Construtoras incomodadas com alerta sobre bolha imobiliária – Fabio Portela

Você pode gostar...

Comments
  • me 4 de maio de 2011 at 14:57

    Uma pergunta para quem argumenta que não vê bolha(José, Frank…): o que vocês veem é que os valores continuarão os mesmo? Aumenta um pouco mais? Até cai, mas não 40%? Quanto então?

    0
    • me 4 de maio de 2011 at 15:01

      Fazendo melhor a pergunta: talvez o termo ideal não seja “bolha”, mas “em alta”?

      0
      • Andre 4 de maio de 2011 at 22:29

        Pra onde vai não sei, só sei q subindo 3% a.m. dobra a cada 2 anos…

        O maldito fipe zap saiu hoje e mostrou de novo a mesma coisa de sempre: 3,3% Rio.

        A novidade é que sao paulo acelerou: 2,4% mes anterior tinha sido 2,0% “só”.

        Abs

        0
        • Duda 5 de maio de 2011 at 12:39

          Estou esperando o primeiro feriadão que vir para ir para o Rio, quero ver o que está acontecendo por lá.

          0
          • Frank 5 de maio de 2011 at 13:55

            no RJ, recomendo uns hot spots para compra:

            – barraco no Vidigal
            – apto na Cruzada S. Sebastião
            – cafofo na Glória ou Lapa

            todos aí pelos seus 300MM a 500MM….

            tirando o 1o (q é brincadeira, pois um barraco deve estar aí pela pechincha de uns 200K), veja aí se nesses lugares o PRODUTO confere com o PREÇO (veja se não tem vazamento de esgoto na porta, ponto de travesti na esquina ao lado, boca de fumo no apê do seu vizinho, etc.)

            0
          • Andre 5 de maio de 2011 at 18:21

            Frank,
            vc já viu em algum canto os preços de imoveis em favela?

            Sempre tive essa curiosidade.

            Abs

            0
          • me 5 de maio de 2011 at 18:32

            Frank, seria mais interessante que você envia-se alguns links para o Duda ao invés de reiterar “cafofos de 500 mil”.

            0
          • Andre 6 de maio de 2011 at 11:47

            “PRODUTO confere com o PREÇO (veja se não tem vazamento de esgoto na porta, ponto de travesti na esquina ao lado, boca de fumo no apê do seu vizinho, etc.)”

            Frank,

            essa relação parece absurda mesmo.

            Mas a galera tá comprando. Pq?

            Será q os imoveis estão apenas girando freneticamente entre especuladores?

            Mas o credito imobliario tá bombando, acredito eu q não é muito facil passar adiante um imovel financiado. Meu “achometro” me diz q especulador deveria comprar à vista.

            Esse monte de credito DEVE estar sendo usado p/ pessoas “normais” e pra moradia mesmo.

            O q volta à pergunta inicial: Pq ???

            Abs

            0
    • Frank 4 de maio de 2011 at 16:49

      ué, agora eu sou um q “não vê bolha” ? 🙂

      eu vejo preços malucos, e meu instintômetro me diz q deveria vir, em algum momento (pode demorar, pode ser parcelada) uma correção, um ajuste.

      a curta de housing americana segue, em regra, esse figurino.

      agora, se o preço vai baixar ou não, eu não sei realmente.

      não há um trigger claro e evidente aqui na nossa bolha.

      o q há e dá pra dizer com alguma segurança é: esse aumentos dos últimos 2~3 anos não é sustentável.

      mas se vai cair, ou apenas estabilizar nesse patamar elevado, não sei.

      o q eu penso já escrevi em vários comments aqui:
      – vai estabilizar (podendo até sofrer uma corrosão de valor, a depender do valor)
      – pode haver uma ajuste pra baixo mais sensível em 2015/2016, por conta da realização de ganhos dos investiram pensando na valorização com os Mega-eventos Copa/JJOO
      – outra hipótese (parecida com algo q o MrK falou): o boom de compra na planta em 2008-2010 a esses novos patamares de preços loucos fará com q a entrega das chaves ocorra em 2012-2013. Nesse momento, ocorre a negociação do saldo devedor com um banco comercial. Pode ser o momento de investidores realizares ganho (ainda q parcial).

      0
      • Frank 4 de maio de 2011 at 16:50

        – vai estabilizar (podendo até sofrer uma corrosão de valor, a depender DA INFLAÇÃO)

        0
    • Fabrício Valle 8 de maio de 2011 at 18:25

      Como editor do BIM – Boletim Imobiliário de Brasília não poderia deixar de responder ao artigo do Fábio Portela, republicado aqui, como uma forma de dar minha contribuição do debate de importante tema que interessa a todos.
      Em primeiro lugar, quero deixa registrado um o exagero que é afirmar que as construtoras estão incomodadas com alerta sobre bolha imobiliária.
      As construtoras nem sabem que o BIM foi lançado. Poderíamos definir o meu jornal assim:
      “um corretor de imóveis, ex-aluno de Filosofia, que nunca deixou de ler os grandes filosófos, resolveu, aproveitando sua experiência passada como redator e editor de jornal, correr o risco de editar por conta própria, como deve ser todo iniciativa empresarial, um jornal tablóide que deverá ser mais que um boletim imobiliário”

      Sim prezado Fábio, lamento esfriar seu entusiasmo, mas o BIM é um esforço unicamente meu com dois objetivos:
      1- Fazer marketing pessoal;
      2- Discutir idéias, não só no campo do mercado imobiliário. Pretendo abrir espaço no BIM para educacionismo, filosofia, arte e cultura, política etc.

      Foi com esse espírito que optei por começar tratando do assunto “bolha imobiliária”. Aliás, devo reconhecer que usei algumas expressões que podem
      levar a crer que tenho um certo desdém pelos que defendem a ideia da existência de bolha. Mais que desdém, talvez possa ter ofendido os que defendem a tese sobre existência de bolha. Minha intenção não foi essa e por isso serei mais cuidadoso com a retórica e desde já peço desculpas aos que se sentiram ofendidos. Proponho sempre debate de idéias e não confronto de pessoas.
      Mas, entrando no cerne da questão, não arredo um centímetro da tese que não existe bolha imobiliárina nenhuma. E até arrisco a dizer que os bolhistas
      (vou continuar usar essa palavra, mas ela não tem sentido pejorativo, ok?) querem revogar a lei da oferta e procura e ignorar dados concretos.
      Aliás, a citação de Popper pelo Fábio Portela pode ser aplicada perfeitamente aos argumentos de todos os bolhistas e do próprio autor da citação. Palavras contra palavras, podemos dizer que eu e o Fábio Portela estamos dentro da caverna do Platão, vendo sombras na parede e afirmando que aquilo é a realidade, por que a verdade é que economia não é ciência exata.
      Mas, discutir bolha imobiliária com dados concretos vai ajudar a compreender o fenômeno e evitar que as sombras da caverna platônica comandem o bebate.
      O Fábio Portela escreve bem, sabe lidar com argumentos, faz perguntas interessantes, mas deixa de forma análise sobre dados concretos, e se apega demasiadamente aos efeitos – a alta de preços, a valorização.
      Vou preparar um novo artigo respondendo às perguntas do Fábio e trazendo novos números, que publicarei no BIM. Mas, quero deixar claro uma coisa:
      não foi tratar desse assunto como torcedor de futebol. Não me interessa defender um ponto de vista de forma irremovível. Não me interessa desrespeitar pessoas que pensam diferente de mim ou que extraem conclusões diferentes das minhas quando confrontadas com números, com dados concretos. Como cidadão, me interessa entender o Brasil e seu atual estágio de desenvolvimento.
      Como eventualmente pode ter sido a impressão, devido a algumas expressões no meu artigo, não pretendo atacar ninguém, acusar ninguém…mesmo porque seria isso o supra-sumo do anti-marketing pessoal. Tenho certeza que muitos dos bolhistas aqui são potenciais clientes na compra ou na venda de um imóvel, e estarei sempre à disposição para fazer meu trabalho de forma absolutamente profissional.
      Para finalizar, cito do Correio Braziliense de hoje, 8 de maio de 2011:
      – 65 mil pessoas passam a integrar a população do DF, por ano;
      – Nas próximas duas décadas, a população de Brasília vai ganhar 1,5 milhão de habitantes.

      Onde este povo vai morar? As casas e apartamentos para esse povo todo já estão prontas…ou terão que ser construídas?
      E o jovens que vão crescendo, se casando? Vão continuar morando na casa dos pais? E o que nascem? E os que ascendem socialmente?
      E os que se separam, continuar vivendo juntos?
      Gente, mercado imobiliário tem muitas faces e é algo bem dinâmico. Vocês estão vendo só a alta de preços, efeito, e não conseguem ver as causas.
      Vão pensando nisso, enquanto não escrevo novo artigo. Talvez comentarei um ou outra postagem aqui.
      Um abraço para todos, com todo o meu respeito.

      0
      • MrK 8 de maio de 2011 at 23:43

        “Onde este povo vai morar? As casas e apartamentos para esse povo todo já estão prontas…ou terão que ser construídas?
        E o jovens que vão crescendo, se casando? Vão continuar morando na casa dos pais? E o que nascem? E os que ascendem socialmente?
        E os que se separam, continuar vivendo juntos?”

        Prezado Fabrício, esses efeitos que você cita acima são antiquissimos, nada disso passou a acontecer de 2 anos pra cá, a não ser que você prove que de 2008 pra cá houve uma onda gigantesca de divorcios, totalmente fora da média.

        Precisamos entender o ponto focal do aumento dos preços: CRÉDITO DESPEJADO NO MERCADO IMOBILIÁRIO, COM INCENTIVO GOVERNAMENTAL

        se conseguirmos concordar ao menos isso, o debate já evolui, agora, se o motivo pra alta se tratado como copa do mundo, jovens separando, casamento.. aí realmente vai ser difícil dialogar.

        0
      • Duda 9 de maio de 2011 at 11:30

        Prezado Fabricio, peço por favor, assim que possível, mencionar as fontes de todo dato numerico que seja publicado. SDS

        0
        • Duda 9 de maio de 2011 at 12:58

          Quero dizer: o Correio B. pegou esses dados de que lugar? Detalhes que fazem toda a diferença, não acha?

          0
      • me 10 de maio de 2011 at 14:26

        “Em primeiro lugar, quero deixa registrado um o exagero que é afirmar que as construtoras estão incomodadas com alerta sobre bolha imobiliária.”

        – Interessante falar isso neste blog.

        ‘ Poderíamos definir o meu jornal assim:
        “um corretor de imóveis”‘
        – Ops…

        “o BIM é um esforço unicamente meu com dois objetivos:
        1- Fazer marketing pessoal;”
        – Tá, mas você fez isso citando exemplos da Espanha… Não foi lá que teve bolha também?

        “Mas, entrando no cerne da questão, não arredo um centímetro da tese que não existe bolha imobiliárina nenhuma.”

        – Ué, mas logo depois você diz que:

        “Não me interessa defender um ponto de vista de forma irremovível.”

        “Tenho certeza que muitos dos bolhistas aqui são potenciais clientes na compra ou na venda de um imóvel, e estarei sempre à disposição para fazer meu trabalho de forma absolutamente profissional.”
        – Todos esses argumentos fazem cada vez menos sentido.

        Faço eco com o Duda sobre a apresentação dos números.

        0
  • Lucas Mendes 4 de maio de 2011 at 15:23

    Parafraseando Nelson Rodrigues: “os imbecis não conseguem enxergar o óbvio ululante!!!” . Que me desculpem os contrários de opinião, mas dizer que é normal o preço praticado de imóveis no Brasil, é no mínimo estranho. Derrepente todo mundo passou a ganhar R$ 20.000,00, todos tem diploma, viajando 2x ao exterior todo ano e compram carro novo. Ora, moro no Rio na Zona Sul em Copacabana e lhes digo: Como explicar o imóvel que eu moro que valia em 2008 R$ 220.000,00 passar a custar R$ 450.000,00 sem que nada seja feito? Ah mais tem mais crédito, sim e daí? Sabe se tem capacidade de pagamento a dívida contraída? Os aumentos saláriais acompanharam o ritmo de aumento dos imóveis e suas prestações? Qualquer pessoa com o mínimo de noção de matemática sabe a diferença de juros simples e juros compostos. A prestação será sem juros do imóvel financiado. Mas, sempre tem alguns que falarão, mas a economia só crescerá se houver fomento, alavancagem…. sim mas não extorsão de preços. Bem quem viver verá!!! Abraços

    0
    • Duda 4 de maio de 2011 at 18:13

      Lucas, concordo plenamente. Mas uma coisa começou a me preocupar nas ultimas semanas, mais que a bolha mesma, e é a inflação. Se tivermos uma escalada inflacionaria, os preços, mesmo estratofericos, tal vez não desçam tanto nem tão cedo. Ainda acredito que enquanto os aumentos salariais sigam apenas os dissidios, não teremos um cenario de inflação desatada. Mas tenho minhas dúvidas, com o passado do pais não podemos garantir nada mesmo… acredito que os proximos meses serão cruciais, aí veremos se é bolha ou inflação forte batendo a porta. Agora para mim o assunto e como ter uma poupança que não desvalorize, seja comprando ouro, prata, soja ou que for…

      0
      • Andre 4 de maio de 2011 at 22:46

        Duda,

        bolha ou hiperinflação?

        Não teria uma terceira opção não?

        Ajuste a uma condição “normal” de credito?

        Não sei se vc já leu tudo, mas desde q vc saiu de ferias a discussão evoluiu muito e essa opção aí é praticamente consenso.

        Abs

        0
        • Duda 5 de maio de 2011 at 10:51

          Pode ser sim. Isso é combustível para as duas coisas. Se o crédito voltar ao normal, o resto tb deve se acomodar.

          0
          • Andre 5 de maio de 2011 at 13:22

            Normal é relativo né?

            Tem pessoas aqui que dizem que o normal é hoje, antes é que era muito pouco…

            Daí tem q estudar mais pra ver o que é “normal” mesmo.

            Abs

            0
    • Roberto Cordeiro 4 de maio de 2011 at 21:50

      Oi Lucas,

      Voce ainda nao entendeu o porque da subida dos precos dos imoveis no RIo? A Copa e as Olimpiadas (hahahahahahahaha).

      P.S. Sarcasmo puro, hehehehehehehe

      0
  • João Paulo a Silva Simões (Contagem - NG) 4 de maio de 2011 at 15:33

    Parábens pelo artigo, e pela otima resposta, se estão lhe criticando e porque de fato o cenário não está tão confortavel a eles como se pensa… e a situação está começando a mudar, so não vê quem não quer, papo de botequim e o papo que esses corretores tentam aos futuros compradores, grantindo lucros certos sob a aquisição de imoveis, basta um páis como a China, frear seu crescimento para ver a situação se complicar por aqui.

    Abraços continue com o otimo trabalho, tenho acompanhado sempre.

    0
  • Duda 4 de maio de 2011 at 15:45

    Otimo, significa que estamos no rumo certo!

    0
    • jose 4 de maio de 2011 at 16:27

      Duda,

      Foi bom vc aparecer aqui…. queria entender uma coisa… me ajude

      Não espero muitas respostas não, mas.. vou levantar a bola.

      Muitos (a pergunta se endereça pra estes) que acreditam na bolha possuem imóvel e dizem que torcem pros preços caírem pra ir pra um melhor.

      Pois bem…

      Vamos supor que o imóveis dessas pessoas custem 400k e eles tenham mais 100K (se querem ir pra algo melhor, ou tem um extra guardado, ou será via financiamento, não importa).

      E essas pessoas TEM CERTEZA que os imóveis vão cair uns 40% (o Duda tem ate a data da queda)

      Ai eu faço a seguinte conta:

      O imóvel vale 400k, caindo 40%, vai valer 240k, mais os 100 guardados ele terá depois do estouro 340k o que dará para comprar um imóvel equivalente aos preços de hoje de 566k (340/0,6).

      Se o cara CONVICTO na bolha vende hoje seu imóvel @ 400k e espera (vou desconsiderar a aplicação do $$, mas eh um $$ legal, mas enfim, vou desconsiderar) estourar e pega mais os 100k que ele tem, ele terá no fim da bolha 500k, o que poderá comprar um imóvel que hoje vale 833k…

      Porque os convictos não estão vendendo seus imóveis e economizando esses 266k?

      Gostaria de entender o racional por trás do crente na bolha segurar seu imóvel e PERDER esse $$?

      Alguém poderia me explicar?

      abs

      0
      • Frank 4 de maio de 2011 at 16:53

        “Gostaria de entender o racional por trás do crente na bolha segurar seu imóvel e PERDER esse $$?”

        a lógica do seu questionamento é cristalina.

        mas aí tem vários outros fatores (q vc mesmo aponta em outros comments) relacionados a imóveis, valores intangíveis, percepções subjetivas, altos custos de transação, etc.

        é um pouco por aí: quem mora não é investidor.

        0
        • jose 4 de maio de 2011 at 18:06

          mas Frank,

          pra quem GARANTE que a bolha vai estourar, que tem data e tamanho da queda,… que ri de quem ta comprando imovel ou tomando financiamento…

          o cara SABE que vai estourar, ta convicto.. pra mim pra essa pessoa ela ta rasgando $$.

          nao eh que acha.. que pode ser… que talvez…. meu questionamento vai pra cara convicto da bolha (que nao sao poucos aqui).

          0
          • Andre 4 de maio de 2011 at 18:18

            Bom, na verdade tem uma diferença ENORME entre falar uma coisa e “botar na reta”.

            Na hora de fazer mesmo, de arriscar seu suado $, a tal “certeza” começa a bambear…

            Abs

            0
          • jose 4 de maio de 2011 at 18:38

            EXATAMENTE Andre,

            eh nessas horas que as conviccoes sao testadas.

            0
          • Frank 4 de maio de 2011 at 18:49

            “Bom, na verdade tem uma diferença ENORME entre falar uma coisa e “botar na reta”.”

            é isso mesmo.

            mas eu entendo q pergunta do José foi mais uma provocação à turma bolhista 🙂

            0
          • jose 4 de maio de 2011 at 19:04

            Frank,

            a situacao (o cara ter conviccao que vai cair 40% – tem gente que ja falou 70% – e ficar abracado no imovel) que é uma provocacao …

            so queria entender…

            e pra minha surpresa, veja o que o duda falou…

            “Tenho dois medos: se vender para alugar e vir um cenario inflacionario, daqui a uns anos, quando sair do aluguel, comprarei menos do que vendi… o segundo, e que a bolha tarde muito para estourar, aí mesmo com baixa inflação, os alugueis (que tem subido bastante por sinal) acabaríam por me estragar o negocio”

            “minha avaliação e meio como a astrologia, pode dar certo, (e acredito que não falharei por muito)”

            ou seja, uns dos mais convictos nao ta com convicto assim,

            e era exatamente isso que eu esperava…

            entao nao foi tao provocacao sem objetivo nao…

            0
          • Duda 5 de maio de 2011 at 11:26

            Jose, uma coisa é uma coisa… e “outra” coisa é “outra” coisa… Com estes preços não compro nem louco. Essa é minha “certeza” que temos bolha. Mas vender a moradía da minha familia, para obter um ganho no futuro? Isso é “outra” coisa. O que fiz, foi vender um ap que tinha desalugado, e não precisava. Outra prova mais de acredito na “bolha”. Embora não 100% como antes, ainda estou com um 60% de certeza. Espero ter esclarescido. Valorizo muito o aprendizado que estes papos me proporcionam. Embora possa parecer o contrario, sempre mantive a mente aberta.

            0
        • John 6 de maio de 2011 at 09:53

          Mas quem é investidor mesmo não tarda em colocar pra vender o ágio com um preço mais caro. Agora, quem mora no seu próprio imóvel vai vender para quê?

          0
      • Duda 4 de maio de 2011 at 18:02

        cara tinha escrito uma explicação e esta [email protected] de computador me deixou na mão…

        Aí va de novo… Ese caso e o meu caso, quero um ap melhor e tenho aplicado. E tenho um proprio. Tenho dois medos: se vender para alugar e vir um cenario inflacionario, daqui a uns anos, quando sair do aluguel, comprarei menos do que vendi… o segundo, e que a bolha tarde muito para estourar, aí mesmo com baixa inflação, os alugueis (que tem subido bastante por sinal) acabaríam por me estragar o negocio. Por isso, fico com um pé atras. Vendí um apa que tinha sobrando, mas não venderia o que estou morando, não sou tão arriscado… minha avaliação e meio como a astrologia, pode dar certo, (e acredito que não falharei por muito), mas tenho familia e não posso deixa-la na rua…

        0
        • jose 4 de maio de 2011 at 18:09

          entao Duda,

          se vc que tem a conviccao TODA nao vende…

          imagina o cara que (no meu exemplo) tem os 400k que vc pediria no seu ap e mais ou 100k sobrando.. ele vai e compra!!!

          e vc nao pode achar que ele faz um mau negocio, pq se achasse vc daria saida pra ele….

          0
          • jose 4 de maio de 2011 at 18:13

            se vc com toda sua CONVICCAO e data da queda, acha a sua “ponta” boa, o mercado esta simplesmente indo pro seu lado….

            0
          • Duda 4 de maio de 2011 at 18:40

            Bom, é uma das coisas boas de trocar opiniões por aqui. Quando começei, há 3 ou 4 meses tinha 100% de certeza da bolha. Depois, vi que outras possibilidades existem (piores, mas existem: me estou referindo á inflação). Agora minha certeza está num 60% digamos. E um % baixo para colocar na jogada a moradía da minha familia. Para isso quero 100% de certeza. E agora não tenho mais. Agora minha estrategia mudou: quero que minha aplicação não desvalorice, que não perca para a inflação, enquanto aguardo o possível estouro. Ouro é uma opção, tal vez a melhor neste momento. Se tiver sugestões, coloca aqui…

            0
          • jose 4 de maio de 2011 at 19:12

            ouro tem sido um ativo de risco e nao se move com a expectativa de inflacao no brasil e sim no mundo…

            qd vc compra ouro na BMF, vc perde o CDI (precisa desembolsar caixa) e ouro na BMF vc esta comprado em ouro em reais, ou seja, se o ouro ficar igual e o dolar cair voce perde..

            sao varias variaveis…

            e as ntnbs ja tem uma inflacao razoavel precificada..

            dependendo da sua corretora olhando pra 1 ano a inflacao tem que ser 7,5%-8% pra ter valido a pena, ao inves de CDB ( que nao paga taxa pra ninguem).

            0
          • Duda 5 de maio de 2011 at 11:38

            Mas tem subido 500% em dez anos. E tem espaço para subir 100% acima do preço atual, no cenario mundial atual de falta de moedas fortes. Sei lá, ainda estou pensando…

            0
        • Duda 4 de maio de 2011 at 18:29

          Claro quem para quem tem 100% de certeza, devería estar fazendo o que tu falou. No meu caso, me preocupam “outros” aumentos, que estão vindo junto, comida, gasolina, transporte, carros, politico aumentando seus salarios 30 ou 40 %… tudo isso configura um cenario inflacionario. Se o governo decidir ser demagogico e dar grandes aumentos de salarios para tudo o mundo… aí a trampa estará armada, voltaremos ao Brasil do passado…

          0
          • jose 4 de maio de 2011 at 18:40

            discordo,

            muito se fala aqui (nao sei se eh sua opniao) que o preco das casas subiu mais q tudo, que o resto sempre foi caro, e que o resto ta caro, mas casa eh bolha…

            se vc pensa assim, sua preocupacao com o resto nao faz vc ter que ficar em cima de uma bolha, dada sua conviccao nela, concorda?

            0
          • Duda 5 de maio de 2011 at 10:49

            Não sei se te entendí direito… O que eu quero dizer, e que há uns 6 meses, os preços dos imoveis só subiam estratosfericamente, o resto, se movia tb para cima, mas bem pouco. Depois isso começou a mudar, os “outros” preços tb começaram a subir… e bastante, já não é 1% ou 1,5% entende. Isso e inflação, e com inflação bolha não estoura. Os numeros oficiais da inflação não estão refletindo a realidade. Claro que tirando o fator sazonal, tal vez agora fique estabilizado, vamos ver.

            0
      • Cícero 4 de maio de 2011 at 20:06

        José, entendi a lógica que você quis passar
        Mas aí você não está considerando os imóveis que estão ociosos hoje, e que estarão sendo entregues (na folha tem uma matéria hj que a CAIXA vai fazer um feirão de 195mil imóveis na grande São Paulo)
        Assim, considera somente a oferta atual (eu moro em 1 apê, vendo, alugo ele, e qdo alguém vender o dele, melhor que o meu atual, eu compro dele aproveitando a queda), não considerou que se todo mundo vender hoje a oferta cresce e o preço cai mais ainda, e que ainda serão entregues muitos imóveis
        Abraço

        0
      • Pedro JK 5 de maio de 2011 at 00:26

        Jose,

        Pensando da mesma forma:

        Se vc acredita tanto que não existe bolha. Se acha q vai continuar a subir 2% a 3% ao mes. Pq vc não pega 100k + 100k financiado e COMPRA um de 200k. Em 2 anos vende por 400k, paga os 100k do financiamento e fica com 300K. 200% em 2 anos.

        Ou melhor fica com ele por 4 anos vende por 800k e fatura 700k

        Ou 6 anos

        Ou 10 anos…

        Um dia vc vai tah na lista da Forbes junto com o Eike.

        0
        • Duda 5 de maio de 2011 at 12:11

          Boa. Quem pense que hoje não tem bolha, ou que os preços continuarão subindo, ou que os alugueis estão bons, devería estar comprando tudo que encontrar, mesmo se endividando “ad eternum”… é a lógica oposta…

          0
          • jose 5 de maio de 2011 at 12:20

            Duda, nunca disse que acho que sobe pra sempre…

            meu ponto aqui sempre foi: nao vejo queda de 40%, ainda mais ano que vem como vc diz. e continuo nessa.

            queria te parabenizar, porque dos pró-bolha vc eh o unico que discute, argumenta, o resto é so:

            SUBIU MUITO, SUBIU MUITO, ….

            0
          • Duda 5 de maio de 2011 at 12:51

            Pelo menos tento… rararara, se tivermos mais dados, mais numeros (imparciais, claro), sería mais facil para todos opinar e ate chegar a alguma conclusão. Mas moradía é algo que mexe com o sentimentos das pessoas, e dificil não se deixar levar pela emoção, por isso respeito todas as opiniões… todos somos de carne e osso…

            0
        • jose 5 de maio de 2011 at 12:18

          Pedro,

          vamos lá.

          questionei pessoas que TEM CERTEZA que tem bolha e que vao cair 40%, o Duda inclusive tem data (ou tinha) pra isso.

          eu NUNCA (olha meus coments ai) disse que vai subir 3%, 4% ao mes…
          se vc achar onde disse isso, posta aqui por favor, pode ser?

          vamos tentar interpretar ou inferir o menos possivel no que os outros falam… vamos nos ater ao que as pessoas dizem de fato, acho que melhora o nivel de discussao e faz a vinda no site nao ser uma perda de tempo.

          0
          • Duda 5 de maio de 2011 at 12:25

            Mantenho datas e percentuais: os preços maximos serão alcançados em julho/agosto de 2011, e a partir dai 40% menos para novembro de 2012.

            0
          • Duda 5 de maio de 2011 at 12:29

            Mesmo com dúvidas que antes não tinha, acho esse cenario o mais provável. As dúvidas só surgem por causa da inflação que começou a se manifestar com bastante força, a partir de dezembro. E como todos sabemos, inflação muda tudo.

            0
          • Duda 5 de maio de 2011 at 12:37

            O meu problema é que não sou PhD, sou leigo, leio muito, me informo, comparo, por isso meu calculo de data e % é proprio, infelizmente não encontrei opiniões mais consistentes na imprensa, apenas dados subjetivos, como voces já sabem. E preciso orientar meus investimentos, minha economía AGORA, por isso tive que fazer essa matematica, esses graficos, que por sinal, vou escanear para enviar aos que quiserem saber o que fiz, de onde tirei essas datas. Não é chute, isso eu garanto! é resultado de contas!

            0
          • Andre 5 de maio de 2011 at 13:16

            Jose,

            é claro q vc nem ninguem aqui disse q continua subindo pra sempre…

            Mas tb é fato, q ainda tá subindo…

            Logo, repito a minha pergunta: qual a metrica usar pra saber qdo passou do ponto? Qual é o “bolha indicator”?

            Abs

            0
          • Andre 5 de maio de 2011 at 13:18

            “Mantenho datas e percentuais: os preços maximos serão alcançados em julho/agosto de 2011, e a partir dai 40% menos para novembro de 2012.”

            Cara, vc realmente é corajoso…

            Então daqui a apenas 3 meses o preço tem pelo menos q parar de subir.

            Vou cobrar hein?

            Abs

            0
          • Duda 5 de maio de 2011 at 17:21

            Pode cobrar André. Espero estar certo, mas se não estiver, pode cobrar, na final isso e a parte boa de ser parte do povo e não um super economista… os super economistas tem um “nome” que manter e por isso nunca arriscam. E uma pena, pois poderiam salvar muitos de fazer maus negocios, ou permitir muitos outros fazer bons negocios tb…

            0
          • me 5 de maio de 2011 at 18:36

            Olha, por mais que eu torça pelo Duda ter razão com esse monte de certezas, sou cético. Mas tenho que confessar que já testemunhei essa freada nos preços desde o mês passado, e já até vejo quedas beeeeem leves desde lá.

            Vamos ver o que vai ser daqui pra frente.

            0
          • Andre 5 de maio de 2011 at 19:16

            “O meu problema é que não sou PhD”

            Duda,
            o ponto aqui não tem muito a ver com formação, conhecimento teórico não. É muito mais uma questão de bom senso…

            O problema é ter bom senso qdo se está emocionalmente envolvido com o assunto (que é o q ocorre aqui).

            A maioria dos conceitos q são um pouco mais “avançados” vc aprende facinho na net.

            Pode olhar na wikipedia, mas em ingles tá, pq em portugues é um lixo.

            Abs

            0
          • Andre 5 de maio de 2011 at 19:20

            Duda,

            “E uma pena, pois poderiam salvar muitos de fazer maus negocios, ou permitir muitos outros fazer bons negocios tb…”

            Sabe pq os “super economistas” (os q não tem rabo preso) evitam tanto se posicionar quanto a este mercado? Simples: pq é quase impossivel detectar bolhas em imoveis, ou se estao no inicio, meio ou no fim.

            Tem milhares de variaveis q influenciam as pressoes compradoras e vendedoras. E a maiora delas nem é mensurável direito. Aí já viu né???

            Abs

            0
          • Duda 5 de maio de 2011 at 23:25

            André, falar em bolhas ainda dá medo entre economistas, ate os melhores, pois nno que parece não tem (ainda) uma teoria consistente que consiga explica-las. Quando falo que não sou Phd, estou me referindo a que minha area de atuação é outra, tão complexa quanto a economía, mas me faltam ferramentas teoricas para chegar mais longe. Tenho certeza que algum dia, nem tão longe, bolhas poderão ser reconhecidas por modelos matemáticos, estatísticos, baseados em alguma nova teoría que as entenda em profundidade. Hoje, ainda parecem algo misterioso “ninguém sabe” “ninguém entende” “ninguém anima-se a dar opinião”. Isso vai mudar, e com certeza a psicología (indicadores de confiança, sobre tudo) tendrá um papel central na sua explicação. Por enquanto, trata-se as bolhas como bichos de sete cabeças… e não são

            0
          • jose 9 de maio de 2011 at 18:05

            com todo respeito… acho que tem que entender muito de bastante coisa pra ter certeza do que esta falando…

            esse assunto eh complexo e envolve NAO SO economia, como teoria comporatmental e eoutras coisas…

            acho so bom senso (com todo respeito) pouco…

            senao vejamos, eu entrar num site de discussao de codigo processual penal e querer AFIRMAR que isso ta certo, akilo ta errado… acho que eh forcado ne.

            0
          • jose 9 de maio de 2011 at 18:06

            duda,

            acho que a primeira opcao (para de subir) vc pode ate acertar, afinal nao vai subir pra sempre (embora aki pensem que eu acho isso). Dai cair 40%….

            e repito, com essa sua conviccao toda, vende o seu que vc vai ganhar um BOM $$.

            0
          • Andre 9 de maio de 2011 at 22:10

            “acho que a primeira opcao (para de subir) vc pode ate acertar, afinal nao vai subir pra sempre (embora aki pensem que eu acho isso). Dai cair 40%….”

            Jose,

            como especulador vc deve estar acostumado a “navegar” a favor da tendencia, e não contra ela…

            Apostar que uma tendencia de uns 10 anos (a valorização dos imoveis no Br) e que se acentuou nos ultimos 2 anos vai se reverter em apenas 3 meses é meio arriscado… Com esse maremoto de credito?

            O ritmo de subida é MUITO forte. Olha o fipe zap pro Rio, por ex… Tenho dificuldades de acreditar q mude (páre de subir) tão rápido, em um mercado tão lento qto este.

            Abs

            0
      • Susy 5 de maio de 2011 at 03:13

        José: como acredito que estamos numa bolha (mas não sei, como ninguém sabe, quando ela vai estourar – ou murchar), fiz exatamente isso que você falou: em 2009, comprei, em São Paulo, um apartamento novo, à vista, recém construído, por R$ 340. Até pensei em ir morar lá, mas, como percebi que havia uma bolha especulativa, resolvi vendê-lo. Esperei um ano e vendi por R$ 500 (agosto de 2010), por achar que ele tinha alcançado o preço máximo. O “greater fool” (ou “muito esperto”, na sua visão) que comprou de mim financiou metade do valor em 12 anos. Espero que ele consiga pagar… Na verdade, o apartamento valia, no máximo, os R$ 250 que ele já tinha. Isto é, eu já comprei caro e sabia disso.

        Hoje, 9 meses depois, há um apartamento à venda no mesmo prédio, nas mesmas condições que o meu, pelos mesmíssimos R$ 500 mil. Ou seja, ZERO de valorização em 9 meses. Eu estava certa: o preço tinha atingido o topo. Tenho a intenção de comprar um imóvel para morar, mas vou aguardar, não tenho pressa. Esses preços irreais eu não pago, não quero (e nem preciso) me endividar com um financiamento. Acredito que os preços dos imóveis irão cair, e muito. Alguns poucos lugares, muito cobiçados e sem perspectiva de expansão (como certos bairros – eu diria até certas ruas – no Rio de Janeiro e São Paulo) talvez sejam exceções.

        0
        • jose 5 de maio de 2011 at 12:21

          opa…

          entao tem lugar que ta 9 meses parado?

          entao nao tem bolha ne, ou entao ja comecou o estouro ne?

          0
          • Duda 5 de maio de 2011 at 12:44

            Pode ser sim, sería bom acompanhar este caso nos proximos meses. Pergunta para Susy: se tiver tempo faz uma oferta (sem intenção de concretizar, claro) de 450.000 na mão… se o cara aceitar… bom, voces já sabem o que significaria, ne?

            0
          • Andre 5 de maio de 2011 at 12:56

            Pega o indice Fipe zap da sua cidade, do seu bairro e ve se tá parado ou subindo…

            Casos pontuais sempre tem.

            Eu mesmo acho imoveis aqui no Rio a preço de 1 ano atras… Tem gente q precisa vender rápido ué, sempre teve e sempre vai ter…

            Abs

            0
          • Andre 5 de maio de 2011 at 13:29

            “bom, voces já sabem o que significaria, ne?”

            Eu sei o q significaria: NADA.

            Aqui no Rio já vi muitas pessoas comprando a até 30% abaixo do preço de mercado, há tempos, e nada de bolha estourar…

            Casos pontuais, Duda…

            Se queremos ver bolha ou não, temos q olhar pra média.

            Abs

            0
          • Susy 5 de maio de 2011 at 14:28

            Com certeza, tem muito negócio parado. Mas ainda tem negócio sendo fechado, mesmo a preços absurdos (os corretores têm boa lábia).

            Como estou interessada em comprar imóvel há pelo menos dois anos, acompanhei a louca escalada de preços dos imóveis em São Paulo, tanto novos quanto usados. Pura especulação. Não havia nada que realmente justificasse o aumento de preços.

            Quanto ao índice Zap/Fipe, na minha opinião é furado, pois mede apenas o valor ANUNCIADO e não o valor efetivamente PAGO pelo comprador.

            Apenas um exemplo de um apartamento parado há pelo menos 8 meses (há vários outros, pois visito o ZAP e outros sites de imóveis semanalmente). O apartamento novo foi anunciado em setembro no ZAP por R$ 573 mil. Fui visitar. Gostei do apartamento, mas não gostei da localização. Quando fui confirmar o preço, a corretora me disse que “tinha mudado a tabela” e o apartamento custava agora R$ 730 mil!! Respondi que, se eu soubesse disso, nem teria me dado ao trabalho de ir visitar o apartamento. Aí, diante do meu desinteresse, ela tentou me convencer a fazer uma oferta com o preço “antigo”. Não fiz oferta nenhuma. Algum tempo depois, vi o mesmo apartamento sendo anunciado no ZAP por R$ 490 mil. Pois bem, NÃO VENDEU! Aqui está ele, 8 meses depois, sendo anunciado pelos mesmos R$ 573 mil. Cadê a tal demanda desenfreada por imóveis?
            http://www.zap.com.br/imoveis/oferta/Apartamento-Padrao-4-quartos-venda-SAO-PAULO-VL-S-FRANCISCO-CANDIDO-MOTA-FILHO/ID-1658480

            0
          • Andre 5 de maio de 2011 at 15:11

            “Casos pontuais, Duda…
            Se queremos ver bolha ou não, temos q olhar pra média.”

            Dito de outra forma:

            Uma queda de 10% num simples apto de 500k representa uma “destruição” de valor de R$ 50k.

            Ora, no zap só Rio + Sampa tem anuncados 160 mil imoveis! E só nas capitais!

            Uma queda de apenas 1% na média representaria uma “destruição de valor” de R$ 480 MILHOES !!!
            Obs.: fiz uma suposição de preço médio de 300k, não tenho base nenhuma pra isso mas não importa, o que importa é a ordem de grandeza.

            Percebe a diferença GRITANTE nessa ordem de grandeza???

            Mais uma vez, pra estudar o mercado, casos pontuais não contam (mas valem como curiosidade, sim).

            Abs

            0
          • Duda 5 de maio de 2011 at 17:33

            Concordo. Mas pode ser um primeiro caso, é uma ideia para tal vez começarmos com um metodo proprio para medir o que de fato acontece com os preços. A Estatistica e poderosa, com uma amostra de 100 ou 150 casos podemos ter uma ideia do comportamento dos 100 e tantos mil imoveis, com um erro muito baixo. O importante e que sejamos perfeitamente objetivos e honestos com os preços que achemos no mercado. E aí não vale preço de jornal. Vale preço de oferta “indecente”, quero dizer, que preço consigo “ameaçando” pagar a vista. É uma ideia.

            0
          • Andre 5 de maio de 2011 at 18:46

            Duda,

            “Mas pode ser um primeiro caso”

            Primeiro caso? Isso tá acontecendo desde q existe mercado, de qq mercadoria.

            “é uma ideia para tal vez começarmos com um metodo proprio para medir o que de fato acontece com os preços. A Estatistica e poderosa, com uma amostra de 100 ou 150 casos podemos ter uma ideia do comportamento dos 100 e tantos mil imoveis, com um erro muito baixo. O importante e que sejamos perfeitamente objetivos e honestos com os preços que achemos no mercado. E aí não vale preço de jornal. Vale preço de oferta “indecente”, quero dizer, que preço consigo “ameaçando” pagar a vista. É uma ideia.”

            Pelo q entendi, vc quer criar um indice de preços “fechados” e não anunciados? Seria bom, seria ótimo, mas não consigo imaginar como.

            Abs

            0
          • Duda 5 de maio de 2011 at 23:08

            Requer trabalho artesanal… muito trabalho artesanal, por sinal… Cada um de nos, conseguindo dois ou tres preços negociados, prontos para “fechar” a compra… esse sería o verdadeiro preço do mercado neste momento… sei que e viagem, pois todos temos coisas para fazer na vida diaria, mas não imagino outro metodo…

            0
          • Duda 6 de maio de 2011 at 12:33

            André, “primeiro caso”, com isso estou me referindo ao primeiro caso da pesquisa que estou propondo…

            0
        • Andre 5 de maio de 2011 at 18:55

          Susy,

          “(os corretores têm boa lábia). ”

          Não tão boa assim, pois até hoje nenhum conseguiu me convencer q a alta irá continuar.

          Fora isso, todos os seus argumentos/duvidas já foram esclarecidos por aqui. Se vc tiver alguma NOVIDADE pra trazer, ou contra argumentar, manda aí.

          Abs

          0
        • Andre 5 de maio de 2011 at 18:58

          Susy,
          “Na verdade, o apartamento valia, no máximo, os R$ 250 que ele já tinha. Isto é, eu já comprei caro e sabia disso. ”

          Me desculpe nao sei se entendi bem. Vc tem uma métrica pra avaliar o valor justo de um imovel? E qual seria?

          Abs

          0
          • Susy 5 de maio de 2011 at 21:19

            Sim, André, a métrica para avaliar o valor de um imóvel é seu custo de construção. E aquele mesmo apartamento estava sendo vendido a R$ 250 mil poucos meses antes.

            A bola especulativa é óbvia. Só não vê quem não quer. Mas não estou aqui para convencer ninguém. Você, como outros aqui, parece convencido de que o mercado está “normal”, que não bolha nenhuma. Eu sei que não está, pelo menos em São Paulo. O tempo dirá quem tem razão. Boa sorte para todos!

            0
          • Andre 5 de maio de 2011 at 22:34

            Susy,

            “a métrica para avaliar o valor de um imóvel é seu custo de construção.”

            Vc não acompanhou o debate desde o inicio… Vou repetir o q já disse: “o custo de construção não inclui o valor do terreno, o que, em grandes cidades, e principalmente areas nobres é o principal.”. Construir 1 m2 no Leblon ou em Ramos custa o mesmo. Qual a diferença então pra fazer ter uma dif de quase 10x no m2 depois de pronto?

            “E aquele mesmo apartamento estava sendo vendido a R$ 250 mil poucos meses antes.”

            Isso diz q subiu, só, mais nada… Se o “certo” era o preço antigo ou é o novo não sei.
            Achei q a sua metrica ia ajudar.

            “A bola especulativa é óbvia.”

            “Especulativa” fica por sua conta. Não tenho dados, mas existe uma grande possibilidade q os imoveis nesses ultimos 3 anos tenham sido comprados pra moradia mesmo. Não sei agora, com esses preços.

            “Óbvia” tb fica por sua conta, pois se fosse tão óbvia teria uma porção de indicadores mostrando isso… E além disso seria muito fácil convencer um leigo como eu, que não sou desse mercado…

            “Só não vê quem não quer. Mas não estou aqui para convencer ninguém.”

            Tb não preciso convencer ninguém. Mas preciso ME CONVENCER da direção do mercado se quiser me posicionar de uma maneira mais agressiva.

            “Você, como outros aqui, parece convencido de que o mercado está “normal”, que não bolha nenhuma”

            Normal não está… Subir 2% ao mes (como em sampa) não é normal pra esse mercado. Mas daí a tirar uma conclusão mais “agressiva” já vai uma distancia boa…

            “Boa sorte para todos!”
            Obrigado, pra vc tb. Mas eu prefiro estar preparado pra tudo, e não contar com a sorte.

            A idéia de um debate é confrontar idéias e não pessoas. Não estou “tirando onda com a cara” de ninguém.

            Abs

            0
          • Duda 5 de maio de 2011 at 23:11

            Susy, é isso. O custo de construção mais um % razoavel que sería o ganho das construtoras e imobiliaria. O problema hoje, e que esse % não tem nada de razoavel, esta na casa dos 3 digitos…

            0
          • Andre 6 de maio de 2011 at 09:45

            Duda,

            “Susy, é isso. O custo de construção mais um % razoavel que sería o ganho das construtoras e imobiliaria.”

            Vc só esqueceu do preço do terreno né?
            Ou então faz o seguinte, me arruma um terreno de 1000m2 na Barra da Tijuca q eu te pago 50k por ele… Afinal, terreno é tudo igual né???

            “O problema hoje, e que esse % não tem nada de razoavel, esta na casa dos 3 digitos…”

            TRES DIGITOS??? Ô caramba, vou correndo comprar ações delas então!!

            Critica (construtiva, e pra todos): pensa um pouquinho só antes de escrever…

            Abs

            0
          • Duda 6 de maio de 2011 at 12:25

            Esta na casa dos 3 digitos, e posso repetir de novo. E o ganho que que obtem as construtoras e imobiliarias, acima do custo rela do imovel, pensei (e muito bem) antes de escrever. O custo do terreno (por muito que tenha aumentado), quando é dividido entre 100 proprietarios, vira pouca coisa, pode fazer as contas se quiser. Veja os emprendimentos da Goldstein-Cyrela, como exemplo. Quanto influi o custo do terreno nesses pombais? Hoje AP com custo de R$ 200.000 estão sendo vendidos por R$ 450.000 aqui em Porto Alegre…

            0
          • Duda 6 de maio de 2011 at 13:15

            Isso sem contar que muitas construtoras tem comprado terrenos há anos, e não precisamente agora com estes preços…

            0
          • Andre 6 de maio de 2011 at 13:54

            Duda,

            Neste site vc ve os indicadores da Cyrela:

            http://www.fundamentus.com.br/detalhes.php?papel=CYRE3&x=0&y=0

            Me diz q numero maravilhoso aí vc vê.
            Ex.:
            P/L 10,73
            ROE 13,9%
            Div. Yield 3,1%

            Se vc não sabe interpretar esses numeros (o que não é vergonha pra ninguém, ninguem nasce sabendo), eu posso (tentar) explicar.
            Não sou “especialista” mas o básico de balanço eu me viro.

            Cara, vc está vendo chifre em cabeça de cavalo, se as contrutoras estivessem tendo esse lucro maravilhoso, eu por ex. que tenho ações de uma, estaria morando na Viera Souto não acha?

            “Hoje AP com custo de R$ 200.000 estão sendo vendidos por R$ 450.000 aqui em Porto Alegre…”

            Tem como vc fundamentar melhor esse ex. específico aí?
            O preço atual (ou o antigo) do terreno.
            O tamanho do terreno.
            Num. de unidades.
            Tamanho de cada uma.
            O custo de contrução (CUB).
            O preço q está sendo vendido.

            Os exs. que eu já vi, te digo q o custo do terreno tem uma participação importante sim.

            Abs

            0
          • Duda 6 de maio de 2011 at 14:29

            Mas se quiser comprar ações delas, pode fazer tranquilo, porque com esses ganhos que pretendem estão vendendo muito pouco…, além de isso já estar embutido no preço das ações das cosntrutoras há tempo. Ou seja: compra se quiser, mas não espere lucros…

            0
          • Duda 6 de maio de 2011 at 14:46

            Há um tempo atrás tinha te falado como tem imvoeis de janela fechada de dia e luz desligada de noite por aqui. So para relembrar. Mas o Lucro total = Lucro por unidade x Unidades vendidas Certo?
            Mesmo que Lucro por unidade seja alto, se Unidades vendidas é baixo, sigo com com o Lucro total mais o menos igual, certo. E matematica muito basica. E por sinal, Porto Alegre tem muito, mas muito terreno disponível… isso andando pela cidade é muito fácil perceber. Não é Barra da Tijuca.

            0
          • Duda 6 de maio de 2011 at 15:01

            Cara, não sei se para ti serve, mas posso fundamentar esses valores com base na procura que estou fazendo há dois anos e meio por Aps, Casas, Terrenos, e tb casas velhas para demolir (e usar como terrenos). Hoje fica tão caro comprar um Ap que uma casa dos mesmos m2 construídos… Pergunta: isso faz sentido? E claro que não! numa casa tu paga o terreno sozinho, sem dividir com ninguém, enquento num AP, divide com 20, 30, 50 ou ate 100 pessoas, dependendo do caso. Isso falando do mesmo bairro!! Nota: falo de POA… não generalizo para outras cidades.

            0
          • Duda 6 de maio de 2011 at 15:53

            Nenhum. Foi vc quem levantou a possibilidade de comprar ações. Porque eu iria comprar ações duma empresa que suspeito que está afogando a procura justamente por pedir preços altos demais? Se tivesse ações já teria vendido há muito tempo!!

            0
    • Duda 5 de maio de 2011 at 11:19

      Quero dizer: se imobiliarias, corretores e outros passaram a se “defender” de nos, que somos um % infimo do povo, trocando opiniões num blog, tal vez algo errado com os preços exista de verdade não acham. Senão: para que “responder” argumentos de uns loucos “bolhistas”?

      0
      • Andre 5 de maio de 2011 at 12:58

        Pq seriam especuladores/investidores aprendendo sobre o mercado pra ver se ainda dá pra tirar um $$$ ??

        kkkkk

        Abs

        0
        • Duda 6 de maio de 2011 at 13:20

          kkkkk se chegaram nesse nivel de desespero, coitados os caras…

          0
          • Andre 6 de maio de 2011 at 22:22

            Duda,

            Peraí, deixa eu ver se entendi:

            Vc está insinuando q um especulador (supostamente COMPRADASSO até a alma), precisaria vir num blog pra “convencer” meia duzia de gato pingado que a alta iria continuar, pra ele poder ter lucro??

            Se for isso meu amigo, vc pirou de vez mesmo.

            Vc acha mesmo q isso iria fazer diferença neste mercado c/ milhoes de players???

            Além disso ONDE vc viu nos meus posts eu dizendo q a alta continuaria. Se disse algo vagamente parecido certamente foi acompanhado de um “pode ser” ou algo do tipo.

            Vc se refere a quem estaria ganhando 40% a.a. como “coitados” ???

            Daqui pra frente eu não sei, mas até agora o especulador estava CERTÍSSIMO, ao contrário deste site…

            Duda, do fundo do coração, começa a pensar mais antes de escrever, senão fica DIFÍCIL.

            Abs

            0
          • Samuel 7 de maio de 2011 at 14:45

            Senhores,

            As idéias devem ser confrontadas… não os colegas…
            Salvo engano foi o senhor André que disso isso…
            Por favor, argumentar que o colega deve pensar antes de escrever, é no mínimo deselegante…

            Um forte abraço,

            0
          • Andre 7 de maio de 2011 at 19:32

            Samuel,
            é lógico q é deselegante, mas me exaltei… O colega Duda às vezes parece um pouco “apressado” e as vezes atropela as proprias ideias de forma q fica até dificil entender o q ele quer dizer…

            Mas… é o jeito dele, fazer o q? Cada um é de um jeito, a gente tem q respeitar.

            Por isso, Duda, peço minhas desculpas.

            Abs

            0
          • Duda 9 de maio de 2011 at 09:39

            Andre, nao sei o que esta acontecendo contigo… mas pelas dúvidas, aclaro que esse comentario era de brincadeira… esta levando as coisas muito a serio, meu amigo… tuas opiniões não parecem imparciais, ultimamente, e carecem de fundamentos.

            0
          • me 9 de maio de 2011 at 16:35

            Isso não é verdade, Duda. Poucos argumentos neste blog tem sido tão válidos quanto o do André. Mais da metade dos comentários são torcidas inflamadas.

            O que acho curioso é como muitos levam para o pessoal os argumentos.

            O que o André pede é no mínimo relevante. Progrediriamos muito mais se deixarmos de nos comportar como um torcedor em um estádio e tentar entender o que se passa.

            0
  • Frank 4 de maio de 2011 at 17:04

    mais uma comparação de preços q evidencia o q todos sentimos na pele: o elevado custo brasil.

    http://4.bp.blogspot.com/-UfWIpmpGyaA/Tb7DUUmmNiI/AAAAAAAABYo/8GiuXUDmRzo/s1600/brazil_pricey.jpg

    retirado do ótimo:

    http://drunkeynesian.blogspot.com/2011/05/leituras-acumuladas-das-ferias.html

    0
    • me 4 de maio de 2011 at 17:26

      A única novidade que vejo é o m2. De resto…

      0
  • Andre Luiz 4 de maio de 2011 at 17:16

    Tá todo mundo falando na bolha, até os corretores. hehehe.

    Daqui a pouco esse blog vai ser atualizado várias vezes ao dia. 😀

    0
    • Bolha Imobiliária 4 de maio de 2011 at 17:32

      Pois é…
      Te digo uma coisa, nem fecho mais a telinha de moderação do site, de tanto acesso que tem…hehe

      0
      • Frank 4 de maio de 2011 at 17:42

        cara, arruma uns patrocínios aí pro site…

        anúncio de imobiliárias, por exemplo 🙂

        vc deve já estar com uma qtde de hits interessante.

        0
        • Bolha Imobiliária 4 de maio de 2011 at 17:46

          Colocar os anuncios de imobiliarias, ou retirar ?

          0
          • jose 4 de maio de 2011 at 18:10

            coloca…

            o site eh livre, se eles querem te dar um $$ pra botar no nome aqui,,, problema deles…

            vc nao quer que eles quebrem (no bom sentido)?
            ajuda a comprimir as margens deles… hehehe

            0
          • me 4 de maio de 2011 at 18:22

            Anúncios de imobiliária nesse site seria lindo.

            0
            • Bolha Imobiliária 4 de maio de 2011 at 18:30

              Até hoje pela manhã, eram anuncios somente texto. Algumas boas vezes vi anuncios de construtoras e prédios ali…hahaha

              0
          • Marcelo Ferreira 4 de maio de 2011 at 18:39

            Vende o blog e ganha um dinheiro .. pede 20 milhões .. vai sair barato para as construtoras .. aliás, vou fazer um blog também sobre o assunto .. vou defender que a bolha não existe e botar uns comerciais de contrutora .. viva ao fisiologismo brasileiro! .. ops … idealismo! 🙂 .. a vamos ao leilão como as imobiliárias .. quem dá mais ? … quem dá mais ?…

            0
            • Bolha Imobiliária 4 de maio de 2011 at 18:51

              Hahauhuahaha

              Boa heim

              0
          • Duda 4 de maio de 2011 at 18:47

            Se eles quiserem colocar e pagar por isso… otimo, no fim de contas teu esforço merece algum ganho… nada contra rararara

            0
          • Frank 4 de maio de 2011 at 18:53

            agora q reparei !

            na parte de cima da página tem uns anúncios de imóveis “leilão imóveis da Caixa”.

            tb tinha visto “imóveis em Miami”.

            hahahahaha

            é como um site q combate os males do tabagismo, com argumentos contra o cigarro, ser patrocinado pela Souza Cruz 🙂

            0
            • Bolha Imobiliária 4 de maio de 2011 at 18:55

              Por aí….kkkk

              0
          • Andre 4 de maio de 2011 at 19:05

            É o adsense do Google, ele bota anuncios baseados nas palavras do texto da página.

            Lógico q ele não tem inteligencia pra saber se tão falando mal ou bem do produto…

            Abs

            0
          • Cosmos 4 de maio de 2011 at 19:32

            Essa ideia de vender o site para as construtoras é uma boa ideia.

            Vende por algo como R$ 1 milhão, aí dá entrada numa quitinete no Rio de Janeiro – afinal, segundo os corretores que comentam no blog, o céu é o limite e esse milhãozinho seria uma pechincha, já que o Donald Trump e o Warren Buffett vão logo se mudar para lá. O restante a pagar você financia na Caixa.

            hehehe

            0
          • Andre 4 de maio de 2011 at 22:40

            Cosmos,

            “segundo os corretores que comentam no blog”

            Vc acha q todo mundo q não crê em bolha é corretor?

            Teoria da conspiração?

            Vc acha q os 500 visitantes por dia desse site são significativos pra esse mercado (lembrando q o site é visto em todo o Brasil)??

            Sem querer menosprezar a profissão dos outros, mas 80% dos corretores sequer entendem o que está sendo discutido aqui. Conheci muitos inclusive q eram analfabetos funcionais…

            E nem precisam entender pq eles só tem q aproveitar o máximo possível o melhor momento do mercado (pra eles) das ultimas 3 decadas… Que não vai durar pra sempre, claro.

            Abs

            0
          • jose 5 de maio de 2011 at 12:25

            Cosmos,

            tem algum corretor no site? nao lembro de alguem ter falado que era corretor aqui nao…

            se bem que dado o nivel tecnico da maioria de comentarios aqui pode ser que tenha mesmo, um nao.. um MONTE…

            0
            • Bolha Imobiliária 5 de maio de 2011 at 12:27

              Olha, eu nem faço mais comentários, pois o nível dos nossos leitores é muito alto, podemos dizer que são economistas, mesmo aqueles que não trabalham diretamente. Como não sou da área, apenas baixo a orelha, e deixo o pessoal falar. Só tenho que dar parabéns a todos pelo alto nível das discussões.

              0
  • RAL 4 de maio de 2011 at 18:37

    Prezados amigos, gostaria de encoraja-los a falar sobre o site com duas pessoas, pois quanto mais informação a população dispor mais rapido virá a racionalidade dos preços.
    Sabendo que apenas queremos a oportunidade de participar do mercado imobiliario de forma justa sem a concorrencia desleal ( investidores) .

    0
  • MrK 4 de maio de 2011 at 20:57

    mais um dia em que o mercado acionário prevê o futuro das construtoras… será?

    gafisa hoje -2%, cyrela -4% (ambas caindo bem mais que o ibovespa)

    em 12 meses já acumulam perdas na casa de 30% cada uma!!!!! muito mais que o ibovespa

    Se a tendencia do mercado é continuar com uma alta milagrosa, céu de brigadeiro, crédito farto, tudo que se anuncia se vende no dia seguinte e os custos podem ser facilmente repassados pro preço, afinal estes sobem bem acima da inflação… por que então as construtoras não conseguem nem manter o seu valor de mercado, ao contrário, estão numa descendencia fortíssima?

    com a palavra os corretores de imoveis

    0
    • Frank 4 de maio de 2011 at 22:32

      o movimento do valor titulo, segundo o manual de economia p/ dummies, sinaliza a expectativa de ganhos/perdas futuros para essas empresas (entre outras coisas, mas principalmente isso).

      portanto, noves fora questões específicas das empresas, a expectativa do mercado é de q esses caras desempenhem “pior” do q vêm desempenhando.

      pode significar (especulando):

      – menos lançamentos (pq espera-se uma demanda MENOR)
      – menores margens

      faz sentido?

      0
      • me 5 de maio de 2011 at 11:13

        Frank, é isso que tenho pensado ultimamente.

        0
        • jose 5 de maio de 2011 at 12:26

          faz todo sentido.. eh isso mesmo.

          0
    • Andre 5 de maio de 2011 at 19:06

      “com a palavra os corretores de imoveis”

      Se tem tantos corretores por aqui, talvez algum possa me ajudar, pois com já falei, tenho amigos/conhecidos em plena temporada de caça.

      Z Sul (parte menos nobre), Barra/Recreio, Jpa, Tijuca, Sao Cristovao, talvez alguma coisa no Centro…

      Mas já vou avisando: coisa BOA e a preço BOM.

      Não são desses q pagam fortunas por qq m.

      Aluguel tb interessa, dependendo, claro.

      Abs

      0
    • Duda 6 de maio de 2011 at 17:42

      Cara, realmente, uma queda de 30% (e sem tendencia para acabar) é para alguns começar se coçar…

      0
  • Rodrigo 4 de maio de 2011 at 23:34

    As opniões não importam, o corretor quer acreditar que esta certo que é normal um apartamento na Ceilândia ter um preço equivalente a um apartamento em Miami. Como escreveu John Murphy, o preço sempre reflete tudo, é ele que realmente importa e quando ele começar diminuir não há nada que possa ser feito…

    0
    • Andre 5 de maio de 2011 at 09:49

      Exato.

      E se continuar a aumentar tb não…

      Abs

      0
    • Duda 5 de maio de 2011 at 11:07

      Totalmente certo.

      0
    • Duda 5 de maio de 2011 at 11:12

      Voltamos ao assunto do psicologico… uma bolha é um delirio coletivo, um efeito manada. Pode existir sem credito, sem bancos, sem imóveis. Existiram há seculos e seguirão existindo. Aqui o “Start” foi dado com a suposição que seriamos uma grande potencia em breve, e sustentado pela ingenuidade do povo…

      0
      • Andre 5 de maio de 2011 at 13:10

        “Pode existir sem credito”

        Duda,
        aqui vc tocou num ponto importante, acho q paises com poupança alta (como o Japao) são mais pré dispostos a bolhas, pois convenhamos é até mais facil pegar o $ guardado e comprar o ativo “da moda” pra especular…

        Não sei se estou falando bobagem, só levantei uma bola…

        Abs

        0
        • Duda 5 de maio de 2011 at 18:16

          Pois é… Japão é um extremo, os Usa (e nos) somos o outro… na China tem um “bolhão” que ate governo e bancos reconhecem (e chineses poupam)… Qual a logica de tudo isso? Por isso é que falo do psicologico, tem algum padrão que se repete… e no que parece, não importa nem país, nem sistema político, nem época… é um tema para se estudar muito, muito mesmo…

          0
    • jose 5 de maio de 2011 at 12:27

      Rodrigo vc poderia colocar o link desse ap na ceilandia que vc cita?

      0
  • Paulo Moleda 5 de maio de 2011 at 05:00

    Oi gente!

    GOstaria uma ajuda de vcs do forum!!

    Estou fora do BRasil!
    Tenho alguns euros para comprar uma casa!

    Em Goiás aonde moro(Anápolis.)

    O que fazer??

    Compro agora??

    Ou espero?

    AgradeçO já os conselhos

    obrigado a todos
    Paulo Moleda

    0
    • Duda 5 de maio de 2011 at 12:17

      Compra em Miami. Esta mais barato que Goiania.

      0
      • Duda 5 de maio de 2011 at 12:21

        Perdão, quis dizer Goiás…

        0
        • jose 5 de maio de 2011 at 12:29

          ou em st petesburg… na russia… m2 la ta mais barato que aki

          ja afeganistao nao… pq la uma casa vale usd 1M. como a que o osama tava…

          0
          • jose 5 de maio de 2011 at 12:32

            sorry, paquistao…

            0
          • Frank 5 de maio de 2011 at 13:43

            Paquistão tá bombando….é a “França asiática”….

            tenho impressão de q o preço dessa casa vai explodir, pois vai virar lugar de romaria para as viúvas do Bin Laden.

            boa oportunidade p/ investidores risk takers…

            e aí, José? cai dentro !

            0
          • Duda 5 de maio de 2011 at 18:23

            Comprar a casa de Bin Laden!! essa é boa… o local vai virar santuario, pode cobrar pedagio e ficar rico… rararararara

            0
    • RAL 5 de maio de 2011 at 13:08

      Paulo , na minha humilde opinião é que você deve seguir sua vida normal , se precisa comprar um casa ; compre ; se pode esperar ; espere , agora a questão está na sua conduta no ato de uma possivel compra. Pagar a mais com a premissa vazia que os preços vão dobrar parece absurdo.

      0
      • Andre 5 de maio de 2011 at 18:18

        Estou falando o óbvio, mas aqui o óbvio é muitas vezes deixado de lado:

        A OBRIGAÇÃO do comprador é botar preço pra baixo tá?? Veja 10 imoveis q te agradem e dá o lance. Em um vai colar…

        Tem muito proprietário “testando” o mercado sim, já via nego pedindo 400k no Recreio há 1 ano atrás, qdo o preço médio era uns 300k…

        Qq mercado em qq época tem pessoas pedindo acima, abaixo ou na média (a maioria).

        Abs

        0
  • Marcelo Ferreira 5 de maio de 2011 at 10:28

    A bolha está aí. Só não ve quem não quer. Até o conservador economista Mauro Halfeld enxergou -> http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/mauro-halfeld/2011/05/02/CREDITO-FACIL-TRIPLICA-VALORES-DE-IMOVEIS-DE-BAIXA-RENDA-EM-CINCO-ANOS.htm .

    0
    • me 5 de maio de 2011 at 12:22

      Tem um post neste site com este link já.

      0
      • Andre 5 de maio de 2011 at 13:34

        Muitos aqui chegam pelo Google e pegam “o bonde andando”, daí tantos e tantos argumentos repetidos q já foram derrubados, e a discussão meio “circular”.

        Faz parte, nem vou responder mais.

        Vou seguir a discussão só nas linhas q evoluem.

        Abs

        0
  • MrK 5 de maio de 2011 at 14:41

    FATO: O que é o mercado? Forças de compra e venda atuando.

    FATO: Forças de compra saindo do mercado, ofertas constantes (ou crescendo) preço cai

    FATO: Em toda reportagem no jornal sobre venda de imóveis, noto que algo entre 65% a 80% dos comentários carregam a mesma idéia: “Está tudo caro demais e eu não compro, acredito ser bolha”

    UM CUIDADO: Não se pode estrapolar os comentários dos jornais Brasil a fora para se ter uma amostra precisa do mercado, esse ponto não é um fato, sendo portanto aberto a interpretações, em outras palavras: O Pessoal que comenta no Jornal pensa como a maioria por aí? Na minha humilde opinião: SIM

    Como exemplo cito essa fresquinha:
    http://oglobo.globo.com/economia/morarbem/mat/2011/05/04/dicas-para-quem-vai-comprar-um-imovel-na-planta-924383590.asp

    Se todo mundo já se convenceu que está caro demais, que não vale isso tudo e que portanto não pagará, qual a tendência pela lei de oferta e procura? Adicione a essa queima um combustível pra lá de explosivo: Imoveis vendidos como investimento, visando lucro e não moradia do comprador..

    0
    • Andre 5 de maio de 2011 at 16:00

      MRK,

      suas argumentaçoes estão evoluindo bastante, parabens…

      Tem lógica isso aí q vc falou sim, se a gente conseguir uma amostragem estatisticamente relevante e ver qual é a opinião dominante, dá pra tirar uma conclusão sim.

      Afinal a Economia é feita de pessoas, o $ não gira sozinho.

      Se a maioria dos compradores está realmente achando “caro”, não é loucura dizer q o preço deve cair…

      O problema é o de sempre: onde conseguir isso (esses dados relevantes e confiáveis)?

      Abs

      0
    • me 5 de maio de 2011 at 18:44

      Faz sentido, mesmo.
      Ainda seguindo a tendência de comparações do pessoal: alguém me corrija se estiver errado, já que não me interesso por automóveis, mas alguma vez já existiu essa visão de “tá tudo muito caro!” com automóveis? Já vi isso acontecer muito com combustível, mas como o pessoal não parecia abrir mão de seu carrinho, mesmo usado…

      0
      • Andre 6 de maio de 2011 at 10:03

        Cara, é lógico q isso não quer dizer nada, mas desde q eu me entendo por gente q todo mundo reclama q carro é caro demais, mas mesmo assim compra.

        Outra coisa, não sou profundo conhecedor deste mercado, mas me parece q os carro estão muito baratos (ou pelo menos alguns).

        Ex. Fiesta 1.6 compl. 32k, Peugeot 207 compl 31k

        Esses eram preços de 2007, salvo engano. Teve uma crise no meio, mas a inflação não parou por causa dela… Não me surpreenderia se o preço ajustasse derrepente.

        Por outro lado, pode ser q isso não queira dizer nada, pois como esses carros aí ficaram “ultrapassados” perderam apelo frente aos concorrentes mais modernos e aí fica + barato mesmo.

        Melhor eu parar por aqui, pq senão daqui a pouco me acusam de ser vendedor de carro…

        Abs

        0
        • MrK 6 de maio de 2011 at 12:46

          amigo andré

          já falei muito disso por aqui: CARRO E IMOVEIS não são comparaveis por um fator CRUCIAL: Impostos!!!

          os impostos nos carros são altíssimos, ipi/pis/cofins/icms etc… carro é considerado artigo de luxo e não essencial, por isso o preço vai pra estratosfera e isso SEMPRE foi assim!! carro aqui muito mais caro que lá fora porque temos mais impostos na cadeia!

          imovel tem isenção de impostos ou impostos reduzidos em vários produtos, exemplo: cimento, tijolo etc… compare a carga tributaria de um tijolo e de um carro, é incomparável!!!

          por isso o fato de dizer que nossos carros sao mais caros e por logica novos imoveis tambem é uma grande bobagem!!!!! é como dizem “comparar laranja com banana”

          0
          • me 6 de maio de 2011 at 16:41

            Não se trata disso, MRK.

            Não estamos falando de valores absolutos, mas sobre o aumento deles.
            Novamente pedindo cautela sobre minha falta de informação: ao que lembro, já existiu carros por 10.000. Sem procurar, apenas vendo anúncios em tv e outdoors, ainda não vi nada por menos de 30.000.

            E eu já não tô entendendo mais nada. Ora parabenizam a comparação de imóveis com carro, depois falam que a comparação não serve.

            Acho que vou fazer como já disseram e levar em conta só os comentários mais interessados em “somar” do que “defender”, mesmo…

            0
          • Duda 6 de maio de 2011 at 17:13

            E também carro é bem de consumo, depois de 10 ou 15 anos não vale nada. Imovel é bem de capital.

            0
          • Andre 6 de maio de 2011 at 22:33

            MRK,

            deve ser por isso q eu escrevi “é lógico q isso não quer dizer nada” no inicio do post né…

            Lógico q carros e imóveis não são compráveis e por vários motivos, além de impostos.

            Além disso e daí q “todo mundo” q eu conheço reclama de preço de carro. De repente esse “todo mundo” meu é tudo um bando “de pobre” e daí não vale como amostra da população em geral né??

            Meu post foi só um bate papo não tem nada a ver c/ imoveis.

            Abs

            0
    • Leandro 5 de maio de 2011 at 20:46

      Mrk,
      Sempre que saem notícias sobre imóveis no “Correio Braziliense”, são vários comentários de pessoas falando de preços absurdos.
      Mas creio que quem se dá ao trabalho de escrever algum comentário seja alguém que está indignado com os preços (geralmente quem está procurando algo pra comprar).
      Acredito que a grande maioria ainda acredita que os preços vão continuar subindo.
      Hoje eu evito falar sobre “bolha” com amigos, pois quase ninguém acredita.
      No meu trabalho, de uns 30 colegas, pelo menos uns 10 compraram imóveis (ágios) em Brasília nos últimos dois anos (alguns compraram mais de um). A maioria, apesar de acharem que os preços estão caros, consideram como certa valorização eterna de 20% ao ano. Nem param pra analisar se isso é economicamente possível.

      0
      • Andre 6 de maio de 2011 at 09:56

        Leandro,
        deve ser isso mesmo, a amostragem nessas reportagens, assim como por aqui é hiper viciada.

        O cara já chega aqui fervendo de ódio por esses preços.

        Se o moderador mudasse o nome do site pra “Boom imobiliário brasileiro” provavelmente ia começar a aparecer um montão de gente de opinião diferente…

        Abs

        0
        • Duda 6 de maio de 2011 at 15:07

          E quem comprou tb chega torcendo demais para que nada mude…

          0
  • Susy 5 de maio de 2011 at 15:02

    Dica interessante ao Fábio e aos frequentadores deste blog.
    Visitem o blog de um economista e professor de finanças de São Paulo . http://tradingcafe.wordpress.com/

    Vídeo de apresentação do blog: http://tradingcafe.wordpress.com/2011/05/03/apresentacao-trading-cafe-video/

    Vídeo sobre a bolha imobiliária: http://tradingcafe.wordpress.com/2011/05/02/bolha-imobiliaria-no-brasil-video/

    0
    • me 5 de maio de 2011 at 18:53

      Gostei muito do video Susy. Obrigado!

      0
    • MrK 5 de maio de 2011 at 20:28

      Suzy achei muito bom o video, só vi o 2o, achei os argumentos dele muito claros… e ele tem razão, tem muito dinheiro saindo da poupanca pra virar consumo ou simplesmente pra fundos DI (selic em tendencia de alta)

      As razões apontadas por ele para fazer os precos dispararem (que são quase consenso aqui – veja bem eu disse quase), serão as mesmas que farão os precos recuarem (menos crédito e crédito caro)

      eu só achei que faltou ele abordar mais um fator importante: Compra especulativa na planta pra revenda, pois é algo que na minha opinião ajudou a inflar muito os precos

      parabéns!

      0
  • Gus 5 de maio de 2011 at 16:30

    Boa Tarde Pessoal,

    Primeira vez que acesso o blog, e acredito que assim como todos, buscando por dados e argumentos sólidos que possam comprovar se existe ou não, ou está em formação uma bolha imobiliária no Brasil.
    Não sei se o material abaixo já foi postado aqui. Se foi desculpem, se não foi, sugiro a leitura que trás bastante informação com excelentes argumentos sobre o assunto. É um artigo muito bom que pode ajudar muitos a refletirem um pouco melhor e assim tirarem suas próprias conclusões.

    http://www.anoreg.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=16125:artigo-a-bolha-imobiliaria-no-brasil-esta-formada&catid=3:jurisprudencia&Itemid=22

    0
    • Duda 5 de maio de 2011 at 18:33

      Seja bem vindo!

      0
    • Duda 6 de maio de 2011 at 11:50

      Bem interessante, gostei do enfoque internacional que dá no assunto. Isso está faltando nas nossas discussões. Estamos muito focados apenas no Brasil, e o gatilho que possa detonar, ou murchar nossos preços, tem muita mais chance de vir de fora. Já começou uma queda de preços de materias primas, há uns 3 dias, pela percepção da W que esta se desenhando desde a crise que começõu em 2008 (com um pouco de demora na segunda parte da W, pelas medidas paliativas tomadas pelos governos do mundo todo). Pode vir uma freiada brusca… Bolha na China… E aí, como fica o Brasil? Grande produtor de materias primas… Como usar o mercado interno de novo para nos manter andando, se ja está muito endividado? isso muda toda a ecuação… Temos que começar a ver tudo junto

      0
    • Duda 6 de maio de 2011 at 12:07

      Copio e colo uma parte do artigo, que mantém relação com o que tinha colocado antes, e com que o assunto devería estar sendo estudado profundamente, neste momento por economistas de nível (na final, não é todos os dias que pode se estudar uma possível bolha on-line):

      “Dado o confronto atual de indicadores da economia mundial e brasileira, o que podemos esperar com relação a um possível estouro da bolha imobiliária? É discutível para os próximos períodos e até pode ser uma agenda de pesquisa e inspiração aos economistas. É que antes do fim do próximo governo, em 2014, até no máximo a Olimpíada de 2016, pode ocorrer o fenômeno de deflação dos preços dos ativos, incluindo então os preços dos ativos imobiliários”

      0
      • Duda 6 de maio de 2011 at 13:25

        Notar os prazos do cara: ” ANTES do fim do proximo governo, e no maximo ate 2016″

        0
    • Duda 6 de maio de 2011 at 16:34

      Bom, Gus, pena que esta linha de debate não evolui, (por enquanto), mas já iremos falar de novo dela pode ter certeza. A economia mundial esta muito tumultuada la fora…

      0
  • MrK 5 de maio de 2011 at 17:50

    isso não tem nada a ver com a bolha, mas me divirto

    no site tinha um comentário

    “fujam da gafisa, ela quebra contrato, nao indeza, cobra juros na planta”

    logo depois “corram da cyrela, acabamento pessimo, financeiro enrolado etc..”

    e logo acima “evitem a multiplan… etc..etc..”

    hahahaha parece que nossas construtoras não conseguem dar UMA dentro!!!

    0
  • me 5 de maio de 2011 at 18:59

    http://www.jb.com.br/economia/noticias/2011/05/03/debate-aborda-risco-de-bolha-no-mercado-imobiliario-brasileiro/

    Isso tá me lembrando uma fábula sobre um tribunal de lobos julgando uma ovelha.

    0
  • Andre 5 de maio de 2011 at 21:39

    Vamos botar uma pimentinha no debate:

    Perguntas ao Fabio Portela:

    1) A relação entre preço do imóvel e o valor do aluguel está excessivamente alta;

    Alta em comparação com o q? O q temos q ver é o comportamento dessa relação através do tempo. Pra ter uma ideia do q seria o “normal” dela.

    2) O aperto monetário pelo qual o país está começando a passar, que deverá elevar os juros a fim de controlar a inflação;

    Mas isso não afeta em nada o credito imobiliario. Credito imobiliario não tem a ver com Selic.

    3) O argumento de que o crédito imobiliário no Brasil ser baixo em relação a outros países não leva em consideração o custo desse crédito – enquanto outros países pagam taxas de 2% ou 3% ao ano, nossos juros ainda andam nos dois dígitos para o financiamento imobiliário;

    Tá certo, mas tem q botar numa tabela e ver isso direito.

    4) O fato de muitos economistas internacionais acreditarem que o país está, sim, passando por uma bolha imobiliária (ou seja, não é apenas papo de boteco, como Fabrício Valle acusa);

    Isso não quer dizer muita coisa… Os economistas daqui podem ter “rabo preso”, mas os de lá não? Outra coisa: ainda não vi (ou não lembro) uma analise de economista internacional. Se possivel, botar o link aí, pra galera poder ler.

    5) A circunstância de as margens de lucro das construtoras estarem diminuindo, por conta do aumento dos custos.

    E isso quer dizer o q mesmo?

    Abs

    0
    • Gus 6 de maio de 2011 at 11:27

      Andre, me desculpe, mas elevação dos juros afeta diretamente o crédito.
      Juros altos -> Crédito caro -> diminuição de capital no mercado -> diminuição do consumo
      -> “inflação controlada”.
      E ontem o presidente do BC em seu discurso já solicitando à população diminuir o consumo.
      Querem controlar a inflação sem ajustar a taxa selic, justamente para não secar o crédito. Crédito restrito -> diminuição da demanda por imóveis. Antiga Lei da Oferta e Procura.
      Acaba de ser divulgado mais um indicador de que a inflação está descontrolada:
      “Inflação ultrapassa meta do Governo, aponta IBGE – 6,51%”
      http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2011/05/06/inflacao-precos-sobem-651-em-12-meses-e-ultrapassam-meta-do-governo-diz-ibge.jhtm

      Andre, você quer uma análise internacional.
      Foi divulgado em relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) juntamente com a ONU um alerta sobre o que mais os preocupam nos mercados emergentes, incluindo o Brasil, é justamente a formação de uma Bolha de Ativos. Os dados estão aí, os números não mentem… Outra opinião de economista internacional…
      http://www.itamaraty.gov.br/sala-de-imprensa/selecao-diaria-de-noticias/midias-nacionais/brasil/jornal-de-brasilia/2011/04/23/pessimismo-sobre-nos

      Só não ver quem não quer ou quem fez apostas altas e a agora rezam para o mercado continuar altista a perder de vista.
      Assim como a bolsa, o mercado imobiliário também tem especulação e ciclos de alta e baixa.
      Inclusive isso é extremamente saudável para o mercado. E assim como tem os que lucram tem os que amargam prejuízos. É uma aposta. Todo investimento tem seu risco.
      Não acredite no que as imobiliárias e principalmente os corretores dizem… esse é o ganha pão deles… precisam defender com unhas e dentes que o mercado irá continuar crescendo vertiginosamente para continuarem vendendo e recebendo suas comissões altíssimas.

      0
      • Andre 6 de maio de 2011 at 12:16

        Gus,

        “mas elevação dos juros afeta diretamente o crédito.
        Juros altos -> Crédito caro -> diminuição de capital no mercado -> diminuição do consumo
        -> “inflação controlada”.”

        É lógico isso aí, isso é o basicão da Economia.
        Qdo o governo sobe os juros (p/ controlar a inflaçao), sobe a Selic, a Selic não afeta os juros do credito imobiliario, salvo engano.

        A Selic afeta todos os tipos de crédito, menos o imobiliario (jose se eu estiver falando alguma bobagem me corrija).

        “Andre, você quer uma análise internacional.”
        Esse relatorio aí já foi divulgado nesse site, mas vou ler de novo, pra ver se escapou algo.

        “Só não ver quem não quer ou quem fez apostas altas e a agora rezam para o mercado continuar altista a perder de vista.”

        Se vc leu o debate desde o inicio deve ter percebido q eu tenho muito bom senso e sou um cara conservador. Logo não faço apostas pesadas em direção nenhuma, mas conheço quem faça e quero ouvir as opiniões deles p/ ver se faz sentido.

        “Não acredite no que as imobiliárias e principalmente os corretores dizem…”

        Acreditar em corretor? Se vc acompanhou o debate desde o inicio vc vê q todos os argumentos deles são demolidos em frações de segundo. O problema é que os argumentos dos q acreditam em bolha tb… Daí ficamos no 0x0 de novo.

        Abs

        0
        • Gus 6 de maio de 2011 at 13:07

          Aguardemos….. Meu feeling é para 2013…. Acredito que os preços ainda subam mais um pouco esse ano… depois estabiliza… e somente em 2013 vem a derrocada… onde serão entregues uma quantidade enorme de lançamentos (09/10), ou que deveriam ser entregues.

          0
        • MrK 6 de maio de 2011 at 14:41

          Andre, cuidado:

          “A Selic afeta todos os tipos de crédito, menos o imobiliario (jose se eu estiver falando alguma bobagem me corrija).”

          A selic pode não afetar diretamente o crédito imobiliario por não ser indexador desses creditos(verdade),mas a selic afeta SIM este setor de 3 maneiras:

          1- A SELIC mais alta induz os consumidores a poupar mais em DI e menos em poupanca, diminuindo o credito imobiliario que é atrelado por lei a poupanca tradicional. Sabe-se quando a selic atingiu 8.75% a poupanca recebeu uma enxurrada de recursos e o credito imobiliario disparou! Agora isso está voltando

          2- A SELIC mexe com o custo de toda atividade economica, desacelerando a mesma

          3- Lembre-se que quem tem credito imobiliario pode não pagar SELIC, mas esse mesmo devedor pode ter outros creditos sim atrelados a SELIC e ficar mais proximo a uma inadimplencia!!

          então cuidado com essa relação causa-efeito aí!!

          0
          • Andre 7 de maio de 2011 at 02:14

            MRK,

            “1- A SELIC mais alta induz os consumidores a poupar mais em DI e menos em poupanca, diminuindo o credito imobiliario que é atrelado por lei a poupanca tradicional. Sabe-se quando a selic atingiu 8.75% a poupanca recebeu uma enxurrada de recursos e o credito imobiliario disparou! Agora isso está voltando”

            Concordo. Inclusive fui eu quem disse isso primeiro por aqui… Já que está “na moda” reinvidicar autoria de ideias, rs 🙂

            Tem um site onde dá pra ver os saldos de cadernetas, mes a mes, vou procurar e boto aqui depois.

            “3- Lembre-se que quem tem credito imobiliario pode não pagar SELIC, mas esse mesmo devedor pode ter outros creditos sim atrelados a SELIC e ficar mais proximo a uma inadimplencia!!”

            Sim, mas qdo a Selic aumenta só afeta o credito feito de ali em diante, os antigos continuam como era. Mas sim, claro q prejudica sim os antigos devedores, e pode aumentar a inadimplencia como um todo.

            Bom ver q ainda aparece alguma coisa de relevante por aqui, no meio de um bocado de bobagem.

            Abs

            0
    • Duda 6 de maio de 2011 at 12:40

      Andre, vou tambem botar uma pimentinha: Quem foi que bateu martelo nesses valores e % que indicam a existencia (ou não) de uma bolha que vc menciona, e que vc aguarda para poder tirar sua conclusão sobre a existencia (ou não) da mesma? Pois como comentei aqui, não existe (ainda) uma teoría que modelice o comportamento das bolhas, com base em multiplos indicadores. O melhor que achei por enquanto, foi a “curva padrão” estudada por um fera, mas possivelmente nunca iremos ter acesso aos dados que usou para defini-la. Os numeros que vc exige para confirmar (ou não) a existencia duma bolha, podemos saber quem definiu?

      0
      • Andre 6 de maio de 2011 at 23:03

        Duda,
        há muito tempo atras, antes de vc sair de ferias, eu comentei, E FOI DIRETAMENTE PRA VC, sobre os indicadores de bolha. Mas naquela ocasião vc não ligou a mínima e sabe pq? Pq vc estava muito mais envolvido em rebater, mesmo q afobadamente e s/ lógica, os meus argumentos. Vc NUNCA parou pra pensar “peraí, será que o que esse cara fala faz sentido?”.

        Vc estava envolvido em uma disputa pessoal, emocional e até infantil.
        Estava e está ainda, alias.
        Como se isso fosse mudar o rumo do mercado…

        “O melhor que achei por enquanto, foi a “curva padrão” estudada por um fera”

        Esse seu argumento não vale absolutamente NADA, se eu fosse vc nem tocava mais nisso. Antes de chegar aqui o jose, frank e outros, o nivel das discussoes era fraco, bem fraco. Nem tinha discussão. Só lamentos…

        Recomendo fortemente que vc leia tudo (COM CALMA) o que foi escrito neste blog pelos “torcedores altistas”, como vc se refere…

        Abs

        0
        • Duda 9 de maio de 2011 at 09:35

          André, pode responder calma, e resumidamente o que acabei de te perguntar? Quem definiu esses valores? Ainda acho que “minha” curva vale mais, sabe… Enquanto envolverme em disputa pessoal? Cara, nem te conheço… como poderia ter uma disputa pessoal contigo?

          0
          • Duda 9 de maio de 2011 at 11:53

            Nem tocar mais nisso? Vc esta brincando, verdade? o melhor que temos achado sobre bolhas por enquanto, vamos “deixar passar”? Me mostre algum estudo melhor, e depois poderei seguir sua sugestão. Sem entrar em detalhes, mas o pessoal aqui pode testemunhar que não sou eu quem está fornecendo argumentos infantis… O unico que vc aportou no debate, por enquanto, foi dúvidas sobre cada um dos dados fornecidos pelos outros blogueiros… Um “aporte” bem fraco por enquanto. Mas tem liberdade de opinar, como todos. Abs.

            0
          • Andre 9 de maio de 2011 at 20:21

            “Sem entrar em detalhes, mas o pessoal aqui pode testemunhar que não sou eu quem está fornecendo argumentos infantis…”

            “Argumento infantil” é relativo né parceiro?

            Pode dar CTRL C CTRL V e botar aqui embaixo qq um que vc achar…

            Quanto às respostas de suas perguntas estaõ todas em meus posts anteriores, é só ler…

            0
  • Ral 5 de maio de 2011 at 21:58

    Uma coisa não entendo neste indice ZAP , ele faz uma média pelo preço de anuncio dos imóveis quando acho que deveria ser considerado os preços de venda de fato comercializado nas escrituras.

    Vou dar um exemplo 2 pessoas : Uma tem um salario de R$ 10.000,00 por mês a outra R$ 600,00 por mês , tirando a média do salários dos dois ficaria assim :

    R$ 10.000,00 + R$ 600,000 = 10.600,00 / 2 = R$ 5.300,00.

    Pois é , a média é boa , mais o fato concreto é que um vive com 10 mil e o outro apenas com 600,00 por mês

    Neste indice pode ocorrer a mesma coisa se um corretor / construtora anunciar valores absurdos para subir a média dos preços desmonta a teoria do indice.

    0
    • Andre 6 de maio de 2011 at 10:18

      “quando acho que deveria ser considerado os preços de venda de fato comercializado nas escrituras.”

      Todo mundo sabe do habito do brasileiro de botar um preço menor na escritura pra fugir do Leão… Se fizesse baseado nesse preço ia dar uma aberração, não um índice.

      “R$ 10.000,00 + R$ 600,000 = 10.600,00 / 2 = R$ 5.300,00.”

      Pra evitar esse tipo de distorção q existe média e mediana…

      O trulia (site de anuncios de imoveis americano) mostra preço médio e mediano por ex. A mediana sempre é mais baixa em uma cidade inteira, pq (eu acho) os imoveis de ultra-luxo puxam a média pra cima demais. Ou vc acha q o mercado por lá está hiper aquecido e tem “corretor” botando preço nas alturas? (Não acredito q ainda leio isso)

      De qq forma isso não acontece no caso de preços de imoveis, veja: pega um bairro só, imoveis equivalentes, e veja o m2. Ninguém por mais louco q seja ia pedir 10x mais do q o outro né??
      Daí nesse caso não existe uma distancia grande entre media e mediana.

      Não sei se fui claro.

      —————–

      “corretor / construtora anunciar valores absurdos para subir a média dos preços”
      Humm… Tá certo então, foram os corretores q causaram essa alta…

      Bom senso… Se coloque no lugar do corretor. Isso já foi explicado aqui.

      Abs

      0
      • RAL 6 de maio de 2011 at 12:37

        Na alta dos preços todos tem seu papel a saber ; o comprador que e paga o que pedem e os corretores construtoras que querendo ou não são atores principais deste filme.
        Sabe as vezes temos papel de Mocinho ou Bandido.

        0
        • Andre 7 de maio de 2011 at 02:27

          Na minha humilde opinião, sem duvida o player principal desse mercado é o Governo (por motivos já explicados).

          Os compradores e vendedores tb são players importantes (lógico).

          Já corretores/construtores tem um papel muito pequeno e sozinhos não tem força pra nada… São só intermediários.

          Abs

          0
          • MrK 7 de maio de 2011 at 12:12

            Andre, outro dia li algo interessante que dizia o seguinte:

            O Mercado imobiliario para investimentos tradicionalmente é regido pelas forças contraditórias da ganancia e do medo: Todo mundo quer ganhar, mas tem medo de encalhar (como qualquer investimento)

            O Problema surge quando alguém tira o “medo” da equação, dizendo que a valorização será eterna, dizendo que nosso mercado financeiro é impecável ao emprestar, dizendo que o governo subsidiará…etc… com isso sobra somente a ganancia!

            Concordo 100% com voce que os corretores não tem poder grande no mercado, mas podem influenciar pontualmente alguns negocios tirando o medo do mercado

            0
          • Andre 7 de maio de 2011 at 12:55

            MRK,

            tá tudo certo ai q vc disse.

            Só que tem uma coisa: qq um q frequente este site e LEIA o q está escrito está MUITO bem preparado p/ a lábia de corretor.

            Aqui tem MUITA informação relevante… A maioria colocada pelos “torcedores altistas”, mas alguns “do outro lado”, como vc tb contribuem.

            Assim, quem quiser tanto comprar, qto vender está MUITO mais preparado do q o corretor (que em geral não sabe nada sobre o mercado).

            Obs.: não to querendo esculachar a “classe” corretor não, pfv…

            Abs

            0
          • Buginga 7 de maio de 2011 at 16:23

            Na realidade, a valorização excessiva e exuberante interessa a todos. Esse é o problema.
            Léo vendedor é ótimo pq ele estará realizando um lucro fabuloso em um investimento q ele fez. Pro comprador idem: ele espera obter um rendimento fabuloso, juntamente com a segurança psicológica do imóvel e tudo mais, o banco acha ótima a valorização, afinal os imóveis são to
            Tomados como colateral nos contratos de financiamento.
            Estou certo de que, pelo nível das discussões aqui, quem baldem seu bom imóvel próprio, poderia té-ló tranqüilamente tomando financiamento de longo prazo como a maioria da populaça tem feito. Então, o debate aqui não é “choradeira” como sustentam alguns.

            0
          • Andre 8 de maio de 2011 at 02:03

            Buginga,

            “Estou certo de que, pelo nível das discussões aqui, quem baldem seu bom imóvel próprio, poderia té-ló tranqüilamente tomando financiamento de longo prazo como a maioria da populaça tem feito. Então, o debate aqui não é “choradeira” como sustentam alguns.”

            Juro por Deus q não consegui entender o que vc quis dizer… Tem como explicar melhor?

            Abs

            0
      • Duda 6 de maio de 2011 at 18:07

        Não servem escrituras, nem jornais… só servem preços negociados e prontos “para fechar”… por isso se aguardamos estatisticas confiaveis e verdadeiras sobre preços, estaremos discutindo a vida toda. Mais tendo em conta que os preços, neste momento mudam semana a semana. E ainda mais: precissamos esses valores, em forma quase constante, para podermos fazer a curva de evolução.

        0
    • Pedro 6 de maio de 2011 at 10:50

      Esse índice é furado e totalmente manipulável, criado pelos maiores beneficiários de sua alta, as imobiliárias e construtoras. O Governo poderia muito bem criar um índice que espelhasse melhor a realidade usando os dados das avaliações da Caixa.

      0
      • Andre 6 de maio de 2011 at 12:38

        “Esse índice é furado e totalmente manipulável”

        Eu tb não confio 100% no Fipe zap, mas existe alguma suspeita em relçaõ à confiabilidade da Fipe? Já teve lgum escandalo envolvendo ela? Eu pelo menos nunca ouvi falar.

        “, criado pelos maiores beneficiários de sua alta, as imobiliárias e construtoras. O Governo poderia muito bem criar um índice que espelhasse melhor a realidade usando os dados das avaliações da Caixa.”

        Vc não está muito por dentro do assunto… O governo já está criando um indice.

        Outra coisa: na minha humilde opinião o maior beneficiário da alta é ele mesmo, o Governo…

        Abs

        0
        • Carlos 6 de maio de 2011 at 15:41

          A FIPE só faz o cálculo. Não acho que esses calculos estejam errados. O problema desse índice é ele se basear nos preços anunciados e não nos preços reais das vendas concretizadas. Na verdade o índice não diz que estão pagando 12% a mais hoje que em dezembro, mas que os apartamentos de padrão equivalente estão sendo anúnciados pelos vendedores por 12% a mais que em dezembro de 2010. Não entra no merito se o apartamento vai ser realmente vendido e o valor real dessa transação. Mas poucas pessoas entendem a composição desse índice e ele acaba dando mais margem para especulação e sensacionalismo.

          0
      • Duda 6 de maio de 2011 at 12:44

        Pedro, nem o governo seria confiavel num indicador como esse. O unico que poderia ajudar, são pesquisas independentes.

        0
  • MrK 5 de maio de 2011 at 23:01

    Vejam o que é uma materia absurda e tendenciosa, titulo em letras garrafais do oglobo:

    “Imóveis sobem 12,6% no Rio, maior alta do ano”

    Ai quem le imagina: Caramba, na ultima leitura teve a maior alta do ano, alta de 12,6%!!!

    mas não é NADA disso, lendo a reportagem voce entende que:

    a alta no ano todo (4 meses acumulados) foi de 12,6% e a alta no mes individual de abril foi de 2%… e o Rio teve a maior alta entre as cidades pesquisadas, por isso “a maior alta do ano”

    PALHAÇADA!!!

    0
    • Andre 6 de maio de 2011 at 10:23

      MRK,
      o site ganha renda de anuncios baseada na qtde de hits da pagina onde ele está. Por isso o link sempre tem uma chamada sensacionalista, pra induzir o sujeito a clicar…

      Isso pra qq assunto, não só imoveis.

      Nada de novo no front.

      Abs

      0
  • Giovanni E Santo 5 de maio de 2011 at 23:07

    Uma pesquisa rápida no ZAP com o número de imóveis em São Paulo e RIO. Notem que a grande participação é dos imóveis de 400 a 600 mil reais. Para aqueles que vão dar seu imóvel usado de entrada e pagar um financiamento que não se pagará.

    Preço em R$ Rio SP
    100.000 a 150.000 1979 5.70% 1029 1.25%
    150.000 a 200.000 2528 7.28% 3479 4.24%
    200.000 a 250.000 2071 5.96% 5272 6.43%
    250.000 a 300.000 2226 6.41% 6202 7.56%
    300.000 a 350.000 2478 7.14% 5731 6.99%
    350.000 a 400.000 2305 6.64% 5818 7.10%
    400.000 a 600.000 5995 17.26% 16617 20.27%
    600.000 a 800.000 5002 14.40% 12674 15.46%
    800.000 a 1 milhão 2811 8.09% 7947 9.69%
    1 milhão a 3 milh 6079 17.50% 15001 18.30%
    acima de 3 milh 1256 3.62% 2224 2.71%
    total de imóveis 34730 81994

    0
    • Andre 6 de maio de 2011 at 10:44

      “Para aqueles que vão dar seu imóvel usado de entrada e pagar um financiamento que não se pagará.”

      Baseado em que vc afirma isso?

      Abs

      0
  • MrK 5 de maio de 2011 at 23:17

    O dinheiro está acabando!!!

    A CEF já tá buscando qualquer jeito de continuar com os niveis de crédito atingidos

    a poupança secando… os juros subindo (e a inflação não deixará os juros descerem tão cedo)…

    quero ver esse mercado brincar nos patamares atuais sem esse crédito farto por aí !!!

    0
    • me 6 de maio de 2011 at 16:46

      ???

      0
      • MrK 6 de maio de 2011 at 17:57

        me, o credito imobiliario vem em grande parte da poupança (ha uma destinação por lei)

        o lance é que com a queda da selic até 8.75% muito dinheiro saiu dos fundos tradiocionais (FI e renda fixa) pra poupança.. (fazia conta levando-se em conta impostos e taxas de adm dos fundos e poupanca ganhava de muitos) isso foi maior fusuê ná epoca.. com a poupança inchada o credito ficou muito farto e deu no que voce já sabe… superdemanda e imoveis nas alturas

        agora a SELIC volta se distanciar da poupanca e esta torna-se nada atrativa para investir!!! quando fiz esse post foi apos ler uma reportagem que o volume de saques da poupanca está MUITO, mas MUITO acima das aplicacoes, logo a maior fonte de credito imobiliario ESTÁ secando…

        0
  • John 6 de maio de 2011 at 10:02

    Enquanto houver fartura de crédito e gente desesperada para “se garantir” os preços vão aumentar. Mas se a inflação continuar forte, muita gente que está endividada para pagar o imóvel pode se complicar. O aumento dos preços claramente está comprometendo a renda. Gasolina a 3 reais, alimentação mais cara, juros subindo, etc. Então, se o cidadão não tiver “bala na agulha”, ou ele se livra da dívida vendendo o imóvel, ou fica no pão com ovo ou vira inadimplente.

    0
    • Duda 6 de maio de 2011 at 13:34

      John, vc acabou de levantar uma bola maravilhosa, fantastica poderia dizer… Por enquanto, eu ( e acredito que todos no site) pensamos que inflação não deixaria a bolha estourar. Voce planteia o contrario: quem comprou, mesmo tendo suas parcelas vamos dizer “quase” pre fixadas, terá que gastar muito mais para viver, ou seja nos outros gastos, de alimentos, saude educação, gasolina, energia e outros. Seguindo seu raciocinio, realmente muito ficarão sem “bala na agulha” e deverão vender… forçados pelo custo de vida. Inflação, então, seguindo sua tese, pode AJUDAR a bolha estourar, e não impedi-la… fantastico cara, por ser o primeiro em levantar esta questão !!

      0
      • MrK 6 de maio de 2011 at 14:46

        Duda, levantei esse exato mesmo ponto há alguns dias atrás

        mas não quero revindicar autoria não hehehe, eu to aqui mais é pra concordar com essa visão!

        muita gente que comprou reservou um X de dinheiro para os outros gastos (transporte, alimentacao, educacao, saúde…) e esse X não vai dar, pois o governo JÁ PERDEU O CONTROLE da inflação!! E como digo, a inflação REAL tá muito além de 6%… tá la pra 15%

        pra piorar, se o governo usa o remedio que sabe (aumentar juros) pra segurar a inflação, o dolar sobe (gerando mais inflação) e o crédito como um todo encarece!!! (mencionei isso em outro post ao andré logo acima)

        em outras palavras: vivemos um nó difícil de desatar! na minha humilde opinião o ÚNICO jeito do governo resolver seria cortar seriamente gastos publicos pra diminuir a inflação sem elevar a selic, o problema é: O Governo populista do PT vai querer cortar gastos publicos? quem viver verá!

        0
        • Duda 6 de maio de 2011 at 16:14

          Cara, peço desculpas! tem tanto comentario que não consigo nem ler tudo! Parabens a todos os que pensaram nisso! acredito que essa será a nova linha da discussão, que ultimamente tem ficado um pouco atolada no assunto de conseguir numeros confiaveis. Duas coisas, acredito que todos concordamos: os imóveis subiram muito de preço (sem entrar nos motivos), e a inflação esta mostrando os dentes. Que acontecerá com estas duas coisas acontecendo junto? Podemos dar START a este debate?

          0
        • Duda 6 de maio de 2011 at 16:22

          Concordo, a verdadeira inflação deve andar nesse valor, mais de 10% com certeza. Há tempo vejo como o poder de compra do meu salario vai sumindo, mesmo com os dissidios, que teoricamente acompanham a inflação oficial.

          0
    • Marcelo 6 de maio de 2011 at 13:59

      Falou tudo! Tenho conversado com corretores semanalmente e vejo que a euforia está diminuindo em maio. Meu acompanhamento diário mostra que os imóveis vendidos mais rapidamente são os financiados com as construtoras. A análise de crédito dessas construtoras não existe e na hora de pegar o financiamento na Caixa muitos ficarão com a pulga atrás da orelha. Essa pulga tem nome, INFLAÇÃO.

      0
      • Duda 6 de maio de 2011 at 15:13

        Para John, Marcelo e Bolha: na minha opinião, o assunto do que aconteceria com os preços dos imóveis se continuar a inflação, é um debate que vai ganhando tanto espaço, que ate merece começar uma discussão nova por separado. O que vcs acham?

        0
  • Duda 6 de maio de 2011 at 13:37

    Agora, começo a acreditar que a preocupação do governo com a inflação pode ser genuina.

    0
  • Andre Luiz 6 de maio de 2011 at 15:25

    Recomendo a leitura dos penúltimo e antepenúltimo posts do blog Bolha Imobiliária em Brasília e no Brasil, cujo link está relacionado ali na lista de parceiros deste site.

    http://bolhabrasilia.blogspot.com/2011/05/post-sobre-bolha-imobiliaria-do-forum.html

    http://bolhabrasilia.blogspot.com/2011/04/onda-de-capitais-para-os-paises.html

    Acredito que as respectivas matérias ainda não tenham sido indicadas aqui.

    Abraços.

    0
  • MrK 6 de maio de 2011 at 16:18

    MAS O QUE É O CRÉDITO AFINAL???? CRÉDITO É TUDO IGUAL????

    Existem dois tipos de crédito: Crédito para investimento e crédito para consumo, vejamos:

    Quando o crédito é usado para investir em produtividade e negócios bem sucedidos, é a maior benção que uma economia pode ter, pois gera juros para quem poupa (investidor) e lucro para quem o toma (tomador do credito).. ele vira renda! É como pegar um empréstimo pra abrir uma loja que dá certo!

    O problema é quando o crédito não é usado para gerar mais produtividade/riqueza e sim para simples consumo!! (Uma viagem, um carro, um imovel…) e pior ainda quando o crédito é confundido com poder de compra real e incorporado a renda!

    Crédito pra consumo NÃO é renda extra, este crédito é simplesmente a antecipação de um consumo que seria dada no futuro! (Não vou nem entrar no mérito de crédito podre / inadimplência, quero abordar o crédito “correto”). O que o consumidor só poderia comprar em 10 anos, através de poupar ao longo do tempo, passa a ser consumido hoje, com o crédito disponível!

    Tem uma corrente de economistas que diz “ahh, mas esse crédito é bom, pois aumenta o consumo”… que consumo, cara pálida? Estamos apenas antecipando e não GERANDO consumo adicional!

    Estamos cometendo o mesmo erro que outros países cometerame hoje estão na M. a saber: Em vez de usar o dinheiro externo que aqui está pra modernizar a economia, a infraestrutura e abrir fábricas e universidades (o crédito bom), estamos usando para CONSUMO, pra viajar pra NY, comprar carros coreanos e apartamentos a preço de ouro! e isso NÃO GERA riqueza!!!!

    é por isso que me preocupo com o futuro disso tudo!!!!

    0
    • Duda 6 de maio de 2011 at 18:14

      E tem razão em se preocupar, o assunto se segue assim, vai feder. Embora imóvel possa ser considerado bem de capital, a maior parte do credito no Brasil esta indo para carros, eletronicos, eletrodomesticos, viagens, vinho importado e outras coisas assim… E para CONSUMIR o povão paga juros varias vezes superiores a inflação…

      0
      • Andre 7 de maio de 2011 at 02:38
        • Duda 9 de maio de 2011 at 09:46

          Não sei bem que tu quiz dizer, mas te respondo igual: Se tu soubesse quanta gente trabalha em casa no Brasil, meu amigo, ficarias surpresso… Por isso “embora possa ser considerado”… significa que as vezes, não sempre…

          0
    • buginga 6 de maio de 2011 at 18:35

      MrK,
      O fato é que, por razões culturais, o nível de poupança no Brasil é e sempre foi muito baixo.
      Por consequência, temos também um nível de investimento ruim se comparado a outros países em desenvolvimento.
      Nossa evolução de crédito na economia foi direcionado em grande parte para consumo: carro SUV coreano (mais recentemente chinês também), viagem ao exterior (cambio forte ajudando), etc. Daí nosso PIB cresce 4% e a inflação fura o teto da meta do Bacen, de 6,5%.
      Como você citou: na teoria econômica, para que haja investimento, deve haver poupança de longo prazo.
      Nós estamos acenando um voo de galinha: estamos amarrados por nossos próprios hábitos e fatores culturais que nos impedem de crescer de forma mais saudável e sem inflação.

      Se o cenário ficar ruim mesmo lá na frente, a má alocação de recursos ficará exposta.

      0
      • MrK 6 de maio de 2011 at 21:05

        buginga a situação está se armando de uma forma perigosa

        trouxe alguns dados para os mais interessados:

        “Entre 1900 e 2000 o preco dos imoveis nos EUA subiu por uma média de 3.4% ao ano, um pouco acima da inflação e acompanhando o poder de compra, levava-se entre 2 a 3 salários anuais pra se comprar um imovel, quando o crédito comecou a ser liberado agressivamente a valorizacao media subiu para19.4% ao ano e era preciso de 10 a 20 salarios anuais pra se comprar um imóvel”

        como já opinei: Crédito bom é o que constroi empresas lucrativas, o que traz maquinas mais eficientes e o que gera riqueza e crescimento sustentável…crédito perigoso é o que é usado pra consumo e que acaba inflando preços artificalmente… esste não gera riqueza real, apenas bolhas, mas é ADORADO E INCENTIVADO pelos politicos, pois enquanto a bolha não estoura, ele gera uma falsa sensação de prosperidade

        0
        • Frank 6 de maio de 2011 at 23:02

          parece q ocorre aqui a mesa coisa.

          o crédito, ao invés de aumentar o poder de compra REAL, acaba reduzindo – apesar de, paradozalmente, facilitar a compra.

          o sujeito se endivida por 30 anos, mas está comprando um bem muito + caro.

          é mais fácil, mais é BEM mais caro.

          tenho impressáo de q vem ocorrendo algo semelhante aqui.

          por outro lado, se a indapimplência não aumentar, não vejo muito como esse aumento de preço possa ser erodido.

          mesmo q o crédito seque, não significa necessariamente q os valores se reduzem, mas páram de crescer.

          0
          • Andre 7 de maio de 2011 at 02:44

            “mesmo q o crédito seque, não significa necessariamente q os valores se reduzem, mas páram de crescer.”

            É exatamente isso que eu quero descobrir: credito acabou, preço cai ou pára de crescer?

            Obs.: ainda bem q ainda tem algumas (poucas) linhas de argumentação relevantes, pq a maioria, só bobagem…

            Abs

            0
        • Buginga 7 de maio de 2011 at 00:53

          A esse respeito é pedido pautar o seguinte:
          Credito para uma transação de compra e venda de um imóvel usado NÃO é um investimento do po to de vista econômico. Ele não gera valor novo NENHUM na economia. Não gera acréscimo de produtividade, NADA.
          Ainda que eu concorde que carro x imóvel são diferentes pelo fator depreciação, etc. Do ponto de vista econômico e de alocação de recursos. Imóvel usado não gera valor novo na economia.

          0
  • Frank 6 de maio de 2011 at 19:18

    é a bolha brasileira na Economist de novo…semana sim, semana não sai alguma coisa.

    se esse fosse o indicador, diria q a bolha estoura em 1 semana 🙂

    http://www.economist.com/node/18651524?story_id=18651524

    ainda não tive tempo de ler, mas, p/ quem não é do ramo, a reputação da revista acima de qq suspeita.

    0
    • MrK 6 de maio de 2011 at 21:44

      frank, esse paper não corrobora a idéia de bolha

      ele justifica com o velho papo de “olimpiadas” e “pre-sal”

      fossem esses os verdadeiros motivos me expliquem por favor a disparada de preços em cuiabá por exemplo, lá que eu saiba não tem nem jogos olimpicos e nem poços subaquáticos

      abraços

      0
      • Frank 6 de maio de 2011 at 22:54

        agora li.

        é um texto razoavelmente escrito, e recorre a números (o peso micro do crédito imobiliário na economia e na carteira dos bancos, os critérios prudentes p/ concessão de crédito adotados por aqui, etc.) p/ argumentar q a alta de preços, a despeito de alarmante, não é bolha.

        é q, p/ o texto, bolha = alta turbinada por uma moldura financeira de barro.

        nessa interpretação, não há bolha mesmo.

        agora, seja o q for – bolha ou não bolha – o q queremos discutir é como essa curva vai se comportar nos próximos anos.

        é o q temos feito aqui,

        0
  • ildeu 6 de maio de 2011 at 21:54

    Esse novo feirao da caixa vai ser importante pra analisar o mercado.Se tiver uma queda de uns 40% de unidades comercializadas , ja´ pode indicar fim do boom de vendas .Mas nao queria ver a bolha estourar agora , queria que mantesse esses preços altos por mais uns 3 anos ,pra se construir mais imoveis e saturar ainda mais a oferta .Vou casar e o que vou pagar de aluguel vai comprometer 6% minha renda ,e se chegar a comprometer no futuro menos de 4% nao compro imovel nunca .Depois que inventaram esse seguro , de se comprar um titulo e nao precisar de fiador , ficou melhor ainda alugar .Assim sempre posso morar em imoveis diferentes de acordo com minha satisfaçao , nao preciso ficar preso pra sempre num mesmo predio ou bairro ..

    0
    • Fábio 6 de maio de 2011 at 23:37

      Nossa que aluguel barato, 6% da renda ou talvez seja a renda de Ipanemas dos 40.000 aí fica mais tranquilo mesmo rsss, sua cidade é o Rio de Janeiro ildeu?

      0
      • Fábio 6 de maio de 2011 at 23:40

        Com meu rendimento de 14k sendo esses 6% daria um aluguel de 840 e na zona sul do Rio de Janeiro nem aluguel de garagem rolaria….rsssss

        0
      • ildeu 7 de maio de 2011 at 17:59

        nao , se fosse no rio seria uns 15% a 20% .Moro em montes claros -mg , aluguel aqui e´ 1000 a 1200 reais , e o preço dos imoveis 250 a 400 mil , uma desproporçao absurda!

        0
  • Ral 7 de maio de 2011 at 01:03

    Feirão da Caixa
    Amigos , a CEF está no seu 7º Feirão, alguém tem o histórico de quantas unidades foram disponibilizadas nos 05 ultimos feirões ??

    0
  • Mr. Alex 7 de maio de 2011 at 01:48

    Enrique Bañuelos freia atuação na área imobiliária

    http://www.valoronline.com.br/impresso/empresas/102/423043/enrique-banuelos-freia-atuacao-na-area-imobiliaria

    Huahahha ! Poder do conhecimento coletivo, segue contribuição.

    0
    • MrK 7 de maio de 2011 at 12:20

      na reportagem cita os motivos? nao consegui acesso

      0
      • Mr. Alex 9 de maio de 2011 at 21:43

        http://www.dealmaker.com.br/blog/index.php/2011/05/06/enrique-banuelos-freia-atuacao-na-area-imobiliaria/

        Segue a reportagem completa…

        Bañuelos estaria mais interessado em investir na área de agribusiness. “Aumentamos em agribusines, mas isso não significa que desaceleramos o passo na área imobiliária”, diz Paracchini. Primeiro comprou a Maeda e depois incorporou a Brasil Ecodiesel. Há três semanas, a Veremonte, anunciou a incorporação do Grupo Vanguarda, de Mato Grosso, pela Ecodiesel. Confirmada a incorporação, a empresa pode alcançar faturamento de R$ 1,6 bilhão.

        0
  • MrK 7 de maio de 2011 at 02:34

    Frank, refaco pra voce o post que fiz em outro assunto, já que vi você comentando sobre a similaridade da crise aqui e nos EUA e já que voce botou o artigo do economist.

    Seja aqui ou no outro post, espero que leia:
    ——————————————————

    Prezados, isso é sério:

    Estamos seguindo os mesmos passos do mercado americano de bolha e pior: Não conseguimos se quer fazer a leitura correta do que houve lá!

    Muita gente atribui o problema deles ao subprime e as “Fannie mae” unidas num setor financeiro desregulado, mas a verdade é que isso tudo foi somente um ADITIVO e não A REAL CAUSA! O que realmente quebrou a américa foi uma inundação de crédito por anos que permitiu que as pessoas ilusoriamente vivessem acima do seu padrão de vida, esse crédito foi incentivado pelo governo, que convenientemente culpou outros pela crise e tirou o corpo fora!

    Tudo comecou com a quebra das .com em que o governo (Bush) para tentar sumir com a crise quis incentivar o consumo loucamente pra girar a economia e fez isso manipulando crédito.

    Ao desviar créditos do setor produtivo, isso é: Construir estradas, comprar maquinas, investir em tecnologia, fabricas etc… e direcionar puramente para consumo de forma populista, isso é: Carros, Viagens, Casas… o governo deixou de gerar riquezas com esses bons investimentos e permitiu as pessoas viverem uma ilusão de prosperidade… com muito crédito na praça e mais barato do que eles estavam acostumados, o preço dos principais itens subiram, incluindo casas.

    A economia girou muito bem assim por um tempo, afinal consumo era o que eles queriam, familias satisfeitas e eleitores satisfeitos… o problema que nenhuma renda real cresceu, a produtividade nao cresceu, os salarios não cresceram, fabricas nao foram abertas, não havia nada de concreto, somente crédito internacional (japao e china especialmente) inundando os mercados!!!

    O fim da história voces já conhecem… agora QUEREM NOS ENGANAR, dizendo que pelo nosso setor bancário ser mais rigido ao conceder crédito, não corremos os mesmos riscos, mas eles não estão indo no X da questão (crédito desenfreado voltado para consumo) e sim desviando o foco!! Claro que nosso estouro será menos doloroso que o deles, por não ter esses aditivos, mas ainda assim não é brincadeira!! Nosso governo da mesma forma insana está estimulando crédito solto pra pessoa física, populismo perigoso é o nome disso!!!

    Recomendo fortemente a todos que querem se aprofundar no tema que leiam o livro “how the economy grows and why it crashs” disponível em PDF.

    0
  • Kal 8 de maio de 2011 at 03:11

    Boa noite!
    Eu me livrei da minha bomba, vendi um ágio por 30 mil, tinha pago 25 mil durante a obra, ainda ganhei 20% do que paguei em 7 meses. Bem, foram 4 meses anunciando o imóvel e somente uma pessoa me procurou que foi a que comprou, pois queria para morar e por conta de que meu imóvel era o único com as características que ele procurava e também pelo fato do valor baixo do ágio: quem tem ágio acima de 100 mil tá frito. Outra situação é o preço que o pessoal anuncia pela internet e o que realmente será vendido, eu pelejei para vender por um preço 15% menor do que o preço médio anunciado pela internet. Mas o que queria deixar de experiência é que comprovei agora com pesquisas nos sites de imóveis aqui em Brasília, pois há dois meses quando tava procurando comprador para meu ágio, o imóvel onde moro tava valendo 550 mil (eu pago 1.300 de aluguel), e hoje pesquisando novamente encontrei o imóvel com as mesmas características por 480 mil até 440 mil? Constatei uma queda também em outras regiões:confesso que não anotei o antes, então não me peça comprovação científica, mas de agora em diante vou fazer uma tabela e acompanhar esse comportamento.

    0
    • John 9 de maio de 2011 at 09:31

      Kal, também moro em Brasília e tenho a impressão de que os valores estacionaram. E outra, tem quitinete anunciada há vários meses e não vende. O que eu acho curioso também é a situação do Noroeste (novo bairro de Brasília): quando lançaram as primeiras vendas na planta, falavam que vendiam tudo em dois dias. Pois atualmente o que tem de anúnio do Noroeste não é brincaderia! Era puro terrorismo dos vendedores.

      0
    • Andre 9 de maio de 2011 at 22:17

      Kal,

      pra repassar o ágio tem que ser à vista né?

      Pergunto pq sempre qdo vejo anuncio o sujeito aceita carro, moto, sogra, etc…

      Não existe financiamento pra isso, salvo engano, pois não é nada ainda, não é um imóvel, é só uma promessa de compra, só um contrato.

      Abs

      0
      • Kal 9 de maio de 2011 at 23:24

        Boa noite André.
        Na verdade o ágio é o quanto uma pessoa pagou pelo imóvel e sua valorização no decorrer do período. Embora também podemos chamar de ágio o caso onde a pessoa só esteja pedindo o que pagou. Pode ser para imóvel na planta e também já pronto. Se for na planta, geralmente se paga ao promissário comprador (pois que temos uma promessa de compra e venda), sendo feita uma cessão de direitos na construtora. O valor desse ágio é livremente negociado entre os contratantes, podendo ser aceito outras espécies de pagamento, mas normalmente a pedida se dá em dinheiro mesmo. Quanto ao ágio de um imóvel já pronto, nesse caso como não se trata de uma promessa de compra e venda, pode-se financiar até mesmo o valor desse ágio com o Banco, dependendo da carta de crédito.
        Vlw, espero ter ajudado.

        0
        • Andre 10 de maio de 2011 at 07:10

          Kal,

          como se convencionou chamar no mercado imob., o “repassar o ágio” é somente enquanto está na planta, depois de pronto não se chama mais ágio.

          Eu só perguntei pq: se o ágio só se repassa à vista, deve ser dificil mesmo… Afinal o mercado imob. só está aquecido devido à credito e não aumento de renda real mesmo.

          Abs

          0
  • Guilherme Paiva 9 de maio de 2011 at 16:32

    Caros,

    Gostaria primeiramente de agradecer a todos pelo post.

    Mesmo que não se chegue a uma certeza absoluta, ao menos amplia nosso ponto de vista.

    Como informação adicional, moro na zona sul de São Paulo, região de Interlagos.

    Em 2010 observei que ao menos 10 sobrados foram construídos na região, sendo todos eles entregues no fim de 2010.

    Cada vez que eu procurava as imobiliárias para saber o preço de venda desses imóveis, observava que o valor era absurdamente maior.

    Para se ter uma idéia, em Dezembro/10, um imóvel estava a venda em frente a minha casa por R$ 350.000,00. Hoje, o mesmo continua com a placa de vende-se e o valor chegou a R$ 490.000,00

    Se não venderam a 350k pq “raios” agora estão pedido 450k ???

    Alguém conseguiria me explicar este “fenômeno”?

    Só mais um detalhe… de todos esses imóveis, apenas 1 foi vendido… o resto continua lá… inclusive já com as paredes emboloradas.

    Será só a bolha, ou também existe uma pitada de especulação por parte das imobiliárias/construtoras?

    Enquanto não descubro a resposta, continuarei morando de aluguel…

    Abraços e novamente obrigado a todos, independente do ponto de vista de cada um.

    0
    • Andre 9 de maio de 2011 at 19:58

      “Se não venderam a 350k pq “raios” agora estão pedido 450k ???”

      O motivo é bem simples, o mercado subiu e estão pedindo esse preço por imoveis equivalentes…

      Daí o vendedor aumenta… Não ter vendido em 6 meses não quer dizer nada, imovel não se vende da noite pro dia, demora “meses” mesmo.

      Abs

      0
  • Marcos 9 de maio de 2011 at 21:18

    Boa noite a todos, acompanho este blog já a algum tempo e o mercado imobiliário atual. Aqui na zona oeste de sp próximo da Pompeia tem um empreendimento que já foi entregue a meses e não tem quase moradores…sem contar que tem corretores todos os dias anunciando em seus carros com faixas “últimas unidades à venda”, sendo que não há compradores. Conversei com um deles duas vezes, são apartamentos de alto padrão, a cerca de um mês atrás um deles estava a venda por 3 milhões, agora diminuiu o valor em 500 mil, para 2,5 milhões. Resumindo, os aptos estão encalhados… também noto que nos sites do imovelweb e do zap antes não tinham quase imóveis abaixo de 200k, hoje entrei e vi vários… é o início sim da curva descendente dos preços, tenho certeza. Trabalhei no mercado de ações e é um pouco parecido, embora o imóvel seja mais difícil de comercializar rápido. Outra coisa… boatos de corretoras de valores nas mesas dos operadores está circulando que uma ou duas grandes construtoras estão com dificuldades, podendo quebrar no segundo semestre, e grandes investidores estão se desfazendo todos os dias dos papeis destas empresas. Acho que vale a penas muito mais no momento comprar imóveis nos EUA, do que aqui, estou pesquisando como fazer isso. Obrigado.

    0
  • Junior Brasília 9 de junho de 2011 at 00:20

    Prezados,
    tenho acompanhado os comments apenas como observador e agora é a primeira vez que comento. Primeiramente quero parabenizar a todos pelas argumentações de qualidade e ótimo conteúdo. Sou corretor de imóveis em Brasília e tenho falado abertamente com qualquer pessoa, inclusive clientes, acerca da bolha imobiliária. O que vejo, ao menos aqui em Bsb, é que está acontecendo o que muitos definem como “bolha dos ágios”. Cito como exemplo a cidade de Águas Claras, onde tem ocorrido lançamentos batendo nos R$ 6.000,00 o m². Na mesma Águas Claras, com uma boa pesquisa, encontram-se bons apartamentos usados a menos de R$ 4.000,00 o m², lembrando que os prédios mais antigos da cidade ainda não completaram 20 anos, ou seja, são relativamente “novos” em comparação com o Plano Piloto de Brasília por exemplo, que tem prédios com mais de 50 anos. Fui corretor de lançamentos de 2007 a 2009, e hoje trabalho apenas com imóveis usados. Nessa época, minhas vendas geralmente ocorriam numa proporção de 70% para “investidores” e 30% para pessoas com intenção de morar no imóvel. Tenho muitos colegas que até hoje fazem 100% das suas vendas para “investidores”.. O que estou percebendo nos últimos 6 meses, é um grande aumento na oferta de ágios. Antigamente a absorção desses ágios acontecia de forma rápida mas hoje está tudo encalhando, inclusive nos empreendimentos prontos e quase prontos. Eu creio que nos próximos 2 anos poderá ocorrer um movimento mais alto de devoluções de imóveis para as construtoras, pois sabe-se que a imensa maioria dos “investidores” não tem como arcar com o saldo devedor, caso não consiga passar o ágio pra frente. Acredito que este é o momento certo para uma atitude mais dura por parte do governo, de modo que o mercado imobiliário siga para um rumo mais responsável, pois o que se vê hoje são pessoas adquirindo imóveis na planta com objetivos especulativos, o que em nada ajuda a economia. Minha sugestão, é que a venda de imóveis na planta seja feita apenas para quem comprovar sua capacidade de pagamento, nos mesmos moldes de quem toma um financiamento imobiliário na CEF. Dessa forma se afugentaria os especuladores, verdadeiros culpados da escalada monstruosa de preços. E não adianta argumentar com isto ou aquilo, todos sabemos que as bolhas imobiliárias que aconteceram nos EUA e Europa foram em decorrência da especulação ou demanda artificial.
    Será que precisamos seguir nessa mesma estrada?

    Abraços a todos!

    0
  • João 10 de junho de 2011 at 02:26

    Bolha em Brasília.

    Em Brasília existe um jargão de que “aqui tudo é diferente”. Fundamentos de economia valem para todo o Brasil menos para aqui…e assim a bolha vai se formando com maior consistênica para um “estouro” ainda maior.
    Com grande parte da economia tocada por funcionários públicos que sistematicamente(raríssimas exceções) vem recebendo somente correção da infalção nos salários, e acreditam piamente que moram na “ilha da fantasia” o tsunami
    fará mais estragaos aqui que em outro lugar. Quem viver verá!!

    0
  • Farley 13 de julho de 2011 at 08:04

    Gostaria de deixar minha opnião sem usar dados estatisticos. Em relação a economia, e como todos sabem, é preciso fazer uma análise mais social, e como sendo uma Ciência Humana, depende principalmente das relações humanas e como bem disse o corretor são vários os motivos para a aquisição de um imóvel, ponto para o Fabio. O problema, aí concordo com o posicionamento do editor do blog, é a discrepancia que se formou entre a capacidade de produção e o aumento expressivo dos imóveis. Todos falam em investimento, de uma hora para outra todo mundo virou investidor, converso com pessoas que falam de 500 mil, um milhão, dois milhões e nem sequer sabem como produzi-lo, a maioria esmagadora não tem a mínima idéia e até competencia para produzir, criar, gerar estas cifras. O empresário de brasília não gera estes valores em riqueza, os funcionários públicos menos ainda, então, para quem estamos vendendo ?? Acredito sim em uma bolha, pois os preços estão muito distantes da realidade economica brasileira, a nossa capacidade de gerar riqueza pelos meios de produção não acompanha a muito tempo a velocidade dos preços dos imóveis, por isso vai se gerando uma distorsão entre realidade e a pura especulação, não sei ao certo quando vai estourar, mas aposto, risos, um milhão com qualquer corretor desta cidade. Salvo algumas exceções, em alguns bairros nobres aqui de brasília, o resto vai tudo pro ralo, quem viver verá…..

    0
  • Staudt 13 de janeiro de 2012 at 17:24

    Pessoal, estive acompanhando as discussões deste site (o que quer dizer que li mais ou menos 70% do material postado, inclusive os links de áudio e vídeos). Quero dizer que, em minha opinião, há, sim, uma bolha imobiliária no Brasil. Não sou economista, especulador, investidor. Sou meramente um funcionário público federal em busca de um imóvel pra MORAR. Parece que a esta altura da discussão não se está nem mais questionando a existência ou não de bolha imobiliária, mas sim os motivos que a engendraram e o que fazer com ela.
    Meu principal argumento para explicar minha convicção da existência de bolha imobiliária é exatamente a discrepância entre o preço dos alugueis e o valor da compra de imóveis. Percebi que os valores pra aluguel dos imóveis aqui em Porto Alegre continua sendo de mais ou menos 1% sobre o valor ANTIGO DE COMPRA dos imóveis (de cerca de três ou quatro anos atrás).
    Ex: três ou quatro anos atrás, um apartamento em condomínio de classe média aqui em Porto Alegre, numa região medianamente valorizada, com um quarto, cerca de 34m2, saía por cerca de R$ 50.000,00. Hoje em dia, no entanto, o valor de venda está chegando perto dos R$ 120.000,00, mas o aluguel está por cerca de R$ 500,00, mais valor do condomínio.
    Conclusão: seria muito mais rentável pro proprietário vender este imóvel do que seguir alugando, pois o retorno desses R$ 120.000,00, mesmo que aplicado em poupança (o menor rendimento que há), seria maior do que o auferido pela cobrança do aluguel.
    O motivo pra que isso aconteça também é muito simples. Se o proprietário aumentasse o valor do aluguel, a população que em geral se utiliza desse tipo de imóvel jamais conseguiria pagá-lo.
    Um dos participantes do forum perguntava à Susy por que ela achava que o valor de um determinado apartamento (o real valor) seria de R$ 250.000,00 , e não um outro qualquer. Eu acredito – e talvez esteja enganado, mas viso contribuir com a discussão – que pra sabermos o valor real do imóvel devemos descobrir quanto o inquilino paga e multipilcar por 100. Simples assim. Talvez o valor pudesse ser um outro. Talvez 90, ou 110. Mas a verdade é que o valor do imóvel é diretamente proporcional ao aluguel praticado.
    A razão para eu SABER que existe bolha imobiliária é essa discrepância entre os valores do aluguel e da compra. Por quê? Simplesmente pelo fato de ser impossível repassar o valor de venda do imóvel para um valor de aluguel, pois as pessoas não têm dinheiro pra pagar.
    O que me chama atenção é que as pessoas estão supervalorizando aquela ideia de “ter um imóvel” e fazendo financiamentos de 360 meses (30 anos), em sua maioria pessoas ignorantes, ou com alguma necessidade muito específica de comprar um imóvel neste momento, decorrente dos próprios meandros da vida. Muita gente vai, sim, ficar inadimplente, e a coisa vai ser muito feia.
    Uma última coisa que eu gostaria de dizer e contribuir com a discussão: Grande parte dos corretores de imóvel já percebeu, sim, que a época de glórias está chegando ao fim. E o que as imobiliárias têm feito? Colocado preços fantasma nos imóveis pra iludir uma parte da população, quando de fato os preços já estão estabilizados, a comprarem ansiosamente seus imóveis sob risco de “ficar sem ter onde morar”.
    Como eu já disse, sou servidor público federal, minha esposa tem um bom cargo no município de Porto Alegre. Sugiro a quem busca comprar um imóvel que, antes de ser iludido pela loucura do mercado, dê uma boa olhada em seu próprio cargo, emprego, e vislumbre se uma pessoa em suas condições está condenada a viver de aluguel. Porque o mundo muda, é verdade, mas nem tanto assim. E pense também se vale a pena pagar duas a três vezes o valor de um imóvel que JÁ ESTÁ duas ou três vezes mais caro do que devia, ao longo de trinta anos.
    Por fim, gostaria de dizer que não sou adepto de teorias de conspiração… Mas também sei o quanto alguns investidores que trabalham com imóveis têm de grana e poder, e o quanto podem estar trabalhando, sim, nos bastidores pra gerar uma sensação de elevação indefinida nos preços dos imóveis. Estive vendo apartamentos com corretores neste mês e eles com certeza o fazem sem quaisquer escrúpulos. Um grande abraço. Espero ter contribuido.

    0