreno na região é bem menor…

    vendo no zap varia de 1675 a 4000 o m2 do terreno…

    iria jogar os custos lá em baixo… talvez uns 25%…

    0
    • Frank 23 de novembro de 2011 at 17:51

      então a “gosdura” pra queimar com “imprevistos previstos” (neguinho q só entra com 20% e não consegue o financiamento, imóveis q demoram pra vender, etc, etc) é maior….

      é provável q os números reais de retorno sejam menores (não sei se vc considerou os custos de venda, percentual para imobiliária e corretores, taxas públicas aplicáveis, etc.) do q os q vc calculou, mas, ainda assim, parece haver um espaço ENORME para acomodar frustrações de venda.

      em outras palavras: pra uma construtora q cresceu com alguma prudência no período (o q não é o caso da GAFISA), e tenha conseguido um nível de passivo financeiro administrável, enfrentar o período de vacas magras q se avizinha será algo bem factível – dados o retorno do negócio nos preços atuais.

      0
      • Luiz 23 de novembro de 2011 at 18:06

        Frank, seria factível mas não será

        Porque na volta do pendulo, ou no estouro, há o sério risco dos valores caírem abaixo do valor de reprodução. Daí, meu amigo, de noite todo gato é pardo.

        Quem afirmou e provou isso não foi eu.
        Foi o Joao Rocha Junior do nucleo de real state da poli nas cartas 25 e 26.

        Frank, pq a Even, a mais saudável de todas, foi a primeira a dar desconto?
        Ela aguenta um pouco de pânico, as outras não. Pras outras resta rezar?
        não é isso?

        0
        • Luiz 23 de novembro de 2011 at 18:07

          fui eu, que horrivel

          0
        • shakespeare 23 de novembro de 2011 at 18:42

          Estudei com ele e acho que as afirmações dele são bem mais factíveis do que as da “Maneta” (acho que vc me entende…. rsrsrsrs

          De toda forma tenho visto umas análises nos últimos tempos que me assustam e tenho dificuldade em acreditar.

          Abs politécnicos

          0
        • Fred Henrique 24 de novembro de 2011 at 12:31

          Se eu fosse diretor de alguma dessas construtoras relativamente saudáveis, baixaria mesmo o preço… Aproveitava e quebrava a concorrência (em uma análise beeem primária).

          0
          • Frank 24 de novembro de 2011 at 12:43

            exato.

            0
      • Tiago 23 de novembro de 2011 at 23:30

        acabei de postar uma análise do balanço dos resultados da EZTEC.. estou esperando liberarem a moderação…

        se quiser baixar tá lá… dá para ter uma idéia do lucro…

        http://ir.eztec.com.br/eztec2009/web/conteudo_pt.asp?idioma=0&tipo=26870&conta=28

        vá em resultados interativos

        0
  • Jack Imóveis 23 de novembro de 2011 at 15:47

    Caro Bolha,

    Quando puder acho que vale a pena moderar alguns comentários que são absolutamente irrelevantes para a discussão.

    Jack – Liberdade não tem preço

    0
    • pmoraesm 23 de novembro de 2011 at 16:03

      Mas foi nostálgico… desde que meu vô morreu que eu não ouvia um “se fosse no tempo da ditadura…”

      0
      • Luiz 23 de novembro de 2011 at 16:26

        caro ildeu acontece que se alguém tirar o seu post do contexto, poderá usar facilmente contra a imagem do blog e dos seus participantes

        ‘Quem combate monstros tem de tomar cuidado para não se tornar um deles. Quando você olha para dentro do abismo, o abismo olha para dentro de você.’

        Nietzsche

        0
        • Jack Imóveis 23 de novembro de 2011 at 16:37

          Caros,

          Além do que o Luiz citou tem o fato de tudo que pregamos aqui estar relacionado com a liberdade de informação, custe o que custar e incomode quem tiver que incomodar.

          Jack – Coerente

          0
        • Anonymous 23 de novembro de 2011 at 18:52

          Visitei a casa e o tumulo do autor de “Assim falou Zaratustra” esses dias.

          0
          • Carcará 24 de novembro de 2011 at 09:00

            Der verückte Nietzsche? Supper. Aí, Anonymus, aproveita para parodiar a Banânia. Nietzsche perguntava o que era o macaco para o homem: Uma vergonha dolorosa (ein schmerzlichen Scham), é o que a Banânia é para o mundo civilizado…

            Tchüss

            0
    • FQ 23 de novembro de 2011 at 16:52

      Censura jamais, exceto obviamente para “trollagem”, baderna”…

      “Eu posso não concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo”. Voltaire

      Alias, todo fórum e comunidade que cria muitas regras e censura acaba perdendo popularidade justamente por ficar monótono, chato e óbvio! Deixa a galera viajar, elucubrar seus pensamentos e teorias em paz, e as vezes até mesmo desabafar, pois é isso que movimenta um forum de idéias e não somente números e gráficos!

      0
    • me 23 de novembro de 2011 at 17:02

      Eu prevejo discussão sobre religião em 2 meses.

      0
      • Luiz 23 de novembro de 2011 at 17:18

        amém

        0
      • FQ 23 de novembro de 2011 at 17:25

        rsrsrs

        Mas, é melhor que o fim das discussão!

        0
      • DM 24 de novembro de 2011 at 10:16

        Será que o Céu e o Inferno também estão sofrendo alguma espécie de Bolha Imobiliária? Alguem sabe os preços do metro quadrado em frente ao Mar (da tranquilidade) no céu? Ou mesmo metro quadrado no Morro dos Lamentos (Dizem que foi pacificado) no Inferno?

        Só a título de curiosidade e comparação.

        0
    • ildeu 24 de novembro de 2011 at 08:55

      liberdade hoje é igual a de antes , ou seja , quem tem dinheiro é livre , quem não tem é escravo ; culturalmente o país era mais rico na ditadura , a criminalidade era menor , a educação pública era digna , pra fazer Belmonte hoje é um sacrifício , os militares fizeram itaipu ,estradas , grandes hospitais , ponte rio-niteroi , universidades bem feitas em estrutura física ,portos ,de errado foi só perseguir comunistas que na maioria eram malandros de baixo nível intelectual ,dominados por espertinhos que atualmente são deputados , senadores etc…

      0
      • Eco 24 de novembro de 2011 at 09:51

        ildeu, os militares fizeram um monte de obras, umas importantes, outras nem tanto (transamazonica?), mas o fundamental é o seguinte: de onde saiu o dinheiro pra isso? esse dinheiro foi tomado a crédito no exterior, foi a época que mais cresceu a dívida externa…

        Essas obras aí custaram, na verdade, a década perdida (80)… o brasil quebrou, em grande parte por causa disso.

        os governos militares passaram longe de serem bons.

        0
        • Luiz 24 de novembro de 2011 at 11:50

          Ildeu, bem melhor agora.
          Agradeço por vc ter ativado a auto censura
          Agora sim podemos ter mais coisas em comum que antes.

          Entre uma ditadura militar e uma ditadura comunista, a primeira é menos pior.
          Concordo contigo até aí, pq as duas são terrivelmente ruins.

          0
          • ildeu 24 de novembro de 2011 at 19:23

            não sou facista ou de extrema direita , mas se endividar pra fazer obras relevantes é melhor que se endividar pra pagar juros para os banqueiros ;em relaçao a democracia só serviu pra enriquecer uma dúzia de nações no mundo e ser motivo pra invadir dezenas outras ,não gerou divisão de renda.A culpa da década de 80 ter sido perdida foi dos militares ou dos civis que entraram roubando e fazendo merda ? ,vai visitar uma univ. federal feita pelos militares e umas que o PT fez agora…aí vai entender que fazia melhor.Uma pena que esse militares torturavam pessoas , pois se tivessem no poder o país tava melhor , não precisavam bater , bastava subornar os pelegos com empregos públícos que a coisa resolvia , mais barato que faze-los deputados hoje.

            0
            • Ader 24 de novembro de 2011 at 19:32

              Ouvi dizer de fonte segura que quando o Lula tinha um abacaxi para descascar, determinava que fosse passado para algum militar dizendo: “Passe isso para algum militar que vai sair bem feito”. Bom, acho que era mais ou menos isso.

              0
        • L1 24 de novembro de 2011 at 12:24

          Inclusive os militares desativaram muitas ferrovias para “estimular”o transporte rodoviário!!

          legal hein

          0
          • Atribulado 25 de novembro de 2011 at 13:55

            Bem lembrado, priorizar rodovias foi mais um dos erros graves dos militares, e esse estamos pagando até hoje…

            Toda vez que falarem em “gargalos de infra estrutura”, agradeça aos militares.

            Militar é muito bom no quartel, ou na guerra, e só. Governo militar nunca mais.

            0
  • Marcos 23 de novembro de 2011 at 16:23

    Cid Gomes e o “rolo” com construtores

    www .youtube.com/watch?v=K-fDWMpY2rk&feature=feedu

    Só na maracutaia. Imagine se o governo quer uma desvalorização nos imóveis.

    0
    • Cleyton 23 de novembro de 2011 at 16:38

      Caraca! Que sinistro! Vai ser só na hora de receber o valor venal do imóvel é que vai cair a ficha do povo, aqui onde eu moro o povo tá pedindo 120k sabe quanto é o venal? 17k!!!

      0
  • Tico RJ 23 de novembro de 2011 at 17:03

    Pessoal, apesar de ser antigo, esse artigo é interessante para mostrar um investimento feito no Brasil pelos britânicos (compra de imóveis):
    Consumers send £30.1 million to Brazil to buy Real Estate – http://www.nuwireinvestor.com/opportunities/consumers-send-301-million-to-brazil-to-buy-real-estate-55127.aspx

    Eis um pequeno trecho do artigo:
    “April 30 2010 – £30.1m was sent to Brazil from the UK in 2009 for property related purposes, according to leading foreign exchange supplier Moneycorp, up from just £4million in 2004. 2010 has started even more strongly: since 1 January 2010, Moneycorp says that real estate enquiries have increased 40% on last year.”

    0
  • Tico RJ 23 de novembro de 2011 at 17:24

    Vejam só que interessante esse site de investimentos – http://www.propertywire.com/

    Vejam só um artigo deles (nov/2010) : Brazil is popular choice for overseas real estate investors, consultancy research suggests – http://www.propertywire.com/news/south-america/brazil-real-estate-popular-201011294726.html

    Me lembro que houve uns comentários a respeito de investimentos no mercado imobiliário brasileiro feitos por estrangeiro. Infelizmente não temos a idéia da influência desse investimento.

    0
  • FQ 23 de novembro de 2011 at 17:39

    Essa Bolha imobiliária e o endividamento absurdo da população nada mais são do que uma tentativa moderna e eficiente de escravização da população, que ignorante e adormecida não percebe o rumo do país. Se parar de trabalhar, se reclamar, se respirar o banco vem e leva seu lar! Leva tudo o que você tem, leva seu carro, sua loja, seu comércio e se bobear, sua tv de plasma, joga tua família na rua, nada é seu, tudo é do banco. Lojas, trabalhadores, empresas e instituições, todos pagando juros e devendo os bancos, todos presos e alienados a cartas de financiamentos cada vez maiores e mais comprometedoras.

    Compromete-se e vende-se 30 anos de uma vida, 30 anos de 1/3 do seu suor e trabalho, e não basta isso, o valor têm que ser cada vez mais exorbitante, escravizante e inalcançável para o cidadão comum, querem que tenhamos todos que pedir a “benção” e os “favores” para os senhores de escravos moderno (bancos e juros), querem nossa vida, nos querem endividados e vendidos, querem nossa vida, querem ser donos do teto de nossa família e nos cede-los gentilmente numa alienação fiduciária. Nosso trabalho não vale mais nada, nosso dinheiro mal compra uma coca-cola , precisamos deles, precisamos de prestações, juros, alienações fiduciárias, dívidas…

    Os senhores dos escravos antigos tinham numa carta que lhes davam direitos sobre o trabalho do individuo. Hoje os senhores de escravos moderno têm um contrato que lhes garante a posse do lar de milhões de famílias e em troca de 30 anos de trabalho e submissão permite que seus “escravos” morem na residência financiada. Pouca coisa mudou! Aboliram o chicote e trocaram pelo controle e posse fiduciária das nossas necessidades básicas! A força hoje está no capital e na fome do trabalhador, ou pedimos financiamentos ao banco, ou pedimos “bolsas família” ao governos, não querem que possamos mais viver dignamente sem um senhor que nos prenda por uma forte submissão perante nossas necessidades básicas.

    Muitos aqui, sem saber, torcem pelo estouro desta bolha porque ela será na verdade como uma “Lei Áurea” para a sociedade atual, permitindo assim que o trabalhador tenha direito a uma moradia digna num preço justo e condizente com sua remuneração e com a realidade social do produto de nossas mãos e não nos valores extorsivos, criminosos e manipulados que submetem o cidadão a vender sua vida, seu suor e todo o seu trabalho por anos. Moradia é uma direito fundamental, básico e moral numa sociedade e não pode ser objeto de especulação, monopolização e chantagem como têm sido praticado.

    Somos um país continental, com farta mão de obra, fartos de recursos naturais… tijolo nada mais é do que areia cozida, cimento é areia misturada, cerâmica é barro cozido. Chão temos de sobra. Mas, a imprensa e os bancos criam uma falsa corrida do ouro, fazem propaganda, forjam um falso senso comum, uma falsa opinião popular e montam uma verdadeira arapuca para a sociedade incauta e idiotizada com programas de tv chulos, educação deteriorada, imoralidade descontrolada e bestializada pela mídia em geral.

    Acordem aqueles que pensam que se beneficiarão desta farsa por alguns trocados de comissão! Estamos vendendo nossas vidas e nosso país!

    0
    • Luiz 23 de novembro de 2011 at 18:00

      calma Felipe, assim vamos acabar invadindo a reitoria

      adoro o capitalismo, adoro os bancos, adoro a mídia, adoro até os corretores
      só odeio os mentirosos

      0
      • FQ 23 de novembro de 2011 at 18:05

        rsrsrsrs

        Infelizmente o que foi dito acima é a verdade. Pena que os universitários da USP de 2011 estão mais preocupados com a legalização da maconha do que com a política econômica!

        Alias, eles só reforçam a teoria do pão e circo! rsrs

        0
    • Rodrigo 23 de novembro de 2011 at 20:06

      Concordo com tudo que o Felipe escreveu.

      0
    • Carcará 24 de novembro de 2011 at 08:51

      Sérgio,
      bom texto. Apenas lembrando que toma dinheiro emprestado (consome hoje o que só pode consumir amanhã) aquele que não se contenta em viver consoante seus meios. Quase sempre em toda dívida, além de juros, está embutida muita vaidade.

      Abs.

      0
      • Carcará 24 de novembro de 2011 at 08:52

        Felipe,
        desculpa. Referia-me ao seu texto.

        Abs.

        0
        • FQ 24 de novembro de 2011 at 11:03

          ok. Obrigado.

          0
  • RT 23 de novembro de 2011 at 18:40

    Luiz,

    Sobre os dados do Censo que vc vem estudando, eu queria perguntar:

    1) Qual era mesmo a porcentagem da população do Rio de Janeiro que pertencia à classe AB (renda maior que 5100 brutos)? Era 29%?

    2) Essa porcentagem se refere ao Grande Rio ou só o município? 8 milhões de pessoas?

    3) Existe mais alguma classe acima da classe AB? Se sim qual é, qual sua renda mínima e qual a porcentagem dessa mesma população que se enquadra?

    0
    • Luiz 24 de novembro de 2011 at 11:54

      só o município,
      6 milhoes em praticamente estabilidade, veja que há perda de população em grande parte da ZS.

      A classe A é a mias alta, p que vc pdoe fazer é um recorte diferente, por exemplo, calcular a renda média dos 10% mais ricos, o que vai dar uns 10 mil reais (faznedo de memória)
      Ou dos 1% mais ricos = 16k (de memória de novo)

      Suponha que os 0,1% mais ricos a renda média pularia pra cima, visto que o nosso grafico de distribuição é exponencial.

      hj to sem tempo
      abrx

      0
  • Miguel Jacó 23 de novembro de 2011 at 18:52

    Gente, através de um estudo sobre o aumento da velocidade com que as informações estão sendo divulgadas na mídia sobre o mercado imobiliário, acrescido aos seguintes fatos:
    -Crescente recessão que agora atinge Espanha, Itália e afeta a Alemanha, divulgado hoje no Estadão;
    -Juros ao consumidor atingirem os patamares do início de 2009;
    -Crescimento de 2012 terá que ser menor (dito pelo BC);
    -Previsão do dólar estabilizar em R$ 2,40 (fuga de investimentos do país);
    -Bolha explodindo na China;
    -Estabilização dos preços, término de construções e aumento atual de ofertas;
    -Inadimplência aumentou em outubro;
    -Endividamento recorde das famílias;
    -Gastos de Natal, Ano-Novo, férias e Carnaval batendo a porta…

    …cheguei à seguinte data limite de oficialização de explosão da Bolha: 05 de março de 2012. Explico:

    Terça-feira de Carnaval é dia 21, durante esta semana e talvez na próxima a imprensa ainda ficará martelando sobre samba, férias, etc, e na primeira segunda-feira de março, que será dia 5, o povo, a imprensa, os “investidores” cairão na real. A Globo divulgará o que já soubemos há um ano, e aí o povão começará a correr…

    Obs: Minha previsão anterior era 3 meses antes da Copa, mas não posso mais ser otimista e fechar os olhos para a realidade.

    Carnaval é dia

    0
    • Sérgio 23 de novembro de 2011 at 19:44

      Ôpa, ôpa, ôpa.
      Essa previsão eu já havia feito meses atrás, mas assim como vc já estou pensando em remanejá-la já para janeiro mesmo. Tô na dúvida agora… he he he: não sei se mudo ou se deixo vc compartilhar da mesma previsão … he he he

      0
    • henrique 23 de novembro de 2011 at 20:59

      A queda dos preços dos imóveis será um processo (não um ato único) e esse processo já começou (vejam-se os descontos que começaram a aparecer).
      Ano que vem, talvez, o andamento desse processo acelere. Tudo vai depender da eficácia das medidas do BC e da cenário econômico internacional.

      0
  • Rf 23 de novembro de 2011 at 19:22

    Só pra variar, mais uma péssima notícia da Europa

    23.NOV.11 – 16:12
    Eurozona já está em recessão, diz IIF

    Por AFP

    A economia da Eurozona já está em recessão, afirmou nesta quarta-feira o Instituto Internacional de Finanças (IIF), constatando uma degradação da conjuntura mais rápida que o previsto.

    “A situação na Eurozona piorou muito ao longo deste mês e a economia caiu num quadro considerado de recessão, que ampliará ainda mais os déficits orçamentários”, disse em nota a organização bancária mundial.

    “Os dados que recebemos sobre o final do terceiro trimestre e o início do quarto são piores que o previsto”, dizem os economistas, citando a alta do desemprego na Alemanha e a desaceleração da produção industrial em todos os países da Eurozona.

    O IIF prevê um retrocesso do PIB da Eurozona de 2% em cifras anualizadas no quarto trimestre de 2011, assim como no primeiro trimestre de 2012. Para o conjunto do ano de 2012, espera-se uma contração de 1%.

    “A debilidade da economia da Eurozona pode contaminar o resto do mundo através de certos canais, principalmente através do setor bancário”, disse o instituto.

    hh/sl/ja/an/wm

    http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/74083_EUROZONA+JA+ESTA+EM+RECESSAO+DIZ+IIF

    0
  • henrique 23 de novembro de 2011 at 19:24

    A chapa vai esquentar.

    Autoridades gregas falando abertamente sobre a possibilidade de a Grécia sair da zona do Euro, Angela Merkel dizendo que a Alemanha é contrária a criação do Eurobônus e indicadores chineses caindo.

    Aiaiai

    0
  • Mr. R 23 de novembro de 2011 at 20:21

    Colegas,
    Vejo anunciado milhares de imóveis com “ágio”… Alguém saberia qual a segurança jurídica de se comprar um imóvel nessas condições??
    Que riscos o comprador corre?

    0
    • Cleyton 23 de novembro de 2011 at 20:40

      Como a maioria dos brasileiros não sei o que é segurança e muito menos o que é jurídica, mas tenho uma brasília 84 pra vender e te ponho na frente da fila por 3 pilas (lembra dessa época?). Agora sério, claro que nenhuma, o ágio você paga pra ter “preferência” sobre algo que em tese está faltando (só aqui na minha volta tem três imóveis vazios), então você paga e agradece o cara por ter te dado a “oportunidade” de comprar algo escasso, como ninguém é obrigado a deixar de fazer senão por força de lei (CF88 Art. 5° inciso II – e eu achando que só servia pra cheque!), paga se quiser.

      0
    • Rodrigo 23 de novembro de 2011 at 21:18

      ahahah… depois de obter essa resposta vai ter que criar muita coragem para comprar imóvel… tem cada pérola!

      Cadê o Murdoch!! Estou curioso para saber como é ter alugado um imóvel que o promitente comprador não tem imissão na posse… por essa já passei.

      0
      • shakespeare 23 de novembro de 2011 at 21:57

        Rodrigo,

        Vc pode compartilhar conosco essa experiencia?

        Interesso-me em saber…

        0
        • Rodrigo 24 de novembro de 2011 at 10:57

          Toda compra de qualquer imóvel é recheada de muita, mas muita emoção desde o início, quando fica sabendo da oportunidade até a escritura definitiva. Nesse caso específico foi oferecido um imóvel de 2 quartos com garagem na escritura por R$ 80 mil em 2005 preço abaixo do mercado na época, mas tinha um porem, estava em inventário onde existiam aproximadamente 7 ou 8 herdeiros, mas todos concordando com a venda, ou seja, sem maiores problemas. O valor sinal pago foi de R$ 30 (um carro) e assinado um compromisso de compra e venda onde em uma das cláusulas não foi dado à imissão na posse, isto é, não poderia adentrar no imóvel adquirido, mas verbalmente ficou acordado que poderia fazer obras no referido imóvel.
          Com as chaves em mão adentramos no imóvel e imediatamente demos início às obras de modernização, com somente 3 pensamentos:

          A obra tinha que durar 1 mês;
          Modernização de aproximadamente tudo com valor baixo (R$ 5000) e
          Procura de um inquilino.

          Após um mês o imóvel estava pronto com um inquilino que pagaria R$ 1000 de aluguel garantido por fiador, com contrato padrão de 30 meses reajustados pelo IGP-M com cláusula (que não é padrão) de inalteração do valor do aluguel se o índice for negativo, tendo em vista que na época o índice de alguns meses foi negativo. (Pulo do Gato)

          Nesse momento tinha um contrato de 30 meses garantido por fiador, de um imóvel em inventário, mas sem imissão na posse.
          Cada vez que ligava para o advogado responsável pelo inventário era informado que o mesmo estava parado, que iria demorar um pouco para ter calma, mas que estava tudo certo, pois tinha assinado um contrato de compra e venda, bons tempos esses morria de rirrrrr!

          Como nem tudo são flores o inquilino após 2 anos começou a atrasar o pagamento, ai bateu o desespero, mover uma ação de despejo com valor da causa de 12mil, não lembro o valor das custas processuais, sem imissão na posse no meu ponto de vista seria uma aventura processual, que definitivamente não valeria a pena, mesmo sendo garantido por fiador. Nessa altura queria que inventário acabasse, mas não foi o que aconteceu.
          Depois de muita conversa com o inquilino e seu fiador o apartamento foi entregue, com os alugueis em dia já que seria um alívio para o fiador, ahaha como se não fosse para mim.

          Já passado 24 meses já tinha pagado 30, acumulado 26 (juros e correção) restaram somente 24 mil dinheiro que realmente gastei. Não sei se conseguem visualizar o que realmente foi gasto do meu ponto de vista uns 20 mil.
          Troquei um gasto que desvaloriza a cada dia, que é o carro por um investimento que renderia o suficiente para pagar metade do valor restante que ainda valorizaria, só não sabia que tanto… (em tese vale mais do que pedem no famoso Zap por imóveis similares, não é assim).

          Nesse momento insisti com o advogado do inventário e uns dois meses depois acabou e assim foi assinado a escritura definitiva, mas obviamente que como bom brasileiro não poderia deixar o imóvel vazio, mas também queria dinheiro e passei a alugar por temporada para estrangeiros já que o local estava (esta) na moda LAPA-RJ o que rendeu um valor maior que o aluguel mensal. Se olharem as datas nesse tempo foi construído o Cores da Lapa que deu início a revitalização dos arredores assim como investimentos dos comerciantes locais e agora subiu o novo prédio da Petrobrás (empresários $$$), que esta em fase final, depois vão vir a revitalização do INCA (médicos $$$), o centro gastronômico (chefes de cozinha $$$) e o Shopping (esta garanto que ninguém sabia ahaha). Só falta o metro na praça, mas essa é outra história, por enquanto só até a Alvorada… EU ACREDITO!

          0
          • Rodrigo 24 de novembro de 2011 at 11:12

            Ops

            Melhor não olhar o Zap, esses são muito mehores de se avaliar!! Como disse, vale mais que esses?!

            h ttp://www.realizecoresdalapa.com.br/materia-interna.php?id=139

            h ttp://www.realizecoresdalapa.com.br/materia-interna.php?id=141

            h ttp://www.realizecoresdalapa.com.br/materia-interna.php?id=142

            0
            • aiwww 24 de novembro de 2011 at 21:27

              Olha, acho que está barato! APENAS R$ 690.000,00 num apartamento da PDG com parede de isopor e lage de palha com cimento? … Hummmm …. PLOC ! 🙂

              0
  • shakespeare 23 de novembro de 2011 at 21:10

    Para pensar:

    Para os que são de SP, vocês sabem o tamanho do Hotel Maksoud Plaza, é gigante, ocupa quase um terço de um quarteirão ao lado da av. Paulista e está marcada amanhã um leilão.

    Ele está avaliado em R$ 140.000.000,00 (cento e quarenta milhões de reais)

    Apesar de ser um valor alto, é para um hotel super legal, num lugar fantástico e tudo mais.

    Fazendo a comparação, 140 apartamentos de 100 m2 ou 35 de 400 m2 não podem valer o mesmo que esse hotel inteiro. 😮

    0
    • manuelao 24 de novembro de 2011 at 16:26

      Detalhe que ele foi arrematado por setentinha… O preço caiu pela metade!!! Exatamente o q estamos estimando que foi sobrevalorizado, em média, o preço em SP?

      0
  • Frank 23 de novembro de 2011 at 21:17

    sugestão de post novo do trading café:

    tradingcafe.wordpress.com/2011/11/22/defcit-habitacional-sera-bolha-imobiliaria

    nos comments, há a indicação de artigo de + fôlego da UNICAMP abordando esse assuto de déficit habitacional.

    0
    • Jack Imoveis 23 de novembro de 2011 at 23:03

      Caro,

      Apoiado. Já está na hora de trocar de post e o conteúdo tanto do post no trading café quanto no estudo da Unicamp são muito bons.

      0
      • Luiz 24 de novembro de 2011 at 12:03

        eu li este estudo da unicamp
        no fim o deficit pode ser 5 milhoes ou zero, chegou a lugar nenhum
        é bom rpa quem gosta de ler sobre metodologias de pesquisa

        0
  • GPTFN 23 de novembro de 2011 at 21:48

    Não existe bolha!!

    E agora com as UPP´s o mercado está ainda mais aquecido!!

    Quem não quer morar num lugar pacificado?

    Vamos pro Vidigal!!

    Apenas 350.000 um ape com 115m2, sem vaga.

    Últimas unidades!!

    Investidor não perca essa chance!

    Pra que morar em campo grande se vc tem o vidigal, no coração da Zona Sul!

    w.zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-VIDIGAL-AVENIDA-PRESIDENTE-JOAO-GOULART/ID-2648545

    0
    • shakespeare 23 de novembro de 2011 at 22:03

      a oferta foi desativada… deve ter sido vendida 🙂

      0
    • RT 23 de novembro de 2011 at 22:03

      Estou sabendo que a Rocinha também se tornou atraente tanto para investidores quanto pra quem quer comprar pra morar.

      De acordo com uma moradora de lá, “quem mora na Rocinha não precisa ir a shopping”, como relatou ao Globo.

      0
  • FQ 23 de novembro de 2011 at 22:02

    Não existe Bolha!

    Os preços NÃO estão caros!

    Não existe endividamento em massa da população!
    Os bancos são bonzinhos!

    Juros não existe. Nós somos chorões!

    A televisão é imparcial e o Flamengo vai ganhar o brasileirão deste ano!

    0
  • Sérgio 23 de novembro de 2011 at 22:23

    Videosinho caseiro, de minha autoria, começando a demonstrar os milhares – MILHARES – de imóveis em Cascavel/PR sendo construídos e não vendidos.
    h t t p : / / w w w .youtube.com/my_videos_annotate?v=6w50w9pDnlQ
    Não riam muito. É meu primeiro. Lá pelo 189ª talvez já tenha pegado o jeito.

    0
    • Cleyton 23 de novembro de 2011 at 22:31

      Sérgio, o link tá errado, tem que trocar o my_videos_annotate por watch senão não abre!

      0
      • Sergio 23 de novembro de 2011 at 23:44

        Burrinho, burrinho. É inexperiência purinha. Valeu Cleyton.
        .
        h t t p : / / w w w .youtube.com/watch?v=6w50w9pDnlQ
        .
        Este está certo.

        0
        • Adriano 24 de novembro de 2011 at 06:10

          Parabéns pelo vídeo Sérgio!! muito bom!!
          A parte que mais gostei foi a construção anunciada ao lado de um empreendimento já pronto LOTADO DE PLACAS DE “ALUGA-SE” E “VENDE-SE”. Impressionante.

          0
        • Anonymous 24 de novembro de 2011 at 09:15

          Sergio,

          Não consegui ver aqui na Alemanha por causa da TRILHA SONORA.

          Unfortunately, this SME-music-content is not available in Germany because GEMA has not granted the respective music publishing rights.

          0
          • aiwww 24 de novembro de 2011 at 22:25

            Isso é simples de resolver … entre no youtube via proxy do Brasil 🙂 .. procure por proxy no Google …

            0
    • Cleyton 23 de novembro de 2011 at 22:51

      Sinistro! Tem mais placas que reboco! Curitiba não tá tão dramático mas tá por aí também, tô achando que está havendo um êxodo urbano dos brasileiros para RJ e SP!! Será que é só lá que falta terreno e tem défict habitacional?

      0
    • Pedro Bolha 23 de novembro de 2011 at 23:02

      Tenho acompanhado o blog sem comentar. Parabéns a todos pelo bom nível das discussões. Ótima iniciativa esse vídeo, ficou bem legal. Vale a observação do Cleyton sobre o link.

      0
    • Ze_das_Couves 23 de novembro de 2011 at 23:44

      Sergio,

      Impressionante acontecer isso em uma cidade como Cascavel. Qual a base da economia dessa regiao? As construcoes todas de pe e o terreno e toda a infra nao pronta… da ate para ver o chao vermelho das ruas nao asfaltadas.

      Pelo que vi de outros lugares onde a bolha estourou… quanto mais afastado do centro da cidade maior a queda e quanto menor a cidade maior a chance de desvalorizar em um mercado que esta passando ou ja eh de vantagens ao comprador e nao ao tomador de credito/vendedor.

      Vai ser um PLOC!

      0
      • Sergio 23 de novembro de 2011 at 23:49

        Cara, lavagem de dinheiro. Não existem industria, o comércio é fraquinho. Aqui tem muita farmácia (04 em cada esquina) e muita, muita agencia de venda de carros usados – com preços mais altos que a tabela fipe. LAVAGEM de dinheiro, paraguai purinho…. Mas são poucas pessoas, o restante é gente simples. Gente simples que come sardinha e arrota caviar. Sardinha não. Tilápia: aqui não existe peixe de mar. Aqui as pessoas mais simples andam de pálio o gol zeros; a nova classe média anda de focus e carros semelhantes, mas o popular aqui é o tal do civic: tomo mundo tem, menos eu.

        0
        • Ze_das_Couves 24 de novembro de 2011 at 00:03

          Nossa isso vai fazer um PLOC gigante… tudo o que voce mostrou no video esta em ebulicao ao mesmo tempo? Gente o povo ficou insano…

          Eu investi boa parte nos meus rendimentos em um ape da cyrela em Sao Paulo pois tinha planos de voltar ao Brasil soh que tudo mudou esse ano pois nao consegui transferencia. Quero vender o negocio assim que me entregarem antes que exploda. Eu sempre poupo meu dinheiro. Se quisesse poderia tar me fazendo andando de x5 mas na real ando de trem e uso o M-TIida da minha esposa 😉 Prefiro fazer minha poupanca.

          Me fala outra coisa!? Se voce pega um taxi ai em Cascavel o motorista de taxi te da conselho de investimento em imoveis? Se o cara falar disso o negocio ja era…

          Abs!

          0
          • Sérgio 24 de novembro de 2011 at 00:24

            Aqui a coisa da feia, estão quase no desespero; acontece que por ser bem no interior, os corretores daqui não são nada requintado em artimanhas de vendas. Sou de Volta Redonda no Rio, morando aqui há 03 anos e tanto lá como cá o bicho tá pegando: desisti de comprar há mais de um ano graças a este MAGNÍFICO SITE.
            Olha que aquelas fotos são de apenas uma fração da cidade, se e quando eu conseguir cobrir a cidade inteira poderemos ver que o buraco é maior e bem mais em baixo.
            Acredito que nas cidades grandes e capitais a coisa tá mais feia ainda. É que se torna difícil em Curitiba, no Rio e principalmente em São Paulo fazer a mesma pesquisa, in loco. Mas certamente é maior do que se vê anunciando nos sites e nos jornais.
            Aquele papo de que o Brasil é a Espanha em versão 2.0 ainda é pouco.

            0
            • MrK 24 de novembro de 2011 at 10:32

              Sergio, parabens pela iniciativa

              ainda nao vi, mas pode ter certeza que assim que tiver em casa verei.

              curioso que sua cidade nao tem as mentiras tradicionais pra sustentar bolha (copa, olimpiadas e pre-sal), ou seja, qual a justificativa pra isso se nao credito+especulacao?

              coisas assim acontecendo em cidades do interior pra mim e’ PROVA de que vivemos bolha e nao correcao de precos por conta de “grandes eventos”

              0
            • FQ 24 de novembro de 2011 at 12:39

              Sergio,

              Pelo menos a cidade é plana, com vista do horizonte, esteticamente bonita e espaçosa…
              Melhor que Volta Redonda, onde ou se vê morro, a usina, fumaças ou o paraíba! rsrs

              Volta Redonda está a mesma coisa que Cascavel, lojas de carros usados a cada esquina com preços maiores que no Rio, muitas farmácias, muitos lançamentos imobiliários, mas pelo menos tem uma população e uma economia bem maior.

              A propósito, a Gafisa fez uma mega lançamento tempos atrás em VR. Vendeu pouco, cancelou parte das torres de apartamentos e tocou as demais com poucos unidades vendidas. Pois bem, a entrega está atrasada e nem pipocam unidades a venda, mas ainda estão caros os aptos…

              0
              • Sérgio 24 de novembro de 2011 at 16:53

                Cara, vc não tem noção de como tenho saudade de ver morros, poder andar sem camisa, falar com as pessoas na rua, frequentar um buteco e coisas do tipo. Não aguento mais ver essas paisagens daqui, apesar de bonitas.
                Seique a coisa está feia por aí, ainda mais por não existir terrenos e os que existem estão nas mãos do Steinbruch e da família ferreira, a qual ainda tem um que é presidente do sinduscon/vr. Mas estou mexendo uns pauzinhos (legalmente he he he) para conseguir minha remoção. Já pensei em comprar algo em resende, mas desisti. Vou morar alugado por mais um tempo e esperar o pessoal daí quebrar a cara. Os residenciais (terrenos) que estão lançando no c… do jardim amália e no c… do belvedere estão totalmente encalhados. Já falei para os corretores que quando aqueles terrenos, que são anunciados hoje por 140,160k, chegarem nos 50k eu compro.
                Os caras riram de mim, mas já enviaram email informando que podem negociar por 100k. Eu ri e falei que topo esperar mais um pouquinho… he he he.
                Mas abração a todos e te digo uma coisa: não queira sair de VR, a não ser que vá permanecer no sudeste ou mesmo nordeste, pois sul e centroeste não dá pra gente.

                0
    • Eduardo Zé 24 de novembro de 2011 at 10:55

      Retrato da realidade, excelente vídeo.

      0
    • Carlos Wagner 24 de novembro de 2011 at 18:25

      Sergio

      Muito legal seu video. Parabens pela iniciativa e por contribuir conosco.

      Valeu mermão…

      0
  • ninja 23 de novembro de 2011 at 23:08

    No meu bairro ZL/SP tem uma imobiliaria que abriu no boom, e agora mudou de ramo, está prestando assessoria juridica em imóveis e reabilitação de crédito, passando em frente hoje ví o novo luminoso.já é um sinal, quebradeira geral de imobiliárias, não vende mais nada!. ploc ploc.

    0
  • Tatanka 23 de novembro de 2011 at 23:43

    Esta cada dia mais emocionante, apto no recreio com 60m2 sendo vendido por R$ 286.000,00, no mesmo predio unidades sendo alugadas por R$ 1.000,00 + R$ 450,00 de condominio. Ta chegando pessoal, agora é questão de semanas.

    0
    • Ze_das_Couves 24 de novembro de 2011 at 00:14

      60m de area real ou esta incluido nisto outras areas comuns do predio?

      Li aqui num dos posts que o negocio no brasil vai murchar… eu ate concordei no passado. Agora pensando bem acho que vai ser bem radical o negocio e o governo vai ter de entrar rasgando emprestando senao as eleicoes e o levantamento do caneco vao para o passado.

      Abs!

      0
      • Tatanka 24 de novembro de 2011 at 07:40

        Nesses ditos 60m2, deve estar garagem, área comum,etc… Isso é outra malandragem deles.

        0
  • Carlos Eduardo 24 de novembro de 2011 at 00:39

    Galera dá uma olhada nesses videos do Ricardo Torres!
    concordo com boa parte do que ele diz!

    acho as idéias dele muito interessante e completamente inversa, daquele bosta, pau mandado da cbn!

    A crise na Itália e sua repercussão no Brasil
    http://www.youtube.com/watch?v=dUwdevm5brk

    Bolha imobiliária no Brasil: afinal, ela existe ou não?
    http://www.youtube.com/watch?v=qmFY1ydg32E&feature=related

    só acho estranho um cara inteligente assim ser palmerense!

    0
  • Josimar 24 de novembro de 2011 at 00:58

    Pessoa boa noite ! Tenho lido muito este blog mas é meu primeiro post.

    Acredito firmemente na tese dr que estejamos numa bolha especulativa, porém creio li esses dias em lugar que não me lembro que a bolha Imobiliaria brasileira nao ira estourar e sim murchar rs…

    Tenho conhecimentos mínimos de macroeconomia, por isso pergunto ao pessoal que acompanha os posts aqui e são verdadeiros “analistas”, estou desanimado com as condições de compra de um imovel hoje, nao ganho pouco e não vejo possibilidade de compra de um imovel tão cedo.

    Tenho cerca de 50 mil guardado, mesmo que tivesse 200 mil, quero ser trouxa de comprar na “alta” neste caso, vem a pergunta pratica: alguém sabe estimar quando poderemos comprar Imoveis novamente a preços mais, digamos, racionais ?

    Abraços a todos !

    Josimar

    0
    • Anonymous 24 de novembro de 2011 at 09:12

      Josimar,

      Eu pensaria em construir. Dessa maneira voce paga somente o custo e não o lucro exorbitante que estamos vendo. Além disso, voce vai gastando de acordo com a sua disponibilidade de dinheiro. Pode também pensar numa planta com 2 dormitórios e 1 banheiro, com previsão de uma suite para futura expansão. Voce já deixa preparado a parte hidráulica e elétrica dessa expansão quando construir a parte de 2 dormitórios.

      0
    • RT 24 de novembro de 2011 at 09:35

      “Tenho cerca de 50 mil guardado, mesmo que tivesse 200 mil, quero ser trouxa de comprar na “alta” neste caso”

      Josimar,

      A situação chegou a um nível tal de bizarrice que se voce disser a um corretor que “só” tem 200 mil guardado, ele vai achar pouco.

      Se você disser que “só” tem 50 mil, então, nem se fala.

      Entretanto, “especialistas” dizem a todo momento nos jornais que não há perspectiva de os preços baixarem. “Por que baixaria?”, pensam eles… Querem nos convencer no grito que está cheio de gente por aí com essas quantias guardadas… Ou o Brasil enriqueceu e só nós não acopanhamos… ou tem alguma coisa errada!

      0
    • MrK 24 de novembro de 2011 at 10:38

      seja bem vindo!

      a minha opiniao eh: O melhor momento de compra estara ligado ao pico de sobreoferta, em outras palavras, quando tivermos uma quantidade enorme de apartamentos a venda e poucos compradores, tudo indica que estamos caminhando pra isso logo logo (vendas travadas e imoveis a venda subindo)

      de uma olhada nos empreendimentos em construcao na sua cidade, estime quando a maioria deve ser entregue, no caso do Rio eu diria 12 a 18 meses, nessa epoca vai ser a bacia das almas dos especuladores

      0
  • xyz 24 de novembro de 2011 at 08:50

    Enquanto o governo chinês está preocupado em murchar a bolha porque sabe que se ela “espocar” os prejuízos serão muito mais danosos… O nosso governo só pensa em “soprar” na nossa bolha e agora vem aí o “bolsa trabalhador”, ou seja, até quem já tem emprego vai ter direito a uma “esmolazinha”.

    Isso vai dar m…

    h ttp://g1.globo.com/economia/noticia/2011/11/nova-classe-media-pagara-em-2011-r-100-bilhoes-em-juros-diz-ministro.html

    0
  • Ar Quente 24 de novembro de 2011 at 08:54

    valor.com.br/impresso/eu-investimentos/gafisa-calcula-impactos-das-medidas-para-elevar-resultado

    Gafisa calcula impactos das medidas para elevar resultado
    (Valor Econômico – São Paulo/SP – EU & INVESTIMENTOS – P. D11- 24/11/2011)
    Chiara Quintão | De São Paulo

    Depois de anunciar que vai reduzir seus lançamentos em 2011 e separar a gestão de suas marcas, a Gafisa está calculando qual será o impacto das medidas que já começou a tomar para atingir suas metas de melhorar os resultados e ter fluxo de caixa positivo em 2012. Os executivos da companhia têm trabalhado cerca de 12 horas por dia fazendo contas e detalhando metas para concluir o planejamento de 2012 até o dia 20 de dezembro.
    A Gafisa anunciou, na semana passada, redução da meta de lançamentos deste ano da faixa de R$ 5 bilhões a R$ 5,6 bilhões para o intervalo de R$ 3,5 bilhões a R$ 4 bilhões. “Estamos cautelosos para 2012. O foco é trazer o caixa de volta. Não vejo a companhia com um tamanho muito diferente do que terá este ano”, disse o presidente da Gafisa, Dulio Calciolari, ponderando que não espera redução do mercado no próximo ano.
    As operações da Tenda, que apresentam as menores margens na companhia, foram alvo dos maiores cortes em 2011. Daqui para a frente, a Tenda só lançará produtos em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e Salvador, desde que aprovados pela Caixa Econômica Federal e com pelo menos 50% de pré-vendas.
    Empreendimentos não lançados ou cujos desembolsos estiverem em fases iniciais poderão ser cancelados quando não se encaixarem nos novos critérios. Segundo Calciolari, os cancelamentos vão reduzir a margem dos resultados a apropriar. “Mas ainda não é possível saber o nível.” Quanto maior o percentual do custo da obra já gasto, maior o efeito.
    A companhia está medindo o impacto também dos distratos (cancelamentos das vendas) dos produtos Tenda. Os imóveis originados dos distratos serão revendidos somente quando houver um novo comprador que for apto a ser repassado para a Caixa, o que pode resultar na redução da velocidade de vendas dessas unidades nos próximos seis meses.
    No momento, estão em revisão os custos das obras da Tenda, que, inicialmente, seriam executadas por empreiteiros (chamados de franqueados), mas que foram assumidas pela empresa. “Não tenho dúvida de que vamos encontrar custos adicionais”, admite Calciolari. Segundo ele, o número de franqueados Tenda foi reduzido de 100 para 14.
    A separação da gestão das três marcas – Gafisa, Tenda e Alphaville – terá impacto nas despesas gerais e administrativas da companhia. “Em números absolutos, as despesas tendem a subir num primeiro momento”, disse o presidente da Gafisa. Ele ressaltou, porém, que os efeitos positivos esperados na margem bruta são muito superiores a essa alta.
    Em relação à margem Ebitda, Calciolari afirmou que é possível esperar que, a partir das mudanças em curso, o indicador ficará entre 25% e 30% em 2014, considerando que cada um dos negócios da companhia tenha cerca de um terço dos lançamentos. A meta para a margem Ebitda em 2011 é de 16% a 20%. Conforme o executivo, a partir de 2014, será possível obter margens para Gafisa e Tenda entre 20% e 25%. “Tenda continuará com margens menores que as de Gafisa, mas com giro mais rápido”, afirmou.
    Para Alphaville, a margem estimada é de 40% no longo prazo. Os planos da Gafisa incluem a ampliação da parcela de Alphaville nos negócios. Futuramente, os lançamentos de Alphaville poderão chegar a 35% do total.

    0
    • Lucas 24 de novembro de 2011 at 10:13

      “Os imóveis originados dos distratos serão revendidos somente quando houver um novo comprador que for apto a ser repassado para a Caixa, o que pode resultar na redução da velocidade de vendas dessas unidades nos próximos seis meses”.
      Ué, cadê aquela história de que os imóveis só eram vendidos pra quem tinha condições de comprar.
      Tá vendo o que eles fizeram, tai mais um dos motivos da criação da bolha levantado aqui e que o pessoal do ramo dos imóveis vem negando.
      .

      0
    • MrK 24 de novembro de 2011 at 10:41

      alguem paga as contas com imoveis? paga as contas com lucro contabil? NAO, a gente paga as contas com CAIXA

      o problema dessas empresas eh o CAIXA, pois este esta baixo e diminuindo consistentemente, pra piorar estao muito endividadas, tendo que pagar juros e mais juros pra rolar as dividas

      a sorte dessas empresas eh que estamos recebendo muita grana de fora e por isso o credito empresarial esta farto e facil, mas o dia que os emprestadores comecarem a ver essas empresas criteriosamente como estao fazendo com a italia ou a espanha (aumentando os juros pelos riscos) elas estao mortas…

      0
  • Richard S Miranda 24 de novembro de 2011 at 09:06

    Uma coisa que eu estava pensando.

    Com a pacificação das favelas – especialmente a Rocinha, menos famílias estarão saindo das favelas para entrar em um financiamento de 30 anos.

    Com isto haverá menos procura por imóveis novos que não estejam em favelas.
    Reduzindo este tal deficit.

    0
    • John 24 de novembro de 2011 at 09:42

      Mas não há nova classe média que dê conta de pagar esses preços. Só se for um “suicida das finanças” e mesmo assim teria que ganhar muito, porque os bancos não emprestam se a parcela ultrapassar determinada porcentagem da renda. Tenho visto relatos aqui no Blog de investimentos estrangeiros em imóveis, e vejo que faz todo sentido. Só pode ser essa a explicação para o aumento exacerbado em algumas cidades litorâneas.

      0
      • RT 24 de novembro de 2011 at 09:56

        “Mas não há nova classe média que dê conta de pagar esses preços”

        Pelo que sei (me corrijam se eu estiver errado), a tal da “nova classe média” tem renda familiar de 3 mil reais.

        Que me conste, bancos não concedem financiamento de nem 300 mil pra essa renda.

        300 mil só compra apartamento em bairros muito afastados… o que mostra que a alegação dos “especialistas” de que “a nova classe média incrementou a demanda por casa própria e elevou os preços em toda a cidade” é uma impossibilidade matemática.

        0
        • Carlos Wagner 24 de novembro de 2011 at 15:38

          RT

          “Pelo que sei (me corrijam se eu estiver errado), a tal da “nova classe média” tem renda familiar de 3 mil reais.
          Que me conste, bancos não concedem financiamento de nem 300 mil pra essa renda.”

          Ontem, fiz uma consulta formal junto a Caixa Economica Federal, banco pelo qual recebo meu salario de servidor publico federal, holerite comprovando renda de 5 mil. Pasme, o máximo que consigo emprestar para comrpar um imovel é 121 mil. Nem MRV eu consigo comprar com essa merreca.

          Agora, imagine quem tem renda comprovada familiar de apenas 3 mil? Esse não consegue nem comprar meio lote financiado.

          A coisa está muito pior do que imaginamos.

          0
          • pmoraesm 24 de novembro de 2011 at 15:50

            Agora imagina essas duas situações da familia que comprou imovel na planta e chegou a hora de financiar:

            1 – “É, nosso apto de 65 m² e 15 anos tá anunciado a 3 meses e não vendeu, acho que não vamos conseguir os R$ 300.000,00 que pensávamos”

            2 – “Como assim nossa renda não financia? O corretor fez todas as contas e nos garantiu que dava!”

            E ai, vão queimar o apto usado pra conseguir o financiamento com uma entrada maior e nao perder boa parte do que ja pagou ou “devolve” pra construtora empilhar na lista dos encalhados?

            0
      • xyz 24 de novembro de 2011 at 10:16

        Se juntar o holerite do cunhado da sogra e do sobrinho já dá uma renda razoável.
        Outra fatia da população que investe muito em imóveisl são os corruptos, que em termos relativos cresceu muito mais que a nova classe média.

        0
      • GPTFN 24 de novembro de 2011 at 10:35

        Na verdade, o que houve foi uma lavagem de dinheiro monstruosa!
        Embora a maioria não saiba, não ligue, ou até contribua, políticos, Detran, PM, Miliciandos, traficantes, empresários entre outros, lavaram muito dinheiro com a bolha!
        Usando como desculpa a valorização imobiliária, transformaram dinheiro sujo em dinheiro legal.

        0
        • Muca Conexão CG Muita Treta 24 de novembro de 2011 at 12:23

          Para saber o quanto um salário de 3 mil financia, basta fazer uma simulação no site da Caixa. Eu fiz uma simulação com meu salário, que é de 3,5 mil e dá para eu financiar um imóvel que custe em torno de 113 mil, cujas parcelas decrescentes vão ficar na casa dos R$ 1 mil. Hoje, em São Paulo, só existe apartamento por esse preço em Guaianazes ou bairros tão bons quanto.

          0
          • Carlos Wagner 24 de novembro de 2011 at 15:44

            MUCA

            O simulador no site da CAIXA não reflete o real valor que voce poderia tomar como financiamento. Constatei isso fazendo uma analise de risco junto ao banco. Na analise, que é a que conta para efetivar o financiamento, são levadas em conta se voce tem prestações de automovel, quanto gasta com luz, agua, condominio, cartão de credito e outros. Tudo isso reduz o valor que voce vai emprestar.

            No meu caso, dos quase 145 mil disponiveis no simulador, quando fiz a analise diretamente no banco disponibilizaram-me apenas 112 mil, e isso porque só tenho prestação do carro no valor de 300 reais.

            0
  • DM 24 de novembro de 2011 at 10:43

    Off Toppic

    Uma dúvida comparativa:

    Será que o Céu e o Inferno também estão sofrendo alguma espécie de Bolha Imobiliária? Alguem sabe os preços do metro quadrado em frente ao Mar (da tranquilidade) no céu? Ou mesmo metro quadrado no Morro dos Lamentos (Dizem que foi pacificado) no Inferno?

    Só a título de curiosidade e comparação.

    0
  • Tico RJ 24 de novembro de 2011 at 11:13

    Prezados,
    Não sei se já foi mencionado aqui no site, mas a Escola Politécnica USP publica carta trimestral avaliando o mercado imobiliário brasileiro – a NRE-POLI (Núcleo de Real Estate da POLI).
    E olhem só: a carta NRE-26-11 (http://realestate.tempsite.ws/images/File/NewsLetter/CartaNRE26-4-11.pdf) já mostra fatores que indicam desequilíbrio no setor imobiliário, ou seja, fala sobre a possível bolha no Brasil. A carta contém índices do mercado imobiliário brasileiro e outras das construtoras, e faz comparação com dados do mercado dos EUA, muito bom.
    É leitura obrigatória !!!

    BOLHA, esse poderia ser um bom tema para o próximo tópico do site?

    0
    • Tico RJ 24 de novembro de 2011 at 11:23

      Pequeno ajuste no texto:

      Carta do NRE-POLI 26-11-outubro/dezembro 2011: Aprendendo sobre Bolhas (http://realestate.tempsite.ws/images/File/NewsLetter/CartaNRE26-4-11.pdf)
      Carta do NRE-POLI 25-11- julho/setembro 2011: Alerta de Bolha (http://realestate.tempsite.ws/images/File/NewsLetter/CartaNRE25-3-11.pdf)

      0
    • Bolha Imobiliária 24 de novembro de 2011 at 11:46

      Temos que ver…Será que esta matéria não foi postada no site ?

      0
    • shakespeare 24 de novembro de 2011 at 14:22

      Respeito a opiniao do JRL, estudei com ele e sei que ele fala de forma embasada. No caso ele comprova que no segmento das pequenas salas comerciais para locacao a bolha realmente é um alerta sério. Nos outros segmentos, existem indícios, mas não comprovações e, pelo fato do ciclo ser longo, é possível que a queda abrupta, propalada por alguns aqui no bolha, nào venha a ocorrer.

      Não que os preços não vão cair, mas isso pode levar de 3 a 5 anos. Sinceramente, estou um pouco decepcionado por saber isso, porque também contava com uma queda mais agressiva dos preços, que estão insanos, mas existem fatores que permitem que eles se mantenham assim por alguns meses ou anos, antes de voltarem a cair.

      0
      • Tico RJ 24 de novembro de 2011 at 14:55

        shakespeare,
        Creio que deva levar mais uns 12 meses para a queda brusca de preços, mas o aumento do estoque de apartamentos apresentado atualmente pode agilizar o estouro da bolha.

        0
  • nelson 24 de novembro de 2011 at 11:17

    24/11/2011 – 11h05
    Incorporadora faz feirão de imóveis a partir de R$ 129 mil em SP
    Publicidade
    DE SÃO PAULO

    Nos dias 25, 26 e 27 de novembro, a incorporadora PDG irá promover um feirão em que ofertará 3,6 mil imóveis residenciais no Estado de São Paulo.

    No total, serão negociados 2,8 mil apartamentos em todas as regiões das cidades de São Paulo, Guarulhos e Barueri, e 828 unidades em Jundiaí.

    O valor das unidades varia entre R$ 129 mil e R$ 950 mil. Há empreendimentos em lançamento, com obra em andamento e prontos para morar.

    O feirão ocorrerá nas cidades de São Paulo e Jundiaí e a entrada é gratuita.

    SERVIÇO
    Feirão de Imóveis PDG
    ONDE: São Paulo – Av. Presidente Castelo Branco, 4.233, na Barra Funda
    Jundiaí – Av. 9 de Julho, 1145, esquina com a r. Mario Borim, 315
    QUANDO: de 25 a 27 de novembro, das 10h às 22h
    QUANTO: Entrada e estacionamento gratuitos

    0
  • FQ 24 de novembro de 2011 at 11:50

    Notícia do portal G1 da Globo hoje:

    Nova classe média pagará em 2011 R$ 100 bilhões em juros, diz ministro – G1.GLOBO

    http:/ / g1.globo.com/economia/noticia/2011/11/nova-classe-media-pagara-em-2011-r-100-bilhoes-em-juros-diz-ministro.html

    Moreira Franco diz que governo quer ‘transparência’ sobre cobrança de juro.

    A nova classe média desembolsará R$ 100 bilhões neste ano em pagamento de juros, mostram estudos do governo encomendados pelo ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência, Wellington Moreira Franco.

    Quando a classe média compra um produto, o juro está embutido naquele preço, mas ela não sabe que o juro está ali”, afirmou o ministro.

    —————————————————————————–

    São 100 bilhões somente de JUROS, não é o total das dívida ou das prestação, mas só o juros! 100 bi só de juros para bancos!

    Se alguém ainda tem dúvidas, leiam meu outro texto acima. É longo, mas vale a pena!

    0
    • Felipe 24 de novembro de 2011 at 11:57

      Vai ter muito banco, construtora e comerciante rindo à toa quando as coisas desandarem…

      0
      • pmoraesm 24 de novembro de 2011 at 13:02

        Quem ri mais é o Peter Joseph:

        http://www.youtube.com/watch?v=UUMz3Y3lJ1k

        “A very short clip explaining how the application of interest doesn’t really exist as it is created from nothing!

        From (pretty much open source) movie Zeitgeist: Addendum – Peter Joseph”

        0
      • Marcos Eliziário Santos 26 de novembro de 2011 at 21:14

        E aí quando a bolha estourar, o ativo dos bancos sumir que nem açucar na chuva, quem vai pagar a conta somos nós, porque vão arrumar uma maneira do tesouro socorrer os bancos por causa do risco sistêmico, o “too big to fail”
        Só que dessa vez, ao contrário do PROER do FHC, o governo não vai ficar com as ações dos bancos socorridos, vai só jogar nosso dinheiro na mão deles por algum artifício.

        0
    • Insanidade 24 de novembro de 2011 at 13:30

      É como se cada brasileiro (dos 190 milhões) pagassem aos bancos R$526,32

      Por esses números podemos ver como o povo brasileiro gosta de uma prestação!

      Esses carrões bonitos que vemos por aí é tudo financiado…

      Além de os produtos no Brasil serem mais caros, as pessoas ainda pagam por eles, 2 ou 3 vezes o valor do mesmo – que como eu disse (e já foi comentado aqui muitas vezes) já é caro demais.

      Vou acompanhar 2012 com muita atenção!

      0
    • thiago 24 de novembro de 2011 at 14:50

      Pior que quem tem educação financeira só se ferra

      Você quer pagar a vista, pede desconto, te dão ridículos 5%, agora dá pra parcelar em até 12x sem juros

      AHAM, SEI, SEM JUROS REALMENTE

      Mas fazer o que né, o povão gosta de pagar em 200x (e nem é só o povão não)

      0
  • Cleyton 24 de novembro de 2011 at 12:49

    Está cansado de esquentar a cabeça com inquilinos que não pagam em dia? Que tal diversificar seu investimentos fazendo uma carteira de imóveis? Brazilian Capital Real Estate Fund I (BRCR11B) na Bovespa é a solução! Vejam o que encontrei no fórum da Guainvest: http : / / w w w.bmfbovespa.com.br/renda-variavel/download/cBRCR11B_190711b.pdf

    0
    • Cleyton 24 de novembro de 2011 at 13:09

      Ah, lembrando que aqui não tem bolha porque o problema nos EUA eram hipotecas e securizações (nome do administrador do fundo: Brazilian Mortgages Companhia ->Hipotecáriasecuritizaçãoalavancagem<- positiva na aquisição de novos imóveis!), outro destaque interessante: Ambiente macroeconômico positivo,com fundamentos sólidos e perspectivas favoráveis (?! humm, por isso baixou a selic né) única democracia efetiva entre os BRICs (Essa eu não entendi mesmo…) Busca de aumentos reais de valores de locação dos imóveis (meta acima de 15%aa!), Geração de ganho de capital na reciclagem de propriedades (reciclagem?), no 1°T/11 Rentabilidade do Capital após despesa financeira 19,1 % a.a. + IGPM (!!!)

      0
      • Ze_Das_Couves 24 de novembro de 2011 at 13:39

        Humm acho que tudo eh seguro ate o primeiro problema certo? Acho que grande parte desse capital que entrou no brasil vai atras de ganhos rapidos. Ao primeiro soluco o negocio reverte e muita coisa muda. O brasil sempre foi um pais de mudancas rapidas. Ou sobe muito rapido e nao sustenta ou cai muito rapido e estabiliza em um nivel razoavel por varios anos.

        Essas construtoras no brasil emitiram varias debentures na bolsa. Quem sera o dono das delas hoje?

        abs!

        0
        • Cleyton 24 de novembro de 2011 at 13:47

          Pois zé, esses caras especulam aluguel e imóveis reciclados (seja lá o que isso for), cadê agora o povo que disse que aqui não tem bolha porque não tem hipoteca, securização, que o povo compra pra morar e tal? Agora dá pra entender a situação de RJ e SP porque o real (state ou moeda mesmo) estão lá.

          0
          • Marcos Eliziário Santos 26 de novembro de 2011 at 21:30

            A gente pode até não ter o nível de alavancagem escrota dos americanos. Mas os bancos estão expostos ao risco desses empréstimos e vão sofrer se o valor dos imóveis sofrer um queda abrupta e significativa.

            Só por um ponto você pode ver o problema: existe sempre uma parcela de pessoas que repassam os seus financiamentos no meio do caminho. Só que como você repassa um financiamento de 500 k, dos quais faltam ainda 400 pra pagar, se o preço do imóvel caiu e agora se vc fizesse o mesmo financiamento o banco só te emprestaria 200 mil? Daí o sujeito que perdeu o emprego, ou que teve um filho, ou que ficou doente ou escamabau, não consegue se livrar do abacaxi. Em um determinado momento ele tem que escolher entre comer ou pagar o financiamento. O novo emprego que ele arrumou paga muito menos que o antigo, e ainda por cima, o sujeito está tão estressado devendo 400k num troço que vale à vista uns 120 que ele não consegue trabalhar direito.

            Multiplique isso. Agora pense no momento em que uma agência de risco pega um Bradesco, olha pra carteira dele, e vê que metade do valor do que eram os imóveis alienados sumiu que nem fumaça. Aí a agência rebaixa o rating do Bradesco. Pânico total, os fundos de investimento estrangeiros começam a vender que nem loucos. Chega um momento em que mesmo os mais frios e calculistas avaliam se não é hora de pelo menos tentar recuperar parte do prejuízo antes que a coisa piore ainda mais.

            0
  • Tico RJ 24 de novembro de 2011 at 14:32

    Para quem quer ver a evolução dos preços dos imóveis/m² de 2005 a 2010 em São Paulo (1, 2, 3 e +4 quartos) acessem http://www.lares.org.br/2011/images/577-855-1-DR.pdf

    0
  • Glaucio 24 de novembro de 2011 at 14:55

    Secovi demorando mais do que costuma para divulgar a pesquisa de setembro. Geralmente liberavam por volta do dia 18.
    Se bem que… já nem sei se dá pra acreditar nos números.

    0
  • Glaucio 24 de novembro de 2011 at 15:04

    A propósito, mais um caso pras estatísticas: o irmão de um amigo comprou apartamento na planta em Curitiba. Agora recebeu as chaves e está desesperado porque não consegue alugar o imóvel.

    0
    • Bolha Imobiliária 24 de novembro de 2011 at 15:15

      Toma….hehehehe

      0
    • Andre Luiz 24 de novembro de 2011 at 16:24

      Não consegue alugar ou só quer fechar negócio por um valor que cubra a prestação dele e ainda sobre um troco? Tem que acordar para a realidade.

      0
      • Glaucio 24 de novembro de 2011 at 23:01

        Justamente isso!

        0
    • Marcos 24 de novembro de 2011 at 17:01

      QUINTA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO DE 2011
      Bancos, Brasil Juros, politica economica | 04:37
      Economia no Brasil já anda abaixo do potencial

      colunistas.ig.com.br/ricardogallo/

      0
  • Rf 24 de novembro de 2011 at 15:28

    Alguém comentou alguns posts acima sobre leilão do Hotel Maksoud, pois é, batido o martelo pelo valor mínimo.

    Hotel Maksoud Plaza é leiloado por R$ 70 milhões em São Paulo

    Justiça determinou pagamento de dívidas trabalhistas; imóvel vale R$ 140 milhões Hotel Maksoud PlazaItaci Batista – 23.04.2011/AE

    O Hotel Maksoud Plaza foi leiloado, nesta quinta-feira (24), por R$ 70 milhões. O hotel é avaliado em R$ 140 milhões, mas recebeu um único lance no leilão, de acordo com a administração do estabelecimento.

    Fonte: http://noticias.r7.com/sao-paulo/noticias/hotel-maksoud-plaza-e-leiloado-por-r-70-milhoes-em-sao-paulo-20111124.html

    0
    • manuelao 24 de novembro de 2011 at 20:07

      Fui eu.

      E o interessante é que ele foi arrematado pela METADE do preço, exatamente o que estimo que é o valor que os imóveis estão sobrevalorizados em SP

      0
  • Mauro 24 de novembro de 2011 at 15:49

    Uma amiga acabou de comprar um imóvel em Copacabana, financiado em 30 anos! Ainda me disse que os preços estão altos, mas é assim mesmo, que ela comprou no momento certo e que os mesmos nunca abaixarão! detalhe: ela é autônoma do ramo alimentício, do tipo supérfluo! muita confiança, né! mas já está reclamando que está sem um tostão no bolso!

    0
    • Mineiro BH 24 de novembro de 2011 at 16:36

      Tem neguinho que é louco, nem consigo acreditar nessa atitude…

      PS – Bolha, hora de abrir novo tópico, com 300 comentários começa a travar o blog…

      0
    • marcelo 24 de novembro de 2011 at 16:43

      “reclamando que está sem um tostão no bolso”.. calma 30 anos passam rápido… rsrsrsrs deve ser assim que a NOVA CLASSE MÉDIA PENSA

      0
    • aiwww 24 de novembro de 2011 at 22:35

      To com uma pena dela … peça a ela para informar o percentual de abatimento da dívida em cada parcela que ela paga …

      0
  • Deurges 24 de novembro de 2011 at 15:52

    blogdoimovel.blogspot.com/2011/11/belem-construtoras-reavaliam.html

    Belém: Construtoras reavaliam lançamentos e suspendem compra de terrenos.

    Segundo um especialista na venda de grandes terrenos, apenas uma das grandes construtoras nacionais presente em Belém, já tinha acertado a compra de cinco grandes áreas para empreendimentos quando teria recebido uma ordem expressa da matriz. Para tudo.
    O pagamento dos sinais o suspenso e pior, os donos das áreas seguem pedindo valores altos, como se nada tivesse acontecendo. A matemática não bate. de um lado preços de boom, de outro o mercado com medo de bolha.
    Quem já tem área se pergunta o que lançar. Outubro foi vermelho para as metas estabelecidas. Tanto que muitas preparam feirões que consigam reviver as vendas. O problema do feirão é que um desconto de 20%, 30% sobre a tabela, deixa em mau lençóis que comprou uma semana antes, pagando 30% a mais.

    Já tem gente avisando que se derem desconto alto, vão exigir o desconto sobre vendas passadas na justiça. O sinal é de alerta, ou mais , bem mais que isso.

    0
  • Deurges 24 de novembro de 2011 at 15:56

    Quem escreve esse blog é um apresentador do jornal local da globo.

    http://blogdoimovel.blogspot.com/2011/11/belem-construtoras-reavaliam.html

    Segundo um especialista na venda de grandes terrenos, apenas uma das grandes construtoras nacionais presente em Belém, já tinha acertado a compra de cinco grandes áreas para empreendimentos quando teria recebido uma ordem expressa da matriz. Para tudo.
    O pagamento dos sinais o suspenso e pior, os donos das áreas seguem pedindo valores altos, como se nada tivesse acontecendo. A matemática não bate. de um lado preços de boom, de outro o mercado com medo de bolha.
    Quem já tem área se pergunta o que lançar. Outubro foi vermelho para as metas estabelecidas. Tanto que muitas preparam feirões que consigam reviver as vendas. O problema do feirão é que um desconto de 20%, 30% sobre a tabela, deixa em mau lençóis que comprou uma semana antes, pagando 30% a mais.

    Já tem gente avisando que se derem desconto alto, vão exigir o desconto sobre vendas passadas na justiça. O sinal é de alerta, ou mais , bem mais que isso.

    0
    • aiwww 24 de novembro de 2011 at 22:38

      Hummm… tem coisa aí …

      0
  • Tico RJ 24 de novembro de 2011 at 15:56

    Senhores,
    Mais uma sugestão de leitura – The Economist :
    Global house prices – Castles made of sand – http://www.economist.com/blogs/dailychart

    Comentário sobre as bolhas imobiliárias ao redor do mundo e a situação atual de alguns países, infelizmente o Brasil não está incluso. Mostra gráfico e um artigo.

    0
  • Mineiro BH 24 de novembro de 2011 at 16:11

    Ah, o fascínio de Fausto (Goethe)…

    Prezado Ildeu, não meça o mundo apenas pelas grandes obras de engenharia…

    0
  • Valdir 24 de novembro de 2011 at 16:38

    Caros colegas boa tarde,

    Recebi uma ligação do pessoal da porto, me paresentando carta de credito, confesso que ao final do emprestimo terei pago 240 mil por uma carta de 200 mil.
    Devo explicar: ja possuo imovel proprio, e estou querendo comprar um segundo imovel, alguem tem experiencia com esse tipo de credito?Vale a pena?
    Forte abraço

    0
    • Valdir 24 de novembro de 2011 at 17:08

      Pessoal só explicando….
      Não pretendo comprar lopes, cyrela….rsrsrsrsrs…antes que me chamem de loucos….
      to querendo comprar uma chacrinha…interior de SP…..
      abraços

      0
    • Carlos Wagner 24 de novembro de 2011 at 18:36

      Valdir

      Por coincidencia, tempos atras, vi nessa modalidade de consorcio um grande negocio na aquisição do imovel proprio. Porém, como sou prudente, tive a iniciativa de ligar na maioria das construtoras e imobiliarias de taubaté como adquirente de uma carta de credito contemplada e gostaria de estudar a aceitação dela no mercado de imoveis.

      Unanimemente, informaram-me que a porto é uma das mais demoradas em liberar o dinheiro depois da contemplação da carta, ela exige muitos documentos e certidões, com a demora, muito documento vencem e voce tem que ficar numa correria e cobrança freneticas junto a empresa. Numa construtora de renome aqui, informaram-me que a liberação do credito levou quase 1 ano.

      Já outras empresas, tive recomendação de muita cautela pela falta de confiabilidade no mercado.

      Problema recorrente dessa modalidade de credito é, em pesquisa no site reclame aqui, que a avaliação da sua comprovação de renda e comprometimento financeiro quando da contemplação da carta será rigorosa e muitas pessoas são negligenciadas em receber os recursos da administradora por causa disso.

      Minha opinião: “Tome muito cuidado, se um negócio é bom demais pra ser verdade, é porque realmente é bom demais pra ser verdade!”

      Cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguem.

      0
  • Marcos 24 de novembro de 2011 at 17:03

    QUINTA-FEIRA, 24 DE NOVEMBRO DE 2011

    Bancos, Brasil Juros, politica economica | 04:37

    Economia no Brasil já anda abaixo do potencial

    colunistas.ig.com.br/ricardogallo/

    0
  • Cirso 24 de novembro de 2011 at 17:12

    Olá galera

    Um relato pessoal
    leio o bolha desde o início do mesmo, e já disseminei a vários contatos
    Há pelo menos dois anos estava procurando casas aqui em Campo Grande/MS, e os preços exorbitantes ainda não chegam perto dos de outras capitais
    Pra terem idéia um apartamento da pdg lançado há pouco tempo aqui, está com custo de 2,3 a 2,7k por m², sobrados da mesma pdg a 2,6k o m²… apartamentos da MRV a 2,2k/m²
    Como estava dependendo da casa pra casar com minha noiva, e alugar achei pouco interessante pra nossa realidade local já que a inflação do IGP-M vinha comendo solta e ano que vem deve estourar com o reajuste do mínimo, compramos a casa agora, na alta
    O cuidado que fizemos foi comprar uma casa fora da faixa de exploração (até 80m²) e uma boa taxa, conseguimos 7,9%a.a e financiamos uma casa de 110m² e 230k (2,09k/m² fora o terreno e o padrão da casa com porcelanato bom, madeiramento ótimo, tubulação e preparação pra água aquecida, asfalto, bairro de altíssima valorização, etc) dando 46k de entrada, deixando uma sobra pra mobiliar à vista e conseguindo descontos (que não conseguimos quase nada pq todo mundo só vende a prazo e qdo muito dá 10%, geral é 5%), e financiando o restante da casa com parcelas iniciais de 1.690 decrescentes (SAC)
    O aluguel de uma casa dessas não sai por menos de 1.200 e é crescente (IGPM)
    .
    Nesse caso acho que conseguimos fazer um bom negócio, bem acima da média, considerando o custo do m² de imóveis básicos aqui na cidade.
    O que acham?

    Mais uma informação: apartamentos de um empreendimento da MRV que eram vendidos a 144k já caíram pra 142, 139, 135, 134, agora está 132 em faixas penduradas no mesmo, e isso de 4 meses pra cá… quem comprou a 144k deve estar morrendo de raiva…

    0
    • Money Addicted 24 de novembro de 2011 at 17:42

      Colega, tdo depende de qual a finalidade….se vc comprou pra morar….e nao pretende lucrar com a venda do imovel no medio prazo levando em consideracao que nao precisara se preocupar com aluguel, mudancas, etc….diria sim que fez um bom negocio…..e agora eu ia curtira a casa e o casorio….e nao pensaria mto nisso….ja imaginou se relamente a bolha estourar (realmente….pq tdo indica q sim…mas ngm tem 100% d ctz) e uma casa parecida com a sua estiver sendo vendida a, digamos, 30% do q vc pagou….vai ser frutrante….

      []s

      0
      • Luiz 24 de novembro de 2011 at 18:25

        pelos números da sua cidade a bolha não pegou pesado aí, ainda.
        parece que vc fez um bom negócio e o + importante, tá satisfeito.

        0
      • Cirso 24 de novembro de 2011 at 18:30

        Money, valeu
        É pra morar sim
        Mas creio que na realidade daqui, com o m² de apto básico a 2.400 aproximadamente, e tendo pago 2.090 no nosso, acho muito difícil o valor cair pra 30, ou 50% que seja… dificilmente veremos uma casa de 110m² sendo vendida a R$ 69.000 (30%)…. se muito algo próximo a 200k até vai, mas abaixo de 170 AQUI e NO MEU CASO acho bem difícil
        Agora, em capitais com o m² a 7, 8 até 10k o m², tem muita gordura pra queimar pra cair o preço

        Abraços

        0
  • Rodrigo 24 de novembro de 2011 at 17:31

    Rocinha dando lucro para Xuxa que vendeu sua cobertura em São Conrado, no Rio. Negócio de uns R$ 8 milhões

    0
  • Rodrigo 24 de novembro de 2011 at 17:43

    Ninguém segura a Barra
    Veja Rio, Lula Branco Martins, 22/nov

    No momento em que você lê estas linhas, 100 prédios estão sendo erguidos no bairro, entre eles um centro comercial com 4 milhões de metros quadrados

    O sinal fecha na Avenida das Américas. Em passo acelerado, grupos de moças uniformizadas, geralmente muito simpáticas, disputam a atenção dos motoristas. Seu objetivo é que eles abram a janela do carro para elas oferecerem fôlderes de propaganda de lançamentos imobiliários. A cena, comum nas principais ruas da região, é reveladora de um processo que caracteriza o bairro: a Barra não para. Ali a cidade ainda tem espaço para crescer, ali bons negócios podem ser fechados – a um preço baixo em relação às áreas nobres da Zona Sul – e, enfim, é para ali que parecem estar voltados os holofotes que apontam o futuro.

    E não se está falando de décadas ainda distantes, séculos além. O futuro da Barra é agora mesmo, depois de amanhã. Cálculos de empresários do mercado de imóveis mostram que cerca de 100 prédios estejam subindo dentro dos limites do bairro. As instalações olímpicas, por exemplo, já vão saindo do papel e até 2016 têm de estar prontas – incluída a vila que após os Jogos vai virar moradia, como aconteceu com os edifícios que abrigaram atletas do Pan, em 2007. Além do esporte, a área de entretenimento também se faz presente: no início deste mês foi inaugurado, com um show de Jorge Ben Jor, o Barra Music. Plantada entre a Cidade de Deus e a Avenida Ayrton Senna, a casa tem capacidade para 6500 espectadores e o maior palco da América Latina.

    Na Barra costuma ser assim: tudo é construído em escala abusada. A mais nova grandiosidade do bairro atende pelo nome, aliás pouco modesto, de Centro Metropolitano, em um terreno de 4 milhões de metros quadrados. Trata-se de um complexo de shoppings e unidades corporativas a ser erguido na Avenida Embaixador Abelardo Bueno – que é para onde a região vai se esticando (veja o mapa). Tem a pretensão de fazer circular 140000 pessoas a cada dia, com âncoras como a Renner (de roupas), o Ponto Frio (eletrônicos) e a rede Cinemark.

    A área que vem sendo ocupada por torres (as do condomínio Rio 2 foram pioneiras nos anos 90), hospitais como o Centro de Reabilitação Sarah e colégios como o tradicional São José já era, no fim dos anos 60, tema de especulação do arquiteto Lúcio Costa. Ao traçar o plano urbanístico para o bairro, ele dizia: “Onde se prevê a construção do Centro Metropolitano, região que sertã ocupada tão cedo, deixe-se a várzea tal como está, com o gado solto, pastando”. Se vivo fosse, o mestre veria que o tempo passou e que não há mais um boi sequer por ali.

    Empreiteiros e donos de imobiliárias não tiram o olho desse novo eixo de crescimento. Rogério Zylbersztajn, da RJZ Cyrela, é um deles. Mantém na parede do escritório um mapa da vizinhança, de quase 6 metros quadrados. Na carta, ele colore de vermelho os negócios que já realizou na região, desde os anos 80. Faz contas, traça um xis imaginário no ar, compara distâncias, força um pouco a barra e frisa: “É na Abelardo Bueno que fica o centro geográfico perfeito da cidade”.

    Depois da confirmação do Rio de Janeiro como sede olímpica, em outubro de 2009, quadruplicou o número de visitas aos estandes de venda de prédios naquele trecho da Barra, próximo do complexo de quadras que será erguido no terreno que hoje pertence ao Autódromo Nelson Piquet. Outro dado impressiona ainda mais: se, antes, 100 compradores em potencial conversavam com o corretor e apenas três fechavam o negócio, bastaram dois anos para a taxa atingir um número cinco vezes maior: hoje em dia, quinze em cada 100 assinam contrato. “A Barra está confiável”, atesta Marcelo Conde, da STX, empresa que também aposta suas fichas para os lados da falida pista de corrida. Exatamente ali, mas do outro lado da rua, em breve ele erguerá um hotel com a bandeira americana Hilton, cinco estrelas e 300 suítes. Marcelo (filho do ex-prefeito Luiz Paulo Conde) investe pesado, mas com os pés calçados: apurou, uma a uma quais são as empresas que abriram recentemente escritórios no bairro, preparou slides e mandou para investidores. Mapa pronto, revelou-se a tendência de expansão para a Abelardo Bueno. E ninguém precisa de cursos avançados de matemática financeira para entender o motivo desse movimento: o metro quadrado na Abelardo custa menos da metade do mesmo espaço à beira-mar.

    “Em relação ao mercado imobiliário, nunca houve um boom tão intenso”, afirma Rogério, da RJZ. Outdoors e faixas estendidas a cada quilômetro confirmam sua tese, chamando atenção para lan¬çamentos como Link Office, Uptown, Corporate Executive Offices (o CEO, colado ao moderno minibairro Península) e, entre tantos nomes em inglês, aquele que vem sendo divulgado como o mais luxuoso dos novos empreendimentos: o VillageMall, nas Américas, dos mesmos donos do BarraShopping, buscando conquistar a classe AAA da região. Vai reunir marcas exclusivas de moda, gastronomia e cultura, com corredores mais largos que os da concorrência, pé-direito bem acima do habitual e 8 000 metros quadrados de vidros em claraboias e átrios. São números e iniciativas que só reforçam: essa é a hora de fazer negócios na Barra – enquanto é tempo e enquanto ainda há espaço.

    0
    • Frank 24 de novembro de 2011 at 22:14

      “o VillageMall, nas Américas, dos mesmos donos do BarraShopping, buscando conquistar a classe AAA da região”

      ai ai ….essas matéria laudatórias…o q mais tem é pé-rapado na Barra.

      0
  • Carlos 24 de novembro de 2011 at 17:57

    Faz pouco mais de um mês que mudei para a cidade de são carlos interior de são paulo, o que mais me chamou a atenção quando estava procurando um imóvel para alugar foi que nos imóveis haviam várias placas de diferentes imobiliárias e em alguns casos o imóvel estava tanto para aluguel quanto para vender. o que me surpreendeu foi que havia valores diferentes para locação nas diversas imobiliárias, ou seja, por aqui já começou uma concorrência para conseguir alugar os imóveis,pois o mercado esta parado.
    Conclusao a casa que aluguei estava ha um ano p locacao e acabei fechando um contrato por menos doque a metade do valor anunciado ha um ano atras.

    Resumo:
    Anuncio de aluguel Nov2010 valor R 2400,00
    contrato Nov 2011 valor R 1.112,00

    Obs. Valor estimado do imovel : R 500.000,00

    0
    • Leandro 24 de novembro de 2011 at 22:22

      E tem gente que ainda não entende que alugar pode ser um ótimo negócio.
      Atualmente não resido em imóvel alugado, mas quando residia eu pagava logo um ano de aluguel adiantado (conseguia um bom desconto e o locador não exigia nem fiador).

      0
  • Marcos 24 de novembro de 2011 at 18:00

    Gafisa reavalia 2.000 vendas pendentes da Tenda
    Incorporadora não descarta a possibilidade de cancelar algumas vendas e devolver o dinheiro ao cliente (em último caso)

    São Paulo – A partir de agora, a postura da Gafisa com relação à Tenda, seu braço imobiliário voltado para a baixa renda, será ultraconservadora. A decisão de só lançar empreendimentos aprovados pela Caixa Econômica Federal e que estejam com pelo menos 50% das vendas já encaminhadas visa amenizar o impacto financeiro negativo que o segmento vem gerando ao grupo.

    “Dos nossos três segmentos, a Tenda é a que tem apresentado o pior desempenho financeiro, por isso decidimos adotar essa medidas cautelares. Continuamos entusiasmados com as oportunidades da baixa renda, mas herdamos alguns problemas quando compramos a construtora e precisamos resolvê-los”, afirmou Rodrigo Osmo, diretor-executivo da Tenda, em entrevista a EXAME.com.

    Segundo ele, atualmente cerca de 2.000 vendas estão sendo reavaliadas. Algumas, o executivo acredita ser insolúveis. “Existe a possibilidade de termos que cancelar algum negócio e devolver o dinheiro ao cliente, mas antes de chegarmos a essa decisão extrema, vamos tentar buscar soluções mais amenas”, disse Osmo.

    Apesar de o número de casos reavaliados parecer alto, o executivo afirma que já foi bem maior no passado. “Quando compramos a Tenda, tínhamos cerca de 15.000 processos com problemas e já resolvemos a maior parte deles. Mas existem alguns casos que não dependem só dos nossos esforços e se houver inviabilidade técnica ou financeira terão que ser descontinuados”, afirmou.

    Metas

    Na semana passada, a Gafisa anunciou a redução da meta de lançamentos para este ano. O guidance inicial que estava entre 5 bilhões de reais e 5,6 bilhões de reais foi reduzido para 3,5 bilhões de reais e 4 bilhões de reais .

    No terceiro trimestre do ano, os lançamentos da Tenda caíram 90% no terceiro trimestre na comparação com o mesmo período de 2010. A queda acabou refletindo nos resultados operacionais totais do grupo, que, no período, apresentou redução de 15% nos lançamentos gerais.

    A partir de agora também, a Tenda só lançará empreendimentos em três estados: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

    exame.abril.com.br/negocios/empresas/noticias/gafisa-reavalia-2-000-vendas-pendentes-da-tenda?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

    0
  • Rodrigo 24 de novembro de 2011 at 18:34

    Projeto da Vila Olímpica.

    Na década de 1970, quando o empreendedor Carlos Fernando de Carvalho fechou todas as filiais de sua empresa pelo país e começou a comprar terrenos na então quase desabitada Barra da Tijuca, ele imaginou que o bairro um dia iria se tornar um novo centro metropolitano do Rio. Quarenta anos depois, finalmente vê sua aposta chegar bem próxima à plena realidade. Parceiro da Prefeitura na construção da Vila dos Atletas por meio da companhia em que é sócio, o octogenário investidor comemora o choque de infraestrutura que a região próxima ao Riocentro e ao Autódromo de Jacarepaguá passa para os Jogos Olímpicos de 2016.

    h ttp://www.youtube.com/user/riocidadeolimpica?feature=chclk#p/u/0/jLoh6drcSUw

    0
  • xyz 24 de novembro de 2011 at 18:40

    “Crédito, crédito e crédito: os três segredos do governo para enfrentar a crise”

    ht tp://g1.globo.com/platb/thaisheredia/2011/11/24/credito-credito-e-credito-os-tres-segredos-do-governo-para-enfrentar-a-crise/

    Este governo tornou o país viciado em crédito.
    CUIDADO COM A OVERDOSE!!!!

    0
  • Anonymous 24 de novembro de 2011 at 18:47

    Conforme previsto no BLOG, alguns imóveis estão sendo comprados com dinheiro de corrupção. Segue noticia sobre cidade no interior de SP.

    eptv . globo . com/piracicaba/noticias/NOT,1,5,380611,Megaoperacao+embarga+50+imoveis+comprados+com+valores+superfaturados . aspx

    A megaoperação realizada pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) e o Ministério Público de cinco cidades do interior embargou 50 imóveis que foram comprados por integrantes do grupo denunciado. A Justiça concedeu mandados de busca e apreensão que resultaram na prisão de 12 pessoas, entre elas a mulher prefeito de Limeira, Constância Félix, nesta quinta-feira (24). Um imóvel em Piracicaba faz parte da lista. Há ainda imóveis em São Carlos, Limeira, Mogi Migim e São Paulo.

    De acordo com a investigação, os imóveis eram comprados em nome de pessoas próximas (“laranjas”), com valores acima do mercado, totalizando R$ 22 milhões. O grupo é investigado pelos promotores por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, sonegação fiscal, furto qualificado e falsidade ideológica.

    0
    • Ader 24 de novembro de 2011 at 19:55

      Até onde me lembro, fui o primeiro a postar sobre o assunto fazendo uma pergunta ao MRK. Em conversas com amigos surgiu essa informação, pois na época morava em Manaus (2008 a 2010) e era inacreditável ver a cidade mudar de casebres de madeira à verticalização com apartamentos de valores inacessíveis para um ser humano normal poder pagar, lá rola muita grana, muita corrupção mesmo, é o terceiro PIB do país. Hoje moro em BH, aqui também está tudo muito caro mas acho que a corrupção é bem menor.

      0
  • manuelao 24 de novembro de 2011 at 19:59

    Uma duvida cruel me domina:

    Se o governo tenta de todas as formas controlar a inflacao descontrolada, pq o aumento desenfreado do preco dos imoveis (inflacao?!!) ele nao faz nada para conter?

    Pq?

    Pq?

    0
    • RT 24 de novembro de 2011 at 20:07

      Tenho duas observações sobre essa questão:

      1) Oficialmente, nem o governo nem ninguém reconhece que haja qualquer coisa de errado com os preços. Somente se repete a ladainha “o setor está passando por um boom, o que é ótimo para o país”, como se fosse um crescimento normal e sustentável;

      2) Para agir no sentido de conter essa disparada, o governo desagradaria vários empresários ligados direta ou indiretamente à construção civil… sem contar que o suposto “boom” gera empregos, mesmo que temporários, e mesmo que num ritmo insustentável…

      0
    • Ader 24 de novembro de 2011 at 20:20

      Acredito que o governo não faz nada para conter, pois já passou e muito da hora de ter feito alguma coisa. Agora está empurrando com a barriga até o momento de não dar mais para segurar… PLOC!

      0
  • xyz 24 de novembro de 2011 at 20:12

    O governo já abandonou a meta de inflação. Hoje a meta é crescimento, mesmo que seja na base do crédito e da dívida.

    Este governo depende mais da bolha do que um viciado depende do crack.
    Tudo, tudo, tudo este governo vai fazer para manter a bolha, pois a bolha é quem convence otários a pagar preços irreais na esperança de preços sempre crescentes e com isso aquece o mercado de trabalho da construção civil e repercute em toda a economia.

    Cada dia que passar vamos ver o governo tomando medidas cada vez mais irresponsáveis para manter a bolha.

    0
    • Ze_das_Couves 24 de novembro de 2011 at 20:23

      Hj ainda eh a fase de como obter credito… daqui a pouco vai comecar a pipocar propaganda de como obter creditos para pagar outros antigos. Depois progride para como pagar seus debitos e mais alem como limpar o seu nome 😉

      0
      • Ader 24 de novembro de 2011 at 20:26

        Ainda bem que estou fora dessa bola de neve, pena que acho que vai sobrar para todo mundo…

        0
    • Leandro 24 de novembro de 2011 at 22:29

      Um problema é que com a inflação a pleno vapor, as greves estão pipocando pra tudo quanto é lado. Servidor público que ganha 10.000,00 (em tese um ótimo salário) está fazendo greve porque o dinheiro já não está valendo tanto. O Governo também não pode simplesmente deixar a inflação voltar. Creio que essa queda dos juros é somente momentânea. Uma hora o Governo será obrigado a aumentar os juros!

      0
    • Carlos Eduardo 25 de novembro de 2011 at 10:42

      O que dá raiva ver é o panaca ganhando Honoris Causa na frança por conta de toda essa mentira!

      fala de combater deficit de moradias, e oque vemos são apartamentos vazios, e as favelas continuam as mesmas!

      nada mudou! quem está crescendo nesse pais ? o IDH que não é…

      esse governo hipocrita deve ser o mais corrupto e manipulador que já tivemos !!!

      0
  • thiago 24 de novembro de 2011 at 21:38

    Trabalho na CEF e a queda de captação da poupança e consequentemente do crédito imobiliário, passou de incômodo à séria preocupação. O gerente está pedindo monitoramento diário do saldo e a superintendência já convocou campanhas que jamais vi em 06 anos no banco.
    Fiquem atentos para os detalhes: A CEF vai começar a sortear de IPODS à casas para quem simplesmente depositar e manter a partir de R$ 200,00 por mais de 30 dias na conta. A CEF tem mais de 1/3 do saldo de poupança do mercado financeiro e nunca precisou atrair ninguém com premiações.
    Falou-se que o governo se preocuparia a partir de 2013, mas tudo indica que em 2012 começa a faltar recurso “barato” para os bancos. É bom lembrar que não foi só a oferta de crédito que atraiu a pseudo classe média, mas a redução dos juros nos financiamentos. Quanto maior os juros, menor a capacidade de financiamento e, portanto, menos vendas….preço menor…e o final já sabemos.

    0
    • Lucas 24 de novembro de 2011 at 22:31

      Importante informação thiago.
      Toda hora pipoca uma coisa prevista aqui no blog!
      A pressão está vindo de todos os lados.

      0
    • aiwww 24 de novembro de 2011 at 23:53

      Thiago, fui funcionário concursado da CEF até o ano passado (pedi demissão para ganhar 4,6x no mercado privado) … lembro que no início de 2010 o BNDES emprestou alguns bilhões à CEF porque havia problema de liquidez … a CEF vai mal das pernas há tempos, mas o governo vem transferindo dinheiro via programas sociais e BNDES … como diz um amigo meu que entrou no mesmo concurso e está na CEF até hoje, esta empresa é um dinossauro manco 🙂 … imagine a cena … a CEF é o antro da politicagem … seu gerente está sendo prudente mas o banco não possui controles eficientes … não me espantaria saber que a CEF não sabe ao certo quanto há disponível na poupança …

      0
      • xyz 25 de novembro de 2011 at 08:56

        É isso aí. Não vai faltar dinheiro enquanto esse governo puder retirar dinheiro da dívida pública para repassar à CEF e ao BNDES.O pior é que escondem essa dívida debaixo do tapete com o nome de “dívida líquida”, que é a dívida divulgada, ou seja, o que é repassado ao BNDES e CEF sai da dívida líquida – é um primor de contabilidade.

        Quando o mercado começar a “inguiar” os títulos do governo não duvido que passarão a imprimir dinheiro de forma mais direta.

        0
        • Ze_Das_Couves 25 de novembro de 2011 at 09:57

          E viva o fluxo de dinheiro barato para os amigos do governo 😉

          Mas tudo em qualquer lugar do mundo eh assim… quando os amigos do governo precisam de dinheiro ele eh “criado” de alguma forma. Seja por emissao de titulos ou de dinheiro que no final acaba gerando um resultado parecido.

          O governo ate onde sei eh socio de muita coisa ai no brasil. Tem dinheiro do governo enterrado em Telecom(OI/Telemar tem 30bi de divida com o BNDES) ate em fabrica de aviao. Tudo investimento “estrategico” certo!?

          0
          • Carlos Eduardo 25 de novembro de 2011 at 10:26

            O PT sempre avisou que pretendia estatizar as empresas !!!

            só não falou que ia controlar e administrar para que fossem sustentaveis e rentaveis !!!

            0
  • Capital H 27 de novembro de 2011 at 21:12

    Ridicularização dos corretores de imóveis por um jornalista.

    0
  • carlos 27 de novembro de 2011 at 22:34

    Alugueis comecam a cair no Abc regiao metropolitana de sao paulo, vejam o link.
    Detalhe o valor regrediu p o que era cobrado ha quatro anos atras sem ser observado a inflacao.

    http://www.dgabc.com.br/canais/mobile/Noticia.aspx?idNoticia=5928043

    0
  • Marvin 28 de novembro de 2011 at 09:03

    Sempre pesei que um negócio bom (num sentido amplo), é aquele em que as duas partes (tanto o vendedor quanto o comprador) saem ganhando: você precisa comprar algo, e o vendedor lhe ofereço o produto desejado a um preço razoável, que você pode pagar e o vendedor obtem o seu merecido lucro; porém, no ramo imobiliário, só quem ganha atualmente são as construtoras, os bancos, o governo (através da Caixa), os corretores e até os cartórios de registro de imóveis (que ganham fábulas só para manter uma folha de papel), as prefeituras com a cobrança do ITBI e depois, o IPTU, as administradoras de condomínio, os meios de comunicação (com publicidade)… enfim, muita gente, EXCETO o comprador, que tem que sustentar todo esse esquema… Antes, qualquer trabalhador (meu pai era peão de fábrica com 1º grau incompleto) conseguia juntar dinheiro, comprar um terreninho, construir uma casa aqui, outra ali, e hoje, aposentado, tem vários imóveis de aluguel (detalhe importante, e intrigante: ele conseguiu isso nas décadas de 60, 70 e 80, na época de uma ditadura supostamente de direita…) Hoje, numa suposta democracia de esquerda, vemos neguinho com faculdade tendo que financiar em 30 anos uma caixa de sapato para morar… Até quanto o governo e os interessados nesse esquema conseguirão manter a coisa funcionando??? até porque, aqueles que se metem nesses financiamentos, praticamente ficam fora do mercado por 30 anos, sem poder consumir outros bens, ou, no mínimo, com o poder aquisitivo bem reduzido nesse período (pelo menos aqueles que conseguem quitar sem perder o bem)….

    0
    • Cleyton 28 de novembro de 2011 at 15:36

      Marvin, é verdade, tenho a mesma impressão, só uma dúvida, pergunte pro seu pai se ele faria a mesma coisa hoje, com o crea mordendo, a prefeitura exigindo INSS do pedreiro (na maioria dos casos provavelmente o próprio dono do terreno que meteu o peito e construiu sozinho), averbação e o escambau, correção de escrituras dos terrenos que antigamente era feito literalmente nas coxas, etc. Não me entenda mal, é que ouço pessoas que ainda dizem ser um bom negócio e conheço pelo menos mais seis pessoas que estão tendo toda a sorte de problemas com a prefeitura, cartório, crea e justiça.

      Uma possibilidade que imaginei é o cara pegar o terreno enrolado em dívidas a preço de banana e conseguir uma “anistia” pagando algumas taxas e daí ser obrigado a contruir pra poder revender, ou ficar com ele enrolado mesmo e alugar (conheço um senhor aqui perto que faz isso), mas nos dois casos sem pagar o valor “real” do terreno.

      0
      • Marvin 29 de novembro de 2011 at 08:22

        Cleyton,

        ele ainda compra e vende imóveis, mas ele tem coragem, pois vários negócios que ele fez eu jamais faria, como por exemplo comprar imóveis via contrato de gaveta… Tem que ter muita coragem para fazer este tipo de negócio…
        Meu irmão não é do ramo, mas também está construindo, e, sem dúvida, hoje há muitos empecílios para construir (ora é a lei de zoneamento, ora tem uma nascente, um córrego muito próximo do terreno, galeria de água, etc), mas, mesmo construindo tudo de acordo com a lei, ainda é vantajoso (pelo menos enquanto os preços estiverem nesse patamar e houver gente comprando…). Aliás, no patamar de preços atuais, acho até que se cair pela metade, ainda vai ser vantajoso construir, pois os materiais de construção não subiram nem 1/3 do que subiu o preço dos imóveis (o único senão vai para o custo da mão de obra: tem pedreiro querendo ganhar mais que engenheiro, mas logo eles vão se f… , basta a bolha estourar, e vai haver um monte de pedreiro trabalhando para ganhar 50 conto por dia, mais um cafezinho e um pão com manteiga)

        0
        • Cleyton 29 de novembro de 2011 at 15:22

          Ah é verdade, pedreiro tá terrível mesmo, quem sabe quando os preços caírem e tiver mão de obra abundante as perdas se compensem e ainda continue sendo um bom negócio.

          De qualquer forma tem que ter tempo pra ficar acompanhando a obra porque se deixar largado na mão dos pedreiros fica uma porcaria, então derrepente pode ser bom pra quem tem perfil, o pessoal que conheço que está com problemas provavelmente não tem, incluindo eu!

          Grato!

          0
  • Amauri Nunes 7 de dezembro de 2011 at 22:45

    DOMINGO, 27/11/2011 – Plantão na Marquês de Valença, 52 – Mooca

    Empreendimento: Unità Mooca

    Sorteio às 8:45, plantão aberto as 9hs –
    Eu, primeiro da vez, deu 10,11,12,13,14,15,16,17,18,19,20,21 hs morri na vez!

    Essa passagem vai ficar na história. Foi muito engraçado. PTQ.

    🙂

    0