Ganha força a hipótese de bolha no País – Blogs Estadão

Você pode gostar...

Comments
  • Fred Henrique 4 de outubro de 2011 at 13:40

    Eita! Será que o Estadão passou pro “lado negro” da força?

    Estou esperando Veja e Jornal Nacional. Qual vai admitir a bolha primeiro???

    0
    • Fred Henrique 4 de outubro de 2011 at 13:43

      O mais hilário é o presidente do CRECI afirmando:

      “não há absolutamente nenhuma bolha imobiliária no Brasil.”

      Parece aquele nosso colega do bolha imobiliaria que parecia só saber dizer:

      “Ou seja, não há déficit nenhum.”

      0
      • Tiago 4 de outubro de 2011 at 17:04

        Eu já falei 1 milhão de vezes “QUE NÃO HÁ DEFICIT NENHUM” foi uma falha do site!

        0
        • Evandro CPS 4 de outubro de 2011 at 21:19

          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
          Calma Tiago, a galera sabe! Estão só dando uma sacaneada de leve.

          0
          • Fred Henrique 5 de outubro de 2011 at 11:58

            Hehehe, é isso aí!

            0
            • Jack Imóveis 5 de outubro de 2011 at 17:58

              “Ou seja, não há deficit nehum”

              0
        • Marcelo 5 de outubro de 2011 at 14:31

          Ou seja, nao ha deficit nenhum de bom humor por aqui!

          0
          • Wendell 5 de outubro de 2011 at 21:49

            Ou seja, não há deficit nenhum.

            0
            • O Poeta da Bolha 6 de outubro de 2011 at 13:02

              Reassevero e corroboro: inexistem padrões deficitários.

              0
      • Rpresentante Legal 2 de outubro de 2012 at 09:25

        Vivemos em Parlamentarismo, não Presidencialismo(Democraticamente falando); ainda assim, o JURIS ESPERNIANDI fica pra depois das eleições (todas elas); o Direito de greve ainda existe, e hoje fazem 20 anos do Massacre do Presídio Carandirú, que depois virou Parquinho.(Político, pode-se dizer. Não sei se haviam Presos Políticos dentre os Rebeldes, ou Vítimas). Talvez nem tivessem Graduação nenhuma. Cada Estado Merece as LDBs que tem. E o MEC. Olhem que a Dívida Grega está aí(ainda), e nem tudo que vem em Pacote Surpresa é de Boa Surpresa. Avaliar, Sempre; Julgar, Talvez…(Pra não Precisar Tentar Remediar Sem Obter Resultados Viáveis). FELIZ ELEIÇÕES 2012! A Grécia é Ali, ó…

        0
  • Luiz 4 de outubro de 2011 at 13:46

    A alta da renda a que se refere no texto é de apenas 5% entre 2010 e 2011, pesquisa fechada em julho.

    Este aumento de 5% é uma média, as Classes C, D e E aumentaram talvez 10%, as A e B quase nada.

    Quem compra imovel não auemntou significativamente a massa de renda, portanto o aumento de preços em 20% é totalmente especulativo, tocado na base do crédito.

    0
  • Leandro 012 4 de outubro de 2011 at 13:53

    Pesquisei no Google Trends o termo: “bolha imobiliaria” agora a pouco e fiquei admirado com o resultado.
    O Bolha tá famoso. rsrs

    0
  • Paulo Rocha 4 de outubro de 2011 at 14:21

    Realmente não há bolha! Vejamos o exemplo do Balneário Camboriu, uma cidade de com uma população de 108.107 hab. (Censo IBGE/2010) e PIB per capita de R$ 14 541,29 (IBGE/2008). Mes que vem no dia 3 de outubro será feito um leilão de mais do que 80 imóveis.

    Como todos sabemos é melhor vender imóveis por leilão do que com corretores ou conta própria. O lucro sai muito mais alto!

    EDITAL DA PRAÇA / LEILÃO
    Data: 03/11/2011
    Cidade: BALNEARIO CAMBORIU
    Local: Fórum de Balneário Camboriú – Vara da Fazenda (1º Leilão)

    EDITAL DE 1ª e 2ª PRAÇA/LEILÃO

    A DOUTORA ADRIANA LISBOA, JUÍZA DE DIREITO DA VARA DA FAZENDA PÚBLICA, EXECUTIVOS FISCAIS, ACIDENTES DE TRABALHO E REGISTROS PÚBLICOS DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ DO ESTADO DE SANTA CATARINA, NA FORMA DA LEI ETC.

    FAZ SABER a todos quantos o presente Edital virem ou dele tiverem conhecimento, que a Vara da Fazenda Pública, Executivos Fiscais, Acidentes de Trabalho e Registros Públicos de Balneário Camboriú/SC levará à venda em arrematação pública, nas datas, local, horário e sob as condições adiante descritas, os bens penhorados nos processos abaixo relacionados, devendo os licitantes comparecer cientes de que a venda será à vista ou a prazo de 15 (quinze) dias, mediante caução idônea (art. 690, do CPC – Lei 11.382/06).

    1ª Praça/Leilão: 03/11/2011, às 14:00 horas, por preço igual ou superior a avaliação do bem.

    2ª Praça/Leilão: 17/11/2011, às 14:00 horas, a quem mais der, se na 1ª praça o bem não alcançar lanço igual ou superior à importância da avaliação, desde que não seja preço vil.

    Local do Leilão/praça: no átrio ou no Salão do Tribunal do Júri, Avenida das Flores s/n, Bairro dos Estados, Centro, Balneário Camboriú/SC.

    Leiloeiro Público Oficial/Nomeado: LÚCIO UBIALLI – matrícula AARC/030

    Cabe ao arrematante o pagamento da comissão do leiloeiro, estabelecida em 6% (seis por cento) do valor da arrematação. Nos casos de solução consensual entre as partes e/ou nos casos de suspensão ou extinção da ação depois de iniciados os atos preparatórios do leilão, a comissão ser á de 200 URCEs.

    Advertências Especiais:
    1ª) Caso não sejam os devedores encontrados para a intimação pessoal, ficam devidamente intimados pela publicação do presente edital, na imprensa e afixação no local de costume;
    2ª) Os credores hipotecários, usufrutuários ou senhorio direto que não foram intimados pessoalmente, ficam neste ato intimados da realização dos respectivos praças/leilões;
    3ª) A verificação do estado de conservação dos bens poderá ser realizada pelo pretenso arrematante, se desejado, mediante acompanhamento de Oficial de Justiça.

    PROCESSOS DO LEILÃO
    01) Processo n. 005.02.011866-4
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Arno Roberto dos Reis.
    Bem(ns): 01) 01 (um) lote de nº 1.156, com 300,00m², Jardim Real Balneário Camboriú, em Balneário Camboriú/SC, frente de 12,00m a Oeste com a Rua Dom Henrique; mesma medida de fundos a Leste com o lote nº 1.107; Lateral Norte e, Sul com os lotes 1.155 e 1.157, medindo 25,00m em cada estrema, matriculado sob o n. 19.489 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel está edificado uma casa de alvenaria com 48,44m², nº 415. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.00.009892-7 e 005.00.010868-0, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 50.000,00, em 04/03/04, corrigido R$ 72.577,75 (setenta e dois mil, quinhentos e setenta e sete reais e setenta e cinco centavos), em 30/04/11.

    02) Processo n. 005.91.001158-8
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Carlos Souto.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento nº 902 e respectiva vaga de garagem, localizado no 12º andar ou 13º pavimento, do Bloco “B”, do Conjunto Residencial Posadas, com a área total de 204,19m², situado entre as Ruas 701 e 901, matriculado sob o n. 33.130 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.00.019032-7, 005.97.013643-3, 005.90.004361-4, 005.90.004362-2, 005.90.004363-0, 005.02.011609-2, 005.06.006134-5, 005.05.001192-2, 005.08.013562-0, 005.05.005969-0/001 e 005.05.005971-2/001, que tramitam nesta Vara e nos autos de nº 005.06.009034-5/001, que tramita na Vara do Juizado Especial cível de Balneário Camboriú/SC. Avaliado em R$ 350.000,00, em 06/02/08, corrigido R$ 422.737,84 (quatrocentos e vinte e dois mil, setecentos e trinta e sete reais e oitenta e quatro centavos), em 30/04/11.

    03) Processo n. 005.05.002767-5
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Augusto José Bernardino.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno com a área de 500,00m², medindo 20,00m na frente, a Oeste, com uma Rua Municipal, atual Rua 4.450; mesma medida nos fundos, a Leste, em terras de Luiz Driessen Sobrinho e fundos, a Leste em terras de Luiz Driessen Sobrinho e Izaltino Raisel; extrema ao Norte e ao Sul com mais terras de Luiz Driessen Sobrinho e Izaltino Raisel, medindo 25,00m em cada lateral, matriculado sob o n. 5.304 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel está edificado uma casa em alvenaria com 99,27m², sob o nº 171. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.96.002642-2, 005.96.002217-6, 005.08.018159-1, 005.06.006025-0, 005.02.008315-1, 005.00.018117-4 e 005.05.003065-0, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 2.000.000,00, em 18/10/10, corrigido R$ 2.099.631,75 (dois milhões e noventa e nove mil, seiscentos e trinta e um reais e setenta cinco centavos), em 30/04/11.

    04) Processo n. 005.08.017701-2
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: J. Oliveira Franco Jr & Bernardo Jorge Advogados Associados.
    Bem(ns): 01) 50% (cinquenta por cento) de um apartamento de n. 702 do Edifício Ivo Mario Trombini, situado em em Balneário Camboriú/SC, à Av. Brasil, nº 300, com a área total de 243,3770m², matriculado sob o n. 72.329 no 1;º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.01.017776-5, que tramita na 1ª Vara Cível de Balneário Camboriú/SC. Avaliado em R$ 300.000,00, em 04/10/10, corrigido R$ 316.252,84 (trezentos e dezesseis mil, duzentos e cinquenta e dois reais e oitenta e quatro centavos), em 30/04/11.

    05) Processo n. 005.05.002931-7
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Ana Maria Horongozo Corá.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento de nº 905, com a área total de 103,6192m², Edifício República Argentina, situado na Avenida Brasil, nº 2.801, em Balneário Camboriú/SC, matriculado sob o nº 15.517 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.95.003171-7, que tramita na 1ª Vara Cível de Balneário Camboriú/SC; arrestado nos autos de nº 005.02.010005-6 e penhorado nos autos de nºs 005.91.002432-9, 005.93.000744-6 e 005.97.014086-4, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 150.000,00, em 26/10/05, corrigido R$ 199.655,48 (cento e noventa e nove mil, seiscentos e cinqüenta e cinco reais e quarenta e oito centavos), em 30/04/11.

    06) Processo n. 005.02.022987-3
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Valdemar Melsir.
    Bem(ns): 01) 01 (um) refrigerador Brastemp Frost Free, cor branca, em perfeito estado de conservação. Avaliado em R$ 1.600,00, em 21/08/08, corrigido R$ 1.854,51 (um mil, oitocentos e cinqüenta e quatro reais e cinquenta e um centavos), em 30/04/11. Local para vistoria: Rua Alberto Santos Dumont, 291, 3ª Avenida, Balneário Camboriú/SC.

    07) Processo n. 005.02.010299-7
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Veridiano da Silva.
    Bem(ns): 01) 01 (um) lote nº 99, com área de 261,13m², Jardim Curitibanos, em Balneário Camboriú/Sc; frente, sul de 12,18m, na Rua Biguaçu, mesma medida de fundos, norte, em terras de Leopoldo Zarling; lateral leste numa rua e, oeste no lote 100, medindo 21,44m em cada extrema,matriculado sob o n. 27.114 no 2º Ofício do CRI de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel está edificada uma casa de madeira em razoável estado de conservação. Ônus: penhorado nos autos de nºs 005.02.010620-8, 005.96.012814-4, 005.91.003667-0, 005.97.002961-0, 005.05.017461-9, 005.05.017228-4, 005.06.015968-0, 005.06.015970-1 e 005.91.000710-6, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 23.000,00, em 22/10/04, corrigido R$ 32.291,19 (trinta e dois mil, duzentos e noventa e um reais e dezenove centavos), em 30/04/11.

    08) Processo n. 005.05.001568-5
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Aristo Manoel Pereira.
    Bem(ns): 01) 01 (uma) sala de nº 304-A, localizada no 3º andar da área “A” do Edifício Washington, situado à Avenida Central, nº 151, em Balneário Camboriú/SC, com a área total de 46,18m², matriculado sob o n. 69.537 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.06.010428-1, que tramita nesta Vara. Avaliado em R$ 370.000,00, em 01/02/10, corrigido R$ 402.680,44 (quatrocentos e dois mil, seiscentos e oitenta reais e quarenta e quatro centavos), em 30/04/11.

    09) Processo n. 005.07.018139-4
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Adineia Medeiros – ME.
    Bem(ns): 01) 01 (um) aparelho de fax, marca Sansung SF 505. Avaliado em R$ 300,00; 02) 01 (um) monitor, marca Sansung LCD, 17 polegadas. Avaliado em R$ 500,00; 03) 01 (um) ventilador, marca Martau. Avaliado em R$ 100,00; 04) 01 (um) telefone sem fio, marca Panasonic. Avaliado em R$ 100,00. Total da avaliação: R$ 1.000,00, em 12/05/08, corrigido R$ 1.185,34 (um mil, cento e oitenta e cinco reais e trinta e quatro centavos), em 30/04/11. Local para vistoria: Rua Palestina, 510, sala 10, Nações, Balneário Camboriú/SC.

    10) Processo n. 005.05.015188-0
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Ladir da Rocha.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento de nº 30, localizado no andar térreo ou 1º pavimento do Edifício João e Lígia H. Nardi, situado à rua 1.121, em Balneário Camboriú/SC, com a área total de 54,193m², matriculado sob o nº 24.595 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de nºs 005.99.016550-1, 005.00.002418-4, 005.00.017713-4, 005.02.009016-6 e 005.06.010471-0, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 80.000,00, em 10/10/06, corrigido R$ 103.777,65 (cento e três mil, setecentos e setenta e sete reais e sessenta e cinco centavos), em 30/04/11.

    11) Processo n. 005.98.001120-0
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: José Alberto Bolano.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno urbano situado no Morro do Boi, em Balneário Camboriú/SC, com a área de 694,05m², representado pelo lote “I” do Loteamento Recanto das Pedras, medindo 14,30m de frente , ao Norte, numa Rua Projetada, com igual metragem nos fundos, ao Sul, com terras de Bento Eloy Garcia; extrema ao Leste com o lote “H”, e ao Oeste com o lote “J”, medindo em cada lateral 49,00m, matriculado sob o n. 30.153 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.02.010874-0 e arrestado nos autos de nº 005.08.010461-9, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 48.000,00, em 17/10/05, corrigido R$ 63.997,55 (sessenta e três mil, novecentos e noventa e sete reais e cinquenta e cinco centavos), em 30/04/11.

    12) Processo n. 005.02.009607-5
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Sálvio Graf.
    Bem(ns): 01) 01 (um) lote de nº 05, da quadra “E” do Loteamento Balneário Bela Vista, Rua Projetada 1, Balneário Camboriú/SC, com a área de 270,00m², medindo 15,00m de frente, ao sul, com a Rua Projetada 1, com igual medida nos fundos, ao norte, com os lotes 09 e 10; extremando a leste, com o lote 04, e ao oeste, com a Rua Projetada nº 04, matriculado sob o nº 92.069 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel estão edificadas quatro casas mistas, em péssimo estado de conservação. Ônus: penhorado nos autos de nºs 005.00.017482-8, 005.96.008779-0, 005.97.000538-0, 005.90.000780-4, 005.93.000762-4 e 005.05.017117-2, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 50.000,00, em 08/01/07, corrigido R$ 63.926,17 (sessenta e três mil, noventa e vinte e seis reais e dezessete centavos), em 30/04/11.

    13) Processo n. 005.08.001295-1
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Petryza Comércio e Indústria de Ferro Ltda.
    Bem(ns): 01) 01 (um) aparelho solda White Martins, 450w e 01 (uma) lixadeira, Marquita, industrial, em perfeito estado de conservação. Avaliados em R$ 1.700,00, em 27/10/08, corrigido em R$ 1.957,82 (um mil, novecentos e cinquenta e sete reais e oitenta e dois centavos), em 30/04/11. Local para vistoria: Rua 3.146, 397, Sala 01 (esquina com marginal), Centro, Balneário Camboriú/SC.

    14) Processo n. 005.02.003437-1
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Joacir Delfim Costa.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento de nº 201 do Edifício Santa clara, com a área total de 230,83m², situado na Avenida Brasil, nº 2.525, Balneário Camboriú/SC, matriculado sob o nº 24.216 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: hipotecado em favor de Albeni Sponholz e Solange Brigida Lunardi Sponholz e penhorado nos autos de nºs 005.06.010369-2, 005.07.007028-2, 005.05.015457-0, 005.07.014885-0 e 005.99.015550-6, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 350.000,00, em 29/04/10, corrigido R$ 373.055,81 (trezentos e setenta e três mil e cinquenta e cinco reais e oitenta e um centavos), em 30/04/11.

    15) Processo n. 005.02.008538-3
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Auto Vidros e Peças Tropicar Ltda.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado no bairro do Estados, em Balneário Camboriú/SC, com área de 340,80m² representado pelo lote nº 01 da quadra “D” do Jardim dos Estados, medindo 21,30m na frente, ao Oeste na Rua Bahia, com igual metragem nos fundos, ao Leste, com o lote nº 03; extrema ao Sul, com o lote nº 02 e, ao Norte, com uma Rua Projetada (abastecimento águas da CASAN) medindo em cada lateral 16,00m, matriculado sob o nº 39.289 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs: sobre o referido imóvel há um galpão em alvenaria com aproximadamente 200,00m². Ônus: penhorado nos autos de nºs 005.01.014910-9, 005.04.003854-2, 005.05.001578-2, 005.07.003027-2, 005.07.009226-0, 005.08.001727-9, 005.07.019729-0, 005.08.009374-9, 005.05.012687-8, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 15.000,00, em 09/08/04, corrigido R$ 21.198,13 (vinte e um mil, cento e noventa e oito reais e treze centavos), em 30/04/11.

    16) Processo n. 005.06.011093-1
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Luiz Carlos Schmitz.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento n. 1002, com a área total de 168,47m², localizado no Edifício Dona Irmã, situado n a Av. Atlântica, Balneário Camboriú/SC, matriculado sob o nº 26.280 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: hipotecado em favor de Bradesco S.A – Crédito Imobiliário; penhorado nos autos de nºs 005.01.007897-0, 005.05.015562-2 e 005.02.008750-5, que tramitam nesta Vara; nos autos de nº 005.04.010897-4, que tramita na 1ª Vara Cível de Balneário Camboriú/SC e nos autos de nº 005.03.003830-2, que tramita na 2ª Vara Cível de Balneário Camboriú/SC. Avaliado em R$ 380.000,00, em 26/03/07, corrigido R$ 480.276,25 (quatrocentos e oitenta mil, duzentos e setenta e seis reais e vinte e cinco centavos), em 30/04/11.

    17) Processo n. 005.06.009267-4
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Idevaldo Pompilho de Aguiar.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado à Rua Noruega, em Balneário Camboriú/SC, com área de 546,00m², representado pelo lote nº 101 do Loteamento Santa Apolônia, medindo 13,00m na frente, ao Norte, na referida Rua, com igual metragem nos fundos, ao Sul, na Rua Nepal; extrema ao Leste com os lotes nºs 100 e 106, de Cesar Augusto Fullgraf e ao Oeste com os lotes nºs 102 e 118, medindo em cada lateral 42,00m, matriculado sob o nº 22.942 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel está edificado uma casa de alvenaria. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.02.006389-4, 005.03.011594-3 e 005.93.001491-4, que tramitam nesta Vara e arrestado nos autos de nº 005.00.017882-3 e 005.05.014980-0, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 90.000,00, em 12/12/07, corrigido R$ 110.227,89 (cento e dez mil, duzentos e vinte e sete reais e oitenta e nove centavos), em 30/04/11.

    18) Processo n. 005.06.000569-0
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Passos Informática Ltda ME e Flávio Aroldo Scherer.
    Bem(ns): 01) 01 (um) lote de nº 380, com 408,00m², Loteamento Jardim Iate Clube, em Balneário Cmboriú/SC, lugar Praia, medindo 12,00m de frente, ao Sul, na Rua Projetada “A”, que dista 21,00m da esquina de uma rua projetada a Oeste – 1ª Quadra; 12,04m nos fundos, ao Norte, no Rio Gamboa Grande; 35,00m na Lateral Oeste com os lotes 378 e 379; 33,00m na Lateral Leste com o lote 381, matriculado sob o nº 9.047 no 2º Ofício do CRI de Balneário Camboriú/SC. Ônus: arrestado nos autos de nº 1091/97; penhorado nos autos de nº 005.05.007090-25, que tramitam nesta Vara e penhorado nos autos de nº 373/1979, que tramita na Vara Cível de Coronel Vivida/PR. Avaliado em R$ 140.000,00, em 12/09/08, corrigido R$ 162.058,66 (cento e sessenta e dois mil e cinqüenta e oito reais e sessenta e seis centavos), em 30/04/11.

    19) Processo n. 005.04.008416-1
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Construtora e Comércio H. Schultz & Companhia Ltda.
    Bem(ns): 01) 01 (um) lote de nº 38 do Loteamento Vila Dona Marta, situado à Rua 2.650, nº 1120, em Balneário Camboriú/SC, com área total de 288,00m², frente norte de 20,00m numa rua; mesma medida de fundos sul, em terras de Amaro José Caldeira; lateral leste no lote 37 e oeste no lote 39, medindo 14,40m em cada extrema, matriculado sob o nº 25.917 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel está edificada uma casa em alvenaria, em mau estado de conservação, de cor branca, com telhas de amianto (Eternit), aproximadamente com 120,00m² de área construída, possuindo 4 quartos, uma sala, uma cozinha, um banheiro e uma pequena lavanderia. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.91.003139-2, que tramita na 1ª Vara Cível de Balneário Camboriú/SC; arrestado nos autos de nº 005.02.002255-1 e penhorado nos autos de nº 005.98.018550-0, 005.02.002257-8, 005.02.002260-8, 005.02.001434-6, 005.99.015041-5, 005.00.013301-3, 005.02.009102-2, 005.02.001413-3 e 005 .02.001433-8, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 80.000,00, em 07/04/05, corrigido R$ 108.709.21 (cento e oito mil, setecentos e nove reais e vinte e um centavos), em 30/04/11.

    20) Processo n. 005.02.006882-9
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Roberto Antônio de Souza.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento de nº 101, com a área total de 186,7609m², Edifício Doral Atlântico, Rua 2.700, nº 298, em Balneário Camboriú/SC, matriculado sob o nº 10.660 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: R.8 – Ações Reais: Autos de ação de protesto contra alienação de bens sob o nº 005.05.020069-5, que tramita na 2ª Vara Cível de Balneário Camboriú/SC e penhorado nos autos de nº 005.05.017256-0, que tramita nesta Vara. Avaliado em R$ 200.000,00, em 22/07/10, corrigido R$ 212.160,22 (duzentos e doze mil, cento e sessenta e reais e vinte e dois centavos), em 30/04/11.

    21) Processo n. 005.02.011609-2
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Rodrigo Werner Souto e Sabrina Werner Souto.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento de nº 902-B e sua respectiva vaga de garagem, localizado no 12º andar ou 13º pavimento do Bloco “B”, do Conjunto Residencial Posadas, situado entre as Ruas 701 e 901, em Balneário Camboriú/SC, com a área total de 204,19m², matriculado sob o nº 33.130 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: usufruto vitalício em favor de Doris Terezinha Werner Souto e Carlos Luiz Souto; penhorado nos autos de nºs 005.00.019032-7, 005.97.013643-3, 005.90.004361-4, 005.90.004362-2, 005.90.004363-0, 005.06.006134-5, 005.91.001158-5, 005.05.001192-2, 005.08.013562-0, 005.05.005969-0/001 e 005.05.005971-2/001, que tramitam nesta Vara e nos autos de nº 005.06.009034-5/001, que tramita na Vara do Juizado Especial Cível de Balneário Camboriú/SC. Avaliado em R$ 100.000,00, em 29/08/03, corrigido R$ 150.177,08 (cento e cinqüenta mil, cento e setenta e sete reais e oito centavos), em 30/04/11.

    22) Processo n. 005.04.008375-0
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Incorporadora H. Schultz & Companhia Ltda.
    Bem(ns): 01) 01 (um) lote nº 135 da quadra “H” do Loteamento Parque Residencial Balneário Camboriú Sul, Morro do Boi, em Balneário Camboriú/SC, com área de 250,275m², medindo 11,75m de frente com a Rua G, com igual medida nos fundos, com o lote 134; extrema de um lado com o lote 133 e do outro lado com o lote 137, medindo 21,30m em cada extrema, matriculado sob o nº 32.570 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel há uma casa em alvenaria, com a área de 64,00m². Ônus: nada consta nos autos. Avaliado em R$ 50.000,00, em 24/09/10, corrigido R$ 52.820,90 (cinqüenta e dois mil, oitocentos e vinte reais e noventa centavos), em 30/04/11.

    23) Processo n. 005.06.016130-7
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Suzana Mattos Gonçalves.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento de nº 1204, bem como sua vaga de garagem, do Edifício Simone, situado à Rua 1.401, nº 275, em Balneário Camboriú/SC, com área total de 103,7935m², matriculado sob o nº 73.415 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de nºs 005.00.005285-4 e 005.07.018411-3 e arrestado nos autos de nº 005.07.020002-0, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 250.000,00, em 02/02/10, corrigido R$ 272.013,28 (duzentos e setenta e dois mil, treze reais e vinte e oito centavos), em 30/04/11.

    24) Processo n. 005.07.001742-0
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Correa Digitações e Cobranças Ltda. – ME.
    Bem(ns): 01) 01 monitor, marca Samsung Sistem Master 3NE; 01 (um) computador Intel Pentium; 01 (um) teclado TNPI; 01 (um) mouse Genius e 01 (um) estabilizador. Avaliado em R$ 380,00, em 09/05/07, corrigido R$ 478,28 (quatrocentos e setenta e oito reais e vinte e oito centavos), em 30/04/11. Local para vistoria: Rua Antonio Bittencourt, 11, apto. 03, Centro, Balneário Camboriú/SC.

    25) Processo n. 005.02.001988-7
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Ademir Pilla.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno com a área de 610,20m², referente aos lotes 01 e 02 da Quadra “B” do Loteamento Dona Conceição, Barra, em Balneário Camboriú/SC; frente de 37,00m a Norte, com uma Rua Municipal; mesma medida de fundos ao Sul, com terras de Olimpio Nunes da Costa; lateral Leste, com o lote 03 e Oeste, com uma Rua Municipal, medindo 22,60m em cada extrema, matriculado sob o nº 8.041 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de nºs 005.96.013100-5, 005.96.013659-7, 005.96.013099-8, 005.96.013101-3, 005.02.002826-6, 005.02.002825-8, 005.02.024309-4, 005.02.001056-1, 005.02.0011948-2, 005.02.001986-0, 005.02.001060-0, 005.88.000533-0, 005.90.002295-1, 005.90.002294-3 e 005.01.008499-6 e arrestado nos autos de nºs 005.02.001987-9, 005.02.011584-3, 005.00.015640-4, 005.06.011320-5, 005.06.010446-0, 005.92.002033-4, 005.02.010606-2 e 005.88.000533-0, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 40.000,00, em 30/05/03, corrigido R$ 60.229,51 (se ssenta mil, duzentos e vinte e nove reais e cinqüenta e um centavos), em 30/04/11.

    26) Processo n. 005.06.016380-6
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Chefe da Divisão de Arrecadação da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento – CASAN.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno, situado no lugar Taboleiro, em Balneário Camboriú/SC, com a área de 1.161,92m², medindo 28,00m de frente, ao Sul na Avenida Santa Catarina; 24,70m de fundos, ao Norte, com terras dela outorgante; extrema ao Leste, onde mede 50,00m, com mais terras dela outorgante e ao Oeste, onde mede em duas linhas 12,36m e 37,14m com o Ribeirão do Caetano, matriculado sob o nº 32.252 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs: sobre o referido imóvel há uma construção em alvenaria de aproximadamente 2.000,00m². Ônus: nada consta nos autos. Avaliado em R$ 1.200.000,00, em 14/10/10, corrigido R$ 1.261.264,12 (um milhão, duzentos e sessenta e um mil, duzentos e sessenta e quatro reais e doze centavos), em 30/04/11.

    27) Processo n. 005.06.013014-2
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Nelly Santos.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno com a área de 637,00m², Rua Emanoel Rebelo dos Santos, Barra, Balneário Camboriú/SC, medindo 14,00m de frente ao norte com a Rua Emanoel Rebelo dos Santos (antes Estrada Municipal) e fundos ao sul de 45,50m, com terras de Jocelyna Maria Rebelo; extrema a leste com terras devolutas e a oeste com terras de Maria Santos Reinert, matriculado sob o nº 31.633 no 2º C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.05.017572-0, 005.05.017571-2, 005.97.011060-4, 005.91.000897-7, 005.91.000901-0, 005.91.000904-4, 005.91.000905-2, 005.02.007840-9, 005.02.007841-7, 005.06.013021-5 e 005.97.014036-8, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 90.000,00, em 20/03/07, corrigido R$ 113.844,81 (cento e treze mil, oitocentos e quarenta e quatro reais e oitenta e um centavos), em 30/04/11.

    28) Processo n. 005.01.011970-6
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Lauro Helio Schmitt.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento de nº 102, localizado no 1º andar do Edifício Holanda, situado à Av. do Estado, em Balneário Camboriú/SC, com a área total de 86,96m², matriculado sob o nº 38.920 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: hipotecado em favor da Caixa Econômica Federal – CEF. Avaliado em R$ 400.000,00, em 28/08/08, corrigido R$ 463.410,41 (quatrocentos e sessenta e três mil, quatrocentos e dez reais e quarenta e um centavos), em 30/04/11.

    29) Processo n. 005.06.016817-4
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Solange de Carvalho Rosin.
    Bem(ns): 01) 01 (um) box de garagem de nº 26, com a área total de 28,56m², localizado no Edifício Residencial Henrique Rosin, situado à Rua 3.100, nº 10, esquina com a Av. Atlântica, em Balneário Camboriú/SC, matriculado sob o nº 23.526 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: nada consta nos autos. Avaliado em R$ 30.000,00, em 29/04/10, corrigido R$ 32.161,05 (trinta e dois mil, cento e sessenta e um reais e cinco centavos), em 30/04/11.

    30) Processo n. 005.06.016400-4
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Danilo Leske.
    Bem(ns): 01) 01 (um) lote de nº 342, do Loteamento Jardim Iate Clube, Rua Dom Marcos, Iate Clube, em Balneário Camboriú/SC, com área de 252,00m², medindo 12,00m de frente, com a Rua Dom Marcos (antes Rua L), com igual medida nos fundos, com o lote 341; extrema de um lado com o lote 340 e, de outro lado com o lote 344, medindo 21,00m em cada extrema, matriculado sob o nº 29.980 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel está edificada uma casa em alvenaria. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.02.024991-2, que tramita nesta Vara. Avaliado em R$ 110.000,00, em 12/01/09, corrigido R$ 125.452,46 (cento e vinte e cinco mil, quatrocentos e cinqüenta e dois reais e quarenta e seis centavos), em 30/04/11.

    31) Processo n. 005.05.008108-4
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Egidio Dalfovo – Espólio.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno com a área de 272,40m², situado no Lugar Ponta do Brejo, em Balneário Camboriú/SC, medindo 22,70m de frente ao Norte com uma Rua Projetada e fundos ao Sul, a mesma medida, com terras de Oswaldo Metzker; extrema a Oeste com terras de João Girola e a Leste com outra Rua Projetada, medindo em cada extrema 12,00m, matriculado sob o nº 87.339 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs: sobre o referido imóvel há um estacionamento com a área aproximada de 189,00m². Ônus: nada consta nos autos. Avaliado em R$ 200.000,00, em 08/10/10, corrigido R$ 210.586,23 (duzentos e dez mil, quinhentos e oitenta e seis reais e vinte e três centavos), em 30/04/11.

    32) Processo n. 005.06.012825-3
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Marcos Paulo Mendes.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado em Balneário Camboriú/SC, com a área de 500,00m², representado pelos lotes nºs 148 e 150 do Jardim Regina, medindo 25,00m na frente, ao Sul, com a Rua 1.500 e com igual metragem nos fundos, ao Norte, com os lotes 147 e 149; extrema a Oeste com o lote 152 e a Leste com o lote 146, medindo 20,00m em ambas as extremas, matriculado sob o nº 60.757 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel há uma casa em alvenaria com aproximadamente 329,00m². Ônus: penhorado nos autos de nºs 005.02.019816-1, 005.02.008839-0 e 005.06.012528-9, que tramitam nesta Vara e nos autos de nº 005.02.018503-5/002, que tramita na Vara da Família de Balneário Camboriú/SC. Avaliado em R$ 400.000,00, em 07/10/10, corrigido R$ 421.300,06 (quatrocentos e vinte e um mil, trezentos reais e seis centavos),em 30/04/11.

    33) Processo n. 005.05.020733-9
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Hilda Santos Teixeira.
    Bem(ns): 01) 01 (um) lote de nº 06 da quadra nº 08 do Loteamento Praia de Camboriú,Rua Campo Erê, em Balneário Camboriú/SC, com área de 288,00m², medindo 12,00m de frente, ao Norte, com a Rua Campo Erê (antes Rua Projetada), com igual metragem nos fundos, ao Sul, com terras de quem de direito; extrema do lado direito, ao Leste, com o lote nº 05, onde mede 24,00m e ao Oeste, lado esquerdo, com o lote nº 07, em igual metragem, matriculado sob o n.º 31.572 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel está há uma construção para fins comerciais com aproximadamente 280,00m². Ônus: penhorado nos autos de nº 005.01.002230-3, que tramita nesta Vara. Avaliado em R$ 100.000,00m, em 04/07/06, corrigido R$ 130.217,58 (cento e trinta mil, duzentos e dezessete reais e cinqüenta e oito centavos), em 30/04/11.

    34) Processo n. 005.02.009419-6
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Pedro Paulo Küster Nunes.
    Bem(ns): 01) 01 (um) lote de nº 542 do Loteamento Jardim Vila do Mar, Rua Projetada “D”, lugar Praia, em Balneário Camboriú/SC, com a área de 270,00m², medindo 10,00m de frente ao Sul, com a Rua Projetada “D”, com igual medida nos fundos, ao Norte, com terras de Arnaldo Mendes; extrema a Leste, com o lote nº 541 e a Oeste com o lote nº 543, medindo em ambas extremas 27,00m, matriculado sob o nº 87.010 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel há uma casa de dois pavimentos em alvenaria com aproximadamente 117,00m². Ônus: penhorado nos autos de nºs 005.03.012041-6, 005.05.017329-9, 005.00.018999-0 e 005.98.001082-3, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 180.000,00, em 03/03/09, corrigido R$ 203.781,98 (duzentos e três mil, setecentos e oitenta e um reais e noventa e oito centavos), em 30/04/11.

    35) Processo n. 005.02.001412-5
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Construtora e Comércio H. Schultz & Companhia Ltda.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento de nº 603, com a área de 70,908m² do Edifício Republica Argentina, situado à Avenida Brasil, 2.801, em Balneário Camboriú/SC, matriculado sob o nº 16.608 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.97.012090-1, que tramita nesta Vara. Avaliado em R$ 150.000,00, em 09/09/10, corrigido R$ 158.892,34 (cento e cinqüenta e oito mil, oitocentos e noventa e dois reais e trinta e quatro centavos), em 30/04/11.

    36) Processo n. 005.03.012933-2
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Gunther Nebelung.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado no lugar Praia Brava, em Balneário Camboriú/SC, com a área de 400,15m², representado pelo lote nº 08 da Quadra 16, do Loteamento Sociedade Camboriú de Hotéis – Praia dos Amores, medindo 14,42m, na frente, ao Sul, com a Rua Érico Veríssimo e com igual metragem nos fundos, ao Norte, com os lotes de nºs 02 e 03; extrema ao Leste com o lote nº 07 e a Oeste com o lote nº 09, medindo 27,65m em ambas as extremas, matriculado sob o nº 74.329 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel está edificada uma casa com aproximadamente 258,55m². Ônus: penhorado nos autos de nº 005.06.021387-0 e arrestado nos autos de nº 005.09.008681-8, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 350.000,00, em 08/10/07, corrigido R$ 432.979,94 (quatrocentos e trinta e dois mil, novecentos e setenta e nove reais e noventa e quatro centavos), em 30/04/11.

    37) Processo n. 005.99.016054-2
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Luiz Carlos Farias.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado à 4ª Avenida, em Balneário Camboriú/SC, com área de 235,00m², representado por parte do lado 119 do Jardim Serrano, medindo 12,53m na frente, a Oeste, na 4ª Avenida e 12,50m de fundos, a Leste, com o lote 116; extrema ao Norte, com parte do lote 120, onde mede 18,40m e , ao Sul, com terras de João Paes de Melo, onde mede 19,20m, matriculado sob nº 7.247 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel está edificada uma casa de alvenaria de dois pavimentos. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.02.009751-9, 005.05.013693-8, 005.00.002129-0 e 005.02.009747-0, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 800.000,00, em 19/10/10, corrigido R$ 839.599,19 (oitocentos e trinta e nove mil, quinhentos e noventa e nove reais e dezenove centavos), em 30/04/11.

    38) Processo n. 005.96.002123-4
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Herculano Adriano Uriesmann.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado no lugar Várzea do Ranchinho, ou Monte Alegre, em Camboriú/SC, com a área de 312,00m², representado pelo lote nº 18 da quadra nº 45 do Jardim Serrano, medindo 12,00m de frente na Rua nº17, por 26,00m de fundos com o lote nº 05, extrema do lado direito, com os lotes nºs 01 e 02 e do lado esquerdo com o lote nº 17, matriculado sob o nº 10.582 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: nada consta nos autos. Avaliado em R$ 15.500,00, em 04/01/05, corrigido R$ 21.458,22 (vinte e um mil, quatrocentos e cinqüenta e oito reais e vinte e dois centavos), em 30/04/11.

    39) Processo n. 005.05.014094-3
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Ivaldino Pompeu Camara.
    Bem(ns): 01) 01 (um) lote de nº 1.754, com área de 252,00m² do Jardim Real Balneário Camboriú – 3ª Parte, Rua Águas Mornas, em Balneário Camboriú/SC, matriculado sob o nº 2.720 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel está edificada um casa em alvenaria com aproximadamente 80,00m². Ônus: nada consta nos autos. Avaliado em R$ 120.000,00, em 10/07/06, corrigido R$ 156.225,98 (cento e cinqüenta e seis mil, duzentos e vinte e cinco reais e noventa e oito centavos), em 30/04/11.

    40) Processo n. 005.06.014660-0
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Tohoru Okayama.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento de nº 904, localizado no 9º andar do Edifício Residencial Krewinkel, situado à Rua Bibiano dos Santos, nº 111, em Balneário Camboriú/SC, com a área total de 113,314m², matriculado sob o nº 52.430 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: hipotecado em favor do Banestado S/A – Crédito Imobiliário (hoje Banco Itaú), penhorado nos autos de nº 005.05.016757-4, 005.02.007040-8 e 005.96.013901-4 e arrestado nos autos de nº 005.08.017683-0, que tramita nesta Vara. Avaliado em R$ 100.000,00, em 11/04/07, corrigido R$ 126.168,36 (cento e vinte e seis mil, cento e sessenta e oito reais e trinta e seis centavos), em 30/04/11.

    41) Processo n. 005.06.005528-0
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Angela Maria Rocha Maloci.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado no lugar Taboleiro, do Rio Peroba, em Balneário Camboriú/SC, Rua 2070, nº 811, com área de 264,00m², representado pelo lote 210 do Jardim Ouro Verde, medindo 12,00m na frente, ao Norte, com a Rua 2.070, com igual metragem nos fundos, ao Sul, com o lote 209 dela outorgante; extrema ao Leste, com o lote 205 dela outorgante vendedora e ao Oeste, com o lote 215 também dela outorgante vendedora, medindo em cada lateral 22,00m, matriculado sob o nº 29.706 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de n.º 005.96.001654-0, 005.00.012720-0, 005.02.002921-1 e 005.04.016535-8, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 200.000,00, em 13/10/10, corrigido R$ 210.274,23 (duzentos e dez mil, duzentos e setenta e quatro reais e vinte e três centavos), em 30/04/11.

    42) Processo n. 005.05.016757-4
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Tohoru Okayama.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento de nº 904, localizado no 9º andar do Edifício Residencial Krewinkel, situado à Rua Bibiano dos Santos, nº 111, em Balneário Camboriú/SC, com a área total de 113,314m², matriculado sob o nº 52.430 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus hipotecado em favor do Banestado S/A – Crédito Imobiliário (hoje Banco Itaú), penhorado nos autos de nº 005.06.014660-0, 005.02.007040-8 e 005.96.013901-4 e arrestado nos autos de nº 005.08.017683-0, que tramita nesta Vara. Avaliado em R$ 220.000,00, em 16/12/10, corrigido R$ 227.004,95 (duzentos e vinte e sete mil e quatro reais e noventa e cinco centavos), em 30/04/11.

    43) Processo n. 005.08.016948-6
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Aristo Manoel Pereira.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado à Rua 990, em Balneário Camboriú/SC, com área de 250,00m², representado pelo lote nº 35 do Loteamento Jardim Regina II, medindo 12,50m na frente, ao Norte, com a Rua 990 e com igual metragem nos fundos, ao Sul, com o lote 36; extrema a Leste com o lote 33 e a Oeste com o lote 37, medindo 20,00m em ambas as extremas, matriculado sob o nº 58.771 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs: sobre o referido imóvel encontra-se um prédio de 04 andares, com 08 salas, com aproximadamente 55,00m². Ônus: penhorado nos autos de nºs 005.99.010256-9, 005.01.014308-9, 005.00.002806-6, 005.01.001726-1, 005.05.015495-2, 005.06.005973-1 e 005.97.010644-5, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 200.000,00, em 18/06/09, corrigido R$ 222.897,44 (duzentos e vinte e dois mil, oitocentos e noventa e sete reais e quarenta e quatro centavos), em 30/04/11.

    44) Processo n. 005.00.005285-4
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Suzana Mattos Gonçalves.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento de nº 1204, bem como sua vaga de garagem, do Edifício Sérgio Martins, situado à Rua 1.401, nº 275, em Balneário Camboriú/SC, com área total de 103,7935m², matriculado sob o nº 73.415 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: arrestado nos autos de nº 005.07.020002-0 e penhorado nos autos de nº 005.06.016130-7, que tramita nesta Vara. Avaliado em R$ 200.000,00, em 02/07/07, corrigido R$ 250.437,55 (duzentos e cinquenta mil, quatrocentos e trinta e sete reais e cinqüenta e cinco centavos), em 30/04/11.

    45) Processo n. 005.97.011494-4
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Espólio de Olindor Ribeiro de Camargo.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado à Rua 700, em Balneário Camboriú/SC, com a área de 300,00m², representado pelo lote nº 36, do Loteamento denominado Balneário Pimpa, medindo na frente que faz ao Norte na rua acima mencionada, 12,00m, e nos fundos que fazem ao Sul em terras de Antônio D’Avila, também a mesma medida, extrema ao Leste com o lote nº 35 e ao Oeste com o lote nº 37 do mesmo loteamento, medindo em cada uma destas extremas, 25,00m, localizado no lado impar no sentido Leste-Oeste da referida rua, matriculado sob o nº 18.538 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs: sobre o referido imóvel está edificada uma casa de alvenaria de dois pavimentos. Ônus: hipotecada em favor de Bradesco Sul S/A – Crédito Imobiliário e penhorado nos autos de nº 005.08.017886-8, que tramita nesta Vara. Avaliado em R$ 400.000,00, em 30/07/08, corrigido R$ 464.431,69 (quatrocentos e sessenta e quatro mil, quatrocentos e trinta e um reais e sessenta e nove centavos), em 30/04/11 .

    46) Processo n. 005.93.000842-6
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Incorporadora H. Schultz Ltda.
    Bem(ns): 01) 01 (um) lote de nº 180 da quadra “J” do Loteamento Parque Residencial Balneário Camboriú Sul, Rua “G”, em Balneário Camboriú/SC, com área de 250,275m², medindo 11,75m de frente a Oeste, com a Rua “G”, com igual medida nos fundos, a Leste, com o lote 181; extrema ao Sul com o lote 182 e ao Norte com o lote 178, medindo 21,30m em cada extrema, matriculado sob o nº 38.137 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel há uma casa de madeira. Ônus: nada consta nos autos. Avaliado em R$ 120.000,00, em 14/12/10, corrigido R$ 123.868,67 (cento e vinte e três mil, oitocentos e sessenta e oito reais e sessenta e sete centavos), em 30/04/11.

    47) Processo n. 005.05.014001-3
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Marcia Rosane Lourenço.
    Bem(ns): 01) 01 (um) lote de nº 245 do Loteamento Jardim Real Balneário Camboriú, Rua Dom Sebastião, Vila Real, em Balneário Camboriú/SC, com área de 300,00m², medindo 12,00m de frente a Oeste, com a Rua Dom Sebastião, com igual medida nos fundos, a Leste, com o lote 356; extrema ao Norte com os lotes 246 e 247 e ao Sul com o lote 244, medindo 25,00m em cada extrema, matriculado sob o nº 31.477 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel há uma casa de alvenaria de dois pavimentos, com aproximadamente 70,00m², cor beje, com 02 quartos, 01 banheiro, 01 sala, 01 cozinha, estacionamento para dois veículos e área de lavanderia. Ônus: nada consta nos autos. Avaliado em R$ 150.000,00, em 23/08/10, corrigido R$ 159.120,17 (cento e cinqüenta e nove mil, cento e vinte reais e dezessete centavos), em 30/04/11.

    48) Processo n. 005.01.011799-1
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Asteróides Gonçalves.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento nº 402, 6º andar, do Edifício Ilha do Campeche, situado na Rua 3300, nº 390, em Balneário Camboriú/SC, com área total de 109,56401m², matriculado sob o nº 14.539 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs: referido imóvel possui 02 quartos, 01 banheiro, 01 sala, 01 cozinha e área de lavanderia. Ônus: hipotecado em favor da Caixa Econômica Federal e penhorado nos autos de nºs 005.05.003045-5 e 005.02.008173-6, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 220.000,00, em 17/12/07, corrigido R$ 269.029,00 (duzentos e sessenta e nove mil e vinte e nove reais), em 30/04/11.

    49) Processo n. 005.99.016550-1, 005.00.002418-4, 005.00.017713-4 e 005.02.009016-6
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Ladir da Rocha e Lauro Aparecido.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento de nº 30, do Edifício João e Lígia H. Nardi, situado à Rua 1121, em Balneário Camboriú/SC, com a área total de 54,193m², matriculado sob o nº 24.595 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.05.015188-0 e 005.06.010471-0, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 86.400,00, em 12/01/11, corrigido R$ 88.580,63 (oitenta e oito mil, quinhentos e oitenta reais e sessenta e três centavos), em 30/04/11.

    50) Processo n. 005.00.012199-6
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Ailton Carlos de Mira.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno, situado no lugar Praia, à Rua 1546, nº 270, em Balneário Camboriú/SC, com área de 253,00m², representado pelo lote nº 119, do Loteamento Jardim Merlene, medindo 11,50m, de frente, ao Leste, com a Rua 1.546, e por 22,00m de fundos, ao Oeste, com o lote nº 125; extrema ao Sul com terras de Lothar Radlof e ao Norte, com ditas de Arlindo Carelli e Leopoldo Zarling, matriculado sob o nº 42.943 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel há uma casa de alvenaria de dois pavimentos com aproximadamente 232,90m². Ônus: penhorado nos autos de nº 005.00.002659-4 que tramita na 2ª Vara Cível de Balneário Camboriú/SC e nos autos de nºs 005.98.003820-2, 005.96.001034-8, 005.03.012414-4, 005.02.001444-3, 005.06.005463-2 e 005.05.002360-2, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 180.000,00, em 08/02/06, corrigido R$ 236.053,55 (duzentos e trinta e seis mil e cinqüenta e três reais e cinqüenta e cinco centavos), em 30/04/11.

    51) Processo n. 005.97.014036-8
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Nelly Santos.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno com a área de 637,00m², Rua Emanoel Rebelo dos Santos, Barra, Balneário Camboriú/SC, medindo 14,00m de frente ao norte com a Rua Emanoel Rebelo dos Santos (antes Estrada Municipal) e fundos ao sul de 45,50m, com terras de Jocelyna Maria Rebelo; extrema a leste com terras devolutas e a oeste com terras de Maria Santos Reinert, matriculado sob o nº 31.633 no 2º C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel há uma casa de alvenaria com aproximadamente 70,00m² e uma de madeira com aproximadamente 45,00m². Ônus: penhorado nos autos de nºs 005.05.017572-0, 005.05.017571-2, 005.97.011060-4, 005.91.000897-7, 005.91.000901-0, 005.91.000904-4, 005.91.000905-2, 005.02.007840-9, 005.02.007841-7, 005.06.013014-2 e 005.06.013021-5, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 300.000,00, em 02/11/08, corrigido R$ 345.177,19 (trezentos e quarenta e cinco mil, cento e setenta e sete reais e dezenove centavos), em 30/04/11.

    52) Processo n. 005.07.017686-2
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Giacomini Engenharia e Construções Ltda.
    Bem(ns): 01) 01 (um) box garagem de nº 07, com área ideal de 0,0017% de um terreno com área de 1.254,00m², situado na Rua 2300, Balneário Camboriú/SC, matriculado sob o nº 55.693 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.02.024269-1, que tramita nesta Vara e nos autos de nº 96.12.00724-1, que tramita na 1ª Vara Federal de Passo Fundo/RS. Avaliado em R$ 25.000,00, em 03/04/08, corrigido R$ 29.911,91 (vinte e nove mil, novecentos e onze reais e noventa e um centavos), em 30/04/11.

    53) Processo n. 005.04.016752-0
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Comércio e Distribuidora de Bebidas Atlântica Ltda.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado no Bairro das Nações, à Rua Áustria, em Balneário Camboriú/SC, com área de 462,00m², representado pelo lote nº 105 da quadra nº 18 do Jardim Atlântico, medindo 16,50m de frente, ao Norte, na Rua Áustria, por 28,00m de fundos ao Sul, em uma Rua Projetada; extrema ao Oeste, com o lote nº 104 e ao Leste com outra Rua Projetada, localizado no lado ímpar da Rua Áustria, sentido leste-oeste, esquina com uma Rua Projetada, matriculado sob o nº 11.079 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs: sobre o referido imóvel há um galpão de alvenaria. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.01.018214-9, 005.04.015522-0 e 005.07.020536-6, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 800.000,00, em 12/05/05, corrigido R$ 1.076.574,12 (um milhão e setenta e seis mil, quinhentos e setenta e quatro reais e doze centavos), em 30/04/11.

    54) Processo n. 005.02.008385-2
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Marli Machado.
    Bem(ns): 01) 01 (um) lote de nº 185, com 252,00m², quadra 06, Jardim Iate Clube, na Rua Agrolândia, em Balneário Camboriú/SC, matriculado sob o nº 21.461 no 2º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de nº 005.06.009979-2, que tramita nesta Vara. Avaliado em R$ 80.000,00, em 21/02/05, corrigido R$ 109.838,11 (cento e nove mil, oitocentos e trinta e oito reais e onze centavos), em 30/04/11.

    55) Processo n. 005.00.003066-4
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Comércio e Distribuidora de Bebidas Atlântica Ltda.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado a Rua Austrália, em Balneário Camboriú/SC, com a área de 233,20m², medindo 17,60m na frente, ao Norte com a Rua Austrália e, 17,70m nos fundos, ao Sul com terras de Adelar Scariot; extrema a Leste com terras de Adelar Scariot e, a Oeste com terras de Anibal Debatin, medindo em cada extrema 12,00m e 14,50m, respectivamente, matriculado sob o nº 55.495 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel há uma construção em alvenaria, com aproximadamente 70,00m². Ônus: penhorado nos autos de nº 005.00.011650-0, 005.00.011660-7, 005.04.016687-7, 005.96.001564-1, 005.99.015642-1, 005.06.007580-0, 005.05.018095-3, 005.05.017743-0 e 005.06.010996-8 e arrestado nos autos de nº 005.08.017549-4, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 300.000,00, em 24/02/11, corrigido R$ 304.367,88 (trezentos e quatro mil, trezentos e sessenta e sete reais e oitenta e oito centavos), em 30/04/11.

    56) Processo n. 005.00.018120-4
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Afonso Proenço Branco.
    Bem(ns): 01) 01 (um) apartamento de nº 21 do Edifício Elizabeth situado à Avenida Brasil, esquina com a Rua 1.400, em Balneário Camboriú/SC, com área total de 53,8202m², matriculado sob o nº 668 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: penhorado nos autos de nº 4492/97, que tramita na 2ª Vara Cível de Balneário Camboriú/SC, nos autos de nº 005.00.008752-6, que tramita na Vara do Juizado Especial Cível de Balneário Camboriú/SC e nos autos de nºs 005.96.001478-5, 005.04.016734-4, 005.02.011981-4 e 005.08.018244-0, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 180.000,00, em 22/02/11, corrigido R$ 182.690,02 (cento e oitenta e dois mil, seiscentos e noventa e dois reais e dois centavos), em 30/04/11.

    57) Processo n. 005.05.020149-7
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Maria Odete Barbosa Nogueira.
    Bem(ns): 01) 01 (uma) sala comercial nº 02 do Edifício Comercial Beux, Rua 500, nº 426, em Balneário Camboriú/SC, com área total de 27,8591m², matriculado sob o nº 82.357 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: nada consta nos autos. Avaliado em R$ 60.000,00, em 21/10/10, corrigido R$ 62.933,85 (sessenta e dois mil, novecentos e trinta e três reais e oitenta e cinco centavos), em 30/04/11.

    58) Processo n. 005.07.001572-9
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Ali Diter – Casa das Alianças.
    Bem(ns): 01) 01 (um) par de alianças de ouro 18K, com 5,5 gramas. Avaliado em R$ 700,00, em 07/10/10, corrigido R$ 737,28 (setecentos e trinta e sete reais e vinte e oito centavos), em 30/04/11. Local para vistoria: Rua 1000, 80 ou 240, sala 03, Centro, Balneário Camboriú/SC.

    59) Processo n. 005.01.002793-3
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Benjamin Cordeiro.
    Bem(ns): 01) 01 (uma) terreno situado a Rua Concordia, no lugar Bairro dos Municípios, em Balneário Camboriú/SC, com área de 279,00m², representado pela área “B” da planta de desmembramento, medindo 12,00m na frente, ao Sul, no lado direito, da Rua Canelinha, com igual metragem nos fundos, ao Norte, com área “A”; extrema ao Leste, com terras de José da Silva Farias e, ao Oeste, com terras de Antônio Cesário Pereira, medindo cada lateral 23,25m, matriculado sob o nº 40.026 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs sobre o referido imóvel há uma casa de alvenaria com aproximadamente 150,00m². Ônus: nada consta nos autos. Avaliado em R$ 150.000,00, em 25/01/11, corrigido R$ 153.180,62 (cento e cinqüenta mil, cento e oitenta reais e sessenta e dois centavos), em 25/01/11.

    60) Processo n. 005.99.015667-7
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Dirce da Silva.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno com área de 329,23m², referente a Área n° 09, situado na localidade Canto da Praia em Balneário Camboriú/SC, matriculado sob o nº 42.006 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel consta uma casa em alvenaria com aproximadamente 200,00m². Ônus: penhorado nos autos de nºs 005.97.012712-4, 005.05.007795-8, 005.96.001115-8, 005.97.012712-4, 005.02.002882-7, 005.91.002295-4, 005.91.002296-2, 005.96.001116-6, 005.02.003123-2 e 005.06.007784-5, que tramitam nesta Vara. Avaliado em R$ 200.000,00, em 28/09/10, corrigido R$ 211.136,06 (duzentos e onze mil, cento e trinta e seis reais e seis centavos), em 30/04/11.

    61) Processo n. 005.91.001205-3
    Exeqüente: Município de Balneário Camboriú.
    Executado: Amauri Peças e Veículos.
    Bem(ns): 01) 01 (um) lote de nº 314 do Loteamento Jardim Serrano, situado em Balneário Camboriú/SC, no Bairro dos Municípios, com área de 300,00m², medindo na frente, ao Norte, com a Rua A, 12,00m; 25,00m de fundos que os fazem ao sul com o lote nº 313; extremando ao leste com o lote nº 311 e ao oeste com o lote nº 317, matriculado sob o nº 54.752 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel está edificada uma casa de alvenaria com aproximadamente 130,00m², em péssimo estado de conservação. Ônus: nada consta nos autos. Avaliado em R$ 80.000,00, em 07/02/08, corrigido R$ 96.609,02 (noventa e seis mil, seiscentos e nove reais e dois centavos), em 30/04/11.

    62) Processo n. 005.10.009594-6
    Requerente: Município de Caçador.
    Requerido: Juarez Sérgio Petry.
    Bem(ns): 01) 01 (uma) TV 29 polegadas, marca Semp Toshiba, com controle, funcionando. Avaliada em R$ 1.350,00, em 03/10/07, corrigido em R$ 1.670,90 (um mil, seiscentos e setenta reais e noventa centavos), em 30/04/11. Local para vistoria: Rua 511, 14, Ed. Dona Rosinha, apto. 131, Bloco A, Balneário Camboriú/SC.

    63) Processo n. 005.07.009237-5
    Exeqüente: Estado de Santa Catarina.
    Executado: Maré Mansa Colchões de Melzzi.
    Bem(ns): 01) 02 (dois) conjuntos Onface LFK King Koill. Avaliados em R$ 2.000,00 cada, totalizando R$ 4.000,00; 02) 01 (um) conjunto Amercianflex 1.58 x 1.98 x 0.23. Avaliado em R$ 1.500,00; 03) 01 (um) conjunto látex Luck Spuma 1.38 x 1.88 x 0.30. Avaliado em R$ 1.900,00; 04) 01 (um) conjunto Probel Volare 1.58 x 1.98 x 0.22. Avaliado em R$ 1.500,00; 05) 01 (um) conjunto Pelmex 1.58 x 1.98 x 0.26. Avaliado em R$ 1.500,00; 06) 04 (quatro) camas auxiliares com colchão Pelmex 0.88 x 1.88. Avaliadas em R$ 990,00 cada, totalizando R$ 3.960,00; 07) 11 (onze) conjuntos Ecoflex 1.38 x 1.88, com gaveteiro. Avaliados em R$ 1.305,00 cada, totalizando R$ 14.355,00; 08) 01 (um) Box Maringá 1.38 x 1.88, com gaveteiro. Avaliado em R$ 1.890,00; 09) 01 (um) conjunto King Koill Visco, 1.58 x 1.98. Avaliado em R$ 2.390,00. Total da avaliação: R$ 32.995,00, em 09/04/08, corrigido R$ 39.427,55 (trinta e nove mil, quatrocentos e vinte e sete reais e cinqüenta e cinco centavos), em 30/04/11. Local para vistoria: Avenida do Estado, 3899, Centro, Balneário Camboriú/SC.

    64) Processo n. 005.07.011628-2
    Exeqüente: Estado de Santa Catarina.
    Executado: Restaurante Olho D’Água Ltda ME.
    Bem(ns): 01) 40 (quarenta) mesas de madeira. Avaliadas em R$ 250,00 cada, totalizando R$ 10.000,00; 02) 160 (cento e sessenta) cadeiras de madeira. Avaliadas em R$ 60,00 cada, totalizando R$ 9.600,00; 03) 20 (vinte) luminárias de forro. Avaliadas em R$ 100,00 cada, totalizando R$ 2.000,00; 04) 01 (um) fogão industrial, oito bocas. Avaliado em R$ 2.000,00; 05) 01 (um) fogão chapa. Avaliado em R$ 2.000,00; 06) 06 (seis) janelas. Avaliadas em R$ 350,00 cada, totalizando R$ 2.100,00; 07) 01 (uma) porta de entrada. Avaliada em R$ 1.500,00; 08) 02 (dois) balcões de entrada de madeira. Avaliados em R$ 1.500,00 cada, totalizando R$ 3.000,00; 09) 160 (cento e sessenta) pratos brancos. Avaliados em R$ 3,00 cada, totalizando R$ 480,00; 10) 20 (vinte) toalhas brancas de mesa. Avaliadas em R$ 50,00 cada, totalizando R$ 1.000,00. Obs: referidos bens encontram-se em bom estado de conservação. Total da avaliação: R$ 33.680,00, em 30/10/07, corrigido R$ 41.576,29 (quarenta e um mil, quinhento s e setenta e seis reais e vinte e nove centavos), em 30/04/11. Local para vistoria: Rua Dom Afonso, 800, Via Gastronômica, Vila Real, Balneário Camboriú/SC.

    65) Processo n. 005.00.007479-3
    Exeqüente: Estado de Santa Catarina.
    Executado: LEO – Comércio e Representação de Confecções Ltda.
    Bem(ns): 01) 01 (uma) loja de nº 09 do Edifício Tia Guiomar, localizado na Avenida Brasil, 1.151, em Balneário Camboriú/SC, com área total de 59,30m², matriculado sob o nº 76.886 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Ônus: nada consta nos autos. Avaliado em R$ 120.000,00, em 28/07/04, corrigido R$ 169.958,05 (cento e sessenta e nove mil, novecentos e cinqüenta e oito reais e cinco centavos), em 30/04/11.

    66) Processo n. 005.00.005947-6
    Exeqüente: Estado de Santa Catarina.
    Executado: Ariribá Mineração Ltda.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado no lugar Ariribá, em Balneário Camboriú/SC, com área de 16.926,85m², representado pela área “B-1” da planta de divisão da Área “B”, medindo 40,89m na frente, ao Oeste, na estrada particular e 40,89m nos fundos, ao Leste, na Rua Ângelo Santiago; extrema ao Sul, com terras de Manoel Rodrigues e Manoel Agostinho, onde mede 478,00m e ao Norte com a área “B-2”, onde mede 419,50m, matriculado sob o nº 26.953 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs: sobre o referido imóvel há benfeitorias. Ônus: hipotecado em favor do Banco Bamerindus do Brasil S/A; arrestado nos autos de nº 12.520/97, que tramita na 2ª Vara Cível de Balneário Camboriú/SC; penhorado nos autos de nºs 005.98.016369-7, 005.04.005817-9, 005.06.011323-0, 005.02.003560-2, 005.97.003459-2, 005.04.005805-5 e arrestado nos autos de nº 005.08.000138-0, que tramitam nesta Vara; penhorado nos autos de nº 2007.72.08.001257-8, que tramita na 1ª Vara Federal de Itajaí/SC e nos auto s de nº 667/04, que tramita na Vara do Trabalho de Balneário Camboriú/SC. Avaliado em R$ 3.500.000,00, em 26/11/04, corrigido R$ 4.893,50 (quatro milhões, oitocentos e noventa e três reais e cinqüenta centavos), em 30/04/11.

    67) Processo n. 005.02.017523-4
    Exeqüente: Estado de Santa Catarina.
    Executado: Ariribá Mineração Ltda.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado no lugar Ariribá, em Balneário Camboriú/SC, com área de 16.926,85m², representado pela área “B-1” da planta de divisão da Área “B”, medindo 40,89m na frente, ao Oeste, na estrada particular e 40,89m nos fundos, ao Leste, na Rua Ângelo Santiago; extrema ao Sul, com terras de Manoel Rodrigues e Manoel Agostinho, onde mede 478,00m e ao Norte com a área “B-2”, onde mede 419,50m, matriculado sob o nº 26.953 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs: sobre o referido imóvel há benfeitorias. Ônus: hipotecado em favor do Banco Bamerindus do Brasil S/A; arrestado nos autos de nº 12.520/97, que tramita na 2ª Vara Cível de Balneário Camboriú/SC; penhorado nos autos de nºs 005.98.016369-7, 005.04.005817-9, 005.06.011323-0, 005.02.003560-2, 005.97.003459-2, 005.04.005805-5 e arrestado nos autos de nº 005.08.000138-0, que tramitam nesta Vara; penhorado nos autos de nº 2007.72.08.001257-8, que tramita na 1ª Vara Federal de Itajaí/SC e nos auto s de nº 667/04, que tramita na Vara do Trabalho de Balneário Camboriú/SC. Avaliado em R$ 3.500.000,00, em 11/01/05, corrigido R$ 4.839.045,50 (quatro milhões, oitocentos e trinta e nove mil e quarenta e cinco reais e cinqüenta centavos), em 30/04/11.

    68) Processo n. 005.03.009140-8
    Exeqüente: Estado de Santa Catarina.
    Executado: Arribá Mineração Ltda.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado no lugar Canto da Praia, em Balneário Camboriú/SC, com área de 15.300,00m², representado pela área “A”, medindo 47,00m de frente, ao leste no caminho da Capivara, no esquadro, por 400,00m de fundos, ao oeste em terras de Manoel Augustinho; extrema ao norte com terras de Valmor Correa e ao sul com terras de Germano Correa, matriculado sob o nº 9.448 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel estão construídos dois galpões de alvenaria com áreas de 203,40m² e 505,00m², sob o nº 259 da atual Rua Angelo Santiago. Ônus: hipotecado em favor do Banco Bamerindus do Brasil S/A; arrestado nos autos de nº 12.520/97, que tramita na 2ª Vara Cível de Balneário Camboriú/SC; penhorado nos autos de nºs 005.98.016333-6, 005.03.007611-5, 005.03.007318-3, 005.02.015132-7, 005.05.001805-6, 005.00.005948-4, 005.97.003457-6, 005.97.003469-0 e 005.07.001684-9, que tramitam nesta Vara e penhorado nos autos de nº 2006.72.08.00366 7-0, que tramita na 1ª Vara Federal de Itajaí/SC. Avaliados em R$ 600.000,00, em 27/08/03, corrigido R$ 901.140,31 (novecentos e um mil, cento e quarenta reais e trinta e um centavos), em 30/04/11.

    69) Processo n. 005.08.006327-0
    Requerente: Estado de Santa Catarina.
    Requerido: Aracintia Sarda Loss.
    Bem(ns): 01) 01 (um) televisor, marca Philco, Real Flat, 33 polegadas. Reavaliado em R$ 300,00; 02) 01 (um) monitor LCD, 19 polegadas, marca LG. Reavaliado em R$ 250,00. Total da reavaliação: R$ 550,00, em 18/08/10, corrigido R$ 583,44 (quinhentos e oitenta e três reais e quarenta e quatro centavos), em 30/04/11. Local para vistoria: /Avenida Brasil, 411, apto. 101, Ed. Caminho do Mar, Centro, Balneário Camboriu/SC.

    70) Processo n. 005.96.003377-1
    Exeqüente: Estado de Santa Catarina.
    Executado: Restaurante Olho D’água LTDA.
    Bem(ns): 01) 01 (um) geladeiras, 06 portas, marca Ártico. Avaliada em R$ 2.800,00; 02) 01 (um) balcão frigorífico, 03 portas, marca Ártico. Avaliado em R$ 2.000,00; 03) 01 (um) balcão frigorífico, 03 portas, marca Unifrio. Avaliado em R$ 1.500,00; 04) 120 (cento e vinte) cadeiras de madeira e palha. Avaliadas em R$ 840,00; 05) 30 (trinta) mesas de madeira. Avaliadas em R$ 900,00; 06) 01 (um) fogão industrial 04 bocas. Avaliado em R$ 1.000,00; 07) 01 (uma) chapa industrial de restaurante. Avaliada em R$ 1.500,00. Total da avaliação: R$ 10.540,00, em 26/10/10, corrigido R$ 11.102,87 (onze mil, cento e dois reais e oitenta e sete centavos), em 30/04/11. Local para vistoria: Rua Dom Afonso, s/n, Vila Real, Balneário Camboriú/SC.

    71) Processo n. 005.93.002372-7
    Exeqüente: Estado de Santa Catarina.
    Executado: Concreteira Paulo Caseca.
    Bem(ns): 01) 01 (um) poste para instalação elétrica, de cimento, Duplo T – 9 – 150 DAN, comprimento de 9,00m, código CELESC 6232057, tendo na face A, no topo 120,00mm, na base 264,00mm e na face B, no topo 100,00mm, na base 190,00mm, pesando 470,00kg. Avaliado em R$ 230,00, em 27/04/04, corrigido R$ 330,97 (trezentos e trinta reais e noventa e sete centavos), em 30/04/11. Local para vistoria: Avenida do Estado, s/n, Balneário Camboriú/SC.

    72) Processo n. 005.96.013671-6
    Exeqüente: Estado de Santa Catarina.
    Executado: Serraria Camboriú Ltda.
    Bem(ns): 01) 01 (um) terreno situado em Camboriú/SC, com área de 336,00m², representado pela “Área II-A” do desmembramento de “Valdemir L. Soares”, medindo 12,00m na frente, ao Leste com a projetada Rua “A”, com igual metragem nos fundos, ao Oeste, com a área 21-B; extrema ao Norte com a área II e ao Sul com a área 12, medindo 28,00m, matriculado sob o nº 43.307 no 1º Ofício do C.R.I. de Balneário Camboriú/SC. Obs.: sobre o referido imóvel há uma casa de alvenaria com área de 150,00m². Ônus: nada consta nos autos. Avaliado em R$ 200.000,00, em 22/10/10, corrigido em R$ 209.716,23 (duzentos e nove mil, setecentos e dezesseis reais e vinte e três centavos), em 30/04/11.

    73) Processo n. 005.09.018192-6
    Requerente: Estado

    0
    • Fred Henrique 4 de outubro de 2011 at 14:40

      Eis o maior comentário de toda a história do blog.

      0
      • FQ 4 de outubro de 2011 at 15:35

        kkkkkkk

        0
      • Camilo 4 de outubro de 2011 at 17:30

        hahaha
        Fred, e o seu comentário foi o que mais me fez rir até o momento!

        0
      • Paulo Rocha 4 de outubro de 2011 at 20:52

        E olha que o comentário não saiu por completo ainda faltou mais alguns imóveis! rsrsrs|

        0
    • Dr. Estranho 4 de outubro de 2011 at 14:56

      Quanto caloteiro!!!!!!!! Devem comer farofa e arrotar peru. Por isso que distorce o mercado. O pior é gastar com ações desocupação. É só dor de cabeça.

      0
    • Paulo Rocha 4 de outubro de 2011 at 15:29

      Eu recebi um email sobre esses leilões, poderia ter buscado na net o link com informação sobre os leilões mas achei melhor postar o conteudo para a posterioridade já que links somem.

      0
      • Luiz 4 de outubro de 2011 at 17:05

        fez bem, mesmo que seja uma merda, faz as pessoas eprceberem o peso que é essa quantidade de leilão

        Minha pergunta é, quanto tempo leva da inadimplencia ao leilão?
        essa correia longa faz atrasar o estouro da bolha
        pq mascara a sobreoferta embaixo do tapete da burocracia

        0
    • Zoom 4 de outubro de 2011 at 21:24

      Paulo, vc bateu todas nossas espectativas com o tamanho do post, deu quase 2 metros. hahahaa…
      Sem dó msm.
      Um abraço.

      0
  • Selvagem 4 de outubro de 2011 at 14:29

    Pow não era mais fácil linkar a reportagem do que colar a pica toda?

    A medida que este site vai ficando famoso a coisa fica mais dificil.

    Porra bolha, vc devia começar a ser chamado para esses congressos e defender a classe bolhista.

    Alguem precisa encostar o dedo na cara desses presidentes do creci e do secovi e dizer : “os Senhores são uns fanfarrões!”

    0
    • Fred Henrique 4 de outubro de 2011 at 14:41

      Pede pra sair. Pede pra sair. Pede pra sair logo os relatórios dos últimos meses, que estão emperrados.

      0
  • Ana m 4 de outubro de 2011 at 14:31

    srs.
    ouvi dizer que apartamentos no Barra Bali (Rio) mesmo custando o dobro do que custavam a dois anos ainda estão vendendo rápido.

    procede essa informação?

    obs.: não é informação de corretor, é de morador.

    0
    • Lucas 4 de outubro de 2011 at 16:02

      Ana, eu já vi no ZAP anúncio neste condomínio a 300K a unidade de 2 quartos.
      Agora uma coisa interessante seria vc perguntar a quem mora lá por quanto que as unidades estão sendo negociadas, pois geralmente nestes condomínios maiores existem os corretores de lá mesmo.
      Assim nós teríamos uma idéia de ágio quanto a estes anúncios na internet.
      Abç.

      0
      • Ana m 4 de outubro de 2011 at 16:06

        O preço gira de 300 e pouco a 450 mil.
        estou impressionada pois o que dizem é que vende bem, mesmo acima de 400…
        o que é incrível, pois quando era 200, há poucos anos, demorava pelo menos 6 meses pra vender.

        0
        • Lucas 4 de outubro de 2011 at 17:29

          Ana, então o preço do ZAP neste caso esta batendo.
          Eu te perguntei pois eu mesmo tenho um ap na zona norte do Rio, como eu moro com minha mãe tem um parente meu morando lá, no condomínio tem um corretor que vende quase todos os aps de lá e rápido, geral conhece ele, ele me falou que atualmente os aps são vendidos na faixa de 100K.
          Fiz uma pesquisa no ZAP neste condomínio e descubri um anúncio em uma dessas imobiliárias grandes por 140K, sendo que hoje não vejo mais o anúncio referente a este ap.
          Ou seja, a conclusão que eu tiro é se realmente vosse for comprar é melhor vc ir lá e fazer pesquisa com porteiro, morador, corretor, etc. pois vc deve encontrar alguma coisa mais em conta.
          Abç.

          0
        • Carlos Eduardo 4 de outubro de 2011 at 23:45

          Se perguntar em stand de vendas eles sempre vão dizer que vende fácil!

          e sempre vão colocar o preço no topo!

          0
    • Rodrigo 4 de outubro de 2011 at 18:28

      o Barra Bali tem vários prédios cada um com unidades e preços diferentes ex.:

      h ttp://wikimapia.org/#lat=-23.0096555&lon=-43.4364009&z=16&l=9&m=b&v=8

      toda região esta crescendo muito com muitos investimentos para as Olimpíadas que não são divulgados pela imprensa (não sei porque), se quiser ver realmente como está o preparativo para esse evento, circule pela região (fim da Barra, Recreio e Vargens) pode andar todo Rio de Janeiro que não vai ver nada igual!

      É só um exemplo – tem cobertura sendo vendida na Região por R$ 600.000,00 com 250m2 (m2 R$ 2.400) e ainda é “perto” da praia, não troco a Região por KITINETE NA ZONA SUL de jeito nenhum!!!!!!!!! E olha que estava mais barato!!!

      Dica: Não vou citar nomes, mas veja apto em outros condomínios grandes, em condomínios de 3 andares no Recreio e casas nas Vargens.

      0
  • Dr. Estranho 4 de outubro de 2011 at 14:42

    Bolha, ou limita a quantidade de linhas ou cobra por elas. Particularmente eu cobraria. Da propaganda acima já daria uma boa grana.

    0
    • carlos wagner 4 de outubro de 2011 at 16:31

      Cara…

      Voce é estranho! rs

      0
      • Luiz 4 de outubro de 2011 at 17:06

        bolha na bolha

        0
  • MrK 4 de outubro de 2011 at 14:49

    Existem vários indícios fortes da bolha:

    – Aumento do crédito acelerado antes da ciclo de entrega de imóveis
    – Especulação desenfreada nacional e até internacional, comprando na planta pra revender nas chaves
    – Estimulos governamentais distorcendo o mercado (IPI, MCMV, alargamento pra 30 anos de crédito)
    – Aumento do preço dos imóveis bem acima da renda e acima do aumento dos aluguéis
    – Numero recorde de imoveis em construção virão sobreofertar o mercado
    – Construtoras em dificuldades, com estoques em alta e necessidade de caixa…

    etc..etc…

    mas pra mim o argumento mais forte de todos são os comentários do Marco Antonio… esses aí deixa claro a bolha!!!

    0
    • Jebas 4 de outubro de 2011 at 16:12

      bolsa caindo 3% e ações de construtoras subindo. E agora maluco, não é voce que a qualquer queda das ações das empresas vem correndo postar aqui, como se uma queda de uma ação fosse o fim do mundo? então olha la elas subindo com o mundo acabando… huhuhuhuhuh

      ps.: vendo quarto e sala de 30 m2 no leblon por R$ 1,5 mi. Estudo propostas com ágio. Fico no aguardo.

      0
      • Camilo 4 de outubro de 2011 at 17:39

        Pior você, que a uma altinha de merda vem postar aqui. A queda dessas ações são acumuladas, meu caro, veja a desvalorização deste ano. Dã!

        0
        • Fred Henrique 5 de outubro de 2011 at 12:52

          Pois é, Galera,
          Vamos aproveitar e comprar bastante GFSA3 e CYRE3.

          Deve ser o início do UPSIDE que o pessoal do SANTANDER “previu”.

          Na boa, quem solta um relatório daqueles deveria ser preso.

          0
      • carlos wagner 4 de outubro de 2011 at 17:39

        Jebas

        Suponho que voce acompanhe o forum, de outra forma nao saberia que o MRK vem aqui postar informações sobre quedas das ações.

        Pois bem, imagino que, mesmo acompanhando o forum, voce não aprendeu nada. Voce nao teve capacidade intelectual para perceber que isso é apenas voo de galinha.

        Não venha desdenhar, Aproveite o momento pra se tornar uma pessoa mais instruida. Se não concorda com os argumentos, pesquise e traga nos novas perspectivas.

        Se voce se empenhar em se tornar alguem melhor e com mais horizontes, poderá até conseguir um emprego melhor.

        0
        • Luiz 4 de outubro de 2011 at 18:14

          nossa olha a linguagem do marginal?
          todo feliz pq a ação subiu uns 10 centavos
          Isso depois de ter caído de maios de 15 reais pra quase 4 reais.

          0
      • Pensativo 4 de outubro de 2011 at 18:19

        Quase 60% de queda no ano e você comemorando uma alta de 3%?
        Sem comentários.

        0
      • ildeu 4 de outubro de 2011 at 19:28

        já vi que vc não entende nada de bolsa, é apenas repique e normalmente os trades compram papel que cairam mais pra especuleta de 2 /3 dias ….e tbem pro sardinhas acreditarem que a coisa tá invertendo e depois socarem papeis na cabeça deles.Se gafisa tá tão boa pq não compra e fica 2 meses com ela?

        0
      • Zoom 4 de outubro de 2011 at 21:22

        Jebas, amanha dá um alô aqui no blog para o pessoal. Faz um favor para nós. Pode ser lá pelas 14:00h. ok? Uma abraço por trás.

        0
      • O Poeta da Bolha 6 de outubro de 2011 at 13:08

        Ó Jebas. As jebas (perdão, confrades, pelo emprego desse termo de populacho) hão de penetrar-te pelos fundilhos. Sôfrega e dolorosamente.

        0
  • Jonathas 4 de outubro de 2011 at 15:48

    Cara, quero dar os parabéns a quem está especulando hoje com GFSA3. Tá fazendo um trabalho lindo! kkkkk

    0
    • Fred Henrique 4 de outubro de 2011 at 15:58

      NOSSA SENHORA.

      Fui conferir a cotação da gafisa no site br.advfn.com e fui bombardeado com um anúncio imenso de um livro sobre “as médias móveis mágicas”.

      0
      • Sardinha 4 de outubro de 2011 at 18:30

        Cara , olha o número de negócios e volume de rsdi3 e gfsa3. É o mesmo. Nem isso quiseram disfarçar .usaram logarítmico idênticos pra forcar alta.manobra pega sardinha.

        0
  • Marcelo 4 de outubro de 2011 at 16:11

    O que se esquecem quando comparam com os EUA de 2008 é que nesse ano houve um crash de um tipo de investimento associado ao mercado imobiário (os subprimes) e não o estouro da bolha imobiliária de lá propriamente dita.
    A bolha de lá estourou em 2006, quando foram registrados o pico de preços e o de estoque. A partir daí, começou a haver queda nos preços, mas sem vendas, já que a confiança em comprar um imóvel estava abalada. Ainda assim, em um post anterior daqui, pudemos ver um vídeo em que um especialista dizia que era apenas a ponta do iceberg, enquanto outra (ligada aos interesses das imobiliárias) dizia que não, descontroladamente. Hoje sabemos quem estava certo.
    Portanto, me parece improvável que cheguemos ao ponto em que os EUA chegaram, de fato. Mas usar esse argumento para dizer que aqui não há bolha, não basta para provar a tese.

    0
  • MrK 4 de outubro de 2011 at 16:20

    os subprimes fizeram um estrago nos conceitos economicos de bolha na populacao em geral, graças a repercursão grande deles, todo mundo agora acha que bolha tem a ver com subprime, vejam bem:

    De todas as bolhas economicas da historia (americana, japonesa, paises nordicos, tulipas, nasdaq, espanhola etc etc…) apenas UMA tinha o subprime por trás, UMA!!!

    ou seja: SUBPRIME não é regra pra bolha, é exceção!!!

    As bolhas são geradas por 3 pilares, em ordem de importancia:

    1 Especulação (sozinho já é suficiente, exemplo: Bolha de NASDAQ)
    2 Crédito
    3 Distorção governamental no mercado

    0
    • Luiz 4 de outubro de 2011 at 17:08

      perfeito

      4. um batalhão de soldados dispostos a inflar a bolha, de tolo maior a corretores sem ética.

      0
      • Carlos Eduardo 4 de outubro de 2011 at 23:33

        O problema é que o povo não está mais caindo no conto do vigário!

        estão tentando de tudo! tentando assustar com preços, inflar aluguel… bombardeio de mensagens e spans em toda parte! propagandas na tv e no rádio!
        manipulam numeros

        não está adiantando mais nada disso!

        estamos vendo os preços cairem em muitas situações, algumas promoções surgindo. . . .

        agora imaginem uma pessoa que vive de vender imovel, vendo seus lucros travarem e a inflação comendo solta! Acredito que está muito mais assustador para eles do que para agente vendo esse fipzap sem noção que todos já sabem que é furado!

        mais eles fingem que não é com eles!

        isso não chega até 2014 nem ferrando! duvido muito! To ansioso por janeiro, fevereiro e março de 2012. o desespero virá junto com o IPTU. .. !

        rs

        0
        • Pensativo 5 de outubro de 2011 at 01:07

          Carlos Eduardo,
          é difícil fechar negócio se o seu bolso não comporta a contrapartida ou o financiamento dela, que seja. A muito que os imóveis ficaram inacessíveis à classe média. Para as classes ainda menos favorecidas, os imóveis sempre foram e continuarão a ser um sonho distante.
          É triste ver que o destino do brasileiro será ironicamente parecido ao do espanhol, claro, considerando-se as suas proporções.
          O vergonhoso é ver a dupla Lulla Gump e Dilma Chuck, a boneca assassina, cantarem um monte de asneiras aos quatro ventos sobre a pujança da grandiosa, blindada e forte economia da Bananânia.
          É meus caros, pagaremos com a língua!!!

          0
    • Carlos Paddock 4 de outubro de 2011 at 17:28

      O que se tem que entender é que imóvel nunca foi para qualquer um, para se ter uma idéia em Paris, menos de 10% da população é proprietária, a maioria mora de aluguel.

      Nas maiores cidades do Brasil a tendência é a mesma, se você ou outra pessoal não dinheiro para comprar ou renda para financiar, não seja por isso, pode ter certeza que alguém vai ter.

      0
      • Luiz 4 de outubro de 2011 at 19:06

        10% de paris proprietária?
        favor verificar a sua fonte

        a minha dá justo o oposto, 10% apenas de aluguel em paris que fervilha de imigrantes e turistas
        no resto é ainda menos, Italia por exemplo, aluguel é quase zero%

        0
      • Pensativo 5 de outubro de 2011 at 01:11

        Carlos Paddock,
        favor cite as suas fontes.

        0
  • Eric 4 de outubro de 2011 at 16:25

    Nesse site aqui tem uma análise mais profunda sobre a situação da GFSA3.

    http://www.fundamentus.com.br/detalhes.php?papel=GFSA3

    0
  • Rogério 4 de outubro de 2011 at 17:00

    Aqui no Brasil nós temos todos os ingredientes só não vê quem não quer, porém acredito que o povão só vai abrir o olho quando as obras dessas grandes construtoras começar a atrasar muito e os estoques das construtoras chegarem num nivel muito alto, alguem já comentou aqui que a Eztec vendia um apto no lançamento por 680k e algum tempo depois estava vendendo por 580k ou seja 15% abaixo, nesse caso os especuladores ou mesmo quem comprou para morar e acreditaram na conversa dos corretores que imovel nunca desvaloriza já perceberam que fizeram um péssimo negócio.

    Isso sem dúvida é um sinal que o estoque deve estar muito alto, senão não dariam um desconto desses, deve ter muito imovel encalhado nas mãos dessas construtoras.

    Vejam a apelação desse anuncio no Megatv:

    http://www.megatv.com.br/canais.php?idCanal=5

    0
    • Carlos Paddock 4 de outubro de 2011 at 17:31

      Rogério, não sei se você sabe mais a lei brasileira permite que o comprador do imóvel desista do negócio no momento que desejar, não sendo obrigado a pagar nenhuma multa ou taxa, sendo assim quem comprou o apartamento citado pode facilmente desistir do negócio, recendo 100% do valor já pago, corrigido pelo INCC, e comprar mais barato agora!

      Brilhante, não?

      0
      • carlos wagner 4 de outubro de 2011 at 18:22

        Carlos

        Voce esta enganado. A possibilidade de recebimento de toda a quantia paga corrigida se dá na possibilidade de quebra de contrato da parte contraria. Caso haja desitencia por parte do comprador, isso se chama distrato e o judiciario tem entendido que cabe a devolução que está variando, de caso a caso, da quantia entre 50 a 90%.

        Portanto, quem acha que vai desistir da compra, ter o dinheiro corrigido e ainda comprar outro imovel mais barato, vai cair do cavalo. Só o fato de ter que recorrer à justiça já é uma dor de cabeça que ninguem deseja ter.

        0
        • Carlos Paddock 4 de outubro de 2011 at 19:00

          Então o que acontece é que as construtoras acabam impondo algumas condições que não são legais, podem ver o que saiu recentemente na Exame:

          http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/construtora-deve-devolver-todo-dinheiro-a-quem-desiste-de-imovel-na-planta

          Quanto entrar na justiça, nesse caso é uma ação simples, e as construtoras nem vão recorrer, porque sabem que é causa perdida.

          0
          • Luiz 4 de outubro de 2011 at 19:45

            então entra lá no reclame aqui.
            tem centenas pedindo a devoluçao.

            0
          • carlos wagner 4 de outubro de 2011 at 20:03

            Carlos

            Eu sei o que estou falando. Acredite! Entre o legal e o que é praticado, existe uma grande distancia. Sou func. Publico na area da justiça e vivencio isso todos os dias.

            Para as contrutoras, vale a pena não devolver o dinheiro e caso sejam condenadas a devolução total, o que nao esta acontecendo, elas saem no lucro ao recorrer, pois arrastam a decisão final por até 10 anos. Enquanto isso o comprador fica sem o dinheiro e perde seu patrimonio.

            0
      • Rogerio 4 de outubro de 2011 at 18:40

        Carlos,

        Obrigado pela informação, não sabia disso.

        0
      • Pensativo 5 de outubro de 2011 at 01:18

        Carlos Paddock,
        novamente, cite o número da lei que obriga a incorporadora a devolver 100% do valor pago, caso o comprador desiste da compra. Caso não exista lei, por favor cite o número da súmula pacificada que determine isso.

        0
  • carlos wagner 4 de outubro de 2011 at 17:31

    Tenho uma teoria do motivo pelo qual os imoveis “valorizam” tanto no Brasil:

    Como ja discutido aqui, um empreendimento imobiliario é um projeto de longo prazo, estipulado, geralmente, para ser concluido em 36 meses. Para viabilizar tal projeto, é necessario um plano de negocios e um orçamento preciso para que haja viabilidade em empreender ao estabelecer preços por unidades residenciais, analisar os custos, riscos e lucros.

    Poi bem, nosso mercado imobiliario está tão aquecido que os recursos disponiveis estão sendo usados à exaustão, falo de materia prima e mão de obra, o que faz com que os custos cresçam sobremneira e os indices ligados ao mercado disparem.

    Portanto, o que estamos presenciando não é exatamente a valorização do imovel e sim o aumento dos custos para empreender e isso está sendo repassado integralmente ao consumidor final juntamente com o aumento do risco ao qual a construtora está exposta por operar num mercado tão volatil e, finalmente, um dose exagerada de especulação.

    Isso explica porque baixar preços de imoveis é negado veementemente pelo SECOVI e CRECI, bem como pelos “especialistas” de mercado. Uma vez, baixando o preços dos imoveis, ou havendo queda involuntaria, autometicamente, as construtoras passarão a operar no vernelho.

    Diante disso, eu acredito que seja necessário um estopim para que o sistema desmorone. Até lá, os preços vão continuar sendo forçados para cima, mesmo que de maneira leve, pois quanto mais subirem os preços de forma injustificada, o prejuizo vai ser menor, mesmo que a queda opere em nivel de 40 a 50%.

    Acho que é isso…

    0
    • Carlos Paddock 4 de outubro de 2011 at 17:36

      Wagner, quem controla os preços são as próprias construtoras, que decidem o que lançar, onde e por quanto, além do que o custo fixo de uma construtora é muito baixo.

      0
      • carlos wagner 4 de outubro de 2011 at 18:13

        Carlos

        Voce tem razão. Mas elas podem controlar, ou melhor, impor os preços manipulando exclusivamente o nivel especulativo envolvido na composição desses preços, os outros componentes são alheios a vontade delas.

        De certa maneira, elas estão testando a capacidade do mercado em absorver a especulação e continuar consumindo. O que acho muito perigoso, acho que elas estão dando um tiro no próprio pé.

        0
        • Luiz 4 de outubro de 2011 at 19:44

          tem razão nada como assim construtora decide
          eles correm atrás do comprador, o comprador que decide

          0
          • Leonardo 5 de outubro de 2011 at 11:53

            Não acredito num aumento de mão de obra e materiais de construção de 50%

            0
        • Maia 5 de outubro de 2011 at 17:14

          tiro no pé nada… os grandes nunca saem no prejuízo, o que eles já ganharam cobre qualquer perda, o risco está embutido no negócio. conhecem como funciona a especulação e a economia muito melhor do que a gente. o prejuízo vai ficar na mão dos que compraram e não se desfizeram, principalmente os especuladores.

          0
  • Leandro 4 de outubro de 2011 at 17:36

    Deviam citar também o pessoal que já afirma que há bolha há cerca de pelo menos dois anos! kkk…
    Só esse site tem mais de um ano!
    Há outros textos na internet de dois anos atrás!
    Também merecemos o crédito! kkkk…

    0
    • MrK 4 de outubro de 2011 at 22:35

      bolha em 2009?

      eu acho loucura, pra mim a formação comecou há mais ou menos 1 ano atrás e ficou mais clara no inicio de 2011, ha uns 8 meses…

      mas mercado imobiliario é assim mesmo, tudo é lento, não é ações online, tem que esperar os imoveis serem entregues, o repasse não ocorrer, o leilão caindo aos poucos… ninguem pode ser bobo de achar que os preços cairão até o fundo do poço nos proximos 3 meses, esquece…

      0
      • Leandro 4 de outubro de 2011 at 22:43

        Salvo engano, o site “opequenoinvestidor” trouxe textos sobre o assunto em 2009.
        Em 2009 comecei a olhar apartamentos pra comprar aqui em Brasília. A cada semana o preço aumentava. Foi quando comecei a pesquisar sobre o assunto.
        Acredito que a formação da nossa bolha começou sim em meados de 2008/2009. Hoje acredito que estamos no auge.

        0
  • Leandro 4 de outubro de 2011 at 17:39

    E só pra relembrar um dos primeiros textos sobre o assunto (e o melhor, na minha opinião), não custa relembrar este aqui, já publicado no início da criação do site:

    http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=611

    0
  • veigalex 4 de outubro de 2011 at 17:52

    Se o amigos me permitem um desabafo!

    Sempre que toco no assunto bolha, muita gente faz a comparação imediata ao que aconteceu nos estados unidos!
    O Grande problema é que esses ignorantes, não pensam de maneira macro. E ficam pensando que para isso acontecer o ITAU deveria quebrar.. que a GM deveria fechar a fabrica de São Caetano.

    Ou esse pessoal se faz de besta ou colocam comentários sem um pingo de conhecimento.

    Não quero fazer menção a ninguém.. é so um desabafo!!!

    Olhem os indicadores, as projeções de crescimento! Parem de ler sites com material paga!
    Parem de escutar o Mauro da CBN. Jornal da Globo. Boris da BAND..

    Estamos passando um Momento difícil na economia e muitos acreditam que estão em Neverland.

    A ficha vai cair quando seu pai perder o emprego.. ou eu perder o emprego.. você ter que escolher entre o tênis de R$ 300,00 ou o seguro do seu carro. Muitos ja estão passando por isso.. e a grande parte da população se contenta com o Bolsa Família.. mas quem recebe o bolsa família.. tem imóvel própio?

    A bolha imobiliária que aconteceu nos EUA não vai acontecer no Brasil.. mas q pode ter certeza que a sensação de que perdemos nossa melhor oportunidade .. essa vai durar um bom tempo.

    Fica o desabafo!

    0
    • Pensativo 4 de outubro de 2011 at 18:13

      Veigalex,
      por favor, defina “imóvel própio”.
      😀

      0
      • veigalex 4 de outubro de 2011 at 20:44

        Pensativo.

        Desculpe.. a falha.. mas estava puto.. rss valeu!

        0
    • Leandro 4 de outubro de 2011 at 18:26

      O pior é ver a Dilma na Europa falando “se vocês precisarem de ajuda, nós estamos aqui”…
      Tem horas que eu acho que quem é ignorante vive mais feliz, pois não tem com o que se preocupar.
      Só um desabafo também.

      0
      • carlos wagner 4 de outubro de 2011 at 18:29

        Eu penso nisso todos os dias. Se eu fosse um alienado, eu viveria mais feliz, teria um carro zero e ja estaria morando num imovel proprio.

        0
        • Selvagem 4 de outubro de 2011 at 19:17

          Exatamente! É que nem saber como é feita a salsicha, você nunca mais come.
          Felizes são aqueles que são ignorantes de tudo. Melhor comprar imóvel na alta e ficar pendurado pelo resto da vida. Pagar juros e sustenta banco e construtora, mais feliz.

          0
          • Pensativo 6 de outubro de 2011 at 19:34

            É e comendo salsicha, pois não terá dinheiro para comprar filé. E não poder pagar escola de qualidade para os filhos e perpetuar gnorânça brasileira.

            0
      • Money_Addicted 4 de outubro de 2011 at 19:20
  • Pensativo 4 de outubro de 2011 at 18:52

    Pessoal,
    concordo que há uma bolha imobiliária no Brasil e logo logo ela vai fazer muita gente chorar.
    Mas ai eu pergunto ao sábios: porque os preços subiram tanto em tão pouco tempo? Em países como EUA e Espanha os preços dos imóveis subiram bem menos (~ 80%) e num espaço de tempo muito maior (~ 8 anos) que no Rio de Janeiro, por exemplo, onde os preços triplicaram em um período curtíssimo de 3 anos.
    Para mim isso mostra que, além do efeito anabolizante do crédito fácil, há gargalos muito sérios na infraestrutura do país, pois evidencia uma demanda muito reprimida da classe média brasileira (cito esta, pois incluo-me na). E o pior: esta demanda ainda está muito reprimida, pois a classe média agora não tem como bancar nem um terço do valor que estão pedindo pelos imóveis.
    O ganho salarial já foi engolido pela inflação, o crédito já começou a secar, mas os imóveis teimam em continuar na estratosfera.
    Eu vejo o MCMD e as construtoras como partes essenciais para combater o déficit imobiliário que afeta as classes baixa e média brasileira. Cheguemos ao final deste ciclo melhor do que entramos? ou seja, como uma oferta mais robusta e,conseqüentemente, com preços mais condizentes com a realidade do Brasil?
    Creio que desta forma temos que torcer sim é pela saúde financeira das construtoras. Que acham?

    0
    • carlos wagner 4 de outubro de 2011 at 19:00

      Pensativo

      Vou te responder de forma simples e suscinta, de acordo com o que acho sobre a questão da alta rapida dos preços no Brasil:

      Motivo 1 – Entrada em massa de capital estrangeiro especulativo no país em busca de altos ganhos financeiros devido aos juros praticados no país, esse capital entra muito mais em forma de credito do que em investimentos e a abundância de credito no mercado faz com que os ativos sejam inflacionados;

      Motivo 2 – Com alta demanda de credito as pessoas tendem a comprar mais, acontece que a capacidade produtiva nacional não recebeu os investimentos necessários pra suprir a nova demanda, o que faz com que os preços sejam inflacionados devido a escassez da oferta do componentes formadores de custos na construção civil.

      0
    • Luiz 4 de outubro de 2011 at 19:09

      pensativo umas das consequencias nefastas disto aí q vc colocou muito bem (parabéns) é foder com a infraesturura das cidades. No Rio por exemplo a média de viagem diária casa trabalho subiu em 39 minutos (falando de cabeça posso ter sido inexato)

      Isso pq cada vez mais estamos morando mais longe acarretando maior impacto nas ruas, nos transportes e na manutenção disto tudo.

      Já adiantando vem aí aumento de iptu pra cobrir essa merda toda

      0
      • Bob Alex 4 de outubro de 2011 at 21:44

        Luiz,

        Os 39 só se forem na imaginação de quem levantou esses números. Eu moro em Petrópolis e isso significa no MÍNIMO de 4 horas dentro de um ônibus. E pior, para quem mora nos suburbios, demora mais ainda.

        0
        • Luiz 5 de outubro de 2011 at 13:39

          Bob, calcula 39 minutos de média Vezes a população economica do Rio.
          depois multiplica isso pelo valor da hora paga,

          calcula num mês quantos bilhões de reais estão sendo jogados no lixo, por causa da bolha

          minha solidariedade pelas suas 4 horas
          abrxxx

          0
    • Richard S Miranda 5 de outubro de 2011 at 08:32

      Eu acho …

      Que a Bolha imobiliária dos EUA demorou pois lá era possível renegociar a hipoteca.

      0
  • João Miguel 4 de outubro de 2011 at 19:09

    Olá a todos.

    Outro ponto importante que ninguém está citando, aliás, nunca vi nenhuma pesquisa nesse sentido, é sobre a insegurança que começa a aumentar em compra um imóvel.
    Muitas pessoas começam a se sentir inseguras em comprar um imóvel, pois temos que ser realistas, nem todo mundo é doido a ponto de entrar em uma dívida de 30 anos com um cenário de incertezas que está o cenário imobiliário.
    Todo mundo sabe que nada sobe sem parar, um dia o rumo tem que inverter e os preços descerem. A subida dos preços dos imóveis foi absurdamente descolada da inflação, e os corretores continuam vendendo a ídeia de que vai continuar subindo.
    Eu como não tenho bola de cristal para prever quando vem a queda, prefiro não arriscar.

    Minha situação atual é a seguinte, eu tenho uma renda de 10.000,00 por mês, e tenho planos de casar nos proximos dois anos, mas simplesmente não quero comprar um imóvel agora.
    Não acho seguro.
    Colocando no papel, eu tenho muito mais segurança e vantagens de pagar aluguel, e aumentar o meus ativos, pois hoje o preço de um aluguel é menor do que 0,5% do valor do imóvel, valendo mais apena deixar meu dinheiro rendendo.
    Cada vez mais pessoas vão começar a fazer essas contas e pensar duas vezes antes de comprar um imóvel, e essa retração nas vendas são fruto disso.

    0
    • Luiz 4 de outubro de 2011 at 19:43

      Sim João, até o SECOVI admitiu isso.
      Em ambientes inflacionarios as pessoas evitam contrair dívidas altas

      fonte: relatorio SEcovi (ja mandei o lnk umas 3 vezes, se kiser passo de novo)

      Ou seja, a inflação não vai desinflar a bolha, ela vai quebrar as construtoras.
      tiro no proprio pé

      0
      • Carlos Paddock 4 de outubro de 2011 at 20:19

        Luiz, quebrando as construtoras, vão faltar imóveis, faltando imóveis os preços vão subir inevitavelmente.

        0
        • lopes51 4 de outubro de 2011 at 20:58

          Sério!!!!!!!
          Quando a encol quebrou o preço dos imóveis disparou???? Pensei que o preço tinha diminuido(muito pouco) e que o mercado entrou em panico pois muitas pessoas perderam dinheiro nisso e todos tinham aversão em comprar imovel na planta!!!!!!!
          Se não me engano depois disso o mercado ficou vários anos estagnado.
          Agora se isso não for verdade devo estar fumando maconha estragada!!!!!!

          0
          • Luiz 4 de outubro de 2011 at 21:11

            taí um Lopes que sabe das coisas
            boa memória foi isso aí sim

            0
            • Adriano 5 de outubro de 2011 at 08:13

              E o pessoal fala de “faltar imóveis”. Imóveis não faltam, só estão na mão de investidores e afins. Aliás, faltam sim, mas para o público MUITO POBRE. E a esses as construtores não atendem, nem querem atender.

              0
        • augusto 5 de outubro de 2011 at 07:06

          Quem acredita que o céu é o limite tambem acredita em Papai Noel. E voce?

          0
    • Rodrigo 4 de outubro de 2011 at 21:24

      “Cada vez mais pessoas vão começar a fazer essas contas e pensar duas vezes antes de comprar um imóvel, e essa retração nas vendas são fruto disso”

      Se as pessoas não comprarem, então o aluguel vai aumentar e não continuará em 0,5%. Esse aumento do aluguel já esta sendo sentido só não é imediato por causa dos contratos em vigor, geralmente de 30 meses, depois desse prazo estão começando a dobrar de valor, se o inquilino sair reforma-se e entra o kit loft, cama, sofá, TV LCD, fogão Cooktop, geladeira e armário, pronto triplica!!!

      h ttp://www.zap.com.br/imoveis/rio-de-janeiro/apartamento-padrao/aluguel/?tipobusca=rapida

      0
      • João Miguel 4 de outubro de 2011 at 22:17

        Mas ai você também precisa ver o outro lado da moeda.. a demanda é flutuante, se o pessoal começar a desistir de comprar para alugar significativamente a ponto de fazer variar o indice do aluguel, o número de imóveis a venda irá aumentar (pois os possíveis compradores estão alugando), maior oferta do que a procura fará com que o preço de imóveis a venda caia.
        Lembre-se ninguem aluga um imóvel residencial para investimento, se a pessoa está alugando é para morar. A cada pessoa que morar de aluguel é um a menos comprando imóveis..

        0
      • Paulo - RJ 4 de outubro de 2011 at 22:51

        No ZAP, região da Tijuca, tem uma quantidade muito pequena de anúncio de aluguel para Tijuca. Desta quantidade, alguns bons apartamentos mas com valor alto que não estão sendo alugados. Se negociar, o preço abaixa. Não existe MCMD nem SFH para aluguel. Se aumentar, encalha.

        0
      • Carlos Eduardo 4 de outubro de 2011 at 23:08

        2 – Tem também o caso de pessoas que passam a ficar mais tempo na casa dos pais ; )

        ou até construir na residencia antiga dos pais! onde a familia cresce!

        Isso não estamos falando nem de dinheiro para aluguel nem de dinheiro para comprar imoveis!

        há tem também a opção

        3 – das pessoas que podem comprar aqui, mais preferem comprar em um pais de primeiro mundo! onde os impostos são menores e se tem maior qualidade de vida por um preço menor !

        4 – Tem também as pessoas que saem dos grandes centros, é assim que surgem os povoados, são as pessoas que fazem acontecer ! O Brasil é um país continental e a menos que o sanzell pague iptu de todo o território nacional, acho dificil ele ter monopólio. O valor que estão pedindo nos imoveis, uma pessoa pode viver sem trabalhar em alguma praia, ou interior, de forma tranquila ! Conheço lugares lindos no litoral brasileiro onde os custos não chegam perto da capitão de SP!

        esses três fatores já derrubaria qualquer cartel ou teorema dos jogos !

        já falei isso uma vez aqui, e se fosse para investir em imoveis, pelos preços compensaria comprar para especular em paises de primeiro mundo, ou paises em crise “porem de primeiro mundo”!

        0
        • augusto 5 de outubro de 2011 at 07:04

          Tem tambem o caso de quem pode e tem dinheiro para comprar mas não se sujeita a dar um aval nos preços estupidamente altos e irreais, que estão sendo propostos por gananciosos que pensam que o comprador é tão imbecil e otário quanto eles são

          0
      • Adriano 5 de outubro de 2011 at 08:21

        Aluguel não aumenta não. O que está acontecendo no momento, é que estão todos desesperados para vender, para pegarem os últimos tolos. Eu o faria se tivesse um imóvel que sei que vale 200K, mas que estão no momento colocando para vender por 1M. Existe um excesso de oferta para vender em muitas regiões “valorizadas”, que vai ter de se acomodar nos aluguéis, como sempre foi. O que demora é cair a ficha do povo (proprietários), a coisa é principalmente psicológica (como toda boa bolha). Daqui a pouco vêm IPTU reajustado, reforma, condomínio atrasado, isso sem falar nas prestações (no caso de imóveis financiados). Aí é que a porca torce o rabo….

        0
        • Marcelo 7 de outubro de 2011 at 07:56

          IPTU reajustado, isoladamente, ja tiraria o bom humor de muita gente que apoia estes precos.

          0
      • Carcará 5 de outubro de 2011 at 08:41

        Alguém tem de explicar nos bancos de economia a diferença entre demanda e cupidez.

        Demanda => Eu tenho condição de comprar algo e estou procurando essa coisa;
        Cupidez => Desejo ardentemente algo que não está a meu alcance. (de Gisele Bündchen a Ferrari).

        Dito isto, ver-se-á que a demanda neste país para qualquer coisa é exígua. Vide relatório do IPEA sobre as classes sociais brasileiras.

        Se financiássemos carro em no máximo 6 meses, acabariam todos os engarrafamentos do país.

        Abraços.

        0
    • Carlos Eduardo 4 de outubro de 2011 at 23:16

      Eu pago aluguel sem contrato, aqui nem se fala em igpm!! e olha que estou falando da capital, porém é periferia!

      igpm é apenas para os grandes centros ! não vou nem falar o valor para vocês não falarem que sou pão duro! mais essa realidade dos valores de imoveis ainda não me atingiu! aliás só tem atingido devido a inflação de alimentos que o nosso governo não controla em nome do “crescimento”.

      Tenho saudade dos tempos que o brasil não tinha dinheiro para pagar em bobagens, ou empresas que não dão lucro, como as construtoras!

      0
  • Zoom 4 de outubro de 2011 at 21:15

    Segura ai povo que o bicho ta pegando. A forca dos caras ta forte msm, o pobre tah ful.di.du.

    Governo reajusta preço para Minha Casa, Minha Vida
    SÃO PAULO – O Ministério das Cidades publicou nesta terça-feira nova portaria que traz alterações ao programa habitacional Minha Casa, Minha Vida. Esse texto substitui o publicado em julho passado. A nova portaria reajusta em até 5%, em relação ao texto anterior, o valor máximo das moradias dos projetos chamados de transitórios para as famílias com renda de até R$ 1,6 mil. São os projetos que já estavam em análise na Caixa Econômica Federal, antes da regulamentação da segunda fase do programa, e que por isso possuem regras especiais para contratação até dezembro deste ano, não precisando se adaptar totalmente às novas regras. Em São Paulo, por exemplo, o preço teto para essas moradias passou de R$ 59 mil para R$ 62 mil.

    Outra mudança importante é o aumento do preço teto das moradias para renda de até R$ 1,6 mil em 28 municípios considerados capitais regionais (com mais de 250 mil habitantes), equiparando-os com os valores estabelecidos para as regiões metropolitanas. Segundo a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), os municípios são Uberaba (MG), Santarém (PA), Petrolina (PE), Cascavel (PR), Governador Valadares (MG), Santa Maria (RS), Mossoró (RN), Volta Redonda (RJ), Bauru (SP), Pelotas (RS), Caruaru (PE), Ponta Grossa (PR), Blumenau (SC), Vitória da Conquista (BA), Campo Grande (MS), Piracicaba (SP), Montes Claros (MG), Maringá (PR), Caxias do Sul (RS), São José do Rio Preto (SP), Campo dos Goytacazes (RJ), Juiz de Fora (MG), Joinville (SC), Londrina (PR), Sorocaba (SP), Feira de Santana (BA), Ribeirão Preto (SP) e Uberlândia (MG).

    Na portaria publicada hoje ficou estabelecido também que os agentes financeiros deverão encaminhar trimestralmente à Secretaria Nacional de Habitação do Ministério das Cidades o plano de metas de contratação de moradias para o período seguinte, por Estado.

    (Samantha Maia | Valor)

    Fonte: w.w.w.valor.com.br/brasil/1036076/governo-reajusta-preco-para-minha-casa-minha-vida

    0
    • Menino do Rio 4 de outubro de 2011 at 21:35

      Vamos ver quem está fazendo um bom negócio:
      Especuladores compraram imóveis por x há 2 anos atrás. Eles manipularam o mercado e fizeram parecer que estes imóveis valem 3x hoje. Então eles alugam por 0,4% de 3x. Aí a classe média diz que não tem dinheiro para comprar um imóvel por 3x e acha que é um bom negócio alugar por 0,4% pois é menos que o valor do imóvel investido na RF.
      Especulador está ganhando 1,2% a.m. de x, que muito mais que a RF. E se aparecer um louco querendo comprar por 3x, melhor ainda…
      Caiam na real, imóvel sempre foi e sempre será um investimento seguro e rentável!

      0
      • Luiz 5 de outubro de 2011 at 13:32

        ô menino, seu argumentos são infantis, dá até sono responder, não e a toa q te ignoraram

        – quem comrpou na planta 2 anos atrás, agora está na justiça brigando com a construtora

        – quem comprou na planta 2 anos atrás, a sua divida aumentou 3x, que porra de investimeno é esse?

        compramos um imovel há 10 anos (aí sim uma época razoável) qaudo ele valia x/10, fikei 10x mais rico???
        não amigo, não fikei pq se for trocar por outro melhor que vale 2x, x = 1 milhão hoje, quando 10 anos trás x = 50 mil
        Se tivesse deixado x/10 investido hoje teria quase a mesma coisa, com a vantagem que poderia alugar o mesmo x por menos de 0,3%, ouseja, ganhando no csuto de oportunidade

        Imovel é um investimento como qualquer outro, pode ganhar pode perder

        0
        • Kleber S. 6 de outubro de 2011 at 16:19

          E’ duro fazer o pessoal entender isso, Luiz. Eu tinha amigos em Nevada, um dos estados mais embolhecidos do Batakistao, que quando eu contei essa pra eles, eles quase me bateram. Hoje admitem a cacada…

          Um grande abraco

          Kleber S.

          0
    • Adriano 5 de outubro de 2011 at 06:08

      O governo pra variar…continua irresponsável, se tornou ativamente um dos agentes mais agressivos da bolha. Como escreveram no post, o pobre tá mais ful…di…do que nunca.

      0
    • Carcará 5 de outubro de 2011 at 08:32

      Não adianta aumentar o valor nominal disso e daquilo. Dinheiro, em economia, é apenas um meio. Uma economia é feita de produtos. Assim, o bananeiro troca suas bananas por pães e por roupa. Para ele adquirir mais roupa ou pães, terá de produzir mais bananas, o que economia chama-se aumento de renda. O resto é ficção de político.
      Em relação aos imóveis, não tem jeito. Depois que acabar a farra do crédito, ou baixa-se o preço ou não vende. O resto é ficção de corretor.

      Abraços

      0
      • Carlos Wagner 5 de outubro de 2011 at 11:35

        Hun….Andou lendo os artigos do Mises.org…rs

        Otimos artigos!

        0
        • Carcará 5 de outubro de 2011 at 14:33

          Verdade, Carlos. O que estamos vendo é exatamente o contrário do que prega a escola austríaca. O site do Miss é muito bom para leigos como eu, ainda que eu ache economia um negócio simples: Se tem 2 bananas e 10 pessoas, bananas são caras. Se tem 10 bananas e 2 pessoas, bananas têm preço de bananas. Tudo, para mim, deriva desse simples teorema.

          Abraços.

          0
  • Zoom 4 de outubro de 2011 at 21:30

    Povo, só para desencargo de cosciência.

    Feirão da caixa em 2010
    1.231.250 contratos fechados

    Feirão da caixa em 2011
    04/10 – 768.063 contratos fechados até a data mencionada.

    Fonte: http://www.feirao.caixa.gov.br/

    0
    • Zoom 4 de outubro de 2011 at 21:32

      Ops! Faltou um “n”. CONSCIÊNCIA.
      hahahahahaaaaa…..

      0
      • Elias 5 de outubro de 2011 at 11:22

        “Ou seja, não há déficit nenhum”

        0
  • TH 4 de outubro de 2011 at 21:39

    Acabei de observar uma coisa interessante.

    Entrem na página do fipe-zap:

    h t tp://w w w.zap.com.br/imoveis/fipe-zap/

    Agora, no gráfico de baixo, selecionem a cidade do Rio de Janeiro e o bairro de ipanema.

    Depois vejam também o Leblon.

    O que vocês acham?

    0
    • Frank 4 de outubro de 2011 at 23:21

      a curva inflexionou.

      mas vamos esperar um pouco antes de soltar os fogos.

      0
      • Ar Quente 5 de outubro de 2011 at 08:58

        São só 2 pontos na cidade. Além do mais o ritmo de “valorização” do índice aumentou.
        Me parece que ainda não é o Sinal.

        0
        • Luiz 5 de outubro de 2011 at 13:22

          é o bear trap previsto aqui
          até o fim do ano volta a subir, não pensem que vai explodir em pleno verão

          0
  • simone 4 de outubro de 2011 at 21:42

    DILMA TROCA CAIXA PELO BB
    VEJA A NOTICIA
    http://surgiu.com.br/noticia/19353/dilma-elege-bb-para-tocar-os-novos-programas-do-governo.html

    e assim ajuda a inflar a bolha

    0
  • simone 4 de outubro de 2011 at 22:00

    Com dificuldades para cumprir prazos de liberação de recursos e fiscalizar de forma adequada as obras do governo federal sob sua responsabilidade, a Caixa Econômica Federal será obrigada a dividir essas tarefas com o Banco do Brasil, informa reportagem de Sheila D’Amorim e Dimmi Amora para a Folha.

    Por determinação da presidente Dilma Rousseff, qualquer programa oficial criado a partir de agora que envolva recursos da União e precise de um banco público na administração será transferido para o BB.

    Segundo a Folha apurou, a avaliação no Palácio do Planalto é que a Caixa está sobrecarregada. Daí a orientação da presidente para que não seja atribuído “mais nada” à instituição. O banco manterá os contratos em vigor, mas o BB assumirá novos projetos de habitação do Minha Casa Minha Vida.

    O trabalho da Caixa está sendo considerado malfeito pelos ministérios e vem gerando problemas com os órgãos de controle.

    A Caixa está diretamente envolvida nas análises para aprovação de projetos e no acompanhamento de obras prioritárias para o governo, como as do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e de construção de moradias populares.

    Muitos dos projetos que o banco público acompanha são obras pequenas, provenientes de emendas parlamentares. Ministérios reclamam que a Caixa é burocrática, demora nas análises, atrasando o início de projetos e que não está “entregando o que promete com a devida qualidade”.

    0
  • Pesquisador 4 de outubro de 2011 at 22:26

    Obtive informações sobre um empreendimento de uma grande construtora. este de classe média alta localizado no Recreio dos Bandeirantes no RJ lançado em 2009. Infelizmente não posso dar detalhes por razões óbvias, mas garanto que as fontes são seguras.

    De um total de 170 unidades disponíveis, houveram 15 cessões e 29 distratos desde o lançamento, sendo que nem todas as unidades foram de fato vendidas (o número de unidades a venda, não consegui)

    Esses números provavelmente estão com desatualização de uns 2 meses….

    0
  • MrK 4 de outubro de 2011 at 22:29

    Pessoal, diversas previsões foram acertadas pelo blog e agora podemos comemorar mais uma:

    Previamos o momento ruim das construtoras e seus balancos ruins – aconteceu
    Previamos a queda das mesmas na bolsa (aconteceram) – algumas mais de 60%
    Previamos que as vendas iriam travar, principalmente de usados – aconteceu
    Previamos que o fipezap poderia continuar subindo independentemente de tudo – aconteceu
    Previamos que as vendas nas plantas iriam ficar concentradas em especuladores – aconteceu

    E MAIS IMPORTANTE DE TUDO:

    Previamos que um banco de gente sem conteúdo iria entrar aqui pra nos atacar por falarmos a verdade… adivinhem? Aconteceu…

    Uma avalanche de gente que não tem argumentos solidos e não estão conseguindo debater a altura que nossos principals comentaristas conseguem… triste… mas deixa cada um com seus minutos de fama

    0
    • Paulo - RJ 4 de outubro de 2011 at 23:02

      Realmente,
      do nada, várias pessoas entraram com intuito de desestabilizar. Quem previu isto está de parabéns. Ou criou vário fakes, só para levar os méritos, rs.

      Acho que a coisa está ficando feia.

      0
    • Selvagem 5 de outubro de 2011 at 03:13

      MRK a gente se fala ja alguns meses.

      Por isso repito.

      Primeiro eles te ignoram. Fomos ignorados.
      Depois te ridicularizam. Fomos ridicularizados
      Depois te combatem. Estao combatendo.

      Sabe o que virá em seguida?

      PLOC

      0
      • Carcará 5 de outubro de 2011 at 08:25

        Impecácel, Selvagem.

        0
        • Luiz 5 de outubro de 2011 at 13:19

          Gahndi Selvagem

          Mrk … tears…

          0
  • Vasconcellos 4 de outubro de 2011 at 22:30

    Rodrigo,

    o aluguel hoje não está em 0,5%. Seria impraticável.

    Embora a demanda por alugar possa aumentar por causa dos preços de venda dos imóveis, há o outro lado também, isto é, a oferta dos imóveis que ficarão prontos e não conseguiram ser vendidos e os usados que tentaram pegar carona e morreram na praia.

    E, meu caro, se o aluguel, que hoje já está caro, duplicar ou triplicar, vamos todos ter de morar em trailers (Aliás, taí um bom nicho…)

    0
  • MrK 4 de outubro de 2011 at 22:39

    lancaram uma teoria nova pra explicar a alta.. além daquelas tradicionais (Copa, olimpiadas, imoveis esqueceram de valorizar por 10 anos…)

    a teoria é de que os precos não vão cair porque são regidos por um cartel de construtoras

    então por favor me expliquem 2 pontos

    1- Se o preco é regido por esse cartel, porque elas já não jogaram lá em cima há anos atras? ficaram de bobeira?!
    2- As construtoras também regem 95% dos imoveis no mercado que são de donos pulverizados? Ou seja, se um cara quiser vender, mesmo sem gente interessada, ele não vai baixar o preco por causa do cartel das construtoras?!

    Regra basica de economia: Preço só é definido e combinado quando há monopolio ou oligopolio dos produtos, imoveis estão nas mãos de milhoes de brasileiros.

    0
    • Carlos Paddock 4 de outubro de 2011 at 23:26

      MrK, na verdade as construtoras sempre obtiveram lucros enormes, mesmo com os preços antigos, não existe isso de ficar de bobera nesse ramo.A margem da construção civil sempre foi excelente, e mesmo agora com a alta dos terrenos e do INCC, continua ótima. Acreditar em uma bolha e o pior, na quebra de todo mercado é no mínimo tolice, acho que você não tem idéia de quanto dinheiro movimenta a construção civil em um ano ou o do tanto de empregos diretos e indiretos que ela gera, só pode.

      Olha, esse segundo ponto demonstra que você não conhece, ou mínimo desdenha, o valor de um imóvel para os brasileiros.Não sei você já é proprietário, pelo visto não, mas quando um proprietário vai vender um imóvel ele inevitavelmente se baseia nos lançamentos da região, fora que normalmente não se saí por ai vendendo um imóvel todo mês.O preço dos usados é balanceado pelo preços dos novos, isso não sou eu que estou falando, é o mercado.Só lembrando que estou mencionando o caso de moradores, que são a esmagadora maioria, e não investidores/especuladores.

      E quanto ao termo “mesmo sem gente interessada”, é aquilo que já disse, o Brasil é um pais enorme, quinta maior população do mundo, e não se preocupe, se você ou outra pessoal não dinheiro para comprar ou renda para financiar, não seja por isso, pode ter certeza que alguém vai ter interesse, desde Kitnets na Roçinha até Coberturas na Vieira Souto.

      0
      • Fernando 5 de outubro de 2011 at 01:08

        Tanto tem gente interessada sempre que o volume de vendas esse ano ja caiu 30 por cento em relação ao ano passado. Bom argumento Paddok.
        Incrível como voce não dá uma dentro.

        0
        • Carlos Paddock 5 de outubro de 2011 at 14:29

          Caiu 30%? Interessante, você se esqueceu o quanto subiu ano passado? Você realmente achou que os preços iriam subir nessa taxa para sempre?

          É lógico que as vendas vão cair em relação a ano passado, mas em relação a 2009, por exemplo, a alta é considerável.

          0
          • Fernando 5 de outubro de 2011 at 16:02

            Sr, não distorça suas proprias palavras. Tenha dignidade e sustente o que o Sr disse.
            O fato é que declarou que “sempre haverá alguem interessado”. Quando existe um arrefecimento no ritmo de vendas, com aumento de oferta, eu só posso concluir que o número de pessoas começa a ser insuficiente à expectativa do mercado. É só usar um pouco da velha e boa lógica.

            Não me surpreende que o Sr não pense de forma lógica. Talvez o sr tenha coisas a perder, eu realmente não sei. Mas pelas suas declarações, recheadas de senso-comum e de economia de botequim, cheia de “orelhadas” e “ouvi dizer”, concluo que o Sr simplesmente não sabe o que está falando. Argumentos como “imóvel não é para qualquer um” apenas revelam um perfil arrogante e dolorosamente medíocre. Antes de o Sr sair por aí falando besteira e despertando vergonha alheia em outrem sugiro que o Sr adquira um mínimo de conhecimento objetivo e neutro sobre economia. Posso até ajudá-lo, se for o caso.

            Um abraço.

            0
      • Pensativo 5 de outubro de 2011 at 01:51

        Carlos Paddock,
        o Brasil possui a quinta maior população do mundo, porém é também o quinto em território. São 8,5 trilhões de metros quadrados. rsrsrsrs. É terra que não acaba mais.
        Mas o mais importante é que PIB per capita brasileiro é de apenas 10800,00 dolares. Ou seja, somos pobres, muito pobres. Temos então que comparar os preços dos nossos imóveis com os dos países congéneres, por exemplo África do Sul, Peru, Angola, Venezuela, etc e não com países desenvolvidos como EUA, França, Inglaterra, Mônaco (piada!!!) .
        Você então vem aqui falar que há demanda para coberturas de 36 milhões na Vieira Souto ou kit`s na rocinha de sei lá, 300k e que está tudo OK. Em que planeta você vive? É óbvio que o mercado tomará o seu Gardenal algum dia. Ou você acha que existe milhões de jovens executivos com salários de 50k mensais e dispostos a bancar a festa?
        Este país é uma piada. E pior, de mau gosto.
        kkkkkk

        0
        • Q 6 de outubro de 2011 at 11:44

          O carinha ganha 50k por mês e compra um micro apartamento no Leblon e sofre com a violência!!! Compra em Ibiza, Paris, NY,se os aeroportos mudarem para a copa, o que duvido, vai ficar ainda mais fácil !!!

          0
      • augusto 5 de outubro de 2011 at 06:59

        Mensagem certamente vinda de algum corretor de imóvel (será que teriam inteligencia suficiente para escrever algo), de alguma imobiliária desesperada com a queda nas vendas, de algum proprietário que chegou a acreditar em Papai Noel, ou de algum otário que comprou recentemente e viu que entrou em uma fria pois comprou no pico de uma bolha que começa a murchar

        0
        • Carlos Paddock 5 de outubro de 2011 at 14:33

          Olha quem comprou imóvel para morar, não está nem um pouco preocupado porque o preço de alguns empreendimentos, em bairros periféricos, foram reajustados.Quem deve estar preocupado é quem mora de aluguel, que pode de uma hora para outra, ter que procurar outro apartamento, já que o reajuste vai ser pesado.

          Me mostre queda nos preços no Leblon/Ipanema(RJ) , no Itaim/Jardins (SP) e no Lourdes/Funcionários (MG).

          0
      • MrK 5 de outubro de 2011 at 10:32

        Prezado Paddock,

        vamos comecar pelo inicio:

        COMO ASSIM os lucros da construcao civil são enormes e as margens boas?! Acompanho o balanço e o resultado das construtoras e só tenho visto fiasco atrás de fiasco, margens péssimas, queima de caixa, endividamento e situação complicada. Estou me baseando em dados oficiais e publicos nos sites das mesmas.

        Segundo lugar, eu nunca falei que o mercado da construcao civil vai quebrar, onde isso está escrito? então pro favor não ponha palavras na minha boca, eu acho que vai haver sim desestabilização, mas pra daí quebradeira geral há um mar de diferença.

        Terceiro lugar: Seu raciocionio de que se baseia preços de usados pelos novos na planta é até verdadeiro, mas pagar um imovel na planta é dar 20% do valor financiados na molezinha, já comprar um usado é financiar 100% com o banco, é OUTRA historia, por isso houve a trava das vendas dos usados, por isso é insustentáel.

        0
        • Carcará 5 de outubro de 2011 at 10:56

          Caro Paddock,
          mais uma vez mestre MrK está com a razão. O “enviroment” criado pela marolinha do Lula deu azo ao especulador de 20%. O problema é que especulação, como crédito fácil, tem prazo de validade. E aí resta a realidade. E a realidade em relação a verdadeira demanda passa necessariamente pelo diferenciamento entre o significado de demanda e cupidez que postei abaixo e estou reproduzindo agora. No mais é chorar no pé-do-caboclo, como dizemos aqui em Salvador.

          Alguém tem de explicar nos bancos de economia a diferença entre demanda e cupidez.

          Demanda => Eu tenho condição de comprar algo e estou procurando essa coisa;
          Cupidez => Desejo ardentemente algo que não está a meu alcance. (de Gisele Bündchen a Ferrari).

          Dito isto, ver-se-á que a demanda neste país para qualquer coisa é exígua. Vide relatório do IPEA sobre as classes sociais brasileiras.

          Se financiássemos carro em no máximo 6 meses, acabariam todos os engarrafamentos do país.

          Abraços.

          0
          • Luiz 5 de outubro de 2011 at 13:16

            Prezados, o Padock pelas suas afirmaçoes esta muito acima dessa turba de corretores que vem aqui empurrar blablabla.

            Veja as coisas que ele falou são muito sérias e em boa parte verdadeiras, é um adversário de respeito.

            É verdade, as construtoras formam um grande cartel, controlam preço da terra urbana, controlam preço dos imóveis e vou mais longe, controlam as prefeituras, os vereadores, as leis de uso e ocupação do solo.

            As margens das cosntrutoras são sim altíssimos, o custo da obra não passa de mil reais o m2, o resto é firula, marketing, etc…. Se tudo for mal eles passam o facão nos custos.

            Prova disto é o numero imenso de imoveis vazios que eles cosneguem manter.

            Infelizmente nós consumidores, e aqui Padock há sim muitos proprietários, váriso deles que gostariam de subir 1 degrau de qualidade, nós estamos numa situação bastante fraca, não temos como reverter isso, o maximo que podemso fazer é calcular a situação menos pior.

            Acontece Sr. Padock, que talvez as coisas comecem a mudar daqui pra frente.
            O cartel dos autmóveis está com os dias contados.
            O próximo a cair será o de vcs
            Eu prevejo 2015.
            Neste ano uma série de fatores se conjugarão.

            0
            • Carcará 5 de outubro de 2011 at 13:58

              Luiz,
              com os preços praticados, eles não vendem independente das conexões políticas, do cartel, etc., pelo simples fato de que não tem quem compre. Quem fomentou a oferta exuberante foram os investidores de 20%, não uma demanda real baseada em crescimento da renda. Dessa forma, ou eles vendem no preço compatível com a renda do potencial cliente, ou verão seus imóveis encalharem com baleia gorda em praia rasa. Em economia a conta sempre aparece, como dizem.

              USA, maior potência econômica do mundo, Europa, maior bloco econômico do mundo, China, segunda maior potência econômica do mundo. Os dois primeiros já sentiram na pele a força esmagadora da farra do crédito. A China caminha a passos largos para isso. Agora imaginem, com a devida licença do Anonymus, a Banânia.

              Como cloquei em outro post, o pai de todas as bolhas – o multiplicador keynesiano – só funciona a curto prazo. É por isso que político adora Lord Keynes. Período eleitoral é curto prazo. Mas depois não tem jeito, a economia terá necessariamente que sofrer a benéfica recessão. Sim, a recessão é benéfica. É como a ressaca para o ébrio.

              Assim, quem quiser comprar tem de ter paciência, pois o pessoal da imobiliária sabe que já deu merda. Eles vão inicialmente tentar vender a idéia de descontos simulad e promoções (caso do compre um ap e ganhe sei lá o quê), depois vão tentar segurar os imóveis. Mas não tem jeito. E por que não? porque não há compradores. Não há demanda real para tanto imóvel. E os que compraram de boa-fé ou motivados pelo complexo do vizinho terão sérios problemas em manter o imóvel. Acredito que boa parte do imóvel com esse perfil de comprador tenderá a ir a leilão.

              No fim, quando o caixa das construtoras rugir mais forte que o orgulho, eles aceitarão de bom grado uma proposta condizente com a renda da clientela, que em valores de hoje, vai de 50 a 80% dos preços praticados. Há casos de mais de 100% de sobrevaloração. Há que se ter paciência, pois a bolha já estourou. Mas os efeitos devem reverberar fortemente pelo triênio 2012-2014. Aí se terá uma idéia se houve ou não a devida correção de preços. É a partir desse triênio que o cenário de preços ficará mais claro, acredito.

              Abraços.

              0
              • Hertel 6 de outubro de 2011 at 00:54

                Tenho dúvidas acerca da capacidade de manobra das construtoras com relação a redução de suas margens, mesmo diante da forte valorização dos imoveis ocorrida nos ultimos anos.

                É preciso lembrar que essa valorização também trouxe à reboque uma elevação dos custos de produção, vide o aumento médio da mão-de-obra da construção cívil, dos insumos e do valor dos terreno que também se elevaram muito. Com a subida do valor dos imoveis todos os atores envolvidos na cosntrução cívil quizeram uma parte maior do bolo. O resultado disto foi uma redução significativa das margens das construtoras mesmo diante de uma forte alta no valor dos imoveis.

                Sei que o que foi dito é uma generalização, pois possívelmente existem construtoras que conseguiram manter elevadas as margens, como a MRV por exemplo, ao menos foi o que o seu balanço mostrou. Mas o que tenho percebido pela divulgação dos balanços é que muitas construtoras depois de se endividadarem fortemente ao capitarem nas bolsas agora estão tendo serias dificuldades para sair do buraco que se enfiaram.

                Vejam o caso da Grafisa por exemplo, mesmo com um faturamento na casa dos Bilhões teve um lucro líquido de 25 milhões. Para uma empresa que tem uma dívida liquida de cerca de 2,4 bilões (já descontado o dinheiro em caixa) esse lucro é muito pequeno e denota claramente que a empresa não tem margens para reduzir o valor dos imoveis sem entrar no vermelho.

                Evidentemente a Grafisa possívelmente esteja em uma situação pior que a media do setor, mas acho que a partir dela e dos exemplos de algumas “pequenas” construtoras que simplesmente quebraram (R Carvalho com 5200 funcionários) dê para se ter uma ideia aproximada de que as margens talvez não sejam tão “gordas” como os elevados valores dos imoveis em um primeiro momento nos levam a crer.

                Em suma, para algumas empresas do setor uma redução de 10% do valor dos imoveis nesse momento seria desastrosa, a tendencia seja tentarem reduzir ao máximo os custos e mater nesse meio tempo os preços ao menos nos níveis atuais. Se vão conseguir é outra história, mas não restam dúvidas que vão tentar, creio ser uma questão de sobrevivencia mesmo.

                Abs

                0
        • Carlos Paddock 5 de outubro de 2011 at 14:48

          Que construtora você está acompanhando? As populares? Tipo Cyrela, Gafisa, PDG e MRV? Essas sim trabalham com margens não tão altas, sugiro que você passe a acompanhar JHSF, Adolpho Lindenberg, Mozak, Concal, Caparaó e Lider.

          MrK, igual já falei várias vezes aqui, é lógico que algumas regiões específicas vão sofrer sim, agora bairros bons das grandes capitais, como Salvador, Rio, São Paulo, Porto Alegre e Belo Horizonte dificilmente vão sofrer depreciação.

          É sobre quem estava postando sobre a densidade populacional do Brasil, esse dado nacional é totalmente irrelevantes, quero ver postarem aqui a densidade demográfica em São Paulo/Rio/Salvador e falar que é irrevante, chegando muitas vezes a mais de 10.000 hab/km2.

          0
    • Adriano 5 de outubro de 2011 at 08:43

      MrK,

      é muito interessante os argumentos falaciosos de alguns agentes da bolha. Dão a entender que os preços dos imóveis no Brasil são determinados por construtoras, como se as mesmas tivessem o poder de formar um cartel. Não têm e nunca terão. Diferentemente da industria automobilística, QUALQUER UM PODE CONSTRUIR UM IMÓVEL. Quando digo QUALQUER UM, não é força de expressão. Pequenas construtoras, mestres de obras, “pedreiros” ou você mesmo. QUALQUER UM têm acesso aos materiais e os processos são relativamente simples e conhecidos para obras menores. A minha casa mesmo foi feita na prática por um “pedreiro” (teve apenas a assinatura de engenheiro, para fins de legalização). Confortável, grande. E paguei pelo menos A METADE do que pagaria se comprasse de uma construtora. E esse é o caso de milhões de brasileiros. Na realidade, a NOVIDADE é a compra de imóveis prontos de grandes construtoras, financiada através de crédito farto. As grandes construtoras não têm CONTROLE ALGUM sobre isso. No máximo, uma influência MUITO INDIRETA.

      Pra quem têm muito pressa em comprar um imóvel e não pode esperar, meu conselho é: procure um bairro um pouco mais afastado e faça você mesmo. Pelo menos irá pagar pela bolha apenas no terreno.

      0
  • Frank 4 de outubro de 2011 at 23:34

    uma pressão adicional nos preços de certos bairros aqui no RJ:

    housingmarketbr.blogspot.com/2011/10/e-o-transito-no-rio-vai-de-mal-pior.html

    aumento no tempo médio de deslocamento de 39 min em APENAS 1 ano !!!!!!

    + de 50% de aumento em APENAS 1 ano !!!!

    isso é uma calamidade, seria caso de “pedir pra sair” de toda a equipe de controle de tráfego, seria o caso de o Prefeito vir a público abordaro assunto e dar satisfações….

    mas no BR / RJ …..passa em brancas nuvens….e as pessoas acham normal gastar 1:30 p/ percorrer 15 km….

    0
    • Luiz 5 de outubro de 2011 at 14:11

      Frank, aqui em SP a gente faz calculos de deseconomia do transito.
      É simples, pega quanto vale a hora de trabalho da pessoa e multiplica pelo tempo extra que ela está eprdendo no transito.

      Soma isso o extre da consumo de combustivel e manutenção de automoveis
      Soma com aumento de problemas de saude pelo auemntod e poluição

      Esse numero 39 minutos deve dar bilhões por mes de deseconomia.

      É que a cidade perde em vendas do comercio, em trabalho, em lazer com a familiia, saude, e poraívai.

      Essa grana não vai valorizar imoveis centrais, pq tá tirando no miúdo de cada cidadão, pelo contrário a cidade toda empobrece, a bolha é causa dessa emrda toda, e não cosnequencia, pq vc já viu que em bolha os imoveis da elite sobem mais rapido, expulsa população.

      0
  • Leao 4 de outubro de 2011 at 23:39

    Novo Leblon (Barra da Tijuca): Fila para comprar; 2 quartos (95m²) vendidos a 700 mil. Saí de um aluguel lá de 1600 reais (Fev/11) agora ja estão pedindo quase 3mil. Um pouco alto para predios de 20 andares com 8 por andar. Vende e aluga rápido.
    Até hoje não vi um investimento desses que gera alta lucratividade rápida que um dia não quebre ( Fazendas Boi gordo, Avestruz Master, Piramides, etc…)
    abs.

    0
    • Frank 5 de outubro de 2011 at 12:20

      parece q a bolha “chegou” à Barra….pq ZS e Tijuca cresceram muito + rápido do q lá nos últimos 3 anos.

      0
  • Roger 4 de outubro de 2011 at 23:41

    Lá na folha online, a construtora Rossi tem um anuncio com uma promoção “interessante” (cumpre um apartamento e ganhe um bônus de até 18 parcelas mensuais.) daqui a pouco vamos ter uma promoção do tipo “cumpre um, leve dois” hahaha…

    0
    • Selvagem 5 de outubro de 2011 at 03:08

      Bem por ai mesmo.

      Por que ao inves de fazer essa propaganda pega trouxa ridicula eles nao pegam esse dinheiro e aumentam a metragem do imovel para caber descentemente uma familia nele.

      0
    • Urbanista 11 de outubro de 2011 at 12:08

      Roger,
      numa outra seção deste blog, não me lembro quem, verificou as cláusulas contratuais de uma dessas promoções malucas. Além de ser ridículo, é uma enganação.

      0
  • Paulo _ SCSul 4 de outubro de 2011 at 23:59

    Acredito que isto merece um topico

    http://denysegodoy.folha.blog.uol.com.br/arch2011-10-02_2011-10-08.html

    “Imóvel com aluguel garantido pela construtora é bom negócio?”

    Estamos vivendo algo nunca visto antes no mercado imobiliario, uma aberração, um monstro, um Frankstein.

    Confesso que estou ficando até curioso em saber como ira terminar esta bolha

    0
  • Rodrigo 5 de outubro de 2011 at 08:10

    Brasil é o mais promissor na região, mostra pesquisa
    Folha de São Paulo, 04/out

    JP Morgan foca América Latina em entrevistas com americanos e europeus

    Para a maioria dos investidores, país é o que vai oferecer melhores chances de negócios até a Copa

    O Brasil é o país mais promissor para investimentos em ações da América Latina. É o que mostra pesquisa feita pelo banco JP Morgan com 40 investidores norte-americanos e europeus que administram US$ 57,3 bilhões em papéis de empresas da região.

    De cada 10 entrevistados, 7 afirmaram que o Brasil é o país que vai oferecer as melhores oportunidades de negócios até, pelo menos, 2014, ano da Copa do Mundo.

    Entre os fatores citados para a preferência, estão a expansão da classe média e o peso maior do Brasil na economia mundial. A Colômbia ocupa a segunda posição na preferência dos investidores (38%) e vem seguida de Chile e México empatados no terceiro lugar (25%). Na pesquisa, era possível mais de uma resposta.

    O JP Morgan perguntou ainda que países da América Latina têm as melhores práticas de relações com investidores e de governança corporativa. Nos dois casos, o Brasil apareceu em primeiro.

    Segundo Ivan Peill, vice-presidente da área de relações com investidores do JP Morgan, a criação do Novo Mercado pela Bolsa levou a uma maior transparência.

    No entanto, o Brasil também foi o país mais mencionado quando o banco perguntou sobre as piores práticas de governança. Investidores disseram que as empresas fora do Novo Mercado não protegem adequadamente os acionistas minoritários.

    A pesquisa foi feita durante os meses de junho e julho deste ano, pouco antes da forte deterioração da crise financeira global. Segundo Peill, mesmo que tivesse sido realizada depois, os resultados seriam parecidos.

    0
  • veigalex 5 de outubro de 2011 at 08:59

    Se tem corretor entando no blog.. é porque eles não tem mais serviço mesmo.. rss
    Estão procurando algo para fazer e não virarem recurso parado.

    Conversei com um outro dia.. que estava desanimado.
    Ele dizia que as pessoas adoravam o imóvel.. que ficavam maravilhadas. Ele só falava o preço no final.. pois já sabia que o interessado ia fazer uma cara de espanto e ir embora.
    O Senhor foi bem sincero.. disse que ja falou para o dono abaixar.. mas o dono não abaixa.
    Esta a mais de 04 meses sentado em uma cadeirinha debaixo de chuva e sol.. Falei para ele entrar no blog e contribuir.. positivamente rsss. Ele deu risada.
    Disse que quem esta comprando hoje, são pessoas que tem capital guardado.. e fazem uma boa oferta a vista. Chutam o preço lá em baixo.. e pagam a vista..

    Foi interessante.

    0
    • Tathiane 7 de outubro de 2011 at 01:44

      Pois é, eu conheço uma corretora que ano passado, até o começo desse ano estava com sorriso de orelha a orelha e hoje pediu R$ 1.800,00 emprestado para a tia (que é deficiente fisica e vive de pensão) para poder pagar a prestação do carro senão ia perdê-lo.
      Conclui-se que ela não está vendendo NADA e entrando em desespero.

      PS: eu sempre entro aqui pra ler o blog, mas nunca tinha escrito nada antes. Adoro os debates de altissimo nível daqui.

      0
  • veigalex 5 de outubro de 2011 at 09:05

    Acabei de receber de uma amiga..

    Uma vez, num pequeno e distante vilarejo, apareceu um homem anunciando que compraria burros por R$10,00 cada. Como havia muitos burros na região,os aldeões iniciaram a caçada.
    O homem comprou centenas de burros a R$10,00, e como os aldeões diminuíram o esforço na caça, o homem anunciou que pagaria R$20,00 por cada burro.
    Os aldeões foram novamente à caça, mas logo os burros foram escasseando e os aldeões desistiram da busca. A oferta aumentou então para R$25,00 e a quantidade de burros ficou tão pequena que já não havia mais interesse em caçá-los. O homem então anunciou que compraria cada burro por R$50,00! Como iria à cidade grande, deixaria seu assistente cuidando da compra dos burros.
    Na ausência do homem, seu assistente propôs aos aldeões:
    – ‘Sabem os burros que o homem comprou de vocês? Eu posso vendê-los a vocês a R$35,00 cada. Quando o homem voltar da cidade, vocês vendem a ele pelos R$50,00 que ele oferece, e ganham uma boa bolada’.
    Os aldeões pegaram suas economias e compraram todos os burros do assistente. Os dias se passaram, e eles nunca mais viram nem o homem,nem o seu assistente, somente burros por todos os lados.

    Esse é o mercado financeiro.

    0
    • Carcará 5 de outubro de 2011 at 10:39

      Veigalex,
      impagável, pelo humor e pelo efeito didático. Realmente adorável. Não vou perder a oportunidade de dizer, mais uma vez, que esse site congrega aquelas pessoas que realmente entendem de economia, economia real, e não jogos de cassinos.

      Abraços.

      0
  • FSH 5 de outubro de 2011 at 09:39

    O mais engraçado é ver os caras com mestrado, doutorado e o caramba a quatro falando exatamento o que já falamos aqui a muito tempo sobre bolha imobiliária. Aguardem que vocês receberão tb titulos de doutores … o certificado deve chegar quando acabar as greves do correio.

    Brincadeiras a parte, todo mundo que justifica a inexistência de bolha imobiliária fala sobre crescimento, renda, crédito e emprego. Ontem sairam os dados do IBGE e a produção industrial recuou 0,2% … a economia mundial está desaquecendo …. esta semana o banco Dexia (franco-belga) já avisou que está quebrado (lembranças de 2008 são mera coincidência) … alguém ainda acredta que o desemprego vai continuar na casa dos 6%????? Quando essa galera começar a perder o emprego, alguém adivinha o que eles vão deixar de pagar primeiro??

    Vai ser o início do colapso … já estou estourando a pipoca e sentando no sofá pra assistir de camarote.

    0
    • Carcará 5 de outubro de 2011 at 10:34

      FSH,
      os elementos da justificativa são os seguintes:

      Emprego=> No Brasil não há emprego. Há sub-emprego. Consultar DIEESE/IPEA;
      Renda=> Não há renda. Há sub-renda. Consultar DIEESE/IPEA;
      Crédito=> Esse existe. E em fartura. Mas multiplicador keynesiano tem prazo de validade.

      Abraços.

      0
  • Nato 5 de outubro de 2011 at 09:46

    Um outro angulo como curiosidade.

    Primeira bolha documentada da historia. Tulipas!

    Incriveis as semelhancas!

    Abracos

    A tulipa foi introduzida na Europa durante a metade do século XVI à época do Império Otomano. Imagina-se que seu cultivo nas Sete Províncias tenha começado em 1593, quando Charles de l’Écluse criou mudas de tulipa capazes de tolerar as ásperas condições climáticas nos Países Baixos , a partir de bulbos que lhe haviam sido enviados da Turquia por Ogier de Busbecq. No começo do século XVII, a flor já era muito usada na decoração de jardins e também na medicina.

    Apesar de não terem perfume e florescerem apenas por uma ou duas semanas ao ano, os jardineiros holandeses apreciavam as tulipas por sua beleza. Muitos mercadores, artesãos e colecionadores preferiam colecionar e pintar tulipas a quadros.

    Rapidamente a popularidade das flores aumentou. Mudas especiais recebiam denominações exóticas ou nomes de almirantes da marinha holandesa. As mais espetaculares e altamente desejadas tinham cores vívidas, linhas e pétalas flamejantes. A tulipa se tornara um cobiçado artigo de luxo e símbolo de status social e estabelece-se a competição entre membros das altas classes pela posse das variedades mais raras. Os preços disparam.

    Em 1623, um simples bulbo de uma variedade famosa de tulipa poderia custar muitos milhares de florins neerlandeses . Tulipas foram trocadas por terras, animais valiosos. Algumas variedades podiam custar mais que uma casa em Amsterdã. Dizia-se que um bom negociador de tulipas conseguia ganhar seis mil florins por mês, quando a renda média anual, à época, era de 150 florins. Um bulbo de tulipa passou a ser vendido pelo preço equivalente a 24 toneladas de trigo.[4] Por volta de 1635, a venda de 40 bulbos por 100.000 florins foi um recorde. Para efeito de comparação, uma tonelada de manteiga custava algo em torno de 100 florins e oito porcos graúdos custavam 240 florins.[5] O recorde foi a venda de um dos mais famosos bulbos, o Semper Augustus, por 6.000 florins, em Haarlem.

    Em 1636, tulipas eram vendidas nas bolsas de valores de numerosas cidades holandesas. O comércio das flores era encorajado por todos os membros da sociedade; muitas pessoas vendiam ou negociavam suas posses no intuito de especular no mercado de tulipas. Alguns especuladores tiveram muito lucro, enquanto outros perderam tudo ou quase tudo o que tinham.
    Negociantes passaram a vender bulbos das tulipas que tinham acabado de plantar ou ainda que intencionavam plantar (os chamados contratos futuros de tulipa) – apesar de um édito de 1610 ter proibido esse tipo de negócio. O fenômeno foi chamado windhandel (“negócio de vento”) e ganhou espaço sobretudo em tavernas de cidades pequenas, onde se usava uma espécie de lousa para indicar as ofertas de preço.

    Em fevereiro de 1637, os comerciantes de tulipas não conseguiam mais inflacionar os preços de seus bulbos e então começaram a vendê-los. A bolsa de valores estourou. Começou-se a suspeitar que a demanda por tulipas não duraria e isso propagou o pânico no mercado. Alguns deixaram de segurar contratos para compra de tulipas, estabelecidos a preços que agora eram dez vezes maiores que os preços de mercado; outros acharam-se na posse de bulbos cujo preço era muito inferior ao que haviam pago. Consequentemente, milhares de holandeses, incluindo executivos e membros da alta sociedade, ruíram financeiramente.

    Tentativas de resolver a situação fracassaram. Os juízes consideraram os débitos como contratados através de especulação e portanto, sem corroboração legal. Assim, as pessoas permaneceram abarrotadas de bulbos comprados antes da quebra, já que nenhuma Corte determinaria a execução do pagamento desses contratos.

    Versões menores da tulipamania também ocorreram em outras partes da Europa, entretanto nunca chegaram ao nível da que ocorreu nos Países Baixos. Na Inglaterra de 1800, era comum pagar cinqüenta guinéus por um único bulbo de tulipa. Esta soma poderia manter um trabalhador e sua família com comida, roupa e aluguel por seis meses.

    Os fatos foram relembrados, mais de dois séculos depois, no livro Memorando de extraordinários engodos populares e a loucura das multidões,[6] escrito pelo jornalista inglês Charles Mackay, em 1843. Mackay, no entanto, omitiu-se de mencionar que no mesmo período, os Países Baixos foram também atingidos por uma epidemia de peste bubônica, entre outros contratempos, durante a Guerra dos Trinta Anos. Possuir tulipas no lar era um meio de impressionar e quando a riqueza rolava escada-social abaixo então, todos clamavam por tulipas. Charles Mackay conta uma história da época:

    Um rico mercador havia pago 3.000 florins (280 libras esterlinas) por uma rara tulipa Semper Augustus que desaparece de seu depósito. Depois de vasculhar todo o depósito, viu um marinheiro, que havia confundido o bulbo da tulipa por uma cebola, comendo a tulipa. O marinheiro foi prontamente preso e passou seis meses na prisão.

    No século XX descobriu-se que as pétalas repletas de babados e cores vicejantes, que davam a essa flor um ar apoteótico, eram, de fato, resultado de uma infecção causada por um vírus que só atingia tulipas, conhecido como vírus do mosaico da tulipa.[7] A flor saudável era considerada sólida, macia e monótona.

    0
    • Bolha Imobiliária 5 de outubro de 2011 at 11:14

      Já fizemos um post contando a história das tulipas.

      0
  • Tiago 5 de outubro de 2011 at 09:50

    é muito difícil acompanhar esses comentários… nunca dá para saber onde foi atualizado… senhores… não tem como mudar essa estrutura?

    0
    • Paulo Rocha 5 de outubro de 2011 at 09:57

      Use o RSS feed provavelmente dá para usar direto o seu próprio navegador. Aqui estão os links:

      h t t p : / / w w w. bolhaimobiliaria.com/comments/feed/
      h t t p : / / w w w. bolhaimobiliaria.com/feed/

      0
      • Tiago 5 de outubro de 2011 at 13:51

        obrigado pela resposta…

        utilizei o google reader. pena que só dá para ler!

        0
        • Paulo Rocha 5 de outubro de 2011 at 14:15

          Bom, se você quiser responder é só clickar no link de de cada post. Eu acho que o “título” contem o link no Google Reader.

          0
    • veigalex 5 de outubro de 2011 at 09:58

      Também concordo..

      O encadeamento é bom para acompanharmos um assunto especifico, mas na minha opinião ele não deveria existir, Deveríamos fazer uma citação .. e ter um comentário embaixo do outro.. pois para se manter atualizado.. tem que praticamente ler todos os post novamente.. a procura de uma nova menção!
      Ou ter uma forma de ordenar comentários por data.. assunto.. O fórum permite isso, mas o pessoal aqui.. parece que é mais ativo no blog.

      0
      • FQ 5 de outubro de 2011 at 10:01

        Concordo!

        Sequência sempre!

        0
  • Miguel David Silveira 5 de outubro de 2011 at 09:56

    Pessoal, bem que o MRK havia dito que isto iria acontecer. Ontem vi anúncio de uma construtora, oferecendo um carro 0km a quem comprasse um apto. O garoto propaganda nada mais era do que o proprietário da empresa, dizendo “Eu garanto!”. MRK, talvez vc possa se candidatar a interpretar “O Astro”, tenho observado vc acertar bastante. Abraços para todos.

    0
    • Anonymous 5 de outubro de 2011 at 10:01

      La Garantia Soy Jo – chega a ser patético.

      0
    • MrK 5 de outubro de 2011 at 10:38

      Grande Miguel, todos aqui tem acertado muito, o blog está mesmo dando o que falar

      essa questão de dar brindes (Carros, viagens, etc) é por um motivo bem simples: Como hoje quem compra são em grande parte investidores, eles precisam ver os preços sempre subindo para continuar comprando, se os preços param ou caem, eles vendem e saem do mercado (pois sentem que não tem mais espaco pra lucro). Por isso as construtoras não querem mexer no preço, mesmo precisando, então eles oferecem descontos “camuflados”, de modo que barateia o apartamento (afinal um carro são 30mil) mas não espanta tanto os investidores

      abs

      0
    • Leonardo 5 de outubro de 2011 at 12:06

      Recebi um e-mail hoje sobre um empreendimento no recreio oferecendo um novo uno caso fechasse a compra hauhaua desespero… um amigo meu comentou: será que é uma mensagem entrelinhas que vc fechando um imovel no recreio, por ser tao longe de tdo, vai precisar de um carro? ahuahauha nãããão! é so pra conseguir vender mesmo… Mas oferecer uno é brincadeira 😛
      O nome do empreendimento é sublime, da patrimóvel

      0
      • Frank 5 de outubro de 2011 at 12:22

        e assim, o “preço” do imóvel continua o mesmo.

        0
  • FQ 5 de outubro de 2011 at 10:18

    DENSIDADE POPULACIONAL

    Mônaco = 16.620 Hab./km2
    França = 115 Hab./km2
    Brasil = 21 Hab./km2 (Isso mesmo, só 21 “infeliz” por metro quadrado!)

    O Estado deveria financiar a expansão da infra-estrutura urbana, crescendo horizontalmente as cidades (ruas, transporte, água, esgoto…), mas não faz. Prefere financiar e fomentar a especulação desenfreada do pequeno espaço urbano já servido com alguma infra-estrutura, ainda que precária, causando bolhas imobiliárias ou criando favelas. Enquanto a população babaca fica assistindo joguinhos da seleção Brasileira contra a Costa Rica….

    0
    • Ader 5 de outubro de 2011 at 14:34

      Por KM quadrado…

      0
  • rodrigo 5 de outubro de 2011 at 10:26

    BRASÍLIA JÁ VIVE UMA BOLHA IMOBILIÁRIA… OFERTA ABSURDA!!! OLHEM O http://www.wimoveis.com.br e vejam a quantidade de imóveis à venda, em especial os que estão próximos de serem entregues..é surreal a quantidade… os preços já estão caindo… ontem mesmo eu enganei um corretor… Disse q estava interessado em um apt no Setor Noroeste (novo bairro nobre da cidade)…o corretor me disse q o m² estava 9.800,00..dai eu disse q queria desconto…e sem muito esforço ele me ofereceu a 8.100… isso sem falar q quando o bairro começou, as imobiliárias pediam 12 mil o m2…Não aguento mais placas e jornais de anúncio de imóveis na cidade…Puro desespero……………..

    0
    • Yoda 5 de outubro de 2011 at 17:59

      Tem imóvel às margens do Lago Paranoá por R$15.000,00 o m2. Consultei nesta semana no Wimóveis.

      0
  • FoxBravo 5 de outubro de 2011 at 10:27

    Estou lendo o bolha há 3 meses e tenho comentado com as pessoas sobre o mercado imobiliário. Comentários que escutei recentemente:

    – O preço do imóvel não está caro já que os vizinhos estão pedindo mais que o meu.
    – Se o vizinho está pedindo um valor x eu vou pedir mais porque o meu está melhor. (só que o do vizinho está a venda todo mobiliado e o outro vai sem nada!)
    – Se tem imóvel em regiões inferiores cobrando mais que o nosso apartamento então o preço está até que BARATO.
    – Sei que comprei o imóvel na alta mas faço qualquer negócio para fugir do aluguel. Pagar aluguel é jogar dinheiro fora.
    – Vou comprar na planta porque é mais barato. Aí vale a pena.
    – Compre na planta agora por 200K que eu te vendo em 3 meses por 300k (corretor oferecendo um lançamento há uns 8 meses atrás).

    0
    • Fred Henrique 5 de outubro de 2011 at 14:59

      FoxBravo,

      Eu diria que o nosso blog (posso chamar de “nosso”, Bolha??) tem o principal mérito fazer as pessoas pensarem antes de fazer algo que vai influir na vida delas por 20 ou 30 anos.

      Se nós estamos certos ou não, o tempo dirá. No entanto, uma coisa é certa, quem lê algumas dezenas de tópicos e algumas centenas de comentários deste blog sai muito mais preparado para o mercado. Aposto que depois que você começou a freqüentar este espaço, pára para pensar antes de meter dinheiro em alguma coisa. Este é o grande mérito do blog: certos ou errados, nós pregamos a consciência financeira como modo de ter uma vida mais confortável.

      0
      • Bolha Imobiliária 5 de outubro de 2011 at 15:04

        Pode chamar sim. Afinal de contas, são vocês que fazem o assunto fluir. Não passo apenas de moderador…hehe

        0
  • Marcos 5 de outubro de 2011 at 10:41

    Queda da bolsa ajuda a impulsionar venda de imóveis em algumas cidades

    www .infomoney.com.br/financas/noticia/2225292

    Esses caras estão de brincadeiras. Cade a correlação estatística para provar isso? Jogam qq notícia para trouxa acreditar!

    0
    • MrK 5 de outubro de 2011 at 11:03

      pois é

      a queda da bolsa pode tanto ajudar quanto atrapalhar os imoveis…

      pode ajudar por aqueles que ficam com medo de perder dinheiro e procuram um ativo real, como imoveis…

      pode atrapalhar pois queda de bolsa significa empobrecimento dos acionistas, significa menos grana pra eles e portanto menos poder de compra pra tudo, em especial pra bens duráveis…

      é impossível afirmar qual dos 2 fatores falará mais alto, mas uma coisa é certa: Quem comprar imovel pra se “proteger” como se fazia antigamente vai ter uma pessima surpresa, não existe buscar proteção em ativo em bolha! é sem sentido! é melhor até deixar em ações

      0
  • MrK 5 de outubro de 2011 at 11:22

    Acho engraçado quando falam “a nova crise…”, a crise atual é a mesmíssima de 2008, só fizeram foi ganhar tempo imprimindo dinheiro adoidado pra tentar esconder os rombos.

    Imprimir dinheiro acalma os mercados no meio do stress agudo, afasta o risco de calote no curto prazo, é tipo uma medicação de emergência, só que logo logo vem a conta… inflação, endividamento maior, governo pesado…

    A crise que está na europa aparecerá com força total nos EUA, podem ter certeza disso, pois nada do que deveria ter sido feito de verdade foi feito, coisas impopulares como: Corte de gastos do governo pra valer, estabilidade monetária a todo custo (subir juros se preciso pra estimular poupanca interna), estimulo ao livre mercado e emprego privado… etc…

    Tudo que foi feito foi: Imprimir moedas, manter juros artificialmente baixos e engordar o estado… receita pro desastre

    0
    • Pensativo 5 de outubro de 2011 at 11:49

      É só a China peidar que o Brasil volta ao período paleolítico. rs rs rs

      0
      • Vinicius Lima 5 de outubro de 2011 at 13:30

        São comentários como o seu que me fazer voltar nesse blog…hheheheheheehhehe

        0
  • Rodrigo 5 de outubro de 2011 at 11:53

    FQ,

    Não acredito! Não tem como comparar!

    Mônaco = 16.620 Hab./km2

    h ttp://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%B3naco

    “Brasil = 21 Hab./km2 (Isso mesmo, só 21 “infeliz” por metro quadrado!)”

    Mônaco possui aproximadamente uma área de 2 km quadrados.
    Quer comparar com o BRASIL?!

    Quanto ao crescimento horizontal o engraçado que quando se fala que a Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes vão ser o futuro levando-se em consideração o Centro Metropolitano,

    h ttp://wikimapia.org/15814508/pt/Centro-Metropolitano-da-Barra
    h ttp://www.slideshare.net/lancamentorj/centro-me1-307111

    que o Rio de Janeiro vai ter “dois centros” todo mundo só sabe criticar, diz que nunca vai dar certo!!!! Se disser algo positivo é corretor ou construtor querendo vender no “lugar que mais cresce no Rio”.

    Ontem estavam oferecendo FIAT UNO para os primeiros 200 que comprarem apto. “perto da praia e do Centro Metropolitano”. O Estado através das construtoras estão investindo nesse “segundo centro” crescendo para os lados, o m2 é mais barato que na zona sul, mas só restam críticas… O pior que tem gente acreditando que o Porto-Maravilha vai ser a salvação, os projetos são iguais aos da Barra da Tijuca, tudo longe, diferente de Copacabana (apinhado de edifícios), indicando que não vão ser baratos.

    0
    • Rodrigo 5 de outubro de 2011 at 12:02

      Obras no Rio de Janeiro: riocidadeolimpica

      h ttp://www.youtube.com/watch?v=dTyG1L0Jxdc&feature=player_embedded

      0
      • FQ 5 de outubro de 2011 at 12:22

        Rodrigo,

        Obviamente, a comparação feita com Mônaco foi uma ironia meu caro amigo! Não há a menor chance racional de se comparar ambos…

        Sobre a infraestrutura urbana, obviamente no Brasil a mesma é precária e ridícula! Até mesma a Barra da Tijuca, menina dos olhos do prefeito, é decadente e deplorável.

        Da Barra ao Centro da Cidade são quase 2 horas de trânsito!

        Da Abelardo Bueno (que dizem que ser Barra) à Barra (a verdadeira) leva-se quase 1 hora!

        Sobre as BRTs que serão feitas na Barra, as mesmas serão apenas para ligar a Barra ao Aeroporto e atender aos turistas nas olimpíadas. As mesmas não atenderão a demanda para o Centro da Cidade.

        Alias, as obras para as olimpíadas apenas prejudicarão a vida do infeliz morador da barra, facilitando o acesso de quem vem da Baixada e da Zona Norte para a Barra, transformando a Barra em mais um “point” nos finais semana!

        0
        • FQ 5 de outubro de 2011 at 12:30

          O resto é conversa de político ou de corretor!

          Não viraremos uma Mônaco ou uma Suiça!

          O transporte publico no Rio não será decente ou digno! Ainda levaremos muitas “chicotadas” no trem!

          O metrô cada dia que passa fica pior e assim continuará. Pois as “ampliações” são sempre menores que o crescimento da demanda.

          Haverá sempre mais carros nas ruas e a prefeituras não vai acompanhar a demanda de crescimento nas vias.

          Você, morador da Barra, levará mais tempo para chegar ao centro da Cidade!

          Corretores sempre mentirão!

          Políticos sempre mentirão!

          Traficantes sempre venderão Drogas nos Morros!

          0
        • Rodrigo 5 de outubro de 2011 at 12:30

          Como disse, quando a cidade cresce criticam!

          0
        • FQ 5 de outubro de 2011 at 12:35

          Pois, obviamente, deveria crescer com infra-estrutura!

          Se não ficamos igual a um monte de caranguejos dentro de um balde…

          0
          • Rodrigo 5 de outubro de 2011 at 12:57

            Barra da Tijuca, menina dos olhos do prefeito, é decadente e deplorável. Muito irônico ahahah. Também vou ser. ;O

            h ttp://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=1268799

            Brasileiro gosta é de desgraça…, vejo as coisas pelo lado bom, e acredito que com a construção do Centro Metropolitano o Barrista vai demorar 20 para ir ao trabalho, digo isso que já é a realidade de alguns.

            0
            • Annibal 5 de outubro de 2011 at 14:28

              Só se houver um deslocamento do centro para a zone oeste… das empresas… ai blz… concordo com vc…

              0
              • FQ 5 de outubro de 2011 at 15:19

                Em 20 minutos, quem mora na Barra não chega nem no Barra Shopping!

                Ou melhor, em 20 minutos nem se encontra uma vaga de dentro do Barra Shopping num fim de semana…

                0
                • Rodrigo 5 de outubro de 2011 at 18:33

                  No final de semana morador não vai à praia, se for só até às 9:30. Também evita de ir ao Barra Shopping pode fazer isso durante a semana.

                  0
                  • Leonardo 6 de outubro de 2011 at 14:17

                    na minha opinião a barra já cresceu o suficiente pra estrutura que tem… acho que deveriam dar incentivos fiscais para as empresas sairem do centro e se encaminharem pra bairros da zona norte, outros da zona oeste e até mesmo pra zona sul. Descentralizarndo os principais polos econômicos do RJ (centro e barra). O transito é infernal de domingo à domingo…. todos se dirigem pros mesmos lugares todos os dias, que acabam afunilando em algumas em algum momento e o que se tem é 30, 40 minutos pra percorrer 2, 3 km. Outra medida seria levar metrô pra jacarepaguá, barra, recreio e até mesmo campo grande…
                    Estive em santiago do chile e o metrô de lá é maravilhoso… cheio sim, nos horários de pico, porém nada como a superlotação do carioca… e são 5 linhas de metrô… se o Chile consegue, porque não conseguimos?

                    construir mais linhas expressas ligando mais e mais bairros… mas o centro metrop. por si só ‘~ao descentraliza nada… vai é agravar o que já está caótico

                    0
                    • Rodrigo 6 de outubro de 2011 at 17:53

                      Boa!

                      Só falta assinar, abaixo-assinado pelo melhor traçado da Linha 4 do Metrô:

                      h ttp://www.peticaopublica.com.br/PeticaoListaSignatarios.aspx?pi=Linha4

                      0
  • Luiz 5 de outubro de 2011 at 12:52

    A alta da renda a que se refere no texto é de apenas 5% entre 2010 e 2011, pesquisa fechada em julho.

    Este aumento de 5% é uma média, as Classes C, D e E aumentaram talvez 10%, as A e B quase nada.

    Quem compra imovel não auemntou significativamente a massa de renda, portanto o aumento de preços em 20% é totalmente especulativo, tocado na base do crédito.

    0
  • simone 5 de outubro de 2011 at 13:38

    alguém poderia informar se a pesssoa depositar 1k na pounça ou em cdb em quanto tempo tera 1 milhão de reais…

    alguém por favor sabe fazer esse calculo ?

    0
    • Jonathas 5 de outubro de 2011 at 15:31

      1.154 meses considerando TR (0,1) + 0,5% a.m.

      Dá pouco mais de 96 anos.

      www3. bcb.gov.br/CALCIDADAO/publico/calcularValorFuturoCapital.do

      0
      • Luiz 5 de outubro de 2011 at 17:31

        Simone
        aga te te pe: fazaconta.com/index.htm

        faça qualquer conta, bem facil de entender e usar

        0
        • simone 5 de outubro de 2011 at 20:02

          luiz tu é um amor

          muito obrigadooooooooooooo

          0
  • alex 5 de outubro de 2011 at 13:48

    (Reuters) – Emerging markets face “monstrous” risks this year, with investors continually ignoring intensifying inflationary pressures and credit bubbles, leading market strategist Richard Bernstein warned on Wednesday.

    Emerging markets have been the darling of the financial world since 2009, as global investors have pursued stronger returns and driven by a belief that countries such as China and Brazil will lead global growth in the next few years, while developed world economies remain nearly stagnant.

    Bernstein, who now runs his own firm after being chief investment strategist for Merrill Lynch & Co, said the love affair with emerging markets is overdone.

    “I think what people are completely missing is that the risk is not here in the United States,” he told the Reuters 2011 Investment Outlook Summit. “The risk is in emerging markets. There are just monstrous risks in emerging markets right now in my opinion.”

    Red flags are mounting.

    0
  • MrK 5 de outubro de 2011 at 13:50

    Matemática simples e básica, contas de somar:

    Transação de imoveis usados são um “jogo de soma zero”, ou seja, o que um ganha o outro precisa perder (pagar).

    Imaginem um proprietário que tinha um imovel de 400mil (valor digamos justo), pouco depois vende por 1milhão, ou seja, teve seu patrimonio aumentado em 600mil, esses 600mil precisam necessariamente sair do patrimonio de alguém, em outro lugar.

    Agora imaginem o comprador, que pagou 1milhão, os 600mil de lucro do outro será pago por ele através da diminuição do seu poder de compra em 600mil (ignorando os juros). só que como ele comprou a crédito, essa subtração de 600mil do seu orcamento não será sentida agora, mas ao longo de 30 anos!! Só que o fato de ser em 20 ou 30 anos não quer dizer que não exista, só quer dizer que a conta virá pra frente, mas virá!!!

    É por isso que esses imoveis não geram riqueza nenhuma pra economia, apenas troca de dinheiro de mãos, uma pessoa se endivida pra dar lucro pra outra e nada mais. Uma pessoa consome mais (por ter lucro) e a outra apertará mais os cintos (na mesma proporção), pra economia é zero.

    0
    • Carlos Wagner 5 de outubro de 2011 at 14:03

      Exatamente.

      Isso explica o motivo pelo qual o estimulos atuais do governo ao consumo não estão surtindo o mesmo efeito dos verificados em 2008. Pois, hoje, a população que consumiu em 2008 comprando casas, carros e outros bens de consumo estão fora do jogo, ou seja, endividados por longos periodos.

      Essa é a tendencia da politica imediatista governamental. A não sustentabilidade dessa politica economica é visivel e ja começa a dar resutados.

      Que Deus nos proteja…

      0
      • Luiz 5 de outubro de 2011 at 14:14

        O pior efeito é na credibilidade e nivel de otimismo
        Japão paralisado faz 20 anos
        Espanha parou desde 2008

        0
    • Carcará 5 de outubro de 2011 at 14:19

      Perfeito,
      MrK. Às vezes as pessoas esquecem que moeda é o meio de troca que substituiu o escambo. Mas no fundo, continuamos trocando bananas por pães. Quando o dinheiro em algum momento distorce a troca natural de produtos, lá na frente ele terá de corrigi-lo.

      Abraços.

      0
    • DM 5 de outubro de 2011 at 14:32

      MrK,

      Mas e se baseado no seu exemplo, a pessoa que vendeu o seu imóvel por r$1000K adquirir um novo imovel recem construido? Parte deste valor não seria riqueza? Ou mesmo movimentaria a econonia?

      Acredito que alguns fizeram isto, ou memo estão tentando fazer, o comercio não deixa de ser uma transferência de riquezas (pelo menos conceitualmente), o que infelizmente não estamos tendo no Brasil neste momento é realmente um equilibrio na relação de consumo (por isto a inflação em alta e também a nossa bolha).

      Acredito que em razão do crédito demasiado infelizmente muitas pessoas não se deram conta desta relação e com certeza estão trocando os pés pelas mãos e passaram muito de sua riqueza para especuladores, bem como ainda existem muitos que querem mesmo que inconcientemente “aproveitar os tempos de vacas gordas” como infelizmente acham que estamos vivendo.

      Acredito que o problema não é vender o imóvel usado, pois apesar dele já ter “gerado” riqueza no passado ele tem o seu valor presente e faz parte da economia como uma riqueza constituida e auxilia a movimentar o mercado como um todo. para mim o grande problema foi a quebra do equilibrio das relações comerciais no mercado imobiliário pela alta oferta de crédito inicial e tentativa de mascarar a realidade.

      abcs

      DM

      0
    • Inteligivel 7 de outubro de 2011 at 18:25

      Genial seu comentário. Explica muita coisa.

      0
  • Luiz 5 de outubro de 2011 at 14:19

    ontem o mercado espalhou fofocas de que a pdg estava tendo bons resultados preliminares,

    IMOB subiu que era uma beleza, mas era tudo mentira pra epgar sardinha desavisada, vejam hj as maiores quedas:

    1
    2. RSID3 8,62 -4,01% 25,12M 5.255 13h58
    3
    4
    5 MRVE3 9,36 -3,21% 21,68M 4.227 13h58
    6
    7. GFSA3 5,14 -3,02% 23,63M 3.989

    …PDGR3 6,02 -1,31% 41,07M 8.450 13h58

    0
  • Elias 5 de outubro de 2011 at 14:19

    Então MrK, concordo com você, mas eu vejo uma diferença.

    O que compra, perde R$ 600 mil diluídos em 30 anos pelo financiamento. O banco assume o risco do fluxo de caixa do devedor, cobrando juros.

    Já o que vende, tem seu lucro de R$ 600 mil na mão pra gastar na hora.

    Isso causa um efeito fantástico no curto prazo: enquanto quem tem prejuízo o dilui no longo prazo, o que lucra aquece a economia imediatamente. Este pode refazer a operação (compra outro imóvel e revende pra ter o lucro de novo), ou consumindo “sonatas”. Mesmo que poupe uma parte, de qualquer maneira isto vai para o consumo ou investimento.

    A questão é se os bancos assumirão esse risco, dando crédito para quem não tem condições de arcar com o financiamento, e ainda pegando um ativo sobrevalorizado como garantia. Será que eles vão ignorar o que aconteceu mundo afora – Japão, Estados Unidos, Espanha – e acreditar na máxima “los precios nunca bajan”?

    0
    • Luiz 5 de outubro de 2011 at 14:26

      Elias queria paroveitar a sua deixa e lançar a votação das 10 maiores pérolas dos corretores:

      1- los precios nunca bajan
      2- la garantia soy jo
      3- eu garanto retorno de 5 VEZES em 20 anos (Marcão)
      4- se o comrpador precisar eu devolvo 100% do dinheiro (Carlos Padock)
      5- …

      0
      • Elias 5 de outubro de 2011 at 14:45

        Vou dar minha contribuição

        5 – o resto você financia com o crédito pré-aprovado do banco, nas chaves. Sua renda comporta.

        0
    • Felipe 5 de outubro de 2011 at 14:30

      Elias, são R$ 600 mil diluídos em 30 anos mas com uma taxa de juros imensa…

      0
    • Annibal 5 de outubro de 2011 at 14:40

      Concordo Elias, mas esse excesso de liquidez tem efeitos de curto/médio prazos, pois qdo o mercado percebe isso, tende a reajustar os preços para retirar esta gordura das mãos das familias… e no longo prazo… da merda….

      Felipe… os juros remuneram os bancos, os 600K vão imediatamente pras familias consumirem…isso no curto prazo, somado a politica espansionista desse governo maluco, mais os investimntos externos….BOOOLHA….

      0
    • MrK 5 de outubro de 2011 at 14:43

      seu ponto é correto Elias

      obrigado pelo complemento!

      0
  • bolhacuritibana 5 de outubro de 2011 at 14:24

    Moro em apto alugado em Curitiba, no bairro Batel.

    Há 3 anos foi vendido um apto no 1o. andar por 270mil (3 quartos, 86m privativos, prédio com 10 anos de idade, sem área de lazer). Hoje este mesmo apto foi colocado a venda por………………………..550mil ??????

    Minha pergunta: existe alguma possibilidade desses valores absurdos de fato caírem ou será que eles vão apenas se “estabilizar”?

    0
  • Elias 5 de outubro de 2011 at 14:32

    Concordo com o MrK e todo mundo. Esse padrão é sustentável?

    Empobrecer milhares durante anos para que alguns especuladores/atravessadores fiquem milionários hoje é uma fórmula fadada ao fracasso.

    A geração de riqueza advém do trabalho, da inovação tecnológica, da competitividade.

    Nosso governo faria melhor seu papel se promovesse investimentos em infra-estrutura logística, reforma tributária e educação e profissionalização do nosso povo. Isso gera desenvolvimento de verdade, isso gera riqueza.

    Mas o povo precisa ajudar também, começando por fazer contas e ter bom senso.

    0
    • DM 5 de outubro de 2011 at 14:47

      Elias,

      Concordo, mas infelizmente a nosso povo falta educação, que no meu ponto de vista nunca será “dada” por nossos governantes pelo simples fato de ser a forma em que encontraram a muito tempo de controlar o “status quo”.

      Ao governo deveria compatir somente o tripé de segurança, saúde e educação, porém isto não traz o poder nem gera a riqueza para estes mal intencionados

      DM

      0
      • Luiz 5 de outubro de 2011 at 15:41

        estou lendo “1808”
        desde akela época mudou nada, fica-se rico do mesmo jeito especulanbdo com costas quentes no governo dando aval.

        0
  • Jack Imóveis 5 de outubro de 2011 at 14:40

    Alguém cosegue a integra do artigo do Ricardo Loureiro (presidente SERASA) na FSP de hoje. Li no impresso. Mais um que nega a bolha.

    Abraços

    0
  • Elias 5 de outubro de 2011 at 14:50

    Felipe, obrigado pelo complemento. Esqueci do adjetivo, melhor ficaria “juros escorchantes”.

    Por isso que o BC vive repetindo que os bancos estão devidamente capitalizados e são capazes de absorver um aumento na inadimplência. Concordo com o BC.

    0
    • Felipe 5 de outubro de 2011 at 16:01

      Disponha

      0
  • DRN 5 de outubro de 2011 at 14:58

    E aí, meus caros, quando é que o dólar e o euro vão voltar a cair? Estou precisando comprar passagens para Espanha e os cartões para consumo lá fora.

    0
    • Luiz 5 de outubro de 2011 at 15:38

      não vão
      aproveite o primeiro repique de baixa e compre logo

      0
  • Mori 5 de outubro de 2011 at 15:14

    Segue o artigo. Eu não acredito em um estouro da bolha tão drástico como a maioria do blog, apesar de acreditar de que correções mais intensas ocorrerão nos lançamentos de 2.010/2.011 e que os investidores que não possuem bala na agulha para assumir o financiamento vão tomar um belo tombo e serão expulsos do mercado (e talvez de suas casas), mas me parece que este artigo traz alguns argumentos que vocês poderiam desconstruir se for o caso…por exemplo a questão da piora da inadimplência antes do suposto estouro e entrar em acomodação com o mercado ainda relativamente aquecido (menos que 2.008 a 2.010, mas ainda acima dos patamares de anos anteriores)

    Não há bolha de crédito no Brasil

    RICARDO LOUREIRO

    ——————————————————————————–
    No exterior, os empréstimos de alto risco evoluíram em um impressionante vácuo regulatório e fiscalizatório, o que não se verificou aqui
    ——————————————————————————–

    Desde o início do ano, ouvimos alertas quanto aos riscos de estouro de uma bolha de crédito no Brasil. O crescimento acelerado do crédito no país, o alto comprometimento de renda do brasileiro com dívidas e a escalada dos preços dos imóveis nas principais urbes costumam ser listados como sinais da existência dessa bolha. Assim, mais cedo ou mais tarde, sucumbiríamos à crise que acomete o hemisfério Norte.
    Em primeiro lugar, o termo não é, a rigor, adequado ao mercado de crédito; tecnicamente, “bolha” representa o descolamento significativo e prolongado do preço de algum ativo financeiro ou real dos seus fundamentos. No entanto, como bolhas especulativas costumam ser precedidas por “booms” de crédito, acaba-se utilizando a terminologia, com certa liberalidade.
    Essa associação entre “boom” de crédito e bolha especulativa foi o que ocorreu nos EUA e na Europa: um longo período de crédito farto gerando movimentos especulativos nos preços das residências. Para que essa “tempestade perfeita” se dê, entretanto, é preciso um combustível: a prevalência, por tempo razoável, de taxas reais de juros próximas de zero ou até negativas.
    É aqui que começam as diferenças entre o mercado de crédito brasileiro e aquilo que se viu no exterior. Nossa taxa de juros é uma das mais altas do planeta, o que faz com que os bancos brasileiros não precisem, a título de rentabilização, buscar mercados de altíssimo risco.
    Outra grande diferença: no Brasil, os bancos possuem baixa alavancagem e operam num ambiente regulatório e fiscalizatório que é referência mundial. Lá fora, os empréstimos de alto risco evoluíram em um impressionante vácuo regulatório e fiscalizatório, disseminando o risco através de operações cruzadas com derivativos exóticos.
    Assim, a expansão do crédito no Brasil ocorre sob rigoroso monitoramento da autoridade monetária, que adota medidas macroprudenciais para coibir excessos.
    Há quem diga que o mercado de veículos, influenciado pela expansão do crédito nos últimos anos, seria o “subprime” (títulos de crédito hipotecário de alto risco que levaram à crise de 2008) brasileiro. Outros enxergam na valorização dos preços dos imóveis o esboço de uma bolha imobiliária no Brasil.
    Não é o que pensamos. No caso dos veículos, é fato que o preço de um zero km pode recuar pouco mais de 20% após o seu primeiro ano de uso, fragilizando a garantia do financiamento. Mas é por isso mesmo que se costuma exigir uma entrada mais ou menos equivalente, no ato do financiamento.
    Quanto aos imóveis, as altas de mais de 100% em algumas regiões metropolitanas, nos últimos três anos, refletem o forte crescimento da demanda -induzida pelo elevado grau de confiança dos consumidores, pela ascensão das classes C e D, pelos impactos das novas regras de financiamento imobiliário introduzidas pelo programa Minha Casa, Minha Vida-, que não encontrou devida resposta da oferta.
    Afinal, o setor imobiliário passou por quase 20 anos de letargia, com baixo investimento em mão de obra, produção de insumos e bancos de terrenos. Quando a demanda aflorou, a oferta não conseguiu evoluir no mesmo ritmo, e os preços subiram. Logo, são os fundamentos -e não a bolha- que explicam a alta dos preços das residências.
    Uma última consideração: a inadimplência dos consumidores está crescendo pouco mais de 20% neste ano. Mais um sinal de bolha, diriam alguns. Porém, se há bolha de crédito, a inadimplência sobe depois, e não antes do seu estouro. Na verdade, a alta da inadimplência em 2011 se deve à aceleração da inflação no início do ano. Nossos indicadores já apontam para uma estabilização da mesma.
    Em suma, não vislumbramos existir bolha de crédito no Brasil. Temos, sim, um movimento saudável de crescimento do crédito.

    0
    • MrK 5 de outubro de 2011 at 15:57

      Como voce pediu, vou dar meus comentarios

      1- Ele não é correto ao falar das taxas de juros, pois o que importa pra economia e pra bolha são as taxas REAIS (descontadas a inflação) e não as taxas nominais, por exemplo, no Brasil a nominal é alta: 12%, mas a real pelo IPCA é de 4,5% ao ano, se for olhar pela inflação “realista” os juros aqui estão próximos a zero. Ele foi espertinho.

      2- É verdade que a regulação de crédito bancario aqui é melhor que lá fora, entretanto ele não fala do X da questão pros imoveis: Crédito concebido pelas construtoras na planta, esses são tão mal regulados quanto os americanos.

      3- Ricardo Loureiro é presidente da Serasa Experian, empresa que ganha mais dinheiro quanto mais crédito houver no mercado, voce acha que ele iria falar que tem bolha de crédito no Brasil? hahahaha

      0
    • Carlos Wagner 5 de outubro de 2011 at 16:07

      A pergunta é: Qual a capacidade dos nossos bancos segurarem uma crese no setor de credito e imobiliario?

      Nos EUA, pouco antes da crise estourar, a alavancagem dos bancos era 1 para 33.

      No Brasil, a alavancagem é 6 para 100 e isso é considerado saudavel pelo BC.

      0
      • Sérgio 5 de outubro de 2011 at 16:38

        Justamente. É o famoso castelo de cartas.

        0
    • Luiz 5 de outubro de 2011 at 16:31

      Concordo com o Loureiro

      O Brasil é um país sério que não empresta pra qualquer um, os EUA e europa aconteceu aquilo tudo pq são irresponsáveis, não tem fiscalização, não tem regra, lá é um verdadeiro carnaval.

      Somos o exemplo para o mundo e dona Dilma a magnanima foi apresentar nossa generosidade aos Bulgaros.

      ass. velhinha de Taubaté

      0
    • Sérgio 5 de outubro de 2011 at 16:35

      Não estranhamente, este artigo está intimamente ligado à temática anterior: o cara que comprou o imóvel por 400k, vendendo-o por 1 milhão e ficando com 600k de lucro.
      Muitos entendem como funciona o mercado financeiro, o mercado imobiliário, o motor de um automóvel e, até, pasmem, a TPM das mulheres (as gatas que me perdoem a brincadeira). No entanto, poucos entendem a natureza do DINHEIRO (me inclua em boa proporção).
      Os 600k de lucro do espertão acima, de fato e de direito é realmente DINHEIRO – da forma que o concebemos. Entretanto, para alguns – especialmente para os banqueiros – esses 600k são fictícios; poderão – grosso modo – serem confirmados ao longo de 30 anos de ininterrupto pagamento do tolo maior que comprou por 1000K. Grande parte do dinheiro que vemos circulando em nosso país (mais de 50%) são, na verdade, como cheques pré-datados ou notas promissórias TRANSVESTIDAS de dinheiro, um objeto fiducial.
      É dinheiro criado pelos bancos com autorização legal do BC. É papel que não representa a riqueza de um povo, gerada pelo suor de todos e sim pela DÍVIDA coletiva.
      Reparem que o brasileiro, que é pobre, tem dívida oficial de quase DOIS TRILHÕES de reais, ou seja, mais de UM TRLHÃO DE DOLARES. Reparem, novamente, que falei em dívida oficial: não se aplica aos AGIOTAS, USURÁRIOS, CONSTRUTORAS e OPERAÇÕES A DESCOBERTO!
      Grande parte dessa dívida acaba por gerar mais dívida: os 600 k que o espertão recebeu, é, legalmente, dívida disfarçada, que ao ser depositada ou gasta, acaba por contaminar outros setores da economia com dinheiro criado e dependente de geração futura de riqueza (do tolo maior que terá que suar e passar fome por 30 anos para quitar SOMENTE aquela dívida).
      Caso esse jumento incidental não consiga pagar sua dívida, aquele dinheiro transvestido deixa de ser “ratificado”, podendo contaminar todo caminho por onde tiver passado.
      Numa economia saudável (onde o crédito é restrito) um ou outro caloteiro não afeta em nada a roda da economia; já um grande número de caloteiros o problema se torna sério. Agora, quando se trata de uma economia pseudo-primeiromundista com o símbolo de uma banana, o problema torna-se um CAOS.
      .
      É fato de que nossa taxa de juro é a mais alta do mundo, diferentemente dos países desenvolvidos onde ocorreu a bolha. De igual forma nossos carros e outros produtos também o são e, mesmo assim, não impediu os recordes de venda nos últimos anos.
      Ou seja, apesar de o juros serem muito altos, não tornou-se óbice aos bananenses de buscá-lo; nossa cultura recente em economia são de juros muito mais altos: 45% no período FHC e acima de 100% antes do REAL, e muito inferior ao cobrado pelos Agiotas, que só recentemente perderam área para os Bancos: quem já foi ao Paraguai ou a Bolívia, passa a considerar o Brasil o melhor dos mundos. Da mesma forma os juros. Saiu-se de 120%, depois, para 45% e depois para 8 ou 12%. Desconte-se a inflação e o juro fica ainda menor. Some-se a ignorância de um povo.
      .
      Mesmo no inferno, se existir crédito farto aliado à ignorância, torna-se momentaneamente num paraíso. Mas a conta sempre chega.

      0
      • Luiz 5 de outubro de 2011 at 16:44

        Por favor todos leiam esse acima

        pra escrever asism tão bem e tão simples, são anos de estudo, titulos, grande experiencia cá e lá
        além de muita habilidade.

        nada a acrescentar

        0
  • Dracon 5 de outubro de 2011 at 15:48

    Direto ao ponto.
    Bolha Americana: o sujeito hipotecava para “torrar”no consumo, aquecendo de forma assustadora a economia americana.
    Bolha Brasileira: as famílias se “enforcam” para comprar o seu sonhado imóvel, comprometendo por décadas a sua capacidade de consumo. E vão pagar um preço alto por não saberem “fazer conta”. Quanto aos especuladores que ficaram e vão quebrar a cara é meramente uma transferência de riqueza (do tolo para o esperto).
    Portanto, nossa situação é semelhante com a japonesa ou a espanhola. Porém não creio que efeitos serão tão nefastos quanto foram para eles, em virtude que o nosso crédito imobiliário é, para a nossa sorte, proporcionalmente pequeno na nossa economia.

    0
    • Fred Henrique 5 de outubro de 2011 at 16:11

      O problema, Dracon, é que o Brasil se sustenta em commodities e construção civil.

      Vamos a um exercício de imaginação:

      Supondo que a Gafisa abra processo de falência, páre todas as obras e demita milhares de trabalhadores. Neste cenário apocalíptico, mas possível, uma parte dos desempregados da Gafisa deixa de pagar os carnês de 12, 18, 24, 36 ou 48 meses referentes à TV nova que comprou ano passado (Copa 2010), à máquina de lavar que comprou em 2009 (redução do IPI da linha branca), o carro que comprou no final de 2008 (redução do IPI) e por aí vai. Esse possível aumento da inadimplência pode gerar o que eu chamo de efeito punhalada na economia (“punhalada” pois o ferimento, à primeira vista pequeno, é profundo e mortal) começa na construção civil e se aprofunda para varejo, depois automobilística, depois entretenimento, depois serviços não fundamentais (TV a cabo e internet residencial) e por aí vai. Tudo é prejudicado.

      Sem contar, que se uma Gafisa da vida quebrar, leva junto uns 30% (um chute) do mercado de imóveis novos no refluxo.

      A saída para o Governo não deixar a Bolha se aprofundar na economia, a meu ver, é fazer o PAC funcionar e restringir enormemente a oferta de crédito no mercado, mas acho quase impossível, pois envolveria diminuir níveis de corrupção e aumentar a produtividade do Estado, além de “diminuir” o poder de compra do brasileiro.

      0
  • Fred Henrique 5 de outubro de 2011 at 15:49

    Poxa, o Marco Antônio já fugiu?!?!?

    Deve estar “derretendo” algum lançamento agora mesmo…

    0
    • Luiz 5 de outubro de 2011 at 16:26

      Foi embora, ams deixou recadinho de despedida

      copiei do outro psot pra vcs:

      “Tentei ser educado, mas vocês são uns recalcados que atrasam o Brasil. A maioria aqui não deve ter nem ensino superior completo!!!

      Perdi meu tempo tentando conversar com pessoas ignorantes. O blog de vocês só faz sucesso pq vocês só aceitam opinião de pessoas que pensam igual a vocês!!! Uma discussão não é vocês pegarem uma opinião contraria de vocês e ficar só criticando, falando que é mentira. Aprendam a argumentar sem difamar, criticar ou falar sempre a mesma baboseira: “Corretor é tudo burro, tudo aproveitador, que age de má fé.”

      Vão todos a merda, com excessão de alguns que são pessoas inteligente que aceitam um outro ponto de vista para argumentação e uma conversa inteligente.”

      Boa sorte a todos.
      assinado
      Marco Antonio
      (aquele que afundou a familia, parentes e amigos, que investiram na Bolha por sua culpa)

      0
  • Marco Antonio 5 de outubro de 2011 at 16:27

    Fred, eu cheguei agora e estava lendo. Mas de nada adianta querer conversar, se em 5 minutos todas as pessoas que postam vão vir aqui e postar que eu estou mentindo, que sou um corretor de merda, que estou queimando embaixo do sol num stand, que eu estou agindo de má fé!!

    A verdade é como disseram em um dos posts, vocês falam usando a emoção nesse blog. A maioria confunde o corretor com a construtora. Quem faz os preços é o mercardo e as constutoras e não o corretor!!

    Já disse e volto a dizer, para todos os corretores, tenho certeza que seria melhor os preços mais baixos para vender mais unidades. Isso é uma coisa, outra coisa é concordar com a maioria de vocês dizendo que a bolha imóbiliaria vai vir e “destruir”o Brasil. (aos que levam ao é da letra, saiba que “destruir”está entre aspas pq é apenas modo de dizer)

    0
    • Fred Henrique 6 de outubro de 2011 at 08:18

      Beleza, Marco, eu procuro manter a discussão em alto nível.

      Mas, desculpa, nós aqui do blog já cansamos de desmentir “proporção crédito/PIB”, “que a demanda estava reprimida”, “que o preço de imóvel passou 10, 15 anos estagnado”.

      Prontifico-me a abrir uma discussão com você sobre os seguintes tópicos:

      1. Segundo você mesmo, imóvel é investimento garantido. Até 2010 era a curto prazo e agora é a longo prazo. Mas como garantir que o “investimento garantido” vai ter retorno se o mesmo ativo, segundo você mesmo, passou por um período de estagnação?

      2. De que forma a relação crédito/PIB, segundo você mesmo, em torno de 4% vai impedir o estouro da bolha? Por que esse fator é relevante? Não seria o caso de essa relação ser importante apenas para dizer que quem vai quebrar são os pequenos investidores e a “nova classe média”?

      3. Um agravamento da crise mundial pode gerar fuga de investimento. Num possível cenário de desemprego e inadimplência altos, você acha seguro o governo intervir nos bancos e assumir (socializar) parte das dívidas que se tornarão impagáveis ou você acha que a bolha, se existir, não poderá nem deverá ser contida pelo governo?

      4. Como evitar alavancagem em um mercado “atraente” e com rendimentos historicamente acima da inflação? Essa alavancagem não levaria ao esgotamento do mercado por especuladores, aventureiros e, até, amadores?

      5. Para terminar: Como manter os preços dos imóveis nos patamares atuais e subindo (visto que sempre valoriza) se o aumento de renda não vem cobrindo sequer a inflação?

      Valeu! Só vou ver tua resposta (se houver) amanhã.

      0
    • Jader Anderson 6 de outubro de 2011 at 13:34

      Caro Marco,

      SE você realmente quer acabar com a discussão e abrir nossos iludidos olhos, poste algum documento da Lopes seja screenshot seja um excel comprovando os dados que tu discute.

      Acho que daí o caso é encerrado e esse blog também.

      mas veja bem, é o 100% de vendas EM TODOS OS LANCAMENTOS que tu reportou anteriormente e que foram desmentidos via contato telefonico do evandro.

      0
  • Marco Antonio 5 de outubro de 2011 at 16:29

    E confirmo mesmo!! O blog ia ser muito mais interessante se vocês dessem espaço para discussão(eu aprender com vocês e vocês escutarem o outro lado). Mas a maioria de vocês, ve um primeiro comentario contrario de vocês e é esculachado!!

    Volto a dizer, vocês acham que os culpados disso, são os corretores de imóveis.

    0
    • Sérgio 5 de outubro de 2011 at 16:58

      Grande Marco. Você me parece ser um cara legal.
      Entenda, que os assuntos aqui abordados, apesar de terem um interesse comum, não têm o condão de modificar o que está feito. As conclusões aqui chegadas, a despeito das emoções envolvidas, são puramente racionais. Um ou outro comentário – como em toda democracia – vai de encontro à realidade aqui ENCONTRADA, apesar de a mesma direção: essas, amiúde, são desconsideradas, dado ao alto nível de esmagadora maioria.
      Mas o fato é que temos consciência de que nada podermos fazer, a não ser alerta mais e mais pessoas da grande inconveniência em se comprar imóvel agora (ou no próximo anos), além de tentar – de uma forma não concreta – de chamar a atenção para algum setor da mídia.
      Os seus comentários, assim como os nossos, em nada vai mudar o rumo da economia, isso também é fato.
      Caso você tenha bom ânimo, continue participando do site, MAS apresente dados comprováveis, sem falácias ou outros subterfúgios como utilizados por uma maioria dos corretores, construtoras, mídia e secovi, como aquela notícia postada no R7, onde afirmou-se que “a nova classe média”, que tem renda entre 1.500 e 5.000 reais “e que são as pessoas que estão comprando os imóveis entre 200 e 500K”. É um tipo de um argumento inaceitável. Inaceitável, não somente por nossas emoções pessoais, senão por nossa racionalidade.
      Portanto, sinta-se à vontade, assim como eu ou qualquer outro.
      Agora, caso não queira “muita” ironia ou outro tipo de tratamento pouco saudável, seja realista, empírico, apresente fatos repetitíveis e tenha, ainda assim, paciência.

      Sérgio

      0
    • Carcará 6 de outubro de 2011 at 09:01

      Marco,
      corretor de imóvel é um trabalhador como outro qualquer. Em relação à bolha, ele é tão culpado quanto o vendedor de frutas da esquina que compra o imóvel que não tem condição. Se há culpados (e a única pessoa a quem gosto de culpar é a mim mesmo) estão em andares mais acima – tomadores de decisão.

      No mais, Sérgio foi perfeito. O que está feito, está feito.

      Abraços.

      0
  • Elias 5 de outubro de 2011 at 16:37

    Cheguei tarde, todo mundo já falou muito bem, mas vamos lá:

    Argumento 1
    “Para que essa “tempestade perfeita” se dê, entretanto, é preciso um combustível: a prevalência, por tempo razoável, de taxas reais de juros próximas de zero ou até negativas.”
    – Quando se compra na planta, o juros é “zero”. Você só paga a correção do INCC. Logo, neste aspecto, nossa bolha é igual às “deles”.
    O banco só entra na jogada no momento da entrega das chaves.

    Argumento 2
    “Outra grande diferença: no Brasil, os bancos possuem baixa alavancagem e operam num ambiente regulatório e fiscalizatório que é referência mundial.”
    – Ok. Nisso concordo, com ressalvas. O FGC já andou salvando uns baquinhos e financeiras nestes últimos dias.

    Argumento 3
    “Assim, a expansão do crédito no Brasil ocorre sob rigoroso monitoramento da autoridade monetária, que adota medidas macroprudenciais para coibir excessos.”
    Meia verdade. Houve expansão acelerada do crédito, algum colega bolhista já postou gráficos sobre a expansão monetária desde 2003. O FMI vêm alertando sobre isso em seus últimos relatórios.

    Argumento 4
    “Quanto aos imóveis, as altas de mais de 100% em algumas regiões metropolitanas, nos últimos três anos, refletem o forte crescimento da demanda -induzida pelo elevado grau de confiança dos consumidores, pela ascensão das classes C e D, pelos impactos das novas regras de financiamento imobiliário introduzidas pelo programa Minha Casa, Minha Vida-, que não encontrou devida resposta da oferta.
    Afinal, o setor imobiliário passou por quase 20 anos de letargia, com baixo investimento em mão de obra, produção de insumos e bancos de terrenos. Quando a demanda aflorou, a oferta não conseguiu evoluir no mesmo ritmo, e os preços subiram. Logo, são os fundamentos -e não a bolha- que explicam a alta dos preços das residências.”

    – Grau de confiança dos consumidores e empresários – em queda;
    – Classes C e D – renda mensal de R$ 1.300,00 a R$ 4.000,00 – aham. Impossível comprar os imóveis com preços atuais, com essa renda, conforme cálculso dos colegas bolhistas e o próprio simulador da Caixa.
    – Novas regras de financiamento – 30 anos, quase igual à da Bolha da Espanha (40 anos). Ajudou a fazer caber as parcelas no bolso. Agora é só rezar para China continuar crescendo, a crise da Europa acabar sem danos, termos céu de brigadeiro e inflação controlada, tudo pelos próximos 30 anos.
    – MCM”D” = “ley del suelo” da Espanha – Especulação e inflação dos terrenos disponíveis.
    20 anos de letargia: isso não é argumento. Quer dizer que os preços estavam dormindo e agora acordaram, como alguém disse. Então, a inflação também passou uns anos dormindo e já está acordando de novo.

    Argumento 5
    “Uma última consideração: a inadimplência dos consumidores está crescendo pouco mais de 20% neste ano. Mais um sinal de bolha, diriam alguns. Porém, se há bolha de crédito, a inadimplência sobe depois, e não antes do seu estouro. Na verdade, a alta da inadimplência em 2011 se deve à aceleração da inflação no início do ano. Nossos indicadores já apontam para uma estabilização da mesma.”
    – Essa eu quero esperar pra ver.

    0
    • Luiz 5 de outubro de 2011 at 16:50

      Argumento 2
      “Outra grande diferença: no Brasil, os bancos possuem baixa alavancagem e operam num ambiente regulatório e fiscalizatório que é referência mundial.”
      – Ok. Nisso concordo, com ressalvas. O FGC já andou salvando uns baquinhos e financeiras nestes últimos dias.

      Ok nada, quem aprova o “crédito” da casa própria é o corretor que grampeia meia duzia de xerox no espleho da compra, agindo contrário a legislação que regula a sua profissão e sem NENHUMA fiscalização. A merda só fede quando chega no gerente do Banco que vai prescrever o crédito (e não duvido nada muito gerentezinho aí se aliou com o corretor pra apressar a coisa, quem fiscaliza isso?)

      O panmericano explodiu como, excesso de fiscalização???

      0
      • Elias 5 de outubro de 2011 at 17:19

        Pessoal, descupem os erros de português. Escrever correndo dá nisso.

        Então Luiz, até onde sei o corretor analisa a papelada para a venda do imóvel na planta, pra ver se o comprador tem condições de arcar com as parcelas mensais, semestrais, etc. ref. aos 15% durante a construção.

        Mas nas chaves, quando é necessário pagar o restante (85% iniciais corrigidos pelo INCC), aí o comprador tem que bater na porta do banco. E o banco é bem mais criterioso.

        Se não for assim, por favor me explique como é então.

        0
        • Marco Antonio 5 de outubro de 2011 at 17:22

          Elias, é como citei anteriormente.

          Na hora da compra na plante, o banco ou a empresa que está analisando crédito olha o valor a ser financiado na entrega das chaves para aprovar.

          Depois de 3 anos, quando o imovel está pronto o comprador vai e usa ou o banco que financiou a obra ou qualquer outra financeira que ele preferir.

          0
        • Luiz 5 de outubro de 2011 at 17:37

          Elias, desculpa insistir, mas quem fiscaliza o corretor, senão a propria imobiliaria?
          NINGUEM

          pode até ser verdade que um ou outro age de forma correta, mas a grande verdade é que ninguém sabe o tamanho dessa encrenca.
          Bomba relógio, o recorde de lançamentos e vendas de 2009, 2010 vai explodir daqui 3 anos qdo o imovel estiver pronto pra ser financiado.

          E se o gerente da Box se mancomunou com o corretor? quem garante?

          No reclameaqui ponto com a gente descobre que financiaram até pra desempregado

          E o Panamericano tinha Deloite, BC e tudo o mais auditando e fiscalizando. Faliu como???

          0
      • Mori 5 de outubro de 2011 at 17:24

        Me corrijam se eu estiver errado, mas o foco de atuação no Panmericano era o crédito pessoal, zero de lastro e garantias e que dependem de muito mais controle para ganhar dinheiro, aliado a falta de um dono (do negócio, não o SS que já está gagá), liberando os diretores para raspar o tacho com suas participações no lucro exorbitantes – diria que este é um bom exemplo de subprime no Brasil… não acredito que os demais bancos (exceto Caixa e BB), mesmo diante do sinal verde do governo para entrarem na farra, precisem disso no Brasil para ganhar muito dindin… Emprestar dinheiro a 10% ao ano (mais taxa de administração, seguros e etc) geram muito lucro, afinal a fonte de financiamento atual não poderia ser mais segura: teto do rendimento de 7,5% a.a na poupança ou 5,5% a.a. no FGTS, além é claro da garantia do imóvel e de que o devedor ainda cobre a diferença em caso de leilão do imóvel não cobrir o empréstimo…

        0
  • Elias 5 de outubro de 2011 at 16:41

    Argumento 1
    “Para que essa “tempestade perfeita” se dê, entretanto, é preciso um combustível: a prevalência, por tempo razoável, de taxas reais de juros próximas de zero ou até negativas.”

    Alguém comentou que em 2008/2009 o BC baixou a Selic a a taxa real de juros ficou próxima de zero.

    0
    • MrK 5 de outubro de 2011 at 17:49

      exatamente cara, a taxa de juros q importa é sempre a real e não a nominal

      12% = nominal
      4,5% = real (descontado inflação oficial)

      e como falei, se for ver a inflaçao real, das ruas (alugueis, vestuário, supermercado) os juros reais té é em 0% !!!!

      lembre-se amigo Elias, que nas euforias os emprestadores ficam muito “corajosos” e comecam a dar crédito além do que deveriam, veja o crédito na planta das construtoras como é fácil de obter

      outra coisa que falei, esse cara é presidente do SERASA, voce acha que ele ia defender uma bolha de crédito?! claro que não, quanto mais crédito na rua, mais consultas, mais lucros pra ele.

      0
  • Jr. 5 de outubro de 2011 at 17:02

    Aluguel garantido ?

    São Paulo – A alta dos preços dos imóveis nos primeiros nove meses deste ano já alcança 21,3%, segundo o índice FipeZap. Para atrair investidores cada vez mais receosos sobre um possível exagero nos valores de venda, a incorporadora EZTEC, uma das maiores da cidade de São Paulo, decidiu fazer uma promoção em que garante aos compradores de 300 imóveis a renda correspondente ao aluguel durante o primeiro ano após a entrega das chaves. “A promoção permite que o investidor tenha uma folga enquanto procura um inquilino, já que nesse período é ele mesmo quem tem de arcar com os custos de condomínio e IPTU”, diz Emílio Fugazza, diretor Financeiro e de Relação com Investidores da EZTEC.

    Texto completo grande, indico o link: http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/imoveis-a-venda-tem-aluguel-garantido

    0
  • Marco Antonio 5 de outubro de 2011 at 17:20

    Sérgio,

    O que disse desde o começo é que acredito que não haverá um estouro como muito de vocês acreditam. Acho que os preços se estabilizarão.

    O trouxe em um dos meus primeiros posts é a situação que vive hoje a Lopes, como maior imobiliaria da America Latina. A empresa está num ritmo de lançamento de em média 3 empreendimentos por mês. Alguns como eu citei zeram, outros demoram mais a vender. O que está saindo de reportagem sobre a queda nas vendas de imóveis é comparado a 2 anos de vendas fora do normal. Concordamos todos, que nos ultimos 2 a 3 anos o mercado de imóveis disparou, seja no valor quanto no volume de venda. Isso não vai mais acontecer, é óbvio. O que antes estava mais facil de comprar agora está mais dificil, seja por valor, seja por incertezas com relação a nossa economia. O metro quadrado não vai mais subir desse jeito, é impraticavel. Agora o valor descer é outra história.

    Muitos falam sobre inadimplencia, mas na hora que você compra um imóvel na planta o banco ou a empresa que está fazendo a aprovação de crédito, olha a renda do comprador em relação ao valor que irá ser financiado na entrega das chaves, daqui a 3 anos e não o valor a ser pago durante a obra. O crédito brasileiro, por mais que esteja mais facil, ainda é muito dificil de se conseguir. Essa reportagem do site R7 é mentirosa. Quero ver quem com R$5.000 de renda que consegue uma aprovação de crédito de R$500.000,00…nunca.

    Trabalho lá dentro e pra aprovar uma unidade com valor total de R$300.000,00 o comprador tem que comprovar um rendimento de no minimo R$8.000,00. Senão esquece, não aprova!! E posso dizer com propriedade porque já tive cliente com renda menor que essa que não conseguiu comprar.

    Então é isso, acho que vocês tem que abrir mais espaço para opinioes diferentes das pessoas da maioria do blog e assim enriquecer o site.

    0
    • Jack Imóveis 5 de outubro de 2011 at 17:28

      Prezado Marco,

      Me perdoe discordar, conheço mais de 5 pessoas que compraram imóveis na planta com valores muito acima de sua capacidade de pagamento. 2, 3, 4 até 10 imóveis, só para revender antes das chaves. Você sabe que isso acontece e muito, principalmente com salas comerciais.

      Abraços

      Jack

      0
      • Marco Antonio 5 de outubro de 2011 at 17:31

        Jack, coloco minha mão no fogo pelo que eu to falando!! Construtoras grandes, que trabalham com grandes bancos para financiamento da obra não aprovam.

        O valor que você dá no periodo de obras não é o valor que eles utilizam como base para aprovacao da compra e sim o valor restante a ser financiado. Pode conferir essa informação nas imobiliarias, pelo menos nas grandes.

        0
        • Luiz 5 de outubro de 2011 at 17:40

          Elias, desculpa insistir, mas quem fiscaliza o corretor, senão a propria imobiliaria?
          NINGUEM

          pode até ser verdade que um ou outro age de forma correta, mas a grande verdade é que ninguém sabe o tamanho dessa encrenca.
          Bomba relógio, o recorde de lançamentos e vendas de 2009, 2010 vai explodir daqui 3 anos qdo o imovel estiver pronto pra ser financiado.

          E se o gerente da Box se mancomunou com o corretor? quem garante?

          No reclameaqui ponto com a gente descobre que financiaram até pra desempregado

          E o Panamericano tinha Deloite, BC e tudo o mais auditando e fiscalizando. Faliu como???

          A garantia soy jo
          Mesmo que 1 fale a verdade e faça certo, e o resto?

          0
        • Jack Imóveis 5 de outubro de 2011 at 18:05

          Vai queimar.

          Eles não analisam nada. tenho exemplos de:

          – pessoas com 10 imóveis comprados na planta
          – pessoas sem renda que compraram na planta

          Abraços

          Jack

          0
    • Sérgio 5 de outubro de 2011 at 17:41

      Marco, por favor, não fale, não indique: prove. Aqui, como te disse, as pessoas – acertadamente – irão refutar tudo oque disser e não provar.
      Um exemplo é o dito acima pelo Jack!
      Outro: como já dito anteriormente, sou servidor federal, tenho renda de 8k, sendo 6k líquidos. Não posso financiar nada acima de 190k; com 190k eu to f…. para comprar imóvel. Logo, é preferível morar de aluguel, pagando 0,8 K num imóvel que o dono tenta vender por 350K, de 100 m2 no centro de Cascavel PR. Estou de retorno (remoção) para Volta Redonda RJ, já tendo certo que morarei de aluguel, por volta de 1k, num imóvel (lá) que está há mese sendo vendida por 480K. Isso é fato, mexe com minhas finanças.
      Agora, afirmar “coisas” que não podem ser apreciadas por todos – e esperar serem acreditadas é querer muito.
      Apresente fatos e reafirmo, pela democracia que se tem mostrado aqui, a sua bem vinda presença, e até necessária.
      By… vou pagar o aluguel, pois, último dia (Imobiliária Lokatel em Cascavel, para quem quiser ver – e rir)

      0
      • Marco Antonio 5 de outubro de 2011 at 17:47

        O que você precisa que eu prove do que eu falei? Que as construtoras na hora de comprar um apartamento na planta analisam o credito com base no valor que será financiado? Isso é o que é feito. É só você entrar em contato com alguma imobiliaria de lançamentos e perguntar. Ai no Rio tem Lopes também, facil facil você consegue confirmar essa informação.

        Mais uma vez, pergunto nesse caso, porque estaria mentindo sobre um procedimento adotado por quase todas as incorporadoras e imobiliarias.

        0
        • Luiz 5 de outubro de 2011 at 17:53

          Esta mesma pessoa “ficha limpa” pode ter a compra aprovada em 2, 3, 4 ou mil unidades diferentes.

          Simplesmente pq não existe um banco de dados único.

          Só um simples exemplo de como o sistema pode ser fraudado.

          No BR “pode ser fraudado” quer dizer que vai acontecer.

          E memso que hoje seja assim, não quer dizer que ontem foi assim.

          Uma verdade parcial pode ser mais danosa que uma mentira completa

          0
        • Sérgio 5 de outubro de 2011 at 19:03

          Como disse anteriormente, não estou no Rio e sim no Paraná.
          Sobre a compra na planta, um colega de trabalho – concursado também, e que ganha 1k a menos que eu, ou seja, 5k líquido (novinho), comprou uma sobrado na planta (de terceiro) por 230K, já morando há 05 meses. Até hoje o banco não aprovou o crédito, mas está “tentando” dar um jeito. O cara, que era para ser inteligente (pois é concursado em cargo muito concorrido) deu quase 30k para o dono anterior, mais 12K para construtora. Não quis desiludí-lo, apesar de ter tentado, mas ele crê que já tenha lucrado 80K, pois, que outros imóveis (muitos) próximos ao seu sobrado, aqui em Cascavel PR, e bem menores e menos atrativos, estão sendo vendidos (anunciados) a 280K: o cara, sem nenhum fundamento crível, precificou o dele em 350K.
          Duas situações imediatas vão se apresentar: ou esse meu camarada vai levar um preju de 40K ou o banco vai aprovar seu crédito através de algum artifício. O mais provável é que o banco aprove, pois, que o gerente dele liga frequentemente para solicitar uma ou outra atitude dele, que desconheço.
          Conclui-se, portanto, que é pratica “brasileira” o jeitinho para se aprovar o que era para ser impossível.
          Sobre o apresentar provas; ou apresente algum documento de sua imobiliária, o que não creio que vá acontecer, ou cite alguma fonte observável por todos: isso é condição para se ganhar credibilidade.

          0
          • DRN 6 de outubro de 2011 at 14:45

            Aprovação em concurso público, por mais concorrido que seja, não é sinal de inteligência. Na maioria das vezes, é sinal de boa memória.

            0
  • Sérgio 5 de outubro de 2011 at 17:29

    Em Wall Street não se veem apenas economistas, administradores, mágicos, falsários, advogados, políticos e ladrões: há muitos outros especialistas, inclusive físicos e químicos.
    .
    Lei de conservação de massa: na natureza nada se cria, nada se perde: tudo se transforma! Já afirmava Lavoisier.
    Em economia não é diferente. O crédito criado hoje, deverá (convém) se transforma em riqueza FUTURA. Caso algum passo do processo não se concretize, como previsto pelos “engenheiros financeiros”, o estado natural das coisas deverá (condição) voltar ao normal – ou outra situação que respeite a conservação de “massa”. Ou seja, se o crédito criado hoje, não cumprir todos seus processos (ser pago), a riqueza gerada por ele tenderá a retornar ao estado original.
    O palácio Imperial japonês, seu valor comercial, já não compra nem um milésimo de um teórico valor da California; Alguns bancos de investimento americanos, que valiam dezenas de bilhões foram comprados por valores simbólicos; a FIAT (do 147 dos anos 70 e 80) comprou a Chrysler; a Encol virou fumaça e se viaja de avião por menos de 100 reais.
    .
    Tudo volta ao seu estado original – e ACEITO.
    .
    Não se corre atrás de galinha dentro do próprio quintal: ela vem comer na sua mão, hora ou outra.
    .
    Portanto, aguardemos, gargalhemos e postemos.

    0
    • Duda 5 de outubro de 2011 at 17:37

      O principal problema, é que o dinheiro se pode criar e destruir, a vontade. E isso que fazem os bancos centrais todos os dias das suas vidas. E o dinheiro virtual, que só existe como digitos em computadores, nem precisa de bancos centrais para ser criado e destruído. Quando as bolhas estouram, o dinheiro, simplesmente, desaparece… Veremos isso em pouco tempo, concordo com Vc. Abs

      0
  • Marco Antonio 5 de outubro de 2011 at 17:35

    Sabe o que eu não entendo de verdade e gostaria de resposta de alguns de vocês?

    O porque do gargalhemos? Aonde uma economia gerar uma bolha e explodir pode ser engraçado? Vão se gerar mais empregos, ou familias perderão seu sustento, as pessoas vão parar de comprar, fazendo o pais para de crescer.

    Gostaria que alguém me elucidasse

    0
    • Duda 5 de outubro de 2011 at 17:44

      Meu ponto de vista: o atual esquema de negocios, favorece a empresas construtoras, bancos, imobiliarias, politicos, governo, corretores incompetentes e “se achando”, fazendo sentir pobre todo o resto da população, deixando a grande maioria sem concretizar sonhos, ou se endividando pelo resto da vida. Por isso quando a bolha estourar, a grande maioria da população deixará de se sentir pobre (deixará de ser pobre, na realidade). Em particular, eu vou dar gargalhadas do pessoal que mencionei no começo, que ainda vivendo nesta situação surreal, insistem que não existe bolha, e que tudo está “normal”. Lembre que a culpa da bolha não é nossa, e deles: infelizmente o estouro é doloroso pois gera desemprego também. Podería ter sido evitado se tivessem escutado pessoas que alertaram, como nos aquí no site. Mas não o fizeram.

      0
    • Luiz 5 de outubro de 2011 at 17:46

      Marco antonio, na boa, o car aescreveu 30 linhas geniais, a explicaçãod a bolha pelos físicos e vc pega a ultima palavra pra encher o saco, porra meu. Não tem mais nada pra comentar, a não ser o aspecto pessoal/emocional ?

      0
    • Jack Imóveis 5 de outubro de 2011 at 17:49

      Marco,

      Você não pode beber muito e acordar bem no dia seguinte. A ressaca é necessária. Pode ser engraçado para alguns, para mim não é.

      Mas que ela vem. Vem!

      Ps: Não bote sua mão no fogo. As construturas e a sua imobiliária fizeram vendas absolutamente irresponsáveis.

      Abraços

      0
  • Marco Antonio 5 de outubro de 2011 at 17:51

    Duda, já comentaram que se a bolha realmente existir, não há nada que você do lado dos que defendem que existe nem eu do lado dos que defendem que não possa fazer.

    Mas mais uma vez você está culpando o corretor que nada tem a ver com a alta dos preços. Digo novamente, não existem medicos incompetentes? E advogados que agem de ma fé? Pelo amor de deus tem de monte. Agora você falar que todos da categoria são incompetentes é um pouco de ignorancia, você não acha?

    0
    • Jack Imóveis 5 de outubro de 2011 at 17:55

      Marco,

      Infelizmente para sua categoria isso é uma realidade. Por causa do estouro da procura por imóveis novos as corretoras e as construtoras adotaram uma postura absolutamente arrogante. Dos poucos corretores que tive contato nos últimos anos, nenhum se salva. Talvez vc seja diferente, mas infelizmente não é a regra.

      Vou te compartilhar uma frase que ouvi quando tentei adiantar umas parcelas de um imóvel que eu comprei:

      “Não precisamos do seu dinheiro”

      Abraços
      Jack

      0
    • Luiz 5 de outubro de 2011 at 17:57

      Ah Marco Antonio

      Vc quer comparar a fiscalização do CRM dos médicos com a fisclaização do CRECI?

      Pra que todos saibam a do CRM o fiscal chega a entrar no seu consultório, mexe nos papéis da pessoa.

      Vc mesmo garantiu 5x de rendimento em 20 anos.
      Se vc fosse fiscalizado pela CVM, vc teria perdido o seu CRECI ontem.

      0
      • DRN 6 de outubro de 2011 at 14:48

        O Marco Antonio tem registro no CRECI?

        0
    • Duda 6 de outubro de 2011 at 08:55

      Os corretores incompetentes e debochados são apenas um dos atores que mencionei. E não podem baixo nenhum ponto de vista ser comparados com Engenheiros, Medicos ou Advogados, que tem estudado 5 ou 6 anos de faculdade para serem chamados de tais. Mas são esses corretores, os que mais irritam o povo, mesmo sendo uns coitados que deixaram de fazer algo (tal vez, ate algo produtivo) atraídos pelo canto de sereia do dinheiro facil. Dinheiro que não estão vendo, pois não estão vendendo…

      0
  • MrK 5 de outubro de 2011 at 17:57

    Marco Antonio, infelizmente voce nao respondeu nenhum dos meus comentários direcionados a voce no post anterior, gostaria dos seus pontos:

    – Sobre o que voce cita como futura estabilização dos preços e não queda:

    Com a constatação de todos dos preços sem fortes subidas (como 2010) daqui pra frente, haverá a saída evidente dos investidores de curto prazo (já comecaram a sair inclusive), com isso vai-se um pedaço muito grande da demanda, pedaço esse que constribuiu muito pra disparada dos preços nas plantas (muitos lancamentos eram vendidos pra especuladores), com esse pedaco grande da demanda indo embora, é simplesmente impossível (por economia basica) preços manterem no mesmo patamar, voce diz que não, que vão manter ainda assim ou subir devagar, Gostaria de entender então:

    Quando os especuladores entram forte, os preços disparam 150%
    Quando os mesmos especuladores saem e vendem, os preços mantém ou sobem levemente

    É isso?

    Desculpe-me, vou ser educado, mas isso não faz qualquer sentido.

    0
    • Luiz 5 de outubro de 2011 at 18:08

      nem vai responder MRK
      não seja ingenuo,

      eles só estão aqui pq o site adquiriu fama, querem desmoralziar,

      metralhadora giratória
      todas as mentiras reptidas mil vezes
      vão falar merdas até cansar vcs
      depois vão se dar por vitoriosos

      0
      • Luiz 5 de outubro de 2011 at 18:09

        ou vc pensa que els se preocupam com o bem da humanidade,
        com a melhoria do conhecimento
        estão aqui com um unico objetivo: seek and destroy
        vc ainda vai sentir saudades do André

        0
      • mlc 5 de outubro de 2011 at 23:12

        Parece que o nosso amigo está aqui tentando evitar que uma profecia autorrealizável. Mas, isto não é nada mais, nada menos do que uma questão matemática.

        Tentar defender a visão de que não há bolha não vai impedir de que ela aconteça (estoure).

        0
    • Pensativo 5 de outubro de 2011 at 18:32

      MRK,
      a resposta para a sua pergunta é simples: os preços se manterão nas alturas por levitação.
      😀

      0
      • Luiz 5 de outubro de 2011 at 18:34

        isso
        leva a escada embora e o pintor fica pendurado pela brocha

        0
    • Carlos Eduardo 6 de outubro de 2011 at 01:19

      ENGRAÇADO VER QUE O SITE DA BOLHA É TÃO VISITADO ULTIMAMENTE POR

      PESSOAS QUE NÃO ACREDITAM NA BOLHA IMOBILIÁRIA.

      ESTÃO NEGANDO FAZ UNS MESSES JÁ, NA TV, JORNAIS, DISCURSOS POLÍTICOS, AGORA ENTRAM AQUI! rs

      QUEDA DE VENDA DE IMOVEIS É ATRIBUÍDA A CRISE, QUE SURGIU COM BOLHA DE IMOVEIS EM OUTROS PAÍSES…

      OQUE DIZER NÉ!!! CADA UM ACREDITA NO QUE QUISER.

      0
  • Marco Antonio 5 de outubro de 2011 at 18:08

    Discordo totalmente Jack.

    A coisa mais ignorante que uma pessoa faz é generalizar um fato. Esse tipo de pensamento gerou guerras e mais guerras em toda a história. Nações inteiras entraram em conflito e milhares de pessoas morrerar por conta da generalização. O que uma pessoa ou categoria no caso fez para você não é regra.

    Mrk,

    O preço em SP ou nas grandes capitais estava totalmente fora da realidade das grandes metropoles mundiais. Não quero ser repetitivo, porque já vi isso inumeras vezes, mas o valor do metro ficou estagnado durante anos. Isso alguém discorda? O valor do metro sim, subiu rapido, mas ia subir nesse patamar de qualquer maneira, seja na velocidade que subiu ou chegando proximo a copa do mundo!! O Brasil mudou seu patamar financeiro de uns anos pra cá, hoje o país é a bola da vez. Grandes empresas multinacionais estão transferindo suas produções para o pais, como a Apple, a Microsoft e outras que agora me falham. O investimentos estão cada vez maior.

    Concordo plenamente com você que o mercado imobiliario não vai continuar nesse gás todo, isso é obvio, não consegue se revender a curto prazo como se fazia até o ano passado. Mas as pessoas sempre vão precisar de um lugar para morar.

    0
    • Luiz 5 de outubro de 2011 at 18:11

      Como vencer um debate (sem ter razão)

      Dedicado ao Marco Antonio

      Publicado 5 de fev de 2009
      Escrito por Kentaro Mori
      Discussão 13 Comentários
      Categorias ceticismo

      “A arte de discutir, e discutir de forma a vencer um debate, quer se esteja certo ou errado, por meios lícitos ou ilícitos. Um homem pode estar objetivamente certo, e ainda assim aos olhos de espectadores, e por vezes a seu próprio ver, parecer estar errado”.

      É assim que o filósofo alemão Arthur Schopenhauer (1788-1860) introduz “A Arte da Controvérsia”, onde detalha exatamente as táticas e em sua maior parte as falácias pelas quais se pode vencer um debate “quer se esteja certo ou errado, por meios lícitos ou ilícitos”.

      A obra completa, em alemão e inglês, está disponível na íntegra na rede, mas circula também uma lista resumida de “38 maneiras de vencer uma discussão” baseada na obra de Schopenhauer e que deve ser muito esclarecedora.

      Reproduzimos a lista traduzida das páginas de Bertoldo Schneider Jr. na continuação.

      Nº 1. Leve a proposição do seu oponente além dos seus limites naturais; exagere-a. Quanto mais geral a declaração do seu oponente se torna, mais objeções você pode encontrar contra ela. Quanto mais restritas as suas próprias proposições permanecem, mais fáceis elas são de defender.

      Nº 2. Use significados diferentes das palavras do seu oponente para refutar a argumentação dele. Exemplo: a pessoa A diz: “Você não entende os mistérios da filosofia de Kant”. A pessoa B replica: “Ah, se é de mistérios que estamos falando, não tenho como participar dessa conversa”.

      Nº 3. Ignore a proposição do seu oponente, destinada a referir-se a alguma coisa em particular. Ao invés disso, compreenda-a num sentido muito diverso, e em seguida refute-a. Ataque algo diferente do que foi dito.

      Nº 4. Oculte a sua conclusão do seu oponente até o último momento. Semeie suas premissas aqui e ali durante a conversa. Faça com que o seu oponente concorde com elas em nenhuma ordem definida. Por essa rota oblíqua você oculta o seu objetivo até que tenha obtido do oponente todas as admissões necessárias para atingir o seu objetivo.

      Nº 5. Use as crenças do seu oponente contra ele. Se o seu oponente recusa-se a aceitar as suas premissas, use as próprias premissas dele em seu favor. Por exemplo, se o seu oponente é membro de uma organização ou seita religiosa a que você não pertence, você pode empregar as opiniões declaradas desse grupo contra o oponente.

      Nº 6. Deixe a questão confusa mudando as palavras do seu oponente ou aquilo que ele está procurando provar. Chame uma coisa por um nome diferente: diga “boa reputação” ao invés de “honra”, “virtude” ao invés de “virgindade”, “animais de sangue quente” ao invés de “vertebrados”.

      Nº 7. Declare a sua proposição e demonstre a verdade dela fazendo ao oponente uma longa lista de perguntas. Fazendo muitas perguntas abrangentes ao mesmo tempo, você pode ocultar aquilo que está tentando fazer com que o seu oponente admita. Você em seguida avança o argumento a partir de uma admissão do oponente.

      Nº 8. Deixe o seu oponente furioso. Uma pessoa enfurecida é menos capaz de usar o seu julgamento ou de perceber onde residem as suas vantagens.

      Nº 9. Use as respostas que o seu oponente dá à sua pergunta de modo a alcançar conclusões diferentes ou opostas.

      Nº 10. Se o seu oponente responde a todas as suas perguntas negativamente e recusa-se a ceder em qualquer ponto, peça que ele concorde com a versão oposta das suas premissas. Isso pode confundir o seu oponente quanto ao ponto em particular a respeito do qual você está tentando fazer com que ele ceda. Pois a natureza humana é tal que, se “A” e “B” estão refletindo em conjunto, e comunicando as suas opiniões um ao outro a respeito de qualquer assunto, e “A” percebe que os pensamentos de “B” sobre o mesmo assunto não são os mesmos que os seus, ele não começa revisando o seu próprio processo de raciocínio, a fim de descobrir qualquer erro que possa ter cometido, mas pressupõe que o erro tenha ocorrido no raciocínio de “B”.

      Nº 11. Se o seu oponente admite a verdade de algumas de suas premissas, abstenha-se de pedir que ele concorde com a sua conclusão. Mais tarde introduza suas conclusões na conversa como coisa resolvida ou admitida por ele. O seu oponente e outros na assistência poderão ser levados a acreditar que foi de fato com a sua conclusão que ele concordou.

      Nº 12. Se o argumento move-se para o terreno de idéias gerais que não têm nomes particulares, você deve usar uma linguagem ou metáfora que seja favorável à sua proposição. Exemplo: O que uma pessoa imparcial chamaria de “fé pessoal” ou “opção religiosa” é descrito pelo seu partidário como “santidade” ou “devoção”, e pelo seu oponente como “preconceito” ou “superstição”.

      Nº 13. A fim de fazer com que o seu oponente aceite a sua proposição, apresente também uma contra-proposição oposta. Se o contraste for acentuado, seu oponente acabará aceitando a sua proposição para evitar parecer controverso. Exemplo: Se você quer que ele admita que um rapaz deve fazer absolutamente qualquer coisa que o seu pai manda que ele faça, pergunte se o seu adversário acredita que “devemos em tudo desobedecer aos nossos pais”. É como colocar o cinza ao lado do preto e chamá-lo de branco, ou colocar o cinza perto do branco e chamá-lo de preto.

      Nº 14. Tente lograr o seu oponente. Se ele respondeu diversas de suas perguntas sem que as respostas inclinem-se em favor da sua conclusão, avance a sua conclusão triunfantemente, mesmo se não procede. Se o seu oponente for tímido ou estúpido, e se você possuir uma grande dose de descaramento e uma boa voz, essa técnica pode funcionar.

      Nº 15. Se você quer apresentar uma proposição que é difícil de provar, coloque-a de lado por um momento. Ao invés disso, peça que o seu oponente aceite ou rejeite alguma proposição verdadeira, como se fosse através disso que você fosse extrair a sua prova. Se o seu oponente rejeitá-la suspeitando de alguma armadilha, você obtém o seu triunfo demonstrando o quão absurdo é o seu oponente rejeitar uma proposição que é obviamente verdadeira. Se o seu oponente aceitá-la, a razão permanece com você pelo momento. Você pode então ou tentar demonstrar a sua proposição original ou, como no Nº 14, agir como se a sua proposição original tivesse sido provada pelo que o seu oponente admitiu. Essa técnica requer um grau extremo de descaramento para que funcione, mas a experiência já comprovou inúmeras vezes a sua eficácia. A Controvérsia Dialética é a arte de debater, e debater de modo a sair por cima, quer você esteja certo ou não.

      Nº 16. Quando o seu oponente apresenta uma proposição, considere-a inconsistente com as declarações, crenças, ações ou omissões do oponente. Exemplo: Se o seu oponente defende o suicídio, pergunte imediatamente: “Então porque você não se enforca?” Se ele observar que a sua cidade não é um lugar bom para se viver, pergunte: “Então por que você não parte no primeiro avião?”

      Nº 17. Se o seu oponente pressioná-lo com uma evidência contrária, você pode com freqüência safar-se defendendo alguma distinção sutil. Tente encontrar algum significado subjacente ou ambigüidade na idéia do seu oponente.

      Nº 18. Se o seu oponente abriu uma linha de argumentação que acabará levando inevitavelmente à sua derrota, não permita que ele a leve até a sua conclusão. Interrompa o debate, retire-se imediatamente ou leve o seu oponente a mudar de assunto.

      Nº 19. Se o seu oponente desafiá-lo expressamente a apresentar uma objeção a algum ponto definido da sua argumentação e você não tem mais nada a dizer, tente fazer o argumento dele menos específico. Exemplo: Se ele pedir algum motivo pelo qual determinada hipótese não deva ser aceita, fale da falibilidade do conhecimento humano e ilustre com vários exemplos.

      Nº 20. Se o seu oponente aceitou todas ou a maior parte das suas premissas, não peça que ele concorde diretamente com a sua conclusão. Ao contrário, exponha a conclusão você mesmo como se ela também tivesse sido admitida. Uma pessoa pode estar objetivamente com a razão, e mesmo assim sair por baixo na opinião dos observadores (e algumas vezes na sua própria opinião). Por exemplo, suponha que eu apresente uma prova para demonstrar uma afirmação minha. Se o meu adversário refutar a prova, dará a impressão de estar refutando também a afirmaç
      ão – para a qual podem, no entanto, haver outras provas. Nesse caso, é claro, meu adversário e eu trocamos de posição: ele sai por cima quando, na verdade, está errado.

      Nº 21. Quando o seu oponente utilizar um argumento superficial e você enxergar essa falsidade, refute-o estabelecendo a natureza superficial desse argumento. Melhor ainda é rebater o oponente com um contra-argumento tão superficial quanto o dele, só para vencê-lo – afinal de contas é em ganhar que você está interessado, não na verdade. Exemplo: Se o seu oponente apelar para o preconceito, para a emoção ou para ataques pessoais, devolva o ataque na mesma moeda.

      Nº 22. Se o seu oponente pedir que você admita alguma coisa a partir da qual o ponto em discussão pode ser concluído, recuse-se a fazê-lo, declarando que ele incorre em petição de princípio.

      Nº 23. Contradição e contenciosidade irritam a pessoa de modo a fazê-la exagerar suas declarações. Contradizer o seu oponente pode levá-lo a estender a sua declaração além dos limites, e quando você contradiz essa manifestação exagerada parece estar refutando a declaração original. Do modo correspondente, se o seu oponente tentar estender a sua própria declaração mais do que você tencionou, redefina os limites da sua declaração e afirme: “foi isso que eu disse, e não mais do que isso”.

      Nº 24. Recorra a um falso silogismo (Silogismo: A=B e B=C, então A=C). Seu oponente faz uma declaração, e você por falsa inferência e distorção das idéias dele extrai à força proposições não-tencionadas e absurdas da afirmação original. Fica parecendo assim que a proposição do seu oponente trouxe à luz essas inconsistências, restando a impressão de que ela mesma foi indiretamente refutada.

      Nº 25. Se o seu oponente está fazendo uma generalização, encontre uma instância que demonstre o contrário. Basta uma contradição válida para derrubar a proposição do seu oponente. Exemplo: “Todos os ruminantes tem chifres” é generalização que pode ser subvertida pela instância única do camelo. [esta é uma ferramenta honesta. BSJ]

      Nº 26. Uma manobra brilhante é virar a mesa e utilizar os argumentos do seu oponente contra ele mesmo. Exemplo: Seu oponente declara: “fulano é ainda uma criança, você deve fazer-lhe uma concessão”. Você retruca: “justamente porque ele é criança devo corrigi-lo, caso contrário ele persistirá em seus maus hábitos”.

      Nº 27. Se o seu oponente surpreender você ficando particularmente indignado diante de um argumento seu, insista nesse argumento com ainda maior zelo. Isso não apenas deixará o seu oponente furioso, mas vai deixar a impressão de que você tocou um ponto frágil na argumentação dele, e de que seu oponente está mais suscetível a um ataque no que diz respeito a esse ponto do que você esperava.

      Nº 28. Quando a audiência consistir de indivíduos (ou uma pessoa) que não sejam autoridade no assunto, você pode levantar uma objeção inválida e o seu oponente parecerá ter sido derrotado aos olhos da sua audiência. Esta estratégia é particularmente efetiva quando a sua objeção faz o seu oponente parecer ridículo, ou quando a audiência ri. Se o seu oponente tiver de fazer uma longa, prolixa e complicada explicação para corrigi-lo, a audiência não estará disposta a ouvi-lo.

      Nº 29. Se você perceber que está sendo vencido na argumentação, crie uma diversão – isto é, comece de repente a falar sobre outra coisa, como se isso tivesse importância na matéria em questão. Isso pode ser feito sem medo se a diversão mostrar ter alguma relação mesmo que genérica com a questão.

      Nº 30. Apele para a autoridade ao invés de para a razão. Se o seu oponente respeita determinada autoridade ou especialista, cite essa autoridade para avançar o seu argumento. Se necessário, cite o que essa autoridade disse em outro sentido ou circunstância. Autoridades que o seu oponente não chegou a entender são em geral às que ele admira mais [são?]. Você pode, se necessário, não apenas distorcer as autoridades citadas em seu favor, mas também falsificá-las, citando algo inteiramente inventado por você. Falam sem pensar, e mesmo que depois percebam que estão errados, querem parecer o contrário. O interesse da verdade dá lugar aos interesses da vaidade: assim, por causa da vaidade, o que é verdadeiro deve parecer falso, e o falso verdadeiro.

      Nº 31. Se sabe não ter uma resposta para os argumentos apresentados pelo seu oponente, você pode num golpe de ironia declarar-se um juiz incompetente. Exemplo: “O que você diz ultrapassa os meus pobres poderes de compreensão. Pode muito bem ser verdade, mas não sou capaz de entender, por isso abstenho-me de expressar qualquer opinião sobre o assunto”. Desta maneira você insinua à sua audiência, diante da qual permanece com uma boa imagem, de que o que seu oponente está dizendo é um contra-senso.

      Nº 32. Um método rápido de livrar-se da declaração de um oponente, ou de colocá-la sob suspeita, é classificá-la debaixo de uma categoria odiosa. Exemplo: Você pode dizer: “Isso é fascismo”, ou “ateísmo”, ou “nazismo”, ou “superstição”. Fazendo essa objeção você está pressupondo tacitamente que: 1) a declaração em questão é idêntica à categoria mencionada ou está pelo menos contida nela; e 2) o sistema mencionado foi inteiramente rejeitado pela presente audiência.

      Nº 33. Admita as premissas do seu oponente mas negue a sua conclusão. Exemplo: “Isso é muito bom na teoria, mas na prática não funciona”. [não é necessariamente desonesto… só o é se a conclusão realmente for procedente]

      Nº 34. Se você apresenta uma pergunta ou um argumento e seu oponente não lhe dá uma resposta direta, contorna-os com outra pergunta ou tenta mudar de assunto, é sinal claro de que você atingiu um ponto fraco, por vezes de forma não intencional. Você, por assim dizer, reduziu seu oponente ao silêncio. Insista, portanto, ainda mais no ponto em questão, e não deixe que seu oponente o evite, mesmo quando você não sabe ainda em que consiste a fraqueza que acaba de descobrir. Ao seguirmos estas regras com esta finalidade, não devemos nos preocupar em qualquer sentido com a verdade objetiva, porque normalmente não sabemos onde está a verdade.

      Nº 35. Ao invés de concentrar-se no intelecto do seu oponente ou no rigor de seus argumentos, concentre-se nos motivos dele. Se você conseguir fazer com que a opinião do seu oponente, caso se mostre verdadeira, pareça distintamente prejudicial ao seu próprio interesse, ele a abandonará imediatamente. Exemplo: Um clérigo está defendendo algum dogma filosófico. Demonstre que sua proposição contradiz alguma doutrina fundamental da sua igreja, e ele se verá forçado a abandonar o argumento. [não necessariamente desonesta]

      Nº 36. Você pode também confundir e desconcertar seu oponente através de grandiloqüência pura e simples. Se seu adversário é fraco ou se não deseja aparentar não ter idéia sobre o que está falando, você pode impor facilmente sobre ele algum argumento que pareça profundo e erudito, ou soe como inquestionável.

      Nº 37. Se seu oponente estiver certo mas, felizmente para você, apresentar uma prova deficiente, você pode com facilidade refutar a prova e em seguida alegar que refutou a posição inteira. É dessa forma que maus advogados perdem boas causas. Se seu oponente for incapaz de produzir uma prova irrefutável, você ganhou o dia.

      Nº 38. Parta para o ataque pessoal, insultando grosseiramente, tão logo perceba que seu oponente está com a vantagem. Pa rtindo para o ataque pessoal você abandona o assunto por completo, passando a concentrar o seu ataque na pessoa, fazendo uso de observações ofensivas e malevolentes. Esta é uma técnica muito popular, porque requer pouca habilidade para ser colocada em prática.

      0
      • Sérgio 5 de outubro de 2011 at 19:18

        Pô… Aí…. MBA de 30 MIL reais pra quê?
        .
        Só tem bam bam aqui… e de graça…. só não têm casas… he he he. Mas tudo bem… he he he… eu tbem não tenho.
        Sobre a gargalhada no estouro, não é maldade contra um país ou seu povo, é por causa de sua credulidade e da insensatez de quem diz que 400K é um preço justo para um imóvel de 150K. É um riso mordaz, com o canto da boca, quase indisfarçavel, ou uma satisfação quase egoísta (admito) ante um interlocutor dono de um imóvel estourado.

        0
      • Platao 5 de outubro de 2011 at 23:05

        sensacional…gostei disso…haha, boa Luiz

        0
      • Carcará 6 de outubro de 2011 at 08:41

        Luiz,
        só defendendo Herr Schopenhauer. Em Die Kuns rechts zu behalten, Schopenhauer disse que as pessoas discutem não para descobrir a verdade (não esquecendo do que Nietzsche falou sobre ela), mas para defender suas vaidades, nesse particular conhecida como ponto de vista.

        Abraços.

        0
    • Samuel 5 de outubro de 2011 at 18:15

      Prezado Marcos,

      Basicamente o senhor afirma que temos um mercado consumidor (com capacidade) para comprar imóveis a este valor?

      0
      • DRN 6 de outubro de 2011 at 14:51

        E além disso, cita a Copa do Mundo como fator de valorização.

        Genial: o que o c_ tem a ver com as calças?

        0
    • Fernando 5 de outubro de 2011 at 18:15

      Marco, vc fugiu do foco.

      Uma parte imensa do dinheiro que ajudou os preços do mercado imobiliário a subir, são provenientes de especulação estrangeira.
      Por favor me explique, como se eu tivesse 05 anos, como vai ser possível, após o preço dos imoveis estabilizarem e, portanto, nao serem mais um investimento atrativo para esses especuladores e eles retirarem a grana do mercado imobiliario, que os preços se mantenham no mesmo patamar ou ate com leve tendencia de subida.

      Obrigado

      0
      • Fernando 5 de outubro de 2011 at 18:19

        Ahj, e por favor, não utilize o argumento de que “os imoveis sempre sobem”. Cara, isso NÃO É VERDADE! A historia ja nos deu um sem número de exemplos praticos e reais a respeito.

        0
        • Fernando 5 de outubro de 2011 at 18:41

          Acabou de passar uma bola de feno aqui. E estou escutando grilos.
          E a resposta ainda nao veio.

          0
    • Jack Imóveis 5 de outubro de 2011 at 18:16

      Marco Antonio,

      Acho que você não entendeu. Vou deixar claro.

      1. Todos os corretores com quem tive contato foram arrogantes (inclusive vc e seus colegas da lopes)
      2. Todas as construtoras com quem tive contato foram arrogantes.

      Precisa desenhar?

      0
    • Kassia 5 de outubro de 2011 at 20:34

      Marco Antônio, concordo inteiramente com suas colocações, sempre muito claras e objetivas, além de fundamentadas em fatos. O fato de os preços estarem nos níveis atuais só colocou o Brasil no nível internacional. E digo mais, os preços têm espaço adicional para subir, pois maiores reduções de taxas de juros estão no horizonte, e, menos juros significa maiores preços de imóveis.

      Acredito que estabilização de preços de imóveis no Brasil só mesmo depois de 2016. Até lá teremos mais valorizações.

      O Brasil mudou de patamar, e, evidentemente, os preços também mudaram.

      Quero dizer que comprei recentemente um imóvel da Lopes em SP e fiquei muito satisfeita.

      0
      • Paulo Rocha 5 de outubro de 2011 at 21:14

        É realmente faz todo o sentido os preço de imóveis no Brasil estarem no mesmo nível que em outros países desenvolvidos. Especialmente levando em consideração a renda per capita entre diversos países. Como sabemos a nova classe média projetou o Brasil lá na frente! Agora em ordem decrescente de renta per capita estamos na 76 posição!

        Dalhe Lula, dalhe Dilminha querida!

        en.wikipedia.org/wiki/List_of_countries_by_GDP_(PPP)_per_capita

        0
        • MrK 5 de outubro de 2011 at 21:53

          Paulo, essa daí veio trazida pelo marco, veio fazer coro

          da uma olhada no blog dela (clicando no nome), um blog que é uma concha de retalhos pró-mercado imobiliario

          pois é, o desespero tá mesmo grande, esse sim “mudou de patamar”

          0
          • Marcelo 5 de outubro de 2011 at 23:03

            Ou seja, ha deficit no blog, ou melhor, DOIS.

            0
          • Paulo Rocha 6 de outubro de 2011 at 02:50

            É eu percebi: “Same shit, different wrapping!”

            0
      • Annibal 5 de outubro de 2011 at 22:37

        Putz Kassia,

        Eu sou bastante paciente e tento sempre observar o lado de quem esta argumentando, mas, atualmente, não me lembro de ter ouvido tanta merda junta…. exceto pelo pessoal do SECOVI…rsrsrs

        PS – Uma pena o falecimento de Steves Jobs, o cara era genial… o twitter estava fora do ar de tantos posts…

        0
      • Marcelo 5 de outubro de 2011 at 23:12

        Quando você percebe que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos mais pelo suborno e influência do que pelo trabalho e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que ficam protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada e a honestidade se converte em auto-sacrifício, então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada!”

        Frase da filósofa russo-americana Ayn Rand (judia, fugitiva da revolução russa, que chegou aos EUA na metade da década de 1920).

        Mais informações »
        Postado por Kássia Tavares às 09:10 0 comentários
        Marcadores: Economia, Economia-Politica, governodilma, Socialismo

        Contradicao demais, fala uma coisa, pensa outra?

        0
      • Q 6 de outubro de 2011 at 00:30

        “O Brasil mudou de patamar”?????
        Cadê a Segurança? a Saúde? o Transporte? a Educação?
        CADE A RENDA??? Na Espanha eles tem 20-30% de desemprego, mas se você oferecer um emprego aqui, com a renda e as condições de vida daqui, o Gringo prefere ficar lá, desempregado! Ou você iria trabalhar na China, nas condições e salário de lá, se estivesse desempregada aqui?
        O governo quer tornar o Brasil igual a China, em vez de nos transformar numa Noruega ou Alemanha. Todo mundo empregado, porém com salários corroídos pela inflação!!!
        Queria que você estivesse certa, que a minha renda e meu patrimônio brasileiros continuassem essa valorização vertiginosa dos últimos anos! Poderia me aposentar e escolher o sul da França, os Alpes suiços para morar… Leblon, Ipanema e Copacabana são muito bonitas, mas achar que valem o preço cobrado, só ingênuos que nunca viajaram ao exterior!!! Não conhecem a Cote d’azur, Ibiza, Florida Keys, Big Sur, Normandie, Riviera Maya, Polinésia Francesa, Cinque Terre, Santorini!! Procure no google imagens, valem a visita, mesmo que pela Internet! Vá ao interior da França, procure pequenas cidades maravilhosas, com cultura milenar, segurança absoluta (não há 1% da violência do Brasil) saúde, transporte, educação de primeira!! Lá existe qualidade de vida!!! Lá os preços cobrados no Brasil ficariam justos!!!

        0
        • Anonymous 6 de outubro de 2011 at 09:00

          Já visitei todos esses lugares e muitos outros (tudo pelo google street view)
          Pobre só viaja assim
          Abraço

          0
        • Kassia 6 de outubro de 2011 at 13:55

          Colega, o Brasil mudou de patamar em função de reformas estruturais que foram feitas no país desde a década de 90 (privatizações da Vale, EMBRAER, e TELEBRAS, principalmente), Lei de Responsabilidade Fiscal, reforma do sistema financeiro com o PROER, flexibilização do monopólio do petróleo em 1998, privatização dos bancos estaduais. Tudo isso que foi feito entre o final dos anos 90 e começo do século XXI fez com que o Brasil passasse a contar com uma economia moderna. A continuidade dos ajustes fiscais fez com que obtivéssemos o Investment Grade, e também fomos beneficiados pela explosão dos preços das commodities. Além disso, a Vale privatizada começou a produzir 1200% mais do que quando era estatal, e o resultado é o que vemos. O Brasil mudou de patamar sim, mas precisa avançar muito mais. Está longe de ser um país desenvolvido, e a tarefa agora é mais difícil, pois precisamos de mais ajustes fiscais e investimento pesado em infra-estrutura, educação e tecnologia.

          0
          • MrK 6 de outubro de 2011 at 14:05

            hahahaha

            realmente a lei de responsabilidade fiscal e o fim da telebras aumentou muito minha renda e me permite comprar um imovel 200% mais caro

            0
            • Kassia 6 de outubro de 2011 at 15:00

              Certamente contribuiu. A LRF interrompeu o endividamento explosivo do setor público. Se não existisse a LRF, o nível de impostos no Brasil, hoje, seria muito maior, e mais impostos significam menos renda na mão do povo.
              Quanto à telebras, após privatizada, observou um crescimento explosivo. O numero de telefones no brasil passou de 10 milhões para 230 milhões hoje, fora os outros serviços que vieram como Internet e etc. Isso gerou empregos e renda e diminui o desemprego. Como desemprego menor, os salários aumentam, então novamente mais renda na sua mão.

              0
              • Q 6 de outubro de 2011 at 15:08

                Fico Feliz de concordar comigo Kassia, no fato de que o Brasil não é um pais desenvolvido e precisa melhorar MUITO, por que assim é ÓBVIO que não podemos cobrar aqui no Brasil preços de primeiro mundo ou então mais elevados ainda!!!! Nosso preços mais caros que Miami, Suiça, como já discutidos anteriormente no Blog, mostram que isso que taí é BOLHA!!!!

                0
          • Pensativo 6 de outubro de 2011 at 19:43

            É verdade, antes o Brasil era com se fosse um grande Haiti. Hoje é como a Angola.
            Avançamos muito.

            0
      • Duda 6 de outubro de 2011 at 08:39

        O patamar dos salarios, esse segue do terceiro, quarto mundo. O brasil esta aterrisando de seu breve vôo de galinha. Kassia, em que planeta vc vive? Sugiro ver outro jornal que não seja JN, nem novela das 8.

        0
      • Jack Imóveis 6 de outubro de 2011 at 09:06

        Srs,

        No post anterior eu havia dito que a presença de um corretor instruido no blog era sintomático. A aparição da amiga Kassia confirma minha suspeita.

        Não duvido que o blog tenha virado fonte de consulta de muitos interessados em comprar imóveis, e que esses mesmos confrotem corretores com informações tiradas daqui.

        Parabéns ao bolha e a todos os participantes.

        Abraços

        Jack

        Ps: Kassia, favor listar seus argumentos para sustentar aumento de preços de imóveis até 2016.

        0
        • Kassia 6 de outubro de 2011 at 13:43

          Olá, eu acredito que os preços dos imóveis continuarão a subir, porém não no nível que vinha acontecendo até agora. Está em curso uma desaceleração na alta, mas não uma inversão de tendência.
          Agora, os motivos pelos quais eu considero que os preços continuarão a subir são os seguintes:
          1. Redução dos juros
          2. Continuidade do crescimento econômico
          3. Possibilidades de expansão do crédito imobiliário.

          Eu fiz um artigo no meu blog sobre os fatores que influem nos preços de imóveis.http://www.politicaeconomia.com/2011/09/o-que-explica-valorizacao-nos-precos.html

          Em linhas gerais, para cada ponto percentual de crescimento do PIB já de 1 a 1.5% de elevação real no preço dos imóveis.

          Depois, para cada ponto percentual de redução de juros básicos, há de 0,5 a 1% de elevação de preço de imóveis.

          Além disso, há outros dois componentes: desempenho da bolsa de valores e notícias sobre o mercado imobiliário.

          Os dois fatores econômicos (crescimento e juros), devem contribuir para elevação de preço.

          O desempenho da Bolsa, porém, é um fator que reduz os preços, e, além disso, as notícias sobre bolha imobiliária também ajudam a reduzir os preços.

          Mas acredito que os fundamentos são mais fortes. Além disso, o crédito imobiliário pode continuar a se expandir pois o encaixa monetário dos depósitos em poupança é de 0,2. Se o governo reduzir para 0,1, dobram os recursos para financiamento.

          Tudo somado, minha previsão é continuiedade de elevação de preços de imóveis até pelo menos 2014.

          0
          • Carcará 6 de outubro de 2011 at 14:22

            Cássia,
            a sua crença de que os preços dos imóveis continuarão a subir traz como motivações apenas cenças.

            1. Redução dos juros => A redução dos juros fomentará ainda mais o crédito, o que quer dizer apenas que aqueles que estiverem dispostos a comprar são os últimos da fila, o especulador de 20%, Tolo Maior, que não percebeu que a bolha estourou. Sim, ela já estourou e já estamos quase saindo da fase da negação, inaugurada oficalmente pelo ministro Guido no mês passado;

            2. Continuidade do crescimento econômico =>Todos os agentes econômicos estão revisando PARA BAIXO o PIB brasileiro para os próximos anos. Os 7.5%, no qual vocês surfaram ano passado, foi a marolinha do Lula, feita com esse crédito farto e barato que aguçou a cupidez do especulador de 20%, Tolo Maior. Mas a farra acabou. Em 2012 e 2013 a China deve pisar o pé no freio. Ou seja, o que é ruim, ficará pior;

            3. Possibilidades de expansão do crédito imobiliário=> Mesmo com a expansão do crédito imobiliário, cada vez será menor o número de Tolos Maiores, especulador de 20%, e suponho que o fato de você está perdendeo seu precioso tempo por aqui é suficiente para comprovar essa última assertiva.

            Ah, por mais que corretores (anti-bolhista) e bolhistas quiséssem esse ou aqule cenário, isso seria apenas uma volição. A bolha já estourou. Agora é conviver com ela. Será tempo para animais darwinianos.

            Abraços.

            .

            0
      • Carlos Wagner 6 de outubro de 2011 at 11:40

        O governo Petista elevou o patamar brasileiro, isso ninguem pode duvidar. Acontece que ele elevou esse patamar na base da canetada e decretos administrativos como fez com a capacidade dos aeroportos, ao decretar feriados em dias de jogos da copa do mundo para comportar o fluxo mas sem mexer na infraestrutura das cidades. E o pior de tudo:

        “O POVO ACREDITOU!”

        Kassia

        Infelizmente voce é uma daquelas que fez besteira comprando imovel na alta e agora tenta justificar por todos os meios que esta certa pra nao se arrepender. Pode até ser que tenha feito bom negocio, mas o fato é que oportunidades muito mais vantajosas vão começar a aparecer a partir de agora, que o mercado imobiliario começa a voltar à sanidade.

        0
        • Kassia 6 de outubro de 2011 at 13:46

          Olá, comprei imóvel na planta em 2010, e até agora os preços na região que comprei só subiram. Então estou bastante satisfeita com minha aquisição e não me arrependo nem um pouco. A obra está subindo rápido e as chaves devem ser entregues ou no fim de 2012 ou começo de 2013.
          Comprei para investimento mesmo, da Lopes, e mesmo assim considero que fiz ótimo negócio.

          0
          • MrK 6 de outubro de 2011 at 14:06

            Kassia por favor, quando da entrega das chaves volte aqui pra dizer se continua muito satisfeita…

            hahahaha

            0
            • Veigalex 6 de outubro de 2011 at 14:18

              O spreços ao redor podem ate estar subindo, mas veja se algum esta sendo vendido.
              Ta todo mundo esperando . As Vendas estão paralisadas. O que mais me chateia é que a mídia finge que nada esta errado, e o pior fazem comparação com a catastrofe que acontenceu nos EUA.

              Tente vender esse apartamento hoje.. e veja se vai vender rapido.

              0
              • Kassia 6 de outubro de 2011 at 14:56

                Na realidade eu comprei dois imóveis no mesmo prédio. O momento certo de venda é nas chaves, quando pretendo vender um deles com um bom lucro, e, com esse lucro, quitar o outro, que iriei alugar.

                0
                • MrK 6 de outubro de 2011 at 15:19

                  sonho meu…sonho meu…
                  posso tudo que eu sonhaaar…

                  0
                • Evandro CPS 6 de outubro de 2011 at 15:21

                  Nossa, acho que ja cheguei a uma conclusão sobre essa tal de Kassia tbm. Impressionante.

                  0
                • Duda 6 de outubro de 2011 at 16:39

                  Kassia, eu pedí para Papai Noel um Rolls Royce neste Natal. Tenho 100% de certeza que esta vez ele vai vir com o presente. Pense que respondería para mim, mas não escreva. Isso mesmo é o que eu respondería para Vc. Sorte. Muita Sorte.

                  0
                • Pensativo 6 de outubro de 2011 at 19:59

                  É isso mesmo Kassia. Compre dois imóveis na planta, vende um, quita o outro e Voilà la, do nada você tem imóvel próprio. Não precisa trabalhar, é só especular, como os americanos fizeram tanto e agora estão todos felizes da vida.
                  Você é uma pseudo-economista de araque mesmo.

                  0
                • Q 7 de outubro de 2011 at 06:50

                  Eu to esperando o final do ano, vou investir 2 reais na Mega Sena da virada e assim vou conseguir comprar meu AP!

                  0
      • Paty 6 de outubro de 2011 at 16:33

        Essa ai é daquelas empresas pagas que ficam na internet distorcendo fatos a favor de grandes empresas… fica ate bunitim os textos ctrl alt z…kkkk

        0
  • Marco Antonio 5 de outubro de 2011 at 18:10

    Ps: Alguém sabe se o Luiz é maior de 18 anos para estar fora da escola a tarde inteira?

    0
    • Luiz 5 de outubro de 2011 at 18:12

      sou milionario, ams obviamente não graças a vcs, fui honesto

      0
    • Q 6 de outubro de 2011 at 00:33

      O Marco apelou para o argumento de número 38 presente no comentário acima do Luiz

      0
  • Marco Antonio 5 de outubro de 2011 at 18:15

    É sério Luiz, você é insuportavel cara. Em todos os posts não vi você adicionar nada de útil para o blog e sempre vai pra cima de qualquer pessoa que tem uma ideia diferente da sua com os dois pés no peito.

    Juro por deus, vamos fazer assim, se alguém ai me falar uma contribuição realmente útil desse desocupado eu saio do blog e não falo mais nada.

    Falo sério mesmo.

    0
    • Jack Imóveis 5 de outubro de 2011 at 18:17

      Irritar vc foi uma contribuição boa.

      A gerência

      Abraços

      Jack

      0
    • Luiz 5 de outubro de 2011 at 18:25

      olha com quem vc fala moleque,

      o desocupado aqui contribui para o PIB deste país
      vc só fala merda, não lê uma linha do que os outros escreve

      Já vc taí desesperado pq recem formado desempregado teve que virar corretor, enganou a familia e parentes, vendeu 13 imoveis e se acha o genio financeiro.

      Quero ver o seu tio pagar os imoveis que vc vendeu pra ele

      0
    • Rodrigo 5 de outubro de 2011 at 19:13

      Dos comentários que postei para o Luiz, apesar os valores serem altos, não foi rude comigo, mas também demonstrei de fato o que esta acontecendo dentro do que estou acompanhando e do que estou vivenciando.

      Ex.:

      h ttp://www.youtube.com/user/riocidadeolimpica

      Que cidade do Brasil que esta investindo ou recebendo investimentos desta forma???? E isso não é tudo!!!!!! Quem tiver material MOSTRAAAAAA, se achar que esses videos são mentira é só ir ver pessoalmente, esta tendo até visita às escavações do do metrô que vai ligar a zona sul à Barra da Tijuca, não que vá resolver o trânsito mas há investimento!

      0
      • MrK 5 de outubro de 2011 at 21:55

        Rodrigo, o metrô deveria ir NO MINIMO até o RioCentro, esse metro até o jd oceanico é uma piada

        rapaz, eu viajo muito, conheco o mundo quase todo, vou te dizer que o que o rio tem de beleza natural tem de má vontade politica e de servicos podres, é uma cidade que tem um deficit de tudo tão grande, mas tão grande, que nem em 20 anos de investimento pesado vai conseguir ficar no nível de uma coreia do sul ou africa do sul

        0
        • Rodrigo 6 de outubro de 2011 at 18:00

          Ótimo mais um

          É só assinar, Abaixo-assinado pelo melhor traçado da Linha 4 do Metrô

          h
          ttp://www.peticaopublica.com.br/PeticaoListaSignatarios.aspx?pi=Linha4

          0
    • Duda 6 de outubro de 2011 at 08:46

      Discordo completamente. O Luiz sempre traz contribuções interessantes para este espaço. Hoje mesmo, vc pode ler “como vencer um debate sem ter razão”, publicado por ele mesmo. Muito bom e muito aplicável… sobre tudo quando se trabalha em meio de sacanagem. Conhecendo as dicas, vc pode aplicar o antídoto correto.

      0
      • DRN 6 de outubro de 2011 at 15:00

        Subscrevo in totum.

        Além do mais, que história é essa de “ou ele sai ou eu não brinco”?

        Quem é que está se comportando como criança?

        0
  • j 5 de outubro de 2011 at 18:17

    Sei que o Brasil está longe da situação da Grécia, e espero que não chegue perto, mas é preocupante. Grande parte dos problemas da Grécia ocorreram em virtude do dreno de $ em virtude da Olímpiada de 2004 e da inundação de capital estrangeiro, que levaram a um crescimento exagerado só que, infelizmente, sem lastro. Não houve aumento da capacidade de produção, da educação, da tecnologia, etc.

    No Brasil, as pessoas estão acostumadas a pagar caro por algo de pior qualidade; o que se vê é que algumas pessoas acreditam que, enquanto não atingirmos (ou mesmo superarmos) os níveis de preços comparáveis a Monaco (cuja densidade supera 16000 hab por km quadrado e totaliza apenas cerca de 32 mil pessoas) ou Hong Kong (cuja falta de terras leva de tempos em tempos a construção de ilhas, de aterros, etc, de ‘reclamação de terras do mar’ e cuja densidade tb é absurda), ainda haverá espaço para crescimento.
    A velha cantilena de que a relação de crédito quanto ao PIB seria baixa nada acrescenta, como diversos colegas já expuseram.
    Não bastasse, pagamos os juros reais mais caros do mundo, a alimentação, que já não foi tão cara, hj também está longe de ser favorável (como se vê do índice Big Mac, dentre outros), o transporte em geral é caro e ineficiente (em Berlin, a passagem de um onibus quando fui estava mais barata que em BSB, e o ônibus era pontual – há horário nas paradas, todos iam sentados), enquanto a massa populacional paga por um transporte ruim, lento, perigoso (quantos acidentes de ônibus ocorrem na sua cidade?); quando conseguem comprar um carro, compram iludidos com uma suposta vantagem, embora passem muitas vezes sacrificando o parco salário por 60 meses, ainda que em detrimento da família, lazer, ou mesmo qualidade de vida decente.
    Em relação aos carros, não bastasse, quando houve a possibilidade de mínima concorrência, a verdade é que se afastou-a com a justificativa de proteger uma indústria nacional que nada mais é que os responsáveis por parte do capitalismo mais selvagem no planeta, que não conhece nacionalidade ou qualquer tipo de lealdade.
    Quanto aos veículos, a internet está cheia de ódio com a descoberta, finalmente, de qeu pagamos muito mais por um carro mto pior produzido aqui do que o próprio carro que exportamos para países de primeiro mundo, mais baratos, de melhor qualidade e com mais itens de segurança.
    Até mesmo produtos dão um exemplo; uma calça Diesel é produzida por 15 dólares no Ceará e é vendida por seiscentos reais ou mais.
    Não culpo integralmente o governo, porque a verdade é que nosso sistema é que determina que tal ocorra de tal maneira; talvez estejam de mãos amarradas.
    Meu medo, contudo, é quando tivermos que pagar a conta do dinheiro que nós deveríamos manter no País e que está sendo utilizado, mais uma vez, para enriquecer estrangeiros, sejam montadoras, sejam fundos imobiliários (tais quais o que um colega forista afirmou outro dia sobre o MCMV), seja pelo investimento direto em imóveis e construções, ou por outros meios.
    Ninguém duvida que Sam Zell ganhou, e muito, no Brasil, como tantos outros; quem teve de perder para isso e qual será o tamanho da conta?
    Desculpem pelo longo desabafo.

    A seguinte reportagem é da CNN:
    Greek default is just a matter of time

    Print
    Comment

    By Ben Rooney @CNNMoney October 5, 2011: 7:01 AM ET

    An employee sits by the occupied Ministry of Finance in Athens by a banner which translates as ‘Occupation’ on September 30, 2011

    NEW YORK (CNNMoney) — It was once unthinkable but is now widely expected: Greece is headed toward default.
    Not if — but when.
    “A default is likely,” said Wolfango Piccoli, director of the London office of the Eurasia Group. “At this stage, the question is about the timing.”
    The timing is important because European authorities are scrambling to build a “firewall” that will protect banks and other euro area nations from the fallout of a Greek default.
    The first step is to overhaul an existing bailout fund for Europe, which is expected to be officially approved by all 17 eurozone nations by the end of October.
    The goal, analysts say, is to create conditions for Greece to default in an organized way, rather than an abrupt collapse that could cause chaos in global financial markets.
    Euro area officials have said repeatedly that Greece will meet its obligations and avoid a default. Yet the inevitability of a Greek default has become conventional wisdom in financial circles.
    “The debt level of Greece is not sustainable,” said Farid Abolfathi, senior director of the Risk Center at IHS Global. “No matter how much austerity, they will not be able to pay their creditors. At some point in time, they are going to default.”
    The argument is that Greece owes more money than it can realistically repay, considering that its economy has been in recession for years and is not expected to turn around any time soon.
    For the past 15 months, Greece has been kept afloat by billions of euros in bailout money from the International Monetary Fund and its European “partners.”
    Euro crisis: 5 things you need to know
    But the nation has had limited success when it comes to enacting the painful reforms necessary to bring down its budget deficits, and has yet to begin the process of restructuring its bloated public sector.
    The Greek government disclosed over the weekend that it will not meet its budget goals this year and next, citing a worse-than-expected economic environment.
    The shortfall, while not a surprise, has complicated the politically fraught negotiations over the latest €8 billion installment of emergency funding for Greece from last year’s €110 billion bailout.
    For one thing, the nations providing the bailout money are having a hard time convincing taxpayers that supporting Greece is absolutely necessary. There is limited political appetite in places like Germany, Austria and Finland for an open-ended commitment to a nation that did not manage its finances very well.

    At the same time, there is evidence to suggest that the reforms Greece must make to qualify for its bailout money will only push its economy deeper into recession.
    The nation is also facing an increasing political backlash in the form of protests and strikes in Athens. A one-day general strike got underway Wednesday morning. The halting progress has also raised questions about a plan to provide a second €109 billion bailout for Greece.
    “This discussion about a second Greek bailout could easily morph into a debate about an orderly Greek default,” said Holger Schmieding, chief economist at Berenberg Bank. “This discussion is likely to start in earnest in mid-October and come to a head before the next tranche for Greece is due in December.”
    What about the banks?
    As part of the proposed second bailout, banks and private sector investors agreed to take a 21% writedown on the face value of the Greek bonds on their books.
    But there is now widespread speculation that bondholders may need to accept “haircuts” of up to 50% in order for Greece to recover. That would represent a significant liability for the European banking sector, which is already seen as woefully undercapitalized.
    The threat of a banking crisis is one of the main reasons why euro area politicians have pledged to do whatever it takes to prevent a Greek default.
    In addition, officials in Europe are afraid a messy default would lead to a so-called debt contagion that would undermine larger economies such as Italy.
    Euro area governments are expected to unanimously approve a proposed expansion of the European Financial Stability Facility by the end of October. The revamped bailout fund will have greater flexibility to intervene in sovereign debt markets and provide financing for troubled banks.
    Greece: This cannot end well
    But many analysts say governments will need to pony up much more cash in order for the €440 billion fund to be effective. Euro area officials have said they are working on ways to “enhance” the funds lending capacity, while ruling out an increase in its price tag.
    “At some point, they will have to cough up the money that is required,” said Abolfathi. “There’s a need for a big and credible fund so that markets don’t bet against these countries and banks.”
    In the meantime, there are still serious questions about what a Greek default would mean. No euro area nation has ever defaulted, and analysts say a break up of the 12-year old currency union cannot be ruled out.
    At the same time, it’s not clear what Greece could do to boost its economic competitiveness after it defaults.
    A government-fueled recovery seems unlikely, given that Greece would have difficulty borrowing money in the public market. Even after a default, Greece may be dependent on outside support for years to come.

    0
    • AAC 5 de outubro de 2011 at 19:04

      Primeira vez que escrevo, mas sempre acompanho o blog. O desabafo feito por J é perfeito, gosto muito dos comentários do Mrk, Carlos Wagner etc..Acredito que a maioria no blog, prega a meritocracia, justiça nas relações comerciais e o melhor para o Brasil e para os brasileiros. Imóvel não tem nada de complexo, basta um pedaço de terra, tijolo, ferro, madeira, cimento e mais umas frescuras, nada que justifique minar e escravizar povos e países em detrimento do luxo, e luxuria de parasitas que fazem do mundo um lugar pior, dia apos dia.

      Esse marco Antonio me lembra o Smith do Matrix, quase me convence a comprar uns 3 ou 4 apartamentos dele, mas infelizmente não nasci burro, e riqueza = trabalho suado, nada justifica os preços que estão sendo praticados. A conta vai chegar, não há duvida, afinal não existe almoço grátis.

      0
  • Marco Antonio 5 de outubro de 2011 at 18:20

    Jack, ta certo então. Você acaba de provar que são um bando de arruaceiros.

    Boa sorte a todos.

    0
  • Jack Imóveis 5 de outubro de 2011 at 18:24

    Luiz,

    Estou em dúvida. De acordo com aquele texto enorme que eu não vou ler, ganhei a discussão?

    Abraços

    0
    • Luiz 5 de outubro de 2011 at 18:28

      Jack se vc ler akele texto enorme vc vai eprceber que o senhor Marco antonio tem pe´ssimas intenções aqui.

      Somos grandinhos o suficiente pra copiar o outro lado da moeda e dabater entre nós

      Essa cara é capaz de destruir o blog, é sério isso q toh falando
      Esse tipo de gente é pior que psicopata, destroe o que for pra atingir o objetivo, não está nem aí

      É sério leia lá

      0
  • Fernando 5 de outubro de 2011 at 18:26

    Hehehe… mudando um pouco de assunto…
    Acabei de ver no site do CRM PR que o plano de saude do SECOVI aqui do estado está contratando medico psiquiatra… se eu tivesse tempo livre, me candidataria a vaga, só pra saber se estao aumentando os casos de ansiedade entre os profissionais…
    Acho que vou dar uma ligadinha la sondando…

    0
    • Luiz 5 de outubro de 2011 at 18:30

      Fernando vc é medico conta como é a fisclaização do CRM.

      O marcão “disse” que a fiscalização do CRECI é igual qualidade.

      0
      • Luiz 5 de outubro de 2011 at 18:31

        Aproveita e conta o que um psicopata pode fazer até atingir o seu objetivo

        0
      • Fernando 5 de outubro de 2011 at 18:33

        Olha, até os anos 70, a fiscalização era relativamente tranquila, o que facilitou o aumento de profissionais anti-éticos e irresponsáveis. Isso levou a um grande aumento em denuncias por erro médico ou conduta profissional inadequada. Nas ultimas 2 décadas, os conselhos apertaram bastante a fiscalização, sendo que muito picareta antigo aqui no estado começou a dançar.

        0
        • Fernando 5 de outubro de 2011 at 18:40

          Em relação a como funciona, na pratica, a fiscalização: é terminantemente proibido ao medico de fazer propaganda. Simples assim. Principalmente quando faz anuncios de “incriveis tratamentos que são garantidos e a solução dos seus problemas”. Já vi muito profissional responder processo no conselho por causa disso. Dá uma dor de cabeça danada, por isso os profissionais não costumam ter essa prática.
          Outra coisa: toda denuncia feita por paciente é averiguada. Isso quando nao vira processo cível mesmo.
          Além disso, existe uma vara especifica do ministerio publico chamada Nucleo de Crimes em Saude (NUCRISA). Toda denuncia é investigada, mesmo as mais mirabolantes.

          Já pensou quando existir o NUCRIMOB? rs….

          0
          • Luiz 5 de outubro de 2011 at 18:50

            Fernando: suponha que vc esteja receitando muito nas azuizinhas por causa da demanda de tarjas pretas do seus novos clientes do SECOVI

            ?É verdade que o CRM pode ligar na sua casa e na dos seus pacientes pra averiguar a conduta?

            Agora imagina o fiscaL do CRECI ligando na casa do Marcão: – Pô marcão vc prometeu rendimento de 5 vezes em 20 anos e ainda disse que colocava a mão no fogo, vou ter que cassar o seu CRECI PARA SEMPRE.

            Imaginou???
            Nem tomando xzepan com alcool, alucinação total Fernando.
            Admiro sua área, a única séria neste país

            0
            • Luiz 5 de outubro de 2011 at 18:54

              pra vc se divertir
              dabrio dabrio dabri spiegel.de/international/zeitgeist/0,1518,788462,00.html
              corretores agem de forma mais destrutiva que psicopatas, rs, segundo estudo da suiça

              0
          • Rodrigo 5 de outubro de 2011 at 19:25

            Só uma dúvida, e o “dr. hollywood”. O que o CRM diz?

            0
            • DRN 6 de outubro de 2011 at 15:10

              O Dr. Hollywood não exerce medicina no Brasil.

              0
              • Rodrigo 6 de outubro de 2011 at 18:04

                Mas faz propaganda. Agora será que com isso não leva com ele alguns clientes, que poderiam ser atendido por outros médicos brasileiros??? Então o médico brasileiro não pode fazer propaganda, mas os de fora podem??

                0
                • DRN 6 de outubro de 2011 at 18:15

                  Rodrigo, eu nunca vi uma propaganda desse cidadão. Que eu saiba, ele é um dos médicos que aparece num “enlatado” que a Rede TV exibe aqui no Brasil e em anúncios de calças para mulheres. Mas posso estar enganado porque não sou de assistir TV.

                  0
  • Fernando 5 de outubro de 2011 at 18:31

    Acabei de ligar lá… e parece que a busca por psiquiatra é por aumento de demanda, ou seja, mais pessoas começaram a buscar atendimentos nos ultimos meses…
    hum…

    0
    • Marcelo 5 de outubro de 2011 at 22:45

      Achava que a “Bolha dos psicotropicos” iria comecar por aqui em Brasilia…

      0
  • Aline 5 de outubro de 2011 at 19:12

    Sempre acompanho o “bolha”, gostaria de parabenizar pelas infos e pela discussões de grande conteúdo.

    Bom, vou postar o que estava acompanhando aqui em Ctba… vejam o q acham…

    Feira de imóveis em Curitiba. Finalmente divulgaram os números. Esperavam um público de 40 mil visitantes, mas aparecerm 20 mil. E olha a desculpa…

    “Um público SELETO, decidido a comprar um imóvel para moradia ou investimento. De acordo com o presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR), Gustavo Selig, este foi o perfil dos visitantes que passaram pela 20ª edição da Feira de Imóveis do Paraná, realizada pela primeira vez na Expo Unimed Curitiba, de 28 de setembro a 2 de outubro.
    Ao todo, 20 mil pessoas conheceram as principais ofertas do mercado nos cinco dias do evento. Número menor do que da edição passada – foram mais de 30 mil visitantes – porém, Selig diz que o público foi mais comprador. A organização ainda NÃO DIVULGOU os dados oficiais sobre o volume de negócios gerados na feira, mas calcula-se que o montante esteja além dos R$ 45 milhões, quantidade recorde em duas décadas de realização do evento.”
    http://www.feiraimoveispr.com.br/blog/noticias/feira-de-imoveis-deve-superar-os-r-45-milhoes-em-negocios

    Bom, antes do evento publicaram uma nota sobre o público esperado, depois do evento, a nota sumiu, certamente pq os visitantes representaram 50% do esperado…
    Acho q deveria ter sido cancelado, como em SP…. pela falta de “oferta”de compradores…. estes poucos, foram chamados de “seletos”…. fala sério… bom, eles devem se achar privilegiados pq provavelmente estavam dando brindes como tv`s, ipad, carros….

    0
    • Pensativo 5 de outubro de 2011 at 20:06

      45 milhões só dá para comprar 4 apartamentos no Leblon e olhe lá. kkkkk

      Demais, duvido que tenham realmente fechado 45 milhões em negócios. A maioria deve ser promessa de compra e venda ou cadastro de interessados. Ou seja: contabilizaram as expectativas de resultados futuros, exatamente como a Enron fez.

      0
    • AJw 5 de outubro de 2011 at 20:21

      Bem, 45 milhões, de vendas, suponto que abastados foram a feira que cada apto ou casa custe R$450.000. então temos cerca de 100 imóveis negociados. Boa feira não foram vendidos 1% do total. Há mais dentro de alguns dias fecharemos mais negócios. Tá bom so falta 99%rsrsrs

      0
      • MrK 5 de outubro de 2011 at 22:02

        hahahahahaha

        veja o que diz a matematica, se 100 apartamentos (aproximadamente) foram vendidos pra 20.000 pessoas, então apenas 0.5% dos visitantes compraram

        publico super decidido esse heim, 99.5% não conpraram PN

        0
        • Ar Quente 5 de outubro de 2011 at 22:57

          Isso é bom ou ruim? Sem uma referência, o número 0.5% é tão ruim (ou bom) quanto qualquer outro…

          0
          • Carlos Eduardo 6 de outubro de 2011 at 00:47

            Bom pensando assim, num percentual de interessados de 0,5%
            e supondo que toda a população do PR vá a feira, estou falando o dado cru do ibge, sem tirar as pessoas que não trabalham e não podem comprar e pessoas casadas que reduz esse numero drasticamente, então seria 10.444.526 pessoas por 0,5

            daria uns 52.223 imoveis vendidos!

            até que seria bom se toda a população do PR comparecesse com interesse e capacidade de comprar baseando-se nesse nível de interesse de 0,5%

            0
            • trackback 6 de outubro de 2011 at 09:33

              Ou seja, não há deficit nenhum…

              0
    • edu 6 de outubro de 2011 at 19:34

      Antes da feira eles anunciaram que haveriam 35 mil imoveis para venda. Se estupularmos cada imovel custando 100 mil, significa que na feira foi vendido apenas 1,3% do que ofertaram… que maravilha! MERCADO AQUECIDISSIMO!

      0
      • Pesquisador 7 de outubro de 2011 at 00:01

        sem contar que 100 mil cada um é uma média bem pra baixo hein…

        mas esse seu numero ta certo… realmente anunciaram oferta de 35000 imoveis

        20 mil pessoas compareceram e 450 unidades de 100 mil (media pra baixo) foram vendidas gerando 45 milhoes… quer dizer que…

        2,2% dos visitantes adquiriram a sonhada casa própria…. e 1,5% dos imoveis disponiveis foram vendidos…

        mercado ta bombando!!!!! os preços estão ótimos… tinhamos q fazer entrevistas com os visitantes dessa feira e descobrir pq nao compraram

        0
        • Fausto 7 de outubro de 2011 at 00:08

          2.2% de visitantes comprando isso se considerar que cada visitante comprou apenas um imóvel. Se rolou alguns investidores aí, a porcentagem baixa…

          0
  • Renato 5 de outubro de 2011 at 20:11

    Aqui em Santos, não sei se em outras cidades tb
    agora temos “consultores de investimento em imoveis” nos semáforos
    hj fui abordado por 3 em pontos diferentes da cidade
    em um semáforo eu contei 7 “consultores de investimento”
    antes era umas menininhas entregando panfletos
    agora são rapazes, universitários ou recem formados tentando vender apartamentos nas ruas
    conversei com um da Abyara, tentando vender um lançamento “Emirado” o kitnet de 50 m² estava por 8000 o m² e ele ainda me disse que me provava que eu ia ter um bom retorno

    Estão apelando demais

    0
    • Renato 5 de outubro de 2011 at 20:13

      Detalhe, todos de terno e gravata
      quero ver qnd chegar o verão

      0
  • Gustavo 5 de outubro de 2011 at 20:23

    Pessoal,

    Olhem essa nova modalidade de venda. Realmente intrigante e engraçado. Motivo final, desovar imóveis encalhados concedendo descontos mascarados com outros nomes.

    http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/imoveis-a-venda-tem-aluguel-garantido

    0
  • carlos wagner 5 de outubro de 2011 at 21:12

    Uma noticia rápida e OFF TOPIC.

    Steve Jobs acaba de morrer…

    0
    • carlos wagner 5 de outubro de 2011 at 21:15

      Dica

      Pra quem deseja ver o filme que retrata o incio da carreira de Jobs com a Apple e Bill Gates com a MicroSoft:

      Piratas do vale do Silicio.

      Muito bom filme.

      0
      • Zoom 5 de outubro de 2011 at 22:13

        Carlão, eu vi a sse filme umas 10 vezes, muito bom. O cara foi uns dos que contrituiu para implantar um S.O nos PCs, independente de como. Mas fazer o que, faz parte.

        0
        • Fred Henrique 6 de outubro de 2011 at 08:39

          Para mim, Jobs foi um gênio do Marketing.

          No assunto tecnologia, ele era “apenas” mais um fora de série.

          0
    • Marcelo 6 de outubro de 2011 at 00:34

      Talvez nao seja noticia off topic, pois isso pode ser utilizado como mais uma justificativa para a supervalorizacao dos imoveis no Brasil.

      0
  • trackback 5 de outubro de 2011 at 21:15

    Montadoras serão investigadas sobre o lucro abusivo nas vendas

    SÃO PAULO – O MPF (Ministério Público Federal) solicitou ao Ministério da Fazenda que investigue a suspeita de prática de lucro abusivo pelas montadoras de automóveis do País.

    Segundo o MPF, a prática fica clara quando se compara o preço do veículo vendido no Brasil com preço praticado em outros países. O veículo no Brasil chega a custar o dobro de um mesmo modelo vendido nos Estados Unidos.

    Aprovação
    O pedido de investigação foi aprovado em voto coletivo pela 3ª Câmara de Coordenação e revisão do MPF, órgão do ministério responsável pela defesa dos direitos do consumidor.

    Os procuradores solicitaram que o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada) faça um estudo para verificar se a regulação do setor é obsoleta. Segundo eles, uma lei de 1979, conhecida como Lei Ferrari, que dispõe sobre a distribuição de concessões comerciais entre montadoras e distribuidoras de veículos, pode estar prejudicando a estrutura de preços.

    O Ministério Público estabeleceu 180 dias para que o Ministério da Fazenda conclua a investigação.

    http://veja.abril.com.br/noticia/economia/mpf-pede-que-governo-investigue-alta-no-preco-dos-carros

    0
    • Carcará 6 de outubro de 2011 at 08:27

      Se os membros do MPF, bacharéis em direito, conhecessem as quatro operações matemáticas não precisaria entrar com essa ação. Por que carro no Brasil é mais caro do que em qualquer outro lugar no mundo??? Porque no Brasil todo comércio tem seu próprio banco. Assim, o comerciante sempre realiza seu lucro de comerciante regular, lucrando ainda mais como banqueiro. Mas como isso se dá?? Aqui se compra tudo em “N” vezes, com juros médios de 40%. Assim, a montadora rir da sua cara quando você compra a vista, pois o banco e o comerciante faturam imediatamente. Quer baixar os preços dos carros e simultaneamente acabar com os engarrafamentos no Brasil? Venda carros em no máximo 6 prestações.
      Mas quem vai querer isso? Só pessoas honestas…

      0
  • MrK 5 de outubro de 2011 at 21:30

    Pessoal, durante meus tempos de estudo e de mercado vivenciei algumas bolhas e manias, sempre que um ativo está oferecendo retorno muito atrativo uma enxurrada de dinheiro especulativo corre pra lá (como houve aqui com imoveis) e isso gera mais rentabilidade e mais gente entrando (manada)

    Imaginem as ações, o ibovespa comeca a subir e mais gente entra, de repente a subida comeca a descolcar dos fundamentos das ações que são os lucros e dividendos e vira pura especulação…sobe…sobe sem razão… até que um dia a demanda por ações seca (exaustão), ai as pessoas percebendo que os preços não justificam os rendimentos e comecam a vender, voces acham que o ibovespa não cairia nesse caso? ou que ele iria ficar paradinho onde está?!?

    é a mesma coisa com imoveis, só substitua a palavra dividendos por alugueis.

    eu NUNCA (repito: N-U-N-C-A) vi um movimento em que quando essa demanda especulativa se exaure,o preço do ativo ficasse parado ou subisse com a inflação, nunca.

    0
    • Ricardo sp 5 de outubro de 2011 at 21:37

      MRK
      Sua comparação com a Bovespa foi perfeita.
      Tem mais um detalhe, imóveis não tem a liquidez que os papeis tem na bolsa.
      Quero ver quando esse bando de especulador perceber o movimento de baixa e tentando vender seus imóveis.
      Vai ser lindo

      0
    • Mr. R 5 de outubro de 2011 at 21:38

      Essa nossa bolha imobiliária nao lembra a bolha das empresas .com no final dos 90??

      0
      • MrK 5 de outubro de 2011 at 22:05

        lembra e muito

        e voce sabe bem o fim que isso leva… não é preço parado no topo nem subindo com a inflação…

        quando o pessoal aqui comecar a ver que tem nas mãos um ativo que imobiliza uma fortuna e que rende 0.35% de aluguel… e que o aluguel recebido não paga nem os juros da prestação… segura peão

        0
  • Ar Quente 5 de outubro de 2011 at 21:46

    ‎”Skilled arguers are not after the truth but after arguments supporting their views.”
    Behavioral and Brain Sciences, by Mercier and Sperber

    Eu não concordo com as conclusões que o Marco Antonio chegou, mas não é baixando o nível da conversa que os nossos argumentos vão melhorar, e sim confrontado-os com pessoas que discordam deles, para conhecer nossas fraquezas, e, consequentemente, refina-los.
    Existe uma tendência natural de rejeitar os pontos de vistas contrários aos nossos. O Marco Antonio sofre disso e todos os companheiros foristas (eu incluso) sofremos disso. Segue um artigo interessante da wikipedia sobre o assunto.

    en.wikipedia.org/wiki/Confirmation_bias

    Confirmation bias (also called confirmatory bias or myside bias) is a tendency for people to favor information that confirms their preconceptions or hypotheses regardless of whether the information is true.[Note 1][1] As a result, people gather evidence and recall information from memory selectively, and interpret it in a biased way. The biases appear in particular for emotionally significant issues and for established beliefs. For example, in reading about gun control, people usually prefer sources that affirm their existing attitudes. They also tend to interpret ambiguous evidence as supporting their existing position. Biased search, interpretation and/or recall have been invoked to explain attitude polarization (when a disagreement becomes more extreme even though the different parties are exposed to the same evidence), belief perseverance (when beliefs persist after the evidence for them is shown to be false), the irrational primacy effect (a stronger weighting for data encountered early in an arbitrary series) and illusory correlation (in which people falsely perceive an association between two events or situations).
    A series of experiments in the 1960s suggested that people are biased towards confirming their existing beliefs. Later work explained these results in terms of a tendency to test ideas in a one-sided way, focusing on one possibility and ignoring alternatives. In combination with other effects, this strategy can bias the conclusions that are reached. Explanations for the observed biases include wishful thinking and the limited human capacity to process information. Another proposal is that people show confirmation bias because they are pragmatically assessing the costs of being wrong, rather than investigating in a neutral, scientific way.
    Confirmation biases contribute to overconfidence in personal beliefs and can maintain or strengthen beliefs in the face of contrary evidence. Hence they can lead to poor decisions, especially in organizational, scientific, military, political and social contexts.
    (…)

    0
  • simone 5 de outubro de 2011 at 22:26

    MRK ou Luiz

    o que vcs acham ?

    Vale mais apena comprar titulos pos fixados.. São os atrelados em indicadores de inflação

    Se realmente continuarem os cortes na SELIC e o dolar por sua vez continuar a subir, a inflação vai disparar..

    Titulos atrelados ao IGP-M o governo nem vende mais, porque era naba certa.. Sorte de quem compra ele a uns tres anos atras..

    O que está mais rendendo ultimamente é o atrelado ao IPCA.. Estou atualmente comprado em NTN-B Principal vencimento em 15/05/2015

    Fundos de longo prazo e aplicações de renda fixa, em geral:

    – 22,5% para aplicações com prazo de até 180 dias;
    – 20,0% para aplicações com prazo de 181 até 360 dias;
    – 17,5% para aplicações com prazo de 361 até 720 dias;
    – 15,0% para aplicações com prazo acima de 720 dias;

    0
    • Luiz 6 de outubro de 2011 at 19:23

      Simone, tenho a mneor idéia, só acho que quem perder pouco já vai estar ganhando

      0
  • simone 5 de outubro de 2011 at 22:27

    Será que essa é uma boa tb

    aplique em Fundos imobiliarios
    rendem quase 10% ao ano + valorização das cotas
    aplique em fundos de HOSPITAL.
    setor que nem fodendo entra em crise

    outra
    TRPL4 12% ao ano de dividendos
    geti4 12% de dividendos

    da para conseguir 1% ao mes sem risco elevado

    0
  • jsantos 5 de outubro de 2011 at 23:04

    Quem compra tudo no primeiro dia do lançamento, são os corretores da Lopes, eu conheço um que disse já comprou 3 aptos, 100% vendido no lanç. até pode! quero ver depois, cade a renda, ainda mais corretor que vive de comissão. o temp dirá.

    0
    • Rodrigo 6 de outubro de 2011 at 18:08

      Será que é por isso que não recebem “salário”?? Essa eu já sabia!!

      0
  • Ricardo 6 de outubro de 2011 at 06:13

    Caixa afasta risco de bolha imobiliária

    0 comentário(s)

    O presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Fontes Hereda, afirmou hoje que o banco está passando incólume às turbulências econômicas, embora reconheça um arrefecimento no ritmo de concessão de crédito. “A crise não chegou à Caixa”, afirmou, em evento pelo aniversário de 150 anos do banco. Hereda também voltou a afastar o risco de bolha imobiliária no País. “Não vejo possibilidade de bolha e acho que é muito saudável termos uma tendência de crescimento (na concessão de crédito imobiliário) para o ano que vem um pouco menor”, disse.
    Até agosto, a alta na concessão de crédito imobiliário foi de 26% no ano em relação ao mesmo período do ano passado. O volume de financiamento no segmento deve chegar a R$ 90 bilhões neste ano, contra pouco mais de R$ 76 bilhões do ano passado. A alta esperada de 18% é menor do que nos anos anteriores, numa desaceleração programada pelo banco. “Não dava para sair de R$ 5 bilhões em 2003 (de volume financiado) para quase R$ 77 bilhões em 2010 e continuar neste ritmo”, disse. “Estamos numa batida esperada e vamos continuar nesta batida”.
    No Programa Minha Casa, Minha Vida, o presidente da Caixa disse que uma portaria assinada ontem no Executivo permitirá a aceleração do programa na faixa de 3 a 10 salários mínimos. “O (programa até 3 salários) está deslanchando agora, um pouco depois do que imaginávamos. Já o de 3 a 10 (salários) está num ritmo melhor do que o esperado”, disse.
    Mas Hereda confirma uma redução no ritmo de concessão de crédito. Houve diminuição da velocidade de vendas em São Paulo. “São ajustes importantes. O preço dos imóveis está muito valorizado. Mas não haverá bolha, este é uma resposta que o mercado dá ao aumento do preço”. No Rio, houve ainda crescimento na velocidade das vendas, disse.
    O presidente da Caixa lembra que os imóveis passaram muitos anos depreciados no País e que a ascensão de 30 milhões de pessoas à classe média aumentou a demanda por financiamentos e impulsionou os preços de imóveis. Ele lembra ainda que em geral o financiamento no Brasil é feito para a aquisição do primeiro imóvel e que a concessão de crédito é segura no Brasil. “Não é como nos Estados Unidos, na Europa, em que estavam comprando a terceira moradia”, disse.

    0
    • RT 6 de outubro de 2011 at 08:59

      O caraquer justificar preços de 600 mil pra cima falando dos “30 milhões que ascenderam à classe média”.

      É essa classe média que ganha entre 2 e 3 mil reais de salário???

      Mostrei outro dia aqui, com contas simplérrimas, que esses salários não pagam os preços atuais.

      Esperar que alguém com um mínimo de instrução acredite que esses 30 milhões é que sustentam os preços atuais é um insulto à inteligência das pessoas. “Se colar, colou”. Ou acham que todo mundo é idiota, ou mesmo sendo do ramo, não tem noção do que falam. Qual hipótese é mais provável?

      0
      • Pesquisador 7 de outubro de 2011 at 12:10

        Pelo que tenho notado esse tipo de matéria não foca no fator ” preço”, como se isso não fosse relevante. O preço está descolado da realidade, porém eles se atém ao fator ” crédito seguro” , que dá essa falsa segurança… eles não estão errados ao afirmar que o crédito aqui é mais seguro que nos EUA, porém acredito que a bolha de preços comece a esvaziar sem estourar… creio que muitos investidores ou até mesmo moradores que tem que se desfazer dos imóveis usados, começarão a ter que baixar seus preços pra não ficar com prejuizo de manter condominios e/ou pestações ou alugueis-prejuizo…

        Acredito que o mercado quem faz e fez realmente o preço subir… pessoas iludidas fizeram essa inflação dos preços, pagando sempre mes a mes 5, 10 mil a mais que os olhos grandes construtores e proprietários pediram por unidades cada vez mais compactas e de qualidade duvidosa. O poder dos consumidores desinformados não pode e não deve ser subestimado.

        Somente o mercado parando de comprar, teremos uma definição sobre a real gravidade da situação, que com certeza é grave ao menos para os investidores e familias iludidas com papo de corretor, que assumem enormes dividas de 20, 30 anos.

        um tópico que vem sendo pouco conversado e debatido por aqui são os imóveis usados… como andam essas vendas, que teoricamente são mais exigentes em termos de entrada e financiamentos?

        0
    • Andre Luiz 6 de outubro de 2011 at 14:38

      Se até o Presidente da Caixa Econômica fala em bolha, ainda que seja para negá-la, é porque o barco já naufragou. Se não fosse relevante ele não tinha falado nada.

      0
      • Carlos Wagner 6 de outubro de 2011 at 15:12

        É muita gente negando a mesma coisa e com a mesma intensidade.

        Se a bolha fosse algo absurdo o mercado nao absorveria a teoria. Acontece que existem fatos suficientes para uma suspeita generalizada que exista bolha.

        O grande medo dessa gente é que o mercado deixe de comprar por medo da existencia da bolha, mas nao percebem que o mercado, realmente, deixou de realizar negocios porque ninguem mais consegue pagar os preços, pois demanda ainda existe, isso é inegavel, basta verificar que todos nós pretendemos comprar.

        Isso é o que eu chamo de burrice institucional.

        0
  • Ricardo 6 de outubro de 2011 at 06:17

    Bolha, só se for de equívocos

    Ricardo Loureiro*

    Desde o início do ano temos presenciado alertas quanto aos riscos de estouro de uma possível bolha crédito no Brasil. O crescimento acelerado do crédito no país, o alto comprometimento de renda do brasileiro com pagamento de dívidas e a escalada dos preços dos imóveis nos principais centros urbanos costumam ser elencados como sinais da existência desta bolha em terras brasileiras. Assim, mais cedo ou mais tarde, sucumbiríamos a uma crise tal qual vem ocorrendo no hemisfério norte.

    Em primeiro lugar, o termo “bolha” não é, a rigor, adequado ao mercado de crédito pois, tecnicamente, “bolha” representa o descolamento significativo e prolongado do preço de algum ativo financeiro ou real dos seus fundamentos. Mas, como bolhas especulativas costumam ser precedidas por “booms” de crédito, acaba-se utilizando, alternativamente e com certa liberalidade, o termo “bolha”.

    Esta associação entre “boom” de crédito e bolha especulativa foi justamente o que ocorreu com os EUA e com vários países da Europa Ocidental: um longo período de crédito farto gerando movimentos especulativos nos preços das residências. Mas, para que esta “tempestade perfeita” possa acontecer é preciso um combustível fundamental: a prevalência, por um tempo bastante razoável, de taxas reais de juros próximas de zero, ou até mesmo negativas. E é aqui onde começam as diferenças entre a situação do mercado de crédito brasileiro daquilo que ocorreu no exterior. Nossa taxa real de juros é uma das mais altas do planeta! Isto faz com que os bancos brasileiros não precisem, para se rentabilizar, aventurarem-se por mercados de altíssimo risco, tal como ocorreu nos EUA e em alguns países europeus.

    Outra grande diferença: no Brasil os bancos possuem baixa alavancagem e operam num ambiente regulatório e fiscalizatório que é “benchmark” mundial. Lá fora, os empréstimos de alto risco evoluíram em um impressionante vácuo do ponto de vista regulatório e fiscalizatório, disseminando o risco através de operações cruzadas com derivativos exóticos. Assim, a expansão do crédito no Brasil vem ocorrendo sob rigoroso monitoramento por parte da Autoridade Monetária, que não se furta em adotar medidas macroprudenciais para coibir certos excessos.

    Há quem diga que o mercado de veículos, fortemente influenciado pela expansão do crédito ao longo dos últimos anos, seria o “subprime” brasileiro. Outros enxergam na valorização dos preços dos imóveis a presença de uma bolha imobiliária no Brasil. Não é a visão que compartilhamos. No caso dos veículos, é fato que o preço de um zero km pode recuar pouco mais de 20% após o seu primeiro ano de uso, fragilizando a garantia do financiamento. Mas é por isto mesmo que, normalmente, se exige do comprador uma entrada mais ou menos equivalente, no ato do financiamento.

    Quanto aos imóveis, as altas observadas de pouco mais de 100% em algumas regiões metropolitanas no país, ao longo dos últimos três anos, refletem o forte crescimento da demanda – induzida pelo elevado grau de confiança dos consumidores, pela ascensão das classes C e D, pelos impactos das novas regras introduzidas a partir de 2005, nos financiamentos imobiliários, pelo programa Minha Casa, Minha Vida – e que não tiveram a devida resposta, no tempo e na mesma intensidade, da oferta. Afinal, o setor imobiliário passou por quase vinte anos de letargia caracterizado por baixo investimento em mão-de-obra, em produção de insumos e em bancos de terrenos. Quando a demanda aflorou, a oferta não conseguiu evoluir no mesmo ritmo e, por conta disto, os preços subiram. Logo, são os fundamentos – e não bolha – que explicam a alta dos preços das residências. Além disto, no caso dos imóveis, a maioria esmagadora são compradores finais e, no Brasil, o refinanciamento de hipotecas praticamente não existe.

    Uma última consideração: a inadimplência dos consumidores está crescendo pouco mais de 20% neste ano. Alguém poderia citar este fato como mais um sinal de bolha. Porém, se há bolha de crédito, a inadimplência sobe depois e não antes do seu estouro. Na verdade, a alta da inadimplência em 2011 foi devida à aceleração da inflação no início do ano e não ao eventual estouro de bolha. Aliás, nossos indicadores antecedentes já apontam para uma estabilização da inadimplência ainda neste ano.

    Em suma, não vislumbramos existir bolha de crédito no Brasil. Temos, sim, um movimento saudável de crescimento do crédito que, com a introdução do cadastro positivo, tem tudo para se tornar mais um case de sucesso perante a comunidade financeira internacional.

    Presidente da Serasa Experian e da Experian América Latina

    0
    • Paulo Rocha 6 de outubro de 2011 at 07:24

      É impressionante como gostão de afirmar que o Brazil é um “benchmark” em termos bancários. Parece até que o Brasil é o único país capaz de ter um sistema bancário “baum”. Não acho que seja tão bom assim. Sei que os bancos brasileiros cobram muitas taxas e taxas caras e tem lucros altos.

      Leiam estes artigos sobre o modelo bancário scandinavo atualmente consideredo um dos melhores do mundo e o que fizeram durante a crise de 1988-1991.

      w w w . parliament.uk/Templates/BriefingPapers/Pages/BPPdfDownload.aspx?bp-id=SN04870
      Certain amendments were also made to the banking laws, which made it possible for the government to write down a bank’s shares to zero. This ensured that share capital really could be written down if a bank’s capital was lost.
      At this stage, the crisis escalated rapidly. In October, it became evident that huge loan losses had wiped out the entire share capital of two of the three largest banks [Christiania Bank and Fokus Bank]. Their share capital was written down to zero by government decision. The government – through the Government Bank Insurance Fund – became the sole owner of the two banks.

      Sera que isso aconteceria no Brasil? Nos EUA não fizeram isso.

      Key features of the Norwegian crisis resolution
      There are five features of the Norwegian resolution I would like to highlight:

      Private solutions were explored before the government intervened.
      Share capital was written down to zero before committing public funds.
      The government acted swiftly to limit contagion, but did not provide a blanket guarantee.
      Liquidity support was given to illiquid, but solvent institutions.

      http://research.stlouisfed.org/publications/es/09/ES0910.pdf
      “The Nordic bank resolution
      is widely regarded as among
      the most successful in history.”

      w w w .reuters.com/article/2008/10/09/us-financial-soundest-banks-idUSTRE4981X220081009
      De acordo com o World Economic Forum o Brasil não está nem entre os 20 melhores sistemas bancários do mundo:
      RANKINGS
      1. Canada
      2. Sweden
      3. Luxembourg
      4. Australia
      5. Denmark
      6. Netherlands
      7. Belgium
      8. New Zealand
      9. Ireland
      10. Malta
      11. Hong Kong
      12. Finland
      13. Singapore
      14. Norway
      15. South Africa
      16. Switzerland
      17. Namibia
      18. Chile
      19. France
      20. Spain

      0
    • RT 6 de outubro de 2011 at 09:10

      ““bolha” representa o descolamento significativo e prolongado do preço de algum ativo financeiro ou real dos seus fundamentos”

      É fato que os preços dos imóveis se descolaram de seus fundamentos, uma vez que quem pretende comprar para morar não tem como fazê-lo com os preços mais que dobrados, como estão.

      Compartilho a opinião dos colegas para quem só faz sentido investidores botarem sua grana em imóveis enquanto têm esperança que no fim dessa cadeia, alguém vá comprar para morar. Do instante que ninguém pode comprar para morar, o imóvel se torna uma batata quente, que só pode ser vendida de um investidor para outro, até que nenhum outro compre, à medida que a certeza de que é uma batata quente aumenta.

      Acredito que, uma vez cessada a euforia do mercado imobiliário, os investidores vão sair e os potenciais compradores serão os assalariados que querem uma residência para morar. Dado o desequilíbrio entre a renda destes e os preços atuais, vejo a queda dos preços como único caminho possível.

      Muitos “corretores” e “entendidos” falam hoje dos preços “subirem num ritmo menor, somente acompanhando a inflação”. Pessoalmente, acho essa suposição ridícula. Não vejo espaço para subirem mais um centavo sequer, tão descolados da realidade que já estão.

      0
      • DM 6 de outubro de 2011 at 09:24

        RT,

        Estes “Intendidos” (com I de incompetente) são os mesmos que alguns meses atraz falavam que imóvel iria subir de 20 a 30% por ano.

        A minha pergunta é, Qual a credibilidade do palhaço?

        DM

        0
        • DM 6 de outubro de 2011 at 09:26

          Ops,

          Atrás!

          0
        • RT 6 de outubro de 2011 at 09:35

          O que mostra a importância de se investigar a procedência dessas previsões de longo prazo antes de sair confiando nelas.

          Quem comprou apartamento 1 ano atrás com planos de realizar x% de lucro em 5 anos, em alguns meses já viu que tá fudido… mas também, tem que ser muito otário pra pegar todas as economias e ainda se endividar numa aposta dessas.

          Eu só pensaria em investir em imóveis depois de já ter casa própria, e mesmo assim se o capital investido fosse apenas uma fração de meu patrimônio.

          0
  • Ricardo 6 de outubro de 2011 at 06:25

    Causes of the United States housing bubble

    h t t p : / / en.wikipedia.org/wiki/Causes_of_the_United_States_housing_bubble#Promotion_in_the_media

    0
  • Yoda 6 de outubro de 2011 at 08:19

    Está cheio de pessoas do outro lado da força aqui no blog, o que tem gerado discussões acaloradas. Como diria Voltaire: “não concordo com uma palavra do que dizes, mas defendo até a morte o direito de dizê-las”.

    O tempo e o mercado irão decidir quem está com a razão. Acho os preços dos imóveis exagerados e acompanho o blog desde o início, com raras postagens, mesmo assim, ainda não tenho a certeza de uma bolha. Acho interessante opiniões dos dois lados, e defesas mais polidas e inteligentes do ponto de vista de cada parte são mais interessantes do que ofensas mútuas.

    Apesar de dúvidas, meu dinheiro segue para outros investimentos, que não imóveis.

    0
    • trackback 6 de outubro de 2011 at 08:29

      Seek and destroy…

      0
    • Felipe 6 de outubro de 2011 at 09:08

      Depois que eu vi uma propaganda na baixada santista de uma tal de “Pelé Imóveis” (com assinatura do Pelé mesmo), tenho certeza que essa bolha tá pra explodir hehehehehe

      0
  • Piaui 6 de outubro de 2011 at 09:13

    Simulador habitacional da caixa tentei acessar esses últimos 3 dias pela manhã e nada…alguém conseguiu?

    0
    • Paulo 6 de outubro de 2011 at 09:58

      Tá funcionando aqui, ou seja, não há d….

      0
    • trackback 6 de outubro de 2011 at 11:42

      Já aconteceu comigo também, principalmente quando colocava convênio MPOG. Continua tentando, um dia consegue!

      0
      • Carlos Wagner 6 de outubro de 2011 at 13:55

        Notei que no simulador da caixa, quando voce opta pelo convenio MPOG, diz que não há nenhuma linha de financiamento que me atenda.

        Será que o MPOG nao tem mais convenio com a caixa?

        0
        • trackback 6 de outubro de 2011 at 15:58

          Não, também pensei nisso. Fiz uma simulação aqui com MPOG e deu certo! Tive uma surpresa, coloquei imóvel de 100K e renda de 3K (como exemplo) apareceu até opção MCMV. Isso para mim é novo, vou testar limites de valor e renda, só de curiosidade.

          0
        • trackback 6 de outubro de 2011 at 16:03

          O problema quando colocava MPOG é que o sistema travava, não mostrava opções de financiamento, mas agora mostra.
          http://www8.caixa.gov.br

          0
  • Carlos Eduardo 6 de outubro de 2011 at 09:41

    Olhem o email que acabei de receber!!!
    agora fala que não tão dando desconto! rs

    êeee olha a vergonha
    ————————————————————————————————————

    Prezado,

    Já pensou em comprar seu apartamento e ganhar um carro? No empreendimento Sublime Max Condominium no Recreio dos Bandeirantes será assim!

    “Os clientes que adquirirem uma unidade no Sublime ganharão uma Nova Uno 0Km.”

    Se você está pensando em comprar seu apartamento, ou investir na região não perca essa chance! O lançamento será no próximo sábado dia 8 de outubro.

    Entre em contato e solicite imagens e condições de pagamento!

    Aguardo você!

    Atenciosamente,

    0
    • RT 6 de outubro de 2011 at 09:43

      Não é esse que tá até com anúncio na TV??

      No anúncio, eles fazem questão de enfatizar que “não é sorteio”!

      0
    • Lucas 6 de outubro de 2011 at 10:30

      Agora fica a pergunta?
      Será que quem tem poder aquisitivo pra comprar apartamento neste empreendimento fica andando por aí de carro Uno?
      Abç.

      0
      • trackback 6 de outubro de 2011 at 11:30

        Fico impressionado, será que compradores se impressionam em ganhar um carro na compra; um brinde que deve representar uma porcentagem irrisória do valor pago. É preocupante; a emoção falar mais alto que a razão.

        0
    • MrK 6 de outubro de 2011 at 14:10

      SABE QUEM ME MANDOU 2 ANUNCIOS DO SUBLIME ESSA SEMANA POR EMAIL??????

      a LOPES

      mas que curioso, não era a LOPES que estava vendendo a dar com o pau, segundo o Marco Antonio??? Derretia mais que cheddar mc melt????

      porque estão infernizando os outros de email e dando carro 0km???

      Com a palavra Marco Antonio

      0
      • lopes51 6 de outubro de 2011 at 14:28

        Como diria Padre Quevedo:
        Isso nom ecxiste.
        KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

        0
      • semi 6 de outubro de 2011 at 14:33

        o que tem a ver spam com vender muito ou pouco? spam é a forma mais barata de propaganda que existe… todo mundo faz, independente de qualquer cenário, pois é quase de graça.

        0
        • MrK 6 de outubro de 2011 at 15:20

          e dar carro 0km, é a forma mais barata de fazer propaganda?

          0
          • semi 6 de outubro de 2011 at 15:38

            um carro de 30mil é 5% de um imóvel de 600mil… Sempre existiu um desconto de 5 ou 10% na negociação.
            apenas o mesmo desconto dado de uma forma diferente.
            não há almoço grátis

            0
            • Paulo Rocha 6 de outubro de 2011 at 15:50

              Aposto que esse desconto é menor ainda. Devem ter feito uma parceiria com alguma concessionária….

              0
            • MrK 6 de outubro de 2011 at 16:23

              semi, pra comecar o empreendimento custa R$350mil, então o desconto tá mais pra 10%

              outra coisa, se voce fosse a um lancamento em 2010, voce nao ganharia nada, nem carro nem desconto de 10%, isso não é mudança pra voce? ou isso é forma barata de fazer propaganda?

              0
  • DM 6 de outubro de 2011 at 09:43

    Os preços insanos dos imóveis no Rio
    Os apartamentos mais cobiçados na orla da zona sul chegam a ser negociados por 50.000 reais o m² – um exagero ao alcance apenas dos multimilionários

    Fonte: http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/imoveis/noticias/os-precos-insanos-dos-imoveis-no-rio?page=2&slug_name=os-precos-insanos-dos-imoveis-no-rio

    0
  • Lucas 6 de outubro de 2011 at 10:26

    Brasilia:
    lançamento de imóveis de 700k a 900k – Isso é normal para muitos!
    Chamada de reportagem na globo antes de eu vir para o trabalho: hospital público de Brasília só opera se pacientes comprarem os itens necessários.
    Que país é este, que país é este.
    Gostaria que algum corretor me explicasse isso, por favor?

    0
  • FQ 6 de outubro de 2011 at 10:45

    Luiz,

    Muito bom o “post” com as 38 técnicas “dialéticas” para vencer uma discussão sem ter razão!

    Agora, pesquise na internet a palavra “TROLL”.

    Nunca, nunca mesmo, em uma discussão, aceite uma provocação!

    “Um troll, na gíria da internet, designa uma pessoa cujo comportamento tende sistematicamente a desestabilizar uma discussão, provocar e enfurecer as pessoas envolvidas nelas. O termo surgiu na Usenet, derivado da expressão trolling for suckers (lançando a isca para os trouxas), identificado e atribuído ao(s) causador(es) das sistemáticas flamewars.”

    0
    • Leandro 012 6 de outubro de 2011 at 10:50

      Fazendo coro, deem uma olhada por favor,
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Troll_(internet)
      e lembrem-se, não alimente os trolls.

      0
      • Luiz 6 de outubro de 2011 at 19:09

        eu faço assim
        quando a pessoa me provoca, eu vejo naquela provocação o ponto fraco dela

        por exemplo:
        o cara me chamou de corno de 14 anos no post passado

        o que eu entendo:
        que ele tem problema sexual, pode ter sido abusado pelo tio aos 14 anos e agora de sacanagem vendeu pra outro parente um imovel no auge da bolha imobiliaria

        Quando vc ataca alguém, vc mostra quem vc realmente é. ensinamento budista

        0
  • Ricardo 6 de outubro de 2011 at 11:09

    Imóveis e os riscos da euforia exagerada
    Autor(es): Romeu Chap Chap
    O Estado de S. Paulo – 06/10/2011

    De janeiro a julho deste ano, a venda e os lançamentos de imóveis novos na cidade de São Paulo registraram, respectivamente, queda de quase 20% e de 14%, em relação a igual período de 2010.

    Os números não devem impressionar. Até porque o desempenho do mercado imobiliário no ano passado foi extraordinário. O nível de comercialização situou-se muito acima do que se pode considerar como um ritmo saudável e sustentável. Portanto, a redução foi, digamos assim, providencial, para que não corrêssemos os riscos de uma euforia exagerada. Riscos que já se faziam perceber num movimento especulativo de particulares, inflacionando os preços de terrenos e, naturalmente, o preço médio do metro quadrado construído. Um movimento que acertaria de cheio os investidores animados pela possibilidade de uma alta continuada.

    A diminuição vem devolver o bom senso que deve predominar no setor, até em razão do longo prazo que caracteriza sua operação. Mas isso não significa desaquecimento. Nada de achar que os preços vão desabar e que é bom esperar para comprar na “bacia das almas”.

    O mercado imobiliário ainda vive o bom momento iniciado com a retomada do crescimento pós-crise de 2008 e o Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), medida anticíclica adotada pelo governo federal que deu impulso e dinamismo às atividades da área.

    O segmento residencial é o grande responsável pelo forte crescimento experimentado nos últimos anos, após o susto da crise financeira internacional que abalou importantes países. Isso se tem refletido nos números do setor, que se converteu num dos mais fortes segmentos da economia nacional.

    Todos reconhecem que a mola propulsora desse crescimento tem sido o crédito imobiliário. De janeiro a julho deste ano, o volume de financiamentos concedidos pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) atingiu um recorde de R$ 43,6 bilhões – um crescimento de 51% em comparação com os primeiros sete meses de 2010.

    Se esses números recordes são expressivos, também são expressivas: a alta dos valores dos terrenos, que tem dificultado a viabilização de alguns empreendimentos; a alta dos custos da construção, que tem diminuído as margens dos negócios; e até a dificuldade de entrega dos projetos, em especial do MCMV, por causa de atrasos em obras e mesmo problemas em repasses de contratos da Caixa Econômica Federal.

    Esse é o cenário a que assistimos, e com grande preocupação. Tais movimentos terminam por revelar os perigos inerentes a um mercado superaquecido e nos chamam à responsabilidade de conter a impetuosidade do mercado, em prol de um desenvolvimento mais continuado.

    A responsabilidade é ainda maior ao considerarmos o atual ambiente da economia mundial, sacudida por outra crise, provavelmente ainda mais séria, posto que de países, e não de mercados.

    Para o setor imobiliário, a conclusão é óbvia: não é possível imaginar que continuaremos nadando de braçadas num mar de tranquilidade. Pelo contrário. Temos ondas enormes chegando, e as correntezas são tantas que é impossível adivinhar para onde elas podem nos levar.

    A globalização, que por um lado aproxima os países, deixa-os extremamente dependentes e, como um grande castelo de cartas, expõe todos a um risco permanente. Ao olharmos para os estragos causados nos mercados europeu e americano, devemos tomar lições dos abalos que foram sentidos naqueles países para não incorrer nos mesmos erros, até por interpretar indevidamente os sinais do setor imobiliário nacional.

    O momento é muito bom e todos querem que assim continue. Por isso, não podemos deixar que a euforia nos tolde a visão. A diminuição ora verificada no comportamento do mercado de imóveis vem devolver o bom senso que o setor exige. Sabedoria é isto: observar, conhecer, pesquisar, interpretar e ajustar. Vamos seguir devagar e sempre. É o melhor a fazer.

    0
  • nelson 6 de outubro de 2011 at 11:14

    Site que oferece até 25% de descontos em imóveis estreia em SP
    Publicidade
    DE SÃO PAULO

    Foi inaugurado em São Paulo um site que dá descontos de até 25% em imóveis.

    A ideia do Promoimóvel, afirma o empresário Luiz Turano, é oferecer imóveis prontos ou em fase final de construção.

    “O site trabalha o estoque do mercado, tentando oferecer um desconto que em algumas vezes já existe, mas que não alcança o consumidor, somado a outro desconto que o incorporador acaba concedendo.”

    A unidade vaga não-vendida chega a consumir 1% do valor do imóvel ao mês, diz Turano. “Isso incentiva o incorporador a vender”.

    A exemplo de outros “clubes de compras”, o interessado tem um determinado período de tempo para pedir um cupom e ter direito ao desconto do imóvel. Informações como metragem, tipologia e endereço estão disposníveis. “A partir do momento em que o cupom é enviado por e-mail, um corretor entra em contato com o comprador”, explica Turano.

    O site apresenta imóveis de construtoras como Cyrela, Living, Tenda, Gafisa, Calçada e Wrobel.

    A empresa estuda atuar em outras cidades como Brasília, Curitiba, Recife e Belo Horizonte. Para conhecer uma das 14 ofertas paulistas disponíveis atualmente no site, clique aqui.

    Turano afirma que a ideia é chegar a mais de 30 ofertas simultâneas

    0
    • danilo 6 de outubro de 2011 at 11:41

      A concepçao do site pode até ser bacana, mas o cara achar que um apartamento de 67m2 por 650K é uma bagatela (9,6K o m2), com prazo para a promoçao acabar, é o fim da picada.

      0
      • Duda 6 de outubro de 2011 at 14:11

        Danilo, isso é só o começo… espera mais um pouco e vai ver dessas promoções aos montes… e com maiores descontos. A Bolha está estourando. Quando se fala de “descontos”, promoções, carros de brinde, significa: PREÇOS EM QUEDA

        0
        • Pesquisador 7 de outubro de 2011 at 12:20

          O melhor de tudo foi que esse lance de dar carro, foi previsto aqui no blog há meses….

          Parabéns aos membros! Parabéns ao Bolha!

          0
      • lopes51 6 de outubro de 2011 at 14:23

        Isso é so mais uma tecnica de vendas pra pregar desespero nas pessoas e que se não comprar naquele momento nunca mais compra, ai as pessoas são movida pelo seu impulso e não pela razão é mais ou menos a historia do sino tocando cada vez que os imoveis são vendidas em um salão de vendas por exemplo, puro terrorismo comercial.
        Tb acredito que esse desconto vai ser pra os imoveis super encalhados e com os preços mais absurdos que o normal que serão apresentados como OPORTUNIDADES UNICAS E FANTASTICAS logico que pra construtoras e imobiliarias.
        Mais eu fico feliz em ver que o nosso pais é super rico kkkkkkkkkkkkkk…..
        Será que algum colega do blog teria dados dos preços dos imoveis na argentina, bolivia, peru, chile, africa do sul, russia, mexico e outros?
        Assim poderiamos verificar os seus preços com os nossos acho que isso daria uma analise melhor dos nossos absurdos pois comprar brasil com usa, monaco, frança e etc é loucura, veja a baixa qualidade de nossos materias perto dos deles sem contar que até chuveiro eletrico tem que ser comprado pra colocar no imovel.

        0
  • nelson 6 de outubro de 2011 at 11:20
  • Luiz 6 de outubro de 2011 at 11:56

    senhores obrigado pelos leogios a minha participação neste blog

    Hoje estarei em silencio em homenagem a Steve Jobs

    Minha homenagem sincera a esta pessoa consicente do seu mundo que sempre se dedicou a tornar as coisas melhores, independente de dinheiro.

    mas como não resisto, divirtam-s ecom este link de humor negro sobre a bolha
    dablio dablio dablio blogdoklebers.blogspot.com/2011/07/o-estouro-da-bolha-imobiliaria.html

    0
  • agc 6 de outubro de 2011 at 12:31

    Ações de construtoras sobem após dados da PDG Realty
    04 de outubro de 2011 •

    Noticia

    As ações do setor de construção civil operavam entre as maiores altas do Ibovespa nesta terça-feira, com os dados operacionais da PDG Realty no terceiro trimestre animando os investidores. Às 12h32, o papel da empresa subia 2,9%, a R$ 6,02. MRV ganhava 2,86%, a R$ 9,36. Rossi crescia 2%, a R$ 8,53, e Gafisa subia 1,2%, a R$ 5,13. No mesmo instante, o Ibovespa tinha queda de 1,46%.
    Na noite de segunda-feira, a PDG informou ter alcançado R$ 2,65 bilhões em lançamentos pro rata no terceiro trimestre, um crescimento de 30,1% em relação ao mesmo período de 2010. “Os números foram favoráveis”, afirmou o analista Leonardo Zanfelício, da Concórdia. “Nem todas (as empresas) deverão ter essa performance positiva, mas é um sinal de que a demanda (no setor) se manteve favorável no terceiro trimestre”, ressaltou.
    O analista também acredita que as ações continuam sendo favorecidas pela expectativa de novas reduções nos juros pelo Banco Central (BC) do Brasil. “Se o governo deixar claro que pretende manter a economia aquecida, o mercado espera que o setor tenha um desempenho favorável”, afirmou.

    0
    • RT 6 de outubro de 2011 at 12:34

      Em alguns minutos, algum corretor vai chegar gritando “cadê a bolha, hein?? olha as ações subindo aí!”.

      Caiu 60% no ano, mas e daí?? Rs

      0
      • Bolha Imobiliária 6 de outubro de 2011 at 12:39

        Dados operacionais, valores de lançamentos não é métrica para avaliar…O que vale é saber se venderam, quanto gastaram com outros itens…

        0
    • Dr. Estranho 6 de outubro de 2011 at 15:38

      Obaaaa!!!! Agora vou comprar. Sou estranho mesmo.

      0
  • Duda 6 de outubro de 2011 at 14:08

    Interessante esta mini invasão de corretores e compradores com preços estratosfericos no blog. Como nas ultimas semanas estou postando pouco, não tinha percebido. Mas eles fazem isto ficar muito melhor, lembram do Jose e o André? quando eles escreviam, os acessos subiam ate o infinito…

    O desespero destas pessoas deve ser muito forte, pois chegaram aqui para nos dar batalha… hehehe, e por algúm motivo gosto disso. Temos a espada mais poderosa de nosso lado: a realidade.

    0
    • semi 6 de outubro de 2011 at 14:27

      devem ter inveja da situação fácil e tranquila de quem está vendo os preços subirem que nem foguete há 1 ano…

      0
      • Carlos Wagner 6 de outubro de 2011 at 14:47

        Semi

        É por causa de pessoas como voce que as construtoras riram a toa por 3 anos. Você é presa facil, não contesta, aceita tudo como verdade indiscutivel.

        Agora lhe pergunto: O que adianta ver os preços subirem como um foguete ha 1 ano e não poder se capitalizar, ou seja, transformar isso em dinheiro e fazer lucro, pois não há comprador.

        O fato de um ap valer 1 milhão ou 100 mil é o mesmo se não houver comprador, vai continuar sendo só um ap e o dono vai continuar vivendo com a aposentadoria de 1 salario minimo e passando necessidade.

        Qual a vantagem nisso tudo?

        Cara, você deve ter feito uma merda muito grande pra estar cego assim…ahuahuahuahuh

        0
        • ops 6 de outubro de 2011 at 15:35

          talvez ele já comprou, e já vendeu, só nesse período de 1 ano… só suposição.
          talvez nao haja compradores aqui. o brasil é bem maior…

          0
          • MrK 6 de outubro de 2011 at 16:31

            eu nao sei se quem comprou na planta pra entrega daqui a 1 ano ou mais tá numa situação “facil e tranquila”, acho que estão comecando a ficar “preocupados e inquietos” vendo que o imovel pronto não vende aos preços atuais

            0
            • Duda 6 de outubro de 2011 at 21:29

              Fácil e tranqüila ficar devendo por trinta anos… Gostaria saber que conceito tem o semi dessas palavras

              0
      • lopes51 6 de outubro de 2011 at 14:54

        Eu tenho 2 imóveis e minha familia alguns também, e nem por isso estou tranquilo, nesses preços vc vende pra quem?
        É o q sempre pergunto quem compra nesses preços?

        Um vizinho meu tava vendendo a sua casa a 8 meses e adivinha o q aconteceu?
        Ele alugou por que não queria ficar gastando dinheiro com o imovel parado ou melhor não tinha dinheiro pra fazer isso.

        Um vizinho da casa da vo da minha namorada é de sp e tem uma casa que vem as vezes aqui em fds, ta vendendo a 2 anos e reajustou o preço umas 3 vezes e adivinha o q aconteceu?
        Não vendeu.

        O meu chefe ta vendendo uma chacara na minha cidade a 1 ano e meio por um valor “ABAIXO DO MERCADO UNS 80 MIL” e adivinha o q aconteceu?
        Não vendeu.

        Nesse mesmo bairro de chacaras eu tenho uma e meu vizinho de frente ta vendendo a dele por um preço maior que a do meu chefe e a chacara dele num chega nem perto da do meu chefe e adivinha o q aconteceu?
        Não vendeu.

        Acompanho um site de imobliaria aqui na minha região e em 4 meses o numero de anuncio de venda mais que dobrou e as vendas estão encalhadas, o dono desse imobiliaria me falou que o q salvou ele foi a vende de um terreno pra construção de uma empresa pq o resto ta empacado me falou q tem muita gente interessada em fazer negocio, mais com esses preços as pessoas não tem condição de comprar nem financiado.

        O dono dessa imobliaria que fui fazer negocio algumas vezes quando achava algo interessante (ficava xeretando o q tinha na imobiliaria e ia ver sozinho os imoveis) e falava de fechar negocio ele ia e oferecia a outra pessoa pedindo um preço maior e vendia pra investidor pq a oportunidade era boa, mais se eu não tivesse feito isso ele não teria vendido pq até tinha esquecido desses imoveis pra vender. Acho isso uma baita sacanagem.

        Uma hora o mercado vira é igual o lance de agio pra carro em 1994, 1995, a hora que a farra acabou muita gente perdeu grana querendo se aproveitar dos outros.

        0
        • MrK 6 de outubro de 2011 at 15:49

          lopes,a esses preços nada vende de usados, só vende novos, pois novos voce financia molezinha com a construtora e paga só 20% na planta pra lucrar sobre o preço cheio

          os usados reajustaram com base nos preços das plantas, só que não tem venda a esses preços, esquece, usados e planta são muito diferentes em termos de oportunidade de especular

          0
        • Carlos Eduardo 6 de outubro de 2011 at 16:40

          Conheço uns 6 casos desse também! dá época que eu pensava em comprar casa !

          adivinha!

          a mesmas que eu consultei ainda estão a venda a mais de 1 anos quando fui ver e na verdade elas já estavam de 3 á 4 anos á venda!

          porém já notei que os preços estão caindo! tem gente realmente querendo vender !

          mais não aconselho ninguém a comprar mesmo com descontos, os preços ainda estão altos D+

          0
      • Duda 6 de outubro de 2011 at 16:24

        hehehehehe, tente vender, meu amigo semi… tente… vai ser um exercicio de paciencia… se já tivesse vendido, nem se incomodaria para nos responder…

        0
    • Carlos Wagner 6 de outubro de 2011 at 14:36

      Duda

      A explicação para o aparecimento, principalmente, de novos compradores é o seguinte:

      Compraram achando estar fazendo um otimo negocio e que os imoveis iriam valorizar 30% ao ano durante os proximos 10 anos, como divulgado aos quatro ventos. Porém, a agua começou a bater na canela e viram que o país das maravilhas só existe em conto de fadas. Eles estão procurando, desesperadamente, na net, explicação para o que está acontecendo, temendo que realmente possa existir a tal bolha e ela levar embora seus investimentos e poupança de toda uma vida.

      É por isso que temos presenciado o acesso de tanta gente nova por aqui. Se eu tivesse feito negocio num imovel, como pretendia fazer, também estaria em busca de informações para encontrar um porto seguro e me tranquilizar quanto a situação do mercado.

      Quanto aos corretores, acredito que não tenham muito o que fazer no momento. Mas é bom ter esse pessoal aqui. Eles podem nos trazer novas informações e contribuir para o blog. Só acho que deveriam ser mais humildes e entrar na discussão apresentando argumentos consistentes. O que temos visto é gente chegando dizendo que estamos loucos, que somos pobres e nao podemos comprar nada, somos recalcados etc… Mas, tenho amigos corretores e eles dizem que a coisa anda feia.

      Bom, acho que é isso…

      0
      • Duda 6 de outubro de 2011 at 16:29

        Isso mesmo, quem colocou a grana num imóvel, para tentar vender e fazer lucro, deve estar desesperado. Sempre que fiz algúm investimento “duvidoso” na minah vida, fiquei meio sem rumo, procurando tranquilidade… psicologia é igual para todo ser humano. Por isso esta fila de desesperados postando por aqui. Abs

        0
  • Richard S Miranda 6 de outubro de 2011 at 14:39

    Bolha

    Antes eu era contrário, más agora com tanta gente participando aqui, melhor todos partimos para o forum !!!

    Podemos criar assuntos tais como:
    – malhação de corretor
    – Opção de aluguel enquanto existir bolha
    – Os preços estão caindo
    – etc …

    O que você acham ???

    0
    • Money Addicted 6 de outubro de 2011 at 14:47

      acontece q temos uma bolha de comentarios no blog…..rs

      desculpe a brincadeira, mas se formos analisarmos eh isso q acontece no efeito “manada” todos vem no blog e nao forum consequentemente os comentarios sempre aumentam aqui, mesmo o forum sendo uma ferramenta mais pratica para discussao d ideias

      0
      • Dr. Estranho 6 de outubro de 2011 at 15:14

        É contagiante. Impossível não participar.

        0
        • Vinicius Lima 6 de outubro de 2011 at 16:57

          Hahahahahahahahahaha… O seu apelido fala por si só…

          0
  • MrK 6 de outubro de 2011 at 14:39

    Duda, o engraçado é que a lopes, que segundo o marco antonio derrete mais imovel que cheddar mc melt, está me bombardeando de propaganda do sublime

    “venha investir no sublime recreio e ganhe um carro 0km”

    que estranho né? será que dão carros por generosidade?

    0
    • Dr. Estranho 6 de outubro de 2011 at 15:27

      Imagino que só compram esses aps os corretores(apenas para especular). Como a grana acabou e não conseguem revender….. Por isso o déficit de corretores. Entendeu????

      0
      • Luiz 6 de outubro de 2011 at 18:44

        é o jeito que eles encontraram de se livrar de 2 estoques abarrotados

        estoque de Fiat
        estoque de apê novo

        ambos encalhados pelos mesmos motivos

        0
  • Antonio Carlos 6 de outubro de 2011 at 15:20

    O presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Fontes Hereda, afirmou hoje que o banco está passando incólume às turbulências econômicas, embora reconheça um arrefecimento no ritmo de concessão de crédito. “A crise não chegou à Caixa”, afirmou, em evento pelo aniversário de 150 anos do banco. Hereda também voltou a afastar o risco de bolha imobiliária no País. “Não vejo possibilidade de bolha e acho que é muito saudável termos uma tendência de crescimento (na concessão de crédito imobiliário) para o ano que vem um pouco menor”, disse.

    Até agosto, a alta na concessão de crédito imobiliário foi de 26% no ano em relação ao mesmo período do ano passado. O volume de financiamento no segmento deve chegar a R$ 90 bilhões neste ano, contra pouco mais de R$ 76 bilhões do ano passado. A alta esperada de 18% é menor do que nos anos anteriores, numa desaceleração programada pelo banco. “Não dava para sair de R$ 5 bilhões em 2003 (de volume financiado) para quase R$ 77 bilhões em 2010 e continuar neste ritmo”, disse. “Estamos numa batida esperada e vamos continuar nesta batida”.

    No Programa Minha Casa, Minha Vida, o presidente da Caixa disse que uma portaria assinada ontem no Executivo permitirá a aceleração do programa na faixa de 3 a 10 salários mínimos. “O (programa até 3 salários) está deslanchando agora, um pouco depois do que imaginávamos. Já o de 3 a 10 (salários) está num ritmo melhor do que o esperado”, disse.

    Mas Hereda confirma uma redução no ritmo de concessão de crédito. Houve diminuição da velocidade de vendas em São Paulo. “São ajustes importantes. O preço dos imóveis está muito valorizado. Mas não haverá bolha, este é uma resposta que o mercado dá ao aumento do preço”. No Rio, houve ainda crescimento na velocidade das vendas, disse.

    O presidente da Caixa lembra que os imóveis passaram muitos anos depreciados no País e que a ascensão de 30 milhões de pessoas à classe média aumentou a demanda por financiamentos e impulsionou os preços de imóveis. Ele lembra ainda que em geral o financiamento no Brasil é feito para a aquisição do primeiro imóvel e que a concessão de crédito é segura no Brasil. “Não é como nos Estados Unidos, na Europa, em que estavam comprando a terceira moradia”, disse.

    http://www.odiario.com/economia/noticia/499478/presidente-da-caixa-afasta-risco-de-bolha-imobiliaria/

    0
    • Luiz 6 de outubro de 2011 at 17:22

      presidente denorex
      Jorge Fontes Hereda não é economista
      é petista

      parece mas não é

      0
  • peterson 6 de outubro de 2011 at 15:28

    http://www.precisao.eng.br/fmnresp/bolhaimobl.htm

    esta noticia é de ANTES da bolha americana estourar…
    quaisquer semelhanças entre as declarações do presidente do Banco central não será mera coincidencia….

    0
  • Dr. Estranho 6 de outubro de 2011 at 15:47

    Quero trabalhar na Lopes. Estou cansado dessa merreca de 7k que ganho e esse benefícios chatos. Não quero mais ser pobre. Quero ser corretor. Tem bastante corretor no site, portanto, solicito um e-mail para eu me candidatar. Grato.

    0
    • trackback 6 de outubro de 2011 at 19:11

      Que é isso cara ????? Comer carne só no final de semana e só ter meias furadas não é tão ruim!!!! Dica: Quando usar fio dental para limpar os dentes, não o discarte! Lave com água corrente e seque para o próximo uso! Fazendo economias dá para curtir os 7k mensais numa boa!

      0
  • Antonio Carlos 6 de outubro de 2011 at 15:48

    Estranho, li alguns posts de vocês, e é quase um consenso geral que não se deve comparar o cenario brasileiro com o americano. Dois pesos, duas medidas?

    0
    • Fernando 6 de outubro de 2011 at 16:50

      Existe uma diferença no padrão de formação da bolha americana em relação a brasileira, como na irlandesa, na espanhola, etc.
      Embora possam ter elementos diversos na sua gênese, os comportamentos de NEGAÇÃO de políticos, banqueiros e empresários do setor costuma ser muito parecido.
      Caso o Sr tenha curiosidade, volte posts atrás e veja o gráfico de comportamento de mercado em ciclos economicos que cursam com fenomeno de bolha. É nada mais, nada menos que um exercicio estatistico de boa confiabilidade.
      Cada um com o seu cada qual.

      0
      • Duda 7 de outubro de 2011 at 09:04

        Assino embaixo. Nosso colega deve visitar posts antigos. Depois podemos falar com os mesmos fundamentos.

        0
    • Carlos Wagner 6 de outubro de 2011 at 18:03

      Em um documentario recem lançado, chamado Inside Job, que mostra como a bolha americana nasceu, cresceu e estourou, o presidente do Goldman Sachs quando questionado por um reporter se eles não tinham conhecimento sobre a formação de uma bolha de ativos e que, se tivesse, porque nao tentaram frea-la, disse:

      – Quando se está nesse negócio, temos que beber a água até o final.

      É assim que acontece…

      0
    • Luiz 6 de outubro de 2011 at 18:18

      é quase um consenso geral que não se deve comparar???

      participo há apenas 6 meses,
      mesmo assim nunca li nada sobre nunca comparar
      nem ninguem dizendo que aqui é exatamente igual lá

      a sua pergunta Antonio, me lembra o item 1 do manual

      0
  • Ar Quente 6 de outubro de 2011 at 15:59

    De fato, não há mesmo.
    E ficar sentado olhando as paredes do seu AP não te deixa rico porque não gera nenhuma riqueza.
    De fato, quanto maior o hiato entre o aluguel e o preço do AP, menos riqueza o AP gera.

    Mas eu acho que ainda temos pano pra manga. Ainda tem Ar Quente pra encher essa bolha.

    0
    • Ar Quente 6 de outubro de 2011 at 16:04

      Era pra ter ido no comentário do semi lá em cima sobre almoço grátis! Foi mal! rsrs

      0
  • Renato 6 de outubro de 2011 at 16:01

    Kitnet lançamento sendo oferecido pela construtora a 7500 o m²
    Emirado da Abyara

    Ao passo que 2 prédios q estão sendo entregues nesses proximos meses os revendedores estão oferecendo por 3800 o m² no Porto Cidade e por 4000 o m² no Enseada das Orquideas.

    Imovel zero, pronto pela metade do preço que o ap. na planta oferecido pela construtora.

    0
    • Renato 6 de outubro de 2011 at 16:02

      Esqueci de dizer que isso é em Santos/SP

      0
  • Roni 6 de outubro de 2011 at 16:31

    Pessoal,

    Nao tenho certeza se há uma bolha, mas acho que vai haver uma inflexão na curva de preço dos imóveis. De acordo com os meus cálculos (ronianos aleatórios), o preço médio de imóveis em regiões sem investimentos (p. ex. infraestrutura) pra justificar aumento extra, estaria em 20/30%.

    Como já foi dito aqui, quem tiver dinheiro pode fazer bons negócios, como acontece no mercado de ações. Compre na baixa, vende na alta.

    Pura especulação, como td investimento.

    0
  • Rogério 6 de outubro de 2011 at 17:02

    Renato,

    Estes 3 empreendimentos estão na mesma região?

    Se este imovéis estiverem na mesma região e forem do mesmo padrão, tá ai um fato concreto que a bolha realmente comecou a estourar!!!!

    0
    • Renato 6 de outubro de 2011 at 18:41

      Rogerio
      não são na mesma região
      mas Santos territorialmente é minuscula
      e todos tem o mesmo padrão
      e essa lançamento fica numa avenida ruim, e longe da praia

      E tenho informação de um outro predio da Agra
      Porto da Ponta – esse é de 130 m²
      incorporadora pede 750
      amigo meu anuncia por 600 mas vende por 550
      e o dono do terreno que ficou com 50 aps dos 250 construidos, vai colocar todos a venda por menos de 500 mil para o pessoal pode usar o FGTS

      O fim começara por aqui

      0
      • Antonio Carlos 6 de outubro de 2011 at 18:50

        Renato,

        Que rua fica esse do seu amigo? Estou procurando que nem louco um imovel em Santos e essa metragem e valor se encaixaria perfeitamente.

        Pode me passar o contato dele?

        Desde já agradeço

        0
        • Renato 6 de outubro de 2011 at 19:00

          zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-3-quartos-venda-SANTOS-PONTA-DA-PRAIA-AVENIDA-REI-ALBERTO-I/ID-1155911

          é atras do clube estrela de ouro, esse é só um anuncio, mas sei que tem muita gente vendendo lá

          0
          • Antonio Carlos 6 de outubro de 2011 at 19:08

            Renato,

            Obrigado pela ajuda. Esse Victor é o seu amigo? Posso falar que conversei com você para negociar o valor?

            Obrigado.

            Abraços

            0
            • Renato 6 de outubro de 2011 at 19:17

              Esse ai eu não conheço

              0
              • Antonio Carlos 6 de outubro de 2011 at 19:38

                Renato,

                Liguei para esse que você me enviou e ele não negocia.

                Por favor, me passe o contato do seu amigo, assim você ajuda ele a vender e eu também.

                Obrigado e desculpe o incomodo.

                0
                • Renato 6 de outubro de 2011 at 21:22

                  em alguma semanas entregam
                  o dono do terreno desse predio ficou com 50 aps
                  vai colocar tudo a venda

                  0
                  • Kassia 6 de outubro de 2011 at 22:28

                    Interessante. Antes tinha apto facinho de 550k, “negociando” sai por 500. aí pedem um contato, e aparece um a 610k, que não negocia. Aí pede-se o contado do outro que faz por 550k e nada!!!????kkkkkk
                    é o tal negócio…o papel (ou o post, nesse caso) aceita tudo…kkk
                    mas na hora do vamo vê….iiiihhhhhhhhhhhhhh.

                    0
                    • truta 7 de outubro de 2011 at 09:17

                      ele disse que era 600, mas fechava por 550
                      não 550 e fechava por 500

                      vai trollar em outro lugar

                      0
  • MrK 6 de outubro de 2011 at 17:06

    Essa vai pro Duda, que é dos antigos no site

    Duda, lembra no inicio que a galera vinha falar “Deixem de ser bobos, estão perdendo oportunidade de compra, enquanto voces ficam aqui falando de bolha um monte de gente ta comprando e vai ganhar muito dinheiro, tem muita demanda”

    pois é, né? Nós ficamos firmes… e agora as vendas secaram, os preços não sobem mais (só no fipezap), estão dando carros, corretores sem ter o que fazer, a midia bombardeada com “não há bolha”, “não há bolha”…

    Daqui a pouco vai vir uma galera falando “pois é, voces avisaram né?”

    não existe dinheiro fácil

    0
    • Paulo Rocha 6 de outubro de 2011 at 17:11

      Eu me lembro dessa.

      Boa lembrança dos velhos tempos! rsrsrs

      0
    • Duda 7 de outubro de 2011 at 08:42

      MrK, claro que lembro sim !! Por isso Vc entende meus sarcasmos com estes maravilhosos “investidores”: Kassia, Paddock, semi e muitos outros. Se o mercado está tão bom assim, não deveríam perder o tempo expondo seus argumentos, deveriam estar aproveitando todos esses apartamentos que na opinião deles seguirão valorizando… No começo era dificil lidar com o Andre e o Jose, pois o mercado ainda não estava desabando, mas agora, rir destes caras negadores de bolha, ficou muito facil. Tem alarmes, luzes vermelhas, jornais poderosos ficando do lado dos bolhistas (FT, WSJ, e aqui o Estadão, e até a Exame estão mudando), e alguns tentan (ainda !!) negar… Se estes caras derem uma olhada em tudo que foi discutido aqui, nem teríam o animo de escrever. Eu não vou gastar teclado em explicar para eles a surrealidade desta situação, de novo (já foi feito innumeras vezes por aqui). Agora vu me dedicar as ironías e o sarcasmo com estas pessoas. Grande Abraço

      0
      • Duda 7 de outubro de 2011 at 09:01

        …vou me dedicar…

        0
  • Luiz 6 de outubro de 2011 at 17:15

    Revista Exame:
    Papéis da construção caem mais de 60% e prejuízo trimestral chega a 33 milhões

    A Trisul é a empresa com ações negociadas na BM&FBovespa com pior desempenho neste ano. queda de 60%.

    A empresa atua no segmento imobiliário,

    Primeiro foi a alta dos juros que castigou o setor com um todo.
    Depois veio uma sequência de revisões de orçamentos que derrubaram as margens das incorporadoras.
    Assim como Cyrela, CCDI, Gafisa e MRV, a Trisul também estourou orçamentos.
    A margem bruta foi de apenas 3,3% no segundo trimestre, uma das piores da indústria.
    Já o prejuízo trimestral chegou a 33 milhões de reais.

    0
  • Luiz 6 de outubro de 2011 at 17:19

    1o. de Outubro começaram a sair as prévias dos relatórios trimestrais
    E não foram boas

    A ordem de cima é manter a calma
    Raspar o tacho
    Especular em áreas que ainda não subiram
    Soltar os cachorros nos adversários, confundir o mercado
    Chamar ajuda dos jornalistas do ESTADAO que são os que tinham mais credibilidade

    E esconder os resultados até onde puder
    Ganhar tempo ao maximo

    0
  • Indecoroso 6 de outubro de 2011 at 17:31

    Pessoal, permitam-me uma rápida intervenção (talvez a questão já tenha sido debatida)…

    Nouriel Roubini, em “Economia das Crises”, arrola como um dos indicativos de virtualização dos preços de ativos (bolha) o fato de várias pessoas enriquecerem ao mesmo tempo sem fazer absolutamente nada, apenas contando com a valorização dos ativos que conquistaram num mercado que se aquece em ritmo cada vez mais acelerado.

    Não é isso que está acontecendo às escâncaras no Brasil? Não está havendo um excesso de confiança na atividade especulativa em detrimento do valor “trabalho”?

    *É minha primeira participação. Parabéns aos idealizadores do “Bolha”.

    0
    • Carlos Wagner 6 de outubro de 2011 at 18:10

      Primeira participação e já começou bem…É isso mesmo camarada!

      Seja bem vindo ao clube dos pobres….rs

      0
      • Luiz 6 de outubro de 2011 at 18:20

        pobres, tráidos, recalcados, cornos, …
        é assim que eles nos tratam
        se vc não se incomoda, seja bem vindo

        0
    • Anonymous 6 de outubro de 2011 at 18:15

      E isto já dizia Peter Schiff.

      0
  • j 6 de outubro de 2011 at 17:44

    Colegas, todos estamos enganados.
    O Park Sul em Brasília é o que mais valoriza por ano, atingindo a marca de R$ 10.000,00, como pode se ver no seguinte post, já de outubro de 2011:

    http://mariimoveisbsb.blogspot.com/2011/10/venice-park-61-8162-8070-ou-8483-1222.html

    Embora possam ser encontrados diversos ágios por 7 mil o metro quadrado, certamente há uma boa razão para ser mais barato que o do anunciado pela corretora ou pelo Jornal da Comunidade.
    http://comunidade.maiscomunidade.com/conteudo/2011-06-04/imoveis/4885/M

    0
    • Pensativo 6 de outubro de 2011 at 19:24

      É porque imóvel é como carro, quando sai da concessionária, digo, imobiliária, o preço cair 30%.
      😀

      0
      • Fernando 6 de outubro de 2011 at 23:48

        Excelente.

        0
  • MrK 6 de outubro de 2011 at 17:48

    PRÉVIA DA PDG

    lá vem mais um mês de sangria…

    A PDG mostrou crescimento de 3% nas vendas vs 2010.. só que é aquela historia, eles falam em VALOR e não em UNIDADES (conveniente, não?)

    Como o preço dos lancamentos dela subiu na ordem de 40% em um ano, fazendo as contas pra dar um crescimento de 3% em valor significa uma QUEDA da ordem de 27% nas vendas em unidades.

    Outro dado curioso é que das vendas do trimestre, quase 60% foram de lancamentos de outros trimestres, 40% apenas foram dos lancamentos deste trimestre, ou seja, só a LOPES tá derretendo tudo no lançamento

    Lembro que a PDG e a MRV normalmente são as que vão melhores… imaginem Gafisa e Cyrela…

    0
    • Luiz 6 de outubro de 2011 at 18:01

      puxa Mrk tinha acabado de falar disto aqui em cima

      nestes casos a ordem aos operadores é manter a calma ao maximo pra na ultima hora arrebentar com o peixe pequeno, o pequeno investidor.

      tbm li uma boa explicação mostrando que eles PRECISAM mostrar cada vez mais lançamentos pra se manterem aparentemente saudaveise quanto mais fazem isso mais estourado fica o orçamento e o Caixa futuro.

      Vai ter quebradeira MRK, não digo desta ou daquela, não se pode advinhar, porém isto já é dado como quase certo, num período aí de 1 ou 2 anos

      0
    • Samuel 6 de outubro de 2011 at 18:28

      Prezado Mrk,

      Temos um aumento na receita de vendas, por conta do preço ter subido… E eu concordo.
      Temos uma redução na quantidade de unidades vendidas… isso foi falado aqui.
      Penso que a quantidade de unidades vendidas compõe o custo das construtoras, se a quantidade de unidades reduz, o custo também reduz.
      O resultado disso é aumento de lucro…
      A fórmula que usei para pensar isto é a seguinte:
      Receita de Vendas – Custo da Mercadoria Vendida = Lucro Bruto
      (Qtde de Imóveis x Preço) – (Qtde de Imóveis x Custo Unitário do AP) = Lucro Bruto
      A margem de lucro unitário deve ser grande, para uma construtora trabalhar desta forma.
      A redução das vendas, não deveria trazer prejuízo nas DF das construtoras… Haveria sim… um estoque alto de imóveis no Balanço Patrimonial… Há esse estoque nas construtoras? E talvez um Resultado de Exercícios Futuros grande no Passivo não Circulante (vendas recebidas de prédios não construídos).
      Estou errado? Nem conferi os demonstrativos contábeis… farei isso assim que arrumar um tempo.

      Abs

      0
      • Luiz 6 de outubro de 2011 at 18:33

        Pode ser mesmo, a PDG é aque menos cai desde o começo da semana.

        0
      • MrK 6 de outubro de 2011 at 20:36

        Samuel, cuidado

        primeiramente nao temos os balancos, somente prévias que quase não tem dados, por isso nao da pra chegar nessa análise

        sua formula considera o custo dos produtos vendidos, mas esquece os do produzido e que estão em estoque, LOGO, se vender menos, mas produzindo menos está ok pro lucro unitario (nao pro lucro bruto!), mas se vender menos com producao igual (que é o caso aqui), voce vai ter o estoque subindo e o capital de giro indo pra vala, no fim vai impactar o caixa e piorar o resultado financeiro

        0
        • Samuel 7 de outubro de 2011 at 00:23

          Prezado Mrk,

          Minha fórmula não contém erro algum. A demonstração do resultado (DRE) é feita pelo regime de competência. Salvo maior engano, o custo só é reconhecido na venda da mercadoria, a mesma coisa pode-se dizer da receita. Se não há venda, não falamos em custo ou receita, há apenas uma mudança de ativos: troco disponibilidade (dinheiro) por mercadorias (apartamentos), ou ainda troco dívidas (empréstimos e financiamentos neste caso não são mais ativos) por mercadorias (apartamentos).
          O que eu quero dizer com isso (e o que eu disse no post anterior) é que se a venda reduzir (e os custos fixos forem todos pagos pelos poucos apartamentos vendidos) e a produção continuar a todo vapor, o resultado só pode ser aumento de estoque.
          Prejuízo só vai aparecer nestes demonstrativos se:
          – a margem de contribuição das vendas não for suficiente para cobrir os custos fixos.
          Senhores, eu só acho que vale a pena olhar as demonstrações financeiras das construtoras, se chegarmos a conclusão de que as margens de ganho destas empresas são demasiadamente altas.

          abraços

          0
  • Luiz 6 de outubro de 2011 at 17:54

    O estouro da bolha imobiliaria brasileira (baseado no blog do Kleber)

    1- O “pool” de compradores potenciais decresce drasticamente. Seguinte: compradores potenciais de celular ou computador sao em numero quase que infinito. Sempre da’ para manter o mercado em movimento com uma inovacao, que comeca pelo topo da piramide e vai rapidamente percolando em direcao aos niveis mais baixos. Alem do que ha’ obsolescencia relativamente rapida e natural do aparelho. No entanto um imovel e’ uma compra gigantesca para o orcamento familiar. O cumpadre pode nao se lembrar quantos celulares ele ja’ teve. Provavelmente se recorda dos automoveis. Mas com certeza nao se esqueceu cada imovel em que morou. Porque em geral este acontecimento e’ um fato relativamente raro na vida das pessoas. Este mercado e’ portanto restrito. Mesmo com sua ampliacao via credito relativamente barato, a uma certa altura da bolha os entrantes finais na festa sao “priced out”. Sacaram a jogada? O credito facil poe gente no mercado, mas esta gente coloca pressao nos precos. Num certo momento neguinho nao consegue mais entrar, uma vez que a queda dos juros NAO e’ ilimitada, mas o preco nao para de subir. Ai as vendas caem rapidamente e a bolha explode. Releiam o item, e atentem para a gravidade. O processo e’ deterministico, cumpadres, uma coisa leva ‘a outra e estracalham a bolha NECESSARIAMENTE!

    2- Com a reducao do numero de compradores estoques comecam a encalhar.

    3- O encalhe de estoques reduz acentuadamente a construcao.

    4- Os precos continuam subindo com uma curva de menor aceleracao, pois os proprietarios entram em negacao e se recusam a acreditar que sua casa nao vale mais aquilo.

    5- Isso causa uma retracao ainda maior do mercado.

    6- A devolução de imoveis, inadimplencia, leilões, repasse, distratos cresce e os bancos e construotras comecam a ver reduzidas as suas margens

    7- Isto faz com que a oferta de imoveis aumente, mesmo com o decréscimo da producao.

    8- Os bancos retraem a oferta de credito, em geral exigindo maior entrada para reduzir seu risco em eventual haircut.

    9- Isto faz com que o “pool” de compradores potenciais se reduza ainda mais.

    10- O processo entra entao em retroalimentacao automatica.

    Isto tudo é acelerado por uma recessao, onde o desemprego que geralmente atinge a classe media eleva os niveis de inadimplencia a patamares intoleraveis. Ai’ vem a fase do “pega-pra-capar”.

    Comentários:

    Enfatizar que o item 1 acima e’ o mecanismo do pivot da tragedia.

    Ficou claro pra galera o porquê do “subprime” ter gerado a crise toda? Os “subs” foram criados para aumentar o “pool” de compradores potenciais. Sacaram a razao dos clientes “NINJA” (No Jobs, INcome or Assets)?

    Foram todos subterfugios para manter a bola rolando e inflar a bolha, sob olhares complacentes de Greenzinho, velho safado e boko-moko, e Ben Bandido. Voces acreditam que eles nao sabiam o que iria acontecer?

    Ae viria entao a pergunta mortal: “Mas Kleber, se eles sabiam, por que deixaram acontecer?”

    Well, uma boa razao teria sido a de concentrar renda, arrancando do mais pobre tudo o que ele tinha e mais algum.

    3w: blogdoklebers.blogspot.com/2011/07/o-estouro-da-bolha-imobiliaria.html

    0
    • MrK 6 de outubro de 2011 at 18:10

      Bem escrito!

      A gente poderia sofisticar a analise e separar em 2 pools:
      1-Pool de morador (interessado em 1 imovel pra morar)
      2-Pool de especulador (compra pensando na revenda)

      o Pool 1 já está totalmente estrangulado, sequinho, pouquissimos conseguem pagar… o Pool 2 (que só mira em imoveis na planta) ainda existe, mas está cada dia menor, pois vê que o futuro tá incerto pra embarcar nessa…

      concordo com o autor que é inevitável o estouro, não vejo mais como resolver na paz e amor.

      0
      • Luiz 6 de outubro de 2011 at 18:22

        Mrk, leia o original completo que é mto melhor, mais compelot, mais divertido, com figurinhas e tudo.

        Esse Jeferson segundo o Frank é da turma do Alexandre Schwartzman, aquele economista genial que foi cuspido do Santander por ter falado mal do governo

        0
  • Luiz 6 de outubro de 2011 at 19:04

    Segue abaixo o outro lado
    depois deem um pulo no blog dele no Estadao e vejam os cometários criticando o baixo nivel da analise

    José Paulo Kupfer

    O tema das bolhas – imobiliária, de crédito, no mercado de carros etc. etc. – andou sobressaltando algumas mentes mais assustáveis, mas entrou, mais recentemente, numa certa hibernação quando os indicadores da atividade econômica um depois do outro começaram a apontar para baixo. Não custa, no entanto, chamar a atenção para um artigo escrito por Ricardo Loureiro, presidente da Serasa Experian e da Experian América Latina, enviado a jornalistas, para eventual publicação em seus veículos.

    Ninguém melhor do que o autor para falar sobre o assunto. A empresa que ele preside é o maior banco de dados de crédito do mundo fora dos Estados Unidos e está há mais de 40 anos no mercado brasileiro, onde, hoje, processa 4 milhões de consultas de crédito por dia. Loureiro, conforme escreve, “não vislumbra existir bolha de crédito no Brasil”.

    A primeira objeção que ele faz à ideia descabelada de que haveria bolhas nos mercados brasileiros, a partir de uma efetivamente concreta expansão acelerada do crédito, é ao mesmo tempo óbvia e essencial. Não há como alimentar bolhas de ativos, a partir da expansão do crédito, em regimes monetários de juros altos.

    Bolhas como a que insistiram estar em formação na economia brasileira só podem se sustentar em regimes de juros reais baixíssimos ou negativos. Se realmente houvesse bolhas no Brasil, com juros reais acima de 6%, esta seria mais uma espetacular contribuição nacional à historia da evolução das teorias econômicas.

    Já houve, é bom lembrar, alguns casos. No Plano Cruzado, por exemplo, meados da década de 80, carro usado chegou a custar mais caro do que carro novo (estes, com preços tabelados, não eram encontrados nas revendas, pois se encontravam retidos nos pátios dos fabricantes, o que fez explodir o preço dos seminovos).

    Mas, em relação a pretensas bolhas, não há como revirar a teoria. Até porque, além dos juros nas alturas, os bancos fornecedores do crédito, no Brasil, são pouco alavancados e bastante regulados. Sem falar na relativa simplicidade de suas operações, ainda longe das complexas engenharias financeiras, das securitizações e seus derivativos que contaminaram o mercado financeiro dos Estados Unidos e da Europa.

    Em seu artigo, Ricardo Loureiro lembra ainda que, se realmente a inadimplência dos consumidores está em alta – cresceu, em 2011, até setembro, pouco mais de 20%, mas tende à estabilidade – esse fato não é sinal da existência de uma bolha de crédito. “Se há bolha de crédito”, escreve ele, “a inadimplência sobe depois e não antes de seu estouro”.

    0
  • Noord 6 de outubro de 2011 at 19:28

    Gostaria de dividir com vcs uma cena que acabei de ver… Fui correr na praia do Recreio e ali em frente ao parque Marapendi, colocaram um outdoor imenso, alardiando mais um SUPER pré- lançamento… Na frente do terreno, que está vazio, estavam dois sujeitos (corretores e/ou consultores imobiliários) sentados naquelas cadeiras de plástico (que se usa em piscina) no meio do nada… E, quando fui e quando voltei… Fazendo nada… Viva alma pegando panfletos, etc.

    A vida/venda está difícil, amigos…

    Tem que botar gente pra vender, até em frente ao terreno em mesinha/cadeira de plástico no meio do nada….

    0
    • Dr. Estranho 6 de outubro de 2011 at 20:34

      Sem direito a protetor solar.KKKKKKKKKK

      0
      • trackback 6 de outubro de 2011 at 21:56

        ÉÉÉ!!!! Protetor solar está muuuito caro, além do mais sol é indispensável aos ossos. Há economia com ar condicionado, cafezinho e água, pois não há stand. Exemplo de sustentabilidade!

        0
  • Carlos Paddock 6 de outubro de 2011 at 20:29

    Cada dia que eu venho aqui ler os posts aqui, eu acabo rindo mais.

    É triste ver essa situação, o cara junta dinheiro uma vida para comprar uma apartamento/casa em um bairro chinfrim de SP/RJ/BA/MG, aí quando finalmente ele vai realizar o “sonho” da casa própria, os preços dobram, triplicam, o montante que ele havia juntado não compra mais que dois quartos de 50m2, e agora?

    Realmente, para quem está nessa situação só resta torcer mesmo.Ou alguém aqui acredita que um AP em bairros nobres, como o de Lourdes em Belo Horizonte, que custava R$300.000 e agora já foi vendido a R$800.000 vai realmente perder 60% do seu valor e voltar a valer os antigos R$300.000?Esqueçam.

    É aquele negócio, quem tinha dinheiro ou podia financiar, isso mesmo hoje muitos nem sequer podem financiar, e comprou para morar está pouco ligando para bolha, mesmo porque ele não tem interesse em vender.

    A comparação é ruim, mas é mais ou menos o mesmo negócio que faz quem compra um carro zero.O sujeito compra o carro para aproveitar, ele já sabe que assim que o veículo sair da concessionária ele vai perder valor, e assim ano a ano, e mesmo assim ele compra, burro? Muito pelo contrário.

    Complicado mesmo, é aquela coisa, ninguém dura para sempre e ninguém vai realizar somente bons negócios, mesmo porque existem negócios em que o ganho não é financeiro, é algo muito maior que isso.

    0
    • Felipe 6 de outubro de 2011 at 20:38

      Carlos, talvez não todo esse desconto que vc diz, mas com certeza mais de 30% de queda (pra dizer o mínimo) muita gente está esperando.
      No mais do que vc disse, me parece ser uma atitude muito irresponsável essa do comprar sem pensar, fruto da falta de educação financeira que atinge a maioria da população desse grande país.

      0
      • Carcará 7 de outubro de 2011 at 09:30

        Felipe,
        o mínimo aceitável para nós, pobres, surbubanos e recalcados, é 50% dos preços de 2010. Tenha paciência. A matemática é gélida.

        Ah, não se esqueça que quando os lançamentos derretiam, apenas nós, pobres e recalcados, frequentávamos este subúrbio chamado Bolha Imobiliária… A fase de negação dura no máximo até o dia da mentira 01/04/2012. A correção de preço vai demorar mais e depender de outras variáveis.

        Abraços

        0
    • MrK 6 de outubro de 2011 at 20:44

      Paddock,

      A comparação carro x imóvel do seu exemplo é esdruxula, o carro desvaloriza 30% depois de um ano pelo risco de ter sido batido, desgaste de alguma peça, depreciação do bem etc… isso nada tem a ver com imóvel que não vai pra oficina todo ano e não tá sujeito a acidente, por favor, vamos usar bom senso.

      Quanto ao fato de quem comprou pra morar não liga pro valor, como assim, meu amigo? Se eu vou comprar pra morar posso pagar R$500mil ou R$1milhão e to nem aí? É assim que você pensa? Dinheiro dá em arvore no seu quintal? Se der me envia um pouco por favor.

      Quanto aos bairros nobres, vou te dar um dado interessante: No estouro das bolhas imobiliarias recentes (EUA e Espanha) os bairros nobres foram SIM muitíssimo afetados, esse papo de que “preço não cai em zona nobre” não procede, veja o que a história tem a ensinar, agora, se vai cair 30%, 40% ou 50%, isso é futurologia e aqui eu só faço analises sérias, não sou vidente.

      PS: Se tem alguém nesse blog que soa desesperado, acho que é o Sr (com todo respeito) e não nós.

      abracos

      0
      • Duda 6 de outubro de 2011 at 21:38

        Teríamos que ser mais diretos com paddock: pode nos dizer que foi que comprou, e por quantos anos ficou endividado, amigo paddock? Nossa, cada vez fica mais fácil reconhecer os compradores de ultima hora…

        0
        • Carlos Paddock 6 de outubro de 2011 at 21:47

          Comprar? Amigo, moro em um apartamento que comprei a 7 anos aqui em Belo Horizonte, isso é última hora?

          Como eu já cansei de postar aqui, agora além de corretor, investidor, engenheiro, quem descorda em partes da bolha também é comprador de última hora.

          Comédia!

          0
          • luiz 7 de outubro de 2011 at 11:07

            padock s vc tivesse vindo aqui ates já teria descoberto que é exatamente o contrario.
            os imoveis nobres sao os que mais caem os preços
            a minha fonte são s graficos norteamericanos de comparaçõ depreços

            alias já começou aqui. entra no fipezap e veja a curva de ipanema e leblon
            o André era um cara que como vc só criticava a gente, xingava a gentede tudo que é nome.
            Hoje o site dele é recheado de graficos mostrando como se dá o processo de explosão da bolha.

            olha lá a compraraçõ de fort launderdale com orlando
            Como vc é viajado não vou nem dizer qual é nobre qual é popular

            Vc tbm vai mudar de opinião.

            0
          • Pesquisador 7 de outubro de 2011 at 12:50

            Paddock

            Uma pessoa que acha que um aumento de no minimo 100% em 3 anos é natural e que gastar 500 mil ou um milhão é a mesma coisa, não pode ser considerada digna de um debate.

            Peço desculpas por ser realista com você, mas enquanto salarios aumentam 7, 8 % ao ano (sem contar promoções), como se compraria um imóvel que aumentou 100% em 3 anos?

            o que vejo é familia mais pobre (ganhando de 1 a 3 minimos) continuando morando em puxadinhos improvisados, favelas, casa de parentes ou até mesmo aluguéis… o MINHA CASA MINHA VIDA foi uma fachada pra enriquecer construtoras e ao invés de reduzir déficit virou joguete na mão de investidores sem escrupulos e pessoas sem educação financeira como voce, que acreditam que comprar um imóvel a prestação da no mesmo que comprar um liquidificador a prestação nas casas bahia…

            0
    • Pensativo 6 de outubro de 2011 at 20:52

      Carlos Paddock,
      tu é mais um corretorzinho de terno de 50 reais, que come marmita azeda e acha que 300k é nada, mesmo nunca ter tido uma fração disso na conta bancária.
      Se liga: aqui não é Mônaco, R$300.000,00 é aproximadamente US$160.000,00. Com esse valor você compra uma boa casa em Miami.

      PIB per Capita dos EUA: US$50,000
      PIB per Capita da Banânia: US$10,800

      Mas não te preocupe. No final da festa as coisas voltaram ao seu lugar.

      0
      • Carlos Paddock 6 de outubro de 2011 at 21:15

        Que mania de comparar mercado brasileiro, com o americano e monagesco.

        Bom vamos lá, em alguns lugares do Brasil com R$300.000 você compra boas propriedades sim e em alguns lugares de Miami com USD 160.000 você não compra nem um Studio de 30 m2.

        0
        • Fernando 6 de outubro de 2011 at 23:32

          Sr Carlos
          estive em Miami em agosto. Em várias partes da cidade, inclusive nas cidades que fazem parte do distrito de Broward, locais com infinitamente mais qualidade de vida que qualquer cidade brasileira que eu ja conheci. Em geral, o preço de apartamentos de 2 quartos, sala, 2 banheiros, 2 vagas, com metragem excelente, em condominio, saem, em media, 60 a 70 mil dolares.

          0
          • lopes51 7 de outubro de 2011 at 01:43

            Deixa o Obana vim pedir conselho pra Dilma kkkkkkkkkkkk
            Implanta o MCMD lá kkkkkkkkkkkkkk

            0
        • Dracon 7 de outubro de 2011 at 11:45

          Miami. US$ 140 mil

          http://www.trulia.com/property/3063387740-14314-SW-97th-Ter-Miami-FL-33186

          É óbvio que não é na praia. Mas também não em uma favela. Que nem é no Rio. Tente algo semelhante por aqui.

          0
    • Mr. R 6 de outubro de 2011 at 21:01

      “Ou alguém aqui acredita que um AP em bairros nobres,…”

      Isso aqui não é religião pra se “acreditar”, meu caro, estamos falando de fatos. Se quer continuar “acreditando”, a oportunidade é perfeita, o número de ofertas só está aumentando. Vai poder escolher à vontade.

      0
    • Carlos Paddock 6 de outubro de 2011 at 21:04

      Aqui é assim mesmo, todo mundo contrário a bolha é corretor!

      Olha, não sou corretor, muito menos trabalho no mercado da construção civil e também não sou investidor, já que aprendi desde cedo que imóvel não é investimento.

      MrK, a comparação do carro, mesmo sendo inusitada, retrata bem o meu pensamento.Não sei se você não sabe ler ou não quer entender, quando se compra um carro ou se compra um imóvel, a pessoa está buscando outras coisas e não somente o retorno financeiro, está muitas vezes realizando um “sonho”, sem dúvidas é um momento de satisfação.

      Deixo bem claro que estou excluindo os investidores, imóvel assim como automóveis não são investimento, ou você investiria em um carro?

      0
      • Duda 6 de outubro de 2011 at 21:43

        Eu não acho que vc seja corretor. Acho que vc comprou algo muito caro, meu amigo, e nada, nem ninguém vai segurar a queda de preços, vc conhece alguém capaz de ir contra a lei de oferta e procura, de suspender sua validade? Se prepare, porque vai ver ela atuando con todo seu poder nos próximos meses.

        0
        • Carlos Paddock 6 de outubro de 2011 at 21:55

          Duda já te respondi acima.

          Isso mesmo, alimente essa sua filosofia, que já está tudo certo, ninguém ainda descobriu, a não ser nossos nobres colegas que frequentam esse espaço, que na verdade mercado imobiliário brasileiro é uma armadilha, e que os preços vão cair no mínimo 40%!

          PROMOÇÃO! Apartamentos de R$500.000 por apenas R$300.000 e de R$1.000.000 por nada menos R$600.000.

          0
          • MrK 6 de outubro de 2011 at 22:13

            Carlos Paddock, só a titulo de referência: Amigo meu tem um ap em Valencia (esp) que foi avaliado em 3milhoes de euros no auge da bolha, hoje ele tenta vender por 500mil euros e ainda não conseguiu comprador

            não estou dizendo que aqui cairá exata proporção que na espanha, mas só pra te dar um pouco de informação pra iluminar seus pensamentos

            0
          • Duda 7 de outubro de 2011 at 08:46

            Bolhas estouradas em: Japão, Usa, Irlanda, Espanha e Dubai falam que isso aconteceu, e voltara a acontecer, amigo paddock. Leia comentarios deste blog, publicados há uns 6 ou 7 meses atrás, não exponha seu nome com argumentos sem fundamento, baseados em seu “sentimento”, assim fica muito fácil quebra-los para nos…

            0
      • joselito 6 de outubro de 2011 at 22:11

        A difereça é que imóvel você pode alugar. Meu “sonho” pode se realizar com um simples aluguel.
        E carro? Já viu alguém que vive com carro alugado?

        0
        • Jonathas 7 de outubro de 2011 at 06:45

          Cara, por engraçado que pareça, já vi sim… Numa situação bem específica (metro durante a semana – aluguel no fim de semana/dias de necessidade). O cara morava na frente da locadora e, comos os aluguéis eram constantes, ele conseguia desconto.no final do mês gastava menos que pagando parcela de financiamento e não se importava com revisão ou encher o tanque.

          Não estou querendo contradizer você (até pq é uma exceção que confirma a regra… 🙂

          0
          • Paulo - RJ 7 de outubro de 2011 at 08:58

            Conheço uma família (casal) que não tinha carro, quando ia viajar, alugava um. Segundo eles, a economia era imensa. Já pensei em fazer isto, mas ainda não tive coragem. Em alguns casos, para quem tem filhos, por exemplo, acho que é complicado.

            0
      • Jonathas 7 de outubro de 2011 at 06:48

        Olha só! O cara que tem o préconceito de que quem é contra a bolha é pobre reclama da generalização que aponta que ele é corretor! 😀

        Eu gosto é de coerência! Kkkkkkk

        0
  • simone 6 de outubro de 2011 at 21:23

    pra mim imóvel é pra morar e ponto final …..

    investimento é em ações , ouro , cdb , poupança e etc , mas é só minha opimião

    0
    • luiz 7 de outubro de 2011 at 09:59

      Simone os investimentos tradicionais a CVM fiscaliza, já ´alguma coisa

      investir num imovel na planta sabe quem fiscaliza???

      ningem simone, por isso eles falam e fazem o que querem.
      fossem outras regras, muitos estariam presos por crime contra economia

      0
  • AJW 6 de outubro de 2011 at 21:36

    Segue mais uma nesta país de contos de fada, e o que pensa Dilma na Europra…
    Brasília – A inadimplência do consumidor aumentou 5,8% em setembro em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (6) pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

    Nos nove meses deste ano, a inadimplência acumula alta de 5,26% em relação ao mesmo período de 2010, o que é atribuído pela entidade à inflação e ao aperto no ciclo monetário, decorrente das medidas tomadas pelo Banco Central na administração da política de juros.

    0
  • danilo 6 de outubro de 2011 at 21:54

    O LUIZ perguntou como funciona a compra de imóveis em outros países da América do Sul. Estive na COlômbia esse ano e meu amigo de lá me explicou o esquema. Um apartamento de 2 quartos, 60 m2, em bairro bom (nao top) custa aproximadamente R$100 mil ou 110 milhoes de pesos. O interessado em comprar seu primeiro imóvel para moradia (nao vale se o cara quer especular) deve juntar aproximadamente 20% do valor do imóvel em depósitos mensais na poupança oficial por 2 ou 3 anos, o que é plenamente atingível tendo em vista a renda nacional. Essa grana era utilizada pelo Estado para obras de infraestrutura, uma delas visível quando se chega a Bogotá, com construçao do Transmilenium, tipo um BRT, 4 pistas exclusivas. Após atingir o nível de poupança, o cara pega essa grana e dá de entrada e o restante é subsidiado pelo governo a juros de cerca de 2% ao ANO, mais o reajuste anual pelo índice nacional de inflaçao. Vi isso como uma boa política de moradia, de estímulo sustentável à construçao.
    Desculpe se estou enganado em minha análise, mas o motor da construçao civil para MORADIA é justamente a poupança e nao o endividamento. Outro ponto que me chamou a anteçao foi o valor do aluguel. Entrei em um apartamento de 3 quartos e 2 vagas, excelente localizaçao (ao lado da escola de medicina), que custa em torno de R$180 mil…o aluguel era de R$1400. Penso que em um mercado equilibrado a remunieraçao deveria ser nessa proporçao.

    0
    • MrK 6 de outubro de 2011 at 22:11

      rapaz, o preço do Brasil, em especial do Rio é surtado

      eu já comentei aqui que tive a sorte de poder conhecer muito do mundo, america, EUA, Europa, Africa, muitas cidades… e nunca vi nada comparável ao Rio hoje em termos de preço de imovel e aluguel, é um delirio coletivo, é tema de tese de psiquiatria

      a propria citada bogota é uma cidade que em termos de infra é bem melhor que o Rio, mas bem melhor, e mais segura também

      0
      • trackback 6 de outubro de 2011 at 22:36

        g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2011/10/brasil-e-o-pais-com-o-maior-numero-de-homicidios-aponta-onu.html

        Brasil é o país com o maior número de homicídios, aponta ONU
        Mas o relatório também faz elogios, principalmente ao estado de São Paulo. Na capital, houve uma grande redução no número de assassinatos.

        JN de hoje

        0
      • Kassia 6 de outubro de 2011 at 22:40

        Eu já estive em Bogotá na Colômbia. Falar que Bogotá é similar ao Rio, desculpe, não mesmo. Tem algumas poucas ruas centrais em Bogotá legais e etc e tal, é uma cidade pequena comparada ao Rio, não tem a beleza natural do Rio. E mais, se os americanos sairem de lá, (tem 1.800 militares americanos em Bogotá), as FARC invadem a cidade.
        Não dá para comparar Rio com Bogotá. Rio de Janeiro é a cidade mais bonita do mundo. Bogotá é um lixo comparado ao Rio, sobretudo a Zona Zul e Barra.

        0
        • trackback 6 de outubro de 2011 at 22:51

          É! só o preço que tá um pouco salgado mesmo, mas tá beleza, não é pro meu bico.
          abç

          0
        • Tatiana 6 de outubro de 2011 at 23:05

          Kassia,
          Que falta de respeito e quanta ignorância a sua. Bogotá tem mais de sete milhões de habitantes, a que Bogotá que vc foi?? Como assim que é uma cidade pequena ?? vc não deve conhecer além de Jacarepaguá . Bogotá não é nenhum lixo, assim como o Rio não é tudo isso que vc pensa. Pode ser bonita, claro se não olhar para a parte feia, mas é mias perigosa que Bogotá com certeza. E se a policia e os militares saírem dos morros pacificados vc acha que o Rio de Janeiro e sua tão amada Zona sul vão virar o que?? A Suíça.
          Sinceramente falar besteira sem conhecer fica muito fácil.

          0
        • danilo 6 de outubro de 2011 at 23:07

          Nao se pode chamar Bogotá de lixo, nem dizer que é pequena perto do RJ (pois há 8 milhoes de habitantes). Dada a estrutura do RJ, ou falta dela, um cara que mora em Berlim ou Paris poderia chamar o RJ de lixo? Um pouco deselegante.

          0
        • MrK 6 de outubro de 2011 at 23:08

          Kassia, você não pode estar falando sério

          Bogotá pode ser menor, mas é cidade grande e é muito mais segura e tem muito mais infra que o Rio, mas quer falar de beleza natural? vamos falar, pra tirar esse mito de cidade mais bonita do mundo…

          Cape Town é mais bonita, mais limpa, mais segura e os imoveis custam 30% do preco do Rio, em termos de beleza natural Cape Town tem tudo que o Rio tem (praias, montanhas, esportes, clima bem), além de ser perto de otimas cidades viniculas e muitas atracoes, detalhe que lá os imoveis são novinhos e não essa coisa horrenda caindo aos pedacos da zona sul, um subindo ha 2 centimetros do outro… cape town tambem nao tem favelas dentro da cidade

          os precos no Rio são um delirio, e moro na zona sul.

          0
        • DM 7 de outubro de 2011 at 11:13

          Kassia,

          Me desculpe mas você está totalmente enganada sobre as suas considerações.

          Já morei em Bogotá e apesar de atualmente morar em SP vou muito ao RJ a trabalho. E acredito que possa falar um pouco sobre a comparação destas duas cidades.

          Vou começar falando pela segurança, pois trabalho na área e posso falar com conhecimento de causa.

          As taxas criminais de Bogotá (particularmente de crimes violentos – homicídio, latrocínio, seqüestro) são quase 4 vezes menores que a cidade do Rio de Janeiro, se quiser comparar dados pode pega-los no site do DAS Colombiano (é um departamento civil que controla todas as ações de segurança integrando todos os dados e estatísticas criminais) e no site da Secretaria de Segurança Pública do RJ. Em Bogotá não existe assaltos a mão armada, arrastões, tráfico de drogas como existente no Rio de Janeiro. Os problemas criminais são outros como golpes, batedores de carteira e uma modalidade de seqüestro relâmpago (passeo milionario) praticado por alguns taxistas.

          Se as forças armadas americanas deixassem a Colombia, hoje não faria diferença alguma, pois o que executam hoje na Colombia não são ações operacionais e sim supervisão das estratégias estabelecidas em parceria a mais de 10 anos com o governo Colombiano, que por sinal aprendeu e põe em prática muito acertadamente. Ao contrario do RJ a corrupção policial é mínima na Colombia. Dizer que as FARCs invadirão Bogotá foi o fundo do poço em desconhecimento da realidade Colombiana.

          Fato muito positivo é a posição da população pró segurança, o apoio é massivo e inclue cobrar fortemente das autoridades governamentais retorno quanto a segurança pública de qualidade, fora a educação que comparada ao Brasil me gera vergonha de ser Brasileiro.

          Infra estrutura de Bogotá, mesmo não tendo metrô ainda é muito, mas muito superior a da cidade do RJ, não tem bueiros bomba, as ruas são limpas, o transito é tão ruim quanto o do RJ, não tem favelas em cada morro como no RJ (existem favelas em áreas suburbanas), você pode andar a pé sem medo de bala perdida (tem que apenas tomar cuidado com furtos) e pode tranquilamente parar em qualquer farol no meio da noite sem ser assaltado.

          Beleza, não discuto que neste critério o RJ supera em muito Bogotá, porém na minha visão do que adianta ter a beleza natural que o RJ possui e não poder efetivamente aproveitar pelos riscos elevadíssimos que a própria cidade evidencia? É questão de escolha pessoal.

          Preço de imóveis e custo de vida em geral: Os salários no RJ são em média um pouco mais altos que os de Bogotá, porém a custo de vida é muito superior no RJ, ou seja na questão custo benefício, com certeza Bogotá ganha em muito e posso falar que em qualidade de vida também.
          Os imóveis são bem planejados e bem construídos mesmo por que existe um baixo risco de terremotos em Bogotá (sismos) nada elevado como em Santiago ou outras regiões, mas a preocupação existe. Os preços en tão nem se comparam, eu morei em 2008 e já na época os valores eram a metade do que em São Paulo, agora após esta subida de $ nestes últimos 3 anos imagine!

          Bom, a minha única sugestão para você que quando fizer uma comparação, a faça com conhecimento de causa, não como uma especulação, pois o assunto tratado neste blog não é especulativo (somente as altas nos preços do imóveis nos últimos anos o são), busca-se uma discução transparente e elucidativa.

          DM

          0
        • Dracon 7 de outubro de 2011 at 11:51

          Uma pequena observação, é notório que as FARC operam com o tráfico carioca desde Fernandinho Beira-mar. Sinceramente você acha normal a bandidagem controlar bairros inteiros no Rio?

          0
      • Carlos Paddock 6 de outubro de 2011 at 22:49

        Cara, os preços no Rio fora da Zona Sul são absolutamentes normais, quando comparados a outras capitais.Agora realmente, no eixo Leblon/Ipanema, onde praticamente não existem terrenos disponíveis e a lei de ocupação do solo é bastante rígida, os preços estão realmente altos, e o mercado nunca esteve tão quente.

        E Kassia, não, o Rio não é a cidade mais bonita do mundo, mais daí comparar o Rio com Bogotá?

        0
        • Kassia 6 de outubro de 2011 at 23:08

          Se o Rio não é a mais, no mínimo é a segunda mais bonita (a primeira sendo Paris). Mas isso é questão subjetiva e de gosto de cada um. Eu, particularmente, acho o Rio de Janeiro incomparável. Inclusive, a visão que se tem quando se decola do Santos Dumont em direção ao Pão de Açucar, é na minha opinião, algo completamente surreal de tão lindo.

          0
          • Anonymous 6 de outubro de 2011 at 23:55

            Acho o Rio uma cidade de péssimo gosto. Suja, poluída, caótica, sitiada por favelas e com abundância de trombadinhas prontos a fazer um bom arrastão. Qualquer pessoa que venha de um lugar civilizado teria diarreias com a ideia de morar na cidade maravilhosa.

            0
          • Duda 7 de outubro de 2011 at 08:53

            Kassia, podería nos mostrar algum estudo sobre as cidades mais belas do mundo, realizado cientificamente, e livres das paixões de uma carioca como vc? E tambem, gostaría saber qual o grau de correlação entre beleza e preço dos imóveis, e tiver isso, agradeço. Por outro lado, quando vc conheça Vancouver, Seattle, Paris, Amsterdam, vai mudar de opinião sobre o Rio.

            0
            • Kassia 7 de outubro de 2011 at 09:30

              É verdade, eu não conheço Vancouver, Seattle, Paris, Amsterdam. Ao invés de torrar meu dinheiro viajando, optei por investir em imóveis na planta. Pelo menos não tenho que ficar esperando bolhas estourarem para morar onde eu quero…E enquanto imóveis só sobem de preço, as passagens aéreas só caem….então considero que minhas escolhas foram acertadas do ponto de vista financeiro.

              0
              • Duda 7 de outubro de 2011 at 09:51

                Então vou dar um conselho para vc, bem conhecido pelas pessoas que investem em ações: compre na BAIXA e venda na ALTA. Sería o oposto do que vc está fazendo neste momento. Outra cidade que esquecí mencionar: Sydney

                0
                • Kassia 7 de outubro de 2011 at 10:12

                  E quem disse que eu comprei agora? Eu venho investindo em imóveis na planta há alguns anos. O último que comprei em SP foi no começo de 2010. E até agora só alegria.

                  0
                  • Duda 7 de outubro de 2011 at 14:53

                    Por isso, voce esta comprando na ALTA, ou seja, acaba de confirmar o que falei.

                    0
                • luiz 7 de outubro de 2011 at 10:13

                  Bonjour dona Kaka, porra vc ão conehce Paris?
                  hahahaah

                  Vc falou tanto de paris qu achei q conhecia, te juro que eu sempre penso o mlehor das pessoas, hahahaha.

                  Olha, pra vc dizer que ir a Paris é torrar dinheir viajando é pq vc nunca foi memso, primeiro p é barato, 5 mil reais no pacote destes com guia que fala portugues, depois pq só me resta dizer
                  que em 6 meses de blog ESTE É O MAIOR ABSURDO QUE E JÁ LI.

                  não te falaram que seu sobrinho era muito jovem e inexperiete? foi na onda delevc va tomar o mair rpjuizo neste imovel, vc comprou na crista da onda

                  0
                  • luiz 7 de outubro de 2011 at 10:14

                    perai que eu aind não parei derir
                    hahahaahahahahahah
                    hhahah
                    tudose encaixa agora
                    hahahh

                    0
                  • Kassia 7 de outubro de 2011 at 10:42

                    “Falei tando de Paris”, é? Onde? Ah, já sei: no mesmo lugar onde os preços dos imóveis estão despencando, a bolha estourando…kkkkkkkk

                    0
                    • luiz 7 de outubro de 2011 at 10:51

                      vc falou aqui em cima dona kassia como se fosse intima d rio de paris
                      deixaeu copiar pq o rivotril ja deve estar batendo na senhora

                      “Se o Rio não é a mais, no mínimo é a segunda mais bonita (a primeira sendo Paris). Mas isso é questão subjetiva e de gosto de cada um. Eu, particularmente, acho o Rio de Janeiro incomparável.”

                      paricularmente dona kassia não gosto tanto de Paris, pq eu amo praia, deverdade, ja fui mtas vezes pro Rio, pro litoal nortede SP, paricularmente prefiro a costa d mediterraneo ou do egeu.
                      Siiim o rio é bonito mas a gee passa tant perregue la que volta pra casa com gosto amargo, mesmo os cariocassuper getefina se desdobrarem em mil pra suprir isso.

                      0
          • Zão 7 de outubro de 2011 at 12:21

            O Rio é uma cidade como um todo, e não apenas uma parte dele. Zona Sul e Barra PODEM ser considerados bonitos (isso é juízo de valor íntimo e pessoal de cada um), mas o resto da cidade é horrendo. Barra e Zona sul correspondem ao quê, uns 15% da cidade?

            Uma cidade 15% bonitinha e 85% horrorosa é bonitinha ou horrorosa?

            E isso sem falar em criminalidade, bueiros voadores, trânsito caótico, vias esburacadas, transporte público insano, gente mal educada, zero de serviços de saúde e educação públicos, cidade loteada em várias favelas, etc.

            Morei 30 anos no Rio. Hoje estou em Brasília, e apesar dos problemas daqui, é visível a superioridade. Rio de Janeiro é uma cidade falida e acabada, simples assim.

            0
        • MrK 6 de outubro de 2011 at 23:11

          Carlos os precos da zona sul se comparam com outras capitais? está de brincadeira?!?

          os precos da zona sul se comparam a mansões em cidades americanas de ponta, ou a super apartamentos por exemplo em chicago (3a maior cidade americana), se for por beleza natural ja citei o caso de Cape Town que tem mais isso que o Rio, veja as capitais de paises de 3o mundo como o nosso (argentina, colombia, mexico, africa do sul) e vai ver o delirio que é o Rio

          o Rio está com preco comparáveis a cidades de 1o mundíssimo na Europa (nao falo nem de EUA porque já passou de longe), isso é uam doenca

          0
          • Kassia 7 de outubro de 2011 at 08:11

            Os preços no Upper East Side em Manhattan (NY) são bem maiores que na Zona Sul do Rio, inclusive desses preços insanos de R$50k/m2. Mas a questão é que a Zona Sul do Rio é uma região, digamos, internacional. É um daqueles points mundiais. Então vc tem a demanda externa e a interna também. Os gringos executivos das mega empresas que estão explorando petróleo, telecomunicações e TI no Rio querem um ap na Zona Sul do Rio. Os mega empresários de SP querem um ap na Zona Sul do Rio. Os jogadores de futebol milionários brasileiros querem um ap na Zona Sul do Rio. Todo produtor de soja do Brasil quer um ap na Zona Sul do Rio.
            A “pacificação” e a elevação da sensação de segurança na região só elevou esse “status”, que é iniogualável no mundo inteiro. Então os preços respondem a esse tipo de demanda.
            É como em NY, quer morar no Upper East Side, prepare-se para pagar alguns milhões de dólares. Não quer, não tem? Tem apto baratinho no Queens. No Rio é igual: Nâo quer ou não pode pagar Leblon ou Ipanema? Ok, tem Madureira, Meier…etc..kkkk

            0
            • luiz 7 de outubro de 2011 at 08:32

              O rio é composto de turismo sexual e congeneres.
              Os europeus que eu cinheci e se prontificam a passar uns dia sno rio são tidos como marginais por lá
              Todo filme americano que o cara rouba um milhão foge pro rio dejaneiro
              Mas agora nem pra cá os ladrõesvem pq um milhão não dá pra comprar nada decente no rio

              comparar o Rio com NY ou a pessoa não conhece o rio ou não conhece NY ou é corretor
              será que o salario medio em NY é 1.400 reais tbm

              0
            • luiz 7 de outubro de 2011 at 09:38

              dona KAka vc vai sedar mal entrando nesa linha de cometario.
              Tem muito estrangeiro participando do blog espera só eles lerem estes absurdos que vcs escrveram sobre as cidades que vs fingem conhecer.

              Vou te falar mais, conhecer Paris com a cvc ou tia agusta na promção de dezembro é uma coisa, conhecer de verdade é outra

              A bientot

              0
            • Dr. Estranho 7 de outubro de 2011 at 11:25

              “Points mundiais???”
              KKKKKKKKKKKKKK
              Está se vendo que vc frequenta a HELP.

              0
        • Paulo - RJ 6 de outubro de 2011 at 23:21

          Os preços na Tijuca não estão normais.

          0
      • danilo 6 de outubro de 2011 at 23:11

        Concordo MrK….me senti muito seguro em Bogotá, muito mais que aqui em BH…quem dirá em relaçao ao RJ. Infelizmente o transporte é de onibus (ate meia noite) e carro….só, mas estao tentando mudar. O rodízio lá é de 2 dias por semana. Quem fala que Bogotá pode ser invadida pelas FARC se os militares sairem tem um alto grau de desinformaçao.

        0
        • luiz 7 de outubro de 2011 at 09:46

          vou contar uma historinha pra dona Kaka que adora falar da zoropa pq ela é chique e só vendeimoveis bons.

          dona Kaka, Modena é uma cidade rica, muito rica, num estacionamet qualquer da cidade, sev~e 3 ferraris, 2 porshes, 1 lotus, é assm a coisa lá rpa vc ter umaideai do poder aquisitv do morador da cidade

          Sabe quanta custa um palazzio no centro dacidade com 750 m2 com varanda em marmore verde???
          custa 500 mil euros dona Kaka
          alias vc sbe o que é um marmore verde? já viu algum?

          0