Aumento de crédito, euforia. É a bolha – Estadão

Você pode gostar...

Comments
  • Ramires 13 de maio de 2011 at 09:07

    Muito boa a matéria. Não precisa ser profissional na área de economia para perceber que os valores dos imóveis estão absurdamente altos. Vemos dois caminhos distintos quanto ao excesso do crédito e a renda da população, e isso é um forte marcador de “bolha” no setor imobiliário. Pode-se levar anos ou meses, e o tempo que for, mas que os preços cairão, isso sim é fato. E isso acontecerá quando a população não conseguirá mais suntentar o crédito.

    0
    • Duda 15 de maio de 2011 at 11:11

      O assunto está ficando tão claro, que pra mim está perdendo o sentido participar por aquí, pelo menos com opiniões elaboradas. Quando começei aquí, mal existía algum lugar para falar da bolha… e agora já é comentado até na fila do onibus. Para mim o assunto, é so ver como as coisas vão evoluíndo, aparecendo na mídia (ate a Globo deu uma reportagem pra comprar sem ser enganado, sem perdas, com tantos conselhos que quem quiser comprar deveria estudar o mesmo que fizemos por aquí), e claro, DISFRUTAR, o fato de ter estado certo… Agora só reluta da bolha quem comprou ha pouco tempo, entendo essa relutancia, pois ninguém gosta queimar dinheiro. Mas a realidade é a realidade.

      0
      • me 15 de maio de 2011 at 13:37

        Duda, se você morasse no Rio de Janeiro eu faria uma aposta com você. Quem estivesse errado, pagaria um barco de comida japonesa.

        0
        • Duda 16 de maio de 2011 at 09:04

          rararara… cara, toparia, pode ter certeza… tenho pensado ir para lá no feriado do Corpus Cristi, aí vou ver em direto a situação por lá… e tb o preço do barco, claro…

          0
  • Ramires 13 de maio de 2011 at 09:17

    Pessoal, eu tenho uma dúvida.
    Se a renda percapita dos brasileiros não subiu, então significa que o governo está ciente desse fator e por isso altorizou a integração das rendas de várias pessoas (mãe, pai, avô, avó, vizinho…), para atingir um determinado valor que consigam financiar a casa do sonho.
    Isso procede?

    0
    • Duda 13 de maio de 2011 at 14:30

      Sim, procede. E mesmo assim as vendas estão caindo.

      0
  • Andre 13 de maio de 2011 at 09:47

    Não é por nada não, mas o cara plagiou tudo o q já foi escrito aqui, inclusive por mim…

    Abs

    0
    • Frank 13 de maio de 2011 at 10:33

      imprime as páginas do blog e vai pra cima dele 🙂

      sobre o artigo: o nosso debate aqui blog avançou tanto q, qdo lemos um artigo q chove no molhado, não empolga tanto.

      um ponto: eu realmente tinha a impressão de q o aluguel vinha, com algum atraso (lag), acompanhando o preço dos imóveis (ou ficando perto).

      temos algum dado para contrapor o q o autor do aritgo publica acerca do preço de aluguel X preço do imóvel?

      a valer o q ele escreveu, eu diria q, além do descolamento renda per capta X preço de imóvel, teríamos tb outro indicador bolhista: o descolamento em relação ao aluguel….

      a ver.

      0
      • Andre 13 de maio de 2011 at 10:40

        Frank,
        aí vai daquela coisa de sempre: considerar o que é o “normal”.

        Que hoje o RY (Rental Yield) é 0,4% isso é fato (é só olhar o Fipe zap – RIO).

        Agora, se o “normal” é 0,5%, então NÂO estaríamos em bolha, só 20% sobre avaliado…

        Mas se for 0,7% é lógico q o preço do imovel tem q cair uma kcatada p/ ajustar (to s/ tempo de calcular)…

        Pegando aquela minha tabela de 1998 dá p/ calcular qto era na época…

        Abs

        0
        • jose 13 de maio de 2011 at 12:03

          Andre, tenho um garfico de preco x aluguel, nao eh muito elaborado nao..
          posso te passar e vc coloca aqui pf?

          0
          • Andre 13 de maio de 2011 at 12:15

            Manda ae (mas só posso botar de noite).

            Abs

            0
          • jose 13 de maio de 2011 at 12:23

            putz…
            nao eh bem relacao aluguel x preco..

            eh a evolucao de aluguel x o IGPM…

            agora tenho um aqui que o pessoal pro bolha nao vai gostar… deem uma olhada no estoque de unidades a venda em SP… o troco despencou…

            0
          • Duda 13 de maio de 2011 at 14:27

            Fonte?

            0
          • jose 13 de maio de 2011 at 15:59

            passei pro Andre, ele vai colocar aqui.

            fontes: secovi, bloomberg e JP morgan

            0
        • me 13 de maio de 2011 at 14:18

          Mas José, não era isso que esperavam?
          Tudo bem, eu sei que teria que ter uma oferta bem maior pra caracterizar bolha, mas isso soa como se as construtoras estivessem cientes da diminuição da procura, não?

          Acho que o problema todo aqui é o termo “bolha”. Já vi muita gente usando aqui o termo, mas me parece que as pessoas veem mais um mercado em alta com possibilidade do que bolha no sentido de quebradeira USA style.

          0
          • jose 13 de maio de 2011 at 14:28

            mas me,

            EU entendo que pra ter bolha (queda de 40% nominal dos precos) tem que haver um desequilibrio (assim como esta tendo agora) entre oferta x demanda…

            e com os estoques nas minimas pelo menos um lado (do estoque ja existente) parece que nao vai ajudar pra esse desequilibrio..

            ai tem que olhar o outro lado, o de imoveis a serem entregues… acho que tenho o historico aqui do que foi lancado ano a ano, e teria que comprarar com o que esta no pipeline..

            so que eu nao tinha nocao que os estoques estavam tao baixos assim..

            0
    • me 13 de maio de 2011 at 10:55

      Sei não André, o que vi ele falar já é bem senso comum em qualquer discussão sobre a bolha…

      0
      • flavio hertel 13 de maio de 2011 at 11:25

        Me,concordo, mas penso que senso comum talvez aqui e para alguns, pois nem todos compartilham da visão do autor. Mas o “povão” ainda não tem a percepção do que esta ocorrendo daí a importancia deste tipo de notícia esta sendo veínculada (ainda que com muito atraso) para o público em geral. Acho que a partir de agora este tipo de notícia vão se tornar mais comuns e a consciencia geral da possíbildiade da existencia de uma bolha no setor imobiliário vai surgir pouco a pouco e isto, se ocorrer, vai ter suas implicações sobre as vendas e sobre um eventual estouro da bolha.

        0
        • me 13 de maio de 2011 at 11:27

          Quis dizer que acho que ele não te plagiou não…

          0
          • Andre 13 de maio de 2011 at 11:39

            Dissecando o artigo:

            “Imóveis foram vendidos por 1 milhão de dólares o metro quadrado no distrito de Ginza ! A bolha estourou em 1990 e os imóveis passaram a ser negociados por preços em torno de 10% do seu valor no pico da euforia.”
            Autor: Andre

            “O primeiro é a demanda por imóveis. Ela subiu brutalmente nos últimos anos onde observamos que novos imóveis são vendidos rapidamente, muitas vezes em questão de dias ou horas. E essa demanda é fortemente sustentada pelo crédito.”
            Autor: Andre, jose, frank, outros

            “Talvez apenas nos anos 70 tenhamos observado tal facilidade de acesso ao crédito para compra de imóveis. Mas nos anos 70 só havia um provedor de crédito, o já falecido BNH-Banco Nacional da Habitação”
            Autor: Frank

            “Um segundo indicador importante da saúde do segmento imobiliário é a relação entre aluguel e preço do imóvel.”
            Autor: Andre

            A conclusão (é bolha ou não é) é meio subjetiva e até os indicadores podem ser mexidos (mudar a ref. do que é “normal”)…

            Abs

            0
          • me 13 de maio de 2011 at 12:00

            André, foi no caso o que quis dizer com “bom senso onde rola discussão sobre bolha”. Os argumentos que ele apresenta tem não só aqui, mas em qualquer outro lugar que fale sobre esse assunto, inclusive muito(por “muito” defino “mais de seis meses atrás”) antes deste blog bombar.

            Sim, seus argumentos são os mesmos que ele apresentou. Mas isso já era dito em outros blogs também.

            0
          • Andre 13 de maio de 2011 at 12:33

            me,

            é claro, que isso ae se encontra em varios lugares da net. Mas todos juntos, assim? Só conheço aqui. Vc tem uma indicação de forum onde a discussao esteja de bom nivel?

            Continuo achando q é muita coincidencia. Mas não importa.

            Abs

            0
          • Frank 13 de maio de 2011 at 14:51

            se tiver um lugar melhor do q esse (ou do mesmo nível) p/ discutir bolha imobiliária no BR, eu gostaria de saber….

            q eu saiba, tem aquela discussão no fórum skyscraper … e só.

            0
          • Andre 13 de maio de 2011 at 17:14

            Tem um montao de blogs por ai falando de bolha imob… Mas é aquilo nos comments: só aplauso e torcida… Não tem NINGUEM pra fazer um contraponto…

            Aí já viu né… O assunto não evolui nunca.

            Abs

            0
  • Charles 13 de maio de 2011 at 10:08

    Vejam oos resultados da Cyrela divulgados hoje:
    http://www.infomoney.com.br/cyrelarealty/noticia/2109204-lucro+cyrela+cai+chega+milhoes+primeiro+trimestre

    A parte que interessa é:
    “Dados operacionais
    As vendas contratadas da Cyrela fecharam o primeiro trimestre em R$ 998,6 milhões, queda de 6,3% frente 2010. O número de unidades vendidas, no entanto, caiu 15,6% na comparação anual de 4.681 para 3.953.”

    0
  • Frank 13 de maio de 2011 at 10:37

    3 notas no Valor online sobre recuperação de lucros de construtoras….

    http: // http://www.valoronline.com.br/impresso/investimentos/119/426511/lucro-da-rossi-cresce-26-no-trimestre-para-r-78-milhoes

    0
    • me 13 de maio de 2011 at 10:57
      • me 13 de maio de 2011 at 12:22

        Aprova aê, moderador…

        0
    • roberto 13 de maio de 2011 at 11:16

      Pois é como aquele ditado: compre na alta e venda na baixa…. SERÁ ? Acho que não !!!
      Investidor se pauta nas previsões, no futuro e não vejo um céu de brigadeiro para os investimentos neste setor para o próximo período:

      Os numero de imóveis vendidos em jan/fev de 2011 somados não chega ao total de vendas somente do mês de janeiro de 2010.

      Fonte: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110513/not_imp718576,0.php

      Repare nos números !!!!

      0
      • Glaucio 13 de maio de 2011 at 14:39

        Destaque no artigo:
        “Para o economista-chefe do Secovi, Celso Petrucci, é prematuro se falar em desaquecimento com base nos números do início do ano. Ele lembra que março de 2011 ainda deve refletir a influência do carnaval e “os resultados poderão não mostrar a desenvoltura dos anos anteriores”.

        0
  • Marcos 13 de maio de 2011 at 10:37

    Sexta, 13/05/2011
    Vale a pena investir em apartamentos na planta?

    Vocês ouviram o comentário do Mauro Halfed na CBN?

    Pessoas que compraram 10 imóveis na planta!!! Estão comprando para revender ao invés de morar. A renda tem que subir muito para os imóveis subirem no futuro. Quero ver isso acontecer qdo o aumento de 14% no salário mínimo acontecer. Quero ver os empresários repassarem esse aumento.

    []’s

    0
  • Evandro 13 de maio de 2011 at 11:06

    Acreditava que a bolha iria estourar quando comecei a acompanhar os preços dos imóveis. Hoje não acredito que a bolha vai estourar, mas os preços vão sim baixar um pouco ou se manter por algum tempo.

    Só uma coisa vai me fazer enxergar um estouro: o fim do crédito fácil.

    0
    • Andre 13 de maio de 2011 at 11:42

      Eu NÃO consigo enxergar essa relação 1 pra 1 entre fim do credito “barato” e preço caindo (caindo muito, quero dizer).

      Pra mim, pra preço cair precisa de uma FORTE pressao vendedora. Não basta q os novos compradores não consigam comprar fácil… Isso faz preço se manter ou cair pouco…

      Tem como vc desenvolver seu ponto de vista?

      Abs

      0
      • Leandro 13 de maio de 2011 at 11:59

        Andre,
        Não creio que para o preço cair precise haver um forte pressão vendedora.
        Concordo com o Evandro quando diz que a forte restrição no crédito pode fazer o preço cair.
        Como?
        Bom, considerando que no Brasil, em regra, as pessoas não possuem uma poupança considerável para compar imóveis à vista, o uso do crédito torna-se obrigatório. Se este secar, ou se as taxas de juros subirem muito, o mercado de venda simplesmente para. E para não parar, só mesmo a queda nos preços.
        É o que penso.
        Abraço.

        0
        • Andre 13 de maio de 2011 at 12:27

          Aí é muito subjetivo, mas na minha humilde opiniao, se o credito secar, as vendas se paralisam (óbvio), mas o preços caem pouco e devagar.

          Os proprietarios relutam muito em baixar preço… Não tem historico nenhum de imovel “desabando” no BR. É psicológico. Só vai baixar muito que estiver desesperado p/ vender. E aí abre-se uma janela de oportunidade.

          Abs

          0
          • Marcos 13 de maio de 2011 at 12:43

            O preço vai cair se os lucros das empresas listadas em bolsa caírem. Eles terão que vender para gerar receita e lucro.

            0
      • Andre 13 de maio de 2011 at 12:40

        “Eu NÃO consigo enxergar essa relação 1 pra 1 entre fim do credito “barato” e preço caindo (caindo muito, quero dizer).”

        Da mesma forma eu não consigo enxergar o preço subir até meados de 2013 só pq ainda tem credito… Não é simples assim não…

        E olha q eu me esforcei pra ver isso…

        Abs

        0
        • Andre 14 de maio de 2011 at 07:35

          Alguem concorda/discorda/acrescenta algo?

          Abs

          0
    • Marcos 13 de maio de 2011 at 12:44

      O preço vai cair se os lucros das empresas listadas em bolsa caírem. Eles terão que vender para gerar receita e lucro.
      Pq o presidente da Gafisa se demitiu?

      0
      • Leandro 13 de maio de 2011 at 14:13

        Acho que isso que o Marcos falou faz sentido.
        Quem determina o preço nesse mercado não somos nós “peixinhos”.
        É claro que ninguém que comprou vai sair vendendo de uma hora pra outra pela metade do preço.
        Mas na hora que os “tubarões” (construtoras) precisarem baixar o preço, aí não tem jeito, o preço vai baixar em todo o mercado,
        E, por fatores da vida, sempre vão existir pessoas querendo vender (e também comprar) imóveis.
        Abraço.

        0
        • jose 13 de maio de 2011 at 14:31

          Mas vcs estao falando do que ja estao em construcao ou do que ainda sera construido?

          0
        • Andre 13 de maio de 2011 at 14:32

          Lembrando pela milésima vez:

          mercado imob. = novos + usados

          Abs

          0
          • jose 13 de maio de 2011 at 14:55

            so pra ilustrar:

            No US:

            existig homes sales = 5,1 milhoes de casas anualisado http://www.realtor.org/press_room/news_releases/2011/04/rise_march

            new home sales = 300 mil
            http://www.census.gov/const/newressales.pdf

            o que impacta PIB eh casas novas (venda de cimento, vergalhao, etc),
            mas o que MANDA no mercado eh o mercado de casas usadas

            0
          • jose 13 de maio de 2011 at 14:55

            jose disse:
            O seu comentário está aguardando moderação.

            13 de maio de 2011 às 14:55
            so pra ilustrar:

            No US:

            existig homes sales = 5,1 milhoes de casas anualisado
            .realtor.org/press_room/news_releases/2011/04/rise_march

            new home sales = 300 mil
            .census.gov/const/newressales.pdf

            o que impacta PIB eh casas novas (venda de cimento, vergalhao, etc),
            mas o que MANDA no mercado eh o mercado de casas usadas

            0
          • Andre 16 de maio de 2011 at 09:48

            Jose,

            “existing homes sales = 5,1 milhoes de casas
            new home sales = 300 mil”

            Se no Brasil for parecido (e provavelmente é), então os novos respondem por uns 6% do total tb de venda tb…

            Isso derruba a teoria de q os novos, ao serem entregues forçariam o mercado pra baixo, pois teriam sido comprados na maioria por especuladores. Mesmo se fossem 100% vendidos p/ especulação não fariam uma pressão grande no mercado não, ao q parece…

            Abs

            0
          • jose 16 de maio de 2011 at 11:58

            isso que eu penso Andre….
            que tem especulador óbvio que tem (aliás, sempre teve né, eles nao nasceram ontem) agora o tamanho disso pro mercado total que tem que ser olhado..

            te confesso que nao tenho ideia do new home sales x existing aqui no Brasil, deve ter esse numero, vou tentar achar….

            0
        • Leandro 14 de maio de 2011 at 16:39

          Jose, embora sejam mercados diferentes, creio que seja possível fazer uma comparação entre imóveis e carros nesse caso.

          O que impacta o PIB também é a venda de carros novos.
          Mas será que quem MANDA no mercado é a venda de usados?
          Não creio.

          Creio que o preço dos usados seja totalmente influcenciado pelo preço dos novos. E também pelo crédito etc.

          Meu ponto de vista é por senso comum (não econômico).
          Abraço.

          0
          • Andre 16 de maio de 2011 at 09:44

            Leandro,
            os mercados são comparáveis e ao mesmo tempo não são.

            “Creio que o preço dos usados seja totalmente influcenciado pelo preço dos novos. E também pelo crédito etc.”
            Isso é verdade (para os dois).

            Só q tem uma diferença fundamental. O carro usado não é considerado concorrente direto do zero. E saiu da concessionária já passa a ser usado…

            Já o imovel não… Em geral imovel, mesmo com muitos e muitos anos, está competindo em igualdade c/ o novo… Daí o preço ficar próximo.

            Resumindo: pra carro tem 2 mercados (novos e usados), pra imovel não, só tem um mercado.

            Abs

            0
          • jose 16 de maio de 2011 at 11:49

            Leandro,

            complementando a explicacao do Andre (que eu concordo), se vc estiver certo, vc acaba de ter o direito de reescrever alguns livros de financas….

            vc esta concluindo que um mercado com BEM MENOS liquidez dita o preco de um mercado BEM MAIS liquido….

            0
          • Leandro 16 de maio de 2011 at 12:08

            José,

            Estou fomentando a discussão e levantando idéias.
            Como já disse antes, não sou formado em economia.
            Então peço respeito às minhas opiniões e à dos colegas. Sem ironias, por favor.
            Abraço.

            0
    • Ral 13 de maio de 2011 at 23:17

      di novo este comentario???

      0
  • ildeu 13 de maio de 2011 at 11:26

    http://noticias.terra.com.br/interna/0,,OI5126028-EI8177,00.html E o governo luta pra manter a bolha

    0
  • victor 13 de maio de 2011 at 11:31

    O bom desta materia é que é um jornal de grande circulação.
    As ideias sao as que sempre discutimos aqui.

    Fica uma pergunta: Se alguem compra caro para investir, tera que achar alquem que compre mais caro ainda no futuro para revender. Se ja esta caro agora, sera que no fuur havera alguem para comprar ?

    0
    • jose 13 de maio de 2011 at 12:10

      isso so eh verdade se ele TIVER que vender…

      senao… ele “dilui” o preju no tempo e vida que segue….

      de novo: isso considerando que a parcela de quem comprou pra investir e é “mão fraca”, ou nao “tem estomago” é grande.. pq se nao for, pode ser absorvido por alguma parcela dos apenas 2milhoes de brasileiros que envelhecem (e saem das casas dos pais, casam…) por ano.

      detalhe: 2 milhoes por ano nao tem muitos paises assim nao… estamos num ponto que a demografia ajuda e muito a demanda por casas..

      0
      • Andre 13 de maio de 2011 at 12:20

        Isso se chama bonus demografico, saiu na capa da Exame há algum tempo… É um troço q dá um gás na economia como um todo.

        Abs

        0
        • jose 13 de maio de 2011 at 12:30

          te mandei 3 graficos
          um sobre essa parte demografica tambem..

          qd puder vc coloca entao.
          vlw

          0
        • roberto 13 de maio de 2011 at 15:47

          Pois é e mais este BONUS está acabando :
          “Nesse ritmo, em 15 anos poderemos dar fim ao bônus demográfico que se intensificou nos anos 1990”, afirma Jorge Arbache, que analisou o fenômeno em estudo para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

          Fonte:http://www.brasileconomico.com.br/noticias/nprint/84548.html

          0
          • me 13 de maio de 2011 at 15:52

            Devo entender que vale a pena esperar 15 anos pra investir em imóvel?

            0
          • jose 13 de maio de 2011 at 16:09

            pois é me..

            tambem entendi isso…

            e se as estimativas estiverem erradas, pode ser daqui a 20 anos…

            so lembrando: no longo prazo estaremos todos mortos…

            quem tem filho, indico dar o link do site pra ele….

            0
          • Andre 13 de maio de 2011 at 16:53

            “quem tem filho, indico dar o link do site pra ele….”

            Huahahah!

            Abs

            0
      • flavio hertel 13 de maio de 2011 at 15:54

        Por ouro lado se ficar com um imovel há uma grande possíbilidade de amargar prejuízo uma vez que o retorno com aluguel é inferior a ao retorno medio de aplicações modestas como a Poupança por exemplo, que rende 0,5 ao mês mas a TR. Creio que se o mercado perceber que (e acho que já percebeu) a partir de agora a curva de preços tende estabilizar ou mesmo baixar, muitos do que compraram para investir vão “pular fora,” até porque a Selic já esta em 12% ao ano e pode subir ainda mais na próxima reunião, chegando a 12,25% por exemplo, creio que imovel deixou de ser no atual momento um investimento atrativo.

        0
        • jose 13 de maio de 2011 at 17:34

          embora conceitualmete, perder e deixar de ganhar sejam a mesma coisa, na piscologia humana nao é.

          entao se o $$ nao tiver fazendo falta, o cara deixa o imovel lá, pros filhos, pra seguranca..

          e ai ele pode ser o burro que vai “perder” durante 20 anos e quem sabe daqui a 20 o mercado nao muda pro lado dele e ele recupera o tempo perdido como PODE estar acontecendo agora, com os “burros” que nao ficaram ganhando 2% ao mes com o $$ investido, pq tinham um pessimo investimento que era ter um imovel… e um belo dia…

          0
          • Duda 13 de maio de 2011 at 17:43

            Jose, perder é sempre perder. Deixar de ganar para mim significa empatar. Em finanças claro.

            0
          • jose 13 de maio de 2011 at 18:09

            entao Duda,

            se vc tiver certo (e as casas cairem 40%), vc vai perder um BELO $$…

            nao esqueca…

            0
          • flavio hertel 13 de maio de 2011 at 23:47

            José.

            Não creio que este seja o comportamento típico de quem comprar imoveis para investimento. Talves de uma parce muito reduzida dos mesmo, mas não da maioria certamente, basta apenas lembrar que quem comprou um imovel para realizar um investimento espera retorno e preferencialmente não apenas acima da inflação como também superior a outros meios que são bem mais seguros, como a poupança e o tesouro direto por exemplo. Porque se dar ao trabalho de ter custos fixos, menor liquidez, deteriorização do bem etc se for para ter rendimento menor que a poupança?

            Não tenho certeza se um número significativo de pessos que comprou imovel para investimento manterá os imoveis em um cenário de estabilização dos preçosou mesmo queda, tenho serias dúvidas disto.

            0
          • Duda 15 de maio de 2011 at 10:50

            Sairei no empate. Isso quiz dizer… Não posso vender o local onde moro… preciso dele.

            0
          • jose 16 de maio de 2011 at 11:42

            discordo…

            e perder $$ qd se estar errado, ok…

            agora perder quando acerta…. dói…

            0
    • Susy 13 de maio de 2011 at 22:00

      Victor, faça uma pesquisa no Google sobre a teoria do “mais bobo” (“greater fool theory”). Você vai entender por que tem gente que ainda compra imóvel nesses preços absurdos para investir.

      0
  • buginga 13 de maio de 2011 at 12:07

    Esta matéria corrobora a qualidade da discussão que tem sido feita por aqui.
    Absolutamente todos os pontos que o pesquisador abordou no texto dele foi discutido aqui no site. Impressionante. Até a questão da nomenclatura. Será que chamamos de bolha?
    Oha a opinião do professor:
    “E é importante lembrar que o estouro de uma bolha nem sempre é realmente uma explosão, mas pode ser um processo lento com duração de anos.”
    Eu tendo a concordar com ele nesse aspecto.
    Mercado imobiliario tem um momentum muito lento. Não imagino ninguém realizando um prejuizo gigante de um negocio imobiliario mal feito. Eu deixaria meu imovel lá, sendo locado com um Rental Yeld baixinho, e uma grana gigante imobilizada.
    Justificaria pelo lado emocional: – Paguei caro no imovel mas nao foi mal negocio. É um patrimonio pros meus filhos morarem daqui a decadacas, etc etc.

    0
    • jose 13 de maio de 2011 at 12:11

      buginga,

      concordo… eh ate o que comentei logo acima… veja só

      0
      • jose 13 de maio de 2011 at 12:13

        nao podemos achar que o mundo agora é feito de booms e burst..

        subiu 3 anos, depsnca em 6 meses, governo baixa os juros, sobe de novo em 2 anos, mais oferta em mais 2 anos, cai tudo de novo…

        eita…

        0
        • jose 13 de maio de 2011 at 12:34

          isso eh casa ou bolsa?

          q por falar nisso..a bolha que vai estourar eh a bolhespa… chao chao chao.. chao chao chao chao…

          hehe

          0
          • jose 13 de maio de 2011 at 12:53

            depois dessa comemorada, ela vai explodir na minha cara.. podem comprar…sorry.. me empolguei…

            0
          • Duda 13 de maio de 2011 at 17:47

            vc vendeu tudo ne? só suposição claro…

            0
          • jose 13 de maio de 2011 at 18:12

            estou vendido no bolhespa ha alguns meses, incluisve ja disse isso aqui no site ha uns meses….

            0
          • Andre 13 de maio de 2011 at 19:04

            Jose,

            tem pessoas aqui q não sabem a diferença entre vendido e líquido.

            Aquela “modinha” de investir em bolsa em 2006-2007 só serviu p/ galera perder $ em 2008 e fugir da bolsa p/ sempre…

            É novidade o fato q se pode ganhar na queda… E ainda querem prever movimentos de um mercado como o imobiliario…

            Abs

            0
    • Andre 13 de maio de 2011 at 12:37

      É tem o fator emocional, mesmo q não seja p/ moradia…

      Eu por ex. teria uma GRANDE dificuldade de torrar um ap manero num canto bom da Z Sul ou da Barra só pq o aluguel tá me rendendo, digamos, 0,3%…

      Abs

      0
      • jose 13 de maio de 2011 at 14:32

        Andre,

        o “fair value” de um imovel nao eh somente o preco que o “similar” esta sendo negociado…

        BEEEEEMMM diferente de uma acao….que eh a analogia que a maior parte aqui faz…

        0
      • Fábio 13 de maio de 2011 at 14:38

        André a titulo de curiosidade, hoje voce compraria um imovel ou prefere alugar ?

        0
        • Andre 13 de maio de 2011 at 15:57

          Fabio,

          se eu achasse um a preço de 2008 (é quase impossivel, mas acha) eu compraria s/ duvida, s/ me preocupar muito c/ o local / estado de conservaçao…

          A preço de hoje (principalmente na caríssima Z Sul) tem q calcular MUITO bem… O jose já botou um montão de posts c/ dicas de comprar x alugar.

          E tem que estimar as probabilidades de cada cenario (subir forte, subir pouco, estabilizar, cair pouco, cair forte)… Num é fácil não.

          Mas essa é só a MINHA opinião (q pode muito bem estar errada, claro)…

          Abs

          0
          • Fábio 13 de maio de 2011 at 17:16

            Esta complicado mesmo, vou arriscar e comprar só pos 2016, mas estou pensando em comprar uma sala comercial ou explorar leião mas comprando um ap pequeno mesmo, não quero investir em algo grande pq acredito que os preços vão cair só em 2016.

            0
          • jose 13 de maio de 2011 at 17:39

            Fábio,

            se vc acha que cai em 2016, faca bem as contas, pq na giria do mercado vc ta querendo pegar o ultimo suspiro, e de um ativo iliquido, e com custo transacional alto….

            se fosse num ativo de mercado, o conselho era procurar o ponto pra xortear o ativo e nao pegar essa ultima pernada….

            com um ativo imobiliario entao, acho arriscado querer “esticar a corda”

            0
          • Andre 13 de maio de 2011 at 19:42

            Jose,

            traduz p/ portugues pq nem todo mundo aqui é do mercado financeiro…

            Fabio,

            essa opção (leilão) seria uma boa, só q todo mundo pensou nisso… Os leiloes estão disputadíssimos e os imoveis saem quase a preço de mercado (pelo menos os q eu ouço dizer)…

            Parece q TODO MUNDO resolveu comprar imovel ao mesmo tempo… Loucura.

            Abs

            0
          • Fábio 13 de maio de 2011 at 20:22

            Uma coisa boa no leilão é que praticamente vc compra a vista e nem todo mundo pode comprar a vista, tem uns 5 meses no leilão do TJ que uma mulher comprou um AP por 900.000 de 120 metros e com vaga no leilão e esse leilão começou com uns 600.000 e o leiloeiro avisou q tinha gente morando. A mulher pegou e pagou a vista, hj se ela conseguiu tirar o cara q estava morando ela deve ter tirado um lucro absurdo. Mas dar a vista em um leilão um valor desses não é para qualquer um…. Estava querendo era sala comercial no centro mesmo ou coisas pequenas na tijuca para ver como funciona a mecanica mesmo com gente morando.

            0
          • Fábio 13 de maio de 2011 at 20:25

            Faltou complementar foi no leblon, metro quadrado mais caro do Brasil, bem ela teve coragem e se tudo correu bem ela teve um bom lucro.

            0
          • Andre 13 de maio de 2011 at 21:03

            Fabio,

            mesmo sendo à vista é muito disputado… Tem pouca gente q pode pagar à vista, mas o mercado de leiloes é muito pequeno…

            Nesses valores aí q tu falou eu nunca vi, mas na faixa de 200-300k (quando isso ainda comprava alguma coisa) era bem disputado.

            Como vc é (suponho) do judiciário vc deve ter acesso aos processos e já é um adianto…

            Abs

            0
          • Fábio 13 de maio de 2011 at 21:43

            André vou passar um dica para voce já que escreve bastante aqui, segunda agora vai ter um Leilão no TJ as 16:00 e vai ter um ap q estou de olho na Atlantica 1 quarto sem vaga mas nesse horario q marcam geralmente ninguem pode ir, tem isso tbm rssss e alem das informações que são bem complicadas de ter. Enfim estou dando um exemplo que leilão é uma boa mas tem uma serie de coisas q coisinhas q diminuem muito a concorrencia, o unico receio que tenho é tirar alguem do lugar, pq isso dá um trabalho danado em termos de engenharia juridica. Agora imoveis pequenos e comercias é uma boa jogada. Taí a dica e 16:00 no dia 16/5 estarei la.

            0
          • Andre 13 de maio de 2011 at 22:25

            Fabio,

            num tenho bala na agulha p/ isso não…

            Mas ae, por ser 16hs diminui a concorrência?

            O cara q quer COMPRAR um ap. a preço abaixo do mercado não pode escapar do trab. um dia não??

            Pra assistir tudo bem, mas o cara q tá determinado a comprar, acho q isso não seria empecilho não…

            Abs

            0
          • Fábio 13 de maio de 2011 at 22:36

            É André mas o negocio é ter a informação em tempo habil, somado a grana, disponibilidade de tempo e analisar o risco de tirar a pessoa ou mesmo uma familia inteira, fora a situação do imovel pois geralmente o cara sai mas deixa o imovel todo quebrado. Muitos colegas meus compram assim mas no esquema q falei, ou seja comprar um coisa comercial ou ap de 1 quarto. 2 e 3 quartos dá um trabalho maior, eu to pensando em começar com 1 conjugado ou sala comercial mas sei q mesmo isso vai me dar um trabalho, pq tem uma serie de burocracias que voce tem que realizar para deixar o imovel todo zeradinho no seu nome.

            0
          • Andre 14 de maio de 2011 at 12:51

            Fabio,

            boa sorte procê. 🙂

            Abs

            0
          • me 14 de maio de 2011 at 14:35

            Putz, confesso que essa coisa de leiloar imóvel com gente dentro me deu um puta grilo.

            0
          • Leandro 14 de maio de 2011 at 16:50

            Só pra contribuir com o tema.
            Creio que a venda de imóveis em leilão só tende a aumentar.
            Pelas regras atuais, os financiamentos são feitos com alienação fiduciária em garantia.
            Mesmo com o imóvel ocupado, hoje é muito mais fácil fazer a desocupação. Após o leilão, você já entra com uma ação de imissão na posse, com pedido de liminar (pago o preço, o Juiz é obrigado a conceder a liminar). Existe também a opção de você ir direto no ocupante e oferecer uma “graninha” pra ele sair sem processo.
            Recentemente fui assistir a um leilão desse por curiosidade. Há muitos investidores comprando esses imóveis. O que vi foi a venda de um apart-hotel na orla do Lago aqui em BSB. O preço foi, salvo engano) de cerca de 400mil à vista (60 m2), uns 20% abaixo do preço de mercado na época.
            Nos finais de semana sempre sai anúncio desse tipo de leilão nos Classificados. Mas não são leilões feitos pelo Tribunal de Justiça. São feitos por leiloeiros particulares (tudo conforme a lei de alienação fiduciária).
            Abraço.

            0
      • roberto 13 de maio de 2011 at 15:56

        Bom se ele estiver locado beleza, mas SENÃO ? condomínio +- 1.000,00 mais IPTU destes imóveis milionários ao ano “vou chutar” +- 5.000,00 se ficar 6 meses parado “PREJU” em torno de R$ 9.000,00 ( sem contar manutenção luz, água, etc) isto sem contar a provável desvalorização (BOLHA) e a perda se o investimento estivesse em uma renda fixa. HAJA sangue FRIO para agüentar esta situação.

        0
        • Duda 13 de maio de 2011 at 17:20

          Correto. Não esquecer dos custos de manter um imóvel desalugado. Nos Aps. é muito alto.

          0
          • jose 13 de maio de 2011 at 17:40

            isso eh..
            embora PARECE que nao ta dificil alugar imovel nao né… pelo menos tenho lido isso aqui…

            0
          • me 13 de maio de 2011 at 17:54

            Mais ou menos, José…

            Aluguel tá f#$%. Tá caro demais também. Quando a CEF facilitou era muito difícil encontrar alguma coisa, e quando aparecia, era disputado a tapa. Conclusão mais rápida é dizer que estavam preferindo vender a alugar.

            Como já disse, tenho começado a notar mudanças e dar crédito nesse sentido ao Duda. Já aparecem mais ofertas, que ficam sendo anunciadas por semanas, as vezes meses. Em alguns casos especiais o valor é diminuido. Ainda assim, tá bem caro. Tem o progresso desses valores no ZAP também.

            Se a razão valor/aluguel é atualmente considerado baixa, fico bastante preocupado. Alugar 20 m2 por 2.000 + condomínio em uma favela vertical de Copacabana seria no mínimo desesperador.

            — Discurso inspirado em “dados” do ZAP —

            0
          • jose 13 de maio de 2011 at 18:11

            disse pela otica do dono do imovel..

            pq estao botando como entrave, os custos de um imovel vazio…

            so fica vazio se o dono quiser ne?

            0
          • me 13 de maio de 2011 at 18:17

            Mais ou menos também, não?
            Não teria que ser um valor minimamente aceitável em relação ao que foi comprado? Aquela coisa toda já dita por aqui.

            0
          • Andre 16 de maio de 2011 at 11:39

            Rio de Janeiro é a cidade com menor taxa de vacância no mundo (comercial)

            administradores.com.br/informe-se/informativo/rio-de-janeiro-e-a-cidade-com-menor-taxa-de-vacancia-no-mundo/31884/

            FYI

            Abs

            0
          • jose 16 de maio de 2011 at 11:52

            eh…

            sem aumento de estoque ACHO que a desabada de precos fica mias dificil….

            0
        • Duda 16 de maio de 2011 at 09:32

          Pertenço a uma familia que já vai pela terceira geração de possuir imóveis para aluguel. Ou seja, não precisso ler livros, nem debatir muito para saber que o mercado dos aluguéis tem varios problemas, o pior deles sem dúvida é ficar com o imovel desalugado (se for ap, pior). Outra trampa, que minha mãe não entendia, e ficar com o imovel desalugado, por estar pedindo um valor mais alto que o mercado. Ou seja, pode alugar se quiser, mas não quere baixar o preço… Na epoca dos nossos avos (e dos nossos pais) investir em imovel era o mais seguro, não existia muita informação da bolsa, dolar, tesouro direto, os bancos podiam ficar com a poupança, por isso eles suportavam essas incertezas do mercado do aluguel, mesmo com elas, era a melhor opção de investimento. Assumir que um imovel que vale XXXX pode ser alugado por yyyy é um erro fatal… Se alguém está comprando com essa premissa, não tem ideia do que está fazendo…

          0
          • Duda 16 de maio de 2011 at 10:03

            esse comentario era para resposta ao Jose. Complementando, pode escolher renda ZERO (desalugado) ou renda baixa (alugado por um preço baixo), chegamos ao ponto de partida, uma relação aluguel / preço baixa. E muito importante hoje, para se estudar essa relação, ter em conta os preços dos aluguéis de contratos em andamento, antes de imaginar que ira cobrar um preço nas alturas. Investidor experiente com certeza faz essa conta.

            0
          • jose 16 de maio de 2011 at 12:45

            Duda,

            nao entendi seu ponto….

            0
          • jose 16 de maio de 2011 at 12:49

            e só pra completar seu comentario…

            as suas 3 geracoes foram digamos, vista pelos espertos ganhadores do CDI, como perdedora de $$ né? tinham imoveis que davam alugueis baixo comparados as outras aplicacoes (vamos excluir dolar e bolsa, pq acho que é forcoso essa comparacao).

            So que agora o que o mercado pode ESTAR fazendo? uma reprecificacao do premio de risco, e sua familia que sempre perdeu $$ com o aluguel, agora tirou o atraso com a recente valorizacao e num horizonte de mais longo prazo (embora o vies aqui é analisar os ultimos 2 anos, o que pode ser perigoso para conclusoes mais embasadas) esse investimento da sua familia igualou o dos espertos investidores que mamavam o juros alto que o governo pagava…

            0
  • jose 13 de maio de 2011 at 12:17

    varias construtoras reportaram resultados agora…
    nao prometo, mas to tentando arrumar um resumo bem simples deles..

    0
  • me 13 de maio de 2011 at 12:24

    Sério, precisamos de um forum.

    0
  • buginga 13 de maio de 2011 at 13:57

    Forum !!!!!!!

    O admin do Blog é o usuário “Bolha Imobiliária” ?
    Certamente temos visitantes do site que conhecem como instalar e configurar um fórum PHP.
    O vBulletin é bastante eficiente e muitos servidores de hospedagem já tem scripts prontos para instalar ele.
    Se quiserem, podem contar com minha ajuda pra configurar e botar o forum no ar.

    0
    • Duda 13 de maio de 2011 at 14:50

      Há tres ou quatro meses eramos 20, 30 ou 40 opiniões por manchete. Agora 300 ou 400, sería bom um forum, claro, mas as vezes penso que a facilidade de opinar num forum, fará que os “opinantes” escrevam frases curtas e meio vazias, em lugar dos argumentos elaborados que temos agora. Isso tende a acontecer nos foruns. Mas é claro, apoio a ideia e tb estou predisposto a colaborar. SDS

      0
      • Duda 13 de maio de 2011 at 14:53

        Espero não ter que dizer: era feliz e não sabia… rararararara

        0
  • Andre 13 de maio de 2011 at 14:07

    Acredito que esse aqui pode ir pra pagina principal. Veja a capa da Exame:
    http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/0992/

    A maior alta do mundo
    Uma pesquisa exclusiva mostra que os preços dos imóveis no país subiram 25% em 12 meses, um recorde global

    0
    • Andre 13 de maio de 2011 at 16:58

      Ei! Esse num sô eu não…

      Ô nomezinho comum…

      Bota um sobrenome ae parcero 🙂

      Abs

      0
    • Carlos 13 de maio de 2011 at 17:23

      A alta dos imóveis no Brasil foi recorde mundial, um fenômeno econômico sem prescedentes em nenhum lugar ou período. Olhem os gráficos de evolução dos preços dos imóveis no em qualquer país, mesmo nos EUA durante a bolha deles.

      Por isso não acho razoável as pessoas dizerem que foi algo normal. É tudo menos normal. Pode ser isso mesmo, pode ter vindo para ficar, pode não ser bolha mas uma nova realidade, pode ser tudo, menos normal.

      0
      • jose 13 de maio de 2011 at 18:13

        eu pelo menos nunca disse que a alta eh normal..

        so digo e repito.. nao vejo queda de 40% de jeito nenhum…

        0
        • Andre 13 de maio de 2011 at 19:09

          Tem precedente sim senhor… No grafico do Economist (q pelo visto não gostaram…), vc ve alguns booms (e bolhas) c/ subidas tão ou mais fortes…

          Abs

          0
      • Andre 13 de maio de 2011 at 22:20

        Normal não é… Alta de 100% em 3 anos não é normal.

        Assim como tb não é normal ficar parado 4 anos como em 2004 a 2008… E na época não tinha nenhum blog chamado “A Estagnação Imobiliária Brasileira”…

        Abs

        0
  • Duda 13 de maio de 2011 at 14:24

    Mais claro, impossível.

    0
    • Duda 13 de maio de 2011 at 15:51

      O mais interessante, e ter colocado num meio de grande circulação o conceito: euforia + credito facil = bolha. Muitos ainda não estão cientes da primeira parte do calculo, o credito facil todos sabem mas da euforia apenas alguns se tocam. O Brasil segue o mesmo… mesmo depois da enxurrada de “boas” noticias dos ultimos 2 governos. Quando o termo euforia desapareça, a bolha tb…

      0
  • Ela 13 de maio de 2011 at 15:04

    Interessante a quantidade de apartamentos para alugar no mesmo empreendimento imobiliário em Botafogo, na Rua Dezenove de Fevereiro.
    100% vendido na época…nota-se que boa parte dos apartamentos foi vendida a investidores…

    http://www.zap.com.br/imoveis/rio-de-janeiro/apartamento-padrao/aluguel/vagas-1/?tipobusca=rapida&rangeValor=3600-5000&ord=precolocacao

    0
  • Andre Luiz 13 de maio de 2011 at 15:13

    BOLHA IMOBILIARIA,

    A revista Exame da próxima quinzena (começa em 18/05) traz na capa uma reportagem sobre o alto preço dos imóveis e destaca a bolha nos imóveis comerciais. Não li o conteúdo. De repente é só para chamar a atenção e a matéria será dizendo que não há bolha nenhuma, mas é bom ficar de olho para, quem sabe, publicar aqui.

    Abraço.

    P.S. Já tem um resumo no site

    http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/0992/

    0
    • Ral 13 de maio de 2011 at 17:34

      André li a matéria , achei um pouco dubia , porém da algum tom de desconfiaça , acredito que na próxima reportagem irão adotar um postura mais critica

      0
  • me 13 de maio de 2011 at 16:05

    Vejo falarem muito em imóvel para investimento. Mas não tem gente comprando também pra morar? Bem que a gente poderia falar um pouco disso.

    0
    • jose 13 de maio de 2011 at 16:15

      me,

      todas as minhas opnioes ate agora aqui, foi sempre analisando a compra/manutencao de um imovel sob a otica do morador…

      pra investimento nao opino. mundo dos investimentos (bem feitos) é muito mais complexo que analises anedoticas… ainda mais pra um ativo que requer alavancagem e é ilíquido.

      0
      • Gus 13 de maio de 2011 at 18:17

        O que percebo já há algum tempo é que a maioria dos apartamentos na planta estão sendo vendidos como forma de investimento. Essa situação vai ficando cada vez mais clara quando você encontra anúncios de apartamentos para alugar de um mesmo prédio que acabara de ser entregue. Para moradia, vejo muita gente já falando que vai esperar para comprar devido aos altos preços praticados…. totalmente inviável… um bom termômetro é a quantidade de adeptos ao blog a cada dia…. Isso significa que naturalmente as vendas diminuam… Inclusive já estou observando comentários de investidores que, com os valores atuais, já não consideram investimento em imóvel uma boa. Afinal pra quem eles irão vender ??
        A partir de agora os lançamentos de 08, 09, 10 começarão a serem entregues. Muitos deles comprados por investidores. A oferta de imóveis no mercado irá superar a demanda…. e mesmo assim acredito que os preços continurão nas alturas esse ano… na minha opinião 2013 é a derrocada. Serão mais de 10 mil imóveis só em São Paulo entregues… aí eu quero ver…. aliás… se forem entregues… já ouço boatos nas mesas de operações que tem 2 contrutoras grandes com sérios problemas.

        0
    • Duda 13 de maio de 2011 at 17:36

      Me, para morar existem outras variaveis, não só a economía. A situação pessoal, familiar, sáude segurança, psicología, emprego, e muitas outras. Mas, se vc está alugando, e tiver contrato, vamos dizer, para mais um ano e meio, não deve se preocupar. AGORA NÃO COMPRE. O momento é péssimo, acredite. O que sim acho, é que que se o contrato está perto do fim, deve tentar renegociar desde agora, isso se quiser seguir morando onde está, claro. Mas aí vai ter que engolir um aumento de aluguel considerável, pelo menos neste momento. Os proprietarios querem suas propriedades (sobrevalorizadas) rendendo o mesmo % de sempre. Para evitar essa situação é que muitos decidem ter imóvel proprio. Para investir, o assunto não tem mais sentido, já ninguém com os neuronios no lugar certo pode esperar alta nos preços para revender. O ultimo momento bom que dava para comprar foi 2 anos atras. Depois disso quem comprou corre risco de não conseguir vender de novo, ou vender saíndo empatado, ou perdendo.

      0
      • Duda 13 de maio de 2011 at 17:54

        Por isso que o aluguel / preço segue em valores bons, confundindo muito os contra-bolhas, na avaliação do momento atual. Quero dizer: o aluguel / preço de NOVOS contratos fechados, que são um % minusculo do total de contratos andando. Vendo o total, a relação está muito, mas muito ruim mesmo…

        0
        • Andre 14 de maio de 2011 at 08:29

          Só uma informação (p/ todos):

          A forma de calcular o indicador de aluguel (rental yield) é pegar o valor ATUAL do aluguel e dividir pelo preço ATUAL do imovel, conforme eu já falei por aqui…

          Isso é claro, pois o objetivo desse indicador é calcular a atratividade do imovel como investimento, pra quem tá entrando HOJE e não pra quem já tá dentro…

          Quando esse indicador espreme muito é um sinal que os investidores estão comprando só pensando na valorização do imóvel (especulação). Por isso é o sinal mais aceito p/ bolha…

          Abs

          0
  • Frank 13 de maio de 2011 at 17:50

    oba! tava olhando o ZAP agora, e vi neguin anunciando apto no meu prédio a ~700 K.

    hahaha – meu plano de voltar pra ZS tá ficando mais exequível….já dá pra comprar um qto e sala no Leblon.

    Coloco o berço na sala, a empregada na varanda, e durmo tranquilo com a patroa no qto!! 🙂

    0
    • me 13 de maio de 2011 at 17:58

      Frank, explica melhor isso?
      Quanto que estava valendo um apto nesse prédio?

      0
  • Pedro 13 de maio de 2011 at 17:51

    O engraçado é que rapidamente o Estadão tirou esta matéria do ar e colocou na chamada de capa da web que o presidente da caixa nega a bolha. A quantidade de corretores comentando também chama a atenção, os negócios devem estar fracos mesmo.

    0
    • Gus 13 de maio de 2011 at 18:19

      Teremos um bom termômetro esse final de semana… Feirão da Caixa… inclusive eu vou lá para verificar de perto.

      0
    • Andre 13 de maio de 2011 at 19:31

      Pedro,

      só vou repetir uma pergunta q eu fiz antes e ninguem respondeu:

      “Com os dados do credito imobiliario, como alguém pode dizer que imovel tá vendendo pouco???
      Se vendendo “pouco” o bagulho sobe 3% a.m. imagina se vendesse muito…”

      Abs

      0
      • flavio hertel 14 de maio de 2011 at 13:31

        Pedro,

        só vou repetir uma pergunta q eu fiz antes e ninguem respondeu:

        “Com os dados do credito imobiliario, como alguém pode dizer que imovel tá vendendo pouco???
        Se vendendo “pouco” o bagulho sobe 3% a.m. imagina se vendesse muito…”

        Abs

        André.

        Sua colocação é interessante pois existe aparentemente uma contradição. Afinal como cairam as vendas dos imoveis se a tomada de credito continua forte.

        Mas vamos aos dois fatos aparentemente contraditórios;

        As vendas realmente dimunuiram, na realidade despencaram, dados fornecidos pelos próprios sindicatos da construção cívil que desde setembro de 2010 mostram quedas significativas nas vendas e, nas entre linhas, já estão (no caso específico do SECOVI-SP) preparando o mercado para um novo resultado fraco para março se comparado ao mesmo período de 2010.

        Segue alguns links;

        http://www1.folha.uol.com.br/mercado/831722-vendas-de-imoveis-novos-tem-queda-de-45-na-cidade-de-sao-paulo.shtml

        http://exame.abril.com.br/economia/brasil/noticias/venda-de-imoveis-residenciais-novos-em-sp-cede-12-4-em-dezembro

        http://www.imobinews.com.br/index.php/2011/04/18/venda-de-imoveis-em-sp-tem-forte-queda-no-primeiro-bimestre-do-ano/

        http://correiodobrasil.com.br/vendas-de-imoveis-derrubam-balanco-de-imobiliaria-no-primeiro-trimestre/229578/

        Poderia ter sitado várias outras fontes de diversas partes do Brasil.

        Mas o que você falou procede, até onde sei a tomada de emprestimos para o financiamento ainda esta forte pois os números duvulgados pela CAixa econômica mostram isto.

        Então como explicar esta contradição?

        Conjecturando, pode ser que a queda nas vendas sejam decorrente da saída dos investidores do mercado, ou melhor, o deixar de entrar por assim dizer. Como estes não tomam emprestimos para financiameto pois de maneira geral pagam a construtora até a entrega das chaves e depois vendem com ágio (tem os que compram à vista também) acredito que neste momento as quedas nas vendas são decorente da percepção dos mesmo de que já não há mais margens seguras para se investir. Portanto, é possível que as quedas nas vendas mas a manutenção da tomada de credito seja decorente disto da saída dos investidores que não tomam credito e da manutenção relativamente inalterada das comprar para moradias. Mas isto é só uma hipotese, pode se provar totalmente infundada. Vamos esperar, deixar mais água passar por baixo da ponte.

        0
        • flavio hertel 14 de maio de 2011 at 13:33

          Desculpa, havia colado o comentário do Andre para ler e construir a resposta já que com o blog vc é “jogado” para o fim da página sem ter acesso ao comentário que esta comentando e acabei esquecendo de apagar (pressa rsrs)

          0
          • Andre 16 de maio de 2011 at 09:55

            Flavio,

            não tive tempo de ver todos os links, mas ao q parece a queda de vendas é dos novos, né?

            Então, se tomarmos por base os EUA, o mercado de novos é uma parte ínfima do total, o q manda é o de usados (tem link sobre isso nessa pág.)… Isso é intiutivo até, pensa bem, são construídos imóveis há séculos, então provavelmente o estoque de usados à venda é muito maior do q as construtoras conseguem botar no mercado (por mais q estejam no auge do setor).

            E outra: vender menos do que 2010, não quer dizer “pouco”, só q 2010 foi recorde… Provavelmente este “pouco” de hoje é muito mais do q a media historica do setor…

            Abs

            0
  • ildeu 13 de maio de 2011 at 18:40

    o quinto feirao da caixa fez 8579 negocios no rio de janeiro[cidade] com 1281 no local do feirao e outros 7298 encaminhados pra caixa

    0
    • me 13 de maio de 2011 at 18:43

      Fonte?

      0
      • ildeu 13 de maio de 2011 at 18:46

        espera que aparece ,esta´ em moderaçao pelo blog

        0
  • ildeu 13 de maio de 2011 at 19:08

    casal passa mal na fila esperando pra comprar imovel no feirao da caixa , filas se formando de gente querendo se endividar ,acho que o povo merece se lascar mesmo , desse jeito a bolha nao estoura tao cedo .Se olhar a foto do povo nas filas , e´ so´ gente humilde e ignorante .Sou medico e penso em morar no sul do pais ,mas 2 concursos publicos me impedem de ir … MUDA BRASIL!

    0
    • jose 16 de maio de 2011 at 12:05

      Ildeu,

      acho que o Brasil já está mudando (afinal, esse “endivifamento” todo é coisa nova não?)…

      e nao podemos ser mais reais que o rei né?

      so se pode ter imovel a vista aqui? financiamento imobliário é crime?

      eu achava que era so a jabuticaba que só tinha aqui no Brasil, mas olhando aqui no site vejo que não…

      estamos com uma bolha de bolhas… enquanto nos US por exemplo se vendiam livros, te falando pra comprar imovel pq era $$ facil (o que obviamente nao era) e SE MOSTROU ERRADO, aqui é o contrário.,. só se fala na bolha…

      0
  • Paulo 13 de maio de 2011 at 20:35

    Vejam na revista exame

    http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/0992/

    Fala da bolha imobiliária

    O Brasil bateu o recorde mundial em alta de preços nos imoveis

    0
    • Andre 14 de maio de 2011 at 07:27

      Há + ou – um ano atrás a mesma revista falava em alta de 22% em 12 meses (média brasil). Agora tá em 25%, deu uma acelarada…

      Abs

      0
  • Ramires 13 de maio de 2011 at 22:18

    Feirão da Casa Própria em SP movimenta R$ 205 mi no 1º dia.

    Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/915653-feirao-da-casa-propria-em-sp-movimenta-r-205-mi-no-1-dia.shtml

    0
    • Ral 13 de maio de 2011 at 23:34

      A Caixa registrou R$ 205 milhões em negócios fechados — concluídos e em “andamento’ Pessoal o que seria negócios em andamento ? ???

      0
  • Andre 13 de maio de 2011 at 23:18

    img156.imageshack.us/i/demografia.png/
    img850.imageshack.us/i/estoquesp.png/
    img834.imageshack.us/i/rentaligpm.png/

    Mais graficos mandados pelo jose.

    Abs

    0
    • Andre 16 de maio de 2011 at 12:37

      Os links estão funcionando?

      Nenhum comentário sobre os graficos???

      Abs

      0
      • jose 16 de maio de 2011 at 12:54

        nao sei pq o espanto Andre…

        0
  • Mr. Alex 14 de maio de 2011 at 02:37

    Agora está explicado !

    Brazil may be heading for a subprime crisis !!!

    …We expect the burden to rise to an exorbitant 30 per cent by 2012. To put this into context, the US consumer “blew up” when the debt service burden hit 14 per cent (with a current read of approximately 12 per cent)….

    The situation in Brazil is worryingly similar to the sub-prime crisis in the US. A lot of credit is being pushed by the banks at high rates to consumers who ultimately won’t be able to service the debt.

    http://www.ft.com/cms/s/0/eca47380-3dc4-11e0-ae2a-00144feabdc0.html#axzz1MIlQjDoD

    Acredite quem KISER

    Um levantamento com base nos balanços dos bancos enviados ao BC mostra que três instituições, entre elas os bancos Matone e Schahin (<— olha construtora aqui geeeente !) ….
    estavam com índice de Basileia abaixo do mínimo exigido pela autoridade monetária, de 11%.

    Leiam no FT que estes são “bezzle”…

    IBOV 63k and dropping…

    Pessoal, lembrem-se de mantar os investimentos limitados a 70k por CPF/CNPJ em cada IF, o limite do FGC.

    Até o Presidente da Caixa disse na abertura do "Feirão da Dívida Própria" que "não tem bolinha, bolinha, bolinha…"

    abraços

    0
    • Mr. Alex 14 de maio de 2011 at 02:44

      Olha o link do Estadão… http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios+setor-financeiro,bancos-medios-pagam-mais-para-captar-recursos-e-tem-de-segurar-o-credito,not_66995,0.htm

      Dados do Banco Central mostram que treze bancos estão com níveis apertados ou insuficientes de capital. Um levantamento com base nos balanços dos bancos enviados ao BC mostra que três instituições, entre elas os bancos Matone e Schahin, recentemente envolvidos em negócios com outros bancos, estavam com índice de Basileia abaixo do mínimo exigido pela autoridade monetária, de 11%. Outros dez estão acima, mas muito próximos do porcentual exigido. Com isso, qualquer crescimento maior das operações de crédito pode comprometer a estrutura de capital dos bancos. …

      Alarmante…

      ESPECIAL PARA O ESTADO – Os preços deverão se estabilizar e até cair ao longo deste ano, principalmente nas áreas onde a elevação foi muito grande em 2010. ….

      http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110513/not_imp718595,0.php

      Façam suas apostas !!!

      0
      • Andre 16 de maio de 2011 at 12:49

        “O Índice de Basileia mede quanto uma instituição financeira pode utilizar para crédito sem comprometer sua solidez financeira.”

        “Dados do Banco Central mostram que treze bancos estão com níveis apertados ou insuficientes de capital. Um levantamento com base nos balanços dos bancos enviados ao BC mostra que três instituições, entre elas os bancos Matone e Schahin, recentemente envolvidos em negócios com outros bancos, estavam com índice de Basileia abaixo do mínimo exigido pela autoridade monetária, de 11%. Outros dez estão acima, mas muito próximos do porcentual exigido. Com isso, qualquer crescimento maior das operações de crédito pode comprometer a estrutura de capital dos bancos.”

        “O mínimo exigido no Brasil está acima da média internacional, de 8%.”

        “O executivo destaca que o Índice de Basileia médio do sistema financeiro brasileiro está na casa dos 16%, bem acima do mínimo exigido pelo BC.”

        Pelo q eu entendi, preocupante, mas nada alarmante. Quanto é o histórico do indice de Basiléia no Brasil?

        Abs

        0
  • edu 14 de maio de 2011 at 08:21

    olhem o que diz a reportagem do feirao da Caixa da Gazeta do Povo – Curitiba- PR: O gerente Hildevar Munin Junior investiu em três imóveis e quer adquirir mais quatro ( e o cara aparece na foto se achando o bom…). Vejam a reportagem inteira:
    http://www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?tl=1&id=1125750&tit=Investidores-buscam-pechinchas-em-feirao

    0
  • JUAN 14 de maio de 2011 at 11:57

    A bolha ja esta cheia, só falta desinflar ou estourar, se estivesse vendendo tanto não precisaria de feirão ( LIQUIDAÇÃO ) , para enganar as pessoas humildes e desinformadas, público alvo que passam noites em filas para não conseguir nada, jogada de market.

    0
    • Duda 15 de maio de 2011 at 10:59

      RARARA, otimo argumento!!! para que tanto leilão? se estão vendendo bem, não estão? Abs

      0
      • Frank 16 de maio de 2011 at 10:58

        tô por fora desse assunto de leilão, mas tinha a impressão de q é só pra imóveis com algum “enrosco” (pendência, indadimplemento) q foi retomado pelo Banco ou Construtora…

        é isso mesmo?

        0
        • jose 16 de maio de 2011 at 11:45

          aqui no site derrubam varias teorias..

          ja vi derrubarem economicas, de financas..agora eh de marketing…

          querem concluir que quando se faz propaganda ou da desconto é pq ta tudo quebrado…

          coitado da ricardo eletro, gol, tam, VW, fiat (que paga uma fortuna pra anuciar no BBB)…

          0
          • Andre 16 de maio de 2011 at 12:10

            “fiat (que paga uma fortuna pra anuciar no BBB)…”

            Cento e tantos milhoes assistindo, uma duzia furando o olho do outro por 1 milhaozinho, e a Globo ganha isso em 30 segundos de intervalo se duvidar…

            Abs

            0
        • Andre 16 de maio de 2011 at 11:55

          Frank,

          tem escritorios de advocacia q se especializaram em leiloes de imoveis… Daí eles te dão um parecer estimando tempo e dificuldade p/ vc assumir a posse do imovel, caso arremate.

          Tem muitos imoveis vazios, nesse caso tu entra em uns 6 meses. Só q esses são os mais disputados no leilão…

          E tem q botar na ponta do lapis: comissão do leiloeiro (5%), honorarios do adv (3 a 5%), custos processuais, custo de oportunidade (no tempo entre o arremate e a posse).

          E mais todos os custos normais de imovel (escritura, RGI, ITBI, etc)

          Abs

          0
          • Frank 16 de maio de 2011 at 12:32

            mas o q eu queria saber é se esses tais mega-leilões são apenas de imóveis com enrosco, ou tem imóveis normais / desembaraçados também…

            alguém sabe?

            0
          • jose 16 de maio de 2011 at 12:58

            Frank,

            no idea….

            mas parabens ai pelo seu “negocio”…

            aprendi pra que quem faz o “dever de casa” sempre tem oportunidades.. ainda mais num mercado de informacao bem assimetrica..

            ja tinha ouvido falar mas nunca vi niguem que “operava” esse mercado…confesso que vou dar uma estudada nessas paradas

            0
  • Evandro 14 de maio de 2011 at 15:23

    Pessoal,

    Alguém acredita que uma pessoa vai comprar um imóvel de 300, 500, 800 mil neste feirão? Vi algumas matérias e o preço máximo que vi que uma pessoa comprou foi 150mil (pra variar, na emoção e sem ver o apto).

    O que eu quero dizer é que quem tem dinheiro não vai comprar um imóvel num final de semana, só compra quem não tem muito a perder mesmo. E quem acaba perdendo somos todos nós que não queremos ficar 30 anos pagando um apto.

    0
  • Valdomiro 14 de maio de 2011 at 16:37

    Oferta de imóveis aumentando, e só ver os classificados, conclusão especuladores querendo realizar lucros, prevendo bolha. não compre imóvel agora, que o preço cai,volta ao preço real, não é possivel imóvel valorizar 100% em 2 anos, isto não existe em nenhum lugar do planeta, achar que vai ganhar na loteria com a venda de um imóvel, NÃO COMPRE IMOVEL AGORA.

    0
    • Ral 15 de maio de 2011 at 21:56

      Calma Valdomiro , ainda leva um tempo , primeiro a impressa fara lobby e o governo tem como segurar a situação por mais algum tempol

      0
      • Glaucio 16 de maio de 2011 at 09:05

        O lobby da imprensa já começou, a julgar pela matéria da Exame que um comentarista postou mais abaixo.

        0
  • valdecir 14 de maio de 2011 at 18:53

    Economista vê “farra de crédito” e Caixa nega bolha

    Neste mês de maio, a taxa média de juros cobrada pelos bancos nos empréstimos para pessoas físicas atingiu o maior nível desde abril de 2009, de acordo com levantamento da Fundação Procon-SP.

    Os bancos cobraram juro médio de 5,60% ao mês no empréstimo pessoal, maior nível desde os 5,74% de 25 meses atrás. Já o juro médio do cheque especial subiu 0,64 ponto percentual, para de 9,47% ao mês – equivalente a 196,22% ao ano.

    A Caixa Econômica Federal está entre os bancos que aumentaram juros, segundo o Procon-SP. A instituição pública anunciou, nesta sexta-feira, lucro líquido de R$ 812,4 milhões no primeiro trimestre de 2011, um crescimento de 4,5% em relação ao mesmo período de 2010.

    Metade desse resultado se deve ao financiamento habitacional, mas a Caixa nega que exista uma bolha de crédito ou imobiliária no país.

    No entanto, o economista Maurício Dias David discorda. “A situação que está sendo criada é extremamente preocupante e pode ficar explosiva. É uma verdadeira farra do crédito”, diz.

    David não vê o risco de bolha apenas no crédito. “Os imóveis valorizaram 25% em um ano e 50% em dois anos. Se isto não é bolha, o que é?”, indaga, lembrando que a crise nos EUA começou com a aposta de permanente valorização dos imóveis.

    Fonte:http://www.monitormercantil.com.br/mostranoticia.php?id=94871

    0
  • valdecir 14 de maio de 2011 at 19:01

    Feirões mostrarão que não há bolha especulativa no mercado imobiliário

    O presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda, afirmou que os feirões da casa própria, promovidos pela estatal em 13 cidades do país, vão mostrar que não há bolha especulativa no mercado imobiliário. Ele reconheceu que o aumento de preços dos imóveis pode prejudicar o acesso de algumas famílias à moradia, mas disse que “o mercado se autorregula e não é possível reajustar o imóvel acima da capacidade que o mercado tem de absorver [o aumento], então, isso se equilibra”.

    Otimista com o aquecimento do setor, o presidente da Caixa informou que, até o último dia 6, a instituição tinha fechado contratos no valor de R$ 21,5 bilhões, o mesmo montante registrado em igual período do ano passado, desempenho que pode chegar a R$ 81 bilhões no acumulado do ano.

    Hereda participou solenidade de abertura da sétima edição do Feirão da Casa Própria de São Paulo, que se estenderá até o próximo domingo. Em todo o país, serão 13 feiras do gênero, até o dia 12 de junho.

    A expectativa de Hereda é que as vendas ao menos repitam o resultado de 2010, quando foram negociados R$ 8,4 bilhões em imóveis e fechados 93 mil contratos. Este ano foram postos à venda mais de 450 mil imóveis novos, usados e em construção (na planta), sendo 195 mil só na região metropolitana de São Paulo.

    Hereda informou que a grande maioria dos compradores que freqüentam os feirões da Caixa ganha mais de três salários mínimos. Do total de ofertas, 69 mil são imóveis que valem, no máximo, R$ 170 mil, teto para quem está na faixa de renda de até três salários mínimos. Na faixa de R$ 170 mil a R$ 500 mil, serão ofertados 94 mil imóveis.
    Fonte:http://www.monitormercantil.com.br/mostranoticia.php?id=94863

    0
    • Ral 15 de maio de 2011 at 21:50

      Ele tem que vender o peixe dele

      0
  • Ricardo 15 de maio de 2011 at 07:27

    23 dias pendurado no especial
    Autor(es): Victor Martins
    Correio Braziliense – 14/05/2011

    Depois de irem às compras sem medo, brasileiros pagam juros de 9,47% ao mês para usar limite de cheque

    O brasileiro nunca ficou tanto tempo pendurado no cheque especial como neste ano. Dados do Banco Central revelam que, em média, o consumidor tem passado 23 dias em débito com o banco — o maior período já registrado pela autoridade monetária. O perigo, alertam especialistas, é que essa permanência se elevou exatamente no mesmo período em que uma escalada dos juros entrou em curso no país. A taxa desse limite especial explodiu e, neste mês, chegou a 9,47% mensais ou mais de 160% ao ano — o maior patamar desde 2003, quando havia alcançado 9,48% mensais segundo os dados da Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo (Procon-SP).

    Parte de todo esse endividamento — quase R$ 20 bilhões — e da demora para se livrar dele se deve à farra do consumo dos últimos anos, principalmente depois da ascensão de mais de 30 milhões de pessoas à classe média. Com os juros em alta e o brasileiro passando mais tempo preso a modalidades de financiamentos muito caras, a inadimplência também cresceu. Pelos dados do BC, apenas no cheque especial os atrasos representam 11% do total emprestado.

    Para Jankiel Santos, economista-chefe do Espírito Santo Investment Bank, a tendência é de que o custo das operações de crédito continue a subir. “A captação dos bancos está ficando cada vez mais cara e isso tende a ser transferido para o tomador de crédito”, explicou. “Não será na mesma magnitude da Selic (taxa básica de juros), mas algum repasse vai acontecer”, sentenciou.

    A elevação dos juros é tão expressiva que, entre abril e maio, a taxa do limite especial subiu 0,12 ponto percentual. Nos cinco primeiros meses do ano, a alta foi de 0,35 ponto, mais do que o aumento de todo o ano passado (0,34 ponto). “Voltamos ao mesmo nível do primeiro semestre de 2003, quando vivíamos um período instável na economia e havia muita incerteza sobre a política monetária que seria adotada pelo presidente Lula”, argumentou Helena Brasão, técnica do Procon-SP.

    Na avaliação de Helena, nesse período de alta de juros, o consumidor precisa de atenção redobrada na hora de tomar crédito. Sempre deve se questionar se realmente precisa dele e observar o chamado custo efetivo total (CET) da operação, que soma os juros mais tarifas. “Não é um bom momento para tomar crédito”, alertou a especialista.

    0
  • Said You. 15 de maio de 2011 at 09:44

    Bom blog esse sobre o assunto!

    Trabalho neste setor a 27 anos e prefiro não me identificar. Sem entrar em muita matemática, duas opções podem ocorrer, analisando especificamente o Rio de Janeiro:

    1 – existe bolha imobiliária e de outros ativos (os corretores quase batem em vc se escutam isso); ou

    2 – não há bolha e a valorização é justificada (eles adoram essa frase).

    Se 1 é real será ruim para a economia brasileira, mas não acho que a desvalorização dos imóveis seja igual a dos EUA em 2008. Acredito em 30% a 40% de desvalorização dos valores alcançados em março/abril de 2011 e tb o estouro não terá força para aguentear até 2014-2016. Deverá ocorrer antes, podendo mostrar os primeiros indícios já no final de 2011.

    Se 2 ocorre, estamos e temos que entrar urgentemente em um patamar de estabilidade de preços. Talvez até com uma pequena queda de cerca de 20%. Pois mts estão jogando! Já começam a cogitar vender seus aps para entrar no mercado financeiro. Normalmente vendendo imóveis vazios que compraram para investir e pedem valores mt altos, sem pressa para vender. Já começam a achar que essa é a crista da onda.

    Quem souber essa resposta pode ganhar mt.
    Mas de qualquer forma. Um crescimento continuo dos preços já deixou de ser “saudável” há bastante tempo. Boa semana!

    0
    • Duda 16 de maio de 2011 at 09:39

      Cara, interessante teu comentario. Aparece mais seguido por aqui!

      0
  • me 15 de maio de 2011 at 13:45

    Dia desses li um artigo sobre o fim da classe média e seus rancores. Me lembrou muitíssimo os argumentos que defendem que há uma bolha.

    0
    • Duda 16 de maio de 2011 at 09:47

      Mas acredito que hoje, os principais prejudicados sejam as classes mais baixas. De acordo com o proprio governo, agora a classe media e % muito importante da população… seria bom para o governo ficar de olho, pois no passo que vai, não consegue ganhar em 2014 não…

      0
      • Duda 16 de maio de 2011 at 09:57

        Quero dizer, o governo devería se preocupar por ter uma classe média muito grande e com rancores…

        0
    • Andre 16 de maio de 2011 at 12:20

      Pq o governo se preocuparia com a alta? A popularidade só aumenta junto c/ os preços…

      “painelpolitico.com/Editorias/Noticias/CRESCE-PERCENTUAL-DE-IMOVEL-ALUGADO-E-CAI-O-DE-CASA-PROPRIA.html

      O percentual de casas próprias teve uma ligeira queda: era de 74% em 2000 e variou levemente para 73% em 2010. Em números absolutos, isso significa 42 milhões de casas próprias.

      Botando uma média de 3 habitantes/imovel, são 126 milhoes de pessoas ficando 2 ou 3% mais felizes a cada mes…”

      Obs.: só estou COPIANDO o que já disse antes…

      Abs

      0
      • jose 16 de maio de 2011 at 13:00

        ou seja,

        essa ENXURRADA de imoveis prontos nao supriu os novos demandadores é isso?

        0
  • Rafael CPS 15 de maio de 2011 at 20:19

    Boa noite, pessoal. Parabéns pelas discussões, esclarecedoras e fundamentadas. Estou no dilema da saída do aluguel e compra do imóvel, mas deveras assustado com a especulação. Aqui em Campinas, imóveis de 48m2, de baia qualidade, custando em torno de 200 mil reais. Um absurdo. Entretanto, aluguel também está puxado, pago 1500,00 / mês. Baita dilema.

    Hoje, comprei a Exame, que trata da alta dos imóveis. Mas ao que me pareceu, a matéria dá a entender que ainda há grande espaço para a manutenção dos preços e inclusive mais esticadas dos valores. Eles se baseiam em ecente pesquisa para justificar tal visão.

    Sugiro que leiam para coocar em debate aqui neste excelente blog. Estou tentando acessar o conteúdo on line, mas deixo aqui uma breve sinopse do conteúdo:

    [Revista] “Imóveis, a maior alta do mundo” é a capa da Exame 0 0
    Edição da segunda quinzena do mês traz uma pesquisa exclusiva que mostra que o Brasil bateu o recorde global com a alta de 25%, em 12 meses, dos preços dos imóveis; e mais: a farra das commodities teria chegado ao fim? Sumário – Edição 989 – 18 de maio de 2011 Capa A maior alta do mundo: uma pesquisa exclusiva mostra que os preços dos imóveis no país subiram 25% em 12 meses, um recorde global;

    Abraços e boa semana a todos.

    0
  • Ramires 15 de maio de 2011 at 21:58

    Feirão da Caixa movimenta R$ 2 bilhões em São Paulo
    Em São Paulo, a sétima edição do Feirão Caixa da Casa Própria movimentou R$ 2,025 bilhões em negócios, com a assinatura de 14.998 contratos. Nos três dias do evento, o Centro de Exposições Imigrantes recebeu a visita de 73.082 pessoas.

    Entre 20 e 22 de maio, o Feirão segue para Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Recife, Rio de Janeiro e Porto Alegre. De 3 a 5 de junho, o evento chega a Belém. Entre 10 a 12 de junho Florianópolis encerrará o ciclo dos feirões deste ano.

    Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,feirao-da-caixa-movimenta-r-2-bilhoes-em-sao-paulo,719599,0.htm

    0
  • L C 17 de maio de 2011 at 00:40

    Pessoal, um exemplo carioca simplório (por favor não é preconceito) e vale para qualquer capital brasileira: O sujeito A sai da periferia e consegue um financiamento estatal para se mudar para o subúrbio do Rio, comprando do sujeito B. O sujeito B consegue ir para Vila Isabel (meu bairro de origem), comprando do sujeito C. O sujeito C vai p/Botafogo, comprando do sujeito D, que finalmente tenta ir para Ipanema ou Leblon. É como um tsunami que começa com um efeito muito forte próximo ao epicentro, mas causa ondas até nos lugares mais distantes, inflando os preços dos imóveis em toda a cidade.

    Este fim de semana o barbeiro (em Vila Isabel) que eu frequento há vinte anos decidiu se mudar, o dono do imóvel quer 400 mil em um prédio caindo aos pedaços com 3 espaços comerciais. Está completamente louco, os 3 negócios da área se mudaram, e ele não conseguiu vender nada até agora.

    Com todo respeito a quem pensa de forma diversa, se o nome é bolha ou não, isso é irrelevante, o governo federal está sendo irresponsável com uma política de crédito fácil insustentável. Guardadas as proporções, esse programa da Dilma é como o “Freddie Mac” do Bush. Quando a turma descobrir que não conseguirá de jeito nenhum pagar os financiamentos e for “rebaixado”, o que acontece? Os bancos/construtoras vão ficar com isso tudo encalhado? Nem discuto mais Ipanema e Leblon, mas a Tijuca e Vila Isabel, por exemplo, estão com preços ridiculamente altos. Não acreditem nessa cascata de Copa e Olimpíada, essa melhora de infraestrutura (se acontecer) será totalmente pontual. Não há nenhuma justificativa econômica para que um local como Vila Isabel (onde achei uma bala de fuzil caída no quintal dos maus pais há alguns anos atrás) suba desse jeito. A massa salarial da iniciativa privada cresceu apenas moderadamente nos últimos tempos, e os servidores públicos vão ficar no mínimo 4 anos sem reajuste.

    Não acreditem em papo furado da mídia (Abril, Caderno de Imóveis do Globo etc), que depende de anúncios do governo e das construtoras.

    Quem tem grana p/comprar na Zona Sul (que é o meu caso) segure a onda mais alguns anos, que essa maluquice vai acabar muito mal, e aí a gente volta a conversar. O pessoal de mais de 40, que já viveu o Plano Cruzado e o início do Real, sabe como esses “sonhos de grandeza” terminam…

    0
    • Andre 17 de maio de 2011 at 12:44

      LC,

      “o dono do imóvel quer 400 mil em um prédio caindo aos pedaços com 3 espaços comerciais”

      Um predio com 3 lojas comercias por 400k vc tá achando caro? Qual é o tamanho das salas? Que rua? Num lugar q qq apto passa facil de 200k num me parece fora do normal não…

      “O pessoal de mais de 40, que já viveu o Plano Cruzado e o início do Real, sabe como esses “sonhos de grandeza” terminam…”

      Houve boom imobiliario nesses eventos? Não me lembro de ter ouvido falar disso.

      Abs

      0
  • A. Teixeira 17 de maio de 2011 at 10:02

    Concordo com argumentação de muitos referente a existencia da bolha imobiliaria no Brasil. Sim ela existe e está crescendo. Mas não vejo que ela irá estourar. O Autor foi ponderado em dizer que “o estouro nem sempre é uma explosão”, que ao meu ver é o que acontecerá em nosso cenário justamente pela concessão do crédito imobiliário. Nos EUA, quando houve o estouro da bolha, não havia critérios de concessão de crédito. Desempregados, baixa renda conseguiam financiamentos e estes não tinham garantias reais. No Brasil, ao contrário, temos um grande número de tipos de financiamentos, mas todos eles baseados em garantias reais (seguro, fiador) que em tese garantirá os valores acordados. Por sua vez a especulação continua em alta, neste ponto que eu vejo o furo da bolha, em breve os preços se ajustar, a população irá aguardar esse ajuste, quedas nas vendas, queda no investimento, enfim uma redução geral na cadeia imobiliária, mas será equilibrado pois todas as operaçoes estão com lastro.

    0
    • L C 17 de maio de 2011 at 22:19

      Teixeira, fiquei interessado em sua argumentação. Por favor, qual é o lastro? Qual a garantia real? Qual a fundamentação do valor dessas garantias? Pois esta é justamente a questão. O que está fazendo essa subida de preços de modo continuado. Seria razoável supor então que as garantias subiriam de modo constante com as novas operações? O cara que sacar isso vai ficar rico, pois vai advinhar onde a crescimento cessa, e pode vender antes. Quando você fala em garantia real, seria o próprio imóvel? Mas aí o risco do sistema passa a ser enorme…

      PS: André, o espaço total que mencionaei em Vila Isabel é de 180 m2, distante 500 m do Morro dos Macacos, onde um helicóptero da PM foi derrubado em 2009. Ainda vale 400 mil ?

      0
      • Andre 18 de maio de 2011 at 00:13

        LC

        pesquisa no Zap e ve o m2 de Vila Isabel, ve a 500m do morro tb… Daí tire a conclusão q quiser…

        Abs

        0