Venda de imóveis novos residenciais recua 31% no ano em SP – Folha.com

Você pode gostar...

Comments
  • Celso 30 de agosto de 2011 at 13:47

    Se o próprio secovi admite que os preços bateram no teto e mostra números indicando forte queda nas vendas, é sinal que a boiada está se aprontando para o estouro. Basta abrir a porteira.

    E os dados das vendas de julho?

    0
    • Carlos Wagner 30 de agosto de 2011 at 13:54

      Ainda falta o estopim pra desencadear a reação em cadeia…

      0
      • Duda 31 de agosto de 2011 at 13:45

        Em Porto Alegre no jornal Zero Hora foi colocado na manchete do suplemento de imoveis do domingo passado: Preços de Imoveis devem Cair em todo o País… O assunto está no ponto justo, ate a midia (ZH e filiada da Globo), esta mudando de posição…

        0
  • Felipe 30 de agosto de 2011 at 14:14

    ooooooooooooolha o golpe

    0
  • Mori 30 de agosto de 2011 at 14:23

    Sempre comparamos muito bolha americana com a possível bolha brasileira. Pra mim só há um ponto em comum entre os dois cenários, e é exatamente onde eu acredito que possamos ver o tão falado estouro da bolha: são nos imóveis adquiridos na planta, com baixo percentual de amortização do valor contratado, como sempre mencionado pelo MrK. Isso ainda precisa levar em consideração o momento e o valor do m2 em que o imóvel foi adquirido. Isso porque de acordo com o período de aquisição, o investidor ainda consegue se livrar da bomba sem registrar perdas ao efetuar o repasse do imóvel.

    Cada cidade tem seu próprio momento. Em SP por exemplo, creio que quem comprou uma unidade residencial para investir/especular até o final de 2.009 ainda está protegido pelo repasse. Pelo valor do lançamento as unidades se encaixariam no mesmo cenário,porém devido ao grande volume de lançamentos e o interesse no repasse que não deve ser de mesma magnitude (pois eu ainda acredito que existe demanda para residencial), é possível que as compras de 2.009 também estejam comprometidas. Quem busca incessantemente seu imóvel vê isso: os imóveis muito próximos da entrega tem um valor de referência, mas aguardando o limiar da entrega, procurando e pechinchando bastante, se encontram imóveis com essas taxas de desconto por volta de 15%-20% do “valor de mercado”

    Fora isso, quem tem imóvel usado sofrerá apenas com o “custo de oportunidade”, em que ao invés de vender um imóvel 20% mais barato do que está pedindo hoje terá que vender futuramente por 40% a menos (percentuais aleatórios hein pessoal!!!!).

    Falo isso porque instrumentos como refinanciamentos e hipotecas, inclusive mais de uma vez sobre o mesmo bem, largamente e irresponsavelmente utilizados nos EUA, Espanha entre outros não estão a disposição no mercado brasileiro ou o estão com restrições consideráveis (30% da renda comprovada). Afinal, juros em 15% ao ano, somente quem quer ou precisa comprar um teto é que se arrisca em assumir um financiamento em nosso país.

    E isso dá sim uma certa proteção ao sistema bancário (exceto bancos públicos que tapam os rombos com dinheiro de impostos/FGTS, etc) e a economia, claro sempre considerando que os investidores sem capacidade de pagamento e as construtoras dificilmente conseguirão empurrar a batata-quente para os bancos…
    Por isso, pra mim um possível estouro só vem em 2.013, ou 2.014 se o ritmo de atraso das obras continuarem como estão hoje. E restrito aos imóveis na planta no período

    0
    • Georgeis10 30 de agosto de 2011 at 16:11

      Concordo. Muito bom texto.

      0
    • Carlos Eduardo 30 de agosto de 2011 at 18:47

      Existe uns fatores bem fortes!

      até quando as construtoras manterão as pessoas construindo prédios! e oque acontecerá com essas pessoas daqui dois anos ??? as construtoras estarão no mesmo ritmo ?

      o governo segura as construtoras por conta dos empregos! até quando o governo irá segurar??
      não vejo como esse cenario possa ser sustentável!

      para mim, isso cheira, uma queda de braço das construtoras+desgoverno contra ninguem.. porque a população já está desistindo pelo simples fato de não aguentar os custos…

      desconfio até desses 31% que o secovi divulgou, acredito serem numeros maquiados de forma positiva!

      o tempo dirá !!!!!

      rs

      0
    • Anonymous 30 de agosto de 2011 at 21:04

      Discordo totalmente. A sua visão está baseada simplesmente na teoria do tolo maior. O tolo de ontem não vai perder porque o tolo de hoje é um pouco mais tolo. Quanto ao argumento de que os bancos Americanos foram irresponsáveis quando comparados com os bancos da Banânia, isso é estória para boi dormir.

      0
      • Mori 30 de agosto de 2011 at 21:37

        Voce tem todo o direito de discordar, mas um fato é incontestavel: os bancos foram tão, mas tão, mas tão irresponsáveis que ou quebraram ou receberam aportes trilhardarios do governo. Aqui, por mais que volte aos valores originais, só existe uma hipoteca por imóvel… Considerando 20% do valor do imóvel pago, o risco de perda caso retome o imóvel seria de uns 30% após a revenda.

        Aqui pelo menos temos limite de alavancagem de 8 x o PL (aí passou de 30!), compulsório bem mais alto e fundo criado com o dindin depositado para resgate(não cobriria a quebra, mas amorteceria).

        0
        • Anonymous 30 de agosto de 2011 at 22:58

          Mori,

          Quando voce faz um refinanciamento (segunda hipoteca), voce toma emprestado dinheiro num segundo banco e paga a dívida com o primeiro. A chamada crise do subprime ocorreu porque 80% dos tomadores de empréstimo de alto risco (eufemisticamente chamado de empréstimo subprime) tinham taxas de juros ajustáveis que foram aumentando progressivamente e consequentemente aumentando a inadimplência. Observe a soma de dois fatores perversos: aumento do preço dos imóveis e aumento da taxa de juros dos empréstimos. Na Banânia, com as maiores taxas de juros do mundo, a crise será muitíssimo mais rápida pois somente o preço dos imóveis precisa aumentar. O que já stá acontecendo.

          0
          • Mori 30 de agosto de 2011 at 23:21

            Pois é, o cra pegava 200 mil, não pagava e não contente hipotecava novamente com o novo valor de mercado, 350 mil por exemplo, o que de fato eqüivale a duas hipotecas sobre o mesmo bem. Aqui não tem aumento da taxa de juros(ok são altas o bastante já),porém é dificil aprovar o credito e o valor da parcela cai ao invés de aumentar. E se não pagar, não tem essa de hipotecar quem tá com nome sujo, banco toma a casa e “perdeu playboy”!

            Mas é só minha analise sobre o cenário em que vivemos. O blog aqui é excelente, só acho exagero dizer q tudo vai pro espaço mês q vem. quem utiliza as informações pra tomada de decisão precisa ler todas as opiniões e tirar suas próprias conclusões, senao fica parecendo que neste Natal as pessoas vão dar Imoveis de presente de tão barato que estão.

            0
          • Anonymous 31 de agosto de 2011 at 00:14

            Mori,

            No refinanciamento pouco antes da crise, o sujeito tomava emprestado 350 e pagava os 200 da hipoteca anterior ficando com 150 para desperdiçar. Nesse sentido, entendo a sua posição de falar em 2 hipotecas. Hoje, é possível refinanciar para tirar vantagem da baixa na taxa de juros que estão fixas em cerca de 5% ao ano. Portanto, o refinanciamento nem sempre é ruim para o tomador do empréstimo. Voce empresta 200 a 5% ao ano e paga o financiamento anterior de 200 a 6% ao ano. Observe que a taxa de juros Bananense é sempre um índice que mede a inflação SOMADO a uma taxa de juros. É uma maneira dos bancos Bananenses empurrarem a totalidade do risco inflacionário para o tomador do empréstimo. Nos EUA, se houver inflação o banco perde, coisa que nunca aconteceu e nem acontecerá no Capitalismo SEM RISCO da Banânia. Portanto, dependendo do comportamento da inflação, a prestação pode subir. Além disso, o fato da prestação cair sob condição de inflação zero significa que os bancos estão recebendo ADIANTADO e transferindo um esforço adicional ao tomador do empréstimo.

            Quanto a recupertar o imóvel, aqui bastam 3 prestações em atraso e o despejo é realizado pelo Sheriff. Na Banânia até acredito que a pessoa que ficar inadimplente vai acabar sendo despejada, mas não antes de alguns anos na Justiça. Para comprovar esse ponto, basta observar que absolutamente todos os imóveis que a CAIXA coloca em leilão, estão ocupados e cabe à pessoa que arrematar o imóvel, promover o despejo. Se fosse fácil, a CAIXA iria desocupar os imóveis ANTES de colocá-los em leilão.

            0
          • Buginga 31 de agosto de 2011 at 01:24

            Anonymous,
            Não entendi qdo vc coloca q o risco inflacionário no BR fé transferido ao tomador. De as taxas de juros são pre fixadas, elas embutem soeras de risco inflacionário e estão fixadas para o tomador. Inflação explodindo o cara paga aquela mesma taxa pactuada em contrato. Estou errado no raciocínio? Mas lembro que isso só vale no credito direcionado tipo financiamento SFH (imóvel até 500k) pq o banco pega o funding FGTS q não tem correção pela inflação. Qua Aer. Linha em q o banco tem passivo indexado à inflação, ele vai té emprestar a Txa pós fixada. Se não me engano é assim com imóveis acima de 500k onde a captação é caderneta de poupança q custa TR+6% que é repassado pelo SFH como coisa de 12%+TR.
            Não saquei onde entra inflacao sendo repassada pro tomador. Me me esclareçam da confusão. 🙂

            0
          • Anonymous 31 de agosto de 2011 at 02:51

            Bugiganga,

            Somente um tolo acredita que uma taxa de juros que varia TODO MES e que além disso pode ter seu cálculo ALTERADO DA NOITE PARA O DIA não é um índice de INFLAÇÃO.

            CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL, Reunião Ordinária de 27/09/2006

            O Conselho Monetário Nacional aprovou a metodologia para o cálculo da TR (Taxa Referencial) prefixada que será cobrada nos financiamentos para a compra de imóveis residenciais, no âmbito do Sistema Financeiro da Habitação (SFH). A TR travada será calculada com base na média da taxa diária da TR nos 90 dias anteriores e será divulgada pelo Banco Central do Brasil no último dia útil de cada mês, com validade para o mês seguinte. Para maior transparência, o BC também divulgará o limite máximo de taxa de juros para os financiamentos prefixados, resultante da composição da TR travada com a taxa de juros de 12% ao ano. Essa nova modalidade de financiamento no SFH pode ser adotada em contratos de financiamento de até R$ 245 mil, para imóveis com valor de avaliação de até R$ 350 mil.

            BANCO CENTRAL DO BRASIL, Resolução nº 3.446, de 5 de março de 2007

            Altera a metodologia de cálculo da Taxa Referencial

            1. O Conselho Monetário Nacional aprovou a supracitada resolução visando aprimorar o cálculo da Taxa Referencial (TR). A medida altera o chamado parâmetro “b”, usado no cálculo do redutor utilizado na fórmula da TR. Na regra anterior, o parâmetro “b” era de 0,32 para a TBF entre 13% e 12% ao ano. A resolução atual estende a vigência desse valor do parâmetro também para a faixa entre 12% e 11% ao ano (ver tabelas abaixo). O valor do parâmetro para as demais faixas da Taxa Básica Financeira(TBF) fica inalterado. A mudança produz efeitos no cálculo da TR a partir de 6 de março, mas não gera efeito imediato na TR.

            2. Além de ser usada na fixação do rendimento da poupança, a TR é utilizada em diversos tipos de contratos no mercado financeiro e no cálculo da remuneração das contas vinculadas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS. A TR é calculada com base na rentabilidade média dos CDB/RDB de prazo de 30 a 35 dias corridos, emitidos por uma amostra composta pelas 30 instituições financeiras com maior volume de captação desses papéis. Sobre essa média, intitulada TBF, aplica-se um redutor “R”, como detalhado a seguir:

            TR = 100 {[(1 + TBF/100)/R] – 1}

            R = 1,005 + b.TBF/100

            0
          • Bananense 1 de setembro de 2011 at 12:49

            Gostaria apenas de retificar dois pontos citados Pelo amigo Anonymous:

            1) quanto ao prazo de despejo nos EUA – em alguns estados tem muita gente sem pagar as mensalidades do mortgage (emprestimo bancario concedido para compra de imoveis) ha mais de 3 anos e nao foram despejadas. Eu mesmo sou um deles. Estou ha 1 ano e 2 meses sem pagar um centavo para o banco que financiou meu apartamento aqui nos EUA e eles ainda nao iniciaram o foreclosure que eh o processo de retomada do imovel na justica. Pelo contrario, o banco nao quer o imovel e esta tentanto colocar a minha hipoteca no programa de renegociacao do governo no qual o governo cobre parte do debito do comprador fazendo com que sua mensalidade diminua. Com isso, mesmo que eu saia do imovel hoje, ja nao tenho mais prejuizo, pois guardei o valor que deveria pagar ao banco e consegui juntar muito mais do que dei de entrada quando comprei o imovel.

            2) quanto a CEF leiloar apartamentos com inquilinos dentro – Nao eh bem assim. Realmente a caixa leiloa alguns imoveis ocupados. Mas qdo ha tomada em massa desses imoveis a CEF remove essas pessoas pq sabe que muita gente nao vai comprar o imovel dela e assumir a dor de cabeca que eh retirar o morador. Eu mesmo comprei 15 apartamentos assim pel CEF em 2002 e todos os 15 nao havia gente dentro. Porem, lembro que havia uma minoria de imoveis que estavam sendo vendidos onde havia processo de despejo em andamento, ou seja, imoveis ocupados. Mas esses imoveis ocupados eram realmente poucos.

            Naquela epoca era maravilhoso comprar imovel tomado pela caixa. Precos baixissimos e documentacao toda verificada pelo banco. Aborrecimento zero. Quando a bolha estourar na banania, ocorrera o mesmo. A CEF vai correr para se livar dos imoveis vendendo-os por um preco menor. Quem tiver capital em maos vai fazer a festa!

            0
        • Mori 30 de agosto de 2011 at 23:00

          Esqueci de um ponto: não neguei a teoria do tolo maior, pelo contrário, sou categórico em afirmar que a partir de 2010 é certo q ela de encaixa. No meu ver, ate fim de 2008 investir em Imoveis era como outro investimento qualquer, quem assume um risco (compra na planta, ações, investe em uma incubadora, títulos públicos de QUALQUER pais) espera um retorno pelo risco que correu. Minha duvida é em relação a 2009, ate o 1° os preços ficaram meio estacionados pela crise do subprime e depois é que a escalada de preços maluca realmente começou a acelerar pra valer…

          0
    • Eduardo Carlos 31 de agosto de 2011 at 18:14

      Cara, você podia dar uma volta nos blogs sobre o tema explicando isso aí! Parabéns pelo texto. As pessoas acham que só porque tá caro, é bolha, é o fim do mundo! O mundo vai acabar? Peraí, o mercado é bem complexo pra ser comparado a uma queda de braço e ser resumido a três agentes: construtoras, governo e o ninguém.

      Tem bolha? Tem, e o preço dos imóveis é reflexo disso. Agora, os motivos são vários e o mercado financeiro influencia muito o mercado imobiliário pra alguns acharem que a bolha vai estourar porque o governo não vai segurar operário em construtora…. Tem lógica?

      0
  • Andre Luiz 30 de agosto de 2011 at 14:27

    “Os preços estão batendo no teto”

    Se isso for mesmo uma bolha, podem esperar que a queda vai ser grande e rápida.

    0
  • FQ 30 de agosto de 2011 at 14:30

    Boa tarde a Todos, venho acompanhando o Blog a algum tempo, entretanto sem me manifestar, abaixo segue um excelente vídeo sobre a crise da espanha, enviado por um colega europeu. Não deixem de assistir o Vídeo até o Final. Recomendaria até publica-lo, caso possível, diretamente na pagina principal do Blog.

    http://www.youtube.com/watch?v=EqW9srTn7xM

    Abs

    0
    • Mahmoud 30 de agosto de 2011 at 16:55

      Sensacional esse video. O curioso foi no final do video, quando a bolha estava para estourar, o narrador falando que o imóvel estava tão caro que pessoas estavam financiando cubículos por 40 anos, o que já acontece aqui no Brasil. Além disso, usavam o mesmo argumento dos corretores aqui do Brasil “imovel nao desvaloriza”.

      0
      • Mahmoud 30 de agosto de 2011 at 17:03

        Além disso o narrador pergunta “como que os imóveis sobem tanto se os salário das pessoas é o mesmo?”

        0
        • FQ 30 de agosto de 2011 at 22:08

          Vendo o vídeo, parece piada estarmos vivendo exatamente o mesmo cenário…

          0
      • carlos wagner 30 de agosto de 2011 at 22:51

        Excelente video. É exatamente o que estamos vivendo.

        0
    • Marcelo 30 de agosto de 2011 at 18:27

      O video sintetiza tudo o que discutimos aqui. Incrivel a semelhanca com o que ocorre com o Brasil.

      0
    • Mr. Alex 3 de setembro de 2011 at 00:01

      huahauahah !!! muito boa !!!

      pior é a parte “e o que você tem para dar em garantia ao financiamento” ?

      “Io tengo esta tortuga com gorra”… vulgo… eu tenho esse gato pra puxar pela rabo !!!

      Avante ! E direto ao precipício !

      0
  • MrK 30 de agosto de 2011 at 14:33

    Se os novos cairam 32% que dirá os usados.

    Os usados devem ter caído muito mais, o motivo é simples:

    – Imoveis novos são vendidos tanto pra quem mora quanto pra quem investe/especula, esses últimos tem prevenido que as vendas caiam ainda mais

    – Imoveis usados são vendidos majoritariamente só pra que mora, o motivo é simples: Imóvel novo você paga suaves 20% na planta, sem muita burocracia e deixa pra resolver o pepino nas chaves, isso permite um desembolso relativamente pequeno de caixa durante a obra e um ágio esperado “grande” no final, já os usados não permitem isso, você precisa financiar muito fortemente de cara, digamos 70 ou 80%, por isso especulador não compra, por isso no ZAP só sobem os números.

    Se tivesse que chutar diria que usados cairam sensivelmente mais que 32%

    0
  • LoL 30 de agosto de 2011 at 14:33

    Amigos, gostaria de falar sobre mim.
    Conheci este site ontem e por aproximadamente 03 horas li praticamente todo o conteúdo aqui disposto e percebi que aqui existem pessoas que realmente entendem das coisas muito mais que os “especialistas”.
    Moro no interior de MG, em uma cidade chamada Muriaé. Aqui a alta dos preços nos últimos 4 anos chegou a triplicar ou quadruplicar o valor dos imóveis.
    Eu estava morando de aluguel e resolvi no início do ano comprar um apartamento de 2 quartos. Só que quando comecei a ver os preços, realmente assustei e vi que um novo estava fora de cogitação. O imóvel que eu estava alugando estava com preço de R$ 450,00 e resolvi fazer uma proposta ao meu locador de R$85.000,00 e acabei fechando o negócio em março desse ano (vale salientar que ele comprou em 2007 por R$ 27.000,00). O bairro é residencial, perto do centro e muito bom. O imóvel tem 79m2, mas é bastante antigo e a fachada precisa de reforma. A forma de pagamento que fiz foi 60 pau à vista e 10 x 2.5k.
    Eu sempre soube que havia uma bolha, principalmente aqui na minha cidade, onde as pessoas adoram andar de carro novo e, como trabalho na Justiça, sei o tanto de execuções judiciais que correm por aqui.
    Enfim, os preços ainda estão subindo aos poucos, mas não acredito que as vendas estejam sendo na mesma proporção. Existem construtoras que ainda estão com imóveis à venda de unidades em prédios que já ficaram prontos há mais de 2 anos e vários outros sendo lançados já com os tais “descontos”.
    Dps de tudo o que eu li aqui, estou bastante preocupado. Essa semana tive uma avaliação do meu apartamento de R$ 100/105 mil, o que me daria quase 20% de ganho em apenas 6 meses, pois sei que ainda consigo vendê-lo antes da merda explodir no ventilador daqui, afinal acredito que vá atingir os grandes centros (SP, RJ, etc) antes de se alastrar por aqui.
    O problema maior é que caso no final do ano e minha noiva já mora cmg e comprei o imóvel para morar e não especular. Mas covenhamos que é tenso d+ ver seu imóvel desvalorizar 40% e saber que se eu me capitalizar agora e segurar por 6 meses a 1 ano poderei comprar de novo um imóvel melhor ou até mesmo este que estou nele e ainda sobrar bastante dinheiro.
    Sei que só tomarei prejuízo caso fosse vendê-lo na baixa, o que obviamente não farei jamais, pois não preciso do dinheiro e o imóvel está quase quitado. Mas ver daqui a alguns meses imóveis bem melhores pelos mesmos 85 mil que paguei vai ser triste.

    Gostaria da opinião de todos, principalmente do bolha e do MrK, que vi serem os mais atuantes.

    Abçs.

    LoL

    0
    • MrK 30 de agosto de 2011 at 16:24

      LoL, eu não venderia correndo se fosse você, até porque você comprou pra viver e não pra revender, são situações bem diferentes, tenha em mente que ninguém sabe precisar quando a bolha vai estourar exatamente (eu acho que no máximo um ano, mas pode sim levar até mais, dependendo de outras variáveis e do governo), imagina a dor de cabeca na sua vida ficar comprando e vendendo imóvel em intervalo de 1 ano? o que se perde com reforma, com mudanças, impostos, burocracia etc…

      Outra coisa, se considerar o valor de aluguel de R$450 vs o valor de compra R$85mil, creio que você fez um bom negócio, o que te parabenizo.

      Pra quem ainda não comprou ,eu recomendo não comprar, mas pra quem já comprou, se fez uma boa compra (seu caso) recomendo não ficar paranoico

      abraços!

      0
      • Mori 30 de agosto de 2011 at 16:37

        E digo mais….mesmo se os preços vierem a cair com a queda vc pode se dar bem com o seu planejamento…

        Imagine alguém que tem um apartamento com aprox. o dobro do tamanho do seu, mais novo e com dívida…pelos patamares de valor q vc passou, R$ 30 mil na manga pode resultar em uma excelente permuta!

        0
        • MrK 30 de agosto de 2011 at 16:51

          o LoL pagava algo como 0.53% de aluguel vs. o valor do imovel

          é um índice considerado alto, aqui no Rio vemos coisas entre 0.30 e 0.35%, com a loucura do mercado esse índice pode vir a ser até menor

          por isso a decisão de compra dele foi boa, ele pagava caro pra alugar o mesmo apartamento, se ele aplicasse numa poupanca por exemplo iria ficar quase zero a zero, então mandou bem

          0
          • LoL 30 de agosto de 2011 at 16:56

            E mais um fator neste cálculo… mesmo se eu quisesse comprar ele à vista, eu teria que terminar de juntar o dinheiro pelos 10 meses e neste período estaria pagando aluguel, afinal o que renderia na poupança não seriam os 85 mil, mas sim os 60 que eu dei de entrada… afinal são 4.5k de economia em aluguéis só no período em que paguei, pois fechei o negócio sem juros ou correções, tudo fixo.

            Que bom que enxergam como um bom negócio, pois dps de tudo o que li aqui, passei a valorizar a opinião de vcs.

            Abços

            0
        • LoL 30 de agosto de 2011 at 16:51

          Rapaz, vcs me tranquilizaram bastante…
          O que mais me atraiu nesse negócio foi o curto prazo de financimento (10 meses), pois eu já estava preparando o lombo para 150 meses ou mais do jeito que estão as coisas.
          Mas realmente, o que vou fazer é terminar de pagar até dezembro e me capitalizar nos próximos meses, esperando pra ver o que vai acontecer.

          0
          • Rodrigo 30 de agosto de 2011 at 17:36

            Esta com a faca e o queijo nas mãos, trabalha na Justiça, e ainda sabe o tanto de execuções judiciais que correm por ai!!

            0
    • Anonymous 30 de agosto de 2011 at 21:13

      Também acredito que foi bom ter comprado. A razão aluguel valor (cerca de 0.5%) indica que o preço está razoável.

      0
  • Glaucio 30 de agosto de 2011 at 15:09

    Esse relatório mostra a situação até junho. Em julho e agosto muita água rolou, crise lá fora, inflação etc. Os próximos relatórios prometem.

    0
    • MrK 30 de agosto de 2011 at 15:11

      excelente observação

      0
      • Jack Imóveis 30 de agosto de 2011 at 15:26

        Eu não estranharia se deixassem para falar do 3o trimestre lá para outubro.

        Eu acho que só teremos uma idéia do estrago no 2o semestre de 2012, quando os imóveis vendidos em 2009 forem entregues (com o atraso de 6 meses que é comum)

        0
    • Ítalo 30 de agosto de 2011 at 15:28

      Eles vão soltando as más notícias pouco a pouco para a turma não assustar…

      0
  • Carlos Wagner 30 de agosto de 2011 at 15:25

    Estou começando a achar que essa bolha nao vai estourar nao.

    0
    • me 30 de agosto de 2011 at 16:10

      Carlos, explica melhor?

      0
    • xyz 30 de agosto de 2011 at 16:24

      O governo vai fazer tudo para mantê-la.
      Já fala até em bolsa trabalhador para a nova classe média.

      Acontece que chega uma hora que nem o governo segura.

      A bolha vai estorar quando desemprego e inadimplência aumentarem.
      Mas enquanto o mercado comer os títulos que o governo emitir, o governo vai segurar.
      Quando o mercado var que é hora de realizar lucros, sai de baixo.

      Dos governos que já presenciei, este é a mais perfeita conjunção entre irresponsabilidade, incompetência e corrupção.

      Apesar de ateu, só posso dizer: DEUS NOS PROTEJA.
      Como um colega já postou aqui, este país vai se tornar uma confusão social.

      0
      • Luiz AG 30 de agosto de 2011 at 16:48

        xyz, até concordaria com você, mas duvido da capacidade do povo de pagar as prestações em 30 ou 40 anos.

        Sem falar que a partir da relação prazo X juros, a dívida fica motocontínua, ou seja, “inamortizável”, se existir essa palavra.

        0
      • Luiz AG 30 de agosto de 2011 at 16:48

        Só explicando, a capacidade da população comprometer 50% do salário, por exemplo durante 40 anos.

        0
        • DRN 30 de agosto de 2011 at 17:38

          E vcs viram a proposta no relatório da SECOVI de que se permita descontar, da base de cálculo do IR, os juros do financiamento? Significa a União abrir mão de receber IR sobre aquilo que se ganha para os bancos. Se aceitarem, vai ser mais combustível para continuar pedalando a bicicleta.

          0
          • Jack Imóveis 31 de agosto de 2011 at 01:12

            Caro DRN,

            Não é uma idéia original. Isso foi feito no governo Clinton para incentivar a compra de imoveis…

            0
    • Ricardo 30 de agosto de 2011 at 16:37

      Uma hora a bolha estoura sim. Talvez não da maneira que muitos aqui no blog acham, com os preços derretendo do dia pra noite, mas todos este festerê movido a crédito uma hora vai pro pau. No último governo Lula as pessoas ganhavam um salário minímo, mas por conta do crédito tinha padrão de vida equivalente a quem ganhava o dobro.

      Eu sou dono de uma indústria, tenho 50 funcionários, ganhando salários em torno de 600 reais. De uns três anos atrás, até uns seis meses atrás, mensalmente era um ou dois funcionários pedindo pra hora que a financeira (de carros) ligar, avisar que eles ganhavam 800, 900. Ora, esse povo ganha um salário pequeno, se pedir pra guardarem 100 pila por mês, não tem dificuldade, mas boa parte deles financiou (e alguns ainda continuam) financiando, comprometendo 30, 40% do salário com prestações de carro, e sabe Deus mais quanto com outros crediários por aí.

      Ou seja, na minha visão, o que aconteceu até agora foi um adiantamento do consumo futuro, para os tres anos que se passarão, e que giraram a roda da economia, criando empregos etc etc. MAS, agora claramente o povo está endividado, milagre econômico não acontecem assim, milagrosamente.

      Pra explicar um crescimento tão alto e súbito, precisaríamos ter passado por transformações estruturais importantes: uma reforma tributaria, uma elevação grande na produtividade, uma melhora critica na infraestrutura, uma baixa mto grande de juros que elevasse o poder de produção e consumo, mas a verdade é q nada disso aconteceu… então só resta esperar agora a conta a ser paga. Dilma já tá pagando parte da conta em forma de inflação e gastos públicos descontrolados. Logo (e logo aqui é 2, 3 anos) a economia começa a pagar a sua parte, e dai.. burst.

      0
      • Hik 31 de agosto de 2011 at 02:17

        Ricardo, concordo contigo e acrescento: eu NÃO acho que a força motriz da bolha seja o crédito imobiliário.
        O crédito imobiliário é cético e, de certa maneira, ainda é responsável.
        Explico: há o caso de uma colega minha de MBA, gerente do BB, que me contou a dificuldade que passou para liberar crédito imobiliário de R$ 280.000 a uma fiscal federal de renda bruta de 12K!!!
        Ela mesmo achava um absurdo não terem liberado o pedido inicial dela de R$300.000.
        Hipoteticamente,ela lpoderia quitar a dívida em 3 anos!!!

        Claro que pode ser um caso extremo, particular. Mas eu não acho que o crédito imobiliário em si é o problema maior. A causa dos altos números de vendas nos anos anteriores foi, como já muito bem discutido, a entrada massiva dos especuladores nos lançamentos de imóveis, tanto dos “fritadores” quanto dos especuladores com $$$.
        Eu mesmo tenho alguns conhecidos que entraram no MCMD para alugar o imóvel com contrato de gaveta. Em suma, uma cara desse é um FDP, e tá cheio por aí.
        Agora o explanado pelo Ricardo acho que constitui o problema maior são as Crefisas e BVs da vida dando crédito direto ao consumidor para comprar carroça brasileira a preço de BMW, TV de LED, armário, geladeira, implante de silicone, etc.. O problema é a dívida ALÉM da moradia.

        0
  • Mahmoud 30 de agosto de 2011 at 16:41

    Estava vendo o preço de um Honda Fit no Canadá R$ 22 mil, aqui o mesmo carro sai por R$ 56 mil. Brasileiro aceita pagar qualquer coisa, deixa de comer para financiar um carro em 60 meses a juros extorsivos. Não me admiro financiarem em 30 anos um imóvel e achar isso um grande negócio.

    0
    • SirD 30 de agosto de 2011 at 21:24

      Com certeza, nos EUA, um Porsche Cayenne custa menos de 50mil dólares – http:// w w w.porsche.com/usa/models/cayenne/cayenne/ – . Em Buenos Aires, Um Nike Shox custa 150 bananas, camisa Lacoste 80. Se for produto argentino, eles devolvem o imposto pago.

      0
    • Hik 31 de agosto de 2011 at 02:22

      É como disse o presidente da Honda na época (acho que ano 2000) quando veio ao Brasil:
      Entrevistador: Porque a Honda pratica preços tão altos no Brasil?
      Presidente Nipônico: Porque o brasileiro paga.
      Entrevistador: …

      0
  • Luiz AG 30 de agosto de 2011 at 16:42

    Carnaval e chuva foi bom.

    No segundo semestre será o furacão irene e a quebra de safra de cana, combinado com a redução de 5% de Alcool anidro na gasolina interferiu na venda de imóveis novos.

    0
  • Elias 30 de agosto de 2011 at 17:08

    Os bancos, as construtoras e os “investidores” não vão pagar o pato sozinhos.

    Estou vendo notícias de que estão lançando inúmeros fundos imobiliários, com LCIs, CRIs e coisas do gênero.

    Bem assim, várias gestoras de fundos e investidores estão comprando estes títulos, lastreados em recebíveis de empreendimentos imobiliários.

    É claro que alguns são mais seguros, talvez a maioria, mas pode ter certeza que boa parte do lixo vai ficar aí no meio.

    Assim, com a securitização, a construtora faz caixa e passa a bomba, que fica com quem comprar os ditos fundos.

    Junte a isso a ajuda providencial do BNDES e Caixa/Banco do Brasil quando a bolha estourar, e temos a receita de como socializar os prejuízos.

    0
  • FSH 30 de agosto de 2011 at 17:31

    Comentário bastante pertinente que se aplica também ao mercado imobiliário:

    “Os brasileiros foram às compras de maneira desorganizada este ano. Nós tivemos uma expansão muito grande do crédito num país onde o consumidor não tem reserva. Se acontece o menor dos problemas, ele não tem como pagar todos os compromissos. Agora em agosto caiu a ficha da crise mundial e já estamos vendo a inadimplência crescer, aumento no volume de cheques sem fundo. Esse cenário mostra o esgotamento do modelo de expansão do consumo baseado praticamente no crédito”, avalia o professor da Fundação Getúlio Vargas, William Eid.

    Acho que a bolha pode estourar por dois motivos que estão ligados a um mesmo fator: o crédito.
    1- estoura pq acaba os recursos de crédito (especialista já sinalizaram que o crédito oriundo das poupanças pode acabar antes de 2014)
    2- desacelração da economia brasileira = aumento do desemprego (que hoje é irreal para nosso país, estanto em apenas 6%) + aumento da imadimplência + queda no consumo

    0
    • MrK 30 de agosto de 2011 at 18:18

      FSH, é bem verdade que o crédito foi responsável por iniciar a bolha, mas no caso especifico de imóveis, essa bolha não existiria (ou seria muito menor) se não fossem tantas compras especulativas para revenda…

      Essas compras especulativas serviram para gerar uma demanda artificial (que não era pra moradia) e aumentar o preço ainda mais, a partir de um patamar que já era inflado. Esse aumento acabou contagiando os imóveis usados e ficou essa maluquice que aí está, tudo travado.

      Acho que o estouro da bolha vem mais pela realização de “prejuizo” de venda especulativa mal feita (efeito manada de venda em mercado sobreofertado) do que por falta de crédito.

      0
      • FSH 31 de agosto de 2011 at 13:34

        MRK não acredito que a ” compra especulativa” seja a grande vilã do aumento dos preços dos imóveis. O Brasil possui um déficit habitacional muito grande e nos últimos anos os trabalhadores tiveram uma sbstancial melhora na qualidade de vida (crescimento da massa salaria com média de 5% + baixo desemprego 6% + mobilidade social) e acesso ao crédito … em termos de participação no PIB, nosso mercado de crédito dobrou. Acho que o aumento da demanda é muito mais por conta da inclusão de novos consumidores no mercado do que culpa do especulador.

        0
  • MrK 30 de agosto de 2011 at 18:29

    PERGUNTA: Porque oglobo nao notificou essa forte queda de 32%? curioso né?

    dar espaço pra uma pesquisa maluca que compara botafogo com paris ele dá (até capa de caderno na edição escrita), mas pra relatar uma pesquisa séria, com indicadores, eles simplesmente IGNORAM

    0
  • Sérgio 30 de agosto de 2011 at 18:53

    Ridícula a entrevista ocorrida agora há pouco na globo news com o economista-chefe do secovi sp: ele falou que o cenário econômico brasileiro em 2011 é completamente adverso a de 2010, o que não permitira fazer a comparação; que o MCMD ficou paralisado um bom tempo e que os preços chegaram no teto e que daqui pra frente as vendas não serão tão gritantes. Esses foram os motivos para a queda, não comentando muito o ponto aumento médio dos imoveis, informando apenas que foi uma correção de anos anteriores onde houve estagnação. Contrariou-se ao responder uma pergunta quando afirmou que imóvel é investimento de médio e longo prazo, não recvomendando que se compre imaginando um aumento de 20% em um ano???!!! Tentou tampar o sol com a peneira fazendo malabarismo com o número de vendas e lançamentos de 2010 e 2011.
    O fato é, que agora, o assunto BOLHA ganhou a mídia, apesar de negarem-lhe a possibilidade.
    Não dou até o carnaval 2012 o estouro, com direito a confete e serpentina… He he he he.

    0
  • Ronaldo 30 de agosto de 2011 at 19:06

    E os números de julho quando vão aparecer ? Já estamos terminando o mês de agosto e ninguem fala nos números de Julho para podermos comparar com junho mês a mês.
    Devem ser ruins mesmo senão já teriam divulgado, até quando o secovi-sp e Creci-sp vão continuar tentando tapar o sol com a peneira e esconder a verdade?

    0
  • Sérgio 30 de agosto de 2011 at 19:36

    Não sei se já foi comentando esse assunto por aqui, mas já perceberam que o pontapé inicial da bolha foram os grandes, enormes aumentos que tiveram as RECÉM criadas (em 2006 e 2007) Construtoras “REAL STATE”, apesar de uma ou outra ser mais antiga mas sem que fosse dessa modalidade, e que aquele espetacular aumento “coincidiu” com o período ligeiramente anterior ao estouro da bolha americana. Quando os investidores internacionais perceberam o fim do ciclo americano, antes que eclodisse, migraram para países como os BRICS. Logo em 2008 começaram os grandes empreendimentos, com as real state plenamente alavancadas, sendo o período de 2009 e 2010 os anos de auferimento dos lucros.
    Interessante notar que em NOVEMBRO de 2010 foi o MARCO divisor de águas, quando as real state foram “abandonadas”, descapitalizadas, sendo justamente a época em que se começou a perceber o famoso “teto” e o início da estagnação das vendas e posterior queda.
    O que houve em novembro de 2010 que serviu como SINAL de “abandonar o navio” que eu não consegui captar?
    Outra pergunta: será que o governo federal vai “salvar” essas empresas, com o pretexto de estar salvando a população? E, se o fizer, qual será o efeito prático para a crise provocada pelo estouro?

    0
    • FQ 30 de agosto de 2011 at 22:06

      Interessante Sergio.

      Quais seriam estas construtoras “Real States”?
      E como se sabe que elas saíram em novembro?

      0
      • Sérgio 31 de agosto de 2011 at 10:55

        Todas as grandes construtoras são real state: cyrela, gafisa, mrv, e por aí vai.
        Para saber porque elas foram “abandonadas” em nov/10 , basta verificar as ações de todas essas empresas, pois, o movimento de queda iniciou-se em novembro. Por que eu não sei.

        0
    • Glaucio 30 de agosto de 2011 at 22:20

      A única coisa que me ocorre nessa época foi a eleição da Dilma.

      0
      • Sérgio 31 de agosto de 2011 at 10:56

        Também cogitei essa ideia; mas como a Dilma veio para manter o que estava feito, não concluo por ser ela a razão: há algum outro fato que nos passou desapercebido.

        0
  • Philis 30 de agosto de 2011 at 19:40

    Tá tendo matéria agora no Jornal da Band sobre a baixa nas vendas dos novos.

    0
    • Eduardo Zé 30 de agosto de 2011 at 22:04

      O Crestana acredita em preços acompanhando a inflação, kkkkkkkkkkkkkkk….

      Mais um balão de ensaio.

      Coitado, os preços vão é cair!!!!

      0
  • Pensativo 30 de agosto de 2011 at 19:45

    A grosso modo estamos verificando a demanda perder força devido ao endividamento familiar e, principalmente, ao aumento exacerbado dos imóveis.
    Com a queda da demanda, os preços deverão ser ajustados para baixo, pois é assim que funciona a lei da Oferta e Procura. Ou seja: a demanda foi a causa dos aumentos dos preços, porém será a causa também da queda.
    A única forma de manter os preços com a demanda em queda seria a retirada de imóveis do mercado. Tática semelhante ao ocorrido na década de 30 quando o governo queimou café para evitar a queda do preço da commodity no mercado internacional.
    Um tática mais racional seria incentivar o aumento da procura. O efeito colateral do MCMD é exatamente este, porém, a longo prazo causaria também o aumento da oferta, deprimindo ainda mais o mercado.
    É claro que, devido a sua característica de ativo de baixa liquidez e ao pensamento retrógrado do brasileiro, os preços, que antes subiram de elevador, vão agora descer de escada. Mas o final será o mesmo: a estabilização dos preços dos imóveis no patamar pré-bolha (2008).

    Meu chute: três anos de aumentos absurdos (2008-2010), um ano de estabilização (2011) e seis anos de quedas constantes (2012-2017).

    0
  • Sérgio 30 de agosto de 2011 at 20:04

    A globo, como toda a mídia, está fazendo o papel dela. Ou seja, desinformação. Percebi que a jornalista Leilane Neubarth, da globo news, ao entrevistar o tal economista-chefe do secovi, perguntou com o maior jeito do mundo, se os altos valores, reclamado por boa parte da população, não era um dos motivos; o camarada cara de pau não desdisse, informando apenas que os preços recomporam-se de anos de estagnação, chegando em 2011 nos “preços corretos”. Depois disso deu-se margem a perguntas dos internautas (escolhidos): compro imóvel arrendado ou não? Como compro imóvel com fgts? Compro sala comercial ou flat para investimento? Ridículas as perguntas. Mas valeu a saiu justa da reporter.
    Outro fato interessante é que, de meia em meia hora, a globo news noticia sobre a queda, e a cada hora vem uma explicação nova, uma mais mirabolante que a outra.
    É a vez da BOLHA negada. Daqui a alguns dias vai ser a Bolha negada II, quando justificarão a queda nos preços (que já ocorre) nomeando-a de ajuste saudável.
    Mais uma notícia: saiu a informação do aumento da pobreza da FRANÇA, que subiu para 8% da população. NOTA: é considerado pobre na FRANÇA que ganha menos de E$900 e BLAU, ou seja, lá é pobre quem ganha menos de R$2.000,00. O mesmo, mais ou menos, da nova classe C que tornou Botafogo, no Rio,como um bairro Parisiense.
    Fui.

    0
  • Kiu 30 de agosto de 2011 at 20:09

    Bolha Imobiliária ???

    Esse foi o título da matéria que acabou de passar no jornal da Band, comentando a respeito da queda de mais de 30 % das vendas de imoveis neste primeiro semestre se comparado com 2010;

    Fizeram ainda algumas comparações importantes e interessantes, citando que em 2010 em 2 meses no máximo um prédio era vendido agora esta levando mais de 8 meses.

    Ou seja, o povo esta começando acordar e esta dizendo NÃO aos altos preços e a essa especulação predatória no preço dos imóveis.

    O lance agora é se capitalizar e economizar o maximo, pois acredito que a curto prazo de 2 a 3 anos, vai ta chovendo imóvel a preço de banana de endividados e construturas se desfazendo de seus elefantes brancos.

    0
  • JPM 30 de agosto de 2011 at 20:15

    O Jornal da Band praticamente afirmou que existe a BOLHA!!

    No final, um entrevistado disse que os preços não vão cair, mas disse que eles “… devem acompanhar a inflação, ou no máximo um pouquinho acima da inflação, pelos próximos 10 ou 15 anos…”!!

    Traduzindo: “O mercado imobiliário subiu no telhado…”
    Lembrando que ninguém será irresponsável a ponto de chegar na TV e dizer FU%&#!, ele pelo menos avisou para ninguém mais investir nesse mercado, já que acompanhar a inflação pelos próximos 10 ou 15 anos não é, de forma alguma, um bom investimento.

    0
  • Sérgio 30 de agosto de 2011 at 20:34

    Até a Stanley & Poor’s afirmou que NÃO HÁ BOLHA no Brasil???!!! Isso hoje no conta corrente das 13:30. Só não consegui achar essa informação sem ser da Globo.
    Mas caso ela tenho feito isso. Pergunto: Pra quê? Quem falou em BOLHA?
    O negócio começa a ficar animado.

    0
    • Anonymous 30 de agosto de 2011 at 21:23

      1 – Encontrei a autora do estudo da S&P e principalmente sua formação acadêmica.

      Milena C. Zaniboni
      www . bloomberglink . com/gatherings_participants_bio . php?gathering=44&Id=1291

      Fluent in Portuguese, English and a working knowledge of Spanish, Milena has a Bachelor’s Degree in Economy from Unicamp – State University of Campinas.

      2 – O Instituto de Economia, no qual essa Senhora fez seu curso de Economia, tentou conceder título de Doutor para ninguém menos que Fidel Castro. É diversão garantida ler os comentários dos conselheiros da UNICAMP. A parte mais interessante é que a Administração do Instituto de Economia, formada pelos seus melhores professores, incluindo o atual Presidente do BNDES – Professor Luciano Coutinho – votou por UNANIMIDADE para conceder o título de Doutor ao Fidel Castro.

      29/Set/1999
      www . sg . unicamp . br/pautas/ataconsu64 . pdf
      … PROC N 01-P-17418/99 em nome de FIDEL CASTRO – Proposta apresentada pela reitoria, por sugestão do Professor Geraldo Di Giovanni, Diretor do Instituto de Economia …

      28/Mar/2000
      www . sg . unicamp . br/pautas/ata66consu . pdf
      … solicita que a entrada dos integrantes da Anistia Internacional seja autorizada durante a votação do título de “Doutor Honoris Causa” a Fidel Castro para que eles possam se manifestar por que são contrários a isso …

      28/Nov/2000
      www . sg . unicamp . br/pautas/ata70consu . pdf
      … PROC N 01-P-17418/99, em nome do FIDEL CASTRO RUZ … 2) Proposta de concessão do título de Doutor “Honoris Causa” …

      0
      • Hik 31 de agosto de 2011 at 02:28

        O fato é: no Brasil, qual formação de qual instituição indica imparcialidade ou confiabilidade?

        0
  • Carlos Eduardo 30 de agosto de 2011 at 21:12

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,aliados-nao-descartam-novo-imposto-para-financiar-saude,766168,0.htm#

    olha a fonte do dinheiro infinito ai!!!

    o governo precisa de mais ; )

    vai banânia! o pais da liberdade!!!

    vamos lutar por nosso pais bananenses

    0
  • Marcos 30 de agosto de 2011 at 21:48

    PessoAll,

    Em que ano começou a subida de preços?

    0
    • Eduardo Zé 30 de agosto de 2011 at 22:05

      Aqui no RS 2008.

      0
    • Sérgio 30 de agosto de 2011 at 22:11

      Pra valer mesmo em 2008/9. Más já em 2006 começou-se a sentir ligeiros aumentos. Mas aqueles (2006/7) eram relativamente saudáveis e realmente compatíveis com o aumento de renda do brasileiro. Em 2008, com o início dos mega empreendimentos das Real States (cyrela, mrv, gafisa, brookfields e outras) começou-se a escalada que foi mas notadamente visível (risível, na verdade) em 2009; em 2010 continuou, mas já completamente descolado da realidade. Em 2011 o pessoal continuou aumentando, mas não mais conseguiu vender.
      Aqui houve uma formação de “subprime” a la brasileira. Lá, o indivíduo se reendividava varias vezes . com o mesmo imóvel, refinanciando-os e gastando a teórica valorização. Lá era apenas um individuo para o mesmo imóvel. Aqui, como dizem… na banânia, um esperto compra um imóvel por 100 e vende-o por 120; outro que o comprou por 120 o revende por 160; um último esperto o compra e revende por 200; o último, que foi o trouxa da história, comprou por 200, financiado (isso, quando não ainda na planta, quando não se precisa de financiamento) ou ainda na planta: o resultado é que ele não conseguiu vender o apzinho de 60 m2, o prédio ta quase pronto e ele não sabe mais o que fazer. Já ofereceram a ele 160, mas ele – em tese – estaria perdendo 40. Ele não aceitou, mas não sabe o que fazer. Já se arrependeu e foi atrás do cara que ofereceu 160; o cara viu esse blog, ou outros que pipoca mundo afora e desistiu da compra. O trouxa virou crente, reza ave-maria e vai no terreiro do preto véio: tudo pra conseguir achar resposta do que vai fazer.
      Eu até compraria esse apzinho por 80, mas acho muito pequenino. Vou comprar uma casa de 100 m2, num bairro descente em minha cidade por 180, que é o preço justo pelo aluguel que se cobra. Hoje, a mesma casa, futura minha, está a 280 HÁ 2 ANOS à VENDA.
      Historinha bunitinha, né?

      0
  • profeta do apocalipse 30 de agosto de 2011 at 23:46

    forum já! tou perdido nos comentarios. pense nisso, bolha. nao espere a bolha estourar para fazer o forum!

    0
    • Hik 31 de agosto de 2011 at 02:32

      Já existe o fórum faz uns 15 dias.

      0
    • Bolha Imobiliária 31 de agosto de 2011 at 11:01

      O Fórum já está no ar faz tempo…tá perdido heim…Olhe no menu da direita

      0
      • profeta do apocalipse 31 de agosto de 2011 at 20:36

        obrigado. passei uns dias fora!

        0
  • Paulo - RJ 31 de agosto de 2011 at 00:34

    Boa noite,

    tenho acompanhado a lista. No início do mês comecei a acompanhar qualitativamente, via ZAP, os imóveis de 2 e 3 quartos com garagem na Tijuca. Também acompanho alguns imóveis diretamente. O número de imóveis disponíveis com estas caracerísticas manteve-se estável. Pelo o que eu tenho visto na Tijuca, conversando com algumas pessoas, tem gente disposta a pagar até 400, 450 mi por bons imóveis de 2/3 quartos (Eu não pago, acho caro). Agora, tem muito imóvel precário ou mal localizado sendo vendido a 250, 300 mi (antes custavam por volta de 80 mi). Estes ninguém quer, a não ser que seja maluco.
    Na Tijuca ainda existe uma demanda por bons apartamentos, que são poucos, o que talvez atrase (ou nem ocorra) o processo de bolha. Talvez um ajuste com o tempo ou uma baixa provocada por alguma crise.
    Agora, pelo o que eu tenho visto na Barra, acho que lá vai bolhar.

    0
  • Anonymous 31 de agosto de 2011 at 02:33

    Moçada,

    É nóis na fita: Argentina, Irlanda, Peru e (acredite se quiser) Bulgária.

    27-03-11 – Preocupa la burbuja inmobiliaria en Brasil
    www . lacapital . com . ar/ed_impresa/2011/3/edicion_877/contenidos/noticia_5660 . html

    El estatal Banco do Brasil, cuya cartera hipotecaria ha aumentado a más del doble a 4.000 millones de reales el año pasado, ofrece crédito hipotecario a 30 años a una tasa fija del 13%, casi el triple de las tasas actuales en Estados Unidos. La mayoría de los economistas concuerdan con Matos, pero hay un creciente número de escépticos que en sitios en Internet en portugués, como bolhaimobiliaria . com (housingbubble . com), comparten su opinión de que la bonanza de Brasil está condenada a un destino familiar. La deuda hipotecaria puede estar baja, dicen los escépticos, pero la carga de deuda total al consumidor ha crecido rápido si se consideran tarjetas de crédito y pagos en cuotas que tienen tasas de interés anual promedio del 30%.

    25-03-11 – Fears of property bubble in Brazil
    www . rte . ie/news/2011/0325/brazil . html

    Banco do Brasil, whose mortgage portfolio has more than doubled to 4bn reais in the past year, offers 30-year home loans at a 13% fixed annual interest rate, almost triple the current rates in the US. The majority of economists agree with Matos, but there are a growing number of sceptics who, on Portuguese-language Web sites like bolhaimobiliaria . com (housingbubble . com), vent their view that Brazil’s boom is doomed to a familiar fate.

    26-03-11 Carnaval de viviendas Brasil aumenta temor a burbuja
    noticias . terra . com . pe/internacional/latinoamerica/carnaval-de-viviendas-brasil-aumenta-temor-a-burbuja,20c851c8855fe210VgnVCM10000098f154d0RCRD . html

    El estatal Banco do Brasil, cuya cartera hipotecaria ha aumentado a más del doble a 4.000 millones de reales el año pasado, ofrece crédito hipotecario a 30 años a una tasa fija del 13 por ciento anual, casi el triple de las tasas actuales en Estados Unidos. La mayoría de los economistas concuerdan con Matos, pero hay un creciente número de escépticos que en sitios en internet en portugués, como bolhaimobiliaria . com (housingbubble . com), comparten su opinión de que la bonanza de Brasil está condenada a un destino familiar.

    27-03-11 – “Карнавалът” на бразилския жилищен пазар поражда опасения от балон
    www . investor . bg/news/article/114534/113 . html

    Banco do Brasil например, чието ипотечно портфолио нарасна над два пъти до 4 млрд. реала през последната година, предлага 30-годишни жилищни заеми с фиксирана годишна лихва от 13%, близо три пъти по-високи от сегашните нива в САЩ. По-голямата част от икономистите са съгласни с Матос, но броят на скептиците, които в сайтове като bolhaimobiliaria . com (жилищенбалон . ком), изразяват мнения, че бразилският бум е обречен на позната съдба, расте.

    0
  • Anonymous 31 de agosto de 2011 at 03:39

    Uma pequena síntese: Nos EUA, a taxa de juros do empréstimo subprime era variável. Na Banânia temos TR (variável) + 12% (fixo), resultando em taxa de juros variável. Nos EUA, a taxa de juros dos empréstimos subprime começou a subir causando inadimplência e isso estourou a bolha. Na Banânia a taxa de juros nem precisa subir pois já é absurdamente alta. Além disso, conforme enfatizado pelo MrK, o aumento do preço dos imóveis durante a construção fará com que muitos não consigam nem entrar no financiamento. Alguns por não terem renda desde o começo (investidor esperto), outros por estarem sinceramente iludidos com a correção do saldo devedor. A Banânia vai inovar nesse ponto, onde o sujeito ficará inadimplente antes de tomar o empréstimo. Para aqueles que entrarem no empréstimo, em discussão anterior, estimei que supondo taxa de juros de 12%, TR zero e uma desvalorização do valor do imóvel em meros 10%, o sujeito ficará 12 anos com a dívida do financiamento maior do que o valor do imóvel.

    0
    • Felipe 31 de agosto de 2011 at 08:10

      Acho que vai ter muita gente torcendo pro mundo acabar mesmo em 2012 …

      0
    • Buginga 31 de agosto de 2011 at 11:33

      Anonymous,
      Obrigado pelos esclarecimentos.
      De fato, taxa pre fixada não existe. Deu uma olhada no calculo da TR e ela é na pratica Txa básica de juros da economia com fator redutor.
      Na pratica ela sobe acompanhando a Selic (amortecida pelo redutor e pela metodologia de medias ponderadas) ou na alteração do fator redutor, q foi o exemplo q vc usou.
      Lembro q há uns meses atras, na época em q o André postava bastante aqui, foi discutido se a TR tem um teto ou não. Pelo q pesquisei: Ela NÃO tem um teto e, num cenário de forte elevação das taxas de juros no mercado, o financiamento imobiliário subiria as parcelas sucessivas pela correção do saldo devedor pela TR.

      0
      • Anonymous 31 de agosto de 2011 at 12:26

        A TR é simplesmente uma salvaguarda contra a INFLAÇÃO para o BANQUEIROS. Se a inflação, começar a subir, basta uma canetada e o cálculo da TR será alterado da noite para o dia. Aqui nos EUA, a taxa de juros está fixa em torno de 5% para o financiamento. Se houver inflação, os bancos perdem. Por isso, escrevi que na Banânia o risco inflacionário está todo com o tomador do empréstimo – capitalismo sem risco para os banqueiros.

        0
        • Lucas2 31 de agosto de 2011 at 12:52

          Sobre a taxa de juros, saiba que para determinados níveis de renda (até R$ 2500,00 na CEF) ela é de 4,5%aa (5% com desconto de 0,5% ao deixar em débito automático) e não 12%aa como você diz. Agora desconta a inflação desta taxa de juros e veja que para alguns milhões de brasileiros a Banânia é melhor que a Appleland.

          0
          • Anonymous 31 de agosto de 2011 at 13:29

            lucas2,

            São esses bananenses que estão comprando moradias nos preços que temos discutido aqui?

            0
          • Lucas2 31 de agosto de 2011 at 17:34

            O limite da estrutura aninhada não permite eu responder abaixo do post do Anônimo.
            Estamos discutindo sobre Bolha Imobiliária, claro que a subida dos preços da base (todos os milhões que conseguem a taxa de 4,5%aa) subsidiada levou ao aumento de todo o mercado de imóveis, então a relação é óbvia e inegável.

            0
  • Felipe 31 de agosto de 2011 at 08:44

    Depois que a esposa do carinha que foi FILMADA extorquindo, foi absolvida na Câmara, não podemos duvidar de mais nada. Nem de um aporte gigantesco para construtoras em perigo.

    Meu não é possível alguém votar numa pessoa dessa! O povo tá sendo muito iludido com crédito fácil, viagens de avião, TVs de Plasma, máquina de lavar nova…

    0
    • DRN 31 de agosto de 2011 at 13:11

      Felipe, SP elegeu o MALUF, o TIRIRICA e o WALDEMAR COSTA NETO (BOY)!

      Quer mais o quê?

      O problema é a falta de opção. Não há nenhum partido decente. O PSOL parece decente, mas é de esquerda. Quem é de direita e é honesto fica sem opção.

      0
  • Observador 31 de agosto de 2011 at 08:45

    Oi pessoal,

    Muito se tem falado sobre queda de vendas, isso já é fato consumado. Gostaria que os confrades me respondesssem quando os preços irão cair efetivamente e qual seria o desconto. Li que, na média, os preçõs caem em torno de 40%, que tal patamar é que ratifica a existência e bolha, é isso mesmo?

    0
    • Sérgio 31 de agosto de 2011 at 11:21

      A queda será nacional, mas o percentual que refletirá essa queda é muito variável, de região para região e de cidade para cidade. Uma coisa é certa: os imóveis direcionados para o MCMD não valem mais de 50K, mas não acredito que elas descerão a esse patamar, pois, haverá muito brasileiro que comprará quando atingir uns 60 ou 70K. Os demais imóveis experimentarão quedas muito próximas a 40%, sendo em alguns lugares mais e outros menos. Um exemplo típico é o sobrado onde moro: o cara tá vendendo há dois anos por 250K; é de todo evidente que não encontrou comprador; eu pago aproximados 0,8K/mês. Acredito que, nas condições atuais da cidade em que moro (cascavel/PR), a quantidade impressionante de imóveis à venda e mais ainda em construção, que o imóvel onde moro chegue tranquilamente a valores entre 140 e 160K. Esses valores correspondem ao patamar que justifica o meu atual aluguel e ao mesmo tempo, corresponderia a um rendimento igual ou superior ao que o proprietário teria, caso tivesse esse mesmo montante na poupança. Lembro-me que há um tempo atrás o aluguel correspondia, em tese, a 10% de 1/12 do valor do imóvel. O que não é tão diferente da sistemática atual.
      Ponto importante, é que o atual nível de queda, que é pequeno, já começará a provocar um outro efeito, a diminuição das construções principalmente no próximo ano. Com isso, diminui-se muito a demanda por mão-de-obra; essa por sua vez, por ser enorme atualmente, acabará afetando outros seguimentos da cadeia produtiva. Está formado o estouro, com todos os ingredientes: preços ainda altos, desemprego repentino após longo período de ascensão e EMPRESA E FAMÍLIAS ENDIVIDADAS. Percebam que nem falei em crise internacional, na qual o Brasil conta com a China para salvá-lo. Leia-se: que a china continue a comprar nossas commodities. Esquecem-se, os economistas brasileiros, que a china vende, principalmente para EUA e Europa, que são justamente os dois motores fundidos da economia. Junte tudo num caldeirão e veja a merda que vai dar.

      0
  • Observador 31 de agosto de 2011 at 08:47

    CORREÇÃO

    … é que ratifica a existência de bolha…

    0
  • Marcos 31 de agosto de 2011 at 11:33

    Repiques da crise podem afetar mercado imobiliário

    SÃO PAULO – A venda de imóveis residenciais novos em São Paulo caiu 31% na comparação do primeiro semestre de 2010 com o mesmo período de 2011.

    De acordo com o Secovi-SP, o avanço da inflação e as medidas de contenção do crédito contribuíram para o desaquecimento.

    No entanto, considerando apenas o mês de junho, as vendas cresceram 14,1% sobre maio. Porém, os rumos da economia mundial preocupam. “O Brasil está forte, tem uma boa base e uma economia estável. Mas crises globais acabam nos impactanto. Devemos ficar atentos, embora eu ache que não sofreremos muito com essa ‘nova crise’ que estamos vendo agora”, afirmou o presidente da entidade, João Crestana.

    Segundo semestre
    Ainda de acordo com a entidade, o segundo semestre – que costuma registrar melhor desempenho de lançamentos e de vendas – pode ser afetado pelas instabilidades externas e registrar números menores.

    “Não estamos mais naquele momento de 2010 de vender um prédio em dois meses, mas eles estão sendo vendidos em sete meses, o que também é um bom prazo. Porém, com esses repiques da crise de 2008, o mercado imobiliário pode ser afetado”, completou Crestana.

    Para o economista da entidade, Celso Petrucci, a oferta de imóveis novos residenciais na cidade deve superar 13,7 mil unidades, volume inferior à média de 20 mil unidades existentes em 2009. Vale ressaltar que o volume de lançamentos está maior que o de comercialização em 2,3 mil unidades nos últimos seis meses.

    www .infomoney.com.br/financas/noticia/2198479

    0
    • trololó 31 de agosto de 2011 at 12:15

      “Não estamos mais naquele momento de 2010 de vender um prédio em dois meses, mas eles estão sendo vendidos em sete meses,”

      porra, mas eles não vendiam tudo EM UM UNICO DIA ANTES DO LANÇAMENTO?!?!?!?!

      COMO É QUE AGORA MUDARAM O DISCURSO?

      0
      • MrK 31 de agosto de 2011 at 13:42

        trololo, voce ta enganado

        eles nao vendiam tudo no dia do lancamento, vendiam tudo menos um, sempre tinha aquela “ultima unidade” né? hahahah

        0
  • Murdoch 31 de agosto de 2011 at 11:55

    Pessoal,

    recebi de um corretor da patrimóvel uma “oferta” de uma cobertura em Botafogo, naquela área que a CHL demoliu tudo. De 800k por 620K. Desconto considerável, não?
    Outra “oportunidade” era na Barra. Esse o caso era mais grave, pq procurei anúncios da época e estão repassando o imóvel por valor inferior ao que ele foi vendido há 2 anos.

    0
    • trololó 31 de agosto de 2011 at 12:16

      é mentira, o mercado está totalmente aquecido, e as vendas de JUNHO superaram as de MAIO

      como voce pode falar uma coisa dessas?!?!

      0
      • Anonymous 31 de agosto de 2011 at 12:29

        Só pode ser falta de patriotismo. Sugiro bani-lo do forum.

        0
      • Ar Quente 31 de agosto de 2011 at 12:39

        Você tem acesso a essas estatísticas para afirmar isso? Qual a sua fonte?

        Me parece que só a SECOVI de SP publica essas informações. Se a informação existe no site da SECOVI-RJ, ela está em algum lugar escondido….

        0
    • MrK 31 de agosto de 2011 at 13:45

      hahah conte mais pra gente aí

      era imovel já pronto? era repasse? era ainda em construção?

      quanto a barra da tijuca: Meu amigo, o que tem de lancamento lá vendido pra “investimento” não tá no gibi…

      0
      • Murdoch 31 de agosto de 2011 at 19:10

        Bom, vou colocar o que sei, mas vou atrás de mais info já que despertou interesse.
        O de Botafogo é pronto. Situação um pouco mais dramática pelo que entendi.
        O prédio foi entregue há um ano, o proprietário se mudou, mas segundo o corretor será transferido pro exterior. Não consigo acreditar muito não.
        O da Barra é num tal de Cidade Jardim no edifício Jatobá. Diz no anúncio que é tipo pronta entrega. Vou mandar email (estilo gerson) para descobrir mais. Mas enfim, 78m2, 16º andar, 2 qtos. Preço de tabela 470k, me ofereceram por 426,5, sendo que já foram pagas as taxas de decoração e ligações definitivas.
        Diz que tem que dar 30% de entrada e saldo com o banco.
        No fim de semana, tb me mandaram oferecendo no Riservato. Mena Barreto com São João Batista, ou seja, uma merda. Deve ser um dos cruzamentos mais barulhentos do RJ. Já haviam me oferecido em tom de promoção por 790k. O corretor me ligou, insistiu que era mto bom por esse preço, etc. Com minha negativa, disse que eu tinha que ir lá conversar com o gerente, fazer proposta e etc… No final a dica: “tenta chegar aí nos 740K que eu acho que vai, mas não diga que eu te falei”.

        0
        • MrK 31 de agosto de 2011 at 19:31

          eu morro de rir com esses imoveis novos de bostafogo, cara tem cada uma…

          imovel em ruas tenebrosas, pequenos, por 900mil na planta, como pode, cara?!!??

          a mena barreto é a rua mais engarrafada do mundo, quiçá da via láctea

          0
  • Anonymous 31 de agosto de 2011 at 13:26

    31/Ago/2011 DIEESE: O rendimento médio real dos ocupados (descontada a inflação) caiu 0,5% no país em junho, chegando a R$ 1.356. Já o dos assalariados ficou em R$ 1.409. Esta é a oitava queda mensal consecutiva.

    Como é que é? Até agora tinha escutado que a renda estava em franco e sustentável crescimento. Será que cochilei e perdi uma parte da conversa?

    0
  • Marcos 31 de agosto de 2011 at 14:23

    Na capital paulista, as vendas acumuladas de 11.680 unidades entre janeiro e junho representaram
    variação negativa de -31,3% em relação ao mesmo período de 2010, quando foram comercializadas
    17.005 unidades.

    O indicador VSO (Vendas Sobre Ofertas) médio do primeiro semestre de 2011 ficou em 13,2% ao
    mês. De janeiro a junho do ano passado, o VSO foi de 21,6% mês.

    Mais em: colunistas.ig.com.br/ricardogallo/2011/08/31/dados-de-junho-mostram-queda-na-venda-de-imoveis/

    O VSO caiu pela metade em relação ao ano passado? Vai sobrar imóveis para comprar.

    0
    • Camilo 31 de agosto de 2011 at 19:52

      E tenho uma outra pergunta aos participantes; vocês acham que existe algum risco, no caso do estouro da bolha (e dos financiamentos, do dinheiro dos bancos), de que o dinheiro da poupança (supostamente utilizado para financiamento imobiliário) seja retido nesse tipo de ocasião? Como nos tempos do Collor?

      0
      • Adriano 1 de setembro de 2011 at 06:46

        Boa pergunta, mas acho que não por causa do Fundo Garantidor. Pelo menos para poupanças até R$ 70.000 por CPF. Óbvio que em caso MUITO EXTREMOS, esquece tudo, por que aí não existe regra, e muito menos como se preparar.

        0
  • Ronaldo 31 de agosto de 2011 at 17:53

    Ministério Público de SP pede intervenção na Bancoop(Infelizmente muito tardia essa atitude)

    Sei que isso foge um pouco o escopo deste blog, porem se não bastasse os problemas citados aqui, ainda existem esses golpes onde pessoas são lesnadas e ninguem toma nenhuma providência.

    Existem casos de pessoas que investiram economias de varios anos nesta cooperativa e perderam tudo, os diretores desta cooperativa deveriam estar presos, porem ao contrário muitos deles estão exercendo cargos de confiançã no governo ou no PT. Um Absurdo!!!

    http://cbn.globoradio.globo.com/editorias/pais/2011/08/31/MP-VAI-PEDIR-O-FIM-DA-BANCOOP-DE-SP.htm

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/821897-justica-quebra-sigilo-bancario-e-fiscal-de-tesoureiro-do-pt.shtml

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/968068-ministerio-publico-de-sp-pede-intervencao-na-bancoop.shtml

    0
  • Marcos 31 de agosto de 2011 at 20:04

    Orçamento do Minha Casa, Minha Vida tem queda em 2012
    Para 2011, dotação orçamentária do programa é de R$ 12,73 bilhões.
    Já para o ano que vem, previsão que consta no orçamento é de R$ 11,08 bi.

    g1.globo.com/economia/noticia/2011/08/orcamento-do-minha-casa-minha-vida-tem-queda-em-2012.html

    Acho que o governo esta desinflando aos poucos.

    0
  • Daniel 31 de agosto de 2011 at 20:40

    Ola a todos,

    Meu primeiro post aqui. Parabens pelas sempre excelentes discussoes aqui no blog.

    Eu moro fora do Brasil ja algum tempo mas sou proprietario de um imovel que esta para ser entregue na no comeco de 2012 na cidade de sao paulo. Nao comprei para revender e sim para ter um lugar para morar quando conseguir minha transferencia de volta ao brasil.

    O que leio muito aqui fora em diversos jornais sao noticias a respeito de uma possivel bolha no brasil e diversos itens que deveriam ter sido resolvidos pelo governo mas nao foram.

    Infra no brasil eh uma coisa medonha. Ja comecando pela chegada internacional no aeroporto de guarulhos. Em dias de maior movimento o negocio vira um caos. Nao acredito que vao resolver a tempo todos os problemas. Resolvendo metade seria ja bastante coisa.

    Agora items como:

    Reforma Fiscal?
    Sobrevalorizacao do Real frente a outras moedas?
    Infra-estrutura pifia?
    Divida Interna?
    Nivel de alavancagem das Real State no brasil? Quem compra debentures delas?
    Risco dos empregos de manufatura migrarem do brasil para outros paises?
    Dependencia na exportacao de commodities? China compra 60%+ de tudo o que exportamos?
    Taxa de desemprego no brasil baixa 6%~
    Maior taxa de juros real do mundo.

    Os itens acima sao o que normalmente acho notas em FT/The Economist…

    Nao vejo comentarios muito detalhados de economistas no brasil. Nao sou nem de perto especialista em economia, mas sou um leitor interessado nestas coisas. Na lista dos itens que coloquei tem varias coisas interessantes que podem afetar emprego e capacidade das pessoas em pagar os emprestimos de volta. Se considerarmos um endividamento grande das familias o risco nao aumenta? Tem bastante coisa ai que pode acontecer? O que voces acham dos itens acima?

    0
    • Anonymous 1 de setembro de 2011 at 01:26

      Daniel,

      Voce e muitas pessoas estão enganados sobre a taxa de desemprego. Veja relatório do DIEESE. Não vá ficar decepcionado, mas tem gente no governo que falta com a Verdade.

      www . dieese . org . br/ped/metropolitana/ped_metropolitana0711 . pdf

      A taxa de desemprego total permaneceu inalterada em 11,0%.

      Taxas de Desemprego Total, Regiões Metropolitanas e Distrito Federal
      Distrito Federal 13,7
      Belo Horizonte 8,3
      Fortaleza 10,2
      Porto Alegre 8,9
      Recife 17,2
      Salvador 16,9
      São Paulo 12,6

      0
      • Duda 1 de setembro de 2011 at 09:01

        Estes numeros coincidem mais com a realidade…

        0
      • Daniel 1 de setembro de 2011 at 15:39

        Bem interessante a diferenca entre os numeros oficiais e os oficiosos. Existem sempre multiplas formas que sao usadas pelas autoridades para mascarar numeros e problemas. O governo leva em conta apenas uma porcao dos desempregados nas estatisticas e os da informal nao sao incluidos. Acho que pode ser algo relacionado nao acha?

        0
  • Bruno 1 de setembro de 2011 at 00:23

    Acho que as construtoras e imobiliárias realmente estão no alerta vermelho, pois de uns dias para cá o que tenho recebido de spams oferecendo todo tipo de imóvel não está no gibi. Sempre com aquela lorota de “´últimas unidades, aproveite!”.
    Isso nunca aconteceu antes, essa avalanche de propaganda de imóveis por e-mails (todos enviados sem autorização, claro).
    Outra coisa, ontem tive consulta com meu dentista que tenta vender dois imóveis seus para comprar outro maior. Disse-me que não consegue vender e que as pessoas que se interessaram inicialmente sumiram do mapa. E que o corretor que contratou disse-me que no mês passado vendeu 01 (um) imóvel só.
    A situação realmente está mudando rapidamente.

    0
  • FQ 1 de setembro de 2011 at 11:12

    No Brasil não existe impressa independente e neutra, são todas patrocinadas, mantidas e “manipuladas” por anunciantes e grupos financeiros ligados ao faturamento direto, ao círculo social dos diretores ou a ideologia política-financeira-social dos seus controladores. Tudo, menos imparcialidade ou senso crítico.

    A grande mídia é elaborada e moldada para o nível intelectual, de discernimento e de argumentação dessas tão faladas classe C e D. Seja pra eleger o Novo Uno o carro do ano (Sic), vender um Cross Fox por 50 mil em 60 meses ou uma tv das casas bahia em 24, ou pra vender a alma para os bancos em financiamentos impagáveis pelo resto da vida, ou ainda pra transformar todos os brasileiros em prostitutas, bêbados ou homossexuais assistindo a engenharia social levada a cabo pela novelas da oito. Tudo menos família, educação, fé e liberdade.

    Façam suas escolhas a quem darão ouvidos!

    0
  • Ronaldo 1 de setembro de 2011 at 15:35

    Bruno você tem toda razão as construtoras estão apelando para tudo.

    Vejam este anúncio que saiu no MegaTV feito de PDG, vejam os detalhes e tirem suas conclusões:

    *zero de entrada
    *6 meses de condominio gratis
    *prorrogação do “feirão de imoveis”
    *Dentro do estacionamento do Shopping Taboão(imagina quanto estão pagando) !!!!

    Clique neste link:
    http://www.megatv.com.br/canais.php?idCanal=5

    Do lado direito clique na opção:
    Feirão de Imóveis Zona Sul

    0
  • Dani 1 de setembro de 2011 at 17:42

    Há alguns meses venho acompanhando os debates por aqui! Moro em Brasília e sou completamente a favor da tese de que existe uma bolha imobiliária no Brasil, na minha opinião, como na de muitos, causada pelo crédito fácil e farto, muita especulação, ganância de construtoras e corretores e, é claro, corrupção (afinal, pelo menos aqui em Brasília, de onde dever vir o dinheiro para movimentar esse mercado aos preços insalubres de hoje?)! No final do ano passado eu estava pensando em adquirir meu primeiro imóvel (moro de aluguel), mas com os valores exorbitantes ficou impossível, e olha que ganho razoavelmente bem, mas não tive coragem de me endividar com a CEF por 30 anos, então estou esperando a bolha estourar…rs
    Mas nem foi para dizer isso que resolvi escrever aqui pela primeira vez, foi mesmo para agradecer a todos pela riqueza de informações dos debates que têm me ajudado muito a tomar minhas decisões sobre compra de imóvel e, principalmente, para dizer que mesmo com toda a seriedade do assunto eu me divirto muito todos os dias ao ler os comentários, tem dias que chorro de rir dos comentários do Anonymous (sou sua suuuuuuuuuuuuper fã!), principalmente quando ele chama o Brazil de Banânia! kkkkkkkkkkkkk….Fico triste em ter que concordar porque sou brasileira e tenho meu orgulho, mas infelizmente a piada é bastante apropriada! Anonymous, quero um autógrafo seu, viu? rs Abraços a todos e vou continuar acompanhando sempre!

    0
    • Noord 1 de setembro de 2011 at 21:34

      Para complementar o comentário, estou em uma posição muita parecida. Sou engenheiro e o pouco que aprendi foi lendo os comentários deste site. Leio todos os dias. Sempre que entro e não tem nada novo fico “xingando” o moderador… Parabéns pelo excepcional site.
      Aproveitando, acredito em bolha, mas acredito mais ainda em governos corruptos capazes de empurrar com a barriga o estouro… Até quando vcs acham que dá pra empurrar o estouro da bolha ?

      0
      • Bolha Imobiliária 1 de setembro de 2011 at 22:23

        Xingando o moderador foi boa…hehe

        0
        • Hik 3 de setembro de 2011 at 00:47

          Seu… Bolha.

          0
  • ildeu 2 de setembro de 2011 at 00:35

    nossa crise não será igual a espanhola , nossa economia e´ mais diversificada .Lá é so turismo , comercio e serviços basicamente .Aqui temos agiricultura ,industria , mineraçao ,petroleo,muita riqueza natural que a china e outros paises precisam.A queda dos imoveis não traria tanto problema como na espanha ,como sua subida de preços não foi responsavel pelo nosso crescimento economico como foi lá , em contra partida.Só uma crise global recessiva nos traria pra baixo ,não crise imobiliaria.Embora ela ocorrerá ,ou já está ocorrendo .Outra coisa , o povo europeu está preguiçoso , não gosta de trabalhar ,quer que o governo banque tudo .Conversei com um garçon brasileiro em lisboa , e ele disse que a crise só existe pros preguiçosos.O jovem português naõ admite ser operário .Quer ser executivo ,profissional liberal etc…sem trabalhar fica difícil !

    0
    • Lucas2 2 de setembro de 2011 at 11:09

      Os caras se acostumaram a ter como classe trabalhadora os imigrantes.
      Aqui em Sampa vejo algo parecido (com a diferença que nossos imigrantes são daqui mesmo), o que se vê de placa de precisa-se de garçon, açougueiro, balconista de loja, montador de móveis, etc, não é brincadeira. Entendo que começa a faltar este tipo de profissional por aqui.

      0
  • Ronaldo 5 de setembro de 2011 at 11:15
  • Andrés 5 de setembro de 2011 at 12:39

    Gente, achei um site bem interessante sobre valores do m² atualmente na Espanha. É este aqui – http://www.elmundo.es/suvivienda/sv/tasaciones/ – Em Barcelona atualmente o valor esta em 2600 Euros o m² – o que o euro gira em torno a R$ 2,35 – teriamos que o valor médio seria de R$ 6100. Achei ainda os valores bastante “salgados” pois apesar de ser Europa – a Espanha não é exatamente um modelo de pais Desenvolvido. Se esses valores forem indicadores de uma bolha acredito que ainda tem muito pra cair. Aqui atualmente os valores estão bastante parelhos com os de lá – mas aqui é Pindorama e nada justifica termos que pagar tanto pra morar em um pais com tantos problemas – Atualmente acho que até os USA estão mais baratos que na Espanha. Não sei – deixo aqui minha contribuição. Valeu.

    Andrés

    0
    • Paulo Rocha 5 de setembro de 2011 at 13:37

      Barcelona sempre foi cara. Em geral a Catalonia é uma das regiões mais prósperas da Espanha. O interessante seria ver quanto que baixou desde o pico. A última vez que eu verifiquei preços em Barcelona ainda estava em tendência de queda. Devido a situação atual na Espanha duvido que tenha invertido.

      0
      • Andrés 5 de setembro de 2011 at 14:18

        Paulo, aqui tem estes grafico que mostram uma queda constante – vc pode ajustar a data e ele vai te mostrando os valores da epoca no campo “Cambio rango de fechas – o fato é que os valores medios de junho de 2007 – Estava em 2900 euros o m² até hoje – que esta em 2160 Euros o M² podemos dizer que já houve uma derrubada de cerca de 30% e continua caindo….vamos ver até onde…para quem quiser ver o grafico pode ser visto aqui: – http://www.fotocasa.es/indice-inmobiliario__fotocasa.aspx – sempre lembrando que apenas achei o site interessante mas não posso garantir se as informações ali constantes são ou não “verdadeiras” ou “manipuladas”. Hoje em dia como aqui no Brasil, todos acham que estão certos – o SECOVI e o setor Imobiliario Nega veementemente a existencia de crise, porém o mercado mostra o contrário. Agora é só esperar para ver. Saudações

        0
  • Zap 5 de setembro de 2011 at 19:01

    Como burlar o indice ZAP….

    http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-1-quartos-aluguel-RIO-DE-JANEIRO-BOTAFOGO-RUA-PASSAGEM-DA/ID-2407360

    Os preços estão recuando, para enganar o o calculo do indice, eles tao colocando alguns imoveis com precos totalmente fora da realidade…

    0
  • TOMMY 7 de setembro de 2011 at 10:52

    Conheci o site hoje, e gostei muito do conteúdo, vou acompanhar e contribuir , parabéns pelo site.

    0
  • Said 7 de setembro de 2011 at 20:13

    Prezados,
    Impossível afirmar que existe uma “bolha”, seja ela imobiliária ou de créditos. Só conseguiremos defini-la e caracteriza-la quando a suposta bolha estourar, similarmente a todos os casos históricos desse fenômeno.
    A bolha por sua própria definição só pode ser definida após seu estouro. É óbvio, mas é relevante de ser lembrado. De qualquer forma, apostas são válidas.
    Particularmente aposto e acredito em supervalorização dos imóveis a nível nacional, com hipervalorização pontual em cidades como Rio, BSB e SP. Acredito numa estabilização imediata com posterior queda de até 30% nos preços, mas mesmo assim, isso por si só, sob o ponto de vista macroeconômico, não configura uma bolha.
    A verdade é que as vendas estão bem paradas, mas do que é divulgado e as próprias corretoras começam a ver prejuízos, por incível que pareça.
    Mas vale vender “2 por 600, do que 1 por 500.”
    Mas queria mesmo assim parabenizar muitos dos comentários são objetivos e didáticos.

    0