Venda de imóveis novos residenciais recua 24% em SP no ano – Folha.com

Você pode gostar...

Comments
  • Tiago 14 de outubro de 2011 at 14:11

    E os preços continuar a subir…

    Ou seja não há déficit nenhum!

    0
  • observador 14 de outubro de 2011 at 14:33

    Para o meu clone: não guardo qualquer rancor amigo, ou amiga. Seja bem vindo “não tão observador”.

    0
    • observador 14 de outubro de 2011 at 14:41

      valeu meu clone. E aí, fechou aquele negócio?

      0
      • observador 14 de outubro de 2011 at 14:41

        tá fechado. Casa nova, vida nova. Agora não vou precisar mais perder tempo falando de bola imobiliária.. já tenho onde morar.. uhhuuuu!!!

        0
    • me 14 de outubro de 2011 at 15:15

      ???

      0
      • Hik 15 de outubro de 2011 at 00:19

        Deve ser um “observador” da própria imagem no espelho delirando loucamente.

        0
  • Carcará 14 de outubro de 2011 at 14:37

    Caros,
    estou postando um texto, no todo bastante interessante, pois mostra o preço que se paga ao se apostar em riqueza baseada em credito; no particular, mostra o quanto pode despencar o preço inflado de um imóvel depois da crise.

    O texto é do jornal inglês the Guardian. É um pouco longo, mas vale a pena. Vejam como um apartamento que nos tempos dourados era vendido por $ 130.000 e hoje está sendo negociado por menos de 1/3 desse valor, ou seja uns $ 40.000,00. Esse trecho estou antecipando antes da reportagem propriamente dita.

    “According to Martins, apartments in the town centre are being repossessed and sold at auctions now taking place almost weekly: “Flats that a few years ago would have cost €130,000 are selling for less than a third of that. People who have money are going to do very well out of this. I know a man came from Switzerland specially for one auction here.”

    Spain and Portugal: ‘the worst will be next year. Then it will really hit’
    Jon Henley is travelling through Portugal, Spain, Italy and Greece to hear the human stories behind the European debt crisis. On the sunny Iberian peninsula there is a feeling that as bad as things are, they’re not yet as awful as they will become

    A protester holds a banner that reads ‘No to job insecurity’ in front of the finance ministry in Lisbon. Photograph: Rafael Marchante/Reuters
    It’s not obvious, that’s the first thing. Maybe it’s because of the weather: Spain and Portugal are enjoying an Indian summer of quite improbable splendour, with clear, powder-blue skies, hot as June. As Juan Darriba put it in Seville: “It’s hard to be down when you’re blessed with this.”
    Partly, too, it’s the fact that here so much of life is on the street. “We can’t stay indoors,” said Encarnacion Codeseda, in Huelva. “It’s impossible for us. We have to be out. It’s the way we are. And once you’re out, well, you see friends. You’re cheerful.”
    Some of it is down to pride. And because, as bad as things are, they could be worse. “The worst will be next year,” predicted Ana Lobo, in Lisbon. “Now, it’s almost still summer. In January, when it’s cold and dark, electricity, public transport, bread, will go up. Taxes too, a lot. And pensions and benefits will be cut. Then it’ll really hit.”
    Whatever the explanation, it is not immediately apparent, on a trip through the Iberian peninsula this past week, that the worst economic crisis since the second world war has got a grip. Cafe terraces are well occupied. Some shops might be boarded up but many are open and doing business. Life continues.
    As always in such times people are doing fine – until one day, suddenly, they’re not, any more. Then there’s no shortage of stories.
    Luis Alves, a 30-year-old freelance graphic artist in Lisbon, survives only because he works for clients outside Portugal. “The market here has died. Banks aren’t lending. Everything, economically and politically, is blocked.” Of all his social circle, he said, only two had proper job contracts.
    Elsewhere, people speak of friends holding down two, even three part-time jobs. There is resentment, too, at the fragility of what little work is available: a system in Portugal known as recibos verdes, or green receipts, entails workers – hundreds of thousands now – being hired on temporary contracts which bring no social security or holidays.
    In Seville Darriba, also 30, has two diplomas, in international trade and industrial safety, but beyond stints at a Citroën plant and the docks in Galicia, he has only ever worked as a waiter. “Even then they cheat you. They declare only half or a third of the hours you work so they don’t have to pay full social security. It means if you’re out of work you can’t claim benefits because you haven’t paid enough in.”
    Many predict an exodus. In Huelva, where 45% of all under-25s are without a job, Dani Martin, a trainee chef, is barely 20 but already resigned to leaving. “I won’t find work round here,” he said. He had worked in a cafe this summer but takings at Huelva’s bars were down a third and the owner refused to pay him. “I’ve worked abroad before and I’ll have to leave Huelva, probably Spain, to find a proper job.”
    The crunch is hardest, pensioners readily volunteer, for younger generations who grew up on cheap, seemingly limitless credit, with the impression that Spain’s and Portugal’s comparatively low wages (Portugal’s minimum wage is less than €500, or £438, a month) did not necessarily mean an obstacle to smart cars or spanking new villas.
    Those who remember the Portugal of the past take a more sanguine view. “We grew up in a different age,” said Helena Martins, in Loule, on the Algarve. “Portugal was poor then. We know how to live simply. Lots of older people around here, especially in the countryside, still grow some of their own food. We shop sparingly and live on little. The young ones aren’t the same. They don’t know how to live within their means.”
    According to Martins, apartments in the town centre are being repossessed and sold at auctions now taking place almost weekly: “Flats that a few years ago would have cost €130,000 are selling for less than a third of that. People who have money are going to do very well out of this. I know a man came from Switzerland specially for one auction here.”
    But there is real hardship. Lisbon’s Banco Alimentar, or food bank, the largest in Europe, distributes 12,000 tonnes of food a year to about 250 local charities, helping to feed up to 160,000 people last year. The number has been rising sharply over the past two years, said José Almeida, a retired mining engineer who helps run it. Those asking for food, he said, “are not the ones you’d usually expect”. He added: “Couples who both had good jobs, and a high standard of living … then one’s made redundant and they can’t keep up the cars, the mortgage, the school. They turn to charity.” Last year lawyers, engineers, even a judge sought help, he said.
    So who do people blame? There’s anger, plainly, at the banks.
    “They threw money at people,” said Martins. “They gave the impression it was Christmas every day.”
    In Spain, the property developers, financial institutions and politicians who fuelled the country’s wild property boom, come in for a beating. There is resentment, too, at a state apparatus seen as over-large, inflexible, outdated and too hung up on paperwork, the last a constant complaint.
    “There seems to be,” said Renny Jackson, an English teacher, “an almost complete mismatch between much of what the state does and what people actually need. To be legally self-employed in Spain costs €250 a month, more than a third of what I earn. So many people are driven to the black economy.”
    Politicians of all hues are beyond redemption. “So much waste, so much corruption,” said Javier Dale, a Spanish journalist. “Every election, millions and millions are wasted in towns around Spain because new town councils call a halt to expensive projects already started by their predecessors and start new ones of their own.”
    Elected leaders in both countries, people say, failed dismally to react to the global processes of the past decade (globalisation, and trade with east Europe, and Asia) that undercut Spain and Portugal’s economic advantage in Europe – low wages. Too much EU money rather than being invested productively went on vast vanity projects.
    “We have two motorways connecting Lisbon to Porto, but zero investment in technology,” said Manuel Lourenco, a Portuguese businessman, “We have a lot of sports facilities, but we did not spend on education. We have a huge increase in the service sector, but we’ve destroyed our manufacturing sector. Nothing can be done now – the money was spent.”
    It is the recognition of the need for “an entirely new way, a properly participative way, of doing politics”, and, in Alves’s words, “a system that works for the good of all of the people, not just the profit of some”, that is helping the growth of the region’s Indignados movement. But there’s a feeling, too, certainly in Spain, that it is not entirely the government’s fault.
    Darriba said: “In the north of Europe. I think people understand that if they don’t pay their taxes then the health service, education, everything will suffer, for everyone. Here, I don’t know. You see all this waste, this uselessness, and you think, why should I give my money to that? So here, you know, if you don’t pay all your taxes, you’re a clever guy. And I think there are a lot of clever guys in Spain.”

    http://www.guardian.co.uk/news/blog

    0
    • Luiz 14 de outubro de 2011 at 15:26

      achei exagerado isto tudo descrito.
      o cara pinçou só as tragédias
      mas serve de alerta se deixarem fazer parecer que “todo dia é natal”

      0
      • Carcará 14 de outubro de 2011 at 16:16

        Verdade,
        Luiz. É que o “todo dia é natal” AGENTE VÊ POR AQUI!!

        aBS.

        0
        • Vailton 15 de outubro de 2011 at 13:45

          Excelente texto ! Muito bom mesmo !

          0
      • Roberto Cesar 17 de outubro de 2011 at 08:36

        Oi Luiz,

        Não é exagero não, a coisa ta MUITO feia.
        E o pior é que só tende a piorar.

        0
    • Murdoch 14 de outubro de 2011 at 16:43

      O mais sinistro é quando ele fala: a gente tem 2 estradas ligando Lisboa a Portugal, mas não tem tecnologia.
      A gente, aqui no BR, tá torrando tudo o que tem e o que não tem em “infra” pra Copa e Olimpíadas. Uma hora essa conta terá que ser paga… Pior, a gente nem tem como pensar em tecnologia ainda, pq nem infra tem, ou seja, estamos alguns estágios atrás de Espanha e Portugal.

      0
    • Roberto Cesar 17 de outubro de 2011 at 08:47

      Carcará,

      na realidade riqueza a base de crédito (ou dívida) não é riqueza alguma, é uma pura ilusão. Nos EUA e Europa a ilusão acabou, no Brasil e na China será em breve.

      O momento econômico mundial é bastante delicado. As notícias que vem da mídia convencional são esparsas, disconexas, e não dão ao leitor/espectador a real dimensão da situação. Porém, se você começar a buscar informações de diversas fontes e compilá-las, o panorama muda completamente.

      Eu to vendo muita notícia alarmante da Europa, varios bancos tendo nota rebaixada, varios países tendo nota rebaixada, a nacionalização do banco DIEXA na frança/bélgica, o calote da Grécia que ta sendo adiado a mais de um ano, isso tudo vai explodir um dia, e parece que não vai demorar muito não.

      Realmente, chegou a hora dos EUA e Europa pagarem a conta da farra desses últimos 30 anos.

      0
  • Duda 14 de outubro de 2011 at 14:47

    Agosto foi um dos meses mais fracos de 2010. Por isso esta “melhoría” comparando com o ano passado. Porém, o acomulado dos ultimos 12 meses, contiuna caindo, e a tendencia da curva não mente.

    0
    • Duda 14 de outubro de 2011 at 14:52

      Só para lembrar: desde Abril de 2010 (melhor mes da historia) com 40700 imoveis novos vendidos, o desempenho do acumulado nos ultimos 12 meses vem caindo. Atualmente está em 30.200 aproximadamente. No site do Secovi ainda não apareceu Agosto 2011. Já são 17 meses de queda nas vendas.

      0
  • Mahmoud 14 de outubro de 2011 at 15:09

    Sinceramente não sei quem continua comprando imóveis. Não conheço um. Talvez grandes herdeiros, corruptos, lavadores de dinheiro ou investidores que cagam dinheiro. Ontem estava almoçando num restaurante e ao lado havia uma mesa com vários advogados. Estavam comentando que é inviável comprar imóvel a esse preço, que o melhor agora é fazer poupança.

    Minha aposta é que o negócio ficará feio mais para 2013. Houve muitos lançamentos em 2010 que serão entregues em 2012 e 2013, e boa parte na mão de investidores que terão que descarregar essas bombas no mercado.

    0
    • Duda 14 de outubro de 2011 at 15:34

      Ou tal vez os dados do secovi não sejam tão bons assim… isso so poderemos saber no futuro…

      0
    • xyz 14 de outubro de 2011 at 16:28

      Você apontou um nicho muito importante “corruptos”!

      Não tenho dúvida que a moral sofreu um retrocesso brutal nestes 9 anos deste governo.

      E não são só os agentes públicos “diretos”, mas existem corrutos nos sindicatos (de patrões e empregados) e ongs e grandes empresas, desviando dinheiro PÚBLICO.

      0
    • Muca Cg Muita Treta 14 de outubro de 2011 at 18:14

      Pois ontem eu conversei com um representante comercial de suplementos alimentares, que estava apavorado para comprar um imóvel logo. Não sei quem o influenciou, mas ele dizia querer adquirir uma casa logo, porque até 2014 só ia aumentar. Tentei explicar que o ponto de vista dele estava um pouco equivocado, mas o cara era muito determinado. Desencanei. O cérebro do rapaz deve ter sido afetado pelos suplementos que vende e toma.

      0
    • Roberto Cesar 17 de outubro de 2011 at 08:31

      Mahmoud,

      Não sei a quantas anda as vendas de imóveis na planta mas essa é a única opção que eu vejo viável hoje (viável hoje, mas não sustentável).

      O truque das construtoras é sempre uma prestação pequena até a entrega das chaves, mas tem dois pontos ai.
      1. O valor residual é corrigido pelo CUB, ou seja, quando chegar a hora de financiar o saldo será bem mais alto.
      2. Tem tambem as famigeradas intermediárias que costumam ser bem pesadas.

      Se o comprador olhar só pra prestação (o que muita gente faz) ainda vai ter mercado por algum tempo, mas não muito mais.

      0
  • Jonathas 14 de outubro de 2011 at 15:36

    A matéria do O Globo é que está piada, Bolha. Segue abaixo.

    Algumas observações:

    – VSO ridiculamente baixo, de 13%. A EZTEC, a construtora melhor administrada, tem VSO de 51%.
    – 80% das unidades vendidas no período foram lançamentos.
    – Metragem Baixa é preferido.
    – O estoque é de 14.600 unidades (em BSB, existem 19 mil!!!!!!)

    Vendas de imóveis novos e lançamentos crescem em SP em agosto
    oglobo.globo.com/economia/mat/2011/10/14/vendas-de-imoveis-novos-lancamentos-crescem-em-sp-em-agosto-925580328.asp#ixzz1amZGuRTg

    SÃO PAULO, 14 de outubro (Reuters) – As vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo cresceram 36,4 por cento em agosto na comparação com o mesmo mês em 2010, somando 2.234 unidades, informou nesta sexta-feira o sindicato que representa o setor na capital paulista.
    Já em relação a julho, a comercialização recuou 17,9 por cento e a velocidade de vendas -medida pela relação de venda sobre oferta- caiu de 16,9 para 13,3 por cento.
    Nos oito meses até agosto, o setor também registrou desaceleração, com as vendas em São Paulo acumulando queda de 23,8 por cento ante igual intervalo do ano passado, para um total de 16.636 unidades. Apesar do resultado negativo, o Secovi assinala, em nota, que essa diferença chegou a ser de 49,6 por cento no primeiro trimestre de 2011.
    Do total de unidades comercializadas em agosto, 80 por cento estavam em período de lançamento -nos primeiros seis meses desde o momento em que foram ofertadas.
    O segmento de dois dormitórios foi responsável por 67,8 por cento das vendas no período, seguido pelos imóveis de três dormitórios, com 21 por cento.
    LANÇAMENTOS
    Em agosto, foram lançadas 3.687 unidades residenciais na capital paulista, crescimento de 35 por cento contra julho e mais que o dobro do volume registrado um ano antes, conforme dados da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp).
    “O processo de reposição da oferta de imóveis na cidade se mantém, com o volume lançado no mês excedendo as vendas em 1.453 unidades”, afirma o Secovi, acrescentando que o estoque está em torno de 14.600 unidades em oferta.
    No acumulado de 2011 até agosto, os lançamentos somaram 20.411 imóveis, alta anual de 14 por cento. Com isso, a entidade reiterou a estimativa de fechar o ano com 38 mil unidades lançadas.

    0
    • Ader 14 de outubro de 2011 at 15:49

      A Globo ou O Globo são totalmente despresíveis para mim… Não confio de maneira alguma…

      0
      • xyz 14 de outubro de 2011 at 16:50

        Não compartilho desse seu sentimento quanto à Globo.

        Todos os meios de comunicação são tendenciosos.

        Vi a globo eleger presidente e destituí-lo do cargo.

        Minha geração e talvez a sua também, foi ensinada, nas escolas e universidades, a odiar a Globo, em nome de uma ideologia ridícula, que hoje domina até as mentes mais brilhantes da juventude brasileira, que hoje ingressam nos cursos mais concorridos das universidades públicas, MAS as coisas mudam.

        Hoje, para mim, a Globo e a BAND (em termos de rede nacional de televisão) são a última trincheira da moral e da verdade (nem tanto verdade, nem tanto moral, mas o possível).

        Dá nojo ouvir Cultura, sbt, record.

        0
        • Ader 15 de outubro de 2011 at 17:14

          Tudo bem, somos adultos e cada qual sabe o que é e o que não é bom para si…

          0
        • Pesquisador 17 de outubro de 2011 at 01:23

          aré acho que eles tem algum compromisso c a verdade sim, quando nao mexem com gente grauda e poderosa demais…

          mas ” ultima trincheira da moral” voce pegou mto pesado… há mto censura por aí amigo….

          o próprio kajuru foi demitido da band pq mostrou ao vivo em uma festa do aecio neves nao lembro bem aonde em q os vips entravam pela entrada exclusiva de deficientes enquanto os deficientes tinham q esperar….

          enquanto a globo nao divulga todas as visoes sobre a economia atual e sempre gostou de exaltar uns em detrimento de outros

          0
  • MrK 14 de outubro de 2011 at 16:31

    A matemática pura e simples por trás dessa noticia

    vamos assumir que 2010 foi um ano muito bom e vendeu 90% do que se lancou na planta (precisamos de assumir algo como base pra fazer as contas), pois bem, usando os dados do secovi:

    Agosto 2010 – Agosto 2011
    Lancou 100 – 210 (lancou mais que o dobro)
    Vendeu 90 – 122 (+36% vendas)

    Acumulado 2010 – Acumulado 2011
    Lancou 100 – 114 (+14%)
    Vendeu 90 – 66 (-26%)

    em ambos os casos (agosto ou acumulado) vemos que os estoques ficam perto de 50% (algo extremamente alto), mesmo se variarmos um pouco a base a coisa fica parecida, agora, se isso são os imoveis novos (os que mais vendem, em função de atrair a demanda especulativa), imaginem os USADOS !!!!

    0
    • Duda 14 de outubro de 2011 at 16:40

      Mrk, um tempo atras e tinha postado que iam fazer propaganda acima das vendas de agosto de 2011, pelo simples motivo que agosto de 2010 foi o segundo pior mes daquele ano (a metade das vendas dum mes normal, pode ver no site do secovi SP). Dito e feito: agora falam da recuperação das vendas com respeito a agosto de 2010… é uma manobra tão infantil e previsivel que chega dar pena. Mas deixa, eles festejar… quero ver como se viram em setembro. Já temos 17 meses seguidos de quedas nas vendas. O acumulado de 12 meses vem caindo desde abril de 2010. Abs

      0
  • MrK 14 de outubro de 2011 at 16:36

    é impressionante a criatividade desse povo de distorcer noticias ruins e fazer parecerem boas…

    como demostrei no post acima (da matematica), eles aumentaram os lancamentos em mais de 100%, mas só venderam mais 36%, só que pra chamada da reportagem eles ignoram o primeiro fato e só comentam os 36%, qualquer desavisado vai achar que está vendendo mais, quando na verdade está vendendo MENOS!!!

    0
  • Fausto 14 de outubro de 2011 at 17:02

    Como preciso morar em algum lugar, estou em busca de casas há algum tempo. Casas, não apartamentos. Tenho pais idosos, cães e gatos, logo preciso de espaço. Portanto, meio que passo longe da insanidade dos lançamentos, já que definitivamente não quero “Galeria Gourmet”. Já faço olho torto até para casas de vila. Nem as geminadas me interessam.

    Mesmo assim até então com o dinheiro que possuo só podia comprar casas em locais bem afastados e desvalorizados, como Sepetiba. Mas talvez as coisas estejam melhorando. Entrei em contato com diversos proprietários que informaram:
    1 – Estarem dispostos a negociar o preço, por suas casas já estarem vazias há muito tempo e/ou por precisarem de dinheiro (uns dois citaram negociar dívidas).
    2 – Receber constantes ligações de corretores. Inclusive sempre me confundem como corretor, “por eu falar direitinho”. Ou seja, bananense não sabe sequer falar ao telefone e pelo visto os corretores tem se agitado bastante. Concorrência maior ou sinal de desespero?

    Por último, vejam um imóvel que era 170 mil e agora custa 130 mil. Pela localização, acho que não vale nem 100.
    http://www.bomnegocio.com/rio_de_janeiro/grande_rio_de_janeiro/casa_nova_linear_b_adriana_8510368.htm?ca=21_s

    0
    • Annibal 14 de outubro de 2011 at 19:59

      Putz.. q favelão… tá caro .pra CARAMBA….

      0
      • Wendell 14 de outubro de 2011 at 21:46

        Sepetiba! E pensar que lá já foi um bom lugar…

        Saudosismos a parte, esse favelão aí (Bairro Adriana, assim como os bairros Amanda, Andrea e um monte de outros nomes de mulheres que o empreiteiro já deve ter pegado) fica na Estr. da Posse, no Rio. Pra quem não conhece, essa estrada é cheia de favelinhas, a uns ~55km de distância do centro do Rio, o que significa que em menos de 1h30 não se chega lá, pelo menos em dias normais.

        Pois bem. Há pouco tempo, construíram um shopping marromenos por lá, o West Shopping. Desde então, o slogan das construtoras para os empreendimentos na Estr. da Posse é: “Bairro [Insira nome de mulher aqui]: Perto de tudo!”.

        É de morrer de rir. Fora isso, os preços são absurdos. Já vi uma casa de 2 quartos sendo vendida a 300.000 (!!!). É muita falta de noção. Entretanto, por ser uma região de indústrias (a zona oeste do Rio, com exceção da Barra, vem se tornando um polo siderúrgico/portuário de grandes proporções), muitos “peões” que começaram a adquirir seus primeiros 4 dígitos de salários se endividam todos em 30 anos pra comprar essas casas nesses bairros. Terrível.

        0
        • Wendell 14 de outubro de 2011 at 21:53

          Pra vocês terem uma ideia:

          www. zap. com. br/imoveis/oferta/Casa-Padrao-2-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-CAMPO-GRANDE-/ID-2416025 | R$290.000

          www. zap. com. br/imoveis/oferta/Casa-Padrao-3-quartos-venda-RIO-DE-JANEIRO-CAMPO-GRANDE-00/ID-2271085 | R$280.000 – ESSA VEM COM PISCINA!!!! Sério, olhem a piscina.

          0
          • Fausto 14 de outubro de 2011 at 22:35

            Lembrando que a grande maioria desses imóveis possuem apenas documentação de posse. Sem RGI, sem nada. Tanto que não aceitam financiamento (vide descrição do anúncio).

            Sim, eles pedem preços acima de 200 mil para casas de dois quartos, caindo aos pedaços, na metade da construção, em favela, longe do Centro do RJ… e APENAS A VISTA!

            Há pouco tempo atrás(menos de um ano), mal tinha banda larga na Estrada da Posse! O maior sufoco pra Net chegar lá!

            0
            • Hik 15 de outubro de 2011 at 00:44

              Existe algum ser procarionte que tenha comprado um destes cortiços?

              Se existe merece um prêmio.

              0
              • Wendell 15 de outubro de 2011 at 00:51

                Meu cunhado.

                0
          • Fausto 14 de outubro de 2011 at 23:28

            Mais exemplos da loucura de Campo Grande e suas casas usadas podres que só aceitam pagamento a vista.

            185 mil -> bomnegocio.com/rio_de_janeiro/grande_rio_de_janeiro/casa_duplex_no_carolina_8500719.htm?ca=21_s
            160 mil -> bomnegocio.com/rio_de_janeiro/grande_rio_de_janeiro/casa_com_terra_o_em_campo_grande_8512448.htm?ca=21_s
            140 mil -> bomnegocio.com/rio_de_janeiro/grande_rio_de_janeiro/casa_com_terra_o_no_pedregoso_8501241.htm?ca=21_s

            E “lindas casas” junto à Avenida Brasil por apenas 95 mil:
            bomnegocio.com/rio_de_janeiro/grande_rio_de_janeiro/lindas_casas_geminadas_8508592.htm?ca=21_s

            0
          • Carlos Eduardo 15 de outubro de 2011 at 01:17

            Zuado!!

            vai gostar de ser favelado assimmm

            afffffff

            0
    • Hik 15 de outubro de 2011 at 00:42

      Meu Deus, que LIXO de casa e de localização.

      Não troco meu aluguel por isso nem à facada de bolo Pulmann no coração.

      0
  • Fausto 14 de outubro de 2011 at 17:16

    Como preciso morar em algum lugar, estou em busca de casas há algum tempo. Casas, não apartamentos. Tenho pais idosos, cães e gatos, logo preciso de espaço. Portanto, meio que passo longe da insanidade dos lançamentos, já que definitivamente não quero “Galeria Gourmet”. Já faço olho torto até para casas de vila. Nem as geminadas me interessam.

    Mesmo assim até então com o dinheiro que possuo só podia comprar casas em locais bem afastados e desvalorizados, como Sepetiba. Mas talvez as coisas estejam melhorando. Entrei em contato com diversos proprietários que informaram:
    1 – Estarem dispostos a negociar o preço, por suas casas já estarem vazias há muito tempo e/ou por precisarem de dinheiro (uns dois citaram negociar dívidas).
    2 – Receber constantes ligações de corretores. Inclusive sempre me confundem como corretor, “por eu falar direitinho”. Ou seja, bananense não sabe sequer falar ao telefone e pelo visto os corretores tem se agitado bastante. Concorrência maior ou sinal de desespero?

    Por último, vejam um imóvel que era 170 mil e agora custa 130 mil. Pela localização, acho que não vale nem 100.
    bomnegocio.com/rio_de_janeiro/grande_rio_de_janeiro/casa_nova_linear_b_adriana_8510368.htm?ca=21_s

    0
    • Fausto 14 de outubro de 2011 at 20:37

      Ficou duplicado… poderia apagar, Bolha?

      0
  • MrK 14 de outubro de 2011 at 19:17

    Vejam que coisa curiosa

    existe um empreendimento grande no Rio chamado lagoa azul, em jacarepagua, são 3 torres… esse empreedimento foi lancado em abril/2011, ha 6 meses.. o que ele tem de interessante que merece ser mencionado aqui, é que ele permite voce ver online as unidades vendidas e as disponiveis:

    unidades a venda desde abril = 198
    unidades vendidas desde abril = 79

    menos de 40% do predio vendido em 6 meses… tirem suas proprias conclusões…

    site com os dados online: lagoaazul-sc.dyndns.org/svi/Simulador9/Simulador.asp

    0
  • dp 14 de outubro de 2011 at 19:47

    interessante que hoje 14/10 a noticia foi EDITADA no site do GLOBO.

    Agora a mesma reportagem tem a seguinte chamada: “Vendas de imóveis em SP recuam 17,9% em agosto, aponta Secovi”

    http://oglobo.globo.com/economia/mat/2011/10/14/vendas-de-imoveis-em-sp-recuam-17-9-em-agosto-aponta-secovi-925580388.asp

    Eh incrivel na Banania como as informacoes sao manipuladas ao deus dara’.

    0
  • RPL 14 de outubro de 2011 at 20:36

    Acho que a Bolha já estourou…

    Barra da Tijuca, 195 m² por R$ 570.000,00….

    http://www.promoimoveis.com.br/index.php/site/index/1

    Sou de SP então não conheço o lugar… É bom???

    0
    • Annibal 15 de outubro de 2011 at 09:45

      Isso ai não é e nem nunca vai ser barra… fica na estrada dos bandeirantes… lugar horrível, cheio de mini favelas… longe demais do centro da cidade e sem opções de lazer… não compraria nem por 150.000,00

      0
    • Rodrigo 15 de outubro de 2011 at 16:09

      Fica ao lado do Projac, estúdio de televisão da Rede Globo, entre Camorim e Curicica. A localização em relação ao Centro é distante, principalmente por causa do trânsito, mas a estrada dos Bandeirantes esta sendo alargada para os Jogos Olímpicos.
      Alguns sites sobre as obras:

      http://w w w.sidneyrezende.com/noticia/93131+comeca+obra+de+ampliacao+da+estrada+dos+bandeirantes

      http://w w w .jornalredencao.com.br/transporte-escasso-e-irregular/

      Polo gastronomico:

      http://w w w .viagemesabor.com.br/noticias/roteiros/br/sudeste/rj/rj/polo_gastronomico_de_vargem_grande+

      http://w w w.viagem10.com.br/gastronomia/

      0
      • Leo 16 de outubro de 2011 at 05:22

        O lugar é caido…. nao moraria la nem de graca.

        0
  • RPL 14 de outubro de 2011 at 20:38

    Ploc!

    Barra da Tijuca, 195 m² por R$ 570.000,00….

    w w w .promoimoveis.com.br/index.php/site/index/1

    Sou de SP então não conheço o lugar… É bom???

    0
    • Leo 16 de outubro de 2011 at 05:23

      Ta caro… o lugar nao presta. fim do mundo que foi maqueado e chamam de barra.. nao que a barra seja um bom local… mas esse ai nao eh barra e muito menos um bom local. ta caro d+ !!!!

      0
  • Tim disse 14 de outubro de 2011 at 23:02

    Começou com 4 dorms, agora tá nos 2;é a piramide afunilando, raspando o fundo do tacho.

    0
  • Sérgio 15 de outubro de 2011 at 00:01

    Ainda estou na captura dos dados, mas aqui vão alguns: (todos do banco central h t t p : / /w w w.bcb.gov.br/?SFHESTAT)
    Fev 2006 a jan 2007: 113.711 unidades a R$9.402.000.000 – inadim 23% media (por unidade)82.683
    Fev 2007 a jan 2008: 201.843 unidades a R$18.535.000.000 – inadim 17% media R$91.828
    Fev 2008 a jan 2009: 295.237 unidades a R$29.250.000.000 – inadim 13% media R$99.072
    Fev 2009 a jan 2010: 298.613 unidades a R$33.920.000.000 – inadim 9% media R$113.591
    Fev 2010 a jan 2011: 415.929 unidades a R$55.770.000.000 – inadim 7% media R$134.085
    Jun 2010 a mai 2011: 448.328 unidades a R$63.940.000.000 – inadim 6% média R$142.618
    .
    Olhando assim, os preços médios por unidade financiada – ano a ano – parece não haver bolha ou ualquer sobrevalorização dos imóveis.
    Agora, quando se insere imóveis do MCMD a coisa muda muito e – tanto os preços médios quanto a diminuição dos financiamentos de imoveis SEM SER MCMD, mostram as suas caras:
    Imoveis financiados MCMD 160.883 (até setembro;2010) ao valor médio (convencionei por este valor) 60.000,00 , totalizando R$9.652.980.000,00. O BC publica, de outubro 2009 a setembro 2010, 372.384 unidades ao valor de 46.220.000.000,00. Retirando as unidades MCMD, temos 211.501 unidades ao valor total de R$36.567.020.000,00 – média R$172.892,00 POR unidade financiada.
    Ou seja, de 2009 para 2010, A UNIDADE financiada (média aritimética, não ponderada por falta de dados) R$113.591,00 para R$172.892,00 e QUEDA nos financiamentos de imóveis normais (sem o MCMD) de 298 MIL para 211 MIL.
    Não possuo ainda dados de 2011 (MCMD), mas estou na captura tanto junto ao Ministério das cidades ([email protected]) quanto a CEF. Mas está difícil, pois cada orgão anuncia dados diferentes. O que consegui foi cruzando informações que obtive junto ao ministério cidade cruzando com auditoria da CGU: 160.883 até setembro 2010.
    Disso, dá pra ter uma noção do tamanho da queda nas vendas, que já começou no fim de 2009 e início 2010. O que vem aparentando bom desempenho são os números MCMV, que está bem abaixo do que eles desejariam e as compras na planta, em que os caras não sabem mais o que fazer para desovar.
    Conforme falou o Roubini: a Tempestade Perfeita em 2012 ou uma chuva fria, fina e constante por uma década.
    Assim que conseguir mais dados, posto.

    0
  • Wendell 15 de outubro de 2011 at 05:20

    Com preços do aluguel em alta, financiamento torna-se opção para alguns

    exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/com-precos-do-aluguel-em-alta-financiamento-torna-se-opcao-mais-atrativa

    0
  • Ar Quente 15 de outubro de 2011 at 07:46

    Reportagem um pouco zoada sobre a china. Tem um videozinho então é melhor ver por lá mesmo. É na língua do Tio Sam.

    Chinese Housing Bubble: A Troubling Update from Beijing

    pbs.org/newshour/businessdesk/2011/10/chinese-housing-bubble-a-troub.html

    0
    • Roberto Cesar 17 de outubro de 2011 at 09:07

      Ar Quente,

      A China ta muito no foco das notícias internacionais, e não são notícias boas não.

      0
  • Menino_do_Rio 15 de outubro de 2011 at 08:28

    As ações que mais subiram na melhor semana em 2 anos

    As maiores altas da semana
    Empresa Código Preço (R$) Var. % (semana)
    Gafisa GFSA3 5,9 16,14
    Marfrig MRFG3 7,23 14,76
    PDG PDGR3 7,16 14,56
    Vanguarda VAGR3 0,63 14,55
    Cyrela CYRE3 13,54 14,07

    Semana passada eu perguntei se este não seria um bom momento de compra, acho que estamos torcendo por algo além da razão…

    0
    • Leo 15 de outubro de 2011 at 16:30

      Quem acompanha a RV sabe que nada sobe ou cai p/ sempre… a tendencia de BAIXA é clara. Da uma olhada na desvalorizacao dessas empresas ao longo deste ano !!!!

      0
    • Ar Quente 15 de outubro de 2011 at 16:32

      Mr. Markets do fórum agora estão na fase deprê. Semana que vem volta a euforia!

      E antes que alguém pergunte quem é Mr Market:

      (…)
      Through this parable, Graham asks investors to imagine a non-existing person called Mr. Market who is your (investor’s) partner in a private business. He appears daily and names a price (stock quotation) at which he would either buy your interest or sell you his. Now, despite the fact that, both, Mr Market and you have stable business interests, his quotations are rarely so.

      At times, he falls so ecstatic that he sees only the favourable factors affecting business. And this is the time he would name a very high buy-sell price because he fears that if he does not quote such a high price, you would buy his interest in the enterprise and rob him of imminent gains.

      And then there are times when this very Mr Market is so depressed that he sees nothing but trouble ahead for both business and the world. These are the occasions when he would name a very low price, as he is terrified that if he does not do so, you would burden him (sell him) with your interest in the business.
      (…)

      0
    • Carcará 15 de outubro de 2011 at 18:27

      PLOC!

      0
  • Jonathas 15 de outubro de 2011 at 09:10

    Gostaria de dizer que acho que a trisul vai inaugurar o período de falências, passando na frente da nossa querida gafisa:

    http://www.mzweb.com.br/trisul/web/arquivos/Trisul_Release_2T11_Port.pdf

    0
    • Anonymous 15 de outubro de 2011 at 16:15

      Vou ficar decepcionado se a Gafisa não for a primeira a pedir falência.

      0
  • xyz 15 de outubro de 2011 at 09:12

    Para quem acha que o preço de imóveis NUNCA cai (existem muitos), o jornal da globo mostrou ontem uma matéria sobre a desvalorização das mansões em NY.

    h ttp://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2011/10/crise-derruba-precos-das-mansoes-nos-estados-unidos.html

    Vejam o trecho interessante.

    “Hogan está lutando mesmo é para arrumar um comprador. Ele começou pedindo US$ 25 milhões e, depois de cinco anos, já está aceitando US$ 9 milhões. Ainda assim, nenhuma proposta surgiu.”

    0
    • Leo 15 de outubro de 2011 at 16:32

      Aqui no brasil é o unico lugar que nao vende e continua subindo.. heheh .

      0
      • Carcará 15 de outubro de 2011 at 18:10

        Vendas Caindo + Preço Subindo = PLOC!

        0
    • Roberto Cesar 17 de outubro de 2011 at 09:12

      XYZ,

      Essa de que imóveis nunca caem de pre;co foi usado muito durante a bolha aqui nos USA.

      O pior da bolha é que as pessoas perdem completamente a noção de valor ou simplemente acham que o valor não é uma coisa importante porque o preço vai sempre subir mesmo.

      Outro efeito grotesco da bolha na menste das pessoas é achar que essa queda de preco é que é a anonalia (e não a subida exagerada de preços). Ainda tem muita gente aqui esperando o mercado se recuperar, ou seja, voltar a subir 10% ao ano todo ano.

      Ë incrível como o povão é manipulado.

      0
  • MrK 15 de outubro de 2011 at 10:45

    pessoal, um pouco curioso em função do post anterior que fiz do laguna azul (emprendimento que de 198 aps só vendeu 79) resolvi investigar mais e vi que a coisa tá feia mesmo…

    por exemplo, os empreendimentos espacio laguna na barra da tijuca da gafisa, mesmo após 1 ano de lancamento ainda tem varias unidades a venda

    o vogue botafogo, que foi o lancamento com investimento mais pesado do RJ recentemente (muito marketing mesmo), após 4 meses ainda tem 14 unidades a venda, segundo o corretor online me falou, e olha que o corretor online tende a “suavizar” isso pra não queimar o filme, é disso pra mais.

    o mercado de novos está seguindo o de usados e desacelerando a cada dia, em breve será o travamento total de imoveis, planta e prontos, o fim das vendas.

    0
    • Ar Quente 15 de outubro de 2011 at 12:07

      Eu não tenho um referencial no assunto. Portanto só posso dar meu feeling (que não é grande coisa)
      Me parece que vender 79 de 198 em 6 meses não é o fim do mundo.
      Agora o tal do vogue são 32 de 46 em 4 meses. Isso me parece bem rápido.
      Não achei os números do tal Laguna (e tive preguiça de procurar mais).

      Na minha opinião, o mercado como estava nos anos passado é que é ridículo. As pessoas estavam comprado APs como quem vai no shopping comprar roupa.
      Desde que eu me entendo por gente, toda vez que eu via um prédio ser construído, o stand de vendas ficava vários meses na porta com um corretor para atender os clientes (embora eu reitero que não tenho ideia do tempo médio de venda).

      Acho que do seu post a gente pode concluir com boa margem de segurança que esse frenesi mais intenso passou. Mais que isso, pra mim, é forçar a Barra da Tijuca.

      Enfim, falou um ignorante no assunto (eu). Provavelmente quando deveria ter ficado calado. rsrsrs!

      0
      • MrK 15 de outubro de 2011 at 12:51

        Ar Quente, acho que eu não expressei bem, pense comigo:

        o X da questão é: Se os aps. lancados agora não estão conseguindo ser vendidos (no caso do laguna estou falando de 39% de vendas só, acho MUITO FRACO) como os especuladores que compraram em 2010 vão conseguir revender suas unidades com lucro em 2012/2013?????

        se a demanda facilitada hoje, com financiamento de só 20%, com credito dado pela construtora está baixa, de onde virá demanda pra recomprar com ágio, financiamento de 100% do imovel e pegando com banco???

        se alguém souber a resposta me diz

        0
        • Mahmoud 15 de outubro de 2011 at 13:28

          Concordo Mrk, esse tipo de empreendimento é aquele onde normalmente esperam vender 80% no mês de lançamento, por causa do marketing, promoções, facilidades de financiamento e pela quantidade de investidores. Se venderam só 39% nesse boom, quero ver vender agora.

          Aqui em Vitória, desde o ano passado, alguns apartamentos de grandes construtoras estão sendo vendidos prontos por um preço igual ou até menor que o do lançamento se descontar a inflação. Estou um pouco por fora agora, mas 6 meses atrás a Rossi estava com mais de 60 apartamentos encalhados em um empreendimento de 300 lançado em 2008. Nem com feirões, TV de Led e com o mesmo preço do lançamento estavam conseguindo vender.

          0
      • Carcará 15 de outubro de 2011 at 18:08

        Ar Quente,
        para mim, a venda só acontece quando o sujeito paga o ap a vista o financia. Esse negócio de lançamento é para construtora dá satisfação para trouxa de bolsa. E isso é um dado bastante interessante, pois a tendência do especulador de 20% que não puder arcar com o financiamento é devolver o ap (considerando um baixo número de repasses). Daqui em diante a oferta tende ser ainda maior como vão mostrando os dados do BOLHA, Curitiba, e do MrK, Rio.

        Abs

        0
  • Sant'Anna 15 de outubro de 2011 at 11:44

    As construtoras argumentam que o que causou o aumento foi a especulação no preços dos terrenos, mas não vejo ninguem acompanhando o preço dos terrenos por aqui. Pelo que eu vejo por enquanto o preço dos terrenos deu uma estabilizada, mas duvido muito que caia pelo fato de que o iptu sendo baixo as pessoas costumam segurar terreno e não ter pressa para vender. O que vocês acham sobe queda na venda de terrenos?

    0
    • MrK 15 de outubro de 2011 at 11:49

      santanna, quando a população recebe uma oferta de imovel por 500mil, ninguém quer saber se tá caro pelo terreno, pela mão de obra, pela margem de lucro, pelo imposto, pelo marketing… a pessoa simplesmente quer saber se ela pode ou não pagar o preço

      creio que a população não pode mais pagar o patamar de preços, isso quando nos referimos a financiar 100% do imovel (e não os 20% da planta). Portanto acho que preços precisarão se acomodar pra baixo, creio que os primeiros a tomarem prejuizo serão os especuladores, baixando o agio e eventualmente tomando prejuizo, numa segunda etapa o preço dos terrenos deve cair junto com possíveis renuncias fiscais, reduções de custos e talvez margens de construtoras

      0
      • Anonymous 15 de outubro de 2011 at 16:08

        O preço dos terrenos subiu porque o preço dos imóveis subiu antes e não o contrário. Da mesma maneira que milho é um insuma para fabricar porco, o preço do milho é caro justamente porque o porco é caro.

        0
    • EduLon 15 de outubro de 2011 at 17:27

      Tenho um conhecido que trabalha no ramo e me disse o seguinte sobre terrenos

      – terrenos tem de sobra, mas nao com o perfil que as construtoras querem ( terrenos grandes para fazer condominio clube)
      – se fosse para construir um predio com 6 unidades, 10 unidades, sem area de lazer, etc, apenas com o basico, sobrariam terrenos, mas as grandes incorporadoras nao querem fazer isto.
      – para construir um empreendimento estilo condominio clube, tem que comprar varios terrenos pequenos ou comprar um grande. Se for terreno pequeno, tem que convencer todos os proprietarios a vender.
      – os proprietarios que nao tem interesse nenhum rejeitam a venda. entao as incorporadoras sobem o preco e fica neste ciclo ateh ficar muito caro. Caso o terreno de um proprietario seja o ultimo no local, ai eh mais caro ainda.
      – alem disso tem o aconselhamento das imobiliarias… a imobiliaria sabe que quanto mais alto for vendido o terreno, mais ela lucra, entao diz ao proprietario para colocar o valor la em cima.
      – alem disso, tem imobiliarias que vao procurar os donos dos terrenos, o convencem a vender e ai as proprias imobiliarias procuram as incorporadoras para intermediar a negociacao.
      – outras consideracoes sobre terrenos:
      – eles representam em torno de 10 a 15% do custo total da obra, ou seja, nao tem um impacto tao grande a ponte das incorporadoras dizerem que o preco do apartamento subiu por causa do terreno.
      – se o terreno estiver absurdamente caro, nao fecha a viabilidade e a incorporadora desiste.
      e para finalizar, o preco dos terrenos provavelmente vai demorar a cair, pois quem tem um terreno ( sem nada construido) nao precisa dele para muita coisa. Quem tem imovel construido, seja para vender ou alugar, nao tem necessidae de vender. Ou seja, venderao apenas se o preco estiver bem alto.Do meu ponto de vista apenas se a pessoa estiver passando por uma necessidade financeira eh que ira vender o terreno, caso contrario, as imobiliarias irao sempre dizer ao proprietario para nao vender por valor mais baixo do que supostamente ele vale.

      0
      • EduLon 15 de outubro de 2011 at 17:29

        correcao – o terreno custa em torno de 10 a 15 % do valor de venda total do empreendimento, e nao do custo da obra.

        0
      • Ader 15 de outubro de 2011 at 17:35

        Nos preços de hoje é bom ou não vender um terreno?

        0
        • Sant'Anna 15 de outubro de 2011 at 18:35

          Com o preço de agora o melhor é vender, não acho q subam mais que isso, afinal a população não tem como compra-los. Mas devido ao iptu ser baixo, e os proprietários muitas vezes nem pagam, é dificil o valor dos terrenos cairem, a menos que o governo faça alguma lei onde terrenos sem construção devem pagar itpu mais algo, ai sim iria ferrar com os especuladores, e talves ajudar a estoudar a bolha. Caso contrario creio que eles irão segurar um pouco o estouro.

          0
      • Observador 15 de outubro de 2011 at 20:34

        A verdade é que terrenos parados, sem construção alguma e sem interesse de venda por parte dos proprietarios, sempre existiram. O que há no momento é uma euforia por negociar os terrenos pelo maior valor possivel.

        Caso os proprietarios resolvam nao vender seus terrenos, num futuro proximo, devido a queda dos preços dos imoveis, acredito que isso não afetará muito o mercado, ja que as construtoras estarão lançando menos e a demanda por aquisição de terrenos caira sobremaneira. É a simples lei do mercado agindo, menos lançamentos, menos necessidade de adquirir terrenos = queda de preços.

        Acontece que, mesmo sem interesse de vender seus terrenos parados, como sempre aconteceu, muitos e muitos proprietarios, por diversas razões, acham muito mais vantajoso incorporarem seus terrenos a troco de apartamentos para deixar como herança para filhos, em virtude de casamento destes ou mesmo para complementar a renda com algueis.

        Concluindo, escassez de terrenos não vai haver. Só haverá uma acomodação geral do mercado e, consequentemente, queda generalizada de preços.

        0
  • Tim disse 15 de outubro de 2011 at 12:22

    O preço aumentou por especulação, terrenos eles fizeram estoque, compraram na baixa, pelo menos aqui no meu bairro mooca sp, tem um monte de terrenos, demoliram as casas e muraram, se falta imovel porque não lança os empreeendimentos. não adianta lançar porque com esses preços não vende, não tem demanda, tem um monte de predios em final de obra entrega2011/12, todos com corretores de plantao.tenho conhecimento em 2008, pagaram 2mil o m2, hoje pedem de 7 a 8 mil o m2. conheco gente que vendeu a casa pra construtora, e não conseguiu comprar nada descente no bairro, depois que vendeu so viu o preço disparando.tá chorando até hoje.

    0
  • Paulo Prado 15 de outubro de 2011 at 15:15

    É, parece que o mercado gostou bastante da prévia dos resultados das grandes construtoras, como Cyrela, Gafisa e PDG.

    http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/as-acoes-que-mais-subiram-na-melhor-semana-em-2-anos

    Acho ainda que tem um bom espaço para crescimento fora dos grandes centros, nas cidades médias por exemplo.

    0
    • Mrk 15 de outubro de 2011 at 18:48

      Eh ridiculo, quando elas caem 60% por meses, ninguem fala nada, mas quando sobem por 2 semanas num repique, viram bons papeis… Hahahahaha a gafisa custava 15, hoje vale 5,80…

      0
    • augusto 16 de outubro de 2011 at 08:39

      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, esta foi muito boa, conte outra, ideal para dias chuvosos

      0
  • Philis 15 de outubro de 2011 at 15:22

    Aqui está o motivo pelo qual não podemos acreditar no tal “mercado” brasileiro:

    Os adivinhos da taxa de juros

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/lembram-se-daquela-historia-dos-%E2%80%9Cadivinhos%E2%80%9D-que-levaram-uma-bolada-com-a-queda-dos-juros/

    0
  • Mrk 15 de outubro de 2011 at 19:02

    Eu nao curto muito comentar essas previas pq sao muito superficiais, nao falam de caixa, divida, estoque, lucro… Soh de vendas…

    Mesmo assim, a previa da cyrela nao foi horrivel, mas mostra uma tendencia declinante, vejam que curioso, ela ano passado lancou 3.1bn e vendeu 3.6bn, ou seja, vendeu tudo e ainda queimou estoque, esse ano ela lancou 4.6bn mas so vendeu 4.1bn…ou seja nao vendeu tudo e ta sobrando estoque…

    Quanto as vendas, cresceram em valores, mas cairam em unidades…

    Realmente nao foi de todo ruim, mas vamos aguardar o balanco completo antes de ter uma posicao mais firma, aguardar tambem gafisa…

    0
    • Carcará 16 de outubro de 2011 at 23:29

      Caro MrK,
      quando falam em vendas, não me canso de lembrar que ele dizem que 80% se trata de lançamento. Ora, isso não é venda. Isso é especulação. Venda é o pagamento integral do bem (a vista) ou o total financiamento do mesmo.

      Veja que se metade dos especuladores de 20% devolverem o imóvel, asa construtoras terão de refazer as contas. Isso não é um balanço. É carteado da mãe Dinah!

      Abs.

      0
  • Mais igual que os outros 15 de outubro de 2011 at 19:16

    Algum colega mencionou num post que na Alemanha, o custo do imóvel não é caro, pois existem políticas públicas neste sentido, e que o pesadelo da Alemanha é ser uma Inglaterra, com um custo de vida altíssimo e, consequentemente, baixa competitividade.

    Outro colega mencionou que na França, o segundo imóvel paga mais imposto que o primeiro, o terceiro mais ainda, e assim sucessivamente. Isso se chama progressividade da alíquota, e esta política desestimula a especulação e a concentração de propriedades.

    Aqui no Brasil, há essa possibilidade – há previsão para progressividade do IPTU, para cumprimento da função social, cobrado pelos municípios. Mas que político tem coragem de implantá-lo? A maioria das Prefeituras mal cobra o IPTU. Aqui em São Paulo existe uma lei que prevê o aumento do IPTU para imóveis que não estejam cumprindo a sua função social (que estejam vazios, abandonados, etc.). Agora, como fiscalizar isso? Sei que notificaram alguns proprietários para comprovar o cumprimento da função social, mas não sei se foi em número suficiente, ou razoável.

    No nosso país, a desigualdade também se mostra na distribuição da propriedade. Não há nenhuma trava ou desestímulo para especuladores de terrenos e imóveis.

    Agora, tente produzir e gerar empregos. Fiscais de Rendas e Sindicatos cairão em cima de você.
    Os bancos lhe cobrarão juros escorchantes.

    Brasil, um país de poucos.

    0
    • muvi 15 de outubro de 2011 at 22:33

      Aqui no Brasil nunca cobrarao o IGF (constitucional) nem IPTU progressivo, simplesmente porque deputados e seus financiadores (empreiteros, empresarios e banqueiros) normalmente tem mais de 1 milhao nos bancos e mais que um imovel,ou seja, nao vao aprovar algo para cobrar de si proprios. Eles mandam no Brasil.

      0
  • RT 15 de outubro de 2011 at 20:31

    Para meus colegas cariocas, mais um exemplo absurdo que fiquei sabendo hoje.

    Uma amiga da minha família mora no Humaitá, na Rua Visconde Silva, pertinho do Hospital São José.

    Pois hoje ela me contou que num terreno ali perto, vai subir um novo prédio. Apartamentos de 3 quartos, um prédio pequeno e de 5 andares.

    Nada construído ainda.

    Preço na planta? A partir de 1 milhão.

    Já imaginaram 1 milhão corrigidos mensalmente pelo INCC??

    0
    • Observador 15 de outubro de 2011 at 20:38

      Tem um artigo bacana no site “O Pequeno Investidor” que fala sobre qual é o custo real de um apartamento de 1,5 milhao.

      No artigo ele menciona o fato de que, se voce nao tem 1,5 milhao para pagar a aquisição do ap, devido ao custo de oportunidade deste dinheiro, voce está condenando a si mesmo a nunca na historia destepais se tornar um milhonario.

      Artigo muito interessante, vale a pena a leitura.

      0
      • RT 15 de outubro de 2011 at 21:13

        Pode botar o link?

        0
        • Observador 15 de outubro de 2011 at 22:24

          h t t p : / / opequenoinvestidor.com.br/2010/05/quanto-custa-um-apartamento-de-r-milho/

          0
  • RT 15 de outubro de 2011 at 21:09

    Há uns dois meses, uma amiga de trabalho topou pagar o preço pedido por uma imobiliária em um apartamento na Tijuca.

    Sabendo disso, o proprietário disse para a imobiliária: “Mas se só está à venda há um mês e já teve proposta, é pq tá mto barato”. E subiu o preço em 50 mil, diante do que minha colega desistiu.

    Soube hoje que isso anda acontecendo bastante.

    Alguém mais soube de histórias assim?

    0
    • LUIZDVD 15 de outubro de 2011 at 21:39

      Em Porto Alegre, na Tristeza, existe um prédio com duas coberturas a venda. Uma, enrolada em um leilão, sem que o antigo proprietário sequer tenha saído dela, a um custo de 290 mil, sem garagem, mas em boas condições. Outra de propriedade de uma professora universitária, ofertada pela Auxiliadora Predial por 298 mil, com uma garagem, mas em piores condições e necessitando de reforma. Eu resolvi me interessar pela segunda, mas não fiz oferta, somente manifestei meu interesse. Quando a proprietária soube, a primeira coisa que fez foi dizer ao corretor que buscava o imóvel por mim que aquele não era o preço, que ela estava olhando o mercado e queria 330 mil mais a comissão de corretagem. Desisti. Detalhe: a Auxiliadora Predial continua ofertando a mesma cobertura por 298 mil.

      Também em Porto Alegre eu me interessei por uma casa no bairro Jardim Isabel. Valor de oferta 480 mil. Quando fui manifestar meu interesse, aumentaram para 520 mil.

      Por fim, todos os imóveis descritos estão a venda faz mais de seis meses, sendo que dois deles já faz mais de ano. Não vendem e sobem o preço.

      O pior é que mantive contato com algumas imobiliárias e o senso comum é de que a oferta feita em jornal e por internet nunca é a oferta verdadeira, sempre dependendo de consulta.

      Com todo o respeito, isto não é coisa de gente séria, motivo pelo qual não vou entregar meu suado dinheiro, a vista, para esta gente.

      0
      • Anonymous 16 de outubro de 2011 at 03:32

        luizdvd,

        Na Banânia, nada é sério. Esse fato é que torna a Banânia o que ela foi, é e sempre será.

        0
    • xyz 16 de outubro de 2011 at 09:29

      Dica para quem quer comprar um imóvel:
      NUNCA TENTEM COMPRAR DE QUEM NÃO QUER VENDER.

      0
      • Vinicius Lima 16 de outubro de 2011 at 10:55

        É verdade… isso é uma lei universal!!!

        0
    • Noord 16 de outubro de 2011 at 11:08

      No meu prédio o dono da cobertura, pelo que fui informado, tentou usar esta tática também…. Resultado óbvio – NÃO vendeu e já está comemorando o primeiro aniversário de não venda de seu imóvel…

      0
      • Augusto 16 de outubro de 2011 at 18:16

        Vamos deixar eles com seus imóveis e pagando o custo de manutenção e depreciação de cada um, e vamos ficar com nosso dinheirinho. É assim que a roda da economia trava de vez

        0
  • Rafael CPS 16 de outubro de 2011 at 10:06

    Acompanho com frequência este blog, apesar de não postar. Mas hoje achei que deveria compartilhar algo: eram 9h da manhã (horário já ajustado, ou seja, 8h do horário antigo), em pleno domingo chuvoso em Campinas, e eis que meu telefone toca. A primeira coisa que vem à mente é uma má notícia chegando, algum familiar em dificuldade. Porém, a dificuldade era de alguém com quem falei apenas uma vez, há seis meses, num estande de feirão: um corretor da Rossi. Perguntou se eu ainda estava procurando imóvel para comprar. Respondi que havia desistido por conta dos abusos praticados no setor e que possivelmente iria construir. E emendei a pergunta: “Rapaz, o fato de você estar me ligando num domingo pela manhã significa que tem sido difícil vender?”. O corretor, com uma sinceridade que causaria espanto em muitos de seus colegas de profissão, confirmou: ” Pois é, Sr. Rafael, o negócio não tá fácil como antes não”.
    Este não foi o único corretor voltou a me ligar nesta semana. Mas foi o primeiro que ligou num domingo cedo e, ainda mais curioso, foi também o primeiro a reconhecer que a coisa não vai bem.

    Abrs e bom domingo a todos.

    0
  • Dr. Estranho 16 de outubro de 2011 at 11:03

    Para um político admitir uma crise é porque já está em um nível explosivo.

    O globo:
    http://oglobo.globo.com/economia/mat/2011/10/15/mantega-crise-comeca-afetar-os-emergentes-925589849.asp

    Este é um dos motivos para redução do consumo de bem duráveis, principalmente de imóveis. Entretanto, enquanto a mídia e entidades de classe puderem manipular índices, a “pseudo valorização” contínua se manterá. A grande pergunta é: até quando?

    0
    • Augusto 16 de outubro de 2011 at 18:14

      Podem tentarem manipularem mas mesmo assim a venda cai e bastanet

      0
  • MrK 16 de outubro de 2011 at 14:06

    É DO BRASIL!!!!!!

    batido o recorde aguardado dos 5mil… 5.029 imoveis a venda só em copacabana pelo zap

    mas lembrem-se: O mercado está muuuuito aquecido e está faltando imovel pra toda essa demanda!!!

    0
    • Bolha Imobiliária 16 de outubro de 2011 at 15:56

      E o Imóveis Curitiba, nunca ganhou tanto dinheiro com anúncios !!

      10186 apartamentos a venda, durante a semana chegou a bater em 10210…

      0
    • Augusto 16 de outubro de 2011 at 18:13

      De que adianta ter um valor de face altissimo, se praticamente ninguem se dispõe a pagar tal valor.
      Com a palavra o FIPE ZAP, analistas e economistas fajutos,e outros que insistem em dizerem que os imovies estão ainda subindo de preço

      0
    • Andre Luiz 17 de outubro de 2011 at 15:10

      Eu tenho acompanhado o do Méier, onde buscava/busco imóvel. Há uns dois meses tinham uns 600 imóveis a venda. Hoje o número já está em 720.

      Vale informar que uma das “grandes” imobiliárias de lá, a Miguez, fechou as portas e ficou só com as filiais da Tijuca e Maracanã. Será que ela saiu na hora certa?

      Abraços.

      0
  • Glaucio 16 de outubro de 2011 at 15:54

    Caderno de imóveis deste domingo (16/10/11) do jornal Gazeta do Povo (Curitiba):

    “Relógio biológico do financiamento”
    Matéria mostrando que você deve se apressar para financiar seu imóvel. “O seguro de um consumidor de 72 anos pode ser mais de 1.000% mais caro na comparação com o valor cobrado de um jovem com 40 anos a menos”, avisa o jornal.

    “Imóvel no exterior? Melhor pensar bem…”
    Aqui o jornal alerta o leitor de que o comprador de imóvel no exterior tem que declará-lo no imposto de renda, sob risco de incorrer em sonegação e evasão de divisas. Além disso, informam que nos EUA, bens transmitidos por herança são taxados em até 60% do valor do imóvel.

    0
    • Anonymous 16 de outubro de 2011 at 16:58

      No estado que estou nos EUA, imóvel transmitido por herança é ISENTO de imposto até o valor de 250 mil dólares. Esse valor é suficiente para comprar uma casa de 250 m2, 2 garagens, 3 ou 4 dormitórios, 3 banheiros numa vizinhança muito boa. Observe que o preço de VENDA é da ordem de 2 mil Reais/m2, enquanto na Banânia estão falando no mínimo o dobro disso.

      Estou viajando pela Alemanha e aqui também imóvel é bem mais barato que na Banânia. Vai ser bastante interessante quando a bolha imobiliária explodir – a Banânia será notícia no mundo todo. Somente um débil mental, ou quem não conhece outro país, paga os valores que estão sendo pedidos por imóveis na Banânia.

      0
      • Paulo Prado Jr 16 de outubro de 2011 at 17:36

        Anonymous concordo em partes com você, mas acho que não cabe essa comparação de preços da Europa/EUA com o Brasil, são realidades completamente diferentes.

        Não sei em qual estado você mora, mas a maioria dos estados cobram impostos bem altos para transmissão de herança de cidadãos americanos, e mais absurdos ainda quando se trata de estrangeiros.

        Mas felizmente essa situação pode ser facilmente resolvida, com a criação de um empresa offshore, em um paraíso fiscal, e de uma LLC, em território americano.Lembrando que essa operação é totalmente legal e assim você, ou melhor, a sua empresa, fica integralmente isenta de qualquer imposto sobre transmissão de heranças.

        Quem tiver alguma dúvida sobre o assunto fique a vontade a me perguntar, já que recentemente adquiri um imóvel nos EUA.

        0
        • Anonymous 16 de outubro de 2011 at 19:05

          Paulo,

          Eu adquiri um imóvel em 2009 e posso assegurar que essa conversa de offshore é coisa de advogado para enganar miliotário (milionário + otário) Bananenses. A Lei nos EUA não diferencia entre o proprietário Americano e o estrangeiro. Pode ser que esse imposto de 60% exista na herança, mas relacionado com imóveis de vários milhões de dólares. Se eu tivesse milhões de dólares, até poderia morar na Banânia com a mesma qualidade de vida que tenho nos EUA. Entretanto, esse não é o meu caso. Além de declarar o imóvel no IR da Banânia, voce deve também declarar a saida do dinheiro diretamente ao Banco Central, se for acima de 100 mil USD. Do contrário, mesmo declarando o imóvel no IR, voce está sujeito à multa. Veja no seguinte link – não sei se isso foi mencionado na reportagem.

          www4 . bcb . gov . br/rex/cbe/port/cbe.asp

          0
          • Paulo Prado Jr 16 de outubro de 2011 at 19:48

            Anonymous,

            O custo para criação e manutenção da empresa offshore e da LLC é muito baixo e fora isso além da isenção desses impostos existem também algumas outras vantagens.

            No caso em NYC mesmo depois da crise, é praticamente impossível encontrar um studio razóavel por menos USD 500.000, então a isenção acaba realmente compensando muito.

            0
            • Anonymous 16 de outubro de 2011 at 20:16

              Paulo,

              Meu humilde conselho é não tente ser “esperto” com o Uncle Sam, pois voce vai acabar se no final da estória. Se offshore fosse uma coisa desejável, então os Americanos também estariam fazendo, pois eles não gostam de pagar impostos. Com a sua offshore e sendo estrangeiro, voce certamente já conseguiu colocar uma marquinha na sua ficha do DHS (Department of Homeland Security), pois esse tipo de empresa está associada com vários tipos de crimes financeiros.

              0
              • Paulo Prado Jr 16 de outubro de 2011 at 21:09

                Anonymous,

                Não é questão de ser esperto ou não, o que acontece é que em determinados casos como em imóveis acima USD 5.000.000 por exemplo o imposto pode chegar em 60%, eu considero isso extremamente abusivo.Se existe uma maneira legal de evitar o pagamento do imposto não vejo nenhum problema em usurfruir desse “benefício”.

                O uso da empresa offshore em si é totalmente legal, agora se a pessoa vai utiliza-lá para promover crimes fiscais, aí já é outra história.

                Tenho dois amigos que são americanos e possuem imóveis de alto valor e as propriedades estão no nome de empresas americanas, que na verdade pertecem a empresas offshore situadas nas Ilhas Cayman, empresas essas nas quais eles são os únicos acionistas.Isso tudo aprovado e permitido pelo governo americano, com tudo declarado certinho.

                0
                • Glaucio 17 de outubro de 2011 at 00:52

                  A verdade é que, pelo preço dos imóveis no Brasil, ainda sai barato pagar o tal imposto de herança.

                  0
                • Anonymous 17 de outubro de 2011 at 09:23

                  Paulo,

                  Eu entendo que offshore é perfeitamente legal, mas o problema é levantar uma suspeita desnecessária, passando a ser observado em todas os seus movimentos (financeiros e físicos). O estado de NY é conhecido por ter impostos altos, talvez mesmo os maiores dos EUA.

                  Aqui onde estou, um Americano esperto simulou a abertura de uma Igreja na sua própria residência. Imaginou que assim ficaria livre do Real Estate Tax. Resultado: Ganhou casa, comida e roupa lavada além de banho de sol por alguns meses.

                  0
        • Anonymous 16 de outubro de 2011 at 19:14

          Paulo,

          … Europa/EUA com o Brasil, são realidades completamente diferentes … – Concordo, pois na Banânia é TUDO caro e ruim e nos EUA é (quase) TUDO barato e bom. De fato, realidades completamente diferentes. Como eu disse, só um débil mental não percebe isso. A única exceção é o sistema de saude Americano que é, acredite se quiser, é RUIM e CARO quando comparado aos Hospitais top de linha na cidade de São Paulo.

          0
      • Augusto 16 de outubro de 2011 at 18:10

        E dai os corretores, donos de imobiliárias, e analistas e economistas desmoralizados que foram comprados pelos interessados para emitirem opiniões falsas ,ficarão em apuros e tenho certeza tentarão esconder-se embaixo de suas mesas

        0
  • Annibal 16 de outubro de 2011 at 16:15

    O que ainda me deixa de queixo caido é q todo domingo dou uma olhada nos classificados e mesmo nao vendendo, continuam a aumentar os valores pedidos… acho q houve uma hipnose coletiva e esqueceram de mim…rs

    0
  • Rogerio 16 de outubro de 2011 at 16:44

    A construtora que mais atrasa imóveis em São Paulo

    Atrasou a entrega de todos os 19 empreendimentos que lançou até agora – e ainda pressiona compradores a não processá-la

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/a-construtora-que-mais-atrasa-imoveis-em-sao-paulo

    0
  • Annibal 16 de outubro de 2011 at 18:10

    Mais um “investidor” q ficou enrolado na fase de construção…

    VENHO POR MEIO DESTE MANISFESTAR MINHA INSATISFAÇÃAO COM ESTA EMPRESA, A QUAL ABUSA DO CONSUMIDOR COBRANDO TAXAS ABSURDAS. POIS ENTREI EM CONTATO COM A CONSTRUTORA PARA DESFAZER MEU CONTRATO, O QUAL É UM CONTRATO DE ADESÃO, ONDE NÃO SÃO ESCLARECIDAS TODAS AS CLAUSULAS DO MESMO, E NEM É POSSIVEL FAZER ALGUMA ALTERAÇÃO EM ALGUMA CLAUSULA NA QUAL NOS CONSUMIDORES CONSIDERAMOS ABUSIVA. POIS AO TENTAR DESFAZER MEU CONTRATO E REAVER MEU DINHEIRO DE VOLTA, FIQUEI SURPRESO, AO SABER QUE A ROSSI SOMENTE IRA DEVOLVER 10 PORCENTO DO VALOR QUE EU PAGUEI. ISSO E UM ABSURDO, POIS A CONSTRUTORA ESTA QUERENDO RECEBER 90 PORCENTO DO VALOR QUE EU PAGUEI, E EU IREI RECEBER SOMENTE 10 PORCENTO. ISSO E UM DESCASO COM CONSUMIDOR, MAS INFELISMENTE NÓS TEMOS QUE PASSAR POR ISSO, LOGO ESTOU ENTRANDO COM ESTA RECLAMACAO NESTE MEIO DE COMUNICACAO PARA DEIXAR EXPOSTO PARA TODOS, TEREM CUIDADO COM ESTA CONSTRUTORA, POIS AGORA TEREI QUE ENTRAR NA JUSTICA PARA TER MEU DIREITO COMO CONSUMIDOR ADQUIRIDO E IREI PEDIR MEUS DANOS MORAIS, POIS ESTOU COM DIFICULDADES FINANCEIRAS, E A CONSTRUTORA NAO QUER FAZER VALER MEU DIREITO, POIS RECEBER SOMENTE 10 PORCENTO E UM ABSURDO, ELA DEVERIA ME DEVOLVER 80 PORCENTO DO VALOR QUE EU JA PAGUEI, E E ISSO QUE OS JUIZES CONSIDERAM COMO VALOR CERTO DE DEVOLUÇÃO, POREM TEREI QUE ME DESGASTAR, PARA RESOLVER ESSE PROBLEMA. SOU …….., TENHO UMA SALA COMERCIAL NO EMPREENDIMENTO VIA OFFICE…

    w w w.reclameaqui.com.br/1787448/rossi-residencial-s-a/insatisfacao/

    0
    • Piaui 16 de outubro de 2011 at 20:58

      Isso não é nada…digite no twitter @mrvengenharia e veja a quantidade de reclamações de atrasos dessa empresa. Se fosse num país sério, essa empresa já estaria com todos os seus bens bloqueados na justiça e com toda sua diretoria no XILINDRÓ.

      0
  • nathália 16 de outubro de 2011 at 18:25

    Acompanho o blog faz um tempo mas essa é minha primeira postagem.

    Gostaria que vocês me corrigissem se eu estiver pensando muita besteira:

    a demanda que se acumula diante desse aumento absurdo de preços (pessoas que, a exemplo da maioria que frequenta o blog, não querem pagar preço injusto ou que simplesmente não podem financiar o imóvel que querem) vai estar disposta a comprar seus imóveis quando os preços começarem a cair. Mas essa demanda não será uma força a puxar os preços para cima novamente, de alguma forma?

    0
    • MrK 16 de outubro de 2011 at 21:41

      nathalia, esse é um jogo de força entre oferta e demanda

      voce tem razao de que há sim uma demanda consciente que voltará a comprar a preços normais, mas existirá também uma oferta muito grande feita pelos especuladores que compraram pra revender

      o ponto é que a demanda pra comprar não tem pressa pra negociar, já a que vai vender… a cada mes que passa tomam na cabeça financiamentos, juros, condominio, iptu etc… então a pressão vai estar do lado vendedor

      onde esse equilibrio vai parar, ainda não sabemos, mas a tendencia é total de preços pra baixo

      0
      • Luiz 17 de outubro de 2011 at 11:53

        pode demorar

        0
  • Tim 16 de outubro de 2011 at 19:11

    Enguanto houver crédito!!! vai ter trouxa se individando pelo resto da vida, e pagando esses preços abusivos, mesmo porque, do contrario nunca vai conseguir comprar, porque nao tem educação financeira para economizar. anda de carrão, más, tá vendendo o almoço pra come a janta.

    0
  • Mrk 16 de outubro de 2011 at 19:50

    Olha, tenho pena de quem especulou com imovel residencial, mas mais pena ainda tenho de quem comprou sala comercial…principalmente quem comprou uma salinha pra revender ou alugar…. Essas ai vao ser micassos…king kongs…

    0
    • Mineiro BH 16 de outubro de 2011 at 20:44

      Pessoal, espiem esse texto do jornal Estado de Minas de hoje (vale dizer, espiem esse discurso do setor imobiliário de MG na data de hoje)…

      Prato cheio, acho… rs…

      Incentivos e crédito
      O segmento imobiliário, que viveu momentos áureos nos últimos anos, deve crescer em torno de 5% em 2011. É bem abaixo do índice registrado em 2010, quando cresceu 11,3% no país e 8,7% em Minas Gerais. “Mas no ano passado tivemos um crescimento considerado chinês. O ritmo agora está menos acelerado, com menos euforia”, avalia Daniel Furletti, coordenador sindical do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Minas Gerais (Sinduscon-MG).
      Apesar da crise financeira internacional, o setor ainda é favorecido pelo programa Minha Casa, Minha Vida 2, o crescimento das linhas de crédito, desemprego estável, investimentos para a Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016.

      Menos lançamentos
      Depois do boom de vendas no ano passado, os negócios recuaram neste ano. De janeiro a julho as vendas de apartamentos novos em Belo Horizonte somaram 3.660 unidades, queda de 30,55% em relação ao mesmo período de 2010, quando foram comercializadas 2.542 unidades. O número de lançamentos também recuou: foram lançadas 2.381 unidades, contra 3.541 no mesmo período de 2010.
      A escassez de terrenos disponíveis na capital, o elevado custo da mão de obra e os juros ainda altos são barreiras apontadas por Daniel Furletti para alavancar o setor.

      0
    • Paulo Prado Jr 16 de outubro de 2011 at 21:15

      MrK, realmente acho que a crise vai ser pior em imóveis comercias de baixo valor, como pequenas salas.

      O que acontece é que os compradores de salas estão em busca do aluguel e não da valorização do empreendimento em si, isso é o normal, mais com essa falta de discernimento generalizada não dúvido muito que uma porção de especuladores tenham embarcado nessa.

      Para quem de fato busca o retorno mensal atráves do aluguel das salas o negócio não será tão ruim, agora para quem especulou alavancado, esses sim terão um grande problema.

      0
      • MrK 16 de outubro de 2011 at 21:45

        Paulo, tenho minhas duvidas se o aluguel será um bom negocio

        creio que o valor recebido de um aluguel em sala comercial nos proximos anos será inferior aos juros do financiamento, acho que esse povo vai perder muito dinheiro

        as unicas exceçoes serão pessoas que derem sorte em alugar pra uma empresa que queria aquela sala por um motivo especifico, exemplo: Várias salas anexas do mesmo dono formando um hall ou localização do empreendimento crucial pra empresa locatária etc… mas em vias gerais quem comprou uma salinha vai se dar muito mal…

        0
  • coletador informações 16 de outubro de 2011 at 21:15

    Comprei 2 imóveis em Brasília em 2009, um pago a vista com 30% de desconto na tabela e com previsão de entrega para outubro 2012, outro está pronto e entrega em novembro 2011, o primeiro está quitado e o segundo juntei dinheiro para fazê-lo.
    Acompanho este espaço e acho muito interessante, por isso gostaria de críticas e sugestões sobre o que fazer.
    Agradeço e aguardo

    0
    • Tatanka 17 de outubro de 2011 at 00:43

      Venda-os pelo melhores preços que conseguir antes do segundo semestre de 2012. Aplique o dinheiro e daqui a dois anos compre quatro aptos semelhantes e ainda vai restar um trouco.

      0
      • Luiz 17 de outubro de 2011 at 11:45

        minha sugestão é ser bem discreto
        acabei de ver uma reportagem sobre o aumento de criminalidade em BSB

        0
  • Mr. Alex 17 de outubro de 2011 at 03:39

    contrutoras já ocupam 4o. lugar no Procon (passou no Fantástico)

    Assalariados pagam mais IR que os bancos (Estadão)
    economia.estadao.com.br/noticias/economia,assalariados-pagam-mais-ir-que-os-bancos,88394,0.htm

    Mas o melhor é a justificativa…
    (…o povo é muito dócil e permite que o governo faça o que quer…)

    Vulgo povo mulher de mallandro, puxador de carroça, escravos de Jó, morreu toma o terno e os anéis… Destino de povo dócil é a extinção !

    0
    • Ader 17 de outubro de 2011 at 08:54

      Comparo a nossa situação atual àquela da estória do Robin Hood. Chega o xerife para cobrar impostos e a pessoa diz que não tem mais nada para dar ao rei, de repente passa perto uma galinha ou um porquinho que são confiscados…

      0
      • Luiz 17 de outubro de 2011 at 11:48

        quarto luga rno procon???
        deixa advinhar, em primeiro celulares, em segundo bancos e seguradoras, em terceiro autos

        como diz o anonymo USA, só um debil mental pra fazer negocios aqui em banania.

        0
  • RT 17 de outubro de 2011 at 09:02

    Tem um corretor que vive me mandando e-mail com propostas… acho que pegou meu e-mail na última imobiliária onde aluguei apartamento.

    Ontem, ele me enviou uma mensagem entitulada “Seguem ótimas opções de imóveis na Zona Sul”, com nada menos que 42 apartamentos à venda, nos mais variados preços.

    Vejamos alguns exemplos.

    1 – Rua Jardim Botânico – Jardim Botânico- 130 m2, R$ 840 mil;

    2 – Rua Jardim Botânico – Jardim Botânico – 95 m2, R$ 920 mil;

    3 – Santa Clara – Copacabana – 30 m2, R$ 395 mil;

    4 – Nossa Senhora de Copacabana – Copacabana – 90 m2, R$ 730 mil;

    5 – Dona Mariana – Botafogo – 80 m2, R$ 750 mil;

    6 – Leopoldo Miguez – Copacabana – 82 m2, R$ 780 mil;

    7 – Barão da Torre – Ipanema – 95 m2, R$ 1.050 mil;

    8 – Senador Vergueiro – Flamengo – 250 m2, R$ 1.400 mil;

    9 – Selva de Pedra – Leblon – 100 m2, R$ 1.420 mil;

    10 – Professor Saldanha – Jardim Botânico – 120 m2, R$ 1.450 mil;

    11 – Barão da Torre – Ipanema – 220 m2, R$ 2.600 mil;

    12 – Rainha Elizabeth – Ipanema – 480 m2, R$ 4.800 mil;

    Como se vê, estão praticamente todos acima de 700 mil. 500 mil hoje é preço de apartamento barato… meio milhão pra classe média já tá no papo.

    Imagino que com esses preços super em conta, o mercado esteja aquecidíssimo! A tendência agora é que os preços apenas reduzam seu ritmo de crescimento, acompanhando a inflação, né?

    PLOC! Quem viver, verá…

    0
    • Eduardo Zé 17 de outubro de 2011 at 13:35

      “Baralho”, com esses preços; salário de R$10.000,00, não paga nem a injeção na testa!!!!

      Acho que eu não me enquadro na “nova classe média”.

      0
      • RT 17 de outubro de 2011 at 14:04

        Também fui ultrapassado pela “nova classe média”. Acho até que vou dizer isso ao cara que me mandou esse e-mail, pra ele se tocar que errou o público alvo.

        0
        • MrK 17 de outubro de 2011 at 14:39

          pra mim o melhor é esse “9 – Selva de Pedra – Leblon – 100 m2, R$ 1.420 mil;”

          selva de pedra é horrivel, mal localizada, mal frequentada, lugar inseguro, é o que há de pior e mais longe no leblon, custando 1.4 milhões de reais…

          como diria o alborguetti: Vá a m……!!!!

          0
  • observador 17 de outubro de 2011 at 09:10

    Só para dizer esse observador é fake, mas tudo bem vou deixá-lo usar meu nome, me reinventarei, afinal não me falta criatividade, fui!!!! Mas volto, me aguardem.

    0
  • MrK 17 de outubro de 2011 at 10:25

    A Economia está perigosa, o termo técnico pro que estamos vivendo é “protelação de prejuízos”, diversas empresas (cartões de credito, imobiliarias e concessionarias) estão adiando o problema através de liberar mais crédito.

    Funciona mais ou menos assim: Voce não pode me pagar? Ok, toma mais crédito e empurra a divida pra frente, depois a gente ve como resolve.. só que isso não pode ser feito pra sempre, até o 13o salario a galera já adiantou, algumas lojas fizeram “multirão de renegociação”… os juros no Brasil são caros demais e a inflação alta, em breve o consumo vai comecar a descer ladeira abaixo porque o orcamento familiar está sumindo e as dividas não se rolam pra sempre

    0
  • Juarez 17 de outubro de 2011 at 11:16

    Não existe bolha imobiliária! Comprar imóveis é o melhor investimento, compre um ap. hj por R$ 400 mil e venda daqui à 4 anos por R$ 900 mil, todo mundo vai ter essa grana no futuro…

    0
    • RT 17 de outubro de 2011 at 12:16

      Daqui a 4 anos “todo mundo” vai ter 900 mil?

      0
      • Luiz 17 de outubro de 2011 at 13:02

        deus te ouça

        0
    • Vinicius Lima 17 de outubro de 2011 at 13:10

      Espero, do fundo do coração, que você esteja sendo sarcástico…

      0
      • Luiz 17 de outubro de 2011 at 13:28

        pq? vc não quer ser milionario?
        ja estou sonhando em como vou gastar os meus 900 mil

        0
  • Jack Imóveis 17 de outubro de 2011 at 11:20

    Juarez,

    Muito grato. Mas acho que hoje em dia não existem mais apartamentos de R$400.000,00.

    A não ser que comecem a lançar unidades com 30m2. Ops, e não é que já lançaram.

    Jack – Pobretão

    0
    • Luiz 17 de outubro de 2011 at 11:42

      quando eu tiver 900 mil daqui a 4 anos vou comprar uma mansão no exterior por este valor,
      de brinde ainda me dão green card

      0
  • Melissa 17 de outubro de 2011 at 12:01

    “http: // g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2011/10/proprietarios-de-imoveis-no-df-podem-assumir-divida-de-construtora.html”

    Proprietários de imóveis no DF podem assumir dívida de construtora
    Valor de R$ 7 milhões seria referente à taxa de alteração de uso do terreno.
    MP quer evitar que compradores em Águas Claras arquem com cobrança.
    Do G1 DF

    O Ministério Público do Distrito Federal recorreu à Justiça para evitar que compradores de um empreendimento da construtora MRV, em Águas Claras, a 18 quilômetros de Brasília, tenham que pagar taxa de alteração de uso do terreno ao governo do Distrito Federal. O pagamento seria uma responsabilidade da construtora.
    A área utilizada para a construção de 11 prédios de um condomínio deveria ter sido usada na edificação de uma escola. Para receber autorização do GDF para fazer a mudança de destinação, a empresa teria que pagar uma taxa, o que, segundo os compradores, não foi feito. O receio é que a conta de R$ 7 milhões tenha que ser paga por eles.
    O caso de alteração de uso é o primeiro que chega ao Ministério Público. Segundo o promotor Roberto Binicheski, a empresa vai ser chamada para tentar um acordo. “Juridicamente é possível afirmar que o governo ainda pode querer cobrar essa dívida do adquirente”, alerta.
    Além da taxa de alteração de uso, proprietários enfrentam problemas com o atraso da obra. Dos 11 prédios do condomínio, só três foram entregues até agora. Quem comprou nas outras oito torres espera há um ano e meio para receber o imóvel.
    A nutricionista Tainá Fernandes pensou que iria para o apartamento antes do noivado. Mas há dez meses ela e o marido pagam R$ 1 mil de aluguel porque até agora não saiu a averbação do habite-se. “É um prejuízo moral e financeiro”, fala a nutricionista.
    Passados seis meses do prazo de entrega, as construtoras são obrigadas a pagar multa de 2% sobre o valor atualizado do contrato. Segundo os compradores, a empresa não está fazendo isso.
    A construtora MRV informou que a cobrança da taxa de alteração de uso está sendo discutida na Justiça e uma liminar garantiu o habite-se. Em relação aos clientes, a MRV garante que nenhum deles sairá prejudicado.

    0
    • John 17 de outubro de 2011 at 12:36

      Por todos esses riscos, comprar na planta deveria ser muito mais barato. Mas o que se vê hoje em dia é empreendimento caríssimo na planta, podendo superar até similares usados. Realmente imóvel virou artigo de especulação…

      0
  • Rodrigo 17 de outubro de 2011 at 12:53

    Como disse antes, primeiro vem o título de propriedade depois os impostos. Quanto é mesmo IPTU do m2 da Zona Sul??? Agora esta todo mundo feliz, mas quando vir a conta (luz, água, IPTU).

    Habite-se tira da ilegalidade casas em favelas
    O Globo, Rogério Daflon, 17/out

    Prefeitura concedeu documento a 5.253 famílias desde 2009; moradora sonha agora com registro definitivo

    Morador do Morro Dona Marta, o estofador Sebastião de Castro, de 59 anos, puxa pela memória e recorda o passo a passo da construção de sua casa na favela da Zona Sul. Há dois meses, sua residência recebeu da prefeitura o habite-se (documento em que consta a autorização para a ocupação e o uso do imóvel). Naquele momento, pela cabeça de Sebastião passou um filme de todo o esforço que ele fez nos últimos 50 anos até conseguir ter uma moradia.

    – Meu pai veio da Bahia e se instalou numa favela na Rua Macedo Sobrinho, no Humaitá. A favela desapareceu no governo Carlos Lacerda, quando todas as casas ali foram demolidas. Fomos para um conjunto habitacional e, em seguida, para uma cabeça de porco na Rua Bambina, em Botafogo – lembra ele, contando apenas algumas passagens de sua trajetória em busca de uma casa.

    Sebastião faz parte das 5.253 famílias cujas casas receberam o habite-se na atual administração municipal, um número quase 20% superior ao verificado nos seis anos an-teriores, quando foram expedidas 4.406 certidões.

    A ida de Sebastião para o Morro Dona Marta ocorreu quando sua ex-mulher com¬prou um terreno na comunidade. A transação foi feita sem qualquer documento.

    – Com pouco dinheiro, eu, meu irmão, minha mãe e minha ex-mulher levantamos essa casa no braço, trazendo tijolos e sacos de cimento ladeira acima – diz Sebastião, ressaltando que, na época, tinha apenas 19 anos.

    Com as economias de toda uma vida, a aposentada Rose Mary Cox, de 70 anos, adquiriu sua casa há 11 anos na favela Fernão Cardin, em Del Castilho.

    Ela ainda guarda o recibo de compra e venda do imóvel registrado no cartório de Pilares.

    – Comprei como posse, mas, com o habite-se, estou mais perto de conseguir o registro definitivo. Moro aqui há 11 anos. Eu sou a terceira dona desta casa, e todas as vendas foram feitas com recibo de compra e venda – conta.

    Para Severino Gomes, morador do Morro do Cantagalo, em Ipanema, o habite-se significa algo mais simples:

    Cresci no Cantagalo ouvindo dizer que a favela ia sair daqui, e eu teria de sair da minha casa. As coisas mudaram.

    OAB: donos devem ir ao RGI

    Membro da Comissão de Direitos Urbanísticos da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio (OAB-RJ), o advogado Mário Azevedo explicou que o próxi¬mo passo para a regularização das casas de Sebastião, Rose Mary e Severino Gomes é levar o habite-se ao Registro Geral de Imóveis (RGI) das regiões:

    – O habite-se é um certificado da prefeitura que atesta se uma casa tem condições sanitárias e habitacionais e está numa área segura em termos geológicos. Dessa forma, as famílias terão a certidão definitiva do RGI.

    O secretário municipal de Urbanismo, Sérgio Dias, disse que o habite-se é dado após avaliações técnicas de arquitetos do Posto de Orientação Urbanística (Pouso). Atualmente, há 27 Pousos, com atuação em 80 favelas. Há ainda o Pouso Itinerante, que é levado a favelas onde não há instalações fixas do serviço. Recentemente, a secretaria contratou 12 arquitetos para se somar aos 24 que já faziam esse trabalho nas chamadas áreas de especial interesse social.

    O secretário disse ainda que, em abril, um decreto da prefeitura determina que o crescimento de todas as favelas deve ser contido e li¬mita a dois andares o gabarito dessas áreas. Há outras 30 áreas com decretos específicos que permitem um gabarito de até três pavimentos.

    0
  • Ar Quente 17 de outubro de 2011 at 13:00

    Matériazinha bem confusa sobre aluguel.

    webdiario.com.br/?din=view_noticias&id=57175

    Região é a única do Estado de SP com alta nos contratos de aluguel

    Erica Celestini
    ([email protected])

    A região Oeste foi destaque no mercado de locação de imóveis usados em março. De acordo com pesquisa do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (Creci-SP), divulgada esta semana, ela foi, junto com ABC e Guarulhos, a única área do Estado com alta no número de contratos.

    A elevação foi de 6,54% sobre fevereiro, enquanto a média estadual registrou queda de 10,49%. O resultado negativo foi mais acentuado no Interior, com baixa de 18,22%, seguido pela Capital (-6,26%) e Litoral (-4,17%).

    As 1.606 imobiliárias consultadas pelo Creci-SP em março em 37 cidades do Estado de São Paulo alugaram 3.100 imóveis, dos quais 53,52% eram casas e 46,48%, apartamentos.

    Nas cidades da região Oeste no Litoral, os apartamentos e casas mais alugados concentraram-se na faixa de até R$800, com 64,63% e 72,18% dos novos contratos, respectivamente. Na Capital, a faixa que concentrou a maioria das novas locações foi a dos aluguéis mensais de até R$1.000, com 55,40% do total de novos contratos. No Interior, os mais locados em março foram os imóveis com aluguel de até R$600, somando 50,23%.

    Garantia

    O fiador foi a forma mais adotada em março como garantia de pagamento dos aluguéis em caso de inadimplência dos inquilinos. Esteve presente em 48,11% dos contratos fechados na região.

    A pesquisa Creci-SP constatou ainda que em março estavam inadimplentes 3,86% dos inquilinos com contratos em vigor em todo o Estado, número 2,39% maior que o de devedores de fevereiro.

    Aluguéis subiram 2,2% em abril, segundo Secovi

    Enquanto os preços para venda estão em baixa, os aluguéis sobem. Pelo menos na Capital. Os contratos novos de aluguel assinados na cidade de São Paulo em abril registraram aumento médio de 2,2% em relação aos preços de março, segundo levantamento mensal do Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP (Sindicato da Habitação).

    Com essa alta, o acréscimo acumulado nos últimos 12 meses foi de 15,82%.

    “Os valores estão em ascensão na capital paulista porque a demanda por imóveis para alugar é bem mais alta do que a oferta de moradias”, justifica Francisco Crestana, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Sindicato. Ele lembra que, hoje em dia, mal um imóvel fica vago, há uma fila de interessados para alugá-lo. “Muita gente prefere morar perto do trabalho, elevando a demanda por aluguel, que sempre foi disputado, entre outros, por estudantes e profissionais que vêm trabalhar por um período predefinido na cidade”, explica.

    Os imóveis alugados mais rapidamente foram os sobrados e as casas, que foram locados em um período médio de 12 a 30 dias. Os apartamentos tiveram desempenho inferior: o IVL (Índice de Velocidade de Locação), que mede em número de dias quanto tempo um imóvel vago demora para estar alugado, oscilou entre 18 e 37 dias.

    0
    • Luiz 17 de outubro de 2011 at 13:07

      Em março (mes bom) 1.600 imobiliarias fizeram 3.200 alugueis a maior parte na faixa de mil reais

      Calculando…

      … 2 alugueis por imobiliaria
      …. 2.000 reais de faturamento por mês.

      conclusão: devem estar caçando cachorro a gritos

      0
    • Luiz 17 de outubro de 2011 at 13:21

      Queda forte de alugueis em quase todo o estado SP

      média estadual registrou queda de 10,49%.
      no Interior baixa de -18,22%,
      seguido pela Capital -6,26%
      e Litoral -4,17%.

      Olha o que o palhaço Crestana disse sobre estes números:

      piada1: “Os valores estão em ascensão na capital paulista porque a demanda por imóveis para alugar é bem mais alta do que a oferta de moradias”, justifica Francisco Crestana, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Sindicato.
      piada 2: hoje em dia, mal um imóvel fica vago, há uma fila de interessados para alugá-lo.
      piada 3: “Muita gente prefere morar perto do trabalho, elevando a demanda por aluguel, que sempre foi disputado, entre outros, por estudantes e profissionais que vêm trabalhar por um período predefinido na cidade”

      0
      • Ar Quente 17 de outubro de 2011 at 13:50

        Eu falei que a matéria era confusa!
        Num parágrafo ela diz que tá tudo no vermelho e no parágrafo seguinte diz que:

        “Os valores estão em ascensão na capital paulista porque a demanda por imóveis para alugar é bem mais alta do que a oferta de moradias”

        Em uma palavra (só pra quem leu 1984): duplipensar

        pt.wikipedia.org/wiki/Duplipensar

        “Duplipensar é a capacidade de guardar simultaneamente na cabeça duas crenças contraditórias, e aceitá-las ambas.”

        0
        • Luiz 17 de outubro de 2011 at 14:52

          comentário perfeito. Fico desconfiado se existe uma escola pra essa gente

          olha o caráter do presidentes do ramo, ele não tá nem aí, o importante é passar uma mensagem “positiva” pro mercado, não importa os meios

          0
        • Vinicius Lima 18 de outubro de 2011 at 13:15

          Excelente referência do livro 1984 do George Orwell… aliás, dá pra fazer muitas outras analogias da sociedade Brasileira com a do livro…

          0
  • MrK 17 de outubro de 2011 at 13:28

    imovel na planta SEMPRE tem que ser mais barato que o similar usado, isso é parte do binomio risco e retorno que rege o mercado

    imovel na planta tem mais riscos (atrasos, construção não ser similar a prometida, risco de insolvencia da construtora, problemas estruturais, etc.), além de ter que se esperar usualmente 2 anos e meio para ter o bem.

    somente numa distorção de mercado o imovel na planta pode ser igual ou mais caro que o usado, isso prova que vivemos um momento transitorio, especulativo, que não vai durar.

    0
  • Álvaro Guilherme 17 de outubro de 2011 at 13:49

    É a primeira vez que posto aqui.

    Devo reconhecer que, pelo menos, parece que o Secovi-SP dá a cara a tapa. Regularmente leio nos jornais notícias a respeito.

    E no Rio de Janeiro? O que diz o Secovi daqui? Parece que estamos no mundo de “Poliana”, onde tudo é uma maravilha, céu de brigadeiro, mar de almirante. Parece até que estamos numa novela da Globo – onde o Rio é só o Leblon e o Leblon é melhor que o céu.

    0
    • Andre Luiz 17 de outubro de 2011 at 15:44

      Álvaro,

      O Secovi do Rio não divulga os dados. Acredito que ele não os tenha, mas pode ser por eles não serem interessantes no momento.

      0
  • Fausto 17 de outubro de 2011 at 13:56

    Bolha, é possível aumentar o número de comentários a serem exibidos no feed? Atualmente está apenas 10. Se puder deixar uns 30 ou 50, seria ótimo…

    0
  • danilo 17 de outubro de 2011 at 14:16

    Vamos esperar o fechamento da bolsa. Olhando superficialmente, os “ganhos” da semana passada começaram a derreter.

    0
  • Lucas 17 de outubro de 2011 at 14:23

    Mais uma reportagem:
    Pra bom entendedor meia palavra basta.

    Banco americano reduz preço-alvo de ações de construtoras brasileirasDo UOL Economia, em São Paulo

    O Goldman Sachs reduziu nesta segunda-feira os preços-alvo das ações de construtoras e incorporadoras no Brasil, com base em perspectivas de desaceleração dos lançamentos e maiores custos de construção.

    O valor-alvo para a PDG Realty (PDGR3) foi reduzido de R$ 13 para R$ 10,50, enquanto o da Rossi (RSID3) caiu de R$ 16 para R$ 13, o da Cyrela (CYRE3) passou de R$ 18,50 para R$ 17, e o da Gafisa (GFSA3) caiu de R$ 10 para R$ 7,50.

    O preço-alvo da Even (EVEN3) recuou de R$ 11,50 para R$ 9, o da MRV (MRVE3) passou de R$ 15,50 para R$ 13,50, e o da Brookfield (BISA3) diminuiu de R$ 10 para R$ 7,50.

    “Nosso modelo agora incorpora um crescimento mais lento em novos lançamentos, ciclos mais longos de construção, maiores custos e alavancagem menos operacional”, afirmaram os analistas Leonardo Zambolin e Bianca Cassarino, em relatório.

    Ainda assim, o banco reiterou a recomendação de compra para PDG e Even por considerar que ambas oferecem a melhor combinação entre gerenciamento de risco e crescimento.

    (Com informações da Reuters)

    0
    • Pedrao 17 de outubro de 2011 at 14:42

      hueheuehueheuhe
      mais claro impossivel
      cade os especialistas de julho dizendo q as ações de imoveis estavam boas para comprar?

      0
      • Luiz 17 de outubro de 2011 at 14:56

        isso significa que tudo abaixo deste valor-alvo o algoritmo automatico funciona na função comprar

        mas eles podem dar um “stop” manualmente, ou alocar um maximo de recursos/dia pra comrpa delas.

        0
  • Classe Media Brasileira 17 de outubro de 2011 at 14:46

    A Dilma e o PT não vao deixar que se forme uma bolha no brasil. Eles não vão querer perder todas as conquistas que conseguiram no ultimos 9 anos, elevando a capacidade de compra da população em geral e tornando o brasil um candidato a integrar a lista dos paises de primeiro mundo.

    Enquanto isso a pobrada fica torcendo pro mundo acabar pra poder comprar um barraco…

    Se perdessem menos tempo postando besteiras e trabalhassem mais, talvez conseguissem comprar uma casinha com alto potencial de valorização, que é o que vai acontecer pelos proximos 10 anos.

    0
    • Evandro CPS 17 de outubro de 2011 at 15:00

      troll…

      0
    • Ar Quente 17 de outubro de 2011 at 15:00

      Como assim?
      O Dilma e o Luiz Inácio não só deixaram colocar Ar Quente no balão, mas também ajudaram a construi-lo com o MCMD e com a flexibilização das regras no crédito.

      0
    • Luiz 17 de outubro de 2011 at 15:06

      eu entendo o desespero deles.

      Este mês a Lopes (aquela do estagiario bocudo que prometeu valorizar 5 vezes em 20 anos) pré-lançou um empreendimento em frente à minha casa, assim de cara, dá pra instalar uma camera e ver toda a “movimentação” do stand

      é de dar dó, 4 corretores, senhores de idade, ternos finos, passaram o fim de semana chuvoso inteiro lá sentados naquelas cadeiras de platico folheando os folders, é de dar pena, senhores distintos que poderiam estar trabalhando ou ao menos vendo tv com a família, mas estão lá, mofando, sozinhos, infelizmente o dinheiro que ganharam nos bons tempos não trouxe educação não trouxe cultura, não sabem nem conversar uns com os outros, só cresce o rancor. São uns pobre coitados, a miséria humana nua e crua, juro que pela primeira vez senti dó deles.

      Colegas porfavor nãos os humilhem mais, a vida deles é dura.

      0
      • Paty 17 de outubro de 2011 at 15:10

        Amigo Luizinho, quero morrer sua amiga..kkkk

        0
        • Luiz 17 de outubro de 2011 at 15:42

          Paty amiga, como estão as coisas aí no mato grosso (minha memoria anda ruim, se errei desculpa)

          Pelo jeito todo mundo vai ter 900 mil daqui 4 anos, menos os corretores, né? rsrs

          0
          • Paty 18 de outubro de 2011 at 09:02

            Oi Luiz eu estou de ferias fiz umas viagens pelo Brasil e agora estou de mudança pronta para voltar para a terra do tio sam por 2 anos… ainda bem que nao comprei um terreno e com vc td belezinha, abraços.

            0
    • Paty 17 de outubro de 2011 at 15:07

      A santa Dilma de Caucutá sabe que o mar nao esta para peixe , o que ela faz é colocar td embaixo do tapete.. se vc pensa dessa maneira compre muitas açoes das constutoras e umas 3 casas financiadas e´pague td em 30 anos.. Eu nao tenho essa sua inteligencia financeira prefiro guardar, poupar e ter algo realmente meu, ninguém consiguira fazer uma lavagem cerebral em minha cabeça. O setor imobiliario é mais um setor da economia e para quem entende a conta 1+1=2 na base 10, sabe bem que toda a atividade economica enfrenta momentos de baixa e de alta. Mais sim eu sei no Brasil é diferente..kkkkk

      0
      • danilo 17 de outubro de 2011 at 15:22

        Investi uma grana fictícia UOL INVEST nas construtoras há 7 meses, para ver o q aconteceria. Estou nas últimas colocaçoes do ranking. Pior é quem fez isso de verdade rsrsrs.

        0
    • Ader 17 de outubro de 2011 at 15:07

      “é o que vai acontecer pelos proximos 10 anos.”, qual a sustentação disso… O pior cego é aquele que não quer enxergar…

      0
    • Anonymous 17 de outubro de 2011 at 15:13

      Bem-vinda Mãe Dináh! (só pelos próximos 10 anos)

      0
    • Lucas 17 de outubro de 2011 at 15:19

      Classe Média, ninguém aqui está torcendo pra nada.
      Se você rever todos os tópicos vai ver que o que está acontecendo com a economia brasileira é insustentável!
      crédito absurdo, um país sem estrutura, é bueiro e butijão de gás explodindo, engarrafamentos, enfim, tudo de ruim.
      Agora, quem tá torcendo pra tudo quebrar são as construtoras, as imobiliárias e os especuladores, se você quer reclamar de alguma coisa, procure estes, pois quando houver o PLOC, esses vão estar rindo de tudo isto e a gente aqui que não tem nada haver, vai se ferrar também por causa da irresponsabilidade.
      Toda hora é revisada pra baixo a expectativa de crescimento do Brasil para este ano, e a inflação lá em cima, me explica isso então dr. classe média.

      0
    • RT 17 de outubro de 2011 at 15:41

      “tornando o brasil um candidato a integrar a lista dos paises de primeiro mundo”

      “Classe Média Brasileira” é o sobrenome.

      O primeiro nome deve ser “Nova”.

      Mais um encantado com o crescimento do país baseado em carnês e crédito fácil. Um dia a conta chega… e quando isso acontecer, quem vai conferir um mínimo de sobrevida ao mercado imobiliário vai ser a orgulhosa pobrada aqui…

      0
    • Eduardo Zé 17 de outubro de 2011 at 16:05

      Tá bom esperar dez anos, pra quê???

      As maiores economias do mundo derretendo desde 2008, e Brasil vai sair ileso???

      Conta outra meu!!!!

      Continue comprando, financie tudo, assine avalista, mete bela.

      0
      • j 17 de outubro de 2011 at 16:26

        Vc está redondamente enganado. Eu particularmente queria que o brasileiro médio pudesse pagar o preço de metro quadrado com tranquilidade – ainda que fosse como em Mônaco, ter um carro top, segurança e alimentação sem problemas, escolas decentes públicas e as privadas com preço do orçamento, e ainda sobrasse dinheiro para supérfluos.
        Os valores deveriam ser compatíveis com a realidade econômica, bem como deveria sobrar dinheiro para ser melhor empregado.
        O grande problema é que infelizmente, a renda do brasileiro não comporta isso. A bolha, na verdade, ela é excludente; é ilusão pensar que muitos enriqueceram; quem enriqueceu mesmo, minoria, foram os construtores, bancos, alguns corretores e demais agentes, que drenaram a economia de recursos que poderiam estar sendo melhor alocados/investidos em outros setores.
        O pior, como já disse em post anterior, é que compramos dívidas de 30 anos que enriqueceram mais uma vez estrangeiros; de maneira daninha, como sempre, continuamos como colônia de exploração.
        Até mesmo quem obteve, em tese, preços altos com vendas de apartamentos por valores mto altos, em alguns casos entrou na dívida (vende apto de 1 milhao e troca por um com um quarto a mais pelo baixo valor de 1 milhão e meio).
        Esse dinheiro está sendo retirado do mercado e concentrado cada vez mais na mão de poucos, não tenham ilusão.
        Abrindo um parênteses, quem está na base da pirâmide sempre paga mais. Eu por exemplo posso comprar coisas q compro no Brasil por um preço mto menor nos EUA; quem é pobre paga por uma camiseta na C & A ou loja equivalente por preço que pagamos em lojas muito melhores fora, e que dura efetivamente mto mais; essa é a reiterada e contínua exclusão.

        Para não esquecer sobre drenagem de dinheiro e especulação, vejam a Grécia…

        0
        • j 17 de outubro de 2011 at 16:31

          http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/noticias/6-produtos-que-parecem-premium-mas-nao-sao

          Vejam esse site e verão como brasileiro paga caro por coisa pior,e não é realmente culpa só dos impostos, mas do lucro brasil. É possível que algumas montadoras não tenham quebrado por culpa dele.
          Na verdade, comprei uns cremes desses da Victoria Secrets para minha ex-namorada e foram U$ 3,50 (acho que são os mesmos pelo preço equivalente no Brasil)

          Repito que um colega que mostrou a propaganda de fundos nos EUA que investiam em obras para o MCMV; ou seja, nosso subsídio, derivado dos nossos altíssimos tributos, estão sendo utilizados quase diretamente para enriquecer estrangeiros.

          Bem vindo ao verdadeiro capitalismo mais selvagem do planeta!

          Obs.: Estou longe de ser socialista, quero somente que nosso capitalismo permita que nossas riquezas sejam utilizadas para alavancar a economia brasileira e nós brasileiros fiquemos ricos e no Brasil hehe

          0
          • GPTFN 18 de outubro de 2011 at 00:23

            Eu discordo de vc J. , victoria´s secret está longe de ser um produto “popular”(pelo menos no Brasil) visto que os seus concorrentes aqui no Brasil tem qualidade inferior (avon, nivea, jequiti, etc.). E o seu carro chefe, as lingeries, tem preço bem razoavel se forem lançamento.
            E o valor do creme nos EUA é $6,00 a unidade, na promoção se vc comprar 6 un, o normal é $9,00.
            Essa matéria é muito tendenciosa. Como pode afirmar q pista vip não vale a pena?
            Se não valesse os ingressos simplesmente não venderiam!

            0
            • Philis 18 de outubro de 2011 at 03:26

              “Se não valesse os ingressos simplesmente não venderiam!”

              Vende porque brasileiro é besta e adora se mostrar pros outros.

              0
              • Fernando 18 de outubro de 2011 at 11:14

                hehehehe… realmente…
                quando fui pra Miami com a minha mulher, passamos em algumas lojas da Victoria Secret. Imaginavamos algo totalmente diferente. Os produtos são de mau-gosto e péssima qualidade, começando pelas lingeries. Existem marcas e modelos nacionais de qualidade melhor, tanto em design quanto acabamento. Em relação aos cosméticos, existem marcas importadas muito melhores que a VS (como body store, locittane, etc). Não vou longe, muitos cosméticos nacionais são melhores que os da Victoria. Saimos das lojas da VS com uma péssima impressão.

                Brasileiro precisa melhorar a sua auto-estima, parar de ficar se deslumbrando lixo que vem de fora e cagar para as coisas excelente do seu país, começando pelo seu povo. Mas aí já é papo antigo, coisa lá da época colonial, que se repete pelos interesses mercantilistas dos gringos que tem muita influencia no país. Desconfio que muitos trolls fugiram as aulas de Historia.

                0
              • Luiz 18 de outubro de 2011 at 11:19

                Prezado gtfn
                Vitoria secret lá é popular sim, é igual lojas Marisa daqui.
                confirmo e atesto… mas se vc duvida entra no site, entregam em casa pelo correio.

                ingressos então, lá não tem isso de vip, alias tem, vip lá são camortes com vidro fume pra celebridades poderem ir
                Os ingressos mais caros dificlmente passam de 50 euros nas melhores casas, se quiser vc fica na boca do palco, sem grade nenhuma. Assisti Armin Van Burren por 40 euros, dava pra tocar nele, aqui custou 400 reais e no vip dava pra ver o tapume de 2 metros de altura.

                0
                • GPTFN 18 de outubro de 2011 at 12:03

                  Luiz eu não disse q não era popular lá, disse q não é popular aqui!
                  Está entre parenteses!
                  Quanto ao fato de entregar pelo correio, não vejo o pq isso deprecia alguma coisa. É uma boa estatégia para incerementar as vendas, por isso é adotada para produtos e serviços que se julga apropriado. Tanto que livros são vendidos, atualmente, quase 50% em lojas virtuais.
                  Do jeito q vc está dizendo parece até q se eu comprar uma passagem da Azul no aeroporto ela é “melhor” que um Air France que eu compre pela internet.
                  É lógico que existem outras marcas melhores que VS, porém se lá nos EUA elas não baratas, imagine aqui no Brasil! São só pra classe A.
                  Eu gostaria de saber do Fernando que má impressão foi essa. Só se em miami a loja estiver muito ruim, pq em NY a loja é enorme e tinha muita variedade.
                  Mas como gosto e impressão são coisas pessoais não dá pra discutir.
                  Agora afirmar que brasileiro é besta por pagar por pista vip é boa. Eu diria que o cara que inventou isso é um gênio, pois aumentou ainda mais a sua margem de lucro e não gastou nada de mais (só uma grade, ou tapume).
                  Agora dizer q brasileiro gosta de aparecer, ai eu concordo com vcs!
                  Fui ao rock in rio 2 dias, o que mais eu ouvia era sotaque diferente: paulistas, mineiros, sulistas e alguns do nordeste tb.
                  Tinha gente que não tinha onde ficar, mas “veio ao rock in rio” >> slogan da festa: “ROCK IN RIO! EU FUI! ”
                  Isso igual a fila de mães do lado de fora do engenhão no show do justin bieber, várias nordestinas, sem lugar pra ficar, sem um tostão pra comer, mas realizaram o sonho da filha de ver o justin bieber.

                  0
                  • Luiz 18 de outubro de 2011 at 12:30

                    correio não deprecia, pelo contrário

                    é uma facilidade pra se comprar sem sair de casa, diretamente do proprietário por quase o mesmo preço de lá, preços similares aos nacionais populares, qualidade mto superior, nisto eu discordo do Fernando. O design as vezes pode ser esquisito pro nosso padrão

                    perfumes tem sites que etregam tbm pelo correio, qualquer marca do mundo

                    0
    • Dan 17 de outubro de 2011 at 16:37

      Troll profissional, mas um péssimo profissional, diga-se. Não está fazendo seu serviço direito, camarada. Não se consegue perceber o bom troll logo de cara, hoje em dia o pessoal está acostumado, as técnicas estão manjadas… Tente outra vez.

      0
    • Rogerio 17 de outubro de 2011 at 16:41

      O Lula não construiu absolutamente nada!!!! O Lula colheu em 8 anos a estabilização econômica que Fernando Henrique plantou nos 8 anos anteriores mesmo com esses palhaços do PT tentando atrapalhar e a Dilma está colhendo o que ela e Lula plantaram nestes ultimos 9 anos um completo descontrole do governo em todos os sentidos.

      0
      • Ader 17 de outubro de 2011 at 16:48

        Acredito que FHC e Lula colheram por 16 anos o que o Itamar plantou em 2 anos e meio…

        0
    • Augusto 17 de outubro de 2011 at 16:57

      Acorda cumpanhero

      0
    • xyz 17 de outubro de 2011 at 17:02

      “A Dilma e o PT não vao deixar que se forme uma bolha no brasil.”

      A bolha já está muito bem formada. O que esses vão tentar fazer é adiar o estouro, enquanto tiverem fôlego para inflar a bolha.

      Acontece que enquanto mais medidas esses fizerem para adiar o estouro, quanto mais amarga vai ser a conta que o Brasil vai pagar.

      Esses vão roubar o crescimento das futuras gerações o quanto puderem. Infelizes nossos filhoes e netos, que não escaparão de pagar a conta de toda esta farra.

      0
  • Pedrao 17 de outubro de 2011 at 14:48

    Caindooooo

    Setor imobiliário no vermelho

    No setor imobiliário, as ações do MRV Engenharia (MRVE3, R$ 10,70, -3,95%), PDG (PDGR3, R$ 6,88, -3,61%) e Brookfield (BISA3, R$ 6,02, -2,27%) também registram fortes quedas, pressionando o recuo do IMOB (Índice Imobiliário) em 2,95% na sessão.

    No mesmo sentido, os ativos da Gafisa (GFSA3, R$ 5,72, -3,05%) caem. Com as perdas de margem operacional registradas desde a aquisição da Tenda, a empresa vem adotando uma postura conservadora desde o final do primeiro trimestre deste ano, quando o presidente Duílio Calciolari assumiu o comando da empresa.

    Em entrevista à agência de notícias Reuters, o executivo afirmou que um dos principais objetivos da imobiliária é finalizar o alto número de entregas hoje atrasadas. “A gestão será mais conservadora, mais voltada para as margens, para rentabilidade e redução de endividamento”, disse.

    0
  • MrK 17 de outubro de 2011 at 15:51

    oglobo é muito engraçado, no seu caderno morarbem, na epoca da bolha inflando ele soltava quase diariamente uma reportagem pra dizer que tal região era a boa pra investir… agora que as vendas murcharam as reportagens são todas são “qual melhor posicao dos moveis na sala”, “qual predio tem a fachada mais clássica”, “qual cor de futton ta na moda”… hahahah

    0
    • veigalex 17 de outubro de 2011 at 20:07

      Muito boa MRK.. me rachei..

      Como mobiliar seu espaço goumert.. Churrasqueira “crassica”

      w w w.flogao.com.br/danilobests/17839040

      0
  • Classe Media Brasileira 17 de outubro de 2011 at 16:02

    Ao acompanhar o blog, li varios bons argumentos, mas é uma colcha de retalhos, eles nãointeragem entre si e não se ligarão, a menos que uma crise muito seria se instale e desencadeie um processo de recessão.

    Enquanto isso não acontece, o brasil vai muito bem obrigado. Não existe bolha porque aqui nao tem subprime. O credito é responsavel e a população tem renda para manter a inadimplecia em baixa.

    Voces estão sentados enquanto a banda passa. Deveriam entrar no jogo, antes tarde do que nunca.

    0
    • RT 17 de outubro de 2011 at 16:07

      “Colcha de retalhos”?

      Você está enganadíssimo. É possível relacionar TODAS as discussões que desenvolvemos aqui a um mesmo contexto.

      E aproveitando, tenho mais uma história para a série “o crédito no Brasil é responsável”: minha esposa ouviu, dia desses, um trocador de ônibus conversando com o motorista sobre o novo Citroen que comprou!

      0
    • Bee 17 de outubro de 2011 at 16:11

      Eu nunca postei antes, mas é difícil me conter ao ver alguns comentários! Gostaria de entender pq aqueles que acreditam (ou fingem que acreditam) que não existe bolha sempre vem com os mesmos argumentos desgastados, já rebatidos várias vezes? Se é pra trollar, trollem direito. Se é pra (tentar) participar coletivamente, leiam o histórico do blog. pelamor. “aqui não tem subprime” já foi tão rebatido que me dá até preguiça… acho que os “anti-bolha” seriam super bem-vindos, se contribuíssem com uma discussão de qualidade! Aproveito para acrescentar que aprendi muito lendo esse blog; estourando bolha ou não, esse espaço tem o mérito de abrir os olhos de pessoas pouco entendidas em economia, para que possam refletir de maneira mais crítica sobre a utilização de seu dinheiro.

      0
    • TH 17 de outubro de 2011 at 16:18

      “antes tarde do que nunca.”

      Existem milhares de americanos e espanhóis que discordariam de você. Eles dariam tudo agora para nunca terem entrado nessa furada.

      0
    • Ader 17 de outubro de 2011 at 16:27

      Ano passado um amigo tirou uma Ranger da concessionária, ele faz uns bicos como pintor, e me perguntei, como poderia ter condições de pagar? como conseguiu crédito? Resultado: uns 8 meses depois teve que devolver, pois não tinha mais como pagar as prestações…

      0
      • Ader 17 de outubro de 2011 at 16:35

        Ah! O amigo aí de cima falou em crédito responsável… Realmente muito responsável…

        0
    • lopes51 17 de outubro de 2011 at 16:32

      Nossa a nova classe media brasileira é linda.
      Todos são milionarios apartamento de 70 m2 por 900 mil é quase dado.
      Os argumentos não se vinculam.
      Mais como a Dona Dilma e o Sr. Lula falou aqui tudo é diferente pois o Sr. Mantega falou isso pra eles e ja virou um mantra.
      Tb é verdade que fazem parte disso a super valorização das ações das construtoras nos ultimos 12 meses valorizaram 100% e uma ação da gafisa vale 30 reais.
      Os patios das montadoras estão vazios tem que se esperar 6 meses pro seu carro chegar da montadora, pra atender a demanda o governo aumentou diminuiu o IPI dos veiculos importados.
      Os correios nunca entraram em greve, pois 807 reais de salario é muito dinheiro.
      Os bancarios não entraram em greve pq 1250 reais é uma fortuna.
      Na verdade as 2 categorias queriam uma diminuição de salarios pq ganham muito mais para tentar conter a deflação a Dilma obrigou aumento de salarios a eles.
      O brasil vive um momento de deflação.
      A china não teve que socorrer alguns bancos de maneira velada.
      O dexia é o banco que deu mais lucro no mundo.
      Sam Zell esta comprando ativamente ações das construtoras brasileiras.
      Nunca teve bolha imobiliaria nos USA Peter Schiff é um lunatico
      Por fim tudo muito sustentavel
      Vc esta certo.
      Somos todos loucos

      0
      • Felipe 17 de outubro de 2011 at 16:44

        Não precisa humilhar…

        0
      • Leo 17 de outubro de 2011 at 16:46

        Muito bom !!!! hehe

        0
    • Selvagem 17 de outubro de 2011 at 16:47

      HUHAUHUAUHAUHUA

      Esse troll deve ter saido das historias do Tolkien.

      É aquele troll dos contos de fadas!!! Volta pro conto de fadas amigo.

      0
    • Carlão_RJ 17 de outubro de 2011 at 16:48

      Entrar no jogo? Hahahahaha!!!!
      Nós já estamos no jogo faz muito tempo, rapaz. Estamos só aguardando as próximas rodadas para a diversão ser garantida.

      0
    • Augusto 17 de outubro de 2011 at 16:54

      Comentário lunático de algum corretor de imóveis sem ter o que fazer (não vendem nada), ou de algum proprietário que acreditou em Papaio Noel e acordou um dia, ou de algum investidor otário que perdeu sente sua grana sublimar-se (nem evaporar é)

      0
    • Mineiro BH 17 de outubro de 2011 at 18:29

      Gente, mais um corretor… pqp… e esse ainda usa broche do PT…

      PLOC
      PLOC
      PLOC
      PLOC

      0
    • Hik 19 de outubro de 2011 at 10:52

      Por baixo, 8 meses de atraso nos comentários.
      Não merecia rebates.

      0
  • MrK 17 de outubro de 2011 at 16:48

    Crédito de 30 anos só pode ser chamado de “responsável” se for dado para um servidor publico, estável, sem historico de calote e comprometendo algo como 20% da renda

    o resto é tudo arriscado em maior ou menor escala, as chances de uma pessoa “comum” passar por dificuldades financeiras num universo de 30 anos é enorme, e esses creditos comem uma parcela muito grande da renda

    mesmo ignorando o dito acima, se todo mundo pagar seus 30 anos de crédito, vão ser 30 anos consumindo menos, 30 anos segurando as pontas, credito não é milagre, não é dinheiro novo, é apenas antecipação de consumo, quem vai comprar casa nos proximos anos com todo mundo endividado por 3 decadas? Lembrem-se que as construtoras não podem parar de lançar!

    0
  • Classe Media Brasileira 17 de outubro de 2011 at 17:04

    Até que esse blog é interessante. Mas convenhamos, as teorias aqui discutidas nao se sustentam. Todos batendo na mesma tecla, sempre o mesmo papo furado e o mercado sempre reagindo.

    Quem é mais velho se lembra de quando o Bin Laden jogou os aviões contra o WTC. O mercado imobiliario no brasil parou completamente e ficou assim por alguns anos e mesmo assim os preços do imoveis nao cairam, apenas se estabilizaram e as vendas travaram. A conjuntura nacional daquela época nao era tão diferente da de hoje, viviamos o final do mando de FHC, que foi um grande presidente, mas o brasil enfrentava dolar a quase 4 reais, inflação subindo, real em queda, mercado de ações na minima historica, mercado imobiliario travado e, mesmo assim, os imoveis apenas se estabilizaram.

    Nao se esqueçam que vivemos por anos em situação de hiper inflação e mesmo assim os imoveis sempre foram otimos investimentos, nunca despencaram de preço, e é justamente por isso, por termos enfrentado tantas adversidades historicas que nossos pais e avós sempre dizem que “imoveis são os melhores investimentos”. Isso é fato.

    O que há de tão diferente na conjuntura atual que já nao tenhamos enfrentado anteriormente e em maior grau e gravidade?

    Pra dizer a verdade, estamos numa situação muito melhor daquela que nos encontravamos há 20 anos, quando não tinhamos perpertiva de salvação para o país.

    0
    • Andre Luiz 17 de outubro de 2011 at 17:09

      Mas naquela época os imóveis tinham dobrado de preço em 2 anos?

      Os juros da CEF tinha caído de 12% a.a. para 7,9% a.a. como hoje?

      O prazo máximo para financiamento tinha passado de 20 para 30 anos como agora?

      A gente está vivendo uma farra do crédito e do consumo. Nossos amigos EUA passaram pela mesma situação e deu no que deu. Vamos imitá-lo? E quanto à Islândia, Espanha, Irlanda? Porque só o Brasil é imune à crise? Por que a Dilma e o Mantega dizem? Fala sério…

      0
    • Luiz 17 de outubro de 2011 at 17:09

      “o mercado de imóveis no Brasil parou pq o Bin landen atacou NY”

      essa frase já é suficiente pra revelar o nivel do cara,
      nem li o resto

      Bolha esse é pra bloquear pra sempre. não agrega nada.

      0
    • Leo 17 de outubro de 2011 at 17:14

      No periodo que vc fez referencia nao houve uma valorizacao dos imoveis conforme a que estamos vivendo neste momento…. isso sem falar que naquela epoca o mundo nao estava enfrentando uma crise do tamanho da atual.

      Se os imoveis pararem de valorizar, no meu caso, ja vai valer a pena. Assim como no mercado de acoes, existem os comprados e os que estao aguardando o melhor ponto de compra. Pelos seus comentarios, acredito que voce faça parte da massa geral… dos comprados.

      Boa sorte e sucesso na sua aposta !!

      0
    • Classe Media Brasileira 17 de outubro de 2011 at 17:22

      Historicamente, sempre houve o lucro brasil e altos impostos, as montadoras sempre venderam carros carissimos e tudo mais sempre foi assim. Os imoveis tambem sempre foram quase que inacessiveis a maioria da população, para que pudessem ser comprados era necessario planejamento e disciplina. Nos ultimos anos houve uma farra de credito e todas as leis de mercado a que estavamos acostumados foram violadas. O que esta acontecendo atualmente é que os preços chegaram num patamar em que torna a compra de um imovel tão dificil como era antigamente, exigindo disciplina, programação e endividamente pelo resto da vida.

      No brasil sempre foi assim e o mercado está se auto regulando novamente. Apenas isso.

      Quanto ao Sr. Luiz, com essa postura de pedir ao bolha pra me bloquear é digno de ditadores. Não suportam ouvir opiniões que divirjam das suas. Voce só sabe falar besteira e ofender os outros, só permanece intocavel porque compartilha da mesma opinião da maioria, mas na verdade é um bosta.

      Tenho dito…

      0
      • Pedrao 17 de outubro de 2011 at 17:27

        Trolllllllll
        ueheuheuheuehu
        cada louco que aparece
        coitado

        0
        • Bolha Imobiliária 17 de outubro de 2011 at 17:28

          TRoll moderate…hehe

          0
          • Luiz 17 de outubro de 2011 at 17:32

            hahaha, boa
            obrigado bolha
            assinado Luiz III o ditador

            0
      • Piaui 17 de outubro de 2011 at 17:27

        Tá nervoso “cumpanhêro”? Corretor que não vende nada se exalta mesmo! Acabou de chegar e já quer sentar na janela! é mole?

        0
      • MrK 17 de outubro de 2011 at 17:29

        Classe, voce é bem-vindo, todos são, mas pô cara, bote uns argumentos minimamente razoaveis…

        não é nada pessoal, mas argumentos como comparar imoveis com carros ou comparar crise do bin laden com o periodo atual.. não dá, né?

        Faz assim, pra contribuir: Tenta explicar pra gente como os milhares de especuladores que compraram imoveis na planta pra revender nas chaves vão fazer pra desovar esses imoveis sem baixar os preços, dado que a demanda não paga esses preços mais e não tem mais novos especuladores entrando como antes?

        Lembre-se: Na desova das chaves não tem essa brincadeirinha de financiar 20% do valor com a construtora como fazem na planta, tem que financiar tudo e com banco

        0
      • RT 17 de outubro de 2011 at 20:39

        “a compra de um imovel tão dificil como era antigamente”

        Antigamente, em 2001?

        Fique sabendo que conheço uma pessoa que, em 2001, comprou um apartamento pertinho da Lagoa, de ótimo tamanho, por menos de 200 mil reais.

        Pare pra imaginar quanto está custando hoje.

        Esse é um exemplo dentre milhares que eu poderia citar… fato é que comprar apartamento hoje está IMPOSSÍVEL em comparação a três anos atrás, uma vez que os salários não acompanharam nem de perto a disparada dos imóveis.

        Recomendo sinceramente que você repense sua idéia de que comprar imóvel hoje está no mesmo grau de dificuldade que de poucos anos atrás. Se fizer planos baseado nessa premissa, estará ferrado.

        A menos que considere que quem ganha abaixo de 15000 já é “pobrada”.

        0
    • Ar Quente 17 de outubro de 2011 at 17:58

      “Nao se esqueçam que vivemos por anos em situação de hiper inflação e mesmo assim os imoveis sempre foram otimos investimentos, nunca despencaram de preço, e é justamente por isso, por termos enfrentado tantas adversidades historicas que nossos pais e avós sempre dizem que “imoveis são os melhores investimentos”. Isso é fato.”

      Essa premissa nem sempre é verdadeira. Basta olhar o que aconteceu nos EUA, no Japão antes da década perdida, na Austrália e em alguns países da Europa. Isso só pra citar países de 1o mundo.

      Em todos os casos, o denominador comum é o crescimento desordenado do crédito e o consequente no aumento endividamento das famílias.

      0
  • Piaui 17 de outubro de 2011 at 17:11

    Deixa ele…peixe morre pela boca.

    0
  • MrK 17 de outubro de 2011 at 17:23

    Andre Luiz disse:
    17 de outubro de 2011 às 17:09

    Mas naquela época os imóveis tinham dobrado de preço em 2 anos?

    – Eu ia até responder, mas nem precisei, obrigado André, por mostrar que as 2 situações são incomparáveis desde o inicio.

    0
    • Andre Luiz 17 de outubro de 2011 at 19:54

      É uma honra ser citado pelo nosso mais preparado comentarista.

      Você tem razão, os dois momentos são incomparáveis.

      O único medo que eu tenho, que está se concretizando, é o governo esquecer da inflação. Me parece que Dilma e os demais estão mesmo a fim de desvalorizar nossa moeda para… sei lá o quê! Diminuir os prejuízos?

      0
  • Pedrao 17 de outubro de 2011 at 17:24

    Essa daqui o editor do Estadão deixou passar, leiam o ultimo paragrafo.
    Tem reporter que quer escrever sobre o tema, mas na hr de passar pelo editor…

    Brasil constrói sua própria Manhattan, diz ‘New York Times’

    A revista dominical do “New York Times” publicou uma reportagem sobre a evolução do mercado imobiliário de São Paulo, afirmando, já no título, que o “Brasil está construindo sua própria Manhattan”.

    A cidade tem atraído executivos de bancos e de fundos e investidores de “venture capital”, além de brasileiros qualificados que voltam depois de morarem no exterior. “Todas essas pessoas precisam de um lugar para morar”, diz o “Times”, o que contribui para um boom no setor de imóveis de luxo em São Paulo.

    A milionária francesa Athina Onassis, por exemplo, vendeu um apartamento perto do Parque do Ibirapuera por cerca de US$ 20 milhões no ano passado. Na região dos Jardins, o preço médio dos apartamentos subiu 81% em um ano.

    Ser comparado com Manhattan, no entanto, nem sempre é bom. Segundo o “Times”, “o aumento do preço dos imóveis domina as conversas nos restaurantes de São Paulo, exatamente como acontecia em Nova York antes do colapso financeiro”.

    blogs.estadao.com.br/radar-economico/2011/10/17/brasil-constroi-sua-propria-manhattan-diz-new-york-times/

    0
    • Yoda 18 de outubro de 2011 at 08:21

      Esta notícia foi citada ontem no Conta Corrente, da Globo News. As notícias nos grandes veículos de comunicação estão na fase: o gato subiu no telhado!

      0
    • GPTFN 18 de outubro de 2011 at 12:26

      Eu acho até engraçado compararem são paulo com Manhatan, se eles acham q lá os preços de imvéis estão abusivos, manda olharem Brasilia e a Zona Sul no Rio.

      0
  • AUGUSTO 17 de outubro de 2011 at 17:25

    Sugiro que passemos a ignorar este tal sr(a) que se esconde atras do pseudônimo classe média. Certamente é alguém que aqui já postou atrás de outro nick e volta agora para perturbar. Deixem ele falar as baboseiras de um desesperado pela bolha que atingiu tamanho máximo, pois certamente apesar de ter muito tempo livre vai se cansar.
    Agora uma matéria de hoje no estadão, que é muito ruim para governantes tipo Sarkozy, Angela Merkel, Obama , etc (lembrem-se que já começou movimento mundial contra a ganância e politicagem)
    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia+internacional,pequisa-na-franca-mostra-59-contra-e-41-em-favor-de-ajuda-a-bancos,88513,0.htm

    0
    • Hik 19 de outubro de 2011 at 12:40

      Discordo. Se fosse alguém que já postou aqui não usaria esses argumentos tão batidos.

      Deve ser algum corretor falindo.

      0
  • Luiz 17 de outubro de 2011 at 17:36

    em breve vou escrever o
    MANUAL DE COMO RECONHECER UM TROLL IMOBILIARIO
    em Estandes ou no mundo virtual

    aceitando sugestões e idéias, vamos sistematizar suas principais estratégias.

    0
    • augusto 17 de outubro de 2011 at 18:30

      Comprimento das orelhas muito anormal para humanos, poderia ser um requisito?

      0
      • Luiz 17 de outubro de 2011 at 18:38

        rsrs, boa, pensei em coisas do tipo:
        -fingir que conhece Paris só rpa impressionar
        -finge que sabe usar a Hp só rpa impressionar
        -usar o terno do casamento
        -decorar frases chavões

        0
  • j 17 de outubro de 2011 at 17:50

    Leiam os seguintes textos:
    Mto engraçados os comentários

    http://www.amazon.com/Real-Estate-Boom-Will-Bust/dp/0385514352
    http://en.wikipedia.org/wiki/David_Lereah

    Crítica segundo a Wikipedia
    Lereah has been criticized for encouraging the rise of the United States housing bubble. According to a blog quoted by the Chicago Tribune, “In October 2005 Lereah was busy calling the bubble believers ‘Chicken Littles.’ Many of the predictions espoused by the ‘Chicken Littles’ are fast becoming closer to reality. … David Lereah has lost credibility because of his irresponsible cheerleading.”[8]
    Commenting on the phenomenon of shifting NAR accounts of the national housing market, the Motley Fool reported, in June 2006,[9]
    “There’s nothing funnier or more satisfying … than watching the National Association of Realtors (NAR) change its tune these days. The latest news release from this sunny-Jim industry group finally fesses up to its past fiction, but even when it admits the bubble’s going to pop, it can’t muster the courage to just come out and say it. … the NAR is full of it and will spin the numbers any way it can to keep up the pleasant fiction that all is well. … [T]he cracks began to show in subsequent remarks from NAR ‘Chief Economist’ David Lereah. The head outfit that ridiculed the idea of a housing bubble for years is now crying for Ben Bernanke to bring it back. … It should have been completely obvious to anyone with a loan calculator and a glance at wage increases that those months of industry bubble denials were just wishful thinking.”
    Business Week also captured David’s most famous quote:
    “The steady improvement in [home] sales will support price appreciation…[despite] all the wild projections by academics, Wall Street analysts, and others in the media.” David was Chief Economist at the National Association of Realtors when he said this. The day was Jan 10, 2007, just as housing prices steadily worsened falling even farther than many skeptics had predicted.

    Legal que ele publicou livro enaltecendo as novas tecnologias na época do estouro da bolha da internet e outro favorecendo a compra de imóveis durante a implosão recente nos EUA.

    Por fim, leiam este:
    http://www.ritholtz.com/blog/2009/01/david-lereah-jackass/
    As peças estão se encaixando tanto que é trágico, infelizmente.
    Não sei pq me lembra do pessoal de certos Sindicatos..

    0
    • Luiz 17 de outubro de 2011 at 19:21

      incrivel a semelhança de fatos e personagens

      vivemos uma tragédia reprisada como comédia pastelão com dublagem malfeita por palhaços tipo esses presidentes de Sindicato, sem contar a ralé de peões – tipinhos como padock, estagiario de mãe dinah e outros

      0
  • AUGUSTO 17 de outubro de 2011 at 17:59
  • j 17 de outubro de 2011 at 18:02

    An extraordinary, and extraordinarily important, book, February 25, 2009

    By Mark M “Mark M”

    This review is from: Why the Real Estate Boom Will Not Bust – And How You Can Profit from It: How to Build Wealth in Today’s Expanding Real Estate Market (Paperback)

    I agree with other reviewers who have pointed out that this is, in fact, an extraordinarily important book. In particular, it provides a classic example of the mentality that underlies every asset bubble. The author pulls out every trick in the book – demographic trends, financial innovation, macro trends, etc. – to argue that “this time is different.” Alas, as we all have found out, this time was not different. What goes up for no discernible reason, must come down. If something seems to good to be true, it probably is. You can try to argue that the “fundamentals have changed”, but they rarely do. And when things correct, it can be bloody. (Alas, the difference here was that the hucksters were also able to take the down the financial system, but that’s another matter.)

    But why this book is important, and why I’d suggest that every investor read it, is because it illustrates exactly the sentiments that lead to absurd behavior in asset markets. Silly assumptions. The belief that the price of some asset will continue to rise. Desperate rationalizations for those price increases. The resulting behavior is not necessarily illegal or unethical (as some other reviewers have suggested), rather it provides a classic case of the mentality that leads to excesses in asset markets. Read this book and learn from it. Because you don’t want to get caught up in this kind of garbage.

    BTW, I pity the author. Not simply because so many people attack him as an idiot or a shill for the realtors, but because his timing was so appalling. Shiller, who became famous for calling the peak of the dotcom bubble, often thanks his publisher for getting his book out at the right time. This guy’s publisher was way way off. (Of course, it also helps if you’re not, in fact, an idiot. Sorry David.)

    Comentário sobre um dos livros e extremamente assustador, inclusive para os insistentes trolls. Tragam argumentos realmente novos, quem sabe vcs conseguem… Mas não repisem no que dessa vez será diferente com os mesmos fundamentos desde as tulipas.

    0
    • MrK 17 de outubro de 2011 at 18:18

      parabéns pela excelente contribuição J

      Infelizmente no nosso caso, não só especuladores imobiliarios fizeram bobagens comprando imoveis supervalorizados esperando revende-los mais caros, muitas empresas erraram a mão feio nos investimentos, achando que o mercado consumidor interno era muito mais promissor do que realmente é.

      Tivemos aqui um surto de crédito inédito, que gerou um crescimento forte no consumo das familias, porém esse efeito é temporário, não mudamos de patamar, mas muitos gerentes financeiros de empresas, até por ingenuidade, acharam que isso era um novo patamar de vendas e assinaram investimentos pesados, contrataram mão de obra a preço de ouro, etc… agora o consumo comeca a esfriar em função do alto comprometimento da renda com crédito, quem se beneficiou se beneficiou, quem não se beneficiou senta e espera a proxima rodada, pois vai demorar…

      0
    • Luiz 17 de outubro de 2011 at 18:23

      J eu vi o seu post da Exame sobre produtos populares que aqui chegam como grifes e queria comentar aqui e fazer um link com o troll

      (Bolha de vez em quando é bom soltar um destes rpa gente dissecar)

      Uma das estratégias que eles usam é fazer a copisa parecer muito melhor do que realmente é.
      Vou dar exemplos práticos que vcs podem conferir:

      roupas – no BR entraram recentemente novas marcas que lá são vendidas em megastore ou lojas populares: a Zara como mostrou a Exame, ou a Benetton e mesmo marcas como louis Vutton que por lá são médias. Eu vi nestas lojas roupas sendo vendidas a 1 euro na liquidação, mala de viagem da louis por 15 euros. Aqui v cmultiplica por 100 ou por 1.000

      carros – está na moda entre os europeus estes mini carros tipo1.3 com 3 cilindros, há varios lançamentos desde 4 mil euros até uns 15 mil no maximo, cinquecento da fiat, smart da mercedes, 107 da peugeot, c2 da citroen, twingo da renault, mini da bmw, os chinesinhos, etc.
      são mega equipados por causa da legislação de segurança – abs, airbag triplo, ebd, ….
      Aqui chegam a cobrar de 22 mil a 100 mil reais e vem peladão

      telefone – lá as linhas são de graça e os aparelhos são dados de brinde, aqui 1 linha já custou um carro zero, hoje é quase de graça, mas pra usar custa uma fortuna

      imóveis – no exterior praticamente todo mundo tem o seu imóvel , mesmo imigrantes (legais) em pouco tempo conseguem aduqirir o seu (mesmo com a crise) e a comercialização é com imoveis absolutamente equipados – aquecedor, móveis, chuveiros, eletrodomésticos, armarios, quase tudo, só faltando o que é absolutamente pessoal. A comparação entre uma casa daqui e lá fica capenga, pq o que se gasta aqui pra poder morar num imovel novo é quase o preço de uma casa lá.

      Agora o link com o troll: a medida que o cosnumidro brasileiro toma consciencia, ele passa a exigir mais, e é exatamente isto o que os caras querem atacar na gente, eles querem convencer que casa é um artigo de luxo só para os muito ricos, todo o resto fica escravo ou do financiamento ou de alugueis altos.

      0
      • Andrade 17 de outubro de 2011 at 20:15

        Oi, concordo com vc em todos os pontos, menos um… vc deve ter visto alguma bolsa de nome parecido com Louis Vitton pois 15€ ou $ … por uma bolsa LV… nao existe nem na China, alem de que nunca foi nem nunca será considerado um produto “médio”, até hj é a creme do setor de marroquinerie! Minha esposa tá de testemunha 🙂 Morei 3 décadas na Europa e nunca vi LV por menos de 200 – 300 €… e isso talvez num simplèrrimo porta chaves!

        0
        • luiz 18 de outubro de 2011 at 08:53

          olha, não sou especialista em bolsa, compramos numa loja no centro de Madrid por ese valor e uma parecida no iguatemi custava mil e poucos. Acredito q não exista piratas numa loja do centro da cidade, em baixo de toda a fiscalização e ódio contra produtos china, e abolsa é absolutamente identica.

          0
      • RT 17 de outubro de 2011 at 20:51

        “eles querem convencer que casa é um artigo de luxo só para os muito ricos,”

        Eles até teriam alguma chance de sucesso se – no exemplo do Rio – os ricos existissem em número suficiente pra pagar 400 mil em quitinetes em Copacabana, ou 650 mil em 2 quartos pequenos com vista pra favela em Botafogo.

        Aliás, a questão do “público alvo” também é interessante… quem quer morar em quitinete não é rico, nem classe média… ou seja, dificilmente tem bala na agulha pra pagar 400 mil…

        Esclareço para quem não viu meu post lá em cima que esse preço não é fictício: dia desses, um corretor me enviou uma mensagem oferecendo uma quitinete em Copacabana por 395 mil. Como sou da “nova classe pobre”, tendo sido ultrapassado pela “nova classe média que compra coberturas de 2 milhões”, tive que declinar.

        0
      • Yoda 18 de outubro de 2011 at 08:28

        Discordo sobre todo mundo tem a sua casa na Europa. Morei em Milão no ano 2000, os preços eram proibitivos para qualquer italiano da classe média. Um mutuo (financiamento imobiliário na Itália) também paga-se em décadas. Não faço ideia quanto aos juros.

        Perto de Veneza tenho alguns amigos que estão construindo nas propriedades da família porque não tem perspectiva de conseguir comprar um imóvel.

        Não sei quanto ao resto da Europa ou em regiões mais pobres da Itália. Não acompanhei o mercado desde que voltei pra cá. Apesar dos altos preços dos imóveis, me arrependi de não ter ficado por lá mais tempo.

        0
        • Luiz 18 de outubro de 2011 at 10:19

          Prezado Yoda, podemos rocar experiencias, estive na região de Bolonha em Modena, e outras 4 cidades da costa leste e oeste. Realmente perto de Milão é mais caro, mas de resto 90% do mercado segundo as imobiliarias que consultei os imoveis estão na faixa de 60k a 400k. Conversando com gente de lá me falaram que quase 100% da pop é proprietária, que na zona do euro a Italia tem o maior indice de casas proprias, que isso é tradicional lá, junto com a região da escandinavia.

          0
          • Yoda 18 de outubro de 2011 at 10:57

            Milão deve ser fora do normal mesmo. Por curiosidade, agora mesmo, andei vendo alguma coisa em umas cidadezinhas italianas pela Internet, cidades sem muita atividade econômica importante. Dá pra comprar algo novo pelo mesmo preço de Águas Claras, onde moro. Não pesquisei a fundo.

            Quem sabe quando me aposentar volto pra lá, e com a crise de lá e tudo, meu sonho é voltar pra Milão e não sair mais de lá.

            0
            • Luiz 18 de outubro de 2011 at 11:06

              Uma amiga indicou fortemente Rimine pela boa localização, qualidade, clima, vida agitada e preços moderados. Fica a poucas horas de Milão

              0
              • Yoda 18 de outubro de 2011 at 13:05

                Se não me falha a memória, Rimini fica mais próximo de Florença do que Milão, não lembro bem porque fazem mais de 10 anos que estive em Rimini, de passagem, apenas para almoçar.

                Mas todavia, se for para morar no litoral, prefiro Florianópolis!

                Todavia, tenho muito o que remar antes de me aposentar, até lá, sigo sonhando!

                0
                • Luiz 18 de outubro de 2011 at 13:41

                  Yoda, Rimini fica na costa leste, não fui ver, só repassando
                  O bom de Floripa é que é no Br, o ruim é a vida urbana pacata demais, e na temporada agitada demais. Em SP tem ubatuba, ilhabela e Guarujá, mas a criminalidade fez mto paulista ir destes justamente pra lá. Um amigo que rodou o mundo e hj tá na australia confirma o seu ponto de vista, como segundo melhor lugar para aposentar.

                  0
    • augusto 17 de outubro de 2011 at 18:28

      Será que trolls conseguem entender outra lingua?

      0
      • Hik 19 de outubro de 2011 at 15:21

        Sim, as runas élficas.

        0
    • Anonymous 17 de outubro de 2011 at 18:38

      Existe um estudo da MB Associados (mendonça de Barros), feito sob encomenda do SECOVI, que vai passar para a história exatamente como esse livro. Aliás, suspeito que eles usaram esse livro na bibliografia do estudo.

      0
    • RT 17 de outubro de 2011 at 20:54

      ‘The author pulls out every trick in the book – demographic trends, financial innovation, macro trends, etc. – to argue that “this time is different.” Alas, as we all have found out, this time was not different. What goes up for no discernible reason, must come down.’

      Esse destaque, como todo o post, é simplesmente sensacional!

      Precisa dizer mais alguma coisa?? Não há diferença ALGUMA com o que vimos aqui.

      “Ah, não, mas aqui é diferente…”

      HAHAHAHAH!!

      0
  • Tim 17 de outubro de 2011 at 18:27

    classe média bras.
    O BOSTA no caso é você , que ja chegou falando merda tachando de pobrada, seu infeliz,quem deve morar em um barraco no c. da periferia é voce, pois nem sálario voce tem, vive de comissão.MUDA DE PROFISSÃO seu tonto/a, porque essa já era.

    0
  • Felipe 17 de outubro de 2011 at 20:32

    Estava passeando pela praia do Gonzaguinha em São Vicente, ontem, às 8:30 da noite, e noto que havia imobiliárias abertas, com corretores parecendo vendedor de shopping, fitando cada viva alma que passava com aquele olhar clamando pra entrar e perguntar o preço de qualquer kitnete.
    Será que era por causa do horário de verão????????????

    0
  • Marcos 17 de outubro de 2011 at 20:44

    Banco do Brasil financia expansão de agência com fundo imobiliário
    Autor(es): Por Carolina Mandl | De São Paulo
    Valor Econômico – 27/09/2011

    O Banco do Brasil planeja expandir sua rede de agências sem investir recursos próprios com a aquisição de imóveis. A ideia do banco é captar com investidores cerca de R$ 900 milhões por meio de fundos imobiliários que ficarão responsáveis por comprar terrenos e imóveis, fazer reformas e alugar as agências ao banco por um período de dez anos.

    É uma forma que o Banco do Brasil encontrou de aumentar sua presença nas ruas sem ter de deixar o dinheiro imobilizado. Em vez de aplicar esses recursos em terrenos, o banco pode direcioná-los para a atividade bancária em si, em operações como as de crédito. Atualmente a instituição já tem cerca de R$ 3,5 bilhões investidos em imóveis próprios, que somam 5.095 agências, o equivalente a 25,5% de todo o Sistema Financeiro Nacional.

    Cerca de R$ 160 milhões já foram captados em junho pelo fundo BB Renda corporativa, o que deve ser suficiente para a construção de 25 agências. Agora, outros R$ 750 milhões estão em fase de captação por um segundo fundo, o BB Renda Corporativa II. Essa cifra, segundo o Valor apurou, poderá erguer cerca de 75 pontos na rua. A decisão de criar um novo fundo veio depois de o Banco do Brasil ter recebido uma demanda maior pelo fundo I do que aquela inicialmente prevista.

    De janeiro a junho deste ano, segundo informações dadas pelo Banco do Brasil na última divulgação de resultados, a instituição inaugurou 86 agências. Procurado pela reportagem, o banco não quis comentar a estratégia de abertura de novas unidades com recursos de terceiros.

    As informações preliminares entregues à Comissão de Valores Mobiliários afirmam que o fundo BB Renda Corporativa II tem como meta dar aos investidores uma rentabilidade de 9,1% ao ano mais a variação dos aluguéis, que serão corrigidos pela inflação medida pelo IPCA. Por enquanto, o preço do aluguel ainda não está definido no prospecto. Gerido pela Votorantim Asset, o fundo cobrará uma taxa de administração de 0,6% ao ano sobre o patrimônio líquido.

    Os contratos de locação, segundo o prospecto do fundo, terão um prazo de dez anos, podendo ser renovados por outro período igual. Se o banco decidir sair do imóvel antes de dez anos, será obrigado a pagar o fluxo de aluguéis do período todo.

    Essa não é a primeira vez que os bancos partem para a troca do imóvel próprio pelo aluguel. Em 2002, quando o Banco Central reduziu os limites de imobilização das instituições financeiras, diversos bancos organizaram leilões de agências.

    Mais de mil unidades foram compradas por pessoas físicas naquela época, marcada pelo cenário de instabilidade às vésperas das eleições presidenciais. Lances que em 2002 começavam em R$ 900 mil acabavam saindo por R$ 1,5 milhão. Pioneiro na iniciativa, o Bradesco se desfez de 356 agências em um só ano.

    Agora, mesmo estando dentro dos limites de imobilização exigidos pelo Banco Central, o caminho escolhido pelo Banco do Brasil é o fundo imobiliário para a construção de novas agências. Do lado da instituição, a estrutura do fundo permite um processo mais ágil tanto para a captação dos recursos quanto para as negociações posteriores. Em vez de ter de negociar aluguéis com cada proprietário, no fundo isso é decidido de forma unificada pelos cotistas.

    Para o investidor, a vantagem do fundo em relação à compra direta de uma agência é a isenção do Imposto de Renda de 27,5% sobre o valor do aluguel. Pessoas físicas são isentas da tributação nos fundos imobiliários.

    Em 2003, o edifício de escritórios Almirante Barroso, no Rio, foi comprado por um fundo imobiliário da Brazilian Finance & Real Estate e alugado pela Caixa.

    https://conteudoclippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2011/9/27/banco-do-brasil-financia-expansao-de-agencia-com-fundo-imobiliario/

    Conclusão: alugar vale mais a pena do que comprar imóvel

    0
  • Ar Quente 17 de outubro de 2011 at 20:48

    Não é Tio Sam pegando no tamborim, mas é bacana assim mesmo.

    http://www.youtube.com/watch?v=Ivp4YqGCI-s

    0
  • Anonymous 17 de outubro de 2011 at 21:15

    Estou na Alemanha. Hoje vi um pequeno bangalo num local de veraneio a 70 km de Berlin. Tem 40 m2 de área num terreno de 600 m2. O local é agradável e cheio de árvores. O preço total é 40 mil Reais – não tem erro nenhum.

    0
    • Andrade 17 de outubro de 2011 at 21:54

      Anonymous,
      Por esse preço vc talvez não consiga comprar nenhuma barraca de beira de estrada… no meio do nada! Vim de uma semana de férias na praia numa cidade pequena e bem pobre da bahia, Alcobaça, economia lá resume-se ao turismo mineiro e pesca além do comercio claro, e fiquei pasmado de observar a quantidade de casas, barracões com placas de VENDE-SE… é quase casa sim casa não… frequento aquele lugar à alguns anos e nunca vi igual!
      Essas pessoas, que na grande maioria são pobres devem ter escutado a noticia de que hoje por hoje qualquer lugar com 4 paredes, um teto e uma porta virou tesouro de pedra… por outro lado a quantidade de “imóveis” à venda tbm traduz o facto de que ninguém vende… ou então muito muito poucos fecham negócio. Minha pergunta é a seguinte, se esse pessoal vende suas casinhas humildes… onde vão morar? Pois estes vendedores nao sao concerteza especuladores… ou então é ou foi algo que escapou à minha compreensão…

      0
    • xyz 17 de outubro de 2011 at 23:06

      Aqueles que dizem que a comparação com outros países não pode ser alegada como evidência de bolha ou é um incauto ou está de má fé.

      A cotação do ouro, prata, cobre, trigo, petróleo etc, é igual em todo o mundo. Claro que são mercadorias que podem ser transportadas de um país para outro.

      MAS a comparação Europa/EUA com o Brasil é grotescamente desfavorável ao Brasil.
      A densidade demográfica aqui é muito menor, a renda média é brutalmente menor, o juros é muito menor, a disponibilidade de terrenos aqui é muito maior.

      Ou seja, não há qualquer justificativa para imóveis aqui ser (muito) mais caro, digo, a única justificativa é crédito fácil regado a uma consciência coletiva que comprando um imóvel significa ficar rico, em outras palavras, bolha.

      0
      • Luiz 18 de outubro de 2011 at 10:24

        xyz, comparação com outras realidades é sempre mto difícil, comparações normalmente são muito ruins, geralmente os corretorers usam comparações distorcidas para “provar” que o Br ainda tem muito espaço para valorização, por exemplo dizer que no Rio pode valorizar pq em Monaco é mais feio e mais caro.

        Se formos muito criteriosos, objetivos e focados podemos fazer comparações interessantes.
        Por exemplo comparar a renda da população de Monaco com a do Rio e perceber que os preços do Rio está sobrevalorizados.

        Comapração é um instrumento pro bem ou pro mal.

        0
  • Marcos 17 de outubro de 2011 at 21:51

    Banco do Brasil financia expansão de agência com fundo imobiliário
    Autor(es): Por Carolina Mandl | De São Paulo
    Valor Econômico – 27/09/2011

    O Banco do Brasil planeja expandir sua rede de agências sem investir recursos próprios com a aquisição de imóveis. A ideia do banco é captar com investidores cerca de R$ 900 milhões por meio de fundos imobiliários que ficarão responsáveis por comprar terrenos e imóveis, fazer reformas e alugar as agências ao banco por um período de dez anos.

    É uma forma que o Banco do Brasil encontrou de aumentar sua presença nas ruas sem ter de deixar o dinheiro imobilizado. Em vez de aplicar esses recursos em terrenos, o banco pode direcioná-los para a atividade bancária em si, em operações como as de crédito. Atualmente a instituição já tem cerca de R$ 3,5 bilhões investidos em imóveis próprios, que somam 5.095 agências, o equivalente a 25,5% de todo o Sistema Financeiro Nacional.

    Cerca de R$ 160 milhões já foram captados em junho pelo fundo BB Renda corporativa, o que deve ser suficiente para a construção de 25 agências. Agora, outros R$ 750 milhões estão em fase de captação por um segundo fundo, o BB Renda Corporativa II. Essa cifra, segundo o Valor apurou, poderá erguer cerca de 75 pontos na rua. A decisão de criar um novo fundo veio depois de o Banco do Brasil ter recebido uma demanda maior pelo fundo I do que aquela inicialmente prevista.

    De janeiro a junho deste ano, segundo informações dadas pelo Banco do Brasil na última divulgação de resultados, a instituição inaugurou 86 agências. Procurado pela reportagem, o banco não quis comentar a estratégia de abertura de novas unidades com recursos de terceiros.

    As informações preliminares entregues à Comissão de Valores Mobiliários afirmam que o fundo BB Renda Corporativa II tem como meta dar aos investidores uma rentabilidade de 9,1% ao ano mais a variação dos aluguéis, que serão corrigidos pela inflação medida pelo IPCA. Por enquanto, o preço do aluguel ainda não está definido no prospecto. Gerido pela Votorantim Asset, o fundo cobrará uma taxa de administração de 0,6% ao ano sobre o patrimônio líquido.

    Os contratos de locação, segundo o prospecto do fundo, terão um prazo de dez anos, podendo ser renovados por outro período igual. Se o banco decidir sair do imóvel antes de dez anos, será obrigado a pagar o fluxo de aluguéis do período todo.

    Essa não é a primeira vez que os bancos partem para a troca do imóvel próprio pelo aluguel. Em 2002, quando o Banco Central reduziu os limites de imobilização das instituições financeiras, diversos bancos organizaram leilões de agências.

    Mais de mil unidades foram compradas por pessoas físicas naquela época, marcada pelo cenário de instabilidade às vésperas das eleições presidenciais. Lances que em 2002 começavam em R$ 900 mil acabavam saindo por R$ 1,5 milhão. Pioneiro na iniciativa, o Bradesco se desfez de 356 agências em um só ano.

    Agora, mesmo estando dentro dos limites de imobilização exigidos pelo Banco Central, o caminho escolhido pelo Banco do Brasil é o fundo imobiliário para a construção de novas agências. Do lado da instituição, a estrutura do fundo permite um processo mais ágil tanto para a captação dos recursos quanto para as negociações posteriores. Em vez de ter de negociar aluguéis com cada proprietário, no fundo isso é decidido de forma unificada pelos cotistas.

    Para o investidor, a vantagem do fundo em relação à compra direta de uma agência é a isenção do Imposto de Renda de 27,5% sobre o valor do aluguel. Pessoas físicas são isentas da tributação nos fundos imobiliários.

    Em 2003, o edifício de escritórios Almirante Barroso, no Rio, foi comprado por um fundo imobiliário da Brazilian Finance & Real Estate e alugado pela Caixa.

    conteudoclippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2011/9/27/banco-do-brasil-financia-expansao-de-agencia-com-fundo-imobiliario/

    Conclusão: alugar vale mais a pena do que comprar imóvel

    0
    • RT 17 de outubro de 2011 at 22:08

      Ou seja: não há déficit nenhum…

      0
    • xyz 17 de outubro de 2011 at 22:46

      OLHA AÍ O GOVERNO TENTANDO INFLAR A BOLHA.

      A bolha é a própria identidade deste governo. Negá-la é questão de sobrevivência.
      Vimos e veremos muito mais ações do governo para negar a bolha.
      E muito mais irresponsabilidades vão ser cometidas para manter a bicicleta em pé.

      MAS chega uma hora que o fôlego do governo acaba.

      Deus tenha piedade de nós.

      0
      • MrK 17 de outubro de 2011 at 22:52

        xyz, o unico jeito do governo impedir a bolha é ele comprar todos os imoveis nas mãos de especuladores e guardar em estoque pra ir desovando aos pouquinhos ao longo de 5 ou 6 anos.

        qualquer outra atitude só visa ganhar tempo… que alias, é o que ele tá buscando fazer.

        não tem jeito, existe uma bomba relogio que se armou na cara de todo mundo e ninguém viu, essa brincadeira de “investimento garantido” e “30% ao ano” nunca que poderia acabar bem

        0
        • xyz 17 de outubro de 2011 at 23:15

          È amigo, a única coisa que o governo vai conseguir é adiar o estouro. E como sabemos, quanto mais adiar, tanto mais os prejuízos.

          Sabe o que mais me dá frio na espinha? É que este governo é tão irresponsável que quando ele não conseguir mais rolar a dívida, vai simplesmente pedir ao congresso (e este vai autorizar) para simplesmente imprimir dinheiro.

          Amanhã a Selic vai cair mais um pouco. O mercado espera corte de 50 pontos, mas o governo pressiona para que seja bem maior. Vamos ficar de olho no dolar, pois se o BC acatar a ordem do governo, acho que o dólar vai disparar novamente.

          0
    • Anonymous 17 de outubro de 2011 at 23:06

      Nos EUA, esse tipo de negócio é comum. Chama-se BUILD-TO-SUIT, mas é controlado por investidores individuais. Por exemplo, qualquer pessoa pode construir uma loja do McDonalds e alugar para a rede por 20 anos.

      Na Banânia, como esperado, isso tinha que ser um negócio para os AMIGOS, como evidenciado por essa parte da notícia – Gerido pela Votorantim Asset. É uma dica aos potenciais investidores desse fundo imobiliário, pois parte dos lucros será pagamento dessa ESCOLHA e uma outra parte ficará com a Votorantim Asset, Afinal, como e por que a Votorantim Asset foi escolhida para gerir o fundo? Será que resolveram privatizar uma parte do BB e não contaram para ninguém?

      0
  • Classe Media Brasileira 17 de outubro de 2011 at 23:34

    Primeiramnte, deixe-me apresentar. Sou func. Publico da PFN, tenho salario liquido de 18 mil e tenho 3 imoveis quitados, uma casa em campos do jordao, uma em Ubatuba e um Ap de 4 dorm. em SP capital, no Pacaembu, onde resido. Portanto, nao sou corretor, especulador nem tampouco comprador que se deu mal.

    Acompanho o blog ha algum tempo, mas nunca postei, e tenho percebido que quem diverge da opinião da maioria é taxado de corretor, de louco e desrespeitado. Por isso resolvi entrar fazendo uma provocação e simultaneamente postando um ponto de vista. Acontece que, como eu previa, a provocação foi tão mal recebida que meus argumentos nem sequer foram levados em consideração pela maioria que se limitaram a xingamentos e discussões inuteis.

    Reparei também de um tempo pra cá os temas do blog não tem mais importancia, muitos deles são sugeridos com a unica e exclusiva intenção de abrir um novo espaço para que se dê inicio a uma nova discussão, que diga-se de pasagem, tornaram-se um tanto previsiveis.

    Todos que entram com opiniões diferentes são escrachados e tem imbecil que sugere que o cidadão seja bloqueado e diz que nada tem a acrescentar pelo fato de pensar de outra maneira e nao ser mais um macaquinho de auditorio aplaudindo alguns poucos pensadores que por aqui existem e direcionam o blog.

    O que aconteceu em outros paises que sofreram com bolhas, principalmente nos EUA, foi atipico e gerado pela ganancia do sistema financeiro. O grande problema dos EUA nao foram os emprestimos e sim os pacotes de titulos baseados em dividas que alavancaram os bancos e fez com que as cifras chegassem ao volume de gerar a insolvencia da maioria das instituições financeiras e obrigou o governo a intervir, pois se o problema fosse apenas o valor dos emprestimos o governo americano teria tirado isso de letra e era justamente isso que imaginanvam, nao tinham ideia de tamanha alavancagem e volume de titulos podres vendidos por todo o mundo. Isso, definitivamente, nao acontece por aqui.

    Outro ponto, quanto a bolha espanhola, foi resultado de uma decisão Politica de criação do EURO, o que fez com que os governos irresponsaveis europeus passassem a se beneficiar da confiança de que disfrutava alemanha e frança e com isso conseguiam obter dinheiro om juros extremamente baixos. Esse foi o motor que levou a europa de modo geral a se endividar para manter um padrão de vida cada vez mais caro e, como alguns paises violaram acordos pré definidos, como não se alavancaram alem de 60% do seu PIB, outros tambem se sentiram no direito de ignorarem tais medidas. A coisa chegou nesse ponto pelo simples fato dos paises que participam da zona do euro não terem a autonimia de ligar suas maquinas e imprimir dinheiro.

    Voltando ao Brasil, frise-se ser um país governado por decretos e medidas provisorias, o que ja poderia dizer tudo, os fatores que levaram a atual crise mundial e bolhas de credito e imobiliarias recem estouradas não estão presentes por aqui. A regra por aqui é escrever tudo a lapis e o populismo acima de tudo nem que tenha que ser sacrificada a estabilidade financeira dando as costas para a inflação em nome da preservação do poder aquisitivo da recem criada classe media, fato este percebido recentemente e que tem causado certa preocupação no meio economico.

    Acontece que o governo criou lei que permite o resgate de construtora e empreiteiras, carta branca para o desastre. O que esta acontecendo é que o governo esta permitindo que o mercado chegue ao extremo, fique estagnado e no ponto de ruptura ele agirá para sanear o mercado com medidas emergenciais resgantando construtoras e instituindo normas que possibilitem o financiamento de mais de um imovel por pessoa, aumento do prazo de financiamento etc… O governo tem uma sacola de medidas que podem ser instituidas e ele tem o proincipal: dinheiro de impostos e pode imprimir o quanto necessitar para resolver o problema.

    É muito mais barato para o governo salvar as construtoras, saneando seus balanços financeiros e dando condições a elas para que continuem operando numa conjuntura de mercado onde elas podem ter os privilegios de lançarem seus empreendimentos mantendo os niveis de preços para que os ativos nao se depreciem, ao mesmo tempo impondo condições para os especuladores que não puderem financiar seus varios investimentos juntos aos bancos e dando lhes tempo para resover o problema. Quanto o governo precisaria para salvar todas as construtoras? 15 bilhoes? Saibam que isso é menos que 10% do que o BNDES premiou algumas empresas multi nacionais eleitas como sendo estrategicas para seus propositos no ano pasado. Isso é uma merreca se comparado a ter que fazer um possivel aporte bancario caso os ativos sejam depreciados e causem prejuizos devidos aos emprestimos financeiros nos atuais preços praticados.

    Tenho informações que 99% das pessoas daqui, mesmo os func pub. não tem. É simples entender que o dinheiro é só imprimir, já o desgaste politico nao tem preço. Essa é a forma que o mundo encontrou de premiar os irresponsaveis e punir os precavidos.

    Voces pintaram um quadro aqui que os demais ficam apreciando e todos apontam para areas diferentes desse meswmo quadro e descrevem cada detalhe com palavras que dão nova redação à conclusão que ja foi discutida ha um bom tempo e isso torna o blog muito previsivel e faz com que a maioria dos macaquinhos sintam-se como se tivessem desconberto a polvora.

    Coloquem essa nova perspectiva sobre a tela ja pintada por voces e vejam se chegam a uma nova alusão do tema, haja vista voces estarem ignorando a mais elementar conclusão: Que o governo vai, literalmente, bancar o prejuizo e manter sua governabilidade cumprindo seu projeto de 20 anos no poder.

    Será que isso mudaria alguma coisa em relação ao estouro da bolha tão falado por aqui?

    Fiquem tranquilos que nao mais importunarei voces. Mas precisava dizer isso antes de me retirar.

    Um abraço a todos.

    0
    • augusto 18 de outubro de 2011 at 12:24

      Ótimo ficamos livres deste sr. que pela altissima renda não deveria ter tempo de ficar postando baboseiras, pois deveria trabalhar muito para justificar seu salário pago pelo povão.
      Outra coisa sua renda apesar de alta não parece suficiente para comprar todos os imóveis que diz possuir, sendo que talvez ela seja de familia já muito rica

      0
    • Observador 18 de outubro de 2011 at 12:44

      Hum…. Apesar de Troll, não deixa de ser um otimo ponto de vista. Pra quem queria um bom argumento para apimentar as discussões ai está.

      Que a bolha existe, isso é indiscutivel, mas se o governo vai deixar ela estourar, isso é outra historia.

      Imaginemos que o governo, além de resgatar as construtoras, imponha que os apartamentos ofertados para venda pasem a ser ofertados para locação. As construtoras teriam suas dividas quitadas e ainda teriam o patrimonio para gerar renda. Elas poderiam se dar ao luxo de interromperem suas atividades construtivas por tempo indeterminados e ainda assim continuariam tendo uma renda milhonaria, o que poderia ser usado para bancar seus empreendimentos sem a necessidade de recorrer a emprestimos ou pressa de vender os aps, fazendo com que os preços se mantenham estaveis.

      Não deixa de ser uma visão de como o governo pode vir a lidar com a situação. Basta um pouquinho de dinheiro e meia duzia de canetadas. Realmente ele pode ter razao.

      E agora José?

      0
      • Ar Quente 18 de outubro de 2011 at 13:07

        De fato, mais um ponto de vista interessante trazido por não-bolhistas.
        Obrigado por compartilhar seu ponto de vista.

        0
      • Luiz 18 de outubro de 2011 at 13:08

        O PT decide profissionalizar os “Camisas Negras” que patrulham a Internet

        h t t p : / / veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/o-pt-decide-profissionalizar-os-%e2%80%9ccamisas-negras%e2%80%9d-que-patrulham-a-internet/

        A Folha de SP hoje traz a notícia: PT treina “patrulha virtual” para atuar em redes sociais e blogs.

        0
        • Vinicius Lima 18 de outubro de 2011 at 14:11

          O Brasil realmente está caminhando a passos largos para traz…

          0
    • Luiz 18 de outubro de 2011 at 12:56

      somente um insano pra dizer que o mercado imobiliario do Brasil parou por causa do ataque terrorista das torres gemeas

      vc é só um profissional que vem aqui tentar causar divergencia, pro seu azar EU SOU UM DOS QUE NÃO ACREDITAVA EM BOLHA IMOBILIARIA, e sempre fui respeitado por todo mundo aqui, porém nunca usei argumentos do nivel dos seus.

      Não é verdade que os que divergem são escrachados. Se foram ridicularizados é pela merda que falaram e não pela posição contra ou a favor da bolha.

      As merdas que vcs falam não importa o lado do muro, fede do mesmo jeito, vcs sempre vem com papo furado de Paris é assim, que nos estados unidos é assado, mas pro azar de vcs aqui tem gente viajada, tem gente que está lá neste exato instante, o blog é autolimpante, tudo o escrito aqui é filtrado.

      portanto não vem com estoria da carochinha que aqui não tem velhinha de taubaté.

      Se vc é corretor ou da tropa de choque do PT, ou construtor, pouco nos importa, sobressai o fato que seus argumentos concretos são pura insanidade, wishfull thinking. Não agrega nada, é apenas provocação pra tentam criar celeuma.

      Eu realmente acho que vcs não são imbecis, vcs são muito inteligentes, as merdas que vcs falam dá trabalho desembaralhar, que é o objetivo, cansar as pessoas de qualidade que se recusam a argumentar na lama.

      por isso que eu nem entro no mérito do conteúdo que vc falou, nem eu nem ninguem, não vale a pena, a estrategia já esta desmascarada e desmoralizada, e sinceramente, vc não é melhor que o Estagiário de Mãe Dinah, aliás a genetica verbal é bem parecida.

      0
      • Luiz 18 de outubro de 2011 at 13:03

        o + ridiculo é ver um troll comentando outro

        como é que o governo obriga o proprietario a alugar o apartamento que quer vender?
        nem os nazistas fizeram isto

        até amanhã senhores

        ps: classe media, renda = entre 1k e 5k.
        16 k não é classe media nem nos EUA
        não sobrevive nem ao titulo

        0
        • Observador 18 de outubro de 2011 at 14:30

          Luiz

          Realmente, o cara tem razão quando critica o blog. Ultimamente, o blog cresceu tanto que esta virando o reduto dos idiotas e nao demorará muito para eleger voce o maior imbecil que ja passou por aqui.

          Voce só diz asneiras, nao argumenta nada e só sabe gritar e xingar.

          Sou bolhista desde o principio, mas tenho que reconhecer quando alguem posta algo de valor e, apesar da bolha existir, o desfecho da historia pode ser outro pela intgerferencia governamental.

          Quanto a voce, seja mais educado e menos idiotizado.

          0
          • Luiz 18 de outubro de 2011 at 14:47

            se ele acha tão ruim assim pq simpelsmente ele não vai embora?

            e vc ainda vai explicar como o governo vai obrigar quem quer vender a alugar o imovel.

            sua credibilidade está em jogo, sendo bolhista ou não.

            0
            • Jack Imóveis 18 de outubro de 2011 at 14:56

              Observador,

              Quem freqüenta o blog a mais tempo já não tem mais paciência para argumentos vazios. Muito menos para isso que você falou. Para o governo, quanto mais barato forem os imóveis, melhor será o desempenho do MCMV.

              Bom da internet é que a porta esta num clique de diatancia…

              0
            • Observador 18 de outubro de 2011 at 15:12

              Luiz

              Eu queria ver voce contestando os argumentos do cara…Só de curiosidade! Voce tem capacidade pra isso? Entao mostre que tem o mini8mo de qi antes de dizer que minha credibilidade esta em jogo apenas porque achei os argumentos do cara, no minimo, interessantes e coerentes.

              E se voce nao entendeu, no post anterior eu mencionei a manobra de diminuição de oferta de imovel a venda e aumenta pra locação, nao por parte dos especuladores e mutuarios, mas sim por parte das construtoras. O governo pode muito bem, ao resgatar as construtoras, obrigalas a devolver o dinheiro de quem nao pode arcar com financiamentos. Com isso ela fica com o patrimonio construido, quitado e disponivel pra gerar renda de aluguel.

              Isso faria o governo ficar bem na foto com empresarios, especuladores, mutuarios que nao tiveram seus bens depreciados e com os banqueiros. Voce consegue enxergar populismo mais eficaz?

              Diz ai, contradiz o cara que eu quero ver. Quebre os argumentos dele, coisa que voce nunca fez desde que entrou aqui.

              0
              • Luiz 18 de outubro de 2011 at 15:36

                não tme a menor possibilidade de contestar os seus argumentos

                com louco não se discute…

                prefiro dizer que vcs 2 tem razão, quando a Al Qeda meteu os aviões no WTC os empresários brasileiros falaram assim: “poxa vamos parar de construir prédios, vai que Al Qeda resolve atacar a gente tbm””

                hahahah, vcs petralhas não são de todo inúteis, servem de chacota pra amenizar o dia
                cuidado que eu chamo o reinaldox

                0
                • Observador 18 de outubro de 2011 at 15:40

                  Obrigado pela sua contribuição valiosa.

                  Vamos para Proximo assunto!

                  0
              • Annibal 18 de outubro de 2011 at 15:38

                Ai afunda o valor do aluguel, q já é percentualmente baixo, então os proprietários q alugavam vão botar os imóveis pra vender pq vão ganhar mto mais na poupança… além do q vai ter mto imóvel q não vai alugar, vai ficar vazio… ai os “investidores” não aguentarão e terão q vender pelo preço q for…. todos os caminhos levam ao …. ploc

                Não vejo argumentos pra defender este tipo de suposição…

                PS – não vi nenhuma nova, nem interessante, argumentação da classe média… deve ser o nome q está dando azar…

                0
                • Observador 18 de outubro de 2011 at 15:47

                  Sim, o desfecho seria outro, crise dos alugueis. Mas o problema da bolha, da quebra das construtoras, dos financiamentos bancarios e a especulação estariam resolvidos. Que vai ter gente perdendo dinheiro, isso vai. O importante é resolver o problema em nivel macro.

                  Entendo que seja mais facil con tinuar ignorando novas possibilidades, eu tbm estava nessa. Porem, resolvi refletir um pouco mais e vejo que o governo pode nao querer ficar assistindo a maquete de pais que criaram desabar sem fazer nada, mesmo estando com a faca e o queijo nas maos. Se essas medidas levantadas são legais, isso são. Se são morais, resta duvida. Raramente governos populistas andam de mãos dadas com a moralidade.

                  Mas continuem nessa linha. Tornem o blog ainda mais massante do que ja está com essa reverencia cegueta…

                  Como ja fizeram alguns bons comentaristas, estou me retirando dessa palhaçada. Isso tende a afundar e virar chacota na net em breve… Os imbecis tomaram conta e ja nao ha mais discussão, apenas concordancia…

                  0
                • Luiz 18 de outubro de 2011 at 15:50

                  mas pra isso Annibal, antes imagina um decreto presidencial obrigando todos os proprietários do país a alugar ao invés de vender.

                  quando isto acontecer vamos ser capa dos jornais do mundo todo, igual quando o collor confiscou 110 bilhões de cruzeiros (ou era cruzados?).

                  Eles são ruins até qunaod fingem ser a favor da bolha

                  Entre um bolhista que pensa isso ser possível do meu lado eo estagiário de mãe dinah, prefiro o ultimo, se não é que é a mesma pessoa. MBAs já foram melhores.

                  0
                  • Luiz 18 de outubro de 2011 at 15:53

                    troll fantasiado de bolha

                    0
                  • Observador 18 de outubro de 2011 at 15:54

                    Rapaz

                    A sua ignorancia chega a dar pena. Eu falei sobre o governo obrigar proprietarios a alugar? Os proprietarios farao o que quiser com seus imoveis, pois ja estarao pagos ou financiados. O problema brasileiros são os imoveis na planta e os que serão entregues. Esses é que devem ser recuperados e postos para alugar, quando resgatados pela construtoras.

                    Voce realmente esta fazendo força pra nao entender o que eu escrevo, ou entao, confirma o que penso de voce.

                    0
                    • Luiz 18 de outubro de 2011 at 16:25

                      Observador disse:
                      18 de outubro de 2011 às 12:44

                      Imaginemos que o governo IMPONHA que os apartamentos ofertados para venda pasem a ser ofertados para locação.

                      AÍ EM CIMA. copiado de vc mesmo.
                      (ué? cansou de xingar? agora só está pensando? sorte sua, daqui a pouco vai estar me admirando, porfavor continua xingando vai, eu prefiro)

                      0
                    • Luiz 18 de outubro de 2011 at 16:27

                      e da próxima vez escreva PASSEM com dois esses, nada de cedilhas ou outras formas

                      0
                  • Marco Antonio 19 de outubro de 2011 at 16:47

                    Hahahahahaha, Luiz de verdade mesmo…eu sinto dó de você, como nunca senti de ninguém na vida.

                    Esse blog, com o tempo mudou de função para mim. Passou de informativo a recreativo. A moderação ao invés de cortar todos os anti-bolhistas, tinha que cortar figurinhas que causam depressão alheia.

                    0
    • augusto 18 de outubro de 2011 at 12:57

      E os precavidos punidos no mundo estão trocando ou trocarão,todos os governantes fajutos que premiaram os irresponsáveis. (França, Espanha, Reino Unido, Japão, Alemanha, EUA, ETC). Aqui o mesmo acontecerá se a inflação do PT aumentar e corroer os salários

      0
    • Jack Imoveis 18 de outubro de 2011 at 12:58

      Acho Que Classe Media é pouco para esse patrimonio todo… Volte como Classe A.

      0
    • Yoda 18 de outubro de 2011 at 13:26

      Da primeira vez que o Classe Média Brasileira postou, também achei as defesas de ponto de vista divergentes um tanto apaixonadas, radicais.

      Ninguém se aprofunda numa discussão sem conhecer pontos de vista diferentes.

      Eu sigo em dúvida se a bolha existe ou não. Claro que aparecem antibolhistas com argumentos ridículos, da mesma forma que alguns bolhistas parecem profetas do apocalipse e nada mais.

      Gosto de acompanhar os dois lados, e se alguém coloca algo que julgo rídículo, simplesmente ignoro. O tempo dirá que está com a razão.

      0
      • augusto 18 de outubro de 2011 at 18:16

        Prezado amigo, bolha ou não o fato é que as vendas deimóveis despencam cada vez mais

        0
    • Ricardo 18 de outubro de 2011 at 16:44

      Classe Media Brasileira,
      sou servidor público federal, salário bruto de 19k, mas líquido de 13k.
      Se vc recebe 18k líquido (parabéns) , tem salário de ministro do STF (27k bruto), pois o subsídio dos PFN é o mesmo da Receita, a não ser que vc seja antigão (com funções incorporadas que passam o subsídio) ou é o Procurador chefe.

      Parabéns pelo salário.

      0
      • augusto 18 de outubro de 2011 at 17:54

        Recebe nada.
        É alguem pago pelo PT para perturbar e tentar manter na midia o povo eufórico. Nem escrever direito sabe.
        Deverá a exemplo de outras figurinhas que por aqui passaram desaparecer, e voltar com outro pseudônimo.
        O negócio , pelo menos neste Forum, é ignorar tais figurinhas despreziveis

        0
    • Ed Luz 18 de outubro de 2011 at 23:51

      Nick Classe media e que diz ganhar 18k liquido.
      Vc nao se chama Rafinha Bastos nao ne amigo ?

      0
  • Pedrao 18 de outubro de 2011 at 00:58

    SP tem 84000 aptos padrao a venda
    somente essa “corretora” tem 3500, isso é 4%
    qnts outros milhares de anuncios falsos será que tem

    0
  • Pedrao 18 de outubro de 2011 at 01:05

    O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

    Art. 1º. Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes e as contravenções contra a economia popular, Esta Lei regulará o seu julgamento.

    Art. 3º. São também crimes desta natureza:

    VI – provocar a alta ou baixa de preços de mercadorias, títulos públicos, valores ou salários por meio de notícias falsas, operações fictícias ou qualquer outro artifício;

    Pena – detenção, de 2 (dois) anos a 10 (dez) anos, e multa

    0
  • Cosmos 18 de outubro de 2011 at 03:29

    Poxa, excelente mensagem, uma das melhores que li sobre o tema.

    Se isso não é prova cabal de que só acredita no Fipe-ZAP quem é ingênuo ou mal-intencionado, não sei o que dizer…

    0
  • Felipe 18 de outubro de 2011 at 08:28

    Essa é ótima hein…

    h t t p://w w w1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/me1810201111.htm

    Comediantes ajudam a vender apartamentos em Santos

    FELIPE CARUSO
    DE SANTOS

    “Eu sou um xeque. Estou morando no Emirado. Só me falta o turbante. Tem piscina, massagista e uma mina aqui que resolve todos os meus problemas.”
    A definição é do novo condomínio Emirado, em Santos (SP), e foi feita pela dupla de stand-up comedy Criss Paiva e Patrick Maia, contratados pela construtora Cyrela.
    A dupla se apresentou no domingo para 60 potenciais compradores. Sua missão era explicar o trabalho da “concièrge” -a “mina” da piada-, um serviço oferecido pelo empreendimento.
    “Em São Paulo, o serviço de ‘concièrge’ é uma realidade, mas em Santos é uma novidade. O stand-up foi uma forma simpática de passar esse conceito novo e de atrair os clientes para o estande de vendas”, afirma Carla Fernandes, porta-voz da Cyrela.
    Foi a primeira vez que a construtora usou uma apresentação dos humoristas no estande de vendas. A abordagem via humor já havia sido utilizada antes em duas apresentações apenas para os corretores.
    Na cena de domingo, Criss era a paciente “concièrge” que resolvia os problemas cotidianos dos moradores, como limpar a bagunça de uma festa, enviar documentos esquecidos, agendar o passeio do cachorro e lembrar a hora de tomar remédios.
    “Como falamos do cotidiano, as pessoas se identificam, riem e até puxam um assunto com o corretor. Isso quebra o clima sério do estande de vendas e abaixa a guarda do cliente”, afirma Criss.

    Tá bem facinho de vender imóvel…

    0
  • Felipe 18 de outubro de 2011 at 08:32

    é… e tem jornal que ainda coloca essa b…. de índice do lado de SELIC, Poupança, só para parecer sério.

    0
    • luiz 18 de outubro de 2011 at 08:42

      excelente colegas, isso tem cara, cor e cheiro de crime

      o MP já deveria ter se mobilizado faz tempo contra a manipulação disso aí.

      Outra que eu acho um absurdo é uma imobiliaria do tamanho da Lopes deixar que seu estagiário se manifeste em horario comercial prometendo rendimento de 5 vezes em 20 anos e outras do tipo, se fosse corretor perdia o CRECI.

      0
      • veigalex 18 de outubro de 2011 at 09:41

        Bolha!

        Cria um tópico com isso ai.

        Passa para o outros blogs influentes. Observador de mercado.

        Vamos usar os meios de divulgação que conhecemos para levar isso a frente.

        Todo mundo fica falando desse índice e ele é fake!

        ZAP é fake!

        0
        • Andre Luiz 18 de outubro de 2011 at 12:52

          A Rede Record está doida para derrubar a Globo…. Quem sabe ela não se interessa em levar essa investigação/reportagem adiante? Alguém tem contato com ela?

          0
  • augusto 18 de outubro de 2011 at 08:56

    Ótima iniciativa a do Pedrão. Parabens amigo, voce de fato matou a cobra e mostrou o pau.
    Quero ver agora a resposta daqueles que aqui vem para postar baboseiras dizendo que não há bolha imobiliaria, que nós estamos todos errados, etc e tal.
    E agora Fipe Zap e midia que divulga os indices pesquisados de maneira errônea e simplista por tal Instituto?
    Cairam do cavalo né

    0
  • RT 18 de outubro de 2011 at 09:13

    Se a essa altura dos acontecimentos alguém ainda duvidava da existência da bolha, creio que este post do Pedrão, junto com o do colega “j” de ontem, deixa bem claro que existe sim, e que o momento atual do mercado imobiliário não é nada “saudável”, ao contrário do que andam afirmando os SECOVI’s da vida.

    Para quem não viu o post do “j” de ontem, transcrevo uma parte abaixo, para ajudar a procurar.

    “j disse:
    17 de outubro de 2011 às 18:02
    An extraordinary, and extraordinarily important, book, February 25, 2009

    By Mark M “Mark M”

    This review is from: Why the Real Estate Boom Will Not Bust – And How You Can Profit from It: How to Build Wealth in Today’s Expanding Real Estate Market (Paperback)”

    Acho que a vinda da “fada dos imóveis” já é uma certeza para a “pobrada” aqui, não? Falta só definir a data!

    0
  • augusto 18 de outubro de 2011 at 09:18

    http://blogs.estadao.com.br/celso-ming/
    Interessante análise feita pelo colunista sobre a situação na Europa. Talvez desse para resumir como : se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.
    E o que dizem aqueles que nos consideram como os postuladores do caos?
    A crise é real e começou com excesso de crédito irresponsavel para conseguirem vender a quem nunca poderia comprar, igual ao que estamos fazendo aqui agora.

    0
  • nelson 18 de outubro de 2011 at 09:40

    Falta de informações prejudica comprador de imóveis
    Publicidade
    ANA PAULA PATROCÍNIO
    COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

    Se o preço dos imóveis sobe, logo se ouvem burburinhos sobre uma bolha imobiliária no país. Mas essa associação direta não se confirma, na avaliação do pesquisador de mercado imobiliário Andreas Dittmar Weise.

    “A percepção do aumento não é suficiente para avaliar um crescimento especulativo”, afirma Weise.

    A falta de informações precisas sobre a movimentação imobiliária, no entanto, é um problema observado pelo pesquisador. “Foi complicado chegar a números de empreendimentos lançados para a minha tese de doutorado sobre a especulação residencial”, afirma o autor do estudo “Causas do crescimento especulativo no mercado imobiliário”.

    “Se não há transparência de dados, fica difícil controlar o que acontece no mercado”, afirma.

    Além de prejudicar o entendimento do contexto econômico, a falta de um comparativo eleva os preços dos empreendimentos. O consumidor tem dificuldade para avaliar se os valores são justos.

    BOLHA?
    Razões como elevação de preços de materiais de construção e valorização de um bairro interferem no valor de um empreendimento, mas, sozinhos, não sinalizam uma bolha.

    Segundo Weise, a renda per capita, os incentivos fiscais e o alto valor dos terrenos e dos imóveis são os principais indicadores de especulação.

    Regiões brasileiras vivem parte dessa realidade, com aumento dos preços e os financiamentos estimulados por juros menores e longas parcelas. Mas, de acordo com o pesquisador, a situação ainda não é alarmante.

    “A economia vai bem. Os salários aumentaram, e a inadimplência não assusta.”

    Soma-se a isso, os rígidos critérios de liberação para um financiamento, que colaboram para controlar a especulação.

    “É difícil falar que o país vive uma bolha”, afirma Weiser. Para chegar a essa constatação, o momento de cada região e a situação do segmento que atende a cada camada social precisariam ser considerados.

    “São muitos mercados imobiliários em uma mesma cidade”, considera.

    0
    • Pedro 18 de outubro de 2011 at 09:50

      Engraçado,
      Já vi umas 50 matérias pagas tentando incutir a idéia de que aumentos de imóveis totalmente descolados de aumento de renda e poder aquisitivo não são indicativo de bolha.
      Os “expecialixtax” tentam menosprezar a bolha escrevendo com aquele ar de sabe tudo de que o “simples” aumento de 100 a 200 % no valor dos imóveis não é fator que possa indicar uma bolha.
      O que seria então? Um aumento de 1%? Uma redução de 50%? Até porque os mesmos expecialixtax também dizem que a “simples” redução de 35% nas vendas também não indica qualquer coisa.
      Mas é assim mesmo. Matéria paga é matéria paga e eles não se preocupam em parecer verdadeiros ou tentar enganar com argumentos lógicos. Usam argumentos irracionais mesmo.

      0
      • augusto 18 de outubro de 2011 at 12:16

        Mas cada vez mais estes EXPECIALIXTAS mais se desmoralizam e caem no descrédito do povão

        0
    • RT 18 de outubro de 2011 at 09:53

      Sobre o “crédito seguro no país”, gostaria de deixar dois comentários:

      1) No hospital onde minha esposa trabalha, residentes (profissionais temporários que ganham uma bolsa de 2380 reais) conseguem financiamento na Caixa.

      O que acho alarmante nesse caso é o caráter temporário de sua renda.

      Lógico que ele pode dar plantões, etc, e tirar uma grana extra, mas essa é uma renda que não pode ser comprovada, o que é exigido para se conseguir um financiamento, salvo engano.

      2) Mesmo com crédito seguro… os preços de apartamentos estão acima de 600 mil reais… uma pessoa que tenha 200 mil pra dar de entrada terá que financiar os restantes 400 mil… o que resulta em uma prestação alta, que a pessoa tem que ter salário pra aguentar pagar…

      Ou seja: não adianta disponibilizar o crédito mais seguro do mundo para uma população que não tem como pagá-lo!

      RENDA DAS PESSOAS x PREÇO DOS IMÓVEIS. Sempre bato nessa tecla. Pra mim, é o limite que a especulação teima em desconhecer, e é o que forçará os preços pra baixo.

      0
      • Luiz 18 de outubro de 2011 at 10:38

        isso se hama em jargão: especulação em papéis por meio de alavancagem a descoberto.

        especulação = aposta na alta do preço
        em papéis = compra-se apenas um contrato de promessa de compra e venda.
        alavancagem = toma-se emprestado do banco pra juntar com o que tem (10% de entrada) e assim aumentar a aposta.
        a descoberto = nem a renda nem os bens cobrem a aposta, o crédito é pré-aprovado pelo corretor e às vezes pelo gerente da Caixa.

        Na Bolsa é proibido,
        porquê com imóveis pode?

        se der certo ganha muito,
        se der errado tem pouco a perder.

        0
  • Ar Quente 18 de outubro de 2011 at 10:16

    valor.com.br/empresas/1055678/volume-de-lancamentos-e-vendas-sobe-no-3-trimestre

    Volume de lançamentos e vendas sobe no 3º trimestre

    Chiara Quintão | De São Paulo

    Apesar do cenário de crescimento econômico menos acelerado, a maior parte das incorporadoras de capital aberto que divulgaram prévias dos resultados operacionais do terceiro trimestre lançou e vendeu mais que no mesmo período de 2010.
    Das oito empresas que divulgaram prévias até o fechamento desta edição, seis apresentaram crescimento do Valor Global de Vendas (VGV) de lançamentos – PDG Realty, Cyrela Brazil Realty, MRV Engenharia, EZTec, Rodobens Negócios Imobiliários e Direcional Engenharia. Apenas Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário (CCDI) e Even Construtora e Incorporadora apresentaram VGV menor.
    Cinco empresas tiveram aumento das vendas contratadas. As exceções foram CCDI, Rodobens e Even. A PDG, maior incorporadora do país e a primeira a divulgar prévias, apresentou recordes em lançamentos e vendas.
    Ontem, foi a vez de MRV Engenharia divulgar recorde de lançamentos e vendas contratadas no terceiro trimestre. A companhia lançou VGV de R$ 1,449 bilhão no período, 40% a mais que no terceiro trimestre do ano passado. As vendas cresceram 22%, para R$ 1,083 bilhão. “A demanda continua muito forte no segmento popular”, afirma o presidente da MRV, Rubens Menin. No acumulado dos nove meses, as vendas da MRV subiram 10,7%, para R$ 2,883 bilhões. A expectativa da MRV é de outro trimestre “bem forte” em lançamentos e vendas, conforme o executivo.
    Já a Even, que também divulgou sua prévia operacional ontem, apresentou lançamentos de R$ 448 milhões, com queda de 22,35% ante o terceiro trimestre de 2010, e vendas de R$ 370 milhões, ou seja, 38,5% menores.
    Seis incorporadoras tiveram queda na velocidade de vendas medida pelo indicador VSO (vendas sobre oferta). Apenas CCDI e Direcional tiveram alta no indicador, com patamares acima de 30%. O mercado entende como normal essa acomodação da velocidade de vendas e considera VSO “saudável” o patamar de 20% a 22%.
    No terceiro trimestre, a MRV registrou VSO de 25%, abaixo dos 33% do intervalo de julho a setembro de 2010. Conforme Menin, a queda deveu-se ao menor lançamento no terceiro trimestre de 2010. Na Even, a VSO recuou de 37% no terceiro trimestre de 2010, para 25%, devido à concentração de lançamentos no fim do trimestre. Conforme o diretor financeiro e de relações com investidores da Even, Dany Muszkat, com estoque maior, cresce a possibilidade de vendas para consumidores interessados em unidades próximas da entrega. Além disso, a contabilização na receita é maior quanto mais avançadas as obras.
    No trimestre, a Even comprou cinco terrenos, com VGV potencial de lançamentos de R$ 300 milhões. A companhia reduziu o ritmo de aquisições de novas áreas apresentado desde o início de 2010. Isso vai possibilitar que a Even alcance fluxo de caixa positivo do primeiro para o segundo semestre de 2012, e não somente no fim do próximo ano ou no começo de 2013.
    No acumulado de nove meses, a Even lançou o correspondente a 68% de seu guidance para o ano. Somando o VGV até setembro aos projetos aprovados (já lançados no quarto trimestre ou com lançamento previsto para os próximos 30 dias), a Even chega a 94% do guidance para o ano.
    Parte do setor precisará lançar mais de 40% no quarto trimestre se quiser cumprir a meta para 2011. Em função de fatores como menor velocidade de vendas e a estratégia das incorporadoras de privilegiar geração de caixa a volumes, já se considera, no mercado, que algumas empresas possam lançar, no ano, VGV menor do que o prometido.

    0
    • Jonathas 18 de outubro de 2011 at 10:46

      “No terceiro trimestre, a MRV registrou VSO de 25%, abaixo dos 33% do intervalo de julho a setembro de 2010. Conforme Menin, a queda deveu-se ao menor lançamento no terceiro trimestre de 2010.”

      Nossa… Cara de pau tem limite. O reporter fez uma pergunta cuja resposta pode me complicar. Devo mandar a matemática à m$&%a ou admitir que vendi proporcionalmente menos? Matemática!

      0
  • MrK 18 de outubro de 2011 at 10:24

    PARABENS PEDRÃO pela excelente contribuição

    eu ja havia visto coisa igual no RIO, mas não fiz uma investigação tão completa como a sua.

    0
  • Luiz 18 de outubro de 2011 at 10:52

    Olha os imoveis derretendo:

    PDGR3 -6,15% 17/10

    GFSA3 -4,58% 17/10

    0
  • Luiz 18 de outubro de 2011 at 10:55

    por Reinaldo Azevedo

    O PT decide profissionalizar os “Camisas Negras” que patrulham a Internet

    Alguns bananas ainda me perguntam por que veto na área de comentário aqueles que chamo “petralhas”. Porque eles não são leitores! São militantes — alguns em nome do que consideram “ideologia”; outros a soldo mesmo. A Folha de hoje traz uma notícia que demonstra, ora, ora, que sempre estive certo. Leiam. Volto em seguida.

    PT treina “patrulha virtual” para atuar em redes sociais

    O PT vai montar uma “patrulha virtual” e treinar militantes para fazer propaganda e criticar a mídia em sites de notícias e redes sociais como Twitter e Facebook. O partido quer promover cursos e editar um “manual do tuiteiro petista”, com táticas para a guerrilha na internet. A ideia é recrutar a tropa a tempo de atuar nas eleições municipais de 2012. “Vamos espalhar núcleos de militantes virtuais por todo o país”, promete o petista Adolfo Pinheiro, 36, encarregado de apresentar um plano de ação amanhã ao presidente da legenda, Rui Falcão.

    Os filiados serão treinados para repetir palavras de ordem e usar janelas de comentários de blogs e portais noticiosos para contestar notícias “negativas” contra o PT. “Quando sai algo contra um governo petista, a mídia faz escândalo, dá página inteira no jornal. Temos que ir para cima”, diz Pinheiro. “Nossa única recomendação é não partir para a baixaria e manter o nível do debate político”, afirma ele. Mais Aqui.

    0
    • Luiz 18 de outubro de 2011 at 10:56

      Voltei
      Ah, a gente sabe como eles são educadinhos! Uma verdadeiras normalistas! Eu sei as barbaridades que recebo aqui cotidianamente. Não poupam nada: o que imaginam ser a sua vida pessoal, a de sua família, tudo… Se surgisse um tumor novo na minha cabeça a cada vez que eles fazem esse voto, nódulos nasceriam uns sobre os outros… Eis aí: não lhes basta aparelhar o estado; precisam aparelhar também a Internet.

      Já fazem isso hoje. Como manter a mediação de comentários é caro e complicado, os portais, inclusive os dos grandes jornais, têm deixado a coisa correr solta. Não há uma só notícia positiva sobre adversários do PT que não seja imediatamente depredada. TENTAM FAZER ISSO NO MEU BLOG TAMBÉM. Eu os chuto daqui. Eles voltam e insistem porque são loucos por mim. Não conseguindo emplacar as suas bobagens, vão falar mal de mim nos blogs da esgotosfera.

      Acima, escrevo dois textos sobre a moral esquerdista. O que os leva a ser policias da rede? Ora, a certeza de que têm uma missão e de que aqueles que não estão com eles se alinham com o mal e com o atraso. No passado, mandavam passar fogo; hoje, tentam o caminho da difamação.

      Se os portais insistirem em não mediar os comentários, passarão a ser máquinas de divulgação das verdades eternas do PT. Os simples de coração dirão: “Ora, os demais partidos que façam o mesmo”. Isso mudaria o quê? Em vez de o leitor comum ser esmagado pelos militantes de um partido, será esmagado pelos militantes de vários.

      Uma vez fascistas, sempre fascistas, não importa os meios de que disponham. O PT decidiu profissionalizar os Camisas Negras que patrulham a Internet.

      Por Reinaldo Azevedo

      0
  • MrK 18 de outubro de 2011 at 10:58

    gente,

    queda de ação por revisão de lucro é algo como -15%…-20%…no máximo -30% (vejam exemplos como Vale, Gerdau, Itau, Bradesco que amargam perdas dessa ordem em 12 meses)

    queda de ação da ordem de -65% é precificação de uma quase quebradeira, é um castigo brutal que o mercado está impondo, uma ação vir de 15,00 pra 5,00 não é “revisão” de lucro nem de guidance não, é uma parcela apostando na insolvencia!

    0
  • Fernando 18 de outubro de 2011 at 11:24

    Alguém conhece alguma ONG ou OSCIPE que trabalhe com educação política ou educação financeira para pessoas de baixa renda?
    Pergunto porque essa é uma ideia que me veio há alguns anos, desde que trabalho com o publico no SUS. Ocorre que pessoas totalmente ignorantes sobre Cidadania e Economia são tomadoras de decisão, influenciando o efeito manada e piorando suas próprias condições.
    Se, de repente, houver um mecanismo de instrução, algo de medio a longo prazo, o que poderia mudar?

    Outra coisa que me passa pela cabeça é: e se muitas das pessoas que vivem em condições precárias pudessem conhecer outras realidades do mundo, para poder “abrir a cabeça” sobre como o seu país é e como ele deveria ser. Algo como um “intercâmbio de cidadania”, principalmente para pessoas que tem alguma influencia dentro de suas comunidades, são formadoras e multiplicadoras de opinião.
    Alguém tem ideia se existe algo assim ocorrendo atualmente?

    0
    • Anonymous 18 de outubro de 2011 at 11:43

      Não conheço nenhuma, mas achei sua idéia muito interessante.
      Todos sabemos que o verdadeiro agente transformador das nossas condições é a educação, exatamente o contrário do que pensam alguns políticos desse país, que adoram ver povão ganhando bolsa disso e daquilo. Traz voto pra eles.
      Sua colocação sobre educação política e financeira para as classes “menos abonadas” é importantíssima, assim como aquela outra do controle de natalidade.

      0
    • Luiz 18 de outubro de 2011 at 11:54

      Fernando este curso existe

      É dado como treinamento para funcionarios de empresas médias ou grandes, pq é interesse do patrão que seus empregados não se enforquem

      Mas não é de graça.
      Se algué quiser posso recomendar um aqui em SP

      0
    • Anonymous 18 de outubro de 2011 at 12:05

      Em primeiro lugar, eu sou o Anonymous original. Em segundo lugar quero lembrar que já existe um mecanismo que premia ou castiga as ações de qualquer ser vivo do planeta. Esse mecanismo, criado por ninguém menos do que Deus, é chamado SELEÇÃO NATURAL. Não se preocupe que com essa crise iminente, todos serão devidamente educados, não importando se são carentes ou não. Acho mesmo que a lição será inesquecível para muitos.

      0
  • MrK 18 de outubro de 2011 at 11:44

    Um pouco sobre o COPOM…

    É preciso desmistificar essa falácia de que “juros tem que ser o menor possível”

    Assim como os juros muito alto fazem mal e travam a economia, os juros muito baixos também fazem: Geram inflação, desestimulam a poupança interna, podem gerar crise cambial e podem estimular o endividamento exagerado (muitas vezes bolhas)

    Portanto, o equilibrio é necessário! Se o COPOM continuar sendo ordenado pelo palácio do planalto e seguir irresponsável com os juros, pagaremos um preço alto por isso.

    0
    • augusto 18 de outubro de 2011 at 12:11

      O presidente atual do BC sr. AlexandreTombini parece ser técnicamente muito fraco e incompetente (sua expressão facial expressa isto), sendo que o BC é considerado como dominado pelo Mantega e pela Dilma.

      BC= DERIVATIVO DA FAZENDA!!!!!!!!!!!!!!

      Segundo lugar a FIESP através de seu presidente (derrotadissimo nas últimas eleições pelos paulistas ) vem a público criticar os altos juros, mas não faz nada para impedir os altíssimos preços que os empresários impõe ao povão.

      Politicos puxa-sacos do governo, sindicalistas, e boa parte da midia também criticam os juros mas se calam quanto a altíssima carga tributária do Pais, pois de um modo ou de outro usufruem da arrecadação total.

      E assim a inflação devagarzinho aumenta, e começa a corroer o poder aquisitivo dos salários.

      0
      • xyz 18 de outubro de 2011 at 14:51

        Muitos do que vão à tv defender o corte nos juros (empresários, por exemplo), o fazem porque é politicamente correto, mas de fato não querem que a selic caia, porque ganham também na ciranda financeira.

        A selic pode cair à zero, mas os juros ao consumidor vão continuar na estratosfera (excessão talvez ao crédito imobiliário).

        Mesmo com a selic historicamente baixa (12,5%, antes da queda) os juros do cheque especial e cartão de crédito bateram record histórico neste ano.

        O BC vai fazer igual às imobiliárias, que ficam constantemente “testando” o mercado com preços exorbitantes (venda/aluguel). O BC vai testar até onde o juros podem cair para que não haja evasão de recursos dos títulos público. O problema é que em algum momento este “teste” pode sair do controle, pois não cabe à ORTORIDADE monetária “testar” o mercado.

        0
        • Luiz 18 de outubro de 2011 at 15:45

          a inflação explodindo as construtoras vão perder o orçamento

          outra, apartamento na planta sobe corrigido pelo INCC
          por mais que eles abusem do IPCA, o INCC não dá.

          quando os investidores perceberem que parte da valorização prometida será custeada por eles próprios, vão começar a abandonar o barco.

          historicamente inflação alta intimida a população a fazer grandes dividas como financiamento de imovel. Soltar o dragão vai ser um tiro no próprio pé do ramo que eles pensam estimular.

          A SELIC está constante ou abaixando há meses e ainda assim as vendas só caem.

          0
    • DRN 18 de outubro de 2011 at 12:14

      O problema secundário (definição da taxa de juros) não existiria se o problema primário (endividar o estado) não existisse. Os estados (em geral, no mundo) gastam o que tem e o que não tem. Antecipam os tributos que projetam receber no futuro e, quando o futuro chega, não têm mais dinheiro para pagar. É uma rolagem de dívida eterna. Em certas condições é até aceitável o endividamento do Estado (guerra, início do país, mas eternamente não dá…)

      0
  • Rodrigo 18 de outubro de 2011 at 12:03

    Brookfield Incorporações tem vendas de R$ 1,33 bi no 3º trimestre
    Valor Econômico, 18/out

    As vendas contratadas da Brookfield Incorporações, uma das maiores incorporadoras integradas do país, alcançaram R$ 1,33 bilhão no terceiro trimestre, uma alta de 61% ante os R$ 824 milhões verificados no mesmo intervalo de 2010. Na comparação com o segundo trimestre deste ano, o acréscimo foi de 22%.

    Conforme prévia operacional da companhia encaminhada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), os lançamentos totalizaram R$ 913 milhões entre julho e setembro, com expansão de 23% na comparação anual e de 22,4% frente ao registrado no segundo trimestre.

    A Brookfield anunciou ainda que a velocidade de vendas, medida pela relação entre vendas e oferta (VSO), atingiu o recorde de 32% no terceiro trimestre.

    Conforme a incorporadora, dois projetos contribuíram para o desempenho: o Cadoro, um empreendimento de uso misto em São Paulo, com valor global de vendas (VGV) de R$ 366,1 milhões; e o Brookfield Towers, edifício de altíssimo padrão em São Paulo vendido por R$ 372,8 milhões no período.

    No documento, o diretor-presidente da Brookfield, Nicholas Reade, destaca que, com esse resultado, 76% da previsão de vendas para o ano foi cumprida até setembro

    0
  • Jonathas 18 de outubro de 2011 at 13:52

    Gente, retirado do topico bolha imobiliaria de bsb do skyscraper city:

    Bom, a corretora que me vendeu o imóvel aqui em Brasília não tinha local fixo e nem site, mas tinha diversos anúncios de imóveis.. Lógico que não chegava a esse número de 4.000 imóveis, mas estava em uma situação parecida com essa, se não me engano ela era corretora da MGarzon e vendia imóveis da Brookfield também, ela tinha uns 300 imóveis na carteira dela e todos com anúncios no WImóveis e no LugarCerto..

    Por conta da situação que vi aqui em BSB, acredito que estes anúncios não são de uma imobiliária e sim de um corretor que colocou um nome mais moderno pra chamar atenção.. O da minha por exemplo era Soraya Imóveis, uma corretora com um nome que poderia muito bem ser de uma imobiliária..

    Esta situação me fez lembrar de quando estava vendendo meu imóvel em SP e todo dia tinha pelo menos uma pessoa me ligava querendo anunciar o meu imóvel e colocar na base deles, esse cara pode ser um desses, vai pegando diversos imóveis e colocando como anúncio dele..

    Quanto ao telefone, o dele esta nos anúncios do ZAP como em qualquer outro, basta clicar o botão “Ver Telefone” que ele demonstra pra você.. Alias o dele é o (11) 3668-5994..

    0
  • Tales 18 de outubro de 2011 at 16:35

    Que mensagem eh essa que estão falando do Pedrao? Nao achei nenhuma com nada d+….

    0
    • Ader 18 de outubro de 2011 at 17:49

      Realmente ela sumiu… Dizia que o índice ZAP tinha algumas informações falsas sobre imobiliárias como enderelço, telefone, etc… Acho que era isso…

      0
  • Anonymous 18 de outubro de 2011 at 16:36

    Da série mercado emergente aquecido …

    GM abre programa de demissão voluntária em fábrica de SP
    Folha, 18/10/2011

    A GM (General Motors) abriu um programa de demissão voluntária para os empregados da fábrica de São José dos Campos (SP). A unidade tem 8.907 funcionários, mas a montadora não detalhou quantas dispensas quer atingir com o plano.

    0
    • augusto 18 de outubro de 2011 at 17:12

      Com a palavra os DESOCUPADOS E contratados pelo PT para na midia atacarem as noticias reais e criarem falsas expectativas

      0
  • Platao 18 de outubro de 2011 at 17:07

    Hoje percebi que na Sessão da tarde passou pela enésiva vez o filme Lagoa Azul… isso é, junto com as chuvas, um fato que faz decrescer um pouco as vendas de imóveis, mas não existe bolha alguma!!!

    0
    • Ar Quente 18 de outubro de 2011 at 17:48

      Platão, essa frase tá mais pra LSD do que pra dialética! rsrsrs

      0
  • ildeu 18 de outubro de 2011 at 18:39

    hahaha , meu sogro era bancario e comprou na sua vida 4 imovéis [3 lotes e 1 casa] se fosse hoje ele teria que juntar mais de 10 anos do seu salario pra comprar 1 lote que tem . hahaha , se os bancarios de hoje não compram nem 1/4 que compravam , quem vai comprar ? os juizes? serão tantos assim .e depois ? só os deputados e senadores? hahahaha meu sogro ganha 3 mil de aposentadoria e e´ rico pois tem 4 imoveis .Meu deus , como e´facil ficar rico no Brasil !

    0
  • Elias 18 de outubro de 2011 at 19:38

    Pessoal, não acho uma boa partidarizarmos o assunto.

    Também não acho que o Tombini seja imcompetente. Pelo contrário, acredito que seja um dos melhores que poderia estar lá: é de carreira do Banco Central, tëm PHD por Universidade americana, representou o Brasil no FMI e têm sua competência reconhecida por nomes como Armínio Fraga e Meirelles.

    Quanto à redução da Selic, a forma brusca é questionável, concordo que deve haver o ajuste fiscal, mas no que tange à obedecer ao Planalto etc., discordo. Na minha opinião, o BC estava capturado pelo mercado financeiro, e agora está mostrando que não vai seguir a cartilha da nossa “Wall Street”. Yoshiaki Nakano, que não é do partido do governo, elogiou sua postura.

    0
    • augusto 19 de outubro de 2011 at 08:36

      Uma das principais função do BC é manter a inflação dentro dos indices pré estabelecidos.
      Veremos se o nosso BC conseguirá tal meta (até agora não está conseguindo) .
      De nada adianta ter um presidente com milhares de cursos de renome, e conhecimentos teóricos, se ele não consegue cumprir sua missão. Antes de mais nada deve saber resistir a pressões politicas vindas de superiores. Agradar a tais pessoas representa antes de mais nada fraqueza (puxa saquismo ou incompetencia para o cargo?).
      Mas vamos esperar para ver o que o Tombini conseguirá

      0
      • Carcará 19 de outubro de 2011 at 17:22

        No caso do PT, é só combinar com o IBGE.

        0
    • xyz 19 de outubro de 2011 at 10:30

      Caro,
      Infelizmente PT e bolha imobiliária são inseparáveis.

      O Banco central já comprometeu a meta de inflação do próximo ano e até o TETO deste ano, ou seja, a inflação do próximo ano NÃO vai ficar dentro da meta e pior, a deste ano vai superar o TETO da meta.

      Resumo: o governo (incluindo Bacem) abandonou o controle da inflação em nome do “crescimento”, que inclusive é crescimento roubado do futuro, pois é baseado em dívida e crédito.

      0
  • MrK 18 de outubro de 2011 at 22:06

    antes que alguém venha encher que as construtoras fecharam em alta, essa foi uma onda do mercado, pois vazou o boato de que o copom iria dar uma martelada na selic bem mais forte do que todos esperavam, aí vale a maxima do mercado “compra no boato e vende no fato”

    o lance é que essa é uma faca de dois gumes: Se por um lado baixar a selic na martelada ajuda as empresas de consumo (e construtoras é uma das principais), por outro indica que o cenário que o BC está vendo pela frente é negro mesmo, eles não fariam loucuras sem ter um indicativo forte de algo muito feio pela frente, lembro que logo após a ultima reunião que eles baixaram bem mais agressivamente do que o mercado esperava, saiu o PIB cambaleante (ou seja, eles sabiam)

    agora é aguardar

    0
    • Observador 18 de outubro de 2011 at 22:36

      De novo a mesma ladainha…. Vira o disco, conta algo novo ai pra gente ou entao faz outra analise com mais do mesmo…

      0
      • MrK 18 de outubro de 2011 at 22:40

        ???

        só será possível saber maiores detalhes depois do copom e depois da divulgação dos próximos índices de atividade economica, mas não se engane, se o copom bater forte na selic é porque o cenário não é bom, eles jamais abandonariam o controle da inflação por bobagem

        se a análise não lhe agrada ou se voce discorda, feel free…

        0
        • Observador 18 de outubro de 2011 at 22:48

          Nao é questão de concordar.

          Tem um camarada lá em cima, anti bolhista, que levantou uma teoria de resgate do governo e foi escrachado e nao concordo com isso.

          Agora voce vem aqui e fala a mesma coisa.

          O que nao concordo é escrachar uma pessoa que fez um comentario que achei de muito valor só pelo fato do cara ser anti bolhista, e por eu ter defendido o cara tbm fui escrachado.

          Por isso falei pra voce dizer algo novo, pois isso ai vc ja diz faz 1 ano. Os novos frequentadores do forum estão acabando com a ideia central que é levantar possibilidades e discutir sobre elas. A ordem do dia virou defender o queijo a qualquer custo.

          0
          • MrK 18 de outubro de 2011 at 23:07

            prezado observador, aqui no forum opinam dezenas de pessoas diferentes, com opiniões e estilos diferentes

            certamente eu não o “escrachei” nem a seu amigo, pois eu não ofendo ninguém aqui

            assim sendo, se você tem algum problema com alguém, sugiro debater com o mesmo

            mas voltando ao que interessa: Eu não li o tema escrito pelo seu amigo, eu não consigo ler tudo (são muitos comentários), então não vou poder opinar, mas aqui não estou falando de um plano de salvação a construtoras nem a especuladores, estou falando de um plano desesperado de salvar o consumo e alguns empregos, se for isso que o seu falou, eu concordo, se vai funcionar é outra historia…

            0
            • Observador 18 de outubro de 2011 at 23:11

              De qualquer forma fica a dica: Vira o disco, voce ja disse isso e repetiu milhoes de vezes… Mais do mesmo cansa!

              0
            • Leandro 18 de outubro de 2011 at 23:13

              Pelo que li hoje no Correio Braziliense, o pib do terceiro semestre parece que fechou negativo, como já previa o site e artigos do mises.
              Só juros muito baixos pra salvar o pib mesmo.
              Já a inflação… essa todo mundo já está sentindo (não é à toa que todo mundo está entrando em greve).

              0
    • Carcará 19 de outubro de 2011 at 17:19

      Mrk,
      saiu há uns 2 meses no WSJ que o BC já sabia que o PIB tinha despencado. Aquela coisa de Europa Negra (o que é verdade) era só pra ter a quem culpar. O problema é o endividamento das famílias. A única coisa que se compra ultimamente é a dívida do mês anterior.

      O que ainda continua me intrigando é como a viúva conseguirá rolar sua dívida num cenário de SELIC baixo.

      Vamos esperar.

      0
  • AlexNY 19 de outubro de 2011 at 01:41

    China’s bust will be a thousand times worse than Dubai

    Chanos: China’s hard-landing has already begun

    “Real estate sales in September and October, which are peak months, fell 40%-60% on-year,” he said.

    Chanos also pointed out that Chinese financial and real-estate stocks are down 30% from their peak, while cement and steel prices are declining.

    “People are buying into the idea of perpetual growth,” Chanos said. “But they have to ask, ‘Are you really growing?’”

    Chanos stressed that investors should understand that there is no bailout without a cost.

    “The only way the Chinese government can continue to bail out everyone is to print more money, which will lead to inflation. But people are depositing money [in banks] at below inflation,” the fund manager said.

    Chanos had already suggested back in May that there were clear signs of excess supply in China’s commercial real-estate sector.

    Primeiro a china e logo depois o brasil se nao ao mesmo tempo

    0
  • Pensativo 19 de outubro de 2011 at 01:51

    Pessoal,
    tem um indivíduo dizendo que o governo irá salvar as construtoras, os mutuários, a nova classe média, a economia, …, enfim, Dilma Chuck irá salvar a pátria. E isso tudo com apenas R$ 15 bi. Pois bem, acho que a conta da festa do crédito fácil é bem maior, na ordem de centenas de vezes isso.
    O mesmo individuo afirmou ainda que é só o governo imprimir papel que tudo estará sanado, que a nova classe média e as construtoras estarão a salvo com esse novo dinheiro ainda quentinho vindo da Casa da Moeda. Parece que ele faltou as aulas mais básicas de economia. Imprimir papel-moeda provoca inflação simplesmente porque existe uma lei básica dita pela primeira vez por Lavoisier “Na Natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”. Ou seja, o pato tem que ser pago por alguém e, neste caso, o custo da orgia do crédito fácil cairia justamente em cima dos mais pobres e da novíssima classe média brasileira. Imprimir papel-moeda é um erro recorrente na história recente do Brasil e espero que já tenhamos aprendido a não combater as consequências, mas sim as causas (endividamento público e privado). Caso o governo petista cometa a sandice de acordar o dragão da inflação, retroagiremos 20 anos de conquistas economicas e sociais.
    Os EUA, Espanha, Japão, EIRE não conseguiram salvar os seus mercados imobiliários, portanto é ingenuidade achar que a republiqueta conseguirá esta façanha.

    Eliminado qualquer pensamento ufanista idiota, vamos ao que interessa, o meu palpite.

    Segue as fases apocalípticas do nosso “Pulo da Galinha”:

    1) O China não vai quebrar, vai apenas crescer menos. Isso por si só acabará com a festa dos exportadores de commodities como Brasil e Austrália.
    2) Com menos dinheiro, o próximo passo será o desaquecimento da economia e consequentemente aumento do desemprego. Dai vai pro espaço a confiança do consumidor e empresário do brasileiro.
    3) BACEN diminui a meta da SELIC para reaquecer a economia.
    4) A inflação volta, a inadimplência vai as alturas e o mercado imobiliário entra em crise.
    5) Algumas construtoras vão à insolvência, caindo ainda mais a confiança dos novos compradores de caixinhas de fósforo.
    6) O governo populista do PT tenta salvar o mercado imobiliário e as construtoras falidas empurrando-as para a CEF. Esta será salva com recorrentes aportes do Tesouro.
    7) O crédito seca, o sonho acabou e finalmente os preços começam a voltar a normalidade (pré-2007).
    8) O governo percebe o péssimo negócio que fez e cria uma porção de CPI`s para investigar como tanto dinheiro “nunca antes na história deste país” foi para o ralo.
    9) Vinte anos de estagnação do mercado imobiliário.

    Estamos entre as fases 3 e 4. Quanto mais tentemos evitar a crise imobiliária, maior será ela lá na frente.

    OBS: O crédito facilitado só é viável e sadio em países onde há grande índice de poupança interna, o que obviamente não é o caso do Brasil. Aqui, apenas financiamos o crescimento com dívida.

    2012 promete!!!

    0
    • Jack Imóveis 19 de outubro de 2011 at 02:29

      Pensar demonstrou-se melhor do que observar.

      Excelente comentário.

      Acredito que a fase 5 só começa em 2012.

      Abraços

      Jack – pensativo

      0
    • Cássio Pereira 19 de outubro de 2011 at 02:59

      Exportador de commodities não vai “quebrar” no futuro próximo, talvez com uma peste, guerra nuclear etc.

      0
    • Felipe 19 de outubro de 2011 at 08:07

      Pensativo, tambem tem que levar em conta o fator Europa que pode atrasar ou adiantar esses passos daí…

      0
    • Murdoch 19 de outubro de 2011 at 10:25

      Pensativo, concordo com quase todos os pontos…
      Só acho que, talvez, vc esteja menosprezando o poder de fogo do governo federal.
      Com grana em caixa dá pra segurar mta construtora.
      Outro ponto é que os caras subiram tanto o valor, que mesmo que eles caiam consideravelmente, as margens continuam boas.

      0
      • xyz 19 de outubro de 2011 at 10:48

        No estouro de uma manada muitas empresas falem não porque não teriam condições de sobreviver, mas falem de forma fraudulenta por não quererem dá uma única gota de sangue para salvar a lavoura. Na história deste país muitas empresas já falilam, mas seus proprietários ficaram ricos.

        Quando a conta da farra chegar, talvez os 350 bilhões de dólares do governo não sejam suficientes para segurar o estouro da manada, pois o que há aqui de capital estrangeiro de curto prazo deve ser bem mais que isso.

        0
      • Ader 19 de outubro de 2011 at 11:36

        O problema é que com a crise, não só as construtoras estarão com problemas… Será uma sociedade inteira… O governo vai poder ajudar todo mundo?

        0
    • Paulo - RJ 19 de outubro de 2011 at 10:58

      Uma situação boa hoje em dia não garante o futuro, dependendo das bases em que isto está sendo construído.
      No Brasil o crescimento é feito em crédito sem contrapartida em infraestrutura e educação. Se o governo começar a usar dinheiro para bancar as burradas que estão sendo feitas, vai é faltar dinheiro, ainda mais com a fuga de investimentos. Uma hora, a conta vai ser paga, seja daqui a 5, 10 ou 15 anos.

      Em um cenário destes, inflação alta e aumento de impostos atinge todas as classes, gera impopularidade no governo, aí o plano de 20 anos de poder poderá se transforar em 12 ou 16.
      Não existe fórmula perfeita, nem almoço grátis.

      0
    • Anonymous 19 de outubro de 2011 at 11:34

      Um síntese brilhante!

      0
  • luizdvd 19 de outubro de 2011 at 11:42

    Ué, parou porquê?

    Cadê os comentários do meio dia de 18/10/11 em diante?

    0
  • MrK 19 de outubro de 2011 at 11:56

    HOJE OGLOBO PUBLICOU MAIS UMA MATERIAZINHA PAGA SOBRE VALOR DO M2 NA ZONA SUL DO RIO

    durante a materia “isenta” fica citando vários lancamentos “exclusivos” dando nome e endereço, até detalhes do numero de unidades a venda tem lá… agora pergunta se eles abriram espaco pra comentários?? CLARO QUE NÃO!!!

    0
  • Luiz 19 de outubro de 2011 at 12:20

    eu gostaria de saber pq corretores tem o ego tão sensível

    Luiz – o ocupado hoje (, mas vigilante, se alguém escrver sandice vai pra palmatória)

    0
  • Lucas 19 de outubro de 2011 at 12:26

    De todas as matérias manipuladas a que mais me deixa de queixo caído é essa aqui sobre o Creci-SP.
    Eles colocam que as vendas subiram 13,53%, contudo, nos últimos três meses em que venho acompanhando aqui no blog tem imobiliária que não vende um apezinho sequer.
    Olha o índice de vendas 0,6279, ou seja, de cada 3 imobiliárias uma deixou os funcionários sem pagamento no mês.
    Como a galera manipula números, pqp!

    Vendas de imóveis usados sobem 13,53% em julho no estado de São Paulo
    Comente

    SÃO PAULO – A venda de imóveis usados no estado de São Paulo subiu 13,53% na passagem de junho para julho deste ano, de acordo com pesquisa divulgada pelo Creci-SP (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo) nesta quarta-feira (19).

    Entre as imobiliárias de 37 cidades pesquisadas, foram comercializadas 928 unidades no sétimo mês do ano, sendo 487 apartamentos e 441 casas. O índice de vendas evoluiu de 0,5531 em junho para 0,6279 em julho.

    Das quatro regiões analisadas pelo Creci-SP, o destaque ficou com a capital, que mostrou crescimento de 85,76% frente a junho, e o interior, que mostrou alta de 17,92%. Por outro lado, houve queda de vendas no litoral, de 15,05%, e nas cidades do ABCD paulista (Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul e Diadema), Guarulhos e Osasco, de 50,86%.

    Preços
    Na capital, os imóveis mais vendidos foram os de valor médio superior a R$ 200 mil, com participação de 76,28% do total. No caso do litoral, o preço médio predominante foi de até R$ 160 mil, com 57,78% do total. Esse também foi o preço médio que dominou nas cidades do ABCD paulista, Guarulhos e Osasco e no interior.

    Os financiamentos responderam por 45,8% das vendas em julho na capital, 57,42% no interior, 59,35% nas cidades do ABCD paulista, Guarulhos e Osasco e por 46,11% no litoral.

    fonte: h t t p :/ /economia.uol.com.br/ultimas-noticias/infomoney/2011/10/19/vendas-de-imoveis-usados-sobem-1353-em-julho-no-estado-de-sao-paulo.jhtm

    0